Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Agronomia  Voltar

Agronomia

 

Agronomia - O que é

Agronomia
Símbolo da Agronomia

Para essa profissão, é importante que a pessoa goste de lidar com animais e com a natureza.

O curso se baseia em biologia e química. Entretanto, se você é do tipo que gosta dessas disciplinas, mas tem certa rejeição às ciências exatas, deve ficar ligado.

A agronomia está muito perto da engenharia. Para aproveitar bem o tempo de faculdade, é preciso ter boa base de matemática. Na faculdade, o estudante aprende a criar e desenvolver projetos de irrigação e de construções rurais, como celeiros, por exemplo.

Inclusive já é bom saber:o bacharel em agronomia é um engenheiro agrônomo.

O agrônomo envolve-se em praticamente todas as etapas do agronegócio – do plantio ou da criação de rebanhos à comercialização da produção. Ele planeja, organiza e acompanha o preparo e o cultivo do solo, o combate a pragas e doenças, a colheita, o armazenamento e a distribuição da safra. Cuida da alimentação, da reprodução, da saúde e do abate de animais. Também gerencia a industrialização, o armazenamento e a comercialização de alimentos de origem animal e vegetal. Além de acompanhar o dia a dia da produção no campo, ele desempenha funções em escritórios, informando-se sobre novas tecnologias e pesquisas científicas da área, calculando estoques e checando na internet a cotação dos produtos nas bolsas de valores internacionais. Outro possível campo de atuação é como representante comercial, quando divulga produtos ou demonstra o uso de suas tecnologias.

A principal vantagem do curso de Agronomia são os campos de atuação e o potencial econômico brasileiro nesta área.

É possível atuar em:

Defesa sanitária

Combater pragas e prevenir doenças em lavouras e rebanhos.

Economia e administração agroindustrial

Planejar e gerenciar as operações de distribuição e venda de produtos agrícolas. Coordenar programas de crédito rural para cooperativas e pequenos produtores.

Engenharia rural

Projetar e supervisionar obras em propriedades rurais, como construções, nivelamento do solo, montagem de sistemas de irrigação e de drenagem.

Ensino

Lecionar em escolas públicas ou particulares de educação profissional ou em faculdades.

Fitotecnia

Acompanhar o cultivo e a colheita de safras, buscando aumentar a produtividade por meio da seleção de sementes, do emprego de fertilizantes e adubos e do combate a doenças e pragas.

Indústria e comercialização de alimentos

Supervisionar e gerenciar a qualidade e a estratégia de preços de alimentos de origem animal e vegetal.

Manejo ambiental

Explorar racionalmente os recursos naturais, preservando o meio ambiente.

Melhoramento animal e vegetal

Realizar pesquisas e desenvolver técnicas visando à melhoria da produção.

Produção agroindustrial

Gerenciar o processo de industrialização de produtos agrícolas, controlando a qualidade final da produção. Pesquisar novas tecnologias e produtos.

Silvicultura

Recuperar matas devastadas e cuidar do plantio e do manejo de áreas de reflorestamento. Preparar relatórios de impacto ambiental.

Solos

Preservar a fertilidade e controlar as propriedades físicas dos solos, prescrevendo seu manejo.

Zootecnia

Controlar a produção animal, cuidando da alimentação, da saúde, da reprodução e da qualidade dos rebanhos.

O mercado de trabalho para o engenheiro agrônomo está em expansão. O agronegócio vem contribuindo expressivamente na economia brasileira. Seus aportes evidenciam-se principalmente na balança comercial e no fornecimento de alimentos para o mercado nacional e internacional.

O curso de agronomia dura, em média, 5 anos.

A Agronomia é uma das profissões mais bem pagas.

Ao lado da medicina, a agronomia é uma das profissões que trazem mais estabilidade.

Além disso, como o médico, o engenheiro agrônomo desempenha papel importantíssimo para a sociedade, cuidando não só das plantações como do solo, da água, dos animais que fazem parte do processo agrícola. Bárbara Pereira Contini

Definição da Profissão

O Engenheiro Agrônomoé o profissional com formação eclética, capaz de gerar e aplicar conhecimentos científicos e técnicas agronômicas, adequadas a uma agricultura racional e integrada à produção vegetal e animal, tendo uma sólida formação humanística, desenvolvendo consciência social, econômica, cultural e crítica das atividades pertinentes ao seu campo profissional, orientando a comunidade onde está inserido e contribuindo para a melhoria da qualidade de vida do homem.

Habilidades Necessárias

Gosto pela natureza e atividade ao ar livre.
Iniciativa.
Desembaraço.
Sociabilidade.
Criatividade.
Raciocínio.
Facilidade de expressão.
Habilidade numéricas.
Interesse pelas ciência naturais.
Interesse por atividades científicas.
Interesse pela pesquisa tecnológica.

Atribuições Profissionais

Compete ao Engenheiro Agrônomo as seguintes atividades:

Supervisão, coordenação e orientação técnica
Estudo, planejamento, projeto e especificação
Estudo de viabilidade técnico-econômica
Assistência, assessoria e consultoria
Direção de obra e serviço técnico
Vistoria, perícia, arbitramento, laudo e parecer técnico
Desempenho de cargo e função técnica
Ensino, pesquisa, análise, experimentação, ensaio e divulgação técnica; extensão
Elaboração de orçamento
Padronização, mensuração e controle de qualidade
Execução de obra e serviço técnico
Fiscalização de obra e serviço técnicos
Produção técnica e especializada
Condução de equipe de instalação, montagem, operação, reparo ou manutenção
Condução de manutenção de equipamento e instalação
Execução de desenho técnico

O desempenho destas atividades refere-se a:

Engenharia rural, construções para fins rurais e suas instalações complementares; irrigação e drenagem para fins agrícolas; fitotecnia e zootecnia; melhoramento animal e vegetal; naturais renováveis; ecologia; agrometeorologia; defesa sanitária; química agrícola; alimentos; tecnologia de transformação (açúcar, amido, óleos, laticínios, vinhos e destilados), beneficiamento e conservação dos produtos animais e vegetais; agropecuária, edafologia; fertilizantes e corretivos; processo de cultura e de utilização de solo; microbiologia agrícola; biometria; parques e jardins; mecanização na agricultura; implementos agrícolas; nutrição animal; agrostologia; bromatologia e rações; economia rural e crédito rural, seus serviços afins e correlatos.

Símbolo do Engenheiro Agrônomo

Agronomia
Símbolo usado nos anais do III Congresso Brasileiro de Agronomia em 1963

Agronomia
Símbolo criado em 1946, após a regulamentação da profissão de Engenheiro Agrônomo

Agronomia
Símbolo da CONFAEAB criado em 1969, durante o VI Congresso Brasileiro de Agronomia.

Agronomia - História

Em outubro de 1969, durante VI Congresso Brasileiro de Agronomia, em conjunto com o I Congresso Latino-americano de Engenheiros-Agrônomos, realizado em Porto Alegre, foi escolhido o novo logotipo, substituindo o arado de aiveca e o teodolito, para ser adotado como símbolo da Federação das Associações de Engenheiros-Agrônomos do Brasil e entidades filiadas, representando as seguintes idéias:

Congregação de entidades

Defesa e valorização profissional

E participação do Engenheiro Agrônomo no desenvolvimento agrário do Brasil.

Para escolha do novo logotipo foi realizado um concurso público, na qual teve 56 trabalhos inscritos, que foram julgados por uma comissão.

Foram selecionados dois modelos que foram colocados em votação e após sucessivos empates, o logotipo do estudante de Arquitetura da USP, Eduardo Castro Mello, foi escolhido para ser adotado como símbolo do Engenheiro-Agrônomo. A disposição correta do símbolo, de acordo com os anais do VI Congresso Brasileiro de Agronomia, de 1969, páginas 228 a 233, apresenta na base um dos "A". Algumas entidades adotam o símbolo com a distribuição dos espaços entre os "A" formando uma linha vertical. Essa forma de disposição é inadequada.

O logotipo é composto de seis "A" formando uma figura sextavada com um espaço central também sextavado e com seis raios separando os "A", significando o seguinte:

Os "A" representam as Associações de Engenheiros-Agrônomos dos Estados filiados à FAEAB, mostrando no seu conjunto a união das mesmas nas soluções dos problemas das Associações, dos Agrônomos, da Agronomia, da Agricultura, da Agropecuária e da Agroindústria.
O sextavado central é o centro de debates onde são discutidos assuntos da classe acima relacionados, tanto aceitando como propondo opiniões da própria categoria profissional, dos governos municipais, estaduais e federal.
Os raios indicam os caminhos para a entrada e a saída de assuntos provindos de vários segmentos.
O Engenheiro Agrônomo é um dos principais responsáveis dentro do contexto atual da globalização, em termos nacionais contribui muito para o desenvolvimento do Brasil, incrementando nossa balança comercial através da geração de divisas.

A FAEAB - Federação das Associações de Engenheiros Agrônomos do Brasil, na sua reunião conjunta da Diretoria e do Conselho Deliberativo, realizada no dia 14 de julho de 1969, na sede social da Sociedade Paulista de Agronomia -SPA, que a partir de março de 1970 passou a denominar-se AEASP, foi proposta a promoção pela FAEAB, por ocasião do VI Congresso Brasileiro de Agronomia e I Encontro Latino Americano de Engenheiros Agrônomos , realizado em Outubro de 1969, em Porto Alegre(RS), um concurso para escolha do logotipo a ser adotado como símbolo da FAEAB e pelas demais Associações filiadas sendo que hoje ele é a identidade da Federação, representando as seguintes idéias:Congregação de Entidades, Defesa e Valorização Profissional, Participação do Engenheiro Agrônomo no Desenvolvimento Agrário no Brasil.

No dia 06 de Outubro de 1969, na sede da Sociedade de Agronomia do Rio grande do Sul - SARGS, reuniu-se a Comissão Julgadora para apreciar os trabalhos inscritos no Concurso, escolhendo o logotipo até hoje adotado.

O logotipo é composto de seis “A” formando uma figura sextavada com um espaço central também sextavado, e com seis raios separando os “A”, significando o seguinte:

Os “A” representam as Associações de Engenheiros Agrônomos dos Estados filiados à FAEAB, mostrando no seu conjunto a união das mesmas nas soluções dos problemas das Associações, dos Agrônomos, da Agronomia, da Agricultura, da Agropecuária e da Agroindústria.

O sextavado central é o centro de debates onde são discutidos assuntos da classe acima relacionados, tanto aceitando como propondo opiniões da própria categoria profissional, dos governos:municipais, estaduais e federal.

Os raios indicam os caminhos para a entrada e saída de assuntos provindos de vários segmentos, que dão origem de opiniões formadas.

Os traços coloridos são só para exemplificar o quanto é expressivo o logotipo da Classe Agronômica Brasileira e que de fato ele representa demonstrando como são recebidos, debatidos e conduzidos os assuntos:

AZUL- assuntos relacionados a categoria
VERDE -
assuntos técnicos relacionados a agronomia
VERMELHO -
assuntos relacionados a política agrícola.

Agronomia - Profissão

Agronomia
Agronomia

Segundo maior ambiente natural do país desde a década dos 70, o cerrado brasileiro foi transformado em área natural de pastagem e vem sendo palco de grandes projetos agropecuários. Com eficientes técnicas de adubação, os especialistas conseguiram superar os problemas do solo, que era pobre em nutrientes e infértil. Esse é apenas um exemplo do resultado do trabalho de bons profissionais da área deAgronomia, que devem dominar técnicas adequadas de manejo ambiental capazes de recuperar os recursos naturais e preservar o ecossistema.

Antenado com as tendências de modernização e desenvolvimento rural, o agrônomo contribui para aumentar a produtividade do solo e dos animais leiteiros, conseguindo reduzir os custos do produtor rural.

“Aperfeiçoamento constante deve ser a meta do bom profissional”, ensina Luís Alberto Bourreau, diretor da Associação dos Engenheiros Agrônomos. “Só assim ele poderá ajudar o produtor em todas as etapas do trabalho no campo, da escolha da cultura à fertilização e preparação do solo, do plantio à colheita.”

Outra frente de atuação que tem empregado muitos profissionais é a quimirrigação ou uso múltiplo da rede de irrigação. Essa técnica consiste na contenção e no desvio da água para irrigação, que é utilizada para transportar insumos, fertilizantes, herbicidas, inseticidas e pesticidas até a plantação. Ao reduzir o número de operações necessárias para a aplicação desses produtos, economiza-se tempo, mão-de-obra e uso de equipamentos.

As diversas faculdades de Agronomia distribuídas pelo país formam grande quantidade de profissionais. Mas nem por isso o mercado de trabalho está saturado.

A área é abrangente e oferece boas chances de colocação em vários segmentos. A zootecnia, por exemplo, precisa de gente especializada em cuidados e instalações adequadas para os animais. O setor de produção vegetal emprega profissionais capacitados na prevenção de pragas e doenças em culturas como soja, milho, feijão, café, cacau e cana-de-açúcar, mas que também saibam utilizar insumos e implementos agrícolas, como tratores, adubadeiras e todo o maquinário essencial para preparação do solo, irrigação e colheita.

Biotecnologia e melhoramento genético são campos em alta. Nunca se falou tanto em clonagem, transferência de genes, produção de transgênicos (grãos modificados geneticamente), desenvolvimento de mudas in vitro, aprimoramento de espécies exóticas e uso de técnicas modernas, como a ressonância magnética, por exemplo, que avalia o teor de umidade e de óleo dos grãos. Há boas oportunidades, ainda, em empresas de fitotecnia, que produzem sementes e mudas. Ou na assessoria a produtores rurais – nesse segmento, se saem melhor os profissionais com formação que lhes permita gerenciar questões administrativas e econômicas, desde o planejamento de distribuição e transporte, passando pelo beneficiamento e industrialização até a venda da safra. As ONGS (organizações não-governamentais) buscam especialistas em silvicultura, para a criação de projetos de reflorestamento e preservação ambiental.

Menos promissor é o setor de implementos agrícolas, por conta da atual política governamental, que oferece poucos incentivos fiscais para a compra de equipamentos. Mas, se as indústrias estão enxugando seus quadros, também não podem abrir mão de especialistas, o que faz crescer a tendência de terceirização de serviços de consultoria. O salário inicial do agrônomo gira em torno de nove salários mínimos.

A Profissão

O agrônomo envolve-se em praticamente todas as etapas do agribusiness - desde o plantio ou a criação de rebanhos até a comercialização da produção. Ele planeja, organiza e acompanha o cultivo do solo, o combate a pragas e doenças, a colheita, o armazenamento e a distribuição da safra. Cuida da alimentação, da reprodução, da saúde e do abate de animais. Também gerencia a industrialização, o armazenamento, a distribuição e a comercialização de alimentos de origem animal e vegetal. Para essas atividades, utiliza o computador, informando-se sobre novas tecnologias e pesquisas científicas na área, calculando estoques e checando na internet a cotação dos produtos nas bolsas de valores internacionais. Para trabalhar é preciso obter registro no Crea.

O Profissional

O agrônomo é um profissional polivalente, ele tem uma visão geral de negócios, planejamento, execução, industrialização e distribuição dos produtos. Seu perfil profissional é dos mais amplos, pois é um pouco economista, empresário, mecânico, agricultor, paisagista.

Ele atua em construções rurais, na irrigação e drenagem do solo, constrói pequenas barragens, cuida da mecanização e implementação agrícola. Ainda dá conta do manejo e exploração de culturas, da produção de sementes e mudas, classificação e levantamento de solos, controla a produção, administra e planeja propriedades agrícolas.

Características que ajudam na profissão

Habilidade para lidar com números, curiosidade, espírito empreendedor, domínio do inglês e da informática, boa capacidade de relacionamento e de comunicação, dinamismo, gosto pelo trabalho ao ar livre e pelo contato com os animais.

O Mercado de Trabalho

O agrônomo é um profissional polivalente, ele tem uma visão geral de negócios, planejamento, execução, industrialização e distribuição dos produtos. Seu perfil profissional é dos mais amplos, pois é um pouco economista, empresário, mecânico, agricultor, paisagista.

Ele atua em construções rurais, na irrigação e drenagem do solo, constrói pequenas barragens, cuida da mecanização e implementação agrícola. Ainda dá conta do manejo e exploração de culturas, da produção de sementes e mudas, classificação e levantamento de solos, controla a produção, administra e planeja propriedades agrícolas.

O Curso

O curso tem a duração de cinco anos. Várias escolas estão privilegiando a prática e mantém matérias optativas.

Entre as disciplinas obrigatórias:economia, estatística, construção rural, planejamento, química, agroecologia, agrometeorologia, microbiologia, melhoramento genético, irrigação e drenagem.

Esse estudante deve gostar das ciências exatas, biológicas e humanas.

Duração média do curso: Cinco anos

Agronomia - Agrônomo

Agronomia
Agronomia

Desenvolve, elabora e supervisiona técnicas e projetos para ampliar e melhorar os cultivos e as colheitas, para combater pragas e desenvolver a tecnologia agropecuária.

O Agrônomo

Elabora métodos e técnicas de cultivo de acordo com os tipos de solo e clima, realizando estudos, experiências e os resultados obtidos para melhorar a germinação de sementes, o crescimento das plantas e o rendimento das colheitas.

Estuda os efeitos da rotatividade, drenagem, irrigação, adubagem e condições climáticas sobre as culturas agrícolas, analisando depois os resultados nas fases da semeadura, cultivo e colheita, para poder determinar qual a melhor e mais adequada técnica de tratamento e exploração dos solos.

Desenvolve novos métodos de combate às ervas daninhas, enfermidades da lavoura e pragas de insetos.

Orienta agricultores sobre técnicas de exploração agrícola, fornecendo dados sobre épocas e sistemas de plantio, custos envolvidos, variedades a empregar, no sentido de aumentar a produção, melhorar o rendimento, qualidade e valor nutritivo.

Planeja e dirige atividades ligadas ao reflorestamento, ou seja, preservação e exploração racional dos recursos naturais.

Pode executar projetos de parques e jardins (paisagismo).

Faz o controle da utilização de sementes, adubos, agrotóxicos e outros insumos.

Onde Pode Trabalhar

Fazendas e instituições de extensão rural.
Empresas de consultoria, assessoria, assistência técnica, planejamento e projetos relacionados à agricultura.
Serviço público federal, estadual e municipal (Por exemplo INCRA, IBAMA).
Empresas agropecuárias.
Bancos e entidades ligadas ao crédito agrícola.
Indústrias processadoras de alimentos e produtoras de adubos e rações.
Magistério - Colégios agrícolas e ensino superior.

O Curso

O currículo abrange na fase básica, disciplinas como:Cálculo na Geometria Analítica, Desenho Técnico, Topografia, Genética Vegetal, Anatomia dos Animais Domésticos, Química, entre outras.

Ao passar para a parte profissionalizante, as disciplinas ofertadas se fundamentam em grandes áreas como Fitotecnia, Solos, Engenharia e Tecnologia Rurais, Fitossanitarismo, Tecnologia Produtos Agrícolas, Economia, Silvicultura, Zootecnia e Sociologia.

DURAÇÃO: 05 anos

Agronomia - Curso

Os cursos de Agronomia devem transmitir conhecimentos aos seus alunos de modo que possam praticar uma agricultura rentável e competitiva não só por imperativos de justiça social, mas também porque a agricultura, em sua globalidade, tem potencialidades para oferecer uma contribuição muito mais significativa à solução dos grandes problemas. No entanto, não é suficiente que os ensinamentos sejam apenas tecnológicos e que sejam introduzidos somente na etapa de produção propriamente dita.

É necessário adotar inovações tecnológicas, gerenciais e organizacionais e, além disso, fazê-lo em todos os elos da cadeia produtiva. A quantidade de carga horária permitida, por período, será de no mínimo 235 horas e no máximo de 495 horas.

O aluno só poderá matricular-se em disciplinas de, no máximo, dois períodos consecutivos por semestre. As atividades curriculares serão desenvolvidas em período integral, nos turnos da manhã e da tarde, mas de forma a proporcionar tempo suficiente para o desenvolvimento de atividades extra curriculares como pesquisa, extensão, estágios e monitorias.

Perfil Profissiográfico

O perfil esperado para o graduando de engenharia agronômica é o de um profissional com:

Formação generalista, com sólidos conhecimentos nas áreas de formação básica, geral e profissional; Formação ética
Formação da capacidade de aplicação das técnicas básicas e das novas tecnologias no exercício profissional
Capacidade de ajustar-se, competentemente, às novas demandas geradas pelo progresso científico e tecnológico e às exigências conjunturais em permanente mutação e evolução
Formação da visão crítica, aliada à capacidade de reavaliar o seu potencial de desempenho e buscar o constante aprimoramento profissional
Formação de espírito empreendedor e senso econômico-financeiro; Consciência de que deve promover uma agricultura sem agredir a natureza
Versatilidades e o ecletismo para desempenhar com igual eficiência com produtores de distintas disponibilidades de recursos, níveis tecnológicos, que eles realmente possuam ou possam adquirir
Realismo no sentido de saber solucionar os problemas dos agricultores "tais como eles são" e com base nos recursos, que eles realmente possuam ou possam adquirir
Capacidade de respeitar os conhecimentos e ouvir os problemas que lhe apresentam os agricultores
Capacidade de identificar as potencialidades, oportunidades e soluções que os produtores não conseguem ver
Capacidade de ser um questionador e crítico das adversas realidades do campo e não um legitimador ou perpetuador das mesmas.

Objetivos do Curso

Contribuir para a melhoria do ensino, adequando a formação do engenheiro agrônomo às necessidades da realidade atual
Contribuir para a construção, juntamente com outros instrumentos, de um centro de excelência de ensino na área agronômica
Permitir aos profissionais uma formação capaz de gerar uma agricultura próspera e econômica
Permitir aos profissionais uma sólida formação humanística, econômica, cultural e crítico-valorativa das atividades pertinentes ao seu campo profissional, orientando a comunidade onde está servindo e contribuindo para a melhoria da qualidade de vida do homem
Permitir uma formação generalista e uma visão abrangente para o desempenho de todos os segmentos da profissão
Proporcionar condições para que os estudantes conheçam, convivam e interaturem com a realidade concreta
Estabelecer um adequado equilíbrio entre professores, alunos e funcionários no sentido de buscar melhores resultados.

Agronomia - Trabalho

O QUE FAZ

Busca a melhoria da qualidade e da produção dos solos, das lavouras e dos rebanhos, através do emprego de novas tecnologias.

Cuida também da preservação da Terra e dos recursos naturais, administra propriedades, projeta e orienta obras rurais, como, por exemplo, silos para grãos.

É responsável, ainda, pelo processamento de alimentos de origem animal ou vegetal e pelo desenvolvimento de novas variedades de vegetais.

CAMPO DE TRABALHO

Defesa Sanitária - Atua no combate às pragas e na prevenção de doenças na lavoura.
Agroindústria:
Beneficiamento, acondicionamento e conservação dos produtos, além da coordenação de pesquisas, criação de adubos, agrotóxicos e rações, álém de orientação para fabricação de máquinas.
Agrometeorologia:
Análise de dados meteorológicos e organização dos procedimentos adequados a cada cultura.
Economia Agrícola:
Assessoria ou gerenciamento de empresas rurais, além da possibilidade de atuação em bancos e instituições ligadas ao crédito rural.
Engenharia Rural:
Orienta o desenvolvimento de sistemas de drenagem e irrigação, além de supervisionar obras como nivelamento do solo.
Entomologia:
Pesquisa sobre insetos, fungos e bactérias para o combate de pragas.
Fitotecnia:
Controle do uso de sementes, adubos e agrotóxicos; acompanhamento do plantio e da colheita para correção de solos.
Manejo Ambiental:
Exploração de recursos naturais, visando a preservação do ecossistema.
Melhoramento Animal ou Vegetal:
Pesquisas no campo da biotecnologia e de engenharia genética para criação de espécies mais produtivas e resistentes.
Silvicultura:
Recuperação das matas devastadas com vistas ao reflorestamento das mesmas.
Solos:
Análise e tratamento do solo, utilizando matéria orgânica, fertilizantes e corretivos para preservação das qualidades físicas, químicas e biológicas da terra, além de sua fertilidade.
Topografia:
Planejamento de propriedades rurais, coordenação de terrenos, definição de seus limites e de áreas para obras de infra-estrutura.
Zootecnia:
Avaliação e adaptação dos animais ao meio ambiente; alimentação, saúde e reprodução de rebanhos.

REGULAMENTAÇÃO

Lei 5194 de 24/12/1966. Para exercer a profissão, o agrônomo deve se registrar no Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (CREA).

DURAÇÃO: 5 anos, com um estágio supervisionado obrigatório.

CONTEÚDO: O currículo mínimo compreende matérias das áreas de Biológicas e Exatas, como matemática, física, informática, estatística, biologia e bioquímica, além de disciplinas profissionalizantes, aulas práticas e matérias optativas na área de economia.

TITULAÇÃO: Agrônomo ou Engenheiro Agrônomo.

Fonte: pimentacult.com.br/www.cfh.ufsc.br/www.uema.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal