Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Cédulas e Moedas do Brasil  Voltar

Cédulas e Moedas do Brasil

 

Cédulas

Mais do que reserva de valor, as cédulas de dinheiro e as moedas guardam um pouco da cultura dos povos.

Heróis nacionais, vultos históricos e criadores que se destacaram no campo das artes e das ciências, além de animais típicos e de paisagens naturais, costumam ilustrar o dinheiro, permitindo a multiplicação das imagens e das personalidades no imaginário popular.

Dinheiro, também, é tecnologia, daí a aplicação de recursos de segurança contra falsificações, o uso de papéis especiais e de processos de impressão diferenciados, bem como sua produção em território brasileiro, fatores que mostram evolução e desenvolvimento e que também contam um pouco da história da construção da identidade nacional.

100 Reais - R$ 100,00

Anverso

Cédulas e Moedas do Brasil

 

Anverso: Efígie Simbólica da República, interpretada sob a forma de escultura.

Reverso

Cédulas e Moedas do Brasil

Reverso: Gravura de uma Garoupa (Epinephelus marginatus), peixe marinho da família dos serranídeos, e um dos mais conhecidos dentre os encontrados nas costas brasileiras.

50 Reais - R$ 50,00

Anverso

Cédulas e Moedas do Brasil

Anverso: Efígie Simbólica da República, interpretada sob a forma de escultura.

Reverso

Cédulas e Moedas do Brasil

Reverso: Figura de uma Onça Pintada (Panthera onca), conhecido e belo felídeo de grande porte, ameaçado de extinção, mas ainda encontrado principalmente na Amazônia e no Pantanal Matogrossense.

20 Reais - R$ 20,00

Anverso

Cédulas e Moedas do Brasil

Anverso: Efígie Simbólica da República, interpretada sob a forma de escultura.

Reverso

Cédulas e Moedas do Brasil

Reverso: Figura de um Mico-leão-dourado (Leonthopitecus rosalia), primata de pêlo alaranjado e cauda longa nativo da Mata Atlântica, que é o símbolo da luta pela preservação das espécies brasileiras ameaçadas de extinção.

10 Reais - R$ 10,00

Anverso

Cédulas e Moedas do Brasil

Anverso: Efígie Simbólica da República, interpretada sob a forma de escultura.

Reverso

Cédulas e Moedas do Brasil

Reverso: Gravura de uma Arara (Ara chloreptera), ave de grande porte da família dos psitacídeos, típica da fauna do Brasil e de outros países latino-americanos

5 Reais - R$ 5,00

Anverso

Cédulas e Moedas do Brasil

Anverso: Efígie Simbólica da República, interpretada sob a forma de escultura.

Reverso

Cédulas e Moedas do Brasil

Reverso: Figura de uma Garça (Casmerodius albus), ave pernalta (família dos ardeídeos), espécie muito representativa da fauna encontrada no território brasileiro.

2 Reais - R$ 2,00

Anverso

Cédulas e Moedas do Brasil

Anverso: Efígie Simbólica da República, interpretada sob a forma de escultura.

Reverso

Cédulas e Moedas do Brasil

Reverso: Figura de uma tartaruga de pente (Eretmochelys imbricata), uma das cinco espécies de tartarugas marinhas encontradas na costa brasileira.

Moeda de 1 Real - R$ 1,00

Anverso

Cédulas e Moedas do Brasil

Anverso: Valor, data e ramos de louro estilizados

Reverso

Cédulas e Moedas do Brasil

Reverso: Efígie da República, dístico BRASIL e ramos de louro estilizados.

Fonte: www.brasil.gov.br

Cédulas e Moedas do Brasil

Cédulas

O processo de confecção das cédulas segue um exigente padrão de qualidade, da escolha dos insumos à entrega do produto final ao Banco Central.

O resultado dessa constante preocupação com a excelência, aliada à aquisição de equipamentos de ponta, pode ser conferido na produção da nova versão do Real: uma das famílias de cédulas mais seguras do mundo.

Com tamanhos diferenciados, as novas cédulas facilitam o reconhecimento pelos portadores de necessidades especiais e inibem a tentativa de falsificação por lavagem química. No aspecto gráfico, as modernas máquinas adquiridas pela CMB garantem melhor definição da impressão, com linhas mais finas e traços mais firmes. Já na área tecnológica, a utilização de tintas especiais, sensíveis a raios ultravioletas e infravermelhos, permitiu aprimorar elementos como marca d’água, imagem latente e registro coincidente.

Moedas

O processo de fabricação de moedas passa pelas etapas de eletrodeposição de discos, cunhagem, contagem e embalagem. Todas as fases são realizadas por funcionários especializados e equipamentos de última geração capazes de atender toda demanda do mercado brasileiro. Além disso, a Casa da Moeda fabrica e comercializa para o mercado interno e externo outros produtos da área de numismática como moedas e medalhas comemorativas, moedas com acabamento especial, comendas e distintivos, utilizando metais nobres como ouro, pratas e outras ligas.

Fonte: www.casadamoeda.gov.br

Cédulas e Moedas do Brasil

INTRODUÇÃO

O objetivo desse trabalho é esclarecer as dúvidas dos leitores quanto às características do Papel-Moeda nacional, mostrar a finalidade das Cédulas Monetárias Brasileiras. Apresentaremos um breve relato da origem, surgimento no Brasil e das cédulas propriamente dita, com números, letras e seus vários elementos de segurança. O consumo de cédulas e moedas formam o sistema monetário de um país, este sistema nasceu a partir da criação da moeda, surgindo à necessidade de um povo de estipular um valor base para suas negociações.

ORIGEM

A moeda passou por diversas transformações para se chegar ao que é hoje sendo resultante de uma grande evolução.

Inicialmente não havia moeda e nem cédula, praticava-se a simples troca de mercadorias não havendo para isto uma equivalência de valores. Esta prática denominava-se de Escambo.

Após do Escambo, surgiram às primeiras moedas cunhadas em bronze e prata no ano de 1645.

Após isto a moeda propriamente dita nunca mais deixou de ser emitida, passando por várias transformações, até os dias de hoje.

Depois começaram as emissões em papel ou cédulas.

No Brasil foram os bilhetes de bancos os precursores das cédulas atuais, lançados em 1810.

O seu preenchimento era feito manualmente, como os cheques nos dias de hoje.

Com o passar do tempo, da mesma forma que ocorreu com as moedas, os governos passaram a conduzir a emissão de cédulas, controlando falsificações e garantindo o seu valor para pagamento.

A moeda de papel evoluiu quanto à técnica utilizada na sua impressão.

Hoje em dia a confecção de cédulas utiliza papel especialmente preparado e diversos processos de impressão, dando ao produto final ótima margem de segurança e durabilidade das cédulas.

OBJETIVO

O conjunto de cédulas e moedas utilizadas por um país forma o seu sistema monetário. Este sistema, regulado através de legislação própria, é organizado a partir de um valor que lhe serve de base e que é sua unidade monetária. Normalmente os valores mais altos são expressos em cédulas e os valores menores em moedas. A tendência mundial é no sentido de se suprirem as despesas diárias com moedas. As ligas metálicas modernas proporcionam às moedas durabilidade muito superior à das cédulas, tornando-as mais apropriadas à intensa rotatividade do dinheiro de troco.

Os países, através de seus bancos centrais, controlam e garantem as emissões de dinheiro. As moedas e cédulas em circulação, chamado meio circulante, é constantemente renovado através de processo de saneamento, que consiste na substituição das cédulas gastas, rasgadas ou danificadas.

Surge então a necessidade de uma padronização na emissão das cédulas devido às constantes substituições e ou novas emissões. Nas cédulas brasileiras, esta padronização se faz presente através de um código padrão chamado de “numeração”.

COMPOSIÇÃO

Esta numeração são letras e números que identificam a cédula. Não podem existir duas cédulas de mesma numeração.

Existem três diferentes conceitos utilizados na numeração das cédulas do real:

SÉRIE

É um conjunto de 100.000 cédulas de mesmo valor, com as mesmas características gráficas. Por exemplo, a numeração "A 7051045099 C" indica que esta nota pertence à série "A 7051”. A numeração das séries é sucessiva, isto é, a série "A 9999" será sucedida pela série "B 0001", esta pela "B 0002", e assim por diante.

ORDEM

É a numeração seqüencial da cédula dentro da série. No exemplo anterior ("A 7051045099 C"), a numeração indica que esta é a nota 45099 da série "A 7051”.

O número de ordem varia de 000001 a 100000.

ESTAMPA

Identifica as séries com iguais características físicas e/ou gráficas. É indicada pela última letra da numeração.

No exemplo acima, por exemplo, a cédula pertence à estampa C ("A 7051045099 C").

No padrão monetário do Real, já existem as estampas A, B, C e D, de acordo com o que está discriminado a seguir:

ESTAMPA Estampa A Estampa B Estampa C Estampa D
MOEDA

  R$ 1,00

Impressa no Brasil Impressa no Brasil, com alterações de abril/1997. Impressa no Brasil, com alterações de setembro/2003. -

 R$ 2,00

Impressa no Brasil - - -

 R$ 5,00

Impressa no Brasil Impressa na Alemanha Impressa no Brasil, com alterações de abril/1997. -

 R$ 10,00

Impressa no Brasil Impressa na Inglaterra Impressa no Brasil, com alterações de abril/1997. Impressa no Brasil (cédula de polímero)

R$ 20,00

Impressa no Brasil - - -

 R$ 50,00

Impressa no Brasil Impressa na França - -

R$ 100,00

Impressa no Brasil - - -

Impressões em relevo

A figura da República, a legenda "BANCO CENTRAL DO BRASIL", a tarja contendo a palavra "REAIS" e os números indicativos do valor das cédulas possui alto-relevo e podem ser notadas com os dedos.

Marca Tátil

São marcas impressas em relevo para auxiliar os deficientes visuais a identificar a cédula.

Cada cédula tem marcas próprias:

R$ 1,00 0 ou (1)
R$ 2,00  
R$ 5,00
0
R$ 10,00 00
R$ 20,00  
R$ 50,00 00
0
R$ 100,00
00
(1) A partir de setembro/2003

Fundos especiais

São as linhas retas, paralelas, extremamente finas e bastante próximas entre si. Isto dá a ilusão de que houve uma impressão contínua no local.

Essas linhas existem em toda a cédula, mas podem ser vistas, principalmente, na área onde estão a marca d’água, em ambos os lados.

Microimpressões

Letras "B" e "C" impressas em tamanho minúsculo, visíveis com o auxílio de uma lente no interior dos números indicativos de valor da cédula e na faixa clara junto à efígie da República.

REGISTRO Coincidente

Olhando a nota contra a luz, o desenho das Armas Nacionais impresso em um lado devem se ajustar exatamente ao desenho igual que se encontra no outro lado.

Imagem Latente

Observando a frente da cédula, olhe a partir do canto inferior esquerdo, colocando-a na altura dos olhos, na posição horizontal e sob luz natural abundante: ficarão visíveis as letras "B" e "C".

ÓRGÃO REGULADOR

Ao Banco Central do Brasil cabe a responsabilidade pela emissão de moeda-papel e moeda metálica e pela execução dos serviços do meio circulante.

Dentro da estrutura do Banco, essas atribuições são exercidas pelo Departamento do Meio Circulante (MECIR), sediado na cidade do Rio de Janeiro (Av. Rio Branco, 30 - Centro), com representações regionais em nove capitais do País: Belém, Belo Horizonte, Brasília, Curitiba, Fortaleza, Porto Alegre, Recife, Salvador e São Paulo.

A distribuição e o recolhimento de dinheiro nas demais regiões são realizados por meio do Banco do Brasil S.A. (BB).

No Brasil, a produção de dinheiro compete de forma exclusiva a uma empresa pública, a Casa da Moeda do Brasil (CMB).

As principais atividades do Departamento do Meio Circulante são:

Projeto de cédulas e moedas, inclusive as comemorativas, em parceria com a CMB;
Planejamento do fluxo de encomendas à CMB;
Distribuição do dinheiro (abastecimento das representações regionais e atendimento à rede bancária);
Saneamento do meio circulante (substituição do dinheiro desgastado);
Segurança da moeda (monitoramento das falsificações, etc.);
Formulação de normas sobre o meio circulante.

ALCANCE E RESTRIÇÕES

O código padrão ou numeração se faz presente em todas as cédulas que, como meio circulante valem em todo o território nacional.

Algumas observações sobre circulação e segurança são importantes, ou seja:

Podem ser trocadas, depositadas ou utilizadas como pagamento na rede bancária cédulas inteiras, porém desgastadas pelo uso excessivo ou marcadas com caracteres estranhos;
Podem ser trocadas, depositadas ou utilizadas como pagamento na rede bancária cédulas fragmentadas ou com partes faltantes desde que não seja mais da metade faltante;
Podem ser encaminhadas para exame no banco central cédulas fragmentadas com partes faltante maior do que a metade da cédula;
Serão consideradas sem valor as cédulas que apresentarem um fragmento ou conjunto de fragmentos menor do que a metade da cédula;
Serão consideradas sem valor as cédulas recompostas por fragmentos de papel ou de outra cédula ou com parte suprimida.

CONCLUSÃO

De acordo com o material apresentado, as cédulas de real são produzidas pela casa da moeda e coordenadas pelo Bacen em todo território nacional, tendo a função de instrumento monetário, garantindo assim o poder de pagamento.

A codificação das cédulas, juntamente com outros elementos de segurança serve para inibir a falsificação, possibilitando através da numeração (série, ordem, estampa) a rastreabilidade e o controle de emissão das notas. Para o caso da Moeda-Metal, o fato de o custo do material e do suposto processo ser maior do que o valor monetário inviabiliza a ação dos falsificadores.

Fonte: fesppr.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal