Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Brunei  Voltar

Brunei

 

 

Durante os séculos XV e XVI desenvolveu-se como uma poderosa nação conhecida formalmente como Brunei Darussalam, extendendo suas relações para Borneo e as Filipinas.

Foram os espanhóis e os portugueses quem desceram pela primeira vez na região, no século XVI, porém, seus intentos de domínio do território foram prontamente declinados pelas forças locais.

A chegada das forças britânicas sob a liderança de James Brooke no século XIX, sucumbiu os moradores.

Posteriormente, uma série de tratados impuseram o domínio imperial, cuja força comercial se estabeleceu no território, sob a justificação de defesa da região aos ataques dos piratas.

O país foi gradualmente dividido em 1890, Limbagn foi cedido a zona de Sarawak, o que significou sua repartição em dois. Passados os anos, em 1929, quando esteve a ponto de ser absorvido em sua totalidade, acharam petróleo na zona que serviu para continuar com sua estrutura geográfica.

O pai do atual sultão, que abdicou em 1967, manteve Brunei fôra da confederação da Malásia e preferiu deixa-la nas maõs dos ingleses, que vinham desenvolvendo-se desde 1888.

Em 1962, durante o processo de preparação para a unificação com Malásia, Grã-Bretanha pressionou o sultão Omar Saifuddin a celebrar eleições. O partido da oposição o Ra'ayat, encabeçado pela M Azahari, não estava disposto a permitir a adesão de seu país, nem continuar com o regime monárquico do sultão.

Azahari arruinou a Filipinas, desde onde dirigiu uma rebelião armada contando com o apoio da Indonésia. O levantamento foi controlado rapidamente pelos militares britânicos e o sultão teve que optar pela independência no meio de um estado de emergência.

Nos começos de 1984 Brunei foi declarado completamente independente da Grã- Bretanha. Desde então o país reforçou-se ao islamismo fundamentalista e tem-se orientado rumo a modernização e aos valores ocidentais de desenvolvimento.

A ideologia nacional é o Melayu Ilham Beraja (MIB) que tem imposto sobre a cultura malaya, o islamismo e a monarquia, e é promovida pelos ministros de educação, religião e meios de informação . Em 1991, a venda de álcool foi proibida e introduziram-se restritos códigos de roupas e em 1992 o MIB converteu-se em uma matéria estudada nas escolas.

Brunei

Alfândega e Documentação

Passaporte em vigor, com uma validez mínima de 6 meses, É imprescindível visto, passagem de saída e fundos suficientes. Para estadias superiores a 15 dias é necessário solicitar o visto correspondente.

Pode-se introduzir no país 200 cigarros ou 250 gr. de tabaco picado, dois vidros de perfume, e um quarto de litro de água de colônia e um litro de bebida alcólica ou duas garrafas de vinho. Não pode-se exportar antigüidades nem elementos de história natural.

Idioma

O idioma oficial é o malayo. Também fala-se o inglês.

Eletricidade

A corrente elétrica é de 230 voltios a 50 Hz.

Correios e Telefonia

A agência de correios de Bandar encontra-se na esquina das ruas Jalam sultão e Jalam oizabeth Dua.

Está aberta das 7:45 às 16:30 horas, exceto as sextas -feiras e sábados. Muito perto encontra-se a agência de telefones, que permanece aberta das 8 até meia noite. Oferecem os serviços de chamadas de larga distância, envio de telegramas e fax. Vende-se cartões telefônicos. As chamadas internacionais também podem realizar-se desde as cabines públicas. Deve marcar 00-673, seguido do prefixo da cidade e do número desejado.

Fotografia

Pode-se conseguir os materiais necessários para os equipamentos de fotografía e vídeo, em alguns recintos militares e religiosos é conveniente consultar antes de utilizar as câmaras.

Horário Comercial

As oficinas públicas atendem das 7:45 às 12:15 horas e de 13:30 a 16:30 horas de segunda às sextas -feiras.

As agências privadas em geral, trabalham das 9 às 17 horas de segunda ás sextas-feiras, e aos sábados das 9 ás 12 horas. Os bancos têm horários das 9 às 15 horas, durante a semana, e aos sábados das 9 `as 11 horas.

Gorjetas

Está a cargo do cliente. Aconselhamos deixar, caso esteja satisfeito com o serviço.

Taxas e Impostos

Existe uma taxa do aeroporto.

Arte e Cultura

O artesanato de Brunei utiliza basicamente o atón e a prata para produzir jóias e instrumentos de grande beleza. O atón serve para a elaboração de gongs, canhões e instrumentos caseiros. Nos objetos de joalheria representam imágens de cobras e outros animais, assim como alguns versos do Alcorão, e peças que tem um poder especial na cultura do país.

Os canhões não são utilizados para enfrentamentos bélicos, mas em ceremonias especiais e como dotes. Atualmente, pode-se encontrar nas casas malayas o nos remotos povos de Dayak, onde outorga-se um significado espiritual.

Os artesãos também fazem uso de uma antiga técnica que utiliza a cera para fundir o atón. A prata foi provalvemente introduzida desde Java, quase no mesmo tempo que a técnica da cera. Estes procedimentos tem sido herdados por gerações de artesãos que tem sabido manter com orgulho suas formas tradicionais de produção.

A Arte do tecido de Jong Sarat tem sobrevivido a passos dosados. As roupas que utilizam-se nos eventos ceremoniais são elaboradas desta maneira.

Caracterizam-se pelo seu colorido nos trajes femininos, e a utilização do ouro para as decorações. Elaboram também, uns desenhos florais que são característicos e conhecidos como Kukma-Indera.

Gastronomia

A comida em Brunei tem muita influência malaya, chinesa e hindu.

É comum poder ver pratos que combinam as carnes (exceto o porco) com os vegetais e o arroz.

Pode-se comer os pescados em variadas combinações: fritos, nas brasas ou com molho de barbacoa.

Também existem diversas apresentações de frango e é comum que sejam acompanhados de kuek melayu (pastéis doces, feitos de milho e recheados de amendoim, passas e açúcar). As carnes ao curry são pratos muito populares. Outros pratos são os elaborados à base de arroz e frango, as especialidades vegetarianas.

Brunei, Capricho da Imaginação

É uma pequena população islâmica em Sarawak (Malásia) e está considerada dentro da categoria dos pequenos estados remanescentes de impérios, colônias e caprichos da história que parecem ainda captar a imaginação .

É um país muito jovem e de fato sua história independente não tem mais de uma década de vida; porém, Brunei tem sabido organizar suas atividades em meio da modernidade cotidiana, as tradições populares, os cultos religiosos e um crescente desenvolvimento baseado na exploração do petróleo.

Avião

Royal Brunei Airlines tem vôos diretos desde Bandar para as principais cidades da região como Darwing, Perth, Bali, Yakarta, Sengapur, Kuala Lumpur, Kuching, Manila, Taipei, Hong Kong e Abu Dhabi. Outras linhas aéreas como Thai International e Philippine Airlines cobrem outras rotas. Também tem vôos a Londres, Frankfurt e Jeddah.

Barco

Os serviços de transporte marítimo são muitos. Existem rotas definidas em Bangar que conectam o distrito de Temburong com Bandar Seri Begawan. Os serviços são similares nas principais cidades, incluidos os taxis marítimos que pode-se conseguir acordando o preço.

Transporte público

Existem ônibus que fazem percursos ao interior do país; alguns inclusive vêem das regiões próximas do exterior. Quanto o transporte urbano das cidades, como já foi mostrado antes, é comum ver o trânsito de grandes carros pelas ruas. Os serviços públicos no têm um horário definido e somente partem das bases quando estão cheios. Seu horário de circulação termina às16 horas. Tem também a alternativa de alugar um carro.

Fonte: www.rumbo.com.br

Brunei

Brunei é um país no sudeste da Ásia. A capital é Bandar Seri Begawan.

As principais religiões são o Islã, Budismo e Cristianismo.

A língua nacional é o Malaio, outras línguas principais são o Inglês e o Chinês.

O protetorado Britanico de Brunei se tornou independente em 1984. O país é uma monarquia absoluta sem partidos políticos.

O Sultanato da influência de Brunei atingiu o pico entre os séculos 15 e 17 quando seu controle se estendeu sobre áreas litoraneas do noroeste de Bornéu e do sul das Filipinas. Brunei subseqüentemente ingressou num período de declínio trazido pela disputa interna sobre a sucessão real, pela expansão colonial dos poderes europeus, e pela pirataria.

Em 1888, Brunei se tornou um protetorado Britânico; a independência foi conseguida em 1984. A mesma família tem governado Brunei por 6 séculos. Brunei beneficia-se dos extensos campos de petróleo e de gás natural, a fonte de uma das mais elevadas rendas per capita no mundo em desenvolvimento.

1. Com cêrca do tamanho do estado de Delaware (EUA), a rica em petróleo nação de Brunei ganhou sua independência da Grã Bretanha em 1984 após 96 anos como um protetorado britânico. Brunei fica situado na verde luxuriante costa noroeste da enorme ilha de Bornéu, que compartilha com partes da Malaysia e da Indonésia. Sir Muda Hassanal Bolkiah, um sultão, é o líder político e religioso da nação. É o 29° sultão hereditário a governar o país numa linha que data de 500 anos. Mais de um quarto de todos os Bruneianos vivem na capital e maior cidade Bandar Seri Begawan.

2. Brunei é dividido em duas regiões. As regiões são separadas e cercadas em todas as fronteiras terrestres pelo estado Malaysiano de Sarawak. A região oeste consiste na maior parte em planícies litoraneas baixas e pantanosas. A região leste é montanhosa e ergue-se a 1.800 m no sudeste. O país tem um clima equatorial quente e húmido com chuva considerável. Densas florestas tropicais cobrem 75% da terra.

Cêrca de 65% de todos os Bruneianos são Malayos étnicos. Cêrca de 25% são chineses, e o restante são pela maior parte Dayaks e membros de outros grupos nativos a Bornéu. O Malayo e o Inglês são as línguas oficiais, mas muitos falam também o Chinês. O Islã é a religião oficial de Brunei. O governo usa a renda de seus recursos de petróleo e investimentos mundiais para fornecer livre educação e assistência médica gratuita, e subsidiar os custos dos alimentos e da habitação.

Construiu novas casas para cêrca de 1/3 dos Bruneianos que vivem "em cidades d'água" de casas de madeira construídas em palafitas acima da água. Feitas de madeira, as novas casas são estruturas retangulares de um-quarto simples com alpendre.

O sultão, tido como o homem mais rico do mundo, vive num palácio de 1.788 quartos que contem também os escritórios do governo. Ele move-se fàcilmente entre seus subordinados. A renda da nação, por pessoa, é uma das mais elevadas do mundo.

3. O petróleo e o gás natural liquefeito (GNL) são as exportações principais e fontes de renda de Brunei. Muito do petróleo é produzido perto da cidade de Seria pelas companhias estrangeiras trabalhando sob contrato com o governo de Brunei. Mais de 40% da força de trabalho estão engajados em produzir petróleo e gás natural e na construção. Muitos outros Bruneianos fornecem serviços, especialmente em obras do governo, ou estão envolvidos no comércio.

Cultivar e pescar empregam quase 4% da força de trabalho. As colheitas, crescidas em áreas limpas das planícies litoraneas, incluem o arroz, o sagu, a pimenta, o coco, e frutas. Cêrca de 80% dos alimentos do país são importados. Como parte de um plano de longo prazo para incentivar o crescimento industrial, o governo modernizou seu porto de água profunda em Muara, criou a maior planta de liquefação de gás do mundo em Lumut, construiu um aeroporto internacional em Bandar Seri Begawan, e fundou as Linhas Aéreas Reais de Brunei.

4. Uma vez um poderoso sultanato muçulmano, pelo início dos anos 1500s, Brunei controlava todo o noroeste de Bornéu, a forma da palavra Brunei que os Europeus deram à ilha inteira. Após 1600, Brunei começou a declinar, e pelo final dos anos 1800s, incluía somente sua área atual. Pelos termos de um tratado assinado em 1888, Brunei ficou sob a proteção da Grã Bretanha.

Em 1959, Brunei retomou o controle de seus assuntos internos; a Grã Bretanha remanesceu responsável pela defesa e pelas relações externas. Nessa época, a Malaysia e a Indonésia ameaçaram anexar o sultanato rico em petróleo. Ambos os países estabeleceram eventualmente relações amigáveis com Brunei. O sultão aceitou a plena independência para seu país em 1° de Janeiro de 1984.

Panorama Econômico

Esta pequena e rica economia abrange uma mistura do empreendimento estrangeiro e doméstico, regulação governamental, medidas do bem-estar, e tradição da vila. A produção do petróleo cru e do gás natural representam quase a metade do PNB.

A renda per capita é bem maior da maioria dos outros países do Terceiro Mundo, e a renda substancial do investimento ultramarino suplementa a renda da produção doméstica. O governo fornece todos os serviços médicos e subsidia o arroz e a moradia.

Os líderes de Brunei estão conscientes que a firme integração na economia mundial irá minar a coesão social interna, embora tivesse se tornado um ator mais proeminente servindo como presidente para o forum de 2000 da APEC (Cooperação Econômica da Asia Pacífica).

Os planos para o futuro incluem promover a força de trabalho, reduzindo o desemprego, reforçando os setores do turismo e das operações bancárias, e, no geral, alargando mais a base econômica além do petróleo e do gás.

Disputas - Internacional

Em 2003 Brunei e Malaysia cessaram a exploração do gás e do petróleo em seus leitos marinhos profundos e offshore até que as negociações progridam para um acordo sobre a alocação das áreas disputadas; a fronteira terrestre da Malaysia com Brunei em torno de Limbang está em disputa; Brunei estabeleceu uma zona pesqueira econômica exclusiva abrangendo o Recife Louisa no sul das Ilhas Spratly em 1984 mas não fêz nenhuma reivindicação territorial pública aos recifes offshore; a "Declaração na Conduta das Partes no Mar do Sul da China" aliviou as tensões nas Ilhas Spratly mas não satisfez a um legalmente ligando "código de conduta" desejado por diversos dos disputantes.

Drogas Ilícitas

O tráfico de drogas e a importação ilegal de substâncias controladas são ofensas sérias em Brunei e implicam na pena de morte imperativa.

Sultão: Hassan al Bolkiah Muizaddin Waddaulah (1967)

Parlamento: O Conselho Legislativo tem 20 membros indicados com somente funções consultivas. Não são permitidos partidos.

Fonte: br.geocities.com

Brunei

Nome oficial: Sultanato de Brunei (Negara Brunei Darussalam).
Nacionalidade: bruneiana.
Data nacional: 23 de fevereiro (Data Nacional).
Capital: Bandar Seri Begawan.
Cidades principais: Bandar Seri Begawan (50.000) (1995); Kuala Belait (21.163), Seria (21.100), Tutong (13.000) (1991).
Idioma: malaio (oficial), chinês, inglês.
Religião: islamismo 67,2%, budismo 12,8%, cristianismo 10%, outras 10% (1991).

Geografia

Localização: sudeste da Ásia. 
Hora local: +11h. 
Área: 5.765 km2. 
Clima: equatorial chuvoso. 
Área de floresta: 4 mil km2 (1995).

População

Total: 330 mil (2000), sendo malaios 64%, chineses 20%, grupos étnicos autóctones 8%, tamis 3%, outros 5% (1996). 
Densidade: 56,9 hab./km2. 
População urbana: 71% (1998). 
População rural: 29% (1998).
Crescimento demográfico: 2% ao ano (1998). 
Fecundidade: 2,8 filhos por mulher (1995-2000). 
Expectativa de vida M/F: 73/78 anos (1995-2000). 
Mortalidade infantil: 10 por mil nascimentos (1995-2000). 
Analfabetismo: 8,4% (2000). 
IDH (0-1): 0,848 (1998).

Política

Forma de governo: Monarquia islâmica (sultanato). 
Divisão administrativa: 4 distritos. 
Partido político: Solidariedade Nacional de Brunei (PPKB) (único legal). 
Legislativo: não há. 
Constituição em vigor: 1959.

Economia

Moeda: dólar do Brunei. 
PIB: US$ 4,9 bilhões (1998). 
PIB agropecuária: 3% (1998). 
PIB indústria: 44% (1998). 
PIB serviços: 53% (1998). 
Crescimento do PIB: 1% ao ano (1998). 
Renda per capita: US$ 27.270 (1997). 
Força de trabalho: 140 mil (1998). 
Agricultura: arroz, banana, abacaxi, mandioca. 
Pecuária: bovinos, búfalos, caprinos, aves. 
Pesca: 4,7mil t (1997). 
Mineração: petróleo, gás natural. 
Indústria: refino de petróleo, têxtil. 
Exportações: US$ 3,2 bilhões (1997). 
Importações: US$ 2 bilhões (1997). 
Principais parceiros comerciais: Cingapura, Reino Unido, Malásia, EUA, Japão, Coréia do Sul, Tailândia.

Defesa

Efetivo total: 5 mil (1998). 
Gastos: US$ 371 milhões (1998).

Fonte: www.portalbrasil.net

Brunei

Brunei é um país do Sudeste Asiático.

A capital é Bandar Seri Begawan.

As principais religiões são o Islamismo, Budismo e Cristianismo.

A língua nacional é o Malaio, outras línguas principais são o Inglês e Chinês.

A influência do Sultanato de Brunei atingiu o pico entre os séculos 15 e 17, quando o seu controle se estendeu sobre as zonas costeiras do noroeste de Bornéu e sul das Filipinas. Brunei posteriormente entrou em um período de declínio causado por disputas internas pela sucessão real, a expansão colonial das potências Europeias, e a pirataria.

Em 1888, Brunei se tornou um protetorado Britânico; a independência foi conseguida em 1984. A mesma família tem governado Brunei há mais de seis séculos. Brunei se beneficia de extensos campos de petróleo e gás natural, a fonte de um dos maiores PIBs per capita da Ásia.

Com cêrca do tamanho do estado de Delaware (EUA), a nação rica em petróleo de Brunei ganhou sua independência da Grã-Bretanha em 1984 após 96 anos como um protetorado Britânico. Brunei está localizado no verde luxuriante da costa noroeste da enorme ilha de Borneo, que partilha com partes da Malásia e Indonésia.

Sir Muda Hassanal Bolkiah, um sultão, é o líder político e religioso da nação. Ele é o 29° sultão hereditário à governar o país em uma linha que remonta 500 anos. Mais de um quarto de todos os Bruneianos vivem em Bandar Seri Begawan, a capital e maior cidade.

Terra

Brunei está dividido em duas partes. As partes estão separadas e cercadas em todas as fronteiras terrestres pelo estado Malaio de Sarawak. A seção ocidental consiste principalmente em baixas e pantanosas planícies costeiras. A parte leste é montanhosa e sobe para mais de 6.000 pés (1.800 m) no sudeste. O país tem um clima quente e úmido equatorial com chuvas consideráveis. Florestas tropicais densas cobrem 75 por cento da terra.

População

Cerca de 65 por cento de todos os Bruneianos são Malaios étnicos. Aproximadamente 25 por cento são Chineses, e os restantes são em grande parte Dayaks e membros de outros grupos nativos de Bornéu. O Malaio e o Inglês são as línguas oficiais, mas muitos também falam Chinês. O Islã é a religião oficial de Brunei.

O governo utiliza o rendimento de seus recursos do petróleo e investimentos em todo o mundo para fornecer educação gratuita e atendimento médico gratuito, e para subsidiar os custos dos alimentos e habitação. Ele tem construído novas casas para cerca de um terço do Bruneianos que vivem em "cidades de água" de casas de madeira construídas sobre palafitas acima da água.

Feitas de madeira, as novas casas são simples estruturas retangulares de um-quarto com varandas. O sultão, pensado ser o homem mais rico do mundo, vive em um palácio com 1788 quartos que contém também os escritórios do governo. Ele se move facilmente entre seus súditos. A renda do país, por pessoa, é uma das mais altas do mundo.

Economia

Petróleo e gás natural liquefeito (GNL) são as principais exportações e fontes de renda de Brunei. Grande parte do petróleo é produzido perto da cidade de Seria por empresas estrangeiras que trabalham sob contrato com o governo de Brunei. Mais de 40 por cento da força de trabalho está envolvida na produção de petróleo e gás natural e em construção. Muitos outros Bruneianos prestam serviços, especialmente no trabalho do governo, ou estão envolvidos no comércio.

A agricultura e a pesca empregam quase 4 por cento da força de trabalho. Culturas, cultivadas em áreas desmatadas da planície costeira, incluem arroz, sagu, pimenta, coco, e frutas. Cerca de 80 por cento dos alimentos do país são importados. Como parte de um plano de longo prazo para incentivar o crescimento industrial, o governo tem modernizado seu porto de águas profundas em Muara, criou a maior planta do mundo de liquefação de gás em Lumut, construiu um aeroporto internacional em Bandar Seri Begawan, e fundou a Royal Brunei Airlines.

Economia - visão geral:

Brunei tem uma economia de bem-fazer pequena que engloba uma mistura de empreendedorismo externo e interno, regulamentação do governo, as medidas de bem-estar, e a tradição da vila. Petróleo bruto e conta a produção de gás natural para a metade um pouco mais do PIB e mais de 90% das exportações. O PIB per capita é dos mais elevados da Ásia, e renda substancial do exterior renda suplementos investimento na produção interna. O governo prevê que todos os serviços médicos e educação gratuita até o nível universitário e subsidia o arroz e habitação. A nova autoridade monetária foi criada em Janeiro de 2011, com responsabilidades que incluem a política monetária, o monitoramento das instituições financeiras, e as atividades de troca de moeda.

História

Uma vez um poderoso sultanato Muçulmano, pelo início dos anos 1500s, Brunei controlava toda a região noroeste de Bornéu - a forma da palavra Brunei que os Europeus deram a toda a ilha. Depois de 1600, Brunei começou a declinar, e pelo final dos 1800s, incluía apenas sua área atual. Pelos termos de um tratado assinado em 1888, Brunei ficou sob a proteção da Grã-Bretanha.

Em 1959, Brunei recuperou o controle de seus assuntos internos; a Grã-Bretanha manteve-se responsável pela defesa e as relações exteriores. Naquela época, tanto a Malásia e a Indonésia ameaçaram anexar o sultanato rico em petróleo. Ambos os países acabaram por estabelecer relações amistosas com Brunei. O sultão aceitou a plena independência para seu país em 1 de Janeiro de 1984.

Fotos

Brunei
Bandar Seri Begawan é a capital e maior cidade do Sultanato de Brunei. A vila de água de Kampong Ayer está dentro de seus limites. A aldeia, cujas casas ficam sobre palafitas, estende-se a cerca de 8 km (5 milhas) ao longo do Rio Brunei, é uma solução independente equipada com escolas, delegacias, clínicas, uma brigada de incêndio por via aquática, e mesquitas - todos ligados por passarelas e pontes

Brunei
O Sultão Omar Ali Mesquita Saifuddin na vila de água de Kampong Ayer é um marco importante e atração turística em Brunei. 
A estrutura foi concluída em 1958, em uma mistura de Mughal e italianos estilos arquitetônicos. Construído sobre uma lagoa artificial, a mesquita está rodeado por jardins exuberantes, fontes e árvores. 
Sua característica mais reconhecível é a cúpula principal coberto de ouro puro. De seu minarete de mármore se pode desfrutar de uma vista panorâmica sobre a cidade capital

Brunei
Outra vista da aldeia de água de Kampong Ayer, o Sultão Omar Ali Mesquita Saifuddin aparece no fundo

Brunei
O Sultão Omar Ali Saifuddien Mesquita no centro de Bandar Seri Begawan

Brunei
O Jame Asr Hassanal Bolkiah Mesquita em Bandar Seri Begawan - a maior mesquita da Brunei - exibe minaretes primorosamente ornamentados e cúpulas douradas

Brunei
O Jame Asr Hassanil Mesquita Bolkiah em Bandar Seri Begawan

Brunei
A carruagem real - usado pelo sultão Hassanal Bolkiah, durante sua cerimônia de coroação, em 1968 - está alojado no Regalia Real Edifício em Bandar Seri Begawan, juntamente com outros apetrechos reais

Richard Butwell

Fonte: Internet Nations

Brunei

História

Brunei foi negociado com a China durante o século 6, e, através de aliança com o Majapahit javanês reino (13 a 15 século), ficou sob influência hindu.

No início do século 15, com o declínio do reino Majapahit e conversão generalizada ao Islã, Brunei se tornou um sultanato independente. Era um estado poderoso do 16 ao século 19, reinando sobre a parte norte de Bornéu e cadeias de ilhas adjacentes.

Mas Brunei entrou em decadência e perdeu Sarawak em 1841, tornando-se um protetorado britânico em 1888 e uma dependência britânica em 1905.

O Japão ocupou Brunei durante a Segunda Guerra Mundial, foi liberado pela Austrália em 1945.

O sultão recuperou o controle sobre assuntos internos, em 1959, a Grã-Bretanha, mas reteve a responsabilidade para a defesa do Estado e das Relações Exteriores até 1984, quando o sultanato tornou-se totalmente independente. Sultão Bolkiah foi coroado em 1967 com a idade de 22, sucedendo seu pai, Sir Omar Ali Saifuddin, que tinha abdicado.

Durante o seu reinado, a exploração do campo petrolífero Seria rico tinha feito o sultanato rico.

Brunei tem uma das maiores rendas per capita na Ásia, eo sultão é acreditado para ser um dos homens mais ricos do mundo.

Em agosto de 1998, formado em Oxford príncipe Al-Muhtadee Billah foi empossado como herdeiro da monarquia de 500 anos de idade.

Sultão Bolkiah começou a tomar medidas cautelosas para a reforma democrática em setembro de 2004, quando ele reintegrado Parlamento pela primeira vez desde a independência de Brunei, em 1984.

Ele foi muito elogiado maio 2005, quando ele disparou quatro membros do seu gabinete, incluindo o ministro da Educação, cujo plano para expandir o ensino religioso irritou muitos pais.

Geografia

Sobre o tamanho de Delaware, Brunei é um pequeno sultanato independente na costa noroeste da ilha de Bornéu em Mar da China Meridional, encravado entre os Estados da Malásia de Sabah e Sarawak.

Governo

Sultanato constitucional.

Fonte: www.infoplease.com

Brunei

Localizado no noroeste da ilha de Bornéu, no Sudeste Asiático, Brunei é formado por duas regiões descontínuas, separadas por parte do território da Malásia.

Florestas tropicais cobrem 75% de sua área. A exploração de grandes reservas de petróleo e gás natural garante ao país uma das maiores rendas per capita da Ásia.

Os serviços de saúde e educação são gratuitos e a população goza de benefícios sociais avançados. Essa situação começa a mudar em razão da baixa dos preços de petróleo e de prejuízos causados por desvios de recursos públicos. Quase tudo em Brunei é importado, desde o arroz - alimento básico da dieta nacional - até máquinas. O regime é uma monarquia islâmica autocrática denominada sultanato.

História

Reino islâmico instaurado no começo do século XVI, o sultanato de Brunei inicialmente domina a ilha de Bornéu. No século XIX, perde território para o Reino Unido e, em 1888, torna-se protetorado britânico. Durante a II Guerra Mundial é invadido pelo Japão, voltando a ser dependência britânica em 1945.

Uma primeira Constituição é outorgada em 1959, mas o Reino Unido permanece responsável pela defesa e pelas relações exteriores. Brunei ganha autonomia gradualmente, até sua independência, em 1984. Em 1962, ampla revolta contra o governo é sufocada, e entra em vigor o estado de emergência, que ainda se mantém O governo é exercido ditatorialmente desde 1968 pelo sultão Hassanal Bolkiah. Em 1986, ele se vê envolvido no escândalo Irã-Contras, com a doação secreta de 10 milhões de dólares aos rebeldes anti-sandinistas da Nicarágua.

Corrupção

Em 1998, o irmão mais novo do sultão, príncipe Jefri Bolkiah, é afastado da administração da Brunei Investment Agency (BIA), conglomerado estatal que controla os investimentos oficiais do país no exterior, depois de haver perdido bilhões de dólares. Jefri também é envolvido no colapso da empresa Amedeo Development Corporation, que acumula perda de 16 bilhões de dólares e deixa 23 mil pessoas sem emprego. Os prejuízos levam o Estado a reduzir drasticamente suas despesas e investimentos. Ainda em 1998, o sultão oficializa o príncipe Al-Muhtadee Billah, seu filho mais velho, como herdeiro do trono.

Fatos recentes

O sultão abre processo judicial contra o príncipe Jefri, em fevereiro de 2000, por má administração de recursos públicos. Em maio, o príncipe promete devolver ao Estado os bens comprados com fundos da BIA. Em agosto de 2001, 10 mil itens devolvidos são leiloados, mas a arrecadação soma menos de 8 milhões de dólares. A fortuna do sultão - que chegou a ser apontado como o homem mais rico do mundo - diminui de 40 bilhões para 10 bilhões de dólares.

DADOS GERAIS

NOME OFICIAL: Sultanato de Brunei (Negara Brunei Darussalam).

CAPITAL: Bandar Seri Begawan

LOCALIZAÇÃO: Sudeste da Ásia

GEOGRAFIA

Área: 5.765 km².
Hora local:
 +11h. 
Clima: 
equatorial chuvoso. 
Cidades:
 Bandar Seri Begawan (50.000) (1995); Kuala Belait (21.163), Seria (21.100), Tutong (13.000) (1991).

POPULAÇÃO

300 mil (2001)
Nacionalidade: 
bruneiana
Composição:
 malaios 64%, chineses 20%, grupos étnicos autóctones 8%, tamis 3%, outros 5% (1996).
Idioma:
 malaio (oficial), chinês, inglês. 
Religião:
 islamismo 64,4%, crenças tradicionais 11,2%, budismo 9,1%, cristianismo 7,7%, crenças populares chinesas 3,5%, outras 2,9%, sem religião 1,2% (2000). 
Densidade:
 52,04 hab./km² (2001). 
População urbana: 
72% (2000). 
Crescimento demográfico: 
1,81% ao ano
Decundidade:
 2,53 filhos por mulher
Expectativa de vida M/F:
 74,2/78,9 anos
Mortalidade infantil: 
8,6- (2000-2005). 
Analfabetismo:
 8,4% (2000).

ECONOMIA

Moeda: dólar do Brunei; cotação para US$ 1: 1,81 (jul./2001). 
PIB:
 US$ 4,8 bilhões (1998).
PIB agropec.: 
3% (1998). 
PIB ind.: 
44% (1998). 
PIB serv.: 
53% (1998). 
Cresc. PIB:
 1% ao ano (1998). 
Renda per capita:
 US$ 24.620 (1998). 
Força de trabalho: 
100 mil (1999). 
Export.:
 US$ 2,6 bilhões (1999). 
Import.:
 US$ 1,5 bilhão (1999). 
Parceiros comerciais: 
Cingapura, Reino Unido, Malásia, EUA, Japão, Coréia do Sul, Tailândia.

DEFESA

Exército: 3,9 mil
Marinha: 
700
Aeronáutica:
 400 (2000)
Gastos:
 US$ 402 milhões (1999)

GOVERNO

Monarquia islâmica (sultanato). 
Divisão administrativa:
 4 distritos. 
Chefe de Estado e de governo: 
sultão Haji Hassanal Bolkiah (desde 1968). 
Partido: 
Solidariedade 
Nacional de Brunei (PPKB) (único legal). 
Legislativo: 
não há. 
Constituição: 
1959.

Fonte: www.ministeriobethel.com.br

Brunei

Um pequeno país com uma população pequena, Brunei foi o único Estado malaio em 1963 para escolher permanecer uma dependência britânica em vez de se juntar à Federação da Malásia.

Tornou-se independente em 1984 e, graças a suas grandes reservas de petróleo e gás, agora tem um dos mais altos padrões de vida no mundo.

Sua decisão realeza, liderada pelo chefe de Estado sultão Hassanal Bolkiah, possuem uma enorme fortuna privada.

Visão global

Um país de densas florestas e manguezais, cujas pessoas gostam de altos subsídios e não pagam impostos, Brunei é altamente dependente de importações.

Apesar de sua imensa riqueza, a maior parte do país fora da capital permanece virgem e inexplorada.

Enquanto as exportações de petróleo e gás representam a maior parte das receitas do governo, as reservas estão diminuindo e Brunei está tentando diversificar sua economia. Comercializa-se como um centro financeiro e como destino de luxo e eco-turismo.

Cerca de dois terços das pessoas de Brunei são malaios étnicos, e estes beneficiem de discriminação positiva. O chinês compreendem cerca de 16% da população. Há também índios e grupos indígenas, de quem o Murut e Dusuns são favorecidos em detrimento dos Ibans.

Brunei
O Sultão Omar Ali Saifuddien Mesquita é um marco importante de capital de Brunei, Bandar Seri Begawan

Desde 1962, o sultão decidiu por decreto. Em uma rara jogada para a reforma política um parlamento nomeado foi reavivado em 2004. A Constituição prevê uma casa expandido com até 15 deputados eleitos. No entanto, nenhuma data foi fixada para as eleições.

Fortunas financeiras Brunei oscilou. Ações e outros ativos foram atingidos pelo crash dos mercados financeiros asiáticos no final de 1990. Em 1998, o príncipe Jefri conglomerado de Amedeo desabou, deixando dívidas enormes e precipitando um escândalo financeiro.

Uma cronologia dos principais eventos:

Século 15 - sultanato islâmico de Brunei nominalmente no controle de Bornéu, incluindo Sabah e Sarawak estados da Malásia, e algumas partes das ilhas de Sulu, nas Filipinas.

1521 - Brunei visitado por navegador espanhol Juan Sebastian del Cano.

1841 - Sultão de Brunei Omar Ali Saifuddin II recompensas britânica oficial do exército, James Brooke para ajudar a acabar com uma guerra civil, concedendo-lhe o controle de Sarawak.

1846 - Brunei reduzida a seu tamanho atual, após ceder a ilha de Labuan a Grã-Bretanha.

1849-1854 - British destruir piratas malaios que operam entre Cingapura e Bornéu.

Domínio britânico

1888 - Brunei torna-se um protetorado britânico.

1906 - Brunei administrado por um residente britânico, com o sultão ter autoridade nominal.

1929 - A extração de petróleo começa.

1941-1945 - O Japão ocupa Brunei.

1950 - Omar Ali Saifuddin III inaugurada sultão.

1959 - Sultão Omar introduz a primeira constituição escrita de Brunei, que consagra o Islã como religião do Estado e mantém a Grã-Bretanha encarregado de assuntos de defesa e estrangeiros.

Governar por decreto

1962 - Legislativo resultados eleitorais do Conselho anuladas após Partido Popular de esquerda de Brunei, que procurava remover o sultão do poder, venceu todos os 10 lugares eleitos no conselho de 21 membros; sultão declara estado de emergência e regras por decreto.

1963 - Brunei decide permanecer uma dependência britânica em vez de se juntar à Federação da Malásia.

1967 - torna-se sultão Hassanal Bolkiah após a abdicação de seu pai, o sultão Omar, que apesar de tudo continua a ser o principal conselheiro.

Independência

1984 - Brunei torna-se independente.

1985 - Governo legaliza a Brunei Partido Nacional Democrático (BNDP).

1986 - Brunei Solidariedade Nacional (Partido BNSP) torna-se legal; ex-Sultan Omar morre.

1988 - BNDP e BNSP banido.

1990 - Sultan Bolkiah introduz ideologia da monarquia muçulmana Malay.

1995 - Governo permite BNSP a funcionar, mas o partido é alvo de assédio e torna-se inativo.

1998 - Sultan Bolkiah remove seu irmão mais novo, o príncipe Jefri Bolkiah, de Brunei, como chefe da Agência de Investimento sobre as preocupações sobre sua administração da agência; filho mais velho sultão Bolkiah, o príncipe Al-Muhtadee Billah, torna-se herdeiro aparente.

Escândalo real

2000 - Brunei arquiva processo civil contra o príncipe Jefri Bolkiah por alegado desvio de fundos do Estado. Caso é resolvido fora do tribunal. Documentos judiciais revelam que ele gastou US $ 2,7 bilhões em bens de luxo ao longo de 10 anos. Príncipe concorda em devolver todos os bens supostamente tiradas estatal agência de investimento.

De agosto de 2000 - Brunei diz que vai reciclar até 25% da força de trabalho para diversificar a economia longe de petróleo e desenvolvimento de indústrias alternativas, como o turismo.

2001 - Leilão é realizado de mais de 10.000 itens pertencentes ao príncipe Jefri.

Novembro de 2001 - Como presidente da Associação de Nações do Sudeste Asiático (Asean), Brunei hospeda cúpula corpo de 2001. Líderes se comprometem a cooperar na luta contra o terrorismo, mas empurrar data de lançamento para a área de comércio asiático livre.

Setembro de 2004 - sultão Hassanal Bolkiah reabre parlamento, 20 anos depois que foi dissolvida. O novo Parlamento tem 21 membros nomeados. O sultão depois altera a Constituição para permitir a eleição direta de 15 membros do parlamento que vem, mas sem data de votação está definido.

Maio de 2005 - remodelação do gabinete Maior inaugura rostos mais jovens e ministros com experiência no setor privado.

2005 Agosto - Partido Nacional de Desenvolvimento registrado como partido político.

Fevereiro de 2007 - Brunei, junto com Indonésia e Malásia, assina uma "Declaração Rainforest", concordando em conservar uma grande área de Bornéu, que é o lar de espécies raras.

Novembro de 2007 - O ex-ministro das Finanças e irmão Sultan, o príncipe Jefri Bolkiah, perde recurso ao mais alto tribunal de Brunei e é condenada a devolver dinheiro, propriedades e bens de luxo, alegadamente adquiridos através de fundos estatais desviados.

De dezembro de 2007 - A Anistia Internacional critica leis corporais Brunei punição. Os relatórios dizem que 68 estrangeiros foram açoitados em 2008 por delitos de imigração. Regras de imigração foram apertados em 2004, para evitar estadia ilegal de trabalhadores migrantes.

Junho de 2008 - questões Reino Unido julgar mandado de prisão do príncipe Jefri Bolkiah depois que ele deixou de participar de uma Alta Corte de ouvir sobre as alegações de que ele violou uma ordem judicial para voltar bilhões de dólares em falta de fundos para o governo de Brunei.

Fevereiro de 2010 - Brunei incluído em "lista negra" da França de paraísos fiscais. Empresas francesas operam no rosto Brunei aumentou os impostos em casa.

Junho de 2010 - EUA acrescenta Brunei à sua lista tráfico de seres humanos relógio como um destino para o trabalho forçado e prostituição.

Dezembro de 2010 - Malásia e Brunei acordo para desenvolver conjuntamente duas áreas de petróleo fora de Bornéu, encerrando uma disputa de fronteira que data de 2003, que levantou a exploração.

Fonte: news.bbc.co.uk

Brunei

Introdução

Brunei é um país localizado no sudeste da Ásia, na ilha de Bornéu. Além do Mar da China Meridional litoral, é rodeado pela Malásia.

A posição costeira coloca Brunei perto de rotas marítimas vitais que ligam o Índico e Pacífico.

Brunei é predominantemente plano, com montanhas no leste. O governo é um sultanato constitucional, o chefe de estado e chefe de governo é o sultão e primeiro-ministro. Brunei tem um sistema de economia mista em que a economia inclui uma variedade de liberdade privada, combinada com o planejamento econômico centralizado e regulamentação do governo. Brunei é um membro da Cooperação Econômica Ásia-Pacífico (APEC) e da Associação de Nações do Sudeste Asiático (ASEAN).

História

Os historiadores acreditam que foi um precursor para o Sultanato de Brunei presente, que o chinês chamado Po-ni. Registros chineses e árabes indicam que este reino de negociação antiga existia na foz do Rio Brunei, logo no século sétimo ou oitavo Este reino início aparentemente foi conquistada pelo Império do Hindu Sumatra Srivijaya no início do século IX, que mais tarde controlado norte Bornéu e as Filipinas. Ele foi subjugado brevemente pelo Império Majapahit baseado em Java, mas logo recuperou a sua independência e, mais uma vez a proeminência.

O Império Brunei teve sua idade de ouro de 15 a 17 séculos, quando seu controle se estendeu por toda a ilha de Bornéu e norte para as Filipinas. Brunei foi particularmente poderoso sob o sultão quinta, Bolkiah (1473-1521), que era famosa por seus façanhas do mar e até mesmo brevemente capturado Manila, e sob o sultão nono, Hassan (1605-1619), que desenvolveu uma estrutura totalmente Tribunal elaborada Real , elementos de que permanecem até hoje.

Depois de Sultan Hassan, Brunei entrou num período de declínio devido a lutas internas sobre sucessão real, bem como as influências crescentes de potências coloniais europeias na região, que, entre outras coisas, perturbações nos padrões comerciais tradicionais, destruindo a base econômica de Brunei e muitos outros Sudeste Asiático sultanatos. Em 1839, o aventureiro Inglês James Brooke chegou em Bornéu e ajudou o sultão acabar com uma rebelião. Como recompensa, ele se tornou governador e mais tarde "Rajah" de Sarawak, no noroeste de Bornéu e gradualmente expandiu o território sob seu controle.

Enquanto isso, os britânicos empresa norte de Bornéu foi ampliando seu controle sobre o território, no nordeste de Bornéu. Em 1888, Brunei se tornou um protetorado do Governo britânico, mantendo independência interna, mas com o controle britânico sobre assuntos externos. Em 1906, Brunei aceitou uma outra medida de controle britânico quando o poder executivo foi transferido para um residente britânico, que aconselhou o governante sobre todos os assuntos, exceto as relativas costume local e religião.

Em 1959, uma nova constituição foi escrito declarando Brunei um estado de auto-governo, enquanto suas relações exteriores, segurança e defesa permaneceu a responsabilidade do Reino Unido. Uma tentativa, em 1962, a introdução de um corpo parcialmente eleito legislativo com poderes limitados foi abandonada depois que o partido político de oposição, Parti Rakyat Brunei, lançou um levante armado, que o governo colocou para baixo com a ajuda de forças britânicas.

No final dos anos 1950 e início dos anos 1960, o governo também resistiu pressões para aderir Sabah e Sarawak vizinho na Malásia recém-formado. O sultão de Brunei, eventualmente, decidiu que iria continuar a ser um estado independente.

Em 1967, o sultão Omar abdicou em favor de seu filho mais velho, Hassanal Bolkiah, que se tornou o governante 29. O sultão ex permaneceu como ministro da Defesa, e assumiu o título real Seri Begawan. Em 1970, a capital nacional, Brunei Town, foi rebatizado Bandar Seri Begawan em sua honra. O Seri Begawan morreu em 1986.

Em 4 de janeiro de 1979, Brunei e Reino Unido assinaram um novo tratado de amizade e cooperação. Em 1 de janeiro de 1984, Brunei se tornou um estado totalmente independente.

Economia

Economia Brunei um crescimento moderado em meados da década de 2000, principalmente devido à alta mundial do petróleo e do gás. No entanto, o crescimento de Brunei tem caído drasticamente nos últimos anos. Em 2009, o PIB encolheu de 15,6 bilhões dólares EUA (BND 20,4 bilhões) para EUA $ 12 bilhões (BND 15,6 bilhões). Brunei continua a ter uma das mais baixas taxas de crescimento do PIB de qualquer país da ASEAN, no entanto, Brunei também é classificado como tendo um dos maiores índices de estabilidade macroeconômica no mundo eo maior na Ásia. Conservadores Brunei políticas econômicas isolados que de grande parte da crise financeira global de 2008-2009.

Brunei é o produtor de óleo quarta maior no Sudeste Asiático, com média de cerca de 167 mil barris por dia em 2009. Ele também é o nono maior exportador de gás natural liquefeito do mundo (de acordo com o Conselho de Desenvolvimento Econômico de Brunei). Como muitos países produtores de petróleo, a economia de Brunei seguiu as oscilações do mercado mundial de petróleo. O crescimento econômico tem uma média de cerca de 2,8% na década de 2000, fortemente dependente de petróleo e produção de gás. Liquefeito médias de saída de gás natural 895 milhões pé côvado / dia. Produção de petróleo global tem diminuído nos últimos anos, e as taxas de crescimento caíram significativamente. Brunei reservas de petróleo são esperados para durar 25 anos, e reserva de gás natural de 40 anos. No entanto, novas tecnologias e potenciais campos em terra e mar profundo são esperados para aumentar a vida útil das reservas.

Brunei Shell Petroleum (BSP), uma joint venture detida em partes iguais pelo Governo Brunei eo grupo Royal Dutch / Shell de empresas, é o óleo de chefe e da empresa de produção de gás em Brunei. Ela também opera a única refinaria do país. BSP e quatro empresas irmãs - incluindo o natural BLNG gás liquefeito empresa de produção - constituem o maior empregador em Brunei depois de o governo. BSP pequena refinaria tem uma capacidade de destilação de 10.000 barris por dia. Isso satisfaz a demanda interna para a maioria dos produtos de petróleo.

A companhia francesa Total petróleo (ex-Elf Aquitaine) tornou-se ativo na exploração de petróleo em Brunei em 1980. A joint venture Total E & P Bornéu BV produz atualmente cerca de 35.000 barris por dia e 13% de gás natural Brunei. Como o principal operador do recém resolvido Brunei-Malásia águas profundas bloco CA-1, a produção total de petróleo e gás vai aumentar significativamente no futuro.

Em 2003, a Malásia disputado concessões petrolíferas Brunei-concedidas para exploração de blocos offshore J e K (Total e Shell, respectivamente), o que levou ao Brunei licenciados cessar as atividades de exploração. Os dois países afirmaram que chegaram a uma resolução produção conjunta para o conflito. Dois blocos em terra estão sendo exploradas seguintes prêmios para dois consórcios - ambos australiano operações lideradas. Austrália, Indonésia, Índia e Coréia eram os maiores clientes das exportações de petróleo do Brunei, consumindo mais de 70% do total de exportações de petróleo do Brunei. Outros países, incluindo a Nova Zelândia e China, cada um comprou mais de 7% do total de exportações de petróleo do Brunei (2009 Brunei Darussalam - Estatísticas do Comércio Externo).

Quase todos de gás natural Brunei é liquefeito a Gás Liquefeito de Brunei Shell Natural (BLNG) da planta, que foi inaugurado em 1972 e é uma das maiores plantas de GNL do mundo. Cerca de 90% do GNL Brunei produzido é vendido para o Japão sob um acordo de longo prazo renovado em 1993. De acordo com BLNG, o acordo prevê a Brunei para fornecer mais de 6 milhões de toneladas de GNL por ano para três utilitários japoneses, ou seja, a Tepco, Tokyo Electric Power Co. (J.TER ou 5001); Tokyo Gas Co. (J.TYG ou 9531) e Osaka Gas Co. (J.OSG ou 9532). A empresa japonesa Mitsubishi é um parceiro de joint venture com a Shell eo Governo Brunei em Brunei GNL, Coldgas Brunei, Brunei e Petroleiros da Shell, que juntos produzem o GNL e fornecê-lo para o Japão. Desde 1995, Brunei forneceu 700.000 toneladas de GNL por ano para a Coreia do Gás Corporation (KOGAS) também. No segundo trimestre de 2008, a produção total de gás natural atingiu 0,855 bilhões pés cúbicos por dia. Uma pequena quantidade de gás natural é utilizada para geração de energia doméstica. Desde 2001, o Japão continua sendo o mercado de exportação de gás natural dominante. Brunei é o quarto maior exportador de GNL do mundo (de acordo com o Brunei Conselho de Desenvolvimento Econômico) atrás de Indonésia, Malásia e Austrália.

O governo procurou na última década para diversificar a economia com sucesso limitado. Petróleo e gás e os gastos do governo ainda respondem pela maior parte da atividade econômica Brunei. Não-petrolíferos Brunei indústrias incluem a agricultura, silvicultura, pesca, aquicultura e serviços bancários. A indústria do vestuário para exportação tem vindo a diminuir desde os Estados Unidos eliminou o sistema de quotas de vestuário no final de 2004. No entanto, com 75% do total de exportações de vestuário no valor de EUA $ 66 milhões, os Estados Unidos continuam sendo o maior mercado de exportação para o vestuário. O Brunei Conselho de Desenvolvimento Econômico (BEDB) anunciou planos em 2003 para usar reservas comprovadas de gás para estabelecer a jusante projetos industriais. Em 2006, a Companhia Metanol Brunei, uma joint venture entre Petróleo Brunei, Mitsubishi, Itochu e, foi estabelecido. A fábrica de metanol $ 400 milhões, alimentado por gás natural, entrou em operação em 2010. A planta tem capacidade para produzir 2.500 toneladas de metanol por dia. O governo tem planos de construir uma usina na região Liang Sungai para alimentar uma usina petroquímica base de gás e outras indústrias a jusante que vai depender de investidores estrangeiros. Um segundo grande projeto de acordo sobre o investimento estrangeiro está em Pulau Besar Muara (PMB). Em julho de 2011, BEDB anunciou a criação de uma refinaria de petróleo dos EUA $ 2,5 bilhões e projeto aromáticos biscoito na PMB. Outros setores visados são de produção petroquímica, armazenamento de petróleo e química, e uma base de fornecimento marinha.

O governo regulamenta a imigração de mão de obra estrangeira com a preocupação de que pode afetar a sociedade Brunei. Autorizações de trabalho para estrangeiros são emitidos apenas por períodos de 2 anos ou menos e deve ser repetidamente renovado. Apesar dessas restrições, os cerca de 100.000 estrangeiros residentes temporários de Brunei compõem uma parcela significativa da força de trabalho. O governo informou uma força de trabalho estimada de 198.800 em 2010, com uma taxa de desemprego derivado de 2,7% (2010 Brunei Darussalam Indicadores Chave - BDKI).

Petróleo e gás natural conta para quase todas as exportações. Uma vez que apenas alguns produtos que não sejam de petróleo são produzidos localmente, uma grande variedade de itens devem ser importados. No entanto, Brunei teve um superávit comercial significativo ao longo da última década. As estatísticas oficiais mostram Cingapura, Malásia, Estados Unidos e China como os principais fornecedores de importações em 2009. Os Estados Unidos foi o terceiro maior fornecedor de importações de Brunei, em 2009.

Substanciais Brunei reservas internacionais são gerenciadas pela Agência de Investimento de Brunei (BIA), um braço do Ministério da Fazenda. Princípio orientador BIA é aumentar o valor real das reservas cambiais Brunei enquanto prossegue uma estratégia de investimento diversificado, com participações no Estados Unidos, Japão, Europa Ocidental e os países da ASEAN.

O governo incentiva o investimento estrangeiro em Brunei. Novas empresas que atendam a determinados critérios pode receber status de pioneira, isentando lucros de imposto de renda de até 5 anos, dependendo da quantidade de capital investido. A taxa normal do imposto de renda corporativo é de 30%. Não há imposto de renda pessoal ou imposto sobre ganhos de capital. No entanto, o investimento estrangeiro direto (IED) fora da indústria de petróleo e gás permanece limitado.

Uma das prioridades do governo é incentivar o desenvolvimento de Brunei malaios como líderes da indústria e do comércio. Não há restrições específicas de propriedade de capital estrangeiro, mas a participação local, tanto de capital e gestão compartilhada, é incentivado. Essa participação ajuda quando de concurso para contratos com o governo ou a Shell Petroleum Brunei.

Empresas em Brunei ou devem ser incorporados localmente ou registrada como uma filial de uma empresa estrangeira e deve ser registrado com o secretário de Empresas. As empresas públicas devem ter um mínimo de sete acionistas. As empresas privadas devem ter um mínimo de duas, mas não mais de 50 acionistas. Pelo menos metade dos diretores de uma empresa devem ser residentes de Brunei.

O governo é dono de uma fazenda de gado na Austrália por meio do qual as entregas de carne bovina do país são processados. Em 2262 milhas quadradas, esta fazenda é maior do que Brunei si. Ovos e frangos são largamente produzidos localmente, mas a maioria de outras necessidades do Brunei de alimentos devem ser importados. Agricultura, aqüicultura e pesca estão entre os setores industriais que o governo selecionou para a mais alta prioridade em seus esforços para diversificar a economia. Filipinas e China estão atualmente envolvidos com os maiores projetos conjuntos com o Governo de Brunei para aumentar a produção agrícola e das pescas. As empresas americanas estão consultando em projetos de aqüicultura.

Desde 2002, o governo tem trabalhado para desenvolver Brunei como um centro offshore financeira internacional, bem como um centro para o sistema bancário islâmico. Brunei é servido por um grande número de bancos de dados o seu tamanho. Sistema bancário islâmico é crescente, principalmente no mercado obrigacionista Islâmica (sukok). Offshore bancário e incorporação de negócios continua a ser um pequeno setor no mercado de serviços financeiro global. Brunei está empenhada no desenvolvimento de pequenas e médias empresas e criou uma incubadora de tecnologia para incentivar o desenvolvimento de uma indústria de tecnologia da informação. Brunei também promoveu ecoturismo para aproveitar a mais de 70% do território de Brunei que permanece floresta tropical primária. Brunei é um participante e procura ter um papel de liderança no Coração de Bornéu trilateral iniciativa de conservação. Enquanto o ecoturismo está crescendo, o impacto global de diversificação econômica é limitada.

Governo

Principais Funcionários do Governo

Chefe de Estado: Sultan eo primeiro-ministro Hassanal Bolkiah
Chefe de Governo: Sultan eo primeiro-ministro Hassanal Bolkiah

Pela Constituição de Brunei, em 1959, o sultão é o chefe de Estado com autoridade executiva plena, incluindo poderes de emergência desde 1962, que é renovado a cada dois anos. O sultão é ajudado e aconselhado por cinco conselhos, que ele designa.

Um Conselho de Ministros, ou gabinete, que atualmente é composto por 14 membros (incluindo o próprio sultão), auxilia na administração do governo. O sultão preside o gabinete como primeiro-ministro e também ocupa os cargos de Ministro da Defesa e Ministro das Finanças. Seu filho, o príncipe herdeiro, serve como Ministro de Estado. Um dos irmãos do sultão, o príncipe Mohamed, serve como ministro dos Negócios Estrangeiros. Em maio de 2010, o sultão nomeou o vice-ministro primeira mulher e elevou a posição tanto do Estado e Procuradoria Geral Mufti de nível ministerial.

A Assembleia Legislativa, com assentos designados e poderes mínimos, foi re-introduzida após 2004 emendas constitucionais emitidos pelo sultão. Mais tarde, um pequeno número de cadeiras legislativas do Conselho foram eleitos indiretamente por líderes da aldeia.

Sistema legal Brunei é baseada no direito comum Inglês, com um sistema judiciário independente, um corpo de escritos juízos de direito comum e estatutos e legislação promulgada pelo sultão. Tribunais de magistrados locais tentar maioria dos casos. Os casos mais graves vão perante o Supremo Tribunal, que fica por cerca de duas semanas a cada poucos meses. Brunei tem um acordo com o Reino Unido em que os juízes do Reino Unido são apontados como os juízes para Alta Corte de Brunei e Tribunal de Recurso. O apelo final pode ser feita para o Comitê Judicial do Conselho Privado em Londres, em casos civis, mas não criminoso. Brunei também tem um sistema separado de tribunais islâmicos que se aplicam a sharia na família e outros assuntos que envolvem muçulmanos.

O Governo de Brunei garante continuidade do apoio público para a atual forma de governo por meio de benefícios econômicos, como alimentos subsidiados, combustível, e habitação, educação gratuita e cuidados médicos, e empréstimos a juros baixos para funcionários públicos.

Economia de Brunei é quase totalmente suportado pelas exportações de petróleo bruto e gás natural, que representam mais de 90% do PIB e mais de 50% das exportações. O governo usa seus lucros, em parte, para construir suas reservas estrangeiras. A Agência de Investimento de Brunei gere a maior parte dos investimentos estrangeiros do país, que são relatados ter chegado a mais de US $ 30 bilhões. A riqueza do país, juntamente com a sua participação nas Nações Unidas, a Associação de Nações do Sudeste Asiático (ASEAN), a Ásia Pacific Economic Cooperation (APEC), e da Organização de Cooperação Islâmica dar-lhe uma influência no mundo desproporcional ao seu tamanho.

RELAÇÕES EXTERIORES

Brunei aderiu à Associação de Nações do Sudeste Asiático (ASEAN) em 7 de janeiro de 1984 - uma semana depois de retomar a plena independência - e dá a sua adesão à ASEAN a mais alta prioridade em suas relações externas. A presidência da ASEAN vai rodar a Brunei, em 2013. Brunei ingressou na ONU em setembro de 1984. Ele também é membro da Organização de Cooperação Islâmica (OCI) e da Ásia-Pacific Economic Cooperation (APEC). Brunei hospedado Reunião dos Líderes da APEC Econômicas, em novembro de 2000 eo Fórum Regional da ASEAN (ARF), em julho de 2002.

Fonte: globaledge.msu.edu

Brunei

O Sultanato de Brunei governou durante o décimo quarto para o CE do século XVI. Seu território supostamente cobria a parte norte do Bornéu e no sul das Filipinas . Europeu influência gradualmente trouxe um fim a esta potência regional.

Mais tarde, houve uma breve guerra com a Espanha , em que Brunei foi vitorioso. O declínio do Império Bruneian culminou no século XIX, quando Brunei perdeu muito de seu território para os Rajás Branca de Sarawak , resultando em seus atuais landmass pequenas e separação em duas partes. Brunei foi um britânico protetorado 1888-1984.

O Brunei reino é mais de um milênio. Localizado na rota de comércio que vai desde a China ao arquipélago da Indonésia , a Índia e Oriente Médio , Brunei se tornou um importante porto comercial de 977.

O nome é mencionado em Brunei Nagarakertagama , um poema épico escrito em 1365 no reino javanês de Majapahit , que menciona "Buruneng" entre as várias centenas de "países dependentes" do reino. Na realidade, o território controlado por Majapahit estendido apenas sobre uma parte do leste e central de Java. Os "países dependentes" eram, na verdade, contadores, formando uma rede de vendas que Majapahit era o centro. Majapahit enviado a personalidades cuja função era garantir que esses contadores não se envolver em um negócio que está fora do domínio privado.

O Brunei desenvolve rapidamente após a queda de Majapahit, abrangendo toda a costa norte de Bornéu.

Foi neste período de seu pico histórico no ano de 1520 , que o reino de Brunei, islâmica, torna-se um sultanato. Em 1 703 ( 1 658 de acordo com outras fontes), em gratidão pela ajuda que ele tinha dado o sultão de Sulu para combater uma rebelião, o sultão de Brunei dá um território no norte de Bornéu, o que corresponde a é o atual estado de Sabah na Malásia.

Brunei então enfraquece gradualmente, enquanto as áreas vizinhas são colonizados por potências ocidentais ( Portugal , Grã-Bretanha , Espanha ), que também estabelecem postos comerciais. O país está gradualmente perdendo seus bens.

Especialmente em 1839, um inglês chamado James Brooke (1803-1868) comprou a sua herança modesta, um iate que arma com a qual ele se mudou para Singapura . De lá, ele foi para a Borneo em busca de aventura. Ele está a serviço de um príncipe de Brunei, presa de uma guerra civil. Em 1841, Brooke foi recompensado por ter sido nomeado Raja (vice-rei) da região de Kuching . Este é o ponto de partida para uma extraordinária império privado, Sarawak (agora um estado da Malásia), Brooke e seus dois sucessores, Raja branca vai se expandir.

Em 1865 , o cônsul dos EUA em Brunei, Claude Lee Moisés , obtido a partir do sultão um contrato de arrendamento de 10 anos para o território do Norte de Bornéu. Mas depois de sua guerra civil , os Estados Unidos não querem mais lidar com as colônias asiáticas. Moisés vendeu seus direitos para a Companhia de Comércio americano com sede em Hong Kong. Estabeleceu um post. Dificuldades financeiras e de fuga de trabalhadores migrantes levar ao abandono do cargo em 1866. O contrato termina em 1875, a Companhia de Comércio americano vende seus direitos para o Cônsul da Áustria-Hungria, Hong Kong, Barão Von Overbeck . Overbeck Brunei obtém a renovação do contrato de arrendamento de 10 anos.

O Brunei torna-se em 1906 um protetorado britânico.

O petróleo é descoberto em 1903 e começou a ser usado em 1929 . No momento da descolonização (segunda metade do século XX ), o país mudou de status muitas vezes. Em 1959 , ainda sob protetorado britânico, ele acessa a autonomia interna. Movimento nacionalista e democrático desenvolve este período, ele liderou uma rebelião violenta em 1962 , rapidamente esmagada pelos britânicos.

Foi então que o estado de emergência é declarado ea constituição abolida: uma vez que apenas o sultão e do governo por decreto.

O sultanato tornou-se independente, sob as regras de um acordo com Londres, em 01 de janeiro 1984 . O atual sultão Hassanal Bolkiah .

Nome Oficial: Negara Brunei Darussalam (Sultanato de Brunei)

Capital de Brunei: Bandar Seri Begawan

Área: 5.770 km² (163º maior)

População: 343,653 mil (2001)

Idiomas Oficiais: Malaio, Árabe, Inglês

Moeda: Dólar do Brunei

Nacionalidade: Bruneiana

Principal Cidade: Bandar Seri Begawan, Kuala Belait, Seria

Brunei foi um sultanato poderoso nos séculos XVI a XIX, mas tornou-se um protetorado do Reino Unido em 1888, mais tarde na Segunda Guerra Mundial é invadido pelo Japão, em 1945 volta ser protetorado britânico. Em 1959, o país obtem a independencia, porém o Reino Unido fica responsável por sua defesa e relações exteriores.

Em 1962 é sufocada um a revolta contra o governo, por tentativa de unificação do país com a Malásia. Em 1984, o país se torna completamente independente, mas com governo ditadoral, pelo sultão Hassanal Bokiah.

Corrupção

Em 1998, o príncipe Jefri Bolkiah, irmão mais novo do sultão, é afastado de empresas estatais por má adminstração e pela falência de um empresa estatal, a Amedeo Development Corportion, que acumularam prejuízos de US$16 bilhões e 23 mil novos desempregados. O sultão que antes era considerado o homem mais rico do mndo, tem sua fortuna diminuida de US$40 bi para US$10 bi, el processa seu irmão.

Economia

A principal riqueza do Brunei é o petróleo, que contribui para mais de metade do Produto Nacional Bruto. Brunei faz parte do tratado internacional chamado APEC (Asia-Pacific Economic Cooperation), um bloco econômico que tem por objetivo transformar o Pacífico numa área de livre comércio e que engloba economias asiáticas, americanas e da Oceania.

Geografia

O Brunei consiste de duas partes sem ligação. 97% da população vive na parte maior, a ocidente, enquanto que só 10 000 pessoas vivem na parte leste, montanhosa, que constitui o distrito de Temburong. As cidades principais são a capital, Bandar Seri Begawan (cerca de 46 000 habitantes), a cidade portuária de Muara e Seria.

O clima no Brunei é tropical, com temperaturas e humidade atmosférica elevadas e muita chuva.

Idiomas

Malaio, inglês, chinês e tâmil

Religião

Islamismo 75%, cristianismo 7,6%. A liberdade de culto é limitada e a evangelização é proibida

Alimentação

O país tem hábitos alimentares bem diferentes, umas frutas bem comuns são a famosa Carambola, a banana e a graviola e os pratos são extremamente exóticos..os mais comuns nos restaurantes das cidades Bruneianas são de origem árabe, mistura-se bastante frutas com legumes e os grelhados também são optados pelo povo de Brunei.

Vestimenta

Os hábitos de vestimenta são bastante incomuns aos países ocidentais.

As mulheres usam roupas bem estampadas, misturando muitas cores e complementando com a burca que é adotada devido as tradições mulçumanas do país, onde a mulher é exageradamente reservada quanto às vestimentas... os homens por sua vez utilizam roupas em tons mais discretos e um turbante na cabeça (utilizado na maioria das vezes em festas).

É interessante lembrar que apesar de essas roupas serem “tradicionalistas” não é toda a população do país que utiliza rigorosamente esse tipo de roupa, até porque o país, ainda seja em maior quantidade de origem Malaia, possui mais de uma origem.

Fonte: fr.wikipedia.org

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal