Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Balaia de Bryde  Voltar

Baleia de Bryde

 

Baleia de Bryde

São muito semelhantes às baleias-sei. Medem entre 13 e 14 metros e pesam 20 toneladas, em média.

Seu corpo é longo e esguio.

Possuem cabeça larga e plana com uma quilha central e duas quilhas laterais, característica que as diferenciam das baleias-sei. Sua coloração é cinza-prateada no dorso e esbranquiçada no ventre.

Podem ocorrer manchas claras nos lados do corpo ou entre a cabeça e a nadadeira dorsal.

O filhote nasce com 3 a 4 metros e pesando 560 quilos. Chegam a viver 72 anos.

Fonte: www.projetobaleias.com.br

Baleia de Bryde

NOME POPULAR: Baleia-de-Bryde
NOME CIENTÍFICO: Balaenoptera edeni
TAMANHO: 13 a 15 metros de comprimento
PESO: 16 a 18 toneladas

Da família das Balaenopteridae, tem sua distribuição em águas tropicais e subtropicais de todos os oceanos, tanto em áreas costeiras como oceânicas. É a única baleia que não realiza grandes migrações, podendo permanecer na mesma área durante todo o ano realizando grandes deslocamentos no sentido costa-mar e vice versa. Na costa brasileira, podem ser vistas no Rio Grande do Sul até o nordeste. Em outras partes do mundo são vistas em regiões próximas ao Japão, Peru, Venezuela, África do Sul e no Golfo da Califórnia.

Os machos são menores que as fêmeas, em média 2 metros a menos. Costumam viver em grupos de 10 a 20 indivíduos. Porém, na maioria das vezes são vistas apenas em dupla.

Seu corpo é longo e esguio, sua cabeça larga e plana, com uma quilha central proeminente e duas quilhas laterais, característica que as diferenciam das baleias-sei (Balaenoptera borealis) devido a sua semelhança. A nadadeira dorsal é alta e falcada e localiza-se atrás da metade do dorso. Sua coloração é cinza-prateada no dorso e esbranquiçada na parte ventral. Podem existir manchas claras nos lados do corpo ou entre a cabeça e a nadadeira dorsal. É comum a presença de marcas e cicatrizes ao longo do corpo. As nadadeiras peitorais são relativamente pequenas, estreitas e pontudas. Apresenta de 40 a 50 pregas ventrais que se estendem até o umbigo. Possuem de 250 a 370 pares de barbatanas, de cor escura e com comprimento médio de 45 cm. O borrifo é em forma de coluna e pode atingir até 4m de altura. As vocalizações são de baixa freqüência, principalmente pulsos.

Sua gestação dura aproximadamente um ano. As fêmeas dão à luz a um único filhote que ao nascer medem cerca de 3 m e pesam 550 Kg. A amamentação dura 6 meses e o intervalo médio entre as crias é de 2 anos. Chega a viver 72 anos.

Alimenta-se basicamente de peixes que formam cardumes e pequenos crustáceos.

A Baleia-de-Bryde foi extensivamente caçada em todo o mundo. No Brasil, capturas para fins comerciais ocorreram na região de Cabo Frio, Rio de Janeiro, e costa nordeste. Este tipo de caça continuou até 1986, quando a Comissão Internacional da Baleia (CIB) decretou a moratória a caça comercial dessa baleia. Atualmente, capturas acidentais em redes de pesca e a degradação do habitat, constituem as principais ameaças. Um relato da degradação de seu habitat ocorreu em janeiro de 1983, quando um macho foi encontrado na Baía da Guanabara, Rio de Janeiro. Seus pulmões e estômago, estavam cheios de óleo.

Fonte: www.pick-upau.org.br

Baleia de Bryde

Distribuição: Águas tropicais e subtropicais de todos os oceanos, tanto em áreas costeiras como oceânicas. É a única baleia que não realiza grandes migrações, podendo permanecer na mesma área durante todo o ano realizando grandes deslocamentos no sentido costa-mar e vice versa. Na costa brasileira, existem registros da baleia-de-bryde no Rio Grande do Sul e do Paraná até o nordeste. Concentrações tem sido notadas em várias áreas do mundo em áreas oceânicas como Japão, Peru, Venezuela, Brasil, África do Sul e Golfo da Califórnia.

Peso, medidas e características: O comprimento médio dos machos e fêmeas é de 13,7m e 14,5m, respectivamente. O maior animal já registrado era uma fêmea com 15,5m. As formas oceânicas em geral são maiores que as formas costeiras. O peso médio varia entre 16 e 18,5 toneladas. Seu corpo é longo e esguio. Cabeça larga e plana, com uma quilha central proeminente e duas quilhas laterais, característica que as diferenciam das baleias-sei (Balaenoptera borealis) devido a sua semelhança. A nadadeira dorsal é alta e falcada e localiza-se atrás da metade do dorso. Sua coloração é cinza-prateada no dorso e esbranquiçada na parte ventral. Podem existir manchas claras nos lados do corpo ou entre a cabeça e a nadadeira dorsal. É comum a presença de marcas e cicatrizes ao longo do corpo. As nadadeiras peitorais são relativamente pequenas, estreitas e pontudas. Apresenta de 40 a 50 pregas ventrais que se estendem até o umbigo. Possuem de 250 a 370 pares de barbatanas, de cor escura e com comprimento médio de 45 cm. O borrifo é em forma de coluna e pode atingir até 4m de altura. As vocalizações são de baixa freqüência, principalmente pulsos.

Como nascem e quanto vivem: A maturidade sexual é alcançada com cerca de 12,3m; entre 7 e 10 anos de idade. A gestação dura aproximadamente um ano. As fêmeas dão à luz a um único filhote que ao nascer medem cerca de 3,4m e pesam 560 Kg. A amamentação dura 6 meses e o intervalo médio entre as crias é de 2 anos. Chega a viver 72 anos.

Comportamento e hábitos: Possuem hábitos solitários mas podem se deslocar aos pares ou, menos freqüentemente, formar grupos de até 10 indivíduos. É ativa e costuma saltar totalmente fora da água. Aproxima-se de embarcações e é curiosa. Pode formar grupos mistos com outros cetáceos. A alimentação e a reprodução parecem ocorrer o ano todo.

Alimentação: Basicamente peixes que formam cardumes e ocasionalmente pequenos crustáceos. Quando está se alimentando, desloca-se com súbitas acelerações e mudanças de direção, em profundidades que podem variar desde águas rasas até 300m.

Identificação Individual: É feita através de marcas e cicatrizes no bordo posterior da nadadeira dorsal.

Inimigos Naturais: As orcas (Orcinus orca) e provavelmente os grandes tubarões (Família Carcharhinidae).

Ameaças: A baleia-de-bryde foi extensivamente caçada em todo o mundo. No Brasil, capturas para fins comerciais ocorreram na região de Cabo Frio, Rio de Janeiro, e costa nordeste. Este tipo de caça continuou até 1986, quando a Comissão Internacional da Baleia (CIB) decretou a moratória a caça comercial dessa baleia. Atualmente, capturas acidentais em redes de pesca e a degradação do hábitat, constituem as principais ameaças. Em janeiro de 1983, um macho juvenil de baleia-de-bryde foi encontrado agonizante na Baía da Guanabara, Rio de Janeiro. Seus pulmões e estômago, estavam impregnados de óleo.

Fonte: petfriends.com.br

Baleia de Bryde

Balaenoptera edeni

Baleia de Bryde

Características Principais: A Baleia-de-bryde possui o corpo longo e esguio. A sua cabeça é larga e plana.

Tamanho: O comprimento médio para o macho é de 13,7m (máximo de 14,3m) e para a fêmea é de14,5m (máximo de 15,5m).

Peso: A Baleia-de-bryde pesa entre 16 e 18,5 toneladas, mas já foi encontrado um exemplar pesando 20 toneladas.

Gestação e cria: Aproximadamente 1 ano, nasce apenas uma cria medindo cerca de 3,4 metros.

Alimentação: Basicamente pequenos peixes que formam cardumes.

Distribuição: Águas tropicais e subtropicais de todo o mundo. No Brasil ocorre do Paraná até o nordeste.

Ameaças: Captura intencional pela indústria pesqueira japonesa.

Status: Insuficientemente conhecida.

Fonte: Bia Hetzel e Liliane Lodi. 1993. Baleias, Botos e Golfinhos. Guia de identificação para o Brasil. Rio de Janeiro-RJ. Nova Fronteira. & Bia Hetzel e Liliane Lodi. 1996. Baleias, Botos e Golfinhos. Baía da Ilha grande. Rio de Janeiro-RJ. Manatí.

Fonte: www.lbm.com.br

Baleia de Bryde

A baleia-de-Bryde (Balaenoptera edeni Anderson, 1879*) pertence à Ordem Cetacea (baleias e golfinhos), no grupo dos animais que não possuem dentes e são chamados de Misticetos (baleias de barbatana). Possuem um corpo lânguido e liso, com pregas na parte ventral da boca ao umbigo.

Baleia de Bryde
Baleia-de-Bryde em escala

Dentre a família Balaenopteridae (baleias Minke, Azul, Jubarte, Fin e Sei), é a segunda menor, alcançando em média 13 metros de comprimento e um máximo de 15,5 metros. As fêmeas são ligeiramente maiores que os machos por toda a vida, sendo que seus filhotes podem nascer com aproximadamente 4 metros.

Alimenta-se preferencialmente de pequenos peixes que vivem em cardumes, como sardinhas e anchovas.

Embora a distribuição de alguns balenopterídeos seja freqüentemente costeira, a maioria das espécies é capaz de realizar extensos movimentos transoceânicos - migrando anualmente das áreas de alimentação (altas latitudes) para as águas tropicais para se reproduzirem e terem seus filhotes. Essa idéia, baseada em algumas espécies como Jubarte e Azul, não se aplica as baleias de Bryde, que apesar de pouco conhecidas, sabe-se que não realizam longos movimentos migratórios, e sim curtas migrações, provavelmente seguindo cardumes de presas (sardinhas).

Baleia de Bryde
Baleia-de-Bryde em comportamento alimentar.

Sua ocorrência tem sido reportada para áreas tropicais localizadas entre as latitudes 40ºN e 40ºS. No Brasil, as baleias-de-Bryde ocorrem principalmente na Região Sudeste (S.Paulo e Rio de Janeiro), sendo os registros mais freqüentes na primavera e verão.

No Brasil, as baleias-de-Bryde ocorrem principalmente na Região Sudeste (S.Paulo e Rio de Janeiro), sendo os registros mais freqüentes na primavera e verão. Em áreas costeiras, já foram observadas pela equipe do PROJETO BALEIA DE BRYDE no entorno das Unidades de Conservação paulistas - Parque Estadual da Ilhabela (incluindo ilhas de Vitória e Búzios), Parque Estadual Marinho da Laje de Santos, Ilha Anchieta e Arquipélago de Alcatrazes.

Baleia de Bryde
Área de ocorrência das baleias de Bryde
no mundo.

Normalmente é avistada aos pares ou solitárias, sendo que grupos de baleias têm sido avistados principalmente no Parque Estadual Marinho da Laje de Santos, perseguindo cardumes de sardinha e ainda, algumas vezes em interação alimentar com grupos de atobás (Sula leucogaster).

Baleia de Bryde
Baleia-de-Bryde no Parque Estadual
Marinho da Laje de Santos, avistada durante os cruzeiros do Projeto Baleia de Bryde

Em áreas oceânicas, a espécie foi avistada pela primeira vez em comportamento de saltos, exposição ventral e de cabeça, na área da Bacia de Campos, aproximadamente na isóbata de 1200m, indicando interação social. Também já foram observados comportamentos de cuidado parental (fêmea com filhote) na isóbata de 3000m.

Baleia de Bryde

Como reconhecer uma baleia-de-Bryde:

» Seu corpo pode variar de cinza escuro a preto no dorso e cinza ou branco no ventre;

» A nadadeira dorsal é alta, extremamente falcada e freqüentemente irregular;

» Apresenta três quilhas (saliências) longitudinais no topo do rostro (cabeça);

» O borrifo da baleia-de-Bryde pode atingir 4 metros de altura e tem forma de coluna;

» Nada rapidamente, com mudanças bruscas de direção, muitas vezes em zigue-zague.

Baleia de Bryde
Detalhe das três quilhas
longitudinais no topo da cabeça

Baleia de Bryde
Detalhe das três quilhas
longitudinais no topo da cabeça

Baleia de Bryde
Dorsal falcada da baleia-de-Bryde.

Baleia de Bryde
Comportamento característico de baleias-de-Bryde à exposição da dorsal falcada

Baleia de Bryde
Ventre branco

Baleia de Bryde
Borrifo da baleia-de-Bryde - pode atingir até 4m de altura

Fonte: www.cemarbrasil.org

Baleia de Bryde

DESCRIÇÃO

A Baleia de Bryde é a menos conhecida das grandes baleias. Existem sem dúvida várias subespécies, nomeadamente a "pigmeia", "in shore" e "off shore" , mas a sua taxonomia é objecto de um importante debate e bastante controvérsia. O tamanho máximo deste animal pode atingir 15 metros. As fêmeas são maiores que os machos. À nascença a cria mede 4 metros e pesa cerca de 650 Kg. Os indivíduos adultos apresentam um peso médio de 12 toneladas. As fêmeas dão à luz uma única cria de dois em dois anos, durando a gestação de 11 a 12 meses. Estima-se que a esperança de vida desta espécie seja de quarenta anos. Alimentam-se principalmente de pequenos peixes gregários, e por vezes de krill.

OBSERVAÇÕES

Esta espécie foi observada pela primeira vez nos Açores pelo Espaço Talassa em Julho de 2004 A Equipa Espaço Talassa observou e fotografou algumas vezes 2 indivíduos durante este Verão. A presença deste animal nunca foi provada até ao momento nas águas açoreanas. De facto estima-se que a sua população mundial seja de 25 000 indivíduos e a sua distribuição geográfica no Atlântico se situe entre os 40° N e 40° S de latitude. Podem ser facilmente confundidos com a baleia boreal, apesar de nas nossas observaçõesce, o seu comportamento ser mais "activo", saltando frequentemente, a sua velocidade era de cerca de 5 a 6 nós e em especial apresentavam 3 cristas paralelas na cabeça (enquanto que a baleia boreal tem apenas uma). O seu ventre apresentava uma coloração rosa. O seu sopro é estreito e eleva-se a uma altura de 3 a 4 metros. Respira rapidamente, 3 a 4 vezes de seguida, tendo sido observados mergulhos entre 5 e 15 minutos de duração. Nunca foi observada a sua caudal durante o mergulho.

Fonte: www.espacotalassa.com

Baleia de Bryde

Baleia de Bryde

Balaenoptera edeni

Origem do nome científico

Do latim balaena (baleia), do grego pteron (asa, ou nadadeira), edeni refere-se ao honrado Ashley Eden, comissário-chefe da Birmânia britânica, que foi quem guardou o espécimen tipo para Anderson

Hábitat: Costeiro/Oceânico

Distribuição

Ocorre em águas tropicais, subtropicais e temperadas quentes de todos os oceanos. Algumas populações de baleias-de-bryde não realizam migrações permanecendo nas regiões quentes ao longo do ano. Existem duas formas distintas: uma costeira e outra oceânica que podem apresentar diferenças em sua dieta e ciclo reprodutivo.

Registros

Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Bahia, Paraíba, Maranhão, Piauí.

Lista de Identificação / Principais características:

· Coloração cinza-escura-prateada no dorso e cinza-clara na região ventral, algumas vezes, podem existir pequenos tingimentos rosados nos lados do corpo ou entre a cabeça e a nadadeira dorsal

· Corpo moderadamente grande e esguio

· Cabeça larga e plana

· As três quilhas longitudinais no topo do rostro são características da espécie

· Nadadeira dorsal afastada do centro do dorso. Proeminente (alta) e falcada

· Nadadeiras peitorais pontudas, delgadas e relativamente pequenas, correspondendo a 1/10 do seu comprimento

· Nadadeira caudal larga, de forma triangular, com reentrância central bem definida

· Barbatanas: 250 - 370 em cada lado, escuras, curtas e largas de aproximadamente 45cm de comprimento, com longas e rígidas franjas cinzas na face interna

· Pregas ventrais: 40 - 50. Até o umbigo ou um pouco atrás dele

· Borrifo: Alto e delegado. Alcança de 3m a 4m de altura. Não é muito visivelmente claro à distância

Comprimento máximo: 15,6m

Peso: 40 ton

Comportamento

Duas populações são conhecidas: uma costeira, que habita a plataforma continental e outra oceânica. Evidências sugerem a existência das duas populações no litoral do Brasil, mas estudos adicionais são necessários para uma melhor compreensão desses estoques em águas juridiscionais brasileiras. Pouco é conhecido sobre a estrutura e organização social da baleia-de-bryde. Assim como outras baleias, usualmente deslocam-se sozinhas ou em pequenos e efêmeros grupos, embora grandes agregações possam ser observadas em áreas de alimentação. Freqüentemente arqueia o dorso antes de um mergulho mas não projeta a nadadeira caudal acima da superfície da água. Quando na superfície, a nadadeira dorsal é visível simultaneamente com o orifício respiratório. Ocasionalmente pode ser vista saltando. Curiosa, aproxima-se de embarcações. No litoral sul do Rio de Janeiro e norte de São Paulo, a espécie tem sido avistada em águas costeiras alimentando-se de sardinhas em associação alimentar multiespecifica com atobás-marrom, fragatas e trinta-réis. A distribuição dessa espécie tem sido relacionada com a abundância e disponibilidade de presas.

Na baía da Ilha Grande são vistos animais solitários ou em pequenos grupos de até três indivíduos, especialmente nos meses de verão, pescando. Quando está se alimentando, desloca-se com súbitas acelerações e mudanças de direção em ziguezague, tanto abaixo quanto na superfície. Alimenta-se ao longo do ano, ao contrário das outras baleias.

História Natural

A gestação dura cerca de 11- 12 meses e a lactação seis meses. Os filhotes quando desmamam, após os seis meses, medem aproximadamente 7m. Machos alcançam a maturidade sexual com 11-11,4m e as fêmeas com 11,6 - 11,8m. O intervalo entre as crias é de cerca de dois anos. Quando alcançam a maturidade sexual, as fêmeas são cerca de 0,50 a 0,60cm maiores que os machos. O comprimento incrementa rapidamente até os cinco anos de idade, alcançado cerca de 90% da sua maturidade física por volta dos 20-25 anos em ambos os sexos. Pode copular e procriar em qualquer época do ano. O intervalo médio entre as crias é de 2 anos.

Comprimento no nascimento: 4m.

Peso: 680 kg.

Longevidade: Desconhecida.

Predadores naturais: Provavelmente as orcas e os grandes tubarões.

Dieta: Pequenos peixes, krill e outros crustáceos.

Ameaças: Enredamento, degradação do hábitat, poluição química e sonora.

Outros nomes vernaculares: Espadarte, baleia-de-bruda.

Fonte: www.projetogolfinhos.com.br

Baleia-de-bryde

Balaenoptera edeni

Baleia de Bryde

Características Principais

A Baleia-de-bryde possui o corpo longo e esguio. A sua cabeça é larga e plana.
Tamanho: O comprimento médio para o macho é de 13,7m (máximo de 14,3m) e para a fêmea é de14,5m (máximo de 15,5m).

Peso: A Baleia-de-bryde pesa entre 16 e 18,5 toneladas, mas já foiencontrado um exemplar pesando 20 toneladas.

Gestação e cria

Aproximadamente 1 ano, nasce apenas uma cria medindo cerca de 3,4 metros.

Alimentação: Basicamente pequenos peixes que formam cardumes.

Distribuição: Águas tropicais e subtropicais de todo o mundo. No Brasil ocorre do Paraná até o nordeste.

Ameaças: Captura intencional pela indústria pesqueira japonesa.

Status: Insuficientemente conhecida.

Fonte: www.baleiasonline.hpg.ig.com.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal