Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Adolfo Caminha  Voltar

Adolfo Caminha

 

Adolfo Ferreira Caminha (29 de maio de 1867 - 1 de Janeiro, 1897) foi um escritor, autor brasileiro romancista, famoso por seu romance polêmico Bom-Crioulo, que lida com a homossexualidade.

Adolfo Ferreira Caminha nasceu em Aracati, em 1867, filho Raimundo Ferreira dos Santos e Maria Firmina Caminha.

Órfão quando ele tinha 10 anos, ele foi morar com seu tio em Fortaleza.

Em 1883, ele se mudou para o Rio de Janeiro, onde um outro parente dele matriculou-lo em uma escola naval.

Em 1886, ele publicou seu primeiro livro: VOOS Incertos (Vôos Incertos).

No mesmo ano, ele fez uma viagem de instrução para o Estados Unidos.

Em 1887 ele foi promovido a segundo-tenente e publicou as histórias curtas livros Judite e Lágrimas de um Crente.

Em 1888 ele retornou a Fortaleza, mas se envolveu em um escândalo em que ele fugiu com um a filha de um Alférez. Eles teriam duas filhas, fugiu para o Rio de Janeiro, onde Caminha empregou-se iria gastar a sua vida como funcionário público.

Em 1891, Caminha estava trabalhando em revistas como o Jornal do Commercio, Gazeta de Notícias e O País, usando com o pseudônimo de Félix Guanabarino.

Ele também publicou o romance A normalista.

Em 1894, ele publicou um relato de sua viagem aos EUA, intitulado No País dos Ianques.

Em 1895, ele publicou seu romance polêmico Bom-Crioulo e Cartas Literárias.

Em 1896, ele fundou um jornal chamado Nova Revista, e publicou o romance Tentação.

Pobre e debilitado pela tuberculose, ele morreu com apenas 29 anos de idade, deixando inacabado dois romances.

Obras de Adolfo Caminha

Vôos Incertos, poesia, 1855-56
A Normalista, romance, 1892
Judith, conto, 1893
Lágrima de um Crente, conto, 1893
No País dos Ianques, crônica, 1894
Bom Crioulo, romance, 1895
Cartas Literárias, crítica, 1895
A Tentação, romance, 1896

Adolfo Caminha - Biografia

29 de maio de 1867 - 1 de Janeiro, 1897


Adolfo Caminha

Romancista, contista, poeta.

Após a morte da mãe, Adolfo Caminha ficou órfão com mais cinco irmãos, e foi para a casa de parentes em Fortaleza.

Seis anos depois, em 1883, mudou-se para a casa de seu tio no Rio de Janeiro, que o matriculou na antiga Escola de Marinha.

Em 1886, saiu a publicação em versos de Vôos Incertos. No mesmo ano, fez uma viagem de instrução aos Estados Unidos.

No dia 16 de dezembro de 1887 foi promovido a segundo-tenente e publicou Judite e Lágrimas de um Crente, livros de conto.

Em 1888, regressou a Fortaleza e envolveu-se em um rumoroso escândalo, ao raptar a esposa de um alferes.

O Ministro da Marinha interferiu, mas inutilmente, e em 1890, muito pressionado de todos os lados, Adolfo Caminha se demitiu e, com a mulher e duas filhas, seguiu para o Rio de Janeiro, onde viveu como funcionário público.

 


Adolfo Caminha

Em 1891, lançou o romance A Normalista e colaborou nos jornais Gazeta de Notícias e O País.

Em 1894, publicou No país dos Ianques, Fruto de sua Ida, Oito anos antes, Aos Estados Unidos.

Um ano depois, os romances Bom-Crioulo e Cartas literárias.

Em 1896, ano em que fundou o semanário Nova Revista, publicou o romance Tentação.

Atormentado pelas dificuldades financeiras e debilitado pela tuberculose, morreu precocemente.

Deixa inacabados os romances: Ângelo e O Emigrado.

Fonte: en.wikipedia.org/www.bibvirt.futuro.usp.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal