Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Baleia Orca  Voltar

Baleia Orca



 

Baleia Orca

Origem do nome científico

Orcinus pode ser derivado do latim orca (tipo de baleia), ou de orcynus (tipo de tunídeo), neste caso, o nome pode ser uma referência ao hábito de predar atuns

Hábitat

Costeiro/Oceânico

Distribuição

Espécie cosmopolita. Ocorre desde os pólos até as regiões equatoriais, sendo depois do homem, a espécie de maior distribuição geográfica do planeta.

Registros

Do Rio Grande do Sul ao Ceará. Existem ainda avistagens realizadas a 10 milhas náuticas dos penedos de São Pedro e São Paulo e a 1800 milhas náuticas do arquipélago de Fernando de Noronha.

Lista de Identificação / Principais características

Distinta coloração padrão preta e branca. A região ventral apresenta coloração branca contínua da mandíbula ao anus, estreita entre as negras nadadeiras peitorais e com bifurcações atrás do umbigo. A superfície ventral da nadadeira caudal e porção adjacente do pedúnculo da nadadeira caudal também são brancas.

Dorso e flancos pretos, exceto pela presença de uma mancha branca no flanco localizada na região urogenital e pela mancha branca oval atrás dos olhos. Atrás da nadadeira dorsal existe uma mancha altamente variável, cuja coloração pode ser branca ou acinzentada, chamada de "sela". Nos filhotes essa mancha é menos distinta.

Baleia Orca

Corpo extremamente robusto

Cabeça cônica. Ausência de rostro (bico) bem definido

Nadadeira dorsal ligeiramente à frente do centro do dorso. Grande, proeminente e altamente variável na forma: machos adultos possuem nadadeira dorsal alta, ereta e triangular e as fêmeas e juvenis baixa e falcada. A nadadeira dorsal freqüentemente apresenta marcas e cicatrizes

Grandes nadadeiras peitorais arredondas que crescem com a idade podendo atingir 1/5 do comprimento do corpo

Piolhos-de-baleia podem ser encontrados aderidos na superfície da pele.

Nº de dentes: 20 - 28 / 20 - 28

Borrifo

Normalmente visível em dias frios, baixo e espesso.

Comprimento máximo

9 m/7,9m

Peso

5,6 ton / 3,8 ton

Comportamento

Embora a espécie apresente alta consideração em muitas culturas aborígenes marítimas, outras sociedades a tiveram como temíveis e de péssima reputação por muitas décadas. Aos poucos esse conceito foi mudando.

A orca tem sido admirada nos oceanários por mais de 30 anos e é a principal personagem de vários filmes, documentários e outras formas de mídia popular. A população mundial de orcas parece consistir de subpopulações especializadas, cada qual com seus hábitos e comportamentos particulares altamente adaptados aos recursos alimentares disponíveis em sua área de vida. Alguns pesquisadores acreditam que diferenças na morfologia, genética, ecologia e comportamento entre as diferentes populações de orcas tratam-se de uma base suficiente para estabelecer diferentes raças, subespécies e talvez espécies.

No Pacífico norte oriental (Colûmbia Britânica, Washington e Alasca) ocorrem populações simpátricas residentes e transeuntes que apresentam características distintas de morfologia e de genética bem como no comportamento e ecologia (dieta, padrão de deslocamento e uso do hábitat/fidelidade de sítio, vocalização/dialetos, ecolocação, padrão de respiração, amplitude de exalação e mergulho, tamanho de grupo, filopatria natal e ocorrência sazonal. Evidências sugerem que em regiões da Colûmbia Britânica, populações observadas em áreas oceânicas são distintas de ambas as formas costeiras residentes e transeuntes.

É uma espécie gregária, podendo ser avistada em grupos de três a 25 animais. Agregações com até cem indivíduos já foram reportadas. No entanto a ocorrência de indivíduos solitários, geralmente machos adultos, também é conhecida. As orcas mantêm um forte sistema de hierarquia social. Vivem em uma sociedade matriarcal, onde todos os relacionamentos giram em torno da fêmea mais velha, mãe ou avó de todos os integrantes do grupo. Essa estrutura social pode ser formada por quatro gerações de indivíduos aparentados maternalmente. Formam laços sociais fortes e estáveis.

Aproximáveis e curiosas exibem variadas reações diante a presença de embarcações, que variam da indiferença a curiosidade. Raramente nadam na proa de barcos ou nas ondas produzidas por esses mas freqüentemente saltam, colocam a cabeça acima da superfície da água para "espiar" ao seu redor e batem com as nadadeiras peitorais e caudal na superfície da água.

Em áreas oceânicas do sul e do sudeste do Brasil, é conhecida a interação de O. orca com a pesca de espinhel de superfície ("longline") para a captura de atuns e peixes afins, como o espadarte. Assim como no Brasil, interações de orcas com a pesca de espinhel são reportadas em várias localidades do mundo.

Grupos de orcas compostos de dois a cinco indivíduos, a maioria contendo filhotes, foram registrados na baía da Ilha Grande.

História Natural

O período de gestação varia de 15 a 18 meses. A amamentação dos filhotes dura um ano mas podem começar a ingerir comida sólida fornecida pelas suas mães enquanto ainda estão se amamentando. O desmame ocorre entre o primeiro e o segundo ano de vida. Fêmeas dão à luz ao seu primeiro filhote com idades entre 11 e 16 anos.

O intervalo entre as crias é de cinco anos. As fêmeas tem uma média de 5,35 filhotes ao longo de uma vida reprodutiva superior a 25 anos de idade, a qual acaba com cerca de 40 anos. Machos alcançam a maturidade sexual com cerca de 15 anos, como o indicado pelo rápido crescimento da nadadeira dorsal. Os machos continuam a crescer até os 21 anos, quando alcançam sua maturidade física.

Comprimento no nascimento

2,2 - 2,6m

Peso

160 kg

Longevidade

50 - 60 anos / 80 - 90 anos

Predadores naturais

Desconhecidos

Dieta

Lulas, polvos e aves marinhas (ocasionalmente invertebrados)

Ameaças

Degradação do hábitat, distúrbios humanos, poluição química e proveniente do lixo flutuante, enredamento e captura acidental em espinhel

Outros nomes vernaculares

Mati (baía da Ilha Grande), chati (pescadores de atum e espadarte no sul e sudeste do Brasil), tubarão-baleia e baleia-preta (Sergipe), baleia-assassina

OBS: O nome comum baleia-assassina provavelmente originou-se das palavras "assassinas de baleias", que foram utilizadas por baleeiros espanhóis no século XVIII, que assistiam grupos de orcas caçando grandes baleias

Fonte: www.projetogolfinhos.com.br

Baleia Orca

NOME POPULAR

Baleia-orca, Baleia-assassina e Caldeirão.

NOME CIENTÍFICO

Orcinus orca.

TAMANHO

5 a 7 metros de comprimento.

PESO

11 toneladas .

Mamífero cetáceo de grande porte da família dos Delphinidae. São comuns em todos os oceanos, entretanto, sua maior incidência é em águas frias e não muito distantes da costa marítima. É o mais carnívoro, de todos os animais de sua espécie, alimenta-se de peixes grandes, focas, raias, pingüins, polvos, lulas, tartarugas marinhas, aves marinhas, toninhas, leões-marinhos e até mesmo outras baleias, inclusive as próprias orcas.

Baleia Orca

O folclore encarregou-se de criar em torno da orca o título de "baleia assassina", porém, como tantos outros animais de espécies diferentes só atacam quando se sentem ameaçados. Sua pele lisa tem aparência de borracha, que assemelha-se aos golfinhos. A orca possui várias características marcantes, a diferença básica entre o macho e a fêmea está na barbatana dorsal. Pequena com curva acentuada refere-se as fêmeas, alta e pontiaguda, nos machos. Cabeça em forma de cone, nadadeiras peitorais grandes, largas e arredondadas, um padrão de coloração preto e branco.

Seus filhotes nascem com 2.1 a 2.4 m e aproximadamente 180 kg.

Em várias partes do mundo as orcas tem sido caçadas pela sua carne e gordura ou mortas como potenciais competidoras pelos pescadores. No Japão, a carne das orcas é utilizada para consumo e suas vísceras são usadas para fazer fertillizantes e iscas para pesca. Na Noruega, sua carne é usada para fazer ração para animais domésticos. Várias orcas foram mortas, durante sua captura e transporte para exibição em aquários, devido a uma série de procedimentos inadequados.

Outra ameaça é a interação com pescarias oceânicas. Nesta interação as orcas aprendem a tomar os peixes capturados no espinhel. No Brasil, este comportamento está sendo observado no Rio Grande do Sul e no Espírito Santo, durante a captura de atuns e espadartes.

Os pescadores prejudicados costumam afugentar os animais muitas vezes de forma agressiva. Já foram encontrados nos tecidos das orcas, altos níveis de PCB's e DDT, proveniente de efeitos da poluição ambiental.

Fonte: www.pick-upau.org.br

Baleia Orca

A Baleia Orca ou Orcinus orca é um cetáceo mamífero, o maior membro da família dos golfinhos (Delphinidae), chamada em inglês por Orque ou Killer Whale.

Baleia Orca

Os machos podem medir de 5 metros a 9,70 metros, e as fêmeas medem de 4metros a 8,5 metros, e ambos podem pesar até 11 toneladas.

O seu corpo é preto e branco e branco na parte inferior e acoma dos olhos e a sua pele é lisinha assim como a dos golfinhos. Para distinguir o sexo basta analisar a barbatana dorsal, se ela for pequena e curvada é uma fêmea e se for alta e pontuda (pode chegar a até 2 metros), é um macho.

A gestação ocorre num período de 11 a 12 meses. As orcas geram apenas um filhote por gestação e o mesmo nasce com aproximadamente 2 metros de comprimento e 180 kg.

Os intervalos entre as gestações duram de 3 a 8 anos e os machos atingem a maturidade sexual a partir dos 15 anos e as fêmeas a partir dos 8 a 10 anos.

Baleia Orca

Comportamento

As orcas podem nadar até 55km/h e normalmente são encontradas em grupos de até 100 indivíduos. Elas ficam de 5 a 15 submersas entre uma respiração e outra.

Alimentação

Comem peixes grandes (por exemplo: atum e salmão), aves marinhas (por exemplo: pinguins), polvos, lulas, tartarugas marinhas e até mesmo outras baleias (por exemplo: baleia-azul).

Localização

Baleia Orca

As orcas são cosmopolitas, ou seja, podem ser encontradas em todos os oceanos, desde a Antártida até o Ártico, mas preferem águas frias e próximas à costa.

A maior população de orcas encontrada foi na Antártida, com um número estimado de 160.000 indivíduos.

As orcas não estão em extinção, por serem consideradas muito pequenas para a caça predatória.

Baleia Assassina

Apesar de serem chamadas de assassinas, são inofensivas, ou seja, atacam somente quando sentem perigo.

São chamadas assim porque são ágeis caçadoras e se alimentam de animais de sangue quente, mas estão no topo da cadeia alimentar e obedecem às leis da natureza, ou seja, mantém o equilíbrio do ecossistema marinho, matando apenas para se alimentar e manter a sua sobrevivência

Fonte: mypet.terra.com.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal