Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Brunei  Voltar

Brunei

 

Durante os séculos XV e XVI desenvolveu-se como uma poderosa nação conhecida formalmente como Brunei Darussalam, extendendo suas relações para Borneo e as Filipinas.

Foram os espanhóis e os portugueses quem desceram pela primeira vez na região, no século XVI, porém, seus intentos de domínio do território foram prontamente declinados pelas forças locais.

A chegada das forças britânicas sob a liderança de James Brooke no século XIX, sucumbiu os moradores.

Posteriormente, uma série de tratados impuseram o domínio imperial, cuja força comercial se estabeleceu no território, sob a justificação de defesa da região aos ataques dos piratas.

O país foi gradualmente dividido em 1890, Limbagn foi cedido a zona de Sarawak, o que significou sua repartição em dois. Passados os anos, em 1929, quando esteve a ponto de ser absorvido em sua totalidade, acharam petróleo na zona que serviu para continuar com sua estrutura geográfica. O pai do atual sultão, que abdicou em 1967, manteve Brunei fôra da confederação da Malásia e preferiu deixa-la nas maõs dos ingleses, que vinham desenvolvendo-se desde 1888.

Em 1962, durante o processo de preparação para a unificação com Malásia, Grã-Bretanha pressionou o sultão Omar Saifuddin a celebrar eleições. O partido da oposição o Ra'ayat, encabeçado pela M Azahari, não estava disposto a permitir a adesão de seu país, nem continuar com o regime monárquico do sultão.

Azahari arruinou a Filipinas, desde onde dirigiu uma rebelião armada contando com o apoio da Indonésia. O levantamento foi controlado rapidamente pelos militares britânicos e o sultão teve que optar pela independência no meio de um estado de emergência.

Nos começos de 1984 Brunei foi declarado completamente independente da Grã- Bretanha. Desde então o país reforçou-se ao islamismo fundamentalista e tem-se orientado rumo a modernização e aos valores ocidentais de desenvolvimento. A ideologia nacional é o Melayu Ilham Beraja (MIB) que tem imposto sobre a cultura malaya, o islamismo e a monarquia, e é promovida pelos ministros de educação, religião e meios de informação . Em 1991, a venda de álcool foi proibida e introduziram-se restritos códigos de roupas e em 1992 o MIB converteu-se em uma matéria estudada nas escolas.

ALFÂNDEGA E DOCUMENTAÇÃO

Passaporte em vigor, com uma validez mínima de 6 meses, É imprescindível visto, passagem de saída e fundos suficientes. Para estadias superiores a 15 dias é necessário solicitar o visto correspondente.

Pode-se introduzir no país 200 cigarros ou 250 gr. de tabaco picado, dois vidros de perfume, e um quarto de litro de água de colônia e um litro de bebida alcólica ou duas garrafas de vinho. Não pode-se exportar antigüidades nem elementos de história natural.

IDIOMA

O idioma oficial é o malayo. Também fala-se o inglês.

ELETRICIDADE

A corrente elétrica é de 230 voltios a 50 Hz.

CORREIOS E TELEFONIA

A agência de correios de Bandar encontra-se na esquina das ruas Jalam sultão e Jalam oizabeth Dua.

Está aberta das 7:45 às 16:30 horas, exceto as sextas -feiras e sábados. Muito perto encontra-se a agência de telefones, que permanece aberta das 8 até meia noite. Oferecem os serviços de chamadas de larga distância, envio de telegramas e fax. Vende-se cartões telefônicos. As chamadas internacionais também podem realizar-se desde as cabines públicas. Deve marcar 00-673, seguido do prefixo da cidade e do número desejado.

FOTOGRAFIA

Pode-se conseguir os materiais necessários para os equipamentos de fotografía e vídeo, em alguns recintos militares e religiosos é conveniente consultar antes de utilizar as câmaras.

HORÁRIO COMERCIAL

As oficinas públicas atendem das 7:45 às 12:15 horas e de 13:30 a 16:30 horas de segunda às sextas -feiras.

As agências privadas em geral, trabalham das 9 às 17 horas de segunda ás sextas-feiras, e aos sábados das 9 ás 12 horas. Os bancos têm horários das 9 às 15 horas, durante a semana, e aos sábados das 9 `as 11 horas.

GORJETAS

Está a cargo do cliente. Aconselhamos deixar, caso esteja satisfeito com o serviço.

TAXAS E IMPOSTOS

Existe uma taxa do aeroporto.

ARTE E CULTURA

O artesanato de Brunei utiliza basicamente o atón e a prata para produzir jóias e instrumentos de grande beleza. O atón serve para a elaboração de gongs, canhões e instrumentos caseiros. Nos objetos de joalheria representam imágens de cobras e outros animais, assim como alguns versos do Alcorão, e peças que tem um poder especial na cultura do país. Os canhões não são utilizados para enfrentamentos bélicos, mas em ceremonias especiais e como dotes. Atualmente, pode-se encontrar nas casas malayas o nos remotos povos de Dayak, onde outorga-se um significado espiritual.

Os artesãos também fazem uso de uma antiga técnica que utiliza a cera para fundir o atón. A prata foi provalvemente introduzida desde Java, quase no mesmo tempo que a técnica da cera. Estes procedimentos tem sido herdados por gerações de artesãos que tem sabido manter com orgulho suas formas tradicionais de produção.

A Arte do tecido de Jong Sarat tem sobrevivido a passos dosados. As roupas que utilizam-se nos eventos ceremoniais são elaboradas desta maneira.

Caracterizam-se pelo seu colorido nos trajes femininos, e a utilização do ouro para as decorações. Elaboram também, uns desenhos florais que são característicos e conhecidos como Kukma-Indera.

GASTRONOMIA

A comida em Brunei tem muita influência malaya, chinesa e hindu.

É comum poder ver pratos que combinam as carnes (exceto o porco) com os vegetais e o arroz.

Pode-se comer os pescados em variadas combinações: fritos, nas brasas ou com molho de barbacoa.

Também existem diversas apresentações de frango e é comum que sejam acompanhados de kuek melayu (pastéis doces, feitos de milho e recheados de amendoim, passas e açúcar). As carnes ao curry são pratos muito populares. Outros pratos são os elaborados à base de arroz e frango, as especialidades vegetarianas.

BRUNEI, CAPRICHO DA IMAGINAÇÃO

É uma pequena população islâmica em Sarawak (Malásia) e está considerada dentro da categoria dos pequenos estados remanescentes de impérios, colônias e caprichos da história que parecem ainda captar a imaginação . É um país muito jovem e de fato sua história independente não tem mais de uma década de vida; porém, Brunei tem sabido organizar suas atividades em meio da modernidade cotidiana, as tradições populares, os cultos religiosos e um crescente desenvolvimento baseado na exploração do petróleo.

Avião

Royal Brunei Airlines tem vôos diretos desde Bandar para as principais cidades da região como Darwing, Perth, Bali, Yakarta, Sengapur, Kuala Lumpur, Kuching, Manila, Taipei, Hong Kong e Abu Dhabi. Outras linhas aéreas como Thai International e Philippine Airlines cobrem outras rotas. Também tem vôos a Londres, Frankfurt e Jeddah.

Barco

Os serviços de transporte marítimo são muitos. Existem rotas definidas em Bangar que conectam o distrito de Temburong com Bandar Seri Begawan. Os serviços são similares nas principais cidades, incluidos os taxis marítimos que pode-se conseguir acordando o preço.

Transporte público

Existem ônibus que fazem percursos ao interior do país; alguns inclusive vêem das regiões próximas do exterior. Quanto o transporte urbano das cidades, como já foi mostrado antes, é comum ver o trânsito de grandes carros pelas ruas. Os serviços públicos no têm um horário definido e somente partem das bases quando estão cheios. Seu horário de circulação termina às16 horas. Tem também a alternativa de alugar um carro.

Fonte: www.rumbo.com.br

Brunei

Brunei é um país no sudeste da Ásia. A capital é Bandar Seri Begawan.

As principais religiões são o Islã, Budismo e Cristianismo.

A língua nacional é o Malaio, outras línguas principais são o Inglês e o Chinês.

O protetorado Britanico de Brunei se tornou independente em 1984. O país é uma monarquia absoluta sem partidos políticos.

O Sultanato da influência de Brunei atingiu o pico entre os séculos 15 e 17 quando seu controle se estendeu sobre áreas litoraneas do noroeste de Bornéu e do sul das Filipinas. Brunei subseqüentemente ingressou num período de declínio trazido pela disputa interna sobre a sucessão real, pela expansão colonial dos poderes europeus, e pela pirataria.

Em 1888, Brunei se tornou um protetorado Britânico; a independência foi conseguida em 1984. A mesma família tem governado Brunei por 6 séculos. Brunei beneficia-se dos extensos campos de petróleo e de gás natural, a fonte de uma das mais elevadas rendas per capita no mundo em desenvolvimento.

1. Com cêrca do tamanho do estado de Delaware (EUA), a rica em petróleo nação de Brunei ganhou sua independência da Grã Bretanha em 1984 após 96 anos como um protetorado britânico. Brunei fica situado na verde luxuriante costa noroeste da enorme ilha de Bornéu, que compartilha com partes da Malaysia e da Indonésia. Sir Muda Hassanal Bolkiah, um sultão, é o líder político e religioso da nação. É o 29° sultão hereditário a governar o país numa linha que data de 500 anos. Mais de um quarto de todos os Bruneianos vivem na capital e maior cidade Bandar Seri Begawan.

2. Brunei é dividido em duas regiões. As regiões são separadas e cercadas em todas as fronteiras terrestres pelo estado Malaysiano de Sarawak. A região oeste consiste na maior parte em planícies litoraneas baixas e pantanosas. A região leste é montanhosa e ergue-se a 1.800 m no sudeste. O país tem um clima equatorial quente e húmido com chuva considerável. Densas florestas tropicais cobrem 75% da terra.

Cêrca de 65% de todos os Bruneianos são Malayos étnicos. Cêrca de 25% são chineses, e o restante são pela maior parte Dayaks e membros de outros grupos nativos a Bornéu. O Malayo e o Inglês são as línguas oficiais, mas muitos falam também o Chinês. O Islã é a religião oficial de Brunei. O governo usa a renda de seus recursos de petróleo e investimentos mundiais para fornecer livre educação e assistência médica gratuita, e subsidiar os custos dos alimentos e da habitação.

Construiu novas casas para cêrca de 1/3 dos Bruneianos que vivem "em cidades d'água" de casas de madeira construídas em palafitas acima da água. Feitas de madeira, as novas casas são estruturas retangulares de um-quarto simples com alpendre. O sultão, tido como o homem mais rico do mundo, vive num palácio de 1.788 quartos que contem também os escritórios do governo. Ele move-se fàcilmente entre seus subordinados. A renda da nação, por pessoa, é uma das mais elevadas do mundo.

3. O petróleo e o gás natural liquefeito (GNL) são as exportações principais e fontes de renda de Brunei. Muito do petróleo é produzido perto da cidade de Seria pelas companhias estrangeiras trabalhando sob contrato com o governo de Brunei. Mais de 40% da força de trabalho estão engajados em produzir petróleo e gás natural e na construção. Muitos outros Bruneianos fornecem serviços, especialmente em obras do governo, ou estão envolvidos no comércio.

Cultivar e pescar empregam quase 4% da força de trabalho. As colheitas, crescidas em áreas limpas das planícies litoraneas, incluem o arroz, o sagu, a pimenta, o coco, e frutas. Cêrca de 80% dos alimentos do país são importados. Como parte de um plano de longo prazo para incentivar o crescimento industrial, o governo modernizou seu porto de água profunda em Muara, criou a maior planta de liquefação de gás do mundo em Lumut, construiu um aeroporto internacional em Bandar Seri Begawan, e fundou as Linhas Aéreas Reais de Brunei.

4. Uma vez um poderoso sultanato muçulmano, pelo início dos anos 1500s, Brunei controlava todo o noroeste de Bornéu, a forma da palavra Brunei que os Europeus deram à ilha inteira. Após 1600, Brunei começou a declinar, e pelo final dos anos 1800s, incluía somente sua área atual. Pelos termos de um tratado assinado em 1888, Brunei ficou sob a proteção da Grã Bretanha. Em 1959, Brunei retomou o controle de seus assuntos internos; a Grã Bretanha remanesceu responsável pela defesa e pelas relações externas. Nessa época, a Malaysia e a Indonésia ameaçaram anexar o sultanato rico em petróleo. Ambos os países estabeleceram eventualmente relações amigáveis com Brunei. O sultão aceitou a plena independência para seu país em 1° de Janeiro de 1984.

PANORAMA ECONOMICO

Esta pequena e rica economia abrange uma mistura do empreendimento estrangeiro e doméstico, regulação governamental, medidas do bem-estar, e tradição da vila. A produção do petróleo cru e do gás natural representam quase a metade do PNB.

A renda per capita é bem maior da maioria dos outros países do Terceiro Mundo, e a renda substancial do investimento ultramarino suplementa a renda da produção doméstica. O governo fornece todos os serviços médicos e subsidia o arroz e a moradia.

Os líderes de Brunei estão conscientes que a firme integração na economia mundial irá minar a coesão social interna, embora tivesse se tornado um ator mais proeminente servindo como presidente para o forum de 2000 da APEC (Cooperação Econômica da Asia Pacífica).

Os planos para o futuro incluem promover a força de trabalho, reduzindo o desemprego, reforçando os setores do turismo e das operações bancárias, e, no geral, alargando mais a base econômica além do petróleo e do gás.

DISPUTAS - INTERNACIONAL

Em 2003 Brunei e Malaysia cessaram a exploração do gás e do petróleo em seus leitos marinhos profundos e offshore até que as negociações progridam para um acordo sobre a alocação das áreas disputadas; a fronteira terrestre da Malaysia com Brunei em torno de Limbang está em disputa; Brunei estabeleceu uma zona pesqueira econômica exclusiva abrangendo o Recife Louisa no sul das Ilhas Spratly em 1984 mas não fêz nenhuma reivindicação territorial pública aos recifes offshore; a "Declaração na Conduta das Partes no Mar do Sul da China" aliviou as tensões nas Ilhas Spratly mas não satisfez a um legalmente ligando "código de conduta" desejado por diversos dos disputantes.

DROGAS ILICITAS

O tráfico de drogas e a importação ilegal de substâncias controladas são ofensas sérias em Brunei e implicam na pena de morte imperativa.

Sultão: Hassan al Bolkiah Muizaddin Waddaulah (1967)

Parlamento: O Conselho Legislativo tem 20 membros indicados com somente funções consultivas. Não são permitidos partidos.

Fonte: br.geocities.com

Brunei

Nome oficial: Sultanato de Brunei (Negara Brunei Darussalam).

Nacionalidade: bruneiana.

Data nacional: 23 de fevereiro (Data Nacional).

Capital: Bandar Seri Begawan.

Cidades principais: Bandar Seri Begawan (50.000) (1995); Kuala Belait (21.163), Seria (21.100), Tutong (13.000) (1991).

Idioma: malaio (oficial), chinês, inglês.

Religião: islamismo 67,2%, budismo 12,8%, cristianismo 10%, outras 10% (1991).

GEOGRAFIA

Localização: sudeste da Ásia.
Hora local: +11h.
Área: 5.765 km2.
Clima: equatorial chuvoso.
Área de floresta: 4 mil km2 (1995).

POPULAÇÃO

Total: 330 mil (2000), sendo malaios 64%, chineses 20%, grupos étnicos autóctones 8%, tamis 3%, outros 5% (1996).
Densidade: 56,9 hab./km2.
População urbana: 71% (1998).
População rural: 29% (1998).
Crescimento demográfico: 2% ao ano (1998).
Fecundidade: 2,8 filhos por mulher (1995-2000).
Expectativa de vida M/F: 73/78 anos (1995-2000).
Mortalidade infantil: 10 por mil nascimentos (1995-2000).
Analfabetismo: 8,4% (2000).
IDH (0-1): 0,848 (1998).

POLÍTICA

Forma de governo: Monarquia islâmica (sultanato).
Divisão administrativa: 4 distritos.
Partido político: Solidariedade Nacional de Brunei (PPKB) (único legal).
Legislativo: não há.
Constituição em vigor: 1959.

ECONOMIA

Moeda: dólar do Brunei.
PIB: US$ 4,9 bilhões (1998).
PIB agropecuária: 3% (1998).
PIB indústria: 44% (1998).
PIB serviços: 53% (1998).
Crescimento do PIB: 1% ao ano (1998).
Renda per capita: US$ 27.270 (1997).
Força de trabalho: 140 mil (1998).
Agricultura: arroz, banana, abacaxi, mandioca.
Pecuária: bovinos, búfalos, caprinos, aves.
Pesca: 4,7mil t (1997).
Mineração: petróleo, gás natural.
Indústria: refino de petróleo, têxtil.
Exportações: US$ 3,2 bilhões (1997).
Importações: US$ 2 bilhões (1997).
Principais parceiros comerciais: Cingapura, Reino Unido, Malásia, EUA, Japão, Coréia do Sul, Tailândia.

DEFESA

Efetivo total: 5 mil (1998).
Gastos: US$ 371 milhões (1998).

Fonte: www.portalbrasil.net

voltar 123avançar
Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal