Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Bananeira - Página 5  Voltar

Bananeira

A Cultura da Bananeira

Bananeira

Clima

A bananeira é uma planta que exige calor e umidade constantes e não tolera geada.

Os locais sujeitos a baixas temperaturas e geadas devem ser evitados, pois podem ocasionar a "queima" da planta, ou dos frutos em crescimento ("chilling" ou "friagem") impedindo que o fruto atinja o seu máximo crescimento.

Chuva bem distribuída (100 - 180 mm / mês ) durante o ano, favorece o desenvolvimento da bananeira, principalmente na época da inflorescência ou no início da frutificação.

Com relação a altitude e latitude, estas quando maiores, aumentam os ciclos de produção, principalmente para os cultivares Nanica e Nanicão.

A luminosidade é importante para o desenvolvimento da bananeira, sendo desejável que receba entre 1000-2000 horas de luz / ano, pois afeta o ciclo, o tamanho do cacho, a qualidade e conservação dos frutos.

Solo

A maior porcentagem ( 70 % ) das raízes da bananeira encontram-se nos primeiros 30 cm do solo, entretanto o solo ideal deve favorecer a penetração das raízes, no mínimo, 60 a 80 cm de profundidade.

Os solos preferidos são os ricos em matéria orgânica, bem drenados, argilosos ou mistos, areno-argilosos ou franco-argilosos, que possuam boa disponibilidade de água e topografia favorável.

Cultivares

Para o mercado interno: Prata, Maçã, Nanicão, Nanica e Ouro.

Para o mercado externo: Nanicão e Grande Naine.

Características de algumas cultivares: Grande Naine possui grande semelhança com a cultivar Nanicão, porém o porte é um pouco mais baixo. Tem sido a cultivar mais plantada no mercado externo. Possui alta capacidade de resposta em condição de alta tecnologia, porém não tem a mesma rusticidade da cultivar Nanicão.

Maçã apresenta ótima qualidade e excelente aceitação no mercador consumidor, porém com séria limitação para seu cultivo devido ao mal-do-panamá Nanica, semelhante à Nanicão , de porte mais baixo, frutos menores e mais curvos e apresenta problema de "engasgamento" no lançamento dos cachos no inverno.

Nanicão cultivar que apresenta a melhor conformação de cachos e de frutos, dominando o mercado interno e de exportação.

Prata-anã enxerto ou Prata-de-Santa-Catarina porte médio /baixo, planta vigorosa e frutos idênticos aos do cultivar Prata. É tolerante ao frio e mediamente tolerante a nematódeos.

Prata com limitação de cultivo devido ao mal-do-panamá.

Ouro da Mata ( ENCAPA 602 ) apresenta plantas vigorosas, altura de 3 a 5 m, com folhas ligeiramente arqueadas. Resistente ao mal-do-panamá. Frutos com polpa ligeiramente amarela, doce e macia com sabor semelhante ao da banana-prata.

Preparo do Solo, Calagem e Adubação

Para se usarem calcário e adubos nas quantidades certas, é preciso analisar a terra. Retire as amostras para análise, nas profundidades de 0 20 e 20 40 cm, 3 a 4 meses antes do plantio. Fazer aração e gradagem, procurando incorporar o calcário dolomítico, 60 dias antes do plantio, se necessário.

Propagação

A bananeira propaga-se por via vegetativa, por meio de mudas. As preferidas para plantio são:

a) rizoma não brotado: que pode ser inteiro ou subdividido ao meio ou em 4 partes (com peso nunca inferior a 500g cada);

b) Rizoma brotado ou inteiro:

chifrinho: rebento recém brotado, com 20 cm de altura, com 2 a 3 meses de idade e com aproximadamente 1 kg;

chifre rebentos: em estádio médio de desenvolvimento, medindo de 50-60 cm de altura, pesando entre 1-2 kg;.

chifrão: rebento apresentado a primeira folha normal, pesando entre 2-3 kg;

muda alta ( muda replante ): rebento bem desenvolvido, com mais de 1 metro de altura e pesando entre 3-5 kg, utilizado como replante das falhas em bananais formadas ou em formação.

O tratamento das mudas visa controlar a broca e evitar apodrecimento após o plantio. Deve-se efetuar a limpeza do rizoma e mergulha-los em uma solução contendo fungicida e inseticida, deixando-o imerso durante 5 minutos. A seguir coloca-lo para secar á sombra. O plantio deverá ser efetuado no máximo, dentro de 2 dias após o tratamento.

Recomenda-se o uso de mudas provenientes de viveiro registrado.

Espaçamento, porte e peso do cacho

De forma geral os espaçamentos para os diferentes cultivares são:

Bananeira
Clique para Ampliar

Obs.: Dimensões da cova: 40 x 40 x 40 cm

Adubação

Adubação na cova: quando não se faz analise da terra, cada cova de plantio, pode ser adubada com: 600 gramas de superfosfato simples, 3 quilos de fosfato de Araxá,. 15 a 20 litros de esterco de curral curtido, 20 g de sulfato de zinco + 10 g de bórax ( ou 60 g de FTE BR 12 ).

Adubação de crescimento e frutificação:

Bananeira
Clique para Ampliar

Recomenda-se a aplicação de fertilizantes que forneçam zinco, cobre, boro, ferro e outros micronutrientes.

As adubações em cobertura devem ser feitas a 50 cm das plantas; em terrenos inclinados faze-las em meia-lua do lado de cima; em bananal adulto distribuir os adubos em meia-lua em frente à planta-neta ou em faixa de 50 cm de largura nas entrelinhas.

Aplicar anualmente 20 litros de esterco de curral curtido por cova.

Para adubar bananeiras irrigadas, procure o técnico da EMATER-MG.

Época de Plantio

Iniciar o plantio com as primeiras chuvas ou em qualquer época com o uso de irrigação. Levar em consideração o período em que se pretende colocar o produto no mercado.

Tratos Culturais

Capinas - mantenha o bananal livre de mato. As capinas podem ser com enxadas, máquinas ou herbicidas. Não se deve gradear ou passar rotativa devido a superficialidade das raízes.

Desbaste o desbaste é uma das operações mais importantes no manejo do bananal . Devem-se deixar no máximo, 3 plantas por touceira ( mãe, filha e neta).

Use o desbrotador conhecido como lurdinha. Deixe a nova brotação, seguindo o alinhamento.

O primeiro desbaste, que irá eleger a planta mãe, deve ser realizado quando os brotos atingirem 60 cm. O desbaste deverá ser realizado periodicamente, visando manter mãe e filho, até o lançamento da inflorescência pela planta-mãe. Nesta fase escolhe-se um novo broto junto ao filho que passará a ser o "neto".

O número de desbastes varia de 3 a 5 vezes/ano.

Corte do pseudocaule ou da bananeira depois de colher o cacho, corte as folhas no alto da bananeira ( roseta ) , no ponto em que elas se separam. Corte o resto da bananeira rente ao solo 40 dias depois.

Pique a bananeira cortada e espalhe os pedaços nas entrelinhas do bananal, deixando o solo próximo (40 cm) da touceira no limpo.

Desfolha ou retirada das folhas secas retire as folhas secas logo depois de cada adubação de crescimento; cortando-as junto ao pecíolo, de baixo para cima; ajunte-as em leiras nas entrelinhas do bananal.

Corte do coração ou umbigo faça o corte do umbigo 15 dias depois que se formou a ultima penca. Quebra-se a ráquis masculina ("rabo-do-cacho") junto ao botão floral, quando houver entre ele e aúltima penca, cerca de 10 - 12 cm. Este procedimento acelera o desenvolvimento ("engordamento") das bananas, aumenta o comprimento dos últimos frutos, aumenta o peso do cacho (cerca de 5% no peso do cacho. ) e provoca a diminuição de trips e traça-da-bananeira.

Ensacamento do cacho com plástico polietileno pratica que melhora a qualidade dos frutos, protegendo-os contra atritos, ataque de pragas e de produtos utilizados no tratamento fitossanitário Irrigação  a irrigação deverá ser feita nos períodos de seca prolongada, porem, sempre verificando as condições de umidade do solo. Na cultura irrigada a produção é maior e de melhor qualidade, devendo-se executar bom manejo da irrigação.

Tratos Culturais

Pragas principais

Broca-da-bananeira também conhecida como moleque-da-bananeira.

O inseto adulto é um besouro preto, de movimentos lentos e hábitos noturnos. As larvas destroem os tecidos internos dos rizomas, produzindo galerias. As folhas amarelecem, os cachos ficam pequenos e as plantas ficam sujeitas ao tombamento.

Controle: seleção das mudas, tratamento das mudas e das covas com inseticidas e o emprego de iscas de pseudocaule ou rizomas, envenenados ou não.

Nematódeos causam lesões nas raízes; por isso, as plantas ficam com o crescimento prejudicado e sujeitas ao tombamento.

Controle: plantio em áreas livres de nematódeos, rotação de culturas, utilização de mudas sadias, descorticamento do rizoma, tratamento das mudas com nematicidas, e uso de cultivares resistentes.

Doenças principais

Mal-do-panamá os sintomas começam com amarelecimento nas folhas mais velhas, que depois murcham, secam e se quebram ficando pendentes, dando á planta um aspecto de guarda-chuva fechado. Nas variedades sem resistência, como a prata e a maçã, a doença reduz bastante a produção e pode destruir todo o bananal.

Controle: uso de cultivares tolerantes, plantio de mudas sadias, implantação de viveiros com mudas isentas da doença, plantio em solos não infectados, queima dos restos de cultura, uso de ferramentas esterilizadas; uso de pedilúvio e rodolúvio no acesso à lavoura, no caso de regiões onde é comum a ocorrência desta doença.

Mal-de-sigatoka (Amarela) ou Cercosporiose - provoca desfolhamento precoce, enfraquecimento da planta, cachos com poucas pencas e frutos pequenos.

Nas folhas, aparecem manchas de cor amarela nas bordas e acinzentadas no centro. Traz também maturação precoce de frutos isolados no cacho.

Controle: pulverizações com produtos á base de óleos minerais, a cada 15 ou 21 dias nos períodos chuvosos. Fungicidas sistêmicos diluídos em óleo mineral, também são recomendados.

Mal-de-sigatoka (Negra) ainda sem presença no Estado de Minas Gerais, porém, trazendo já preocupações aos bananicultores.

Nota: Procure um técnico para informar-se melhor sobre os cuidados de uso dos produtos químicos.

Colheita

As bananas são colhidas o ano todo. Se as distancias são longas, e os dias, quentes, colhe-se a fruta mais atrasada em seu desenvolvimento.

Para as distancias curtas e dias frios, as bananas podem ser colhidas com grau de maturação mais avançado.

Comercialização

As caixas comumente utilizadas são a do tipo torito ( to ), com peso médio de 18 kg e a caixa mineira ( mi ) com 20 kg; produtores mais tecnificados já estão usando também caixa de plástico e de papelão, com peso definido do conteúdo.

O período de grande oferta do produto nas CEASAs é de setembro a dezembro e de oferta fraca ou ausência e escassez é de janeiro a junho.

Fonte: www.emater.mg.gov.br

Bananeira

USO MEDICINAL DA BANANA

INTRODUÇÃO

As bananas constituem o quarto produto alimentar mais produzido no mundo, sendo o segundo fruto mais produzido e consumido no Brasil ;

São cultivadas em 130 países - originárias do sudeste da Ásia, sendo atualmente cultivadas em praticamente todas as regiões tropicais do planeta;

Estados Unidos da América e a União Européia as principais potências importadoras;

Cada banana pesa, em média, 125g, com uma composição de 75% de água e 25% de matéria seca. São uma fonte apreciável de vitamina A, vitamina C, fibras e potássio;

A maior parte da produção provém do Nordeste do país, onde é produzido 34% do volume nacional, seguido das Regiões Norte (26%), Sudeste (24%), Sul (10%) e Centro-Oeste (6%);

USO MEDICINAL

Sacarose

Frutose + Fibras ---> Energia

Glicose

Fruta nº 1 dos maiores atletas do mundo;

A banana é um remédio natural contra muitos problemas.

ANEMIA

Contendo muito ferro, bananas estimulam a produção de hemoglobulina no sangue e ajudam nos casos de anemia.

Para anêmicos a banana pode ser ministrada até 5 unidades por dia para aumentar a porcentagem de ferro no organismo.

TPM

A fruta deve ser consumida diariamente, nos dez dias que antecedem a menstruação;

Um santo remédio nesses casos é a vitamina B6;

Estudos mostram que a banana ajuda o organismo a fabricar serotonina, uma molécula que é a grande responsável pela sensação de bem-estar no cérebro, por isso é indicada para o bom humor.

CAPACIDADE MENTAL E ESTRESSE

Pesquisa mostra que frutas com elevado teor de potássio ajudam alunos a aprender e manter-se mais alertas. Potássio é um mineral vital que ajuda a normalizar os batimentos cardíacos, levando oxigênio ao cérebro e regula o equilíbrio de água no nosso corpo;

Quando estressados, nossa taxa metabólica se eleva, reduzindo os níveis de potássio.

RESSACA

Para curar uma ressaca é só tomar uma vitamina de banana com leite e mel.

A banana acalma o estômago e, com a ajuda do mel, eleva o baixo nível de açúcar, enquanto o leite suaviza e reidrata o sistema.

Receita:

ferva 60 gramas de casca de banana em 1 litro de água e beba esse chá, três vezes ao dia.

AZIA

A banana tem efeito antiácido natural;

Se você sofre de azia, experimente comer uma banana para aliviar.

ENJÔO MATINAL

Comer uma banana entre as refeições ajuda a manter o nível de açúcar no sangue elevado e evita as náuseas.

PICADA DE MOSQUITO

Antes de usar remédios, experimente esfregar a parte interna na casca da banana na região afetada.

Muitas pessoas têm resultados excelentes em reduzir o inchaço e a irritação.

DEPRESSÃO

De acordo com recente pesquisa entre pessoas que sofrem de depressão, muitas se sentiram melhor após uma dieta rica em bananas;

Isto porque a banana contém "trypotophan" , um tipo de proteína que o organismo converte em seratonina, reconhecida por relaxar, melhorar o humor e, de modo geral, aumentar a sensação de bem estar.

PRESSÃO ARTERIAL

A banana contém elevadíssimo teor de potássio, mais reduzido em sódio, tornando-a perfeita para combater a pressão alta;

A banana promove bom funcionamento do coração, evitando alteração do batimento cardíaco, eliminando excesso da retenção de água o que causa a hipertensão arterial.

VERRUGAS, QUEIMADURAS E ÚLCERAS DA PELE

Aplicar a parte interna da casca e cobrir com gase limpa, deixar por 30 minutos, 3 vezes ao dia.

Queimaduras graves:

Misturar a polpa de 1/2 (meia) banana-nanica madura ou verde com uma fatia fina de polpa branca da babosa. Amasse bem até formar uma pasta homogênea. Aplique-a no local afetado. Deixe-a agir durante 1 hora e, em seguida, lave a região com água fria.

ÚLCERA

O segredo está no amido, composto presente na fruta, que é digerido principalmente na boca e no intestino.

Conforme é mastigada, a banana já vai sendo digerida na boca, pela ação da ptialina, enzima presente na saliva, responsável pelo início da quebra do amido. Ao passar pelo estômago, quase não exige a atuação dos ácidos. O trabalho será finalizado predominantemente no intestino;

Estudos com ratos mostraram que a banana conseguiu frear 75% a formação da úlcera. Segundo os pesquisadores, isso acontece porque a fruta é capaz de estimular a reprodução das células da parede estomacal, deixando-a mais grossa e forte.

DOR DE ESTÔMAGO (GASTRALGIA)

Comer banana prata ou nanica assada

FUMO

Comer bananas pode ajudar pessoas que estão largando o cigarro, porque seus elevados níveis de vitaminas C, A1, B6 e B12, além de potássio e magnésio, ajudam o corpo a se recuperar dos efeitos da retirada da nicotina.

INCHAÇO E ICTERÍCIA

As folhas da bananeira podem ser usadas em banhos contra urticária, inchaços e inflamação de testículos;

A água do tronco da bananeira tomando um litro por dia cura a icterícia, e ajuda a diminuir a maioria das febres.

CONTUSÃO

Utiliza-se a casca da fruta, fazer compressa local com a parte interna da casca. Renovar a cada hora.

PROBLEMAS INTESTINAIS

A banana-maçã é indicada para problemas intestinais ao aumentar facilmente o volume da massa fecal.

HEMORRÓIDAS

Compressa local com a seiva da bananeira.

Para extrair a seiva, fazer um corte na bananeira e aparar com vasilhame.

APENDICITE

Refeição exclusiva, juntamente com maçã e mamão, 3 vezes por semana.

FALTA DE AR E ASMA

Tomar xarope com a nódoa da bananeira (banana-maçã).

Cortar a bananeira e aparar com um copo a nódoa que escorre, ferver, adoçar com mel de abelhas e depois de frio, tomar três colheres de sopa quatro vezes ao dia.

NEVRALGIA (DORES NOS NERVOS)

Fazer compressas quentes com a parte interna da casca da banana (qualquer espécie) na região dolorosa, substituir a cada 3 horas.

PNEUMONIA

Assar bananas levemente e comê-las ainda novas.

SAPINHO

Utiliza-se a nódoa da bananeira;

Cortar a bananeira e aparar com um copo a nódoa que escorre. Aplique na boca da criança com algodão embebido. Deixe agir por 10 minutos e lave em água corrente.

INFECÇÃO DO TECIDO QUE CIRCUNDA AS UNHAS

Compressa local de banana amassada, com duração de 30 minutos. Aplicar 3 vezes ao dia.

BANANA VERDE

A banana verde concentra na polpa e na casca uma substância chamada amido resistente;

Quando a fruta amadurece, esse amido se transforma em açúcar;

Portanto, o primeiro benefício da banana verde é que ela é menos calórica do que a fruta madura;

O alimento verde também é rico em fibras, vitaminas e sais minerais.

BANANA VERDE

O amido resistente não é absorvido pelo organismo e vai direto para o intestino grosso;

Ali, o nutriente vai liberar uma substância que irá regular a flora intestinal;

Ele traz bactérias benéficas para o corpo, como lactobacilos vivos, que diluem os compostos tóxicos do corpo, e mudam a flora intestinal;

Além de diminuir a glicose e elevar o sistema imune do corpo, prevenindo doenças crônicas, como câncer, diabetes, desnutrição e obesidade.

NOVIDADE

Agora a banana está sendo considerada um dos principais veículos de aplicação da "vacina comestível".

Esta vacina seria obtida por meio da transformação genética com a introdução de um ou mais genes que codificam para subunidades de vírus e/ou bactérias em plantas.

As proteínas resultantes da expressão deste(s) novo(s) gene(s) nas plantas, quando ingeridas, poderiam ser capazes de induzir uma resposta no sistema imunológico dos humanos ou mesmos de animais.

Bibliografia

SPETHMANN, C. N. Medicina alternativa de A a Z. Editora Natureza. 6ª ed. 2003.
http://www.radiobras.gov.br/ct/artigos/2001/artigo_141201.htm
http://www.linhabioslim.com.br/v_alimentacao_11.asp
http://www.hebron.com.br/bomdiadr/02102006.php
http://www.alvorecer.org.br/orient_medica/remedios_caseiros.htm
http://www.uchina.com.br/fitoterapia.php?id=5
http://pt.wikipedia.org/wiki/Banana

Fonte: www.todafruta.com.br

voltar 123456avançar