Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Ciclotimia  Voltar

Ciclotimia

O que é Ciclotimia?

Ciclotimia - ou transtorno ciclotímico - é um transtorno de humor relativamente leve.

No transtorno ciclotímico, humores oscilam entre períodos curtos de leve depressão e hipomania , um estado de espírito elevado. As oscilações de baixa e alta de humor nunca chegar a gravidade da depressão ou mania. Ciclotimia é uma doença "bipolar-like".

Pessoas com transtorno ciclotímico têm mais leves sintomas que no transtorno bipolar desenvolvido.

Quais são os sintomas de Ciclotimia?

Em ciclotimia, humores variam de depressão leve a hipomania e de volta. Na maioria das pessoas, o padrão é irregular e imprevisível. A hipomania ou depressão pode durar dias ou semanas. Entre cima e para baixo humor, uma pessoa pode ter humores normais por mais de um mês - ou ciclo pode continuamente de hipomania com depressão, sem período normal entre eles.

Comparado com transtornos do humor mais graves, os sintomas de humor de ciclotimia são leves. Sintomas depressivos no transtorno ciclotímico nunca atingir os critérios para depressão maior. Humor elevado nunca atinge a definição para a mania.

Ciclotimia pode equilibrar na linha entre doença mental e as variações normais de humor e personalidade. Algumas pessoas com sintomas leves são altamente bem sucedido na vida, impulsionado por sua hipomania para expressar talentos individuais. Por outro lado, a depressão crônica e irritabilidade podem arruinar casamentos e relacionamentos profissionais.

O que causa Transtorno Ciclotímico?

Muitos especialistas dizem Transtorno Ciclotímico é uma forma muito suave de transtorno bipolar. Ninguém sabe ao certo o que causa a ciclotimia ou transtorno bipolar. Genética desempenha um papel no desenvolvimento de ambas as doenças. Pessoas com ciclotimia são mais propensas a ter parentes com transtorno bipolar e vice-versa.

Quais são os tratamentos para Ciclotimia?

Ciclotimia freqüentemente não é diagnosticada e tratada. A maioria das pessoas os sintomas são leves o suficiente para que eles não buscam tratamento de saúde mental. Na verdade, algumas pessoas resistem à idéia de tratamento, o que reduz seus episódios "para cima", bem como "para baixo".

Os sintomas depressivos do transtorno ciclotímico são tipicamente mais freqüente, desagradável e incapacitante do que os sintomas hipomaníacos. Sentimentos de depressão ou instabilidade são geralmente o que fazer com as pessoas com ciclotimia para procurar ajuda.

Sem medicamentos estão especificamente aprovadas para o tratamento de ciclotimia, apesar de estabilizadores de humor, tais como lítio ou lamotrigina são por vezes recomendada como uma possível estratégia para reduzir as oscilações de humor. Antidepressivos , tais Prozac , Paxil ou Zoloft geralmente não são recomendados a menos que alguém se desenvolve uma depressão cheia , o qual, por definição, não ocorre no transtorno ciclotímico. Há também um pequeno risco de que os antidepressivos podem desencadear ou piorar os sintomas de mania em um subgrupo de pessoas vulneráveis. Antidepressivos sozinho também não são conhecidos para melhorar a flutuações de humor, que são características marcantes do transtorno ciclotímico.

Tecnicamente falando, quando o humor elevado ou deprimido se tornar grave, uma pessoa já não tem ciclotimia, mas tem transtorno bipolar. Esta progressão de sintomas mais graves podem acontecer, e isso é quando muitas pessoas em primeiro lugar receber tratamento.

Fonte: www.webmd.com

Ciclotimia

Ciclotimia ou transtorno ciclotímico, é uma forma leve de transtorno bipolar (psicose maníaco-depressiva).

Uma pessoa com ciclotimia terá uma história de humor que vão desde depressão leve a altas emocionais. (

A maioria das pessoas os sintomas são leves o suficiente para que eles não buscam tratamento de saúde mental, de modo ciclotimia muitas vezes não é diagnosticada e tratada.

No entanto, as mudanças de humor podem atrapalhar seu pessoal e relações de trabalho, por isso, se você acha que tem ciclotimia, vale a pena ver o seu médico para o tratamento.

Ciclotimia pode evoluir para o transtorno bipolar , e que muitas vezes não é, até esta fase tardia que as pessoas buscam tratamento.

Como eu sei que eu tenho ciclotimia?

Se você tiver ciclotimia, você vai ter períodos de mau humor seguidos por períodos de euforia e excitação, quando você não precisa de muito sono (estes períodos 'up' são chamados de 'hipomania').

Os períodos de mau humor não duram o tempo suficiente e não são graves o suficiente para merecer um diagnóstico de depressão clínica , mas eles provavelmente vão interferir com a sua capacidade de funcionar em uma base dia-a-dia.

Mudanças de humor será bastante freqüente, bem como persistente - você não terá mais de dois meses sem sintomas em uma fileira.

Seus humores flutuantes precisam ter durado pelo menos dois anos (um ano em childen e adolescentes) para ciclotimia de ser diagnosticada.

Quais são as causas?

As causas da ciclotimia são desconhecidas, mas provavelmente há uma ligação genética - ciclotimia, depressão clínica e desordem bipolar todos tendem a funcionar nas famílias.

Ciclotimia geralmente começa cedo na vida e é igualmente comum em homens e mulheres.

Como é o tratamento?

Sem medicamentos especificamente aprovadas para utilização no tratamento ciclotimia, mas medicação estabilizador do humor e / ou antidepressivos têm sido mostrados para ajudar, juntamente com a psicoterapia .

Estabilizadores de humor incluem:

Lítio , que é comumente usado para tratar transtorno bipolar

Medicamentos anti-convulsivos, como carbamazepina ou oxcarbazepina

No entanto, nem todas as pessoas com ciclotimia responder à medicação.

A psicoterapia, como a terapia cognitivo-comportamental (TCC) , pode ser muito eficaz. CBT envolve a falar com um terapeuta treinado para encontrar maneiras de ajudá-lo a gerenciar seus problemas, alterando a maneira de pensar e se comportar. Ela não pode remover os seus problemas, mas pode ajudá-lo a gerenciá-los de uma forma mais positiva.

Perspectiva

Menos da metade das pessoas com ciclotimia acabará por desenvolver o transtorno bipolar , onde os seus humores elevados ou deprimido se tornar mais grave.

Outras pessoas vão achar que a sua ciclotimia continua e eles precisam gerenciar isso como uma condição ao longo da vida, ou eles acham que desaparece com o tempo.

Fonte: www.nhs.uk

Ciclotimia

Ciclotimia ou Humor Ciclotímico é um tipo de característica afetiva, ou seja, um traço afetivo (ou do humor) que se caracteriza por oscilações entre extremos depressivos e eufóricos, mas não suficientemente grave para que se faça um diagnóstico de Transtorno Afetivo Bipolar.

Na CID.10 existe a classificação de Transtornos Persistentes do Humor, onde se inclui a Ciclotimia e a Distimia. São transtornos ditos persistentes porque dizem respeito a determinados tipos (traços) de personalidade, com características que persistem por anos e, por vezes, durante a maior parte da vida adulta do paciente, podendo levar à sofrimento e à incapacidade. Em certos casos, episódios maníacos ou depressivos recorrentes ou isolados podem se superpor a um transtorno afetivo persistente.

Na Ciclotimia há instabilidade persistente do humor que comporta numerosos períodos de depressão ou de leve exaltação, porém, como dissemos, não suficientementes graves ou prolongados para ser considerados como Transtorno Afetivo Bipolar (F31) ou mesmo um Transtorno Depressivo Recorrente (F33). Esse tipo ciclotímico de transtorno se encontra, freqüentemente, em familiares de pacientes que apresentam um transtorno afetivo bipolar. Algumas pessoas ciclotímicas apresentarão elas próprias ulteriormente um transtorno afetivo bipolar.

O CID.10 recomenda que a Ciclotimia seja sinônimo de Personalidade Ciclóide, Personalidade Ciclotímica ou de Transtorno Afetivo da Personalidade. Da mesma forma, o DSM.IV considera a característica essencial do Transtorno Ciclotímico, uma perturbação crônica e flutuante do humor, envolvendo numerosos períodos de sintomas hipomaníacos (de euforia) e numerosos períodos de sintomas depressivos.

Os sintomas hipomaníacos que fazem parte da Ciclotimia, têm número, gravidade, abrangência ou duração insuficientes para a satisfação dos critérios para um Episódio Maníaco, e os sintomas depressivos têm número, gravidade, abrangência ou duração insuficientes para a satisfação dos critérios para um Episódio Depressivo Maior

Fonte: www.psiqweb.med.br

Ciclotimia

Definição

Ciclotimia, também chamada de transtorno ciclotímico, é uma forma leve de transtorno bipolar. Como transtorno bipolar, ciclotimia é um transtorno de humor crônica que causa altos e baixos emocionais.

Com ciclotimia, você experimenta períodos em que seu humor visivelmente oscila de sua base. Você pode se sentir no topo do mundo por um tempo, seguido por um período de baixa, quando você se sentir um pouco azul. Entre estes altos e baixos ciclotímicos, você pode sentir estável e multa.

Comparado com transtorno bipolar, os altos e baixos da ciclotimia são menos extremas. Ainda assim, é importante procurar a ajuda gestão destes sintomas, pois eles aumentam o risco de transtorno bipolar. As opções de tratamento para a ciclotimia incluir psicoterapia, medicamentos, e - mais importante - perto, follow-up com seu médico.

Os sintomas

Sintomas ciclotimia incluir um padrão alternado de altos e baixos emocionais. As elevações de ciclotimia são caracterizados sintomas hipomaníacos, que se assemelham aos de mania, mas são menos graves. Os baixos consistem de sintomas depressivos leves ou moderados.

Ciclotimia sintomas são geralmente semelhantes aos do transtorno bipolar, mas eles são menos graves. Quando você tem ciclotimia, normalmente você pode funcionar em sua vida diária, embora nem sempre bem. A natureza imprevisível de turnos seu humor pode perturbar significativamente sua vida, porque você nunca sabe como vai se sentir - e você não pode simplesmente vai-se viver a vida em equilíbrio.

Hipomaníaco fase de distúrbio ciclotímico

Sinais e sintomas de hipomania de ciclotimia podem incluir:

Humor extraordinariamente bom ou alegria (euforia)
Extremo otimismo
Auto-estima inflada
Julgamento pobre
Fala rápida
Pensamentos de corrida
O comportamento agressivo ou hostil
Ser irreverente dos outros
Agitação
Aumento da atividade física
Comportamento de risco
Folias de gastos
Unidade aumentou para executar ou alcançar metas
Aumentou o desejo sexual
Diminuição da necessidade de sono
Tendência a ser facilmente distraídos
Incapacidade para se concentrar

Fase depressiva do transtorno ciclotímico

Sinais e sintomas de episódios depressivos de ciclotimia podem incluir:

Tristeza
Desespero
Pensamentos ou comportamentos suicidas
Ansiedade
Culpa
Os problemas do sono
Problemas de apetite
Fadiga
Perda de interesse em atividades diárias
Diminuição do desejo sexual
Problemas de concentração
Irritabilidade
A dor crônica sem causa conhecida

Quando consultar um médico

Se você tiver quaisquer sintomas de ciclotimia, procurar ajuda médica o mais rápido possível. Transtorno ciclotímico geralmente não fica melhor por conta própria. Se você não tem certeza por onde começar com o tratamento, consulte o seu fornecedor de cuidados de saúde primários. Ele ou ela pode encaminhá-lo a um profissional de saúde mental, com experiência em ciclotimia ou transtorno bipolar.

Se você está relutante em procurar tratamento, tentar trabalhar até a coragem de confiar em alguém, seja um amigo ou ente querido, um profissional de saúde, um líder fé, ou alguém que você confia. Ele ou ela pode ajudá-lo a dar os primeiros passos para o sucesso do tratamento.

Se você tem um ente querido que você acha que pode ter sintomas de ciclotimia, ter uma discussão aberta e honesta sobre suas preocupações. Você não pode forçar alguém a procurar ajuda profissional, mas você pode oferecer incentivo e apoio e ajuda sua amada encontrar um médico qualificado ou profissional de saúde mental.

Pensamentos suicidas

Se você está pensando em suicídio, agora, ligue para o 911 ou o seu local de número de emergência serviços.

Se você simplesmente não pode fazer essa chamada, pegue o telefone e chegar a alguma outra pessoa - de imediato:

Em contato com um membro da família ou amigo.

Contate um médico, profissional de saúde mental ou profissional de cuidados de saúde.

Fale um ministro, líder espiritual ou alguém em sua comunidade de fé.

Vá para o seu quarto hospital local de emergência.

Chame um centro de crise ou de linha quente.

Se você tem um ente querido que tem prejudicado a si mesmo, ou está pensando seriamente em fazê-lo, levá-la ao hospital ou pedido de ajuda de emergência.

Fonte: nt.estiga.com

Ciclotimia

Ciclotimia é uma doença rara que afeta o humor de quem sofre. Leia e saiba tudo sobre as causas, sintomas, diagnóstico e tratamento desta doença mental.

O que é Ciclotimia?

Médicos e pesquisadores médicos definir isso como um tipo relativamente leve de transtorno bipolar. Como Bipolar, esta é uma condição mental crônica que resulta em oscilações emocionais.

É também conhecido como distúrbio de Ciclotímico. A doença é relatado para afetar número aproximadamente igual de homens e mulheres.

Ciclotimia Etimologia

O distúrbio recebe o nome de uma fusão de dois termos gregos, círculo kyklos significado e thymos pé para a raiva. Simplificando, isso significa um ciclo de raiva referindo-se ao comportamento agressivo súbito mostrado por um sofredor.

Incidência ciclotimia

A condição é relatado para afetar 0,4 a 1% da população dos EUA inteiro. A doença geralmente surge durante a adolescência ou no início dos anos vinte da vida de um indivíduo.

Episódios ciclotimia

Esta condição é marcada por dois episódios ou fases, que são caracterizadas por estados de espírito diametralmente opostos do mesmo paciente.

Estes são os seguintes:

Episódios depressivos

Como o nome indica, é marcado pelo humor depressivo e comportamento.

Estes incluem:

Problemas de concentração
Dificuldades na tomada de decisões
Lembrança pobres
Baixa confiança
Autocrítica
Ausência de desejo sexual
Fadiga
Auto-negligência
Irritabilidade
Desamparo

A lista de sintomas não é de forma abrangente e inclui mais problemas. Discuta com o seu médico sobre os possíveis problemas desta fase, caso você tenha um tal indivíduo em sua família.

Episódios Hipomaníacos

É caracterizada por alegria anormal no paciente. A pessoa é mostrado a apresentar um comportamento extremamente otimista, muito elevada auto-confiança, aumento impulso sexual e ritmo muito rápido de falar. No entanto, ele ou ela pode também mostram agitação, comportamento muito agressivo, redução da necessidade de sono, dificuldades de concentração e uma série de outros problemas.

Causas

Esta condição, semelhante a desordem bipolar, é suposto que surgem como resultado de fatores genéticos.

No entanto, várias outras causas possíveis são:

Tendência suicida
A dependência de drogas ou álcool
História familiar de depressão maior
História familiar de distúrbio bipolar

Dito isso, a causa exata da doença é desconhecida até o momento. Conforme a pesquisa médica, no entanto, a condição surge devido a uma combinação de vários fatores.

Ciclotimia deve desenvolver-se devido a uma combinação de:

Hereditariedade
Ambiente
Processos bioquímicos do corpo, tais como, alterações na química do cérebro

Sintomas

O distúrbio é caracterizado por:

Mudanças de humor, que são menos intensas do que na mania, depressão ou transtorno bipolar
Episódios de hipomania
Episódios de depressão leve, que pode se desenvolver por pelo menos dois anos

Embora os sinais são semelhantes aos de transtorno bipolar, são menos graves na natureza. As pessoas que sofrem desta condição pode realizar suas atividades diárias, embora com alguma dificuldade.

Alguns dos sinais de outros proeminentes desta doença incluem:

Incapacidade de manter o entusiasmo para novas atividades
Mudanças bruscas de humor da felicidade para a melancolia
A auto-medicação, com drogas ilícitas e álcool
Dificuldades em dormir, com pouco sono durante a fase de hipomania e incapacidade de acordar a tempo durante a fase depressiva

Os indivíduos afetados também têm dificuldades em manter relacionamentos pessoais. Suas emoções mudar rapidamente de intimidade a indiferença. Mesmo em um nível geral, sentem-se no topo do mundo em um momento e altamente desesperou no instante em que outro. Eles só se sentem estável durante os períodos no meio.

Diagnóstico

A condição é geralmente diagnosticada quando os pacientes ou seus familiares, descrever a história do seu humor. Médicos e profissionais de saúde pode aconselhar a realização de exames de urina e sangue para eliminar as causas médicas de alterações de humor.

O diagnóstico geralmente inclui:

Testes físicos

Tais exames podem envolver:

Verificação de sinais vitais como temperatura corporal, pressão arterial e freqüência cardíaca
Teste de abdominal
Medição de altura e peso
Ouvir os sons do coração e os pulmões

Os testes laboratoriais

Estes podem envolver:

Exames de tiróide
Os exames de sangue
Hemograma completo
Exame de urina
Os testes de álcool e drogas

Avaliação psicológica

Isso inclui a discussão de pacientes sobre seus sentimentos, pensamentos e comportamentos com os seus prestadores de cuidados de saúde mental. Sofredores podem ser feitas sobre o abuso de álcool ou substância. Eles podem ter que preencher questionários e passar por psicológicas de auto-avaliação testes.

Critérios de diagnóstico

O diagnóstico da doença é baseado em alguns fatores como:

Se a pessoa sofre de períodos de depressão e hipomania, por um período mínimo de dois anos
Se ele ou ela não teve qualquer humor normal durante os últimos dois meses ou mais
Se o indivíduo não tem sofrido de um episódio maníaco ou misto de depressão maior durante os primeiros dois anos após o aparecimento de alterações mentais
Se ou não os sintomas podem ser atribuídos a um ou outro, ou Perturbação Psicótica Esquizofrenia
Quer ou não os sintomas são resultado de qualquer condição médica, drogas ilícitas ou medicamentos
Quer ou não o paciente sofre de deficiência mental severa ou angústia em seu/sua vida diária

Diagnóstico Diferencial

O diagnóstico desta doença é difícil, devido à sua semelhança com várias outras doenças mentais.

Estes incluem:

Transtornos psicóticos
Os transtornos de personalidade
Transtornos de ajustamento
Transtornos de humor
O transtorno bipolar

O diagnóstico diferencial da condição visa distinguindo-a das doenças acima referidas.

Tratamento

Isso geralmente é uma condição crônica que necessita de cura ao longo da vida, mesmo durante essas fases quando os pacientes se sentem melhor. O tratamento é geralmente realizado por um prestador de cuidados de saúde mental experimentada no tratamento de tais casos.

Tratamento atempado e eficaz é essencial para curar esta condição, como pacientes correm um risco elevado de desenvolvimento de transtorno bipolar. O tratamento também é necessária para diminuir a gravidade e frequência da Hipomaníaco e as fases depressivas desta condição. Cura médica também ajuda a reduzir os problemas decorrentes do abuso de álcool ou qualquer outra substância que pode agravar os sintomas de ciclotimia.

As opções de tratamento primário para esta doença incluem:

Medicamentos

Uso de medicamentos podem ser úteis para controlar os sintomas da doença, evitando ou Hipomaníaco episódios depressivos.

Psicoterapia

Também conhecida como terapia de conversação ou de aconselhamento, que envolve terapia cognitivo-comportamental, terapia familiar, terapia de grupo e terapia ritmo social. Terapias psicológicas são uma parte essencial do tratamento desta doença.

Ciclotimia e Medicamentos

Os medicamentos utilizados para o tratamento da condição envolvem o uso de:

Estabilizadores de humor

Estes são mais comumente prescritos para corrigir esta doença. Eles ajudam a estabilizar e regular o humor dos pacientes. Lítio é um estabilizador de humor comum, e é geralmente a primeira escolha, para curar este fases Hipomaníacos desta desordem. Os médicos podem prescrever esta droga ao longo da vida para a prevenção e tratamento de sintomas Hipomaníacos.

Anti-apreensão de drogas

Também referido como anticonvulsivantes, estes são utilizados para evitar oscilações de humor. As drogas deste tipo envolvem lamotrigina, Divalproex de sódio e ácido valpróico.

Medicamentos antipsicóticos

Os pacientes que não apresentam qualquer resposta positiva ao anti-apreensão medicamentos são administrados com a risperidona ea olanzapina, que pode trazer alguma quantidade de alívio.

Medicamentos anti-ansiedade

Estes fármacos, tais como as benzodiazepinas, podem ser eficazes na melhoria do sono dos pacientes. A Food and Drug Administration aprovou a quetiapina medicação para o tratamento de tanto depressivo e fases maníacas do transtorno bipolar. Estes também podem ser eficazes na cura de perturbações Ciclotímico.

Antidepressivos

Os médicos geralmente não recomendam o uso de antidepressivos para curar Transtorno Ciclotímico, a menos que tais medicamentos são usados juntamente com um estabilizador de humor. A administração destes medicamentos por si só pode provocar episódios maníacos potencialmente graves, como no caso de perturbações bipolares. É essencial consultar um médico e pesar os prós e os contras com cuidado antes de tomar tais medicamentos.

Complicações

Se não for tratada a tempo, esta doença pode dar origem a graves problemas emocionais. Estes podem ter um impacto negativo sobre todos os aspectos da vida dos pacientes de transtornos Ciclotímico. A doença também aumenta o risco de ter doença bipolar, em grande medida. Cerca de metade de todos os indivíduos são também propensos a recorrer ao abuso de substâncias ou de álcool. Muitos desses pacientes estão em maior risco de cometer suicídio.

Fatores de Risco

Os fatores de risco reais desta síndrome mental não foram totalmente identificados ainda. No entanto, ser jovem ou em idade adolescente deve aumentar a susceptibilidade a esta doença. Isto é devido ao fato de que a condição é encontrada a surgir particularmente em adolescentes e jovens adultos.

Prognóstico

Menos da metade da população sofre desta condição, eventualmente, desenvolve transtorno bipolar. Em outros, a doença persiste como uma condição crônica ou resolve com o passar do tempo.

Ciclotimia de Gestão

Os pacientes podem reduzir o estresse de viver com esta doença por se juntar a qualquer grupo de apoio que se estende assistência a pessoas que sofrem da condição. Os grupos de apoio colocar os pacientes em contato com outras pessoas com dificuldades semelhantes. Tratamento a longo prazo também é necessário para controlar o transtorno.

Gestão também envolve:

Tomar medicamentos na hora certa e da maneira
Monitorização cuidadosa dos sintomas
Evitar álcool e drogas
Manter um registro diário de humor e rotinas

Os pacientes também devem consultar o médico antes de tomar qualquer medicação prescrita por um outro médico para alguma outra doença. Isto é necessário porque alguns medicamentos podem interferir com alguns medicamentos prescritos para Ciclotimia ou mesmo gatilho transtorno bipolar.

Administrar esta condição pode ser difícil para pessoas que sofrem, como vários medicamentos utilizados para o seu tratamento dá origem a efeitos colaterais.

Tendo uma condição persistente que requer longo da vida e gestão de cura também pode causar raiva e ressentimento em sofredores. Os pacientes são frequentemente tentados a parar cura médica durante seus episódios hipomaníacos.

Amor, carinho e apoio de membros da família pode ajudar uma maré durante várias doenças mentais e ciclotimia não é excepção. Bom atendimento e suporte familiar constante pode tornar os pacientes se sentir amada e cuidada. Esta é a certeza de ter um impacto positivo na sua mente e ajudá-los a lidar com a doença com mais facilidade. A condição também pode resolver naturalmente dentro de uma duração mais curta.

Remédios ciclotimia Início

Esta é uma doença mental grave e não pode ser curada por remédios caseiros. No entanto, ele pode ser controlado com o auxílio de medidas de modificação de estilo de vida certas.

São estas:

Ficar focado em objetivos como este distúrbio requer tratamento prolongado, os pacientes têm de encontrar formas de manter o foco para conseguir um bom equilíbrio em sua vida pessoal e profissional. Lembrando constantemente o auto sobre possíveis danos aos relacionamentos, vida social ou profissional pode ajudar um paciente a permanecer motivado.

Envolver-se em atividades saudáveis e doentes passatempos deve ocupar-se com atividades saudáveis e recreativas que facilitam o seu stress e desviar suas mentes para o lado positivo da vida. O exercício físico regular ou atividades esportivas também podem ajudar os hormônios que regulam libertação stress e acalmar a mente.

Praticando técnicas de gestão do stress aprender meditação, Yoga ou Tai-chi e praticá-los regularmente também pode ter um efeito positivo sobre a mente. Isso pode levar tensão da mente e fazer sofredores se sentem mais rejuvenescida, tanto física como mentalmente.

Prevenção

Por enquanto, ainda não há nenhuma maneira de evitar esta doença. No entanto, o início do tratamento médico nos primeiros sinais de problemas mentais podem ajudar a prevenir a deterioração da doença. Tratamento a longo prazo, visando a prevenção, também pode ajudar um indivíduo evitar episódios menores de a doença se torne full-blown casos de depressão ou mania.

Se você ou algum de seus entes queridos está tendo sintomas dessa condição, entre em contato com um profissional médico de forma imediata. Deste modo, um atraso no tratamento pode afetar negativamente a vida social, pessoal ou profissional de uma pessoa. Ele também pode dar origem a tendências suicidas. A doença também podem piorar a doença bipolar. O tratamento, quando realizado de forma eficaz e com o tempo, pode ajudar a controlar a doença, em grande medida e resolvê-lo mesmo depois de algum tempo.

Fonte: textozon.com

Ciclotimia

Transtorno Ciclotímico

Características diagnósticas

A característica essencial do Transtorno Ciclotímico consiste em uma perturbação crônica e flutuante do humor, envolvendo numerosos períodos de sintomas hipomaníacos e numerosos períodos de sintomas depressivos (Critério A). Os sintomas hipomaníacos têm número, gravidade, abrangência ou duração insuficientes para a satisfação de todos os critérios para um Episódio Maníaco, e os sintomas depressivos têm número, gravidade, abrangência ou duração insuficientes para a satisfação de todos os critérios para um Episódio Depressivo Maior. Entretanto, não é necessário que os períodos com sintomas hipomaníacos satisfaçam os critérios de duração ou limiar dos sintomas para um Episódio Hipomaníaco.

Durante o período de 2 anos (1 ano para crianças e adolescentes), quaisquer intervalos livres de sintomas não duram mais de 2 meses (Critério B).

O diagnóstico de Transtorno Ciclotímico é feito apenas se o período inicial de 2 anos de sintomas ciclotímicos está livre de Episódios Depressivos Maiores, Maníacos e Mistos (Critério C). Após o período inicial de 2 anos de Transtorno Ciclotímico, Episódios Maníacos ou Mistos podem sobrepor-se ao Transtorno Ciclotímico, diagnosticando-se, neste caso, tanto Transtorno Ciclotímico quanto Transtorno Bipolar I. Da mesma forma, após o período inicial de 2 anos de Transtorno Ciclotímico, Episódios Depressivos Maiores podem sobrepor-se ao Transtorno Ciclotímico, diagnosticando-se, neste caso, tanto Transtorno Ciclotímico quanto Transtorno Bipolar II. O diagnóstico não é feito se o padrão de alterações do humor é mais bem explicado por Transtorno Esquizoafetivo ou está sobreposto a um Transtorno Psicótico, como Esquizofrenia, Transtorno Esquizofreniforme, Transtorno Delirante ou Transtorno Psicótico Sem Outra Especificação (Critério D), sendo que, neste caso, os sintomas de humor são considerados aspectos associados do Transtorno Psicótico. A perturbação do humor também não deve decorrer dos efeitos fisiológicos diretos de uma substância (p. ex. droga de abuso, medicamento) ou de uma condição médica geral (p. ex. hipertireoidismo) (Critério E). Embora algumas pessoas possam funcionar particularmente bem durante alguns períodos de hipomania, deve haver, de modo geral, um sofrimento clinicamente significativo ou prejuízo no funcionamento social ou ocupacional ou em outras áreas importantes, em conseqüência da perturbação do humor (Critério F). O prejuízo pode desenvolver-se como resultado de períodos prolongados de alterações cíclicas e freqüentemente imprevisíveis de humor (p. ex., a pessoa pode ser considerada temperamental, “de lua”, imprevisível, inconsistente ou inconfiável).

Características e transtornos associados

Características descritivas e transtornos mentais associados. Transtornos Relacionados a Substâncias e Transtornos de Sono (i. é, dificuldade para conciliar e manter o sono) podem estar presentes.

Características específicas de idade e gênero

O Transtorno Ciclotímico freqüentemente começa cedo e às vezes é considerado um reflexo da predisposição temperamental para outros Transtornos do Humor (especialmente Transtornos Bipolares). Em amostras comunitárias, o Transtorno Ciclotímico aparentemente ocorre na mesma proporção entre homens e mulheres. Em contextos clínicos, as mulheres com Transtorno Ciclotímico podem estar mais propensas a buscar tratamento do que os homens.

Prevalência

Os estudos têm relatado uma prevalência de Transtorno Ciclotímico durante a vida de 0,4 a 1%. A prevalência em clínicas para transtornos do humor pode variar de 3 a 5%.

Curso

O Transtorno Ciclotímico em geral inicia na adolescência ou no começo da vida adulta. O início mais tardio do Transtorno Ciclotímico na vida adulta sugere um Transtorno do Humor Devido a uma Condição Médica Geral, como esclerose múltipla. O Transtorno Ciclotímico em geral tem um início insidioso e um curso crônico. Existe um risco de 15 a 50% de que a pessoa desenvolva, subseqüentemente, um Transtorno Bipolar I ou Transtorno Bipolar II.

Padrão Familial

O Transtorno Depressivo Maior e o Transtorno Bipolar II parecem ser mais comuns entre os parentes biológicos em primeiro grau de pessoas com Transtorno Ciclotímico do que na população em geral. Também pode haver um risco familial aumentado de Transtornos Relacionados a Substâncias. Além disso, o Transtorno Ciclotímico pode ser mais comum nos parentes biológicos em primeiro grau de indivíduos com Transtorno Bipolar I.

Diagnóstico diferencial

O Transtorno Ciclotímico deve ser diferenciado de um Transtorno do Humor Devido a uma Condição Médica Geral. O diagnóstico de Transtorno do Humor Devido a uma Condição Médica Geral, Com características Mistas, é feito quando a perturbação do humor é considerada como a conseqüência fisiológica direta de uma condição médica geral específica, geralmente crônica (p. ex., hipertireoidismo). Esta distinção fundamenta-se no histórico, nos achados laboratoriais ou no exame físico. Caso se julgue que os sintomas depressivos não sejam conseqüência fisiológica direta da condição médica geral, então o Transtorno de Humor primário é registrado no Eixo I (p. ex., Transtorno Ciclotímico) e a condição médica geral é registrada no Eixo III. Isto ocorre, por exemplo, se os sintomas de humor são considerados como conseqüência psicológica de uma condição médica geral crônica ou se não existe um relacionamento etiológico entre os sintomas de humor e a condição médica geral.

Um Transtorno do Humor Induzido por Substância é diferenciado do Transtorno Ciclotímico pelo fato de que uma substância (em especial estimulantes) está etiologicamente relacionada à perturbação do humor. As freqüentes alterações do humor sugestivas de Transtorno Ciclotímico em geral se dissipam após a cessação do uso da droga.

O Transtorno Bipolar I, Com Ciclagem Rápida, e o Transtorno Bipolar II, Com Ciclagem Rápida, podem assemelhar-se ao Transtorno Ciclotímico em virtude das freqüentes e acentuadas alterações do humor. Por definição, os estados de humor no Transtorno Ciclotímico não satisfazem todos os critérios para um Episódio Depressivo Maior, Episódio Maníaco ou Episódio Misto, ao passo que o especificador Com Ciclagem Rápida exige a presença de episódios de humor completos. Se um Episódio Depressivo Maior, Episódio Maníaco ou Episódio Misto ocorre durante o curso de um Transtorno Ciclotímico estabelecido, aplica-se o diagnóstico de Transtorno Bipolar I (para um Episódio Maníaco ou Episódio Misto) ou Transtorno Bipolar II (para um Episódio Depressivo Maior), juntamente com o diagnóstico de Transtorno Ciclotímico.

O Transtorno da Personalidade Borderline está associado com acentuadas alterações do humor, que podem sugerir um Transtorno Ciclotímico. Se os critérios são satisfeitos para cada um dos transtornos, podem ser diagnosticados tanto Transtorno da Personalidade Borderline quanto Transtorno Ciclotímico.

Critérios Diagnósticos para 301.13 Transtorno Ciclotímico

A. Pelo período mínimo de 02 anos, presença de numerosos períodos com sintomas hipomaníacos e numerosos períodos com sintomas depressivos que não satisfazem os critérios para um Episódio Depressivo Maior.

Nota: Em crianças e adolescentes duração mínima de 01 ano.

B. Durante o período de 02 anos estipulado em A (01 ano para crianças e adolescentes), o indivíduo não ficou sem os sintomas do Critério A por mais de 02 meses consecutivos.

C. Nenhum Episódio Depressivo Maior, Episódio Maníaco ou Episódio Misto esteve presente durante os 02 primeiros anos da perturbação.

Nota: Após os 02 anos iniciais (01 ano para crianças e adolescentes) do Transtorno Ciclotímico, pode haver sobreposição de Episódios Maníacos ou Mistos (sendo que neste caso Transtorno Bipolar I e Transtorno Ciclotímico podem ser diagnosticados concomitantemente) ou de Episódios Depressivos Maiores (podendo-se, neste caso, diagnosticar tanto Transtorno Bipolar II quanto Transtorno Ciclotímico.

D. Os sintomas no critério A não são mais bem explicados por Transtorno Esquizoafetivo nem estão sobrepostos a Esquizofrenia, Transtorno Esquizofreniforme, Transtorno Delirante ou Transtorno Psicótico Sem Outra Especificação.

E. Os sintomas não se devem aos efeitos fisiológicos diretos de uma substância (p. ex., droga de abuso, medicamento) ou de uma condição médica geral (p. ex., hipertireoidismo).

F. Os sintomas causam sofrimento clinicamente significativo ou prejuízo no funcionamento social ou ocupacional ou em outras áreas importantes da vida do indivíduo.

Fonte: www.psiquiatriageral.com.br

Ciclotimia

Transtorno Ciclotímico

Transtorno Ciclotímico, também conhecido como ciclotimia, é uma forma relativamente moderada de transtorno bipolar II caracteriza-se por mudanças de humor que pode parecer quase dentro da faixa normal de emoções. Essas mudanças de humor vão desde depressão leve, ou distimia, a mania de baixa intensidade, ou hipomania.

Descrição

Transtorno Ciclotímico, uma forma sintomática leve de transtorno bipolar II, envolve mudanças de humor que vão desde depressão leve a mania leve.

É possível que a ciclotimia não são diagnosticados, e para os indivíduos com o transtorno de ter consciência de que eles têm uma doença tratável.

Indivíduos com ciclotimia pode experimentar episódios de depressão de baixo nível, conhecida como distimia; períodos de intensa energia, criatividade e / ou irritabilidade, conhecida como hipomania, ou eles podem se alternar entre os dois estados de humor. Assim como outros distúrbios bipolares, ciclotimia é uma doença crônica caracterizada por mudanças de humor que podem ocorrer quantas vezes a cada dia, durante vários dias, semanas, meses, ou enquanto dois anos.

Os indivíduos com este transtorno nunca estão livres de sintomas de qualquer hipomania ou depressão leve por mais de dois meses em um momento.

O notável psiquiatra Emil Kraepelin descreveu pela primeira vez os sintomas do transtorno ciclotímico no final do século XIX.

Kraepelin descreveu quatro tipos de transtornos de perso nalidade: depressivos (sombrio); maníacos (alegre e desinibida); irritável (emocionalmente instável e explosivo), e ciclotímico.

Ele via a personalidade irritável como, simultaneamente, depressivos e maníacos, ea personalidade ciclotímico como alternância entre estados depressivos e maníacos.

Pessoas com transtorno ciclotímico diferem na proporção relativa de sintomas depressivos em relação Hipomaníacos que experimentam. Alguns indivíduos têm episódios mais frequentes de depressão, enquanto outros são mais propensos a sentir hipomania. A maioria das pessoas que procuram ajuda para o transtorno alternam entre sentimentos de depressão leve e irritabilidade intensa. Aqueles que se sentem energizados e criativa quando estão hypomanic, e quem encontrar seus períodos baixos emocionais tolerável, não procuram tratamento.

Causas

Há controvérsia se Transtorno Ciclotímico é realmente um transtorno de humor tanto em termos biológicos ou psicológicos, ou se pertence à classe de doenças conhecidas como transtornos de personalidade. Apesar dessa controvérsia, a maioria das evidências de pesquisa biológica e genética suporta a colocação de ciclotimia na categoria transtorno do humor.

Os dados genéticos fornecer um forte apoio que ciclotimia é realmente um transtorno de humor. Cerca de 30% de todos os pacientes com ciclotimia têm história familiar de transtorno bipolar I, que envolve episódios de mania full-blown, alternando com períodos de relativa estabilidade emocional. Episódios depressivos full-blown são frequentemente, mas nem sempre, uma parte da imagem em transtorno bipolar I.

Comentários dos antecedentes familiares de pacientes bipolares I mostram uma tendência de doenças que se alternam ao longo de gerações: bipolar I em uma geração, seguido por ciclotimia no próximo, seguido novamente por bipolar I na terceira geração. A prevalência geral de ciclotimia em famílias com diagnósticos bipolares do tipo I é muito maior do que nas famílias com outras perturbações mentais ou na população em geral. Tem sido relatado que cerca de um terço dos pacientes com transtorno ciclotímico subsequentemente desenvolver um transtorno de humor principal.

A maioria dos teóricos psicodinâmicos acreditam que as origens psicossociais da ciclotimia mentira nos primeiros traumas e necessidades não satisfeitas que remonta aos primeiros estágios do desenvolvimento infantil. A hipomania tem sido descrita como uma deficiência de auto-crítica e uma ausência de inibição. O paciente acredita-se utilizar a negação para evitar problemas externas e internas sentimentos de depressão. Hipomania também é acreditado para ser freqüentemente desencadeada pela perda interpessoal profundo. A falsa sensação de euforia (felicidade tonta ou intensa) que surge em tais casos serve como uma proteção contra sentimentos dolorosos de tristeza, e possivelmente até mesmo a raiva contra o ente querido perdido.

Sintomas

Os sintomas da desordem ciclotímica são idênticos aos de distúrbio bipolar I, com excepção de que são geralmente menos severas. É possível, no entanto, para os sintomas de ciclotimia ser tão intensa como os da bipolar de tipo I, mas com uma duração mais curta. Cerca de metade de todos os pacientes com transtorno ciclotímico ter depressão como seu principal sintoma. Estas pessoas são mais propensos a procurar ajuda para seus sintomas, especialmente durante seus episódios depressivos. Outros pacientes com transtorno ciclotímico sintomas principalmente hipomania. Eles são menos propensos a procurar ajuda do que aqueles que sofrem principalmente de depressão. Quase todos os pacientes com transtorno ciclotímico ter períodos de sintomas mistos (depressão e hipomania em conjunto) durante os quais eles são altamente irritáveis.

Transtorno Ciclotímico podem causar perturbações em todas as áreas da vida da pessoa. Muitos indivíduos com esse distúrbio não são capazes de ter sucesso em sua vida profissional ou pessoal, como resultado de seus sintomas. A poucos que sofrem principalmente de hipomania são grandes empreendedores que trabalham longas horas e necessitam de pouco sono. A capacidade do indivíduo para controlar os sintomas da doença depende de vários fatores de ordem pessoal, social e cultural.

A vida da maioria das pessoas que sofrem de transtorno ciclotímico são difíceis. Os ciclos da doença tende a ser muito mais curto do que no transtorno bipolar I.

Em ciclotímica, alterações de humor são irregulares e abrupta, e pode ocorrer em horas. Embora existam ocasionais períodos de humor normal, a imprevisibilidade dos sentimentos do paciente e comportamento gera grande estresse para ele ou ela e para quem deve viver ou trabalhar com o paciente. Os pacientes muitas vezes sentem que seus humores estão fora de controle. Durante os períodos mistos, quando eles são altamente irritáveis, que podem envolver-se em argumentos não provocados com a família, amigos e colegas de trabalho, causando estresse para todos ao seu redor.

É comum que pacientes com Transtorno Ciclotímico a abusar do álcool e / ou outras drogas como um meio de auto-medicação. Estima-se que cerca de 5-10% de todos os pacientes com transtorno ciclotímico sofre também de dependência de substâncias.

Demografia

Os doentes com transtorno ciclotímico são estimadas para constituir de 3-10% de todos os pacientes não hospitalizados psiquiátricas. Eles podem ser particularmente bem representados entre aqueles com queixas de dificuldades interpessoais e conjugais. Na população em geral, a oportunidade única de desenvolver o transtorno ciclotímico é de cerca de 1%. A percentagem efetiva da população geral com ciclotimia é provavelmente um pouco mais elevada, no entanto, como muitos pacientes pode não estar ciente de que eles têm uma doença tratável.

Transtorno Ciclotímico freqüentemente coexiste com transtorno de personalidade borderline , que é uma doença grave ao longo da vida caracterizada pela instabilidade emocional e problemas de relacionamento. Estima-se que 10% dos pacientes ambulatoriais e 20% dos pacientes com transtorno de personalidade borderline têm uma convivência diagnóstico de transtorno ciclotímico. A relação da mulher para o homem em desordem cyclothymic é aproximadamente 3:2.

Estima-se que 50% -75% de todos os pacientes desenvolvem a desordem entre as idades de 15 e 25.

Diagnóstico

O diagnóstico de Transtorno Ciclotímico é feito geralmente quando uma pessoa com o distúrbio é suficientemente incomodado pelos sintomas e suas conseqüências para procurar ajuda. Embora não existam exames laboratoriais ou exames de imagem que podem detectar a doença a partir de 2002, o médico irá dar ao paciente um exame físico geral para excluir condições médicas gerais que são frequentemente associados com humor deprimido. O médico também terá uma história médica e psiquiátrica detalhada. Se a história do paciente ou outros aspectos de seu comportamento durante a entrevista sugerir o diagnóstico de transtorno ciclotímico, o médico pode acompanhar a entrevista com o paciente, conversar com os amigos ou familiares para confirmar o diagnóstico.

O manual utilizado por profissionais de saúde mental para diagnosticar doenças mentais é chamado o Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais, 4 ª edição, revisão de texto, também conhecido como o DSM-IV-TR. Este manual especifica seis critérios que devem ser atendidos para um diagnóstico de transtorno ciclotímico.

Estes incluem:

Inúmeros episódios de hipomania e depressão que não são graves o suficiente para ser considerado depressão maior. Estes episódios deve ter durado pelo menos dois anos.

Durante o mesmo período de dois anos (um ano para crianças e adolescentes), o indivíduo não foi livre de qualquer hipomania ou depressão leve por mais de dois meses em um momento.

No depressão, mania ou mistos (depressão e mania juntos) condição esteve presente durante os dois primeiros anos da doença.

O indivíduo não tem um transtorno de pensamento, tais como esquizofrenia ou outra condição psicótica.

Os sintomas não são devidos aos efeitos diretos do uso da substância (como uma droga de abuso ou um medicamento prescrito) ou de uma condição médica.

Os sintomas causam prejuízo significativo no funcionamento social, ocupacional, a família do paciente, ou outras áreas importantes de funcionamento vida.

Tratamentos

A terapia biológica

A medicação é um componente importante do tratamento para o transtorno ciclotímico. Uma classe de drogas conhecidas como medicamentos antimaníacas é geralmente a primeira linha de tratamento para estes pacientes. Drogas tais como lítio, carbamazepina (Tegretol), e valproato de sódio (Depakene), têm sido relatados para ser eficaz. Enquanto medicamentos antidepressivos podem ser prescritos, eles devem ser usados com cautela, pois esses pacientes são altamente suscetíveis a episódios de mania ou hipomania full-blown induzidos por antidepressivos. Estima-se que 40-50% de todos os pacientes com transtorno ciclotímico que são tratados com antidepressivos experimentar tais episódios.

Terapia psicossocial

Psicoterapia com indivíduos diagnosticados com transtorno ciclotímico é mais direcionada para aumentar a consciência do paciente de sua condição e ajudar a desenvolver estratégias eficazes para o humor. Muitas vezes, é necessário um trabalho considerável para melhorar as relações do paciente com familiares e colegas de trabalho por causa de danos causados a essas relações durante os episódios de hipomania. Por causa transtorno ciclotímico é uma condição ao longo da vida, a psicoterapia também é um compromisso de longo prazo. Trabalhar com famílias de pacientes ciclotímicos pode ajudá-los a ajustar de forma mais eficaz a mudanças de humor dos pacientes também.

Prognóstico

Enquanto alguns pacientes mais tarde diagnosticadas com transtorno ciclotímico foram considerados sensíveis, hiperativo, ou mal-humorado quando crianças, o início do transtorno ciclotímico geralmente ocorre gradualmente durante a adolescência do paciente ou início dos anos 20. Muitas vezes, o desempenho escolar se torna um problema, juntamente com dificuldade de estabelecer relacionamentos com seus pares. Aproximadamente um terço de todos os pacientes com transtorno ciclotímico desenvolver um transtorno de humor maior durante a sua vida, geralmente transtorno bipolar II.

Prevenção

Transtorno Ciclotímico parece ter um forte componente genético. É muito mais comum entre os parentes biológicos em primeiro grau de pessoas com transtorno bipolar I do que entre a população em geral. Neste momento, não há conhecidas medidas preventivas eficazes que podem reduzir o risco de desenvolvimento de transtorno ciclotímico. O aconselhamento genético, o que ajuda um casal a compreender o risco de gerar uma criança com a doença, pode ser de alguma ajuda.

Fonte: www.minddisorders.com

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal