Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Butiá - Página 3  Voltar

Butiá

Nome Popular: Butiá
Nome Científico: Butia eriospatha (Mart. Ex Drude) Becc.
Família Botânica: Arecaceae

Butiá

Sinônimo

Cocos eriospatha Mart. Ex Drude, Syagrus eriopatha (Mart. Ex Drude) Glassm.

Características Gerais

Palmeira nativa da América do Sul, também conhecida por MACUMÁ e que ocorre nas matas e campos das regiões altas do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

O nome de butiá-felpudo é devido à espessa lanugem acastanhada na parte externa da espata. Sua altura varia de 4 a 6 m e seu diâmetro (DAP) de 20 a 40 cm, caracterizando-se pelo estipe revestido de bainhas e pecíolos velhos na região abaixo da coroa de folhas.

Suas folhas pinadas, com coloração azul-esverdeada, podem chegar a 2 m de comprimento, com um pecíolo geralmente recoberto, na base, por delicados espinhos.

É uma planta monóica. A inflorescência interfoliar, de 1 m de comprimento, é densamente ramificada, possuindo uma espata de até 12 m de comprimento, acanoada e ereta. A floração amarela ocorre de setembro a janeiro. Os frutos, pequenos, globosos e amarelos, amadurecem no verão e são consumidos ao natural ou sua polpa é usada na produção de licor e vinho.

Da semente, pode ser extraído um tipo de azeite comestível. Seu estipe, de boa durabilidade, é usado em construções rústicas e as fibras das folhas, para a fabricação de chapéus, cestos, cordas e enchimentos de colchões e estofados.

Fonte: www.paty.posto7.com.br

Butiá

Butiá

NOME INDIGENA

Butiá vem do Tupi e significa “Fruto de fazer vinagre”

Origem

Restinga arbustiva do Paraná ao Rio Grande do Sul, Brasil.

Características

Palmeira com caule único de 3 a 6 m de altura. O tronco é marcado pelos anéis resultantes da queda das folhas. Cada folíolo tem margens em forma de dentes. As inflorescências saem do meio das folhas.

Dicas para cultivo

É uma planta de crescimento moderado que adapta-se a vários tipos de solos de drenagem rápida, ricos em matéria orgânica e profundos. É resistente a geadas de até -5 grau. A planta só frutifica tanto na sombra (50%) como em pleno sol.

Mudas

As sementes conservam-se por longo tempo (8 anos) e germinam sem nenhum tratamento entre 120 dias a 2 anos. As mudas crescem lentamente, com 4 folhas definitivas após 2 anos, quando já podem ser plantadas. Frutifica em 6 a 8 anos após o plantio.

Plantando

Recomendo que seja plantada a pleno sol num espaçamento 6x6 m. Melhor época de plantio é dezembro a janeiro, convém irrigar com 20 de água após o plantio e a cada 15 dias se não chover. As covas devem se bem adubadas com composto orgânico bem curtido, acrescentando 1 lata de 18 l de areia de rio, + 1 kg de calcário e 1 kg de cinza de madeira, não é necessário adubação química.

Cultivando

A planta cresce lentamente e não necessita de cuidados especiais, é ideal para ornamentar jardins e praças. Adubar apenas com 30gramas de N-P-K 4-14-8 distribuídos apenas superficialmente, à partir do terceiro ano após o plantio, dobrar a quantidade por 4 anos, depois manter a quantia; acrescentando também 5 l de cama de frango bem curtida no inicio da primavera.

Usos

Os frutos são ideais para fazer suco e quando fermentado produz ótimo vinagre.

Fonte: frutasraras.sites.uol.com.br

Butiá

Butiá

O termo butiá é a designação comum às palmeiras do gênero Butia, com nove espécies conhecidas, nativas da América do Sul. Possuem em geral estipe médio, com cicatriz de pecíolos antigos, longas folhas penatífidas us. em obras trançadas, e pequenas drupas comestíveis, com semente oleaginosa.

O termo butiá pode remeter ainda, mais especificamente, à Butia capitata, uma palmeira de até 7 m, nativa do Paraguai, Brasil (de Minas Gerais ao Rio Grande do Sul), Argentina e Uruguai, cujo estipe é utilizado no fabrico de papel. De seus frutos, alaranjados, se faz geléia, licor, cachaça e vinagre, e das sementes, comestíveis, se extrai óleo.

Também é conhecida pelos nomes de butiá-açu, butiá-azedo, butiá-branco, butiá-da-praia, butiá-de-vinagre, butiá-do-campo, butiá-miúdo, butiá-roxo, butiazeiro, cabeçudo, coqueiro-azedo, guariroba-do-campo e palma-petiza. No estado do Rio Grande do Sul esta palmeira também é conhecida como jerivá.

Fonte: pt.wikipedia.org

voltar 123avançar
Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal