Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Kuando Kubango  Voltar

Kuando Kubango

 

CAPITAL: MENONGUE

Kuando Kubango
Kuando Kubango

Municípios

Cuchi, Menongue, Cuangar, Nancova, Cuito Kuanavale, Mavinga, Calai, Dirico, Rivungo;

A estrutura orgânica do Governo da Província esta conformada ao Decreto-Lei n.º 17/99, de 29 de Outubro e o Decreto n.º 27/2000, de 19 de Maio que aprova o paradigma de regulamento e o quadro do pessoal dos Governos das Províncias dos Municípios e das Comunas.

O Governo da Província é chefiado por um Governador coadjuvado por dois Vices-Governadores.

Clima

Ao Norte apresenta um clima tropical e ao sul semi-desértico, as preciptações médias anuais variam entre 1200 mm no norte e 600 mm no extremo sul. O clima é do tipo tropical proporcionando 2 estações com estepe na faixa meridional e o mesotérmico húmido de inverno seco na faixa setentrional. temperatura média anual de 25º C.

Superfície

199 335 Km2 cerca de 15,9% do território nacional, a segunda maior província do País está a uma altitude média de 1.500 m. Relevo caracterizado essencilamente pela drenagem por uma rede hidrográfica dos maiores cursos de água que atravessam a Província, nomeadamente o Kubango e o Kuando.

População

606 615 Habitantes, densidade 3 hab/km2. No Município de Menongue estima-se 257.019 hab.

Principal Produção

Algodão, Massambala, Massango, Milho, Mandioca, Soja, Tabaco, Trigo, Vielo, Feijão, Recursos Madeireiros (floresta tropical seca), Pinheiro.

A Província do Kuando Kubango possui condições edafo-climáticas para a pratica e o desenvolvimento da agricultura. Com aplicação de técnicas adequadas, e a atribuição de incentivos agrícolas, a actividade deste ramo poderá ganhar maior impacto na economia da Província. As principais culturas exploradas são basicamente alimentares, tais como o milho, o massango, a massambala, o feijão, a mandioca, amendoim, a batata doce e as hortícolas. As condições são propícias para culturas indústrias tais como o café, e cana-de-açúcar. As actividades do sector incidem ainda sobre a pecuária, piscicultura e apicultura.

A pesca artesanal tem uma longa tradição no Kuando Kubango carecendo de incentivos e meios, esta actividade é exercida principalmente nos diversos rios existentes na província, com destaque para o rio Kuvango, e na orla fronteiriça. A normalização da situação de segurança nas áreas poderá impulsionar esta actividade, tornando-a uma fonte de rendimento e de subsistência alimentar.

Pecuária: Bonivicultura de Carne, Caprinos.

Minérios: Diamantes, Cobre e Ouro

Indústria: Materiais de Construção.

Os Rios

Kuvango, Kutato, Kuelei, Kueve, Kuando, Kuzumbia, Kujamaba, Kueio, Matunga, Muhondo, Kapembe, Cuchi, Lomba, Kuito, Kunavale e Longa constituem os recursos hídricos de maior importância para o desenvolvimento económico da região.

COMÉRCIO

A actividade comercial envolve 110 agentes no sector formal sendo 7 na prestação de serviço e 446 agentes no comércio informal.

A distribuição territorial dos agentes económicos licenciados descrimina-se da seguinte forma:

Município de Menongue
Município do Kuito Kuanavale
Município do Cuchi
Município do Kalai
Comuna do Kutato
Comuna do Caiúndo

Os principais produtos comercializados no mercado formal e informal da Província são: açúcar, peixe seco, sal, óleo alimentar, bebidas diversas, arroz, leite, farinha de trigo e sabão adquiridos nas Províncias de Luanda, Benguela, Namibe e na vizinha República da Namíbia.

HOTELARIA

O sector começou a ressurgir na Província com a reabilitação de algumas estruturas hoteleiras.

TURISMO

A Província possui potencialidades turísticas. Existem na Província áreas demarcadas de grandes relevância para coutadas.

Coutada do Quirangozi-Mavinga, Luiana, Luengue, Mucusso, assim como as montanhas do Malova, Mbototo, quedas do rio Kutato e Forte Muene Vunongue, Ilha de S.Vicente, Centro histórico do Missombo e a Barragem do Cambumbe.

A Província caracteriza-se por três grandes zonas de vegetação, maioritariamente compostas por floresta densa seca, savana com arbustos e árvores na metade setentrional, savana com arbustos, bosques e balcedos na faixa meridional e, savana com arbustos no quadrante noroeste. No sudoeste pode-se destacar a reserva parcial de Luiana caracterizada por madeira preciosa espécies de mussivi, girassonde, mumue, mupanda muiunga, entre outras.

FAUNA

Das espécies de animais que habitam no território do Kuando Kubango destacam-se as seguintes: palanca real, elefantes, rinocerontes, hipopótamo, nguelengue, ngunga, leão leopardo, hiena, onça, pacaça, javali, mabeco, cágado, e avestruz, palanca preta vulgar caeni, pangolim tanto como uma diversidade de aves e répteis.

FLORA

As reservas, parques e cotadas estão caracterizados da seguinte maneira:

a) Reserva parcial do Luiana estabelecido como reserva parcial em 17 de setembro de 1966 com a extensão de 8.400 km2;

b) Reserva parcial de Mavinga estabelecida como reserva parcial em 17 de Setembro de 1966 com uma extensão de 5.950 km2;

c) Cotada pública do Mukusso criada em 15 de Julho de 1959 com uma extensão de 25.000 km2;

d) Cotada pública de Luiana criada em 15 de Julho de 1959 com uma extensão de 13.950 km2;

e) Cotada pública do Luengue criada em 15 de Julho de 1959 com uma extensão de 16.700 km2;

f) Cotada pública de Mavinga criada em 06 de Julho de 1960 com uma extensão de 28.750 km2;

g) Parque natural regional do Cuelei com uma extensão de 4.500 km2.

TRANSPORTES AÉREO

O mercado é explorado pela companhia aérea Nacional TAAG com 4 voos regulares de passageiros por semana, carecendo a sua Delegação de reabilitação por formas a, condignamente, atender os seus clientes.

TRANSPORTES FERROVIÁRIO

O único troço ferroviário existente na Província, Namíbe-Menongue.

Correios: dos três postos existentes (Menongue, Mavinga e Kuangar), apenas o de Menongue encontra-se em funcionamento regular com os serviços de correspondências, encomendas, serviços telegráficos, emissão de vales e Fax público (por instalar).

TELEFONE

Com uma capacidade instalada de 160 terminais com 15 saídas e 15 entradas, sendo 159 exploradas, a rede telefónica assegura a comunicação inter-Provincial. Toda e qualquer comunicação com o exterior do País é feita através dos serviços centrais da Angola Telecom. Perspectiva-se a substituição da central digital por uma outra com a capacidade de 2000 terminais e a ampliação da rede interna para os Municípios do Kuito Kuanavale, Kalai, Mavinga, e a Comuna do Katuitui no Município do Kuangar.

Serviços metereológicos nas estações de Menongue e Mavinga.

AEROPORTOS E PISTAS DE A VIAÇÃO

Existem na Província 2 aeródromos, o maior localiza-se no Município sede da Província e o outro no Município do Kuito Kuanavale; este último carecendo de reabilitação, 9 Pistas encontram-se estão localizados nos Municípios de Dirico, Rivungo, Savate, Kuangar, Rito, Mavinga, Cuchi e Kalai necessitam reparos.

Dada as grandes distâncias que separam os Municípios da sede da Província existe uma necessidade premente em reconstruir-se a pista do Kalai para apoiar os Municípios da Orla fronteiriça e a pista de Mavinga para o apoio aos Municípios da parte _Leste.

Sistema Financeiro e Bancário: a única instituição bancária existente na Província, tem circunscrito a sua principal actividade no exercício de caixa de tesouro da Delegação Provincial das Finanças não garantindo as outras operações bancárias por falta de depósitos regulares da população e do empresariado.

A província reserva ao FDES o papel de parceiro e impulsionador do ressurgimento da iniciativa privada, ao INAPEM lhe é reservada a tarefa de capacitação e consultoria ao empresariado a emergir.

A participação de outras instituições financeiras contribuir-se-ia na criação de oportunidades de financiamento do eventual empresariado nacional.

No âmbito do combate as grandes endemias o Ministério da Saúde tem estado a abastecer medicamentos e equipamentos à Província através da Direcção Nacional de Medicamentos e equipamentos, Programa Nacional de medicamentos essenciais e, da quota financeira dos Hospitais no quadro da descentralização do Orçamento Geral do Estado. Os abastecimentos tem se efectuado de 6 em 6 meses. Os abastecimentos em equipamentos é feito duma forma não regular. A Província possui apenas uma ambulância.

A Província conta com uma Escola Técnica Básica de Enfermagem que funciona em Instalações alheias e, tem como actividade principal a conversão dos promotores e práticos em técnicos auxiliares (técnicos básicos de enfermagem), assim como a formação permanente, nomeadamente dos técnicos básicos e técnicos médios. A Escola tem a capacidade de 80 alunos e possui 2 salas de aulas.

EDUCAÇÃO E CULTURA

O serviço de educação incidia nos três Municípios (Menongue, Cuchi e Kuito Kuanavale) , deixando 6 Municípios fora do sistema de educação e ensino. Actualmente a actividade educacional estende-se a mais 3 Municípios, nomeadamente; Kalai, Kuangar e Dirico, continuando de fora do sistema os Municípios do Mavinga, Nancova e Rivungo.

Os serviços privados de ensino, restringem-se fundamentalmente à cidade de Menongue com 5 escolas (Missão Católica de Menongue, Ninho da Paz, S. Kizito, Quinta Mbembwa e a IECA).

Existem na Província 4 subsistema de ensino: primário, secundário, Médio e Superior. Fruto da critica situação político militar, o sistema de ensino não abrange todos os Municípios, Comunas e Aldeias.

Em muitas destas localidades há mais de 10 anos, nenhuma criança frequentou um estabelecimento de ensino. A província conta actualmente com 101 escolas do I Nível, 3 do 11 e III nível, 1 uma do ensino médio, 1 centro Pré-universitário e um núcleo do ensino superior: Actualmente a Província conta com 58.245 alunos fora do sistema de ensino.

A formação tem sido ministrada na escola de artes e ofícios Mbembwa. O lNEFOP carece de Instalações para o seu funcionamento.

NECESSIDADES EM CARTEIRAS E QUADROS PRETOS

De acordos com as necessidades segundo os níveis de ensino, a Província necessita de:

44.730 carteiras - 994 quadros preto - I nível
1.890 carteiras - 108 quadros petos - II nível
1.050 carteiras - 60 quadros pretos - II nível
1.260 carteiras _ 72 quadros pretos _ Ensino médio

A Província do Kuando Kubango não possui um sistema de abastecimento de energia a partir de fonte energética hídrico sendo abastecido com 9 grupos geradores, seis de 225 KVA, um de 1025 KVA que abastecem a cidade capital, dos quais apenas um encontra-se funcional com capacidade de 200 KVA, prevendo-se a montagem para breve de um Grupo gerador de 800 KVA. Encontrando-se neste momento "a cidade as escuras".

A nível dos Municípios apenas um (Kuito Kuanavale e as Comunas do Longa e Caiúndo) dos 9 Municípios é abastecido com energia eléctrica.

A rede de transporte e distribuição a nível de todos os Municípios carecem de reabilitação devido ao seu estado degradante.

Os Municípios de Kalai, Dirico, Kuangar, e a Comuna do Mucusso poderão (serão) ser abastecidos com energia eléctrica proveniente da vizinha República da Namíbia tão logo entra em funcionamento o contrato assinado com a NAMPOWER.

Existe um estudo, para a construção de uma Mini-hídrica na Cidade de Menongue. Enquanto estes projectos não se materializam urgente se torna dotar essas localidades supracitadas e ainda os Municípios do Rivungo, Nancova, Mavinga e Cuchi com grupos geradores.

A Província tem recursos hídricos superficiais e subterrâneos que podem garantir água para o consumo humano, industrial e agro-pecuária.

Os dois tanques elevatórios de água existentes na cidade de Menongue carecem de reabilitação assim como a rede adução e distribuição de água, que faz com que neste momento esteja-se atender tão somente cerca de 600 consumidores na área urbana.

Com o apoio do UNICEF está-se a construir um sistema de captação e distribuição de água (com fontanários) na áreas do Pandera, Saprinho e Tomás com previsão do termino para 2003.

A nível dos outros Municípios (Kalai, Dirico, Kuangar, Nancova, Cuchi, Kuito Kuanavale e Rivungo) a situação de abastecimento de água é inexistente.

No Município de Mavinga está-se a fazer furos com o apoio da ONG Intersos.

A capacidade hídrica da Província, e a existência de rios em todos os Municípios justifica a necessidade de aquisição e montagem de carneiros hidráulicos para garantirem o abastecimento de água aos mesmos.

No domínio de infra-estruturas Públicas o êxito do Programa de melhoria e aumento de oferta de serviços sociais básicos as populações, está condicionado a criação de condições mínimas dos edifícios administrativos como garante do bom funcionamento dos órgãos locais. Na Província existem 9 Empresas com capacidade para realização de obras e uma de Consultoria, fiscalização e elaboração de projectos: (SOCOANG, CPSA, NATCHALI, CRS, EBRITE, STEEL-CONSTRUTION, B.KCC, JAMSAN, GEOTRABENA, NOVARAFRAMACA).

As infra-estruturas rodoviárias dos Municípios e Comunas da província suscitam reabilitação e construam infra-estruturas como garante do desenvolvimento da Província.

No quadro deste Programa a Província pretende reabilitar 908 Km de estradas secundárias e terceiarias realizando obras de terraplanagem e desmatação de bermas nos troços definidos abaixo. Nestes troços de estradas será necessário a reconstrução de 9 pontes e 13 pontões sendo necessário a intervenção das estruturas centrais (INEA) na reconstrução de pontes, com particular realce para as pontes sobre os rios Cuelei, Luassenha, Cuchi no troço Menongue-Cuchi que permite a ligação com a Província da Huila (eixo principal) e Caíra sobre o rio Kubango no troço Savate-Kuangar.

Distâncias em km a partir do Menongue: Luanda 1.051 . Kuito 342;

Indicativo telefónico: 049.

Kuando Kubango

Com 199 049km é a segunda maior província, depois do Moxico, e a menos povoada do País, No sudeste de Angola. Tem extenso recorte internacional, confinando a leste com a Zâmbia, a sudeste está separada do Botswana por estreita faixa de território pertencente à Namíbia, com que confina em toda a sua extensão sul. Em território nacional encontra-se com o Cunene e a Huíia a oeste, o Bié a norte e o Moxico a nordeste.

A sua capital, Menongue está a 1.050km de Luanda e administrativamente divide-se, em 9 municípios: Menongue, Culto Cuanavale, Cuchi, Cuangar, Longa, Mavinga, Calai, Dirico, Rivungo.

O ciima é tropicai, seco a sul e modificado pela altitude mais a norte. Entre os meses de Junho a Setembro a ampiitude térmica dia/noite é importante. A actividade agrícoia não é relevante, havendo maior abundância de milho e massambala.

A actividade económica predominante é a pecuária de bovinos, caprinos e ovinos.

O cobre e o ouro existem em abundância ao longo de toda a região.

Fonte: www.consuladodeangola.org

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal