Facebook do Portal São Francisco
Google+
+ circle
Home  Catarata  Voltar

Catarata

 

A catarata é uma lesão ocular que atinge e torna opaco o cristalino (lente situada atrás da íris cuja transparência permite que os raios de luz o atravessem e alcancem a retina para formar a imagem), o que compromete a visão.

Catarata
Olho normal: Nesta figura, você pode ver o olho, o cristalino, e a luz com seu foco sem desvios

Catarata
Visão normal: A visão é clara e sem distorções

Catarata
Olho com catarata: já nesta imagem, o cristalino (em azul claro) não permite a passagem adequada dos raios luminosos

Catarata
Visão com catarata: já nesta imagem, a imagem aparece borrada , e a correção por óculos provoca pouca melhora

O que é o cristalino?

O cristalino é uma lente natural do olho. Quando este fica opaco, os raios luminosos que formariam as imagens no fundo de olho ficam desviados (borrados), diminuindo a visão.

Os tipos de catarata são: congênita, juvenil, senil e as relacionadas com doenças sistêmicas, intra-oculares, traumas e substâncias tóxicas.

A catarata pode ser uni ou bilateral, total ou parcial. Pode também receber outros nomes como incipiente, madura, hipermadura (depende da fase) e subcapsular, nuclear ou cortical (dependendo do local mais afetado do cristalino).

TIPOS DE CATARATA

SENIL: é o tipo de catarata mais comum. Ocorre em pessoas idosas (é relacionada a idade), geralmente após os 60 anos.
CÔNGENITA:
a criança geralmente já nasce com catarata. Ocorre por doenças da mulher (como a rubéola e a toxoplasmose) durante a gravidez. Frequentemente está acompanhada de outras alterações.
TRAUMÁTICA:
ocorre após acidentes com o olho. Geralmente é unilateral; o trauma, mesmo sem perfuração do olho pode provocar a opacificação do cristalino.
DO DIABÉTICO:
Inicia-se geralmente em idade mais precoce e com perda visual mais rápida que na senil.
SECUNDÁRIA À MEDICAMENTOS:
principalmente o corticóide; quando este é usado por longos períodos.

Os sintomas comuns da catarata incluem:

Visão desfocada sem dor
Troca freqüente de lentes corretivas
Ofuscamento e halos em volta da luz
As cores parecem menos vivas e com tons de marrom
Visão deficiente à noite
Sensibilidade à luz e a impressão constante de que
a iluminação não está boa

Causas

A catarata pode ser congênita (casos raros) ou adquirida.

A principal causa da doença é o envelhecimento. Em bora o problema apareça geralmente em indivíduos com mais de 50 anos, há casos de crianças que já nascem com a doença (geralmente filhos de mães que tiveram rubéola ou toxoplasmose no primeiro trimestre de gestação).

Outras causas de catarata são diabetes, uso sistem ático e sem indicação médica de colírios, especialmente dos que contêm corticóides, inflamações intra-oculares e traumas como socos ou batidas fortes na região dos olhos.

Algumas causas não tão comuns incluem:

Hereditariedade

Problemas congênitos em associação com a doença
Doenças crônicas, como diabetes
Uso excessivo de remédios à base de esteróides
Ferimento nos olhos

Diagnóstico

O diagnóstico de catarata é feito pelo oftalmologista. Valendo-se de um exame minucioso, ele verificará se o cristalino possui alguma lesão (aparência de véu esbranquiçado nos olhos.

TRATAMENTO

A catarata é tratada através de cirurgia, que recupera a visão na grande maioria dos casos. Não existe remédio nem tratamento clínico para a catarata, apenas a cirurgia.

Quando pode-se operar?

No passado somente se operava a catarata quando ela já estava "madura". Atualmente a indicação cirúrgica é dada pela diminuição significativa da visão e seu impacto sobre a vida de cada paciente. Assim sendo, o paciente decide se já necessita a cirurgia, de acordo com a relação entre a perda visual e a influência que a diminuição da visão causa na qualidade de vida.

Os resultados anatômicos e visuais são geralmente excelentes.
Antes da cirurgia, é realizada a ecobiometria do globo ocular para determinar o grau da lente intra-ocular a ser utilizada. Hoje não há mais o uso de óculos com lentes grossas após a cirurgia de catarata graças a esta técnica.
Quando a lente intra-ocular não é colocada, por ausência de indicação ou por problemas transcirúrgicos, a correção óptica poderá ser feita com óculos e lentes de contato.
Olho com catarata, notamos a pupila (menina do olho) branca. Não se vê o reflexo vermelho, comum no fundo de olho.
Fazemos um orifício no limbo (borda da córnea) para entrar na câmara anterior.
Entramos com o "cistítimo" pelo orifício, para abrir toda a cápsula anterior do cristalino e podermos retirá-lo.
Após aberta a cápsula do cristalino, terminamos de abrir a incisão no limbo para retirar o cristalino.
Através da incisão, retiramos a catarata (cristalino opaco). Observe o reflexo do fundo de olho onde já não é atrapalhada a visão pela catarata.
Aspiramos os restos de cristalino, com uma cânula de dupla via, uma via que injeta solução e outra aspira os restos ao mesmo tempo, mantendo a forma do olho e protegendo a córnea.
Aqui você já pode ver o reflexo vermelho do fundo do olho.
A lente é colocada no olho no local onde estava a catarata, atrás da íris.
As alças são posicionadas para que a lente fique no lugar correto, no centro da pupila.
O olho é fechado e a cirurgia está terminada.

Fonte: atlas.ucpel.tche.br

Catarata

É o fenômeno de opacificação do cristalino, quando este apresenta uma tonalidade esbranquiçada, que é responsável pela diminuição da acuidade visual com alteração da percepção das cores (Ex: quadro de Monet).

A catarata se instala geralmente de forma progressiva. O tipo mais freqüente é a catarata senil.

Tratamento

O único tratamento eficaz na atualidade é o tratamento cirúrgico. A técnica cirúrgica consiste em retirar o cristalino opacificado através da técnica de facoemulsificação, em que o núcleo cristalineano é emulsificado através de uma sonda com emissão de ultrassons intraoculares.

A vantagem desta técnica consiste no tamanho da incisão, de cerca de 3mm, que é muito menor que na técnica convencional, proporcionando uma recuperação da acuidade visual mais rápida, e por consequencia uma convalescencia pós operatória mais breve.

Catarata

Catarata
Quadro de Monet pintado quando com catarata. Mesma paisagem pintada após cirurgia de catarata

O procedimento habitual consiste em, ao término da emulsificação e aspiração do cristalino, colocar uma lente artificial no saco capsular (implante), cujo o grau é calculado em função de certos parâmetros, possibilitando a correção de certas ametropias ao mesmo tempo.

A cirurgia de catarata é realizada sob anestesia local,e ambulatorialmente, o que permite ao paciente retornar ao seu domicílio no mesmo dia.

O pós-operatório é simples e consiste em tratamento local à base de colírios.

O tempo de convalescência vai depender da técnica utilizada, mas com a técnica de facoemulsificação a recuperação definitiva da visão se dá em um mês.

Fonte: www.clinicalavue.com.br

Catarata

Uma área turva ou opaca na lente ocular (cristalino) é conhecida como catarata. Ela provoca deficiência visual.

Como surge a catarata?

Uma alteração na composição química do cristalino causa o surgimento da catarata. Ainda são desconhecidas as causas dessa alteração.

Quais são os sintomas da catarata?

Visão turva, embaçada ou pouco nítida;
Mudança na prescrição de óculos;
Sensação de uma fina película sobre os olhos;
Alteração da cor da pupila de preto para cinza, amarelo ou branco;
Visão noturna precária;
Percepção esmaecida de cores;
Percepção exageradamente brilhante da luz.

A catarata pode ser removida?

Sim. Uma cirurgia pode remover e substituir o cristalino embaçado. Óculos, lentes de contato ou um implante de lente intra-ocular servem como lentes Substitutas.

A catarata pode ser prevenida?

Não. Pessoas acima de 60 anos são aconselhadas a visitar um oftalmologista a cada dois anos, para detecção precoce da catarata.

Fonte: www.lionsclubs.org

Catarata

O que é uma catarata?

Uma catarata é uma diminuição da transparência do cristalino (a lente normalmente transparente do olho) Pode ser comparada a uma janela que é coberta de geada ou embaciada com vapor.

Há muitas ideias erradas a respeito da catarata.

A catarata não é:

Uma película sobre o olho.
Causada por uso excessivo da visão.
Um cancro.
Passa de um olho para o outro.
Causa de cegueira irreversível.

Os sintomas comuns da catarata incluem:

Embaciamento indolor da visão.
Ofuscação ou sensibilidade à luz.
Mudança frequente de receita para óculos.
Dupla visão num olho.
Necessidade de luz mais forte para leitura.
Fraca visão nocturna.
Cores pouco nítidas.

Podem variar a quantidade e o padrão de enevoamento dentro da lente. Se este embaciamento não estiver próximo ao centro da lente, poderá não ter consciência da presença duma catarata.

O que causa a catarata?

O tipo mais comum de catarata é relacionado ao envelhecimento do olho.

Entre as outras causas da catarata estão:

História familiar.
Problemas médicos tais como diabetes.
Lesão ocular.
Medicamentos, tais como esteróides.
Cirurgia ocular prévia.

Catarata
Uma Catarata pode provocar visão baça

Catarata
Visão Normal

Em quanto tempo se desenvolve uma catarata?

A rapidez da evolução da catarata varia entre as pessoas e pode até mesmo variar entre os dois olhos. A maior parte das cataratas associadas com o envelhecimento progride gradualmente durante vários anos

Outras cataratas, particularmente em pessoas mais jovens e as portadoras de diabetes, podem avançar rapidamente no espaço de alguns meses, levando a uma deterioração da visão. Não é possível fazer uma previsão exacta do tempo do desenvolvimento das cataratas em determinado indivíduo.

A cirurgia constitui o único meio ao qual o seu oftalmologista pode recorrer para retirar a catarata. Contudo, se os sintomas da catarata forem brandos, é possível que melhore a sua visão apenas com a mudança de óculos.

Não há nenhum medicamento, suplemento dietético, exercício ou dispositivo óptico comprovadamente capaz de prevenir ou curar a catarata.

Como se detecta uma catarata?

Um cuidadoso exame feito pelo seu oftalmologista, pode detectar a presença e extensão de uma catarata, assim como de outras condições que estejam a produzir visão baça ou desconforto.

Pode haver outra razões para a perda visual além da catarata, sobretudo problemas no que diz respeito à retina ou ao nervo óptico. Caso tais problemas estejam presentes, a visão perfeita pode não ser recuperada após a remoção da catarata.

Quando deve ser feita uma cirurgia?

A cirurgia da catarata deve ser considerada quando as cataratas provocam tamanha perda de visão que as actividades quotidianas são prejudicadas.

Não é verdade que as cataratas precisem de estar ?maduras? para poderem ser retiradas.

Ao formar-se uma catarata a lente do olho torna-se espessa e enevoada. A luz não consegue atravessá-la com facilidade e a visão torna-se baça.

A cirurgia da catarata pode ser feita quando as suas necessidades visuais assim o exijam. O doente é que tem de decidir se consegue ver para executar os seus deveres, conduzir com segurança, ler e ver televisão com conforto. Consegue desempenhar as tarefas do dia a dia tais como cozinhar, fazer as compras, trabalhar no jardim e tomar os seus remédios sem dificuldade?

Baseado nos seus sintomas, você e o seu oftalmologista devem decidir em conjunto sobre a data mais conveniente para a cirurgia.

O que devo esperar da cirurgia da catarata?

Durante a cirurgia de catarata, retira-se a lente enevoada do olho. A potência de enfoque da lente natural é restaurada substituindo-a por um implante de lente intra-ocular.

O seu oftalmologista faz esta operação delicada valendo-se de um microscópio, instrumentos miniaturizados e outros dispositivos da tecnologia moderna.

Embora a crença seja amplamente difundida, não se usa o laser para tirar cataratas.

Em aproximadamente um quinto das pessoas que se submetem à cirurgia de catarata, a cápsula natural que apoia a lente intra-ocular torna-se enevoada. A finalidade da cirurgia a laser é de abrir esta cápsula enevoada para restaurar a visão.

Após a cirurgia da catarata, pode retomar quase imediatamente todas as suas actividades, menos as mais cansativas. Precisará usar colírio segundo as instruções do seu oftalmologista. São necessárias várias consultas pós-operatórias para auferir o progresso do olho à medida que se vai recuperando.

A cirurgia de catarata é um procedimento altamente bem sucedido. Em mais de 90% dos casos, o resultado é a visão melhorada, a não ser que haja algum problema com a córnea, retina ou nervo óptico. É importante entender que podem ocorrer complicações durante ou depois da cirurgia, algumas graves o suficiente para limitar a visão. Assim como em qualquer outra cirurgia, não há como garantir um bom resultado.

Conclusão

A catarata é uma causa comum de má visão, especialmente entre os mais idosos, porém é tratável. O seu oftalmologista poderá indicar-lhe se a catarata ou qualquer outro problema é responsável pela perda de visão ou desconforto e ajudá-lo-á a decidir se a cirurgia de catarata é indicada para o seu caso.

Fonte: www.oftalmologia.co.pt

Catarata

Catarata é a opacificação do cristalino ou lente do olho, o que causa uma diminuição da visão, principalmente em pessoas idosas.

A catarata não operada é a causa mais comum de cegueira e representa mais de 50% dos 40 milhões de cegos no mundo.

Estima-se que sejam realizadas 90 mil cirurgias de catarata no Brasil por anos, o que é insuficiente para combater os novos casos surgidos, levando a um acúmulo de deficientes visuais. Na situação atual é necessário aumentar pelo menos 3 vezes o número de cirurgias atualmente realizadas. Ressalte-se que o problema deve ficar mais crítico em todos os países em desenvolvimento pela previsão de aumento de 5 vezes da população de mais de 50 anos no ano 2020.

A perda econômica, social e psicológica por cegueira é muito alta quer quanto à diminuição da produção quer pelos gastos que a família e a comunidade precisam despender. Na Índia, calcula-se perda econômica anual associada à catarata, de 2 bilhões de dólares.

É necessário que, concomitante à procura de novas técnicas cirúrgicas mais eficientes para o tratamento da catarata, procurem-se meios mais eficazes para o atendimento da população mais necessitada e fora do alcance do Sistema de Saúde atual.

Os serviços públicos no Brasil não são suficientes para suprir a demanda espontânea de cirurgia de catarata no Brasil, mesmo quando se sabe que esta representa apenas uma parcela da população afetada.

Como a catarata é diagnosticada?

Um exame oftalmológico de rotina é tudo que se precisa para que se diagnostique a catarata.Seu oftalmologista lhe pedirá para ler algumas letras , e depois dilatará suas pupilas, e com o auxílio de alguns aparelhos, examinará seus olhos por dentro e poderá com tranqüilidade lhe dizer se você tem ou não catarata.

Como se trata a catarata?

Uma simples alteração no grau dos seus óculos pode ser suficiente para melhorar a visão;entretanto, não existe tratamento que faça com que a catarata regrida;uma vez iniciado o processo, a catarata só tende a progredir, diminuindo a visão, num processo que pode ser rápido(meses) ou lento(anos).Quando a visão se torna incompatível com as necessidades do paciente, ou seja, quando o mesmo se vê limitado em suas atividades diárias, é chegada a hora da cirurgia,onde se remove ao cristalino opacificado e se implanta uma lente intra-ocular artificial, que é o tratamento preconizado.

Quando eu decido se chegou a hora de operar a minha catarata?

Veja se você se enquadra em alguns destes casos:

1. Eu não vejo o suficiente para trabalhar.
2.
Eu não vejo o suficiente para fazer minhas atividades em casa.
3. Eu não vejo o suficiente para fazer as coisa de que gosto, por exemplo:
ler,assistir televisão,jogar cartas,costurar,sair com amigos...
4.
Tenho medo de cair ou trombar com alguém ou algum objeto.
5.
Minha visão me incomoda muito.
6.
Meus óculos não adiantam nada....

O que eu devo saber sobre a cirurgia?

Seu médico deve discutir com você qual é a melhor opção para se remover a catarata de seus olhos.Ele deve explicá-lo sobre como se preparar melhor para a cirurgia e como agir também durante a cirurgia e no pós operatório.A maior parte das cirurgias é realizada sob anestesia local, e o paciente não precisa ficar internado.Levam alguns meses até que seu olho operado esteja perfeitamente curado e cicatrizado.Neste período você fará várias visitas ao seu médico, que lhe orientará como proceder da melhor maneira possível.

Removendo a Catarata

Existem basicamente três tipos de cirurgia para remoção da catarata:

1. Cirurgia extracapsular, na qual o cirurgião remove o cristalino, deixando somente a cápsula posterior do mesmo.
2.
Facoemulsificação, que é um tipo especial de cirurgia extracapsular onde o cirurgião introduz uma pequena sonda dentro do olho e aspira a catarata com o auxílio de ondas de ultra-som.É o maneira mais moderna de se operar a catarata, e a que traz melhores resultados para o paciente.
3.
Cirurgia intracapsular, onde o cirurgião remove a lente inteira, incluindo a cápsula posterior.Este método é raramente utilizado nos dias de hoje.

Substituindo a lente

Normalmente, na mesma cirurgia em que se remove o cristalino opacificado, se introduz no olho uma lente intra-ocular que substituirá a antiga .

A catarata pode voltar?

Não, pois a lente opacificada foi retirada;entretanto, em aproximadamente metade dos casos, a cápsula posterior pode se opacificar, normalmente após alguns meses de cirurgia, levando a um borramento da visão semelhante ao da catarata.Esta situação é contornada com a utilização de raios laser, com os quais se abre um orifício na cápsula opaca, por onde a luz passa com facilidade, recuperando-se a visão do paciente.Este procedimento é rápido, indolor e muito seguro.

Fonte: www.canalsaude.com.br

Catarata

Catarata é uma patologia ocular que se caracteriza pela perda da transparência da lente natural dos olhos que é chamado cristalino.

Esta opacificação de cristalino provoca a perda da nitidez da imagem de forma progressiva, uma vez que a imagem encontra pelo caminho o critalino "nublado" e com isto não consegue chegar com nitidez até a retina.

Ela geralmente começa a aparecer após os 60 anos, mas em alguns casos pode aparecer antes desta idade.

Um número considerável de pessoas acima de 60 anos apresenta certo grau de opacificação do cristalino.

QUAIS OS TIPOS DE CATARATA?

Existem vários tipos de catarata, mas o mais freqüente é a catarata senil. Há outros tipos de catarata tais como aquelas desenvolvidas após trauma ocular, pós-infecção ocular, congênitas (rubéola e toxoplasmose intra-útero), metabólicas, etc. Existem algumas condições que podem antecipar o aparecimento da catarata tais como diabetes e uso de esteróides hormonais.

EXISTE UM MOMENTO CERTO PARA SE OPERAR?

O correto momento de se realizar a cirurgia deve ser decidido entre o paciente e seu médico. A decisão deve ser decidida a partir do momento em que esta passa a impor limitações nas atividades diárias e de lazer.

Atualmente as cirurgias de catarata são realizadas com anestesia local e retorno para casa no mesmo dia, não necessitando de internação prolongada.

Com as modernas técnicas de facoemulsificação (onde a catarata é aspirada) pode-se realizar cirurgia de catarata com incisões pequenas, propiciando uma recuperação mais rápida da visão.

Fonte: www.drcampiolo.med.br

Catarata

Doença que deixa a visão turva. Considerada a maior causa de cegueira, pode ser corrigida por meio de cirurgia. O surgimento da catarata faz parte do processo de envelhecimento. Chegar aos 80 anos sem o problema é raro.

Sinais

No início, a catarata reduz a qualidade da visão, as feições não são mais nítidas e as cores tornam-se foscas.

Depois, o prejuízo é também quantitativo. O indivíduo vai perdendo a visão até o grau mais extremo, que é a cegueira.

O olho e a visão

Catarata
1 - Luz ,2 - Pupila ,3 - Catarata

O cristalino, lente do olho, é fundamental para o funcionamento do olho. É esta lente biológica que capta a luz externa e permite a formação das imagens, projetadas na retina, no fundo do olho. Para a boa visão, é fundamental que o cristalino esteja transparente.

O que é?

Catarata é o envelhecimento do cristalino. A doença surge com a idade - torna-se comum a partir dos 60 anos. Mesmo em estágio avançado, o problema pode ser corrigido.

As causas

Senilidade: O cristalino é formado por lamelas transparentes. Com o passar do tempo, essas camadas envelhecem e perdem a transparência.
Trauma:
Pancadas ou perfurações nos olhos provocam inflamações que podem prejudicar a transparência do cristalino.
Congênita:
É quando o indivíduo nasce com a doença – neste caso, a idade não é determinante. Também tem solução com cirurgia.
Induzida por medicamentos:
Quando os corticóides são usados por tempo prolongado e em grande quantidade, o cristalino se prejudica.

As cirurgias

Extracapsular

Catarata
Após uma anestesia local, é feita uma incisão nos olhos de cerca de 12 mm (o corte toma 180 graus do olho)

Catarata
Com uma pinça especial, a catarata é totalmente retirada. A lente doente sai sem que seja preciso fragmentá-la

Catarata
Pelo corte por onde saiu a catarata, uma lente intra-ocular artificial grande e rígida é colocada. São dados de 7 a 10 pontos

Pós-operatório

A recuperação visual ocorre em cerca de dois meses. É necessário um repouso de pelo menos um mês para voltar ao trabalho e de 3 a 6 meses para praticar exercícios físicos. Existe um risco de o paciente desenvolver astigmatismo depois da cirurgia, pois o formato da córnea do olho pode ser alterado.

Facoemulsificação

Catarata
Depois da anestesia local, é feita uma incisão de cerca de 3mm – espaço suficiente para passagem dos instrumentos cirúrgicos

Catarata
Um aparelho de ultrassom encosta na catarata e emite ondas que fazem a lente vibrar intensamente e, aos poucos, ir se fragmentando

Catarata
A lente intra-ocular é inserida pela abertura. Neste caso, a lente é dobrável e entra pelo pequeno corte feito no olho

Catarata
Sobre o espaço vazio onde estava a catarata, a lente é desdobrada para, assim, ficar encaixada. Ela substitui as funções do cristalino doente.

A operação

Catarata
1 -
Microscópio
2 -
Pedais de controle do microscópio e Ultrassom

O médico é bastante exigido neste tipo de cirurgia. Ele precisa usar as duas mãos – para trabalhar com as pinças e o ultrassom – e os dois pés, para controlar o microscópio e o aparelho de facoemulsificação.

Pós-operatório

Nesta técnica, há maior segurança durante e depois da cirurgia. O olho praticamente não é aberto, não são dados pontos e a recuperação é quase imediata (no máximo em uma semana, o indivíduo pode voltar ao trabalho). Não exige repouso. Não provoca astigmatismo.

Fonte: www.santalucia.com.br

Catarata

Para que os olhos consigam enxergar perfeitamente a luz passa por inúmeras estruturas até chegar na retina, aonde a imagem é formada. Uma dessas estruturas é a Íris, aquela espécie de círculo colorido, que define a cor dos olhos de cada um. Atrás da íris há o cristalino, uma lente transparente que permite a passagem dos raios de luz. Quando alguém possui catarata esse cristalino torna-se opaco e rígido, dificultando a visão.

Mas como uma pessoa com catarata enxerga? A princípio a pessoa com catarata vê como se estivesse com os olhos embaçados ou diante de uma névoa.

Quando o estágio já está mais avançado ela passa a enxergar apenas vultos.

Há dois tipos da doença: a que é hereditária (rara) e a adquirida. A catarata adquirida é muito mais comum em idosos, porque a causa principal da doença é o envelhecimento. No entanto, algumas crianças também podem desenvolver a doença, geralmente contraída durante uma gestação com casos de rubéola ou toxoplasmose.

No entanto outras coisas também podem influenciar o aparecimento da catarata como o uso freqüente e sem prescrição médica de colírios, principalmente os que contêm corticóides, inflamações e até mesmo traumas como socos ou batidas fortes nos olhos.

Como diagnosticar

Apenas o médico pode fazer o diagnóstico, que consiste em um exame minucioso para checar se o cristalino está com problemas. O oftalmologista verifica se ele possui a aparência de um véu esbranquiçado. O senhor Mauro Andrade de 79 anos, notou alterações visuais em um dos olhos e foi logo consultar um especialista. “Essa doença é lenta e corre o risco da gente se acostumar com a perda de visão. Por isso é importante ficar atento e consultar um médico.” alerta.

O único tratamento quando já se está com catarata é o cirúrgico. A cirurgia consiste em substituir o cristalino lesado por uma lente artificial. O procedimento é simples, rápido e feito sob anestesia local, no entanto exige cuidados pós operatórios como qualquer intervenção cirúrgica. Por isso, se você sofre de catarata não tenha medo da cirurgia, a recuperação é rápida e os resultados são animadores.

Evite a catarata

Alguns procedimentos simples podem melhorar a saúde dos olhos

Evite fumar
Procure manter uma dieta balanceada que inclua frutas e vegetais
Cuide bem de outras doenças, como o diabetes
Proteja os olhos, usando óculos escuros com proteção contra os raios ultravioletas
Não use colírios (principalmente os que possuam corticóides) sem recomendação médica e respeite o razo de uso especificado pelo oftalmologista
Procure um especialista imediatamente ao perceber qualquer inflamação ou lidar com algum trauma na região dos olhos

Gabriela Nascimento

Fonte: www.faac.unesp.br

Catarata

A catarata é uma doença progressiva que causa a opacificação do cristalino. O cristalino é a lente natural do olho e deve ser transparente para que os raios de luz o atravessem e alcancem a retina (onde se forma a imagem). Assim, a presença da catarata prejudica a visão, pois dificulta a entrada de luz no olho.

O que causa a catarata?

Na maioria das vezes, a catarata está relacionada com o envelhecimento, podendo ocorrer mais cedo em algumas pessoas e mais tarde em outras.

Além da idade, outros fatores que podem acelerar o desenvolvimento da catarata são: doenças sistêmicas (diabetes, por exemplo), histórico familiar, inflamações oculares e uso prolongado de algumas medicações (corticóides, por exemplo).

Quais são os sintomas da catarata?

O sintoma mais comum é a diminuição da visão, como se a lente dos óculos estivesse embaçada.

Outros sintomas que podem ocorrer são: visão dupla, sombras nas imagens e halos ao redor das luzes, principalmente à noite.

Como progride a catarata?

A catarata progride gradualmente, ao longo de meses e anos, sendo que a velocidade de progressão é muito variável, podendo ser mais rápida ou mais lenta em cada indivíduo.

Como se diagnostica a catarata?

A detecção da catarata é feita pelo médico oftalmologista ao examinar o paciente durante a consulta. Conforme o caso, outros exames poderão ser solicitados para o planejamento da cirurgia. Um destes exames se chama biometria. Este exame serve para calcular o grau da lente que deverá ser colocada dentro do olho.

Qual é o tratamento da catarata?

O único tratamento para a catarata é a cirurgia. Não existem colírios ou óculos capazes de corrigir a catarata.

Como é a cirurgia da catarata?

A cirurgia consiste na retirada do cristalino opaco (catarata) e na introdução de uma pequena lente dentro do olho. Atualmente, a técnica cirúrgica mais moderna é a FACOEMULSIFICAÇÃO. Por meio deste método a catarata pode ser retirada com mais segurança e com melhores resultados, facilitando a recuperação após a cirurgia.

A cirurgia é com LASER?

Não. A facoemulsificação não é feita com LASER, e sim por meio de um instrumento que fragmenta a catarata por meio de múltiplos pequenos impactos mecânicos. Em alguns casos, depois da cirurgia, pode ocorrer a opacificação da membrana que envolve a lente, o que se chama opacificação da cápsula posterior do cristalino. Quando isto acontece, pode ser feita uma aplicação de LASER para melhorar a visão, chamada capsulotomia.

Como é a anestesia?

Na maioria das vezes a anestesia é local, sem necessidade de anestesia geral.

Precisa de hospitalização?

Geralmente, não há necessidade de ficar no hospital. Assim, a cirurgia é considerada ambulatorial, pois o paciente costuma ir para casa no mesmo dia, após a cirurgia.

Luciano Bellini

Fonte: www.agapasm.com.br

Catarata

A catarata é o processo de opacificação do cristalino, a lente natural do olho, normalmente incolor e transparente, que tem como objetivo focalizar os objetos que enxergamos. Por diversos motivos o cristalino pode se tornar opacificado, causando a alteração denominada catarata. Esse problema acomete milhões de pessoas e é a maior causa de cegueira tratável no mundo.

Existem muitas causas para o aparecimento da catarata.

Os principais são: Senilidade - é o fator mais comum ao aparecimento da catarata, estando relacionada à idade e ocorrendo geralmente após os 60 anos.

Quais as causas?

Congênita: A criança nasce com a doença, podendo ser decorrente de infecções intra-uterinas ou má formação do globo ocular.
Traumática:
Ocorre após acidentes com o olho e, geralmente, é unilateral. Mesmo sem perfuração do olho, o trauma pode provocar a opacificação do cristalino.
Defeitos Metabólicos:
O mais comum são os provocados pela diabetes, que se inicia, geralmente, em idade precoce e leva a uma perda visual mais rápida que em relação à catarata senil.

Secundária a medicamentos: Ocorre em função do uso de medicamentos, principalmente o corticóide, quando é usado por longos períodos. Existem ainda as cataratas secundárias a inflamação, causadas por choques elétricos, iatrogênicas e por outros problemas do globo ocular.

Quais os sintomas?

Os primeiros sintomas são as flutuações da visão, que se torna mais embaçada em determinados momentos do que em outros. Muitas pessoas notam que sua visão gradualmente começa a piorar. Objetos podem aparecer amarelados, embaçados ou distorcidos. É comum as pessoas notarem que necessitam de mais luz para enxergarem nitidamente.

Elas começam a perceber que mesmo usando óculos, sua visão continua embaçada. A sensação é como se as lentes dos óculos estivessem sujas. Troca muitas vezes as lentes, mas o problema permace.

Outros sintomas comuns são: halos ao redor das luzes à noite, aumento da miopia, visão dupla ou sombras na visão.

Em casos avançados, a catarata pode ser vista no centro da pupila como uma mancha branca ou amarelada.

Quais os tratamentos?

O único tratamento eficaz para a catarata é a CIRURGIA. Não existe nenhum outro meio cientificamente comprovado de tratamento.

Existem várias técnicas para a cirurgia de catarata, que se subdividem em dois grandes grupos: extração extracapsular e facoemulsificação, ambos com implante intra-ocular de lente.

Apenas em raras exceções as lentes não podem ser implantadas, como nos casos de doenças oculares graves associadas. No primeiro grupo de procedimentos, o cirurgião faz uma grande incisão no limbo corneano para remover a cápsula anterior, retirar o cristalino e substituí-lo pela lente.

A facoemulsificação é a técnica cirúrgica mais avançada para a correção de catarata. Essa técnica se baseia no princípio do ultrassom. É feita uma pequena abertura no olho, na qual a catarata é triturada e aspirada ao mesmo tempo. Após a retirada do cristalino opacificado, é colocada uma lente intra-ocular para compensar o grau do cristalino normal. Na facoemulsificação pode ser utilizada uma moderna técnica de anestesia denominada

Sentirei dor durante ou depois da operação?

A técnica de facoemulsificação não é dolorosa nem durante nem depois da intervenção.

De fato é realizadacom anestesia tópica (gotas) sem necessidade de injecções.

A maioría dos pacientes referem só uma sensação de pressão devida aos aparelhos com que imobilizamos o olho quando realizamos a cirurgia, e leve ardor nas horas seguintes à mesma.

Quando é que posso começar a fazer vida normal depois da intervenção?

Depois da intervenção o paciente deve ficar em casa a descansar umas 24 horas.

A manhá seguinte, a melhora visual é tão importante que a maioria dos pacientes podem começar a fazer sua vida normal.

Que tipo de precauções devo ter depois da operação?

O paciente usará colirios (antibióticos e anti-inflamatório) durante os 15 dias seguintes. É totalmente contra-indicado esfregar os olhos durante um mínimo dum mês depois da intervenção, e deve-se evitar ao longo de seis meses.

As actividades desportivas podem-se praticar sempre que se utilizarem óculos protectores adequados.

Evitar-se-a a maquilhagem durante o mes a seguir à intervenção.

Terei necessidade de usar óculos depois da operação?

A melhora em qualidade de vida dos pacientes operados de cataratas na atualidade é extraordinária.

A maioría dos pacientes podem realizar as actividades actividades normais de visão distante sem necessidade de utilizar óculos. Terá de utilizar oculos de perto se não tiver decidido, por indicação do cirurgião, optar pela monovisão ou as lentes intra-oculares multifocais.

O que é a monovisão?

Se você desejar não depender dos óculos depois da cirurgia de cataratas, existe a possibilidade disto com a monovisão, já que podemos conseguir focar um olho para perto e o outro para longe, colocando em cada olho a lente intra-ocular adequada. Pergunte-nos a respeito disto antes da intervenção.

O que são as lentes multifocais?

Outra possibilidade para não depender dos óculos depois da cirurgia de cataratas é implantar lentes multifocais ou progressivas, que permitem como os óculos multifocáis focar a diferentes distâncias. Este tipo de lentes nem estão indicadas em todos os pacientes, mas talvez você sim puder beneficiar-se delas.

Quais os riscos da cirurgia?

A cirurgia de catarata, atualmente, é muito segura. Algumas raras complicações podem acontecer, como infecção, hemorragia e descolamento de retina. A incidência desses problemas é muito baixa. Normalmente, tais intercorrências podem ser tratadas ou controladas durante ou após a cirurgia. É uma cirurgia simples para o paciente, mas muito delicada para o médico que a realiza. Na realidade, retira-se uma lente original do olho atrás da pupila e coloca-se um óculos dentro dele.

Com a evolução da tecnologia e treinamento do pessoal especializado, resultados simplesmente espetaculares estão sendo obtidos. A grande maioria dos pacientes operados retorna à visão normal que tinha antes do aparecimento da catarata. Porém, quando a cirurgia é feita em um ambiente desprovido de estrutura adequada, o sucesso do procedimento pode ficar comprometido.

Por que procurar um especialista em Catarata?

No Brasil, a maioria dos oftalmologistas cirurgiões realiza a cirurgia de catarata. Devido a grande publicidade em torno do assunto, esse procedimento passou a ser considerado como banal, fácil e de baixa complexidade. No entanto, a cirurgia de catarata não pode ser encarada de forma simplista e corriqueira.

A técnica utilizada nas cirurgias de catarata exige precisão e experiência por parte do profissional. De forma genérica, o procedimento consiste na retirada de uma lente natural (o cristalino) para a colocação de uma espécie de óculos dentro do olho. Não se trata de uma raspagem nem de uma aplicação a laser, como muitos pensam. Se a cirurgia não for bem conduzida, os danos podem ser irreparáveis.

Para decidir sobre uma cirurgia de catarata, é fundamental observar os seguintes pontos:

1. Tipo de catarata e tipo de olho;
2. Técnica a ser aplicada;
3. Equipamento específico, empregado em função da técnica escolhida;
4. Conhecimento e experiência do médico em relação à técnica e ao equipamento definidos;
5. Material utilizado durante a cirurgia;
6. Estrutura hospitalar, que envolve condições de esterilização, corpo clínico e equipamentos disponíveis para atender as possíveis intercorrências;
7. Tipo de anestesia a ser aplicada;
8. Preço, condições de pagamento e atendimento especializado.

Os resultados satisfatórios nas cirurgias de catarata dependem muito do grande desenvolvimento tecnológico, associado ao esforço e treinamento profissional.

Quanto mais avançada a tecnologia disponível no mercado, maior deverá ser a dedicação do médico para se atualizar e saber utilizar os recursos oferecidos, objetivando oferecer menor margem de riscos durante a cirurgia e proporcionar segurança nos resultados do procedimento. Quanto mais moderna e diversificada forem as opções técnicas, maior deverá ser o investimento do hospital na especialidade.

Muitos pacientes acreditam que a cirurgia de catarata é igual para todos os casos. No entanto, existem condutas específicas e, às vezes, diferenciadas nos casos de olhos pequenos, olhos com problemas de córnea, com glaucoma, com diabetes, olhos com pupila que não dilatou, olhos grandes (míopes), olhos com cataratas antigas, traumáticas, pacientes jovens, dentre outros. É importante analisar as características da catarata, visto que cada caso exige uma aplicação cirúrgica especial.

Fazer bem feito é uma arte que requer conhecimento, técnica e, sobretudo, calor humano.

Durval M. Carvalho

Fonte: www.drdurval.com.br

Catarata

Catarata é a opacificação do cristalino, que é a lente natural existente no globo ocular, responsável pela focalização da visão para longe e para perto. Com a idade, geralmente dos 40 anos, pode ocorrer um processo de opacificação dessa lente (o cristalino) que leva a diminuição progressiva da visão. A rapidez dessa evolução varia de pessoa para pessoa e até mesmo de um olho para o outro.

Catarata senil ou pré-senil

Nesses casos é comum o aparecimento da catarata em ambos os olhos, porém normalmente em estágios diferentes de evolução. O tratamento é eminentemente cirúrgico, porém a época de sua realização dependerá da acuidade visual, bem como da avaliação do oftalmologista.

Cataratas Congênitas

São as cataratas que aparecem ao nascimento e são causadas devido a problemas durante a gestação, como infecções intra-uterinas (rubéola, sarampo, sífilis) ou genéticas (transmitida de pais para filhos).

Muitas vezes as cataratas congênitas não são descobertas logo ao nascimento, a não ser que seja realizado um exame ocular precoce. A cirurgia nestes casos deve ser realizada o quanto antes, a fim de permitir recuperação da função visual.

As principais causas do surgimento da catarata são:

Idade, é a causa mais freqüente da doença
Conseqüência do diabetes
Conseqüência do uso indiscriminado e sem orientação médica, de colírios com corticosteróides
Traumatismos oculares
Radiação
Infecções nos olhos
Uveítes.

Principais sintomas da catarata

Visão embaçada.
Necessidade de mais luz para enxergar com nitidez.
A leitura fica mais difícil.

Grupo de risco: Pessoas com mais de 40 anos.

Cirurgia de Catarata

Atualmente a cirurgia é realizada em qualquer tipo de catarata, independente do seu grau de comprometimento da visão. É um procedimento que dura por volta de 30 minutos, mas que apesar de rápido é também delicado.

Cirurgia é o único tratamento para catarata. Não há medicamento, vitaminas, colírios ou exercícios que façam a catarata desaparecer.

As técnicas mais utilizadas são:

Extra Capsular: Consiste em incisão no globo ocular de aproximadamente 10mm, retirando a catarata por completo.
Facoemulsificação:
É uma cirurgia com incisões menores de 3,5mm, que consiste na introdução de uma espécie de cânula no globo ocular, ligada a um equipamento ultra-sônico, que aspira e emulsifica (dilui) a catarata, permitindo uma recuperação mais rápida.

A escolha de uma ou outra técnica dependerá de cada caso. Ambas são realizadas sob anestesia local, com implante posterior de uma lente intra-ocular.

Hoje não é mais necessário aguardar a catarata “amadurecer”. A decisão da cirurgia deverá ser tomada em conjunto com o seu oftalmologista, quando a visão estiver borrada o suficiente para dificultar as atividades da vida diária, isto é, ver televisão, trabalhar, dirigir com segurança, andar pela rua etc. é necessário que se faça a cirurgia.

Após o diagnóstico e a decisão pela cirurgia, será realizada a Biometria Ultra-sônica, onde teremos os dados para o cálculo adequado do grau da lente intra-ocular a ser implantada após a retirada do cristalino, para evitar o uso de óculos após a cirurgia.

Lentes intra-oculares

As lentes intra-oculares (LIO) são cristalinos artificiais, implantados no olho durante a cirurgia de catarata para substituir o cristalino opacificado. Elas surgiram em 1949, criadas pelo médico inglês Harold Ridley.

A primeira lente intra-ocular era feita de plástico rígido e se destinava a imitar o cristalino humano natural. Hoje em dia, os materiais mais usados incluem o polimetilmetacrilato (PMMA), silicone e acrílico.

Como o nome já diz, elas são colocadas internamente no olho para substituir o cristalino opacificado removido na cirurgia de catarata. São diferentes das lentes de contato, que são colocadas sobre a superfície da córnea para correção de miopia, hipermetropia, astigmatismo e presbiopia.

A qualidade de visão com a lente intra-ocular é muito superior àquela com óculos ou lentes de contato. Além de corrigir as deficiências causadas pela catarata, alguns tipos de lente também melhoram a qualidade da visão funcional, ou seja, a capacidade de enxergar em ambientes com pouca luminosidade.

A lente intra-ocular pode ser peça única e rígida, peça única e dobrável ou ainda formada por três peças. As dobráveis são consideradas as melhores, porque podem ser introduzidas através de uma mínima incisão.

Existem lentes monofocais e as multifocais, estas são as mais indicadas por permitirem a correção total da visão - tanto para longe, quanto para perto - e são capazes de promover a independência definitiva dos óculos para a maioria dos pacientes.

As lentes não-dobráveis são implantadas após a remoção não automatizada do cristalino opaco. Podem requerer suturas para fechamento da incisão, cujo tamanho pode variar de 5 a 7 mm. São pouco utilizadas, pois necessitam de um tempo maior para a recuperação do paciente.

Mais utilizadas, as lentes dobráveis são implantadas após remoção automatizada do cristalino opaco, normalmente não necessitam de suturas, e o tamanho da incisão é de 3,2 a 3,5 mm.

Uma incisão menor (facoemulsificação) proporciona: cicatrização mais rápida (recuperação visual mais acelerada), menos trauma ao olho, melhor visão, retorno mais rápido às atividades normais e maior controle do astigmatismo induzido pela cirurgia.

Um grande avanço da tecnologia são as lentes de coloração amarela com propriedades filtrantes, que protegem contra os raios UV invisíveis e os raios azuis visíveis. O pigmento amarelo lembra a proteção natural fornecida pelo cristalino humano amadurecido e não altera as cores naturais dos objetos, nem a qualidade da visão e, ainda, ajuda a prevenir outros tipos de doenças oculares como a Degeneração Macular Relacionada à Idade (DMRI).

Uma lente intra-ocular monofocal padrão utiliza o princípio da refração, ou seja, ela direciona os raios de luz até um ponto focal. Este processo proporciona visão nítida apenas para uma única distância, sendo necessário o uso de lentes corretivas, como óculos, para se ter uma boa visão de perto, intermediária e de longe, simultaneamente.

As lentes intra-oculares multifocais proporcionam uma visão de longe e de perto com menor dependência aos óculos após a cirurgia de catarata. Lentes com tecnologia difrativa e refrativa simultâneas, também reduzem fenômenos como glare (manchas brancas na imagem) e halo (anéis luminosos), associados à visão noturna.

Há lentes que reduzem de forma significativa a dificuldade de enxergar em ambientes com pouca luminosidade e possibilitam que o paciente volte a realizar tarefas como dirigir ou andar nas ruas à noite.

Dentre as lentes intra-oculares multifocais disponíveis no mercado destacam-se:

AcrySof® ReSTOR® - o design da zona óptica desta lente proporciona uma visão de alta qualidade, reduzindo efeitos de glare e halo.
TECNIS™ - com as características de um cristalino jovem, apresenta bom desempenho em ambientes de baixa luminosidade.
ReZoom – possui cinco zonas visuais desenhadas especificamente para proporcionar visão de perto, longe e meia distância.

Pós Operatório

Após a cirurgia é feito um curativo que será removido no dia seguinte da operação, dando início a uma fase de tratamento com colírios e pomadas no olho operado. A recuperação é rápida e permite o retorno breve às atividades normais.

Não há necessidade de repouso absoluto ou internação hospitalar (dependendo de cada caso).

Mas alguns cuidados devem ser tomados:

Não esfregar.
Não coçar;
Não dormir sobre o olho operado nos primeiros dias pós-operatório.
Não realizar esforço físico.

Fonte: www.hospitaldeolhos.net

Catarata

Sensibilidade à luz e a impressão constante de que a iluminação não está boa

A catarata é uma forma degenerativa de doença ocular na qual a lente se torna gradativamente opaca, e a visão, desfocada. A catarata pode ocorrer como resultado de outras doenças oculares, mas a maioria dos casos é causada pela idade. Na verdade, acredita-se que todas as pessoas teriam catarata se vivessem tempo suficiente.

Hoje em dia, a catarata é a principal causa de cegueira entre adultos nos Estados Unidos

Algumas causas não tão comuns incluem:

Hereditariedade

Problemas congênitos em associação com a doença
Doenças crônicas, como diabetes
Uso excessivo de remédios à base de esteróides
Ferimento nos olhos

Embora não haja uma forma de prevenir a catarata, existem muitas coisas que você pode fazer para interromper ou retardar o progresso da doença.

Por exemplo, moléculas instáveis, conhecidas como radicais livres, podem danificar algumas células do olho e resultar em problemas como a catarata.

Estudos têm mostrado que vitaminas antioxidantes e minerais podem ajudar a combater os radicais livres. Consulte seu médico ou oftalmologista para saber se suplementos vitamínicos são adequados para você.

Além disso, proteger os seus olhos contra luz solar forte pode retardar a formação de catarata relacionada à idade.

Não há medicamentos, colírios, exercícios ou óculos que curem a catarata. No entanto, ela pode ser tratada com êxito através de cirurgia.

Fonte: www.bausch.com.br

Catarata

As cataratas são o turvar da lente do olho (cristalino). O resultado é bem semelhante a manchar com graxa a lente de uma maquina fotografica.

Uma catarata surge na lente do olho (cristalino) que é a estrutura transparente atrás da íris (a membrana colorida que cerca a pupila). A lente focaliza a luz na retina, a membrana sensível a luz na parte traseira do olho que converte impulsos luminosos em sinais nervosos para produzir imagens visuais desobstruídas. O turvar da lente, tal como a mancha de graxa sobre a lente de uma maquina fotográfica, pode formar-se em qualquer idade mas aparece mais frequentemente em pessoas com mais de 40 anos. A maioria de cataratas são causados por uma mudança na composição química da lente. Numa percentagem pequena dos casos, as mudanças químicas são causadas por um defeito hereditário, por trauma do olho, por diabetes, ou pelo uso de determinadas drogas, tais como o esteroides.

Precisamente porque os cataratas ocorrem com a idade pensa-se que as radiações ultravioleta tenham um papel principal, na mudança química na lente responsável pela maioria das cataratas. Ao tipo de radiação ultravioleta do sol, (UVB) que causa queimaduras solares na pele (escaldões e cancro da pele) tambem no olho se pensa que serão um factor que provoca cataratas.

Que são os sintomas das cataratas?

Fazem parte dos sintomas das cataratas visão esbatida de uma forma progressiva, sensibilidade á luz (tal como faróis brilhantes do sol ou do automóvel), vista chorosa, percepção menos viva das cores, e mudanças frequentes na graduação ocular. A pupila, que parece normalmente preta, sofre mudanças visíveis de cor e parece amarelada ou esbranquiçada.

Como são diagnosticadas as cataratas?

As cataratas são detectadas tipicamente através de um exame médico do olho. O médico pode observar a lente (cristalino) anormal usando um instrumento especial – microscópio de fenda (lâmpada de fenda). O teste usual para o acuidade visual, (tabela de letras e caracteres), não reflecte a natureza verdadeira da perda visual. Outros testes como a sensibilidade ao brilho, a sensibilidade ao contraste, visão nocturna, visão das cores, e visão periférica ajudam no diagnóstico.

Dado que a maioria das cataratas associadas com o envelhecimento se desenvolvem lentamente, muitos pacientes não notam a sua perda visual até que se torne severa. Algumas cataratas permanecem pequenas e nunca necessitam de tratamento, outras crescem mais rapidamente e tornam-se progressivamente maiores.

Somente quando uma catarata interfere seriamente com as actividades normais é que se torna necessário considerar a cirurgia. Os indivíduos que dependem dos seus olhos para o trabalho, diversão e outras actividades podem querer as suas cataratas removidas mais cedo do que aqueles cujas actividades exigem menos.

Quais são as opções do tratamento?

Durante o exame diagnostico um oftalmologista medirá com cuidado a forma, tamanho e a saúde geral do olho para determinar se uma lente implantada será eficaz. Implantar uma lente intra-ocular artificial é geralmente a melhor solução porque o implante é colocado aproximadamente na posição original da lente natural removida. A visão é restaurada com boa percepção periférica e de profundidade, com ampliação e distorção mínimas.

Lentes intra-oculares permanecem no lugar, não requerendo nenhuma manutenção ou manipulação, e não é notada pelo paciente nem visualizada por terceiros.

Óculos para a visão próxima ou distante pode ainda ser requeridos, mas lentes grossas não são necessárias. Um médico oftalmologista determina o implante apropriado a prescrever com um dispositivo de ultra-som (Biometria) que mede o comprimento do olho e a curvatura da córnea. Estas medidas são combinadas pelo computador para calcular o poder da lente requerida.

Que é o procedimento para a colocação uma Lente Intra-ocular?

Perscrutando através de um microscópio, o cirurgião faz uma pequena incisão curvada na superfície do córnea. A lente embaciada é sugada (com o uso de um aparelho de facoemulseficação), deixando intacta a parede traseira da cápsula transparente onde estava a lente. Através da mesma incisão é introduzida a lente artificial. Este procedimento é chamado facoemulseficação e é realizado na maior parte das vezes apenas com anestesia tópica (gotas) e não leva pontos. Razão pela qual a recuperação visual é muito rápida.

Que acontece após o procedimento de uma lente intra-ocular?

Decorridos alguns dias, a maioria das pessoas estão aptas para voltar ao trabalho. Nas semanas seguintes á cirurgia, o médico verificará se há infecções ou outras complicações e receitara ao paciente óculos de leitura. A visão é melhorada significativamente.

No entanto, os resultados da operação não são sempre isentos de problemas. Após o implantação de uma lente intra-ocular, o embaciamento da cápsula da lente, designado como "catarata secundária" ocorre em aproximadamente 20% dos casos. Para resolver este problema utiliza-se YAG laser procedimento indolor que demora alguns minutos; a melhoria é geralmente imediata.

Outros problemas que podem ocorrer numa pequena percentagem dos pacientes incluem o inchar da córnea (edema), Glaucoma, e inchar da retina (edema), que distorce a visão.

Numa altura em a esperança media de vida tende a aumentar, as lentes intra-oculares vêm trazer uma melhoria significativa na qualidade de vida

Resumo

Cataratas afectam a maioria das pessoas se viverem tempo suficiente.
Sintomas da catarata embaciar progressivo da visão e sensibilidade á luz e encandeamento.
Cataratas podem ser diagnosticadas quando o médico oftalmologista examina o olho com um instrumento de observação.
O tratamento ideal para a catarata é o implante cirúrgico de uma lente intra-ocular.
Óculos de sol podem prevenir o aparecimento de cataratas.

Fonte: www.cno-lx.com

Catarata

É o processo de opacificação do cristalino, lente natural do olho, normalmente incolor e transparente, que tem como objetivo focalizar os objetos que enxergamos. A catarata é a maior causa de cegueira tratável no mundo.

Causas

A catarata pode surgir por: senilidade, problemas congênitos, traumatismo, defeitos metabólicos ou uso de medicamentos.

Sintomas

Os primeiros sintomas são as flutuações da visão, que se torna mais embaçada em determinados momentos. A visão começa a piorar gradualmente. Objetos podem aparecer amarelados, embaçados ou distorcidos.

O dia parece estar enfumaçado.

Outros sintomas comuns são: halos ao redor das luzes à noite, aumento da miopia, visão dupla ou sombras na visão. Em casos avançados, a catarata pode ser vista no centro da pupila como uma mancha branca ou amarelada.

Tratamentos

O único tratamento eficaz para a catarata é a cirurgia, que se subdivide em: extração extracapsular e facoemulsificação, ambos com implante intra-ocular de lente.

Apenas em raras exceções as lentes não podem ser implantadas, como nos casos de doenças oculares graves associadas.

Extração Extracapsular: Neste procedimento o cirurgião faz uma grande incisão no limbo corneano para remover a cápsula anterior, retirar o cristalino e substituí-lo pela lente.
Facoemulsificação:
É a técnica cirúrgica mais avançada para a correção de catarata. É feita uma pequena abertura na córnea, através da qual a catarata é emulsificada e aspirada ao mesmo tempo. Após a retirada do cristalino opacificado, é colocada uma lente intra-ocular para compensar o grau do cristalino normal.

Fonte: www.cbo.com.br

Catarata

O cristalino é uma estrutura transparente, com função de lente, que fica no interior do olho e, por ser sensível à luz, focaliza as imagens na retina.

A catarata corresponde a áreas nubladas no cristalino. Ela acontece quando certas proteínas no cristalino formam acúmulos anormais. Estes acúmulos tornam-se gradualmente maiores e interferem com a visão. Eles distorcem ou bloqueiam a passagem de luz pelo cristalino. A palavra "Catarata" significa cachoeira, que é como algumas pessoas descrevem sua visão - como tentar olhar por uma cachoeira.

A catarata turva o cristalino, limitando ou evitando a passagem da luz e interferindo com a visão.

Em muitos casos, a catarata está relacionada à idade. Ela costuma aparecer aos quarenta anos de idade, mas pode não afetar a visão até depois dos 60. Em outros casos, a catarata pode ser causada por trauma direto ao olho, pelo diabetes melitus, por medicamentos a base de corticóide, ou por radioterapia. Em crianças, a catarata pode estar presente desde o nascimento (catarata congênita) ou pode acontecer como resultado de uma infecção que aconteceu durante a gravidez, especialmente a toxoplasmose, o citomegalovirose, a sífilis, a rubéola, ou a infecção pelo herpes simples. Nas crianças e bebês, a catarata pode ser também um sintoma de uma doença que afeta a forma como o corpo processa os carboidratos, os aminoácidos, o cálcio ou o cobre.

A Catarata é a maior causa de cegueira no mundo todo, respondendo por aproximadamente 42% de todos os casos de cegueira. Embora a causa exata da catarata relacionada à idade é desconhecida, alguns cientistas suspeitam que mudanças químicas afetem as proteínas do olho. Pesquisas atuais sugerem que estas proteínas previnem o acúmulo anormal de outros tipos de proteínas na catarata. O que causa a catarata é assunto de pesquisa ativa. A exposição prolongada à luz solar forte e ao fumo foram identificados como fatores determinantes.

Quadro Clínico

A catarata tipicamente não causa nenhum sintoma até que ela se desenvolva e cresça o suficiente para interferir significativamente com a visão.

Uma vez os sintomas da catarata se desenvolvam, podem incluir:

Visão turva ou borrada,
Visão dupla (diplopia),
Cores enfraquecidas e menos nítidas à visão,
Enxergar halos ao redor das imagens,
Sensibilidade à luz forte.

Catarata
Para uma pessoa com olhos saudáveis a visão é clara

Catarata
Para uma pessoa com catarata, a visão é borrada e turva. O clarão da luz do sol distorce a visão

Diagnóstico

O médico suspeita que a pessoa tem catarata baseado em sua idade, história clínica e nos sintomas. Ele pode diagnosticar a catarata dilatando a pupila com um colírio e examinando os olhos. A pessoa também fará um teste de acuidade visual que usa uma tela com caracteres (letras, símbolos, etc) que o paciente identifica, para inspecionar o efeito da catarata em sua visão.

Prevenção

Em geral, não há nenhuma maneira de se prevenir a catarata relacionada à idade. Porém, as pessoas com diabetes podem diminuir o risco de desenvolverem a catarata controlando seu açúcar no sangue. Para ajudar a prevenir a catarata relacionada à infecção do bebê, as mulheres devem perguntar ao seu ginecologista quanto à necessidade de fazer a imunização para a rubéola antes de ficarem grávidas. As mulheres grávidas devem consultar seu ginecologista / obstetra regularmente no acompanhamento pré-natal.

Tratamento

Embora algumas pessoas com catarata possam melhorar sua visão usando óculos, aumentando as lentes, ou tornando a iluminação mais forte, o único modo de se curar a catarata é com cirurgia. Quando você decidir operar, você precisará ponderar o quão ruim está sua visão contra o pequeno risco da cirurgia.

A cirurgia de catarata envolve a remoção do cristalino danificado substituindo-o por uma lente de plástico inserida no olho durante a cirurgia. Pode-se ainda usar uma lente de contato ou óculos especiais para a catarata.

As opções cirúrgicas atuais são:

Extração Extracapsular da Catarata: A maioria dos casos de catarata é tratado com retirada manual ou são usadas ondas sonoras para destruir o cristalino em pedaços minúsculos os quais são aspirados de seu local. A cápsula do cristalino que o envolve é mantida intacta.

Extração Intracapsular da Catarata: Tanto o cristalino como sua cápsula são retirados.

Depois que o cristalino é retirado, ele é substituído por uma das três opções a seguir:

Uma lente intra-ocular
Uma lente de plástico é colocada dentro do olho durante cirurgia. Hoje, aproximadamente 95% dos pacientes com catarata usam lentes intra-oculares.
Uma lente de contato,
Óculos especiais para catarata com uma ampliação muito poderosa.

Qual médico procurar?

Procure um oftalmologista sempre que você tiver dificuldade para enxergar claramente. Se você tem mais que 40 anos de idade, programe uma consulta “de vista” com seu médico a cada dois anos, até mesmo se você não notou nenhuma mudança em sua visão.

Prognóstico

A catarata é um problema a longo prazo. Na maioria dos pacientes, sem tratamento, a visão piora com o passar do tempo.

A cirurgia de catarata melhora a visão de 95% dos pacientes que a fazem. Em pacientes em que o cristalino é substituído por via intra-ocular, 90% têm visão muito nítida. Em algumas pessoas que fazem cirurgia extracapsular, parte da cápsula do cristalino fica eventualmente nublada, causando uma condição chamada Síndrome Pós-Catarata. Este problema pode ser corrigido com cirurgia a laser.

Fonte: www.policlin.com.br

Catarata

A Catarata é caracterizada pela opacificação do cristalino. Com esta alteração, que freqüentemente é progressiva, a imagem passa a chegar na retina com menor nitidez.

A doença pode ser congênita, senil ou secundária. Na Catarata congênita, a criança nasce ou desenvolve a opacificação nos primeiros meses de vidas.

Geralmente são causadas por doenças adquiridas pela mãe durante a gravidez com rubéola, toxoplasmose e outras.

A Catarata senil é a mais frequente e geralmente aparece acima dos 50 anos, como parte do processo de envelhecimento natural do corpo.

As secundárias ocorrem por alterações metabólicas do cristalino, opacificando-o. As causas mais comuns deste grupo são diabetes, uveítes, traumas, excesso de radiação (UV ou outras), abuso de colírios com corticóides e choque elétrico entre outras causas mais raras.

Independente da causa, quando a opacificação prejudica consideralvemente a visão, está indicada a cirurgia. Na cirurgia da catarata, o cristalino opacificado é "emulsificado" e implanta-se uma lente intra-ocular para substituí-lo.

Fonte: www.brenobarth.com

Catarata

A catarata é uma perda da transparência do cristalino, provocando uma visão turva que se instala lenta e progressivamente.

Os sintomas mais frequentes das cataratas são:

Visão turva, indolor.
Aumento da sensibilidade à luz.
Mudança frequente de óculos.
Visão dupla num olho.
Baixa visão nocturna.
Diminuição da sensibilidade às cores.

È possível ter boa visão com cataratas desde que estas não afectem o eixo central visual, situação mais frequente nas cataratas corticais. A causa mais comum da catarata está relacionada com o envelhecimento do olho. Existem contudo, outras causas, tais como, diabetes, traumatismo, tóxicas, hereditária, etc.

Por esta razão é possível classificar a catarata em 4 tipos:

Catarata Senil: Relacionada com o processo de envelhecimento natural. Raramente surge antes dos 60 anos.
Catarata Congénita:
São hereditárias ou surgem devido a algumas infecções que a mãe teve durante a gravidez (Rubéola, etc.).
Catarata Traumática:
Provocadas por traumatismo ocular.
Catarata Secundária:
É uma catarata que surge como consequência duma patologia prévia ocular - uveite, glaucoma, alta miopia, corticoterapia local; ou extra ocular - diabetes, doenças imunológicas, doença endócrina, terapéutica crónica sistémica, etc.

A evolução da catarata varia de pessoa para pessoa e até mesmo entre os dois olhos.

Esta evolução caprichosa não permite prognósticos. A deteriorização da visão pode variar entre vários meses a anos.

O único tratamento eficaz da catarata é a sua remoção, não estando comprovado qualquer efeito eficaz no uso de exercício, colírios anti-cataratas, suplementos dietéticos ou outros.

Há alguns anos atrás apenas se fazia a remoção cirúrgica da catarata quando a visão era muito baixa, quase nula , ou seja, a indicação cirúrgica resumia-se às cataratas já maduras. Com o avanço das técnicas cirúrgicas e reabilitação visual rápida, as indicações para o “timing” cirúrgico mudaram. Assim o doente é que decide quando quer remover a catarata, ou seja, quando esta começa a prejudicar as suas actividades profissionais ou lúdicas (conduzir, ler, ver televisão, fazer compras, etc.).

Actualmente a cirurgia da catarata é altamente eficaz e eficiente. Cerca de 98% dos doentes recupera uma boa visão . A principal causa de insucessos da cirurgia da catarata deve-se a factores extra-cirurgicos (lesões retinianas, nervo óptico, glaucoma, etc.).

Fonte: www.centrodeoftalmologia.com

Catarata

A Catarata é a turvação progressiva do cristalino que interfere na absorção da luz que chega a retina, causando uma visão progressivamente borrada. A leitura fica mais difícil e dirigir um carro pode se tornar perigoso. O portador de catarata pode se sentir incomodado por luz forte ou ver halos ao redor das luzes.

No início, a mudança no grau dos óculos pode ajudar, mas com o avanço da catarata a visão vai diminuindo. Na maioria dos casos a catarata é bilateral, no entanto assimétrica.

A Catarata atinge quase metade (46,2%) da população mundial com mais de 65 anos. A OMS (Organização Mundial da Saúde) estima que no mundo 160 milhões de pessoas tenham a doença. No Brasil são 2 milhões e surgem 120 mil novos casos ao ano.

Quais os sintomas?

O olho humano possui uma estrutura intra-ocular denominada cristalino. O cristalino está localizado atrás da íris, ele é incolor e quase completamente transparente, medindo cerca de 4 mm de espessura e 9 mm de diâmetro. Sua função é focalizar os raios luminosos sobre a retina. A capacidade que ele tem de mudar seu formato para permitir a focalização de objetos próximos sobre a retina é denominada acomodação. A partir dos 40 anos, o poder de acomodação do cristalino torna-se gradativamente reduzido. O cristalino pode sofrer alterações como opacificação, distorção, deslocamento ou anormalidades geométricas.

A alteração mais freqüente do cristalino é a sua opacificação, que é o que denominamos de Catarata.

Entre os fatores de risco da doença estão os maus hábitos alimentares e o stress da vida moderna que induzem ao acúmulo de oxidantes, além da excessiva exposição à radiação ultravioleta emitida pelo sol. Só para se ter uma idéia, o risco de surgir a catarata aumenta em 60% para quem não protege os olhos do sol. Apesar de fazer parte do processo natural do envelhecimento, logo que não há como prevenirmos, devemos diminuir a exposição aos fatores de risco.

Quais são as causas?

A catarata pode ter várias etiologias como traumática, congênita, por uso de medicamentos, inflamatória, entre outras. Porém, a causa mais comum de catarata é aquela relacionada à idade, também denominada catarata senil. Estima-se que mais de 50% das pessoas acima de 55 anos e algumas mais jovens sofrem de catarata.

Qual é o tratamento?

Não existe tratamento clínico para a catarata, uma vez formada o único tratamento existente é a sua extração cirúrgica.

A sua remoção cirúrgica é indicada quando a diminuição visual interfere com as atividades normais do paciente, gerando uma pior qualidade de vida. Uma outra indicação para sua extração é quando a mesma está ocasionando um aumento na pressão intra-ocular do paciente.

Hoje a cirurgia é feita de forma personalizada, conforme o perfil clínico e hábitos de cada pessoa, e deve ser programada quando 50 - 60% da visão já foi perdida. Um aparelho de ultra-som dissolve e aspira o cristalino para em seu lugar ser implantada uma lente intra-ocular que será permanente, o que torna a escolha da lente bastante importante.

As bifocais, por exemplo, corrigem a visão de perto e de longe, mas não oferecem boa visão para a meia distância. Para quem trabalha em computador, comenta, as mais adequadas são as multifocais que permitem boa visão de perto, meia distância e de longe. Já quem tem hábito de dirigir à noite as multifocais apodizadas reduzem a visão de ’glare’ ou halos noturnos, além de terem proteção ultravioleta.

As multifocais permitem corrigir miopia (dificuldade de enxergar de longe) e hipermetropia (dificuldade de enxergar de perto), sendo mais eficientes no segundo caso, porém não são indicadas para quem passou por cirurgia refrativa, portadores de catarata madura, degeneração macular, retinopatia diabética e doenças corneanas, ou pessoas que já tenham implantado lente monofocal em um dos olhos.

Os novos equipamentos cirúrgicos permitem que as incisões sejam menores. O resultado,é uma reabilitação visual mais rápida e a redução do astigmatismo induzido cirurgicamente, alé do que as novas tecnologias agregadas as lentes intra-oculares como as lentes tóricas, as lentes asféricas têm trazido dia a dia uma melhor ana qualidade de vida, na qualidade de visão, gerando menor dependência do uso de óculos no pós-operatório.

Fonte: www.drqueirozneto.com.br

Catarata

Em uma definição simples, catarata é um “embaçamento” do cristalino de seu olho. O cristalino, localizado exatamente atrás da íris, ou a parte colorida de seus olhos, funciona como a lente de uma câmera. Ele recebe as imagens, e, daí, focaliza a luz, as cores e as formas sobre a retina – o transmissor localizado no fundo do seu olho, que envia as imagens para o cérebro.

O cristalino humano, pode se tornar embaçado – tão embaçado que a luz e as imagens não conseguem atingir a retina. Ferimentos no olho, algumas doenças, ou até mesmo alguns medicamentos podem causar esse embaçamento. Mas, em mais de 90% dos casos, o embaçamento é causado pelo processo natural de envelhecimento do cristalino.

A catarata pode ser a razão pela qual as imagens nítidas se tornam borradas, ou pela qual sentimos mais dificuldade em enxergar à noite. Também pode ser por esse motivo que os óculos ou lentes de contato que costumavam ajudá-lo na leitura, ou na realização de tarefas simples, parecem não ter mais utilidade.

Quando diagnosticado com catarata, a única maneira de solucionar o problema é remover o "embaçamento" .O cirurgião utilizará uma técnica chamada facoemulsificação, através da qual a catarata é triturada e aspirada ao mesmo tempo. Após a retirada do cristalino opacificado, é colocada uma lente intra-ocular para restaurar sua visão. As lentes intra-oculares comuns protegem apenas contra a luz ultra-violeta. Porém, é importante proteger-se contra a luz azul, que também pode ser prejudicial à sua retina.

O que a Catarata Não É

A catarata não é um “filme” ou “película” sobre o olho. Nenhuma dieta, tratamento clínico (com colírios) nem lasers farão com que ela desapareça. A única maneira de se tratar a catarata é remover o cristalino embaçado , enrijecido e colocar um substituto. Por isso é mais seguro realizar a cirurgia nos estágios iniciais da catarata.

Remoção da Catarata é um dos procedimentos mais seguros e bem-sucedidos realizados atualmente.

Ocorreram grandes avanços na cirurgia de catarata. Todos os anos, milhões de pessoas submetem-se a este tipo de procedimento para melhorar a visão, obtendo excelentes resultados.

A remoção da Catarata é um tratamento simples porém muito delicado. Atualmente existe um elevado grau de recuperação visual com segurança devido ao dispendioso treinamento dos oftalmologistas e do grande avanço tecnológico dos aparelhos de facoemulsificação e das lentes intra oculares.

Uma minúscula incisão é feita no olho. Através dessa incisão, o cirurgião introduz um instrumento, aproximadamente do tamanho de uma ponta de caneta para diluir e aspirar seu cristalino embaçado.

Uma vez que o cristalino embaçado foi removido, o próximo passo é substituí-lo. Ou seja, implantar um cristalino artificial, que funcionará como seu próprio cristalino natural. Este cristalino artificial é chamado de lente intraocular ou LIO.

Como ocorre o procedimento?

A cirurgia de catarata é um procedimento ambulatorial. Seus olhos serão tratados com anestesia, por isso depois da cirurgia você descansará por algumas horas na clínica ou hospital, e poderá ir para casa no mesmo dia.

Durante as 24 horas seguintes, seu médico provavelmente vai querer revê-lo para uma avaliação. Serão prescritos colírios para protegê-lo contra as infecções e ajudar na cicatrização do seu olho.

Caberá ao seu oftalmologista indicar o melhor procedimento a ser adotado, bem como o tempo de internação e frequência de retornos ao consultório.

Tipos de lentes intra-oculares

Atualmente existe uma grande variedade de lentes para a cirurgia de catarata. As mais recomendadas são as lentes dobráveis de acrílico, pois são inseridas em uma pequena incisão proporcionando uma recuperação visual rápida e segura.

Lentes intra ocular

Tipos de lentes intra-oculares

Atualmente existe uma grande variedade de lentes para a cirurgia de catarata. As mais recomendadas são as lentes dobráveis de acrílico, pois são inseridas em uma pequena incisão proporcionando uma recuperação visual rápida e segura.

Abaixo amostra dos diversos tipos de materiais de lente intra ocular:

A lente AcrySof®:

É implantada através de uma menor incisão
Possui menor incidência de Catarata Secundária
Menor acompanhamento pós – cirúrgico
Recuperação rápida, com menor risco de complicações
A lente AcrySof® Single Piece

Apresenta todos os benefícios das lios AcrySof® mais os benefícios de ser peça única:

É produzida com o mesmo material da AcrySof®
Se adapta a qualquer tamanho de olho
Mantém se centralizada
Evita o enrugamento e estrias do saco capsular
As LIO`s AcrySof® IQ e AcrySof® Natural filtram a luz azul como seu cristalino natural
Grandes avanços ocorreram na tecnologia de cristalinos artificiais. As LIO`s AcrySof® IQ e AcrySof® Natural são exemplos disso.

Todas as lentes artificiais atualmente disponíveis filtram a luz UV, mas as LIO`s AcrySof® IQ e AcrySof® Natural filtram tanto a luz UV quanto a luz visível azul.

As lentes AcrySof® IQ e AcrySof® Natural tem uma coloração amarelo-transparente – a cor necessária para filtrar a luz azul. O pigmento amarelo patenteado não altera as cores naturais dos objetos que você enxerga, e nem a qualidade de sua visão.

As LIO`s AcrySof® IQ e AcrySof® Natural é uma lente de peça única. As alças mantêm a lente centralizada e firmemente no lugar, e são feitas do mesmo material do corpo da lente, ou zona óptica.

Atualmente, a família de lentes AcrySof®, inclusive as LIO`s AcrySof® IQ e AcrySof® Natural, encontra-se entre as lentes mais implantadas em todo o mundo.

Isto se deve, em grande parte, aos resultados clínicos da lente em longo prazo. Além disso, estas lentes são feitas de um material patenteado desenvolvido especificamente para uso ocular.

As LIO`s AcrySof® IQ e AcrySof® Natural foram projetadas de forma a se adequar ao formato natural da cápsula do cristalino. Isto ajuda a mantê-la estável e centralizada no olho. Mas, o que faz da AcrySof® IQ e AcrySof® Natural tão especial é sua capacidade de filtrar a luz visível azul.

Fonte: www.cirurgiadecatarata.com.br

Catarata

É a opacificação do CRISTALINO. O cristalino é a estrutura que corresponde a uma lente capaz de focalizar a imagem sobre a RETINA possibilitando uma VISÃO perfeita.

Qual a causa da Catarata?

Suas causas englobam diversos fatores, estando associada à nutrição, DIABETES, infecções, traumatismos, envelhecimento entre outros.

Todas as pessoas terão Catarata?

Provavelmente sim, pois a medida que a expectativa de vida da população aumenta a probabilidade de desenvolver a catarata é maior.

É comum se ouvir dizer que Catarata só acontece em pessoas idosas. É verdade?

Não, as causas de Catarata são bastante diversificadas. As Cataratas dos idosos (Catarata Senil) são as mais comuns e ocorrem devido ao envelhecimento do CRISTALINO, porém existem as Cataratas provocadas por Doencas Infecciosas, as Congênitas e medicamentosas.

Uma pessoa que tenha Catarata há aproximadamente 20 anos pode voltar a enxergar?

Sim, desde que esta Catarata não seja congênita e não existam patologias associadas a retirada do CRISTALINO opaco certamente devolverá sua VISÃO.

Existe tratamento de Catarata que não seja cirúrgico?

Não, toda Catarata exige uma intervenção cirúrgica para retirada do CRISTALINO opacificado.

Se uma pessoa não operar a Catarata pode ficar cego?

Sim, a Catarata é uma opacificação progressiva que pode com o decorrer dos anos prejudicar seriamente a VISÃO.

Quando se deve operar a catarata?

A decisão de quando operar deve ser tomada em conjunto com o seu médico. No passado havia a necessidade de esperar amadurecer a catarata em função da técnica que era utilizada, hoje com as novastécnicas cirúrgicas quando a pessoa comeca a não fazer aquilo que gosta e muda a maneira de viver em função das limitações impostas pela baixa da VISÃO provocada pela catarata está na hora de se submeter a cirurgia. Com as novas técnicas cirúrgicas a recuperação do paciente para retornar as suas atividades diárias normais se tornou mais rápida, não podendo de forma alguma a CIRURGIA ser banalizada, pois mais do que nunca envolve habilidade cirúrgica, instrumentais e materiais de boa qualidade.

Como se trata a catarata?

A única forma de se tratar a catarata é através da CIRURGIA. Atualmente é utilizada a técnica denominada de FACOEMULSIFICAÇÃO. Erroneamente alguns chamam cirurgia a laser. Essa técnica se baseia no princípio do ultra-som. É feita uma incisão de cerca de 3mmna CÓRNEA por onde se introduz uma sonda, e a catarata é quebrada e aspirada ao mesmo tempo. Após a retirada do CRISTALINO opacificado, é colocada uma LENTE INTRA-OCULAR rígida ou dobrável que pode ser de vários materiais, sendo os mais utilizados de acrílico ou silicone para compensar o grau do cristalino normal. A cirurgia é realizada com anestesia local com acompanhamento do anestesista, que controla os sinais vitais do paciente.

Posso me submeter à cirurgia de catarata mesmo que eu tenha diabetes ou glaucoma?

Sim. Os exames de sangue do diabético deverão estar controlados. Quando é realizada a CIRURGIA de catarata o GLAUCOMA poderá ser controlado. É possível fazer as duas cirurgias simultaneamente. Converse com seu oftalmologista.

A cirurgia de catarata pode ser feita nos dois olhos no mesmo dia?

Não, recomendamos sempre operar o OLHO pior primeiro e quando ocorre a recuperação total então, operamos o outro olho. O prazo é em média de 30 dias, podendo haver variações dependendo da recuperação individual de cada um.

Tem que usar curativo no olho operado?

Geralmente não ocluímos o OLHO após a cirurgia, ficando a critério do médico.

Quando é que eu vou começar a ver de novo?

A recuperação da VISÃO após a cirurgia varia em cada caso. Algumas pessoas melhoram a visão logo após a cirurgia. A visão pode ficar inicialmente um pouco embacada devido ao processo de cicatrização, que deverá normalizar dentro de 30 dias.

Como ficará a minha visão após a cirurgia?

Se o principal problema de sua VISÃO for catarata, após a cirurgia sua visão restabelecerá totalmente. Entretanto, em alguns casos é normal o uso de ÓCULOS para leitura, dirigir e algumas atividades.

Quanto tempo após a cirurgia de catarata posso começar a dirigir?

Assim que estiver vendo com nitidez e estiver totalmente confortável você poderá começar a dirigir.

Por que operando a Catarata e implantando lente intra ocular o paciente precisa usar óculos?

Porque na CIRURGIA da Catarata é implantado uma lente artificial em substituição ao cristalino opacificado. Esta lente sendo unifocal dá VISÃO ideal apenas para uma determinada distância, para perto ou para longe.

Quanto tempo após a cirurgia vou ter meus novos óculos?

Em torno de 30 dias seu ÓCULOS será prescrito, podendo ser orientado a usar um óculos provisório de imediato.

A catarata pode voltar?

Não. Entretanto, meses ou anos após a cirurgia pode ocorrer uma opacificação da cápsula posterior, localizada atrás da lente intraocular, sendo tratado com aplicação do yag laser na clínica, não necessitando internamento.

Fonte: www.ibc.gov.br

Catarata

A catarata é uma região nebulosa na lente do olho. A catarata bloqueia ou destorce os raios de luz que entram nos olhos. Isto causa o brilho exagerado de fontes, como lâmpadas ou raios do sol.

A visão torna-se gradualmente borrada, perdendo a nitidez, mesmo durante o dia. A catarata geralmente ocorre nos dois olhos, mas pode afear apenas um deles.

Se ocorrer em ambos, um deles pode ser mais prejudicado. Pois a doença se desenvolve a uma velocidade diferente em cada olho. No início, a visão pode ser melhorada através de trocas freqüentes de grau nas lentes dos óculos.

Existem muitas causas para as cataratas: A forma senil é a mais freqüente. Ela é resultado do envelhecimento, provavelmente de corrente de mudanças no estado químico das proteínas das lentes dos olhos. Aproximadamente 50% das pessoas com mais de 65 anos têm catarata, e essa porcentagem sobe para 70% nas pessoas com mais de 75 anos.

Catarata traumática

Ocorre quando um corpo estranho penetra o olho com força suficiente para causar um lesão específica.

Catarata complicada

Ocorre secundariamente a outra doença (por exemplo: diabetes) ou outra doença ocular (por exemplo: descolamento de retina, glaucoma, retinite pigmentar).

Radiação ionizante e raios infravermelhos podem levar a esse tipo de catarata. Um bebê pode nascer com catarata em um ou ambos os olhos se a mãe tiver rubéola durante a gestação.

Catarata tóxica pode ser conseqüência de algum medicamento ou produto químico tóxico. Os fumantes têm maiores riscos de desenvolver cataratas.

Sinais e sintomas

Visão borrada, sem nitidez, esfumaçada e nebulosa.

Sensibilidade à luz e prejuízo da visão noturna. Podem surgir problemas ao dirigir à noite, pois os faróis podem parecer muito claro com o brilho excessivo.

Visão dupla

Pupilas normalmente escuras aparecem esbranquiçadas, leitosas.
Halos ao redor das luzes.
Mudanças na percepção das cores
Problemas com raios de luzes e do sol

Melhora temporária da visão, apenas em pessoas que apresentam hipermetropia. É a chamada "Segunda Visão".

Fonte: www.lincx.com.br

Catarata

A catarata é a opacificação do cristalino que compromete a visão. A catarata produz uma perda de visão indolor e progressiva. A sua causa normalmente é desconhecida, embora ela algumas vezes seja resultante da exposição aos raios X ou à luz solar intensa, de doenças oculares inflamatórias, de certos medicamentos (p.ex., corticosteróides) ou de complicações de outras doenças (p.ex., diabetes). A catarata é mais comum nos indivíduos idosos, mas algumas crianças podem nascer com catarata (catarata congênita).

Sintomas

Como toda a luz que entra no olho deve passar pelo cristalino, qualquer parte do mesmo que bloqueie, distorça ou difunda a luz pode alterar a visão. O grau de deterioração da visão depende da localização da catarata e de quão densa (madura) ela está. Frente à luz intensa, a pupila contrai, estreitando o cone de luz que entra no olho, de modo que a luz não consegue passar facilmente através da catarata. Por essa razão, as luzes intensas são especialmente incômodas para muitos indivíduos que apresentam catarata, os quais enxergam halos em torno de lâmpadas, clarões e difusão da luz.

Estes problemas são particularmente incômodos quando o indivíduo passa de um ambiente escuro para um outro intensamente iluminado ou quando ele tenta ler algo com o auxílio de uma luz muito intensa. Os indivíduos com catarata que também utilizam medicamentos para o glaucoma e que contraem as pupilas podem apresentar uma maior perda da visão.

Uma catarata na parte posterior do cristalino (catarata subcapsular posterior) interfere particularmente na visão quando a luz é muito intensa.

Este tipo de catarata afeta a visão mais do que os outros, pois a opacidade está localizada no ponto onde os raios luminosos se cruzam. Surpreendentemente, uma catarata na parte central do cristalino (catarata nuclear) pode melhorar a visão no início. Ela faz com que a luz seja enfocada novamente, melhorando a visão dos objetos próximos ao olho.

Os indivíduos idosos, os quais geralmente apresentam dificuldades dificuldades para enxergar objetos próximos, podem descobrir que são capazes de ler novamente sem óculos, um fenômeno freqüentemente descrito como ganho de uma segunda visão. Embora as cataratas normalmente sejam indolores, elas raramente causam edema do cristalino e aumento da pressão intraocular (glaucoma), os quais podem ser dolorosos.

Como as Cataratas Afetam a Visão

À esquerda, um cristalino normal recebe a luz e a concentra sobre a retina. À direita, uma catarata bloqueia parte da luz que chega ao cristalino e distorce a luz que está concentrada sobre a retina.

Diagnóstico e Tratamento

O médico pode detectar uma catarata ao examinar o olho com o auxílio de um oftalmoscópio (um instrumento utilizado para examinar o interior do olho).

Utilizando um instrumento denominado lâmpada de fenda, o médico pode determinar a localização exata da catarata e a extensão de sua opacidade.

Geralmente, os indivíduos com catarata podem determinar quando desejam que ela seja removida cirurgicamente. Quando o indivíduo sente-se inseguro, desconfortável ou incapaz de realizar as tarefas cotidianas, provavelmente é o momento para a realização da cirurgia. Não existem vantagens de se realizar a cirurgia antes disso.

Antes de decidir pela cirurgia, o indivíduo com catarata pode tentar outras medidas. Óculos e lentes de contato podem melhorar a visão. Para certos tipos de catarata em indivíduos sem glaucoma, os medicamentos que mantêm as pupilas dilatadas podem ser úteis. O uso de óculos de sol em ambientes intensamente iluminados e o uso de lâmpadas com luz reflexa no lugar da luz direta diminuem os brilhos e melhoram a visão.

A cirurgia de catarata, a qual pode ser realizada em indivíduos de qualquer faixa etária, geralmente não exige anestesia geral ou a hospitalização. Durante a cirurgia, o cristalino é removido e, normalmente, é inserido um cristalino de plástico ou de silicone. Este cristalino artificial é denominado implante de cristalino.

Sem um implante de cristalino, os indivíduos freqüentemente necessitam de lentes de contato. Quando o uso de lentes de contato não é possível, pode ser tentado o uso de óculos, os quais possuem lentes de cristal muito grossas e tendem a distorcer a visão. A cirurgia de catarata é comum e, geralmente, é segura.

Raramente, após a cirurgia, o indivíduo pode apresentar uma infecção ou uma hemorragia no olho, a qual pode acarretar uma perda grave da visão.

Os indivíduos idosos em particular devem se preparar antecipadamente para contar com ajuda extra em casa durante alguns dias após a cirurgia.

Durante algumas semanas após a cirurgia, o indivíduo operado deve utilizar um colírio ou uma pomada para evitar a infecção, para reduzir a inflamação e para facilitar a cura. Para proteger o olho contra lesões, ele deve utilizar óculos ou um protetor metálico até a cura completa, normalmente após algumas semanas.

O indivíduo deve retornar ao médico no dia seguinte à cirurgia e, comumente, semanalmente ou quinzenalmente, durante 6 semanas. Algumas vezes, o indivíduo apresenta uma opacidade atrás do implante de cristalino algumas semanas ou mesmo anos após a cirurgia. Geralmente, essa opacidade pode ser tratada com aplicações de laser.

Fonte: www.msd-brazil.com

Catarata - Vídeo

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal