Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Ceará  Voltar

Ceará

 

 

História

Com a decisão do rei de Portugal D. João III em dividir o Brasil em capitanias hereditárias, coube ao português Antônio Cardoso de Barros, em 1535, administrar a Capitania do Siará (como era chamada a região correspondente as capitanias do Rio Grande, Ceará e Maranhão).

Entretanto a região não lhe despertou interesse. Só então, em 1603, é que o açoriano Pero Coelho de Sousa liderou a primeira expedição a região, demostrando interesse em colonizar aquelas terras.

Mapa Antigo de Ceará
Mapa Antigo de Ceará

Pero Coelho se instalou às margens do rio Pirangi (depois batizado rio Siará), onde construiu o Forte de São Tiago, depois destruído por piratas franceses. A esquadra de Pero Coelho teve que enfrentar ainda a revolta dos índios da região que inconformados com a escravidão, destruíram o forte obrigando os europeus a migrarem para a ribeira do rio Jaguaribe. Lá, a esquadra de Pero Coelho construiu o Forte de São Lourenço. Em 1607, uma seca assolou a região e Pero Coelho abandonou a capitania.

Em 1612 foi enviado ao Siará o português Martim Soares Moreno, considerado o fundador do Ceará, que também se instalou às margens do Rio Siará (atualmente Barra do Ceará), onde recuperou e ampliou o Forte São Thiago e o batizou de Forte de São Sebastião. Deu-se início a colonização da capitania do Siará, dificultada pela oposição das tribos indígenas e invasões de piratas europeus.

No ano de 1637, região foi invadida por holandeses, enviados pelo príncipe Maurício de Nassau, que tomaram o Forte São Sebastião. Anos depois a expedição foi dizimada pelos ataques indígenas. Os holandeses ainda voltaram ao litoral brasileiro em 1649, numa expedição chefiada por Matias Beck e se instalaram nas proximidades do rio Pajéu, no Siará, onde construíram o Forte Schoonenborch.

Em 1654, o Schoonenborch foi tomado por portugueses, chefiados por Álvaro de Azevedo Barreto, e o forte foi renomeado de Forte de Fortaleza de Nossa Senhora da Assunção. A sua volta formou-se a segunda vila do Ceará, chamada de vila do Forte ou Fortaleza. A primeira vila reconhecida foi a de Aquiraz. Em 1726, a vila de Fortaleza passou a ser oficialmente a capital do Ceará após disputas com Aquiraz.

Ocupação

Duas frentes de ocupação atuaram no Siará, a primeira, chamada de sertão-de-fora foi controlada por pernambucanos que vinham do litoral, e a segunda, do sertão-de-dentro, controlada por baianos. Ao longo do tempo o Siará foi sendo ocupado o que impulsionou o surgimento de várias cidades. A pecuária serviu de motor para o povoamento e crescimento da região, transformado o Siará na “Civilização do Couro”.

Entre os séculos XVIII e XIX, o comércio do charque alavancou o crescimento econômico da região. Durante esse período, surgiram as cidades de Aracati, principal região comerciária do charque, Sobral, Icó, Acaraú, Camocim e Granja. Outras cidades como Caucaia, Crato, Pacajus, Messejana e Parangaba (as duas últimas bairros de Fortaleza) surgiram a partir da colonização indígena por parte dos jesuítas.

A partir de 1680, o Siará passou à condição de capitania subalterna de Pernambuco, desligada do Estado do Maranhão. A região só se tornou administrativamente independente em 1799, quando foi desmembrada de Pernambuco e o cultivo do algodão despontou como uma importante atividade econômica. Às vésperas da Independência do Brasil, em 28 de fevereiro de 1821, o Siará tornou-se uma província e assim permaneceu durante todo o período do Império. Com a Proclamação da República Brasileira, no ano de 1889, a província tornou-se o atual estado do Ceará.

Momentos históricos

Em 1817, os cearenses, liderados pela família Alencar, apoiaram a Revolução Pernambucana. O movimento, que se restringiu ao município do Cariri, especialmente na cidade do Crato, foi rapidamente sufocado.

Em 1824, após a independência, foi a vez dos cearenses das cidades do Crato, Icó e Quixeramobim demonstrarem sua insatisfação com o governo imperial. Assim eles se aderiram aos revoltosos pernambucanos na Confederação do Equador.

No século XIX, vários fatos marcaram a história do Ceará, como o fim da escravidão no Estado, em 25 de março de 1884, antes da Lei Áurea, assinada em 1888. O Ceará foi portanto o primeiro estado brasileiro a abolir a escravidão. Um cearense se destacou nessa época: o jangadeiro Francisco José do Nascimento que se recusou a transportar escravos em sua jangada. José do Nascimento ficou conhecido como Dragão do Mar (atualmente nome de um centro cultural em Fortaleza).

Entre 1896 e 1912, o comendador Antônio Pinto Nogueira Accioly governou o Estado de forma autoritária e monolítica. Seu mandato ficou conhecido como a “Política Aciolina” que deu início ao surgimento de diversos movimentos messiânicos, alguns deles liderados por Antônio Conselheiro, Padre Ibiapina, Padre Cícero e o beato Zé Lourenço. Os movimentos foram uma forma que a população encontrou de fugir da miséria a qual se encontrava a região. Foi também nessa época que surgiu o movimento do cangaço, liderado por Lampião.

Nos anos 30, cerca de 3 mil pessoas se reuniram, sob a liderança do beato Zé Lourenço, na região no sítio Baixa Danta, em Juazeiro do Norte. O sítio prosperou e desagradou a elite cearense. Em setembro de 1936, a comunidade foi dispersa e o sítio incendiado e bombardeado. O beato e seus seguidores rumaram para uma nova comunidade. Alguns moradores resolveram se vingar e preparam uma emboscada, que culminou num verdadeiro massacre. O episódio ficou conhecido como “Caldeirão”.

Nos anos 40, com a Segunda Guerra Mundial, foi montado uma base norte-americana no Ceará mudando os costumes da população, que passou a realizar diversos manifestos contra o nazismo. Também na mesma década, o governo, afim de estimular a migração dos sertanejos para a Amazônia realizou uma intensa propaganda. Esse contingente formou o “Exército da Borracha”, que trabalharam na exploração do látex das seringüeiras. Milhares de cearenses migraram para o Norte e acabaram morrendo no combate entre Estados Unidos e Aliados com os exércitos do Eixo, sem os seringais da Ásia para abastecê-los.

Bandeira

O verde e o amarelo da bandeira cearense retratam as matas e as riquezas minerais. O farol, a jangada e a carnaúba simbolizam, respectivamente, Fortaleza, o cearense e o extrativismo vegetal.


 

História

Ceará

A bandeira cearense foi criada pelo comerciante João Tibúrcio Albano, filho do Barão de Aratanha. Tibúrcio Albano acabou substituindo a esfera celestial da bandeira brasileira pelo brasão do estado. Em 25 de agosto de 1922, o presidente Justiniano de Serpa assinou o Decreto nº 1.971 instituindo o pavilhão cearense com um retângulo verde e o losango amarelo da bandeira nacional, tendo ao centro um círculo branco e no meio do círculo o escudo do Ceará.

Em 31 de agosto de 1967, o governador Plácido Aderaldo Castelo, auxiliado pelo historiador e Secretário da Cultura, Raimundo Girão, modificou o artigo instituindo que a bandeira seguiria as seguintes proporções: 14m de altura e 20m de largura; os vértices do losango estarão a 1,7m dos lados do retângulo; o raio do círculo corresponderá a 3,5m a distância da parte superior e da inferior das armas, em relação ao círculo corresponderá a 1m; e os flancos, também em relação ao círculo, 2m.

Brasão

Ceará
Brasão do Estado do Ceará


 

Fonte: www.ceara.gov.br

Ceará

Hino do Estado do Ceará

LETRA :THOMAZ LOPES
MÚSICA:ALBERTO NEPOMUCEMO

 

Terra do sol, do amor, terra da luz!
Soa o clarim que a tua glória conta!
Terra, o teu nome a fama aos céus remonta
Em clarão que seduz!
Nome que brilha - esplêndido luzeiro
Nos fulvos braços de ouro do cruzeiro!

Mudem-se em flor as pedras dos caminhos!
Chuvas de pratas rolem das estrelas...
E despertando, deslumbrada ao vê-las,
Ressoe a voz dos ninhos...
Há de florar nas rosas e nos cravos
Rubros o sangue ardente dos escravos.

Seja o teu verbo a voz do coração,
Verbo de paz e amor do Sul ao Norte!
Ruja teu peito em luta contra a morte,
Acordando a amplidão.
Peito que deu alívio a quem sofria
E foi o sol iluminando o dia!

Tua jangada afoita enfune o pano!
Vento feliz conduza a vela ousada
Que importa que teu barco seja um nada,
Na vastidão do oceano
Se à proa vão heróis e marinheiros
E vão no peito corações guerreiros?
 

Se, nós te amamos, em aventuras e mágoas!
Porque esse chão que embebe a água dos rios
Há de florar em messes, nos estios
E bosques, pelas águas!
Selvas e rios, serras e florestas
Brotem do solo em rumorosas festas!

Abra-se ao vento o teu pendão natal
Sobre as revoltas águas dos teus mares!
E desfraldando diga aos céus e aos mares
A vitória imortal!
Que foi de sangue, em guerras leais e francas
E foi na paz, da cor das hóstias brancas!

O Hino do Estado do Ceará foi executado em público pela primeira vez no dia 31 de julho de 1903, no palacete da Assembléia Legislativa (hoje Museu do Ceará), por oitenta alunas da Escola Normal, com acompanhamento da Orquestra do Batalhão de Segurança e sob a direção do maestro Zacarias Gondim. A apresentação fazia parte das comemorações do terceiro centenário da chegada dos portugueses ao Ceará.

O Hino do estado do Ceará tem letra de Thomaz Lopes e Música de Alberto Nepomuceno.

Desde 31 de julho de 2003 a execução do Hino do Estado do Ceará passou a ser obrigatória nas Escolas Públicas e nas solenidades do Governo do Estado obedecendo o decreto nº 27.155, de 31 de julho de 2003.

Thomaz Lopes

Filho de João Lopez e Maria Amélia (Menininha) de Sousa, Thomaz Lopez nasceu dia 16 de novembro de 1879, em Fortaleza - Ceará.Estudou as Humanidades no Partenon Cearense e no Liceu do Ceará. No Rio de Janeiro, para onde se transferiu em 1896, estudou na Faculdade de Direito, bacharelando-se em Ciências Jurídicas e Sociais.Serviu como Diplomata em Madri e, posteriormente na Suíça, onde veio a falecer dia 10 de julho de 1913.Mudem-se em flor as pedras dos caminhos!

Alberto Nepomuceno

Nascido em 6 de julho de 1864, em Fortaleza - Ceará, Alberto Nepomuceno tornou-se o primeiro compositor e regente brasileiro de intenção nacionalista. Passou a infância no Recife - Pernambuco, onde aprendeu música com o pai, o maestro Victor Augusto Nepomuceno. Em 1884, Alberto mudou-se para o Rio de Janeiro, logo após a morte do pai. A partir de 1897, sua produção musical aproximou-se mais da temática e de soluções rítmicas brasileiras. Retornou à Europa e, em 1902, já de volta ao Brasil, foi nomeado diretor do Instituto Nacional de Música, cargo que ocupou até 1916. Alberto Nepomuceno morreu em 16 de outubro de 1920, no Rio de Janeiro.

DECRETO DISPONDO SOBRE A OBRIGATORIEDADE DE EXECUÇÃO DO HINO DO CEARÁ NAS ESCOLAS PÚBLICAS E NAS SOLENIDADES DO GOVERNO DO ESTADO.

Decreto nº 27.155, de 31 de julho de 2003

O GOVERNADOR DO ESTADO DO CEARÁ, no uso das atribuições que lhe confere o art.88, incisos IV e VI, da Constituição Estadual, e;

CONSIDERANDO a importância de divulgar, propagar e popularizar o Hino do Ceará;

CONSIDERANDO a conveniência de promover a preservação e o resgate da memória histórica do Ceará;

CONSIDERANDO o valor de fomentar o sentimento cívico e patriótico no povo cearense;

CONSIDERANDO o ensejo do centenário da primeira execução do Hino do Ceará, ocorrido no dia 31 de julho de 1903, e a oportunidade de sua comemoração;

DECRETA:

Art.1º. As escolas públicas da rede estadual de ensino deverão promover a execução do Hino do Ceará, uma vez por semana, no início de cada turno de aula, com a participação dos corpos docente, discente e funcional de cada unidade.

Parágrafo único. Caberá à Secretaria da Educação Básica orientar as unidades escolares sobre os procedimentos para observância do disposto neste artigo.

Art.2º. A execução do Hino do Ceará será obrigatória em todas as solenidades do Governo do Estado do Ceará.

Art.3º. Na execução do Hino do Ceará, nas versões para Coro Misto, Orquestra e Banda, poderão ser cantadas apenas a primeira e a quarta estrofes.

Art.5º. Este decreto entra em vigor na data de sua publicação.

Fonte:www.saojose.seduc.ce.gov.br

Ceará

Economia do Ceará

O Estado do Ceará está localização na Região Nordeste do Brasil, situando-se no extremo oriental da América Meridional, quase totalmente inserido no "Polígono da Seca", no semi-árido.

Tomando-se por base seus pontos extremos, temos como sendo a seguinte a posição astronômica do seu território:

Ponto extremo norte

Ponta de Jericoacoara, a 2º 46'30" de latitude sul;

Ponto extremo sul

BR-116 (Penaforte), a 7º 52'15"' de latitude sul;

Ponto extremo leste

Praia de Manibú (Icapuí) / Timbau (RN) a 37º14'54" de longitude ocidental;

Ponto extremo oeste

Área de litígio CE/PI (Serra de Ibiapaba), a 41º 24'45" de longitude ocidental.

Ponto extremo norte

Ponta de Jericoacoara, a 2º 46'30" de latitude sul;

Ponto extremo sul

BR-116 (Penaforte), a 7º 52'15"' de latitude sul;

Ponto extremo leste

Praia de Manibú (Icapuí) / Timbau (RN) a 37º14'54" de longitude ocidental;

Ponto extremo oeste

Área de litígio CE/PI (Serra de Ibiapaba), a 41º 24'45" de longitude ocidental.

Estando colocado um pouco abaixo da linha do Equador, o Ceará tem sua posição nitidamente tropical. Em sua configuração "triangular", "de um coração"ou ainda "de baguete frígio" (opiniões mais presentes), limita-se a oeste com o Estado do Piauí, a sul com Pernambuco, a leste com o Rio Grande do Norte e Paraíba, e a norte com o Oceano Atlântico, formando com ele uma extensa moldura litorânea de 573km.

A distância angular no Ceará é de NS 5/05'45' e EO 4/5" e, linearmente NS 564km e EO 463km.

Área

O Estação do Ceará tem uma área de 146.348,3 quilômetros quadrados, onde sua participação é da ocupação de 1,71% da área do Brasil e 9,37% da área que compreende a Região Nordeste.

Sua área ocupada por águas internas é de 0,8%. A área de litígio do Ceará com o Piauí é de 2.977,4 quilômetros quadrados.

Clima e Temperatura

Os aspectos climáticos predominantes no Estado do Ceará são:

Concentração das chuvas num curto período anual (de 3 a 5 meses), com um média de precipitação de 775mm e um coeficiente de variação de 30%;

Médias térmicas elevadas, variando de 23º a 27º C;

Forte insolação, numa média de 2.800 h/ano;

Umidade relativa do ar com 82% no litoral e inferior a 70% no sertão.

A regularidade do clima dominante limita a potencialidade dos recursos naturais conserváveis (sol, vegetação, hidrografia), imprimindo um caráter de vulnerabilidade às atividades produtivas.

Tratando-se do clima no espaço estadual, constata-se que a presença de fatores como a altitude (que chega até 1.100m) e a proximidade do mar cria as condições climáticas mais favoráveis, com temperatura amena e regime pluviométrico mais regular.

Assim, as temperaturas médias observadas são as seguintes:

Litoral

Com clima quente e úmido, suas médias térmicas são de 26ºC a 27ºC, com máximas de 30ºC e mínimas de 19ºC;

Serras

Com clima frio e úmido, têm médias térmicas em torno de 22ºC, com máximas de 27º e mínimas de 17ºC.

Sertão

De clima semi-árido e médias térmicas não definidas, tendo média das máximas entre 32ºC e 33ºC, e média das mínimas de 23ºC (nas noites);

A temperatura média da água do Atlântico está entre 25ºC e 28ºC, com salinidade entre 36% e 37%. Os ventos são alísios, permanentes, com constantes correntes vindas do sudeste com velocidade entre 5,6 e 8,0 km.

Relevo e Vegetação

Topografia

Na configuração do relevo do Ceará, a progressão topográfica evolui de 0(zero) a 1.000m de altitude, em que se podem distinguir nitidamente as planícies litorâneas, as depressões sertanejas de altitudes inferiores a 200m, os pés-de-serra que ficam entre 200 e 400m, e as serras, serrotes e planaltos, que chegam a alcançar uma altitude de 400 a 1.000m acima do nível do mar.

O ponto culminante do Ceará é o Pico do Oeste, com 1.145m de altura, localizado na Serra das Matas, no limite Santa Quitéria/Mosenhor Tabosa. Seguido dele, vem o famoso Pico Alto, situado em Guaramiranga, com 1.114m, grande atração turística devido a bela paisagem unindo serra-sertão que é observada do alto da serra de Guaramiranga.

Geologia

De um modo geral, a geologia do Ceará pode ser dividida em duas grandes unidades distintas: o cristalino (embasamento), composto por rochas antigas e que ocupam cerca de 74% do seu território, e o sedimentar.

Vegetação

A cobertura vegetal do Estado do Ceará, a flora, compõe-se predominantemente das seguintes formações:

Caatinga

Do tupi, mata branca, espalha-se por todo o espaço ocupando cerca de 70% de sua área. Suas características são de porte arbustivos, troncos retorcidos, folhas pequenas e caducifólias, xerófila (adaptada à escassez d'água) e raízes profundas.

A caatinga hipoxerófila, que tem maior porte e densidade, aparece nas faixas de menos rigor climático, tais como a baixada litorânea e o sopé da Ibiapaba.

A caatinga hiperxerófila é a vegetação das regiões mais áridas, apresentando-se mais baixas e rala, bem como com maior quantidade de espécies espinhosas;
Tem como algumas de suas espécies: algaroba, mulungu, aroeira, marmeleiro, juazeiro, pau-branco, sabiá e predeiro. As espécies cactáceas são: xique-xique, palma, facheiro e mandacaru. Seu desequilíbrio está nas queimadas e desmatamentos (retirante de lenha).

Formações Florestais

Em meio a aridez predominante, destacam-se as manchas verdes das florestas que cobrem as serras e os vales úmidos;

Vegetação de dunas, mangues e tabuleiros:

Ocupam espaços pouco representativos na área total do Estado. São predominantemente litorâneos.

A vegetação de dunas são caracterizadas pelo predominância de coqueiros nas praias e pelas espécies como murici, salsa-de-praia, capim-da-praia, grama-da-areia, etc.

Os tabuleiros são planaltos pouco elevados, arenosos e de vegetação rala.

A vegetação de mangue é encontrada em áreas sob influência das marés, tendo como características porte arbóreo/arbustivo, pobre em variedade (mangue preto, mangue branco e mangue vermelho), higráfila (adaptada à umidade) , halófita (adaptada a salinidade) e raízes suspensas. Sua importância está na manutenção do clima, evita o alagamento das áreas adjacentes, alimentação e reprodução da fauna marinha, pesca de peixe, caranguejo, camarão, e matérias-primas como madeira (construção de moradias, produção de carvão artesanato) e cipós (artesanato). As espécie animais encontradas são: garças, galinha d'água, martim-pescador, beija-flor, lavandeira, gaivotas, etc. Seus desequilíbrios estão na especulação imobiliária, desmatamentos, queimadas e despejos de esgotos e lixo;

Vegetação ciliar ou mata de galeria:

Ocorre como ocorrência dispersa em todo o Estado, ocupando os vales úmidos dos rios e riachos, formando densos povoamentos, nos quais a carnaúba, a oiticica, o juazeiro e o mulungu são espécies dominantes.

Recursos Hídricos do Ceará

Hidrografia

O Estado do Ceará está dividido por elevações que se constituem divisores de água e tem seus rios e riachos originados no próprio território que, só excepcionalmente, escoam para fora do Estado.

Os cursos d'água estaduais são alimentados diretamente pelas águas pluviais e não dispõem de qualquer ação de fontes perenes. A concentrações de chuvas num curto período impõe a característica de intermitência a todos os rios que correm no território estadual. Na época invernosa, o regime das correntes d'água é de acentuada torrencialidade. Logo após terminadas as chuvas, o escoamento superficial cessa e, apenas nos rios de leito arenoso e poroso, forma-se lençol freático situado próximo à superfície.

Além das características de intermitência imposta pelas chuvas, o regime fluvial recebe influência da temperatura, pela ação da evaporação, constituição geológia e pedológica das áreas, relevo e vegetação. Nas serras e pés-de-serras, os cursos d'água têm vazão assegurada durante a maior parte do ano pela favorabilidade desses fatores. Verifica-se, então, que os rios da serra de Baturité, Ibiapaba e Araripe são mais duradouros. Além das mais baixas temperaturas, a maior porosidade e permeabilidade dos terrenos das áreas das chapadas da Ibiapaba e Araripe, diminuem o escoamento superficial e o regime torna-se mais regular, da mesma forma como a presença da vegetação densa contribui para tal fato.

No sertão, além das chuvas escassas e concentradas, o regime fluvial é de máxima torrencialidade pela litologia das área e descontinuidade da vegetação. Ademais, a maior evaporação, dada a elevada temperatura reinante no Sertão, associa-se aos citados fatores para tornar mais rápido e pouco duradouro o escoamento fluvial. Os aluviões, que mantêm umidade superficial nos leitos secos durante o verão são aproveitados com culturas de vazante e se constituem importantes elementos para o abastecimento à população nas regiões secas e semi-áridas, com a abertura de cacimbas.

Bacias Fluviais

Os recursos hídricos do Estados do Ceará se dividem nas seguintes bacias:

Bacia do Jaguaribe

Ocupando 50% do território, dentre todas as bacias do Ceará, a do rio Jaguaribe destaca-se como a mais extensa e importante. O rio Jaguaribe tem suas nascentes nas serra Calogi/Pipocas/Joaninha, no centro-oeste do Estado. O barramento do rio, bem como das afluentes, é uma uma das formas de aproveitamento das águas. Seus principais açudes são: Orós, Cedro e Banabuiú, estando ainda em construção o açude do Castanhão.

Tem como principais afluentes Banabuiú, Palhano e Salgado. O cristalino representa quase que o total dessa bacia. A área restante é então representada pelos sedimentos. Em vista do predomínio do cristalino, a porcentagem de precipitação transfomada em deflúvio é alta, devido a baixa infiltração.

Bacia do Acaraú

Ocupando um área de 10% do território, seu rio principal, o Acaraú, tem sua nascentes nas serras das Matas, Matinha Branca e Cupira, tendo como principais afluentes os rios Groairas, Jaibaras e Riacho do Macacos.

Tem como importantes os açudes Araras, sendo ele o maior reservatório dessa bacia (finalidades principais a perenização e controle das cheias do rio Acaraú, a irrigação das vázeas e piscicultura), e Ayres de Sousa.

Bacia do Curu

É o Curu o principal rio dessa bacia, nascendo na serra do Machado e tendo como principais afluentes os riso Canindé e Caxitoré. Seus principais açudes são: Caxitoré, General Sampaio e Pentecoste.

Bacia dos rios litorâneos

As bacias formadas pelos rios do litoral apresentam rios com pequenas extensões, por situarem suas nascentes em terras relativamente próximas do litoral. As de importância significativas são: Pacotí, Choró e Pirangí, salientando ainda os rios Aracatiaçu e Coreaú. No rio Pacotí existem as represas responsáveis pelo abastecimento d'água não só de Fortaleza, mas também de grande parte da Metropolitana.

Sub-bacia do Poti

Tem sua origem no Estado do Ceará, na confluência dos riachos Correntes e do Meio, segue para o Estado do Piauí, onde deságua no Rio Parnaíba.

Além da rede de rios e riachos, destacam-se como de grande importância no quadro hidrográfico estadual, os açudes públicos. O fenômeno da intermitência dos rios exigiu uma política de acumulação de água na época de excesso, afim de suprir as necessidades hídricas no período das estiagens e nos anos de extrema irregularidade pluviométrica.

Existem no Estado três principais sistemas de açudagem: do Jaguaribe, do Curu e Acaraú, sem esquecer que existem ainda em construção o Açude do Castanhão, prometendo ser o maior do Ceará.

O volume d'água acumulado nos 76 açudes mantidos pelo DNOCS é de cerca de 6.540.181.000 metros cúbicos.

No Ceará, a maioria dos açudes são anuais, ou seja, asseguram suprimento hídrico apenas no ano hidrológico. Os açudes plurianuais atendem às necessidades por até 2 ou 3 anos consecutivos sem a renovação de suas reservas.

A qualidade química das águas permite sua utilização para o consumo humano e animal.

Nos relevos serranos, as fontes d'água abundam no conjunto hidrográfico. Aparecem nas serras e pés-de-serra.

O Açude do Castanhão

Abrangendo os municípios de Alto Santo, Jaguaribara, Jaguaretama e Jaguaribe, encontra-se em construção o Açude do Castanhão, que terá a capacidade máxima de 6,7 bilhões de metro cúbicos d'água.

Além de proporcionar o desenvolvimento hidroagrícola, reforçar o abastecimento da grande Fortaleza, controlar as enchentes do baixo Jaguaribe e viabilizar a produção de pescado do Estado, ainda permitirá a instalação de um pólo turístico na região, com perspectivas de criação de um considerável volume de empregos e, conseqüentemente, melhorar a qualidade de vida dos moradores dos municípios circunvizinhos.

A barragem se localiza a poucos quilômetros da BR 116, que interliga o Ceará aos estados do sul do País, com fácil acesso e a 250km da Região Metropolitano de Fortaleza.

 

Economia do Ceará

Aspectos Gerais da Economia Cearense

A economia do Ceará é uma das que mais cresce nos últimos anos entre os estados do Nordeste. Sua industrialização vem superado limites, onde o governo tem trabalhado bastante na implantação de várias indústria no interior do Ceará, através de incentivos fiscais. O turismo também não fica para trás.

É um dos maiores investimentos do Ceará, que vem atraindo cada vez mais turistas, e também por abrir vários setores da economia, como na indústria hoteleira, que tem vários ramos como restaurantes, lavanderias, serviços de limpeza, etc.

Os destaques da economia cearense são:

Artesanato

A imagem do Ceará está para sempre ligada a figura da mulher rendeira. A renda, também conhecida como renda-de-bilbo ou renda da terra é a atividade exercida por mulheres nas comunidades interioranas e sua produção está distribuída principalmente na faixa litorânea.

O labirinto foi introduzido no Brasil pelo povoador português. É encontrado nas praias cearenses, praticado por mulheres de jangadeiros, principalmente na região de Aracati, Beberibe, Cascavel e Fortaleza.

O artesanato de cestarias e do traçado no Ceará é dominado pelo emprego da palha de carnaúba, do bambu e do cipó, para a confecção dos mais variados objetos, tais como: chapéus, bolsas, cestas, etc. Os núcleos mais destacados estão nos municípios de Sobral, Russas, Limoeiro do Norte, Jaguaruana, Aracati, Massapé, Crateús, Baturité e Camocim.

A cerâmica cearense, de influência portuguesa, indígena e africana, se presta para fins utilitários, decorativo e lúdico. Além de Fortaleza, os centros mais representativos são: Cascavel, Ipu e Juazeiro do Norte.

O Ceará possui uma antiga tradição de artigos artesanais feitos de couro. A significativa participação da pecuária e exportação de couros na nossa economia explica a rica variedade de peças artesanais produzidas com esse material. Os principais núcleos produtores são: Fortaleza, Jaguaribe, Crato e Juazeiro do Norte.

A artesanato têxtil do Estado tem como principal característica a produção de redes maciçamente localizadas nos municípios de Fortaleza e Jaguaruana.

O artesanato de metal abrange diferentes ramos, tais como: latoarias, ferraria, serralheria e cutelaria. No artesanato de madeira, o Ceará destaca-se na fabricação de móveis de todos os tipos. Em Fortaleza, Canindé, Cascavel e Juazeiro do Norte é bastante difundida e pequena a indústria imobiliária. Em Barbalha existe artesanato ligado a maquinaria de engenhos de cana. Os escultores e trabalhadores em madeira estão concentrados, em grande parte, na capital cearense. No artesanato de artes gráficas, a mais importante contribuição artística do Ceará é a xilogravura para a ilustração de capas de folhetos de cordel.

A religião no Ceará tem profundas ligações com o artesanato e os imaginários são uma prova concreta da paixão do povo por sua crenças e seus santos representados pelas imagens de santos. Dois centros destacam-se como locais de veneração místico-religiosa: Juazeiro do Norte e Canindé.

Agricultura

A agricultura cearense apresenta-se, de uma maneira geral, em forma de culturas combinadas, estabelecendo padrões variados em cada município. Isto constitui-se num fator limitante, pois traz o empirismo dos antigos hábitos, que interfere diretamente na absorção de novas tecnologias agrícolas. Um outros fator restritivo é a falta de sementes à disposição do agricultor em tempo hábil, acarretando o emprego de sementes de baixo padrão genético e baixo poder germinativo.

Pode-se citar, como limitação, as adversidades do clima, que apresenta condições pluviométricas irregulares que vão desde a escassez de chuvas ao excesso das mesmas, trazendo sérios prejuízos para o agricultor.

No Sertão, a combinação como o algodão/milho/feijão não mostra apenas a maior participação desses cultivos na área cultivada, mas traduz o sistema com que são praticadas, em consorciação. A prática está intimamente ligada ao fácil manejo de culturas de subsistência, uma vez que permite a colheita de vários produtos dentro de uma mesma área com o emprego dos mesmos tratos culturais e uma melhor utilização dos restos dessas culturas para a pecuária extensiva, no mesmo ano.

Já no Litoral, distingui-se, dentro deste conjunto, pela presença do cajueiro fazendo parte das combinações com lavouras alimentares de feijão, milho e mandioca, em regime de sequeiro e em regime irrigado com o maracujá, melão e melancia.

Nos perímetros irrigados, destaca-se, notadamente, o monocultivo de culturas alimentares produtoras de grãos, como o milho, o feijão e o arroz, obedecendo em determinados casos, a rotação de culturas, nas áreas dos módulos. Ressalte-se o monocultivo da cultura de cana-de-açúcar e o policultivo de frutíferas como a banana, limão, laranja, maracujá e ainda de certas olerícolas como melão e a melancia.

Observa-se que nos municípios do Estado, aparecem como culturas mais representativas o algodão, a banana, o caju, a cana-de-açúcar, o feijão, a mandioca e o milho. Ressalta-se que as culturas de coco e hortaliças têm sua importância face ao expressivo valor sócio-econômico das mesma para as populações situadas nos locais onde são exploradas.

Pecuária

A história do boi no Nordeste continua a ser uma história viva. No Ceará, ainda uma de suas colunas econômicas. Nos séculos XVIII e XIX foi a sua grande preocupação, a indústria pastoril. A principal mercadoria eram os rebanhos. Mercadoria de condições excepcionais: ela mesma era o valor, ela mesma transportava a si própria, ela mesma era o frete.

Sucessivas e abundantes remessas se faziam, em viagens de não mais de quatro ou cinco léguas por dia, conforme a comodidade dos pastores onde paravam.

As dificuldades e prejuízos nascidos das compridas jornadas fizeram com que fosse preferida a venda de sua matéria-prima já industrialmente preparada. E tamanho foi o êxito dessas fábricas, também designadas com o nome de "charqueadas"ou "oficinas", que até o final do séc. XIX constituiu o principal e quase exclusivo comércio da capitania - a exportação da chamada carne do Ceará.

A pecuária e as atividades dela decorrentes representam parcela significativa na economia estadual. Em 1986 o Ceará respondeu por mais de 10% do rebanho bovino regional, com 2,6 milhões de cabeças, além de ter-se posicionado como terceiro produtor brasileiro de ovinos, com 1,3 milhões de cabeças.

Uma das características da pecuária cearense é a diversidade de seus rebanhos, que incluem também grande número de caprinos, eqüinos, asininos e suínos, tendo inclusive o Estado condições excepcionais para o desenvolvimento da caprino cultura.

As perspectivas neste campo para novos investimentos apresenta-se bastante alentadoras, dispondo o Ceará de vastas áreas apropriadas à expansão, inclusive do setor avícola, onde o Ceará ter revelado um grau de desenvolvimento bastante expressivo, ocupado posição de destaque a nível regional.

Extrativismo Vegetal

O extrativismo vegetal reveste-se de fundamental importância para a nossa economia, muito embora os recursos disponíveis não venham sendo explorados na plenitude dos seus potenciais. A ausência do emprego de técnicas de manejo, ou ainda a inadequação destas, muito tem contribuído para a ocorrência de pequenos índices de desenvolvimento ou mesmo para a estagnação do setor, ainda que a tecnologia utilizada na fase final do beneficiamento dessas matérias-primas, tenham alcançado os mais altos níveis do Estado.

Aspectos étnicos culturas da população cearense

A forma mais expressiva da população cearense é o elemento indígena. A grande mercadoria era o rebanho e para esse tipo de exploração econômica o nativo se preparava adequadamente, sem a necessidade do braço negro.

O fazendeiro tinha o homem nos labores do curral e a mulher índia nos da casa e na procriação bastarda. O elemento caboclo, fruto da fusão entre o europeu e as filhas da "terra", ainda hoje predomina naquela áreas em que se instalaram as missões e os aldeamentos jesuíticos, onde o branco se aglomerava. Somente aí é que a miscigenação se processou mais larga e niveladamente, pois os cruzamentos legais esbarravam no preconceito da branquidade.

No Ceará, a organização sócio-econômica que veio caracterizar a civilização do ouro, os canaviais que mal alimentaram os modestos engenhos banguês de fabricação de rapadura e as fracassadas cartas auríferas determinaram a insignificante contribuição da mão-de-obra afro, que restrigiu-se aos misteres da criadagem, gerando os "negros velhos" e as "babás", que não sofriam, via de negra, o peso e os castigos da elite, como nas zonas dos engenhos de açúcar e nas da mineração.

Daí porque a porcentagem do sangue africano é pequeno dentro das veias do cearense.

Pirâmide Etária

Com uma base larga e um topo estreito, a pirâmide etária cearense mostra que o predomínio da faixa de crianças e jovens, e uma diminuição gradativa à medida em que aumentam as idades.

Distribuição da População

Devido as diferenciações regionais dentro do próprio Estado, a população se distribui irregularmente, apresentando um predomínio de baixas densidades.Essas desigualdades populacionais são observadas entre litoral, serras e sertão.

O Sertão, a mais extensa região cearense, apresenta baixa densidade demográfica, explicado pelas condições físicas desfavoráveis à ocupação e ao desenvolvimento. Nas áreas de serras e do litoral ocorre um adensamento mais expressivos devido as condições naturais serem mais favoráveis.

Migrações

O Ceará é caracterizado pela extrema mobilidade de sua população, observando-se que estes deslocamentos são constituídos tanto pelas migrações internas como pelos movimentos para fora do Estado.

Nas migrações internas, Fortaleza funciona como núcleo, exercendo sua atração perante a população do interior, de tal forma que teve afetado o seu processo de urbanização, nos últimos tempos. Essa atração é explicada pela maior oferta de serviços, bem como pela expectativa de emprego e outras oportunidades.

No entanto, o que vem sendo observado, é que a capital não tem conseguido responder ao contínuo acréscimo populacional, em termo de melhoria de qualidade de vida da maioria de seus habitantes.

Os movimentos migratórios, tanto internos como externos, tem nos fenômenos climáticos, que ocasionalmente afetam o Estado (secas - enchentes), fatores expulsivos, responsáveis em grande parte pelo êxodo rural, o qual tem ocorrido para os decréscimos observados no população do campo, nas últimas décadas.

Artesanato Cearense

Ceará
Artesanato Cearense

O Ceará é um estado onde a criatividade reina em se tratando de arte. Você vai poder encontrar uma variedade enorme no artesanato, com suas características regionais. Seja litoral ou sertão, em cada região a arte tem a sua marca. A dica é: traga espaço sobrando na sua mala, pois você não vai conseguir ir embora do estado sem levar uma lembrancinha do Ceará. Enfim, você vai ter ótimas recordações do lugar e vai querer sempre estar bem perto de algo que lhe recorde destes mometos tão divertidos.

Ceará
Artesanato Cearense

A criatividade do povo cearense esta em todos os sentidos: as garrafinhas de areia colorida retratam as belas paisagens encontradas no Ceará; as rendas, filés, bordados e crochês mostram a delicadeza expressada com criatividade pelas mulheres dos pescadores; móveis e objetos de decoração trabalhados em madeira revelam o trabalho rústico da nossa cultura; Cerâmicas e objetos de barro dão um tom ao ambiente... tudo tem seu fim e sua característica expressa em obras de artesanato.

Ceará
Artesanato Cearense

Em Fortaleza existem vários pontos da cidade que oferecem aos turistas o legítimo artesanato cearense.São loja, mercados e feiras. Entre eles, estão:

Central de Artesanato do Ceará (CEART)
Centro de Turismo
Feira de Artesanato da Beira-Mar
Mercado Central
Pólo Comercial da Avenida Monsenhor Tabosa

Gastronomia

Como você já sabe, o Brasil é um pais cheio de culturas diferentes, entre estas a gastronomia, que também não é diferente. Assim como cada estado tem sua gastronomia, o Ceará também tem a sua. Os sabores da terra se misturam fazendo um verdadeiro festival de aromas. E tem coisa melhor que comer algo com sabor? No Ceará, você vai descobrir o que a nossa culinária pode fazer com o seu paladar, não deixando espacar ninguém que não fique com "água na boca".

Ceará

No litoral, os frutos do mar fazem a festa e são preparados logo após a pesca, fresquinhos, com o uso moderado de leite de coco e temperos regionais, garantido a qualidade e o sabor dos pratos. O caranguejo e a lagosta já são símbolos da culinária cearense. O peixe tem suas várias formas de preparo, tanto cozido como frito ou assado, ele tem aqui seu tempero especial.

Na região do sertão, a carne de sol e a paçoca são bem acompanhadas pelo nosso "baião-de-dois". Sendo um prato típico do nordeste, o "baião-de-dois" é a mistura de arroz e feijão, cozidos juntos, com manteiga da terra e queijo de coalho.
As frutas regionais também são muito bem servidas na forma de sucos, doces, geléias, licores e sorvetes. O caju é a fruta símbolo do Ceará, sem contar também com outra frutas em destaque, como siriguela, murici, caju, ata, imbu, cajarana, sapoti, graviola e manga.

Entre outro produtos típicos da gastronomia regional estão a castanha de caju, a cajuína, a rapadura, o caldo de cana e a nossa famosa cachaça.

Ceará
Museu, em Maranguape

A cachaça é tão apreciada que tem até seu próprio museu, em Maranguape. O Museu da Cachaça conta a história do ciclo da cana-de-açúcar, evidenciando a importância econômica do Brasil quando colônia. Neste espaço você pode encontrar ainda em exposição uma série de fotos, utensílios, máquinas e equipamentos que revelam a saga da família Telles. Desde 1846 até hoje, quatro geração ficaram registradas na história da cachaça do Brasil. É a história brasileira construída pela cachaça.

Ceará

E mais, além de você estar lá degustando uma cachacinha, num botequim da época, você vai poder estar de perto do maior tonel de madeira do mundo, com a capacidade de 374.000 litros. Vale a pena conhecer o museu.

Ceará

Mas além da gastronomia regional, você pode também estar ao redor de diversas culinárias de toda parte do Brasil e do mundo. Você pode comer um bom churrasco, em uma das muitas casas especializadas. Além de também ter acesso de restaurantes internacionais, de cozinhas típicas - italiana, francesa, alemã, árabe, japonesa, chinesa, ...

Ceará

Enfim, você pode saborear todos essas delícias numa grande variedade de bares e restaurantes localizados na Av. Beira Mar, na Praia e Iracema, e nos pólos gastronômicos da Vajota e do Morro de Santa Teresinha, sem contar com outras localidades por todos o Ceará.

Esportes e Aventuras

O Ceará é o lugar certo para quem é amante de esportes radicais e com muita aventura. Seja na terra ou no céu, no litoral, serra ou sertão, você vai encontrar seu esporte preferido e se divertir a valer. A natureza privilegiou o Ceará com cenários inesquecíveis e perfeitos para você praticar os mais diferentes tipos de esportes.

Ceará

Ao longo da Av. Beira Mar, você encontra uma estrutura preparada só para esportes saudáveis, como cooper, voley de praia, futebol de praia, etc.

O litoral oferece um mar lindo, com ou sem ondas para todos os gostos. É o ideal para quem gosta de esqui aquático, pescarias e mergulho. As praias de Fortaleza, Porto das Dunas, Cumbuco, entre outras, são as preferida pelos velejadores.

O Windsurf já é a cara do Ceará, com muita aventura e diversão pela frente. Você pode contar também com os serviços de aluguel de equipamentos, com as instruções e a recepção dos guias profissionais para um roteiro de Windsurf nas praias cearenses. Os ventos constantes estão sempre a favor da prática de windsurf, regatas, surf, rally, trekking e muitos outros esportes radicais.

Ceará

Pelas dunas, você vai delirar e acelerar com a pratica de passeios de bugre. Você vai poder escolher entre passeios com ou sem aventura, só vai depender se você e da sua coragem, é claro.

Ceará

E sem esquecer também do exótico surf na areia, onde as dunas se transformam em "ondas" radicais.

Ceará

Em Quixada, no sertão, você vai encontrar as melhores condições para o vôo livre.
Nas serras, há a exploração de grutas, cachoeiras e trilhas, onde você pode estar em contato com a natureza. Existi ainda a prática de rapel e trekking.

Ceará

Esporte e aventura é no Ceará, onde as emoções estão reservadas para você.

Fonte:www.estacaodoturismo.hpg.ig.com.br

Ceará

Ceará e um estado brasileiro situado na Região Nordeste do Brasil, limitado ao norte pelo Oceano Atlântico, ao sul por Pernambuco, a leste por Rio Grande do Norte e Paraíba, e a oeste por Piauí.

Seu território caracteriza-se por estar rodeado de serras e chapadas, algumas das mais importantes e conhecidas são a Serra de Ibiapaba, a Chapada de Apodi e a Chapada de Araripe, e sua região central é conhecida, como Depressão Sertaneja.

O ponto turístico mais buscado é seu extenso litoral, um dos mais belos de todo o país, onde encontramos praias com uma grande beleza adaptada para todos os gostos. Sua capital, Fortaleza é o principal centro administrativo, político, industrial e cultural do estado, destaca-se pela sua extensa história, seu rico patrimônio arquitetônico e suas excelentes infra-estruturas hoteleiras.

Pontos Turísticos

Acaraú

O município litorâneo de Araraú, conhecido como a 'Princesa do Litoral', localiza-se na Região Nordeste do Brasil ao norte do Estado do Ceará. Como principais atrativos turísticos especialmente mencionamos as suas zonas naturais, destacando o Parque Ecológico de Acaraú e o Rio Acaraú.

E as numerosas lagunas, ilhas e praias espalhadas por toda a costa, algumas das mais admiradas dão a Praia da Barrinha, a Praia de Aranaú e a Praia do Espraiado. O monumento mais importante de todo o município é a Igreja da Nossa Senhora da Conceição, padroeira da cidade de Acaraú.

PASSEIO TURÍSTICO

Igreja de Nossa Senhora da Conceição
Parque Ecológico de Acaraú
Rio Acaraú
Rio Zumbi
Lagoa dos Espinhos
Lagoa Dantas
Lagamar
Ilha dos Coqueiros
Ilha dos Fernandes
Ilha dos Ratos
Ilha Grande
Ilha da Ponta do Presídio
Farol de Itapajé
Açude das Piranhas

PRAIAS

Praia da Barrinha
Praia do Morgado
Praia de Aranaú
Praia do Monteiro / Coroa Grande
Praia de Arpoeiras
Praia da Barra do Zumbi
Praia do Espraiado
Praia da Ostra
Praia da Volta do Rio

Amontada

PRAIAS

Praia Moitas
Praia Icarai
Praia Caetanos
Praia Sabiaguaba

Aquiraz

Aquiraz é o município histórico do Estado do Ceará, localizado no Nordeste do Brasil às margens do Oceano Atlântico, na Região Metropolitana de Fortaleza.

Ceará

Foi a primeira capital do Estado e guarda um rico patrimônio arquitetônico distribuído por todo o seu território, merecendo especial destaque a Igreja Matriz de São José de Ribamar, as Ruínas do Colégio dos Jesuítas, o Mercado da Carne e a Antiga Casa da Câmara e Cadeia, atual sede do Museu Sacro de São José do Ribamar.

Além disso, destaca-se seu litoral repleto de belas e extensas praias, ao seu redor encontra-se o Parque Aquático Beach Park, maior parque aquático de toda América Latina.

 

PASSEIO TURÍSTICO

Igreja Matriz de São José de Ribamar
Antiga Casa de Câmara e Cadeia
Museu Sacro São José de Ribamar
Casa do Mar
Casa de Engenho
Casa do Capitão-Mor
Centro das Rendeiras da Prainha
Centro de Rendeiras do Iguape
Mercado da Carne
Mirante do Cucuruta
Ruínas do Colégio dos Jesuítas
Morro do Enxerga Tudo
Antiga Ponte Imperial
Lagoa Encantada
Lagoa Canas
Lagoa da Juçara
Lagoa da Moita
Lagoa do Batoque
Lagoa do Saco
Lagoa Araçás
Lagoa Patanhém
Rio Pacoti
Rio Aquiraz
Rio Cocó
Área de Proteção Ambiental do Corredor Ecológico do Rio Pacoti
Área de Proteção Ambiental do Rio Pacoti
Reserva Ecológica Particular Lagoa da Encantada
Parque Aquático - Beach Park
Passeios de Buggy

PRAIAS

Praia do Porto das Dunas
Prainha
Praia do Presídio
Praia do Iguape
Praia de Barro Preto
Praia do Batoque

Aracati

Aracati é um município histórico do Estado do Ceará localizado na região de Jaguaribe, fazendo fronteira com o Estado do Rio Grande do Norte.

É um dos municípios mais importantes do Estado graças ao seu rico patrimônio arquitetônico, declarado no ano de 2000 Patrimônio Histórico Artístico Nacional. Um dos seus monumentos mais importantes é a Igreja Matriz de Nossa Senhora do Rosário.

Como principal atrativo turístico destaca-se seu extenso litoral repleto de belas praias consideradas das melhores de todo o Estado. Como uma das mais importantes destacamos a paradisíaca praia de Canoa Quebrada, situada na famosa Vila de Canoa Quebrada, conhecida por sua boa infra-estrutura hoteleira e de lazer e sua animada vida noturna com um grande número de bares e restaurantes.

HISTORIA

As origens da conquista destas terras por parte dos portugueses remonta-se ao século XVII, no início deste século construiu-se ao seu redor O Forte de São Lourenço, iniciando-se assim sua colonização. Antigamente toda a zona era habitada por tribos indígenas.

A meados do século XVII, no ano 1650, o conhecido navegante português Francisco Ayres da Cunha, encalhou na Costa do município, batizando o lugar como Canoa Quebrada e dando origem a um dos principais atrativos turísticos, a Vila de Canoa Quebrada.

No século XVIII a população de Aracati era conhecida como São José do Porto dos Barcos, e seu porto era o principal ponto de entrada dos colonos e das grandes embarcações utilizadas para o transporte e exportação de seus produtos.

Devido a importância de seu porto em poucos anos converteu-se no centro comercial mais importante da Capitania. No ano de 1748 foi elevada à categoria de Vila e era conhecida como Vila de Santa Cruz do Porto dos Barcos do Jaguaribe. Foi em esta época quando construíram alguns de seus monumentos mais importantes, declarados no ano de 2000 Patrimônio Histórico Artístico Nacional

O século XVIII foi um momento de grande esplendor para a população e a Vila era mais conhecida que a sua capital, Fortaleza, até a construção do Porto de Fortaleza, que desviou grande parte do comércio iniciando-se um pequeno período de crise. No ano de 1842, uma vez superada a crise, foi elevada a categoria de cidade, mas nunca recuperou sua antiga importância.

Atualmente Aracati é um dos destinos turísticos mais importantes de todo o Estado do Ceará, famoso em todo o mundo por contar com uma das praias mais belas do Brasil, a praia de Canoa Quebrada, considerada um verdadeiro paraíso natural. Localiza-se na famosa Vila de Canoa Quebrada, e está rodeada de falésias e extensas dunas de areia avermelhada. É o principal símbolo do município e atrai todos os anos um grande número de turistas.

PASSEIO TURÍSTICO

Igreja Matriz de Nossa Senhora do Rosário

A Igreja Matriz de Nossa Senhora do Rosário é o monumento mais importante do município de Aracati e um dos templos mais ricos de toda a região. Sua construção iniciou-se no século XVIII, sobre os restos da antiga capela, e não se finalizou até a segunda metade do século XIX. No ano de 2000 foi declarada Patrimônio Histórico Artístico Nacional.

Igreja de Nossa Senhora dos Prazeres

A Igreja de Nossa Senhora dos Prazeres foi mandada construir a meados do século XIX pela Irmandade de Nossa Senhora dos Prazeres dos Homens Pardos Livres.

Igreja Nosso Senhor do Bonfim

A Igreja Nosso Senhor do Bonfim foi inaugurada no ano de 1774 e em seu interior guarda-se os restos do famoso escritor Adolfo Caminha e alguns de seus descendentes.

Capela dos Navegantes - Nicho dos Navegante

A Capela dos Navegantes, conhecida popularmente como Nicho dos Navegantes, localiza-se próximo a Igreja Matriz de Nossa Senhora do Rosário. Foi a primeira capela a ser construída no município de Aracati.

Museu Jaguaribano

O Museu Jaguaribano encontra-se instalado no interior de um edifício do século XIX propriedade do Barão de Aracati, na rua Coronel Alexandrino, centro da cidade. Guarda em seu interior interessantes coleções de objetos históricos e religiosos, além de numerosos documentos, jornais antigos e fotografias. Foi inaugurado no ano de 1968.

Mercado Central

O Mercado Central de Aracati foi declarado no ano de 2000 Patrimônio Histórico Artístico Nacional

Casa da Câmara e Cadeia

A Casa da Câmara e Cadeia é um dos edifícios mais antigos do Estado do Ceará. Foi construído no século XVIII e foi declarado Patrimônio Histórico Artístico Nacional no ano de 2000.

Monumento a D. Luiz

O Monumento a D. Luis localiza-se na Rua Conselheiro Liberato

Cruz das Almas

A Cruz das Almas é um monumento construído em homenagem aos escravos. Localiza-se na entrada sul da cidade.

Rio Jaguaribe

O Rio Jaguaribe nasce na Serra da Joaninha, no centro do Estado de Aracati, e desemboca na Praia do Cumbe. É considerado um dos rios mais secos do país, nas épocas da seca surgem na sua desembocadura ilhas e praias fluviais que com a chegada das chuvas transformam-se de novo em uma bela bacia hidrográfica.

Ponte Juscelino Kubitschek

A Ponte Juscelino Kubistchek é o portal de entrada da cidade de Aracati. Tem uma extensão de 450 metros e é utilizada para salvar o Rio Jaguaribe.

Vila de Canoa Quebrada

A Vila de Canoa Quebrada é um dos pontos turísticos mais importantes de todo o município de Aracati, famosa por sua excelente infra-estrutura hoteleira, de lazer e serviços, e lugar onde localiza-se uma das praias mais importantes, a Praia de Canoa Quebrada. É conhecida por seus numerosos bares, restaurantes e lugares de animado ambiente noturno, e um dos seus principais pontos de encontro é a Rua principal, apelidada popularmente como 'Broadway'.

Povoado dos Esteves

O Povoado de Esteves é um povoado primitivo, anterior a Vila de Canoa Quebrada. Está localizado próximo a Praia de Canoa Quebrada.

Porto Canoa

Porto Canoa é a primeira cidade turística do Brasil. Localiza-se no interior da Área de Preservação Ambiental da Praia de Canoa Quebrada e destaca-se por sua excelente infra-estrutura hoteleira e de lazer.

Ponta Grossa

Ponta Grossa é o ponto final de uma das típicas atrações turísticas do município, as rotas em buggys pelas dunas e alcantilados que se distribui por toda sua costa. É um lugar fascinante e desde suas proximidades divisa-se a Vila de Canoa Quebrada e umas espetaculares vistas do Oceano Atlântico.

PRAIAS

No litoral de Aracati estão localizadas algumas das praias mais belas de todo o município. Caracterizam-se por suas areias finas e brancas, águas cristalinas de cor azul intenso e a grande maioria protegidas por famosas formações de falésias, pequenos alcantilados que caracterizam-se pela cor avermelhada de suas terras.

Uma das mais conhecidas e símbolo natural do município é a praia de Canoa Quebrada, famosa em todo o mundo pela beleza de suas dunas avermelhadas, desde onde observam-se uns fantásticos pôr do sol.

Praia do Cumbe
Praia de Canoa Quebrada
Praia dos Esteves
Praia de Porto Canoa
Praia de Majorlândia
Praia da Quixaba
Praia da Tapera
Praia da Lagoa do Mato
Praia da Fontainha
Praia do Retirinho

Beberibe

O município de Beberibe localiza-se na Região Nordeste do Brasil, no litoral leste do Estado do Ceará. Como principais atrativos turísticos merecem especial destaque suas belíssimas praia de areia fina e águas cristalinas, algumas com dunas e fontes de água doce a poucos metros do mar.

Uma das mais visitadas é a ' Praia de Morro Branco', é considerada uma das mais importantes de todo o Estado e o lugar onde encontra-se o principal símbolo do município, o 'Labirinto das Falésias', formado por areia avermelhada de diferentes tonalidades que são utilizadas para artesanato, sobretudo para decorar garrafas. Atualmente Beberibe é uma das cidades de maior crescimento, devido ao seu grande potencial turístico.

PASSEIO TURÍSTICO

Igreja de Jesus, Maria e José
Igreja Velha
Biblioteca Pública Municipal Prof. Dido Faco
Labirinto das Falésias
Gruta da Mãe D'água
Parragens dos rios
Rio Piranji
Rio Choró
Riacho Salgadinho
Lagoa do Uruaú
Lagoa de Dentro
Lagoa do Córrego do Sal
Lagoa da Sucatinga
Lagoa Uberaba
Parajuru - Distrito Turístico
Paripueira - Distrito Turístico
Sucatinga - Distrito Turístico

PRAIAS

Praia de Tabuba
Praia de Morro Branco
Praia das Fontes
Praia do Diogo
Praia de Marambaia / Uruaú
Praia da Barra de Sucatinga
Praia de Ariós
Praia do Canto Verde
Praia do Paraíso
Praia de Parajuru / Barrinha
Praia da Gamboa / Salina

Camocim

Camocim é o município do litoral do Ceará situado mais ao Oeste, na Região Nordeste do Brasil, fazendo fronteira com Estado do Piauí.

Ceará

Como principal atrativo turístico destaca-se seu extenso litoral com mais de 64Km de belas praias para todos os gostos, urbanas e virgens, cheias de 'falésias', dunas, lagos, ilhas e estuários como o Rio Coreaú. Destacam por sua beleza a praia da Tatajuba, localizada em Nova Tatajuba, bela Vila de pescadores do distrito de Guriú, a Praia de Maceió e a Ilha do Amor.

Além disso, é conhecido por suas festas especialmente o Carnaval, um dos mais importantes de todo o Estado.

 

Ceará

HISTORIA

O município de Camocim foi ocupado no século XVI pelos colonizadores portugueses. No ano de 1535 com a divisão territorial do país fundou-se a Capitania do Ceará. Até então estas terras estiveram ocupadas por tribos indígenas, como a grande maioria dos municípios costeiros do Brasil, principalmente Índios Tabajaras e Tremenbés.

Posteriormente os portugueses com ânsias de colonizar outras terras, deixaram um pouco desprotegidas toda a zona que sofreu numerosas invasões de corsários estrangeiros, principalmente franceses e holandeses. No ano de 1613 a população foi invadida e conquistada pelos holandeses e mais tarde recuperada pelos seus colonizadores.

No ano 1879 foi declarada Vila e a população viveu um momento de crescimento demográfico, superando os 5.000 habitantes. Dois anos mais tarde com a inauguração da ferrovia, o aumento de pessoas seria mais elevado e seu porto se converteria no principal exportador de mercadorias de todo o Estado. Devido ao seu bom momento econômico em 17 de agosto de 1889 fundou-se o município de Camocim e a Vila foi elevada à categoria de Cidade.

Atualmente Camocim é uma pequena cidade com mais de 65.000 habitantes e sua economia é sustentada principalmente pela indústria pesqueira e a fabricação de calçados. Mas desde algumas décadas se está aumentando bastante o turismo em todo o município e está convertendo-se em um dos principais recursos econômicos. Os turistas são atraídos pelo seu maravilhoso ambiente natural e suas belíssimas e tranquilas praias

PASSEIO TURISTICO

Igreja Matriz de Camocim

A Igreja Matriz de Camocim foi erguida a princípios do século XX pelo engenheiro José Privat.

Igreja de Bom Jesus dos Navegantes

A Igreja de Bom Jesus dos Navegantes foi mandada construir pelos Jesuítas no começo do século XX, no lugar onde já existia uma antiga capela do século XX.

Teatro Municipal

O Teatro Municipal de Camocim é um dos edifícios mais importantes de todo o município. No seu interior se realiza durante todo o ano numerosos atos e representações culturais.

Terminal de Turismo e Lazer

O Terminal de Turismo e Lazer é uma área de recreio freqüentada pelos habitantes da cidade e conta com várias instalações esportivas.

Mercado Público

O Mercado Público de Camocim localiza-se na Praça Pinto Martins.

Praça de São Francisco

A Praça de São Francisco é o lugar onde localiza-se a Igreja de São francisco.

Antiga Estação Ferroviária

A antiga Estação Ferroviária de Camocim está localizada na Praça Murilo Aguiar. Foi construída no final do século XIX e atualmente é um importante Patrimônio Histórico, sede da Prefeitura Municipal de Camocim.

Rio Coreaú

O Rio Coreaú desemboca em Camocim, na praia do Farol da Trapiá. É um rio propício para praticar esportes náuticos e um de seus principais atrativos são os passeios em barco que realizam algumas empresas privadas por todo seu entorno, rodeado de manguezais e com várias ilhas. Além disso, é famoso por suas salinas.

Estuário do Rio Coreaú

O Estuário do Rio Coreaú caracteriza-se por suas ilhas e belos mangues onde convivem numerosas espécies de animais e plantas, principalmente aves marinhas e caranguejos. Possui uma extensão de aproximadamente 20 km.

Ilha da Testa Branca - Ilha do Amor

A Ilha de Testa Branca, conhecida popularmente como Ilha do Amor, localiza-se em frente da cidade de Camocim e se destaca por sua extrema beleza, com manguezais, espetaculares dunas e belas praias. É uma zona freqüentada pelos turistas, ideal para caminhar a beira do Oceano Atlântico e praticar esqui em suas dunas.

Área de Proteção Ambiental de Tatajuba

A Área de Proteção Ambiental de Tatajuba foi fundada no ano de 1995 para proteger as terras do município de Camocim, especialmente suas praias, dunas, lagoas, mangues e coqueiros. Estende-se por mais de 3.700 hectares.

Nova Tatajuba - Vilarejo de Pescadores

Nova Tatajuba é um típico povoado de pescadores localizado no distrito do Guriú, em uma das margens da Lagoa Grande. No seu litoral destaca uma das praias mais belas de todo o município, a praia de Tatajuba.

Duna do Encanto

A Duna do Encanto está localizada na praia de Tatajuba, uma das mais belas de todo o município.

Complexo Turístico Acqua Point

O Complexo Turístico Acqua Poit localiza-se a 2 Km do centro da cidade.

Park do Forró

O Park do Forró é um local de espetáculos com capacidade para mais de 3.000 pessoas. Conta com bares e restaurantes.

Boa Vista Resort & Conference Center

O Boa Vista Resort & Conference Center é o Resort mais moderno do nordeste brasileiro. Localiza-se a 2km do Centro Histórico de Camocim, rodeado de praias virgens.

PRAIAS

 As praias do município de Camocim caracterizam-se por sua areia fina e branca, por suas extensas dunas e por suas águas cristalinas freqüentadas pelos amantes dos esportes náuticos.

Uma das mais destacadas é a praia de Tatajuba, verdadeiro paraíso natural, está localizada a 20km do centro de Camocim e está repleta de coqueiros, manguezais e dunas brancas, destacando Morro Branco uma das dunas mais altas de todo o litoral do Estado do Ceará.

Barra dos Remédios
Praia da Barrinha
Praia de Maceió
Praia das Caraúbas
Praia do Farol da Trapiá
Praia das Barreiras / Camocim
Ilha do Amor
Praia das Imburamas
Praia da Moréia
Praia da Tatajuba

Cascavel

O município litorâneo de Cascavel está situado na Região Nordeste do Brasil, a leste do Estado do Ceára.

Como ponto turístico mais buscado temos suas praias paradisíacas banhadas pelo Oceano Atlântico, com dunas, lagunas, lagos e rodeadas de amplas zonas naturais espalhadas de coqueiros. Um de seus lugares turísticos mais frequentados é o Distrito Turístico de Guanacés, não podemos esquecer de Caponga, bonita vila de pescadores onde encontra-se uma das praias mais visitadas, a Praia da Caponga. Além disso, destaca-se suas numerosas festas, feiras e mercados artesanais.

PASSEIO TURÍSTICO

Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição
Monumento à Capela de Nossa Senhora do Ó
Antigo Prédio da Cadeia Pública
Patronato Juvenal de Carvalho
Usinas de fabricação da Cachaça
Parques de Vaquejada
Rio Choró
Rio Piranji
Rio Mal Cozinhado
Mirante da Duna
Barragens no Rio Choró
Área de Proteção Ambiental de Balbina
Guanacés - Distrito Turístico

PRAIAS

Praia da Balbina
Praia da Caponga
Praia de Águas Belas
Praia da Barra Velha
Praia da Barra Nova

Caucaia

Caucaia é um munícipio litorâneo do Nordeste do Brasil localizado na Região Oeste do Estado do Ceará, a escassos quilômetros de Fortaleza, Capital do Estado.

Possui um rico patrimônio natural com uma grande beleza, com extensos arenais, grande número de coqueiros, dunas, manguezais, rios e extensas lagunas, entre as que destacamos a Lagoa do Parnamirim e a Lagoa do Banana como as mais visitadas pelos amantes dos esportes náuticos. Um dos seus mais buscados pontos turísticos é a Praia de Cambuco, situada na belíssima Vila marinera que lhe dá o nome, conhecida por suas dunas e por ser uma das melhores do mundo para praticar windsurf.

Atualmente o município de Caucaia converteu-se em um dos pontos turísticos mais importantes de todo o Estado, devido a estar próximo de Fortaleza.

PASSEIO TURÍSTICO

Igreja de Nossa Senhora dos Prazeres
Casa de Câmara e Cadeia
Biblioteca Municipal Prof. Martins de Aguiar
Parque Botânico do Ceará
Parque do Vaqueiro
Parque Napoleão Bonaparte Viana
Paraíso Perdido Park - Zoológico
Lagoa do Parnamirim
Lagoa do Banana
Lagoa da Barra do Cauípe
Lagoa de Pabussu
Rio Barra Nova
Rio Cauípe
Área de Proteção Ambiental do Estuário do Rio Ceará
Área de Proteção Ambiental do Lagamar do Cauípe
Estação Ecológica do Pecém

PRAIAS

Barra do Cauípe - Cumbuco
Praia do Cumbuco - Cumbuco
Praia Tabuba - Cumbuco
Praia do Icaraí - Cumbuco
Praia do Pacheco - Cumbuco
Praia dos Dois Coqueiros - Cumbuco
Praia de Iparana - Cumbuco

Fortaleza

Fortaleza, Capital do Estado do Ceará, é uma Cidade Histórica e centro industrial, comercial, cultural, administrativo e político do Estado.

Ceará

Encontra-se situada no Nordeste do Brasil, na Região Litoral Metropolitana de Fortaleza, e é um dos centros turísticos mais importantes do Estado do Ceará. Seus visitantes são atraídos pelo seu rico patrimônio arquitetônico, com igrejas, fortalezas, palácios, monumentos, museus e teatros, merecendo especial destaque o Forte de Nossa Senhora da Assunção, a Catedral Metropolitana de Fortaleza e o Teatro José de Alencar; e por seu extenso litoral repleto de praias para todos os gostos.

Conta também, com umas excelentes infra estruturas hoteleiras, bares, locais noturnos e restaurantes onde se servem os mais apetitosos produtos do mar.

Ceará

 

HISTÓRIA

A origem de Fortaleza remonta-se no século XVII, quando os portugueses conquistaram estas terras e construíram o Forte São Sebastião, que foi arrasado anos mais tarde pelas tribos indígenas que habitavam na zona muito antes dos seus conquistadores.

No ano de 1649 uma expedição holandesa conquistou as terras do Ceará e ocupou a antiga fortaleza arrasada pelos índios, a reconstruiu e chamou-lhe de Forte de Schoonenborch. No ano de 1654 esta fortaleza foi reconquistada pelos portugueses, que foram os que mudaram seu nome e começaria então a ser conhecida por sua atual denominação, Forte de Nossa Senhora da Assunção.

A partir de então começou a surgir um pequeno povoado arredor de Fortaleza e seus habitantes viviam principalmente da agricultura e da pesca. Sua excelente situação geográfica, banhada pelo Oceano Atlântico está rodeada de áreas naturais, fez que em poucos anos a população se multiplicasse de maneira considerável.

No começo do século XVIII a população foi elevada a categoria de Vila, graças a seu bom desempenho econômico motivado em boa parte pela exportação de algodão à Inglaterra.
No ano de 1823 D. Pedro I à eleva a categoria de Cidade e foi conhecida em um princípio como Fortaleza de Nova Bragança, logo passaria a denominar-se Fortaleza de Nossa Senhora de Assunção e finalmente Fortaleza.

Atualmente esta grande Metrópole, com mais de 2 milhões de habitantes, se converteu em um dos destinos turísticos mais importantes de toda a Região Nordeste do Brasil. Os turistas são atraídos por seu rico patrimônio histórico e monumental, com templos e edifícios belíssimos, e por seu fascinante calçadão repleto de praias e todos os serviços comerciais necessários.

É conhecida por suas excelentes infra estruturas hoteleiras e por sua animada vida cultural, em toda a Cidade existem numerosos centros culturais e locais onde se realizam todo o tipo de atos e representações no decorrer de todo o ano. Além disso, merece especial destaque os numerosos bares, restaurantes e locais animados. Com um ambiente noturno que podemos encontrar em seu extenso calçadão.

PASSEIO TURÍSTICO

A origem de Fortaleza remonta-se no século XVII, quando os portugueses conquistaram estas terras e construíram o Forte São Sebastião, que foi arrasado anos mais tarde pelas tribos indígenas que habitavam na zona muito antes dos seus conquistadores.

No ano de 1649 uma expedição holandesa conquistou as terras do Ceará e ocupou a antiga fortaleza arrasada pelos índios, a reconstruiu e chamou-lhe de Forte de Schoonenborch. No ano de 1654 esta fortaleza foi reconquistada pelos portugueses, que foram os que mudaram seu nome e começaria então a ser conhecida por sua atual denominação, Forte de Nossa Senhora da Assunção.

A partir de então começou a surgir um pequeno povoado arredor de Fortaleza e seus habitantes viviam principalmente da agricultura e da pesca. Sua excelente situação geográfica, banhada pelo Oceano Atlântico está rodeada de áreas naturais, fez que em poucos anos a população se multiplicasse de maneira considerável.

No começo do século XVIII a população foi elevada a categoria de Vila, graças a seu bom desempenho econômico motivado em boa parte pela exportação de algodão à Inglaterra.
No ano de 1823 D. Pedro I à eleva a categoria de Cidade e foi conhecida em um princípio como Fortaleza de Nova Bragança, logo passaria a denominar-se Fortaleza de Nossa Senhora de Assunção e finalmente Fortaleza.

Atualmente esta grande Metrópole, com mais de 2 milhões de habitantes, se converteu em um dos destinos turísticos mais importantes de toda a Região Nordeste do Brasil. Os turistas são atraídos por seu rico patrimônio histórico e monumental, com templos e edifícios belíssimos, e por seu fascinante calçadão repleto de praias e todos os serviços comerciais necessários.

É conhecida por suas excelentes infra estruturas hoteleiras e por sua animada vida cultural, em toda a Cidade existem numerosos centros culturais e locais onde se realizam todo o tipo de atos e representações no decorrer de todo o ano. Além disso, merece especial destaque os numerosos bares, restaurantes e locais animados. Com um ambiente noturno que podemos encontrar em seu extenso calçadão.

 

PASSEIO TURÍSTICO

Forte de Nossa Senhora da Assunção

O Forte de Nossa Senhora da Assunção, originalmente conhecido por Forte de Schoonemborch, foi construído pelos holandeses Matias Beck no ano de 1649 sobre a colina Marajaitiba, na Avenida Alberto Neponucemo, lugar onde existiam as ruínas de uma antiga fortaleza portuguesa denominado O Forte de São Sebastião. Anos mais tarde, em 1654 foi ocupado pelos portugueses, os quais batizaram-no com seu atual nome. Atualmente é sede do ¨Comando da 10ª Região Militar¨ e foi declarado Patrimônio Histórico Artístico Nacional.

Catedral Metropolitana de Fortaleza

A Catedral Metropolitana de fortaleza encontra-se situada na Praça da Sé , no centro da cidade, é a igreja mais importante do município e a terceira maior catedral do Brasil. Foi construída pelo arquiteto francês George Maunier no lugar onde estava localizada a antiga Igreja da Sé, entre os anos de 1938 e 1978, inspirada na catedral alemã de Colônia. Ela se distingue por seu estilo arquitetônico, principalmente o gótico e o romano. Destaca sua majestosa fachada principal, com duas magníficas torres construídas em ambos lados. Nela realizam-se os principais eventos religiosos do Estado de Ceará.

Igreja Nossa Senhora do Rosário

A igreja Nossa Senhora do Rosário localiza-se na Rua do Rosário, Praça dos Leões, e é a igreja mais antiga da cidade. Foi construída pelos escravos no ano de 1730 e reconstruída em meados do século. Entre os anos de 1821 e 1854 foi a principal igreja da cidade, em seu interior chama a atenção seu altar de madeira, que é conservado desde sua construção.

Igreja Nossa Senhora da Conceição da Prainha

A Igreja Nossa Senhora da Conceição da Prainha foi construída a mando do Padre Carlos Augusto Peixoto no século XIX. É um dos mais belos templos em estilo gótico localizado na Avenida D. Manuel, no centro da cidade.

Igreja do Sagrado Coração de Jesus

Na Igreja do Sagrado Coração de Jesus construída no centro da cidade, na Avenida Duque de Caxias. Foi inaugurada no ano de 1886 e reconstruída a meados do século XX pelos Padres Capuchinos.

Paço Municipal

O Paço Municipal de Fortaleza, antigo Palácio Episcopal, encontra-se na Rua São José. Ao redor da Catedral Metropolitana está o Bosque Dom Delgado. Construída no século XIX, é sede da Prefeitura Municipal da Cidade desde 1973.

Antiga Cadeia Pública

A Antiga Cadeia Pública localiza-se na Rua Senador Pompeu. É um edifício de meados do século XIX que se converteu no Centro do Turismo da Cidade, sede do Museu de Arte Popular e do Museu da Mineralogia, entre outras coisas.

Casa José de Alencar

A Casa José de Alencar foi o lugar onde nasceu e viveu José de Alencar, considerado um dos maiores escritores românicos do Brasil. Localiza-se no Distrito de Messejana, na Avenida Washington Soares, edifício construído no ano de 1826 que atualmente conserva seu estado original. Foi declarada Patrimônio Histórico Artístico Nacional e atualmente é sede do Museu Arthur Ramos.

Teatro José de Alencar

O Teatro José de Alencar encontra-se no centro de Fortaleza, Praça José de Alencar, foi inaugurado no dia 17 de junho de 1910. É considerado um dos teatros mais belos do país e um dos monumentos artísticos mais importantes da cidade declarado Patrimônio Histórico Artístico Nacional no ano de 1964.

Palacete Ceará

O Palacete Ceará encontra-se na Praça do Ferreira, Rua Guilherme Rocha. Foi construído no início do século XX, era utilizado como lugar de encontro para reuniões da alta sociedade do Estado. Desde o ano de 1946 é a sede da Caixa Econômica Federal.

Palácio da Abolição

O Palácio da Abolição encontra-se na Avenida Barão Studart, foi a antiga sede do Governo do Estado. Atualmente abriga o sepulcro com os restos mortais do Presidente Castelo Branco e também é a sede da Secretaria da Cultura e Esporte do Ceará.

Palácio da Luz

O Palácio da Luz, antiga sede do Governo Estadual, foi construído no século XVIII na Praça dos Leões. Atualmente é a sede da Academia Cearense de Letras e da Casa de Cultura Raimundo Cela.

Palácio Senador Alencar

O Palácio Senador Alencar, sede da antiga Assembléia Provincial, foi construído a meados do século XIX. É um belo edifício em estilo neoclássico declarado Patrimônio Histórico no ano de 1973. Localiza-se na Rua São Paulo e atualmente abriga o Museu do Ceará.

Museu do Ceará

O Museu do Ceará encontra-se instalado no Palácio Senador Alencar, um belo edifício do século XIX. Foi inaugurado no ano de 1933 e foi conhecido até o ano de 1950 como Museu Histórico do Ceará. Está situado na Rua São Paulo e conserva um importante arquivo histórico e antropológico.

Museu Arthur Ramos

O Museu Arthur Ramos, famoso antropólogo, encontra-se alojado na Casa José de Alencar, na Avenida Washington Soares do Distrito de Messejana. Conserva uma importante coleção de objetos, os quais mostram as origens e os costumes das pessoas que povoaram estas maravilhosas terras.

Farol do Mucuripe - Museu do Jangadeiro

O Farol do Mucuripe foi construído entre os anos de 1840e 1846 em homenagem a Princesa Isabel. Foi declarado Patrimônio Histórico e atualmente no seu interior está instalado o Museu do Jangadeiro, conhecido também como Museu do Farol. É um dos pontos turísticos mais belos e mais visitados da cidade. Se destaca pelos fantásticos planos panorâmicos que se pode observar dos seus alredores.

Mercado Central

O Mercado Central encontra-se na Rua Alberto Neponuceno, perto da Catedral. Foi inaugurado a princípios do século XIX.

Centro Cultural Dragão do Mar O Centro Cultural Dragão do Mar está localizado na Rua Dragão do Mar e é um dos centros culturais mais importantes de Fortaleza. Foi inaugurado no ano de 1998 com instalações de mais de 30.000m2, com Museu de Arte, Memorial da Cultura Cearense, Teatro, Ateliê de Arte, Planetário e o Cinema São Luiz.

Cine São Luiz

O Cinema São Luis encontra-se no Centro Cultural Dragão do Mar, na Rua Floriano Peixoto. Foi inaugurado no ano de 1958 e é o cinema mais luxuoso de todo o país.

Praça do Ferreira

A Praça do Ferreira é o coração de Fortaleza. Foi inaugurada no ano de 1929 e foi conhecida como a Praça Feira Nova.

Parque da Liberdade

O Parque da Liberdade localiza-se no centro da cidade e antigamente era conhecido como Parque de Lagoa do Garrote.

Parque Ecológico do Cocó

O Parque Ecológico do Cocó é a principal zona verde da cidade, localizado às margens do Rio Cocó e é considerado o maior parque urbano de toda a América do Sul. Estende-se por mais de 400 hectares, possui frondosos bosques e um extenso mangue onde convivem numerosas espécies de animais e plantas. Conta com zonas dedicadas ao esporte, com bares, restaurantes e teatro onde se realizam importantes apresentações culturais no decorrer de todo o ano.

Estação Ferroviária João Felipe

A Estação Ferroviária João Felipe encontra-se na Praça Castro Carreira, no Centro da cidade. Foi inaugurada no ano de 1880 e destaca-se por ter uma bela fachada em estilo neoclássico. No ano de 1193 foi declarada Patrimônio Histórico Artístico Nacional.

Centro de Turismo

O Centro de Turismo da Cidade localiza-se na Rua Senador Pompeu, instalado em um belo edifício neoclássico de meados do século XIX. Atualmente é sede do Museu de Arte e Cultura Popular, o Museu de Mineralogia, o Teatro Carlos Câmara e um Centro Comercial com várias lojas de artesanato.

Ponte Metálica - Ponte dos Ingleses

A Ponte Metálica, também conhecida como ponte dos Ingleses, localiza-se na Praia da Iracema. Foi construída pelos ingleses no começo do século XX, é utilizada como ponto de embarque e desembarque para mercadorias e passageiros, até ser construído o Porto de Mucuripe. Atualmente abriga um observatório de golfinhos e um pequeno museu que nos ensina a história desta ponte.

Porto do Mucuripe

O Porto de Mucuripe encontra-se na Avenida Vicente de Castro.

Morro do Mirante - Morro de Santa Terezinha

O Morro do Mirante, conhecido também como Morro de Santa Teresinha, é o ponto mais alto de Fortaleza. Merecem especial destaque as fantásticas vistas da cidade que se dividem por seus arredores.

PRAIAS

Playas A grande maioria das praias espalhadas pela costa de Fortaleza são praias urbanas e estende-se pelos mais de 25 quilômetros que tem o seu calçadão, repleto de bares e excelentes restaurantes onde saborear seus pratos típicos, especializados em peixes e mariscos. São praias de areia fina e água cristalina freqüentada pelos amantes de esportes náuticos, destacando a vela e o mergulho. Uma das mais importantes praias é a do Futuro, famosa em todo o Estado pelos locais noturnos, sempre animados. Conta com todos os serviços ao público necessários e com excelentes infra-estruturas hoteleiras e de lazer.

Praia da Barra do Ceará
Praia de Goiabeiras
Praia do Arpoador
Praia de Pirambu
Praia de Jacarecanga
Praia Formosa
Praia de Iracema
Praia do Meireles
Praia da Vota do Jurema
Praia do Mucuripe
Praia do Farol / Titãzinho
Praia do Futuro
Praia Caça e Pesca
Praia de Sabiaguaba
Praia Abreulândia

Icapuí

Icapuí é um município litorâneo do Estado do Ceará situado mais ao leste, Região do Jaguaribe, fazendo fronteira com o Estado do Rio Grande do Norte.

Ceará

Sua capital, que dá o nome ao município, é uma típica Vila pesqueira onde sua principal fonte de ingressos foi desde suas origens a pesca, especialmente a lagosta, todos os anos se realiza um popular festa em homenagem a este saboroso crustáceo, o 'Festival de Lagosta'.

Ceará

Nos últimos anos o turismo está ganhando força graças ao seu extenso litoral com mais de 40Km de belas praias para todos os gostos, com areia fina e águas de agradável temperatura, rodeada de coqueiros, manguezais, dunas, cavernas e alcantil, merece especial destaque a Praia de Ponta Grossa e a Praia Redonda.

PASSEIO TURÍSTICO

Igreja Matriz de Nossa Senhora da Soledade
Igreja de Nossa Senhora do Rosário
Centro Memorial Chico Bagre
Rio do Arrombado
Córrego do Manguinho
Festival de Lagosta
Serra dos Cajuais
Pedra do Riacho do Marcelo
Área de Proteção Ambiental do Manguezal da Barra Grande
Área de Proteção Ambiental da Praia de Ponta Grossa

PRAIAS

Praia Retiro Grande
Praia Ponta Grossa
Praia Redonda
Praia de Peroba
Praia dos Picos
Praia de Barreiras
Praia da Barrinha de Mutamba
Praia da Requenguela
Praia da Placa
Praia Quitérias
Praia Tremembé
Praia Melancias
Praia de Peixe Gordo
Praia Manibu
Praia da Barrinha de Arrombado
Praia da Emanuela
Praia Ceará

Itapipoca

Itapipoca é o município litorâneo do Estado do Ceará, localizado no Nordeste do Brasil, Região de Uruburetama, e sua capital do mesmo nome, é conhecida como a 'Cidade dos Três Climas' pela variedade ao seu redor.

Ceará

Como principal atrativo turístico destaca seu litoral, um dos mais intocados de todo o Estado, e suas praias mais importantes é a Praia da Baleia que se destaca por suas dunas, rochas e recifes.

Ceará

Além disso, todo o município encontra-se banhado por numerosos rios, lagunas e zonas naturais, merecendo especial destaque a Área de Proteção Ambiental do Estuário do Rio Mundaú.

PASSEIO TURÍSTICO

Catedral de Itapipoca
Igreja da Paróquia de Nossa Senhora das Mercês
Igreja de São Sebastião
Igreja de São Francisco de Assis
Igreja de Jesus Cristo Redentor
Paço Municipal
Praça dos Três Climas
Praça Perilo Teixeira
Casa de Câmara e Cadeia
Casa Amarela
Casa Branca
Casa da Família dos Camerino Souza
Faculdade de Educação de Itapipoca
Escola Anastácio Alves Braga
Estádio Perilo Teixeira
Maternidade Martagão Gesteira
Horto do Santo Cruzeiro
Rio Aracatiaçu
Rio Mundaú
Rio Cruxati
Lagoa da Rodela
Lagoa do Baixío
Lagoa do Humaitá
Lagoa das Mercês
Serra de Uruburetama
Reserva Particular do Patrimônio Natural Sítio Ameixas - Poço Velho
Área de Proteção Ambiental do Estuário do Rio Mundaú

PRAIAS

Praia Apiques
Praia Pracianos
Praia Inferno
Praia da Baleia

Jijoca de Jericoacoará

O município litorâneo de Jericoacoará localiza-se no Estado do Ceará, Região Nordeste do Brasil.

Ceará

É conhecido por ter as praias mais lindas do Mundo, a Praia de Jericoacoará, rodeada de dunas, alcantilados, lagunas e coqueirais; e com águas azuis, cristalinas e de temperatura agradável, ideais para os amantes dos esportes náuticos. Está dentro do 'Parque nacional de Jericoacoará' e sua principal laguna é a Lagoa de Jijoca que encontra-se dividida em duas partes claramente evidentes, a Lagoa Azul e a Lagoa do Paraíso.

Ceará

Como principais símbolos do município estão a Pedra Furada com um belíssimo arco esculpido pelo mar nas rochas, situado na Praia da Pedra Furada, e a Duna Pôr-do-Sol, excelente mirante considerado uma das atrações turísticas mais importantes de todo o município.

HISTORIA

Devido a sua imensa beleza, a praia de Jijoca de Jericoacoará foram as primeiras terras a serem colonizadas pelos portugueses no Estado do Ceará. No ano de 1614 uma expedição militar conquistou toda a zona, habitada por tribos indígenas desde o princípio que se dedicavam a caça e a pesca.

Nas redondezas da Praia de Jericoacoará se fundou um pequeno povoado que tinham como principais atividades econômicas a agricultura e a pesca, era a origem da Vila de Jericoacoará. Durante vários séculos uma grande parte destas terras não foram exploradas nem ocupadas, foi o que ajudou para que se conservasse o estado virgem até agora.

No ano de 1923 foi construída a Vila de Jericoacoará e as terras que hoje em dia formam o município pertenciam ao município de Acaraú.

No ano de 1984 se criou a Área de Proteção Ambiental de Jericoacoará, para conservar e proteger seu maravilhoso entorno natural.
A partir deste momento, o pequeno povoado de pescadores que não superava os 2.000 habitantes, começou a crescer e surgiu o turismo, que se converteu em uma das suas principais atividade econômicas.

Foi só no ano de 1990 que se iniciou a sua emancipação política, no dia 17 de setembro de 1990 quando se organizou um plebiscito, no qual o povo pode expressar a sua vontade de criar um município autônomo. Seis meses mais tarde, no dia 16 de março de 1991 se fundou o atual município de Jijoca de Jericoacoará.

Atualmente Jijoca de Jericoacoará é um dos principais destinos turísticos do Estado do Ceará. Os pontos turísticos mais procurados para milhares de turistas amantes da natureza, que os visitam todo o ano, são seus paraísos naturais, seus rios, suas lagunas e suas praias de imensa beleza.

Uma das praias mais conhecidas do município e considerada uma das mais belas do Brasil e do Mundo, é a Praia de Jericoacoará, localizada dentro do 'Parque Nacional de Jericoacoará', onde localiza-se um dos seus principais símbolos naturais, a Duna Pôr-do-Sol. Além disso, merece especial destaque a Pedra Furada, outra das principais estampas, e a Lagoa de Jijoca, verdadeiro paraíso natural freqüentado pelos amantes dos esportes náuticos.

PASSEIO TURISTICO

Igreja de Santa Luzia

A Igreja de Santa Luzia foi inaugurada no dia 13 de dezembro de 1964 e é considerada uma das igrejas mais belas de todo o Estado do Ceará. É um dos principais monumentos de Jijoca de Jericoacoará, visitada por numerosos turistas no decorrer de todo o ano.

Igreja de Nossa Senhora de Fátima

A Igreja de Nossa Senhora de Fátima foi construída a meados do século XX e é um dos pontos turísticos mais visitados da cidade. Destaca-se por sua beleza arquitetônica e é o lugar onde se realizam grandes eventos culturais no decorrer de todo o ano, merecem especial destaque, a Missa do Galo, a Celebração da Coroação de Maria e as festas dedicadas a sua padroeira, as quais reúnem uma grande quantidade de fiéis.

Igreja de Jeri

A Igreja de Jeri localiza-se nas imediações do Serrote de Jeri. Destacamos as vistas da costa que se pode observar desde o alto das suas torres.

Vila de Jericoacoará

A Vila de Jericoacoará localiza-se nas imediações da Praia de Jericoacoará. É uma vila típica de pescadores que na atualidade vivem principalmente do turismo. Conta com várias pousadas, lojas de artesanato e pequenos bares e restaurantes.

Parque Nacional de Jericoacoará

O Parque Nacional de Jericoacoará é uma área de proteção ambiental que estende-se pelo município de Jijoca de Jericoacoará do Estado do Ceará. Foi fundado no ano de 2002 para proteger e conservar o rico eco sistema e os recursos naturais que existe em toda a sua região, onde podem ser vistas numerosas espécies de aves, muitas delas em perigo de extinção. Um dos seus lugares mais importantes e mais visitados são a Praia de Jericoacoará onde localiza-se a famosa Duna Pôr-do-Sol, um dos principais símbolos do município.

Serrote de Jeri

O Serrote de Jeri é uma pequena formação rochosa com zonas cobertas por vegetação, que protege o avance das dunas até a Vila de Jericoacoará, um dos poucos lugares do Parque Nacional de Jericoacoará onde existe vegetação. Nas suas imediações localiza-se o Farol de Jericoacoará.

Farol de Jericoacoará

O Farol de Jericoacoará foi construído pela Marinha no ano de 1992 e é um farol moderno e ecológico, alimentado por energia solar. Situado a 120 metros de altura, desde aí se obtêm uma vista maravilhosa do Oceano Atlântico e de toda a cidade.

Duna Pôr-do-Sol

A Duna Pôr-do-Sol localiza-se no interior do Parque Nacional de Jericoacoará e é uma das atrações turísticas mais importantes e visitadas de todo o município e um dos principais símbolos. Além da sua grandeza, é famosa pelos espetaculares Pôr-do-Sol que se observa desde os seus arredores, que atrai a milhares de curiosos durante todo o ano.

Pedra Furada

Pedra Furada é um arco de grande tamanho esculpido nas rochas pelo mar, na Praia da Pedra Furada, conhecida também como Praia da Pedra do Frade. É considerado um dos principais cartões postais do município de Jijoca de Jericoacoará e merece especial destaque pelo fenômeno que se produz uma vez ao ano entre os meses de Julio e Agosto, em que o sol encaixa perfeitamente no arco criando um espetáculo digno de ser admirado.

Lagoa de Jijoca - Lagoa Azul - Lagoa do Paraíso

A Lagoa de Jijoca, formada pela Lagoa Azul e a Lagoa do Paraíso, localiza-se a 5 Km de Jijoca de Jericoacoará e é a segunda maior laguna do Estado do Ceará com 57 Km de perímetro. Suas águas são doces e cristalinas e está rodeada de enormes dunas. É um ponto de encontro para os amantes do windsurf e todos os esportes relacionados com a vela, devido ao vento forte que costuma soprar em toda essa zona. Conta com uma excelente infra-estrutura turística, bares, restaurantes e várias pousadas.

PRAIAS

Playas Em todo o litoral do município de Jijoca de Jericoacoará encontra-se espalhada lagunas, praias de imensa beleza protegidas por extensas dunas. Caracteriza-se pela sua areia fina e branca e sua água cristalina de temperatura agradável, ideal para praticar todo o tipo de esportes náuticos.

Merece especial destaque a Praia de Jericoacoará, classificada entre as dez mais belas do Mundo, localizada às margens do Oceano Atlântico e dentro do Parque Nacional de Jericoacoará, onde destacamos um dos principais atrativos turísticos do município, a Duna Pôr-do-Sol.

Além disso, merece especial destaque as praias localizadas no perímetro da Lagoa de Jijoca, freqüentadas pelos amantes do windsurf e do kitesurf.

Barra do Guriú
Praia do Mangue Seco
Praia de Jericoacoara
Praia da Malhada
Praia da Pedra Furada e da Pedra do Frade
Praia do Riacho Doce

Juazeiro do Norte

Juazeiro do Norte é um município Santuário do Estado do Ceará situado na Região do Cariri, Nordeste do Brasil. Sua capital, que dá o nome ao município, é conhecida como a 'Terra do padre Cícero', famoso sacerdote que com seus feitos e seus milagres deu popularidade a todo o município, e cujos restos foram enterrados na Capela de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro no dia 20 de Julho de 1934.

Hoje em dia o Município de Juazeiro do Norte é o lugar de peregrinação para milhares de fiéis, um dos mais importantes do país, e o turismo religioso se converteu em uma das principais fontes de renda.

Um dos símbolos é a estátua do 'Padre Cícero', localizada na Serra do Horto, não esquecendo da popular Romaria em Louvor ao Padre Cícero, uma das mais impressionantes de todo o nordeste brasileiro.

PASSEIO TURISTICO

Padre Cícero
Igreja Matriz Nossa Senhora das Dores
Igreja de Nossa Senhora de Lourdes
Capela de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro
Santuário do Coração de Jesus
Santuário dos Franciscanos
Basílica de São Francisco
Centro Cultural do Vale do Cariri
Museu Cívico Religioso Padre Cícero
Museu Memorial Padre Cícero
Biblioteca José Marrocos
Biblioteca Padre Anchieta
Monumento do Padre Cícero
Romaria Em Louvor Ao Padre Cícero
Parque Ecológico das Timbaúbas
Serra do Horto
Santo Sepulcro
Horto do Padre Cícero

Paracuru

O município litorâneo de Paracuru encontra-se na Região Norte do Estado do Ceará, Nordeste do Brasil e sua capital, com o mesmo nome é conhecida por suas populares romarias e festas, especialmente o Carnaval e o Réveillon.

Ceará

Outro dos seus grandes atrativos turísticos é seu belíssimo litoral cheio de extensas praias com areia fina e água cristalina, com dunas de até 40 metros de altura e recifes, bem freqüentada pelos amantes dos esportes náuticos, especialmente o surf.

Ceará

Paracuru é um dos destinos preferidos pelos surfistas de todo o país, devido a quantidade e qualidade das ondas. As praias mais freqüentadas são a Praia da Boca do Poço e a Praia do Ronco do Mar, conhecida por seus campeonatos de Surf.

PASSEIO TURÍSTICO

Igreja de Nossa Senhora dos Remédios
Pedra Rachada
Rio Curu
Lagoa do João Rola
Lagoa Grande
Bicas naturais de água doce
Área de Proteção Ambiental do Estuário do Rio Curu
Área de Proteção Ambiental das Dunas de Paracuru

PRAIAS

Praia da Barra
Praia Carnaubinha / Havaizinho
Praia da Pedra do Meio
Praia do Coqueirinho
Praia da Bica
Praia de Munguba
Praia do Ronco do Mar / Igreja Velha
Praia da Boca do Poço
Praia das Almas
Praia do Canto
Praia da Pedra Rachada
Praia do Baixo Grande
Praia do Vapor
Praia do Buraco
Praia da Pedra Redonda
Praia do Piriquara

Paraipaba

O município litorâneo de Paraipaba encontra-se na Região Nordeste do Brasil, Estado do Ceará, mais precisamente no Vale do Rio Curu.

Ceará

Um dos seus principais atrativos turísticos é o seu belo litoral, com praias virgens repletas de coqueirais, manguezais, enseadas e dunas, umas das mais conhecidas é a Praia de Gamboas, Também conhecida como Praia do Capim Açu.

Ceará

Outros de seus grandes atrativos são a Lagoa das Almecegas, o Rio Curu e a Igreja de Santa Rita de Cássia, padroeira da cidade.

PASSEIO TURÍSTICO

Igreja de Santa Rita de Cássia
Lagoinha - Distrito Turístico
Rio Curu
Rio Trairi
Lagoa das Almecegas
Lagoa da Cana Brava
Morro do Cascudo
Área de Proteção Ambiental do Estuário do Rio Curu
Área de Proteção Ambiental das Dunas da Lagoinha

PRAIAS

Praia da Pedra Pesada
Praia da Lagoinha
Praia Gamboas / do Capim Açu
Praia da Barra do Curú

São Gonçalo do Amarante

O município de São Gonçalo do Amarante encontra-se situado no Nordeste do Brasil, isto é, na Região do Vale do Curu, localizada no litoral oeste do Estado do Ceará.

Ceará

Seu principal atrativo turístico é seu belíssimo litoral com mais de 25 Km de extensos arenais com coqueirais, lagunas, dunas e extensa vegetação ao seu redor. As mais importantes Praias do Jatobá são, a Praia da Taíba e a Praia do Pecém, é um conhecido destino turístico com boas pousadas, bares e restaurantes.

Ceará

Como principais monumentos do município encontramos a Igreja de Nossa Senhora da Soledade e a Capela de São Gonçalo do Amarante, padroeiro da Cidade.

PASSEIO TURÍSTICO

Igreja de Nossa Senhora da Soledade
Capela de São Gonçalo do Amarante
Praça da Igreja Matriz
Praça dos Brinquedos
Ilha Digital
Rio Curu
Rio São Gonçalo
Rio Suipé
Lagoa do Coração
Lagoa do Siupé
Lagoa Mundo Novo
Pecém - Distrito Turístico - Pecém
Jardim Botânico do Pecém - Pecém
Estação Ecológica do Pecém - Pecém
Navio do Pecém - Pecém
Lagoa do Pecém - Pecém

PRAIAS

Praia do Jatobá
Praia da Taíba
Praia do Pecém

Trairi

Trairi é um município litorâneo do Nordeste brasileiro localizado no centro norte do Estado do Ceará, precisamente no Vale do Curu, Está situado na 'Costa do Sol Poente', uma famosa costa perto do Equador banhada pelo Oceano Atlântico com quase 365 dias de Sol ao ano e temperatura média de 28º C.

Ceará

Como principais pontos turísticos merecem especial destaque seus acidentes geográficos, rios, lagunas e belíssimas praias que se estendem por todo o seu litoral.

Ceará

Entre as mais destacadas podemos nomear a Praia de Emboaca, a Praia de Guajiru, a Praia de Fleixeiras e a Praia de Mundaú, com águas calmas e cristalinas, protegida por recifes de corais a pouquíssimos quilômetros da costa.

PASSEIO TURÍSTICO

Igreja de Nossa Senhora do Livramento
Igreja de São José
Capela de São Pedro
Parque Ecológico de Mundaú
Farol do Mundaú
Rio Mundaú
Lagoa do Criancó
Lagoa do Sal
Lagoa do Feijão
Lagoa das Cabaceiras
Serra da Ibiapaba - Serra Grande
Área de Proteção Ambiental do Estuário do Rio Mundaú

PRAIAS

Praia Mundaú
Praia Emboaca
Praia Fleixeiras
Praia da Pedra Rasa
Praia da Pedra Cahta
Praia Guajiru

Fonte:www.a-brasil.com

Ceará

Pontos Turísticos

Fortaleza tem um povo alegre, livre e descontraído. Uma cidade tropical onde os dias e as noites são sempre muito animados.

No corredor da Praia do Futuro, as barracas atraem de dia milhares de pessoas com muito peixe, caranguejo, mariscos, tudo regado a bebida típica local - a caipirinha - ou a uma cerveja "bem suada"; claro que não pode faltar a delícia da água-de-coco servida gelada no próprio coco-verde.

Ceará

À noite, é na 5ª feira que todas estas barracas apresentam música de forró ao vivo, enquanto é servido o tradicional caranguejo, que é degustado quebrando-se a carapaça numa atividade quase ritual muito divertida.

Fortaleza tem uma grande fraqueza, uma fraqueza que a fortifica ainda mais: adora receber visitas. E é do tipo que vai logo mostrado a sala, a cozinha, o quintal. Manda sentar, tirar os sapatos, ficar à vontade, que ela já vem servir um um suco de graviola, uma cachaça com caju, uma lagosta fresquinha, tradiza agorinha do mar pelos jangadeiros. A algazarra lá fora? São seus filhos encenando o Bumba Meu-Boi, dançando a Caninha Verde, curtindo um forró.

Ceará

As pessoas desfilam felizes nas passarelas arenosas do Meirelles, do Futuro e do Mucuripe. É a herança de Iracema, a virgem dos lábios de mel, ilustre escritor conterrâneo José de Alencar, é perpetuada como estátua no cais do porto.

No corredor da Praia de Iracema, dezenas de bares, restaurantes, lanchonetes, boutiques, galerias e botequins, fazem o conjunto do cenário vivo de Fortaleza. O bairro é uma mostra da cultura cearense, expressa pela alegria, pela música e pela vida que o domina em todos os ambientes. Lá, no internacionalmente conhecido Pirata Bar, é que acontece todas as semanas, e durante todo o ano, a 2ª feira mais animada do mundo; nessa casa de show o forró você está sempre no centro das atrações.

Nas outras noites da semana, a cidade inteira é animada pela música e pela dança regional e popular. São as bandas de forró, os pagodeiros, os sanfoneiros, os cantadores e os repentistas que se revezam por toda a noite fazendo a festa nas casas noturnas, clubes e parques de vaquejadas.

Portão de acesso internacional do Ceará, Fortaleza também é ponto de partida ideal para conhecer um destino turístico rico e diversificado em meio à natureza, à cultura, à riqueza dos ecossistemas do litoral das serras e do sertão.

Está ligada diretamente às Américas do Norte e do Sul, e também à Europa (Itália e Portugal), através do Aeroporto Internacional Pinto Martins.

Fortaleza é feita para você sentir emoção a todo momento. Nas praias; nas compras; no artesanato; na culinária; na cultura e nas festas.

COSTA DO SOLNASCENTE

Na Costa Sol Nascente (a Leste de Fortaleza) os traços marcantes são as falésias de areias coloridas e fontes de água doce, que oferecem um sem número de "banhos de bica" ao longo da costa, e resultam em inspiração para cantores, compositores e artesãos, refletindo nos primorosos trabalhos de artesanato, música, dança e dramaturgia.

As matas de densos coqueirais são complementadas por rios de importância na história da formação do Ceará:

O Pacoti, o Choró, o Pirangi e o Jaguaribe, com ricos ecossistemas marinhos.


Neste litoral o destaque é para Canoa Quebrada, outra praia cearense cuja fama corre o mundo e onde você se emociona com o "astral" inusitado do local. A culinária e o artesanato são criativos, além de uma noite fabulosa onde nativos e visitantes se envolvem numa única cultura: a cultura de Canoa.

Nesta direção da costa, as praias se multiplicam, desde a praia do Porto das Dunas – desembocadura do rio Pacoti – até Icapuí, com mais de 30 praias, formadas pelos coqueirais da Ponta da Caponga, das falésias e fontes das Praias das Fontes e do Morro Branco, de Majorlândia, da Quixaba, da Redonda...

Em todas elas o acesso é direto aos núcleos de pescadores, cuja atividade básica é a pesca artesanal em rede de peixe e camarão, e a captura da lagosta. Em todas as praias de grandes manguezais a fauna marinha é exuberante.

Ceará
Canoa Quebrada

Praia com pequena enseada, situada na base de falésias com areias colorida e avermelhada, de até 30 metros de altura.

Devido a beleza das paisagens, bem como auroras deslumbrantes, pôr-do-sol e noite de lua, onde sua luz deixa o mar prateado, desperta cada vez mais interesse em visitá-la.

Inclusive alguns cineastas já escolheram Canoa Quebrada como palco para alguns filmes.

Ceará
Porto das Dunas

Integrada à região metropolitana de Fortaleza, a praia do Porto das Dunas tem ocupação planejada que se estende entre o mar e o Rio Pacoti.

É nesta praia onde está localizado o arrojado complexo turístico Beach Park, composto de parque aquático, pista de ultraleve, rios e bicas artificiais, restaurantes de cardápio regional e internacional, boutiques, oferecendo ainda um serviço de praia de categoria internacional. Hotéis, resorts, pousadas e residências luxuosas consolidam o pólo turístico de expressivo valor ecológico e diversificados atrativos turísticos desta praia.

Beach Park

Ceará
Beach Park

O Beach Park é igualzinho aos parques mais famosos do mundo, mas tem uma vantagem que nenhum outro oferece: a localização na praia. E que praia ! O Beach Park fica localizado na praia do Porto das Dunas, que faz parte da região metropolitana de Fortaleza.

Você vai ver logo que o Beach Park também é um tremendo complexo gastronômico. Na praia, saboreando um caranguejo ou um peixe frito e tomando uma cerveja gelada... Nos três restaurantes, as mais variadas delícias da culinária nacional e internacional.

O Beach Park também possui lojas onde você sempre encontra tudo o que precisa: maiôs, sungas, toalhas e outros itens de uma moda-praia muito transada, além de uma variada linha de souvenirs com o espírito o e jeito do parque número um do Brasil.

As atrações temáticas do Beach Park foram projetadas para satisfazer pessoas de todas as idades. Tem a Arca de Noé e a Ilha do Tesouro, para o público infanto-juvenil, e a Correnteza Encantada, um rio mágico que crianças e adultos. Essas são apenas algumas das diversas atrações deste parque.

Caponga

Ceará
Caponga

Caponga está entre as praias favoritas do fortalezense para turismo de segunda residência (fins-de-semana e férias), que ocupam casas de médio padrão e hotéis sofisticados.

Nesta praia convivem núcleos nativos e turísticos de padrões diferenciados. Moradores locais aprenderam a dividir a beleza do espaço comum.

Morro Branco

Ceará
Morro Branco

Praia extensa ao longo de fabuloso conjunto de falésias de areias coloridas, onde é constante a formação de cavernas e a existência de nascentes.

As falésias constituem um platô que permitem visão panorâmica do litoral leste; um banho agradável no mar e nas bicas protegidas em frente ao núcleo de pescadores onde situa-se o ancoradouro de jangadas, por trás das falésias, as dunas de areia branca represam as águas da Lagoa Trauá, onde a vegetação é verdejante e variada.

 

Praias das Fontes

Ceará
Praia das Fontes

Praia extensa ao longo de falésias de grande beleza com ocupação rarefeita; a paisagem é rica tanto vista do mar para a terra como da terra para o mar; por trás as dunas brancas e lagoas.

As bicas das correntes e o banho do mar são pitorescos; as areias coloridas enriquecem a paisagem complementada pelo azul do céu e do mar.

Esta praia é um núcleo turístico de alto padrão, com resort integrado à paisagem, parque aquático, passeios de Buggy e de ultraleve, além de restaurantes e bares na beira da praia.

Majorlândia

Ceará
Majorlândia

Dunas, falésias, coqueirais, nascentes, regatas de jangadas, fins-de-semana e carnavais animados, restaurantes, casas de veraneio para locação, hotéis e pousadas com serviços eficientes são atributos que recomendam essa tradicional praia de veraneio, conhecida por suas areias coloridas.

Quixaba

Ceará
Quixaba

Dunas, falésias, coqueirais, nascentes, pousadas e casas de veraneio para locação, fazem desta praia pouquíssimo explorada do litoral cearense um convite para o descanso. Mas para quem procura diversão, ela fica a 15 km de Canoa Quebrada, onde o divertimento acontece todas as noites.

Redonda

Ceará
Redonda

É uma das belas praias de Icapuí, localizada a 18 km da sede do município e que tem maré baixa, propiciando o banho fácil, além de conter densos coqueirais, dunas, falésias e lagoas. Tem como destaque as formações rochosas. Peculiar a essa região é a arquitetura singela das casas dos pescadores, praticamente a única opção de hospedagem nestas praias.

COSTA DO SOL POENTE

A Costa do SolPoente (a oeste de Fortaleza) é uma seqüência de praias largas, rompidas pelas desembocaduras de rios e manguezais, alternando dunas fixas e móveis, e extensos coqueirais. O verde mar de águas rasas e tépidas, e um grande número de lagoas e lagamares, de águas translúcidas pela areia branca das dunas onde se localizam, reverenciam a chegada dos visitantes para banho.

É um litoral propício para os esportes de aventura e natureza, sejam movidos pelo vento (wind surf, hobbie-cat, laser), pelas correntes marítimas (regatas surf), ou utilizando a topografia do terreno (rallies, trecking, trilhas ecológicas). Onde se encontram os nativos, representados pelo pescador e pela rendeira.

Desde Cumbuco, na região metropolitana de Fortaleza, até Bitupitá, o roteiro é feito por praias que têm identidade própria: Almofala e Jericoacoara - a famosa Jeri -, reconhecida como uma das 10 mais belas praias do planeta.

Cada vila costeira guarda surpresas pelo modo de vida dos nativos. Você sente a emoção de participar da vida simples dos pescadores durante o dia e à noite dançar o agitado forró, que nas praias mais primitivas é realizado à luz de lampião.

Praia do Cumbuco

Ceará
Praia do Cumbuco

A praia do Cumbuco tem uma paisagem tipicamente cearense com dunas, coqueiros, cajueiros e castanholas, fazem do Cumbuco o lugar ideal para o lazer. A aventura de esquiar sobre a lagoa do Parnamirim, ou pilotar um jet-ski na Lagoa do Banana. Explorar, de Buggy, as dunas alvejantes é outra opção. Os amantes de windsurf encontram aqui os ventos e o espelho d’água mais apropriados.

A beleza, a proximidade de Fortaleza e a existência de hotéis, pousadas, bares, barracas e restaurantes especializados em frutos do mar fazem desta praia uma das mais concorridas do litoral oeste.

Bitupitá

Ceará
Bitupitá

Bitupitá é a sede de uma colônia de pescadores, com canoas e casas em estreita proporção, deixando a certeza de que aqui se vive tanto em terra como no mar.

Só não há modéstia na beleza de Bitupitá. Toda a faixa litorânea da fronteira do Ceará com o Piauí é pontilhada de acidentes geográficos que nos prendem a vista e nos enchem de emoção. Como, por exemplo, o encontro de cinco rios, formando a Ilha Grande, estuário rico em espécies flúvio-marinhas, um convite ao turismo ecológico.

Em Bitupitá, hospede-se em rústicas pousadas ou nas hospitaleiras casas de pescadores.

Praia de Almofala

Ceará
Praia de Almofala

A praia de Almofala conta a história de um povo: os índios Tremembés, ainda hoje subsistentes. Esta gente vive basicamente da pesca e também de algumas culturas para sua alimentação: o milho, o feijão, o côco da praia. A história de Almofala e sua gente remonta os primeiros anos do século XVIII, quando religiosos ergueram uma capelinha em torno da qual instalaram a Missão dos Tremembés.

Nesta cidade, conheça ainda a praia dos Torrões, localizada próximo a foz do Rio Aracati-mirim. Calma, com areia clara e fofa, é emoldurada por coqueiros e plantações de cana-de-açúcar e caju.

Jericoacoara

Ceará
Jericoacoara

Considerada uma das dez mais belas praias do mundo, Jericoacoara resiste ao assédio e preserva sua beleza natural . Registra-se aqui uma dinâmica paisagística, reunindo junto à costa ecossistemas representativos do sertão na forma de serrote e mata de tabuleiro, ladeados por dunas , enseada e coqueiral do ecossistema litorâneo.

A cidade também dispõe de um pólo de hospedagem, pousadas e restaurantes variados, todos compatíveis com o santuário ecológico do lugar.

ECOTURISMO

O Ecoturismo contempla um segmento da atividade turística que utiliza, de forma sustentável, o patrimônio natural, cultural e social permitindo aos municípios e regiões avançar na capacidade produtiva favorecendo a melhoria das condições de vida da população.

O Vale Monumental do Ceará é um reduto de curiosidades e descobertas. Uma simples caminhada se transforma em uma aventura neste lugar,que oferece desde passeios por locas, cavernas intercomunicantes, trilhas, lagoas, açudes, "canyon", túneis, clareiras e escaladas em verdadeiras esculturas naturais que são os colossais monólitos, esculpidos pela erosão em formas surpreendentes, até fascinantes descobertas de misteriosas inscrições rupestres, vestígios arqueológicos de culturas antepassadas.

Trilha das Andorinhas

Ceará
Trilha das Andorinhas

Essa trilha percorre o vale e o sopé da Serra do Padre, oferecendo uma visão panorâmica dos serrotes, cavernas, locas, flora e fauna típicas. A Trilha das Andorinhas é de uma belezacênica fora do comum. A natureza presenteia os visitantes com caprichos como a mudança de coloração das pedras de acordo com a insolação, fechando o dia com um pôr-do-sol mágico. E quando chega a noite, um céu incrivelmente estrelado, além de revoadas de vagalumes riscando o vale, ruídos noturnos da vida na natureza e um delicioso aroma.

Percurso: 1.450 m em 2 (duas) horas entre ida e volta.

Trilha do Letreiro

Ceará
Trilha do Letreiro

Através dessa trilha pode-se percorrer cenários típicos do sertão, passando por veredas de vegetação da caatinga, com paisagens distintas no verão e no inverno, como é conhecido o período chuvoso. Porém, o que desperta maior curiosidade, atrai pesquisadores e inspira a imaginação dos visitantes, é um importante sítio arqueológico.

Percurso: 3.800 m em 3 (três) horas entre ida e volta.

Trilha do Boqueirão

Ceará
Trilha do Boqueirão

A paisagem dessa trilha é completamente diferente das outras. Uma seqüência de serrotes arrendondados, na frente dos quais existe um belíssimo Açude, perene e de água muito fria, tornou possível a formação de uma vegetação mais verde e densa no pé da serra, em qualquer época do ano. Se você é ligado em plantas e animais, esta é a trilha ideal.

Percurso: Aproximadamente 1.500 m em 3 (três) horas entre ida e volta

Trilha do Olho D'água

O interessante dessa trilha é que ela oferece opção para a realizaçãode duas. A básica sai da sede do sítio até um olho d'água na serra, voltando em seguida para o ponto de partida. E a outra continua do olho d'água, seguindo para o cume da Serra do Caboclo, de onde a extraordinária beleza da paisagem pode ser vista em toda a sua amplitude, e volta para o sítio. Além disso, fora do percurso das trilhas, mas bem próximo do sítio, podem ser encontradas algumas inscrições rupestres em uma pedra, perto da margem do rio Quixeramobim.

Percurso: Vai de 3.200 m a 5.200 m, dependendo da trilha.

Trilha da Barriguda

A trilha se estende pelo vale e oferece muitas opções de lazer, entre passeios, banhos e atividades ambientais. Destacam-se a vegetação de grande porte e a presença de monólitos, esculpidos pela erosão em formas surpreendentes e fantasmagóricas.

Percurso: 1.280 m em 3 (três) horas entre ida e volta.

Trilha Cabeça do Gigante

Ceará
Trilha Cabeça do Gigante

A prática de montanhismo em todos os níveis, profissional e amador, incluindo aqueles que nunca se arriscaram a tentar, e a exploração de cavernas, tornam a Trilha Cabeça do Gigante extremamente atraente. Além da beleza cênica da região que é toda rodeada por serras, um pôr-do-sol mágico é um dos maiores presentes da natureza.

Percurso: 1.600 m em 2 (duas) horas entre ida e volta.

Fonte:www.braziliantourism.com.br

Ceará

LOCALIZAÇÃO:

O Ceará, estado brasileiro, fica no norte da Região Nordeste

DIVISAS:

Norte = Oceano Atlântico; Sul = Pernambuco; Leste = Rio Grande do Norte e Paraíba; Oeste = Piauí

(banhado pelo oceano Atlântico numa extensão de 573 km)

ÁREA (km²):

146.348,3

(a área acrescida da massa de água passa para 148.016 km2)

RELEVO:

Planalto, planícies e várzeas (Leste e Oeste)

Banhado pelo oceano Atlântico numa extensão de 573 km, com litoral pouco recortado, onde aparecem planícies costeiras e praias cobertas por dunas de beleza singular. Junto ao litoral, as altitudes não ultrapassam 100 metros. Em direção ao interior, no entanto, o terreno passa a ter características de planalto, alcançando altitudes médias de 400 a 500 metros. Trata-se de parcela do planalto Nordestino, uma das unidades do planalto Atlântico, cuja monotonia é quebrada em certos pontos por blocos elevados de rochas mais resistentes, entre os quais se destaca a serra de Baturité, com altitudes que chegam a mais de 1.000 metros

RIOS PRINCIPAIS:

Jaguaribe, Salgado, Conceição, Acaraú, Pacoti, Piranji, Banabuiú, Trussu

VEGETAÇÃO:

Caatinga em quase todo o território; vegetação de restinga e salinas em estreita faixa litorânea

A área ocupada por caatingas no Ceará atinge 129.162,7 km2, o que corresponde a 88 % da área total do estado

CLIMA:

Tropical

Com exceção do trecho ao longo da costa e das chapadas e pequenas serras, o clima em boa parte do território do estado do Ceará é semi-árido

CIDADES MAIS POPULOSAS:

Juazeiro do Norte, Maracanaú, Caucaia, Sobral, Crato

HORA LOCAL (em relação a Brasília):

A mesma

HABITANTE:

Cearense

CAPITAL:

Fortaleza, fundada em: 13/4/1726

HABITANTE DA CAPITAL:

Fortalezense

A economia do Ceará está estruturada sobre a produção agroindustrial e o comércio. A característica marcante da agropecuária cearense é a competitividade das espécies nativas, com destaque para o caju, algodão, lagosta, camarão e mandioca, entre outros. Na agricultura é também expressiva a importância do arroz, feijão, cana-de-açúcar, milho, mamona, tomate, banana, laranja, coco-da-baía e melão. Diante das características de forte insolação durante o ano todo, os frutos tropicais como acerola, caju, manga, melão, mamão, banana e uva entre outros, apresentam excepcional qualidade organoléptica, concentrando alto teor de sólidos solúveis e vitaminas.

Existem 701 açudes no estado, com capacidade para 10,6 bilhões de m3 de água. A existência de tais reservatórios hídricos permite o desenvolvimento agrícola e a criação pecuária nas regiões semi-áridas, onde a escassez de água é freqüente.

Mais recentemente, iniciou-se no Ceará a criação de lagosta em cativeiro, uma atividade que deverá receber novos adeptos. A produção de pescado correspondeu a 6.023 toneladas de lagosta, 1.702 toneladas de camarão, 16.022 toneladas de peixe do mar e 1.862 toneladas de peixe de açude, no mesmo ano.

No setor industrial destacam-se as transformações de fibras têxteis, confecções, calçados, alimentos, metalurgia e química. Dos produtos industriais, os têxteis e confecções apresentam maior dinamismo e atração de novos investimentos no estado. Na pauta de exportações, destacam-se a amêndoa da castanha-de-caju, lagosta, pargo, camarão, melão, produtos têxteis e confecções.

A colonização do Estado, iniciada no século XVII, foi dificultada pela forte oposição das tribos indígenas e só tomou impulso com a construção, na embocadura do rio Pajeú, do forte holandês Schoonenborch, que em 1654, foi tomado pelos portugueses. Com seu nome mudado para Fortaleza de Nossa Senhora de Assunção, o forte tornou-se a sede da Capitania.

No século XIX, um movimento de grande importância aconteceu no Ceará: a campanha aboliciionista, que aboliu a escravidão em 25 de março de 1884, antes da Lei Áurea.

O Ceará começaria a se desenvolver apenas depois de sua separação de Pernambuco (em 1799) e sua história foi sempre marcada por lutas políticas e movimentos armados. Esta instabilidade prolongou-se durante o Império e a Primeira República, normalizando-se depois da reconstitucionalização do País, em 1945.

A história do Ceará tem início com a criação da "Capitania do Siará", doada em 1535 a Antonio Cardoso de Barros. Em 1603, uma expedição comandada pelo açoriano Pêro Coelho de Souza fundou na região a colônia denominada Nova Luzitânia. Juntamente com o grupo, chegou também um rapaz de 17 anos, Martim Soares Moreno, considerado o verdadeiro fundador do Ceará. Conhecedor da língua e dos costumes indígenas, mantinha amizade fraternal com os nativos, o que lhe valeu fundamental apoio para a derrocada dos franceses e holandeses que também pretendiam colonizar a região. Em 1619, depois de muitas lutas contra invasores estrangeiros, naufrágios e prisões, Soares Moreno obteve uma carta régia que lhe dava o título de Senhor da Capitania do Ceará, lá se fixando por muitos anos. Seu romance com a índia Iracema foi imortalizado pelo escritor brasileiro José de Alencar, em seu livro intitulado Iracema.

O Ceará fez parte do estado do Maranhão e Grão-Pará em 1621. Foi ainda invadido duas vezes, em 1637 e 1649, pelos holandeses que ocupavam a região onde hoje se encontra o estado de Pernambuco, mantendo-se a ele subordinado até conquistar sua autonomia, em 1799. O desenvolvimento da pecuária em Pernambuco e na Bahia levou criadores a ocuparem o interior do Ceará. As vilas foram se formando junto às grandes fazendas ou nos pontos de descanso das tropas vindas do sul.

Em 1824, o Ceará participou da Confederação do Equador, juntamente com os estados de Pernambuco, Rio Grande do Norte e Paraíba. O estado começou a se desenvolver na segunda metade do século XIX, com a chegada da navegação a vapor, das estradas de ferro, da iluminação a gás e do telefone. Foi a primeira província brasileira a libertar os escravos, em 1884, e também uma das primeiras a aderir à República.

Castanha-de-Caju - Além das qualidades nutritivas e medicinais contidas na castanha originária do caju(6), seu sabor exótico tornou-a popular ao longo dos anos. É largamente apreciada em todos os países do mundo, para o acompanhamento de drinks ou na composição de aperitivos sofisticados. A fruta pode ser processada para a elaboração de sucos, mel, vinho e licor, além de ser também utilizada industrialmente para a produção de doces e passas.

O cajueiro é uma árvore nativa do Nordeste brasileiro, introduzida em outros países como a Índia e Moçambique, pelos colonizadores portugueses. Esses dois países, juntamente com o Brasil, são responsáveis por 80 % da produção mundial de castanha-de-caju. O Brasil participa com 35 % desse total e exporta 90 % de sua produção. A região Nordeste é responsável por 99 % da produção nacional de castanha-de caju, que chega a 1,2 milhão de toneladas por ano, e o estado do Ceará responde por 48 % desse total.

Fonte:www.brasilrepublica.com

 

Ceará

Canoa Quebrada

Ceará

Cidade situada a 150km de Fortaleza na direção leste, a 13 km de Aracati. Na década de 70 foi um paraíso "hippie", sendo um local extremamente isolado, situado à beira de impressionantes falésias junto ao mar. Hoje, com o turismo, muitas pessoas dizem que Canoa Quebrada se descaracterizou e não é mais bonita como antigamente.

Entretanto, mesmo com o enorme número de pousadas e hotéis disponíveis e o intenso afluxo de turistas, o lugar não perdeu o seu charme e toque místico, com a diferença de que agora há muito agito na rua principal da cidade à noite (a chamada Brodway), onde é possível dançar "disco", muito reggae, e é lógico, muito forró também.

Hoje em dia os pescadores de Canoa trabalham bastante em função do turismo, servindo de guias turísticos, ou ganhando comissão de donos de pousadas para conseguir clientes. Mas não deixaram de exercer suas atividades, saindo para pescar com suas jangadas. Além disso, os moradores de Canoa, originários ou não, gostam muito do local, e fazem questão de conservar o que há de bom, e sempre recebendo da melhor forma os turistas.

Assim como em Jericoacoara, é possível fazer passeios de bugue (há uma infinidade de bugueiros em Canoa também...), ou ir com seu carro mesmo (prestando sempre atenção ao ciclo das marés), percorrendo infindáveis kilômetros de praia entre falésias e o mar.

Cumbuca

Ceará

Aqui a natureza se revela surpreendente. A cada passo, o vento modela uma paisagem. De repente, a duna em forma de lua crescente é cortada abruptamente, formando o chamado funil. Outra duna, outra surpresa, revelando uma lagoa cristalina. Cumbuco é o lugar ideal para o lazer. A aventura de esquiar sobre a Lagoa de Parnamirim, ou pilotar um jet-ski na Lagoa do Banana. Explorar de bugre as dunas alvejantes é outra opção.

Flexeiras

O primitivo é o marco predominante nestas praias de pescadores, no múnicipio de Trairi. Além das duas mais famosas - Fleixeiras e Mundáu - você conhecerá outras de idêntico apelo natural - Pedra Chata, Pedra Rasa, Guajirú, Emboaca. Na Flexeiras concentram-se jangadas e botes, casas de veraneio e hotéis, preservando o equilibrio com a natureza. Experimente um mergulho nas extensas piscinas naturais que se formam com a maré baixa - verdadeiros aquários de águas límpidas, povoados de cardumes de pequenos peixes.

Icapuí

Ceará

Fica no extremo leste, na divisa com o estado do Rio grande do Norte. Possui uma economia bem diversificada, baseada na extração de petróleo, sal e pesca industrial. São 64 Km de belíssimas praias, cada uma com traços marcados e nomes bem curiosos: Tremembés, Melancias, Ponta Grossa, Peixe Gordo, Picos, Redonda, entre outras.

Iguape

Ceará

Situada no município de Aquiraz a 40 km de fortaleza. A 18 km da sede do município, dunas fixas com densa vegetação, tímido manguezal por trás das dunas, dunas móveis próximas à praia de onde se descortina todo o distrito. Situada na enseada formada pelas dunas da ponta do Iguape, cobertas por densa vegetação em cuja base existem bicas de água doce, contornando um grande lagamar formado pelo rio Aquiraz, banho fácil, abriga núcleo de pescadores e ancoradouro.

Jericoacoara

Ceará

É considerada uma das mais belas praias do mundo, tendo sido classificada como estando entre as 10 mais belas praias em reportagem do Washington Post de 15/03/87. Ainda continua uma região bastante intocada, apesar de que hoje em dia já existem inúmeras pousadas, pequenas lojas de souvenirs, pequenos restaurantes e bares, assim como incontáveis "bugueiros" (proprietários de "bugues" que levam os turistas pelas dunas, orla marítima, etc. para passeios tais como a Lagoa do Paraíso ou a vila de Nova Tatajuba).

Até há pouco tempo não havia energia elétrica: hoje, entretanto, é possível ver a maioria das pousadas oferecendo luz elétrica à noite sendo utilizado um gerador para tal. A vila está situada bem ao lado de uma enorme duna apelidada de

"Duna do Pôr do Sol", aonde grande parte das pessoas vai para apreciar o fim de tarde. Seguindo a orla para a direita, encontra-se não muito longe de Jeri (há uns 3 km) a famosa formação rochosa apelidada de "Pedra Furada" (é possível ver o sol se pondo bem no meio do buraco da pedra em certa época do ano). O nome Jericoacoara vem dos índios Tremembés, significando "lugar onde os jacarés dormem", nome dado inspirado nesta formação rochosa.

A "Lagoa do Paraíso" fica a uns 20 km de Jeri na direção leste, e é um passeio tradicionalmente feito pelos bugueiros que levam as pessoas pela manhã até a lagoa, retornando no meio da tarde. Há alguns bares onde pode-se tomar uma cerveja ou copmer alguma porção descansando na beira da lagoa em redes à sombra de cajueiros.

A "Lagoa de Nova Tatajuba" fica na direção oposta (oeste), e também é um dos passeios tradicionalmente feitos pelos bugueiros. Percorre-se enormes trechos de orla marítima (os horários de subida e descida das marés deve sempre ser acompanhado), pega-se uma pequena balsa em determinado trecho para poder atravessar com os bugues, e percorre-se também o interior, entre dunas e vegetação até chegar-se na lagoa; apenas algumas casas de pescadores e pessoas da região são vistas durante o trajeto, além de jegues, porcos e ovelhas, todos criados soltos.

Lagoinha

A 130 Km de Fortaleza, mar sereno e beleza primitiva, que proporciona um momento de tranqüilidade e descanso para os visitantes que se deslumbram com o verde do coqueiral, o laranja das dunas e as bicas naturais ao lado do sol nascente. A natureza foi caprichosa com esta praia, tem formato de meia lua, com dunas e coqueiros, e com grande encosta e arrecifes. Ultimamente vem se tornando uma das praias mais divulgadas em reportagens. Possui restaurantes, pousadas e camping e várias opções de lazer, como passeio de buggy, jangada e caminhão pau-de-arara, com parada para banho na lagoa das almécegas, situada entre as dunas.

Mundaú

Em Mundáu, a tónica é a pesca do camurupim, peixe de grande porte e carne saborosa, de boa cotação no mercado interno e externo. Hospedagem e boa comida do lugar em pousadas e restaurantes rústicos.

Paracuru

A orla marítima de Paracuru oferece diversificada paisagem. Há lugares como Pericoara, praia primitiva e deserta, que se estende em contínuo perfil de dunas. Já na barra do rio Curu se encontam núcleos de pescadores com suas jangadinhas poéticas, contrastando com as casas de veraneio de alto padrão arquitetônico, pousadas sobre as barrancas fronteiriças ao mar. Na praia urbana estão as barracas e restaurantes típicos de comidas regionais e também de cardápio internacional. Paracuru é um dos mais efervescentes pontos do litoral oeste, com seus hotéis e pousadas à disposição dos visitantes, que são muitos nos períodos de alta estação e fins-de-semana. Entre suas atrações estão o carnaval de rua, reunindo milhares de foliões, e os torneios de esportes náuticos, disputados constantemente em suas águas.

Fonte: www.jandleo.vilabol.uol.com.br

Ceará
Apresentação

O Ceará é uma das 27 unidades federativas do Brasil. Está situado na Região Nordeste e tem por limites o Oceano Atlântico a norte e nordeste, Rio Grande do Norte e Paraíba a leste, Pernambuco a sul e Piauí a oeste. Sua área total é de 146.348,30 km², ou 9,37% da área do Nordeste e 1,7% da superfície do Brasil. A população do estado estimada para o ano de 2008 foi de 8.450.527 habitantes, conferindo ao território a oitava colocação entre as unidades federativas mais populosas.

A capital e maior cidade é Fortaleza, sede da Região Metropolitana de Fortaleza(RMF). Outras cidades importantes fora da RMF são: Juazeiro do Norte e Crato na Região Metropolitana do Cariri, Sobral na região noroeste, Itapipoca na região norte, Iguatu na região centro-sul e Quixadá no sertão. Ao todo são 184 municípios.

O estado é conhecido nacionalmente pela beleza de seu litoral, pela religiosidade popular e pela imagem de berço de talentos humorísticos. A jangada, ainda comum ao longo da costa, é considerada um dos maiores símbolos do povo e da cultura cearenses. O Ceará concentra 85% de toda caatinga do Brasil, bioma relacionado às estiagens que, aliado a políticas ineficientes, castigam a população do campo, da qual a maioria ainda é pobre.

O Ceará é conhecido como Terra da Luz, atualmente propagada pelo bordão turístico aludindo aos dias ensolarados, mas que remonta ao fato do estado ter sido o primeiro da federação a abolir a escravidão, em 1884, quatro anos antes da Lei Áurea e por esse fato o jornalista José do Patrocínio considerou o estado como a terra da luz.

Características

Banhado pelo oceano Atlântico numa extensão de 573 km, com litoral pouco recortado, onde aparecem planícies costeiras e praias cobertas por dunas de beleza singular. Junto ao litoral, as altitudes não ultrapassam 100 metros. Em direção ao interior, no entanto, o terreno passa a ter características de planalto, alcançando altitudes médias de 400 a 500 metros.

Trata-se de parcela do planalto Nordestino, uma das unidades do planalto Atlântico, cuja monotonia é quebrada em certos pontos por blocos elevados de rochas mais resistentes, entre os quais se destaca a serra de Baturité, com altitudes que chegam a mais de 1.000 metros

Cultura

A cultura desenvolvida no estado ao longo de sua história acumulou muitas formas de expressão dos sentimentos de sua população. As manifestações religiosas tem grande importância para a vida cotidiana e os valores das famílias Cearenses.

A vida cultural é bastante movimentada e tradicional. O folclore é grande atração de todo o estado do Ceará. Danças e folguedos populares são as principais fontes de expressão das tradições e costumes de seu povo, do litoral ao sertão.

As principais manifestações folclóricas do cearense têm suas raízes na fusão de crenças e costumes de brancos, negros e índios dos que lá habitaram.

Turismo

O Ceará tem atrativos diversos por todo seu território com destaque para o seu litoral que é bastante explorado. As praias de maior destaque são: Jericoacoara, a Praia do Futuro, a Canoa Quebrada e a Porto das Dunas, onde existe o Beach Park, um dos maiores parques temáticos da América Latina.

Alguns dos espaços culturais importantes do estado são: Casa de José de Alencar (que abriga o Museu da Renda, o Museu da Antropologia, a Pinacoteca Floriano Teixeira e a Biblioteca Braga Montenegro), Museu da Imagem e do Som do Ceará, Museu do Ceará, Theatro José de Alencar, um dos mais importantes exemplos da arquitetura art nouveau no Brasil; Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, grande obra onde se apresentam e expõem diversas obras e performances artísticas, além de construções históricas; Museu Sacro São José de Ribamar e Museu Dom José ambos importantes museus de arte sacra do Brasil e os centros históricos da cidades de Sobral, Icó, Aracati e Viçosa do Ceará que foram tombados como patrimônio nacional pelo Iphan.

Outras atrações destacáveis são: Arquivo Público do Estado do Ceará, Biblioteca Pública Governador Menezes Pimentel, Casa de Juvenal Galeno, Centro Cultural Bom Jardim, Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, Escola de Artes e Ofícios Thomaz Pompeu Sobrinho, Sobrado do Doutor José Lourenço, Academia Cearense de Letras, Instituto do Ceará, Instituto Cultural do Cariri, Museu dos Inhamuns, Academia Sobralense de Estudos e Letras.

Rodovias

O Ceará conta com 10.657,9 km de rodovias estaduais, sendo 5.767,6 km pavimentados e 4.890,3 não-pavimentados.

A extensão total da malha rodoviária, incluindo rodovias municipais, estaduais e federais, é de 53.325,4, segundo o Departamento de Edificações, Rodovias e Transportes (DERT).

Em Fortaleza tem início a BR mais importante do Brasil, a BR-116, que liga a Capital do Ceará às regiões Sudeste e Sul do país até o Rio Grande do Sul. Em Fortaleza também tem início a BR-222 que faz ligação com a região Norte indo até o Pará. A BR-020 faz a ligação de Brasília com Fortaleza. A rodovia BR-230 Transamazônica corta o estado na região sul e a BR-304 liga o Ceará ao Rio Grande do Norte. Todas as sedes dos municípios têm acesso por estradas pavimentadas. Atualmente o sistema encontra-se com algumas estradas danificadas em decorrência de fortes chuvas, mas a maioria das rodovias apresenta boa condição de trafegabilidade.

Histórico

O povo cearense foi formado pela miscigenação de indígenas catequizados e aculturados após longa resistência, colonizadores europeus e negros que viviam como trabalhadores livres ou escravos. O povoamento do território foi bastante influenciado pelo fenômeno natural da seca.

Era uma sociedade rural baseada, sobretudo na pecuária, principalmente no sertão, e na agricultura, em especial nas serras e vales. A elite latifundiária, mediante o poder econômico e complexas relações de parentesco e afilhadagem, possuía controle de quase todos os aspectos da vida social. Os "coronéis" mantinham em suas propriedades muitos dependentes que lhes prestavam serviços ou entregavam parte de sua produção em troca da posse de um lote de terra, além de trabalhadores assalariados.

O desenvolvimento independente do Ceará aconteceu apenas depois de sua desagregação de Pernambuco em 1799, e sua história foi marcada por lutas políticas e movimentos armados. Essa instabilidade se prolongou durante o Império e a Primeira República, normalizando-se depois da reconstitucionalização do País em 1945.

Fonte: www.portalguiadoturista.com.br

Ceará

Pontos Turísticos

Antiga Assembléia Provincial (Museu do Ceará)

Ceará
Antiga Assembléia Provincial (Museu do Ceará)

Edifício construído entre os anos de 1856 e 1871, abrigou: Academia Cearense de Letras, o Legislativo da Província, a Faculdade de Direito e a Biblioteca Pública. Hoje abriga o Museu do Ceará.

Antiga Cadeia Pública

Ceará
Antiga Cadeia Pública

Construído entre 1850 e 1866, foi um dos primeiros edifícios públicos a atender as modificações impostas pela Legislação Penitenciária Imperial. Hoje abriga o Centro de Turismo do Estado, com várias lojas de artesanato, o museu de Minerais e o de Arte e Cultura Popular.

Casa Amarela

Ceará
Casa Amarela

Ligada à Universidade Federal do Ceará, a Casa Amarela deu início ao Festival Cine Ceará. Ela oferece cursos de cinema e é uma das responsáveis pela transformação do estado em pólo de produções audiovisuais.

Casa de José de Alencar

Ceará
Casa de José de Alencar

Localizada no distrito de Messejana, onde nasceu o romancista José de Alencar, no dia 01 de maio de 1829. É uma casa simples de parede de tijolo e cal, madeiramento em carnaúba e cobertura de telha, abriga as ruínas do primeiro engenho a vapor do Ceará e dois museus, o Museu da Renda e o Museu Artur Ramos.

Fonte: www.cearacultura.com.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal