Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Atletismo  Voltar

Atletismo

 

Como podemos ver o atletismo foi uma das primeiras modalidades atléticas a serem incluídas nas olimpíadas. Dês de o tempo antigo, quando os gregos inventaram as olimpíadas, o atletismo estava entre elas.

As provas que compõem o atletismo são: provas de pistas de campo, corridas de rua, provas de cross-country e marcha atlética.

As provas de pista e campo são disputadas em pistas e são as seguintes: corridas rasas, com barreiras e com obstáculos.

As provas de campo são as seguintes: arremessos de pesos, saltos e lançamentos.Ainda há as provas combinadas, como o decatlo.

As corridas de rua são disputadas em ruas, avenidas. Um exemplo de corrida de rua é a São Silvestre.

As corridas de cross-country são disputadas em pistas não pavimentadas, como: grama ou terra.

As corridas de marcha atlética são corridas de longa duração e as distancias das corridas são de 3500 m e 10 milhas.

Durante a Onase teremos algumas modalidades de atletismo e muitos outros esportes como: basquete, vôlei e xadrez.

Na modalidade de atletismo ocorrerão as seguintes as provas de pista e campos.

Atletismo
Atletismo

O atletismo é um esporte praticado há muito tempo.

É considerado um esporte importante, pois trabalha com grande parte dos movimentos do corpo.

Hoje, o atletismo é dividido em modalidades: provas de pista e campo, corridas de rua, cross-country e marcha atlética.Neste texto iremos falar sobre essas modalidades, as regras e tudo sobre o atletismo.

As provas de pista são divididas em corridas rasas, com barreiras ou obstáculos. As de campo são saltos, arremessos e lançamentos. São disputadas em pistas de atletismo. Estas provas são competidas entre homens e mulheres.Sempre fizeram parte dos jogos olímpicos e são consideradas o ponto nobre destes jogos.

As corridas de rua são simples corridas disputadas em ruas e rodovias.A mais famosa aqui no Brasil é a São Silvestre, disputada todos os anos no dia 31 de dezembro, em São Paulo. Essas corridas podem ser disputadas em várias distâncias, mas a mais comum é a Maratona, com 42.195 km. São populares em todo o mundo, mas a mais tradicional é a de Boston.De todas as corridas de rua, a maratona é a única disputada nos jogos olímpicos.

As provas de cross-country são realizadas em terrenos de terra ou grama.Existe um campeonato mundial dessa modalidade que é realizado anualmente entre 4 e 12km para os homens e 4 e 8km para as mulheres.

As provas de marcha atlética são competições de longa distância na qual o competidor tem que estar sempre com pelo menos um pé no chão.O esporte surgiu a partir das caminhadas e faz parte dos jogos olímpicos.

Cada modalidade tem suas próprias regras.As regras de corridas são não poder invadir a raia adversária e nem "queimar" na largada.

No atletismo existem muitos atletas famosos, alguns deles são: Paavo Nurmi, Emil Zatopek, Abebe Bikila, Carlos Lopes, Carl Lewis e Paul Tergat.

O atletismo será praticado na ONASE (Olimpíada Nacional da rede Sinodal de Educação) e também fará parte dos jogos olímpicos mundiais em Atenas.

O Atletismo é o esporte que mais medalhas ganhou para o Brasil, em Olimpíadas e Jogos Pan-Americanos. Também nos Mundiais, nossos atletas têm subido no pódio. Muitas vezes, vimos a bandeira brasileira subir e ouvimos o hino nacional. Além do bicampeão olímpico Adhemar Ferreira da Silva, outros medalhas em Olimpíadas foram Joaquim Cruz, João Carlos de Oliveira, Nélson Prudêncio, José Telles da Conceição e Róbson Caetano, e ainda a equipe no revezamento 4 x 100m, em Atlanta, com Róbson, Arnaldo de Oliveira, André Domingos da Silva e Édson Luciano Ribeiro. João Carlos de Oliveira e Róbson Caetano são, ainda tricampeões da Copa do Mundo.

Outros medalhas de ouro são Nélson Rocha dos Santos e Altevir Araújo (4 x 100m) e Sérgio Matias (4 x 400m) - as medalhas no revezamentos nossos atletas conseguiram formando nas seleções das Américas. Zequinha Barbosa foi campeão mundial indoor e subiu no pódio no Campeonato Mundial duas vezes.

SALTOS

ALTURA: Este evento não figura nos Jogos Antigos, mas foi comumente praticado pelos Celtas. A primeira competição foi organizada na Inglaterra, em 1940, e regimentada em 1965, onde cada competidor possuía três saltos em cada altura e a barra não poderia ser aumentada no caso do competidor derrubá-la. A altura de seis pés (1,83m) foi utilizada pela primeira vez por Marshall Brooks (Grã-Bretanha), em 1874, usando a técnica de um pé primeiro.

DISTÂNCIA: Há muito tempo faz parte das competições esportivas. Figurou nos Jogos de 708 AC como parte do Pentatlo. O evento moderno foi regularizado na Inglaterra e nos Estados Unidos em 1860: o levantar-vôo tinha que ser feito 20cm afastado da tábua dentro da marca de saibro.

TRIPLO: Os Celtas inventaram um estilo de três saltos numa ação contínua e isso foi regularizado até o fim do século XIX, primeiro pelos Irlandeses e depois pelos Americanos. Originalmente um vôo-vôo-salto, sendo primeiramente dois vôos com um mesmo pé, o Salto Triplo começou, depois de 1900, com a Técnica vôo-passo-salto.

VARA: Foi conhecido pelos velhos Gregos através de saltos por cima dos touros. Os Celtas usaram a vara, mas para competição em extensão. Esse evento iniciou uma competição vertical na Alemanha em torno de 1775, durante competições de ginástica.

Pistas

VELOCIDADE: São assim chamadas todas as provas em distância até 400m. Podem ser realizadas em pistas com obstáculos ou em pistas livres (corridas rasas). Exigem maior explosão que fôlego.

OBSTÁCULOS: De influência hípica, esta prova foi introduzida nos Jogos Olímpicos de 1900, em Paris. A distância atual desta corrida é de 3.000m - masculino e feminino -, e inclui 4 obstáculos secos e 1 obstáculo do fosso à cada volta da pista. Este último é o mais espetacular, de vez que o competidor deve transpor o obstáculo e saltar o fosso de 3,66m de comprimento.

BARREIRAS: São as realizadas em pistas com barreiras, nas distâncias de 100, 110 e 400 metros. Os atletas devem dominar técnica especial para manter o equilíbrio e o ritmo, ao combinar a ação de correr com a de saltar.

REVEZAMENTO: São as corridas entre equipes de quatro atletas que devem cumprir, cada um deles, uma quarta parte do percurso. Ao término de sua parte, o atleta deve passar um bastão ao companheiro que lhe sucede. Há dois tipos de revezamento: o de 4 x 100 m., e o de 4 x 400 m. O momento da passagem do bastão é indicado por marcas na pista. O êxito dependerá de dois fatores principais: precisão na saída e na passagem do bastão.

Arremesso

DARDO: Consiste numa haste metálica. Nas provas masculinas, seu peso total não pode exceder 800 g e o seu comprimento varia de 2,60 a 2,70 m. Seu diâmetro varia de 2,5 a 3 cm. Para as provas femininas, o peso total é 600 g, o comprimento varia de 2,20 a 2,30 m. e o diâmetro varia de 2 a 2,25 cm. O lançamento é feito de uma pista, onde o lançador corre cerca de quinze passadas.

DISCO: Os antigos Gregos descobriram este evento antes de qualquer outro. Eles usaram discos de pedra e depois de bronze com 2 e 6kg de peso e 21 e 34cm de diâmetro. Essa prova estreou nos Jogos Antigos em 708 AC. Em 1896, o disco foi incluído nos Jogos Olímpicos de Atenas. Os discos foram feitos em um suporte que media 60cm por 70cm. Na mesma época, os sueco lançavam os discos de um quadrado de 2,5m.

MARTELO: Este evento, nascido de antigas tradições, inicialmente teve como estilo a corrida livre, no qual havia um martelo pesado (um ferro junto com uma bola de ferro fundido). Em seguida, foi introduzido o peso com diâmetro de 7 pés (2,13 m). Em 1887, o peso do martelo foi fixado em 7,26 kg com um arame entre 1,175m à 1,215m de comprimento.

Origem

A origem do atletismo vem desde os antigos Jogos da Grécia e, segundo o que se tem documentado, surgiu justamente entre os gregos, e ganhou categorias com o tempo graças a touros e balas de canhão, entre outros.

Na definição moderna, o atletismo é um esporte com provas de pista de campo (corridas rasas, corridas com barreiras ou com obstáculos, saltos, arremesso, lançamentos e provas combinadas, como o decatlo e heptatlo), provas de cross country (corridas através do campo, com obstáculos naturais ou artificiais); e marcha atlética.

Na época, o Carl Lewis da época foi Coroebus, campeão dos Jogos em 776 antes de Cristo na prova dos 193 metros. Naquela época, as provas disputadas eram basicamente de corrida e lançamento de disco, feitos de pedra ou bronze.

A maratona, por exemplo, foi criada, segundo a lenda, em homenagem a um soldado chamado Pheidippides. Ele correu 40 quilômetros carregando notícias sobre a vitória de Atenas sobre a Pérsia na Batalha da Maratona e, ao chegar, acabou caindo e morrendo.

O atletismo teve seu grande momento até o fim do Jogos gregos, em 394 a.C.

O esporte, porém, acabou "morrendo" até o século 12, quando reapareceu na Inglaterra.

Ele acabou assumindo um pouco do que é hoje a partir do século 19. Em 1834, foram criados outras modalidades ainda mais quando as universidades de Oxford e Cambridge passaram a adotar o atletismo em seu currículo em 1864. Sete anos depois, acabou sendo criado o primeiro clube de atletismo em Suffolk.

Sendo assim, o esporte não teve maiores problemas para participar da Olimpíada de Atenas, em 1896. E a IAAF acabou sendo criada em 1912, durante os Jogos Olímpicos de Estocolmo (Suécia).

Em 1908, a maratona ganhou mais 2.195 quilômetros para que a corrida pudesse começar e terminar perto do castelo e da rainha Alexandra e seus suditos, a modalidade acabou tendo seu trajeto aumentado.

Já a prova de lançamento de peso tem uma curiosidade. No século 16, o rei Henrique 8º inovou nas provas de lançamentos de peso e martelo. Dois séculos depois, soldados ingleses organizaram uma prova de lançamento de bala de canhão, que acabou tendo seu peso fixado em 7,257 kg só em 1906, quando o lançamento com braço inclinado foi proibido passou a ser lançado junto ao pescoço. Esta modalidade entrou nos Jogos em 1948.

E no salto com vara, os gregos se utilizavam das mesmas para poderem passarem por cima de touros bravos, enquanto que os celtas as usavam para provas de extensão. A prova só ganhou sua versão vertical em 1775, na Alemanha, numa competição de ginástica.

No Brasil, há registros de competições oficiais na década de 1910. A sua prática estava sob a responsabilidade da antiga Confederação Brasileira de Desportos (CBD) até 1977, quando foi criada a CBAt.

Fonte: br.geocities.com

Atletismo

É um conjunto de atividades esportivas que incluem corrida, saltos e arremessos. São em sua grande maioria realizadas em estádios onde é providenciado, caso necessário, o material para a realização da prova. Apesar da origem do atletismo ser incerta, as competições mais importantes da olimpíada na Grécia eram as corridas.

Na corrida encontramos

Corrida de pista:

Essa modalidade possui várias competições, com demarcações específicas para cada prova na pista. A que ocorre fora da pista é a maratona.

As Corridas com obstáculos são disputadas dentro do estádio.

As corridas são, em certo sentido, as formas de expressão atlética mais pura que o homem já desenvolveu. Embora exista algo de estratégia e uma técnica implícita, a corrida é uma prática que envolve basicamente o bom condicionamento físico do atleta.

As corridas dividem-se em curta distância ou velocidade (tiro rápido), que nas competições oficiais vão até os 400 metros inclusive; média distância ou de meio fundo (800 metros e 1500 metros); e longa distância ou de fundo (3000 metros ou mais, chegando até às ultra maratonas de 100 quilômetros).

Podem ser divididas também de acordo com a existência ou não de obstáculos (barreiras) colocados no percurso. Nas corridas de curta distância, a explosão muscular na largada é determinante no resultado obtido pelo atleta. Por isso, existe um posicionamento especial para a largada, que consiste em apoiar os pés sobre um bloco de partida (fixado na pista) e apoiar o tronco sobre as mãos encostadas no chão (posição de quatro apoios). São frequentes as falsas partidas, quando o atleta sai antes do tiro de partida, que é o sinal dado para começar a prova. Após ter sido assinalada uma falsa partida, qualquer atleta que dê uma nova falsa partida será desclassificado.

Contudo, nas provas combinadas (ex decatlo) cada atleta tem direito a uma falsa partida. Nas provas mais longas a partida não tem um papel tão decisivo, e os atletas saiem para a corrida em uma posição mais natural, em pé (sem poder colocar as mãos no chão).

Revezamento: É disputada por grupos de quatro atletas cada. Cada um deve correr a sua parte, e passar o bastão, após terminar a sua parte na corrida para o próximo da equipe.

Saltos: Salto em distância e salto em altura.

Arremessos e Lançamentos: Aqui encontramos arremesso de peso, lançamento de dardo, de marte e de disco.

Decatlo: Disputada entre os homens. Prova que envolve dez modalidades do atletismo.

São elas: corrida de 100 metros, salto em distância, salto em altura, lançamento de peso, 400 metros, 110 metros com barreira, lançamento de dardo, salto com vara e corrida de 1.500 metros. A maior pontuação geral define o vencedor.

Heptatlo: Disputada somente por mulheres com sete modalidades do atletismo. Vence quem alcançar a maior pontuação geral.

São elas: 100 metros com barreira, lançamento de peso , lançamento de dardo, salto em altura, salto em distância, corrida de 200 metros e 800 metros.

A primeira participação do Brasil disputando o atletismo em Olimpíadas aconteceu nos Jogos de Paris, na França, em 1924.

A PISTA

A pista de corrida normalmente contém 8 raias, cada uma com 1 metro e 22 centímetros que os caminhos pelos quais os atletas devem correr. Deste modo, a largura da pista é de no mínimo 10 metros, com algum espaço além das raias interna e externa.

Uma pista oficial de atletismo é constituída de duas retas e duas curvas, possuindo raias concêntricas; tem o comprimento de 400 metros na raia interna (mais próxima ao centro). A raia mais externa é mais longa, mas não chega a ter 500 metros. Nas corridas de curta distância, os atletas devem permanecer nas raias a partir das quais largaram. Nas corridas de média e longa distância, os atletas não precisam correr nas raias, e geralmente se encaminham para a raia mais interior, evitando percorrer distâncias maiores. As barreiras têm cerca de 1 metro, nas competições para homens, e cerca de 80 centímetros, nas competições para mulheres. Se o atleta derrubar as barreiras enquanto corre, não é desclassificado - conquanto perca tempo substancial.

As corridas com barreiras normalmente têm 10 obstáculos. Embora a maratona seja disputada nas ruas de uma cidade ou em um local externo, o seu trajeto é estabelecido de modo que a chegada se dê num estádio ou pista de atletismo.

Pode ter o fundo permeável ou impermeável, indiferentemente. São permeáveis, isto é, absorvem a água, as pistas de terra, saibro ou gramado. São impermeáveis as construídas à base de substâncias químicas, como o Tartan, o Rekortan, o Rubkor e o Bitumvelox. Em geral, as pistas impermeáveis permitem melhor desempenho atlético. Porém, exigem um treinamento específico, já que a batida do pé sobre o piso é mais dura. A pista está dividida em raias, cuja largura varia entre 1,22 m e 1,27 m, delimitadas por faixas brancas de 5 cm.

A linha de chegada é perpendicular à margem interna da pista. Para as provas masculinas de 110 m com barreiras, os obstáculos têm 106 cm de altura; para os 400 m (também prova masculina), têm 91,4 cm.

Para as provas femininas de 100 m, têm 84 cm. Geralmente, os obstáculos são feitos de metal e a travessa superior é feita de madeira.

Na corrida de 3000 m com barreiras, o obstáculo deve ser saltado 28 vezes e é constituído de uma barra que fica entre 91,1 cm e 91,7 cm do solo; sua largura mínima é de 3,96 m. O fosso cheio de água, localizado logo em seguida ao obstáculo, tem boca quadrada, com 3,66 m de lado, e 70 cm de profundidade na parte mais próxima à barreira, alcançando gradualmente o nível do terreno à medida em que se afasta da mesma.

Atletismo
Medidas oficiais de uma pista oficial de atletismo

Atualmente, as melhores pistas do Brasil se localizam em universidades e em centros esportivos mantidos por órgãos públicos, o que acaba limitando o número de praticantes. São poucos os clubes sociais que oferecem condições para a prática dos esportes do atletismo. Apesar deste quadro negativo, há, no mercado nacional, empresas as quais oferecem várias opções de sistemas de construção de pistas. Dessa forma, o administrador pode escolher a versão que melhor se adeqüe as suas necessidades e condições financeiras. É essencial destacar que os especialistas em construções esportivas estão desenvolvendo novas tecnologias para que o atleta interaja com a superfície e possa tirar o máximo de proveito do material utilizado, o que possibilita resultados melhores e quebras de recordes.

Do carvão aos materiais sintéticos

A atual tecnologia beneficia o uso de materiais sintéticos, especialmente desenvolvidos para a prática dos esportes. Tal fato é de grande importância, se forem consideradas as condições nas quais estas mesmas pistas eram construídas há algumas décadas. As raias olímpicas, por exemplo, há 50 anos, eram feitas com carvão, o que conferia um aspecto escuro, além de exigir enorme esforço dos atletas.

Outra alternativa que também continua sendo divulgada e usada por atletas amadores e profissionais é a pista de saibro. Apesar de sua construção ter um custo mais baixo que os outros sistemas, o saibro exige manutenção constante e trabalhosa, e pode-se dizer que chega a ser artesanal.

A década de 60 marcou a chegada do “Tartan”, um tipo de piso que ficou conhecido por este nome mas que, na realidade, trata-se de uma marca registrada pela 3M, a qual já saiu do mercado. No Brasil, o “Tartan” não passou de uma alternativa cara e pouco divulgada.

Na mesma época, apareceram as pistas feitas com material em resina poliuretânica com mistura de grânulos de borracha EPDM, que continua em franco crescimento.

Havia, ainda, pistas com placas de borracha fabricadas com pó de carcaça de pneus. Seu principal problema, por ser um material reciclado, era a influência direta na qualidade, não tendo estabilidade dimensional e descolando-se com freqüência da base de concreto.

Apesar do mercado mundial estar em constante crescimento, nas décadas de 70 e 80, o Brasil ficou à margem e não evoluiu por diversas razões, principalmente financeiras. Nesse contexto, as condições oferecidas aos atletas brasileiros eram precárias, obrigando-os a sair do país.

Os anos 90 marcaram uma nova fase para o atletismo nacional, especialmente na segunda metade da década. As empresas presentes no mercado brasileiro passaram a oferecer alternativas mais viáveis para a construção de pistas, com materiais e tecnologias desenvolvidos aqui. Os clubes locais tiveram acesso à raias olímpicas com um bom nível de qualidade, através da tecnologia dos compostos de resina de poliuretano e partículas de borracha, os quais poderiam ser moldados in loco ou oferecidos em mantas de borracha.

O país teve acesso, inclusive, ao mais moderno sistema, usado em várias Olimpíadas, que se trata das mantas de borracha natural contínuas e vulcanizadas, da marca italiana Mondo.

A escolha do piso

Há duas opções indicadas para a construção de uma pista de atletismo: sistema em poliuretano ou em mantas de borracha natural. Ambas estão disponíveis no país. Isso possibilita que atletas brasileiros tenham contato com pistas de qualidade internacional.

No caso das pistas com sistema em poliuretano, são três as opções existentes. A diferença está na espessura da manta de grânulos, com influência direta na qualidade.

A primeira opção é composta por uma base formada pela manta de grânulos de carcaça de pneu com jateamento de borracha de EPDM. Dessa maneira, o piso torna-se duro. Devido à espessura da borracha EPDM ser fina, desgasta-se rapidamente, o que prejudica o desempenho do atleta. Apesar de ser o sistema mais barato, requer manutenções freqüentes e, na maioria das vezes, dispendiosas. É indicado para pistas de clubes para a prática de cooper e para o treinamento e competições locais de amadores, sem a intenção de formação e desempenho de atletas profissionais.

Se a intenção é ter uma pista com melhor qualidade, deve-se considerar o sistema em poliuretano com a mesma base do primeiro modelo. Porém, a base recebe uma camada de resina poliuretânica mesclada ao EPDM. O método de construção cria uma proteção sobre a base. Assim, aumenta-se a sua espessura e o piso torna-se mais resistente. É ideal para o uso na formação e treinamento de atletas amadores e profissionais. Seu custo é intermediário.

O terceiro sistema é todo feito com resina de poliuretano em camadas. Na base, os grânulos de borracha EPDM são misturados com a resina. Trata-se de um produto nobre, ideal para pistas e circuitos de alta categoria, indicado para o trabalho com profissionais. Apesar de também sofrer desgaste com a ação do tempo, este sistema é utilizado com freqüência em competições internacionais. Seu custo é válido pela alta qualidade do produto.

Já os pisos em borracha natural em manta pré-fabricada foram desenvolvidos especialmente para a quebra de recordes de várias modalidades, devido ao seu desempenho superficial mais homogêneo. O sistema é formado por duas camadas de borracha vulcanizadas, o que caracteriza o produto como um piso de alta durabilidade.

Fabricado pela empresa italiana Mondo, divide-se em duas linhas: os pisos rápidos para a quebra de recordes e os pisos para treinamentos, condicionamentos e competições mundiais. A aplicação é feita em base asfáltica drenante e está disponível em várias espessuras. O fornecimento é feito em bobinas.

O Mondo é um piso texturizado, fácil de limpar e de manter. Devido ao sistema de vulcanização da borracha, este tipo de piso apresenta uma boa durabilidade.

Quando houver necessidade de repará-lo, isto poderá ser feito sem maiores dificuldades por um profissional especializado, indicado pela empresa representante da Mondo no Brasil.

“A melhor pista, na minha opinião, é a construída com material sintético. Mesmo assim, é preciso ter atenção especial para a densidade da pista, que influencia diretamente nos resultados. Para o treinamento, o ideal é contar com pistas menos densas. Para as competições, é preciso realizá-las em pistas mais densas”. (Frase de Ricardo D’Angelo, um dos seis treinadores do Funilense, tradicional clube de atletismo de Cordeirópolis, interior do estado de São Paulo, que conquistou, consecutivamente, os últimos oito títulos brasileiros.)

Fonte: www.educacaoadventista.org.br/www.arq.ufsc.br

Atletismo

História

O atletismo é uma atividade física integrada por movimentos naturais, como a corrida, o salto e o lançamento, realizados pelo homem, de uma forma ou outra, desde a origem da espécie.

Hoje se sabe que, apesar de seus movimentos advirem de gestos naturais, o aperfeiçoamento da técnica no atletismo promoveu gestos naturais em movimentos técnicos específicos (provas de barreira, salto em altura, lançamentos) e movimentos naturais adaptados (corridas).

“É um esporte múltiplo compreendendo várias facetas, tanto por sua forma de execução como por suas características atléticas requeridas para a sua prática. Por sua tradição, universalidade e prestígio, bem como pela gama de atividades e funções que abrange, é um desporto básico por excelência”.

O atletismo é considerado o esporte-base dos jogos olímpicos e reúne inúmeras modalidades como corridas, saltos, arremesso e lançamentos.

Modernamente, o atletismo compreende um conjunto de 36 provas esportivas (entre elas estão as corridas, a marcha, os saltos e os lançamentos, e suas diversas variantes) - disputadas por homens ou mulheres, em pistas e campos apropriados, ao ar livre ou em recinto fechado, segundo regras bem definidas e universalmente aceitas.

Entre as provas do atletismo, o tempo e a distância são pontos de referência para classificar os atletas. Com isso, o objetivo passa a ser não apenas superar o adversário, mas sim superar o seu próprio limite.

Segundo Nascimento (1989:26), “o atletismo surgiu das atividades naturais do homem”. No princípio, utilizava suas qualidades físicas, para sobreviver, medir forças e competir.

Atletismo define-se por competições individuais (exceto os revezamentos), disputado também entre equipes. Apesar de apresentar movimentos naturais como o correr, saltar e lançar, os movimentos do atletismo de elite, ou seja, desenvolvidos pelos atletas de alta performance, apresentam movimentos naturais “técnico-modificados”. São movimentos modificados para aperfeiçoar a técnica em base principalmente da Biomecânica.

As atividades desenvolvidas no atletismo, podem ser realizadas tanto ao ar livre ou em lugares fechados (indor), por homens e mulheres.

O atletismo consta de quatro categorias básicas

a) Provas de pista: são corridas realizadas em uma pista e divididas em:

Rasas
Meia distância
Provas de fundo

b) Corridas sobre barreiras e obstáculos: nestas provas os corredores saltam sobre barreiras (ou obstáculos):

Distância Gênero Categoria
100 metros feminino Menor, Juvenil, Sub-23, Adulto.
110 metros masculino Menor, Juvenil, Sub-23, Adulto.
400 metros masculino e feminino Menor, Juvenil, Sub-23, Adulto.
3000 metros masculino e feminino Juvenil, Sub-23, Adulto.

c) Revezamento

Constitui em corridas disputadas por equipes de quatro atletas. Cada um deles corre ¼ do percurso e leva na mão um bastão que passa ao companheiro que corre a parte seguinte. Deve entregá-lo dentro de um limite determinado.

As provas são:

Distância Gênero Categoria
100 metros masculino e feminino Menor, Juvenil, Sub-23, Adulto.
400 metros masculino e feminino Menor, Juvenil, Sub-23, Adulto.
Medley masculino e feminino Menor

d) Provas de campo: dividem em saltos, arremesso e lançamentos.

Salto em Distância
Salto em Altura
Salto Triplo
Salto com Vara
Arremesso do Peso
Lançamento do Disco
Lançamento do Dardo
Lançamento do Martelo

Observação: há também a prova de Lançamento da Pelota para meninos e meninas até a categoria pré-mirim (13 anos).

No atletismo há modalidades que combinam as quatro categorias como o Decatlo (no masculino), com dez provas e o Heptatlo (no feminino), com sete prova.

Tanto no Decatlo quanto no Heptatlo, as provas são realizadas em dois dias.

Existem ainda as corridas de rua (várias distâncias, como a maratona), provas de cross country e a marcha atlética.

A maratona olímpica - que acabou convertendo-se numa das provas clássicas dos jogos olímpicos modernos - foi corrida num percurso de 42Km, aproximadamente a mesma distância cumprida por Fidípedes. Seu primeiro vencedor foi o grego Louís Spýros, modesto fabricante que vivia em Marusi.

A Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt), é a responsável pelo atletismo no Brasil. No total, a CBAt representa, além das 27 federações, mais de 500 clubes, 20 mil atletas, 900 árbitros e 700 técnicos federados.

O Troféu Brasil de Atletismo, o Campeonato Brasileiro de Clubes, criado em 1945, é a principal competição do calendário da CBAt.

No plano mundial, a direção é da International Amateur Athletic Federation (IAAF). Fundada em 1913, a Federação Internacional de Atletismo Amador, controla as provas internacionais de pista e campo, em todo o mundo, inclusive as do programa olímpico.

A questão do atletismo feminino, muito discutido no início de século, ficava entregue a cada federação nacional filiada a IAAF, já que não havia competições internacionais de caráter oficial. Em 1921, crio-se a Federation Sportive Féminine Internacionale (Federação Esportiva Feminina Internacional) em Paris, com o objetivo de promover, de quatro em quatro anos, entre dois jogos olímpicos, o seu próprio torneio de atletismo.

Em 1928, o Comitê Olímpico Internacional incluiu provas femininas no programa oficial cumprido em Amsterdam, mas a IAAF, continuou cuidando apenas do setor masculino.

A partir de 1936 todo o atletismo masculino e feminino, ficou aos cuidados da IAAF, deixando de existir a Federation Sportive Feminine Internacionale, já nos jogos olímpicos daquele ano.

A IAAF, é hoje o órgão supremo do atletismo mundial. A ela são filiadas todas as federações nacionais de países onde o esporte é praticado oficialmente. Compete-lhe, através de diversas comissões, a regulamentação de todas as provas, assim como a programação, organização e supervisão dos torneios internacionais. Além disso, é a IAAF o organismo autorizado a reconhecer, ou não, os recordes, de acordo com as circunstâncias em que forem obtidos, ao que se dá o nome de homologação.

Nenhuma alteração nas regras básicas de cada prova, no material utilizado pelos atletas, nas dimensões, forma e outros detalhes da pista ou do campo, podem ser feitos sem a sua aprovação técnica.

Em 1866, o Amateur Athletic Club fixou e divulgou a primeira definição de amador, para ser observada onde quer que o atletismo fosse praticado sob o seu controle:

É amador todo aquele que nunca tenha tomado parte numa competição pública; que não tenha competido com profissionais por determinado preço ou por dinheiro que provenha das inscrições ou de qualquer outro meio; que em nenhum momento de sua vida tenha sido professor ou instrutor de exercícios desse tipo como meio de subsistência, e que não seja operário, artesão ou jornaleiro.

Mas só a partir de 1880 o conceito de amadorismo se tornou menos rigoroso. O Amateur Athetic Club passou a reconhecer como amador simplesmente “aquele que não recebia salário para competir, que não ganhava prêmios em dinheiro, nem obtinha qualquer lucro material com o esporte”.

Atualmente, o conceito de amadorismo é ainda mais elástico. Em um século de transformações que se processam em todo o mundo, a partir daquela primeira definição fixada pelo Amateur Athletic Club, já não se pode diferenciar, com tanta precisão, o atleta amador do profissional. Embora a questão amadorismo-profissionalismo seja atribuição do Comitê Olímpico Internacional, a quem cabe definir exatamente as duas categorias, esse órgão limita-se a considerar amador todo aquele que "não vive apenas do esporte".

Esse conceito, também elástico, é interpretado de diferentes modos, conformo o país. Nos E.U.A, é reconhecido como amador o atleta universitário que compete por determinada escola, em troca de uma bolsa de estudos que às vezes, pode custar de 8 a 10 mil dólares.

No âmbito regional, o atletismo brasileiro é dirigido por federações que organizam os seus próprios campeonatos.

Esporte de pouca popularidade no país, o atletismo tem esbarrado em muitos obstáculos para que se possa ter, em curto prazo, uma equipe brasileira de relevo no plano internacional.

Alguns desses obstáculos são:

A falta de campos e pistas adequados, em especial no interior
O pouco preparo especializado de técnicos e treinadores
O regime imposto ao atleta, em geral amador sem condições de se dedicar em tempo integral aos exercícios
A falta de orientação nas escolas e universidades, onde nascem os grandes campeões de outros países
O reduzido apoio financeiro dos órgãos oficiais
A cobertura relativamente fria que a imprensa da às competições amadoristas, que se concentram quase só no futebol
A estrutura sócio-econômica do país, que impossibilita a formação de bons atletas
A falta de interesse do público pelo esporte.

Provas de Pista e de Campo

As provas de pista e campo são disputadas em pista de atletismo e reúnem: corridas rasas, corridas com barreiras ou com obstáculos. Já as provas de campo englobam saltos, arremesso e lançamentos. Há ainda as provas combinadas, como o Decatlo e Heptatlo.

Atualmente as provas oficiais são:

Corridas de velocidade: 100 metros - 200 metros - 400 metros.
Corridas de revezamento:
4x100 metros - 4x400 metros.
Corridas com barreiras ou obstáculos:
100 metros sobre barreiras feminino - 110 metros sobre barreiras masculino - 400 metros sobre barreiras - 3.000 metros sobre obstáculos.
Corridas de meio-fundo:
800 metros - 1.500 metros.
Corridas de fundo:
5.000 metros - 10.000 metros.
Saltos:
Salto em altura - Salto triplo - Salto em distância - Salto com vara.
Arremesso:
Arremesso de Peso,
Lançamentos Lançamento do Disco
- Lançamento do Martelo - Lançamento do Dardo.

Provas combinadas

Heptatlo (para mulheres: 100m s/barreiras, salto em altura, 200 metros, santo em distância, lançamento de dardo e 800 metros)

Decatlo (para homens: 100 metros, salto em distância, arremesso de peso, salto em altura, 400 metros, 110 m c/barreiras, lançamento do disco, salto com vara, lançamento do dardo, 1.500 metros).

Corridas de Rua

Como o próprio nome já diz, essas provas são corridas disputadas em ruas ou rodovias. As corridas de rua têm uma rica tradição. Competições de corridas de rua já eram populares na Inglaterra no século 18. Aqui no Brasil a prova mais tradicional é a São Silvestre que é disputada nas ruas de São Paulo desde 1924.

As corridas de rua podem ser disputadas nas mais variadas distâncias, mas sem dúvida a mais nobre das provas é a maratona.

Na maratona, os corredores percorrem uma distância de 42.195 metros.

As maratonas são populares em todo o mundo, sendo que as mais importantes chegam a reunir mais de 30 mil participantes e tem a sua lotação esgotada com antecedência.

As maratonas de maior prestígio no mundo são: Boston (a mais tradicional sendo realizada desde 1897), Nova Iorque, Chicago, Londres, Honolulu, Roterdã e Paris.

No Japão os "Ekiden", um tipo de maratona de revezamento, são extremamente populares reunindo milhares de participantes. No Brasil as maratonas de revezamento também têm experimentado um crescente apelo popular.

Outras corridas que têm aumentado de popularidade são as ultramaratonas. A rigor qualquer corrida com distância maior do que a maratona é considerada uma ultra, englobando desde provas de 50 km até aquelas de vários dias. As ultra-maratonas são particularmente populares na África do Sul, onde a "Comrades" (89 km) e a "Two Oceans" (56 km) reúnem milhares de participantes.

De todas as corridas de rua, apenas a maratona é disputada nas Olimpíadas. Há ainda os mundiais de maratona, meia-maratona e maratona de revezamento.

Cross-Country

As provas de cross-country são realizadas sobre terreno não pavimentado: grama ou terra. As competições de cross-country começaram oficialmente na Grã Bretanha em 1876 e se mantém popular neste país até hoje.

O Campeonato Mundial de Cross-country é realizado anualmente nas distâncias de 4 km e 12 km para os homens, e 4 km e 8 km para mulheres. Nos últimos anos os africanos têm dominado as provas de cross-country, sendo que o seu representante mais famoso é Paul Tergat que sagrou-se pentacampeão mundial de 1995 a 1999. As provas de cross-country fizeram parte dos Jogos Olímpicos de 1912 até 1924.

Há ainda as provas de montanha que tem maior aceitação na Europa.

Marcha Atlética

As provas de marcha atlética são competições de longa distância, na qual os atletas têm que estar todo o tempo com pelo menos um pé no chão. O esporte surgiu inspirado nos desafios de caminhadas, que duravam de 24 horas a 6 dias, realizados na Inglaterra entre 1775 e 1800.

A marcha atlética entrou para os Jogos Olímpicos em 1908. Nas Olimpíadas seguintes, a marcha teve participação inconstante e as distâncias eram mudadas com freqüência. A partir de 1956, as Olimpíadas passaram a incorporar a marcha atlética nas distâncias que perduram até hoje de 20 km e 50 km.

Provas, Categorias e Medidas no Atletismo

Hoje os gestos que outrora foram naturais, ganham nas mais diversificadas provas do atletismo, formas adaptadas e sofisticadas, desenhadas e concebidas por análises biomecânicas apuradas, estudos sinestésicos, fisiológicos, entre outros. É um esporte simples e, ao mesmo tempo, complexo.

Na moderna definição, o atletismo é um esporte com provas de pista de campo: corridas rasas, corridas com barreiras ou com obstáculos, saltos, arremesso, lançamentos e provas combinadas, como o Decatlo e Heptatlo (quadros 4, 5 e 6); corridas de rua (nas mais variadas distâncias, como a maratona e corridas de montanha); provas de cross country (corridas através do campo, com obstáculos naturais ou artificiais); e marcha atlética.

CATEGORIAS OFICIAIS DO ATLETISMO BRASILEIRO POR FAIXA ETÁRIA

As categorias e respectivas faixas etárias da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt), são as abaixo relacionadas, atendendo às determinações previstas nestas Normas, nas Normas e Regras da IAAF e da CONSUDATLE (Confederação Sul-Americano de Atletismo):

CATEGORIAS IDADES
Pré-Mirim 11 e 12 anos, no ano da competição.
Mirim 13 e 14 anos, no ano da competição.
Menores 15, 16 e 17 anos, no ano da competição.
Juvenis 16, 17, 18 e 19 anos, no ano da competição.
Sub-23 16, 17, 18, 19, 20, 21 e 22 anos, no ano da competição.
Adultos a partir de 16 anos em diante (no ano da competição).

Atletas com 35 anos ou mais já são considerados Masters.

A divisão da Categoria Masters (idade a ser considerada no dia da competição) é considerada da seguinte forma:

IDADE MASCULINO - FAIXA ETÁRIA FEMININO - FAIXA ETÁRIA
35 a 39 anos M35 F35
40 a 44 anos M40 F40
45 a 49 anos M45 F45
50 a 54 anos M50 F50
55 a 59 anos M55 F55
60 a 64 anos M60 F60
65 a 69 anos M65 F65
70 a 74 anos M70 F70
75 a 79 anos M75 F75
80 a 84 anos M80 F80
85 a 89 anos M85 F85
90 a 94 anos M90 F90
95 a 99 anos M95 F95
100 anos e acima M100 F100

As faixas etárias e categorias constantes deste artigo são de uso obrigatório por todas as entidades filiadas à CBAt em seus eventos e em todas as competições que vierem a ser reconhecidas ou homologadas pela CBAt.

Os atletas da categoria de Menores, quando participando de competições, tem as seguintes restrições de participação:

a) Em competições da categoria (Menores), em qualquer hipótese os atletas somente podem participar de duas (2) provas individuais e do revezamento. Caso as provas individuais sejam de pista, apenas uma poderá ser em distância superior a 200 metros.
b)
Em competições da categoria de juvenis, os menores com 16 e 17 anos, tem a mesma restrição prevista na alínea "a)" acima.
c)
Em competições da categoria Sub-23, os menores com 16 e 17 anos, tem a mesma restrição prevista na alínea "a)" e nãopodem participar das seguintes provas:

Masculino: Arremesso e Lançamentos e Decatlo.

Masculino e Feminino: 10.000m rasos, Maratona e Marcha Atlética.

d) Em competições da categoria de Adultos, os menores com 16 e 17 anos, tem a mesma restrição prevista na alínea "a)" acima e não podem participar das seguintes provas:

Masculino: Arremesso e Lançamentos e Decatlo.

Masculino e Feminino: 10.000m rasos, Maratona e Marcha Atlética.

e) Os atletas da categoria de juvenis com 18 e 19 anos podem participar de competições da categoria Sub-23 e de Adultos, com exceção das provas da Maratona e 50km Marcha Atlética. Para as provas da Maratona e 50km Marcha Atlética somente podem participar atletas com vinte (20) anos de idade ou mais, no ano da competição.

É expressamente proibida a realização de competições oficiais de Atletismo para atletas com 10 anos de idade ou menos; para esta faixa etária recomenda-se a realização de festivais de Atletismo, sem caráter competitivo e somente de participação.

Provas, Categorias e Idades do Atletismo Masculino

Provas ADULTO

Acima 20 anos

JUVENIL

Até 19 anos

MENORES

Até 17 anos

MIRIM

Até 15 anos

PRÉ- MIRIM

Até 13 anos

Corridas Rasas  
100m

200m

400m

800m

1.500m

5.000m

10.000m

100m

200m

400m

800m

1.500m

5.000m

10.000m

100m

200m

400m

800m

1.500m

3.000m

75m

250m

1.000m

60m

150m

600m

Corridas com Barreiras  
110m

400m

110m

400m

110m

400m

100m 60m
Corrida com Obstáculos 3.000m 3.000m 2.000m Não há Não Há
Marcha Atlética  
20.000m

50.000m

10.000m 10.000m 5.000m 3.000m
Revezamentos  
4x100m

4x400m

4x100m

4x400m

4x100m

Medley

(100-200-300-400)

4x75m

4x250m

4x60m

4x150m

Saltos  
Distância

Altura

Triplo

Vara

Distância

Altura

Triplo

Vara

Distância

Altura

Triplo

Vara

Distância

Altura

Distância

Altura

ArremessoLançamentos  
Peso (7,26 kg)

Disco (2,0 kg)

Dardo (800 g)

Martelo(7,26kg)

Peso (6 kg)

Disco (1,75 kg)

Dardo (800 g)

Martelo (6 kg)

Peso (5 kg)

Disco (1,5 kg)

Dardo (700 g)

Martelo (5 kg)

Peso (4 kg)

Disco (1 kg)

Dardo (600g)

Peso (4 kg)

Pelota (250g)

Combinada  
Decatlo
Decatlo Octatlo Pentatlo Tetratlo

OBSERVAÇÃO

Há também a categoria Sub-23 (no masculino e feminino), que apresenta as mesmas provas que a categoria adulta. Esta categoria foi criada para servir como adaptação da categoria juvenil para a categoria adulta.

Provas, Categorias e Idades do Atletismo Feminino

PROVAS ADULTO

Acima 20 anos

JUVENIL

Até 19 anos

MENORES

Até 17 anos

MIRIM

Até 15 anos

PRÉ- MIRIM

Até 13 anos

Corridas  
100m

200m

400m

800m

1.500m

5.000m

10.000m

100m

200m

400m

800m

1.500m

3.000m

5.000m

100m

200m

400m

800m

1.500m

3.000m

75m

250m

1.000m

60m

150m

600m

Corridas com Barreiras  
100m

400m

100m

400m

100m

400m

100m 60m
Corrida com Obstáculos 3.000m 3.000m 2.000m Não há Não Há
Marcha Atlética  
20.000m
10.000m 5.000m 3.000m 1.500m
Revezamentos 4x100m

4x400m

4x100m

4x400m

4x100m

Medley

(100-200-300-400)

4x75m

4x250m

4x60m

4x150m

Saltos  
Distância

Altura

Triplo

Vara

Distância

Altura

Triplo

Vara

Distância

Altura

Triplo (9m)

Vara

Distância

Altura

Distância

Altura

ArremessoLançamentos  
Peso (4 kg)

Disco (1 kg)

Dardo (600g)

Martelo (4kg)

Peso (4 kg)

Disco (1 kg)

Dardo (600g)

Martelo (4kg)

Peso (4 kg)

Disco (1 kg)

Dardo (600g)

Martelo (4kg)

Peso (3 kg)

Disco (1 kg)

Dardo (600g)

Peso (3 kg)

Pelota (250g)

Combinada  
Heptatlo
Heptatlo Pentatlo Pentatlo Tetratlo

Provas Combinadas - Especificações Oficiais

ORDEM DECATLO HEPTATLO OCTATLO PENTATLO TETRATLO
100m 100m c/bar. 100m 80m c/bar 60m c/bar
Distância Altura Distância Altura Peso
Peso Peso Peso Peso Distância
Altura 200m 400m Distância 600m
400m Distância 110m c/bar. 800m -
110m c/bar. Dardo Altura - -
Disco 800m Dardo - -
Vara - 1.000m - -
Dardo - - - -
10ª 1.500m - - - -

As especificações técnicas para a realização de corridas com barreiras: Masculino

Provas Categoria Altura das Barreiras Distância da Saída até a 1ª Barreira Distância entre as Barreiras Distância da última barreira até a chegada
60m Pré-Mirim 0,762m 10,00m 8,00m 10,00m
80m Mirim 0,84m 12,00m 8,00m 12,00m
110m Menores 0,914m 13,72m 9,14m 14,02m
110m Juvenil 0,995m 13,72m 9,14m 14,02m
110m Sub-23 1,067m 13,72m 9,14m 14,02m
110m Adulto 1,067m 13,72m 9,14m 14,02m
           
400m Menores 0,84m 45,00m 35,00m 40,00m
400m Juvenil 0,914m 45,00m 35,00m 40,00m
400m Sub-23 0,914m 45,00m 35,00m 40,00m
400m Adulto 0,914m 45,00m 35,00m 40,00m

As especificações técnicas para a realização de corridas com barreiras: Feminino

Provas Categoria Altura das Barreiras Distância da Saída até a 1ª Barreira Distância entre as Barreiras Distância da última barreira até a chegada
60m Pré-Mirim 0,762m 10,00m 8,00m 10,00m
80m Mirim 0,762m 12,00m 8,00m 12,00m
100m Menores 0,762m 13,00m 8,50m 10,50m
100m Juvenil 0,84m 13,00m 8,50m 10,50m
100m Adulto 0,84m 13,00m 8,50m 10,50m
           
400m Menores 0,762m 45,00m 35,00m 40,00m
400m Juvenil 0,762m 45,00m 35,00m 40,00m
400m Adulto 0,762m 45,00m 35,00m 40,00m

As especificações técnicas para a realização de corridas com obstáculos: Masculino

Provas Categoria Altura do obstáculo
2.000m Menores 0,914m
3.000m Juvenil 0,914m
3.000m Sub-23 0,914m
3.000m Adulto 0,914m

As especificações técnicas para a realização de corridas com obstáculos: Masculino

Provas Categoria Altura do obstáculo
2.000m Menores 0,762m
3.000m Juvenil 0,762m
3.000m Sub-23 0,762m
3.000m Adulto 0,762m

As características das provas que compõem o atletismo, em que padrões diferenciados de comportamento motor ou estruturas somáticas, possibilitam que diferentes padrões morfológicos tenham possibilidade de alcançar sucesso na sua prática, fazem desta modalidade uma das mais praticadas no Brasil e no mundo.

No atletismo, por haver provas com característica de resistência, de potência de membros inferiores e de potência de membros superiores, é possível que várias crianças com somatotipos diferenciados encontrem no atletismo o seu esporte.

LÚCIO ANDRÉ BRANDT

Fonte: www.pucrs.campus2.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal