Facebook do Portal São Francisco
Google+
+ circle
Home  Batata - Página 2  Voltar

Batata

Batata

Nome científico

Solanum tuberosum L.

Família

Solanaceae

Origem

América do Sul

Características da planta

Planta herbácea, constituída de caules angulosos e ramificados, de coloração verde ou arroxeada, com altura variável de até 50 cm. A parte subterrânea é formada por estolhos, caules laterais, na extremidade dos quais aparecem os tubérculos, parte utilizável da batateira. As folhas são compostas por três ou mais pares de folíolos laterais, um apical e alguns rudimentares, todos de formato arredondado. Apresenta flores autopolinizadas, originando um fruto verde, cheio de sementes miúdas.

Características da flor

As flores são hermafroditas, reunidas em inflorescências tipo cimeira na extremidade do caule. Apresentam coloração branca, rosa ou arroxeada.

Solanum tuberosum

Originária do Peru ou da Bolívia, a bata ou batata-inglesa como é conhecida foi difundida pelos colonizadores europeus e hoje é alimento contemporâneo mais usado nas mesas americanas e européias.

Transformou-se também no alimento mais importante para as populações pobres de vários países, pôr ter um custo relativamente barato e por ser altamente nutritiva.

Um alimento tão útil e necessário nos tempos modernos deve ser amplamente pesquisado para um melhor aproveitamento.

As dificuldades para o desenvolvimento de novas variedades de cultivares são muitas, entre elas: recursos limitados para pesquisas; variações climáticas, ou seja, é quase impossível se desenvolver uma variedade que se adapte a todas as regiões brasileiras; tempo: pois são necessários em média dez anos para que uma nova variedade seja aprovada.

A maior vantagem das cultivares importadas é que elas provêm de regiões mais frias como Holanda, Suécia e Alemanha, que tem uma menor concentração de pulgões, os principais vetores das doenças (como por exemplo o vírus Y da batata conhecido como MOSAICO, o vírus do enrolamento das folhas da batata e o vírus X da batata); no Brasil para se ter a mesma qualidade é necessário que as sementes sejam produzidas em estufas revestidas com telas antiafídicas que impedem a contaminação das sementes pré-básicas.

No Brasil diversas variedades de cultivares nacionais já estão sendo pregadas, como a "Baronesa" ou a "Contenda" ou ainda a "Itararé", mais ainda há muito o que se pesquisar, e somente através da pesquisa genética poderemos associar em uma variedade as características necessárias.

O mercado de sementes é dominado pelas cultivares importadas, principalmente as européias. Mas o que poucos sabem, ou sabem e não acreditam é que no Brasil já são produzidas sementes com igual ou melhor qualidade que as importadas e com um custo cerca de 30% mais baratos.

Época de plantio

Cultura fevereiro - março; das águas: agosto - setembro; Alta Sorocabana e Alta Paulista: abril - maio; Vale do Paraíba: maio - junho.

Plantio

No Brasil é possível devido ao clima, fazer até 3 plantios ao ano, ou como são mais conhecidas, a de Secas, que são plantadas no período de estiagem; a da Águas que são plantadas no período das chuvas e as Temporonas ou de Inverno que são plantadas no período de inverno.

O ciclo vegetativo da cultura da batata varia de 90 a 120 dias dependendo da cultivar, do clima e do solo. A interrupção do ciclo pode ocorrer de forma natural ou artificial utilizando-se de desfolhantes ou dessecantes, que vão matar a rama e as ervas daninhas facilitando a colheita e evitando futuras contaminações do tubérculo através da parte aérea da planta (rama).

Outra vantagem da dessecação é a do produtor poder antecipar a colheita, aproveitando o preço de mercado se estiver favorável.

Após a dessecação deve-se esperar um período que varia de 10a 15 dias para que a pele da batata se fortaleça ou "se firme", facilitando o arranquio e conseguir um bom valor no mercado consumidor.

Espaçamento

80 x 35cm.

Batatas

Sementes necessárias: (peso médio de 35g)

1,3t/ha ou 43 caixas de 30kg ou 26 sacas de 60kg/ha.

Combate à erosão

Plantio em linhas de nível e, nos terrenos mais declivosos, em curvas de nível.

Adubação e calagem

A escolha da fórmula de adubação e a calagem devem basear-se na análise de solo. Nessa impossibilidade, de maneira geral empregar, por hectare, 2t de calcário e 120kg de N, 300kg de P2O5, 90kg de K2O. Empregar adubos de fácil solubilização. Recomenda-se o uso de tortas em mistura, Incorporar bem os adubos ao terreno, evitando que entrem em contato direto com as batatas-semente, sobretudo nos solos arenosos. Aplicar metade do nitrogênio em cobertura, antes do chegamento, quando as plantas devem estar com cerca de 30cm de altura.

Tratos culturais

Capinas e amontoas com sulcadores; emprego de herbicidas; tratamentos fitossanitários.

Irrigação

Dispensável no, plantio das águas e necessária no de fevereiro - março e 1 maio - junho. Pode ser por aspersão, por infiltração e levantamento do lençol freático, muito usado no Vale do Paraíba.

Combate à moléstias e pragas

Requeima

Usar Maneb (Manzate D) e Dithane M-45 e cúpricos: oito ou mais aspersões preventivas; pinta-preta: intercalar produtos à base de estanho (Batasan, Brestan etc.); vaquinha: Parathion; ácaro: enxofre duplamente ventilado a 40% em talco , Thiovit , Kelthane; vírus, murcha, nematóides: usar batatas-semente, sadias, preferivelmente certificadas, e rotação de cultura.

Época de colheita

Três a quatro meses após o plantio, quando as ramas secarem, ou, antecipadamente, com o uso d e desfolhante:

Produção normal

Tubérculos: águas: 8 a 14t/ha
Seca, com irrigação: 15 a 20t/ha.

Melhor rotação

Gramíneas, adubos verdes pasto ou capineiras, desde que as plantas em rotação não sejam suscetíveis aos nematóides ou moléstias que atacam a batatinha. Alqueive.

Batata semente

As mudas são replantadas em canteiros de alvenaria suspensos contendo substrato estéril e cercadas por telas antiafídicas para evitar a presença de insetos (pulgões), transmissores das viroses ("mosaico", "enrolamento" e vírus x da batata).

Todos esses cuidados são necessários para que não haja contaminação das sementes pré básicas que são produzidas em sua estufa de 520m².

O futuro da bataticultura depende muito do produtor. Quem não utilizar da tecnologia disponível no mercado não sobreviverá, pois a concorrência é cada vez maior e a política de preços é muito instável ou seja, o produtor só sabe quando vai ganhar ou perder quando já não há mais tempo para nada.

No Brasil o preço pode variar de 6 a 60 reais em questão de 24hs, e vice-versa, o que leva muitos produtores a ruína ou pararem de plantar, o que faz com que as importações aumentem.

Observações: preparar muito bem o terreno utilizar batatas-semente com 40g de peso médio . Manter sempre a cultura no limpo, até a colheita . Evitar batatas-semente de procedência e cultivar desconhecidos, bem como os terrenos infestados com murcha e nematóides e sujeitos a encharcamento.

Fonte: www.agrov.com

Batata

Batata

A batata foi a escolhida pela Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação para ser a estrela da vez. No dia 18 de outubro de 2007, foi oficialmente lançado na sede da FAO em Nova York o Ano Internacional da Batata, que prevê comemorações em alto estilo, com um calendário repleto de atividades para 2008.

Para começar, de 14 a 18 de abril será realizada em Brasília (DF) a 30ª Conferência Regional da FAO para a América Latina e Caribe. Neste e nos demais eventos que serão realizados no decorrer do ano, as discussões versarão sobre as estratégias para tornar a batata reconhecida na sua função primordial para a agricultura, economia e segurança alimentar mundial. Como bem ressaltou Jacques Diouf, diretor-geral da FAO durante o lançamento oficial do Ano Internacional da Batata, “o mundo tem os meios para implementar o direito à alimentação. Chegou a hora de atuar”.

A batata também será tema central de mais conferências em outros países - Suíça, em maio, Egito, em outubro e um encontro final na India. Texto alusivo à data, publicado no site da FAO, destaca que a iniciativa vem trabalhando em duas frentes: conscientizar a população do planeta sobre a importância da batata como alimento nos países pobres, e promover a pesquisa e o desenvolvimento da produção. Conforme a FAO, são metas que contribuirão para o cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, notadamente a erradicação da pobreza extrema e da fome, a redução da mortalidade infantil, a melhoria da saúde materna, a sustentabilidade do meio ambiente e a criação de uma Parceria Mundial para o Desenvolvimento.

Existem evidências que corroboram a importância da batata como alimento de enorme relevância para atender a esses objetivos. Conforme estudos feitos por especialistas, nos próximos 20 anos a população mundial aumentará em 100 milhões de pessoas por ano, sendo que 95% nos países em desenvolvimento. Daí a importância de se assegurar a capacidade de alimentação, sendo a batata capaz de desempenhar um papel de destaque no enfrentamento desse desafio.

HISTÓRIA

De origem andina, a batata tem suas raízes no Peru, mais precisamente na região do lago Titicaca. Tornou-se conhecida do resto do mundo quando do retorno de conquistadores espanhóis à Europa, ocupando gradativamente um importante espaço na alimentação da população mundial. Desde então, a sua produção tem normalmente acompanhado o crescimento da população, mas o consumo não mostra o mesmo equilíbrio. Quando da comparação entre países ricos e os em desenvolvimento, a FAO aponta uma média anual de consumo de batata por pessoa na África de 14,18 kg; na América Latina de 23,65 kg; na América do Norte, 57,94 kg; e na Europa de 96,15kg. E os números do Brasil não são nada estimulantes: o consumo per capita atingiu apenas 14,23kg, em 2006.

Na avaliação de Nozomu Makishima, analista da Embrapa Hortaliças, “não temos cultura para consumir batata”. Segundo ele, o brasileiro ainda não aprendeu a dar o devido valor à batata, mais barata que o trigo, o milho ou o arroz, ao contrário de outros países da América Latina, onde é a principal colheita.

O professor Paulo Cesar Tavares de Melo, da USP, e presidente da Associação Brasileira de Horticultura, compartilha da opinião do analista da Embrapa Hortaliças. “Não há no Brasil uma cultura de consumo da batata e nem de sua importância nutricional”. E exemplifica: “Se uma família pobre vai ao supermercado e encontra o quilo da batata por R$ 2,00 e um frango por R$ 1,80, ela leva o frango”.

Ele destaca que a batata é o terceiro alimento na relação proteína/caloria, ou seja, a quantidade de proteína existente em relação à massa energética do alimento. O Ano Internacional da Batata chama a atenção para essas qualidades nutricionais, principalmente como forma de combate à fome. Não por acaso metade da produção mundial de batata em 2006 – cerca de 315 milhões de toneladas – foi produzida em países em desenvolvimento.

Países como a China e a India, juntos, produzem quase um terço do total mundial. Apesar de o brasileiro não dispensar à batata a mesma atenção dada a outras hortaliças, instituições de pesquisa vêm trabalhando para mudar este cenário. A partir desse esforço, já há no mercado muitas cultivares que atendem ao gosto do freguês.

NOVAS CULTIVARES

O esforço é comum e envolve diversos centros de pesquisa da Embrapa, conforme o pesquisador Paulo Melo, daárea de Melhoramento da Embrapa Hortaliças. Ele destaca que um dos programas unificados envolve a Embrapa Clima Temperado, a Embrapa Hortaliças e o Escritório de Negócios de Canoinhas, da Embrapa Transferência de Tecnologia.“Com a unificação dos programas, substituímos, noâmbito interno, a competição pela cooperação. Com isso, agregamos competências complementares e eliminamos as duplicidades”, ressalta o pesquisador. Ele acrescenta que a coroação do sucesso dessa união deu-se no ano passado, com o lançamento da cultivar BRS Ana, indicada para o processamento na forma de palitos fritos (fritas à francesa).

Essa indicação culinária, segundo o pesquisador, é um detalhe que merece ser melhor explicitado. “O que temos hoje são cultivares adaptadas ao cozimento, inaptas para serem utilizadas para fazer batata frita, por exemplo. Para obter cultivares próprias para fritura, estamos trabalhando para elevar em 18%, no mínimo, o conteúdo de sólidos solúveis – atualmente, nas cultivares que dominam o mercado brasileiro, o teor de sólidos solúveis não ultrapassa 14%”.

A pesquisa para a obtenção de cultivares mais sustentáveis, que exijam menor quantidade de adubos, e ofereçam maior produtividade, também tem feito parte dos projetos da batata.

“Quando o nosso programa estiver completamente implementado, está dentro de nossas projeções oferecer ao mercado, a cada dois ou três anos, uma nova cultivar com essas características”, salienta.

Fonte: www.jornalentreposto.com.br

voltar 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 avançar
Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal