Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Alecrim  Voltar

Alecrim

 

Nome: Alecrim, alecrim de jardim.

O alecrim é originário da Costa do Mar Mediterrâneo. É também conhecido pelo nome de "Rosmarinus" que lembra a denominação latina "ros marinus" - "rosa do mar".

Para os romanos esta planta simbolizava o amor e a morte e por isto era plantada próximo à soleira das portas das casas. A igreja católica também o usava nos seus rituais, queimando-o como incenso.

Até hoje diz-se que o alecrim é um excelente amuleto contra o "mal olhado".

Na culinária é recomendado para carnes de porco, cabrito carneiro e peixe. É usado também para aromatizar vinagres e óleos.

Observação: Por ter um sabor muito forte, deve ser usado com moderação.

História

O nome Rosmarinus do latim significa "orvalho que vem do mar", justificado pelas flores azuladas que inundam as praias do Mediterrâneo, lembrando o orvalho.

Além de ser símbolo de fidelidade entre namorados, era usado na Era Medieval para purificar os quartos de doentes. Pela reputação de estimular a memória, conta-se que estudantes gregos usavam ramos de Alecrim nos cabelos, quando submetidos a exames.

Indicação

As flores do alecrim são utilizadas em chá contra a clorose (palidez na menstruação), histeria, inapetência, nervosismo, tosses, indigestão, bronquites e asma.

Como banho, é bom para problemas de pele. O chá provoca um suadouro. Purifica o sangue, tônico do coração. Estimulante, antiespasmódico e ligeiramente diurético. Atua como colagogo (sobre a secreção biliar), para dor de cabeça, cansaço físico e mental. Equilibra a pressão arterial. Problemas renais. Problemas digestivos. Faça um chá (infusão - água quente sobre a planta, tapar, deixar de 10 a 15 minutos) com as folhas.

Indicado também contra a falta de apetite e problemas intestinais. Ajuda em casos de hepatite, amenorréia e dismenorréia. Para esgotamento cerebral e depressão leve.

Ação: diurético, estimulante geral do corpo e do couro cabeludo, anti-reumático, tônico da circulação e do sistema nervoso, redutor da formação de gases e antiinflamatório.

Alecrim
Alecrim

Externamente combate as dores articulares, contusões, entorses e dores reumáticas. O óleo do alecrim é bom para o cabelo; ou pode-se utilizar o chá da planta como banho capilar (não todos os dias - alterne com outros tipos de chás). Estimula a circulação do couro cabeludo e o crescimento de cabelos (mais detalhes), sendo usado contra caspa e para prevenir contra a queda excessiva dos fios. Fortifica o couro cabeludo

Cosmética: embeleza e rejuvenesce o cabelo e o corpo.

Usado também como tempero para carnes e molhos.

Partes utilizadas

Flores e folhas

Contra-indicação

O uso interno prolongado pode provocar gastro enterites e nefrites.

Alecrim - Rosmarinus officinalis L.

Alecrim
Alecrim

Pode ser usado o pé todo.

As folhas auxiliam no tratamento da clorose, palidez na menstruação, falta de apetite, medo, nervosismo, digestão difícil, tosse, bronquite e asma. Usa-se também fazer o banho para eliminar impurezas da pele e afecções diversas. O chá do alecrim limpa e afina o sangue, auxilia no tratamento do coração e elimina o reumatismo.

Uso

Colher, secar na sombra (o sol queima a planta) e tomar o chá por 7 dias. Descansar 3 dias e repetir outras vezes do mesmo modo. Tomar um copo por dia, em pequenos goles.

IDADE

Alguns raminhos de alecrim jogados sobre as brasas enquanto se faz churrasco, deixa a carne com um aroma delicioso.

O Alecrim

Também conhecida como alecrim-de-jardim e alecrim-rosmarino

Erva de um verde intenso, folhas espinhosas e sabor forte. Pertence à família das labiadas, é aromática e suas flores têm propriedades estimulantes. Podem ser encontradas frescas ou desidratadas. O alecrim concentra mais seu sabor quando não está fresco. Neste caso, é recomendável usar uma quantidade menor.

Tanto o ramo quanto suas folhas longas podem ser adicionadas às comidas. Sempre devem ser retiradas do prato antes deste ser servido. Excelente ingrediente para carnes, como cordeiro, frango assado, vitela, porco, carne vermelha e peixes.

Em espanhol: romero

Em outros idiomas: roris marini (latim), rosemary (inglês), romarin (francês), ramerino (italiano) e rosmarin (alemão).

O alecrim é uma planta que "cresce no campo sem ser semeada", muito usada também nos jardins e de todos bem conhecida.

Uso culinário

De sabor fresco e doce, o Alecrim é recomendado no preparo de uma grande variedade de carnes, em especial de porco e carneiro. Dá sabor especial a batatas e manteigas. Pode ser usado como decoração em pratos prontos antes de servi-los. Faz parte do famoso Herbes de Provence (tempero francês com várias ervas).

ETIMOLOGIA

As folhas do Alecrim são recomendadas no estímulo à circulação. Também auxiliam na digestão de gorduras e no combate à dor de cabeça associada com tensão nervosa.

Rosmarinus é um termo latino que significa umidade do mar e o alecrim possivelmente recebeu este nome por crescer próximo ao mar.

CARACTERÍSTICAS

Partes usadas: as folhas em forma de agulha. Fortemente aromática, relacionada a cânfora ou eucalipto, é resinosa e ligeiramenrte amarga. Tempero popular em vários países do ocidente, especialmente ao longo do Mediterrâneo (Itália e França).

PRODUÇÃO

Mediterrâneo, Inglaterra, Estados Unidos e México.

COMPONENTES

As folhas contêm entre 1 e 2,5% de óleo essencial, composto por 15 a 25% de cânfora.

UTILIZAÇÃO

Pode ser empregado para aromatizar vinagres. Não perde seu sabor no cozimento, como outras folhas fazem. As folhas frecas possuem aroma mais puro, sendo preferidas. Utilizado com peixes, carnes, aves e vegetais, é freqüentemente combinado a batatas, abobrinhas, berinjelas e tomates preparados em azeite. Na Itália, a carne de cordeiro é raramente preparada sem esta erva e aves assadas envoltas em ramos de alecrim são muito populares. Efeito similar pode ser obtido com ramos de alecrim colocados sobre carvão em brasa em churrasqueiras.

DICAS

Por ser uma das ervas mais fragrantes, deve-se tomar cuidado para não exagerar nas quantidades utilizadas.

Fonte: www.plantaservas.hpg.ig.com.br

Alecrim

Nome Científico: Rosmarinus officinalis Officinalis / família Labiadas

Nomes Populares: Alecrim, rosmarino, erva da recordação.

CARACTERISTICAS E CULTIVO

Arbusto rústico e persistente, atinge de 0,50cm até 2 metros de altura, com folhas resinosas, coriáceas, lineares e verde-escuras na parte superior e verde-acinzentadas na inferior. Elas exalam forte e agradável aroma. As flores, brancas e rosadas, são muito procuradas pelas abelhas.

O caule, quadrado, torna-se lenhoso à partir do segundo ano.

Locais ensolarados, companheira da sálvia, brócoli e couve, atrai abelhas e repele moscas da cenoura. Solo drenado e permeável, vai bem mesmo nos pedregosos.

Origem

Sua origem remonta às praias do Mediterrâneo ( o nome rosmarinus vem do latino que significa "o orvalho que vem do mar", devido ao cheiro das flores vegetando à beira mar). . Carlos Magno obrigava os camponeses a cultivá-lo. Foi companheiro dos portugueses nas Entradas e Bandeiras.

O alecrim é empregado na medicina natural desde a Antiguidade. Antigamente queimava-se caules de alecrim para purificar o ar do quarto de doentes em hospitais.

Indicação e Uso

Partes usadas

Folhas e flores

É uma erva de ótima qualidade como chá e tempero.

Como tempero, além de dar um "realce" em certos pratos, tem também um importante papel na digestão dos alimentos.

LENDAS E MITOS

Conta-se que numa viagem Nossa Senhora sentou-se à sombra de um alecrim para dar de mamar ao menino Jesus: por isso acredita-se que a planta nunca atinja altura superior à de Jesus adulto.Outro conto diz que a Bela Adormecida foi acordada pelo príncipe com um ramo de alecrim.

Os gregos usavam coroas de alecrim em festas, como símbolo da imortalidade.

A crendice popular usa o alecrim para afastar olho gordo, erva da juventude eterna, do amor, amizade e alegria de viver. Erva colocada debaixo do travesseiro afasta maus sonhos. Tocar com alecrim na pessoa amada faz ter seu amor para sempre.

Uso medicinal

Como chá, o alecrim tem um sabor um pouco amargo e é quente, ou seja, tem uma ação fortificante e aquecedora sobre todo o organismo, particularmente o aparelho digestivo, revigorando, aumentando a disposição e a energia, agindo como um anti-depressivo nos casos de esgotamento físico e mental.
Combate a diabetes e tem propriedades anti-reumáticas.
Também ativa as funções do pâncreas e estimula a circulação.
Alguns dizem que tomado quente acalma a tosse.
Externamente, serve para desinfetar feridas e ajudar na cicatrização.
Bom para os rins e vesícula e equilíbrio da pressão arterial, auxiliando a boa circulação; auxilia nos estados de depressão, dores reumáticas, digestão, facilita menstruação, combate gota, icterícia é anti-séptico, sedativo, fortalece a memória. Bochechos de infusão são recomendados para aliviar aftas, estomatites e gengivites.

Para asma

Fumo de alecrim ( reduzir a pedaços pequenos as folhas secas.
Fazer cigarro e fumar quando ameaçar ataque de asma).
Para reumatismo, eczemas e contusões: folhas cozidas no vinho usadas externamente.
Anti-séptico bucal: infusão comum.

Para sarna

Infusão bem forte aplicada externamente.
Cicatrizante de feridas e tumores: folhas secas reduzidas a pó ou suco.
Como medicação, só se utilizam folhas de alecrim.
Galhos floridos secando num vaso na casa estimula a memória.

Uso culinário

Aves e carnes brancas, carneiros, peixes, batatas, omeletes e molhos. Carnes de caça, frutos do mar, pães. o famoso "néctar dos deuses"parece que é o mel de alecrim Cosmética
Vinagre de alecrim ou chá bem forte no cabelo depois de lavado estimula a saúde dos folículos capilares e evita a calvície; xampú para fortificar.
Na pele, restabelece o ph natural (é ligeiramente adstringente).
Óleo de alecrim é bom para passar no corpo pós banho.

Creme para lábios sensíveis:

1 col café de manteiga de cacau, 1/3 de col de café de glicerina, essência de alecrim.
Derreta a manteiga, misture a glicerina e o alecrim. Impede rachadura dos lábios ou irritação.

Tônico facial de alecrim

1,5 xíc de água, 1 maço de alecrim, 1/2 dose de conhaque. Ferver o alecrim na mistura de água e conhaque por 15 minutos. Filtre e conserve em vidro escuro.
Para pele precocemente envelhecida: 50 gs de alecrim em infuso em 1 litro de água por 10 minutos. Coe e faça compressa no rosto após a limpeza.

Uso caseiro

Inseticida natural, plantado na horta protege as outras plantas.
Ramos de alecrim frescos, colocados entre as roupas defendem-nas de ataque de traças.
Desinfetante de alecrim: ferver folhas e pequenos caules de alecrim por meia hora.
Quanto menos água mais concentrado. Espremer e usar para limpar louças e casas de banho.
Para desengordurar melhor, misturar um pouco de detergente. Guardar na geladeira, dura uma semana.

Aromaterapia

O óleo essencial de alecrim é utilizado para dores musculares, reumatismo,artrite, prisão de ventre, tosse, sinusite, resfriado, bronquite, enxaqueca, deficiência de memória, cansaço.

Efeitos colaterais: Não é indicado durante a gravidez e nem para epiléticos; em caso de overdose pode causar gastroenterites e/ou nefrites.

Na religião

São tomados banhos de alecrim.
Nos adultos repele o sexo feminino .É usado pelas mulheres para atrair o sexo masculino.
Em crianças com menos de 7 anos é muito benéfico e recomendado para acalmar e espantar olho grande.
Uso mágico: Afasta olho gordo, erva da juventude eterna, do amor, amizade e alegria de viver.
Erva colocada debaixo do travesseiro afasta maus sonhos. Tocar com alecrim na pessoa amada faz ter seu amor para sempre.Poção de amizade leva alecrim.
INSENSO: Alecrim:
Ajuda a superar os problemas afetivos e a enfrentar o cansaço, o desânimo e a tristeza. Deve ser usado sempre que você se sentir desmotivado ou infeliz.
Alecrim:
Ajuda a superar os problemas afetivos e a enfrentar o cansaço, o desânimo e a tristeza. Deve ser usado sempre que você se sentir desmotivado ou infeliz.

Fonte: br.geocities.com

Alecrim

Alecrim
Alecrim

Planta autóctone em Portugal, pertencente à família das Labiadas e utilizada desde longa data como planta medicinal, de utilização culinária e ornamental.

O alecrim era queimado nos santuários da Grécia antiga e o seu fumo era utilizado na idade média para desinfectar e afastar maus espíritos. O seu cultivo era vulgar nos mosteiros da Europa desde a idade média. Em muitas regiões de Portugal substitui a palma e a oliveira na festa religiosa do Dia de Ramos.

A canção Scarborough Fair vulgarizada por Simon e Garfunkel, cujo verso ‘parsley, sage, rosemary and thyme’ é repetido de forma recorrente, evoca o simbolismo que o alecrim tinha na idade média: lealdade, amor e lembrança. Este último é justificado por algumas pesquisas científicas atuais, segundo as quais o aroma do alecrim estimula a memória!

O seu nome vulgar em português, contrariamente ao da maioria das línguas europeias, tem origem no árabe (Ikleel al-Jabal, Iklil al-Jabal) e difere do nome científico Rosmarinus, donde tem origem o nome vulgar da maioria das línguas. O nome em árabe significa ‘coroa das montanhas’. A origem do nome rosmarinus (do latim ros – orvalho, marinus - do mar) virá provavelmente do fato da cor das suas flores evocar a cor do mar, ou ainda, como é também vulgarmente sugerido devido, ao fato de ser cultivado perto do mar.

Existem inúmeras variedades e cultivares utilizados como ornamentais, de porte erecto, semiprostrado ou prostrado, com vários graus de vigor e cuja cor das flores vai do branco puro até ao azul escuro, passando pelo rosa e azul claro.

Além da utilização como planta ornamental o alecrim é hoje vulgarmente utilizado culinariamente, e também como componente de chás e medicamentos da medicina alternativa ou complementar. A extração de óleos aromáticos é comum na Turquia, Marrocos e Espanha. A proporção dos principais componentes do óleo essencial varia com a origem. Estes são utilizados na indústria cosmética e perfumaria, mas também na fabricação de óleos aromáticos com utilização em aromaterapia.

Dimensão

A dimensão dos alecrins e o seu porte são muito diferentes para as diferentes variedades, variando entre porte rasteiro com cerda de 10-20 cm de altura até porte erecto entre 1 e 2 metros de altura.

Exigências

O alecrim cresce espontaneamente em solos calcários pobres e secos, ao sol em locais bem drenados. É cultivado com sucesso em muitos outros tipos de solos, no entanto em solos pesados, argilosos, encharcados ou ácidos torna-se mais sensível a doenças. Em solos pesados deve-se fazer uma correção com matéria orgânica para aligeirar, ou mesmo com areia. Nos solos muito encharcados deve-se fazer uma drenagem, quando a adição de matéria orgânica não for suficiente.

Em solos muito ácidos pode ainda haver vantagem em adicionar algum calcário. Os lugares sombrios também não são adequados, uma vez que o alecrim tomará uma forma rala e será mais susceptível a doenças.

Utilização no jardim

A utilização do alecrim é muito variada conforme as variedades, podendo algumas ser usadas como sebes, outras como cobertoras do solo, em vasos etc.

Manutenção

Dependendo das variedades, algumas devem ser podadas regularmente para manter uma forma regular e compacta, a poda primaveril após a floração permite um crescimento rápido antes da dormência do Verão. Não deve ser regado no Verão (a menos que esteja em vaso ou ainda não esteja estabelecido), já que a rega aumenta o risco de doenças

Fonte: www.viveirodosrosmaninhos.com

Alecrim

Alecrim
Alecrim

Nome científico: Rosmarinus officinalis

Características

Subarbusto. Folhas opostas cruzadas, sésseis, ensiformes, coriáceas, de bordas voltadas para baixo; verde-escuras, lustrosas na face superior; esbranquiçadas, empubescidas na face inferior. Pequenas flores labiadas em pequenos cachos axilares e terminais com as cores azul ou branca. Originário da região mediterrânea, cresce em estacas e viveiros, atingindo normalmente cerca de 50 cm de altura.

Uso caseiro

O sabor das folhas e das sumidades floridas é intensamente aromático, canforáceo e algo picante. . É usado em recheios de porcos, aves, carneiro e cabrito; sopas, ovos, carnes, frangos, peixes e molhos básicos. Usa-se ainda, fresco ou secos, para grelhados e assados de aves, cordeiro, porco e vitela, saladas, pudins e biscoitos. É utilizada em perfumaria e cosmética (sabonete, desodorante e tônico capilar). As sementes contém um óleo essencial cor âmbar utilizado na preparação de cosméticos, entre eles a "água de colônia".Desidratada e pulverizada, atua como incenso (odorizante e abascanto). É repelente de pragas caseiras, de moscas e borboletas. É melífera. O mel produzido a partir de sua flores é reputado como sendo da mais alta qualidade alimentar e medicinal.Também é utilizada como condimento de queijos.

Uso medicinal

Utiliza­do corno digestivo e para ajudar a descer a menstruação (ingerido como chá). Seu óleo é usado nas dores reumáticas e no banho, sendo também parasiticida. Uma infusão de três xícaras de folhas serve como estimulante. É empregado nos casos de má digestão, aerofagia e catarros gastrintestinais. Age sobre o sistema renal. É diurético, influenciando favoravelmente nos casos de debilidade circulatória, fortalecendo a circulação. Aumenta a expulsão do sangue durante a menstruação. Usa-se a infusão de alecrim nos casos de erupção cutânea persistente, inflamada e de difícil cura. Portanto regulas as funções hepáticas, tem propriedades anti-sépticas e estimulantes.

Fonte: web.matrix.com.br

Alecrim

Alecrim
Alecrim

Originário da Europa, Ásia e África, e amplamente cultivado, o alecrim, Rosmarinus officinalis L. (LAMIACEAE) é uma das espécies integrantes do Projeto "Produção" , processamento e comercialização de ervas medicinais, condimentares e aromáticas", coordenado pela Embrapa Transferência de Tecnologia - Escritório de Negócios de Campinas (SP), a qual está sendo cultivada e multiplicada nas unidades demonstrativas da Embrapa Pantanal (Corumbá, MS), Embrapa Semi-Árido (Petrolina, PE) e nos Escritórios de Negócios de Dourados (MS), Canoinhas (SC) e Petrolina (PE). Esse projeto contempla também o treinamento de técnicos e a qualificação de pequenos agricultores e seus familiares na produção e manipulação de ervas, fundamentadas em boas práticas agrícolas.

DESCRIÇÃO BOTÂNICA

Arbusto perene com ramos tetragonais quando jovens, podendo atingir até 2 m de altura; caule lenhoso e muito ramificado; folhas opostas, desprovidas de pedúnculo, simples, lineares, coriáceas, com pêlos estelares na face inferior, de coloração esbranquiçada e face superior verde escura; grupo de flores hermafroditas saindo da axila das folhas, de coloração esbranquiçada a azul clara; frutos simples, de cor cinza, secos e que não se abrem.

COMPOSIÇÃO QUÍMICA

Óleo essencial com pineno, canfeno, borneol, cineol, taninos, alcalóides, saponinas, flavonóides e ácido rosmarínico.

FORMAS DE PROPAGAÇÃO

Sementes ou mudas produzidas a partir da divisão de touceiras ou ramos.

CULTIVO

Espaçamento de 50 x 70 cm entre plantas. Desenvolve-se bem em locais ensolarados, sem vento, não tolera excesso de umidade mas precisa ser irrigada pelo menos uma vez por dia. Tem preferência por solos permeáveis e bem drenados, com pH em torno de 6,5. Adapta-se bem a regiões com altitudes elevadas, de até 1.500 metros. Recomenda-se uma adubação com esterco de gado bem curtido, composto orgânico ou esterco de galinha, quando necessário.

REQUISITOS BÁSICOS PARA UMA PRODUÇÃO DE SUCESSO:

A água de irrigação deve ser limpa e de boa qualidade A qualidade do produto é dependente dos teores das subs tâncias de interes se, sendo fundamentais os cuidados no manejo e colheita das plantas, assim como no beneficiamento e armazenamento da matéria prima Além dos equipamentos de cultivo usuais, é necessária uma unidade de secagem e armazenamento adequada para o tipo de produção
A água de irrigação deve ser limpa e de boa qualidade A qualidade do produto é dependente dos teores das subs tâncias de interes se, sendo fundamentais os cuidados no manejo e colheita das plantas, assim como no beneficiamento e armazenamento da matéria prima Além dos equipamentos de cultivo usuais, é necessária uma unidade de secagem e armazenamento adequada para o tipo de produção
O mercado é bastante específico, sendo importante a integração entre produtor e comprador, evitando um número excessivo de intermediários, além da comercialização conjunta de vários agricultores, por meio de cooperativas ou grupos

COLHEITA E BENEFICIAMENTO

Devem ser colhidas apenas folhas adultas, deixando-se 1/3 da planta para rebrota.

REFERÊNCIAS

De plantas medicinais, condimentares e aromáticas. 2 ed. Jaboticabal, SP: FUNEP,1994, 162p: il.
FERRI, M. G.; MENEZES, N. L. de; MONTEIRO-SCANAVACCA,
W. R. Glossário Ilustrado de Botânica. 1 ed. São Paulo, SP:
NOBEL, 1981, 197p, il.
JACOBS, B. E. M. Ervas: como cultivar e utilizar com sucesso. São Paulo, SP: NOBEL, 1995, 215p. il.
LOW, T.; RODD, T.; BERESFORD, R. Segredos e virtudes das plantas medicinais: um guia com centenas de plantas nativas e exóticas e seus poderes curativos. Reader´s Digest Livros. Rio de janeiro, RJ. 1994, 416p. il.
PANIZZA, S. Plantas que curam. 28 ed. São Paulo, SP:
IBRASA,1997, 279p. il.
SARTÓRIO, M. L.; TRINDADE, C.; RESENDE, P.; MACHADO, J. R. Cultivo de plantas medicinais. Viçosa, MG: Aprenda Fácil, 2000, 260p: il.

Fonte: www.campinas.snt.embrapa.br

Alecrim

Alecrim - Rosmarinus officinalis

O alecrim é um arbusto lenhoso perene e aromático, sendo que suas folhas são como agulhas de aspecto cinzento escamoso.

As folhas se assemelham a agulhas e tem uma fragrância pungente característica.

As flores (muito raras nas plantas da nossa região) aparecem no inverno e primavera, com coloração nos tons azul pálido de aproximadamente três cm, e organiza-se em grupos de 2 ou 3.

Alecrim
Alecrim

A planta do Alecrim, como a maioria das hortelãs, tem caule semi-tubular. Há vários espécie pelo mundo que incluem Rain dourado; que é menor e tem extremidades amarelas nas folhas jovens; Prostratus; que está baixo-crescendo e está esparramando, Roseus; que tem flores rosas; e pequeno Santa Barbara que tem flores azuis.

O Alecrim é originária da Região Mediterrânea, Ásia, África Norte sendo que se adaptou muito bem em terrenos arenosas ou rochosas, em um clima caracterizado por verões mornos e invernos moderados, secos e até mesmo em terras ácida. Se alguém estiver interessado em cultivá-lo em um vaso, basta usar um vaso de barro que contenha uma terra que seja pré-adubada e dar-lhe água em períodos regulares, tomando o cuidado de evitar os excessos, que fazer com que as raízes apodreçam. Também é necessário pelo menos 6 horas de sol diariamente.

Ocorre que sua propagação é muito fácil por cortes. Cortes das raízes das plantas desenvolverão bem um copo com água e logo depois plantados em um vaso ou pote com areia ou terra adubada. Sementes levam tempo para germinar e freqüentemente produzem plantas que muitas vezes tem um desenvolvimento razoável.

Há tantos usos para alecrim que nenhum jardim deveria estar sem esta planta atraente e versátil. No jardim, o alecrim atua como a planta “carro chefe” de toda as outras ervas. Ele lança ao ar o seu odor fresco, limpo. No caso da espécie “prostradas”, costumam fixar-se ao longo de paredes de pedra ou cobrindo o solo em áreas que são muito secas, arenosas ou rochosas. Alecrim possui uma fragrância muito excêntrica ao florescer. Assim, suas fragrâncias são associadas nos mais diversos produtos.

Com relação a suas indicações, documentos muito antigos relatam prescrições de alecrim para curar uma série de enfermidades. Os estudos dizem que o óleo essencial presente em sua constituição aumenta o fluxo do sangue em camadas da pele como a derme. Na água de banho, uma infusão de folhas de alecrim refresca e estimula. São conhecidos óleos de alecrim para ter propriedades de antibacteriana. A maioria destes usos medicinal não foi verificada através de ciência moderna, mas sempre seguindo a cultura popular, provavelmente muitos são efetivos.

Folhas de alecrim contém odor agradável, assim podem ser fabricados sachês que serão colocados entre as roupas e dentro das gavetas, além de sabonetes, loções e perfumes. O preparo de infusos tem uma ação repelente aos insetos.

As flores do alecrim são muito atraentes além de produzir mel. Cabe a ressalva que em nossa região raramente elas chegam a produzir flores, devido as condições climáticas e até mesmo influência da altitude. Na cozinha, o alecrim é usado como um condimento para muitas carnes e legumes. Ramos e talos somados aos alimentos durante os últimos minutos dão um sabor interessante, aromático no caso de receita de grelhados. Outra dica é acrescentar ao preparo do feijão a folhas a fresco, dando-lhe um sabor especial. O vinagre com a erva do alecrim e muito apreciado em diversas localidades.

Considerada a erva da recordação, amizade e amor, o alecrim foi utilizada como uma erva medicinal e aromática há milhares de anos. Em estudos sobre a Grécia Antiga, descobri-se que seus habitantes utilizavam sobre a cabeça para melhorar a memória. No Antigo Continente, tem-se por crença colocar galhos de alecrim debaixo de travesseiros para afugentar maus espíritos, além de ser utilizado em cerimônias pelas noivas para promover amor e utilizada em funerais para assegurar recordação. É dito que se um arbusto de alecrim cresce vigorosamente no jardim, a mulher é a cabeça da casa.

Além de suas utilizações como planta medicinal, é um arbusto que tem as funções como ornamento em jardins e para atrair abelhas. Outras utilizações são as seguintes:

Dor de cabeça de origem digestiva: em uma xícara de chá, coloque uma colher de sobremesa de folhas picada se adicione água em ponto de chimarrão. Abafe por 10 minutos e coe. Tomar uma xícara de chá antes e depois das refeições.

Dores reumáticas; contusões: coloque uma xícara de cafezinho das folhas em uma xícara de chá de álcool de cereais. Deixe em maceração por 8 dias. Após isso, coe em um pano e acrescente ½ pedra de cânfora. Com um pano friccione no local afetado de 2 a 3 vezes por dia, de preferência à noite.

Fonte: www.fw.uri.br

Alecrim

Alecrim
Alecrim

Nome Científico: Rosmarinus officinalis L.

Nomes Populares: alecrim – de – jardim, alecrim – rosmarinho, libanotis.

Família: Labiatae.

Aspectos Agronômicos

Reproduz-se por sementes, divisão das touceiras, estacas da planta - mãe e mergulhia.

Prefere clima temperado ou quente, bastante luminosidade (exposição ao sol) e é sensível a ventos e temperaturas baixas. A qualidades aromáticas as melhores quando o solo é seco, pobre em nutrientes, leve e bem drenado.

A colheita do Alecrim deve ser iniciada antes ou tão logo se inicie também o período d floração intensa, a partir do segundo ou terceiro ano de vida da planta.

Mas de cada planta só se deverá colher metade dos ramos com folhas, deixando os resultados para a manutenção da mesma.

Parte usada: Folhas e sumidades floridas.

Constituintes Químicos

Óleo essencial contendo principalmente
Pineno
Confeno
Cineol
Borneol
Acetato de bornila
Cânfora
Diterpenos

Possui também:

Ácidos orgânicos
Saponina
Traços de alcalóides
Princípios amargos
Taninos

Origem

Regiões do Mediterrâneo.

Aspectos Históricos

O Alecrim foi utilizado por farmacêuticos desde a antiguidade. Os gregos e os romanos tinham o alecrim com grande estima. Esta planta não faltava em nenhum jardim medicinal no séc.

XVI, sendo utilizado em cosmética e, queimado, era usado como incenso para purificar o ar.

Com reputação de desenvolver a memória, tornou-se emblema da fidelidade para os namorados.

Os espanhóis dizem que foi o alecrim que protegeu a Virgem Maria na sua fuga para o Egito e que, quando o seu manto roçava as flores brancas, estas iam ficando azuis.

Durante a peste, as pessoas carregavam ramos de alecrim na extremidade de paus e ao pescoço para os protegerem, quando passavam por áreas suspeitas.

O alecrim sido objeto, desde tempos remotos, de muitas lendas, atribuindo-se a ele poderes místicos. Por se supor que só crescia no jardim dos justos,e por ter fama de reforçar a memória,converteu-se em símbolo da fidelidade, da amizade e da recordação.Suas aplicações culinárias,cosméticas e medicinais,conhecidas desde a Antiguidade , foram largamente difundidas durante a Idade Média e a Renascença.

Usos

Fitoterápico

Como tônico do sistema nervoso central, é indicado em casos de esgotamento cerebral, excesso de trabalho e depressão ligeira.
Usado na atonia estomacal, falta de apetite e nos distúrbios intestinais, má digestão, azia.
Escassez de bile, mal funcionamento da vesícula.
Por suas propriedades colagogas é indicado em casos de cistite crônica e em hepatite.
Debilidade cardíaca ( cardiotônico ).
Hemorróidas.
Tosses catarrais e espasmódicas.
Em casos de amenorréia, dismenorréia e oligomenorréia.
Exaustão física e intelectual
Asma, coqueluche, gripe, fraqueza e depressão.
Externamente é indicada para dores reumáticas, contusões, entorses, articulações doloridas, feridas, aftas, eczema.

Óleo

Artrite
Cansaço mental
Estimulante do fígado e da vesícula biliar
Fraqueza genérica
Perda de memória

Fitocosmético

Indicado como fortificante do couro cabeludo, como anticaspa e também contra a queda de cabelo.
Pomada de ação analgésica.
Para a pele – ativa a circulação e limpa profundamente.

Óleo

Cabelo e pele
Tônico capilar

Farmacologia

É um tônico geral da circulação sanguínea e do sistema nervoso. Exerce sua ação principalmente em nível das paredes dos vasos, aumentando a irrigação periférica e a pressão arterial.

É ligeiramente diurético, estimulando as funções renais. Atua sobre a secreção biliar, como colagogo. O extrato hidroalcoólico das folhas induz, no rato, uma hipercolerese superior àquela provocada pelo extrato hidroalcoólico das sumidades floridas.

É digestivo, reduzindo a formação excessiva de gases e também auxiliando na digestão de gorduras. Possui também efeito hipotoprotetor e uma atividade antiinflamatória, indicado em afecções reumáticas e articulares, demonstrado por Alcarez e Jimenez no teste da (carragenina).

Externamente estimula a circulação local e alivia as dores. Possui ação antisséptica, inibindo o crescimento da salmonela, escherichia e estafilococos.No couro cabeludo, estimula a circulação e o crescimento capilar. Tem ainda ação anticaspa e previne a queda de cabelo.

Tem demonstrado ainda uma atividade notável e original na captura de radicais livres e inibe o mecanismo que conduz à hepatite tóxica. É também um antilipoperoxidante e mantém constante a fluidez da membrana, assegurando uma atividade enzimática máxima.

Riscos

A essência do Alecrim pode ser irritante para a pele.
Não deve ser administrado no período de gravidez. (Em altas doses, por via oral, é abortivo ).
O uso do alecrim durante a noite pode alterar o sono.
Não se recomenda o uso para prostáticos e pessoas com diarréia.

Doses Utilizadas

Fitoterápico

Uso Interno

Infuso: 20g de planta por dois litros de água, tomar 2 a 3 xícaras ao dia.
Folhas secas:
2 a 4g três vezes ao dia ou por infusão.
Extrato fluido em álcool 45%:
2 a 3 mL, três vezes ao dia.

Uso Externo

Infuso a 5%.

Fitocosmético

Xampus – até 5% de extrato.
Loções capilares, dentifrícios – até 3% de extrato glicólico.
Banhos estimulantes – até 10% de óleo essencial.

Bibliografia

Caran,M.Ervas Medicinais.Cultivo e Uso Prático.Plantas cultivadas e silvestres.[S.I.:s.n],[199-].
Caribé,J.; Campos,J.M. Plantas Que Ajudam o Homem. São
Paulo: Pensamento, 11ªedição, 1999.
Francisco,I.; Hertwig,V. Plantas Aromáticas e Medicinais. São Paulo: Ícone, 1986.
Panizza,S. Plantas Que Curam.Cheiro de Mato. São Paulo: Ibrasa, 1998.
Plantas Que Curam.A natureza a serviço de sua saúde.Rio de Janeiro: Três,v.1,nº2,[19--].
Rose,J.O Livro da Aromaterapia.Aplicações e Inalações.Rio de Janeiro: Campus,1995.
Sanguinetti,E.E. Plantas Que Curam. Porto Alegre: Rígel, 2ªedição, 1989.
Teske,M.; Trenttini,A.M.M. Compêndio de Fitoterapia. Paraná: Herbarium, 3ªedição, 1997.

Fonte: www.unilavras.edu.br

Alecrim

Nativo da região do Mediterrâneo, o Alecrim é empregado na medicina natural desde a Antiguidade.

Ao longo da História, ouve muitos povos que o utilizaram como erva de proteção.

Com sabor picante, o Alecrim vitaliza, revigora, aumenta a disposição e a energia, agindo como um antidepressivo.

O chá de suas folhas, além de ser um ótimo digestivo, abre o apetite (se consumido antes das refeições).

O Alecrim também exerce importante papel no uso dermatológico, pois ativa a circulação, tonifica e limpa profundamente a pele.

Alecrim
Alecrim

Usado na culinária e como talismã, hoje é utilizado em pratos de carnes, principalmente carneiro, saladas, molhos e pães.

Medicina: é muito procurado para tratar depressão, enxaqueca, males do fígado e digestão, entre outros usos. Dizem ser um ótimo tônico rejuvenescedor.

Por ser estimulante, o chá de Alecrim não deve ser consumido à noite, sob o risco de prejudicar o sono.

Fonte: www.acquaverde.com.br

Alecrim

Alecrim
Alecrim

Alecrim - Rosmaninus officinalis

Órgãos mais beneficiados pelo Alecrim: o coração e o estômago.

USO MEDICINAL

O Alecrim , sob o domínio do Sol , é uma planta que ama o calor e a vida. Ele aquece e estimula o cérebro e o corpo, é ótimo como cardiotônico, estimulante, anti-reumático, resolve rapidamente dores de estômago e asias, restitui a energia dos cansados e estressados por muito esforço mental. Também é bom para tosses, bronquites, e problemas respiratórios.

Usado externamente é bom para limpar feridas, principalmente de diabéticos e pessoas que tem dificuldades de cicatrização.

Os cardíacos podem usá-lo acompanhado de Sete Sangrias e Dente de Leão.

USO ENERGÉTICO

Nós falamos que o Alecrim é um "costurador do Plexo solar".

Ele restitui rapidamente a energia perdida, dá mais estrutura de trabalho aos que lidam muito com o mental racional, é uma das ervas que ajuda na depressão e estados permanentes de cansaço por problemas emocionais.

Ajuda também muito as crianças com uma estrutura emocional passiva, as que não respondem de forma concreta às agressões da vida. Aumenta a capacidade de aprendizado. É a planta chave da falta de auto estima.

Atua nos desconfiados, nos que não acreditam em si mesmos, nos que não têm coragem de se lançar em novos projetos. É A ERVA DA CORAGEM.

USO CULINÁRIO

O alecrim deve ser inserido na alimentação dos passivos, tímidos, e nas pessoas que têm um constante desgaste de energia.

Um frango temperado com alecrim e limão é uma dádiva dos deuses.

O alecrim pode ser usado em qualquer molho branco ou vermelho, para massas e lasanhas.

Vinho com alecrim

Coloque alguns galhinhos de alecrim fresco em um bom Vinho tinto e deixe macerar durante 21 dias bem fechado com parafina na rolha. Guarde em lugar escuro, deitado. Quando passar esse tempo, coe e acrescente mel puro à gosto ( O mel é opcional). Sirva pequenos cálices antes do jantar. Além de ser ótimo para a digestão, ajuda a clarear as idéias para um novo dia de trabalho.

O alecrim fresco, misturado em pequenas quantidades às massas caseiras de pão, dá um gosto saboroso e exótico a massa, e deixa o pão digestivo e energético.

Misture alecrim nas manteigas e patês. O efeito é ótimo.

Conserva de alecrim para saladas

Em um vidro de boca estreita, esterilizado, coloque um galhinho de alecrim, um de manjericão, alguns grãos de coentro e um grão de pimenta da jamaica. Acrescente ¾ do vidro de vinagre de maçãs , água filtrada e sal para completar. Deixe descansar durante 8 dias. Está pronto para temperar qualquer salada. Na hora de servir, acrescente óleo ou azeite.

OUTROS USOS

O alecrim também pode ser encontrado em Tintura-mãe.
O chá forte de folhas de Alecrim é ótimo para se enxaguar os cabelos. Além de ser cicatrizante, dá brilho de novo aos cabelos, e deixa-os muito mais escuros e com brilho.
Compressas com chá forte de alecrim são ótimas para celulite.
Essas compressas também melhoram muito as dores de estômago.
O escalda pés de Alecrim tira todas as energias negativas acumuladas durante o dia. O Alecrim combate os invejosos!

Fonte: www.aleph.com.br

Alecrim

Nomes Populares: Alecrim, rosmarino, erva da recordação.

Nome Científico: Rosmarinus Officinalis

Família: Labiadas

Sinonímia Popular: Alecrim de jardim, alecrim rosmarino, libanotis.

Parte Usada: Folhas e flores.

Propriedades Terapêuticas: Estimulante digestivo, anti-espasmódica, estomacal, vasodilatora, anti-séptica.

Alecrim
Alecrim

Alecrim
Alecrim

Alecrim, rosmarinos ou romero como os espanhóis o chamam, é um pequeno arbusto que pode atingir até 1,5 metro de altura.

Planta muito conhecida em praticamente todo o mundo, mas é na Europa onde o alecrim é muito utilizado. Para quem já fez o Caminho de Santiago com certeza já ouviu de algum espanhol a receita de banhar os pés com o chá do “romero” para deixá-los mais fortes, resistentes e com a pele mais rústica, isto para suportar melhor as caminhadas de centenas de quilômetros.

Alecrim
Alecrim

O nome de rosmarinus vem provavelmente do latim, que significa “orvalho do mar”.

Na Grécia antiga utilizava-se o alecrim atrás da orelha para curar problemas de memória fraca (até hoje o alecrim é indicado para este problema, e se pensarmos que os óleos essenciais iam se volatilizando e a pessoa ia absorvendo estes óleos, é bem provável que o indivíduo realmente sentisse alguma melhora, pois existiam substâncias químicas sendo absorvidas e atuando na sua fisiologia). Já os romanos, acreditavam que esta planta estava associada com o amor e com a morte, e por isso é que era plantada nas soleiras das portas, hábito que perdurou até a Idade Média. Até mesmo a Igreja Católica incorporou o alecrim em seus rituais, queimando-o em incensários.

Ele cresce de forma nativa e espontânea nos países ao redor do mar Mediterrâneo, local de solos pedregosos e arenosos. É encontrado no sul da Espanha, França, Itália, Grécia, Portugal, nas ilhas Canárias, Açores e Madeira. Também é encontrado no norte da África, sendo mais comum no norte do Líbano, Egito e regiões da Turquia.

Atualmente os principais produtores de alecrim são: Itália, Espanha, França, Tunísia e países da antiga Iugoslávia.

O alecrim prefere um clima mais seco, ensolarado e fresco. Não gosta de locais com pouco sol, muita umidade e frio. Estas condições climáticas irão determinar um melhor desenvolvimento e conseqüente-mente uma melhor qualidade do óleo essencial produzido.

O alecrim possui inúmeras aplicações farmacológicas. Possui ação tônica, principalmente em casos de cansaço mental; é estimulante, carminativo, emenagogo, desinfetante, anti-séptico e aromático. É também empregado em queda de cabelo, além de auxiliar a “esconder” cabelos brancos. O óleo essencial diluído pode ser usado em casos de dores reumáticas, musculares e articulares na forma de massagem.

O alecrim é muito usado na culinária européia, principalmente a cozinha italiana e francesa. O odor é forte, fresco e herbáceo. O sabor é picante, marcante e amadeirado. Alecrim vai muito bem na carne de porco, de carneiro e de cabrito. A carne de porco irá ficar mais “leve”, isto provavelmente devido à ação digestiva que esta erva possui. Para evitar que a carne de carneiro fique com um sabor forte recomenda-se retirar toda a gordura da carne. Outro ponto importante é utilizar um bom vinho branco seco para preparar o marinado, tanto do cabrito quanto da carneiro. Uma forma interessante de utilizar o alecrim é pegar um punhado de folhas e ir massageando a carne antes de ser assada.

Esfregue com força para que o óleo essencial possa penetrar na carne. Depois deixe o esfregaço de folhas sobre a carne para assar. É importante que a carne fique marinando nos temperos para poder acentuar os sabores. No peixe também proporciona um sabor refrescante, só que neste caso não precisa esfregar na carne, pois provavelmente irá desestruturá-la.

O alecrim também é muito empregado para aromatizar vinagres e óleos para uso em saladas e refogados. Para preparar o vinagre aromático é só pegar uns 3 raminhos frescos de alecrim e colocar dentro de uma garrafa de um vinagre de boa qualidade. Deixe macerar por uns 15 dias e depois já pode utilizá-lo no tempero de sua salada preferida. Já no preparo do óleo ou azeite é um pouco mais complicado. Existem duas forma diferentes. Na primeira você irá pegar de 3 a 5 raminhos frescos de alecrim e amassar suas folhas em um socador de alho. Coloque as folhas trituradas em maceração no óleo, e deixe por 3 semanas. Já a outra forma, a que dá um melhor resultado, é só verter o óleo aquecido sobre as folhas frescas já dentro de um frasco, e deixar macerar por 2 semanas.

Se o óleo ainda não estiver muito aromático pode-se aquecer um pouco mais em banho maria. Pode-se também preparar manteigas, torradas, e o que mais sua imaginação permitir. Aproveite os aromas intensos do alecrim, só tome cuidado com as dosagens, pois pode ficar com um sabor muito amadeirado e não agradável ao nosso paladar.

Fonte: www.jperegrino.com.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal