Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Boldo  Voltar

Boldo

Nome científico: Plectranthus barbatus
Nomes populares: Falso-boldo, boldo nacional, malva-santa, malva-amarga, boldo-do-brasil, boldo-do-reino, alumã e sete-dores.
Família: Labiatae /Lamiaceae.

Boldo

Aspectos agronômicos

Deve-se plantar logo após a retirada do ramo ( pedaços de ramos de uma planta-mãe ) e, de preferência, em período chuvoso, para facilitar a pega. Na ausência de chuvas, regar ddiariamente até a pega, e depois mais espaçadamente. Não é exigente quanto a solos. As folhas já podem ser colhidas poucos meses após o plantio ( a cada 4 meses ). Durante a floração, as folhas perdem parte de suas propriedades terapêuticas, por isso devem ser colhidas antes desse período.
Parte usada: Folhas frescas.

Constituintes químicos

Óleo essencial rico em guaieno e fenchona; contém ainda barbatol, barbatesina, cariocal e barbatusol.

OBSERVAÇÃO

Não se deve confundir o nosso boldo-nacional, erva aromática de 60-80cm de altura, com o verdadeiro boldo-do-chile ( Pelmus boldus ), árvore originária do Chile, de mais de 8m de altura. O boldo-nacional possui as mesmas propriedades do boldo-do-chile.

Uso Fitoterápico

Afecções hepáticas ( hepatite, cólicas, congestões, etc )

Afecções febris

Afecções gástricas

Dispepsias

Flatulência

Obstipação

Inapetência

Cálculos biliares

Debilidade orgânica

Insônia

Ressaca alcóolica.

Outros usos

Das raízes de planta muito semelhante ( Coleus forskolli Briq. ) extrai-se o Forskollin , reagente empregado em técnicas farmacológicas especias.

Riscos

Pode produzir irritação da mucosa do estômago, se usado em doses elevadas. Parece apresentar efeito cardioativo.

Doses utilizadas

Uso interno

Chá por decocção, dosagem normal, atuando nas afecções hepáticas e vesiculares, e influenciando, assim, beneficamente a digestão. Sumo: amassar 2 folhas em 1 copo e completar com água . Tomar 2 a 3 vezes ao dia.

Uso externo

Chá por decocção, sob a forma de banhos, agindo como tranquilizante e proporcionando um sono reparador.

Tintura: 20g de planta fresca em 100mL de álcool. Tomar 20 a 40 gotas no momento do incômodo, ou até 3 vezes ao dia.

Bibliografia

Caribé,J.;Campos,J.M.Plantas Que Ajudam o Homem.São Paulo: Pensamento,11ªedição,1999.
Martins,E.R.;Castro,D.M.;Castellani,D.C.;Dias,J.E.Plantas Medicinais.Viçosa: UFV, 2000.

BOLDO BAIANO

Nome Científico: Vernonia condensata
Nome Popular: alumã, aluman, árvore do pinguço, boldo, boldo baiano, boldo japonês e cambara guaçu e assa peixe.
Família: Asteraceae

Boldo Baiano

Aspectos Agronômicos

Propaga-se por estacas ou sementes, em viveiros, com espaçamento de 4 X 5m. O solo pode ser seco, pobre em nutrientes, leve e bem drenado.

Quanto a exposição ao sol, a mesma deve ser plena, tem preferência por climas tropicais e subtropicais.

A colheita das folhas deve ser feita quando a árvore estiver cheia, na medida da necessidade, ao longo do ano. Já as raízes, podem ser colhidas em qualquer época do ano.

Parte Utilizada

Folhas e raízes.

Constituintes Químicos

Taninos

Óleo essencial

Saponinas

Flavonóides

Lactonas sesquiterpênicas

Glucosídeos esteroidais

Origem

África

Aspectos Históricos

Usado na medicina desde tempos coloniais, o assa peixe vem sendo estudado há décadas pelos pesquisadores. No ano de 2000, a Fundação Oswaldo Cruz, que testou a planta em ensaios de laboratório e em cobaias animais, comprovou os efeitos analgésico e antiinflamatório da erva, dando origem a um novo medicamento, ainda não disponível comercialmente.

Uso Fitoterápico

Tem ação

Antidiarréica, aperiente, colagoga, colerética, diurética, hepática, desintoxicante do fígado, depurativa, tônico hepático.

É indicada

Ressaca alcoólica

Bom funcionamento do fígado

Estimular a secreção biliar

Aliviar os sintomas da gripe

Diarréia

Cólicas

Icterícia

Abrir o apetite

Riscos

Outras espécies do gênero Vernonia não apresentaram nenhum efeito tóxico, exceto um glicosídeo cardiotônico encontrado nas raízes de uma das espécies na África. Não se aconselha o uso prolongado da planta. A mesma pode ser abortiva.

Dose Utilizada

Uso Interno

Infuso:5 folhas por litro d’água. Tomar pela manhã (para o fígado) ou após as refeições (contra diarréia).

Tintura: (aperiente) colocar 1 colher de folhas picadas para 1 xícara de álcool neutro 70º GL, deixar macerar por 3 dias. Tomar 1 colher (chá) da tintura dissolvida em água antes das refeições.

Maceração: 5 folhas em 1 copo d’água. Tomar 2 a 3 vezes ao dia (ressaca alcoólica), recomenda-se tomar antes e após a ingestão de bebidas alcoólicas.

Bibliografia

Martins, E.R.; Castro, D.M.; et al. Plantas Medicinais. Viçosa: UFV, 2000, p. 88.
http://www.ervasdositio.com.br
http://www.herbosia.com.br/ervas.htm
http://www.olimpianet.com.br/usuairios/idp/ervas5.html
http://www.camboriu.com.br/sites/plantas/plantas5.html
http://www.ciagri.usp.br/planmed/boldo.html
http://www.agri.com.br/p_medic/boldo_baiano.htm

Fonte: www.unilavras.edu.br

Boldo

Boldus boldus

Família: Monimiáceas.
Sinônimo: Árvore do Chile.
Parte Utilizada: Folhas.

Boldo

Principais Constituíntes

Boldina (alcalóide), boldoglucina (glucosído), óleo essencial, constituído por uma mistura de aldeído cumínico, terpineol, eugenol, éter acético, dois hidrocarburetos terpénicos e um sequiterpeno, menteno etc., ácido do cítrico, matérias mucilaginosas, resinosas etc.

Propriedades

Eupéptico, colagogo, diurético, laxativo, estomáquico, carminativo, hipnótico.

Indicações

Inapetências, embaraços gástricos, estimulando a digestão e combatendo a atonia gastrintestinal; empregado no tratamento da icterícia; útil na litíase biliar e nas afecções do fígado e do baço. Segundo alguns autores, é aconselhado contra insônia.

Fontes

Enciclopédia das Ervas e Plantas Medicinais, René Morgan. Editora Hemus, 1994.
O totum em Fitoterapia, Jean-Luc Sallé. Editora Robe, 1996.

Fonte: www.emedix.com.br

voltar 1 2 3 4 5 6 7 8 9 avançar
Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal