Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Bahamas  Voltar

Bahamas

 

História

Oficialmente falando, as Bahamas pode ser chamada de Comunidade das Bahamas.

É um país de língua Inglês composto por 29 ilhas e ilhotas.

As Bahamas fica ao norte de Cuba e abrange 14.000 quilômetros quadrados.

Embora ela pode ter tido um dedo na descoberta de muitas ilhas do Caribe, Cristóvão Colombo tinha um aperto firme na primeira chegada nas Bahamas por qualquer explorador europeu. Isso não quer dizer que sua história começa em 1492, no entanto, que remonta muito mais longe do que isso.

Bahamas

Bahamas: primeiros habitantes

As Bahamas que Colombo encontrou eram habitadas por Lucayans. Colombo não tinha interesse em tomar o controle sobre as ilhas e presentes trocados apenas com os habitantes. Eles podem ter sido esperando presentes na próxima vez que foram pagos uma visita à Europa, mas eles estavam a ser severamente desapontado por traficantes de escravos espanhóis que tinham pouco interesse em trocar lembranças.

A população indígena foram, no entanto, permitiu que a tarefa de trabalhar como escravos nas minas de ouro espanholas. Isto foi feito de tal forma que a população Lucayan foi praticamente terminado. O espanhol decidiu não colonizar a ilha, apesar de que eram eles que capturou-lo para seus próprios fins.

Isso mudou o rosto das ilhas, que eram supostamente muito bem arborizada antes da chegada dos espanhóis. Muito poucos consideram os comerciantes Slaver espanhóis como inquilinos responsáveis como as florestas nunca foram replantadas.

Colonização Européia

A civilização foi finalmente estabelecida nas Bahamas, em paralelo com a Guerra Civil Inglês. Grupos religiosos puritanos chegaram à ilha e estabeleceram uma civilização. Isso explica tanto a religião e inglês propriedades falar desta parte do Caribe.

As ilhotas e ilhéus tudo provou ser um ótimo lugar para os piratas e os de uma profissão mais perversa. Os piratas tinham uma grande parte das ilhas para si e decidiu, em muitas partes do Bahamas. Isso foi muito complicado para monitorar e controlar, dada a natureza dispersa das ilhas.

As ilhas tornou-se uma colônia britânica em 1717 e no ano seguinte viu a lei ea ordem restaurada finalmente. 1729 foi o ano em que a lei ea ordem realmente assumiu o comando quando a primeira Casa da Assembléia foi instalada nas ilhas. Os piratas foram presos sob essa nova regra e as ilhas foram gradualmente mantidos sob alguma forma de ordem.

O espanhol teve mais uma chance em 1782 durante uma guerra civil, desta vez foi o americano. Essas tentativas não foram muito que se preocupar e os britânicos concessões de terra emitidos para impulsionar a ilha. A população triplicou, como resultado, principalmente, através dos escravos trazidos para trabalhar nas plantações. Tal como acontece com muitas outras ilhas do Caribe, essas plantações falhou devido ao mau estado do solo.

Raça e questões éticas foram muito pertinentes durante este tempo e os habitantes europeus sempre acreditaram que eram os cidadãos superiores. Um sistema de três camadas parecia estar no lugar, levar pelos europeus.

Independência das Bahamas

1964 foi o ano da independência, durante o qual o Bahamas finalmente se separou da Europa, apesar de permanecer um membro da Commonwealth.

As Bahamas tornam-se uma base estratégica durante a Segunda Guerra Mundial e continuam a ser um membro leal da Commonwealth.

Sua história é imensamente diversificado, apesar de terem vindo para descansar como um país de língua Inglês comunidade. Este parece atender a ilha que agora é um centro turístico.

Fonte: www.colegiosaofrancisco.com.br

Bahamas

ALFÂNDEGA E DOCUMENTAÇÃO

Passaporte em regra, passagem de volta e dinheiro suficiente para a estadia. Não precisa de visto para estadias inferiores aos 90 dias.

EQUIPAMENTOS DE VIAGEM

Recomenda-se levar roupa de algodão e calçado confortável, impermeável, óculos de sol, chapéu, protetor solar e repelente contra os insetos.

IDIOMA

O idioma oficial é o inglês. Também fala-se o inglês criollo, francês criollo, grego e chinês.

RELIGIÃO

Protestantes 43%, católicos 28% e outros 29%

ELETRICIDADE

A rede elétrica é de 120 volts e 60 Hz.

MOEDA E CÂMBIO

A moeda oficial é o Dólar das Bahamas (BSD). Um BSD equivale a 100 centavos. Existem moedas de 1,5,10,15,25, e 50 centavos e de 1,2, e 5 dólares. Notas de 1,3,5,10,20,50 e 100 dólares. Os câmbios podem ser realizados em muitos lugares e o mais aconselhável é viajar com dólares americanos.

EMERGÊNCIA - SAÚDE - POLICIAMENTO

Não precisa de nenhuma vacina nem certificado médico para entrar às Bahamas, exceto se chegar de zonas infectadas. Caso de emergência médica ou policial, o mais recomendável é solicitar ajuda nas recepções dos hotéis.

CORREIOS E TELEFONIA

Os telefonemas nacionais e internacionais fazem-se de forma fácil e confortável. Para ligar às Bahamas da Espanha deve marcar 00-1-809, mais o número do assinante.

CORREIOS E TELEFONIA

Os telefonemas nacionais e internacionais fazem-se de forma fácil e confortável. Para ligar às Bahamas da Espanha deve marcar 00-1-809, mais o número do assinante.

FOTOGRAFIA

A revelação é mais cara, assim como o material fotográfico em geral.

HORÁRIO COMERCIAL

Normalmente, nas cidades mais importantes os bancos e lojas abrem das 9.00 às 15.00 horas. Em alguns lugares até as 17.00 horas.

GORJETAS

Normalmente estão incluidas nos serviços dos hotéis, mas é optativa.

TAXAS E IMPOSTOS

Existe uma taxa de saída no aeroporto.

Situação e Geografia

Na parte ocidental do Atlântico situam-se às Bahamas, um arquipélago que extende-se desde as costas da Florida até o norte de Cuba e Haití.

Mais de 22 ilhas habitadas, 700 sem habitar e por volta de 2.000 ilhotas compõem o arquipélago das Bahamas, o qual espalha-se da Florida até o nordeste de Cuba. Dentro deste imenso conjunto de ilhas e ilhotas salientam Nueva Providencia, Andros, Grand Bahama, Inagua, Abaco, Long Island, Cat Island, Mayaguana, Cayo Lobos, Eleuthera e San Salvador (acredita-se que esta última foi a primeira terra descoberta por Cristovão Colombo). A superfície das ilhas em geral é plana e o seu rio principal e o Andros.

Flora e Fauna

A vegetação e o mundo animal mais importante das ilhas encontra-se no mar. A tartaruga carey, a golondrina, a Huita e a jibóia das Bahamas são os animais que poderemos contemplar, embora alguns deles estejam em perigo de extinção.

Dados Históricos

Acredita-se que os primeiros habitantes do Caribe foram os Arawak. Mais tarde, e visando poder praticar as suas crenças religiosas em novas terras, começaram as chegadas dos primeiros aventureiros Eleutheranos, vindos das Bermudas.

A agricultura ia florescendo enquanto os primeiros piratas faziam escala nestas terras. Um antigo corsario, woodes Rogers, foi nomeado primeiro governador real e afastou aos piratas das Bahamas. A partir de então, o interesse na ilha do país vizinho, os Estados Unidos, cresceu.

Por causa das guerras, muitos norte-americanos fugiam às ilhas pela pressão existente nos seus estados. Em 1964, as Bahamas obtém a sua primeira constituição sem por isso deixar de ser um protetorado britânico. Em 1973 obtém total independência, mas atualmente o contato e aproximação aos Estados Unidos e cada vez maior.

Arte e Cultura

Durante os séculos XVII e XVIII, o tráfico de escravos trouxe milhões de africanos às ilhas caribenhas, muitas das quais são agora países negros ou mulatos, tendo conservado muitos elementos culturais originários dos continentes dos quais os escravos foram trazidos.

Em respeito às manifestações artísticas, a grande maioria das ilhas caribenhas têm conservado as técnicas do trabalho manual tradicional. Salientam os trabalhos em chapa (para o que usam vasilhas velhas), a cesteria (fundamentalmente com folhas de coqueiro e bananeira) e a elaboração de tijelas pintadas a mão. Também trabalha-se o couro, o âmbar e a madeira.

GASTRONOMIA

O mais típico das Bahamas é o Caracol Das Bahamas, cozinha-se de formas muito variadas: estufado de caracol, salada de caracol, pastéis de caracol, etc.

A sopa de tartaruga é realmente deliciosa. Nas sobremesas, poderá comer pudim de goiaba, doce de abacaxi, sorvete de sopa amarga ou torta de cocoa. O pássaro amarelo e o ponche de Goobay são dois coquetéis de rum ótimos após a refeição.

POPULAÇÃO E COSTUMES

A população é principalmente de origem africana, sendo o resto norte-americano britânicos e canadenses. O turismo e a agricultura são as principais ocupações destas pessoas, junto com a pesca. Nos últimos anos o petróleo e a indústria química e farmacêutica têm suposto uma importante fonte de ingressos.

A música e as danças populares são elementos fundamentais e cotidianos. Os rítmos e melodias souberam captar as condições históricas das Bahamas, introduzindo nos diferentes rítmos uma proposta novedosa. A música e as danças africanas chegaram ao Caribe traz a chegada dos escravos africanos, origanarios principalmente de Ghana, Alta Guinea e a Yoruba Nigeriana.

Da mesma maneira que o resto de ilhas do Caribe, o Carnaval é, sem dúvida nenhuma, a festa por excelência. Todas as pessoas participam nestas festas e as ruas enchem-se de gente, desfiles, disfarces, máscaras, danças, música e foguetões.

A preparação do Carnaval começa no ano Novo, quando os locais trabalham com paciencia e habilidade nas roupas e canções que, durante uns dias, alegrarão a calma vida deste lugar.

ENTRETENIMENTO

As possibilidades que as Bahamas oferecem são quase infinitas. Os amantes dos esportes aquáticos, especialmente os mergulhadores, encontrarão uma paisagem inesquecível. Clubes noturnos, bares, cafés e discotecas completam a oferta de entretenimento.

FESTIVIDADES

As festas e as celebrações de acontecimentos assinalados enchem de luz e cor o arquipélago todo. Assim, Junkanoo é o famoso festival nacional surgido das tradições africanas, celebra-se o 26 de dezembro e o Dia do Ano Novo, enquanto que o Festival de Verão de Goombay é uma festa popular de três noites de duração.

O dia 10 de julho, data da Independência Nacional, começa a Semana da Independência, festejada com desfiles e foguetões.

O dia 28 de agosto celebra-se o Dia da Emancipação e 12 de outubro, como em quase todo o continente, o Dia da Descoberta.

Fontewww.rumbo.com.br

Bahamas

NEW PROVIDENCE - PARADISE ISLAND

É esta a ilha mais famosa das Bahamas e o centro turístico mais completo do trópico. Ao longo de 5 quilômetros de areia branca extende-se Cable Beach, uma praia de miuda e bela areia branca.

NASSAU

Nassau, na ilha de New Providence (Nova Providência), é a capital e o centro comercial e financeiro das Bahamas. Esta cidade ainda conserva o encanto da época colonial britânica. A Praça do Parlamento, a Avenida Elizabeth, a Casa do Governador ou o Forte Fincastle são uma boa mostra disso.

Water Tower (A torre de água) é, com 75 metros de altitude, o maior edifício da ilha toda, onde os turistas chegam para gozar da extraordinária vista oferecida desde o mirante situado no mais alto da torre. Queen's Staircase (A escada da Rainha) é um dos outros lugares que não podem ficar sem ser visitados, pois desde acima contempla-se impressionante vista da cidade inteira assim como o seu porto.

No fim da Avenida Elisabeth acha-se o Forte Fincastle, uma fortaleza construida em 1793 que imita a forma da proa de um barco. Se quiser passeiar pelas pequenas ruas do velho Nassau, a Praça Rawson Square -situada entre a Doca do Príncipe George e Bay Street- será o melhor local de saída. E para conhecer de perto a alegre vida dos habitantes de Nassau, não deixe de percorrer o Woodes Rogers Walk, um belo passeio situado a beira mar.

Os lugares mais importantes para o visitante são a Praça do Parlamento, no centro da cidade (esta é a sede do governo das ilhas), o Palácio do Congresso, a Antiga sede do Secretario Colonial, o Tribunal Supremo e um monumento dedicado à Rainha Victória. Muito perto dali está a Biblioteca Nacional Pública, antigo cárcere. Bay Street é a rua principal.

Aqui você pode ter aceso a uma grande quantidade de restaurantes e lojas. No Mercado do Artesanato, encontrará tudo o que procura, pois trata-se de um dos mercados mais importantes da zona.

Príncipe George Wharf, uma doca na qual encostam e partem os cruzeiros com diversos destinos

Rawson Square, situada entre a doca do Príncipe George e Bay Street.

Casa do Governador, interessante mansão, atualmente residência do governador.

ARREDORES DE NASSAU

Jardim Botânico

Um maravihoso jardim com lagoas com peixes à cores e também cactus.

Coral World

Perto de Nassau. Um belo observatório submarino, Desde o interior e através de umas janelas pode-se espreitar o fundo do mar.

Forte de Charlotte

Situado na West Bay Street. O forte foi construido em 1788 e possui poços, almenas e cárceres.

Ardastra Gardens

Ao pé de Fort Charlotte acham-se estes jardins tropicais onde poderá contemplar os originais flamingos rosados.

Fort Montagu. Situado em East Bay Street

Foi construido em 1771 e durante alguns anos foi uma propriedade norte-americana.

POTTER'S CAY

Em baixo da ponte de Paradis Islands. Conta com um popular mercado onde pode-se comprar uma grande variedade de artigos comestíveis.

Versalles Gardens e French Cloister

Situada em Paradis Islands. É um mosteiro agustino do século XIV, deslocado da França e reconstruido pedra por pedra.

ILHA GRANDE BAHAMA

Nesta ilha, situada a só meia hora de distância de Miami, pode-se praticar todo tipo de esportes aquáticos. Para gozar da exótica natureza desta ilha, o melhor será visitar o Rand Memorial Natural Centre, os Jardins Of the Groves e as cavernas do Parque Nacional de Lucaya. O Museu Grand Bahama mostrar-lhe-á a história e as tradições dos índios lucayanos. Grande Bahama convida o turista a relaxar e gozar do fundo dos seus mares.

Os locais de maior interesse são:

Freeport / Lucaya

Um importante centro administrativo e comercial.

Randt Memorial Natural Centre

A muito poucos minutos de distância de Freeport, muito interessante pelo seu bosque autoctono.

Of the Goves Museum

Este é um grande museu junto com um jardim cemitério dos lucayanos, os primeiros povoadores das ilhas.

Parque Nacional de Lucayana

Um interessante tesouro natural com cavernas de pedra caliça.

Fábrica de Perfumes

Não deixe de visitá-la.

AS FAMILY ISLANDS

Mais de 700 ilhas e ilhotas paradisíacas sem muito turismo, perfeitas para deixar tudo para trás.

AS ABACO

Formam um grupo de ilhas ao longo de 210 quilômetros. De águas cor de esmeralda. Em 1783 chegaram os primeiros colonizadores. O Faro de Hope Town ainda funciona com querosene e é impulsionado a mão.

Perto da pequena localidade de Green Turtle Cay, muito poular pelas cores brilhantes das suas casas, estão situados o Parque Nacional de Pelican cay e a Reserva de Aves do National Trust, sendo o primeiro o principal atrativo para os mergulhadores e a segunda, para os ornitólogos.

O mais importante para ver:

Marsh Harbouk

Porto de entrada com aeroporto próprio. Como curiosidade, também possui o único semáforo da ilha.

Faro de Hope Town

Com as suas riscas brancas e vermelhas, ainda é impulsionado com querosene.

Green Turtle Cay

É uma localidade muito pequena, de casas que pelas suas cores e formas, parecem vir de uma época longínqua.

Man-O-War Cay

Ateleiros onde os trabalhadores construirem barcos seguindo o estilo dos seus antepassados há 200 anos.

Praia de Treasure Cay

Uma das mais belas praias destas ilhas.

Parque Nacional de Pelican Cay

Um parque subaquático onde os mergulhadores podem gozar de uma maravilhosa paisagem, no meio do mar.

Reserva de aves do National Trust

Um paraíso para os ornitólogos.

ANDROS

90 quilômetros fora de Nassau, está Andros, a ilha menos explorada do arquipélago. Possui dois bosques tropicais nos quais, segundo a lenda indiana, mora o lendário Chickcharine, uma criatura de olhos vermelhos com três dedos nas maõs e três nos pés. Nichol's Town e Mastic Point são dois lugares ótimos para conhecer a gastronomia local pode-se escutar música Goobay ao vivo.

Esta é a maior e menos turística das ilhas e uma autêntica barreira de coral, um sonho encantador para os mergulhadores. A corrente doce do oceano está cheia de uma grande variedade de fauna e flora marinha. Um verdadeiro paraíso. Andros é conhecida como a Ilha do Espírito Santo. O seu interior tem densas florestas e a morada do Chickcahrine, duende da floresta segundo a lenda índigena.

ELEUTHERA

Eleuthera é uma palavra grega que significa Liberdade. Esta ilha foi descoberta há 300 anos. Em Eleuthera poderá visitar o Glass Wind Bridge, uma ponte com o Atlântico de um lado e o Mar Caribe do outro.

Ao norte da ilha está Gregory Town, onde fabrica-se rum de abacaxi. Spanish Wells, o primeiro assentamento europeo, tem ainda o encanto arquitetônico e artístico de há alguns séculos. A vila do Governor's Harbour é outro dos mais antigos das ilhas Bahamas. Salientam também Harbour Island, com uma bela praia de areia miuda e Ocean Hole, uma lagoa interior muito funda ligada ao mar por buracos.

AS EXUMAS

As exumas estão formadas por uma cadeia de 365 ilhas de entre as quais salientam Great Exuma e Little Exuma, ligadas por uma ponte. O principal atrativo destas ilhas está no Parque Nacional Marinho e Terrestre de Exuma, para chegar até lá deverá ir de barca através de uma zona de arrecifes de coral e cavernas submarinas. A capital é George Town.

AS BIMINI

Esta é a zona de pesca mais extensa do mundo.

Os locais mais importantes são: Blue Marlin Cottage e o Museu, onde Hemingway viveu e procurou a inspiração para muitos dos seus romances, e o Mercado da Palha de Alice Town.

CAT ISLANDS

Esta ilha é recomendada pela sua espetacular vegetação. As Cavernas dos Arawak são muito interessantes pois podem-se contemplar alguns restos pre-colombianos.

INAGUA

Nesta ilha acha-se uma das maiores colônias de flamingos do mundo (perto de 40.000 exemplares vivem na Lagoa Windsor) e, em Cat Island, será possível visitar as cavernasas dos índios arawak nos arredores do Port Howe.

Os flamingos e as águas pantanosas da Lagoa Windsor é o melhor do lugar.

LONG ISLAND

Estas ilhas oferecem um interessante contraste. De uma parte as brancas praias e de outra as falécias rochosas.

SÃO SALVADOR

São Salvador foi -segundo a crença- a primeira ilha que pisou Cristovão Colombo. Após cinco séculos continua a ser, em muitos aspectos, a mesma ilha virgem desses tempos.

Fontegeocities.com

Bahamas

O arquipélago das Bahamas é formado por cerca de 700 ilhas e 2400 recifes localizados no nordeste do Caribe. A ilha de Nova Providência é a mais importante.

Outras ilhas são Andros e San Salvador. Cerca de 85% da população é negra; os brancos correspondem a 15%.

As religiões predominantes são: Batista, Anglicana e Católica Romana.

Índios Arauaques habitavam as ilhas quando Cristóvão Colombo pisou pela primeira vez no "Novo Mundo", em São Salvador, em 1492. O estabelecimento dos ingleses nas ilhas começou em 1647, se tornando estas colônias britânicas em 1783. Desde que conquistou a independência do Reino Unido em 1973, a Comunidade das Bahamas prosperou por meio do turismo e da gerência de bancos internacionais e investimentos.

Sistema Político

Território dividido administrativamente em 21 distritos: Acklins and Crooked Islands, Bimini, Cat Island, Exuma, Freeport, Fresh Creek, Governor's Harbour, Green Turtle Cay, Harbour Island, High Rock, Inagua, Kemps Bay, Long Island, Marsh Harbour, Mayaguana, New Providence, Nichollstown and Berry Islands, Ragged Island, Rock Sound, Sandy Point, San Salvador and Rum Cay.

Poder Executivo: o chefe de Estado é a Rainha Elizabeth II, representada pela Governadora Geral Dame Ivy Dumont, que ocupa o cargo desde maio de 2002. O Gabinete é formado por indicação do Governador Geral, observando orientações do Primeiro-Ministro. O Governador Geral é nomeado pelo Monarca, assim como o Primeiro-Ministro é indicado pelo Governador-Geral. O chefe de Governo é o Primeiro-Ministro Perry Christie, desde 3 de maio de 2002.

Poder Legislativo: Congresso bicameral, composto pelo Senado, com 16 membros nomeados pelo Governador-Geral, seguindo orientações do Primeiro-Ministro e do líder da oposição, para mandato de 5 anos, e Assembléia, com 40 membros eleitos por voto direto para igual mandato de 5 anos.

Poder Judiciário: a Constituição de Bahamas coincide com a independência do país, em 1973, em relação ao Reino Unido. O Judiciário engloba a Corte Suprema e a Corte de Apelação, preservando-se o direito de apelação ao Conselho Privado, em Londres.

Economia

O turismo representa cerca de 60% do PIB e emprega metade da força de trabalho do País. A oferta abundante de empregos nesse setor dá origem a tentativas de imigração ilegal dos vizinhos haitianos. O setor financeiro é o segundo da economia bahamiana, representando cerca de 15% do PIB. A manufatura e a agricultura representam um décimo do PIB e têm experimentado pouca expansão.

O crescimento da economia, a curto e médio prazo, depende pesadamente da evolução do setor de turismo. Houve, por exemplo, uma significativa queda da renda do setor após os atentados nos EUA em setembro de 2002, em consequência da retração do turismo norte-americano, responsável por mais de 80% das atividades do setor.

O Governo busca incentivar o comércio eletrônico para, através do seu desenvolvimento, criar um terceiro "pilar" da economia.

Indicadores Econômicos

PIB: PPC US$ 5,1 bilhões
PIB per capita: 
PPC US$ 17,012 
Inflação:
 1,2% (setembro 2004)
Desemprego: 
10,2% (est. 2004)

Composição setorial do Produto Interno Bruto

Agricultura: 3%
Indústria: 
7%
Serviços:
 90%

Exportação

US$ 834 milhões
Pauta de exportação: 
pesca, rum, sal, produtos químicos, frutas e vegetais.
Destino: 
EUA, Alemanha, Espanha, França, Peru, México, Polônia e Suiça.

Importação

US$ 3.3 bilhões
Pauta de importação: 
maquinária, equipamento de transporte, manufaturas, químicos, combustíveis minerais, alimentos e animais vivos.
Origem: 
EUA, Coréia do Sul, Alemanha, Noruega, Japão e Itália.
Principais parceiros comerciais: 
EU, UE, Reino Unido, Japão, Dinamarca.

Política Externa

Não obstante as reduzidas dimensões de sua economia e pequena população, as Bahamas têm uma política externa ativa, sobretudo no plano multilateral.

Nos primeiros anos após sua independência (1973), sua política externa praticamente alinhou-se a dos Estados Unidos da América. Porém, em 1983, opuseram-se à intervenção americana/caribenha em Granada, qualificando-a de "reação excessiva e prematura".

Mantêm relações diplomáticas com cerca de 45 países, mas possuem missões diplomáticas permanentes em apenas quatro: Canadá, Grã-Bretanha, Haiti e Estados Unidos. Por razões de segurança, a Embaixada junto ao Governo haitiano passará a ser residente em São Domingos, na República Dominicana.

A política externa pode ser classificada como conservadora, procurando evitar confrontos com interesses norte-americanos.

No âmbito da CARICOM, as Bahamas têm papel relevante.

As Bahamas têm 25 % da população, assim como cinco de seus Ministros de Estado atuais, de origem haitiana. São favoráveis à reinserção do Haiti à CARICOM, apresentando posição mais flexível do que a de outros membros da Comunidade. Um acordo bilateral na área consular, que está para ser assinado, pretende que os cidadãos de origem haitiana nascidos nas Bahamas depois de 1973 sejam considerados bahamenses, se assim optarem ao completarem 18 anos de idade.

Relações Bilaterais

As relações do Brasil com a Comunidade das Bahamas têm-se caracterizado pela cordialidade e, mais recentemente, têm-se pautado pelo reconhecimento mútuo do potencial para seu estreitamento. Tomados em conjunto, os países caribenhos representam um mercado bastante atraente, relativamente aberto e receptivo a produtos brasileiros.

As relações bilaterais ganharam maior densidade no contexto dos recentes esforços desenvolvidos pelo Governo brasileiro para aproximar-se da CARICOM na busca de coordenação com os países da Comunidade no tratamento da questão haitiana (participação brasileira na MINUSTAH, cooperação técnica, visita do Presidente Lula, visitas do MRE, missões políticas, reuniões de coordenação com a CARICOM em Barbados, Nova York e São José da Costa Rica).

Após longas tratativas, o Governo das Bahamas decidiu assinar Acordo de Cooperação Judiciária em Matéria Penal, conforme nota enviada, nesse sentido, em 12 de agosto de 2004, visando o combate à lavagem de dinheiro e a operações fraudulentas ao fisco por parte de cidadãos brasileiros que se utilizam do sistema financeiro bahamense.

Quando as Bahamas tencionavam reabrir sua Embaixada em Porto Príncipe, fechada por questões de segurança, o Brasil gestionou junto à MINUSTAH fornecimento de segurança à referida Embaixada, que poderia servir como ponto de apoio às atividades da CARICOM em seu intuito de reaproximação diplomática com o Haiti.

Fontewww2.mre.gov.br

Bahamas

Bahamas é um país no Caribe.

A capital é Nassau.

A principal religião é o Cristianismo (Catolicismo e Protestantismo).

A língua nacional é o Inglês.

Índios Lucayan habitavam as ilhas quando Cristóvão Colombo primeiro colocou os pés no Novo Mundo em São Salvador em 1492. O assentamento Britânico das ilhas começou em 1647; as ilhas tornaram-se uma colônia em 1783.

Desde realizar a independência do Reino Unido em 1973, as Bahamas têm prosperado através do turismo e serviços bancários internacionais e gestão de investimentos. Por causa de sua geografia, o país é um importante ponto de transbordo para drogas ilegais, nomeadamente os transbordos para os Estados Unidos e Europa, e seu território é usado para o contrabando de imigrantes ilegais para os Estados Unidos.

As Bahamas têm um lugar verdadeiramente singular na história do mundo, uma distinção que a nação deve a Cristóvão Colombo, o renomado explorador. Pois quando Colombo primeiro desembarcou no Novo Mundo em 12 de Outubro de 1492, foi nas Bahamas - um grupo de ilhas no sudeste da Flórida e ao norte de Cuba. Especificamente, Colombo, provavelmente desembarcou na minúscula ilha que agora é chamada de San Salvador.

Colombo encontrou os Índios das Bahamas amigáveis, e ele levou alguns deles a bordo de seu navio como guias. Eles foram capazes de ajudá-lo a alcançar a grande ilha de Cuba. Por 1508 todas as Bahamas tinham sido despovoadas pelos Espanhóis para quem Colombo tinha reivindicado as ilhas.

Os Índios pacíficos foram transportados para os assentamentos Espanhóis em Hispaniola (a ilha onde as nações do Haiti e da República Dominicana estão agora localizados) e em Cuba, e foram forçados a trabalhar como escravos. Posteriormente, a história das Bahamas lê-se como uma história de aventuras. Por cerca de 150 anos as ilhas foram o esconderijo favorito de piratas, corsários e contrabandistas.

Agora as Bahamas são um local onde os turistas vão desfrutar de temperaturas amenas e brancas praias com palmeiras, bem como alguns dos melhores iates e pesca em alto mar do mundo. O mergulho e a caça submarina também são excelentes nas ilhas e atraem muitos visitantes anualmente.

Antecedentes históricos

No início do século 16 navios carregados com ricas cargas começaram a cruzar do Novo Mundo para a Europa. Estes navios logo se tornaram alvos dos piratas.

As Bahamas eram uma base natural para os piratas, que poderiam estar à espera dos navios que chegavam através do Estreito da Flórida próximo. E os complicados canais das Bahamas poderiam fornecer um santuário para os piratas, caso eles fossem perseguidos por navios fortemente armados que não poderiam navegar nas águas rasas e recifes de coral.

Os piratas se excediam, e não houve assentamento permanente Europeu nas Bahamas até a segunda metade do século 17. Embora Colombo tivesse reivindicado as ilhas para a Espanha, os Espanhóis não são conhecidos por terem tentado qualquer estabelecimento lá.

Os exploradores Britânicos também estavam familiarizados com as ilhas, e uma vez que os Espanhóis não colonizaram elas, a Grã-Bretanha reivindicou as Bahamas, no século 17. Em 1647 os Aventureiros Eleutherianos, um pequeno grupo de Inglêses e dissidentes religiosos Bermudanos, estabeleceram uma colônia na ilha de Eleuthera.

A colonização das Bahamas avançou lentamente até depois da Revolução Americana, quando milhares de Legalistas Britânicos migraram dos Estados Unidos com seus escravos. A chegada dos recém-chegados mais do que dobrou a população das ilhas. Mas houve pouco estabelecimento adicional, pois as ilhas careciam de minerais valiosos e não tinham o solo apropriado para a agricultura em grande escala.

Somente nas últimas décadas o ritmo de desenvolvimento das ilhas mudou; e a mudança foi dramática. No início na década de 1950, as viagens em jatos trouxeram as Bahamas dentro de poucas horas das principais cidades Americanas, e logo os turistas foram aglomerando as ilhas como nunca antes. O turismo foi negativamente afetado em 2001 por uma desaceleração econômica mundial e por um fogo destrutivo sobre a principal artéria do porto de Nassau.

Terra

As Ilhas Bahamas constituem um grande arquipélago ao norte do Mar do Caribe, no Oceano Atlântico. A terra tem muito a aparência das costas e das reentrâncias do sul da Flórida. As ilhas são geralmente planas e não sobem para mais de 400 pés (120 m) acima do nível do mar. Manguezais, praias brancas e recifes de coral são abundantes. As temperaturas de inverno nas Bahamas são em média de 70 °F (20 °C), e as temperaturas do verão estão nos 80 °F (30 °C).

O clima agradável das Bahamas é em parte devido à Corrente do Golfo, que passa as ilhas. Uma das delícias de tal clima é que as flores florescem ao longo do ano todo. As ilhas estão sujeitas a furacões no outono, e eles foram atingidos por dois deles, Frances e Jeanne, em 2004.

Todas as ilhas das Bahamas são habitadas. Há, no entanto, muitos pequenos pedaços de terra espalhados por todo o arquipélago onde ninguém vive. O número de ilhas habitadas é de cerca de 30. Além disso, existem cerca de 670 ilhotas desabitadas, ou cays, bem como mais de 2.000 peças de terra desabitadas tão pequenas que elas são chamadas de pedras.

As ilhas, ilhotas e rochas das Bahamas estão espalhadas por um vasto arco de algumas 750 milhas (1.200 km). A Ilha Andros, a maior ilha, tem 104 milhas (167 km) de comprimento e 40 milhas (64 km) de largura na sua parte mais larga.

A capital - e de longe, a cidade mais importante das Bahamas - é Nassau, na Ilha de Nova Providencia. Na verdade, a cidade propriamente dita é relativamente pequena, e constitui apenas uma fração de um grande bairro que se estende por cerca de 8 milhas (13 km) ao longo da costa norte de Nova Providencia.

População e Economia

Mais turistas vêm para Nassau do que qualquer outra cidade nas ilhas, e seu porto agitado é o mais movimentado nas Bahamas. Nassau é também um centro das finanças internacionais, pois a legislação fiscal das Bahamas têm incentivado o crescimento dos bancos internacionais. A importância de Nassau é tão grande que todas as outras ilhas além da Ilha de Nova Providencia são chamados ilhas, e seus habitantes são chamados ilhéus.

Cerca de 85 por cento da população é negra. A maioria dos Bahamianos são descendentes de escravos trazidos para as ilhas nos séculos 17 e 18. A minoria branca detinha a maior parte do poder político, assim como a maioria da riqueza, até 1967, quando um partido praticamente todo de negros - o Partido Liberal Progressista (PLP), ganhou o controle do parlamento.

Lynden O. Pindling tornou-se então o primeiro primeiro-ministro negro das ilhas, permanecendo no cargo por seis eleições. Seu partido perdeu a maioria em 1992. Hubert A. Ingraham do Movimento Democrático Livre, em seguida, tornou-se o primeiro-ministro. O PLP, liderado por Perrie Christie, voltou ao poder nas eleições de 2002; Ingraham o substituiu após novas eleições em Maio de 2007.

Economia - visão geral

Bahamas é um dos mais ricos países do Caribe com uma economia fortemente dependente do turismo e serviços bancários offshore. Turismo em conjunto com a construção do turismo orientado e contas de fabricação por cerca de 60% do PIB e emprega direta ou indiretamente metade da força de trabalho do arquipélago.

Antes de 2006, um crescimento constante nas receitas do turismo e um boom na construção de novos hotéis, resorts, e residências levaram ao crescimento do PIB sólido, mas, desde então, as receitas do turismo começaram a cair. A recessão global em 2009 teve um efeito considerável sobre as Bahamas, resultando em uma contração do PIB e um déficit orçamentário crescente.

A queda foi revertida em 2010-11 como o turismo a partir do investimento dos EUA e do setor retornado. Serviços financeiros constituem o setor segundo mais importante da economia das Bahamas e, quando combinados com serviços de negócios, representam cerca de 36% do PIB.

No entanto, o setor financeiro atualmente é menor do que foi no passado por causa da promulgação de novas e mais rigorosas regulamentações financeiras em 2000 que causaram muitas empresas internacionais para realocar em outros lugares. Indústria e agricultura combinados contribuem aproximadamente um décimo do PIB e mostrar pouco crescimento, apesar dos incentivos governamentais destinadas a esses setores.

Perspectivas de crescimento global no resto curto prazo fortemente nas fortunas do setor de turismo e os investimentos estrangeiros em projetos de infraestrutura para o turismo. O governo também concluiu a venda de 51% da empresa de telecomunicações em 2011, após 14 anos de tentativas de privatizar a empresa estatal.

Governo

Em 10 de Julho de 1973, as Bahamas se tornaram um país totalmente independente. No entanto, ele mantém a sua fidelidade à Coroa Britânica. O parlamento de duas-casas é composto da Casa da Assembléia popularmente eleita e do Senado, cujos membros são nomeados. A maioria da autoridade governamental reside na Casa da Assembléia. O chefe de governo é o primeiro-ministro, que é o chefe do partido maioritário na Assembleia.

William H. Kalis

FonteInternet Nations

Bahamas

As ilhas, com seus paredões de corais no mar, formam o habitat ideal para inúmeras espécies de peixes, tubarões e golfinhos.

Com sol e calor o ano todo, águas cristalinas e preservação ambiental de altíssima qualidade, Bahamas é símbolo de um paraíso de alto estilo.

Bahamas
Bahamas

Com 2.400 ilhas e ilhotas, espalhadas por 200.000 Km2 de águas cristalinas, paredões de coral e recifes, habitadas por uma variada e abundante vida marinha, as Bahamas são consideradas a meca do mergulho internacional.

Nassau, em New Providence Island, possui cassinos, resorts, shopping e o centro do governo e comércio.Tem uma agitada vida noturna e variedades de esportes aquáticos. Nos últimos anos, houve um incremento na infra-estrutura de turismo na região, com a construção de cassinos, aquários e parques.

Vida Noturna nas Bahamas

Vida noturna agitada e divertida neste paraiso tropical, encontramos uma infinidade de programas, bares, boates e cassinos para sua noite ser inesquecível.

Veja abaixo alguns desses locais:

- Flo’s Conch Bar & Restaurant

- Little Harbour, Berry Islands

- The Bahamas

Transportes

A maioria das ilhas conta com um serviço local de balsa para transporte de turistas e moradores entre as ilhotas vizinhas e os portos da ilha principal. Existe a oportunidade de viajar em barcos de vários tipos e tamanhos comandados por várias personalidades bahamenses.

Discovery Cruise Lines oferece um "Passeio de Cruzeiro às Bahamas" que parte diariamente de Fort Lauderdale com destino a Grand Bahama. A balsa parte de Fort Lauderdale às 7h25 da manhã, chegando às 13 horas em Grand Bahama; ela parte de Grand Bahama às 16h25, chegando às 22 horas em Fort Lauderdale.

Moeda

A moeda local é o dólar das Bahamas, por questões de segurança, a troca de moeda deve ser feita de preferência nas raras casas de câmbio.

É aconselhável o respeito dos conselhos habituais de segurança:

-Não passear durante a noite ou em locais isolados;

-Evitar as praias desertas;

-Transporte consigo uma cópia do passaporte;

Compras e Artesanato

Bahamas
Bahamas

Uma das melhores partes da viagem à Bahamas são as compras livres de taxas.

Em Nassau, ao longo da Bay Street encontrará lojas deperfumes, cosméticos, bebidas alcoólicas e jóias, estilo duty-free.Atualmente os bahamenses mantêm a tradição dos antigos índios lucaios e tainos de produção de arte e artesanato distintos, que refletem sua herança rica em arte e talento.

O bahamenses utilizam fontes locais para criar pratos, temperos, cerâmicas, artesanatos, arte e música singulares. Arte e artesanato locais também podem ser encontrados nos vários mercados de palha.

As duas principais áreas de compras na ilha são o International Bazaar e Port Lucaya Marketplace.

Mergulho

Bahamas
Bahamas

Você já deve ter visto algum vídeo com mergulhadores em volta de um guia alimentando tubarões com pedaços de carne e sangue. Este é um dos pontos altos nas Bahamas, normalmente não tem perigo nenhum neste tipo de turismo, várias operadoras locais possuem este tipo de saída em seus pacotes turísticos.

A uma infinidade de lugares de mergulho nas Bahamas.

Musicas

Bahamas
Bahamas

A música das Bahamas, é um mix de ritmos afro e calipso. A vida noturna acontece em Cable Beach e Paradise Island, onde se situam os hotéis com seus cassinos, como o Cristal Palace e o Atlantis.

Se você estiver em Nassau em 26 de dezembro ou 1º de janeiro, vai assistir ao Junkanoo, o carnaval das Bahamas, que começa às 2 horas da madrugada e vai até às 8 horas da manhã.

Alfândega

Ao chegar às Bahamas, todos devem preencher e assinar um formulário de imigração, mantendo uma parte deste em mãos até a partida.

Uma declaração oral de bagagem é necessária.

Clima

O clima é tropical, com temperatura média variando de 21-27 °C e ventos alíseos constantes.

A região está na rota dos furacões, sendo entre junho e novembro a época de maior ocorrência.

Fontewww.souturista.com.br

Bahamas

Bahamas (Caribe)

Geografia

Este arquipélago é constituído por várias ilhas, as principais são New Providence, a sede da capital, e Andros (o maior). A paisagem é plana, pontilhada aqui e ali com alguns morros, culminando em Monte Alverne (63 m) em Cat Island.

Países fronteiriços:

- Nenhuma linha de fronteira do país.

- Está localizado a leste dos Estados Unidos e Cuba

Independência: 10 de julho de 1973 (UK)

Sistema político: Monarquia constitucional (o monarca britânico nomeia um governador)

Capital: Nassau

Idiomas:

Oficial: Inglês

Crioulo de costume

Área: 13 940 km ²

População: 323 000 habitantes

Moeda nacional: Dólar das Bahamas (BSD)

Dia Nacional: 10 de julho (Proclamação da Independência de 1973)

Clima

Tropical arquipélago dá os verões quentes e úmidos e invernos suaves e agradáveis. Em geral, o mercúrio raramente cai abaixo de 16 ° C no inverno. No verão, o clima é de cerca de 34 ° C e as noites são agradáveis (cerca de 26 ° C).

Saúde

Nenhuma vacina necessária. Atualizado Gerais vacinas recomendadas (poliomielite, tétano, difteria ...). Cuidado com as queimaduras solares e mosquitos.

Cuidado com as queimaduras solares e picadas de mosquito.

Descubra

Bahamas, com suas lagoas, águas cristalinas e quentes, são um destino preferencial para relaxamento e banhos de sol. O arquipélago, entretanto, oferece algumas atividades interessantes para os curiosos. Em Nassau, o Museu Histórico, o Museu de piratas e museu Pompeu (o escravo) podem mergulhar na história do país.

O Mercado de palha na ilha, você pode trazer um souvenir típico da ilha. As pequenas ilhas do arquipélago também têm suas vantagens. No Bimini Island, você pode nadar com golfinhos, e de San Salvador, visite antigas plantações.

Fontewww.continent-americain.com

Bahamas

Com 2.400 ilhas e ilhotas, espalhadas por 200.000 Km2 de águas cristalinas, paredões de coral e recifes, habitadas por uma variada e abundante vida marinha, as Bahamas são consideradas a meca do mergulho internacional.

Bahamas
Mapa das
 Bahamas

Localizada a nordeste do Caribe, as Bahamas foram descobertas por Cristóvão Colombo em 1492. A região ficou sob domínio inglês por 325 anos, conquistando sua independência apenas em 1973. Conta com uma população aproximada de 290.000 pessoas, sendo a maioria de origem africana, descendentes dos escravos trazidos daquele continente durtante a época da colonização. O clima é tropical, com temperatura média variando de 21-27 °C e ventos alíseos constantes. A região está na rota dos furacões, sendo entre junho e novembro a época de maior ocorrência destes fenômenos.

A capital, Nassau, em New Providence Island, possui cassinos, resorts, shopping e o centro do governo e comércio. Conta com uma agitada vida noturna e variedades de esportes aquáticos. Nos últimos anos, um considerável esforço vem sendo feito no sentido de incrementar ainda mais a infraestrutura de turismo na região, com a contrução de cassinos, aquários e parques.

A maioria das ilhas são desabitadas, existindo uma grande preocupação do governo e população local com a preservação ambiental. Iguanas pré-históricos, colonias de pássaros diversos, florestas tropicais e orquídeas raras e exóticas, fazem parte do tesouro natural das Bahamas. Existem à disposição dos turistas várias opções de escursões eco-turisticas por locais selvagens.

Um dos maiores atrativos da região são os "Blue Holes", buracos naturais no fundo do oceano, com cerca de 30 a 60 metros de profundidade, sendo a superfície em torno do buraco coberta por recifes e cabeças de coral.

Andros é a maior das ilhas, sendo o paraíso dos praticantes de snorkelling e mergulhadores scuba. Bimini é frequentado pelas celebridades internacionais, sendo ideal para relaxar e aproveitar a tranquilidade do local. Para quem gosta de náutica, o lugar é Exumas, onde ocorrem anualmente várias regatas.

A infraestrutura de mergulho é completa, diversas operadoras fornecem cursos, equipamentos e excursões aos melhores points, inclusive mergulhos com tubarões e golfinhos. As Bahamas são conhecidas pelos "blue holes", piscinas naturais com cavernas e túneis oferecem uma visão fantásticas, explorações nestes locais devem ser feitas com cuidado por causa dos redemoinhos que se formam às vezes.

A visibilidade média na região é de 35 metros, o tamanho dos corais e a vida marinha é significativamente mais abundante que nos outros locais no Caribe. Os divers tendem a mergulhar nas ilhas de fora, particularmente em Andros.

Mergulhos

A barreira de corais de Andros é a terceira maior do mundo. O paredão começa entre 20 a 27 metros e cai abruptamente para 2000 metros de profundidade.

Belas formações de cavernas são encontradas na borda do paredão, a profundidades de 25 a 30 metros, permitindo incursões por túneis fantásticos que levam a enormes salões submarinos. Mergulhos mais rasos podem ser feitos em The Aquarium (7 m) e Elkhorn Park(66 m), nestes locais a limpidez da água aliada ao colorido da vida marinha formam o ambiente ideal para tomada de fotos e imagens sub.Em Small Hope existem dois sítios de naufrágios, ambos entre 18 e 20 metros de profundidade, sendo um aeroplano que afundou a 27 anos e o The Marion, barcaça que foi a pique a 12 anos.

Bimini é outro point muito procurado, provendo uma variedade de tipos de mergulhos, como recifes, paredões e naufrágios. O diferencial do lugar é a variedade e quantidade de vida marinha.

Os mergulhos em Bimini podem ser divididos em duas áreas: Bimini e Cat Cay. A primeira é rica em vida marinha e é onde se encontram a maioria dos naufrágios. Cat Cay é numa barreira de recifes, quase sempre com fortes correntes, mais procurada para mergulhos de penetração em túneis e cavernas.

A Grand Bahamas permite mergulhos de vários níveis nos recifes, onde podem ser avistados peixes tropicais coloridos de todos os tipos e tamanhos. Os mergulhos noturnos nos recifes mais rasos são quase que obrigatórios, os melhores point são Silver Reef, Sanctuary Reef, Treasure Reef e Fisch Farm.

Para mergulhos a profundidade média (entre 12 e 15 metros), os melhores locais são Angel Campo, Castle Reef e Photo Fantasy, onde é possível observar as grandes cabeças de coral, habitadas por uma infinidade de peixes e animais marinhos. Para mergulhos profundos, entre túneis, canyons e cavernas procure Pygmy Caves, Tunnels e Lady of Lucaya.

Em Grand Bahamas é comum o encontro com tubarões, que chegam bem perto do mergulhador, ficam rodeando e vão embora de repente, causando fortes emoções aos mergulhadores. Voce pode ainda visitar uma série de naufrágios e destroços na região.

No lado sul de Nassau está localizado o Clifton Wall, onde o paredão começa aos 10 metros, permitindo mergulhos bem tranquilos, ideal para iniciantes e tomada de imagens. Shark Wall, a 18 km ao sul da cidade de Nassau, é a terra dos tubarões e arraias. Os recifes a sudoeste de Nassau ficam a pouca profundidade (4 a 6 metros), proporcionando o encontro com variadas e coloridas formas de vida marinha. Aqui foi realizado o filme 20.000 Léguas Submarinas.

No lado norte, uma formação triangular de recifes, chamada de Barracuda Shoals, abriga uma grande variedade de garoupas, peixes-anjo e, é claro, barracudas.

Trinity Caves é um grupo de cavernas rasas, habitadas por gigantescas lagostas. Deste lado da ilha existem alguns naufrágios muito bons, como o Bahama Mama, onde você vai mergulhar junto a dezenas de tubarões, o Will Laurie, navio postal com 35 metros de comprimento que se encontra a 16 metros de profundidade.

Na região, em 1995, foi afundado propositalmente o navio Sea Viking, hoje um interessante sítio de naufrágio. As filmagens submarinas em barcos afundados de dois filmes da série James Bond (Thunderball e Never Say Never Again), foram feitas no local. Os barcos se encontram em bom estado, possibilitando um visual muito bonito.

Todo mergulhador já deve ter visto algum vídeo com mergulhadores em volta de um guia alimentando tubarões com pedaços de carne e sangue. Este é um dos grandes baratos nas Bahamas, normalmente não tem perigo nenhum neste tipo de turismo, mas mantenha suas mãos e pés e braços bem junto ao corpo para não ser confundido com comida por um animal mais afoito. Várias operadoras locais possuem este tipo de saída em seus pacotes turísticos.

A infinidade de points de mergulho nas Bahamas, torna praticamente impossível descrever todas as opções disponíveis. Maiores informações devem ser obtidas junto às operadoras e agências que fazem pacotes para estes locais.

Nome: Bahamas.

Localização: Nordeste do Caribe, próximo aos EUA.

Língua: Inglês

Capital: Nassau

Moeda: Bahamian dollar (equivalente a 1 dollar americano).

População: 290.000 habitantes.

Clima: Tropical

Documentos necessários: Passaporte / visto americano (para quem faz escala nos EUA).

Operadoras: Veja a seção calendário de saídas /turismo.

Fontewww.scubadiver.com.br

Bahamas

Nome oficial: Comunidade das Bahamas (Commonwealth of the Bahamas).

Nacionalidade: bahamense.

Data nacional: 10 de julho (Independência).

Capital: Nassau.

Cidades principais: Nassau (172.000), Freeport (26.574), Marsh Harbour (3.611) (1990).

Idioma: Inglês (oficial).

Religião: cristianismo 78,4% (anglicanos 16%, batistas 31,1%, outros protestantes 15,3%), outras 21,6% (1990).

Geografia

Localização: norte da América Central, mar do Caribe. 
Hora local:
 -2h. 
Área: 
13.864 km2. 
Clima: 
tropical. 
Área de floresta:
 2 mil km2 (1995).

População

Total: 310 mil (2000); sendo afro-americanos 85%, europeus meridionais 12%, asiáticos e outros 3% (1996). 
Densidade: 
22,14 hab./Km²
População urbana: 
88% (1998).
População rural: 
12% (1998).
Crescimento demográfico:
 2% ao ano (1998).
Fecundidade:
 2,6 filhos por mulher (1995-2999).
Expectativa de vida M/F: 
70,5/77 anos (1995-2000). 
Mortalidade infantil:
 16 por mil nascimentos (1995-2000). 
Analfabetismo:
 3,9% (2000). 
IDH (0-1):
 0,844 (1998).

Política

Forma de governo: Monarquia parlamentarista
Divisão administrativa: 
20 ilhas e grupos de ilhas. 
Chefe de governo:
 primeiro-ministro Hubert Alexander Ingraham (FNM) (desde 1992, reeleito em 1997). 
Principais partidos: 
Movimento Nacional Livre (FNM), Liberal Progressista (PLP). 
Legislativo:
 bicameral - Senado, com 16 membros (9 indicados pelo governador-geral, 4 pelo líder da oposição e 3 pelo primeiro-ministro); Casa da Assembléia, com 40 membros eleitos por voto direto para mandato de 5 anos. 
Constituição em vigor:
 1973.

Economia

Moeda: dólar das Bahamas. 
PIB:
 US$ 3,7 bilhões (1996). 
PIB agropecuária:
 3,4% (1992).
PIB indústria: 
10,9% (1992). 
PIB serviços:
 85,7% (1992). 
Crescimento do PIB: 
0% ao ano (1995). 
Renda per capita: 
US$ 12.400 (1996). 
Força de trabalho: 
160 mil (1998). 
Agricultura:
 Principalmente legumes e verduras, grapefruit, outras frutas.
Pecuária: 
ovinos, caprinos, suínos, aves. 
Pesca: 
10,4 mil t (1997). 
Mineração: 
sal, aragonita. 
Indústria: 
bebidas (principal: rum), química, gráfica e editorial, extração de petróleo. 
Exportações: 
US$ 1,8 bilhão (1998). 
Importações:
 US$ 2,2 bilhões (1998). 
Principal parceiro comercial: 
EUA.

Defesa

Efetivo total: 900 (1998). 
Gastos: 
US$ 22 milhões (1998).

Fontewww.portalbrasil.net

Bahamas

Um arquipélago de 700 ilhas e ilhotas, as Bahamas atrai milhões de turistas a cada ano.

Os visitantes vêm para desfrutar de seu clima ameno, belas praias e belas florestas.

A ex-colônia britânica e agora um membro da Commonwealth, o país é um grande centro de finanças offshore e tem uma das maiores frotas do mundo open-registro de envio.

O Bahamas goza de uma alta renda per capita.

O enorme crescimento no setor de serviços da economia levou as pessoas a deixar as aldeias pesqueiras e agrícolas para os centros comerciais em New Providence Island, Grand Bahama e Great Abaco.

Esta tendência agravou das ilhas da dependência do turismo e da banca.

Tal como acontece com outros países do Caribe, Bahamas enfrenta o desafio de combater o tráfico de droga ea imigração ilegal.

Ele tem tomado medidas para limpar o seu sistema bancário offshore.

O Bahamas é um destino para os migrantes de seu vizinho Caribe conflituosa, Haiti. Dezenas de milhares de haitianos estão pensados para estar vivendo ilegalmente no país.

Cultura das Bahamas é expressa mais colorida em "Junkanoo" celebrações de rua, que apresentam música rítmica, dança e trajes elaborados e máscaras.

Uma cronologia dos principais eventos:

1492 - Cristóvão Colombo faz sua primeira aterrissagem no Novo Mundo, nas Bahamas.

1647 - Inglês e refugiados Bermudan religiosos, os aventureiros Eleutheran, estabelecer o primeiro assentamento europeu no Bahamas.

1666 - Colonização de New Providence Island começa.

1717 - Bahamas tornam-se uma colônia da coroa britânica.

1783 - Espanha cede as Bahamas para a Grã-Bretanha, de acordo com o Tratado de Paris, depois de uma breve ocupando as ilhas do ano anterior.

1834 - Emancipação dos escravos.

1940-1945 - O duque de Windsor - anteriormente o rei Edward VIII - serve como governador das Bahamas.

1950 - Grã-Bretanha concede os EUA um intervalo de teste militar e estação de rastreamento de mísseis guiados, nas Bahamas.

1955 - Área de livre comércio estabelecido na cidade de Freeport, estimulando o turismo e atrair bancário offshore.

1964 - Bahamas concedido autonomia interna.

1967 - Lynden Pindling torna-se primeiro-ministro depois de seu Partido Progressista centrista Liberal (PLP) ganha primeira das ilhas eleições legislativas.

1972 - As negociações com a Grã-Bretanha sobre a independência começam na sequência de uma vitória esmagadora nas eleições pelo PLP, que faz campanha com uma plataforma de independência.

Independência

1973 - As Bahamas tornam-se independentes.

1983 - Os ministros do governo enfrentam acusações de tráfico de drogas.

1984 - Pindling é endossado como líder PLP após negar acusações de corrupção e vínculos com o narcotráfico.

1992 - Hubert Ingraham torna-se primeiro-ministro depois de seu centro-esquerda Livre Circulação Nacional (FNM) ganha uma maioria absoluta nas eleições gerais, encerrando 25 anos de governo do Pindling.

1996 - Ingraham reintroduz a pena de morte por assassinato.

1997 - Ingraham retorna como primeiro-ministro depois que seu partido é re-eleito.

1998 - Dois assassinos condenados são enforcados, apesar da oposição internacional e preocupação com o uso da pena de morte no Caribe.

De agosto de 2000 - "pai da independência" Sir Lynden Pindling morre. Ele foi chefe do governo 1967-92.

Novembro de 2001 - Dame Ivy Dumont torna-se primeira mulher a Bahama do governador-geral.

Maio de 2002 - O veterano político Perry Christie leva seu Partido Liberal Progressista para uma vitória esmagadora, derrubar a Livre Circulação Nacional, que está no poder há 10 anos.

Setembro de 2004 - O furacão Frances varre, causando danos generalizados. Semanas mais tarde, o furacão Jeanne castiga as Bahamas.

Março de 2006 - baseadas no Reino Unido regras finais de corte de apelações de que a sentença de morte obrigatória para violações de assassinato a constituição das Bahamas. Foi usado pela última vez em 2000.

2007 Maio - livre circulação ex-primeiro-ministro Hubert Ingraham Nacional de vencer as eleições parlamentares.

2012 Maio - Perry Christie retorna ao poder como o Partido Progressista Liberal vence eleições parlamentares. Derrotado primeiro-ministro Hubert Ingraham anuncia sua aposentadoria da política.

Fontenews.bbc.co.uk

Bahamas

Sobre a ilha

Grand Bahama, a quarta maior ilha da Comunidade das Bahamas, recebeu seu nome do espanhol “gran bajamar” –que significa “grande mar raso”– devido às muitas águas rasas ao redor da ilha.

A ilha se espalha por 154 quilômetros, margeada com cidades, aldeias e ilhotas que oferecem evidência duradoura dos muitos povos diferentes e culturas que chamaram Grand Bahama de lar.

No início de sua história, Grand Bahama ficou virtualmente desabitada por quase 300 anos. Mas, com o desenvolvimento de Freeport/Lucaya nos anos 50, e devido a localização da ilha, a apenas 88 km da costa leste da Flórida, ela é atualmente uma das ilhas mais visitadas das Bahamas.

Grand Bahama é um destino singular. Ela permite aos turistas uma combinação de férias cosmopolitas em um resort de qualidade internacional com o charme de aldeias históricas de pescadores e tesouros ecológicos não descobertos. Ela possui um dos maiores sistemas de cavernas submarinas do mundo, três parques nacionais, praias intermináveis, águas verde-esmeralda e vida marinha encantadora.

População

Em 1834, quando a Grã-Bretanha proibiu a escravidão por todo o império, os antigos escravos das Bahamas foram autorizados a reivindicar qualquer pedaço de terra livre que pudessem encontrar, e muitas das cidades mais antigas da ilha, como Pinder’s Point, Russell Town e Williams Town foram fundados por ex-escravos. Estas cidades quase invariavelmente foram batizadas em homenagem aos seus fundadores ou antigo dono de escravos.

Atualmente, muitas das 50 mil pessoas que vivem em Grand Bahama não nasceram na ilha. Elas vêm de todas as ilhas das Bahamas. Mas o que distingue a maioria dos grand-bahamenses dos demais bahamenses é seu espírito empreendedor e dedicação ao ambiente ao ar livre.

Turismo

Com sua impressionante combinação de maravilhas ecológicas e atrações feitas pelo homem, a ilha de Grand Bahama generosamente oferece algo para todos, incluindo duas a três férias em uma. O desafio é decidir o que fazer primeiro.

Deadman’s reef

Deadman’s Reef é lar de Paradise Cove, onde é possível nadar até alguns dos melhores recifes para mergulho com snorkel, e da família Brown, que vive aqui há 100 anos. Uma recente escavação arqueológica ao longo da praia revelou muitos artefatos pertencentese aos índios lucaios – fogueiras, ossos de animais, pedaços de cerâmica e contas de conchas. É um dos sítios arqueológicos lucaios mais importantes descobertos até o momento, datado de entre 1.200 e 1.300 d.C.

Deep water cay

Ninguém pode argumentar que Deep Water Cay, no extremo leste de Grand Bahama, não atende a todos os pré-requisitos de um belo local de fuga tropical: ela tem praias de areias brancas, água azul cristalina e ventos quentes. É isolada e tranqüila, vazia e idílica. Mas dificilmente alguém vem para Deep Water Cay em busca de tais coisas, digamos, triviais.

Elas vêm pelo albula vulpes.

Mais conhecido como ubarana-rato (bonefish), ele é um dos peixes mais desafiadores para os pescadores no planeta, e especialistas concordam que Deep Water Cay é o melhor lugar no mundo para pescá-lo. A ilhota é cercada por 650 quilômetros quadrados de águas rasas e mangues, onde o peixe cinzento se alimenta de camarão, crustáceos e insetos.

Quando o albula vulpes morde a isca, ele dispara feito um foguete, se sacudindo, girando e se projetando no ar em uma exibição de incansável resistência. Para seu tamanho (até 1 metro), ele provavelmente luta mais arduamente do que qualquer outro peixe.

Só um local onde ficar em Deep Water Cay –o Deep Water Cay Club, cujo livreto o descreve como um local “criado como santuários para damas e cavalheiros que compartilhavam a paixão de Gill Drake Senior (o fundador) pela pesca da ubarana esquiva...” O clube foi criado em 1958 e é um dos resorts de pesca mais exclusivos do mundo, com seu livro de hóspedes apresentando as assinaturas de todas as pessoas de renome no mundo da pesca. Ele também conta com 11 esquifes e seus guias são conhecidos por seu profissionalismo e amistosidade.

Eight mile rock

Eight Mile Rock é o maior cidade de Grand Bahama depois de Freeport/Lucaya, e recebeu seu nome devido aos 13 km de rocha sólida encontrados aqui.

A “cidade” é na verdade uma série de vilarejos, cada um com o nome da família que o estabeleceu e ainda habita o local. Jones Town, Martin Town, Pinedale, Hanna Hill, Bartlett Hill, Wildgoose e Hepburn Town são algumas das suas subdivisões. As respectivas famílias são principalmente descendentes de escravos libertos que atualmente são donos da terra, porque suas famílias as habitam desde meados do século 19.

Freetown

Freetown, atualmente mais conhecida como (velha) “Old Freetown”, é um das cidades mais antigas de Grand Bahama. Esta comunidade se distingue por estar em uma das áreas em que os escravos se estabeleceram após sua libertação. Grande parte da população natural de Grand Bahama veio de Old Freetown (especialmente os mais velhos) e se mudou para outras áreas à medida que buscavam um melhor modo de vida para suas famílias.

Alguns se mudaram para Water Cay por causa da lucrativa colheita de esponjas, agricultura e aldeias de pesca e tartarugas. Outros se mudaram para locais como Sweeting’s Cay, McLean’s Town, Pelican Point, High Rock, West End, Eight Mile Rock, Pinder’s Point, Hawksbill e Freeport.

Alguns dos nomes associados a esta cidade histórica são:

Cooper– descendentes de William e Peter Cooper
Hield– descendentes de Johnny e Margaret Hield
Laing– descendentes de Frank e Polian Laing
Nesbitt– descendentes de John e Addi Nesbitt

Os homens em Old Freetown ganhavam a vida colhendo esponjas em áreas como Andros Mudd, Abaco Birth, Western Rollers (a oeste de Walker’s Cay) e Water Cay. Eles deixavam suas famílias e ficavam no mar por até três meses consecutivos. Eles também pescavam lagostim e tartarugas. Outros produtos comercializáveis eram sisal, casca de corniso, cana-de-açúcar (que era cultivada em abundância), melaço feito localmente, limão e grapefruit (toranja), que eram vendidos em Nassau para sustentar as famílias.

As mulheres cuidavam da agricultura enquanto os homens permaneciam no mar. Elas cultivavam batata-doce, mandioca, feijão, ervilha, milho, repolho, cebola, amendoim e gergelim. O solo em Old Freetown era muito fértil, produzindo muitos tipos de produtos, e os moradores realizavam colheitas abundantes ano após ano para seu sustento. As mulheres também colhiam inhame selvagem, mandioca e araruta, parte dos quais vendiam. Mandioca era usada para fazer fécula para pão e cereal e roupas de fécula. Araruta era usado basicamente para o mesmo.

A colheita de esponjas, a pesca de lagostim e a agricultura eram praticadas até que as esponjas começaram a desaparecer e o modo de vida começou a mudar.

Os moradores começaram a procurar emprego em serrarias em Pine Ridge, Burma Road e Oakes Field (Nassau). Algumas pessoas partiram para trabalhar no “The Project” nos Estados Unidos. Lá colhiam maçãs e ervilhas e realizavam outros serviços exigidos pela empesa. Após a Segunda Guerra Mundial, tudo mudou novamente para os moradores de Old Freetown. Os empregos em terra se tornaram abundantes e a vida no mar praticamente acabou.

Hawksbill

Hawksbill é uma área residencial criada principalmente para receber os trabalhadores empregados em Freeport/Lucaya. Ela fica localizada em Hawksbill Creek, que recebeu seu nome do Acordo de Hawksbill Creek, que por sua vez abriu o caminho para a criação de Freeport/Lucaya.

High rock

High Rock recebeu seu nome do penhasco rochoso de 9 metros entre a estrada costeira e o mar. A aldeia é composta basicamente de casas de madeira. Alguns aldeões ganham a vida com a pesca; outros trabalham em Freeport ou no complexo de transbordo de petróleo na vizinha South Riding Point.

Holmes rock

Holmes Rock & Seagrape formam juntas uma pequena comunidade conhecida por uma caverna peculiar que fica situada atrás do clube noturno local. Ela tem mais 180 metros de diâmetro e produz água doce na maré baixa e água salgada na maré alta.

Lightbourne cay

Lightbourne Cay é uma ilhota desabitada localizada ao leste de Sweeting’s Cay e acessível apenas por barco. É ideal para piqueniques e mergulho com snorkel na orla da praia. Na maré baixa, a costa se torna uma espetacular expansão de areia, que se estende por metros.

Mather town

Mather Town fica vizinha de Smith’s Point, após cruzar um pequeno canal. As casas pitorescas nesta aldeia minúscula fornecem um contraste notável com as estruturas modernas que a cercam.

Mclean’s town

McLean’s Town fica localizada em uma ilhota separada.

É a cidade mais distante ao leste com acesso por estrada e consiste de duas ruas paralelas: a rua norte que conta com alguns bares; a rua sul que margeia o Carrion Crow Harbour (porto), batizada segundo o abutre, a ave comedora de carniça. A ilhota conta com uma oferta não confiável de água subterrânea; assim, a água é bombeada da ilha principal. Os aldeões são bons pescadores, e aqueles que possuem barcos transportam passageiros para Deep Water Cay e Sweeting’s Cay.

McLean’s Town é mais conhecida por seu Concurso de Conc Estalado realizado durante o feriado do Heroes’ Day (dia dos heróis, antes conhecido como Descobrimento ou Dia de Colombo) em outubro. O concurso começou em 1972, quando o diretor da McLean’s Town All Age School, Jeffrey David Morgan, um britânico, organizou o primeiro Concurso de Conc Estalado de McLean’s Town para arrecadar fundos para a escola e comunidade.

Atualmente, o concurso é o principal evento em um dia repleto de cultura, no qual você pode provar pratos típicos bahamenses, participar de dança de quadrilha, Junkanoo, escalar o pau-de-sebo, disputas de remo e de beber cerveja. Centenas de pessoas, tanto grand-bahamenses quanto turistas, viajam para esta cidade tranqüila para apreciar as festividades.

Pinder’s point

Pinder’s Point fica localizada na costa rochosa a leste de Hawksbill Creek, a cerca de 11 km ao leste do International Bazaar. Mas em comparação com a agitação dos turistas em Freeport/Lucaya, cada um dos 11 quilômetros parece dez anos. As casas de ripas de madeira e jardins rústicos da cidade parecem congeladas em um marasmo tropical. Esta é a antiga ilha de Grand Bahama, a ilha de Grand Bahama antes do nascimento de Freeport.

Pinder’s Point antes era na verdade quatro cidades separadas (Pinder’s Point, Lewis Yard, Hunter’s e Mack Town), cada uma delas batizada segundo o proprietário fundador. No final, após os escravos libertados terem tomado as terras e as passado aos seus descendentes, as quatro comunidades cresceram e se misturaram, formando o trecho de moradias de 6,5 km que abriga a mais antiga paróquia católica da ilha, três restaurantes, três bares, duas igrejas e dois boiling holes (aberturas no fundo do mar por onde sai água doce e fria).

Smith’s point

Smith’s Point recebeu seu nome do escocês Michael Smith, que serviu no início dos anos 1800 como comissário da ilha. Em vez de dinheiro, ele recebeu 160 hectares de terras, parte das quais um de seus filhos vendeu para a Empresa de Desenvolvimento de Grand Bahama. Ela se tornou cenário de uma tradição nas noites de quarta-feira na ilha – o Peixe Frito.

Sweeting’s cay

Sweeting’s Cay é uma pitoresca aldeia de pesca localizada a 88 km a leste de Freeport. É acessível apenas por barco e tem uma população de 400 pessoas, a maioria vivendo da venda de lagosta e conc em Freeport. A aldeia se estende por cerca de 1,5 km e recebeu ruas pavimentadas e eletricidade apenas recentemente.

Water cay

Water Cay foi assim batizada devido à quantidade abundante de água doce encontrada lá. Esta pequena ilha se encontra ao norte da ilha de Grand Bahama.

Ele foi colonizada há cerca de 100 anos por sete famílias, incluindo os Russells de Peterson Cay, os Youngs de Freetown, os Hields e Cornishes de Abaco, e os Poitiers de Cat Island.

West end

West End é a mais antiga cidade da ilha de Grand Bahama e é considerada sua capital histórica. Esta aldeia pitoresca de pescadores fica localizada a 40 km de Freeport, no extremo oeste da ilha como indica seu nome. Em suas ruas preguiçosas há uma história de contrabandistas de armas, contrabandistas de bebidas alcoólicas e wreckers, pessoas que provocavam naufrágios para saquear os navios.

O auge de West End foi durante a Proibição nos Estados Unidos. Naquela época de contrabando de bebidas alcoólicas, bares e depósitos surgiam quase da noite para o dia e é possível ver algumas de suas ruínas ao longo da estrada que acompanha a orla marítima.

West End era basicamente uma base de transferência, um local onde bebidas alcoólicas do Canadá, Inglaterra e Nassau eram armazenadas antes de serem transportadas para os EUA. Se por acaso vir a conhecer alguns antigos moradores enquanto estiver circulando pela cidade, pergunte a eles sobre aquela época. Você poderá ouvir nomes como Al Capone e Augustus Hepburn.

Uma parada no The Star Hotel, o mais antigo hotel da ilha de Grand Bahama, é obrigatória. O mais famoso marco histórico de West End, ele parece um remanescente da época da Proibição, mas na verdade é de 1946, de pouco antes da fundação de Freeport. Austin H. Grant Sr., que veio de Eight Mile Rock, construiu o hotel e ele ainda é de propriedade da família Grant.

Em seus primórdios, barqueiros americanos paravam ali para uma refeição no saloon ou para passar a noite. Um de tais hóspedes, os proprietários se lembram orgulhosamente, foi o congressista Adam Clayton Powell Jr., um visitante freqüente em West End. Outros visitantes incluíam aposentados dos tempos de contrabando de bebidas alcoólicas, que gostavam de se sentar ao bar e deleitar os clientes com as histórias de suas escapadas.

Em 1988, as luzes do The Star quase se apagaram quando a cidade passou por tempos difíceis após o fechamento da Jack Tar Village. Apesar de ter deixado de funcionar como hotel, ele ganhou vida como um bar local e restaurante que consegue manter grande parte do clima do passado. Na verdade, seus donos reformaram o antigo bar de Jack Tar para exposição, que vale a pena ser visitada simplesmente por suas qualidades artísticas.

William’s town

A cerca de 8 km de Freeport/Lucaya, William’s Town é uma comunidade sonolenta situada em meio a uma mata de pinheiros e no que os bahamenses chamam de “terras de geração” – terras que foram colonizadas por uma única família e então passadas aos seus descendentes. Neste caso, a cidade foi fundada pelo bisavô de Joseph Williams, um dos moradores mais velhos.

O ancestral de Williams foi um escravo libertado pela Lei de Emancipação britânica de 1834, que libertou todos os escravos em territórios da coroa. Nas Bahamas, todos os escravos libertados foram autorizados a reivindicar as terras não ocupadas que pudessem encontrar.

O prédio mais velho da cidade é um barracão que fica situado ao lado do Traveller’s Rest, o único restaurante nas redondezas. No final da Beach Way Drive também se encontra um antigo cemitério delimitado por um muro de pedra. Em seu interior, há um monumento a 21 haitianos que morreram no mar em 1978.

Próximo do mar, a cerca de 180 metros a oeste do cais, se encontra um boiling hole, uma abertura no fundo do mar por onde sai água doce e fria.

Fontewww.bahamasturismo.com.br

Bahamas

Imagine que você pudesse criar o local perfeito para tirar férias? Comece com uma ilha? Uma não, mas setecentas ilhas, espalhadas nas águas mornas do Atlântico.

Cerque cada uma com areia prateada, banhada por águas azul turquesas. Decore esta paisagem perfeita com dois mil arquipélagos (pequenas ilhas), algumas mal formam um ponto num mapa e muitas são inabitadas. Agora se inclua nesta foto, no seu Resort Breezes. Quem poderia pedir mais que isto?

As Bahamas, um grupo de 700 ilhas, começando a 96 quilômetros leste da costa da Florida, é impressionante em sua diversidade. Seu arquipélago de 160.000 mil quilômetros quadrados estende-se por mais 800 quilômetros e é conhecido por ter as águas mais cristalinas do mundo.

Apesar de estarem muito próximas, cada ilha tem sua própria diversidade, que continua além da geografia e chega à herança Bahamense. Sua cultura rica e seus costumes lembram constantemente os visitantes da paixão do Bahamense por celebração e comunidade. A língua oficial das Bahamas é o inglês, facilitando a movimentação dos visitantes.

A ilha de Nova Providência (New Providence) é dividida em três áreas principais para o turista: Nassau, Ilha do Paraíso (Paradise Island) e Praia do Cabo (Cable Beach).

Os complexos hoteleiros dominam a extensa Praia do Cabo, que passou por uma reforma recente, transformando-a numa Meca para visitantes que preferem passeios na praia com opções de exercício e entretenimento ao vivo. Aqui, os visitantes podem curtir sua gastronomia fina, o entretenimento de nível-mundial, as instalações esportivas (incluindo um campo de golfe) e alguns grandes casinos nunca mais longe do que a alguns passos de distância.

Nassau, a capital, traz um tom Britânico à vida da ilha. Os prédios cor-de-rosa na Praça Rawson (na verdade um círculo) ficam de frente aos cruzeiros, que trazem seus passageiros para um dia de compras no duty-free, no centro.

Um museu novo interpretando a rica tradição Junkanoo está escondido num lado do cais do porto abaixo da sombra dos navios. Pequenos bares e restaurantes enfeitam as ruas estreitas de Nassau. Um movimentado mercado de palha abriga centenas de vendedores prontos para pechinchar seus objetos de lembranças. Você pode até mesmo dar uma volta de charrete.

Atravesse a ponte até a Ilha do Paraíso (Paradise Island) e encontre mais lindas praias, atividades, entretenimento e gastronomia.

História

Com tantos arquipélagos, e pequenas baías escondidas, estas pequenas ilhas eram os abrigos favoritos de piratas que se aproveitavam destes esconderijos entre ataques contra navios mercantes. Cristóvam Colombo, certo que tinha encontrado a Índia, declarou posse da terra em nome da Espanha. Imigrantes Espanhóis foram trazidos mais tarde para estabelecer fazendas neste novo território tomado por Colombo. Eles logo desistiram, revoltados, mas ninguém sabe dizer porque.

Talvez os métodos europeus de cultivo não fossem adequados para o solo tropical. E, além disso, existia o medo de encontrar os navios com a bandeira de ossos e caveira dos piratas no horizonte.

Os franceses foram os próximos a tentar estabelecer uma colônia, com resultados igualmente desastrosos. Um século passou, e o "assentamento" Francês tinha virado uma cidade fantasma há muito tempo. "Os tesouros da Índia" simplesmente não puderam ser encontrados.

Mas a história toma um rumo interessante.

Um navio de tesouros Espanhol afundou nas águas Bahamenses: mergulhadores recuperaram quase três milhões de libras em objetos de tesouro. Talvez Colombo tivesse razão o tempo inteiro!

As Bahamas, tendo trocado de mãos tantas vezes tem um ar cosmopolita com ênfase em todas as coisas Britânicas. Houve um tempo onde foi assentada por Americanos que depois da guerra contra a Inglaterra, decidiram que queriam reter cidadania Britânica. O Rei da Inglaterra então cedeu uma parcela de terra ao "fieis" da Carolina do Sul.

A lenda conta que as Bahamas poderiam ter virado uma colônia americana se seu governador tivesse trocado suas calças! Aparentemente, George Washington, que tinha visitado as belas ilhas, mandou um navio americano convidar As Bahamas a se tornarem membros dos recém formados Estados Unidos, esperando uma resposta acolhedora.

Ao contrário, o Governador Britânico, acordado em pijama, ordenou que suas tropas segurassem fogo até que ele estivesse vestido de forma adequada para liderar a defesa da colônia. Enquanto ele estava se trocando para vestir um uniforme respeitável as tropas americanas chegaram sem oposição e saquearam os estoques de rum, experimentando a vontade a mercadoria ali guardada.

Na manhã seguinte, quando eles finalmente voltaram embriagados aos seus navios, foram facilmente vencidos pelos navios Britânicos. E as Bahamas permaneceram Britânicas; hoje, as belas ilhas são independentes, sendo membro autônomo da Comunidade Econômica Britânica.

Não há nada tão unido por tradição como as Bahamas de hoje. Depois de anoitecer, cabarés, casinos e boates mostram seu brilho, que acaba somente pouco antes do próximo amanhecer do sol.

Fale o Linguajar

Quando um novo amigo Bahamense lhe diz "Bush crack man gone" ele está lhe dizendo que um fugitivo desapareceu na selva e não pode ser encontrado. Se ele não quiser mencionar nomes, ele pode acrescentar, "Tingum in bush ain got no name!". Surpreenda um amigo com algumas expressões locais.

Fontewww.superclubsbrasil.com

Bahamas

O PAÍS de 700 ilhas.

Os recém-chegados para as ilhas das Bahamas rapidamente percebem que eles tropeçaram não um, mas muitos destinos.

Entre os "pólos" de Grand Bahama e Inagua Grande são 23 ilhas habitadas e milhares de ilhotas desabitadas e ilhotas (pronunciado "chaves").

Cosmopolitan Nassau , uma vez governado por piratas , parece um mundo de distância do santuário de vida selvagem desértica de Inagua.

Em muitas das ilhas, pequenos vilarejos parecem levantada a partir da costa de Massachusetts e colocou entre palmeiras e pinheiros e areias iridescentes.

Estas belas ilhas ficam a apenas 50 milhas ao largo da costa da Flórida - muito mais perto do que qualquer destino no Caribe.

Águas calmas e os ventos calmos refrescantes tem merecido têm merecido de Bahamas uma reputação internacional de vela, com regatas e corridas realizadas durante todo o ano. As ilhas são, na verdade, o berço da Corrente do Golfo, um fenômeno que também é responsável pela sua surpreendente variedade e abundância de vida marinha. Legendary gamefish pescador esportivo empate em busca da "grande", e mais de 50 registros de pesca internacionais foram definidos nessas águas. O grande escritor / pescador Ernest Hemingway considerada a ilha das Bahamas de Bimini uma casa.

As mesmas condições que tornam essas ilhas tão passível de marinheiros e visitantes empate pescador aos parques vastos e diversificados subaquáticas. Com mais de 5% da massa do planeta recife, Bahamas oferecer prazeres inesgotáveis e desafios para snorkel e mergulhadores. A beleza natural da água estende-se a milhares de quilômetros de costa, que tem algumas das praias mais bonitas e surpreendentemente imaculada do mundo.

Das areias rosa de Harbour Island e Eleuthera aos fios desertas do Exumas e San Salvador , há uma vida inteira de praias para experimentar. Mais para o interior são os jardins e parques nacionais com espécies raras e ameaçadas de extinção, como o papagaio Abaco exótico e do Iguana das Bahamas.

Embora as Bahamas são tão diversos e numerosos como os dias do ano, o unificador reconfortante é o charme ea hospitalidade de seu povo. O Ministério do Turismo Bahamas oferece uma People to Pessoas programa; uma oportunidade para os visitantes a experimentar um sabor genuíno e informal de Bahamas hospitalidade e cultura.

Voluntários segurando interesses semelhantes aos seus dar-lhe um pouco da vida das Bahamas e, potencialmente, uma amizade ao longo da vida. Bahamians será mais do que feliz em apresentar-lhe a riqueza de sua história, folclore, cultura e gastronomia . Mais de um prato suculento de concha quebrada e duff goiaba, você vai ouvir contos sobre o nefasto pirata Barba Negra e os misteriosos buracos azuis de Andros. Eles vão falar sobre os Aventureiros originais Eleutheran, os brincalhões os Junkanoo trupes. Você pode começar a explorar as ilhas das Bahamas, usando o mapa clicável.

História

Pré-história

Documentam a história das Bahamas começa com as palavras ", Baja Mar", o nome do espanhol concedeu nas ilhas. Este termo é enganoso, entretanto, que significa "mar raso", mas as ilhas são realmente planaltos montanha que emergiu das centenas Atlântico de milhares de anos atrás. Como eles cresceram, eles hospedado inúmeras gerações de coral, que hoje compõem as ilhas "base de calcário.

O "Lukku-cairi" ou povo da ilha, como eles se chamavam, foram os primeiros colonizadores. Originária da América do Sul, que serpenteava através do Caribe e finalmente chegou nas Bahamas por volta do século IX. Conhecido como Arawaks, eles também são chamados de "Lucayans" e "índios" - um rótulo dado por Colombo, que erroneamente pensou que ele encontrou as Índias Orientais, quando ele lançou âncora em San Salvador , em 1492.

Idade de Ouro da Pirataria

A próxima fase da história das Bahamas envolve os Aventureiros Eleutheran, colonos ingleses que deixaram Bermuda em 1647 busca de liberdade religiosa. Eles formaram a primeira colônia britânica na ilha de Eleuthera , e começou uma próspera economia agrícola, que ainda vive hoje.

A geografia das ilhas atraiu muitos famosos piratas , como o infame Barba Negra, Henry Morgan, e Anne Bonney, que dominou as ilhas para os próximos 70 anos em que ficou conhecido como "A Era de Ouro da pirataria." Sua principal ocupação foi atraindo navios desavisados nas traiçoeiras águas rasas, em seguida, atacando e saqueando-los como insetos presos em uma teia de aranha.

Grã-Bretanha, que reivindicou as ilhas em 1670, manteve-se impotente contra seus depredação por quase 50 anos, até que o primeiro governador, Woodes Rogers, os expulsaram em 1718. Grã-Bretanha, em seguida, reconheceu-os como uma colônia.

Bahamas
Henry Morgan

Corso, uma forma sancionada pelo governo da pirataria praticada durante a guerra da Grã-Bretanha com a Espanha e a Revolução Americana, trouxe períodos de prosperidade para as ilhas. Espanha entrou na briga do lado dos americanos e brevemente retomou Bahamas maio 1782. Um ano mais tarde, com o Tratado de Versalhes, que mais uma vez se tornou uma colônia britânica.

A Era do Contrabando

Após a derrota da Grã-Bretanha na Guerra Revolucionária Americana, partidários do sul trouxeram seus escravos para as ilhas e algodão cresceu sob proteção da Coroa. Tempos difíceis na América vizinho muitas vezes significava prosperidade para as Bahamas.

Em 1861, durante os anos da Guerra Civil americana, a Marinha da União bloquearam as ilhas em uma tentativa de inviabilizar a Confederação, e Bahamians enriqueceu execução algodão confederado para usinas de inglês e envio de equipamento militar aos rebeldes confederados.

Turismo e Independência

Tempos difíceis se seguiu ao fim da Guerra Civil até Proibição e os "anos loucos" transformou o Bahamas em uma base para o rum rodagem. Mas após a proibição foi revogada, as ilhas novamente entrou em estagnação econômica. Prosperidade não retornou até a Segunda Guerra Mundial, quando o Bahamas serviu como um aéreo e marítimo forma-estação no Atlântico.

Pouco tempo depois, a nova indústria do turismo mudou as prioridades nas ilhas. Pela primeira vez, a beleza ea vida das ilhas foram reconhecidos como um ativo. Quando Cuba foi fechada para turistas norte-americanos na década de 1950, Bahamas seguiu em frente para se tornar um dos principais destinos turísticos do mundo mais populares.

Grã-Bretanha concedeu as ilhas auto-governo, em 1964, e mudou seu status de colônia a Commonwealth em 1969. Em 1973, a Comunidade das Bahamas tornou-se independente dentro da Comunidade das Nações, mas manteve a rainha Elizabeth II como chefe de Estado constitucional.

Povo e Cultura

As 294.982 pessoas que vivem nas Bahamas são predominantemente de descida Oeste Africano. Seus antepassados foram escravos trazidos para as ilhas para trabalhar nas plantações de algodão até 1834, quando a Inglaterra aboliu a escravidão em todos os seus territórios.

A maioria dos residentes brancos de são descendentes dos primeiros colonos ingleses que emigraram de Bermuda em 1647 para ganhar a liberdade religiosa. Alguns também estão relacionados com os legalistas que fugiram do sul dos Estados Unidos durante a Revolução Americana e construídos enormes plantações aqui.

Após a abolição da escravatura, a vida nas ilhas mudou drasticamente. As plantações foram dissolvidos, e ambos negros e brancos virou-se para o mar generoso (esponja e pesca) ou tentou fazenda. A falta de terras agrícolas férteis levou os habitantes da ilha a se tornar uma nação de marinheiros, e Bahamians usado essas habilidades para grande vantagem durante os dias de funcionamento arma naufragar, e Lei Seca.

Bahamians muito orgulho de seu passado , especialmente os seus nomes, que são indicativos de um rico legado cultural. Há muitos nomes comuns, como as Gibsons, supostamente da Escócia, o Alburys, Malones e Russells, disse ser legalistas irlandeses, e os Bethéis Eleuthera, que dizem que eles vieram com esses aventureiros zelosos anos atrás.

Foi dito que os Bethéis uma vez escrito o seu nome com dois "l's ', mas removido um por causa de suas convicções religiosas. O Bahamians Black 'raízes remontam tão longe, como evidenciado pelos muitos que levou o nome de "Rolle", depois de Senhor Rolle, um fazendeiro rico e muito querido em Exuma que, após a emancipação, deu sua terra aos seus antigos escravos.

A religião é uma parte integrante da vida das Bahamas. Mesmo o mais ínfimo aldeia tem uma igreja, às vezes dois. Ardor do povo religioso e grande respeito pela educação são prova de sua herança puritana, derivado dos Aventureiros Eleutheran. A música é também nos ossos das pessoas.

Ritmos africanos, do Caribe Calypso, canções populares inglesas e exclusivamente das Bahamas eco batida Goombay no ar. O fast-tempoed "goom-bahhh" ressonância dos tambores pode ser rastreada até os dias de escravidão e é usada tanto para contar histórias e dançar.

As instituições jurídicas e políticas do país refletem sua herança anglo-saxão. Ele tem um governo parlamentar bicameral composto de um Senado e uma Câmara de Assembleia, um primeiro-ministro, um procurador-geral, e um Judiciário independente, incluindo a Suprema Corte e um Tribunal de Apelações.

A Troca da Guarda cerimônia, realizada a cada duas semanas, continua a tradição britânica, das Bahamas e de orgulho policial se em seus uniformes engomados. Muitos não vai colocar em suas camisas até que eles estão de plantão para preservar sua aparência formal, que é bastante impressionante.

A atitude descontraída de Bahamians é muitas vezes mal interpretado por aqueles que desconhecem que evolui a partir de anos de uma vida boa em uma terra onde a natureza oferece todas as necessidades. Há sempre tempo para se preocupar com as coisas ruins amanhã. Bahamians são humorísticas, prestativo, que gostam de comemorar. Não fique muito bravo se você quiser ir às compras e tudo está fechado. É provavelmente Aniversário da Rainha ou algum outro feriado.

Casamentos e funerais nas Bahamas são especialmente importantes eventos sociais. As pessoas começam a celebrar um casamento semanas antes da cerimônia oficial começa, ea passagem de entes queridos é comemorada por partes muito tempo depois que eles se foram.

Fontewww.geographia.com

Bahamas

Conhecido paraíso fiscal, com mais de 400 bancos, as Bahamas são um curioso país, de 13.940 km2, composto oficialmente por 700 ilhas, porém somente 31 são habitadas.

As águas são totalmente transparentes até 10 metros de profundidade. E não espere achar nada muito mais profundo.

O mar que banha as ilhas é tão raso que deu o nome ao arquipélago: "baja mar"(mar baixo em espanhol), que virou Bahamas na pronúncia dos anglo-saxões.

O fluxo de turistas americanos faz do inverno no hemisfério norte sinônimo de alta temporada nas Bahamas.

Além da pouca distância, encontram nas Bahamas a facilidade da língua e do dinheiro - fala-se inglês e o dólar norte-americano é aceito como moeda corrente.

Para os brasileiros porém, não é a melhor temporada, pois os preços (já normalmente altos) dobram e a temperatura é baixa para quem vive num clima como o nosso. Da mesma forma, evite o verão deles - época de furacão. Prefira o mês de Abril, Maio e Novembro.

Bahamas
Bahamas

Os espanhóis foram os primeiros a desembarcar nas ilhas, em 1.492. Áridas, as terras foram abandonadas e caíram nas mãos dos inglêses. As Bahamas têm como Chefe de Estado a rainha Elizabeth 2ª, representada pelo governador-geral, Orville Turnquest, e tem como capital, Nassau.

Se você for às Bahamas, reserve um tempo para visitar as outras ilhas porque as ilhas mais distantes fazem parte de um roteiro básico.

Bahamas
Bahamas

Entre elas há dois destaques: Eleuthera e Exuma. Conhecidas como Family Islands (porque abrigam boa parte dos trabalhadores de Nassau) elas são mais primitivas que New Providence e Paradise Island, mas igualmente encantadoras.

As ilhas Exuma são mais de 300 e tem um mar particularmente azul, fato que as torna um atrativo para velejadores.

As praias são lotadas de conchas, que fazem a alegria e a diversão das crianças. Nesta ilha você também poderá dar um belo passeio num hidro-avião.

Além dessas ilhas, não faltam outras opções.

Abaco é a ilha dos barcos, onde dezenas de embarcações são fabricadas anualmente.

Fontewww.happydayturismo.com.br

Bahamas

As Bahamas (ou Baamas) são um país das Caraíbas, situado entre o Oceano Atlântico, a nordeste, e o Mar das Caraíbas, a sudoeste. Os territórios mais próximos são a colônia britânica de Turks e Caicos, a sueste, os Estados Unidos da América, a noroeste, Cuba, a sudoeste, e o Haiti, a sueste.

Capital: Nassau.

História

O arquipélago de Bahamas (nome derivado do espanhol marbaja, mar baixo), era habitado por índios arauaques antes da chegada de Cristóvão Colombo, em 1492. Ocupadas por ingleses desde o século XVI, as Baamas serviram de refúgio a piratas. A lavoura de algodão entra em declínio com o fim da escravidão, em 1834. Após a II Guerra Mundial, cresce o turismo no país.

Lynden Pindling, do Partido Liberal Progressista (PLP), de maioria negra, torna-se primeiro-ministro em 1967, depois das primeiras eleições legislativas no país.

Em 1973, as Baamas conquistam a independência. Nas eleições de 1992, o Movimento Nacional Livre (FNM) obtém maioria. Pindling, denunciado por corrupção, é substituído por Hubert Alexander Ingraham na chefia de governo. A vitória do FNM nas eleições de 1997 é atribuída aos resultados econômicos positivos, e ao envolvimento do PLP em escândalos financeiros. A passagem do furacão Floyd pelo país, em 1998 provoca sérios danos e prejudica o turismo.

Geografia

A maior ilha das Bahamas é a ilha de Andros, no ocidente do arquipélago. A ilha de New Providence, a leste de Andros, é onde se localiza a capital, Nassau, e onde mora cerca de dois terços de toda a população do país. Outras ilhas importantes são a Grande Bahama no norte e Inágua a sul.

A maior parte das ilhas — formações de coral — são relativamente planas, com algumas colinas baixas e arredondadas, a mais alta das quais é o monte Alvernia, na ilha Cat, com 63 m de altitude. O clima local é tropical, moderado pelas águas quentes da corrente do Golfo, com furacões e tempestades tropicais frequentes entre Maio e Outubro.

Economia

Nas Bahamas o turismo e a industria pesqueira são extremamante relevantes para a econômia havendo minerais como sal, e aragonita em seu territorio.

Demografia

A língua oficial é o inglês, mas a maioria da população fala o crioulo baamiano, de origem inglesa.

Turismo

A ilha de New Providence, a leste de Andros, é onde se localiza a capital, Nassau, e onde mora cerca de dois terços de toda a população do país. Outras ilhas importantes são a Grande Bahama no norte e Inágua a sul.

Bahamas
Vista de uma das ilhas da Bahamas

A maior parte das ilhas — formações de coral — são relativamente planas, com algumas colinas baixas e arredondadas, a mais alta das quais é o monte Alvernia, na ilha Cat, com 63 m de altitude.

O clima local é tropical, moderado pelas águas quentes da corrente do Golfo, com furacões e tempestades tropicais frequentes entre Maio e Outubro.

Bahamas
Mergulho nas Bahamas

Dados gerais

Localização - Caraíbas, cadeia de ilhas no oceano Atlântico norte a sudeste da Florida (EUA)
Coordenadas geográficas
 - 24º 15' N, 76º 00' W
Referências cartográficas 
- América Central e Caraíbas

Área

total - 13 940 km²

terra - 10 070 km²

água - 3 870 km²

Área - comparativa

Comparação com Angola: menos do dobro do tamanho de Cabinda

Comparação com o Brasil: pouco menos de metade do tamanho de Alagoas

Comparação com Cabo Verde: quase 3 vezes e meia maior que Cabo Verde

Comparação com a Guiné-Bissau: mais pequeno que a província do Leste

Comparação com Moçambique: mais de metade do tamanho da província do Maputo

Comparação com Portugal: não muito maior que a antiga região de Lisboa e Vale do Tejo

Comparação com São Tomé e Príncipe: quase 14 vezes maior que São Tomé e Príncipe

Comparação com Timor-Leste: do tamanho do território principal de Timor-Leste

Fronteiras terrestres - 0 km

Costa - 3 542 km

Reivindicações marítimas

plataforma continental - até à profundidade de 200, ou até à profundidade de exploração

zona econômica exclusiva - 200 milhas náuticas

mar territorial - 12 milhas náuticas

Clima- marítimo tropical; moderado pelas águas quentes da corrente do Golfo

Terreno - formações de coral longas e planas, com algumas colinas baixas e arredondadas

Extremos de elevação

ponto mais baixo: oceano Atlântico - 0 m 
ponto mais elevado: monte Alvernia, na ilha Cat - 63 m

Recursos naturais - sal, aragonite, madeira

Uso da terra

terra arável - 1%

cultivo permanente - 0%

pastagens permanentes - 0%

florestas - 32%

outros - 67% (estimativas de 1993)

Terra irrigada - ND

Perigos naturais - furacões e outras tempestades tropicais causam grandes inundações e danos provocados pelo vento

Ambiente - problemas atuais - degenerescência do recife de coral; acomodação dos resíduos sólidos

Ambiente - acordos internacionaisé parte de - Biodiversidade, Mudanças Climáticas, Mudanças Climáticas - Protocolo de Kyoto, Espécies Ameaçadas, Resíduos Perigosos, Lei do Mar, Banimento de Testes Nucleares, Proteção da Camada de Ozono, Poluição Provocada por Navios, Zonas Húmidas assinou mas não ratificou - nenhum dos acordos seleccionados

Geografia - nota - localização estratégica próxima dos Estados Unidos e de Cuba; uma longa cadeia de ilhas

Fonte: escolavesper.com.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal