Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Botswana  Voltar

Botswana

 

BOTSUANA, A AVENTURA

Botsuana é um país para visitantes intrépidos. Mesmo o nome de Botsuana, melodioso, nos faz pensar em longos percursos por trilhas selvagens, savanas, desertos ou úmidos e tradicionais povoados.

Para a conservação da vida e natureza selvagem o governo tem imposto um sistema bastante rígido: baixo volume de visitantes e altos custos quanto a entradas e permissões. Botsuana, em geral, desfruta de um nível de vida relativamente alta se comparada com o resto dos países da Àfrica preta.

Entre os lugares de interesse que pode-se visitar em Botsuana encontram-se vários Parques Nacionais como o de Chobe, e Reservas Naturais como a do Delta de Okavango. Conta também com numerosas estações naturais de grande beleza, sem esquecer a impressionante paisagem do extenso Deserto de Kalahari.

Desfrutar deles requer tempo e esforço.

Na Botsuana pode-se visitar típicas cidades africanas que encerram um grande encanto, assim como cidades coloniais produto do seu passado como protetorado inglês.

Situação e Geografia

Botsuana está situada na Àfrica Austral, ocupando uma superfície de 581.730 quilômetros quadrados divididos em 13 distritos e 9 cidades. Limita-se ao oeste e noroeste com Namíbia, ao norte com Zâmbia, ao noroeste com Zimbabue e com a África do Sul ao sul e sudeste.

A maior parte do território pertence ao Deserto de Kalahari, o mais meridional da Àfrica. O país está dividido em duas regiões separadas por uma planície de 1.200 metros de altitude. No noroeste encontra-se a cota máxima, o Tsodilo com 1.805 metros. Cada uma destas regiões possui sua própria bacia hidrográfica. Ao norte estão os Pântanos de Makarikari e Okavango. Entre a zona de estepa desértica, ao sudoeste, e os bosques do norte e nordeste, há extensas savanas dedicadas à criação de gado e a agricultura.

Os principais rios são: ao norte o Okavango e o Chobe, e ao leste o Limpopo. Além disso, Botsuana tem dois lagos, o Ngami e Xau.

O clima varia dependendo da zona. No norte é tropical, desértico no Kalahari que ocupa a zona central e sudoeste do país e temperado no resto. As chuvas chegam de outubro a maio e com profusão em dezembro e janeiro. A precipitação média no norte é de 650 mm. e 250 mm. no sudeste. As temperaturas máximas que se tem chegado a registrar em Francistowm são de 42 graus centígrados.

Flora e Fauna

Botsuana está considerada como uma das reservas da flora e fauna africana. Ao norte, a selva se extende fazendo-se mais cheia nas zonas pantanosas. Na área oriental pode-se contemplar a savana arbórea que se converte em estepa a medida que se vai para o interior. No deserto não há apenas vegetação.

É nos Parques Nacionais de Chobe e Nxai Pam, onde se concentram a maioria das espécies animais como são leones, jirafas, rinocerontes, cebras, antílopes, elefantes, guepardos, búfalos, nhus, etc.

História

Os bosquimanos foram os primeiros habitantes de Botsuana, mas obrigados pelas numerosas migrações bantus que procediam do noreste, foram para o deserto.

Depois, em migrações sucessivas, chegaram no século XVII os tswanaou bechuana, de onde procede o nome atual do país: "Botsuana". No século XIX seu território foi ocupado pelos bóers, atraídos pelo ouro.

Continuamente as tribos originárias se vieram atacadas por outras zulúes e matabele, até que em 1885 por desejo do rei Khama III, a Inglaterra intervem e converte o país no Protetorado de Bechuanalandia, convertendo-se num lugar de passagem entre Àfrica do Sul e a antiga Rodésia.

Em setembro do ano 1966 Botsuana torna-se independente, sendo eleito presidente Seretse Khama, sucedido no ano de 1980 por Quett Masire. Dai, o país se converte no refúgio dos opositores ao apartheid imperante na antiga Rodésia e África do Sul, o que provoca uma série de ataques e represálias de ambos vizinhos.

Na atualidade, Botsuana é uma República baseada num sistema executivo, legislativo e judicial. O chefe de estado e de governo é Festus Gontebanye Mogae, eleito democraticamente em abril de 1998.

Arte e Cultura

São de destacar as mais de 2.750 antigas pedras pintadas que se tem distribuido por mais de 200 zonas das Colinas Tsodilo e que são atribuidas aos antepassados dos povoadores de San.

Como na maioria dos países africanos, as práticas culturais da população estão influenciadas pela presença européia. Em numerosos centros culturais e museus se tenta fazer uma conservação das culturas. Em Gaborone e Francistowm existem museus que mostram aspectos da arte do país e do estrangeiro.

Locais Turísticos

Em primeiro lugar visitaremos a capital Gaborone e as populações próximas para depois ir subindo para o Norte enquanto se percorre o resto do território.

GABORONE

É a capital de Botsuana, uma vila que se extende ao sudeste do país. Se pode começar a visitar de uma forma cultural indo ao Museo Nacional que encontra-se na Avenida da Independência justo ao nordeste do Passeo. A entrada é livre e ali pode-se conhecer tanto o presente como o passado artístico de Botsuana. No mesmo edificio está a Galeria Nacional, que apresenta tanto obras de arte tradicional como obras modernas da Àfrica e Europa.

O Monte Kigale, o "Gigante Durmiente" é o pico que domina toda a cidade de Gaborone. Embora possa parecer o contrário, o monte é facilmente acessível.

Desde o alto se obtém belíssimas vista da cidade.

Depois da ascensção ao monte, nada melhor que ir ao Parque de Jogos Gaborone que possui uma zona dedicada aos animais na que pode-se contemplar rinocerontes, uma grande variedade de vida selvagem. O parque encontra-se a um quilômetro ao leste de Broadhurst. Outro lugar interessante na capital é o Centro Cultural Maitisong.

Arrededores de Gaborone

Se dispõe de tempo não deixe de acercar-se à Reserva Natural de Mokolodi, situada a 12 quilômetros da capital e com uma extensão de 3.000 hectares. Outra reserva para visitar é a de Manyelanong, onde abundam os buitres.

As Ruinas da Misção Kolobeng recordam os tempos dos primeiros colonizadores europeus (se encontram em Kweneng). Se quiser adquirir cerâmica e outros artesanatos pode ir a alguns dos povoados que encontram-se perto da capital, entre eles destacamos os de Pelagano e Gabane.

Odi está a 18 quilômetros de Gaborone sendo típico pelo seu artesanato do tecido. Ali localiza-se Lentswe a Odi, uma cooperativa que tem sido reconhecida internacionalmente. Aqui pode-se comprar café, chá, biscoitos e vetkoek.

Lobatse

Encontra-se situada no sul de Gaborone, a 60 quilômetros. Nela encontra-se alguns organismos importantes do país como o Alto tribunal ou o Departamento de Investigação Geológica. Daqui pode-se ir a Jwaneng, no caminho para o interior. É famosa por suas minas de diamantes, fonte de riqueza do país.

MABUASEHUBE GAME RESERVE

Encontra-se no sudoeste do país. Seu nome significa "terra vermelha" e está salpicada de lagoas. A mais espetacular é a de Bosobogolo, frequentada pela fauna do parque, onde pode refrescar-se.

GEMSBOK NATIONAL PARK

Está ao lado da anterior reserva, pelo que os animais andam livremente entre uma e outra. O parque faz fronteira com a República da África do Sul onde continua cruzando o rio Nossob. Os animais que encontram-se são os típicos dos outros parques, abundam as aves e destaca-se como espécie curiosa o pássaro tecedor, cujos ninhos estão em cima das árvores.

MOLEPOLOLE

Desde a capital fica a uns 50 quilômetros em direção noroeste. Ali está enterrada a filha de Livingston. É um bom ponto de referência para atingir a Reserva Khutse.

LETHLAKENG

Aqui termina a estrada asfaltada na rota até a Reserva Khutse. O povoado apresenta as características típicas dos povos do Kalahari.

KHUTSE GAME RESERVE

Situa-se na zona central do Kalahari e conta com uma extensão de 2.500 quilômetros quadrados. Todo a seu redor é natureza selvagem. Entre a fauna que pode-se encontrar há que assinalar aos nhus, elands, kudus, leões, leopardos, guepardos, chacais, hienas e cães selvagens.

Menores são os que habitam as pans (algumas secas), como a ardilla, a raposa, o puercoespím e alguns felinos. Não deve esquecer as aves que incluem algumas de grande tamanho como o avestruz, assim como rapozas de diferentes espécies. Para percorre-lo pode-se contratar o serviço de guias. Ao norte do Khutse se extende a imponente Central Kalahari Game Reserve, que não está aberta ao público.

MOCHUDI

Encontra-se ao norte de Gaborone, concretamente a 40 quilômetros. Foi um assentamento dos Kwena no século XVI e ocupado em 1871 pelos Kgatla. Nela destacam-se especialmente sua arquitetura de adobe e as construcções típicas kgotla. O Museu Phuthadikobo está dedicado principalmente à história de Mochudi e ao povo kgatla.

TULI BLOCK

Aqui pode-se viajar pelo rio Limpopo para chegar a uma das reservas privadas maiores do país: a Reserva de Mashatu, situada entre os rios Limpopo e Shashe.

MAHALAPYE

É uma cidade de passagem onde pode-se comprar todo o necessário para seguir viagem.

PALAPYE

É uma parada no caminho para o norte. Aqui poderá também fazer provisões e tomar o desvio a Serowe.

SEROWE

Com uma população aproximada de 30.000 habitantes, Serowe, a capital de Ngwato, é conhecida pelos suas Esculturas de Madeira. O Museu Memorial Khama III mostra a vida da familia Khama.

A Colina de Thathaganyana com suas ruinas da cidade e o Cemitério Real onde pode-se admirar o Tótem Ngwato são outros atrativos de Serowe, sem esquecer a nova atração do Santuário Khama Rhino, uma reserva de rinocerontes.

SELEBI-PHIKWE

Apesar de ser pequena, tem grande prosperidade devido a sua indústria mineira.

FRANCISTOWN

Trata-se de uma cidade muito animada que encontra-se ao sudeste do país. É a segunda em importância. Seu nome vem de um antigo procurador de ouro, Daniel Francis. A rua principal é Blue Jacket e nela encontrará bancos, comércios, hotéis e restaurantes. Pode visitar o Museo Supa-Ngwao, que mostra a vida rural do país, perto da estrada nova de Nata, e o Mercado que tem muito colorido.

GWETA E O PARQUE NACIONAL DE NXAI PAN

Trata-se de um pitoresco povo que encontra-se situado a 100 quilômetros ao oeste de Nata. Seu máximo atrativo é o Gweta Rest Camp.

Gweta é o ponto de partida para visitar o Parque Nacional de Nxai Pam e a Reserva Natural de Makgadikgadi Pans.

Nxai Pam formava em outros tempos parte do Lago Makgadikgadi, que agora está seco. De suas extensas águas agora só possui pequenas lagoas que deixa a água da chuva. Exceto algumas árvores que salpicam a reserva, não há muita vegetação.

A fauna do parque e a reserva é abundante. O mais curioso são as girafas. É impressionante ve-las mover-se em grupo, em ocasiões bastante numerosas. Outros animais dali são os leopardos, springboks, impalas, hienas kudus, elefantes, búfalos e distintas aves.

NATA

Deve fazer uma parada obrigatória nesta cidade, que encontra-se na rota de Kasane, Francistowm e Maun, para ver o Sua Pam e o Santuário Nata, este último situado a 20 quilômetros de Nata na estrada que vai para Francistown. Trata-se de um lugar com uma variada vegetação e fauna.

A Reserva de Nata é especialmente famosa entre os amantes das aves. Em um área de uns 230 quilômetros quadrados a terra mistura-se com a água do rio que se estende pela savana em forma de lagoas atraindo a milhares de aves. Pode-se ve-las refrescando-se em suas águas a multitudões de flamincos e pelicanos. A Laguna Sowa é a mais destacada do parque.

GHANZI

Nesta população pode-se adquirir belo artesanato na Cooperativa Ghanzicrat. É um lugar de passagem para os que viajam a Mauno ao vizinho país de Namíbia.

MAUN

É uma cidade turística onde pode-se encontrar de tudo, bares, restaurantes, bancos, comércios e hotéis. Pois sobretudo é o ponto base para visitar as reservas que a rodeam.

A poucos minutos encontra-se o Lago Ngami, situado ao sul do Delta e que recebe numerosas aves migratórias, dos locais. Dentre todas elas destacam-se as cegonhas, flamingos, patos e ocas.

CAVERNA DE DROTSKY

Encontra-se nos Montes Aha, quase na fronteira com Namíbia. Está cheia de estalactitas e estalagmitas. O espetáculo que pode observar é muito formoso.

O DELTA DO OKAVANGO

O impressionante Delta do Okavango está situado ao noroeste de Botsuana. Tem uma extensão de 15.000 quilômetros quadrados que se repartem entre abundantes lagoas, canais e ilhas nas que podem admirar elefantes, zebras, antílopes, búfalos, girafas, hipopótamos e outros muitos animais selvagens. A reserva é ideal para descender em canoa pelos rios. Pode-se sobrevoar a reserva em avioneta ou ultraleves.

A RESERVA MOREMI

A Reserva de Moremi comprende uns 3.000 quilômetros quadrados dentro da zona do Delta de Okavango. Está oficialmente protegida para preservar a vida selvagem. Um dos atrativos do parque é fazer passeios visitando os animais apé ou em canoa. Pode-se ver hipopótamos banhando-se nas águas do Delta.

KASANE

Trata-se de um ponto estratégico entre quatro países: Botsuana, Namíbia, Zimbabue e Zâmbia. A população localiza-se na confluência dos rios Chobe e Zambezi. Os lugares mais destacados para visitar são o rio Zambezi e o Parque Nacional de Chobe com uma extensão de 11.000 quilômetros quadrados.

PARQUE NACIONAL CHOBE

A entrada norte do Parque Nacional Chobe localiza-se a oito quilômetros ao oeste de Kasane e é acessível para os veículos convencionais. Existem outras zonas do parque na que é necessário utilizar veículos de terreno. No parque pode-se contemplar uma intensa vida animal entre a que destacam os elefantes que podem chegar a atingir os 70.000 exemplares e que localizam próximo ao rio, em centenas, para beber água.

O mais atrativo é um lago artificial chamado Ngwezumba formado pelo rio que leva seu nome. Outro lugar para ver animais é o Pantano de Savuti.

COLINAS TSODILO

As Colinas Tsodilo estão compostas por quatro montes: Male, Female, Child e Tsodilo. Estas colinas são sagradas para o povo San. São também interessantes pelas pinturas antigas de suas rochas.

DESERTO DO KALAHARI

O Deserto do Kalahari é uma das zonas mais inóspitas do país. Ocupa perto de 85% do terreno da zona central e sudeste do país. Seu tamanho, para se ter uma idéia é maior que a Espanha e ocupa os territórios de Botsuana, Namíbia e África do Sul. Ao norte limita o rio Okavango, o Orange pelo Sudoeste, e pelo leste o Zambezi. Pelo nordeste fecham passagem à suas areias os Pantanos de Makgadidgadi.

A vegetação do Kalahari é mínima porque a água é escassa, mas existe uma abundante fauna e parece que assim foi durante séculos tal e como testemunham as pinturas rupestres das Colinas Tsodilo. Embora o Kalahari seja uma terra de ninguém, ali se refugiaram os bosquimanos, antigos povoadores do território de Botsuana, que foram para o deserto. Este povo, protagonista do genial filme "Os deuses devem estar loucos", é o único que pode sobreviver num meio hostil.

Há algo que parece natural mas que depois não tem em conta, se visitar o deserto deve ir bem provido de água. Não esqueça que em condições extremas de calor o corpo pode consumir perto de nove litros de água ao dia por efeito da desidratação.

Gastronomia

No pode-se falar de uma cozinha com pratos típicos de Botsuana, pois a alimentação depende do clima e da gente. Em geral, a gastronomia do país se compõe de pratos preparados com carne, peixe, vegetais, milho e sorgo. Deve destacar os pratos elaborados com carne de vaca. Nos hotéis e restaurantes pode-se provar a cozinha ocidental.

Bebidas

Deve beber água engarrafada e ter cuidado ao comer frutos ou ingerir sucos.

Compras

Em países como Botsuana as compras que podem-se realizar se reduzem exclusivamente ao artesanato local. As tribos fabricam objetos de cesteria com folhas de palmeira, tecidos e tenhidas de distintas cores. Compõe também o artesanato local as armas (escudos, lanças, etc.), jóias, telas, bonecas típicas, etc. Na hora de comprar é muito habitual, tratando-se de turistas, a pechincha.

População e Costumes

Segundo o censo realizado em 1997, o país está habitado por 1.478.501 habitantes.

Os bosquimanos, povo de pequena estatura e tez cor castanho escuro foram os primeiros habitantes que tiveram que refugiar-se no Deserto do Kalahari. Vivem de forma pré-histórica, da caça e de frutos. É uma das etnias mais ricas e junto com os pigmeus as das únicas raças pré-negríticas e mais antigas da Àfrica. O resto da população pertence aos bantus e estão concentrados nas planícies orientais. Dentro dos bantus pode-se distinguir seis grupos entre os que se encontran, entre outros, os bamangwato e os bakwere que se dedicam ao gado e a agricultura, especialmente ao cultivo de sorgo, milho e feijão. Em Botsuana vive uma minoria formada por asiáticos, europeus e mestiços.

Entretenimento

Em Gaborone pode-se escutar música africana em distintos locais. Conta também com cinemas como o Capitol Cinema onde pode-se passar uma tarde vendo um bom filme. Nas principais cidades pode-se visitar os distintos museus.

Outra das alternativas mais chamativas para os loucos pela natureza é visitar as Reservas Naturais e os Parques Nacionais que extendem-se ao longo do território nacional e observar de perto a natureza.

Festividades

É festa nacional o dia 30 de Setembro, dia que celebra-se a Independência. São dias festivos oficiais o 1 e 2 de Janeiro, 9, 10 e 13 de Abril, 1 e 21 de Maio; 1, 15 e 16 de Julho, 30 de Setembro (Dia de Botsuana), 1 de Outubro e em Dezembro os dias 25, 26 e 27.

Transportes

Avião

Existem aeroportos internacionais em Gaborone e em Francistown. O aeroporto da capital, o Sir Seretse encontra-se a 14 quilômetros do centro da cidade. Existe um serviço de avionetas privadas entre distintos centros turísticos.

Trem

Existem perto de 700 quilômetros de linha férrea. Na zona leste, tem paradas para linha que une África do Sul com Zimbabue.

Carro

Existe muito poucas estradas asfaltadas no que está fora das proximidades da capital. O mais recomendavel é mover-se com veículos de terreno e faze-lo com as provisões de alimentos e carburantes necessários. Recorde que se conduz pela esquerda.

Taxis

Em algumas cidades existe este serviço mas não dispõe de taxímetro, pelo que convém antes de realizar qualquer trajeto acertar o preço.

Fonte: www.genteviajera.es

Botswana

O Botswana é um imenso santuário de vida selvagem, um dos mais ricos em África!

A princípio o País pode parecer plano, árido e desolado pois o deserto do Kalahari ocupa 85% da sua superfície.

Mas, atravessando o deserto e chegados ao delta de Okavango, o mais extenso delta interior no Mundo, seremos surpreendidos por um verdadeiro tesouro natural.

Botswana

Uma planície fértil e verdejante de terrenos alagadiços, canais, lagos e um sem fim de braços de rio dão guarida a um pequeno paraíso na terra, que nos deixará encantados.

Estas áreas tão remotas e quase intactas são amplamente reconhecidas por oferecerem óptimas condições para a observação de vida selvagem em África, a destacar a presença dos "big five": leão, leopardo, elefante, rinoceronte e búfalo. Mas também veremos inúmeros hipopótamos, girafas, zebras, hienas, crocodilos, chitas e muitos outros, além de uma grande variedade de aves lacustres.

Faremos safaris em veículo todo-o-terreno mas também iremos explorar os canais do delta do Okavango em canoa, o método tradicional de transporte na região, deslizando ao longo de margens onde crescem papiro, caniços e palmeiras observando grupos de animais bebendo na margem, ou banhando-se como é o caso do rinoceronte ou do hipopótamo.

Iremos sentir com emoção o pulsar de África expresso pelos seus múltiplos e intensos sons, os céus imensos que se tornam alaranjados no fim do dia, a visão da savana alargando-se a perder de vista e o cheiro da terra!

Botswana

Passaremos uma manhã com aborígenes conhecendo o seu projeto na comunidade Dqae Qare e faremos uma caminhada no mato aprendendo a conhecer o meio envolvente na sua perspectiva cultural e tradicional.

Depois chegaremos a Livingstone para admirarmos as espetaculares cataratas Vitória com 1700m de comprido e 108m de altura, por onde flui uma massa de água impressionante em queda permanente, havendo quem as classifique como uma das sete maravilhas do Mundo!

Pontos de Interesse

O delta de Okavango, o mais extenso delta interior no Mundo

A maior percentagem de área natural protegida em regiões remotas e quase intactas

Acampamentos selvagens e caminhada guiada por guia aborígene no deserto do Kalahari

Safaris em veículo 4x4 aberto na Reserva Natural de Moremi, no delta do Okavango

Excursão em mokoro (canoa) no maior delta interior do Mundo, o delta do Okavango

Esta é uma viagem única que lhe fará viver experiências inesquecíveis!

Fonte: www.rotasdovento.pt

Botswana

Nome oficial: República da Botsuana (Republic of Botswana).

Nacionalidade: Botchuana.

Data nacional: 30 de setembro (Dia da Pátria).

Capital: Gaborone.

Cidades principais: Gaborone (153.803), Francistown (75.678), Selebi Phikwe (42.350), Malepolole (36.928) (1993).

Idioma: inglês (oficial), setsuana (nacional).

Religião: cristianismo 50,2% (protestantes 29%, cristãos africanos 11,8%, católicos 9,4%), crenças tradicionais 49,2%, outras 0,6% (1980).

GEOGRAFIA

Localização: sul da África.
Hora local:
+ 5h.
Área:
581.730 km2.
Clima:
tropical de altitude.
Área de floresta:
139 mil km2 (1995).

POPULAÇÃO

Total: 1,6 milhões (2000), sendo tsuanas 95%, calangas, basuaras e galagadás 4%, europeus 1% (1996).
Densidade:
2,75 hab./km2.
População urbana:
49% (1998).
Crescimento demográfico:
1,9% ao ano (1995-2000).
Fecundidade:
4,35 filhos por mulher (1995-2000).
Expectativa de vida M/F:
46/48 anos (1995-2000).
Mortalidade infantil:
59 por mil nascimentos (1995-2000).
Analfabetismo:
22,8% (2000).
IDH (0-1):
0,593 (1998).

POLÍTICA

Forma de governo: República presidencialista.
Divisão administrativa:
11 distritos.
Principais partidos:
Democrático de Botsuana (BDP), Frente Nacional de Botsuana (BNF).
Legislativo:
unicameral - Assembléia Nacional, com 44 membros (40 eleitos por voto direto e 4 escolhidos pela Assembléia entre nomes indicados pelo presidente) com mandato de 5 anos.
Constituição em vigor:
1966.

ECONOMIA

Moeda: pula.
PIB:
US$ 4,9 bilhões (1998).
PIB agropecuária:
4% (1998).
PIB indústria:
46% (1998).
PIB serviços:
50% (1998).
Crescimento do PIB:
4,3% ao ano (1990-1998).
Renda per capita:
US$ 3.070 (1998).
Força de trabalho:
1 milhão (1998).
Agricultura:
sorgo, frutas, legumes e verduras.
Pecuária:
bovinos, caprinos, aves.
Pesca:
2 mil t (1997).
Mineração:
diamante, minério de cobre, minério de níquel, carbonato de sódio.
Indústria:
alimentícia, bebidas, têxtil, vestuário.
Exportações:
US$ 2,3 bilhões (1998).
Importações:
US$ 2,8 bilhões (1998).
Parceiros comerciais:
países-membros do SADC, Coréia do Sul.

DEFESA

Efetivo total: 8,5 mil (1998).
Gastos:
US$ 251 milhões (1998).

Fonte: www.portalbrasil.net

voltar 1234avançar
Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal