Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Acupuntura  Voltar

Acupuntura

Acupuntura
Acupuntura

O que é

A Acupuntura é uma técnica na qual os praticantes estimular pontos específicos do corpo, na maioria das vezes, através da inserção de agulhas finas através da pele. É uma das práticas utilizadas na medicina tradicional chinesa.

A Acupuntura é geralmente considerada segura quando realizada por um médico experiente, bem treinado usando agulhas esterilizadas. Impropriamente executada acupuntura pode causar efeitos secundários graves.

A pesquisa sugere que a acupuntura pode ajudar a controlar certas condições de dor, mas as evidências sobre o seu valor para outros problemas de saúde é incerto.

Mecanismos de ação da Acupuntura

Aplicação de agulhas de acupuntura. No conhecimento atual de fisiologia, a Acupuntura é um método de estimulação neurológica em receptores específicos, com efeitos de modulação da atividade neurológica em três níveis – local, espinhal ou segmentar, e supra-espinhal ou suprasegmentar.

Técnica

A Acupuntura é uma técnica de tratamento que consiste no estímulo de pontos determinados da superfície da pele. Podem ser utilizados neste processo agulhas, ventosas, massagens, e até o calor proveniente da queima da moxa, preparada à partir da erva artemísia (moxabustão).

A Acupuntura

Acupuntura
Acupuntura

A Acupuntura é uma ciência muito antiga. Tem-se noticias de que em épocas anteriores a 4.000 a C. os chineses já utilizavam esta técnica como forma de tratamento, isto pelas agulhas de pedras, finamente polidas (Agulhas Bian), encontradas em escavações arqueológicas. No grande livro, básico da Medicina Tradicional Chinesa (MTC), o Imperador Amarelo, Huang Di Nei Ching, que viveu entre 2697 a 2697 a C., confabula com seus conselheiros, principalmente com seu médico Khi Pa, sobre as várias maneiras de atingir a plena saúde e longevidade.

Por volta do ano 1000 a.C. surgiram os primeiros ideogramas identificando a Acupuntura e Moxabustão como técnicas terapêuticas já bastante avançadas, mas ainda nessa época eram utilizadas agulhas de pedras, apesar de a prata e ouro já serem metais utilizados em outras aplicações. Foi neste período que surgiu as teorias do Yin/Yang e dos cinco elementos aplicados ao tratamento de doentes.

Entre os períodos de 475 a.C. a 25 d.C. a Medicina Tradicional Chinesa e, em especial a Acupuntura, teve um grande desenvolvimento. Agulhas de metal, em especial de ouro e prata, finamente acabadas, suplantaram as similares em pedras e as técnicas médicas tiveram um notável avanço. A escavação de um tumulo de 113 a.C. na provincia de Hebei, em 1968, revelou, além de um conjunto de agulhas de ouro e de prata, também escritos que demonstraram o conhecimento dos meridianos principais e colaterais.É dessa época que aparece os primeiros livros versando sobre Fitoterapia, que é arte da cura através de plantas, ervas e até de animais ressecados. Esta técnica atingiu notável sofisticação no Período dos Tres Reinos, quando o médico Hua To usava compostos de ervas e acupuntura, como analgésicos, para pequenas cirurgias.

Na Dinastia Jin e nas Dinastias do Norte e Sul (265-581) apareceram os primeiros diagramas esquemáticos dos meridianos completos e pontos de acupuntura.

Na Dinastia Tang houve uma reavaliação e reformulação de todo o conhecimento de Acupuntura com a redação de novos e importantes tratados.

Com o advento da imprensa, a partir do seculo X a prática da Acupuntura foi grandemente impulsionada pela tiragem de livros que antes só eram escritos a mão livre, um por um. A partir da Dinastia Ming (1368 a 1664) a Acupuntura entra definitivamente para o ramo das ciências organizadas, com escolas e sistemas de tratamento baseados no Yin/Yang, 14 meridianos, cinco elementos e Zang-Fu (órgãos e vísceras).

Em 1899 tem inicio a Acupuntura moderna, com a publicação de “Acupuntura em Modelos de Bronze com Referências na Medicina Moderna” a primeira obra a relacionar a Acupuntura com a anatomia e fisiologia médica ocidental. Em 1951 é fundado o Instituto Experimental de Terapia por Acupuntura, vinculado ao Ministério da Saúde, depois disso, esta ciência espalhou-se por universidades e centros de estudo por toda a China.

O Brasil, reconheceu a Acupuntura como ciência somente em 1995, e hoje vários cursos formam médicos nessa especialidade que já tem, inclusive, penetração em Postos de Saúde por ser uma forma de tratamento praticamente isenta de riscos e de custo muito baixo.

As Agulhas

Na Idade da Pedra, espinhos de madeira, depois lascas de ossos ou sílex afinados, eram utilizados para puncionar, tirar o pûs do abscesso, ou para fazer sangrias. De fato, pesquisas arqueológicas levaram à descoberta de agulhas de silex que datam da Idade da Pedra, mas as primeiras agulhas de Acupuntura das quais se tem notícia eram feitas de pedra, ossos e bambu (período neolítico), mas com a descoberta dos metais passaram a ser feitas com ferro, prata e diversas ligas metálicas. Foi o imperador Huang Ti quem ordenou o emprego de agulhas metálicas, substituindo as de estiletes e de Jade. Hoje se utiliza agulhas de aço inoxidável. Achados arqueológicos da Dinastia Shang (1.766 - 1123 a.C.) incluíam até agulhas de Acupuntura e carapaças de tartarugas e ossos, nos quais estavam gravadas discussões sobre patologia médica.

As agulhas usadas hoje são finíssimas como fio de cabelo (tem o diâmetro de 0,020mm), e confeccionadas em aço inoxidável, com 1 a 12 cm. Sua ponta é arredondada, o que a impede de machucar e armazenar sangue, caso haja sangramento. O cabo das agulhas é enrolado em fios de cobre banhados em prata, que facilita o efeito de estimulação elétrica, importante em tratamento de dor aguda e crônica. A maioria das agulhas é importada da China e vêm em embalagens individuais e pré-esterilizadas.

Aplicação

Enxaqueca

Acupuntura
Enxaqueca

Paciente em tratamento para Enxaqueca. Agulhas inseridas em alguns pontos do couro cabeludo. Já nas primeiras aplicações a resposta é excelente.

Acupuntura para Rinite

Acupuntura
Rinite

Pacientes portadoras de Rinite podem beneficiar-se com tratamento por acupuntura. Agulhas muito pequenas e muito finas são introduzidas em alguns pontos da face com resultados muito bons em 8 a 10 sessões.

Dor no Joelho

Acupuntura
Joelho

Dor em joelho. Responde muito bem a Acupuntura. No caso está se utilizando eletroacupuntura em que uma corrente de baixa frequência potencializa os efeitos do agulhamento.

Dor nas costas

Acupuntura
Costas

Paciente esta sendo tratado para dor na região dorsal. Também esta sendo utilizado eletroacupuntura com resultados mais rápidos e eficientes.

Asma

Acupuntura
Asma

Paciente está sendo tratado para asma. Os resultados deste tratamento são excelentes. Pontos são estimulados com resposta positiva já nas primeiras aplicações.

Acupuntura sem Agulhas

Acupuntura

Alguns pacientes apresentam fobias por agulhas, principalmente crianças. Podemos utilizar eletrodos sobre os pontos de acupuntura com estimulação elétrica. Os resultados são bem semelhantes ao agulhamento.

Indicação e Uso

É importante ressaltar que a Acupuntura é uma terapia de ampla atuação, podendo melhorar ou curar inúmeras doenças. Se as doenças forem recentes, sem lesões físicas, elas têm mais chances de serem curadas. Quanto às doenças mais graves e crônicas, a Acupuntura melhora seus sintomas e a qualidade de vida do paciente.

Por exemplo: artrite, bronquite, seqüelas de derrame cerebral. Na verdade, a medicina convencional também só alivia e não cura nesses casos.

A Acupuntura não trata doenças. Trata doentes que devem ser avaliados como um todo, diagnosticando-se a causa ou tipo de desequilíbrio que este apresenta, e não apenas as conseqüências do desequilíbrio ou seus sintomas. O lado preventivo da Acupuntura consiste na possibilidade de ir contra a doença antes que ela se manifeste em sua plenitude, isto é, no estágio onde sabemos que estamos quase ficando doentes, mas ainda não há sintomas concretos, na fase de mal estar que precede a doença.

Em geral todo paciente é passível de tratamento pela Acupuntura desde que não haja um grau extremo de degeneração dos tecidos. E mesmo quando o paciente necessita associar outro tratamento alopático ou homeopático, ser submetido a uma cirurgia ou fazer tratamento sintomático para uma doença incurável, a Acupuntura reduz efeitos colaterais, potencializa o efeito de medicamentos, acelera a recuperação e pode mesmo até analgesiar um paciente, para uma cirurgia. Mas nunca se deve considerar a Acupuntura como uma panacéia, pois todo tipo de tratamento tem limitações.

Alguns pacientes não podem ingerir remédios por razão de doenças de rim, fígado ou estômago. Nesses casos, a melhor solução é continuar fazendo Acupuntura, porque não há efeitos indesejáveis. A Acupuntura é considerada "primeira opção" também no período de gestação e amamentação, quando muitos desconfortos podem ser aliviados, tais como náusea, vômito, dor, ansiedade, síndrome pós-parto e outros.

Um uso ainda bastante recente da Acupuntura - se levarmos em conta a sua idade milenar - tem sido como prática de anestesia. Esse procedimento começou a ser utilizado em 1958, primeiro para aliviar dores pós-operatórias e como anestesia nas operações de amigdalectomias. Com o sucesso, esse processo de anestesia passou a ser utilizado na extração de dentes, na tireoidectomia e na herniactomia. Um ano depois, pesquisadores chineses já se encontravam aptos a fazer intervenções cirúrgicas maiores usando esse tipo de anestesia, e hoje já a utilizam em intervenções cardíacas.

As vantagens da anestesia através da Acupuntura são que o paciente não sofre os efeitos nocivos da anestesia química e se acha totalmente consciente durante a operação, podendo cooperar respondendo perguntas do cirurgião e seguindo suas instruções. A prática clínica tem mostrado que o método é seguro. Mas a ela não causa apenas um efeito analgésico, ela provoca múltiplas respostas biológicas. Estudos em animais e humanos mostram que o estímulo por Acupuntura pode ativar o hipotálamo e a glândula pituitária, resultando num amplo espectro de efeitos sistêmicos, aumento na taxa de secreção de neurotransmissores e neurohormônios, melhora do fluxo sanguíneo, e também a estimulação da função imunológica são alguns dos efeitos já demonstrados.

A Organização Mundial da Saúde lista mais de 40 doenças para as quais a Acupuntura é indicada. Para os chineses tradicionais existem cerca de 300 doenças tratáveis por Acupuntura, entre elas, sinusite, rinite, resfriado, faringite, amigdalite aguda, zumbido, dor no peito, palpitações, enfizema, bronquite crônica, asma brônquica, alterações menstruais, cólica menstrual, lombalgia durante a gravidez, ansiedade, depressão, insônia, mal-estar provocado pela quimioterapia, dores associadas com câncer, tendinites, fibromialgia, dores pós-cirúrgicas, síndrome complexa de dor regional, dermatites, gastrite, úlcera gástrica, úlcera duodenal, colites, diarréia, constipação, cefaléias, enxaqueca, paralisia facial, seqüelas de acidente vascular cerebral, lombalgia, ciatalgia, artrose, artrite, entre tantas outras.

A Acupuntura promove um equilíbrio geral no organismo, pois nenhuma doença existe isoladamente, sempre está associada a algum desequilíbrio geral. Além do sintoma principal que trouxe o paciente ao consultório, haverá outros sintomas, mesmo de menor importância, que são reflexos do mesmo desequilíbrio. Que quando tratado corretamente promoverá a cura do paciente como um todo.

HISTÓRIA DA ACUPUNTURA NO BRASIL: O QUE É ACUPUNTURA?

Faz-se necessário um prévio conhecimento sobre acupuntura antes de abordarmos sua legalidade e se realmente a população corre algum tipo de risco ao ser atendida por profissionais não médicos. Para termos noção de quais profissionais podem fazer uso de seus conhecimentos e praticar acupuntura faz-se, necessário antes explicarmos o que e acupuntura e como interage no corpo humano e em outros animais.

A acupuntura divide-se formalmente em duas Escolas a Acupuntura Tradicional Chinesa e a Acupuntura Clássica Chinesa, porem nos últimos anos vem surgindo através de estudos, especificamente da classe medica, uma acupuntura que os próprios médicos preferem popularmente chamar de Acupuntura Cientifica, porem também baseada na Acupuntura Tradicional Chinesa. Contudo e justo dizer que hoje temos no universo acupuntural tres Escolas cada uma com seus princípios e cada uma com sua própria definição sobre a acupuntura, então em nosso trabalho nos guiaremos pela definição da Acupuntura Tradicional Chinesa por ser a acupuntura em questão sendo a mesma a mais utilizada nos dias de hoje no Brasil e no mundo. Dizer que alguma Escola no Brasil ensina Acupuntura Clássica Chinesa seria o mesmo de dizer que abriu em Copacabana uma Escola para nênias, não seria impossível, porem seria muito duvidoso. Mais a frente veremos maiores detalhes sobre as Escolas.

HISTÓRIA DA ACUPUNTURA

Quando falamos de historia envolvendo o passado da China, sempre se perde muito ou no mínimo fica excessivamente confuso pela ausência de dados bibliográficos e também pelo excesso de misticismo e lendas que circundam o fato, então o que conhecemos ao certo sobre a acupuntura e que a mesma e uma técnica utilizada a mais de cinco mil anos e que procura o equilíbrio do corpo através de estímulos energéticos ou reflexos (definição da Acupuntura Tradicional Chinesa). E um fato muito comum dentre as culturas encontrarmos relatos de tribos que, sem nenhum contato com o mundo oriental de certa forma já praticavam acupuntura ha séculos, como e o caso dos Incas que supostamente utilizavam espinhas de peixe para praticar acupuntura e mesmo em nossa historia no Brasil segundo relatos (porem não se tem certeza) existem indícios que quando a caravela de Cabral chegou ao Brasil algumas tribos já praticavam com lascas de bambu uma espécie de acupuntura, porem a maior probabilidade e que a acupuntura que nos conhecemos tenha o seu berço na Índia onde tiveram indícios da primeira Medicina existente no mundo (que se tem conhecimento) a Medicina dos Vedas a Medicina Ayurveda, onde também existem relatos de uma primitiva acupuntura que fazia uso de lascas de jade. Porem na China foi onde essa ciência ficou mais conhecida isso se deve ao fato de ser os chineses o primeiro povo a escrever sobre o assunto na obra Nei Ching, escrita a 2600 a.C. pelo Imperador Amarelo que foi o precursor desta magnífica arte de cura hermética só para os chineses sendo posteriormente introduzida no ocidente através dos imigrantes orientais.

Não ha documentos que indiquem precisamente como foi o desenvolvimento inicial da acupuntura, mas sabe-se que desde tempos remotos, essa era uma arte muito difundida entre os chineses... Em varias partes da China foram encontradas Zhem Shuh – agulhas de pedras – que datam da idade da pedra. Essas agulhas diferem das de costura e, por terem sido encontradas juntamente com outros instrumentos de cura, presumiu-se que a acupuntura já era conhecida e praticada naquela época... Durante a dinastia Tang (400 d.C.) ela chegou ao Japão e mais recentemente ao mundo.

Giovani Maciocia aborda na introdução de seu livro Os Fundamentos da Medicina Chinesa, a acupuntura chinesa como estudo sistemático de uma medicina teve seu inicio na dinastia Han no ano de 154 a.C., pois a Medicina Clássica Chinesa tinha como base muito misticismo e era mais uma filosofia de vida do que uma ciência então houve a necessidade de simplificar e fundamentar em fatos palpáveis a Acupuntura Clássica e assim nasceu a Acupuntura Tradicional Chinesa e essa acupuntura so foi chegar ao Brasil com a vinda de imigrantes chineses no ano de 1810.

ACUPUNTURA CLÁSSICA CHINESA

Sobre a Acupuntura Clássica, poucos tem conhecimento, pois essa e uma cultura preservada pelos orientais e que passa apenas de pai para filho, porem ja existem alguns trabalhos acerca da Acupuntura Clássica, entretanto so existem duas obras escritas em português a de Marcelo Pereira, O Pequeno Tratado de Pulsologia Clássica e a do Dr Nguyen Van Nghi, A Arte e Pratica da Acupuntura e Moxabustao.

A Acupuntura Clássica e mesclada de muito misticismo e religião, fazendo uso ate de materiais bizarros como cita Felix Mann no prefacio de sua obra onde um acupunturista faz uso de uma corda de um suicida enforcado como medicamento para a família do mesmo, outro tratamento comum era tirar um paciente em coma profundo fazendo uso de um chumaço de cabelo de sua própria cabeça (o segredo era de que parte da cabeça era o local exato para tirar esse chumaço de cabelo) queimar e por o pó sublingual, em minutos o paciente retornava do coma.

Outro fato era que para praticar Acupuntura Clássica era necessário ser especialista em reencarnação, pois como libertar alguém de uma doença sem saber se estaria interferindo no calma daquela pessoa? Essas eram as bases da Acupuntura Clássica, não havia conhecimentos de fungos, bactérias nem tão pouco anatomia e muito menos fisiologia, veja um trecho do livro de Marcelo Pereira o que sobre o assunto.

Os sábios que, ha mais de dez mil anos atrás, pesquisaram e estabeleceram os ditames fundamentais da acupuntura não tinham conhecimentos profundo de anatomia e fisiologia do corpo humano. Não conheciam as origens das enfermidades. Nada sabiam a respeito das células e da estrutura do organismo.

Desconheciam totalmente a existência de microorganismos, como bactérias, fungos, vírus, micróbio e etc.

Então fica claro com esses relatos que era necessário uma base mais solida para a acupuntura, que ela era eficaz mesmo vivendo (aos nossos olhos) na mais completa ignorância era inegável, mas como técnica milenar poderia ser estudada com seriedade fundamentada em tais valores? Como seria ensinar acupuntura para pessoas que desconheciam os valores e a cultura chinesa? A acupuntura deveria ser uma ciência, e como toda ciência, ela deveria estar acima de crendices, assim surgiu a Acupuntura Tradicional Chinesa.

ACUPUNTURA TRADICIONAL CHINESA

Para uma melhor compreensão para o profissional que estuda esta técnica oriental, a Medicina Tradicional Chinesa fragmentou a acupuntura em dois segmentos a Acupuntura Energética e a Acupuntura Reflexa, uma obedece a leis oriundas da Clássica e outra aborda apenas estímulos reflexos e seus comandos cerebrais.

ACUPUNTURA ENERGÉTICA

A acupuntura energética busca o equilíbrio do organismo através da energia eletromagnética bipolar que emana da terra, ela tem duas fases positiva e negativa para os chineses o yin e o yang.

Ysao Yamamura em seu livro Acupuntura Tradicional – A Arte de Inserir, diz:

Na concepção cientifica atual, pode-se entender esse pensamento de forma bem clara ao se estudar a teoria da relatividade de Einstein, na equação: E=m.c2, a qual mostra que a inter-relação entre energia e massa e condição básica necessária para que haja harmonização entre os processos naturais do universo, e essa premissa e também base da teoria energética da Medicina Tradicional Chinesa. (Yamamura,2001, p.XLIV).

Por tanto entendemos que por ser o homem um ser energético, ele pode entrar em desequilíbrio por diversos fatores e a acupuntura se propõe a organizar essa energia pelas técnicas e teoria do Yin e Yang, ou melhor, positivo e negativo (cations e anions).

ACUPUNTURA REFLEXA

A Acupuntura Reflexa e um ramo da Acupuntura Tradicional, mas como tudo o que existe na Tradicional teve como berço a Clássica então a reflexa também tem uma fundamentação Clássica. Existem vários tipos de Acupuntura Reflexa, pois os chineses acreditavam que “existe o todo na parte e a parte no todo”, podendo assim você tratar (de forma reflexa) todo o corpo através de um micro sistema como, por exemplo, a Mao, a acupuntura das mãos cujo nome e Quiropuntura, pela calota craniana que tem nome de Escalpopuntura ou Acupuntura Escalpeana, pelo nariz a Nasopuntura e etc. Porem a mais utilizada em todas as escolas no Brasil e no mundo, talvez por haver mais estudos sobre ela, e a Acupuntura Auricular ou Auriculopuntura. Porém como se dá esse processo? O prof. Marcelo Pereira explica isso de forma bem clara em seu livro de Auriculoterapia que e referencia para o estudante de acupuntura.

Aplicando-se a agulha de forma superficial obtem-se uma acao tonificante. Maior profundidade produz sedacao. A razão de tonificarão ou sedação baseada na profundidade das agulhas esta na disposição dos vasos sanguíneos e na malha de filamentos nervosos provenientes do nervo do trigêmeo. Uma aplicação superficial estimula mais a área circulatória, e esse estimula intensifica o reflexo de tonificarão. A aplicação profunda estimula mais a malha de filamentos nervosos do trigêmeo, e esse reflexo ao ser levado ao cérebro, provoca sedação.

Então fica claro que a acupuntura reflexa não segue leis energéticas, porem ambas não se contradizem, são complementares, pois a Auriculopuntura e extremamente eficaz nas algias (dores), motivo pelo qual 85% dos pacientes lotam os consultórios clínicos, então e importante primeiro sanar a dor mandando uma informação contraria a da dor para o cérebro, pois a dor não e doença e sim efeito da doença, para depois tratar de verdade a patologia. PorÉm, como estamos falando de estímulos cerebrais vale salientar que patologias que provem de um estimulam cerebrais também podem ser tratadas pela Auriculoterapia como e o caso de ansiedades, vícios, compulsão e varias outras do gênero.

ACUPUNTURA CIENTÍFICA OU MÉDICA

A acupuntura que chamamos de Acupuntura Cientifica, ela obedece basicamente as leis da Auriculoterapia (reflexa), porem não desconsidera completamente as teorias da Clássica. Como não existe nenhum trabalho publicado sobre esse tipo de acupuntura (informação do Dr. Augusto Cesar, Medico do Trabalho estudante do curso de especialização em acupuntura para Médicos ministrado nas dependências da UFPE) fica restrito o campo de abordagem sobre ela, pois tudo cairia como especulação e por se tratar esse de um trabalho de pesquisa precisa de um embasamento bibliográfico claro e objetivo.

No entanto esse texto a seguir foi tirado de uma “petição de reconsideração de parecer” 11 na qual o Centro Integrado de Terapias Energéticas, escola de especialização em acupuntura “malte-profissional" reconhecida pelo Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional (pós-graduação lacto Celso reconhecido pelo MEC) portaria N? 33 de 10/01/02 que pede reconhecimento de sua escola para prestação de serviços em formação profissional, porem o relator foi o medico conselheiro do Conselho Estadual de Educação (CEE/PE) Dr. Lucilo Ávila Pessoa na qual ele fala.

Para o exercício responsável da Acupuntura, e necessário conhecimento medico clinico que habilite a formulação de diagnostico e prognostico, e dai conseqüente prescrição e execução de tratamento de natureza evasiva (pois as agulhas de Acupuntura invadem a intimidade dos tecidos corporais, atravessando-os ate camadas musculares profundas)... Quando se realiza uma aplicação de acupuntura, o que de alguma forma se procura e precisamente estimular um ramo nervoso periférico, sem o que a acupuntura não exerce nenhum efeito. Alem do mais, determinados mecanismos de ação são são desencadeados quando a agulha e manipulada ou girada, realizando-se aquilo que os chineses antigos denominavam técnicas de tonificarão e de sedação.

Como já sabemos, a Acupuntura Reflexa aprofunda mais as agulhas, pois ela visa alcançar camadas musculares profundas, muito diferentes da Acupuntura Tradicional que não passa da derme (0,5cm de profundidade), e para assegurar que ela não ira ultrapassar essa margem de aprofundamento e que em toda a agulha de acupuntura vem com um mandril (cilindro de plástico oco, semelhante a um canudo, que não permite que a agulha ultrapasse a margem de 0,5 cm, no caso de uma agulha ter 0,35 o mandril terá 0,30) veja o que o Atlas Gráfico de Acupuntura Cearem fala sobre o assunto:

A utilização de um mandril como guia e uma forma de aplicação pouco agressiva e indolor. Coloca-se a agulha dentro do mandril, sobressaindo alguns centímetros na parte superior, e colocamos no ponto escolhido; a agulha e introduzida com um ligeiro golpe com a polpa do dedo.

Pelo fato de na Acupuntura Cientifica as agulhas serem mais incisiva e necessário realmente um prévio conhecimento clinico e mais, como ela não faz uso da teoria do Táxon o acupunturista tem que ter um grande conhecimento de anatomia, pois o tsun e utilizado para localizar os pontos de acupuntura obedecendo a estrutura do corpo de cada um, e comum aos chineses dizer que “certo ponto” fica dois Tsun abaixo a linha do mamilo por exemplo, fazendo-se desnecessário o conhecimento tão amplo em anatomia.

O Tsun segundo o Atlas gráfico de Acupuntura Serem:

Na acupuntura utilizamos as medidas de orientação, proporcionais as dimensões do corpo de cada pacientes. Para determinar as distancias se utilizam referencias anatomotopograficas. A unidade de calculo de distancias da acupuntura chinesa e o Tsun ou Cun (distancia ou medida) A largura do polegar no nível da articulação interfalangica representa 1 Tsun.

E principalmente desacreditam inteiramente de leis energéticas, como contém citar o texto publicado na revista do Conselho Regional de Medicina de São Paulo escrito pela Sociedade Medica Brasileira de Acupuntura (SMBA) que se intitula “a falácia do diagnostico energético” veja alguns trechos:

"Nos países ocidentais, os que se aventuram a empregar leigamente o tratamento acupuntural sem terem uma indispensável graduação em Medicina costumam propalar, devido as suas deficiências de conhecimentos epistemológicos e científicos, uma serie de teorizações inexatas e/ou fantasiosas que não encontram fundamento nem na Medicina Tradicional Chinesa nem na Ocidental. Uma das mais repetidas e equivocadas e a do” diagnostico energético ““.

Discursam tais indivíduos que “a acupuntura não trata doenças, mas sim distúrbios energéticos”; ou que, “para usar a acupuntura não se faz diagnostico clinico, mas sim” diagnostico energético ““.

Porem, reiterando afirmação por mim feita antes, não existe nada escrito sobre o assunto, essa Acupuntura Cientifica e não energética que estimula nervos, e solta endorfina no organismo não tem nada publicado, nem tão pouco foram difundidos os seus fundamentos e base para sua sustentação.

História

Atribui-se a China, a criação da acupuntura. Outros países do oriente, também têem em seus recursos terapêuticos a acupuntura, como Japão, Coréia e Vietnã.

Os primeiros registros sobre a prática da acupuntura datam de mais de 6 mil anos na China, contudo, a primeira descrição histórica da acupuntura como terapêutica é feita por Ssu Ma Ch'ien no "Shih Chi", 90aC.

O paradigma da Medicina Chinesa interpretava o funcionamento do organismo humano por sua comparação com fenômenos naturais, como o fogo, vento, umidade, etc. Na visão daqueles médicos antigos, a intervenção com agulhas permitiria alterar o comportamento de elementos externos, (Já que as patologias também eram interpretadas como invasão do corpo por elementos como o Frio, vento ou umidade) e dos fluidos e energia (Qi) do organismo.

Em 1255, com a "Viagem à Terra dos Mongóis", William de Rubruk já fazia referências à Acupuntura.

Monges Jesuítas, a partir do século XVI, cunharam o termo, em língua portuguesa, que significa "Punção com agulhas" perpetuando o erro de tradução.

Mas foi a partir de 1971, com o relato do efeito da acupuntura no tratamento das dores pós-operatórias do jornalista James Reston e após 1972, com a visita do presidente Norte-americano Richard Nixon, à China, que a Acupuntura passou a ser estudada pelo método científico, no Ocidente.

Datas Históricas

500 - 300 a.C. - NEI JING (Tratado do Interno)

È o livro de Medicina Interna mais antigo do mundo que ainda é estudado, servindo como base da Medicina Tradicional Chinesa. Foi traduzido para o inglês, francês, espanhol e português. A obra está em forma de diálogo entre o imperador e o primeiro-ministro Khi Pa.

É composto de duas partes: SU WEN e LING SHU.

SHU WEN significa “consultas” e mostra as bases da MTC.

LING SHU significa “alma dos estudos” e contém as essências da Acupuntura.

481 - 221 a.C. – NAN KING (Tratado das Dificuldades)

Apresenta interpretações dos trechos mais polêmicos do Neijing.

Século I – SHENG NONG BEN CAO JING (Fitoterapia do Agricultor Divino).

265 d.C. – ZHEN JIU KIA YI JING (Tratado dos Princípios Fundamentais).

Século II - (Tratado das Doenças Febris causadas pelo Frio e das Outras Doenças)

Zhang Zhongjing na dinastia Han do Leste (25 a 220 d.C.)

Dinastia Jin (265 a 420 d.C.) – SHANG HAN LUN (Tratado das Doenças Febris causadas pelo Frio)

Compilado de 10 capítulos do livro anterior por Wang Shuhe.

Dinastia Song (960 -1279 d.C.) – JIN KUI YAO LUE FANGLUN (Sinopse das Prescrições do Cofre de Ouro).

Compilado dos 6 capítulos restantes do livro de Zhang Zhongjing.

1027 d.C. – Atlas e Bonecos de Bronze

Boneco de bronze de tamanho natural contendo pontos e meridianos. Os pontos estão perfurados. Dizem que as provas, é passada uma camada de cera sobre o boneco e colocada água no interior. Caso o aluno consiga acertar o ponto com agulha o líquido escorreria do boneco. Se isso não acontecesse...

1596 d.C. – BEN CAO GANG MU (Compendio Geral da Matéria Médica).

Li Shi Zhen traz 1892 substâncias medicamentosas (1173 ervas, 444 do reino animal e 275 do reino mineral) sendo traduzido para inglês e francês.

1601 d.C. – ZHEN JIU DA CHENG (Grandes Avanços da Acupuntura e Moxabustão).

Fonte: nccih.nih.gov/www.paulocimirro.com.br/www.spacodasaude.com.br/www.baraoclinica.com.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal