Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Arara  Voltar

Arara

 

Arara

ARARA: CRIAR PARA PRESERVAR

Atraentes pelo belo colorido e por imitar sons, as Araras costumam fascinar as pessoas.

Esta ave, quando criada desde filhote em cativeiro e alimentada na mão, fica mansa com conhecidos e afeiçoa-se especialmente à pessoa que cuida dela, mas com estranhos mostra-se arredia e, às vezes, até agressiva. Pode aprender a dançar, imitar latidos, assobios e a voz humana.

Na natureza emite apenas sons e gritos peculiares. Vive em pequenos grupos exceto na época de reprodução, quando se separa aos casais. Adora tomar banho de chuva e faz ninho em árvore oca ou escava um buraco em barrancos ou o aproveita em pedras. Pode percorrer diariamente até 100km na busca de alimentos: flores e brotos de árvores, larvas, sementes, frutas e partes tenras do caule e das raízes de plantas. "Rói" madeira, como as cascas de árvores, para exercitar o bico e manter ativa a musculatura mandibular.

Há 7 espécies de porte grande que é o preferido para criação doméstica (variam de cerca de 70 a 90cm), originários da América Central e do Sul. A maioria está em extinção, por isso sua criação deve ser feita sempre visando a reprodução. Quatro são de nossa fauna, sendo que a Canindé (Ara Ararauna), e a Arara vermelha (Ara Chloroptera) são as únicas não consideradas em extinção. Todas as espécies já são criadas em criadouros comerciais, o que aumenta a possibilidade de sua perpetuação estando os maiores produtores nos EUA e Europa, onde um exemplar vale de 1.200 a 15 mil dólares. A importação é permitida com autorização do Ibama, que a concede se o criador do exterior enviar uma licença (Cites) fornecida no país de origem, geralmente para aves nascidas em criadouros registrados.

No Brasil, o IBAMA - Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis, está autorizando criadouros comerciais da espécie Canindé e vermelha e, neste caso, os primeiros casais poderão ser obtidos através do próprio Ibama, desde que seja atendida a legislação para criadouros comerciais, ou seja, instalações adequadas em ambiente adequado, por exemplo, uma chácara e um veterinário responsável.

FICHA

Instalações

Pode-se juntar várias espécies diferentes, desde que elas se dêem bem e sejam do mesmo tamanho. Viveiros amplos que permitam voar, de tela resistente e estrutura metálica. Três quartos do teto coberto com telhas de amianto ou de barro, onde ficarão: poleiros de galhos (vários tamanhos, todos permitindo à ave fechar os dedos), alguns perto do comedouro; o ninho, um cubo (de alvenaria, madeira ou PVC com um buraco de entrada de tamanho tal que a Arara consiga passar e com as seguintes medidas - 55de alt., 60 de larg. e 80 de comp.), a 1 m do chão, apoiado em 4 pés de alvenaria ou suspenso; o comedouro de concreto a 80cm do chão, apoiado em 2 pés de concreto e com 6 buracos rasos: um para água e os outros para demais alimentos. No outro ¼, o solarium com mais poleiros. Piso cimentado com inclinação de 5% para escoar lavagem da sujeira. Fechar todo o fundo e todos os ¾ inferiores e superiores das duas laterais com alvenaria para proteger de ventos.

Para um casal, viveiro de 2,2m de alt., 2,5 larg. E 8m de comp. Para criar solta, desde pequena cortar as penas da asa e deixar assim até cerca de 1 ano. Quando a asa cresce de novo ela voa, mas volta, pois já se acostumou ao local. Precisa de abrigo: um chapéu protetor ou telhadinho próximo a uma árvore baixa e isolada, que servirá como poleiro, e ninho igual ao descrito.

Alimentação em cativeiro

Diariamente frutas, sementes de girassol e mais, 3 vezes por semana, 6 pedaços de ração para cães por ave e 1 vez por semana, bolachas de água e sal. Adicionar, alternando na semana 3 dos itens: cana-de-açúcar em pedaços, arroz integral cozido, coco maduro, milho verde ou duro, pão, verduras com talos grossos, como couve e repolho. Picar quadrados de 2cm - facilita pegar e evita desperdícios. Testar a quantidade observando se há sobras. Deixar ao alcance um tijolo embebido em salmoura (1 copo de sal grosso para 1 l de água) por um dia, para "roer" até acabar. Água trocada diariamente.

Reprodução

Fácil em cativeiro. A partir dos 3 anos. De setembro a março. Casal identificado por sexagem por veterinário de aves ( o macho alimenta a fêmea no bico, especialmente nessa época). De 2 a 3 ovos, chocados por cerca de 28 dias. Condições para reproduzir: lugar sossegado, boa alimentação, um casal que não brigue, por viveiro.

Saúde

Sensível a verminoses, especialmente a Capilariose, transmitida por excrementos de aves. Necessidade de controle com exames periódicos de fezes e de manter o viveiro limpo.

Tempo de vida em cativeiro: mais de 40 anos.

Fonte: www.petbrazil.com.br

Arara

Arara

Esta ave tem a sua origem na América Central e na América do Sul.

Trepadora por natureza, a Arara gosta de ter poleiros resistentes ou paredes rochosas, onde possa usar toda a força que tem nas patas.

Brincalhona e afável, é uma óptima companhia para toda a família, ao contrário de outras, que elegem um dono apenas.
Para quem pensa adquirir um animal destes, é bom saber que estas aves se tornam muito grandes em adultas, com cerca de 85cm de altura, e podem viver cerca de 40 anos.

Mais importante que tudo isso é o facto de poder estar a entrar em extinção, devido ao grande número de exemplares capturados e à crescente desmatação a que se vem assistindo nesta área do globo.Portanto, se pretende adquirir um animal desta espécie, saiba de onde vem, se de um criador certificado, e aí recomendamos a sua aquisição, ou se foi capturada na natureza, e aí, não só deve negar a sua aquisição, como informar as autoridades competentes, este é um dever que todos temos, para não alimentar um negócio sem regras e proibido pelas leis internacionais.

Este é um animal que necessita de acompanhamento rigoroso. Quando se sentem sozinhas arrancam as penas do corpo, ficando com vastas áreas completamente descobertas.

A sua alimentação em cativeiro deve ser feita à base de amendoim, girassol e milho verde.Como suplemento alimentar, gostam de comer fruta, particularmente banana, mamão e coco, e algumas destas aves apreciam alguns gomos de laranja, se bem que esta possa ter algum efeito negativo no aparelho digestivo.

Desaconselha-se vivamente manter estas aves fechadas em gaiolas.

Tamanho médio em adulto: 75cm.

Fonte: bicharada.net

Arara

Arara

CLASSIFICAÇÃO CIENTÍFICA: 

Reino: Animalia 
Filo: Chordata 
Classe: Aves 
Ordem: Psitaciformes 
Família: Psittacidae 

INFORMAÇÕES IMPORTANTES:

Muitas espécies de araras encontram-se em processo de extinção, pois muitas pessoas buscam estes pássaros para servirem de animais domésticos

Costumam gritar muito para se comunicarem

São da mesma família dos papagaios, porém conseguem aprender poucas palavras

Alimementam-se, principalmente, de frutas, sementes, insetos e castanhas

Costumam utilizar a força e resistência dos bicos para furar os galhos e troncos de árvores em busca de larvas de insetos

Fazem os ninhos nos troncos ocos de árvores

Costumam habitar florestas em regiões tropicais do planeta. Aqui no Brasil, podemos encontrar espécies de araras no Pantanal na Floresta Amazônica e na região da Mata Atlântica

As principais espécies são: arara-azul, arara canindé, arara-vermelha e arara-militar

CARACTERÍSTICAS PRINCIPAIS:

Peso: de 3 a  5 kg
Comprimento: até 1 metro
Ovos: de 2 a 3 ovos
Tempo de incubação: 35 dias
Ninhada: uma por ano

Fonte: www.suapesquisa.com

Arara

Arara

Características das Araras

Muito decorativas, as suas penas são até hoje empregadas pelos índios como adornos de cocares. Além de vistosas penas, o tamanho avantajado, o bico muito rijo, em forma de gancho, e a face lisa são características ds araras.

As araras são capazes de emitir sons que imitam as vozes humanas e de outros animais, assobios e podem até aprender a dançar. Na natureza emitem sons e gritos peculiares, estridentes e com grandes alaridos.

Possuem fôlego curto e por isso voam curtas distâncias, mas podem mover-se entre os ramos das árvores, devido ao formato das patas, com quatro dedos, sendo que 2 ficam na frente e 2 atrás e do bico, em forma de gancho.

Na natureza vivem em pequenos bandos nas florestas da américa do sul e alimentam-se de frutas, sementes, flores, larvas oou brotos. Na época de reprodução, se dividem em casais.

A arara adora tomar banho de chuva e monta o seu ninho em árvores ocas, barrancos ou m pedras. Ela rói madeira, arrancando cascas de árvores para exercitar a musculatura da mandíbula.

Facilmente adaptável à vida no cativeiro, ela torna-se-á mansa com quem cuida dela.

Ela pode viver de 40 a 60 anos, mede de 70 a 100 cm. São 7 as espécies de araras, sendo 4 as principais. Dessas quatro, duas estão em extinçao.

Doenças - Psitacose

Uma doença perigosa ataca essas aves; a psitacose, causada por um vírus filtrável. a ave acomtida pela psitacose torna-se quieta, arredia e sua plumagem toda se amaranha. Mas o maior risco está na possibilidade de transmitir o vírus a outras aves. E o vírus pode contaminar também o homem que entra em contato com as aves doentes.

Fonte: aves.com.sapo.pt

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal