Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Ácido Fítico  Voltar

Ácido Fítico

O que é

O Ácido Fítico ou fitato, é encontrada em sementes de plantas. Ele serve como a forma principal de armazenagem de fósforo em sementes.

Quando as sementes brotam, fitato se degrada eo fósforo liberado para uso pela planta jovem.

O Ácido Fítico também é conhecido como o hexafosfato de inositol.

Ele é frequentemente usado comercialmente como um conservante, devido às suas propriedades antioxidantes.

O Ácido Fítico é o hexafosfato de inositol, substância presente em cereais (arroz, aveia e germe de trigo).

O Ácido Fítico

O Ácido Fítico é encontrado na maioria dos grãos e sementes.

Possui propriedades antioxidantes que é utilizado por indústrias de produtos cosméticos. Para uma pele saudável é importante o equilíbrio entre a umidade da pele e sebo. Uma produção de sebo baixa, deixa a pele seca, e muito sebo, faz com que a pele fique oleosa, acarretando em espinhas e poros abertos.

O Ácido Fítico tem poder hidratante, controlando a produção de sebo e operando como um agente clareador.

O que dá cor a pele e ao cabelo é a melanina. A produção em excesso da melanina devido a exposição intensa ao sol, mudanças hormonais ou traumas na pele leva a hiperpigmentação, ou seja manchas na pele.

As variações na cor da pele também possuem influencia com o envelhecimento. O ácido fítico atua bloqueando a entrada de ferro e cobre na formação de melanina, e por isso é usado como um agente de cuidados para a pele. A elasticidade da pele é a consequência do efeito combinado de umidade, de sebo e de tecido conjuntivo. Com o envelhecimento, a capacidade de reprodução das células da pele diminui e o ácido fítico repõe a quantia certa de umidade nas fibras colágenas e elásticas na derme garantindo aumento da elasticidade da pele.

O Ácido Fítico associado com outros ácidos como, ácido glicólico ou ácido retinóico é eficaz no tratamento de melasma.

Ação

O Ácido Fítico é obtido do farelo de arroz, aveia ou gérmen de trigo.

Tem ação inibitória sobre a tirosinase (enzima importante na produção de pigmentos melanínicos que dão cor à pele humana) e por isso é usado como despigmentante. Tem também ação antiinflamatória, antioxidante e hidratante.

É usado para o clareamento de manchas hipercrômicas, eventualmente associado ao ácido glicólico, e no “pós-pelling” como antiinflamatório.

É um potencial clareador de pele porque além de inibir a tirosinase, é um ótimo quelante de ferro e cobre.

Pode-se usar o ácido fítico como clareador de peles com alto grau de sensibilidade, como peles brancas e sensíveis ou peles que sofreram grandes agressões pro qualquer processo químico ou físico, pois ele tem um alto poder hidratante.

O Ácido Fítico substitui hoje a hidroquinona, substância utilizada nas últimas décadas como clareadora da pele. A hidroquinona também inibe tirosinase, mas é citotóxica (destrói a parede celular do malanócitocélula produtora de melalina) e quando usada em concentrações superiores a 2%, por um período superior a 60 dias, pode causar lesões irreversíveis de coloração branca chamadas de "lesões em confetes ou acomia residual pela hidroquinona" (sem possibilidade de tratamento).

Manchas

Quem tem manchas vive procurando soluções, e uma delas atende pelo nome de ácido fítico.

Esse ácido, que é obtido a partir do farelo do arroz, da aveia e do gérmen de trigo, possui ação inibitória sobre a tirosinase, que é uma enzima que atua na produção dos pigmentos de melanina, sendo, por isso, utilizado como despigmentante.

Além da ação despigmentante, o ácido fítico possui ação antiinflamatória, hidratante e antioxidante.

É muito utilizado no clareamento de manchas hiper crômicas, por vezes associado a outros ácidos, mostrando-se bastante eficaz. O diferencial desse ácido é que ele pode ser utilizado em peles ultra sensíveis, já que ele é extremamente hidratante.

O Ácido Fítico substitui a hidroquinona, que é um dos clareadores mais usados no mundo, justamente porque a hidroquinona, que também inibe a tirosinase, é citotóxica e pode causar lesões irreversíveis na pele se utilizada por mais de 60 dias em formulas com concentração acima de 2%. Além disso, a hidroquinona é fotossensível e pode causar irritações em peles sensíveis.

A posologia indicada varia entre 0,5 e 2%. Existem várias fórmulas despigmentantes com ácido fítico, tanto para serem usadas no pós peeling como durante a noite.

Propriedades

O Ácido Fítico tem ação inibidora sobre a tirosinase, apresentando ação despigmentante. Tem também ação anti-inflamatória, antioxidante, hidratante e agente quelante. É efetivo na prevenção da caspa. O ácido Fítico é um bom quelante para o cálcio e acelera o transporte de oxigênio, facilitando o metabolismo celular.

Na odontologia, forma uma camada uniforme que age como inibidora da formação da placa oral, cariogênese e da dissolução do esmalte.

Indicação

É indicado no clareamento de manchas hipercrômicas, no pós-peeling como anti-inflamatório, cremes antienvelhecimento, despigmentantes e em produtos de higiene bucal. Pode ser incorporado em géis, cremes e loções não–iônicas. Para peles oleosas recomenda-se o uso de sabonete adequado, antes da aplicação do ácido fítico, para facilitar a permeabilidade.

O processo de despigmentação deve ser lento e progressivo, de forma a não lesionar a pele. O ácido fítico é um produto para tratamento e não preventivo; as manchas pigmentadas só podem ser evitadas com o uso de fotoprotetores.

O início do uso do Ácido Fítico após o “peeling”, deverá ocorrer somente após 6 ou 4 dias de sua realização.

O tratamento médio de manchas hipercrômicas é de 3 semanas a 2 meses. O Ácido fítico não é agente de “peeling”. Contra indicado em Herpes ativo e feridas abertas.

Contra indicação

É contra indicado no Herpes ativo e feridas abertas.

Ação

Bloqueador da Tirosinase (quelante de Cobre e de Ferro)
Mecanismo semelhante a Vitamina C
Antiinflamatório Antioxidante
Anti radical livre
Evita o envelhecimento precoce
Hidrata e suaviza rugas finas
Anti-caspa

Informações para uso

Para peles oleosas recomenda-se o uso de sabonete adequado, antes da aplicação do Ácido Fítico, para facilitar a permeabilidade. O processo de despigmentação deve ser lento e progressivo, de forma a não lesionar a pele. É um produto para tratamento e não preventivo; as manchas pigmentadas só podem ser evitadas com o uso de fotoprotetores;

O início do uso do Ácido Fítico após o “peeling”, deverá ocorrer somente após 6 ou 4 dias de sua realização .O tratamento de manchas hipercrômicas é de 3 sem. a 2 meses.

Fonte: authoritynutrition.com/winxmake.com.br/www.embrafarma.com.br/jrpharma.com.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal