Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Aposto  Voltar

Aposto

 

Aposto - O que é

O aposto é um termo que ocorre associado a um nome ou a um pronome – ou a um termo equivalente a estes – a título de explicação, esclarecimento, identificação ou apreciação.

Identifica ou esclarece o nome a que se associa, estabelecendo uma relação de equivalência, ou seja, o aposto retoma um termo da oração para explicá-lo.

O aposto se refere a substantivos ou termos nominais e pode se referir a uma oração inteira.

Aposto é uma palavra ou expressão que explica ou esclarece, desenvolve ou resume outro termo da oração.

O termo a que o aposto se refere pode desempenhar qualquer função sintática. Sintaticamente, o aposto equivale ao termo com que se relaciona.

Observe alguns exemplos:

O que é Nossa terra, o Brasil, carece de políticas sociais e consequentes.

Sujeito: Nossa terra
Aposto:
o Brasil

Acabo de ler um livro de Mário Quintana, famoso escritor brasileiro.

Nome: Mário Quintana
Aposto:
amoso escritor brasileiro.

O poeta Drummond era mineiro de Itabira.

Aposto: (relaciona-se ao substantivo poeta e especifica de qual poeta se fala)

Drummond e Guimarães Rosa são dois grandes escritores, aquele na poesia e este na prosa.

Aposto: aquele na poesia: (esclarece algo sobre o primeiro escritor mencionado)
Aposto: este na prosa:
(esclarece algo sobre o segundo escritor mencionado)

Estava aflito com a ausência do amigo que demorava a chegar, o Pedro

Aposto: (esclarece a que amigo se refere)

Fiz algo de que me arrependi: contei tudo assim que soube.

Aposto: (refere-se à oração inteira e a esclarece)

Aposto - Termo da Oração

Aposto é o termo da oração que explica, esclarece, identifica ou resume o conteúdo de outro termo.

O aposto também pode juntar-se a uma oração, esclarecendo-lhe o sentido. O termo a que o aposto se refere pode ocupar qualquer função sintática.

Pedro, meu irmão, foi eleito deputado.

Nessa oração, "Pedro" é o sujeito. "Meu irmão" é o aposto desse sujeito, pois esclarece o conteúdo do termo a que se refere. Sintaticamente, meu irmão, ou em outras palavras, o aposto, equivale ao termo com que se relaciona. Se eliminarmos "Pedro", "meu irmão" passa a sujeito da oração: Meu irmão foi eleito deputado.

Entre o aposto e o termo a que se refere, há quase sempre uma pausa, marcada na escrita pela vírgula ou, em casos especiais, por dois pontos, travessão ou parênteses; não havendo pausa não haverá vírgulas.

Exemplos com pontuação:

Seus olhos, duas bolas de fogo, impressionavam-me.
Uma coisa incomodava vovô: o barulho de crianças.
Voltei a minha antiga casa, palco de tantas esperanças.
Via-se na praia muita gente: crianças, turistas, camelôs.
Ele agora estudava com afinco, prova de que mudará de vida.
Dom Pedro I, imperador do Brasil, foi também rei de Portugal.

Exemplos sem pontuação:

O Edifício do Congresso fica na praça dos três poderes.
O padre Anchieta foi o primeiro professor do Brasil.
Minha irmã Beatriz; O rio Paraná; Os amigos de Cardoso vaqueiro.
O aposto pode ser representado por um substantivo, uma palavra substantivada ou um pronome:
Parafusos, clipes, botões, tudo (pron.) ele guardava.

O aposto pode preceder o termo a que se refere:

Menina impulsiva, Beatriz não se conteve.
Mensageira da ideia, a palavra é a mais bela expressão da alma.

Aposto - Classificação

O aposto pode ser empregado:

a) Para Explicar ou Identificar:

Cruz e Souza, gênio do simbolismo, escreveu Broquéis.
O dono do bar, um velhote desdentado, desacatou o rapaz.
Os alunos, satisfeitos, liam na biblioteca.

b) Para Enumerar. Neste caso, pode aparecer depois de dois pontos; vir precedido das expressões, a saber, por exemplo, isto é; ou ser representado por pronomes indefinidos, como tudo, nada, algo ninguém, alguém, quem?

As cidades, os campos, os vales, os montes, tudo era mar.
Duas coisas nos convêm, a saber: força e honra.
Filhos, netos, bisnetos, quem o socorrerá na velhice?

c) Para a Individualização do ser dentro do seu gênero.

Nesse tipo de aposto não se usa vírgula e ele pode ou não vir preposicionado:

O poeta Cruz e Souza escreveu Broquéis.
O padre Anchieta foi o primeiro professor do Brasil.
O Edifício do Congresso fica na praça dos três poderes.

Aposto - Tipo

Aposto é um termo acessório da oração que se liga a um substantivo, tal como o adjunto adnominal, mas que, no entanto sempre aparecerá com a função de explicá-lo, aparecendo de forma isolada, ora entre vírgulas, ora separado por uma única vírgula no início ou no final de uma oração ou ainda por dois pontos.

Existem sete tipos de aposto: O aposto explicativo, o aposto enumerativo, o aposto especificativo, o aposto distributivo, aposto oracional, aposto comparativo e o aposto recapitulativo (resumidor). Na norma culta é permitido utilizar qualquer um dos apostos também entre parênteses ou entre dois travessões e outros tipos de adjunto.

Aposto explicativo

É aquele que explica o termo do estudado. É acompanhado por vírgulas.

Exemplo:

Hagar, o terrível.
Helena, a menina que encontramos, estava triste.
A morte, angústia de quem vive, ocorre ao acaso.
ECA ( estatuto da criança e do adolescente).

Aposto enumerativo

É aquele utilizado para enumerar dados relacionados ao termo fundamental.

Exemplo:

Mario possui quatro filhas: Janaína, Vitória, Bruna e Karine.
Tenho três amigos: José, Marcos e André.
A pesquisa analisou dois grupos: crianças e adolescentes.

Aposto especificativo

É aquele que especifica o termo a que se refere. Não é acompanhado de vírgulas.

Exemplo:

A melhor praia de Salvador é a de São Tomé.
A cidade de São Paulo é muito famosa.

Observe, no entanto, a diferença entre As ruas de São Paulo (Adjunto adnominal) e A cidade de São Paulo (Aposto especificativo). No aposto especificativo, há uma ideia de igualdade de termos, ou seja, "A cidade" = "São Paulo", o que não ocorre em As ruas de São Paulo (paulistanas).

Aposto distributivo

É aquele que distribui as informações de termos separadamente. Geralmente, utilizado com ponto e vírgula.

Exemplo:

Henrique e Núbia moram no mesmo país; esta na cidade do Porto, e aquele, na cidade de Lisboa.

Aposto oracional

É o aposto que possui um verbo.

Exemplo:

Desejo uma única coisa: que plantem novas árvores.
Ele me disse apenas isso: 'a nossa sociedade acabou

Aposto Resumidor (Recapitulativo)

É o aposto que resume toda a oração.

Exemplo:

Trocar fraldas, amamentar, limpar o nariz, acordar de noite, tudo exige paciência.
Vento, chuva, neve, nada o impediu de cumprir sua missão.

Aposto Comparativo

É o aposto que compara.Geralmente entre vírgulas.

A inflação, que parece um monstro devorador dos salários, é sempre uma ameaça à estabilidade econômica do país.

Aposto - Expressão

Aposto é a expressão que esclarece, acompanha, resume, identifica um outro termo da oração, seja qual for a função deste.

Há quatro tipos de aposto:

Aposto Explicativo:

O aposto explicativo é destacado por pausas, podendo ser representadas por vírgulas, dois pontos ou travessões.

Pode vir precedido de expressões explicativas do tipo: a saber, isto é, quer dizer etc.

Ex. Solange, filha de Maria, é professora.

Aposto Especificador:

O aposto especificador não tem pausa. Especifica um substantivo de sentido genérico

Ex. A Rua Flores no bairro Jardim das Rosas está sendo asfaltada.

Aposto Enumerador:

O aposto enumerador é uma seqüência de elementos usada para desenvolver uma idéia anterior.

Ex. Eu tinha três opções: ir para minha casa, ir para casa da minha avó, ou para casa da minha tia.

Aposto Resumidor:

O aposto resumidor é usado para resumir termos anteriores. É representado, geralmente, por um pronome indefinido.

Ex. Pai, mãe, irmãos, tios, avós e amigos, todos compareceram na cerimônia.

Aposto - Emprego

1. Aposto e a vírgula

Aposto: termo que, explica , especifica , desenvolve ou resume outro termo com núcleo substantivo

1. O Brasil, país de dimensão continental , apresenta rica cultura.
Aposto explicativo – será sempre virgulado ou separado portravessão do substantivo a que se referir.

2. A Avenida Brasil localiza-se na zona sul.
Aposto especificativo – trata-se de um substantivo especificandooutro substantivo, nunca trará virgula separando-o do nome a quese refere.

3. Visitamos diferentes lugares: museus, igrejas, praças e feiraspopulares.
Aposto enumerativo – estará na oração normalmente após “doispontos”; neste caso, as vírgulas presentes estão separando oselementos enumerados que compõe o a aposto.

4. As dificuldades, as críticas, a incompreensão, nada o fez desistir.
Aposto resumidor – normalmente representado por um pronome indefinido. Surge na oração após uma vírgula, que o separa dosnomes que estiver resumindo.

2. Adjunto Adverbial

Há muitas circunstâncias expressas por esse termo; seriadifícil enumerar todas. O importante é saber identificar acircunstância, com a certeza de que o termo está relacionado aoprocesso verbal, à oração interira, a um adjetivo ou a umadvérbio.

O adjunto adverbial nunca se referirá asubstantivo.

Ontem, ele chegou cedo à escola .
tempo                       tempo    lugar

A cidade, à noite , fica mais bela.
                  tempo      intensidade

Com os amigos, ela percorreu rapidamente a cidade.
     companhia                                intensidade

A ordem direta dos termos da oração exige que o adjuntoadverbial , caso se refira a toda a oração, venha ao final. Assim,se o adjunto adverbial for deslocado para o início ou para o meioda oração deverá ser separado por vírgula, pois estará em umlugar “que não é seu”.

3. Vocativo

Vocativo: termo independente da oração; não faz parte do sujeitonem do predicado. É uma expressão de chamamento.
Querido aluno, leia sempre! (Suj.oculto: “você”)
Querido aluno, fico feliz com seu sucesso! (Suj.oculto: “eu”)

4. Uso da vírgula.

Vimos, então, que a colocação da vírgula entre os termos daoração não se faz por acaso: há critérios, já que este sinal depontuação não é, como alguns dizem, um momento para serespirar ou mera pausa.

A presença desse sinal pode mudar osentido de uma oração, observe:

Não guarde esse segredo consigo.
Não, guarde esse segredo consigo.

Resumo:

Note que, nesta aula, usamos a vírgula para:

1. separar elementos em uma enumeração:

Visitamos diferentes lugares: museus, igrejas, praças e feiras populares.

2. separar o Aposto explicativo e o resumidor:

O Brasil, país de dimensão continental, apresenta rica cultura. As dificuldades, as críticas, a incompreensão, nada o fez desistir

3. separar o Vocativo:

Querido aluno, leia sempre!

4. separar o Adjunto Adverbial deslocado:

Ontem, ele chegou cedo à escola.
A cidade, à noite , fica mais bela

Aposto - Palavra

1 - É a palavra ou expressão que explica ou resume outro termo da oração: A CBS, rede de televisão dos EUA, denunciou o tráfico de influência no governo. / Veneza, a cidade dos canais, atrai visitantes do mundo todo. / Guimarães Rosa, escritor, era diplomata de carreira. / Nós, pobres mortais, só podíamos fazer-lhe as vontades. / Jack, o Estripador, foi tema de dezenas de filmes. Quando vem depois do fundamental (a palavra modificada), o aposto fica entre vírgulas, como nos exemplos acima.

2 - Procure distinguir jornalisticamente os casos em que o aposto vai entre vírgulas ou não.

a) Usa-se entre vírgulas o nome do detentor de um cargo ou a qualificação de uma pessoa quando só uma pessoa pode ocupar o cargo ou ter determinada qualificação: O jogador foi recebido no Rio pela mulher, Angélica. (Se a frase, sem vírgula, fosse "o jogador foi recebido no Rio pela mulher Angélica", isso indicaria que o jogador tem mais de uma mulher.) / O senador foi à festa com a namorada, Elizeth. (Se fosse "O senador foi à festa com a namorada Elizeth", a falta da vírgula indicaria que ele tem mais de uma namorada. Veja outros exemplos: O presidente da República, Fernando Henrique Cardoso, garantiu... (só há um presidente da República). / O governador de São Paulo, Mário Covas, requereu ontem... (só há um governador de São Paulo).

b) Não existe vírgula quando mais de uma pessoa pode ocupar o cargo ou ter determinada qualificação: O promotor de Justiça João de Almeida enviou ontem... (há mais de um promotor de Justiça). / O ex-presidente da República Fernando Collor declarou... (há mais de um ex-presidente da República vivo). / O deputado federal por São Paulo Delfim Netto pediu... (há mais de um deputado federal por São Paulo). / Antônio chegou à festa com o filho Marcos (essa forma indica que Antônio tem mais de um filho). Se ele só tivesse um filho, o certo seria: Antônio chegou à festa com o filho, Marcos.

c) Um erro comum é acreditar que o último ex tem seu nome entre vírgulas. Isso não acontece e deve-se proceder da forma explicada no item 2: O ex-presidente da República Itamar Franco (aplica-se a regra de que ele é um ex-presidente entre vários) não foi convidado para a solenidade. / O ex-governador de São Paulo Luiz Antonio Fleury Filho (também é um ex-governador entre vários) perdeu o controle anteontem... / O ex-técnico da seleção brasileira Carlos Alberto Parreira (é um ex-técnico da seleção, entre vários) admitiu os desentendimentos com...

3 - O aposto pode ter uma oração como fundamental: O governo perdeu seu maior trunfo, a confiança que o povo tinha no novo plano. / Disse-lhe o que queria: que todos deixassem logo o prédio. / Revelou quem era: um homem que não se contentava com pouco.

4 - O aposto concorda com o fundamental, sempre que possível: A empresa, proprietária da marca... / A praça, a mais bela da cidade... / Os produtos, artigos de luxo... / Nós, brasileiros, temos fama de homens cordiais.

O aposto e suas diferentes classificações

Torna-se de fundamental importância que compartilhemos de uma característica relevante, em se tratando do aposto - o fato de ele ser concebido como sendo um termo acessório da oração. Tal denominação pode, aparentemente, revelar que ele não tenha assim tanta importância para o enunciado.

Ao contrário, o termo em questão tem por finalidade enriquecer a mensagem ora proferida, acrescentando-lhe informações que se revelam extremamente pertinentes, denotando certa completude mediante o discurso em questão. Assim sendo, para que possamos nos tornar efetivos conhecedores acerca das características que norteiam o termo em evidência, daremos ênfase às suas subclassificações.

Vejamos:

Aposto explicativo

Sempre disposto entre sinais de pontuação, amplia a noção de significância referente ao termo anterior.

Ex: Dom Casmurro, obra literária de Machado de Assis, é uma excelente opção de leitura.

Enumerativo

Enumera as partes constitutivas do termo em referência, demarcado pelos dois-pontos, vírgula ou travessão.

Ex: Na sala havia dois alunos que sempre se destacavam: Pedro e Marcela.

Especificativo

Sem vírgula, liga-se a um substantivo de sentido genérico, indicando a espécie a que pertence.

Ex: O mártir Machado de Assis tornou-se canonizado na Literatura.

Recapitulativo

Por meio de um pronome resume o que anteriormente foi expresso.

Ex: Desculpas, pedidos de reconciliação, nada muda a concepção que tenho de você.

Aposto - Função

Sabe-se que o aposto, semelhantemente a outros termos que se relacionam à sintaxe, desempenha funções específicas.

Dessa forma, temos que ele se caracteriza como o elemento que amplia, explica, desenvolve ou resume o termo a que se refere, mediante um dado contexto oracional.

A título de comprová-lo, analisemos o enunciado que segue:

Identificamos que o termo ora em evidência se refere a outro anteriormente expresso – “São Paulo”.

Características enfatizadas, torna-se interessante reconhecermos as distintas classificações a que se referem o termo em discussão, uma vez manifestadas por:

Aposto explicativo – é aquele que amplia o significado do termo que o antecede. Geralmente aparece expresso entre vírgulas, travessões ou parênteses.

São Paulo, considerada a metrópole brasileira, enfrenta vários problemas sociais.

Aposto especificativo – é o único que dispensa o sinal de pontuação, normalmente representado por um substantivo próprio que individualiza um substantivo comum, prendendo-se a ele diretamente ou por intermédio da preposição.

O escritor Euclides da Cunha é autor de Os Sertões.

Aposto recapitulativo – resume por meio de um pronome tudo o que foi expresso mediante o termo anterior.

Desculpas, pedido de reconciliação, diálogos constantes, nada influenciou na sua decisão.

Aposto enumerativo – é aquele que, como literalmente retrata o conceito, enumera as partes que constituem o termo fundamental, separando-se deste por dois-pontos, vírgula ou travessão.

Fonte: www.edicoessm.com.br/pt.scribd.com

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal