Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Classe Aracnídea - Página 13  Voltar

Classe Aracnídea

Aranhas podem ser divididas em duas categorias quanto ao hábito de capturar presas:

Vida livre, que não constroem teias e caçam ativamente. Elas tecem seda apenas para fazer linhas de arrasto, ninhos, casulo de ovos, mas elas não usam a seda para capturar a presa. Aranhas de vida livre costumam ter pernas mais fortes e olhos mais desenvolvidos. Exemplos de aranhas de vida livre são as Caranguejeiras, as Tarântulas, as Papa-Mosca, e as Armadeiras, uma das mais perigosas do mundo.

Aranhas que constroem teias são aéreas, tendo pernas finas para escalar na seda fina. A visão é menos desenvolvida. Em compensação são capazes de detectar e interpretar com facilidade os vários tipos de vibração de uma teia.

Aranhas também podem variar o período de atividade:

Algumas aranhas, ativas durante o dia, constroem suas teias ao nascer do sol e 'recolhem' no fim do dia.

Outras aranhas caçam ativamente a noite, usando seus grandes olhos para verem na escuridão.

Certas aranhas não ligam se é dia ou noite. Elas vivem dentro de cavernas, em escuridão total, encontrando suas presas tátilmente.

b) ordem escorpionida

Os escorpiões. Apresentam o corpo dividido em cefalotórax, préabdômen e pós-abdômen. Possuem um par de ferrões (quelíceras), um par de pedipalpos (em forma de pinça e que serve para capturar o alimento); um ferrão no final da cauda por onde sai o veneno. Picam com a cauda e variam de tamanho entre 6 a 8,5 cm de comprimento.

No mundo todo existe aproximadamente 1.400 espécies de escorpiões até hoje descritas, sendo que no Brasil há cerca de 75 espécies amplamente distribuídas pelo país. Esses animais podem ser encontrados tanto em áreas urbanas quanto rurais.

Os escorpiões são carnívoros, alimentando-se principalmente de insetos, como grilos baratas e outros, desempenhando papel importante no equilíbrio ecológico.

Apresentam hábitos noturnos, escondendo-se durante o dia sob cascas de árvores, pedras, troncos podres, dormentes de linha de trem, madeiras empilhadas, em entulhos, telhas ou tijolos e dentro das residências. Muitas espécies vivem em áreas urbanas, onde encontram abrigo dentro e próximo das casas, bem como alimentação farta. Os escorpiões podem sobreviver vários meses sem alimento e mesmo sem água, o que torna seu combate muito difícil.

Na área urbana estes animais aparecem em prédios comerciais e residenciais, armazéns, lojas, madeireiras, depósitos com empilhamento de caixas e outros. Eles aparecem, principalmente, através de instalações elétricas e esgotos. São sensíveis aos inseticidas, desde que aplicados diretamente sobre eles. As desinsetizações habituais não os eliminam, pois o produto fica no ambiente em que foi aplicado e os escorpiões costumam estar escondidos. O fato de respirarem o inseticida ou comer insetos envenenados não os mata. São resistentes inclusive radiação.

Seu aparecimento ocorre principalmente devido à presença de baratas, portanto a eliminação destas em caixas de gordura e canos que conduzem ao esgoto é a principal prevenção ao aparecimento dos escorpiões.

Não possuem audição e sentem vibrações do ar e do solo. Enxergam pouco, apesar de terem dois olhos grandes e vários pequenos. Seus principais predadores são pássaros, lagartixas e alguns mamíferos insetívoros.

Classe Aracnídea

C = Ordem Acarina

Ácaros são aracnídeos, diminutos em sua maioria. A característica mais típica dos ácaros é a perda da segmentação, com extrema fusão dos segmentos acompanhada da perda da divisão corporal típica dos aracnídeos, e o processo de miniaturização, atingidos por esse grupo, ao longo do processo evolutivo.

Esta última característica pode ser, em parte, responsável pela capacidade de sobrevivência em qualquer tipo de ambiente onde seja possível o estabelecimento de vida animal.

Praticamente só necessitam da presença de matéria orgânica para que alguns de seus diversos grupos possam ocorrer, pois se utilizam das mais diversas fontes de alimento. São encontrados em grande quantidade no solo e folhedo das matas; nos vegetais, desde algas, musgos e liquens até as plantas superiores; na água doce, salobra ou salgada e até mesmo nos ambientes mais hostis a vida animal como nas areias e rochas de praias, fontes termais, regiões polares etc. Muitos são de vida livre, sendo predadores de outros ácaros e seus ovos ou de pequenos insetos; saprófagos, liquenófagos, micófagos etc.; comensais em ninhos, formigueiros e termiteiros; ou ainda como parasitos externos ou internos de invertebrados ou vertebrados.

O parasitismo não se limita ao reino Animal, ocorrendo grande número de espécies fitófagas, muitas das quais com status de pragas agrícolas.

Devido a crescente destruição de ambientes naturais, principalmente nos trópicos, muitas espécies de ácaros podem estar sendo extintas antes mesmo de serem catalogadas.

Carrapato-estrela, um vetor de doenças bacterianas, como a febre maculosa.

Classe Aracnídea
Ácaro

Classe Aracnídea
Ácaro Cravo

Classe Aracnídea
Ácaro Sarna

Os aracnídeos são representados pelas aranhas, pelos escorpiões e pelos carrapatos. Todos eles possuem um par de quelíceras e quatro pares de patas locomotoras.

As quelíceras são apêndices em forma de pinças, situados na parte anterior da cabeça. É um exemplo uma aranha jovem e uma adulta. Seus corpos têm a mesma forma.Todos os aracnídeos não sofrem metamorfose.

Outra característica importante dos aracnídeos é que eles têm a cabeça e o tórax numa peça só, chamada cefalotórax.

É fácil distinguir um aracnídeo de um inseto, pelo exame externo do corpo.

Classificação dos aracnídeos

Os Aracnídeos podem ser distribuídas por 3 ordens, com base no aspecto externo do corpo:

Ordem Corpo Exemplos
Araneídeos cefalotórax e abdômen aranhas
Escorpinídeos cefalotórax, abdome e pós-abdômen escorpiões
Acarinos cefalotórax fundido com abdômen carrapato

Araneídeos englobam todas as espécies de aranhas, venenosas ou não.

Escorpionideos, que reúne os escorpiões.

O escorpião é um aracnídeo que provoca um certo receio nas pessoas, pelo seu aspecto e comportamento agressivo.

Ácaros, que são os carrapatos e alguns parasitas micróbicos.

Crustáceos

Crustáceos são os artrópodes que possuem uma crosta protegendo o corpo. Os principais representantes dessa classe são os camarões, as lagostas,os carangueijos e os siris, todos com 5 pares de patas. São, portanto, decápodes( deca= dez; podes= patas, pés).

Na maioria dos decápodes, as 2 patas dianteiras são modificadas e bem desenvolvidas como adaptação à preenção de alimentos.

Classificação dos crustáceos

O número de patas é um bom critério, que permite dividir a classe dos crustáceos em duas ordens: Decápodes e Isópodes.

Os decápodes você já conhece: São crustáceos de dez patas.

Os isópodes são crustáçeos que possuem numerosas patas, todas semelhantes. O exemplo mais conhecido é um isópodes encontrado em toda a costa litorânia do Brasil, conhecido por tatuí, tatuíra ou tatuzinho de de praia.

Revestimento do corpo dos crustáceos

O esqueleto é um sistema encarregado da sustentação do corpo, tanto em vertebrados como em invertebrados; nos vertebrados, o esqueleto fica dentro do corpo, e nos invertebrados fica fora, revestindo o corpo. Dizemos, então, que os vertebrados tem endoesqueleto (esqueleto interno) e que os invertebrados tem exoesqueleto (esqueleto externo).

Dentre os artópodes, os crustáceos são os que possuem exoesqueleto mais volumoso e mais desenvolvido; Ele forma a crosta, que deu nome aos crustáceos, e que reveste e protege o corpo desses animais. Essa crosta é constituída por quitina e carbonato de cálcio.

Externamente, podemos reconhecer duas partes no corpo dos crustáceos: o cefalotórax e abdomen.

No cefalotórax lacalizan-se dois pares de antenas e um par de olhos compostos, que geralmente situan-se na extremidade de dois pedúnculos; são por isso, chamados olhos pedunculados. Esses olhos são movimentados pelos pedunculos, permitindo assim, uma ampla exploração do ambiente.

Os crustáceos são, na sua maioria animais aquáticos, e de respiração branquial.

Quilópodes e Diplópodes

Tem como principal característica a divisão de corpo em vários segmentos, onde se prendem as patas.

Os quilópodes e os diplópodes possuem um par de antenas e olhos simples, não possuindo olhos compostos.

Quilópodes

Principal exemplo: centopéia (lacraia, escolopendra).

Principais características:

1 par de patas em cada segmento

corpo dividido em 2 regiões, cabeça e tronco.

Diplópodes

Principal exemplo: piolho-de-cobra (embuá).

Principais características:

2 pares de patas em cada segmento

corpo dividido em três regiões: cabeça, tórax e abdômen.

Os Quilópodes, os Diplópodes e a saúde humana

Os Quilópodes e os Diplópodes não têm interesse especial para saúde humana. A única agressão ao homem é praticada pelas centopéias, que possuem um par de pinças de veneno na cabeça, que podem provocar picadas dolorosas.

Elaine Silveira Brito

BIBLIOGRAFIA

Pág.88-91, os seres vivos no ambiente de Cesar, Sésar e Bedaque
Pág.95-103, Ciências de Plínio Carvalho Lopes.

Fonte: www.sed.ms.gov.br

voltar 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 avançar
Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal