Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Cana-de-Açucar - Página 11  Voltar

Cana-de-Açúcar

FISIOLOGIA E DESENVOLVIMENTO DA PLANTA

A cana de açúcar pertence a vasta família das gramíneas a qual inclui mais de 5000 espécies.

É uma planta viva, que vive vários anos, com talho aéreo, fibroso; atinge de 2 a 5m de altura, de cor variado dividido em nós e entre-nós mais ao menos largo dependendo da variedade.

Cana-de-Açúcar

Clique na imagem para ampliar

O talho é constituído no seu interior por um tecido esponjoso muito rico em sumo açucarado que pode ser extraído de diversas maneiras.

A planta de cana está constituída por 4 partes principais, que são: Raízes, Talho, Folhas e Flores.

Cana-de-Açúcar

Semente da cana

Cana-de-Açúcar

Cana com folhas

Cana-de-Açúcar

Corte da cana

RAIZES

As raízes têm a função de absorver as substâncias nutritivas do solo para servir de alimento para a planta

As raízes da cana são fibrosas (sistema radicular fasciculada). Quando se planta uma estaca de cana, se desenvolvem duas classes de raízes:1 – Raízes transitórias; 2 – Raízes definitivas ou permanentes.

Cana-de-Açúcar

Plantação da cana

Cana-de-Açúcar

Cana Queimada

Cana-de-Açúcar

Limpeza do Campo

Cana-de-Açúcar

Rega da Cana com Pivot

TALHO

ESTRUTURA DO COLMO (TALHO)

O talho é a parte mais importante da planta, constitui o fruto agrícola da mesma, nele se encontra armazenado o açúcar. Está formado por entre-nós que variam em longitude, grossura, forma e cor segundo a variedade. Os entre-nós estão unidos por nós, lugar onde se enxertam as folhas. Nos nós encontramos a gema que é importante na propagação da planta.

Se fazemos um corte transversal do talho, observa-se a medula ao centro formada por um tecido esponjoso que contem sumo rico em açúcar.

FOLHAS

Dos nós do talho brotam-se as folhas; estas são lancetadas, lineares, largas e agudas. Apresentam um nervo na veia central forte, dispostas no talho de forma alternada. A sua cor é verde e vai variando de tonalidade de acordo com a variedade e as condições de desenvolvimento da planta.

FLOR

A florescência da planta aparece em forma de panicular (guino) que se desenvolve a partir do último entre-nó. A forma da mesma é característica de cada variedade, pelo qual serve também para sua identificação.


Sobre as espigas se desenvolve flores hermafroditas (que tem órgãos feminino e masculinos) , as quais podem produzir sementes férteis, o que permite a obtenção de novas variedades ou híbridos (plantas produtos de cruzamento de variedades) através dos trabalhos genéticos que tem sido desenvolvido nas estações experimentais.

As variedades diferem em suas características de floração. Algumas são de floração mais cedo, outras de floração mais tardia; algumas são de floração abundante, outras não florescem.

Espécies conhecidas

Género: Saccharum

Espécie: Saccharum officinarum

Saccharum sinensis
Saccharum barberi

Saccharum spontanium
Saccharum robusyum

EXIGÊNCIA ECOLÓGICA

Para o cultivo de cana de açúcar, está limitada fundamentalmente por dois componentes ecológicos: o clima e o solo. O primeiro comportando-se com bastante regularidade em todas áreas de cultivo de cana do mundo e o segundo ou seja o tipo de solo que é requerido para o bom desenvolvimento da planta, não se encontra com as mesmas características nas diferentes regiões do mundo onde é cultivada a cana. Isso resulta na diferenciação dos rendimentos.

A cana de açúcar para o seu desenvolvimento requer um clima cálido e húmido com uma temperatura de 23ºC, mesmo que o seu estado vegetativo mostre um bom desenvolvimento nos climas sub-tropicais, os melhores rendimentos são obtidos nos climas tropicais.

VARIEDADES

Todas as variedades de cana existente actualmente foram obtidas do produto de largos e minuciosos trabalhos de cruzamentos e selecções a partir de espécies e variedades progenitoras encaminhadas à obtenção de variedades melhor adaptadas, produtivas e resistentes à pragas e doenças.

Em Moçambique, ainda não existem condições para se fazer trabalhos de cruzamentos e selecções de variedades por estes serem de elevados custos.

EFICIÊNCIA FOTOSSINTÉTICA

A cana de açúcar é muito eficiente na conversão da energia solar (radiação) em açúcar e fibra. Isto requer adequada quantidade de água para fazer isso eficientemente.

O clima aparece como um factor muito importante para todo o ciclo da vida da planta principalmente por causa das funções que este desempenha na fotossíntese nas folhas da planta de cana. Com o calor e chuvas e raios solares, todo processo da fotossíntese e direccionado para o crescimento da planta e pouco fabrico e conservação de açúcar. Com pouco calor, poucos raios solares e pouca chuva, o processo fotossintético é direccionado para a fabricação dos açucares no colmo. Vejamos como isso acontece:



O peso total da planta de cana é de aproximadamente 99% dos elementos ( O ) Oxigénio, ( H ) Hidrogénio e ( C ) Carbono. Destes 99% quase 75% é água e o resto composto por matéria seca.

A água é absorvida dos solos, o dióxido de carbono (CO2) é sintetizado pela planta, no processo em que a água e o dióxido de carbono se combina para formar os carbohidratos, este processo complicado pode se representar de forma simplificada de seguinte maneira:

12 CO2 + 11 H2 O = C12 H22 O11 + 12 O2

Dióxido de carbono + água = sacarose + oxigénio

Este processo é denominado por (Foto:luz; sintesis: união), já que na lamina da folha de cana se sintetizam substâncias orgânicas (neste caso açúcar) a partir de água e dióxido de carbono e parte de energia da luz do sol é absorvida pela clorofila (pigmento verde da folha). Esta considera se como a acumulação de energia

O açúcar formado nesta reacção química é conservado no colmo principalmente na epoca de pouca luz, calor e chuva (Inverno). O açúcar pertence ao grupo químico conhecido por Carbohidratos.

O processo inverso na reacção química acima indicada, liberta energia:

C6 H12 O6 + 6 O2 = 6 O2 + H2 O+ENERGIA

Este processo acontece no período de muita luz, calor e chuvas (Verão) , tendo a maior quantidade dos açúcares na base do colmo do que no topo do colmo.

A COMPOSIÇÃO MÉDIA DO COLMO MADURO

A cana de açúcar é constituído por: Fibra e sumo das seguintes maneira:

Cana de açúcar = Fibra + Sumo

Sumo = Agua + Sólidos Solúveis ou Brix

Brix = Sacarose e Impurezas

Impurezas = Açucares redutores + sais

Ou por outras palavras na cana de açúcar temos:

Humidade % = 70

Fibra % = 14,7

Açucares (pol) % = 13

Não - açúcares % = 2,3

Matéria seca = a 30%

Total ( que é a cana ) = 100

Fonte: museu.mct.gov.mz

Cana-de-Açúcar

Cana-de-Açúcar

A Cana-de-Açúcar, de seu nome científico Saccharum officinarum, é uma das seis espécies do gênero Saccharum, gramíneas altas provenientes do Sudeste Asiático. É o vegetal com o qual se fabrica açúcar e álcool.

É uma planta da família Poaceae, com as quais se relaciona com a forma da inflorescência (espiga), o crescimento do caule em colmos, e as folhas com lâminas de sílica em suas bordas e baínha aberta.

Processamento da cana

A cana colhida é processada com a retirada do caule, que é esmagado, libertando os sucos que são fervidos, resultando o melaço, do qual o açúcar é cristalizado. O caule é às vezes mastigado, ou então usado para fazer caldo de cana e rapadura. O caldo também pode ser utilizado na produção de rum ou cachaça, enquanto as fibras, também chamadas de bagaço, podem ser usadas como matéria prima para produção de etanol (vide Etanol Celulósico) e de energia elétrica.

Economia e História

Foi a base da economia do nordeste brasileiro, na época dos engenhos. Com o tempo, a economia dos engenhos entrou em decadência, sendo praticamente substituído pelas usinas (ver José Lins do Rêgo). O termo engenho hoje em dia é usado para as propriedades que plantam Cana-de-Açúcar e a vendem, para ser processada nas usinas e transformada em produtos derivados.

O Brasil é hoje o principal produtor de Cana-de-Açúcar do mundo. Seus produtos são largamente utilizados na produção de açúcar, álcool combustível e mais recentemente, bio-diesel.

A Cana-de-Açúcar foi a base econômica de Cuba, quando tinha toda a sua produção com venda garantida para a União Soviética, a preços artificialmente altos. Com o colapso do regime socialista soviético, a produção de cana cubana tornou-se inviável.

A Cana-de-Açúcar também é o principal produto de exportação em países do Caribe como a Jamaica, Barbados, etc. Com a suspensão de preferências européias à cana caribenha em 2008, espera-se um colapso semelhante na indústria canavieira caribenha.

Vários países da África austral, principalmente a África do Sul, Moçambique e a ilha Maurícia, são igualmente importantes produtores de açúcar.

Produção de Cana-de-Açúcar no Brasil

Em 1993, a mecanização da produção dos canaviais não atingia 0,5% do total da produção. Em 2003, aproximadamente 35% da produção brasileira já era mecanizada.

A intensa mecanização dos canaviais tem gerado algum atrito político e social. Tem havido grande perda de empregos no setor, que usa mão-de-obra intensiva e pouco qualificada: os chamados bóias-frias. Essa ainda é a única ocupação disponível para populações inteiras no interior do Brasil.

Abaixo, os dados de produção por região, de 1995 a 2000, em milhões de toneladas (fonte: MB Associados).

Fonte: pt.wikipedia.org

voltar 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 avançar
Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal