Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Economia da Armênia  Voltar

Economia da Armênia

 

Após vários anos de crescimento econômico de dois dígitos, a Armênia enfrentou uma severa recessão econômica, com o PIB a diminuir mais de 14% em 2009, apesar de grandes empréstimos de instituições multilaterais.

Declínios acentuados no setor da construção e as remessas dos trabalhadores, particularmente da Rússia, levou a crise.

A economia começou a se recuperar em 2010, com crescimento de 2,1%, e pegou de crescimento de 4,6% em 2011.

Sob o sistema de planejamento de idade Central Soviética, a Armênia desenvolveu um setor industrial moderno, fornecimento de máquinas-ferramentas, têxteis e outros bens manufaturados para repúblicas irmãs, em troca de matérias-primas e energia.

Arménia, desde então, passou a agricultura de pequena escala e longe dos grandes complexos agroindustriais da era soviética.

Arménia conseguiu reduzir a pobreza, reduzir a inflação, estabilizar a sua moeda, e privatizar empresas mais pequenas e médias empresas. Isolamento geográfico da Armênia, uma base de exportação estreito, e os monopólios difusos em setores importantes de negócios tornaram particularmente vulneráveis à deterioração acentuada da economia global e da crise econômica na Rússia.

O conflito com o Azerbaijão sobre a região dominada étnica armênia de Nagorno-Karabakh contribuído para um grave declínio econômico no início de 1990 e as fronteiras da Armênia com a Turquia permanecem fechados.

A Arménia é particularmente dependente do apoio comercial e governamental russo e mais infra-estrutura de chave armênio é de propriedade russa e / ou geridos, especialmente no setor de energia. O sistema de distribuição de energia elétrica foi privatizada em 2002 e comprada pela Rússia RAO UES-em 2005.

O gás natural é basicamente importado da Rússia, mas a construção de um gasoduto para fornecer gás natural do Irã para a Armênia foi concluída em dezembro de 2008, e as entregas de gás expandiu após abril de 2010 a conclusão da Usina Térmica Yerevan.

Desequilíbrio Arménia comércio grave foi compensado um pouco por ajuda internacional, as remessas dos armênios que trabalham no exterior e investimento estrangeiro direto. Arménia aderiu à OMC em janeiro de 2003.

O governo fez algumas melhorias na administração fiscal e aduaneira, nos últimos anos, mas medidas anti-corrupção têm sido ineficazes e da crise econômica levou a uma queda acentuada das receitas fiscais e forçou o governo a aceitar pacotes de empréstimos grandes da Rússia, o FMI, e outras instituições financeiras internacionais.

Alterações na legislação tributária, incluindo a introdução do "imposto de luxo" primeira vez em 2011, visam a aumentar a proporção de receitas orçamentárias para o PIB, que ainda permanece em níveis baixos. Arménia terão que prosseguir adicionais reformas econômicas e reforçar o Estado de direito, a fim de recuperar o crescimento econômico e melhorar a competitividade da economia e oportunidades de emprego, especialmente dado o seu isolamento econômico de dois de seus vizinhos mais próximos, a Turquia e o Azerbaijão.

PIB (paridade de poder de compra)

17,95 bilhões dólares (est. 2011)
17,14 bilhões dólares (est. 2010)
16,83 bilhões dólares (2009 est)
Nota: Os dados estão em 2.011 dólares

PIB (taxa de câmbio oficial)

$ 9,8 bilhões (2011 est)

PIB - taxa de crescimento real

4,6% (2011 est)
2,1% (2010 est)
-14,1% (2009 est)

PIB - per capita (PPP)

5400 dólares (2011 est)
5200 dólares (2010 est)
5.100 dólares (2009 est)
Nota: Os dados estão em 2.011 dólares

PIB - composição por setor

agricultura: 19,1%
indústria: 40,5%
serviços: 40,3% (2011 est)

População abaixo da linha de pobreza

34,1% (2009 est)

Força de trabalho

1,194 milhões (2011 est)

Força de trabalho - por ocupação

agricultura: 44,2%
indústria: 16,8%
serviços: 39% (2008 est)

Taxa de desemprego

5,9% (2011 est)
7,1% (2007 est)

De desemprego dos jovens, com idades entre 15-24

total: 57,6%
do sexo masculino: 47,2%
feminino: 69,4% (2007)

Renda familiar ou consumo por percentagem

mais baixo 10%: 3,7%
10% mais rico: 25,4% (2008)

Distribuição de renda familiar - índice de Gini

30.9 (2008)
44.4 (1996)

Investimento (bruto)

35,4% do PIB (2011 est)

Orçamento

receita: 2,27 bilhões dólares
despesas: $ 2.57 bilhões (2011 est)

Impostos e outras receitas

23,2% do PIB (2011 est)

Excedente orçamental (+) ou défice (-)

-3,1% Do PIB (2011 est)

Taxa de inflação (preços ao consumidor)

7,7% (2011 est)
8,2% (2010)

Taxa de desconto do banco central

8% (11 Janeiro 2012)
7,25% (2 de Dezembro de 2008)
Nota: esta é a taxa de refinanciamento, o principal instrumento de política monetária do Banco Nacional Armênio

Banco comercial taxa de empréstimo principal

17,69% (31 de dezembro de 2011 est)
18,9% (31 de dezembro de 2010 est)
nota: taxa de juros média dos empréstimos de até um ano

Estoque de dinheiro estreita

1.340 milhões dólares (est. 31 de dezembro de 2011)
1.201 milhões dólares (31 December 2010 est)

Estoque de dinheiro

1,359 bilhões dólares (31 de Dezembro de 2008)
1.507 milhões dólares (31 de Dezembro de 2007)

Estoque de dinheiro ampla

3610000000 $ (31 de dezembro de 2011 est)
3.708 milhões dólares (31 December 2010 est)

Estoque de quase-moeda

$ 950.100.000 (31 de Dezembro de 2008)
765,2 milhões dólares (31 de Dezembro de 2007)

Estoque de crédito interno

3,31 bilhões dólares (31 de Dezembro de 2011)
2634 milhões dólares (31 de Dezembro de 2010)

Valor de mercado das ações negociadas publicamente

27.990 mil dólares (31 de Dezembro de 2010)
$ 140.500.000 (31 de Dezembro de 2009)
$ 176 milhões (31 de dezembro de 2008)

Agricultura - produtos

frutas (especialmente uvas), vegetais, animais

Indústrias

diamante de processamento, ferramentas de corte de metal da máquina, forjando-prementes máquinas, motores elétricos, pneumáticos, de malha, meias, desgaste, sapatos, tecidos de seda, produtos químicos, caminhões, instrumentos, microeletrônica, fabricação de jóias, desenvolvimento de software, processamento de alimentos, o conhaque, a mineração

Taxa de crescimento da produção industrial

14,1% (2010 est)

Eletricidade - produção

7,432 bilhões kWh (2011 est)

Eletricidade - produção pela fonte

combustível fóssil: 42,3%
hidro: 27%
nuclear: 30,7%
outros: 0% (2001)

Eletricidade - consumo

5,8 bilhões kWh (2011 est)

Eletricidade - exportações

1.360 milhões de kWh
nota: Arménia exporta uma quantidade desconhecida à Geórgia; inclui exportações para Nagorno-Karabakh região do Azerbaijão (2011 est)

Eletricidade - importações

17 milhões kWh; nota - importa uma quantidade desconhecida do Irã (2008 est)

Petróleo - produção

0 barris / dia (2010 est)

Petróleo - consumo

52.000 bbl / dia (2010 est)

Petróleo - exportações

0 barris / dia (2009 est)

Petróleo - importações

46.680 bbl / dia (2009 est)

Petróleo - reservas provadas

0 bbl (01 de janeiro de 2011 est)

Gás natural - produção

0 metros cúbicos (2011 est)

Gás natural - consumo

2.077 milhões metros cúbicos (2011 est)

Gás natural - exportações

0 metros cúbicos (2011 est)

Gás natural - importações

2.077 milhões metros cúbicos (2011 est)

Gás natural - reservas provadas

0 metros cúbicos (01 de janeiro de 2011 est)

Balanço de conta corrente

- 1,265 bilhões dólares (est. 2011)
- 1,373 bilhões dólares (est. 2010)

Exportações

1,319 bilhões dólares (est. 2011)
1,113 bilhões dólares (est. 2010)

Exportações - commodities

gusa, cobre em bruto, metais não ferrosos, diamantes, produtos minerais, alimentos, energia

Exportações - parceiros

Rússia 16,4%, Alemanha 12,1%, 11,7% Bulgária, Holanda 9%, o Irã 8,3%, EUA 7,8%, Bélgica 5%, Canadá 5%, Georgia 4,6% (2009)

Importações

3,538 bilhões dólares (est. 2011)
3,255 bilhões dólares (est. 2010)

Importações - commodities

gás natural, petróleo, produtos derivados do tabaco, alimentos, diamantes

Importações - parceiros

Rússia 16%, Emirados Árabes Unidos 9,4%, 6% a Geórgia, Irã 5,5%, China 5,1%, 5,1% Ucrânia, Turquia 4,8% (2009)

Reservas em moeda estrangeira e ouro

1,959 bilhões dólares (est. 31 de dezembro de 2011)
1866 milhões dólares (31 de Dezembro de 2010)

Dívida - externa

7.336 milhões dólares (30 setembro 2011)
$ 6288000000 (31 de Dezembro de 2010)

Taxas de câmbio

DRAM (AMD) por dólar dos EUA -
371 (2011 est)
373,66 (2010 est)
363.28 (2009)
303.93 (2008)
344.06 (2007)

Exercício fiscal

ano civil

Fonte: Internet Nations

Economia da Armênia

Durante quase setenta anos que precederam o estabelecimento da independência, em 1991, a economia da República Socialista Soviética da Armênia (RSSA) esteve integrada ao mercado da União Soviética (URSS) com uma indústria desenvolvida.

Depois de 1991, diversos motivos (tais como o declínio dos mercados tradicionais por causa do colapso da URSS, a introdução do mercado livre, etc.) induziram a economia do país a um declive acentuado. Tentando estabilizar a situação na economia, assegurar a sua reabilitação e futuro crescimento, o governo da jovem república desenvolveu um programa de estabilização macro-econômica e transformações estruturais, que tiveram o endosso de investidores internacionais.

Portanto, pode-se afirmar que a Armênia obteve bons registros na economia de transição, tendo realizado grande empenho para criar o clima macroeconômico favorável, baseado na economia de mercado, que tem apresentado um crescimento consistente desde 1994.

O país tem implementado, com sucesso, uma estabilização abrangente e um programa de reforma estrutural, fazendo um progresso ameno para o início da privatização de ampla esfera. Em 1993, foi instaurada a nova moeda nacional, o "Dram", assim como foi estabelecida a Bolsa de Valores.

A inflação

Desde o início de 1998, altas taxas de inflação não têm causado preocupação para os economistas. De acordo com dados oficiais apresentados pelo Banco Central da Armênia, durante o primeiro trimestre de 2001, a média da inflação alcançou 3,7%.

Moeda e Câmbio

O Dram Armênio (AMD) acompanha o regime de flutuação independente e conversível livremente. As empresas podem abrir contas com moedas fortes em bancos armênios ou estrangeiros, sem restrições.

Liberalização do Comércio

A Armênia requereu sua inclusão na Organização Mundial de Comércio (OMC) em 1995 e, desde então, tem avançado rapidamente na liberalização do comércio. O país integrará a OMC efetivamente até o final de 2002.

A nova Tarifa Aduaneira (em vigor a partir de 1o de janeiro de 2001) padronizou os procedimentos alfandegários e está em concomitância aos Regulamentos da OMC. Hoje, a Armênia adota um regime de livre comércio exterior, com tarifa de importação de duplo dígito (de 0 a 10 por cento), sem taxas de exportação, e sem restrições quantitativas substanciais no comércio. As licenças de importação, exportação e produção interna são requeridas apenas quando se relacionam às áreas de saúde, segurança e meio-ambiente. Não há limites na importação com moedas fortes.

Privatização

A privatização em escala menor começou no mês de maio de 1991, que prosseguiu a uma escala maior a partir de 1995. Atualmente, a privatização é feita apenas por meio de aquisição à vista. Em 1o de abril de 2001, quase 1572 empresas de porte média e grande, e outras 6855 de porte pequena (aprox. 95%) haviam sido privatizadas. Prevê-se que mais de 900 companhias, dos mais variados segmentos da economia nacional, sejam privatizadas até 2003.

Política de investimentos e incentivos

As políticas de investimentos e negócios estão entre as mais abertas dos países da CEI (Comunidade dos Estados Independentes, constituída das ex-Repúblicas da extinta União Soviética). As empresas estrangeiras são incentivadas a investir, e são asseguradas, por lei, ao mesmo tratamento das empresas locais.

O clima de investimento na Armênia está melhorando continuamente, com o forte compromisso do governo em atrair IED (Investimentos Estrangeiros Diretos), incluindo o aperfeiçoamento das atividades do legislativo. A contínua privatização em larga escala oferece algumas oportunidades atraentes.

O Governo da Armênia tem criado incentivos para atrair e facilitar a atividade de empreendimentos estrangeiros na Armênia.

Tais incentivos são:

Permitido 100% de propriedade estrangeira;

Livre permissão para locação de terrenos a longo-prazo;

Isenção de impostos por um período determinado de alguns anos, para investimentos acima de US$ 500 milhões;

Os investidores estrangeiros ficam praticamente isentos de impostos da importação do capital estatutário investido;

Isenção de impostos para produtos exportáveis;

TVA (Taxa de valor adicional) das exportações é reembolsada;

Livre movimento de contas correntes de moedas estrangeiras;

Remessas de lucros não têm restrições;

Não há restrição no recrutamento de pessoal;

Não há restrições setoriais ou geográficas; existem alguns incentivos para investimento na zona onde ocorreu terremoto;

Salvaguardas (garantias) de investimento, que incluem cláusula de proteção por cinco anos;

O Comércio Exterior tem taxas favoráveis.

MAIORES SETORES DA ECONOMIA

Manufaturas

Na era soviética, a Armênia foi um produtor e criador chave de quase 30 porcento dos computadores de alta tecnologia e outros equipamentos eletrônicos, partes e peças para os sistemas de defesa soviética e do espaço. Tradicionalmente, os conglomerados desse setor eram os mais bem equipados, empregando pessoal altamente qualificado. A disponibilidade da infra-estrutura e especialistas altamente qualificados em eletrônica apresenta boas oportunidades para investimento. As empresas eletrônicas armênias possuem grande capacidade na produção chips e circuitos eletrônicos impressos, montagem de aparelhos de TV, VCR's, computadores e acessórios para computadores, produtos eletrônicos industriais ou de consumo, todos eles de grande potencial de exportação.

Antes da Independência, a Armênia era líder na produção e exportação de produtos elétricos de engenharia, tal como máquinas e ferramentas de alta precisão, transformadores de potência, estações móveis de força, alternadores, máquinas hidráulicas, compressores, caminhões -caçamba, e equipamentos e instrumentos de precisão e medição.

Esses produtos eram exportados para mais de 30 países. O país ainda oferece máquinas competitivas de corte e lapidação e metal para exportação, retendo sua habilidade e capacidade na produção de máquinas e equipamentos de precisão, incluindo corte de pedra e máquinas de processamento, partes, peças e componentes.

Indústria Leve

Antes da fase de transição, a indústria leve contribuía com quase 30 porcento da receita do orçamento. O país era especializado na fabricação e processamento de calçados, couro e produção de tapeçaria, assim como na indústria têxtil.

Atualmente, os tapetes e carpetes locais são exportados para os Estados Unidos e Europa Ocidental. Os produtos dos principais produtores são altamente competitivos nos mercados internacionais.

A Armênia foi um dos maiores fornecedores de calçados e produtos de couro da União Soviética, com mais de 25% da exportação do país. Recentemente, grandes e tradicionais fábricas de produção de calçados foram adquiridas por investidores locais, passando por uma fase de modernização e renovação.

Existem, atualmente, 16 grandes empresas públicas e privadas que operam neste setor. Algumas delas já iniciaram cooperação com sócios europeus, apesar de a CEI (Comunidade de Estados Independentes) permanecer, ainda, como seu principal mercado de exportação.

Indústria Química e Farmacêutica

A Armênia possuía uma indústria química bem desenvolvida.

Seus principais produtos eram: plástico, fibras químicas, soda cáustica, laquadores, borracha sintética, látex, ácidos, diversas gomas, agentes químicos orgânicos e inorgânicos básicos, remédios e vitaminas. Também existia a produção de produtos de consumo tais como detergentes, sabões e sabonetes, produtos de beleza, etc.

As principais fábricas químicas são concentradas na região de Yerevan e Lori. Mais de 80% da produção total é exportada, onde a borracha atinge 82%.

Nairit é um dos conglomerados maiores, que produz borrachas cloropileno, látex, ácidos sintéticos e técnicos, sódio cáustico. Atualmente, a empresa, que está em processo de reestruturação e privatização, produz 700 toneladas de borracha por mês (8400 tneladas por ano), e seu objetivo é alcançar 25000 toneladas em alguns anos.

O conglomerado químico Vanadzor, privatizado, é especializado na produção de carbamide, melamina e cristais sintéticos. Também existem uma série de companhias que têm alcançado êxito produzindo vitaminas e produtos farmacêuticos, uma área que tem atraído investimento estrangeiro. Os cientistas armênios desenvolveram um remédio conhecido com o nome de "Armenicum", que tem demonstrado resultados positivo nos efeitos colaterais dos remédios ministrados aos pacientes com AIDS. Uma clínica experimental tem sido aberto para realizar esse tratamento.

Em 1998, a empresa "Pharmatech", empresa mista Britânica-Armênia começou a produzir soluçõers IV. A mais moderna tecnologia para a produção de solução intravenosa foi instalada pela IPM, uma subsidiária francesa da Bristol-Myers Squibb, que é especializada na preparação e produção de unidades farmacêuticas na França.

Indústria Eletrônica

A eletrônica foi o setor mais avançado da indústria pelo seu volume de produção, equipamento e nível tecnológico. Grandes empresas têm produzido complexos sistemas e equipamentos.

As empresas do setor eletrônico armênio são divididas em 3 grupos principais:

1. Produtores de matérias primas eletrônicas e componentes eletrônicos (28% do total);

2. Produtores de atividades funcionais e fabricantes de equipamentos eletrônicos e montagem (23% do total);

3. Fabricantes e produtores de sistemas e equipamentos (15% do total).

A empresa Electrolamp, privatizada pela Grand Holding, produz 15 milhões de lâmpadas diversas ao ano, que satisfaz plenamente a demanda do mercado doméstico e é exportado para os países do Oriente Médio. Prevê-se a ampliação dessas exportações para os mercados da Rússia, Geórgia, Irã e Emirados Árabes Unidos.

Máquinas e Ferramentas

Depois da II Guerra Mundial, a indústria de máquinas e ferramentas expandiu-se na Armênia, elevando a Armênia para o terceiro lugar entre todas as repúblicas da União Soviética, depois da Rússia e Ucrânia.

Hoje, os sub-setores principais dessa indústria de máquinas e ferramentas são concentrados em 108 companhias. A Armênia tem uma produção em potencial para extensa área de produtos nessa área.

Pesquisa e Desenvolvimento

As organizações de P & D tiveram um papel importante na economia da extinta URSS. A partir dos anos '60, uma grande variedade de organizações técnico-científicas da Armênia formaram um sistema ramificado, que operava em diferentes áreas da economia e complexo militar/industrial. A pesquisa científica se concentrava, principalemnte, nas esferas astrofísica, química, físico-química, bioquímica e medição radiofísica, onde os produtos tecnológicos incluíam lasers, sistemas de observação, peças de semicondutores, componentes de base elementar da radiofísica, lentes de alta precisão, computadores, instrumentos de medição, produtos farmacëuticos, diamantes sintéticos, cristais de safira e corondum e maquinaria com controle digital.

Existem, atualmente, 96 institutos estatais com orçamento financiado pelo Governo da Armênia. Nove Ministérios Governamentais e a Academia Nacional de Ciências compartilham a responsabilidade da coordenação e supervisão do setor de P & D do país. Também existem organizações congêneres no setor privado que, na sua maioria, constituem pequenas empresas que atuam na comercialização de P & D, essencialmente no campo da eletrônica, processamento alimentar e indústria agrícola.

A comercialização de recursos intelectuais, com sua integração aos mercados intelectuais locais, regionais e mundiais, o estabelecimento de laços estratégicos e operacionais com parceiros e investidores estrangeiros irá possibilitar buscar maior eficiência. Portanto, o investidor que deseja abrir uma atividade na Armênia, desfrutará um grande potencial de recursos de P & D dos cientistas e técnicos armênios.

No setor de patentes, 6000 invenções foram patenteados por residentes da Armênia, as quais foram publicadas no boletim oficial dos inventores da URSS de 1980 a 1992, e 877 outras foram patenteadas de 1993 a 2001.

Outro item importante trata-se do fato de que, a partir de 1999, importantes mudanças foram introduzidas na legislação da Armênia, quanto às exigências dos assuntos relativos à comercialização da propriedade intelectual, em concomitância à Organização Mundial do Comércio. A Armênia é um membro do Tratado de Cooperação de Patentes.

Agricultura

A Armênia tem um setor agrícola forte, com grande potencial de exportação, que é condicionada aos produtos domésticos agrícolas, ecologicamente puros, e condições climáticas favoráveis. Hoje, o setor agrícola é a maior empregadora do país, e conta com aproximadamente uma Quarta parte do PIB (Produto Interno Bruto).

As frutas e vegetais que se produzem na Armênia, são distinguidas por seu sabor e ausência de fertilizantes químicos. Grãos, vegetais e frutas, incluindo pêras, figos, pomelos, damascos, peaches, batatas, cana-de-açúcar, fumo, algodão, pimenta do reino e chás especiais são cultivados na Armênia.

A partir de 1995, diversos empréstimos internacionais se direcionaram para a reconstrução da infra-estrutura da agricultura, e projetos de investimentos para o aprimoramento do setor (do Japão, Grécia, EE.UU., Holanda, assim como do Banco Mundial).

Processamento alimentar

Desde 1995, o processo alimentar tem sido um dos setores industriais líderes, que constitui 37% da produção industrial bruta. Com tecnologias modernas de processamento e embalagem, os produtos de frutas e vegetais da Armênia terão um grande potencial para adentrar os mercados internacionais.

Investir na indústria de processamento alimentar dá ao investidor estrangeiro a oportunidade de ter êxito no mercado dos países da CEI, usufruindo do "triângulo alta qualidade/baixo custo/alta lucratividade".

Água mineral, sucos e cerveja

A Armênia possui aproximadamente 500 fontes naturais. As mais famosas delas são as de Djermuk, Arzni, Dilidjan, Bjni, Hankavan e Sevan. Menos de 1/5 das fontes têm sido pesquisadas e recomendadas para consumo. Oito são autorizadas. As águas minerais da Armênia têm qualidades medicinais e potencial para se transformarem num item importante de exportação. Somente em 2001, foi registrado um aumento de 65% na produção de água mineral. As companhias concentradas em Djermuk, produzem aproximadamente 20 milhões de garras por ano. As maiores exportam sua produção para os países da CEI, ao Oriente Médio e Estados Unidos. A Coca-Cola também é uma exportadora da água local, engarrafada sob a marca de Bonaqua.

A empresa Castel também tem estabelecido uma parceria para produzir a cerveja "Kodayk", que é consumida com sucesso no mercado local, além de ser exportada. Em novembro de 1999, um outro produtor de cerveja, a Cervejaria Yerevan, ganhou o prêmiode Estrela de Ouro da Competição das Cervejarias de Genebra, ao vencer cervejarias de 54 países, com sua cerveja de marca "Kilikia".

A indústria de processamento de sucos teve o maior crescimento na Armênia. Diversas fábricas foram renovadas nos últimos anos, com novas linhas de processamento e engarrafamento.

Laticínios e Carnes

Atualmente, há quase 38 empresas de processamento de leite, produzindo 320 mil toneladas de puros produtos por dia, e 22 mil toneladas de queijo, anualmente. As fábricas estão constantemente aumentando a sua capacidade de produção. A meta é reabilitar a produção dos queijos do tipo Holandês, Suíço e Rokfor.

O processamento e produ;áo de carne tem avançado desde os anos '90. Atualmente, cinco grandes empresas operam nesta área, com capacidade de produção anual de 34 mil toneladas de carne e salsichas.

Joalheria e lapidação de diamantes

A indústria de joalheria e processamento de diamante são consideradas área muito atrativas para investimento na Armênia, uma vez que existem dedicados mestres especializados na arte de lapidação de diamantes com um baixo custo efetivo, equipamentos modernos e privilégios nos impostos (não existem taxas de impostos para matérias-primas e exportação de produtos acabados na Armênia).

Em 2000, as principais exportações de produtos minerais consistiram de pedras preciosas e semipreciosas. A maioria destas exportações são diamantes polidos, importados na Armênia no seu estado natural bruto e que sofrem processo de acabamento.

Hoje, 27 companhias com 4000 empregados, dos quais 2000 no processamento de diamante operam nesse setor, não considerando os joalheiros individuais. O processamento de diamante é um dos setores de atividades predominantes, além das atividades tradicionais que incluem os produtos de joalheria, onde incluem-se os acessórios com acabamento em ouro, relógios de ouro, artigos com jóias e o processamento de pedras semipreciosas.

Turismo

Os estrangeiros consideram a Armênia um "Museu aberto ao ar livre". Herança histórica e cultural, uma natureza fascinante, clima morna e a localização geográfica da Armênia criam a oportunidade de condições vantajosas e favoráveis para o desenvolvimento do turismo na Armênia. O setor de turismo é considerado um dos mais campos mais atrativos para investimento.

Em 1997, a Armênia tornou-se membro da Organização Mundial do Turismo. Nos últimos anos da década de '80, por volta de 700 mil turistas visitaram a Armênia anualmente.

Da capital, Yerevan, fundada em 782 a.C., é possível ver a majestosa montanha Ararat (5.165 m de altura, com seu pico eternamente coberto de neve), onde a Arca de Noé ancorou depois do Grande Dilúvio.

São consideradas como principais atrações turísticas da Armênia o seu clima agradável, montanhas esplêndidas e as belas florestas, o lago Sevan (localizado a 2000 metros acima do nível do mar e circundado por montanhas), o centro Olímpico de esqui em Tsakhkadzor, muitos locais arqueológicos, igrejas, mosteiros, monumentos históricos em spas de saúde em Djermuk. A Armênia possui muitos centros de recuperação e spa's localizados em fontes medicinais.

Minérios

A Armênia possui reservas importantes de cobre, molibdênio, lead, zinco, ferro e ouro. Ela também é rica em pedras de construção (tufo, mármore, granito, basalto, limestone, etc.), pedras semipreciosas (obsidian, ágata, jasper, etc.) e outros materiais tais como bentonite, perlite, zeolit e diatomite. A maior parte da produção de minérios é exportada. Esses produtos situam-se na terceira posição na totalidade das exportações da Armênia (11,53% em 2000).
Em anos recentes, companhias estrangeiras têm mostrado um grande interesse em investir no setor de mineração.

Tecnologia da Informação

A Tecnologia de Informação e o desenvolvimento de software representam uma grande oportunidade para investimento, e é um dos setores da economia que mais cresce. Atualmente, mais de 40 empresas locais e 12 estrangeiras empregam mais de 300 programadores. A maior empresa de software da Armênia é a HPL Armenia, uma subsidiária da Heuristics Physics Labs, Inc., localizada no Silicon Valley.

Como o desenvolvimento do software tem se expandido amplamente, muitos matemáticos e físicos vêm se especializando como profissionais dessa área. A Armênia possui de 6 a 7 mil especialistas neste campo, e a cada ano 400 novos profissionais são graduados da Faculdade de Matemática Aplicada da Universidade Estatal de Yerevan e da Universidade de Engenharia.

A presença de especialistas qualificados tecnicamente e profissionalmente na Tecnologia de Informação, oferece a essa indústria perspectivas concretas. Isso pode apresentar um papel fundamental no desenvolvimento econômico do país a longo prazo, não só como um setor lucrativo, mas também pelo impacto em potencial em outros setores. O baixo custo inicial e a disponibilidade de mão de obra oferece muitas oportunidades para investimentos.

Setor Financeiro / Bancário

Adotando leis bancárias fundamentais em 1996, foi criada um abase confiável para a operação dos bancos comerciais. Posteriormente, o Banco Central da Armênia (BCA) outros regulamentos para viabilizar a implementação de mudanças legislativas e assegurar o acoplamento dos padrões existentes com as novas leis.

Nos últimos dois anos, o BCA continuou a estreitar as exigências regulamentares nos 31 bancos comerciais do país. A partir de 1999, as reservas obrigatórias devem ser estabelecidas apenas na moeda corrente do país e os limites para transação em moeda estrangeira foram reduzidos para 30% do capital, com uma posterior diminuição para 25% a partir de janeiro de 2000. A exigência de capital mínimo para os bancos comerciais existentes aumentou para US$ 1 milhão, a partir de janeiro de 2000, e aumentará para US$ 3 milhão a partir de 2003.

A supervisão e fiscalização bancária tem sido aprimoradas, com todos os bancos aderindo aos Padrões de Contabilidade Internacional (PCI).

Capacitação do setor bancário

O sistema bancário tem expandido grandemente nos cinco anos passados, porém ainda é relativamente pequena e experimenta dificuldades para atrair depósitos.

Os depósitos nos bancos comerciais aumentou 28% em 2000 e, no final daquele ano, o volume do capital total dos 31 bancos comerciais alcançava US$ 60.9 milhão. A maioria dos empréstimos, assegurados pelos depósitos bancários, é disponível para vencimentos curtos.

Todavia, partes substanciais dos novos empréstimos, que são proporcionados pelas instituições financeiras internacionais e fundos privados, têm vencimentos com prazos médios. No final de 2000, as taxas reais de juros para empréstimos com prazo de vencimento em menos de um ano eram de 30%. O sistema bancário tem adotado o sistema de pagamento eletrônico no país inteiro.

Privatização dos bancos

Como resultado da reestruturação do sistema bancário, foi eliminado o critério de participação de autoridades governamentais no gerenciamento bancário. A detenção das ações pelo Estado no capital dos bancos foi reduzida significativamente, atingindo 4,0% ao final de 2000. As ações do último banco estatal, "Armsavings Bank", foram vendidas em 2001, completando, dessa forma, a privatização do setor bancário.

Investimentos externos no setor bancário

Não existem restrições para o estabelecimento de bancos estrangeiros, desde que os mesmos cumprem as exigências de licenciamento e funcionamento do BCA.

Não há restrição para entrada ou saída de capital para os não residentes, ou no sistema de pagamentos, a entrada de moeda estrangeira ou a importação de seguros refletidos em moeda estrangeira. As pessoas jurídicas e físicas podem realizar operações corriqueiras ou transferência de capital com os bancos sem restrição.

Existem treze bancos estrangeiros na Armênia. Cinco dos 31 bancos comerciais são de propriedade estrangeira, que também englobam os investimentos. O maior banco em termos de capital é o HSBC-Armenia (Grã-Bretanha) , anteriormente Midland-Armenia.

Instituições financeiras não bancárias

As instituições financeiras não bancárias encontram-se em fase inicial de desenvolvimento. A Comissão de Segurança foi estabelecida no mês de agosto de 2000, seguida pela adoção da nova lei de Regulamentação de Segurança do Mercado. Os objetivos da nova lei são o aumento da eficiência do mercado e o seu volume, redução dos riscos e outros obstáculos na estabilidade do mercado, além de proteger os direitos dos investidores.
Para aprimorar o sistema financeiro, o governo tem preparado o Programa de Desenvolvimento dos Mercados d Capitais (com a colaboração da USAID e a empresa de auditoria Price Waterhouse Coopers (PWC). Isso induz ao desenvolvimento de um mercado de capitais comercialmente viável, aberto e amplo, permitindo aos cidadãos o direito de participarem do mercado e das empresas.

Bolsa de Valores

Desde 1996, o volume do mercado de capitais tem aumentado modestamente (de 9 companhias para 100 ao final de 2000). A Bolsa de Valores da Armênia (Armenian Stock Exchange "Armex") é baseado no princípio de "um membro - um voto". Armex tem 22 empresas operadoras na Bolsa, que conduzem 98% da transação do mercado. Os estrangeiros podem adquirir ações livremente.

O Mercado de Ações do Tesouro entrou em operação a partir de setembro de 1995. Leilões dos Papeis do Tesouro são promovidos duas vezes por semana.

Os leilões primários são limitados para bancos e instituições financeiras não bancárias, que são autorizados e licenciados como compradores de Papeis do Tesouro. Os participantes do mercado primários podem atuar em nome dos investidores. Não há limitação para os Papeis do Tesouro para o mercado secundário. O BCA conduz operações de mercado aberto.

Fundos de investimento

Ao final de 1994, foi sancionado um Decreto sobre Fundos de Investimento, pelo qual esses fundos podem possuir até 40% das ações de qualquer empresa. A maioria dos Fundos de Investimento existentes opera em papeis governamentais de curto prazo.

Seguros

A lei que rege os seguros, adotada a partir de novembro de 1996, regulamenta a atividade desse setor. O Ministério das Finanças e Economia é responsável pela supervisão e regulamentação desse setor. Mais de 20 companhias de seguro oferecem coberta total de risco financeiro, depósitos, crédito, transações em câmbio, transporte de carga, etc. Companhias estrangeiras de seguro podem divulgar seus serviços e, ao serem autorizadas e liberadas a atuarem no país, podem vender seus produtos. Não existem restrições no resseguro ou em companhias estrangeiras estabelecerem negócios na Armênia.

Energia

Atualmente, a Armênia é o único país exportador de energia, com uma capacidade de geração total de 3.200 megawatts (MW) (1.754 MW térmico, 1.006 MW energia hídrica e 440 MW nuclear).

A Comissão Reguladora de Energia, corpo independente criado pela Lei da Energia em 1997, tem a finalidade de regulamentar as tarifas, licenciamentos de geração, transmissão, fornecimento e distribuição de energia. O setor de Energia foi reestruturado numa só companhia de transmissão, a Armenergo, várias empresas geradoras e quatro distribuidoras. A nova Lei de Energia, adotada no mês de março de 2001, define o principal conceito do desenvolvimento do mercado de eletricidade, assim como estabelece um campo atrativo para a energia alternativa hídrica, garantindo a aquisição de eletricidade gerada pela nova alternativa e pequenas estações de potência hídrica por 10 anos. Hoje, apenas 30% de sua capacidade é utilizada. Um programa de desenvolvimento foi criado para aumentar a capacidade geradora hidrelétrica, através da construção de 38 pequenas e três grandes usinas, com capacidade de 296 megawatts.

No setor de privatização, treze pequenas usinas hidrelétricas já foram privatizadas entre 1997-98. Empresas distribuidoras também foram privatizadas em 2001. As tarifas de energia ficarão inalteradas para a população até 2004.

Não há reservas de óleo ou gás na Armênia; esses produtos são importados principalmente do Turcmenistão e Geórgia, através do gasodutos da Rússia e da Geórgia. Existem acordos em andamento com o Irã, que é um outro recurso para importação de gás. O projeto de construção de um oleoduto com o Irã não ficará por menos de aproximadamente US$ 120 milhões. A União Européia (EU) tem manifestado seu interesse na inclusão desse oleoduto no projeto Transporte de Óleo e Gás Interestadual para a Europa (TOGINE).

Fonte: www.armenia.com.br

Economia da Armênia

A economia da Arménia é bem diversificada, exportam ouro, peças de joalheria, equipamentos de transporte e elétricos, alimentos, em geral grãos, combustíveis e outras fontes de energia.

Principais parceiros econômicos: Irã, Rússia, Geórgia, Turcomenistão, EUA e países da União Européia.

Somente 17,5% de suas terras são aráveis, onde são cultivadas frutas (sobretudo uvas) e legumes.

Os vinhedos perto de Erevan (capital) são famosos pela utilização de uvas na produção de conhaque e outros licores.

A Armênia tem alguma reservas de ouro, cobre, molibdênio, zinco e alumínio.

Fonte: pt.wikipedia.org

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal