Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Belize  Voltar

Belize

 

História

Belize é um país da América Central ainda é considerado ainda parte do Caribe.

Como muitas outras partes do Caribe, Belize tem Elizabeth II como seu monarca oficial e Inglês como sua língua oficial.

Há muitas outras línguas faladas em Belize e isso tem sua enorme diversidade e da história Belize agradecer por isso.

Belize

Primeiros habitantes de Belize

A primeira civilização em Belize foi a civilização maia que habitavam o país, já em 1000 aC.

Há evidências de que esta civilização era um adepta na agricultura.

Esta civilização durou até os exploradores espanhóis chegaram e eles certamente encontraram suas diferenças com o espanhol.

Em uma reação quase alérgica, os indígenas foram afetados por doenças capturados pelos espanhóis e, portanto, sua resistência vacilou. Eles ficaram enfraquecidos e os espanhóis eventualmente conquistaram Belize. O dominio espanhol rapidamente estabeleceu igrejas e tinha a intenção de controlar Belize.

Embora houvesse um grande número de tentativas para desestabilizar o espanhol, seu controle foi totalmente restaurado em 1707. Todo este alarido foi certamente perceptível e os britânicos tornaram-se interessado na área.

Belize: Conflito Europeu

O século XVII viu os franceses e britânicos fazendo muitos esforços para desgastar o domínio espanhol em seus novos territórios. Houve conflito entre os espanhóis e britânicos sobre quem tinha o direito de cortar madeira.

Houve tentativas da Inglaterra de destruir navios espanhóis para madeira e pirataria adicionada às pressões crescentes sobre o espanhol. O Tratado de Versalhes, assinado em 1783 entregou estes direitos para os britânicos.

Enquanto tudo isso estava acontecendo, não havia um sistema de lei e ordem.

Os britânicos estavam hesitantes em estabelecer um governo mais formal por medo de provocar o espanhol. A iniciativa foi arrebatada pelos nativos que começaram a nomeação de magistrados para manter algum nível de lei e da ordem no país.

Uma vez que ninguém estava sendo particularmente decisiva, a soberania foi deixada para os espanhóis. A guerra eclodiu em 1796, os espanhóis foram forçados a sair da área e foi deixado inteiramente para os britânicos.

Comércio de Escravos

Os britânicos trouxeram escravos para a região.

Principalmente, estes eram de outras colônias britânicas na América do Sul e também formar África.

A madeira foi o principal recurso em Belize e isso era o que justifica a entrada dos 2.300 escravos que foram trazidos para trabalhar no país.

Escravatura nas colônias ultramarinas foi abolido em 1833, mas isso não foi de muita utilidade para as muitas pessoas que vivem em Belize na época. Os proprietários de terra usaram seus poderes e acesso restrito à sua terra. Isso manteve-os no controle do país por um longo período.

Fonte: colegiosaofrancisco.com.br

Belize

BELIZE, ÉDEM DO CARIBE

Quem viaja a Belize, viaja a um dos locais mais surpreendentes do Mar Caribe. É, sem dúvida, o paraíso para os amantes dos esportes náuticos.

Porém, Belize é também uma importante zona de reservas de flora e fauna, um local para o repouso e um lugar para o lazer entre as delicadas cidades maias e as suas encantadoras praias.

CLIMA

O clima é de tipo sub tropical pelo que as temperaturas são altas durante todo o ano (sem contar com a umidade). Nas zonas montanhosas as temperaturas são mais suaves e inclusive pode fazer um pouco de frio a noite. A temporada de chuvas vai dos meses de junho a outubro.

EQUIPAMENTOS DE VIAGEM

Recomenda-se levar roupas leves de algodão e chapéu. Os óculos de sol, protetores solares, um repelente contra os mosquitos e sapatos confortáveis são necessários. Lembre-se que uma roupa de abrigo sempre ajuda, sobretudo para a zona de montanha.

IDIOMA

A língua oficial é o inglês, porém o espanhol e o crioulo são falados em todo o país. Em algumas zonas fala-se maia e garifuna.

RELIGIÃO

A maioria da população é cristã, principalmente católica (70 %), seguida pelos anglicanos e protestantes.

ELETRICIDADE

A voltagem no país é de 110 volts. a 60 hz. As tomadas são planas, tipo americano. Precisa-se de adaptadores e transformadores para os aparelhos elétricos europeus.

MOEDA E CÂMBIO

A moeda é o Dólar de Belize, igual a 100 centavos. Existem moedas de 1,5 10,25 e 50 centavos e de um dólar. Em notas de I, 2, 5, lO, 20, 50 e 100 dólares. É recomendável levar dólares norte americanos que têm plena aceitação em todo o país. Os câmbios de outras divisas podem-se realizar nos bancos. Os cheques de viagem em dólares, têm também plena aceitação por todo o país. A maioria dos cartões de crédito (sobretudo Visa e Mastercard) são aceitos nas principais povoações.

EMERGÊNCIA - SAÚDE - POLICIAMENTO

As autoridades de Belize não exigem nenhum tipo de certificado de vacinas para entrar no país. Porém, é recomendável a profilaxias e em alguns casos a quimio-profilaxias contra a malária, quando realizam-se deslocamentos para as zonas selvagens. É indispensável viajar com um seguro médico.

Em Belize existem algumas drogarias, sobretudo nas principais povoações. Se precisar de tomar alguma medicina é conveniente levar uma boa provisão. Quando comprar um medicamento repare na data de validade do mesmo. As principais povoações dispõem de, no mínimo, um hospital, onde pode-se realizar curas de urgência.

FOTOGRAFIA

Os preços do filme para fotografia são muito similares aos da Europa, porém, é aconselhável viajar com uma boa provisão, pois não arranjam-se todas as marcas, e os rolos de sliders não são muito comuns. Na zona do Caribe a umidade pode danificar alguns filmes pelo que recomenda-se guardá-los em lugares secos e frescos. Pela intensidade da luz têm de utilizar-se, melhor, sensibilidades baixas e filtros ultravioletas e polarizadores. Para as câmaras de vídeo é necessário um convertidor.

HORÁRIO COMERCIAL

Os escritórios e os bancos abrem de segunda-feira a sexta-feira das 8.00 às 13.00 horas Aos sábados alguns bancos abrem as suas portas. As lojas abrem geralmente de segunda-feira a sábados das 8.00 às 12.00 horas e das 13.00 às 16.00 horas As segundas, terças, quintas e sextas-feiras. Aos domingos normalmente estão fechados.

GORJETA

Na maioria dos hotéis e restaurantes o serviço não está incluido. A gorjeta é facultativa e recomendamos dá-la caso esteja satisfeito com o serviço recebido, sugerindo entre 10% e 15% do total da fatura. Para carregadores de malas o equivalente a um dólar norte-americano é o correto.

TAXAS E IMPOSTOS

Não existe.

LOCALIZAÇÃO GEOGRÁFICA

Belize está situada numa faixa costeira que forma parte da Península do Yucatán, salpicada de lagoas e rodeada de ilhas coralinas. Com uma superfície de 22.965 quilômetros quadrados, Belize tem fronteiras ao norte com México, ao oeste e ao sul com Guatemala e ao leste com o Mar Caribe.

Igual que a Península de Yucatán o país está conformado por planícies tropicais, por uma preciosa barreira de arrrecifes (a mais longa do hemisfério ocidental e a segunda do mundo depois da australiana) e pelos Montes Maias, na parte ocidental e meridional. A capital do país situada no centro do mesmo é Belmopan.

FLORA E FAUNA

Belize é um verdadeiro paraíso constituido por reservas florestais, reservas naturais, santuários de vida selvagem, parques nacionais e reservas marinhas. Nos arrecifes de coral habita uma importante fauna marítima na qual destacam as tartarugas gigantes, peixes tropicais, arraias, tubarões, congos e um longo etcétera.

Entre as aves distinguem-se os flamingos, garças, garcetas, ibis brancos, jaguares de rico colorido, tucanos ou cormoranes. A respeito dos mamíferos destacam os veados, jaguares, pecaríes, tatus, ocelotes, manatíes, macacos aranha, tigres e pumas.

A costa de Belize está formada principalmente por mangues pantanosos, enquanto que no norte prevalece a planície tropical. No sul a vegetação é muito densa, onde o clima é muito úmido.

História

Belizeesteve habitado por grupos maias nos tempos pré-colombianos. Após a conquista, por parte dos espanhóis, Belize formou parte do Vice-reinado da Nova Espanha durante a segunda metade do século XVI. Porém, no ano de 1638, foi colonizado pelos ingleses, dando lugar a contínuos enfrentamentos com os espanhóis que continuaram até o século XVIII.

No século XIX México e Guatemala, que tinham herdado os direitos espanhóis na região, uma vez proclamada a sua independência, reconheceram a soberania inglesa. A Grã-Bretanha, no ano de 1862, constituiu os territórios numa colônia que batizou com o nome de Honduras Britânico.

Em 1960 promulgou-se uma Constituição pela que outorgava-se um regime especial de autonomía, que se prolongaria até o ano de 1981, quando o país atinge a independência. Belize City foi capital do país até o ano de 1970 quando translada-se a Belmopan.

Arte e Cultura

Infelizmente em Belize não existem construções coloniais ou edificações de interesse. Durante a colônia as construções se faziam principalmente de madeira, sem contar com que a população era reduzida, pois os territórios não tinham interesse algum para os espanhóis.

Porém, os assentamentos arqueológicos como os de Lubaantum e Nim Li Punt, no sul, Caracol, o Pilar, Cahal Pech e Xunantunich no centro e La Milpa, Lamai, Cerros e Santa Rita no norte, são vestígios que vale a pena visitar. Trata-se de construções, templos e pirâmides pertencentes à cultura maia e que possuem as caraterísticas próprias do estilo que temos desenvolvido no apartado dedicado à arte e a cultura da Guatemala.

Locais Turísticos

Temos dividido o país em 5 zonas. Começaremos o percurso pela Capital para depois, desenvolver a Região Central. Viajaremos pelas zonas do Norte e do Sul e, finalmente, pela zona dos preciosos Cayos de Belize.

A CAPITAL E O CENTRO

BELMOPAN

O nascimento de Belmopan, a capital do país no Distrito de Cayo, foi no ano de 1970, quando 9 anos atrás, depois de um furacão acabar quase por completo com Belize City, decidira-se desenhar uma nova capital.

Na atualidade conta com uma população próxima aos 5.000 habitantes e do povoado só podemos recomendar uma visita ao Departamento de Arqueologia (Archaeology Department) onde poderá admirar as peças encontradas nos assentamentos maias do país (horário: segunda-feira, quarta-feira e sexta-feira das 13.30 às 16.30 horas).

Desde Belmopam em direção a Belize City e na metade do caminho, encontra-se o Zoológico de Belize, onde poderá admirar numerosas espécies. Algumas encontram-se em gaiolas e outras em liberdade. A visita vale a pena pois terá oportunidade de ver jaguares, ocelotes, macacos, abutres, pecaríes, crocodilos ou o tapir Baird, o animal nacional.

A FRONTEIRA COM O MÉXICO

A só 4 quilômetros de Belmopan, pela estrada Westerm Higbway e em direção oeste, encontra-se o Parque Guanacaste. Trata-se de uma pequena reserva que aloja uma antiga árvore guanacaste e uma reduzida flora onde habitam algumas aves. Vale a pena fazer uma parada e dar um passeio.

Continuando pela estrada em direção oeste chegará a São Ignácio, conhecido popularmente como Cayo. Trata-se de uma pequena vila com uma população de 8.000 habitantes aproximadamente, sendo o melhor local para realizar diversas excursões pelos arredores. São Ignácio, a diferença de Belmopan, tem uma vida noturna mais movimentada.

As ruinas maias de El Pilar e Cabal Pech localizam-se muito perto de São Ignácio e o melhor é aceder a elas caminhando. Aqui encontrará alguns templos, restaurados parcialmente e distribuidos ao redor em uma praça. Não têm nada a ver com as Ruinas de Xunantunich, o local arqueológico mais importante do país.

Encontram-se a 9 quilômetros de São Ignacio a cima de uma colina e chega-se lás depois de cruzar o rio Mopán. Nas ruinas salientam a pirâmide O Castelo com 40 metros de altitude, a Praça A-2, a Praça A-3 e algumas estrelas de pedra com alguns gravados. Xunantunich foi um importante centro ceremonial no PeRiodo Clássico e segundo se afirma foi abandonado paulatinamente depois de ter sofrido um tremor (horário: todos os dias das 9.00 às 17.00 horas).

Muito perto, a menos de 2 quilômetros encontra-se Benque Velho do Carmem a vila fronteriça com Guatemala. Daqui pode-se visitar a Caverna de Chechem Ha, uma caverna que aloja diversos objetos ceremoniais dos maias, recentemente descoberta.

MOUNTAIN PINE RIDGE FOREST RESERVE

Trata-se de uma preciosa reserva florestal onde as cascatas, a vegetação abundante, as paisagens de montanha e as aves exóticas são a nota predominante. É o melhor lugar para realizar trekkings, rotas a cavalo ou praticar o rafting em alguns dos seus rios.

Entre os caminhos mais populares encontra-se o Caminho Medicinal Pantí, em homenagem a um velho curandeiro maia. A rota discorre por belos sendeiros onde pode-se identificar diferentes plantas medicinais. Se gosta da medicina alternativa não pode deixar de realizar o caminho.

As Cascatas do Vale Escondido (Hiddem Valley) são todo um espetáculo de beleza. Conhecidas popularmente como "A Cascata dos 1.000 Pés" (Thousand Foot Falls) chega-se a elas pelo caminho Baldy Beacon, entre paradas de grande beleza.

Ao sul da reserva, depois da pequena povoação de Guacamallo, chega-se às Ruinas de Caracol, onde encontra-se a pirâmide Canaa, a maior do país, descoberta há muito pouco tempo. Destaca também, o pátio do Jogo da Pelota e o Templo de Dintel de Madeira, uma estrutura muito antiga. Ainda continuam os trabalhos de exploração e calcula-se que há mais de trinta mil estruturas na zona.

O NORTE DE BELIZE

BELIZE CITY

Esta é a maior cidade do país com uma população aproximada de 80 mil habitantes. Encontra-se situada em uma pequena península, dividida pelo rio Haulover Creek, um afluente do Rio Belize. Na cidade destacam o Instituto Bliss, sede do Conselho de Artes Nacionais (National Arts Council) onde exibem-se alguns objetos maias, além de ser a sede para diferentes eventos culturais, o Palácio do Governo do século XIX, a Catedral de São João, o templo anglicano mais antigo do país, a Ponte Swing (Swing Bridge), uma ponte elevadiça que levanta-se duas vezes por dia para dar passagem aos grandes barcos, o Edifício Paslow, com uma bela estrutura interior de madeira, o Farol de Fort George, onde obtém-se excelentes panoramas da cidade e do mar e, finalmente, o Memorial Park, o parque mais agradável da capital

A FRONTEIRA COM O MÉXICO

Deixando Belize City, em direção norte pela Northem Highway, encontra-se Comunity Baboom Sanctuary (o Santuário da Comunidade de Mandriles). No país não existem mandriles mas tem-se batizado esta importante reserva pela grande quantidade de macacos aranhas pretos que a habitam. As visitas realizam-se com guias que explicam as costumes e hábitos dos macacos.

Continuando pela estrada principal, mais para o norte, chega-se a Altum Ha, as ruinas maias mais espetaculares de Belize. Foi um importante centro comercial e ceremonial dos maias no Período Clássico Tardio e destacam entre as diferentes construções o Templo dos Altares de Obra pela sua espetacularidade e por ser o lugar onde acharam a máscara de jade do deus Kinich Ahau e o Templo do Túmulo Verde (horário: todos os dias das 9.00 às 17.00 horas).

Deixando as ruinas e continuando mais para o norte, encontra-se Crooked Tree Wildlife Sanctuary, uma importante reserva de aves migratórias.

A vila Orange Walk é um importante centro agrícola e o ponto de partida para realizar a excursão em barca às Ruinas de Lamanai, pelo Rio Novo (New River).

O trajeto pelo rio, entre uma densa vegetação onde pode-se observar a fauna da zona, é toda uma delícia. As ruinas encontram-se dentro da selva e é um dos centros ceremoniais maiores do país. Destaca o Templo NlO-43 com 34 metros de altitude, o Jogo de Pelota ou a Estrutura P9-56, pelas suas grandes máscaras de pedra, entre as mais de 50 construções identificadas (horário: todos os dias das 9.00 às 17.00 horas).

As Ruinas de Cuello e Nohmul encontram-se perto de Orange Walk Towm e a visita só é aconselhável para estudiosos e arqueólogos da cultura maia, pois encontram-se ainda cobertas.

Retomando a estrada principal e em direção para o norte, encontrará Corozal Twon, a última povoação de Belize antes de cruzar a fronteira com México. Daqui pode-se visitar as Ruinas Maias de Santa Rita (localizadas mais para o norte) e as Ruinas de Cerros (para o sul, ao outro lado da baia), com um templo de mais de 20 metros de altitude. Na região mais ocidental desta zona acha-se Rio Bravo Conservation Area, a maior reserva biosférica natural e a mais importante de Belize.

O SUL DE BELIZE

Começaremos o percurso pela povoação costeira de Dangriga para continuar pela Southerm Highway em direção a Punta Gorda, perto da fronteira com Guatemala.

Dangriga é a maior cidade do sul de Belize. Dela só podemos destacar o seu ambiente, muito mais tranquilo do que o de Belize City e porque daqui pode-se visitar alguns cayos, que desenvolveremos mais adiante.

Continuando pela estrada para o sul pode-se chegar a Cockscomb Basim Wildlife Sanctuary, importante reserva de jaguares, ocelotes, pumas, tamanduas, tatus, armadillos, nutrias, jibóias e numerosas espécies de aves e flora.

Placencia, situada em uma pequena península, é o anterior à zona dos cayos. A pequena povoação conta com excelentes áreas onde poderá tomar o sol, praticar windsurf ou navegar em alguma barca nos fantásticos cayos.

Ponta Gorda localiza-se no fim da Southerm Highway, no extremo sul do país e é o ponto de partida para realizar uma visita aos assentamentos arqueológicos maias de Lubaantum e Nim Li Puint (sem restauração). O primeiro deles acha-se a um quilometro de Punta Gorda, enquanto que Nim Li Punit encontra-se a 30 quilômetros. A visita a estes lugares vale a pena para ver as ruinas entre selva e vegetação e para ver o descomunal trabalho dos processos de restauração.

A ZONA DOS CAYOS E ARRECIFES

Sem dúvida esta zona é uma das razões pelas quais os turistas visitam Belize. Trata-se de um verdadeiro paraíso onde, nas azuis e transparentes águas do Caribe, vão surgindo infinidade de cayos protegidos pelo impressionante arrecife de coral de mais de 290 quilômetros de longitude.

Os dois cayos mais visitados são: Cayo Ambergris e Cayo Caulker, que dispõem de uma boa infra estrutura turística, além de ser o ponto de partida para as excursões às ilhas e aos arrecifes.

Cayo Ambergris é o cayo mais longo e o maior do país. Está na parte norte, muito perto do México. A povoação principal é São Pedro na parte sul do cayo. Trata-se de uma pequena cidade onde concentram-se os principais hotéis, restaurantes e centros de serviços e que pode percorrer-se facilmente caminhando.

Desde São Pedro podem-se realizar excursões ao impressionante "Hoyo Azul" (Blue Hole), um estranho buraco de grutas e cavernas, no Arrecife Lighthouse, onde pode-se descender até os 40 metros. Outros atrativos são as viagens às Ilhas Turneffe, um atolão de coral que dispõe de vários serviços, a Cayo George, a Cayo do Puesto de Vigilancia Espanhol (Spanish Lookout Caye) ou a Chapel Caye, que acolhe um luxuoso centro turístico. Em todos eles poderá mergulhar, nadar ou tomar o sol.

Cayo Caulker encontra-se ao sul de Cayo Ambergris e destaca-se sobretudo, pelo seu ambiente tranquilo.

Para visitar os cayos que encontram-se no sul do país, como o arrecife Glover ou o Cayo Laughing Bird, o melhor é fazê-lo desde Dangriga e Placencia. Lembre-se que na zona dos cayos, os mergulhos, os veleiros e a pesca, são as atividades principais.

Gastronomia

Não existe propriamente uma cozinha regional, pois pela aproximidade com Guatemala e México, a cozinha de Belize tem sofrido a influência destes dois países.

Os ingredientes principais são os peixes, mariscos, carne de vaca, de porco, frango, ervas como o cilantro e uma grande variedade de espécies. Em alguns casos os pratos preparam-se com algo de picante.

Entre as diferentes propostas destacam o ceviche, os mariscos frescos, a sopa de camarões, os feijões com arroz, sopa de escabeche e relleno, preparadas com vegetais e frango, e os granachos, aperitivos a base de tortilla de milho frita, acompanhada de feijões fritos, berza, queijo e molho picante. Encontrará alguns pratos "exóticos" preparados com carne de armadillo, de veado ou de gibnut, um pequeno roedor.

Bebidas

Relativo a bebidas, é aconselhável beber água mineral engarrafada e evitar a água da torneira. Em Belize encontrará refrigerantes e água minerals, água fresca de frutas, além da cerveja Belikin, a única marca do país (existem também cervejas de importação. Em relação aos licores não terá nenhum problema pois achará as principais marcas. O café que prepara-se no país é tipo americano, muito suave.

Compras

O artesanato de Belize não tem comparação com o rico artesanato produzido em outros países da América Central. O mais destacável são as peças talhadas em madeira, pintadas com as cores vivas típicas do Caribe. Distinguem-se especialmente as máscaras e as figuras de tucanos e guacamayas.

Apesar do limitado artesanato, em Belize pode-se adquirir perfumes, jóias ou relógios de prestigiosas marcas a preços muito competitivos. Por todo o país, encontrará um universo de t-shirts de todas as cores com algum motivo para lembrar ter estado, alguma vez, em Belize. Salientam também as peças de ourivesaria regional, cerâmica (sobretudo reproduções maias), sandálias e redes.

População e Costumes

Belize conta com uma população de 200.000 habitantes, a maioria de raça crioula, descendentes dos escravos africanos e ingleses. Os mestiços são o segundo grupo em importância seguidos pelos garinagusou caribes negros, descendentes de indígenas sul americanos e de negros africanos. Os maias representam 10 por cento do total da população e estão concentrados na zona ocidental e sul do país.

O traço mais distintivo dos belicenhos é o seu bom humor, bom trato e a sua tranquilidade e serenidade para viver a vida. São gente muito respeituosa e hospitaleira, sempre dispostos a conversar. Sem dúvida, este é um dos potenciais e atrativos mais importantes do país.

ENTRETENIMENTO

Belize é um dos lugares mais procurados pelos amadores e profissionais dos esportes aquáticos. O submarinismo e o mergulho são das atividades mais praticadas. As imersões nas costas, arrecifes e cayos são a nota predominante. As paisagens, entre grutas, cavernas, águas transparentes e uma flora e fauna marítima espetacular são elementos que fazem do mergulho uma experiência inesquecível.

Se você é dos que preferem atividades na superfície, tente praticar o windsurf e o surfing. As ondas são ótimas para este esporte. Também pode realizar diversos passeios em barca ou em veleiros pelos arredores ou navegar em alto mar para pescar.

Outra alternativa é dar um passeio em barca com fondo transparente de quilha para observar a flora e a fauna dos fundos marítimos. Se preferir atividades mais sossegadas poderá banhar-se nas tranquilas águas da zona dos cayos ou nas costas de terra firme. As melhores praias encontram-se nos cayos e não esqueça levar um bom creme protetor pois o sol é forte.

Para os amantes do trekking, Belize é um paraíso. Pode-se realizar diversas caminhadas pelas numerosas Reservas Naturais como é o caso da Reserva Mountaim Pine Ridge ou rafting por rios como é o caso do Rio Makal. Os passeios a cavalo são outra das alternativas. Pode-se alugar em São Ignacio, Cayo Ambergris e em São Pedro.

Em respeito à vida noturna não é muito movimentada. Porém, sempre encontrará algum bar ou chiringuito para tomar uma bebida e conversar placidamente. Em Cayo Ambergris, na zona mais luxuosa, os hotéis dispõem de bares e cafeterias.

FESTIVIDADES

O Dia de Ano Novo abre a temporada de festas em Belice.

As Festas de Carnaval e as danças das comparsas, são as que põem cor, música e alegria ao país. Em Cayo Ambergris, no Carnaval de São Pedro, as piadas com pintura são a nota predominante.

O dia 9 de Março festeja-se o Dia de Baram Bliss, em homenagem ao benfeitor do país. Há uma regata e excitantes corridas de cavalos e bicicletas.

No mês de Abril, durante a Semana Santa, concretamente o Sábado Santo, realiza-se uma corrida de ciclistas até Belize City (são dias festivos da Quinta à Segunda de Páscoa).

O dia 1 de Maio, como na maioria de países do mundo, festeja-se o Dia do Trabalho, enquanto que no dia 24 celebra-se o Aniversário da Rainha Britânica.

Destaca também o Festival de Coco em Cayo Caulker, onde a bebida, o artesanato e a comida são os ingredientes essenciais. A Festa de Benque Velho do Carmo, na fronteira com Guatemala, é todo um espetáculo de música, executada por bandas de marimba.

Em Setembro, o dia 10, é o Día de Cayo St. George, onde comemora-se com eventos esportivos e culturais, assim como fogos artificiais e concertos, a batalha na qual os escravos derrotaram aos espanhóis no século XVIII. No dia 21 é o Dia da Independência de Belize.

Em Outubro o dia 12, comemora-se o Dia de Cristovão Colombo, em memória da Descoberta da América.

Em Novembro o Dia do Assentamento dos Garifuna em Dangriga e já no mês de Dezembro festeja-se no dia 25 a Natal e o dia 26 o Boxing Day, uma festa com danças e corridas de cavalos. No dia 31, a população espera o Novo Ano entre música e alegria.

Transportes

Avião

Existem diversas companhias aéreas que ligam às seguintes povoações: Belize City, Corozal, Dangriga, Placencia, Punta Gorda, São Pedro Ambergris, Cayo Chapel e Cayo Caulker. A maioria dos vôos realizam paradas ao longo da rota, mas pode acontecer que ninguém queira descer ou subir, pelo que não aterrisarão. É conveniente reservar com antecedência.

Barco

Desde Belize City partem numerosas embarcações para os principais cayos. As travessias até Cayo Ambergrisou Cayo Caulke, duram aproximadamente uma hora. Aconselhamos escolher bem a embarcação, que disponha de rádio e que não leve excesso de peso. Não esqueça de viajar sempre com uma bom creme protetor solar, chapéu e roupas adequadas.

Ônibus

O serviço de ônibus não é muito recomendável por várias razões: as unidades não são muito boas, investem muito tempo em percorrer curtas distâncias e só operam com frequência entre as principais povoações. Por outro lado, com o tema de bagagens, costuma-se ter problemas. Em relação aos ônibus urbanos não são precisos, pois na maioria dos pontos turísticos pode-se chegar caminhando do centro da povoação na qual encontre-se.

Carro

Belize conta com três estradas principais: a Northem Highway (que vai para o norte), a Southem Highway (para o sul) e a Westem Highway (para o oeste).

As duas primeiras encontram-se em bom estado, enquanto que a última está um pouco deteriorada. Existem poucas indicações e sinais nos caminhos e cidades pelo que é recomendável conduzir com precaução. Se decidir alugar um carro aconselhamos que seja de terreno, se quiser chegar em algumas zonas de interesse.

É necessário ser maior de 25 anos, apresentar uma carteira de condução vigente e um cartão de crédito ou senão deixar uma forte quantidade de dinheiro como garantia. As principais firmas de aluguel de carros têm escritórios em Belize. Outra possibilidade é o aluguel de motocicletas, embora os preços não são muito vantajosos.

Fonte: www.rumbo.com.br

Belize

Idioma: inglês (oficial), espanhol, maia, garifuna (carib) e creole

Maiores cidades: Belmopan, Belize City

População: 272.945 (est. julho de 2004.)

Unidade monetária: dólar de Belize

Situado no nordeste da América Central, Belize faz fronteira ao norte e a noroeste com o México, a leste com o mar do Caribe e ao sul e a oeste com a Guatemala. Belize, até 1973 conhecido como Honduras Britânica, é membro do Commonwealth. A metade norte é composta de terras baixas e pantanosas. A metade sul é montanhosa.

Os rios principais são o Belize e o Hondo. O clima é subtropical, moderado por brisas marinhas. A temperatura média anual é de 26,1 °C e a precipitação total é de 1.800 mm anuais, sendo que a estação de chuvas vai de maio a fevereiro. A população é composta por 44% de afro-americanos, 30% de creoles, 18% de ameríndios (maias 11%, garifunas 7%), 4% europeus, 3,5% de indianos e outros (0,5%).

Sistema Político

Território dividido administrativamente em 6 distritos: Belize, Corozal, Cayo, Orange Walk, Stann Creek e Toledo.

Poder Executivo

O chefe de Estado é a Rainha Elizabeth II (desde 6 de fevereiro de 1952), representada pelo Governador Geral Colville Young, no cargo desde 17 de novembro de 1993. O Gabinete é nomeado pelo Governador Geral, seguindo orientação do Primeiro-Ministro. O Monarca nomeia o Governador Geral que, por sua vez, indica o Primeiro-Ministro. O chefe de Governo é o Primeiro-Ministro Said Musa, desde 27 de agosto de 1998.

Poder Legislativo

Congresso bicameral, composto pela Assembléia Nacional, com 29 membros eleitos por voto direto para mandato de 5 anos, e Senado, com 12 membros nomeados para mandato de 5 anos. Dos 12 Senadores, 6 são nomeados pelo Primeiro-Ministro, 3 pelo líder da oposição e 3 pelo Conselho de Consulta. A próxima eleição para a Assembléia Nacional será realizada em março de 2008.

Poder Judiciário

Sistema judicial similar ao do Reino Unido. A corte final de apelação é o Comitê Judicial do Conselho Privado, no Reino Unido.

Economia

Indicadores Econômicos:

PIB: US$ 918 milhões (est. 2003)
PIB per capita: US$ 3.617 (2003)
Inflação: 2,5% (2003)
Desemprego: 9,1% (2001)

Composição setorial do Produto Interno Bruto:

Agricultura: 22,7%
Indústria: 24,5%
Serviços: 52,8%

Exportação

US$ 164 milhões (est. 2002)
Pauta de exportação:
 açúcar, banana, frutas cítricas, roupas, peixe e derivados, madeira.
Destino:
 Estados Unidos (35,9%), Reino Unido (17,8%), Japão (12,4%), Peru (10%).
Importação: 
manufaturas, maquinaria e equipamento de transporte, petróleo e derivados, alimentos.
Principais parceiros comerciais:
 EU, México, Reino Unido, Canadá.
Indicadores econômicos:

PIB: US$ 740 milhões (1999, est.). 
Exportações:
 US$ 150 milhões (1998). 
Importações: 
US$ 320 milhões (1998).
Inflação: 
-0,9& (1999, est.).

Desemprego: 14,3% (1998).

Política Externa

Belize mantém relações diplomáticas com diversos países e é, atualmente, membros de organizações como a Commonwealth, as Nações Unidas, o Movimento dos Não-Alinhados, a Organização dos Estados Americanos, a Associação dos Estados do Caribe, a CARICOM, o FMI, o Bando Mundial e o BID. Também é signatário do Acordo de Cotonou, entre a União Européia e os países ACP.

Em termos de inserção internacional, o Governo belizenho procura projetar imagem positiva de Belize como "país-ponte" entre a Comunidade do Caribe (CARICOM) e a América Central, região com a qual Belize busca crescentemente estreitar vínculos políticos e econômicos. No segundo semestre de 2003, Belize exerceu a Presidência do Sistema de Integração Centro-Americano (SICA) por um período de seis meses e também presidiu o grupo ("caucus") dos Embaixadores centro-americanos junto à OEA, em Washington.

Relações bilaterais

As relações do Brasil com Belize têm-se caracterizado pela cordialidade e, mais recentemente, têm-se pautado pelo reconhecimento mútuo do potencial para seu estreitamento.

Tomados em conjunto, os países caribenhos representam um mercado bastante atraente, relativamente aberto e receptivo a produtos brasileiros.

Tais considerações vêm conduzindo a uma análise pelo Itamaraty dos meios para adensar as relações do Brasil com os países da região, buscando estabelecer uma pauta que adote um enfoque integrado para as atividades brasileiras na América Central e no Caribe.

Dentro dessa orientação, o Brasil aderiu à Associação dos Estados Caribenhos (AEC), na qualidade de observador, e tem procurado intensificar o fluxo de visitas recíprocas.

Fonte: www2.mre.gov.br

Belize

Capital: Belmopan

Idioma: inglês, espanhol e maia

Moeda: dólar beliziano

Clima: equatorial

Fuso horário (UTC): -6

Pontos turísticos

Cockscomb Basin Wild Life Santuary – parque nacional criado para proteção do jaguar, único parque no mundo destinado à esse animal.

Community Baboon Sanctuary – reserva florestal destinada à preservação do meio ambiente dos baboons

Caracol – ruínas maias ainda não restauradas localizadas numa área onde é possível seguir por trilhas através da floresta tropical.

Fonte: www.geomade.com.br

Belize

Belize é um país da América Central.

A capital é Belmopan.

A principal religião é o Cristianismo (Catolicismo e Protestantismo).

A língua nacional é o Inglês. Outras línguas principais são o Espanhol e o Maia.

Belize era o local de várias cidades-estados Maia, até o seu declínio no final do primeiro milênio A.D. Os Britânicos e os Espanhois disputaram a região nos séculos 17 e 18; ele tornou-se formalmente a colônia de Honduras Britanica em 1854. Disputas territoriais entre o Reino Unido e a Guatemala atrasaram a independência de Belize até 1981.

A Guatemala recusou reconhecer a nova nação até 1992 e os dois países estão envolvidos em uma disputa de fronteiras em curso. A Guatemala e Belize estão se preparando para um referendo simultâneo para determinar se essa disputa vai para o Tribunal Internacional de Justiça em Haia. O turismo se tornou o principal esteio da economia.

As preocupações atuais incluem uma dívida externa insustentável, o elevado desemprego, o crescente envolvimento no tráfico de drogas da América do Sul, a crescente criminalidade urbana e a incidência crescente do HIV / AIDS.

Em 21 de Setembro de 1981, Belize, anteriormente uma colônia Britânica auto-governada, tornou-se uma república independente. (Até 1973, ela tinha sido conhecida como Honduras Britanicas). Situado na costa leste da América Central, Belize é um país subtropical subdesenvolvido, pequeno em população bem como na área de terra.

Apesar de seu tamanho, no entanto, o país é rico com uma variedade de línguas, povos e culturas. Ao longo dos anos, as pessoas vieram, ou foram trazidas, para Belize a partir de diferentes partes do globo. Outras são descendentes dos habitantes originais. Todos têm feito contribuições para o país, e todos em geral vivem em paz uns com os outros.

Nos séculos 16 e 17, o litoral irregular de Belize, orlado por um recife de coral perigoso, proveu um paraíso para os piratas que navegavam seus navios sobre o Mandato Espanhol. Eles podiam esperar para se esconder, escapar e atacar um navio mercante, e depois penetrar seu caminho de volta através do recife de coral desconhecido, a salvo da perseguição.

Muitas pessoas pensam que o nome "Belize" é uma corruptela do nome do corsário Peter Wallace, que se estabeleceu na região no século 17. Supostamente, "Wallace" foi interpretado pelos Espanhóis como "Walis" ou "Balice". Seja qual for a origem da palavra, o assentamento permanente e a expansão não se desenvolvem a partir das atividades lucrativas dos marítimos. Pelo contrário, foram os recursos naturais do país, principalmente as florestas, que atraíram a colonização. Ainda hoje, há pouca industrialização, e os produtos da terra ainda formam a base da economia do país.

Terra

Belize, com uma área de 8.867 milhas quadradas (22.965 km quadrados), é delimitado a leste pelo Mar do Caribe, no sul e oeste pela Guatemala, e no norte e noroeste pelo México. Seu território inclui muitas ilhotas de alto-mar conhecidas como cays. O litoral é plano e pantanoso, mas a terra se eleva gradualmente para o interior.

A parte sul é dominada pelas Montanhas Maya. Victoria Peak, situada nas Montanhas de Cockscomb, chega a 3.806 pés (1.160 m) - o ponto mais alto do país. Existem numerosos rios, a maioria deles rasos e nenhum muito longo. O clima subtropical, resfriado pelos ventos alísios do nordeste, varia de 50 ° a 96 °F (10 ° a 36 °C). Há cerca de 170 dias anuais de chuva.

Belize não tem vulcões ativos e é relativamente livre da ameaça de terremotos. Seus maiores perigos naturais são os furacões, que ocorrem geralmente entre Julho e Outubro. Estas poderosas tempestades tropicais causaram grandes danos ao país no passado.

Em 1961, Belize City foi devastada por uma violenta tempestade, e foram feitos planos para construir uma capital a alguma distância da área propensa a furacões. Em 1970, a nova cidade interior de Belmopan, nomeada para uma tribo Maia que nunca se rendeu aos Espanhóis, tornou-se a sede do governo em Belize.

População

Cerca de 25% de toda a população vive em Belize City, a antiga capital, que está localizada na foz do Rio Belize. O resto do povo está distribuído entre as cidades de Belmopan, Benque Viejo, Corozal, Cayo, Orange Walk, Punta Gorda e Stann Creek, e em pequenas comunidades que salpicam as estradas rurais e margens dos rios.

Nos tempos pré-Colombianos, o território de Belize era habitado pelos Índios Maya. A maioria dos Maias abandonaram a região em algum momento antes de 1000 A.D. por razões que são desconhecidas hoje. Recentemente, alguns de seus descendentes retornaram, mas a população tem crescido principalmente através da imigração.

Crioulos

Os Crioulos tradicionalmente formaram o maior segmento da população. Eles são principalmente descendentes dos negros trazidos da África para trabalhar como escravos nas florestas do país. A maioria vive nas seções centrais do país, seja em Belize City ou ao longo das margens dos rios. O Inglês é a língua oficial, mas é falado com um sabor Crioulo local e é similar à língua falada nas Índias Ocidentais.

O Crioulo é uma mistura de Inglês com muitas palavras de derivação Africana. Enquanto a linguagem ao longo dos anos tem desenvolvido a sua própria forma e estilo, a gramática continua fortemente Africana. Muitas vezes, é difícil ou impossível para outras pessoas que falam Inglês para compreender a forma do Inglês falado em Belize.

Os Crioulos são um povo alegre, simpático e generoso. Não importa o quão escassa seja a sua refeição, ela é sempre gentilmente compartilhada com um convidado. O alimento básico é o arroz, complementado por feijão vermelho e bananas.

A carne bovina é raramente disponível nas áreas rurais, mas veados e aves de grande porte são regularmente caçados. O peixe é um componente mais comum da dieta. Uma tartaruga ocasional ou caititu requer um tratamento das refeições.

Entre os Crioulos, preparar uma refeição é geralmente o trabalho de uma mulher, e esfolar um cervo ou uma tartaruga, o de um homem. As mulheres lavam, limpam, cuidam das crianças, e secam e descascam o arroz colhido.

As crianças mais velhas, especialmente as meninas, são designadas com os trabalhos domésticos, com o cuidado das crianças mais novas sendo a sua tarefa principal. As mulheres raramente trabalharm nos campos de arroz, exceto na época da colheita, quando toda a família pode ser encontrada cortando as tiras de arroz com canivetes. Se a família cultiva qualquer cultura hortícola, geralmente é a mulher que transporta o produto para o mercado na cidade.

O arroz é cultivado principalmente para uso pessoal, mas todos os agricultores esperam ter um excesso que eles podem vender na bancada do mercado municipal. Outras fontes de renda são os salários em dinheiro ganhos nas propriedades agrícolas ou no trabalho temporário com o Departamento de Obras Públicas.

A tradição popular de contos e canções Crioulos está desaparecendo. As canções do Calypso emprestadas das Índias Ocidentais estão substituindo as populares "jump-up" nos campos de madeira dos tempos antigos. Mas às vezes um homem velho pode ser estimulado a contar histórias. Os primeiros dias tornam-se vivos com a rica tradição em contos Anansi, que se originou com a tribo Ashanti da África Ocidental. Anansi, uma aranha manhosa, é um assunto favorito dos contadores de histórias.

Mestiços e índios

Há uma grande população Latino-indiana, ou mestiça, nas regiões norte e oeste. O Espanhol é a língua primária, e muitos estão direta ou indiretamente relacionados com o cultivo e a exportação do açúcar. Devido à imigração de países vizinhos, os falantes de Espanhol superaram os Crioulos em 1992.

As comunidades Maya, falando uma variedade de dialetos Maias, vivem no sul, nos distritos ocidentais e no norte. A maioria dos Maya preferem viver em aldeias montanhosas e remotas, mantendo muitos dos seus costumes e crenças ancestrais. Eles praticam a agricultura tradicional milpa (uma forma de rotação de culturas), sua principal cultura sendo o milho.

No norte, os Maias se tornaram cada vez mais envolvidos no cultivo da cana como cultura de rendimento, ou eles trabalham por salários nas fazendas de açúcar maiores. Consequentemente, as milpas são negligenciadas, e as pessoas estão perdendo sua antiga independência econômica.

Nas áreas costeiras do sul, existe uma pequena população de "Caribes Negros", descendentes das uniões entre escravos fugidos e de Índios Caribe que vieram para Belize a partir da Ilha de São Vicente no início do século 19.

Sua língua principal é o Caribe, uma língua Indígena nativa que tem assimilado algumas expressões Européias e Africanas, mas eles também falam o Inglês. Suas ocupações principais são a pequena agricultura e a pesca.

Uma pequena população Indiana do Leste é encontrada nas cidades do norte e do sul. Muitos trabalham em fazendas de açúcar. Comerciantes Chineses e Sírios habitam quase todas as cidades e algumas das aldeias maiores. Desde o final dos anos 1950s, alguns Menonitas (uma seita religiosa) se instalaram em Belize.

Embora eles optam por manter muito de si mesmos em suas comunidades agrícolas próprias, os Menonitas participam do mercado de produtos locais.

Educação

Belize tem uma taxa de alfabetização alta, estimada em cerca de 93 por cento. A escolaridade é obrigatória para crianças de idades entre 6 e 14. Menos de 15 por cento dos estudantes elegíveis se transferem para a escola secundária, geralmente entre as idades de 11 e 14. A responsabilidade pela educação é compartilhada pelo governo e as igrejas.

O governo fiscaliza através do ministro da educação e do Conselho Nacional da Educação, mas a gestão escolar e financeira e as demais decisões escolares ficam com as igrejas.

Religião

Cerca de 60 por cento das pessoas são Católicos Romanos, incluindo quase todos os Maya e outros oradores Espanhóis. Tradicionalmente, os Crioulos eram Anglicanos ou Metodistas, mas os missionários Jesuítas foram bem sucedidos na conversão de muitos ao Catolicismo. A um grau muito menor, a Igreja do Nazareno tem estabelecido um ponto de apoio no país.

O Cristianismo como praticado pelo povo de Belize assimilou muitos dos rituais e atitudes dos Africanos e Índios nativos, resultando em formas de adoração que diferem daqueles em outros lugares. Os Maya, por exemplo, apesar de Católicos, observam eventos religiosos que correspondem aos festivais pré-Colombianos.

Os Crioulos, tanto Católicos e Protestantes, mantêm muitas superstições semelhantes às das Índias Ocidentais e da África Ocidental. As crenças na capacidade quase sobrenatural do "médico cobra" ou nos poderes sobre-humanos dos sapos estão assentados na tradição Indiana Ocidental. Entre os Caribes, os xamãs (sacerdotes com poderes mágicos) estão muito em evidência, com rituais que lembram uma Africana, em vez de uma herança Cristã.

Artes e Ofícios

Uma indústria artesanal não tem se desenvolvido em qualquer medida significativa. Alguns trabalhos de bordados são feitos pelos Maya, mas a arte não tem florescido. O artesão dos dias antigos foi o construtor de dory.

Uma dory, semelhante a uma canoa, é escavada a partir de uma grande tora, e a pessoa que a construiu estava em grande demanda quando os rios proviam o único meio de viajar. Mas com a abertura de algumas estradas no interior, os caminhões substituíram o transporte fluvial, e os construtores de dory assumiram outros comércios.

Economia

No passado, a exploração das ricas florestas de Belize foi a única atividade econômica de qualquer conseqüência. No século 17, o campeche, muito valorizado na Europa para fazer tinturas, foi o principal produto de exportação. Mais tarde, o chiclê - uma substância derivada da árvore do sapoti e um ingrediente da goma de mascar - tornou-se um item importante no comércio.

No entanto, os produtos sintéticos mais baratos causaram um declínio acentuado no valor de mercado de ambas as commodities, e a Depressão da década de 1930 prejudicaram ainda mais o comércio de exportação dos produtos florestais do país.

Desde o fim da Segunda Guerra Mundial, os esforços para construir uma economia diversificada têm se concentrado na produção de frutas cítricas e no açúcar.

O principal produto de exportação é hoje o açúcar, seguido pelas frutas cítricas - principalmente laranjas e toranjas - tanto frescas como transformadas. Outras exportações principais são peças de vestuário e bananas. O turismo tornou-se cada vez mais importante. Em um esforço para preservar o rico ecossistema florestal da nação, a exploração madeireira se tornou muito mais seletiva.

Apesar de seu solo fino e excelente clima, Belize nunca foi capaz de levantar comida suficiente para alimentar sua população. Apenas uma pequena percentagem da terra é cultivada, e a maior parte dela é plantada com culturas de subsistência como milho, arroz e feijão. No entanto, o governo tem desenvolvido programas para melhorar os métodos da agricultura e tornar mais terras disponíveis. Belize se tornou uma nação produtora de petróleo pela primeira vez em 2006. Isso levantou esperanças de ambas nova prosperidade e preocupações sobre o impacto ambiental.

Economia - visão geral:

O turismo é o principal gerador de divisas estrangeiras nesta economia, seguido pela exportação de produtos marinhos, citros, cana-de-açúcar, bananas, e vestuário. O governo expansionistas políticas monetária e fiscal, iniciado em setembro de 1998, levou a um crescimento do PIB em média quase 4% em 1999-2007.

Descobertas de petróleo em 2006, reforçou esse crescimento. Esforços de exploração e produção continuaram aumentou um pouco. Em fevereiro de 2007, o governo reestruturou quase toda a sua dívida pública externa comercial, o que ajudou a reduzir os pagamentos de juros e aliviou um pouco as preocupações do país liquidez.

Crescimento caiu para 0% em 2009, 2,7% em 2010 e 2,5% em 2011 como resultado da desaceleração global, as catástrofes naturais, e uma queda temporária no preço do petróleo. Com o crescimento econômico fraco e um fardo grande dívida pública, o gasto fiscal é susceptível de ser apertado. Um objetivo chave do governo continua a ser a redução da pobreza e da desigualdade, com a ajuda de doadores internacionais.

Apesar de Belize tem a renda per capita mais alta por segundo na América Central, as máscaras valor médio de renda um enorme disparidade de renda entre ricos e pobres. A avaliação da pobreza de 2010 mostra que mais de quatro em cada 10 pessoas vivem na pobreza. O déficit comercial considerável e pesado encargo da dívida externa continuam a ser as principais preocupações.

História e Governo

A costa de Honduras foi avistada por Cristóvão Colombo em sua quarta viagem, em 1502. O povoamento iniciou-se em 1638 com um grupo de marinheiros Britânicos náufragos. Eles descobriram que o corte do campeche era extremamente rentável.

Tentativas periódicas dos assentamentos vizinhos Espanhóis para expulsar os Ingleses culminaram em um grande ataque naval, conhecido como a Batalha do Cay de St. George, em 1798. Os Britânicos obtiveram uma vitória decisiva (ainda comemorada em 10 de Setembro) e desde aquele tempo os colonos não foram perturbados.

Em 1847, a Guerra das Castas eclodiu na Yucatán vizinha, no México e milhares de Maya e mestiços migraram para o território de Belize para escapar da guerra. As suas competências agrícolas ajudaram a diversificar a economia do território.

O movimento em direção à independência foi complicado pela reivindicação da Guatemala ao território. A Guatemala sustentou que a área que hoje é Belize foi detido ilegalmente pelos Britânicos, e que quando a Guatemala ganhou sua independência da Espanha em 1821, ela também ganhou os direitos Espanhóis para o território do então chamado Belize.

Em 1859, em troca de uma estrada a ser construída pelos Britânicos desde o litoral até Guatemala City, a Guatemala concordou com a soberania Britânica no território disputado. A estrada nunca foi construída, no entanto, e, portanto, a soberania permaneceu em questão.

O território foi expandido e, em Maio de 1862, foi solenemente proclamado uma colônia Britânica chamada Honduras Britânicas. Ele foi administrado a partir da Jamaica até 1884, quando se tornou uma colônia separada. Após essa época, houve várias mudanças constitucionais destinadas a prover a colônia com um governo mais representativo.

Condições políticas

Belize sofre com a instabilidade geral que muito freqüentemente se desenvolve com as más condições econômicas. A agitação por governo local cresceu dramaticamente no início dos anos 1950s. Em 1954, o Partido Popular Unido (PUP) assumiu o cargo em uma plataforma de anticolonialismo.

Uma nova Constituição aprovada em 1964 deu à colônia quase que plena autonomia interna. Em 1981, a Guatemala prometeu (uma promessa mais tarde recolhida) reconhecer a independência da Colônia de Belize em troca de concessões incluindo estrada e gasoduto de acesso ao Caribe através de Belize.

A independência foi declarada em Setembro de 1981. As tropas Britânicas permaneceram em Belize até 1994 para impedir uma invasão ameaçada pela Guatemala. Após 30 anos de governo do PUP liderado por George Price, a oposição do Partido Democrático Unido (UDP) obteve uma vitória esmagadora nas eleições de 1984.

O PUP e Price voltaram ao poder em 1989, perderam por pouco as eleições de 1993 para o UDP, e obtiveram uma vitória esmagadora em 1998, quando Said Musa se tornou o primeiro-ministro. Musa permaneceu no cargo após a vitória do PUP nas novas eleições realizadas em 2003. As eleições de 2008 foram ganhas pelo UDP, e Dean Barrow substituiu Musa como primeiro-ministro.

Problemas e Perspectivas

Belize tem muitos recursos naturais que faltam a outros países subdesenvolvidos. Ele não está ameaçado pela superpopulação ou recursos da terra inadequados.

Ele tem uma abundância de terras agrícolas ainda inexploradas. O povo de Belize não está separado por profundos conflitos raciais. Seus quilômetros de praias de areia, águas seguras para passear de barco, e pesca excelente ajudaram a tornar o turismo uma das suas mais fortes indústrias.

No entanto, Belize está severamente prejudicado pela falta de estradas e ferrovias que fazem com que grande parte do país seja inacessível. A demanda por trabalho é sazonal, e o subemprego prevalece durante parte de cada ano. O país tem que atender esses e outros desafios e desenvolver atividades que irão elevar o nível da sua economia a fim de equilibrar seu orçamento e torná-lo auto-sustentável.

Norman Ashcraft

Fonte: Internet Nations

Belize

Belize foi inicialmente conhecido com Honduras Britânica, encontra-se entre o México e a Guatemala. Neste pequeno país, a paisagem é incrivelmente diversificada com montanhosas paisagens, florestas tropicais e com vida selvagem em abundância, encostas de montanhas que serviram para a cultivo de cana-de-açúcar, arroz, gado e frutas, incluindo pássaros que se encontram nas áreas alagadas e recifes, e lindíssimas praias.

Os corais e cavernas formão um recife de 184 milhas com água transparente, perfeita para prática de pesca profissional e esportes aquáticos de nível internacional, como mergulho autônomo e mergulho livre. As brisas tropicais estimulam a atitude descontraída da pequena população, etnicamente diversa, e quem não seria caloroso com este clima.

Os recifes de Ambergis e Caulker ao norte são os destinos mais populares. A partir de lá, é possível fazer excursões para os recifes menores e parques marinhos, ou mergulhar, no espetacular e internacionalmente famoso - o Buraco Azul.

De volta à costa oeste, será possível visitar o Parque Nacional de Guanacaste e seus inúmeros eco-resorts, hospedarias e fazendas que oferecem acomodações na floresta tropical ou à beira do rio. Uma viagem a parte será para a área da Montanha de Pinheiros que oferecem ótimas opções para hiking, com espetaculares florestas tropicais, rios, cachoeiras e cavernas.

Santo Inácio e suas torres gêmeas de Santa Elena tem um clima agradável, numa lindíssima paisagem de montanhas cobertas por árvores. Belize inteira, e em especial o oeste, é lugar da antiga civilização Maia.

Ao sul, o Santuário Selvagem dos Jaguares é a principal atração. A costa litorânea ao redor da Placencia oferece opções espetaculares para pesca e mergulho, enquanto ao mar encontram-se cavernas que podem ser visitadas por barcos que saem de Dangriga ou Manga Grega, e oferecem refúgio, relaxamento, lindas praias e fabulosa águas.

Capital: Belmopan

Tamanho: 23,300 km²

População: 280,000

Moeda: Dólar Beliziano

Idioma: Inglês (oficial), Espanhol

Visto: Não é necessário para os cidadãos do Reino Unido.

Comida: Frutos do mar em abundância.

Bebida: Vinho de cajú - bem doce e feito da fruta do cajú.

Festivais:

Fevereiro: Carnaval (na Cidade de Belize e em São Pedro, Recife de Ambergris). 
Maio (com variações!):
 Festival do Cajú (tortuosa árvore).

Quando ir: Oficialmente o período de chuvas é de Junho até Agosto e o período de seca é entre Fevereiro até Maio. Na realidade, pode-se chuver em qualquer época do ano, especialmente no sul. A época de tornados é entre Agosto e Outubro.

Fonte: www.lata.org

Belize

Nome oficial: Belize (Belize).

Nacionalidade: belizenha.

Data nacional: 21 de setembro (Independência).

CAPITAL: Belmopan.

Cidades principais: Belize City (53.915), Orange Walk (15.035), San Ignacio (11.375), Corozal (7.715), Dangriga (7.110), Belmopan (6.785) (1997).

Idioma: inglês (oficial), inglês dialetal, alemão dialetal, espanhol, garifuna, maia.

Religião: cristianismo 93,7% (católicos, anglicanos, pentecostais, metodistas, adventistas, menonitas, outros cristãos), ateísmo 6%, outras 0,3% (1991).

Geografia

Localização: América Central.
Hora local: -3h. 
Área: 22.965 km2. 
Clima: tropical chuvoso. 
Área de floresta: 20 mil km2 (1995).

População

Total: 200 mil (2000)
Composição:
 afro-americanos 44%, crioulos 30%, ameríndios 18% (maias 11%, garifunas 7%), europeus meridionais 4%, indianos 3,5%, outros 0,5% (1996). 
Densidade: 8,71 hab./km2. 
População urbana: 53% (1998). 
População rural: 47% (1998).
Crescimento demográfico: 2,4% ao ano (1995-2000). 
Fecundidade: 3,66 filhos por mulher (1995-2000). 
Expectativa de vida M/F: 73/76 anos (1995-2000). 
Mortalidade infantil: 29% (1995-2000). 
Analfabetismo: 7% (1998). 
IDH (0-1): 0,777 (1998).

Política

Forma de Governo: Monarquia parlamentarista. 
Divisão administrativa: 6 distritos. 
Principais partidos: Unido do Povo (PUP), Democrático Unido (UDP).
Legislativo: bicameral - Senado, com 8 membros indicados pelo governador-geral; Casa dos Representantes, com 29 membros eleitos por voto direto. Ambos com mandato de 5 anos.
Constituição em vigor: 1981.

Economia

Moeda: dólar de Belize. 
PIB: US$ 680 milhões (1998). 
PIB agropecuária: 19% (1998).
PIB indústria: 25% (1998). 
PIB serviços: 56% (1998). 
Crescimento do PIB: 4% ao ano (1998). 
Renda per capita: US$ 2.660 (1998). 
Força de trabalho: 80 mil (1998). 
Agricultura: Principalmente a cana-de-açúcar, banana e frutas cítricas. 
Pecuária: eqüinos, bovinos, suínos, aves. 
Pesca: 2,6 mil t (1997). 
Mineração: argila, calcário, areia e cascalho, petróleo. 
Indústria: vestuário, alimentícia (principal: açúcar), bebidas (principal: rum). 
Exportações: US$ 186 milhões (1998). 
Importações: US$ 291 milhões (1998). 
Principais parceiros comerciais: EUA, Reino Unido, México e Canadá.

Defesa

Efetivo total: 1,1 mil (1998). 
Gastos: US$ 16 milhões (1998).

Fonte: www.portalbrasil.net

Belize

BELIZE (América Central)

Geografia

Localizado no nordeste da América Central, Belize, Honduras Britânicas longo chamado, é um refúgio de piratas ex-colonizados. Faz fronteira a leste com o Mar do Caribe e tem algumas pequenas ilhas próximas à costa. País montanhoso, território norte consiste de planícies pantanosas, enquanto o sul é pontilhada com montanhas baixas, culminando no Victoria Peak (1.160 metros). Ao longo da costa sentar recifes de coral longos (chamados ilhotas). Quase três quartos do país é coberto por florestas.

Países fronteiriços:

Norte: México
Oeste: Guatemala

Independência: 21 de setembro de 1981 (UK)

Sistema político: Monarquia constitucional (o monarca britânico nomeia um governador)

Capital: Belmopan

Idiomas:

Oficial: Inglês
Usual: crioulo, espanhol, Garifuna e Maia

Área: 22 966 km ²

População: 269 000 habitantes

Moeda Nacional: Dólar de Belize (BZD)

Dia Nacional: 21 de setembro (Proclamação da Independência de 1981)

Clima

Com um clima tropical, Belize é submetido a um clima quente, mas úmido. A estação chuvosa, de junho a agosto às vezes pode ser violenta, ea terra é frequentemente sujeita a ciclones.

Saúde

Nenhuma vacina necessária. Atualizado Gerais vacinas recomendadas (poliomielite, tétano, difteria ...).

Descubra

Além de sua costa protegida por recifes de corais, Belize, além de ser um destino popular costeira de escolha esconde belas ruínas maias e cavernas para explorar. Podemos citar entre Xunantunich outros. Belize também é conhecido pela sua grande furo de água azul, descoberto por Jacques Cousteau, onde é possível nadar ao lado de barracuda.

Belize
Pirâmide pirâmide Caana Mayala Caana Maya

Belize
Caracol maia Templo

Belize
Paisagem de Belize

Fonte: www.continent-americain.com

Belize

Belize tem um antes e um depois na sua história, um antes e um depois de 1492, ano no qual Cristóvão Colombo, com a Pinta, a Niña e a Santa María, descobriu a América e um ano depois, começou a colonização. Antes, o Belize era o lugar onde residiam, às centenas de milhares, os homens e mulheres que constituíram a civilização Maia.

A história do Belize pode ser resumida nos seguintes momentos históricos: o primeiro, o do domínio dos Maias, que se prolongou até que, em 1492, Cristóvão Colombo descobriu o Novo Mundo –acredita-se que foi em 1502 que Cristóvão Colombo realizou a sua primeira viagem à Baía das Honduras.

Posteriormente, a ocupação britânica, que durou desde o século XVI até 1981, ano no qual o Belize conseguiu a sua independência, e depois de 1981 até aos nossos dias, o nascimento do turismo como fonte de receitas deste país e o seu desenvolvimento sustentado (após duas décadas de turismo, cerca de 50% do país continua em estado selvagem, contando com proteção, tudo isto depois de décadas de exploração florestal por parte dos britânicos).

Antes, o Belize era um território Maia. Os Maiaa eram a civilização que povoava a América Central e a América do Sul até à chegada dos conquistadores espanhóis. Os Maias viveram séculos de prosperidade, entre os séculos V e X da Era Cristã, com a cidade mexicana de Teotihuacán como sede e capital de uma grande civilização como foi a Civilização Maia.

Desta cultura, no Belize, ficou um grande legado, um legado em locais arqueológicos como os de Caracol, Lamanai, Santa Rita e Nim Li Punit. Caracol foi a cidade mais importante dos Maias, e tal como é indicado pelos vestígios arqueológicos, dve ter tido cerca de 80000 habitantes. O último rei conhecido desta zona foi Kan III, durante o século IX.

Da História do Belize, há também a salientar as escavações de Altum Ha, uns vestígios arqueológicos que revelaram a esta zona numerosos tesouros da época Maia, tendo ajudado os cientistas e arqueólogos a descobrir mais alguns segredos da época pré-colonial. Praças, templos e pirâmides trouxeram luz sobre Altun, a cidade que se supõe ter sido o centro neuvrálgico dos Maias. Também em San Ignacio, poderá conhecer mais acerca da História Maia do Belize, a história pre-colombiana, pré-colonial…

A maior riqueza arqueológica do país encontra-se no Norte, na zona de Corozal. Aqui, encontramos os locais arqueológicos de Altun Ha, Cerros e Lamanui, locais estes que se encontra na selva, rodeados de uma vegetação abundante e de uma impressionante fauna selvagem, entre a qual destacamos o jaguar, impressionante mamífero terrestre, e o peixe-boi, mamífero marinho.

Datas Históricas

1502 Cristóvão Colombo realiza a sua primeira viagem e dá o nome à Baía das Honduras.

1638 Neste ano, começa a colonização do Belize.

1871 Torna-se numa colônia britânica.

1931 Um terrível furacão destrói Ciudad de Belize.

1973 Deixa de chamar-se Honduras Britânica e passa a ter a designação de Belize.

21 de Setembro de 1981 O Belize consegue a independência do Reino Unido e torna-se num país.

Garifuna

Garifuna é um dialeto falado no Belize, entre outros países da América Central, e é também uma etnia constituída por descendentes de africanos e de índios americanos que vivem no Belize.

Atualmente, esta etnia encontra-se instalada no Sul do país, e as suas origens datam da conquista da América Central, por parte dos espanhóis e ingleses.

Altun Ha

É um impressionante Local Arqueológico, situado no Norte do país, e um dos principais vestígios maias encontrados no Belize.

Aqui, encontra-se um dos principais centros ceremoniais maias, de meados a finais do primeiro milénio. A Cabeça do Deus Sol – a maior escultura encontrada até ao momento -, o Templo da Tumba Verde, objetos variados e diversos elementos necrológicos podem ser encontrados aqui.

Belize, um país mestiço

O Belize é um país mestiço, onde se misturaram diversas línguas e grupos étnicos muito variados: hispânicos, ingleses, libaneses, índios, africanos e chinese, entre outros. Todos eles souberam crescer conjuntamente e dar ao país um carácter cosmopolita, que o torna grande, apesar da sua pequena dimensão.

Apesar disto, há que não esquecer os Maias, que são os autênticos colonizadores da América Central e, claro, do Belize. Atualmente, são conhecidas descendências de três grupos étnicos de Maias, aos quais há a acrescentar os chegados do resto dos continentes do mundo, durante a colonização britânica.

El Templo del Caracol, Belize

O sítio arqueológico de El Caracol é um dos maiores em Belize.

Lamanai, Belize

Lamanai é um reservatório, é uma cidade maia em tempos pré-colombianos que encontramos ao norte de Belize, em especial, no Distrito de Orange Walk.
Estava em uma zona de conflito durante a conquista espanhola, onde os maias eram fortes e até mesmo fez fugir para os conquistadores. Lamanai é um lugar que está em restauração, que está sendo reconstruído e estão sendo alcançados dados incríveis. É cercado pela selva típica de Belize.

Xunantunich, Belize

Xunantunich ruínas maias estão localizados a 130 quilômetros de Belize City no distrito de Cayo.

La Ruta Maya, Belize

La Ruta Maya é uma das questões mais surpreendentes que podem ser apreciadas em Belize e na América Central. Isso passa pelos países da Guatemala, Belize e partes do México e é fascinante.
É uma viagem através das tradições, dentro e fora de sítios maias, passa belas praias, áreas de mergulho, e também é encontrado com a flora ea fauna maravilhosas.

Fonte: belize.costasur.com

Belize

Demografia e Política

Nome Oficial: Belize

Regime do Governo: Democracia Parlamentarista

Capital: Belmopan

Principais Cidades: Belize City | Orange Walk | San Ignacio | Dangriga | Belmopan

Divisão Administrativa: 6 Distritos

Data Nacional: 21/09

População: 294.385 . hab. Ano: 2007

Densidade demográfica: 12,82 . hab/km2

Idade média da população: 19,9

Crescimento demográfico: 2,26 . %

Expectativa média de vida: 68,25

Idioma(s) Oficial (ais): Inglês | Espanhol

Etnia(s): Mestiça, 48,7 % | Crioula, 24,9 %

Religião(ões): Católica Romana, 49,6 % | Protestante, 27 %

Índice de Alfabetização: 76,9 . %

Fonte: mail.acsp.com.br

Belize

Anteriormente conhecida como British Honduras, Belize foi a última colônia do Reino Unido no continente americano e ainda mantém fortes laços com a Grã-Bretanha.

Ele não alcançar a independência até 1981, quando se tornou um reino da comunidade com o monarca britânico como seu chefe de Estado. Inglês ainda é a língua oficial, embora o espanhol é a língua mais falada em primeiro lugar.

Apesar de Belize se distingue de seus vizinhos em ser o único país da região com uma herança colonial britânica, também tem fortes laços com a América Latina, bem como para o Caribe.

Sua sociedade é muito diversificada em termos de cultura e língua. O maior grupo étnico são os mestiços, que são de ascendência indiana Maya mista e espanhol.

Há também crioulos, que falam um dialeto do Inglês e muitas vezes são de extração Africano e Africano-Europeia, e garífunas, que são descendentes de índios caribenhos e africanos, bem como uma série de pequenos grupos étnicos.

O número de mestiços aumentou significativamente durante a década de 1980, como resultado de conflitos em El Salvador, Guatemala e Honduras, o que provocou um afluxo de refugiados para Belize.

Independência de Belize foi adiada por uma disputa de fronteira de longa duração com a Guatemala, que se recusou a reconhecer a independência de seu vizinho até 1992. Os dois países ainda têm de resolver a questão territorial, que tem suas raízes na época colonial.

Narcóticos

Além de sua forte ligação com a Grã-Bretanha e nos Estados Unidos, Belize, recentemente, também forjou laços mais estreitos com os países latino-americanos, como México e Venezuela.

Em comum com muitas economias do Caribe, o setor de serviços superou a agricultura, pesca e silvicultura.

O turismo é uma importante fonte de divisas. Belize atrações incluem animais selvagens, ruínas maias e um dos recifes mais longas barreira do mundo. Mais de 200 ilhas nestle dentro do recife.

Chegadas de navios de cruzeiro têm visto um aumento maciço nos últimos anos. Mas o turismo tem o seu preço, entre os desafios enfrentados Belize é a ameaça para os habitats de seus mamíferos e aves.

Além disso, Belize tem um problema com a criminalidade violenta, em grande parte relacionada com a droga, o tráfico de narcóticos para os EUA.

Em 2011, Belize foi adicionado a uma lista negra dos EUA de países considerados grandes produtores ou rotas de trânsito de drogas ilegais.

Belize
O templo Xunantunich é um dos vários relíquias de uma antiga civilização maia

Uma cronologia dos principais eventos:

16o-17o séculos - Os espanhóis chegam, mas não conseguem converter o Maya indígenas ao cristianismo.

1600 - A área do atual Belize torna-se parte das possessões da Espanha na América Central e no Caribe; corsários ingleses e lenhadores começar a resolver em torno do rio Belize.

1763 e 1783 - Espanha sinais tratados concessão de súditos britânicos o privilégio de madeira de corte, mas mantém soberania.

1798 - Espanha tenta remover colonos britânicos da área pela força, mas falha.

1847-53 - Vários milhares de refugiados de língua espanhola resolver no norte de Belize e comunidades maias se mudar para o norte e oeste, após a Guerra de Castas em Yucatán.

1859 - Grã-Bretanha e na Guatemala tratado sinal definição de fronteira com Belize.

Domínio britânico

1862 - Belize declarou formalmente uma colônia da coroa britânica e chamado Honduras Britânicas.

1893 - México renuncia reivindicação de território de Belize.

1930 - A economia de Belize atingido por Grande Depressão; Belize City em grande parte destruída pelo furacão.

1954 - As reformas constitucionais Belize dar autonomia limitada; eleições gerais venceu por Unidas Partido Popular (PUP), liderado por George Price.

1961 - O furacão Hattie mata mais de 260 pessoas.

1964 - A nova Constituição dá Belize plena autonomia e introduz sufrágio universal e um parlamento com duas câmaras.

1970 - Belmopan substitui Belize City como capital.

1973 - O país muda seu nome de Honduras Britânicas para Belize.

Independência

1981 - Belize torna-se independente com George Price como primeiro-ministro, mas a Guatemala se recusa a reconhecer isso. Cerca de 1.500 soldados britânicos continuam a defender o país contra as reivindicações territoriais da Guatemala.

1984 - Manuel Esquival do centro-direita Partido Democrático Unido (UDP) torna-se primeiro-ministro depois de derrotar Preço do PUP nas eleições gerais.

1992 - Guatemala reconhece Belize como um Estado soberano e independente.

1993 - Manuel Esquival torna-se primeiro-ministro depois de sua derrota UDP PUP nas eleições gerais; Grã-Bretanha diz que vai retirar as tropas em 1994 depois da Guatemala reconhece Belize; Esquival suspende acordo alcançado com a Guatemala, enquanto Price era primeiro-ministro, alegando que fez muitas concessões em troca do reconhecimento.

1998 - Said Musa torna-se primeiro-ministro após o PUP ganha uma vitória eleitoral esmagadora.

Outubro de 2000 - O furacão Keith causa devastação generalizada.

Outubro de 2001 - Cidades achatada, milhares ficaram desabrigadas após bate Furacão Iris.

Disputa de fronteira

Setembro de 2002 - Belize, Guatemala concordar com um projeto de resolução o diferendo fronteiriço de longa data nas negociações intermediadas pela Organização dos Estados Americanos (OEA). O acordo, que propôs referendos em ambos os países, é rejeitada pela Guatemala em 2003.

Março de 2003 - Said Musa é eleito para um segundo mandato como primeiro-ministro.

2004 Janeiro - Privado da Grã-Bretanha descarta Conselho um apelo para anular a aprovação do governo de Belize da barragem Chalillo proposta. Ativistas dizem que a barragem ameaça a espécies raras e comunidades a jusante.

Abril de 2005 - pausas tumultos na capital durante uma onda de protestos contra o governo.

Abril de 2006 - Belize começa a exploração comercial de suas reservas de petróleo.

Novembro de 2007 - Organização dos Estados Americanos (OEA) recomenda que o litígio fronteiriço com a Guatemala ser encaminhado ao Tribunal Internacional de Justiça (CIJ).

Fevereiro de 2008 - Dean Barrow se torna primeiro-ministro após o Partido Democrático Unido (UDP) ganha uma vitória eleitoral esmagadora.

2010 Maio - Governo diz que vai parar de enviar casos apelos à British Conselho Privado a partir de 1 de Junho.

2011 Setembro - Belize é adicionado EUA lista negra de países considerados grandes produtores ou rotas de trânsito de drogas ilegais.

2012 Março - Eleições. Decisão Unidos Partido Democrático (UDP) ganha mais um mandato.

2012 Setembro - Belize ganha 60 dias de prorrogação de obrigacionistas depois de pagar uma parte do seu atraso R $ 14.2m juros da dívida. Categoriza agência de classificação Standard & Poor de Belize como sendo de padrão "seletiva", um passo abaixo de um padrão completo.

Fonte: news.bbc.co.uk

Belize

Este pequeno país da América Central do tamanho de Alagoas, espremido entre o México, a Guatemala e o Mar do Caribe, é a nação mais jovem das Américas.

Foi colônia da Inglaterra (ex-Honduras Britânicas) até 1981.

Todo o litoral de Belize é protegido por uma imensa barreira de corais, a segunda do mundo, menor apenas que a da Austrália.

Principais pontos turísticos

Mergulho na barreira de corais, visita aos diversos sítios arqueológicos e ruínas que mostram vestígios da civilização maia, visita a Reserva Natural de Cockscomb Basin (única do mundo dedicada exclusivamente à preservação do jaguar ou onça-pintada) e o Santuário Ecológico de Croocked Tree.

Três dos quatro atóis do Oceano Atlântico encontram-se lá: Turneffe Islands (famoso pela quantidade de golfinhos em suas águas, sendo o atol mais próximo da costa), Gloover's (mais ao sul, é o que conta com os melhores resorts de mergulho) e Lighthouse (o mais distante, é também o mais fascinante dos três).

Blue Hole (buraco azul), descoberto por Jacques Cousteau em 1972, fica no Atol de Lighthouse.

Half Moon Caye, uma das ilhas de Lighthouse, foi transformada em santuário de aves marinhas.

Mais de 200 ilhas espalham-se pelo litoral de Belize, sem contar as ilhotas de areia encravadas na barreira que simplesmente desaparecem quando a maré sobe.

Pratos Típicos

A culinária belizense é composta basicamente de frutos do mar.

Fonte: www.ivox.com.br

Belize

Um grande número de atóis e a segunda maior barreira de corais do mundo, associado à transparência das águas do Caribe, tornaram Belize um dos points de mergulho mais procurados do Hemisfério Norte.

Descoberta em 1502, por Cristóvão Colombo, Belize está localizada na costa norte da América Central, no Caribe, fazendo fronteira com o México ao norte, Guatemala ao sul e o mar do Caribe à leste. Antiga colônia britânica, conquistou sua independência em 1981. A capital é Belmopan.

Em sua costa marítima, de 174 milhas, está a segunda maior barreira de corais do mundo. A população, de mais de 200.000 habitantes, é composta por uma mistura de raças e povos do mundo inteiro, contando com crioulos, hispânicos, Maias e Garifunas (Afro-Caribenhos).

O clima é subtropical, com pronunciadas estações de chuva e seca. As chuvas vão de Junho a Dezembro e a seca de Janeiro a Maio. A temperatura média anual é de 26°C , suavizada pelos ventos refrescantes que vem do mar.

Belize conta com uma vida noturna agitada e cheia de oportunidades. Existem vários night clubs, restaurantes, bares e shoppings à disposição dos turistas. Para os que gostam de pescar, este é o lugar certo, sendo possível praticar todas as modalidades de pesca, seja em rios, lagos ou mar.

Uma boa opção é conhecer os roteiros de passeios pelos recantos do país, seja de carro ou de bike. O contato com a vida selvagem e a exuberante paisagem são inesquecíveis. Os amantes de canoagem e caiaque também vão ter boas opções para a prática do esporte.

Mergulhos em Belize

B elize oferece alguns dos mais belos recifes de coral do mundo. Sua grande barreira de corais, os atóis e as ilhas formam o principal atrativo do local, oferecendo excelentes oportunidades para mergulho SCUBA e snorkeling.

A visibilidade média fica em torno de 30 metros, e a temperatura da água é de 27°C. A grande barreira de corais protege os points de mergulho das ondas fortes do mar do Caribe, garantindo mergulhos tranquilos e seguros na maior parte do tempo.

Seria necessário uma extensa reportagem para falar de todos os locais de mergulho disponíveis em Belize, todos são excelentes. Destacamos dois deles, por serem os mais conhecidos e consagrados internacionalmente, The Blue Hole e Shark Ray Alley.

Blue Hole (buraco azul) está localizado no centro do atol Lighthouse Reef, a cerca de 23 Km de Belize City. Originalmente um caverna, o recife surgiu a aproximadamente dez mil anos, formando um círculo quase perfeito de 33 Km de diâmetro e profundidade de até 135 metros.

Popularizado por Jaques Cousteau, em um de seus especiais para a televisão, tornou-se o mais famoso point de mergulho na região. Diversas operadoras locais possuem saídas diárias para mergulhos diurnos e noturnos no atol.

WA excelente visibilidade da águas permite que a luz solar chegue a grandes profundidades, o que originou colônias de corais e uma vida marinha de um colorido espetacular.

É comum o encontro com tartarugas gigantes, tubarões e arraias, que nadam graciosamente entre os corais e algas, aparentemente sem temer a aproximação do homem.

Entre as tocas, o número de moréias, crustáceos e peixes tropicais garantem um visual extraordinário. Não deixe de fazer pelo menos um mergulho noturno no local.

SShark Ry Alley está localizado ao sul do país, dentro da resertva de Hol Chan Marine e ultimamente vem se tornando um dos locais mais procurados para mergulho do Caribe.

Aqui é possível o encontro com dezenas de arraias e tubarões. Algumas operadoras levam os mergulhadores ao encontro deles, alimentando-os com restos de peixe.

A sensação de se sentir no meios dos enormes predadores é ao mesmo tempo fascinente e assustadora. Atenção redobrada deve ser tomada nestas excurções, não provocando os tubarões e sempre mantendo os braços e pernas colados junto ao corpo.

Fonte: www.scubadiver.com.br

Belize

Águas incrivelmente claras, fauna inimaginável fascinantes e misteriosas ruínas da civilização Maya fazem deste lugar um Sonho Real.

Estas são somente algumas das maravilhas de um país que possui uma abundante e variada beleza natural.

Você pode visitar as ruínas da civilização Maya, explorar cavernas, divertir-se no mar fazendo snorkel, descansar em praias desertas ou mergulhar junto à segunda maior barreira de corais do mundo.

Belize tem um ecossistema marinho privilegiado, composto de manguezais, atóis, bancos de areia e uma barreira de corais que oferece aos mergulhadores um cenário maravilhoso.

Tem uma população aproximada de 200 mil pessoas, com uma harmoniosa mistura de raças e de línguas, que vai desde o maya até o inglês, passando pelos garifunas, espanhóis, indianos e chineses.

No início do século XVI, foi palco da resistência da civilização Maya contra os colonizadores espanhóis que, antes de enfrenta-los, já tiveram que superar a dificuldade de transpor a extensa barreira de corais, que protege a litoral daquela região.

Talvez por isso, muito tardiamente se comparado aos demais países americanos de domínio ibérico, foi colonizado pelos ingleses, em 1862. Recebeu, então, o nome de Honduras Britânicas. Com sua recente independência, em 1981 passou a se chamar Belize. Apesar de Belize City, no litoral, ser a cidade mais conhecida, Belmopan, no centro do país, é sua atual capital.

Foi colônia da Inglaterra até 1981. A Rainha Elizabeth ainda é a chefe de Estado por lá, mas ela esteve no país uma única vez em toda a sua vida pois segundo dizem, não é muito chegada ao calor destas latitudes tropicais. Mesmo assim, sua face está estampada por todos os lados. Nos selos, nas notas de dinheiro... enfim, em tudo aquilo que carrega algum sentimento nacional.

Repleta de histórias e templos da civilização Maya, com 40% do país transformado em parques e reservas naturais, Belize é ainda agraciada pela vida selvagem preservada e pelas belas florestas tropicais.

Reserva natural

Metade do território de Belize é ocupada por floresta tropical, em certos trechos tão rica e exuberante quanto a Amazônia brasileira. A Reserva Natural de Cockscomb Basin, por exemplo, é a única do mundo dedicada exclusivamente à preservação do jaguar, o maior felino do continente americano, conhecido no Brasil como onça-pintada. Com um pouco de sorte e disposição para caminhar, você pode encontrar pegadas frescas do animal nas trilhas que cortam a reserva.

Belize é também um dos destinos mais procurados no mundo por observadores de pássaros, atividade bem mais amena que a observação de jaguares. No santuário ecológico de Croocked Tree, milhares de aves migratórias se reúnem todos os anos, principalmente nos meses de abril e maio.

Quem já viu, garante: é um espetáculo de rara beleza.

O País

Situado numa estreita área na península de Yucatán, entre Guatemala e México, Belize é um dos menores países da América Central continental e o único da região colonizado pelos ingleses. Uma planície ocupa quase todo o território. Próximo a seu pantanoso litoral, banhado pelo mar do Caribe, situam-se várias ilhotas e a segunda maior barreira de coral do planeta. Florestas tropicais cobrem 50% do país. Os crioulos, descendentes de africanos, e os mestiços de indígenas e europeus são maioria na população, formada ainda por índios maias, asiáticos e europeus de várias origens. A economia baseia-se no cultivo de banana, cana-de-açúcar e cítricos. Nos últimos anos cresce a extração de madeira. O conflito de fronteira com a Guatemala prejudica a entrada de capitais e o turismo.

História

Na Antiguidade, Belize é habitado por índios da civilização maia. Os primeiros europeus chegam em 1502. A colonização inglesa tem início no século XVII e consolida-se em 1798, com a derrota dos piratas e espanhóis que disputam a região. A nação torna-se colônia britânica em 1862.

A Constituição de 1954 conduz a eleições gerais que dão vitória ao Partido Unido do Povo (PUP), liderado por George Price. O país se torna Estado independente associado à Comunidade Britânica em 1981. O PUP encerra 30 anos no governo em 1984, quando é derrotado pelo Partido Democrático Unido (UDP), de Manuel Esquivel. Em 1998, o novo líder do PUP, Said Musa, é escolhido primeiro-ministro, após vitória eleitoral de seu partido, que obtém 26 das 29 cadeiras da Casa dos Representantes. Musa compromete-se a adotar o regime republicano.

Litígio com a Guatemala

As fronteiras com a Guatemala são delimitadas por um tratado em 1859, mas a disputa territorial continua no século XX. A mediação dos Estados Unidos é rejeitada em 1968 por Guatemala e Reino Unido, que nos anos 70 envia tropas para proteger Belize. Em 1990, o país condiciona a redução de seus limites marítimos ao reconhecimento de sua soberania por parte da Guatemala. O acordo provoca protestos de belizenhos e guatemaltecos. Em 1994, a Guatemala reafirma sua pretensão territorial e, em 1996, as negociações são retomadas.

Belize é um país cuja costa com mais de 500 quilometros é repleta de atóis e os famosos “Blue Holes”. Os principais pontos de mergulho são as ilhas Turneffe, o Lighthouse Reef, o Atol de Glover e Ambergris Caye. Belize é muito bem servido de “Liveaboards” e Resorts especializados em mergulho. A melhor época para o mergulho é de Abril a Junho.

A melhor maneira de conhecer e mergulhar em Belize City é atravessando a fronteira por terra. A Ilha de Ambergris Caye, onde está o Parque Marinho de Hol Chan. Espere pagar em média US$ 50 por mergulho, com dois tanques de ar comprimido. Em Belize City, o custo é um pouco maior, porque o trajeto das lanchas até os pontos de mergulhos mais próximos, na barreira de corais, é bem maior.

Localização

Faz fronteira com o México ao norte e com a Guatemala a oeste e sul, e com o mar do Caribe a leste. Sua capital é Belmopan.

Área: 22.960 km² 
Costa: 386 km

Geografia

As cavernas, os atóis e a barreira de corais, são as principais atrações. A barreira de corais de 185 milhas é a segunda em extensão do mundo.

Clima

A temperatura média é de 29 graus C amenizada pela brisa do mar. No verão a temperatura não ultrapassa os 36 graus C e a mais baixa no inverno não é menor que 22 graus C. A temperatura da água do mar varia entre 27 e 30 graus C.

População

A população é de aproximadamente 200.000 habitantes

Língua

A língua oficial é o Inglês.O Espanhol é utilizado como segunda língua.

Transporte

O meio de transporte que mais possibilita o contato com a natureza na ilha circulam predominantemente golf carts que podem ser alugados e bicicletas que são cedidas por alguns hotéis aos hóspedes.

Moeda: dólar de Belize - R$ 1,77 (Cheque o valor exato pois nossa moeda costuma variar muito)

Visto: é necessário. Ele é expedido apenas pelo Consulado Britânico do Rio de Janeiro e pode demorar alguns dias.

Consulado da Inglaterra: Praia do Flamengo, Rio de Janeiro 2º andar, tel. (0xx21) 553 3223.

Embaixada de Belize: Gabourel Lane and Hutson Street, Belize City Mailing address: P. O. Box 286, Belize, tel. [501] (2) 77161 through 77163 Fax: [501] (2) 30802.

Cidades principais: Belize City, Orange Walk, San Ignacio, Corozal, Dangriga, Belmopan.

Como chegar

A American Airlines opera vôos diários a Belize com conexão em Miami. O valor da passagem de ida e volta é de US$ 1.449,86

A Varig possui vôos a Belize com conexão em Miami por US$ 1.287 (ida e volta).

A Tam opera vôos a Belize com conexão em Miami por US$ 1.140 (ida e volta).

Doces típicos

Em Belize City, não deixe de comer o bolo Death by Chocolate, preparado pelo restaurante da pousada Fort Street Guesthouse. É uma loucura! Também não deixe de provar as tortas de coco, deliciosas em qualquer parte do país.

Tem aventura para os mais variados estilos. Todo o litoral de Belize é protegido por uma imensa barreira de corais, a segunda do mundo, menor apenas que a da Austrália. São 300 km de extensão.

Além da imensa barreira de corais, Belize tem três dos quatro únicos atóis do Oceano Atlântico. O quarto Atol é o das Rocas, no Brasil. O turista tem a oportunidade de ver uma grande quantidade de golfinhos em suas águas de Turneffe Islands, o atol mais próximo da costa. Gloover's, mais ao sul, é o que conta com os melhores resorts de mergulho.

O famoso Blue Hole (buraco azul), descoberto por Jacques Cousteau em 1972, fica no Atol de Lighthouse, o mais distante, é também o mais fascinante dos três.

Trata-se de uma circunferência perfeita, escavada pelo tempo bem no meio da barreira de corais. Tem mais de 300 metros de diâmetro por 135 de profundidade. Uma obra-prima da natureza.

Half Moon Caye, uma das ilhas de Lighthouse, foi transformada em santuário de aves marinhas. De tão pequena, percorre-se todo o seu contorno em apenas uma hora de caminhada. Coqueiros tomam quase toda a sua extensão e inofensivos tubarões-lixas nadam despreocupados na praia, a 50 cm de profundidade.

Bem em frente a Half Moon Caye, a mais ou menos 1 km da praia tem um grande esqueleto corroído do naufrágio de um grande cargueiro onde faz lembrar que a barreira de corais não perdoa embarcações à deriva.

Blue Hole

Mergulhar no Blue Hole não é bom programa para iniciantes. Quem só fez o módulo básico do curso de mergulho não pode, tem de ficar no barco. Isso porque o básico credencia mergulhadores a descer, no máximo, até os 18 metros de profundidade. No Blue Hole, o mergulho geralmente vai além dos 40.

À medida que os mergulhadores descem, a água vai ficando cada vez mais fria e o ambiente mais escuro. As atrações deste mergulho são as enormes estalactites - algumas com mais de cinco metros de comprimento que decoram as paredes desta caverna submersa, cujo teto desabou cerca de 10 mil anos atrás.

Ruínas da civilização Maia

Belize tem todo o seu território pontilhado por sítios arqueológicos. A civilização maia floresceu por lá entre os séculos 10 e 15 e os vestígios e ruínas de cidades inteiras escondidas no meio do mato permanecem até hoje. Através de uma das várias agências locais de turismo arqueológico ou por conta própria algumas das mais fascinantes ruínas de Belize podem ser facilmente visitadas, apesar de escondidas na mata.

A civilização Maia está entre a elite de todas as civilizações arcaicas. Os lugares antigos maias cobrem toda a aparência e diversidade. Belize se gaba de possuir o local maia mais antigo e as terras mais antigas ocupada pelos maias.

Mais de 600 mil lugares têm a data de ocupação maia conhecida. Novos artefatos e até novas cidades são descobertas ainda hoje. E projetos de escavações estão sendo feitos por toda Belize. Enquanto apenas alguns lugares conhecidos são abertos ao público, aqueles que são acessíveis irão ver como esta espetacular civilização viveu e o como foi importante para Belize.

Visitar as ruínas maia de Lamanai, não muito distantes de Belize City, é quase uma obrigação para quem viaja ao país. Para chegar até elas, sobe-se um belo trecho do Rio Belize. Desembarca-se num trapiche. A floresta logo em frente não dá qualquer pista do que está escondido lá dentro. Ao longo da trilha que serpenteia a mata e termina no mesmo lugar da partida, pirâmides e templos enormes vão surgindo. É de tirar o fôlego.

Caracol, razoavelmente perto da cidade de San Ignacio, é outro sítio arqueológio de acesso complicado. Só é possível alcançá-lo em veículos off road. Se chover muito, nem com eles. Mas você não precisa ser piloto de rali para visitar as ruínas de Caracol e Lamanai. Há várias agências de turismo arqueológico em Belize City e San Ignacio que oferecem passeios pré-programados ou montam o roteiro que o cliente quiser.

Por conta própria, é muito fácil visitar as ruínas de Altun Ha, perto de Belize City, e Xunantunich, nas proximidades de San Ignacio. Você chega até as duas por estradas de asfalto um pouco esburacadas, mas perfeitamente transitáveis. Alcançá-las com transporte público é cansativo, mas possível. Melhor, no entanto, é pegar um táxi e pedir ao motorista que espere pelo fim do passeio. Isso é comum em Belize. E o preço dos táxis é uma barganha se comparado aos padrões brasileiros.

As ruínas mais acessíveis de todas, porém, são as de Cahal Pech. Elas ficam praticamente dentro da cidade de San Ignacio. Alguns hotéis, no melhor estilo lodge, ficam quase dentro da área abrangida pelo sítio arqueológico. As ruínas de Cahal Pech foram as mais restauradas de todo o país pois foi o sítio visitado pela rainha Elizabeth em sua primeira e única visita a Belize.

Aproximadamente 20.000 Mayas vivem hoje neste país minúsculo de 200.000 habitantes. A maioria dos Mayas é descendente de um grupo que fugiu para cá em 1847 junto com um grupo de mestiços, índios misturados com europeus ou africanos, escapando da sangrenta Guerra das Castas.

Altun Ha é um pequeno mas rico Centro Cerimonial Maya, a aproximadamente 30 milhas ao norte da Cidade de Belize. A cidade estava na rota comercial do litoral entre as "terras baixas" da Guatemala, Belize e Yucatán no México.

Fonte: revistaturismo.cidadeinternet.com.br

Belize

Belize é um pequeno país da América Central, limitado a norte pelo México , a leste pelo Golfo de Honduras e a sul e a oeste pela Guatemala.

Capital: Belmopan . Até 1973, o território era designado por Honduras Britânicas.

Até a chegada dos europeus, era habitada pelos maias.

No meio do Século XVII chegaram mateiros ingleses à costa.

Os espanhóis não tinham chegado até essa zona.

Em 1968 , o E.U.A. foi juiz de arbitragem para que o Reino Unido e Guatemala reconhecessem a independência de Belize, o que se conseguiu em 1981.

Guatemala a reconheceu república em 1992.

Fonte: www.fotoserumos.com

Belize

Famoso pelos locais de mergulho em atóis e recifes no mar das Caraíbas ao largo da sua costa, o Belize é um destino de sonho, embora dispendioso. As ruínas Maia de Altun Ha ou Lamanai, a relaxante ilha Caye Caulker, os mergulhos no famoso Blue Hole, a cultura garifuna em Dandriga, as praias da península de Placência, a Reserva Marinha de Hol Chan são apenas alguns motivos para viagens ao Belize. Um país onde o turismo não para de aumentar, com os benefícios e riscos daí resultantes.

Caye Caulker, vida boa nas Caraíbas

É um cenário de tranqulidade, Caye Caulker. Ruas de areia, um clima ameno, ambiente descontraído, peixe fresco assado na brasa, bungalows beijando as águas das Caraíbas e locais de mergulho de classe mundial ao largo do Belize fazem da ilha Caye Caulker um destino único e sedutor. Um hino à boa vida.

Belize
Caye Caulker

Caye Caulker é uma ilha pequeníssima e não tem os longos areais finos e brancos típicos das Caraíbas (na verdade, quase não tem praias dignas desse nome), mas nem isso lhe tira o charme tropical. É daqueles locais onde os problemas da vida mundana desaparecem por magia, até da mente mais stressada.

As ruas de areia, a ausência de carros (o transporte na ilha é assegurado por bicicletas e carros de golfe - táxis incluídos -, apesar de não haver campos de golfe na ilha), o ambiente descontraído, a boa comida, muito reggae e algum rum, as cabanas à beira-mar e um povo caloroso, amigável e relaxado fazem com que incontáveis viajantes prolonguem as suas estadias muito para além do inicialmente previsto (alguns para sempre).

E fazem bem! Caye Caulker é um prazer para todos os sentidos, assim o viajante dispense o automóvel, o relógio, o cinema, o centro comercial e demais comodidades da vida urbana. Os que disso carecem optam por San Pedro, a principal urbe da vizinha ilha de Ambergris Caye, a uma curta viagem de barco de distância.

Belize
Veleiro atracado junto a um bar no Split, o canal que divide Caye Caulker em duas ilhas

Caye Caulker é para quem se “contenta” com peixe fresquíssimo grelhado na brasa e degustado em plena rua de areia sob um céu estrelado, para quem aprecia um pôr-do-sol observado a dois a partir de um pontão de madeira mar adentro, para quem gosta de andar descalço e ler um livro numa rede sem pensar em mais nada, para quem aprecia ser cumprimentado vezes sem conta com um “bom dia” sorridente, para quem os maiores prazeres residem nas coisas simples da vida. Posto numa curta e decisiva frase, Caye Caulker é um hino à boa vida.

Não por acaso, aquelas palavras estão pintadas no chão, em tons suaves, no início do pontão de madeira de acesso ao embarcadouro. É lá que atracam os ferryboats que trazem a maioria dos turistas que visitam Caye Caulker.

A frase insta os visitantes a abrandarem o ritmo, a não terem pressas, a adaptarem-se à noção de tempo que, na ilha, tem uma importância pouco mais que relativa: Go slow”. Simplesmente “Go slow”.

As boas-vindas às Caraíbas resumidas em duas palavras pintadas no chão, uma intimação a quem quer que chegue a Caye Caulker com o corpo e a mente em modo citadino, preocupado, stressado. Não era de todo o meu caso, naturalmente, pelo que, de calções de banho e havaianas no pé, e todo o tempo do mundo, abracei de imediato o espírito de Caye Caulker. Devagar.

O melhor de Belize

Belize
Ao fundo do pontão, uma turista canadiana aproveita o sol de Caye Caulker

Bob é uma figura. Chamam-lhe Crazy Bob. Vi-o pela primeira vez quando procurava alojamento em Caye Caulker, mal chegado ao ancoradouro principal da ilha. Recusei amavelmente a sua ajuda, habituado que estou a lidar com todo o tipo de indivíduos que trabalham à comissão - de hotéis, empresas de transporte, restaurantes, agências de viagens - e pressionam os turistas com técnicas nem sempre limpas indicando hotéis e afins a troco de uma gratificação que, não raras vezes, acaba por sair invisivelmente do bolso dos viajantes.

Mas Bob era relaxado. Pedalava uma bicicleta de proveta idade, tinha o tronco nu e o pé descalço no chão de areia, ar de bon vivant sem dinheiro, uns cinquenta anos de espírito jovem em corpo tatuado, olhos de marijuana, sorriso do Belize, palavra fácil. Tivesse uns longos cabelos dreadlocks e uma t-shirt com a imagem de Che Guevara ou Bob Marley, e Bob resumiria na perfeição os habitantes de Caye Caulker.

Quando, um pouco mais tarde, nos voltámos a cruzar e me perguntou de novo se eu já estava instalado, acedi por fim ao convite para ver umas “cabanas simpáticas” que tinha para me mostrar, “sem compromisso”, no extremo Norte da ilha, junto ao Split de má memória - assim se chama o canal que divide a ilha em duas desde que, em 1961, a fúria do furacão Hattie chicoteou Caye Caulker - e conclui num ápice que sozinho dificilmente encontraria melhores instalações em Caye Caulker àquele preço em formato pechincha.

No final, ambos saímos a ganhar e, para mim, foi a primeira demonstração de que ideias preconcebidas não têm lugar em Caye Caulker, um pedaço de terra multicultural onde se mescla gente de todas as origens, religiões e estratos sociais.

Dos reformados aos garifuna, Caye Caulker abraça todos

Reformados norte-americanos que se apaixonaram pelo Belize e transferiram para Caye Caulker o fim das suas vidas. Gente abastada com uma segunda casa de férias. Muitos casais mistos, formados por turistas que um dia passaram por Caye Caulker e acabaram por voltar, ficar e casar com locais - como um jovem marinheiro beliziano que conheci a bordo de um veleiro e que cumpria nessa mesma embarcação uma lua-de-mel improvisada com sua mulher holandesa e a companhia de uma dezena de turistas. Viajantes jovens de passagem pelas Américas. E a comunidade garifuna, afro-caribenhos descendentes de escravos africanos que chegaram à América Central no século XVII e que, embora sem a expressão de outras regiões do Belize, nomeadamente em Dandriga, também se encontram em Caye Caulker.

Aparentemente, todos se adaptam ao tranquilo modo de vida destas paragens, talvez porque, para além do mais, em Caye Caulker reina a tolerância. Parecem não haver discriminações de cariz racial, sexual ou comportamental. O movimento rastafari domina a cena cultural, artística e o estilo de vida, com muita música reggae todo o dia, boa disposição, pouco stress e uns quantos charros socialmente tolerados.

Caye Caulker é “boa onda”, como se usa dizer, e, tal como aparece escrito em inúmeras t-shirtssites de promoção turística e na voz dos próprios habitantes locais, orgulhosos do trocadilho que insta os visitantes a desfrutarem da vida:You better Belize it! ”. Era a frase favorita de Bob, que com ela terminava todas as conversas, antes de se afastar na sua bicicleta pelas ruas de areia de Caye Caulker.

Mergulhar no Blue Hole

Para os apaixonados pelo mergulho subaquático, o Belize é um dos locais mais elogiados de toda a América Central e Caraíbas, muito por “culpa” de uma cratera de forma circular com trezentos metros de diâmetro, rodeada por recifes de coral, que personifica na perfeição o imaginário mundano de paraíso.

Belize
Zona de banhos no extremo norte de Caye Caulker, ainda com as marcas da passagem do furacão Hattie

Chama-se Blue Hole e fica no coração do atol Lighthouse Reef, a pouco mais de sessenta milhas náuticas do continente. Tal fama deve-a, antes de mais, à beleza natural do Lighthouse Reef propriamente dito, proporcionando mergulhos subaquáticos numa envolvência deslumbrante (as fotografias aéreas do Blue Hole são, aliás, a imagem de marca do Turismo do Belize, utilizadas vezes sem conta para ilustrar as belezas naturais do país).

Mas também a deve ao fato de ter sido popularizado pelo investigador, fotógrafo, cineasta, amante do mar e mergulhador francês Jacques-Yves Cousteau, que um dia considerou o Blue Hole membro de pleno direito do seu Top 10 dos melhores locais de mergulho do planeta. Os mergulhadores descem a quarenta metros de profundidade em águas cristalinas, onde são brindados com paredes em relativa escuridão e não tanta vida marinha como em águas menos profundas das redondezas mas, ainda assim, é um mergulho mítico.

Biodiversidade protegida no Belize

Mas não é só o Blue Hole que atrai os amantes da Natureza. “A área costeira do Belize é um extraordinário sistema natural que consiste na maior barreira de coral do hemisfério Norte [a maior do mundo é a Grande Barreira de Coral da Austrália, localizada no hemisfério Sul], atóis ao largo da costa, muitas centenas de ilhotas de areia, florestas de mangue, lagoas costeiras e estuários.

O sistema ilustra de forma magnífica a evolução dos recifes de coral e é um habitat importante para espécies ameaçadas, incluindo tartarugas marinhas, manatins [mamíferos herbívoros também conhecidos por peixe-boi] e o crocodilo marinho americano”, garante a insuspeita UNESCO, que classificou em 1996 a Barreira de Coral do Belize como Patrimônio Mundial.

Belize
Front Street, rua principal de Caye Caulker

Toda a área no interior da barreira de coral é riquíssima em vida animal e isso facilmente se comprova sem ser necessário mergulhar, num simples passeio de veleiro até à Reserva Marinha de Hol Chan para fazer snorkelling.

Localizada a apenas quatro milhas do extremo Sul de Ambergris Caye, a Reserva Marinha de Hol Chan não é mais do que um pequeno canal que trespassa a grande barreira de coral que protege a costa do Belize e a que os nativos chamam quebrada, onde estão criadas condições naturais para uma vida subaquática abundante e riquíssima.

É o local ideal para quem não mergulha e, apesar disso, não quer perder a oportunidade de vivenciar uma experiência única de contato com a Natureza. As águas são pouco profundas, os corais vivos e exuberantes e a vida marinha diversificada. Garoupas, tubarões-enfermeiro e várias espécies de tubarões de recife, tartarugas, moreias, jamantas, barracudas, peixe-papagaio e, de vez em quando, os desejados manatins e tubarões-martelo são alguns dos seres vivos que podem ser avistados nas águas rasas de Hol Chan. Um deslumbramento visual.

As boas notícias não terminam por aqui. Felizmente, e ao contrário de muitos outros locais do mundo, parece que as autoridades do Belize e de Caye Caulker em particular estão a levar muito a sério a questão da sustentabilidade dos recursos subaquáticos e do equilíbrio dos ecossistemas marinhos. Isto apesar do mergulho ser muito popular e uma importante fonte de rendimento - ou por isso mesmo.

Um exemplo: há atualmente uma recompensa para quem capturar espécimes de peixe-leão e os entregar às autoridades “mortos ou vivos”.

Isto porque é um peixe não nativo de quem se diz consumir cerca de 80% do peixe juvenil dos recifes de coral e, como tal, não ser sustentável permitir o aumento desmesurado da sua população sob pena de serem infligidos danos irreparáveis ao ecossistema local. Com políticas desde âmbito, turistas conscientes e instrutores de mergulho e capitães de veleiros sabedores dos riscos do turismo desregulado, augura-se um próspero futuro para Caye Caulker e para a sua biodiversidade.

Belize
Pôr-do-sol em Caye Caulker

Fonte: www.almadeviajante.com

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal