Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Camarões  Voltar

Camarões

LOCALIZAÇÃO GEOGRÁFICA

Camarões situa-se ao oeste da Àfrica, ocupando uma extensão de 475.422 quilômetros quadrados. Suas fronteiras são ao oeste do Oceano Atlântico e Nigéria, o Chade e África Central ao leste, e o Congo e Guiné Equatorial ao sul. Administrativamente está dividido em 10 províncias.

Seu território pode dividir-se em quatro regiões geográficas. Ao sul estão as planícies costeiras e uma planície boscosa que é onde a maior parte da população se dedica à agricultura. No norte a savana descende para a bacia do Lago Chade. No norte a terra se eleva para a Planície de Adamaoua com uma altitude máxima que supera os 1000 metros. No oeste a zona é mais bem montanhosa.

A maior elevação da Àfrica Ocidental encontra-se perto da costa, trata-se do Monte Camarões com 4.100 metros de altitude, que segundo se cre, já no século V aC. foi avistado por um marinheiro púnico. Trata-se de um vulcão que ainda está em ação.

Camarões tem quatro bacias hidrográficas: umas desembocam no Atlântico como o Sanaga e Nyong; outros na bacia do Níger como o Benoue; no Congo ou no antigo Zaire vertem suas águas o Ngoko e Sangha; e no lago Chade os rios Logone e Chari.

O clima abarca todos os tipos intertropicais: ao sul o equatorial com chuvas contínuas entre março e outubro. Em agosto é a estação seca mas com uma grande umidade. Ao norte de Adamava tem um clima tropical com uma estação de chuvas que se extende de junho a outubro. para o norte aumentam os contrastes térmicos. As temperaturas máximas e mínimas que se tem registrado na capital são 14 graus centígrados de mínima e 36 graus de máxima. As chuvas estão presentes durante todo o ano, mas são mais frequentes de março a junho e de setembro a novembro. A precipitação média na capital é de 1.555 mm e em Doula muito mais alta, 4.026 mm.

FLORA E FAUNA

Existem distintos tipos em atenção à variedade de climas. O clima equatorial proporciona uma selva bastante cheia. No resto há savana arbórea e herbácea.

No norte encontra-se um dos parques nacionais mais espetaculares da Àfrica, o Parque Nacional Waza, onde habita usam grande reserva de aves. Outros parques importantes são o de Bubadjidah, Benue Faro e Kamalue onde vivem elefantes, leões, panteras, hipopótamos, girafas, búfalos, antílopes.

História

A primeira civilização conhecida é a dos Sao que se desenvolve para o século XIII. No século XV se cria o reino de Mandara que será assimilado pelo de Bornu e mais tarde pelos Peul no século XVII que, adeptos ao islamismo, criaram o reino feudal.

Nos finais do século XV os portugueses tinham instalado no rio dos Camarões, onde depois chegariam o resto dos europeus e começaria o tráfico de escravos.

Durante o século XIX os alemães dominam o império colonial que perderam trás a Segunda Guerra Mundial, tomando o mando franceses e ingleses até a independência.

Independência

Depois da Segunda Guerra Mundial, Inglaterra domina a parte oriental e a ocidental está regida por França. França concede a independência em 1 de janeiro de 1960 baixou a direção de Ahmadu Ahidjo. Em outubro de 1961 celebra-se um referendum e surge a Federação do Camarões que une ambas zonas.

Em um princípio teve subelevações e tentativas de seção por parte de pequenos grupos regionalistas. Ahmadu tratou de dirigir a Federação com uma política que mirava para a unidade total, criando a "União Nacional Camerunesa", desfazendo a Federação em 1972 e proclamando a República de Camarão. Ahmadu, demitiu de forma voluntária em 1982 e sucedeu no poder Paul Biya.

História Recente

Em 1992 Paul Biya é reeleito presidente da República mediante as primeiras eleições multipartidárias, cargo que segue ocupando na atualidade. Peter Mafany é primeiro ministro desde setembro de 1996.

Arte e Cultura

O povo Duala, um povo que se dedica à pesca, decora suas embarcações com motivos simbólicos, possivelmente relacionados com a fecundidade na pesca. Em respeito a escultura cortesana tem também como a arte tradicional um sentido prático, concretamente tem um fim político, realizar a figura do rei.

Os Bamum nos finais do século XVII se separam da Confederação Bamileke e fundam seu próprio império em século XVIII. Sua arte se caracteriza pelo sentido positivo da vida e o prazer desta mesma se mostra na assimetria de suas composições e o grande colorido. Trabalham a madeira e o barro cozido em pipas, o instrumento típico deste povo.

O povo Bikom faz esculturas de tamanho natural, decoradas com pérolas e cabelos humanos.

Gastronomia

O alimento mais característico da cozinha camerunesa é o peixe. Tem muita variedade de espécies de bom sabor e qualidade, tanto de água doce como de mar.

O prato típico da gastronomia camerunesa é o ndolé, um prato preparado com carne ou peixe, apimentado e acompanhado de amendoins; são também típicos o cus-cus de milho com molho de peixe e a carne com champinhons. Como pratos curiosos deve-se assinalar os que são feitos com carne de crocodilo, porco espinho ou boa (o que se recomenda evitar).

Outros pratos que se preparam são o peixe defumado ao "gombo", o frango com amendoins e o boi com nozes de palma. A cozinha ocidental pode-se comer em Doualaou Yaoundé.

Compras

Os objetos que pode-se comprar em Camarões tem em sua maioria relação com o artesanato local. Por ter diversas etnias, também a artesanato é variado. São típicos de Camarões os trabalhos realizados com pele de serpente e lagarto e os objetos cobertos por inteiro com contas de cores.

Destaca-se a cerâmica e a cesteria dos kotokos; as máscaras dos bamileke; as máscaras policromadas de Maroua; esculturas e outros utensílios talhados em madeira de Garoua e Maroua; trabalhos em metal dos Bamun; jóias e cerâmica de Maroua, e trabalhos em couro.

População e Costumes

Camarões tem uma população de aproximadamente 14.678.000 segundo um censo realizado em 1997. Na capital, Yaundé, vivem uns 800.000 habitantes, a cidade mais povoada do país é Douala com 1,3 milhões. Tem contabilizado umas 80 etnias em todo o país. Ao norte encontram-se os árabes, choa, kotoko e massa que ocupam as planícies. Nas montanhas vivem os matakan, kapsiki e fali. A maioria são pastores semi nômades, alguns deles praticam a agricultura.

Nas montanhas do oeste encontra-se a maior parte da população que está formada principalmente pelos bamilekes e os bamun.

Próximo ao litoral vivem os grupos bantu e fang; e na selva do sul os povoados pesqueiros e os pigmeus que vivem da colheita.

Entretenimento

Camarões oferece muitas alternativas para divertir-se como por exemplo percorrer os Parques Nacionais e as Reservas Naturais de grande beleza paisagística e riqueza natural. O país também oferece a possibilidade de praticar esportes aquáticos e de montanha, além de realizar grandes caminhadas.

Camarões conta com cidades típicas africanas e também coloniais onde se aprecia o cruzamento de culturas: o exotismo africano e a modernidade européia.

Festividades

São dias festivos as festas cristãs como Natal, Sexta-Feira Santa, a Assunção e a Ascensão. Tem suas próprias festas como o 1 de Janeiro que celebram o dia da Independência. Em 11 de Fevereiro é a festa da Juventude, 1 de Maio festejam o Dia do Trabalho, 20 de Maio é Festa Nacional e 1 de Outubro o Dia da Reunificação, sem esquecer as festividades muçulmanas que variam cada ano.

Transportes

Avião

As principais cidades de Camarões estão unidas pelas linha aéreas nacionais, Camarões Airlines. O aeroporto de Nsimalem encontra-se a 18 quilômetros de Yaoundé.

Trem

A linha principal une as cidades de N'Gaoundere, Yaoundé, Douala e N'Kongsamba. No total a rede férrea de Camarões tem 1.200 quilômetros de vias.

Ônibus

Existe um bom serviço de ônibus interurbanos entre Yaoundé e Douala.

Carro

Entre os núcleos de maior população existe uma boa rede de estradas, conta além com uma autopista que une as cidades de Yaoundé e Douala e 20.000 quilômetros de pistas de terra mais ou menos cuidadas.

Transporte Público

Existe serviço de taxi nas principais cidades e que tem o preço estipulado pelo governo, cujas tarifas levam num lugar visível no interior do taxi.

Fonte: www.genteviajera.es

Camarões

História da República do Cameroun

Cameroun foi ocupado no século X por bantos que praticavam o pastoreio e a agricultura. Entre os séculos XVI e XIX tornaram-se entreposto de escravos e de produtos tropicais. Em 1884, os alemães estabelecem um protetorado, legitimado pela Conferência de Berlim. Com o fim da II Guerra Mundial, a região foi repartida entre França e Inglaterra.

Descoberto em 1472 pelo, Português Fernando Poo, o Cameroun se abre com os europeus pelo tráfico de escravos. De 1884 a 1915, o país fica sob protetorado alemão. A partir de 1919, o Cameroun foi dividido em duas partes que ficavam respectivamente sob mandato da França para a zona oriental e da Grã-Bretanha para a zona ocidental. Os dois territórios foram, outra vez, colocados sob a tutela das duas autoridades colonizadoras em 1943. Independente em 1° de janeiro de 1960. Em 1° de outubro de 1961, uma parte do Cameroun britânico se liga à Nigéria à parte meridional, quando a outra volta para a mãe pátria, o Cameroun Oriental.

Assim, o Cameroun se tornara sucessivamente uma Federação de dois Estados, e depois um Estado unitário após o Referendum de 20 de maio de 1972. Enfim, pela recente revisão constitucional de fevereiro de 1984, o país atravessa mais uma nova etapa na integração retomado a denominação de "República do Cameroun".

Aspectos Importantes da História

Século VI antes de J.C.- Hanon , chefe cartaginês, percorre o litoral do Cameroun e descobre o Monte Cameroun, então em atividade volcânica, que le denomina "Carruagem dos Deuses".

1472 - As caravelas do navegador português Fernando Poo ficam ancoradas no estuário de Wouri, batizado Rio dos Camarões (rivière des crevettes). A palavra portuguesa Camarões sera transformada em Camarones pelos espanhóis, em Kamerun pelos alemães e, the Cameroons pelos ingleses e Cameroun pelos franceses.

1436 - Os portugueses inauguram o comércio de escravos

1840 - (dia 10 de junho) - Os reis de Douala, Bell e Akwa, assinam com o governo britânico o primeiro contrato proibindo o comércio de escravos.

1843 - Joseph Merrick, pastor baptista negro da Jamaica chega a Fernando Poo e f unda a missão de Douala.

1879 - Os primeiros missionários americanos da Igreja Presbiteriana chegam a Batanga no Sul do Cameroun

1884 (dia 12 de julho) - Os reis e chefes de Douala assinam o tratado de assistência com o governo alemão. Dois dias mais tarde, a soberania alemã é unilateralmente proclamada por Nachtigal, representante imperial na costa oeste africana.

1916 - No dia 1º de janeiro, uma coluna inglesa penetra em Yaoundé. Em 7 de janeiro, uma coluna francesa chega igualmente a Yaoundé e expulsam os alemães.

1922 - Pelo Tratado e Versalhes, uma parte do Cameroun é colocada sob o mandato francês; e outra sob o mandato inglês.

1939 - O Cameroun tendo respondido ao apelo do General De Gaulle, participa da Segunda Guerra Mundial.

1945 - As duas partes do Cameroun são colocadas respectivamente sob a tutela da França e da Grã Bretanha.

1959 (dia 1º de janeiro) - O Cameroun vive sob o regime de autonomia interna.

1960 (dia 1º de janeiro) - A parte sob tutela da Fraça tem acesso à independência sob o nome de República do Cameroun.

1961 (dia 1º de outubro) - A parte meridional sob a tutela britânica, chamada Cameroun ocidental, e a República do Cameroun são reunidas sob o nome de República Federativa do Cameroun.

1972 (dia 20 de maio) - Nascimento da República Unida do Cameroun, um Estado unitário.

1982 (dia 6 de novembro) - Conforme a Constituição, Paul Biya torna-se presidente após a demissão de Ahmadou Ahidjo, então primeiro Chefe de Estado do Cameroun.

1984 (dia 7 de abril) - Há tentativa de golpe de estado realizada por alguns elementos da guarda republicana. O resto do Exército, mostrando sua lealdade, acaba com a revolta após dois dias de combate

1985 (dia 24 de março) - Nascimento do "Rassemblement démocratique du peuple camerounais/RDPC".

1990 - Sessão parlamentar denominada "das liberdades", sobre a liberdade de associação e do multipartidarismo.

1991 - O UPC é legalizado, posteriormente virão outros partidos políticos que serão legalizados.

1992 (dia 1º de março) - Primeiras eleições legislativas desde 1966, com vários partidos. (dia 11 de outubro) - Primeira eleição presidencial com vários partidos. O Presidente Biya é reeleito.

1993-1994 - A integridade territorial está ameaçada; ocupação de algumas localidades da península de Bakassi pelo exército da Nigéria.

1994 (dezembro) - Abertura em Yaoundé dos trabalhos do Comitê Consultivo Constitucional sobre a revisão da Constituição.

1996 (dia 18 de janeiro) - Promulgação da Constituição revisada, após sua adoção, no dia 23 de dezembro de 1995, pela Assembléia Nacional para a realização de um Estado moderno e mais democrático.

21 de janeiro - Primeiras eleições municipais com pluralismo político.

8 à 10 de julho - É realizada em Yaoundé a 32ª Conferência de Cúpula de Chefes de Estado e de Governo da Organização da Unidade Africana

Política

O Cameroun tem um sistema presidencialista. O Presidente da República é eleito por 05 anos. O Primeiro Ministro nomeado pelo Presidente exerce a função e Chefe de Governo.

O poder Legislativo é representando pela Assembléia Nacional cujos membros são eleitos por voto direto para mandato de 05 anos. A Assembléia vota as leis e controla a ação do governo, e o poder Judiciário fica independente dos poderes.

Existe um Conselho Econômico e Social composto de 85 membros nomeados pelo Presidente da República por 05 anos. O Conselho é uma Assembléia Consultativa para assuntos de carater econômico.

O Cameroun, com o sistema multipartismo (atualmente com 9 partidos mais importantes), enquadra o princípio de democracia, de soberania e de união nacional desde 1991.

O país no plano administrativo é dividido em 10 províncias, 49 departamentos, 180 minicípios e 26 distritos.

O presidente atual é S. E. Sr. Paul Biya, foto acima, eleito em Novembro de 1992 e reeleito em 1997.

Os principais partidos são:

União Democrática do Povo Camaronês (RDPC)

Frente Social-Democrática (SDF)

União Nacional pela Democracia e Progresso (UNDP)

Uniao Democrática de Camarões (UDC)

Economia

A atividade econômica no Cameroun é um empreendimento liberal onde a iniciativa privada é considerada como um verdadeiro motor do desenvolvimento econômico. O papel do Estado limita-se a fixação da regulamentação, assim como das ações seletivas nos setores julgados sensíveis e estratégicos.

A política é baseada nas grandes orientações para obter um desenvolvimento econômico, social e cultural do país, favorecido pelos fatos abaixo:

estabilidade política do pais, favorável à intervenção do investidores estrangeiros

a prioridade dada ás iniciativas apoiadas pelo código de investimento renovado

uma administração ciente das exigências de.desenvolvimento

considerado um dos mais liberais da África

a variedade dos recursos do solo e do subsolo

a produção de uma energia de bom mercado

mão-de-obra abundante, formada e perfeita.

O ano administrativo começa em 1º de julho e acaba em 30 de junho.

Agricultura

Cacau - 125 mil t, café - 72 mil t, plumas de algodão - 92 mil t, caroços de algodão - 110 mil t, mandioca - 1,5 milhão t, milho - 600 mil t, sorgo - 450 mil t. Dados de 1997.

Explora também recursos minerais como: ferro,cobre, bauxita, alumínio.

A pesca é intensiva. Os pescadores conseguem 120.000 t. em média. 90% do pescado é obtido de maneira artesanal nos rios e no mar; o resto do produto da pesca é conseguido pelo setor marítimo industrial.

Pecuária: bovinos - 4,9 milhões, suínos - 1,4 milhões, eqüinos 51 mil, ovinos - 3,8 milhões, caprinos - 3,8 milhões, aves - 20 milhões. Dados de 1997.

Pesca: 80 mil t. Dados de 1995.

O Cameroun é um país de auto-suficiência alimentar. Até a década de 80 vivia da agricultura e da exportação de cacau e café.

Produções

A agricultura constitui a chave da economia do Cameroun, representando 40% do PIB e fornecendo 70% das exportações em valores.

O Cameroun produz: cacau, café, algodão, borracha, madeira de lei, feijão, amendoim, trigo, banana, óleo de dendê, lã.

Agricultura: cacau - 125 mil t, café - 72 mil t, plumas de algodão - 92 mil t, caroços de algodão - 110 mil t, mandioca - 1,5 milhão t, milho - 600 mil t, sorgo - 450 mil t. Dados de 1997.

Explora também recursos minerais como: ferro,cobre, bauxita, alumínio.

A pesca é intensiva. Os pescadores conseguem 120.000 t. em média. 90% do pescado é obtido de maneira artesanal nos rios e no mar; o resto do produto da pesca é conseguido pelo setor marítimo industrial.

Pecuária: bovinos - 4,9 milhões, suínos - 1,4 milhões, eqüinos 51 mil, ovinos - 3,8 milhões, caprinos - 3,8 milhões, aves - 20 milhões. Dados de 1997.

Pesca: 80 mil t. Dados de 1995.

O Cameroun é um país de auto-suficiência alimentar. Até a década de 80 vivia da agricultura e da exportação de cacau e café.

Infraestrutura Industrial

Industrias

O Cameroun possui indústrias de conservação de carne e de peixes, madeireiras, bebidas, fábrica de pastas alimentares, fábrica de óleo de palma, óleo de amendoim, óleo de coco, fábrica para têxteis, fábrica de gás industrial, de matérias para solda, pintura e verniz; lajes, sabonetes, de móveis,perfumarias, calçados,cal, construções metálicas, fábrica de bicicletas e ciclomotores, pequenas construções navais.

Sistema Monetário

O Cameroun faz parte integrante da zona franco. A moeda corrente é o Franco CFA - Franco da Comunidade Financeira da África. O Franco é livremente convertido e operadores econômicos são assegurados da liberdade de transferêcia de seus capitais.

Yaounde

Capital Moderna A atividade econômica no Cameroun é um empreendimento liberal onde a iniciativa privada é considerada como um verdadeiro motor do desenvolvimento econômico. O papel do Estado limita-se a fixação da regulamentação, assim como das ações seletivas nos setores julgados sensíveis e estratégicos.

1 Franco Francês = 100 FCFA
1 Dóllar americano = 730 FCFA
1 Euro = 635 FCFA
Parceiros Comerciais: França, Alemanha, EUA, Bélgica, Luxemburgo, Holanda (Países Baixos), Itália e Espanha

Evolução Econômica e Infraestrutura

O Cameroun, com o seu poder energético, sua riqueza natural, e a sua política de iniciativa privada se tornou nos últimos 5 anos, e mais jovem país da África em crescimento constante.

Veja alguns dados econômicos:

Taxa de desemprego: 15%
Taxa de crescimento anual: 7%
Intercâmbio comercial com a França: 66%
Com USA: 20% , com outros países:14%
Importações: 1,1 a 14CYo
Exportações:
855 milhões de USS
Produto Nacional Bruto: 7,3 bilhões de dólares em 1992

Transporte Aéreo

O Cameroun tem sua própria companhia aérea: a Cameroun Airlines - CAMAIR, que voa para a Europa e toda a África, com uma infra-estrutura aeroportuária significativa para todos os tipos de aviões.

Os principais aeroportos internacionais são: Douala, Younde, Garoua.

Existem também aeroportos nacionais como: Bamenda, Bafoussam, Maroua, Bertoua.

Transporte Marítimo

A companhia marítima do Cameroun "A Cameroun Shipping Lines" tem seis navios operando no Atlântico e no Mediterrâneo.

O Cameroun tem quatro portos. O principal porto é de Douala (foto a direita), atualmente em grande evolução.

Os três outros portos são: Campo, Kribi e Limbe.

Energia

O Cameroun tem um grande poder hidroelétrico para produção aproximadamente de 525 megawats. A sua companhia nacional de eletricidade - SONEL, fornece energia para todo país.

Os rios do Cameroun fornecem água para o abastecimento das cidades, aldeias, indústrias e para a produção de eletricidade.

A Sociedade Nacional de Água - SNEC cuida do tratamento da água e alimenta as comunidades rurais e toda zona urbana.

Produção de Petróleo

O petróleo descoberto em 1976, passa a ser a principal fonte de divisas, atraindo grandes investimentos estrangeiros. Em crescimento, com uma produção que pode chegar a 1 milhão de toneladas por ano na refinaria de Limbé.

O Cameroun, possui reserva de petróleo e gás natural em Kribi.

Os outros metais e minerais são níquel, zinco, ouro, cobre, rutílio, diamante, mármore.

Transporte Ferroviário

Camarões
Estaçao de Bepanda - Douala

O Cameroun tem mais de 31.000 km de estrada e 1.172 km2 de ferrovia. O Governo esta aumentando seus esforços para ligar todo o país nessas áreas.

Camarões
Petroleiro em Kole - Litoral Sul

Geografia

Camarões
Mulher Bamoun

Geograficamente representativo na maioria dos países africanos, o Cameroun está situado no coração da África, na junção da África Equatorial e da África Tropical ao fundo do Golfo de Guiné, acima do Equador, está compreendido entre o 2º e o 13º de Latitude Norte e o 8º, 30º e 16º de Latitude Leste. É na maior parte, coberto por florestas tropicais, estepes, montanhas, planaltos e planícies.

Abrigando 230 etnias, tem o francês 70% e o inglês 30% como idiomas oficiais, mas há 250 línguas e dialetos nativos. É um país de forma triângular com 475.000 km². O país estende-se da Costa Atlântica a Sul - ao fundo do Golfo da Guiné até o Lago Tchad.

Ele tem fronteiras comuns com seis países: Nigéria - Oeste, Chade - Nordeste, Republica Centro-africana a Leste e Congo, Gabão a sul, Guiné Equatorial no sul.

Localização do Cameroun: centro-oeste da África

Características: Litoral arenoso e pantanoso (SO);território cortado de Norte a Sul por vale maciço e montanhoso; complexo de planícies e colinas (N e S).

Camarões
Porto de Douala

A moeda do Cameroun é o Franco CFA (1 euro = 656 F CFA)

Douala é a maior cidade do país e se transforma constantemente. Ela tem conservado o encanto de seu passado.

Vários monumentos lembram as datas mais importantes de sua história; as velhas casas estão perdidas entre as construções modernas: universidades, hotéis, bancos, sedes de companhias comerciais estrangeiras e do país, bairro comercial e administrativo, diversas indústrias de alimentação e de produtos de consumo, que ali se instalaram.

Esta cidade possui um dos mais importantes portos e de instalações navais da África Ocidental e Central com um movimento de navios de cerca de 3 000 em 1996. É também em Douala, bem mais do que em qualquer outra cidade do Cameroun, que se realizam os negócios.

É preciso acrescentar que alguém pode ir lá para uma viagem de negócios e também aproveitar as vantagens de um excelente comércio nos bairros tradicionais e igualmente nas boutiques de alto nível, onde as criações européias se encontram ao lado dos aparelhos eletrônicos asiáticos e dos produtos locais.

Yaoundé, a capital do Cameroun foi fundada pelos alemães no fim do século XIX, a cidade possui uma localização admirável. Yaoundé está rodeado de maravilhosas colinas e proporcionado um clima estimulante.

Além de sua função administrativa, Yaoundé desempenha o papel de entreposto de redistribuição dos produtos das regiões interiores: tabaco, produtos de sobrevivência, açúcar, cacau.

A moderna industria está igualmente presente nesta capital, cujo papel esportivo e cultural é fundamental: centro de conferências, museu nacional, festival nacional das artes e da cultura (FENAC), festival internacional de jazz, realizado todo ano e denominado de "jazz sob as mangueiras". A cidade tem inúmeros monumentos (ministérios, prefeitura, catedral). E finalmente suas três universidades lhe dão um brilho intelectual.

A cidade de Yaoundé está ligada por excelentes vias de comunicação: rodovias, aeroporto internacional, ferrovias. Yaoundé se beneficia igualmente do turismo interno.

Garoua é a capital da província do Norte. Situada no coração de uma rica região turísticao que faz da cidade e do seu aeroporto internacional o centro do turismo nas províncias setentrionais do Cameroun. Esta região atrai a cada ano uma grande clientela estrangeira por sua riqueza artística, fantasia, paisagens surpreendentes, parques e reservas naturais, onde é possível admirar uma incrível variedade de animais selvagens.

Maroua é a capital da província do Extremo Norte e se desenvolve rapidamente como centro comercial, famosa por outro lado, pelo seu artesanato (bordados, tecidos estampados, objetos esculpidos ou em couro, cerâmica). È preciso assinalar ainda que seu mercado muito colorido e buliçoso atrai os turistas. Waza (170 000 hectares), o parque mais visitado da África Ocidental está situado a algumas dezenas de quilômetros de Maroua.

Bafoussam, capital da província do Oeste, situada no coração de uma rica região agrícola, é também um centro comercial.

Bafoussam possui aspectos contrastantes, de um lado, uma zona formada por unidades territoriais sobre as quais se exerce a autoridade dos chefes tribais, e de outro, populações desta região que souberam se adaptar ao mundo moderno mantendo ao mesmo tempo suas tradições.

Bafoussam desempenha igualmente funções de cidade moderna em certos setores (equipamentos hospitalares, atividades culturais).

Bamenda, esta cidade se transformou rapidamente em centro comercial e seu artesanato é muito rico. Trata-se da maior cidade do Cameroun que fala inglês. Capital da província do Noroeste.

O Cameroun se beneficia de um quadro institucional sanitário globalmente satisfatório e de um acesso maior da população aos cuidados médicos. O esforço do Estado está igualmente centralizado na construção de 188 hospitais, 701 centros de saúde, 62 centros para cuidados maternais. Existem também estabelecimentos sanitários e clínicas privadas.

A densidade é de 28,2 hab / km2 em 1992.

A taxa de natalidade abaixo de 37,2 por 1.000 se explica pelos progressos na área da saúde.

A mortalidade infantil também conhece uma baixa: 12,2 por 1.000.

Vida média: 55 anos

A taxa de natalidade é de 42,3 por 1.000. O governo lançou a campanha para o controle de natalidade.

Leitos hospitalares: 01 por 200 habitantes

Médicos: 01 por 10.000 habitantes.

CLIMAS E RIOS

O Cameroun é atravessado por muitos rios importantes: O Sanaga, o Bénoué, o Wouri, o Nyong. Todavia poucos rios são navegáveis em todas estações. O estuário do Wouri permite ancorar no porto de Douala.

O clima é variado do Norte ao Sul à partir da Zona Saariana - sete para oito meses de estação seca, até a Zona equatorial - sete a oito meses de chuvas. Tropical húmido no sul, com temperatura média 26º, e seco ao norte, com temperatura média 30º.

FLORA

A diversidade do relevo e do clima do Cameroun oferece uma maravilhosa variedade de plantas e um bom número são utilizadas em medicina. 300 variedades de plantas foram cadastradas.

As florestas constituem parte importante do Cameroun, já que elas cobrem 22 milhões de hectares, ou seja 42% de sua superfície. Na sua parte meridional, elas são densas e espessas. No interior desta selva da qual apenas se supõe a riqueza, coabitam homens e animais selvagens.

Mais de 1 milhão de hectares é rico em ébano, teca e acaju o caoba, mas não inteiramente comercializado.

O potencial é amplamente superior: 80% da superfície total pode ser explorado; o que permitiria um nível de produção da ordem de 9 milhões de m3 em vez dos 2,5 milhões atuais.

O governo do Cameroun precisa criar empregos e renda, o que seria possível com a exploração comercial da floresta, porém ele deve responder às preocupações do Estado visando a proteção de sua biodiversidade e meio ambiente.

O Ministério do Meio Ambiente e das Florestas, criado em 1992 objetiva a condução desta política.

FAUNA

O país constitui uma terra propícia para os animais; trata-se de uma das faunas mais ricas e mais diversificada da África. Esta fauna está bem representada nos parques nacionais do país.

Camarões
Camarões

O Cameroun conta com 09 parques repartidos pelo seu território.

É uma grande chance poder visitar esses parques, observar e fotografar leões, hienas, elefantes, girafas, hipopótamos, búfalos, panteras, primatas, "buffon cobs", crocodilos e as inúmeras classes de antílopes.

Assim como colônias importantes de pássaros: ibis, ganso, garça, avestruze, garças reais, pelicanos, jaburus, etc.

Camarões
Camarões

O país possui vários parques nacionais, cinco deles são os principais:

Waza que é um dos maiores da África com 170.000 ha, situado no extremo norte é o parasíso dos leões e de inúmeros mamíferos, mas igualmente de uma importante colônia de aves.

Camarões
Camarões

Kapsikis e Kalamaloue com 4.500 ha, paraíso dos elefantes, crocodilos, girafas e uma grande multiplicidade de aves.

Benoua com 180.000 ha, no centro da região norte, é o local predileto dos antilopes. O paraíso dos alces de Derby, hipopotamos, hienas, panteras, etc.

Camarões
Camarões

Boubandijah com 220.000 ha, situado na região nordeste, é o território do rinoceronte.

Um dos patrimônios da humanidade é a Reserva de Animais Dja.

Camarões
Camarões

Além dos parques nacionais, o Cameroun oferece inúmeras reservas para fauna africana.

Educação e Cultura

Existem dois sistemas escolares no Cameroun. O sistema britânico nas províncias do Sudoeste e Nordeste do Cameroun e o sistema francês em todo o resto do país.

A partir do primário, a união dos dois sistemas resulta na fórmula chamada bilinguoisma original: Francês e Inglês.

A educação é particular e pública. A taxa de escolaridade é uma das mais altas da África, 73%.

O Cameroun possui a riqueza de sua cultura por sua etinia diversificada com mais 230 grupos étnicos compostos por bantús, hamitas, semitas, semibantos e sudaneses, pigmeus, arabo-berberes e muitas outras.

Essas etinias não falam a mesma língua, não partilham do mesmo patrimônio cultural de origem, nem são submetidos aos mesmos costumes.

Cada uma das etnias tem seu modo de vida, seus hábitos de trabalho, suas características e suas dificuldades. No entanto, estas pessoas habitam um mesmo país e distilam pouco a pouco uma cultura nacional comum.

Camarões
Costume Nzeu - Máscara Kounga

A sua cultura se traduz na arte de viver, nas tradições, no folclore e no artesanato de suas populações. Assim, o Cameroun representa uma África em miniatura e se apresenta como um ponto de cruzamento dos povos e de civilizações, uma extraordinária multiplicidade de população, trazendo cada uma delas as suas tradições, a sua arte a sua música.

O " Ngondo" é uma festa ritual dos povos da costa, com uma mistura de magia, dança, máscaras e corridas de piroga.

Os funerais a oeste e a norte, são um pretesto para grandes cerimônias muito coloridas, em honra dos defuntos.

As fantasias no norte dão lugar a magnificas cavalgadas coloridas.

Máscaras, estatuetas, instrumentos musicais, tudo concorre para perpetuar os ritos e tradições imemoriais do continente africano.

Artesanato Bamoun - a esquerda e

Relicário Fong Beti

Religião

Existem quatro sistemas religiosos importantes:

Catolicismo, Protestantismo, Islamismo e o Animismo.

O Cristianismo foi introduzido em Camarões no ano de 1843 pelo pastor Joseph Merrick da Jamaica

Animismo 26%

Islamismo 21,8%

Dados de 1990.

No país encontramos também o Budismo, o Batista, Igreja de Deus entre outras.

Música

A música em suas variedades diferentes é popular no Cameroun. Cada dia, as emissoras de rádio divulgam várias horas de programas musicais. Concertos de orquestra, música de câmara e jazz são apresentados à miúdo pela televisão. Nas grandes aglomerações urbanas, os bairros fervem de tanta animação e a música é ouvida em todos os cantos da rua.

Nos bairros, os grupos de jovens artistas se reunem nos cabarets, verdadeiros celeiros de criação, da mesma forma que os conservatórios, para tocar livremente peças de música de diferentes etnias: Makossa, Bikutsi, Assiko, Magambeu, Bend-Skin, etc. Daí surgiram músicos e grupos locais de fama internacional.

Dentre os músicos do Cameroun famosos no ambito da música africana, podemos citar:

Manu Dibango

Vincent Nguini

Sally Nyolo

André-Marie Tala

Ekambi Brillant

Grâce Decca

Petit Pays

Francis Bebey

Eboa Lottin

Anne Marie Nzié

Adala Gildo

Bebe Manga

Georges Seba

Koko Ateba

Pierre Didy Tchakounté

Mbida Douglas e "les Têtes Brûlées"

PINTURA E ESCULTURA

Um grande número de habitantes do Cameroun são pintores e escultores amadores. Outros são artistas profissionais que realizam este trabalho.

As representações são os tradicionais temas da África: as magníficas paisagens do Cameroun, sua fauna ou ainda cenas da vida rural, os trabalhos do campo, as festividades das aldéias, as cenas da vida cotidiana, e os quadros da natureza. Outras são interpretações abstratas.

Nos últimos anos os pintores mais conhecidos do Cameroun foram: Spee, Augustin Mophu, Othéo, Isidore Zogo, René Tchébétchou, Kouam Tawadje.

Em escultura:Cécile Bindzi Mewdi, Gidéon Mpando, Ondigui Onana e Samuel-Honoré Benyam produzem criações de qualidade.

LITERATURA

A produção literária camaronense tem se revelado talentosa com escritores tais como Ferdinand Oyono, Mongo Béti, Francis Bebey, Calixte Beyala, Bernard Nanga, Pierre Epato Nzomo, Joseph-Jules Mokpo, Medou Mvomo, Etienne Yanou, Sévérin-Cécile Abega.

ARTESANATO

O artesanato é importante entre as populações do Cameroun. No entanto, as regiões do Noroeste e do Norte do Cameroun são verdadeiros centros de destaque do artesanato.

Bafoussam, Foumban e Bamenda são cidades situadas nos altos planaltos e são famosas por suas criações artísticas: máscaras, vestidos bordados, figurinos, assentos, tronos, cachimbos de barro cozido, estatuetas em bronze e madeira.

TEATRO E CINEMA

No teatro dentre os autores de peças de teatro mais renomados são: Guillaume Oyono Mbia, Rev. Kadiebwe, Bole Butake, Joseph Kono Ateba, Gervais Mendo Zé.

Dikongue Pipa, Daniel Kamwa, Arthur Si Bita, Iya Ousmanou, Dia Moukouri, Basseck Ba Kobhio, Jean-Pierre Bekolo, Sita Bella são nomes de referência do cinema do Cameroun.

ESPORTES

Durante o período escolar, garotos e garotas têm ocasião de praticar esportes como vôlei, basquete, handbol e o futebol, que é muito popular. O Golfe e o baseball são igualmente praticados no Cameroun.

O Cameroun conquistou medalha de ouro no futebol com os campeões olímpicos de 2000 em Sydney.

Conseguindo frente ao Super Eagles da Nigéria, no dia 13 de fevereiro de 2000, no National Stadium de Surelere, em Lagos, seu terceiro trofeu continental após as vitórias de Abidjan, em 1984, e de Casablanca, em 1988, a equipe nacional de futebol do Cameroun estabeleceu sua supremacia nesta disciplina esportiva na África.

Fonte: www.embcameroun.org.br

Camarões

Nome oficial: República de Camarões (République du Cameroun / Republic of Cameroon).

Nacionalidade: Camaronesa.

Data nacional: 20 de maio (Dia da Pátria).

Capital: Iaundê.

Cidades principais: Douala (1.448.300), Iaundê (1.372.800) (1999); Bafousam (120.000), Garoua (160.000), Maroua (140.000) (1992).

Idioma: francês e inglês (oficiais), línguas regionais (principais: fang, bamilequê, duala).

Religião: cristianismo 52,2% (católicos 34,7%, protestantes 17,5%), animismo 26%, islamismo 21,8% (1990).

GEOGRAFIA

Localização: centro-oeste da África.
Hora local:
+ 4h.
Área:
475.442 km2.
Clima:
tropical (N) e equatorial (S).
Área de floresta:
196 mil km2 (1995).

POPULAÇÃO

Total: 15,1 milhões (2000), sendo camarões 31%, bantos 19%, quirdis 11%, fulanis 10%, outros grupos étnicos autóctones 29% (1996).
Densidade:
31,76 hab./km2.
População urbana:
47% (1998).
População rural:
53% (1998).
Crescimento demográfico:
2,7% ao ano (1995-2000).
Fecundidade:
5,3 filhos por mulher (1995-2000).
Expectativa de vida M/F:
53/56 anos (1995-2000).
Mortalidade infantil:
74 por mil nascimentos (1995-2000).
Analfabetismo:
24,6% (2000).
IDH (0-1): 0,528 (1998).

POLÍTICA

Forma de governo: República presidencialista.
Divisão administrativa:
10 províncias.
Principais partidos:
União Democrática do Povo Camaronês (RDPC), Frente Social-Democrática (SDF), União Nacional pela Democracia e Progresso (UNDP), União Democrática de Camarões (UDC).
Legislativo:
unicameral - Assembléia Nacional, com 180 membros eleitos por voto direto para mandato de 5 anos.
Constituição em vigor:
1972.

ECONOMIA

Moeda: franco CFA.
PIB:
US$ 8,7 bilhões (1998).
PIB agropecuária:
42% (1998).
PIB indústria:
22% (1998).
PIB serviços:
36% (1998).
Crescimento do PIB:
0,6% ao ano (1990-1998).
Renda per capita:
US$ 610 (1998).
Força de trabalho:
6 milhões (1998).
Agricultura:
cacau, café, algodão em pluma, mandioca, milho, sorgo.
Pecuária:
bovinos, ovinos, caprinos, aves.
Pesca:
89 mil t (1997).
Mineração:
petróleo, calcário; reservas não exploradas de gás natural, bauxita, minério de ferro, urânio e estanho.
Indústria:
madeireira, bebidas, alimentícia, extração e refino de petróleo, carvão.
Exportações:
US$ 1,6 bilhão (1998).
Importações:
US$ 1,3 bilhão (1998).
Parceiros comerciais:
França, Alemanha, EUA, Nigéria, Holanda (Países Baixos), Itália, Espanha.

DEFESA

Efetivo total: 13,1 mil (1998).
Gastos:
US$ 249 milhões (1998).

Fonte: www.portalbrasil.net

voltar 123avançar
Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal