Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Abacaxi  Voltar

Abacaxi

 

Nome científico: Ananas comosus (L.) Merril
Nome popular: ananás; abacaxizeiro
Família botânica: Bromeliaceze
Origem: América Central e México.

Ananas comosus, abacaxi, é uma planta perene da família das bromélias, nativa da América do Sul.

Esta espécie, de tamanho limitado e folhas duras e lanceoladas de até 1 metro de comprimento, dá frutos uma vez a cada três anos a produção de uma única fruta perfumada e doce, muito apreciado na gastronomia.

Origem

Origina-se da América Tropical, sendo também cultivado em outros países de clima tropical e subtropical. Pertence à mesma família botânica do gravatá e da samambaia conhecida como barba-de-velho,da família das bromeliáceas.

Frutificação: durante o ano todo.

História

Consta que o abacaxi ou ananás foi descoberto, para o velho mundo, em 4 de novembro de 1493, quando Cristóvão Colombo descobriu a ilha de Guadalupe, onde encontrou e experimentou o fruto, que era amplamente disseminado na América Tropical, desempenhando parte importante na alimentação das populações indígenas. Acredita-se que no final do século XVII, a planta já era conhecida na maioria das áreas do globo.

Hoje, o abacaxi é um autentico fruto símbolo das regiões tropicais e subtropicais.

Taxonomia

O abacaxi, Ananas comosus (L.) Mernil, pertence à família Bromeliaceae, que apresenta cerca de 46 gêneros e 1700 espécies, ocorrendo principalmente em zonas tropicais. Sendo chamado por sua forma em espanhol "piña" e no inglês "pineapple", mas o nome "ananás" usado por franceses, italianos, holandeses e alemães, também se usa no inglês e no português (ananás é o fruto, naturalmente; a planta é ananaseiro).

O vocábulo ananás é originário de nana, da língua tupi, falado pelos nativos que habitavam o litoral do Brasil.

Atualmente, ananás é usado para indicar os frutos selvagens ou pertencentes a variedades desconhecidas pelo povo, pois as variedades conhecidas são vulgarmente chamadas de abacaxi, vocábulo proveniente de ibacati (iba= fruto, cati= que exala cheiro) da língua guarani.

Caracteristicas

Abacaxi
Abacaxi

Planta herbácea, terrestre, de até 1 metro de altura, com caule pouco desenvolvido, folhas lineares, alongadas, em forma de calhas e dispostas em torno de um eixo central. Flores de coloração roxo-purpúrea, reunidas em inflorescência terminal, de eixo grosso, carnoso e cônico-oval. Abertas as flores, as pétalas se desprendem e as sépalas, junto com outras partes das flores e da inflorescência, soldam-se formando o fruto. Trata-se de uma inflorescência denominada sorose (nome de origem grega, derivado de soros, que significa agrupamento). Conhecido mundialmente como ananás e no Brasil como abacaxi.

Partes aproveitadas

Toda a fruta

Indicações

Energeticamente é refrescante, de sabor doce e ácido. Acalma, abaixa a pressão, é diurético e nutritivo, é importante para a formação óssea dos adolescentes, fluidificante de secreções de vias aéreas, indicado nas bronquites e gripes.

Utilidades Medicinais

Anemia: A acidez do abacaxi favorece,na digestão, a absorção de ferro. O anêmico pode, no intervalo das refeições, usar um pouco de suco de abacaxi diluído em água e adoçado com melado de cana.
Diurese:
O suco de abacaxi é excelente diurético.
Inapetência:
O suco de abacaxi, sem açúcar,tomado em pequena quantidade uma ou duas horas antes da refeição, ajuda a abrir o apetite.
Nefrolitíase:
Para auxiliar na eliminação de cálculos, há tratamentos naturais específicos.

O suco de abacaxi pode participar juntamente com outros sucos e chás.

Pode-se passar alguns dias com dieta exclusiva de abacaxi,e tomar chás como o de quebra-pedra, folha de abacate, cana-do-brejo e cavalinha. Convém, entretanto, seguir orientação médica para cada caso

O Abacaxi

É eupéptico, germicida, oxidante forte, desobstruente do fígado, antiictérico, antiartrítico, antihidrópico, antidiftérico, bom contra as afecções da garganta e contra a arteriosclerose.

Na culinária:

O abacaxi é utilizado na indústria para produzir essências.
De sua poupa são feitos inúmeros pratos saborosos.
Seu sumo é empregado em sucos e doces
Sua casca é aproveitada para fazer um delicioso licor .

Propriedades Nutritivas por 100 gramas da fruta(polpa):

Vitamina A
(mg)

Vitamina B1
(mg)

Vitamina B2
(mg)

Vitamina C
(mg)

Niacina
(mg)

Calorias
(Kcal)

4,00

51,00

17,00

10,90

0,245

52,00

Glicídios
(g)

Proteínas
(g)

Lipídios
(g)

Cálcio
(mg)

Fósforo
(mg)

Ferro
(mg)

13,70

0,40

0,20

18,00

8,00

0,50

Fonte: br.geocities.com

Abacaxi

Originário das Américas o abacaxizeiro é cultivado na Ásia, África, América (Norte, Central, Sul); Tailândia, Filipinas, Brasil, China e Índia destacam-se como países principais produtores (1994).

No Nordeste- com produção de 1.036.415t. (1998) - sobressaem-se Paraíba(237.551t.), Bahia(168.518t) e Rio Grande do Norte(88.726t.) como estados maiores produtores; neste ano o Nordeste do Brasil contribuiu com 49% da produção nacional.

Na Bahia a produção (67%) concentra-se nas regiões econômicas do Paraguaçu, Sudoeste e Litoral Norte onde aparecem os municípios de Coração de Maria, Santa Ines, Inhambupe, Cravolandia, Irajuba e Entre Rios com produções expressivas.

As regiões Oeste e Baixo Médio São Francisco mostram-se promissoras para a cultura do abacaxi.

Características da planta

Planta de pequeno porte, podendo atingir 80cm de altura. Folhas longas e duras, dispostas espiraladamente, partindo da base, formando uma roseta. Flores pequenas, de coloração rósea a roxo-purpúrea, surgem aglomeradas em uma haste, formando uma espiga que se desenvolverá originando a fruta do abacaxi.

Fruto

O conjunto dos pequenos frutos formam a estrutura de forma ovóide do abacaxi.

Na sua porção superior forma-se uma "coroa" de folhas duras, de coloração verde intensa denominadas brácteas.

A haste interna do abacaxi é envolta pela suculenta polpa que é comestível.

Cultivo

Prefere solo rico em nutrientes, não suportando os encharcados. O plantio é feito no início das chuvas desenvolvendo-se bem em locais de temperaturas de 16° a 20° C e livres de geadas. Produz 20 kg por planta ao ano. Frutifica o ano todo.

Quando Cristóvão Colombo chegou à ilha de Guadalupe, no Novo Mundo, o abacaxi foi oferecido aos invasores europeus num gesto de hospitalidade e boas-vindas. Por sua semelhança, um tanto forçada e bastante apressada, com o fruto do pinheiro europeu, a fruta foi então chamada de pina, como é até hoje conhecida nos p\ de língua espanhola.

Para os indígenas de língua guarani, seu nome significava "fruta saborosa", de onde derivou a palavra ananás, como são ainda conhecidas algumas de suas espécies silvestres. Mas foi "iuaka'ti" ou "fruta cheirosa", outra de suas denominações indígenas, que deu origem à palavra abacaxi em português.

Provavelmente nativo do sul da América do Sul, da região onde hoje fica o Paraguai, o abacaxi foi carregado por toda a América pelos índios guaranis, tornando-se espécie cultivada pelas populações autóctones até a região da América Central e Caribe muito antes da chegada dos europeus.

O abacaxi, com o nome de pina, foi levado para a Europa como testemunho da exuberância exótica das terras existentes a oeste do Atlântico.

Espécie de fruto de fácil dispersão e cultivo, o abacaxi cruzou os mares do mundo a bordo de galeões e caravelas, chegando para ficar na África, na China, em Java, na Índia e nas Filipinas.

Nesses locais o abacaxi se propagou com facilidade e rapidez, tendo sido muito bem aproveitado nos últimos cinco séculos, e não apenas como saboroso fruto.

Na Inglaterra, verdadeira paixão, a partir do século XVII iniciou-se o cultivo do abacaxi em estufas especialmente preparadas para manter a temperatura equivalente à temperatura tropical de que a planta necessita para crescer.

Com sua coroa espinheinta, passou a ser chamado, no feminino, de "a rainha das frutas". Transformado em iguaria de reis e rainhas, o abacaxi foi oferecido como símbolo de hospitalidade a convidados especiais da nobreza, também nas cortes européias.

Em seu transporte do Novo para o Velho Mundo, o abacaxi deixou de ser apenas uma fruta e passou a ser um verdadeiro modelo de beleza e exotismo, representado incansavelmente pelas belas artes, estudado e admirado pelas ciências da natureza. Uma imagem que permaneceu misteriosa por muito tempo, até que pudesse ser completamente desvendada pela botânica.

Soube-se, depois de muito tempo, que aquilo que costumava ser considerado como uma frota inteira, única, não passava de uma ou duas centenas de pequenos frutos aglomerados em torno de um mesmo eixo central: cada "olho" ou 'escama" da casca do abacaxi é um fruto que cresceu a partir de uma flor, fundindo-se todos os frutos em um grande corpo, chamado infrutescência, no topo do qual se forma a coroa.

De perfume forte e sabor variado, ora dulcíssimo, ora bastante ácido, esse conjunto de frutos do abacaxi possui uma polpa refrescante e cheia de caldo. Tais virtudes o recomendam como fruta que se presta à produção de compotas, doces cristalizados, geléias, sucos, sorvetes, cromes, gelatinas e pudins.

No Brasil faz-se também uma bebida, chamada alua, bastante conhecida e apreciada no nordeste: deixam-se as cascas do abacaxi imersas em água por alguns dias, até que se processe a sua fermentação.

O abacaxi é, seguramente, uma das frutas tropicais mais populares do mundo, sendo muito utilizada no preparo de coquetéis de espírito festivo, tais como a mundialmente famosa pina colada, feita com suco de abacaxi e rum.

O abacaxi não é fruta calórica, mas seu conjunto contém altas porcentagens de vitaminas A, B e C, assim como carboidratos, sais minerais e fibras.

Além disso, dos restos do abacaxizeiro pode-se extrair a bromelina, uma enzima nobre que ajuda a decompor proteínas, resultando dessa extração um bagaço consistente que pode ser utilizado como ração animal.

O Brasil é um dos maiores produtores mundiais de abacaxi, com mais de 700 mil toneladas anuais, perdendo, no início dos anos 90, apenas para a Tailândia, para as Filipinas e para a China.

As principais plantações brasileiras estão concentradas na região Nordeste do país, em especial no Estado da Paraíba; no Triângulo Mineiro; e nos Estados da Bahia e de São Paulo, onde os municípios de Araçatuba e Bauru são os líderes.

Apesar de manter uma área de cultivo muito maior que os outros países produtores, o Brasil ainda não detém completamente as técnicas que permitem a alta produtividade obtida nos abacaxizais asiáticos. Basicamente, no Brasil, cultivam-se as variedades Pérola, a preferida pelo mercado in natura, e Smooth Cayenne ou Havaiana, que produz um fruto maior, mais ácido e resistente e que, por isso mesmo, é normalmente destinada à exportação e às indústrias de compotas e de sucos.

Fonte: naturezaviva.net.br

Abacaxi

O abacaxizeiro é uma planta herbácea perene da família Bromeliácea, quase sem caule, com folhas estreitas, compridas e resistentes, margeadas por espinhos e dispostas em rosetas.

Ao longo de um ramo, medindo cerca de 30 a 35 cm de altura, nascem as flores, nas cores lilás, arroxeada e vermelha.

Cada planta produz um único fruto, de aroma intenso e sabor inconfundível que se forma a partir do eixo florífero. Ao seu redor surgem diversas bagas de formato poligonal, salientes e carnosas. Esse eixo termina, na parte superior, com uma coroa de folhas pequenas.

Além de ser uma ótima fonte de cálcio, vitaminas A, B e C, o abacaxi possui uma substancia de alto valor medicinal a bromelina. Trata-se de uma enzima muito utilizada como digestivo, antiinflamatório e solventes de mucosidades, como por exemplo, as que se acumulam nas vias respiratórias quando há afecções broncopulmonares.

Na culinária, o suco de abacaxi é empregado no preparo de carnes, pois a bromelina, contida no suco, tem o poder de amacia-las.

É uma planta de clima tropical e subtropical.

Melhores variedades: Cayenne (smooth cayenne) , pérola (pernambuco) e boituva (amarelo comum).

Época de plantio: O ano todo.

Espaçamento:

Variedades pérola e boituva: plantio em linha simples: 1 x 0,40m.
Variedade cayenne:
plantio em linhas duplas: 0,90 x 0,45 x 0,30m.

Abacaxi
Abacaxi

Mudas necessárias: 25-50 mil / hectare.

Combate à erosão: Plantio em linhas de nível ; terraçamento .

Adubação e calagem

Dois a três meses antes do plantio , por hectare: até 3t de calcário dolomítico incorporadas ao solo; depois do plantio , para a primeira safra por planta: até 50g de sulfato de amônio (ou o equivalente em uréia ou nitrato de amônio) ; até 10g de superfosfato simples e até 30g de sulfato de potássio, distribuídos em três parcelas crescentes: a primeira, em cobertura junto as linhas de plantio; as demais, nas axilas das folhas basais, sem deixar cair adubo dentro da roseta foliar

Para cada soca, por rebentão: metade das doses indicadas para a primeira safra .

Combate à ervas más

Capinas e emprego de herbicidas, como o diuron e derivados de triazina.

Combate à moléstias e pragas

Gomose: Ainda não se conhece produto eficiente
Podridão-negra:
Pincelamento da seção de pedúnculo do fruto com uma solução alcoólica de ácido benzóico a 10% ou de Benomil na concentração de 2.000 ppm
Broca-do-fruto:
Polvilhamentos e pulverizações, nas inflorescências e frutos novos, com paration metílico, diazinon, malathion, a cada 8 ou 10 dias
Cochonilha:
Tratamento das mudas e plantas com um dos inseticidas citados
Formiga - lava - pés:
Bom preparo do solo e incorporação de aldrim, na base de 6Kg de princípio ativo por hectare, antes do plantio.

Época de colheita

Janeiro - fevereiro, ou o ano todo, induzindo-se a iniciação floral com carbureto de cálcio, acetileno ou hormônios vegetais ( ácido alfanaftalenoacético, ácido 2-cloroetano fosfônico etc. )

Melhor rotação: Adubos verdes.

Produção normal: 20-45 mil frutos/hectare/safra.

Observações

Pode ser cultivado em todo o Estado, exceto nas áreas sujeitas ao encharcamento e às geadas.
A variedade cayenne tem as folhas praticamente sem espinhos, é a mais adequada para industrialização e também se presta muito bem para o consumo ao natural. As duas outras citadas servem apenas para a comercialização in natura e têm as margens das folhas armadas de espinhos.
Os principais tipos de mudas são os filhotes e os rebentões, cuja inserção ocorre, respectivamente, no pendúculo do fruto e no talo da planta.
No caso da variedade cayenne - cujas mudas são de preço elevado - além desses tipos, também é indicado o uso da coroa dos frutos destinados á industrialização e de plântulas (mudas resultantes do enviveiramento de seções dos demais ou do próprio talo do abacaxizeiro).
De cada cultura, convém explorar uma ou duas safras.
Para prevenir pragas e moléstias, evitar locais ou proximidades de abacaxizais em mau estado sanitário e mudas deles provenientes.

Fonte: www.agrov.com

Abacaxi

Abacaxi
Abacaxi

Essa fruta é rica em vitamina C e sais minerais como Cálcio, Ferro e Fósforo.

A vitamina C é um remédio de choque contra o frio, cansaço,gripe e depressão.

É necessária ao desenvolvimento de ossos e dentes, aumenta a resistência dos tecidos e dos vasos sanguíneos.

Os sais minerais contribuem também para ossos e dentes, mantêm o equilíbrio interno do organismo e o vigor do sistema nervoso.

O abacaxi facilita a digestão de produtos protéicos como carnes, peixes e aves pela alta porcentagem de celulose.

Nos casos de febre, recomenda-se suco de abacaxi por ser refrescante e eliminador de impurezas. É também indicado para enfermidades da garganta e da boca.

No tempero, ele amacia a carne. E para combater a bronquite, seu xarope é muito eficaz. Para prepará-lo, corte a fruta em rodelas, coloque-as numa panela, regue com mel e cozinhe. Deixe esfriar, retire o suco e coloque-o em vidro bem tampado. Tome 3 a 4 colheres de sopa por dia.

Também a casca cozida em forma de chá é utilizada para purificar o sangue e para combater diferentes processos inflamatórios.

O abacaxi está maduro quando as folhas da coroa se soltam com facilidade. Se você preferir comprá-lo verde, deixe-o amadurecer em temperatura ambiente.

E, para reconhecer quando ele está maduro demais, observe a região próxima à base. Em caso positivo, ela estará com manchas escuras e partes amolecidas.

Essa fruta madura, e em boas condições, conserva-se na geladeira por 2 a 4 semanas.

Ele pode ser encontrado o ano inteiro, mas seu período de safra vai de dezembro a fevereiro.

Abacaxi
Abacaxi, planta originária da América tropical que alcança 90 cm de altura e produz frutos de até 4 kg.

O abacaxi

Planta originária da América tropical, cultivada em muitas regiões quentes. Alguns estudiosos afirmam que a planta é nativa do Brasil, outros dizem que procede do Paraguai, tendo-se espalhado pelo continente, especialmente até a América Central e as ilhas do Caribe.

O Pé do Abacaxi pode chegar a 90 cm de altura e a fruta pesa até 4 kg.

Na parte de cima, um grupo de pequenas folhas forma a coroa. A polpa, que constitui a parte comestível, é rija e amarelo-clara ou esbranquiçada.

A planta possui folhas verde-azuladas em forma de espada. Elas crescem em torno de um caule grosso. As bordas das folhas têm espinhos pontudos. A planta possui raízes subterrâneas e também pequenas raízes que se desenvolvem acima da superfície do solo.

Quando a planta tem entre 14 e 16 meses de vida, surge uma inflorescência em seu centro, que cresce cerca de 5 cm e produz flores da cor azul-violeta.

Cada flor se transforma numa pequena fruta. As partes carnosas dessa fruta se unem à haste à qual já estava presa. A combinação da fruta e da haste forma a polpa amarela do abacaxi.

A casca se desenvolve a partir de estruturas espessas, duras e semelhantes a folhas, chamadas brácteas florais.

Cultivo e Produção

Os abacaxis precisam de clima quente e de solos bem irrigados.

Eles se multiplicam a partir de qualquer uma das três partes da planta: dos pedúnculos, dos rebentos e das coroas. Os pedúnculos crescem no caule principal. Os rebentos nascem da haste das flores, logo abaixo da fruta.

As coroas são as folhas situadas na parte de cima do abacaxi.

Os abacaxis são consumidos ao natural ou em conserva. Várias partes da planta são utilizadas na fabricação de alimento para o gado. Nas Filipinas, tecem-se as fibras da planta e fabrica-se um tecido chamado piña.

História

Cristóvão Colombo e sua tripulação, que exploraram as Antilhas em 1493, provavelmente foram os primeiros europeus a experimentar essa fruta.

A produção comercial de abacaxis começou em meados do séc. XIX na Austrália, nos Açores e na África do Sul.

Fonte: www.vitaminasecia.hpg.ig.com.br/www.clickeducacao.com.br

Abacaxi

A planta, cujo nome científico é Ananas comosus, pertence à família das bromélias e o fruto é, na verdade, uma frutescência: cada gominho é um fruto independente que se juntou com os demais durante o processo de crescimento.

É famoso em todo o mundo pelo seu perfume delicioso, pelo seu sabor acre-doce e por seu grande valor nutritivo.

O abacaxi é uma fruta deliciosa, muito apreciada em todos os países tropicais. Sua polpa saborosa é ligeiramente ácida, e muito refrescante.

Ao lado das qualidades organolépticas, que o distinguem universalmente, há o seu alto valor dietético, comparável ao das melhores frutas tropicais.

Por exemplo, o suco de abacaxi é um alimento energético, pois um copo (150 cm3) propicia, em média, cerca de 150 calorias ao organismo humano.

O teor de açúcar do suco varia, em geral, em trono de 12 a 15%, dos quais aproximadamente 66% são de sacrose e 34% de açúcares redutores (glicose e frutose).

O abacaxi contém, principalmente, potássio, além de magnésio e cálcio.

As vitaminas presentes são muito numerosas.

Considera-se o suco de abacaxi uma fonte de vitaminas: A (0,3mg em 100g de suco), vitamina B1 e uma fonte aceitável de vitamina C (8,5mg em 100g em média), porém não contém vitamina D.

É um adjuvante da digestão, em virtude de conter a bromelina, uma mistura de enzimas proteolíticas (que desdobram proteínas), que em meio ácido ou alcalino ou neutro transforma as matérias albuminóides em proteoses e peptonas (fragmentos resultantes da destruição enzimática da proteína).

Origem

Origina-se da América Tropical, sendo também cultivado em outros países de clima tropical e subtropical. Pertence à mesma família botânica do gravatá e da samambaia conhecida como barba-de-velho,da família das bromeliáceas.

Utilidades Medicinais

Anemia: A acidez do abacaxi favorece,na digestão, a absorção de ferro. O anêmico pode, no intervalo das refeições, usar um pouco de suco de abacaxi diluído em água e adoçado com melado de cana.

Diurese: O suco de abacaxi é excelente diurético.
Inapetência:
O suco de abacaxi, sem açúcar,tomado em pequena quantidade uma ou duas horas antes da refeição, ajuda a abrir o apetite.
Nefrolitíase:
Para auxiliar na eliminação de cálculos, há tratamentos naturais específicos.O suco de abacaxi pode participar juntamente com outros sucos e chás.

Pode-se passar alguns dias com dieta exclusiva de abacaxi, e tomar chás como o de quebra-pedra, folha de abacate, cana-do-brejo e cavalinha. Convém, entretanto, seguir orientação médica para cada caso

VALOR NUTRITIVO

É uma fruta com alto teor de vitamina C.

Além disso, contém celulose, uma substância indispensável para o bom funcionamento intestinal, e bromelina, uma outra substância que facilita a digestão das carnes. Também é bastante rico em sais minerais, como cálcio, fósforo e ferro.

VALORES NUTRICIONAIS

Porção: 100g
Kcal: 52.0
HC: 13.7
PTN: 0.4
LIP: 0.2
Colesterol: 0
Fibras: 1.4

Fonte: www.batuquenacozinha.oi.com.br/www.agrobyte.com.br

Abacaxi

Abacaxi - Ananas sativus

O abacaxí (Ananás comosus) é uma fruta tropical das mais famosas, nativa das regiões costeiras da América do Sul, cuja planta (o abacaxizeiro) pertence a família das bromeliáceas. Na verdade, o abacaxí é uma infrutescência - cada gominho é um fruto independente que se juntou durante o processo de crescimento.

Pelo seu perfume delicioso, seu sabor acre-doce e seu valor nutritivo, ficou famoso no mundo todo. Na culinária tem vários usos e faz parte dos mais variados pratos, podendo ser consumido ao natural, como sobremesa ou no café da manhã. A palavra abacaxí vem do tupí iba-cati (fruto que cheira muito) e, na linguagem indígena, era chamado de ananás (fruta excelente).

O abacaxí possui um alto teor de vitamina C, é rico em sais minerais (cálcio, fósforo e ferro), além de conter celulose (substância indispensável para o bom funcionamento intestinal) e bromelina (substância que facilita a digestão das carnes), devendo ser consumido preferencialmente ao natural.

Etimologia

A palavra abacaxi vem do tupí iba-cati (fruto que cheira muito) e, na linguagem indígena, era chamado de ananás (fruta excelente).

Botânica

Abacaxi
Abacaxi

Vegetal da família das bromeltáceas, que produz fruto também denominado abacaxi, da mesma espécie e semelhante ao ananás, porém mais saboroso e aromático.

O abacaxi, alimento funcional, além de ser nutritivo e delicioso, ótimo para repor as energias no verão, o abacaxi (também conhecido como ananás) é também um alimento e tanto. Possui ácidos orgânicos com efeito sobre a digestão das gorduras, possui enzima auxiliar na quebra de proteínas, é bom alimento para servir de sobremesa em churrascos. Antiespasmódico, estimulante da respiração celular, laxativo leve e diurético. Possui uma substância chamada triptofano que tem efeitos positivos sobre o humor.

O abacaxi (Ananás comosus) é uma fruta tropical das mais famosas, nativa das regiões costeiras da América do Sul, cuja planta (o abacaxizeiro) pertence a família das bromeliáceas.

Na verdade, o abacaxi é uma infrutescência - cada gominho é um fruto independente que se juntou durante o processo de crescimento -. Pelo seu perfume delicioso, seu sabor acre-doce e seu valor nutritivo, ficou famoso no mundo todo. Na culinária tem vários usos e faz parte dos mais variados pratos, podendo ser consumido ao natural, como sobremesa ou no café da manhã.

O abacaxi possui um alto teor de vitamina C, é rico em sais minerais (cálcio, fósforo e ferro), açúcares, vitaminas, o qual produz benefícios para a saúde. Além de conter celulose (substância indispensável para o bom funcionamento intestinal) e bromelina (substância que facilita a digestão das carnes), devendo ser consumido preferencialmente ao natural. Aliado da beleza, retira as células mortas da pele, rejuvenescendo-a. Por isso mesmo, também é excelente nos processos de cicatrização.

Grande parte dos abacaxis comercializados no mercado brasileiro tem como origem as plantações do Nordeste, principalmente dos Estados da Paraíba e Pernambuco. Ele é classificado pelo tamanho como grande (mais de 1,5 kg), médio (entre 1,0 e 1,5 kg) e pequeno (menos de 1,0 kg) e, de acordo com a variedade, em pérola (formato cônico, coroa de menor diâmetro e coloração interna amarelo-pálida, quase branca), jupí (diferente do pérola no formato cilíndrico - mesmo diâmetro de cima a baixo) e havaí (formato cilíndrico, coroa de maior diâmetro, sem espinhos e coloração interna amarelo-palha ou mesmo amarelo-forte).

O fruto tem maior valor comercial quando apresenta os seguintes padrões: tamanho grande (1,5 kg de peso), colocação amarelada na base (gomos amarelando), boa aparência física (sem manchas, ferimentos, podridão ou deformação), coroa firme e variedade pérola. Do seu plantio até a colheita leva-se em torno de 18 meses e sua oferta no mercado é forte nos meses de agosto, setembro, outubro, novembro e dezembro, média nos meses de janeiro, fevereiro, março e abril, e fraca nos meses de maio, junho e julho.

Para se escolher um bom abacaxi, não se pode considerar apenas sua cor, que varia muito dependendo da qualidade.

O melhor e mais simples é verificar as folhas da coroa: o abacaxi está no ponto quando elas se soltam com facilidade.

Também é possível perceber o ponto pressionando-se com os dedos: se ele estiver muito duro, ainda está verde.

Quando o abacaxi está maduro demais, sua casca tem manchas escuras e partes amolecidas próximas à base, sendo menos ácidos os que possuem espinhos nas folhas da coroa.

Como a deterioração do abacaxi começa em torno da coroa, ela só deve ser retirada no momento em que se for usar a fruta. Depois de cortado, deve ser guardado em recipiente fechado e mantido na geladeira. Quando ainda com casca, guarde na gaveta da geladeira. No caso do enlatados, depois de aberta a lata, coloque em outro recipiente junto com a calda e mantenha também na geladeira.

Além de ser consumido ao natural ou em pratos salgados, saladas e bebidas, o abacaxi também pode ser encontrado enlatado, em calda, em sucos concentrados, geléia, doce em pasta e cristalizado.

DICAS CULINÁRIAS:

Em pratos salgados, o abacaxi fica muito bom com carne de porco, peixes, crustáceos e aves de carne gordurosa.
Em saladas e bebidas o abacaxi é muito usado junto com outras frutas.
Quando for fazer sorvete ou gelatina de abacaxi, ferva o suco e a polpa antes de preparar. Caso contrário, a fruta não se solidifica.
A casca do abacaxi pode ser usada para fazer suco. Descasque a fruta, deixe a casca repousar numa vasilha com água por algumas horas e depois bata no liquidificador e coe. Sirva gelado.
Os abacaxis que tiverem as folhas da coroa com espinhos são menos ácidos.
O abacaxi com presunto é um ótimo tira-gosto.
Para que o abacaxi verde amadureça, deixe-o à temperatura ambiente, enrolado em jornal e longe da luz direta do sol.
O suco do abacaxi é um ótimo molho para umedecer presunto, lombo ou frango enquanto assam.

CURIOSIDADES

Os índios da América costumavam pendurar folhas de abacaxi, ou mesmo o fruto, na porta das cabanas para indicar que as visitas eram bem-vindas.
A expressão "abacaxi", usada para designar um problema ou uma encrenca, vem da dificuldade que se têm de se descascar bem o fruto.

Partes utilizadas: Casca e o fruto maduro.

Propriedades medicinais do abacaxi

Origina-se da América Tropical, sendo também cultivado em outros países de clima tropical e subtropical. Pertence à mesma família botânica do gravatá e da samambaia conhecida como barba-de-velho, da família das bromeliáceas.

Ajuda a tratar de:

Afecções da pele (acnes, cravos e espinhas)
Chagas
Esclerodermias
Excesso de líquido no organismo
Feridas
Problemas digestivos
Psoríases
Úlceras

Utilidades Medicinais

Anemia: A acidez do abacaxi favorece, na digestão, a absorção de ferro. O anêmico pode, no intervalo das refeições, usar um pouco de suco de abacaxi diluído em água e adoçado com melado de cana.
Diurese:
O suco de abacaxi é excelente diurético.
Inapetência:
O suco de abacaxi, sem açúcar, tomado em pequena quantidade uma ou duas horas antes da refeição, ajuda a abrir o apetite.
Nefrolitíase:
Para auxiliar na eliminação de cálculos, há tratamentos naturais específicos.

O suco de abacaxi pode participar juntamente com outros sucos e chás.

Pode-se passar alguns dias com dieta exclusiva de abacaxi, e tomar chás como o de quebra-pedra, folha de abacate, cana-do-brejo e cavalinha. Convém, entretanto, seguir orientação médica para cada caso.

Bibliografia

As Frutas na Medicina Natural Alfons Balbach Daniel S. F. Boarim

Fonte: www.frutas.radar-rs.com.br

Abacaxi

Valores Nutricionais

Porção 100g
Kcal 52.0
HC 13.7
PTN 0.4
LIP 0.2
Colesterol 0
Fibras 1.4

A planta, cujo nome científico é Ananas comosus, pertence à família das bromélias e o fruto é, na verdade, uma frutescência: cada gominho é um fruto independente que se juntou com os demais durante o processo de crescimento.

É famoso em todo o mundo pelo seu perfume delicioso, pelo seu sabor acre-doce e por seu grande valor nutritivo.

O abacaxi é uma fruta deliciosa, muito apreciada em todos os países tropicais. Sua polpa saborosa é ligeiramente ácida, e muito refrescante. Ao lado das qualidades organolépticas, que o distinguem universalmente, há o seu alto valor dietético, comparável ao das melhores frutas tropicais. Por exemplo, o suco de abacaxi é um alimento energético, pois um copo (150 cm3) propicia, em média, cerca de 150 calorias ao organismo humano. O teor de açúcar do suco varia, em geral, em trono de 12 a 15%, dos quais aproximadamente 66% são de sacrose e 34% de açúcares redutores (glicose e frutose).

O abacaxi contém, principalmente, potássio, além de magnésio e cálcio. As vitaminas presentes são muito numerosas.

Considera-se o suco de abacaxi uma fonte de vitaminas: A (0,3mg em 100g de suco), vitamina B1 e uma fonte aceitável de vitamina C (8,5mg em 100g em média), porém não contém vitamina D.

É um adjuvante da digestão, em cirtude de conter a bromelina, uma mistura de enzimas proteolíticas (que desdobram proteínas), que em meio ácido ou alcalino ou neutro transforma as matérias albuminóides em proteoses e peptonas (fragmentos resultantes da destruição enzimática da proteína).

Valor nutritivo

É uma fruta com alto teor de vitamina C.

Além disso, contém celulose, uma substância indispensável para o bom funcionamento intestinal, e bromelina, uma outra substância que facilita a digestão das carnes. Também é bastante rico em sais minerais, como cálcio, fósforo e ferro.

Informação Nutricional

Porção de 67 g (1/2 copo = 200ml) 

Quantidade por Porção % VD (*)
Valor Energético 34,8 Kcal = 146,3 Kj 2
Carboidratos 8,7 g 3
Proteínas 0,0 g 0
Gorduras Totais 0,0 g 0
Gorduras Satur. 0,0 g 0
Gorduras Trans. 0,0 g 0
Fibra Alimentar 0,0 g 0
Cálcio 12,1 mg 1
Ferro 0,3 mg 2
Sódio 0,7 mg 0
Fósforo 5,4 mg 1
Vitamina A 46,9 g 8
Vitamina B1 0,0603 mg 5
Vitamina B2 0,0201 mg 2
Niacina 0,134 mg 1
Vitamina C 11,39 mg 25
* Valores Diários com base em uma dieta de 2.500 Kcal ou 8.400 Kj seus valores diários podem ser maiores ou menores dependendo de suas necessidades energéticas.
*ND = Não Disponivel

Fonte: www.rgnutri.com.br/www.polifruta.com.br

Abacaxi

O abacaxi (Ananas comosus) é de origem sul-americana e foi oferecido aos primeiros colonizadores como um gesto de hospitalidade e boas vindas. O nome da fruta tem origem indígena, "inaka ti", que significa "fruta cheirosa." É a fruta tropical mais famosa do mundo.

Propriedades Nutricionais

O abacaxi é um alimento rico em vitamina C, betacaroteno (provitamina A), vitaminas do complexo B e minerais como potássio, manganês e cálcio. Além disso, também contém uma poderosa enzima, a bromelina, que segundo recentes pesquisas, pode ajudar na redução de inflamações de muitas causas e ajudar na digestão.

Valor Calórico

100 gramas de abacaxi fornecem 52 calorias.

Propriedades Medicinais

O abacaxi ajuda a dissolver coágulos sangüíneos, a reduzir inflamações, a acelerar a cicatrização de tecidos e na digestão.

Além disso, é antiviral, antibacteriano e um bom alimento para prevenir a osteoporose e as fraturas ósseas, devido ao seu alto teor de manganês. Ajuda nas tosses produtivas.

Abacaxi
Abacaxi

Informações Nutricionais

Destaca-se no abacaxi a presença da "bromelina", uma substância de natureza protéica (enzima) que facilita a digestão das carnes.

100 g contêm, em média:

Macrocomponentes Glicídios (g) 4
Proteínas (g) 2
Lipídios (g) 0
Fibras alimentares (g) 3
Vitaminas Vitamina A1 (mg) 290
tbImparVitamina B1 (mg) 30
Vitamina B2 (mg) 90
Vitamina B3 (mg) 0
Vitamina C (mg) 42
Minerais Sódio (mg) 102
Potássio (mg) 214
Cálcio (mg) 112
Fósforo (mg) 40
Ferro (mg) 2
Conteúdo energético (kcal) 28

Como Comprar

Os abacaxis já devem ser colhidos maduros, pois não ficam mais doces depois de colhidos. Uma coroa de folhas, compacta e pequena, em relação ao tamanho do fruto, indica que está bem desenvolvido.

Para se escolher um abacaxi maduro deve-se puxar as folhas para ver se soltam-se facilmente.

Como Conservar

Conserva-se à temperatura ambiente em local arejado por cinco a sete dias.

Como Consumir

Eliminada a casca, a polpa pode ser consumida diretamente, sob a forma de fatias ou pedaços. Batida em liquidificador, fornece um suco saboroso, que pode ser associado ao de outras frutas, como a laranja e a acerola. A associação com folhas de hortelã é também muito apreciada.

O abacaxi é muito consumido na forma de doces e compotas, e ainda na preparação de diversos pratos doces (tortas, pavês...) e salgados (geralmente acompanhando carnes). O efeito digestivo da bromelina é mais pronunciado quando se consome a polpa fresca ou o suco recém-preparado

Fonte: www.ceasacampinas.com.br/saudealternativa.org

Abacaxi

O abacaxi, também chamado de ananás e nativo da América do Sul, hoje é cultivado nas áreas tropicais do mundo inteiro, inclusive no Brasil, Havaí, Porto Rico, México, Cuba, China, Sudeste Asiático e África do Sul. A maior parte da sua produção é vendida como fruta fresca, compota, geléias e sucos, mas pode ser encontrado congelado e seco.

Embora o abacaxi possa ser encontrado o ano inteiro, o pico da safra se dá em dezembro e janeiro.

O sabor doce e levemente ácido faz do abacaxi fresco uma opção deliciosa como lanche ou sobremesa, podendo ser acrescentado às saladas de frutas, grelhado ou assado com frutos do mar, presunto, frango ou outras carnes.

Com o cozimento, o abacaxi amolece, devido à quebra de celulose, um tipo de fibra que mantém a sua estrutura.

O abacaxi fresco é um amaciador natural da carne vermelha e de aves, quando acrescentado aos ensopados escabeches. Se misturado à gelatina, é necessário que que seja do tipo enlatado ou previamente fervido para anular o efeito da bromelina. Caso este procedimento não seja seguido, a gelatina não endurecerá e ficará aguada.

Uma xícara com pedaços de abacaxi fresco tem cerca de 75 calorias e fornece 25mg de vitamina C (40% da necessidade diária de um adulto). Também fornece quantidades úteis de outros nutrientes, entre eles, 0,1 mg de tiamina, 16mcg (microgramas) de folato, 0,15mg de vitamina B6, 0,6mg de ferro e 17mg de magnésio.

O abacaxi também é rico em fibras solúveis, o que poderia ajudar a controlar os níveis de colesterol no sangue.

O abacaxi em lata não perde nenhuma quantidade significativa de vitamina C.

Uma xícara de suco de abacaxi engarrafado conserva toda a vitamina C, enquanto que a mesma medida de abacaxi em calda contém cerca de 20mg. A fruta enlatada recebe calor suficiente para destribuir a bromelina.

As calorias aumentam quando a fruta está em calda - uma xícara de suco engarrafado, feito com pedaços de fruta, tem 150 calorias, contra as 200 calorias de uma xícara de abacaxi em calda.

Depois de colhido, o abacaxi não amadurece. Na hora de comprar, procure os que tem fragrância e polpa amarela clara ou branca. Marcas castanhas indicam que a fruta está se estragando. Se você comprar a fruta inteira, verifique se é pesada e densa para o seu tamanho e se as folhas estão verdes.

O abacaxi

O abacaxi é uma fruta típica de países tropicais e subtropicais, portanto, não se adapta em regiões de clima frio.

É rico em vitaminas A, C, B1, B6, ferro, magnésio e fibras.

Previne dores de garganta e resfriados e é bom para a circulação por conter a enzima bromelina, servindo também como tempero para amaciar carnes.

O abacaxizeiro costuma florescer na época do inverno.

A parte comestível é a polpa, suculenta e com grande quantidade de água e fibras.

O suco do abacaxi é ótimo para a produção de sucos, sorvetes, cremes, geléias, bolos e outros alimentos.

Do suco do abacaxi é retirado ácido cítrico, ácido ascórbico (vitamina C), ácido málico e bromelina. Este suco natural possui cerca de 12% de açúcar (frutose).

Um abacaxi maduro pesa de 2 a 3 quilos.

Muitas pessoas utilizam a casca do abacaxi para fazer doces.

O abacaxizeiro costuma ser plantado em solos ricos em nutrientes.

Uma boa forma de verificar se o abacaxi está maduro é puxando uma das folhas de sua coroa. Se a folha soltar facilmente é porque o fruto está maduro, caso contrário ele ainda está verde.

As principais pragas que atacam os abacaxizeiros são: cochonilha e a broca do fruto (lagarta da borboleta).

Fonte: www.soreceitasculinarias.com/www.guianet.com.br

Abacaxi

O abacaxizeiro é uma planta tropical originária de regiões de clima quente e seco ou com chuvas irregulares. Até poucos anos, era cultivado em áreas virgens, recém-desmatadas, e por isso considerado rústico, pouco exigente de tratos.

Herbácea geralmente com 80 cm de altura.

Abacaxi
Abacaxi

Flores pequenas, de coloração rósea.

As folhas são longas, estreitas, duras e com ou sem espinho segundo as variedades.

Frutificação durante todo o ano.

De alto valor dietético, a polpa do abacaxi é energética ( 150 cal. por copo de suco); contém boas quantidades das vitaminas A, B1 e C, e, ainda, a bromelina que favorece a digestão.

Cada planta, produz um fruto e uma única vez. Sobrevive por vários anos através da formação de brotações laterais (rebentões)

Abacaxi
Abacaxi

O abacaxi é consumido principalmente ao natural como fruta fresca, refrescos, sucos e sorvetes ou industrializados no preparo de geléias, sucos concentrados, compotas, licor e vinagre.

Para se escolher um bom abacaxí, não se pode considerar apenas sua cor, que varia muito dependendo da qualidade.

O melhor e mais simples é verificar as folhas da coroa: o abacaxí está no ponto quando elas se soltam com facilidade.

Também é possível perceber o ponto pressionando-se com os dedos: se ele estiver muito duro, ainda está verde. Quando o abacaxí está maduro demais, sua casca tem manchas escuras e partes amolecidas próximas à base, sendo menos ácidos os que possuem espinhos nas folhas da coroa.

Após a compra mantenha o abacaxi em local fresco e arejado, se for consumir em 1 ou 2 dias. Caso contrário é recomendado estocar na geladeira, entre 7 e 10°C, junto com frutas compatíveis como, laranjas, limas ácidas, goiabas e melão.

Os índios costumavam pendurar folhas de abacaxí, ou mesmo o fruto, na porta das cabanas para indicar que as visitas eram bem-vindas.

A expressão "abacaxí", usada para designar um problema ou uma encrenca, vem da dificuldade que se tem de se descascar bem o fruto.

O abacaxi, "Rei dos frutos", não é uma fruta energética, com o nível de caloria equivalente às maçãs ou pêras, mas contém altas percentagens de vitaminas A, B e C, carboidratos, sais minerais e fibras. Apresenta uma propriedade ímpar, somente presente na papaia, que são enzimas que facilitam a digestão de carnes ingeridas ao curso da mesma refeição.

Fonte: www.arara.fr

Abacaxi

É conhecida popularmente como ananás.

Seu nome científico é Ananas comosus (L.) Merril. Faz parte da família botânica, Bromeliaceze. Tem sua origem na América Central e México.

Para os indígenas de língua guarani, seu nome significava "fruta saborosa", de onde derivou a palavra ananás, como são ainda conhecidas algumas de suas espécies silvestres.

Mas foi "iuaka'ti" ou "fruta cheirosa", outra de suas denominações indígenas, que deu origem à palavra abacaxi em português.

A característica da planta de pequeno porte, podendo atingir 80cm de altura. Folhas longas e duras, dispostas espiraladamente, partindo da base, formando uma roseta. Flores pequenas, de coloração rósea a roxo-purpúrea, surgem aglomeradas em uma haste, formando uma espiga que se desenvolverá originando a fruta do abacaxi.

Além de ajudar na formação óssea do adolescente, é eficaz contra arteriosclerosa, artrite e infecções na garganta, pois contém, cálcio, carboidrato, fósforo, ferro e vitaminas A, B, C. A polpa de fruta Doce Mel guarda todas estas propriedades em suco que é um ótimo acompanhamento para refeições, uma vez que é digestivo e rico em fibras.

Informações Nutricionais

Polpa de 100g
Calorias 50 Kcal
Proteínas < 1g
Carboidratos 13 g
Gorduras Totais 0 g
Gorduras Saturadas 0 g
Colesterol 0 mg
Fibra 1 g
Cálcio 0 mg
Ferro 0,5 mg
Sódio 0 mg

Fonte: www.docemel.com.br

Abacaxi

Abacaxi
Abacaxi

O abacaxi é a fruta tropical mais famosa e tradicional, nativa das regiões costeiras da América do Sul. A planta cujo nome científico é Ananas comosus, pertence à família das bromélias e o fruto é, na verdade, uma frutescência, cada gominho e um fruto independente que se juntou com os demais durante o processo de crescimento.

O abacaxi é famoso em todo o mundo pelo seu perfume delicioso, pelo seu sabor acre doce e por seu grande valor nutritivo.

Na cozinha o abacaxi tem vários usos e faz parte dos mais variiados pratos. Fica muito bom em pratos salgados, como carne de porco, peixes, crustáceos e aves de carne gordurosa. Em saladas e bebidas é muito usado junto a outras frutas.

É uma fruta com alto teor de vitamina C. Além disso contém celulose, uma substância indispensável para o bom funcionamento intestinal, e bromelina, uma outra substância que facilita a digestão das carnes. Também é bastante rico em sais minerais, como cálcio, fósforo e ferro.

Para escolher um abacaxi, não se pode considerar apenas a sua cor, que varia muito dependendo da qualidade.

O melhor e mais simples é verificar as folhas da coroa, o abacaxi está no ponto quando elas se soltam com facilidade. Também é possível perceber o ponto pressionando com os dedos. Se ele estiver muito duro, ainda está verde.

Para que o abacaxi verde amadureça, deixe-o à temperatura ambiente, enrolado em jornal e longe da luz direta do sol. Quando ele está maduro demais, sua casca tem manchas escuras e partes amolecidas próximas à sua base.

Também é possível encontrar o abacaxi enlatado, em calda, em sucos concentrados, geléia, doce em pasta e cristalizado.

Como a deterioração do abacaxi começa em torno da coroa, ela só deve ser arrancada no momento em que se for usar a fruta.

Depois de cortado, ele deve ser guardado em recipiente fechado e mantido na geladeira. Quando ainda com casca, guarde na gaveta da geladeira. No caso do enlatado, depois de aberta a lata, coloque em outro recipiente junto com a calda e mantenha também na geladeira.

Fonte: www.horti.com.br

Abacaxi

Abacaxi
Abacaxi

É uma fruta nacional, de sabor agradável, refrescante e delicioso.

Indicações: Pode ser aplicado como grande remédio para o tratamento da bronquite, afecções da garganta e difterias.

O seu suco é diurético e vermífugo. Combate também a prisão de ventre, controla as funções hepáticas e favorece a digestão.

Auxilia também no combate a febres intestinais, enfermidades da bexiga,da próstata e da uretra, elimina cálculos renais e auxilia na função da vesícula. É empregado também no tratamento do reumatismo, da artrite, a hidropisia e icterícia. Ótimo suco alimentar e é depurativo do sangue.

Abacaxi
Abacaxi

Cuidados

O uso abusado agride o estômago principalmente se a fruta não estiver bem madura e pode provocar sangramento na boca e ou gengivas.

Fonte: www.psleo.com.br

Abacaxi

Origem

América do Sul, na sua parte costeira; os índios dessa região costumavam pendurar folhas de abacaxi, ou mesmo o próprio fruto, na entrada das cabanas, para indicar que as visitas eram bem-vindas.

Grande parte dos abacaxis comercializados no mercado brasileiro, tem como origem as plantações da região Nordeste do Brasil, principalmente nos Estados da Paraíba e de Pernambuco.

Tipos

Quanto ao tamanho:

Grande: Pesa mais de um quilo e meio
Médio:
Pesa entre um quilo e um quilo e meio
Pequeno:
Pesa menos de um quilo

Quanto à variedade:

Tipo Pérola: Tem formato cônico, coroa de diâmetro pequeno, coloração interna amarelo-pálida, quase branca
Tipo Jupí:
Tem formato cilíndrico, isto é, tem o mesmo diâmetro de cima até embaixo
Tipo Havaí:
Também tem formato cilíndrico, mas a coroa apresenta maior diâmetro, não tem espinhos e a coloração interna é amarelo-palha ou mesmo amarelo-forte

Características

É uma fruta muito refrescante, cheirosa e sumarenta; cada gomo que vemos externamente, é um fruto independente.

Seu maior valor comercial ocorre quando é de:

Tamanho: grande (um quilo e meio de peso)
Coloração: amarelada na base
Coroa: Firme
Variedade: Pérola.

Dicas para comprar

Procure os que estão:

Sem defeitos, tais como:

Manchas;
Marcas;
Deterioração;
Deformidade.

A melhor maneira de saber se o abacaxi está no ponto exato para ser consumido, é quando uma das folhas da coroa se solta com facilidade ao ser puxada, lembrando que ele não amadurece facilmente depois de colhido.

Outra dica

Pressionar ligeiramente a casca: se estiver macia, é sinal de que está bom para ser consumido de imediato. Ao contrário, se passar do ponto, a casca apresenta manchas escuras e algumas partes ficam amolecidas de mais, principalmente junto à base; - os menos ácidos são aqueles que têm pequenos espinhos na coroa.

Procure adquirir os que têm boa fragrância e a polpa amarela clara ou branca.

Dicas para guardar

Para que o abacaxi verde amadureça, deixe-o à temperatura ambiente, enrolado em jornal e longe da luz direta do sol.

Dicas para consumo

É uma fruta muito versátil e que se presta à composição de inúmeros pratos tanto os doces quanto os salgados, tais como:

Compotas;
Doces cristalizados ou em pasta;
Geléias;
Sucos;
Pudins;
Saladas;
Bebidas;
Sorvetes;
Gelatinas.

Obs.: No caso dos dois últimos, é preciso ferver o suco e a polpa antes de preparar, pois, caso contrário, não haverá a solidificação.

Se quiser fazer um suco bem concentrado, use a própria casca da fruta, assim procedendo: Descascar a fruta, deixar a casca repousar numa vasilha com água por algumas horas, e depois bater no liquidificador e coar, servindo gelado.

ATENÇÃO: As pessoas com tendência a aftas bucais, ou mesmo com alto nível de acidez estomacal, devem evitar sempre a ingestão do abacaxi, ou então, fazer uso moderado e esporádico.

Composição

Vitaminas (A, B, B1, B2 e C)
Sais minerais diversos
Magnésio
Enxofre
Potássio
Cálcio
Ferro
Iodo
Flúor
Fósforo
Carboidratos
Fibras (Celulose)
Proteínas
Saponinas
Flavonóides
Glicosídeos
Sacarídeos
Taninos

Valor calórico

75 calorias / 100g

Indicações Terapêuticas

O abacaxi é altamente eficiente para:

As vias urinárias, por ser diurético, detergente e desintoxicante dos rins
Prevenção da formação de cálculos renais e biliares
Prevenir prisão de ventre, devido ao seu alto teor de fibras
Bronquite (é expectorante - fazer suco com a casca)
Aliviar cólicas menstruais
Combater a anemia, pois favorece a absorção do ferro
Falta de apetite, desde que ingerido o seu suco, sem açúcar, 1 ou 2 horas antes da refeição.

Obs.: O abacaxi possui uma enzima chamada bromelina que, em contato com a pele, pode causar dermatite em pessoas sensíveis.

Características da planta

Planta de pequeno porte, podendo atingir 80cm de altura. Folhas longas e duras, dispostas espiraladamente, partindo da base, formando uma roseta. Flores pequenas, de coloração rósea a roxo-purpúrea, surgem aglomeradas em uma haste, formando uma espiga que se desenvolverá originando a fruta do abacaxi.

Fruto

O conjunto dos pequenos frutos formam a estrutura de forma ovóide do abacaxi.

Na sua porção superior forma-se uma "coroa" de folhas duras, de coloração verde intensa denominadas brácteas.

A haste interna do abacaxi é envolta pela suculenta polpa que é comestível.

Cultivo

Prefere solo rico em nutrientes, não suportando os encharcados. O plantio é feito no início das chuvas desenvolvendo-se bem em locais de temperaturas de 16° a 20° C e livres de geadas. Produz 20 kg por planta ao ano. Frutifica o ano todo.

Quando Cristóvão Colombo chegou à ilha de Guadalupe, no Novo Mundo, o abacaxi foi oferecido aos invasores europeus num gesto de hospitalidade e boas-vindas. Por sua semelhança, um tanto forçada e bastante apressada, com o fruto do pinheiro europeu, a fruta foi então chamada de pina, como é até hoje conhecida nos p\ de língua espanhola.

Para os indígenas de língua guarani, seu nome significava "fruta saborosa", de onde derivou a palavra ananás, como são ainda conhecidas algumas de suas espécies silvestres. Mas foi "iuaka'ti" ou "fruta cheirosa", outra de suas denominações indígenas, que deu origem à palavra abacaxi em português.

Provavelmente nativo do sul da América do Sul, da região onde hoje fica o Paraguai, o abacaxi foi carregado por toda a América pelos índios guaranis, tornando-se espécie cultivada pelas populações autóctones até a região da América Central e Caribe muito antes da chegada dos europeus.

O abacaxi, com o nome de pina, foi levado para a Europa como testemunho da exuberância exótica das terras existentes a oeste do Atlântico.

Espécie de fruto de fácil dispersão e cultivo, o abacaxi cruzou os mares do mundo a bordo de galeões e caravelas, chegando para ficar na África, na China, em Java, na Índia e nas Filipinas.

Nesses locais o abacaxi se propagou com facilidade e rapidez, tendo sido muito bem aproveitado nos últimos cinco séculos, e não apenas como saboroso fruto.

Na Inglaterra, verdadeira paixão, a partir do século XVII iniciou-se o cultivo do abacaxi em estufas especialmente preparadas para manter a temperatura equivalente à temperatura tropical de que a planta necessita para crescer.

Com sua coroa espinheinta, passou a ser chamado, no feminino, de "a rainha das frutas". Transformado em iguaria de reis e rainhas, o abacaxi foi oferecido como símbolo de hospitalidade a convidados especiais da nobreza, também nas cortes européias.

Em seu transporte do Novo para o Velho Mundo, o abacaxi deixou de ser apenas uma fruta e passou a ser um verdadeiro modelo de beleza e exotismo, representado incansavelmente pelas belas artes, estudado e admirado pelas ciências da natureza. Uma imagem que permaneceu misteriosa por muito tempo, até que pudesse ser completamente desvendada pela botânica.

Soube-se, depois de muito tempo, que aquilo que costumava ser considerado como uma frota inteira, única, não passava de uma ou duas centenas de pequenos frutos aglomerados em torno de um mesmo eixo central: cada "olho" ou 'escama" da casca do abacaxi é um fruto que cresceu a partir de uma flor, fundindo-se todos os frutos em um grande corpo, chamado infrutescência, no topo do qual se forma a coroa.

De perfume forte e sabor variado, ora dulcíssimo, ora bastante ácido, esse conjunto de frutos do abacaxi possui uma polpa refrescante e cheia de caldo. Tais virtudes o recomendam como fruta que se presta à produção de compotas, doces cristalizados, geléias, sucos, sorvetes, cromes, gelatinas e pudins.

No Brasil faz-se também uma bebida, chamada alua, bastante conhecida e apreciada no nordeste: deixam-se as cascas do abacaxi imersas em água por alguns dias, até que se processe a sua fermentação.

O abacaxi é, seguramente, uma das frutas tropicais mais populares do mundo, sendo muito utilizada no preparo de coquetéis de espírito festivo, tais como a mundialmente famosa pina colada, feita com suco de abacaxi e rum.

O abacaxi não é fruta calórica, mas seu conjunto contém altas porcentagens de vitaminas A, B e C, assim como carboidratos, sais minerais e fibras. Além disso, dos restos do abacaxizeiro pode-se extrair a bromelina, uma enzima nobre que ajuda a decompor proteínas, resultando dessa extração um bagaço consistente que pode ser utilizado como ração animal.

O Brasil é um dos maiores produtores mundiais de abacaxi, com mais de 700 mil toneladas anuais, perdendo, no início dos anos 90, apenas para a Tailândia, para as Filipinas e para a China. As principais plantações brasileiras estão concentradas na região Nordeste do país, em especial no Estado da Paraíba; no Triângulo Mineiro; e nos Estados da Bahia e de São Paulo, onde os municípios de Araçatuba e Bauru são os líderes.

Apesar de manter uma área de cultivo muito maior que os outros países produtores, o Brasil ainda não detém completamente as técnicas que permitem a alta produtividade obtida nos abacaxizais asiáticos. Basicamente, no Brasil, cultivam-se as variedades Pérola, a preferida pelo mercado in natura, e Smooth Cayenne ou Havaiana, que produz um fruto maior, mais ácido e resistente e que, por isso mesmo, é normalmente destinada à exportação e às indústrias de compotas e de sucos.

Fonte: www.paty.posto7.com.br

Abacaxi

Abacaxi
Abacaxi

Fruto

O abacaxi é um fruto composto, constituído por 100 a 200 frutilhos do tipo baga (popularmente chamados de “olhos” ou “escamas” fundidos entre si no eixo ou cilindro central, com formato normalmente cilíndrico ou ligeiramente cônico. A polpa apresenta cor branca, amarela ou laranja-avermelhada. O peso depende da variedade, mas geralmente encontra-se entre 1 e 2,5 quilos.

Planta

O abacaxizeiro é uma planta de porte baixo e perene em seu ciclo natural. Nos cultivos comerciais, dependendo da variedade, é explorada apenas a primeira ou no máximo até a segunda frutificação da planta. Depois disso, deve ser realizado o arranquio, limpeza da área (retirada do material remanescente) e novo plantio das lavouras.

As principais variedades comerciais cultivadas no Brasil são a Smooth Cayenne e Pérola – que dominam a produção nacional -, além da Perolera, Jupi e outras de menor importância. A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – Embrapa tem lançado novas variedades no mercado, como a Imperial, resistente a doenças. O Instituto Agronômico de Campinas – IAC lançou a variedade Gomo de Mel, que permite a separação manual dos frutilhos, sem necessidade de descascamento.

A variedade Golden (Golden Sweet ou MD-2), desenvolvida na América Central, tem se tornado importante no comércio internacional, devido à forte promoção nos principais mercados importadores. Não se conhece sua adaptabilidade às principais regiões produtoras do país, mas pode se tornar uma opção para exportação, assim como para o mercado interno.

Cultivo

O primeiro e fundamental passo na implementação da cultura é a determinação da variedade a ser plantada. Deve-se considerar a adaptação ao local de plantio, a destinação da produção (mercado “in natura” ou indústria) e a disponibilidade e qualidade das mudas. Para a indústria, as variedades com formato cilíndrico são preferidas, como a Smooth Cayenne, pelo melhor rendimento no processamento. Já o consumidor prefere as variedades com polpa mais amarela e mais doce.

As mudas devem ser oriundas de viveiro certificado ou, na ausência deste, de produtor comercial com bom nível tecnológico de produção. Elas devem ser alvo de rigorosa seleção na sua origem, pois são veículos de transmissão de pragas e doenças importantes, como a cochonilha (Dysmicoccus brevipes) e a fusariose (causada pelo fungo Fusarium subglutinans), que podem trazer sérios prejuízos econômicos. O produtor deve evitar mudas com esses problemas e descartá-las caso cheguem à propriedade. Nos plantios subseqüentes, o produtor poderá usar mudas produzidas em sua própria lavoura, retiradas das plantas mais vigorosas e isentas de pragas.

O ciclo da lavoura é relativamente curto, com até duas frutificações – a primeira entre 1 ano e meio a 1 ano e oito meses e a segunda em até 2 anos e meio.

Apesar disso, o produtor deve estar atento ao investimento, que é bastante elevado principalmente nas lavouras irrigadas, e ao tempo de retorno do mesmo, que ultrapassa normalmente o primeiro ciclo.

A irrigação tem se mostrado bastante útil nessa lavoura, apesar da tolerância ao período de seca. A faixa ideal de precipitação para a cultura é de 1.000 mm a 1.500 mm anuais, bem distribuídos. A irrigação deve ser implementada em regiões onde a deficiência ocorra por um período muito prolongado, ofertando de 60 mm a 150 mm mensais de água. Há, ainda, o benefício da melhor uniformização da produção, assim como a possibilidade de sua programação em função das necessidades dos mercados.

A floração natural do abacaxizeiro é bastante desuniforme, afetando a comercialização, o aproveitamento da segunda produção e reduzindo o tamanho médio dos frutos. Faz-se, então, a prática da indução floral, que visa antecipar e, principalmente, homogeneizar a época de florescimento e colheita. Aplicam-se produtos indutores (carbureto de cálcio ou produtos a base de etefon) na roseta foliar (olho da planta) ou sobre a planta, com 8 a 12 meses de idade. Após 5 a 6 meses da indução, os frutos estão aptos para a colheita.

O ponto de colheita deve ser estabelecido em função do mercado (uso e distância).

O abacaxi é um fruto não-climatérico, ou seja, não amadurece após a colheita. Caso seja colhido imaturo ou verde, terá grau elevado de acidez e baixo de açúcares, chegando ao consumidor muito azedo e sem o sabor característico da fruta. Para a indústria, o fruto deve ser colhido maduro, com a casca mais amarela do que verde. Para o consumo fresco, deve ser colhido “de vez”, para mercados mais distantes, ou maduro, para mercados mais próximos.

Usos

Os frutos do abacaxi prestam-se ao consumo fresco ou industrializado.

Suas características de sabor e aroma, com um bom equilíbrio entre acidez e açúcar, tornam o abacaxi muito apreciado nas regiões produtoras e nos países importadores.

De alto valor dietético, a polpa do abacaxi é energética e contém boas quantidades das vitaminas A, B1 e C.

Os principais produtos da industrialização do abacaxi, tanto no Brasil quanto no exterior, são a fruta em calda (fatias ou pedaços) e suco pasteurizado (concentrado ou não), seguido pela produção de geléias. Os resíduos da industrialização são largamente utilizados na alimentação animal

O fruto apresenta alto teor de bromelina, um grupo de enzimas capazes de quebrar proteínas (proteolítica) e que auxiliam o processo de digestão. A bromelina é um produto nobre, encontrada também no talo, caule, folhas e raízes do abacaxizeiro e em todas as espécies da família Bromeliaceae.

Mercado

Algumas práticas culturais na abacaxicultura estão notadamente voltadas para atendimento do mercado: irrigação, indução floral e determinação do ponto de colheita. Visam uniformização da produção, extensão do período de produção e melhor qualidade do produto final.

O transporte dos frutos no país é realizado, nas principais regiões produtoras, a granel, com camadas de frutos intercalados de palha em caminhões abertos e cobertos com lona. Tal procedimento provoca perdas de 5% a 10% dos frutos até os distribuidores (atacadistas e varejistas), seja pelo amassamento dos frutos ou pela fermentação, ocorrida pela falta de circulação de ar nos frutos dispostos mais internamente na carga. Os produtores arcam com essa perda. O uso de embalagens de papelão ou madeira ainda é restrito no país, mas estudos demonstram que a redução de perdas, que caem para taxas menores que 1%, compensam o custo das embalagens.

Além dos produtos tradicionais industrializados do abacaxi, alguns estudos mostram a viabilidade de se produzir álcool de uso farmacêutico, vinhos, ácido cítrico, vinagre e amido comercial. As folhas, ainda, podem ser utilizadas para obtenção de fibras. A bromelina tem amplo uso nas indústrias de alimentos, bebidas e farmacêutica, mas é pouco industrializada no Brasil, apesar do volume de resíduos nas indústrias de sucos e doces, cujo aproveitamento é basicamente para alimentação animal.

Pierre Vilela

Fonte: www.sebrae.com.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal