Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Ciências Sociais  Voltar

Ciências Sociais

Pensar a Sociedade e o Homem

Analisar a sociedade e ter compromisso com as soluções dos problemas de ordem social, além do gosto pela leitura. Estes são os principais requisitos exigidos ao estudante de Ciências Sociais. Quem se matricula neste curso, ofertado nas modalidades de bacharelado e bacharelado e licenciatura, deve ter interesse em estudar os processos sociais, políticos e culturais desde os ocorridos em sociedades pré-letradas até os da atualidade.

Também é necessária uma boa dose de curiosidade intelectual, gosto pelo raciocínio abstrato e, principalmente, facilidade para articular conceitos com situações concretas da realidade, capacidade em expor, por escrito e em forma oral, suas idéias a partir do estudado em sala de aulas e leituras complementares. ”O aluno precisa ter uma postura crítica em relação à realidade política e cultural que o cerca e, ao mesmo tempo, curiosidade intelectual para analisar os fenômenos e produzir os trabalhos de uma perspectiva científica”, diz o coordenador Sérgio Soares Braga.

Implantado na UFPR em 1938, o curso de Ciências Sociais é baseado em três áreas principais: a Sociologia, a Antropologia Social e a Ciência Política. De acordo com o coordenador, o perfil do cientista social é o de um especialista na temática social, antropológica e política. A carreira de sociólogo interessa àqueles que têm interesse na pesquisa científica das realidades sociais, culturais e institucionais dentro de uma perspectiva crítica. “O papel do cientista social tem sido extremamente importante na análise da sociedade brasileira, um dos mais interessantes laboratórios sociais do mundo, com sua diversidade, dilemas e contradições”, explica o coordenador. Além dos três eixos, o currículo oferece um conjunto de disciplinas humanísticas – filosofia, história, economia – bem como um conjunto de disciplinas metodológicas.

O bacharelado forma o profissional que poderá atuar como pesquisador em empresas especializadas, órgãos públicos e organizações não governamentais. Pode também trabalhar com consultoria em um dos eixos de conhecimento, bem como atuar na área de gestão de políticas públicas. Para o aluno que optar pela licenciatura e bacharelado, além do trabalho monográfico, deverá cumprir disciplinas pedagógicas, que o habitará ao magistério no ensino médio.

O trabalho do profissional em ciências sociais exige curiosidade intelectual sobre os fenômenos que ocorrem na sociedade, podendo escolher desde os estudos voltados às culturas, os grupos humanos em geral e às relações de poder. Tanto pode estudar grupos indígenas, acompanhando o seu dia-a-dia, passar por trabalhos sobre práticas religiosas, estudar séries estatísticas sobre o mercado de trabalho no Brasil, analisar grupos políticos, sindicais ou partidários, bem como os mais recentes fenômenos da mídia, os comportamentos de grupos juvenis, as questões de gênero, assim como as relações entre os grupos sociais e o meio ambiente, por exemplo.Para uma melhor formação, é importante o conhecimento de inglês e, se possível, mais uma outra língua, ter noções de informática e acompanhar os eventos científicos da área.

MERCADO DE TRABALHO

O campo de atuação para o cientista social oferece diversas perspectivas para profissionais bem preparados, com criatividade e talento. Desde as áreas clássicas de ensino e pesquisa até o terceiro setor ONGs – Organizações Não Governamentais, organizações internacionais, passando pelo Estado, pelas pesquisas de opiniões, pelas empresas em setores aplicados nos segmentos de recursos humanos, de pesquisa social e nas partes que demandam o conhecimento de realidades sociais, antropológicas e políticas. Esse trabalho pode ser feito na forma de contrato formal de trabalho ou de consultoria independente. É comum ser exigido o curso de mestrado.

As áreas de atuação do sociológo são tão diversas como a sua formação. Em campanhas eleitorais, o conhecimento do cientista social é valioso. Outra área de atuação está na assessoria a grandes movimentos sociais ou a pequenas comunidades religiosas, por exemplo. Já o mercado de trabalho para professores de Sociologia no Ensino Médio tem sido ampliado nos últimos anos.

“Cada vez mais está se buscando um profissional que saiba gerenciar conflitos e se colocar em relação ao que ocorre no mundo globalizado”, conclui o coordenador. Embora o potencial do mercado de trabalho seja grande, a profissão ainda é confundida com outras, devendo os alunos do curso buscar se inserir nas discussões para tornar obrigatória a disciplina no ensino médio, bem como atuar em sintonia com o Sindicato de Sociólogos para a abertura de novas vagas em empresas públicas e privadas. Quem faz o curso de Ciências Sociais pode pedir o registro junto à Delegacia Regional do Trabalho como Sociólogo, o que o habilitará a disputar este cargo em concursos.

Duração

4 anos

Fonte: www.ufpr.br

Ciências Sociais

Herbert de Souza, o Betinho, foi um exemplo de sociólogo que não se limitou à teoria. Ele ficou conhecido por sua atividade política na década de 60, o que lhe valeu anos de exílio, e pela organização de campanhas nacionais contra a fome. Até morrer, em 1997, atuou no Instituto Brasileiro de Análise Social e Econômica (Ibase), tendo deixado trabalhos sociais que continuam envolvendo centenas de brasileiros.

Na regra, porém, a pesquisa científica é a base do trabalho do cientista social, que atua em três linhas de frente: na Sociologia, na Antropologia e na Ciência Política. Tais áreas são independentes, porém interligadas, na medida em que compartilham o estudo de vários tipos de sociedades e de culturas em diversas épocas da história da humanidade. O sociólogo se aprofunda nas condições sociais, econômicas, políticas, culturais e religiosas, procurando conhecer as relações que se estabelecem entre grupos e instituições. Suas teorias ajudam a compreender melhor a sociedade em que vivemos e fornecem elementos para a ação prática, que pode levar a mudanças sociais e ao engajamento em movimentos políticos.

O antropólogo trata das relações sociais entre grupos humanos, estudando suas origens e a forma de organização nas sociedades em que vivem. Muitas vezes, esse profissional dedica-se à produção acadêmica. É o caso de um dos nossos mais conhecidos antropólogos, Darcy Ribeiro. Além de ter se engajado em política partidária, ele trabalhou no Serviço de Proteção ao Índio e se dedicou a pesquisas de campo, passando longas temporadas em aldeias indígenas. Essas experiências lhe forneceram subsídios para estudos que renderam muitos livros sobre antropologia, indigenismo e Educação. Outros antropólogos dedicados ao estudo de povos indígenas conseguiram estabelecer as diferenças culturais entre eles apenas analisando a produção artesanal - máscaras, instrumentos musicais, arte plumária, redes e esteiras.

O cientista político acompanha de perto movimentos populares e associações de classe, voltando-se também para questões do poder no âmbito da sociedade. Sob essa ótica, estuda instituições - o Poder Legislativo, por exemplo -, observa o comportamento político de partidos e atua junto à opinião pública, organizando movimentos na defesa de idéias. O cientista político Paulo Sérgio Pinheiro, membro do Núcleo de Estudos da Violência, ilustra bem essa atuação: ele promove debates sobre direitos humanos e estuda os obstáculos que impedem a implementação do estado de direito no Brasil.

Tratam-se, portanto, de três carreiras independentes, com um núcleo comum de disciplinas na parte básica do curso. A formação brasileira em Ciências Sociais é boa, segundo Maria da Glória Bonelli, do Departamento de Ciências Sociais do Centro de Educação e Ciências Humanas, na Universidade Federal de São Carlos, São Paulo. "Apesar de ter havido uma proliferação de cursos de baixa qualidade, problema que o governo agora tenta fiscalizar com mais empenho. A formação brasileira é até melhor do que a americana porque aqui os alunos saem da graduação com uma profissão, enquanto nos Estados Unidos isso só acontece efetivamente com a conclusão da pós-graduação", conta Maria da Glória.

O Serviço de Estatística do MEC contabiliza, hoje, 36 mil cientistas sociais no Brasil, nem todos no mercado de trabalho. "Muitos buscam apenas o diploma e sequer procuram emprego na área", acredita Maria da Glória, para quem os regimes democráticos representam terreno fértil para esses profissionais porque favorecem as discussões de questões da política, da cidadania, da desigualdade social, da violência, das organizações populares e sociais. Ela explica, ainda, que o mercado de trabalho se expande em torno do conhecimento acumulado sobre o conflito social, (como lidar com o conflito trabalhista nas indústrias, o conflito dos professores e servidores com o governo), sobre as relações entre os grupos sociais e as relações dentro de cada um deles (juventude e violência, violência nas escolas ) etc. Hoje há uma expansão de temas como o meio-ambiente, a mídia, o comportamento eleitoral, a violência, a cidadania, as ONGs.

O campo de trabalho é diversificado. O cientista social pode dar aulas nos cursos superiores ou da ensino Médio; trabalhar com pesquisa de mercado, mídia e opinião; prestar assessoria a órgãos governamentais em pesquisas sociais, planejamento urbano, meio-ambiente, violência, desigualdade social, política científica etc.; prestar assessoria voltada para a intervenção social (sindicatos, trabalhadores rurais, ONG's); assessoria a partidos, a políticos e a empresas, principalmente na parte de desenvolvimento social, relações de trabalho e mediação de conflitos. Existe competição com outras profissões. A formação mais ampla das Ciências Sociais é um fator positivo, mas se não for acoplada ao conhecimento de metodologias e técnicas específicas, esse profissional pode perder um posto de trabalho para um estatístico ou outro especialista que não tem visão geral mas domina a técnica.

Duração média do curso

Quatro anos

A profissão

O cientista social estuda os fenômenos sociais, como as migrações ou as eleições, suas origens e conseqüências. Pesquisa e analisa costumes e hábitos de sociedades, verifica as relações entre os indivíduos, famílias e outros grupos e as reações a fatos, momentos, produtos e comportamentos. Para isso, analisa e interpreta pesquisas de opinião. Também pode ajudar no planejamento e na assessoria de organizações que atuam nas áreas de saúde, educação, habitação, ambiente e recursos humanos, por exemplo, e dar aulas no ensino fundamental, médio e superior.

Características que ajudam na profissão

Facilidade para lidar com números e estatísticas, capacidade de associar idéias e de interpretar dados de uma pesquisa, objetividade, atenção para detalhes, organização, espírito investigativo, habilidade de lidar com o público.

Fonte: www1.uol.com.br

Ciências Sociais

Objetivos do Curso

Formar cientistas sociais críticos e profissionais capacitados para participar do processo de transformação da sociedade, atuando como pesquisadores e planejadores sociais, como docentes de ensino médio e superior, e em assessoria a grupos sociais organizados, sindicatos e partidos políticos.

Duração

Mínima de 06 e máxima de 14 semestres

Titulação

Licenciado em Ciências Sociais; Bacharel em Ciências Sociais

O que faz o Profissional

Como licenciado, habilita-se a lecionar as disciplinas da área de Estudos Sociais no 1o Grau e Sociologia, Elementos de Economia e Geografia Humana, no 2o Grau.

Como bacharel, habilita-se a atuar nos vários campos que dizem respeito a projetos, pesquisas e planejamentos sociais, além da docência no magistério superior.

Como sociólogo, antropólogo ou cientista político, participa de centros de pesquisa - IBGE, SINEP, CPDOC, IBAM e outros - como formulador e coordenador de projetos.

Atua, ainda, nas áreas básicas, ditas sociais, integrando equipes, em geral multidisciplinares, para planejamento, formulação e execução de projetos nos setores de saúde, educação, promoção social; nas áreas referentes à política indígena; e nas áreas de treinamento de recursos humanos, em nível empresarial público e/ou privado.

Presta assessoria ou consultoria a sindicatos, partidos políticos e movimentos populares em geral.

Onde Atua

Em órgãos federais, estaduais e municipais; sindicatos, partidos políticos e movimentos populares em geral; instituições de pesquisas humanas e sociais; magistério; ONGs.

Fonte: www.coseac.uff.br

Ciências Sociais

É o estudo das origens, do desenvolvimento, da organização e do funcionamento das sociedades e culturas humanas. O cientista social estuda os fenômenos, as estruturas e as relações que caracterizam as organizações sociais e culturais. Ele analisa os movimentos e os conflitos populacionais, a construção de identidades e a formação das opiniões. Pesquisa costumes e hábitos e investiga as relações entre indivíduos, famílias, grupos e instituições. Desenvolve e utiliza um conjunto variado de técnicas e métodos de pesquisa para o estudo das coletividades humanas e interpreta os problemas da sociedade, da política e da cultura. Pode atuar nas áreas de ensino, pesquisa e planejamento, além de dar consultoria e assessoria a ONGs, empresas privadas e públicas, partidos políticos e associações profissionais, entre outras entidades.

O mercado de trabalho

A proliferação de fundações nos setores público e privado – assim como a diversificação da economia, a modernização da sociedade e a urbanização – cria oportunidades de emprego em todo o país. O formado costuma atuar em projetos de educação, saúde, transporte transporte, meio ambiente e, principalmente, em iniciativas de desenvolvimento sustentável. Para os sociólogos, a área de ensino é a que oferece mais oportunidades, especialmente por causa da obrigatoriedade da disciplina sociologia no ensino médio. Mas, para isso, é preciso fazer um ano de licenciatura. Em segundo lugar fica o setor de pesquisa social, realizada por agências como o Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (Cebrap), e, em terceiro, a de pesquisa de opinião, que abriga institutos de pesquisas, como Ibope e Datafolha. O segmento de assessoria sindical também requisita o bacharel, que concorre com advogados para prestar assessoria política e pesquisar perfis profissionais. Cresce ainda a demanda pelo cientista social na área de planejamento e desenvolvimento urbano, na qual ele elabora diagnósticos socioeconômicos. Centros populares de lazer como o Sesc e o Sesi são os grandes empregadores para pesquisas sobre lazer, turismo e atividades com os usuários. Tem crescido o mercado para os antropólogos. Hoje eles também atuam nas cidades e não apenas nas áreas rurais, com comunidades indígenas, por exemplo. Nas capitais, trabalham como consultores sobre comunidades rurais e no estudo de grupos e tribos urbanas. Já o cientista político consegue colocação em centros de pesquisa e em assessorias governamentais e de relações internacionais. Para os interessados na área acadêmica, há oportunidades nas universidades, mas para lecionar no ensino superior é necessário fazer pós-graduação.

O curso

O curso exige grande carga de leitura e acompanhamento constante das questões sociais, culturais e políticas. Sua matriz curricular é estruturada tendo como eixo principal três grandes áreas: sociologia, antropologia e ciência política. O grupo de disciplinas obrigatórias é composto por história, geografia, economia, psicologia, filosofia e metodologia científica. Há, ainda, aulas práticas, que incluem pesquisa de campo e coleta, análise e interpretação de dados empíricos. Algumas escolas oferecem programas de iniciação científica e exigem a elaboração de uma monografia no fim do curso. Existem também as que têm graduação específica numa das habilitações de Ciências Sociais, como sociologia, ciência política ou antropologia. Há uma tendência de o bacharelado e a licenciatura serem ofertados de forma conjunta.

Duração média

Quatro anos.

O que você pode fazer

Antropologia

Estudar a origem e a evolução do homem e das culturas.

Investigar os diversos grupos sociais, culturais ou étnicos e as transformações ocorridas por causa do contato com outros grupos.

Ciência política

Analisar os sistemas, as instituições e os partidos políticos de um país e as relações entre as nações.

Auxiliar na definição de políticas públicas e assessorar parlamentares e membros do Executivo.

Sociologia

Investigar as relações, as estruturas e a dinâmica das sociedades modernas, analisando os processos históricos de transformação das organizações sociais.

Pesquisa de opinião

Coletar e analisar dados sobre diferentes acontecimentos ou ocasiões para identificar o comportamento e a reação de grupos sociais em relação a eles.

Fonte: guiadoestudante.abril.com.br

Ciências Sociais

Descrição

As Ciências Sociais reúnem em três áreas os conhecimentos científicos e técnicos voltados para o entendimento e a compreensão da sociedade em todos os aspectos. As áreas que a compõe são: Antropologia, Ciências Políticas e Sociologia. Cada especialização se dedica a uma área. O Cientista Político atua na investigação da teoria e prática de instituições e sistemas políticos . Já o Antropólogo se dedica ao estudo dos grupos humanos e suas relações sociais, a origem e a evolução de espécie humana. E o Sociólogo trabalha na elaboração de pesquisas para compreender grupos sociais, instituições ou a sociedade como um todo.

Currículo Básico

História Econômica, Política e Social – Geral e do Brasil, Metodologia e Técnica de Pesquisa, Geografia Humana e Econômica e Estatística.

Aptidões Desejáveis

Como é uma carreira voltada para pesquisa e estudos o Cientista social deverá ter capacidade para interpretar dados, ser objetivo, capacidade de concentração, exatidão, ser meticuloso e gostar de ler.

Especializações possíveis

Antropologia, Ciência Política e Sociologia.

Campos de Atuação

Órgão Públicos, Institutos de Pesquisa, Universidades.

Fonte: www.guiadasprofissoes.com.br

Ciências Sociais

Perfil do curso

Formar pesquisadores e professores em sociologia, antropologia e ciência política.

Perfil do profissional

Interesse em conhecer e discutir diversas culturas, aptidão para a leitura, curiosidade intelectual, gosto pelo raciocínio abstrato. Deve estudar, explicar e interpretar os fenômenos sociais, culturais e políticos observados nas sociedades humanas.

Área de Atuação

Como pesquisador pode trabalhar em universidades, instituições de pesquisa e organizações não-governamentais. Pode também atuar como técnico junto a empresas e órgãos de planejamento social. Além disso, pode lecionar em instituições de ensino superior e escolas de ensino fundamental e médio.

Fonte: www.uerj.br

Ciências Sociais

O QUE FAZ

Estuda as origens, evolução, estrutura, funcionamento e relações internas e externas dos diferentes grupos humanos. Verifica tanto as relações entre o indivíduo e o meio que o cerca quanto entre os diferentes grupos da sociedade. Suas atividades incluem, ainda, pesquisas de comportamento e de opinião pública e a análise e interpretação dos seus resultados.

CAMPO DE TRABALHO

Antropologia

Estudar as origens e a evolução do homem tomando por base suas características biológicas e culturais. É uma atividade que engloba pesquisas de campo para levantamento de dados sobre as populações estudadas.

Ciência Política

Pesquisa e análise das instituições e sistemas políticos, partidos e das relações internacionais.

Sociologia

Estudo das relações entre os membros de uma determinada comunidade. O sociólogo visa encontrar explicações para os fenômenos e as mudanças na sociedade.

Ensino

Lecionar em escolas de primeiro e segundo graus.

REGULAMENTAÇÃO

Decreto 89531 de 05/04/1984. Para exercer a profissão, é necessário registro no Ministério do Trabalho.

DURAÇÃO

4 anos, com a apresentação obrigatória de uma monografia para conclusão do curso.

CONTEÚDO

Gostar de ler é uma das principais características do aluno do curso de Ciências Sociais. A maior parte das aulas é dedicada à leitura e análise de livros, documentos oficiais, registros históricos e textos de imprensa. O currículo inclui disciplinas como História, Geografia, Economia, Psicologia, Filosofia e Estatística. O aluno pode optar pelas habilitações em Antropologia, Ciência Política ou Sociologia.

TITULAÇÃO

Bacharel em Ciências Sociais ou Cientista Social.

Fonte: www.10emtudo.com.br

Ciências Sociais

Cientista Social

"Individuo que estuda a Ciência que se ocupa dos assuntos sociais e políticos, especialmente da origem e desenvolvimento das sociedades humanas em geral e de cada uma em particular"

O que é ser cientista social?

Cientistas sociais são profissionais que analisam hábitos, costumes, características religiosas, relações familiares, organização institucional e econômica de diversos grupos sociais, com base em pesquisas e observações. Pesquisam fenômenos como migrações, conflitos sociais e movimentos políticos. Tais conhecimentos podem ser aplicados na solução de problemas nas áreas de educação, saúde, violência urbana, entre outros. A pesquisa científica é a base do trabalho do cientista social, este profissional pode atuar em três linhas: na Sociologia, na Antropologia e na Ciência Política. Tais áreas da ciência são diferentes, porém estão interligadas, pois estudam vários tipos de sociedades e de culturas em diversas épocas da história da humanidade.

Quais as características necessárias para ser cientista social?

Como é uma carreira voltada para pesquisa e estudos o Cientista social deverá ter capacidade para interpretar dados, ser objetivo, capacidade de concentração, exatidão, ser meticuloso e gostar de ler.

Características desejáveis:

capacidade de análise
capacidade de comunicação
capacidade de observação
curiosidade
espírito de investigação
facilidade de expressão
gosto pela pesquisa e pelos estudos
gosto pelo debate
habilidade para escrever
interesse pela leitura
interesse por temas da atualidade
raciocínio abstrato desenvolvido
raciocínio lógico desenvolvido

Qual a formação necessária para ser cientista social?

Um cientista social precisa obter o diploma de graduação no curso de ciências sociais. Muitas universidades e institutos de pesquisa exigem também diplomas de pós-graduação. Além disso, o cientista social deve procurar estar sempre atualizado, lendo jornais e revistas de interesse geral ou especializado, procurando novas obras lançadas em sua área ou freqüentando seminários e congressos.

Principais atividades de um cientista social

Estes profissionais podem trabalhar em diversas funções como pesquisadores, professores universitários, críticos e em assessoria a empresas e projetos de urbanização.

Além de muita leitura e da redação de artigos e estudos, eles podem vir a exercer atividades como:

realizar estudos em institutos e universidades e publicá-los em revistas especializadas

orientar alunos em suas teses de pós-graduação

escrever artigos sobre arte, cultura, política e economia para jornais e revistas

dar aulas em escolas de ensino médio e em faculdades de ciências sociais ou de psicologia, educação, história, comunicação social, entre outras

elaborar análises sociais para órgãos públicos, empresas privadas, sindicatos, partidos políticos e organizações não-governamentais

elaborar projetos de planejamento urbano e de desenvolvimento para uma região

realizar pesquisas de mercado para empresas de pesquisa e agências publicitárias

prestar consultoria para políticos, com base em entrevistas com eleitores

Áreas de atuação e especialidades

Podem especializar-se em três áreas:

Antropologia

Estuda as diferentes sociedades sob o aspecto cultural e do comportamento humano: estrutura familiar, religião, língua, folclore, costumes e manifestações artísticas.

Sociologia

Analisa as relações sociais entre os indivíduos. Investiga origem, desenvolvimento e funcionamento das instituições.

Ciência política

Pesquisa a sociedade do ponto de vista do poder político. Trabalham com questões ligadas à opinião pública, ideologias e legislações. Estudam a origem e o funcionamento dos sistemas de governo, das instituições e dos partidos políticos.

Além disso, o cientista social pode atuar como docente, ministrando aulas de Ciências Sociais no ensino fundamental, médio e universitário.
Mercado de trabalho

O mercado de trabalho para cientistas sociais é competitivo tanto no setor público como no privado. Nas décadas de 1960 e 1970, essa carreira era das mais procuradas nas universidades, o que já não ocorre hoje. Nos últimos anos, o setor público vem oferecendo algumas vagas aos novos profissionais geralmente com contrato temporário. Houve expansão do campo de trabalho no magistério, pois foi aprovado no Congresso Nacional um projeto de lei que torna obrigatório o aprendizado de sociologia no ensino médio. O mercado editorial é uma opção. Há expectativa de expansão de publicações - jornais e revistas - e a demanda por trabalho de cientistas sociais na área pode aumentar. Também na área de assessoria e planejamento estão crescendo as oportunidades no setor de pesquisa de opinião pública. As empresas privadas também estão começando a contratar profissionais da área para atuar nos departamentos de marketing e recursos humanos. Em épocas de eleição surgem boas chances de trabalho na área de consultoria para partidos políticos.

Curiosidades

Como ciência, a sociologia surgiu no século XIX e tem contribuído em todas as áreas de ciências sociais, em busca das respostas às inquietações da humanidade.

Augusto Comte, Émile Durkheim, Karl Marx e Max Weber são exemplos de pioneiros na sociologia.

No Brasil, a história do ensino da sociologia foi atribulada, principalmente durante a ditadura militar, com propostas de inclusão e posterior exclusão da matéria no currículo escolar.

Em 1933 foi fundado o primeiro curso de sociologia no Brasil, na Escola Livre de Sociologia e Política de São Paulo, e em 1934 foi criada a Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da USP.

Hoje, no Brasil, são quase 40 mil profissionais, sendo 10 mil registrados no Ministério de Trabalho.

Fonte: www.brasilprofissoes.com.br

Ciências Sociais

A Profissão de Ciências Sociais

O Profissional Cientista Social pode optar por 3 áreas para sua especialização, estas que anbrangem o entendimento da sociedade, compreendendo as características que a fundamenta.

Temos a Antropologia como estudo do homem, as Ciências Políticas para estudo dos sistemas políticos e a Sociologia para o entendimento da sociedade. São estas as bases do Curso de Ciências Sociais.

Grade Básica do Curso de Ciências Sociais

História do Brasil
Metodologia e Técnicas de Pesquisa
Geografia Humana
Estatística
Sociologia
Filosofia
Ciência Política
Psicologia
Antropologia

Pontos Positivos da Profissão de Ciências Sociais

Há um crescente aumento das oportunidades de emprego para o profissional da área de Ciências sociais, sobretudo no ramo de projetos na educação, saúde, transporte e na popularização das iniciativas de desenvolvimento sustentável.

Pontos Negativos da Profissão de Ciências Sociais

Apesar da grande área de atuação desta profissão, e consequentemente sua abrangência, o profissional ainda enfrenta certas dificuldades no amadurecimento de sua carreira. É aconselhável cursos de especialização para obter crescimento e reconhecimento profissional.

Fonte: www.guiadacarreira.com.br

Ciências Sociais

O PROFISSIONAL

Esse cientista estuda e explica fenômenos sociais, como as migrações, os movimentos culturais, as organizações políticas, etc.

Ele estuda e pesquisa a origem, a evolução, as mudanças e a influência que certos fenômenos exercem sobre uma sociedade. Um exemplo, o estudo sobre as mudanças culturais que os italianos provocaram no Brasil.

Ele observa, analisa e interpreta costumes e hábitos sociais. Verifica a relação entre o ambiente, o indivíduo e os diferentes grupos sociais.

O MERCADO DE TRABALHO

“O nosso mercado de trabalho é pequeno, restrito ao ensino e a pesquisa. A grande vantagem é que o curso oferece uma formação ampla ao estudante, isso permite que o sociólogo aumente o seu leque de opções profissionais.

Hoje, o sociólogo está presente em órgãos de comunicação, partidos políticos, empresas de recursos humanos e, mais recentemente, em Organizações não Governamentais, desenvolvendo pesquisas como grupos indígenas, meninos de rua, etc.”

Prof. Júlio Simões
Escola de Sociologia e Política de São Paulo

A profissão é regulamentada pela Declaração 89531, de 04/04/1984. Os profissionais são representados pela Associação de Sociólogos do Estado de São Paulo.

O CURSO

O estudante desse curso precisa ter preocupação constante com os problemas contemporâneos. Precisa ler muito, ler tudo, desde documentos oficiais, artigos de jornais e revistas, livros especializados na área ou não. Só muita leitura é que desenvolve a capacidade de interpretação da realidade.

O curso tem a duração de quatro anos. Entre as disciplinas do currículo: estatística, antropologia, geografia humana e econômica, história política e social, economia, metodologia, técnica de pesquisa, sociologia.

Fonte: educaterra.terra.com.br

Ciências Sociais

Estuda as origens, evolução, estrutura, funcionamento e as relações internas e externas das sociedades humanas.

O Sociólogo

Investiga as origens e a evolução do homem, com base nas mudanças ocorridas em suas características físicas, culturais, sociais e condições de vida.

Estuda e desenvolve pesquisas de campo colhendo dados sobre uma determinada população (Antropologia).

Pesquisa e analisa os sistemas políticos de um povo ou comunidade. Estuda formas de governo, instituições e partidos políticos (Ciência Política).

Estuda e analisa as relações sociais entre os indivíduos que vivem em uma mesma comunidade. Procura causas para os fenômenos e as mudanças de segmentos da população. Investiga a interação entre o homem e seu meio cultual (Sociologia).

Participa com outros profissionais especialistas de pesquisas de comportamento e de opinião pública, analisando e interpretando dados para identificar hábitos e costumes de grupos sociais.

Pode assessorar candidatos e partidos político, atividade que fica bastante aquecida em anos eleitorais (Marketing Político).

Onde Pode Trabalhar

Magistério — ensino de 1.º e 2.º graus — em disciplinas como OSPB, Historia, Geografia e Sociologia; — ensino superior (3.º grau).

Atividades de assessoria e consultoria técnico-científicas.

Atividades de pesquisa e planejamento social, tanto em órgãos públicos — ministérios e secretarias de estado, institutos de pesquisa como privados (institutos de pesquisa, ou em áreas como publicidade e marketing).

Em indústrias — desde a área de pesquisa de mercado, Relações de Produção até a área de Recursos Humanos.

O Curso

Forma dois tipos de profissionais : o Bacharel em Ciências Sociais — Sociólogo, que poderá também, se especializar em Antropologia ou Ciência Política — e o Licenciado em Ciências Sociais, que pode atuar somente como Professor de 1.º e 2.º graus.

O eixo central do curso abrange disciplinas de Sociologia, Antropologia, Política e Metodologia de Pesquisa, com formação adicional em História, Filosofia e Economia, Completam ainda o currículo matérias de Estatística e Geografia.

Para habilitação em Licenciatura, o aluno deverá cursar disciplinas Pedagógicas como Didática e Prática de Ensino, Funcionamento do Ensino de 1.º e 2.º grau e outras.

DURAÇÃO

04 anos

Fonte: www.cfh.ufsc.br

Ciências Sociais

Sobre a profissão

Ser um cientista social é antes de tudo ter um estilo de vida devotado ao conhecimento, a relativização e a crítica do que é próprio às sociedades. As pesquisas desenvolvidas pelos cientistas sociais motivam a curiosidade pela vida social, a paixão pelos saberes que formam as sociabilidades e um estilo crítico na observação dos mecanismos culturais e políticos.

A moderna perspectiva do cientista social, como analista da temática social e política, está vinculada à unidade das concepções teóricas desenvolvidas e aperfeiçoadas através de pesquisas empíricas, visando o avanço da compreensão científica da sociedade e dos seus elementos formadores.

O cientista social reflete sobre as causas sociais da violência urbana, analisa as relações entre o empresariado e o poder do Estado. Esse profissional também versa sobre os movimentos sociais rurais e populares, tecendo considerações sobre a relação do desenvolvimento social com o meio-ambiente e a moderna urbanização.

Tipos de Curso

a) Nível Superior

Bacharelado

Duração de 4 anos, sendo que algumas instituições exigem a apresentação de uma monografia de conclusão do curso. Os currículos dos cursos de bacharelado são constituídos por disciplinas básicas até o segundo ano como antropologia, sociologia e ciência política, história, geografia, filosofia, economia e psicologia. No terceiro ano o aluno deve optar por uma das três principais áreas de concentração e escolher as matérias optativas que vai cursar. Algumas escolas, porém, oferecem habilitações específicas para algumas áreas como Sociologia ou Ciência Política que são escolhidas ainda na fase do vestibular.

b) Nível Superior

Licenciatura

Os licenciados de Ciências Sociais têm uma formação que atenta para o papel fundamental das ciências humanas no resgate da identidade da instituição escolar, passando por um amplo processo de reflexão e transformação de seus agentes, isto é, alunos, professores, funcionários e a comunidade local. Muito semelhante ao currículo do bacharelado, o currículo do curso de licenciatura abrange também matérias relacionadas à prática do ensino, habilitando os graduados a ministrar aulas no ensino médio.

Mercado de Trabalho

O setor de planejamento urbano está em franca ascensão devido à modernização da sociedade e ao intenso processo de urbanização, onde este profissional vai elaborar diagnósticos sócio-econômicos auxiliando nos processo de gestão urbano-ambiental.

O bacharel em Ciências Sociais também realiza, projeta, interpreta ou coordena pesquisas, visando à compreensão da dinâmica dos grupos sociais, instituições ou a sociedade. Assim como pode assessorar organizações e atuar em instituições de nível médio e superior, entre outras atividades em diferentes áreas como Ciência Política, Antropologia, Sociologia.

Na área de Ciência Política este profissional vai analisar os sistemas e partidos políticos do país, a relação entre as nações, assessorar parlamentares e auxiliar na definição de políticas públicas.

Pela via antropológica, o profissional estuda a evolução das sociedades, dos indivíduos, sua cultura e suas origens, analisando as transformações ocorridas em virtude da interação entre os diversos grupos sociais, étnicos e culturais.

Na área de Sociologia, analisa a estrutura e a dinâmica das sociedades e suas relações buscando o entendimento sobre as transformações nas organizações a partir dos processos históricos.

Ofertas de Emprego

Atualmente, as melhores oportunidades de emprego para o profissional em Ciências Sociais está no setor público, onde este profissional vai atuar em projetos de saúde, educação, transporte, meio ambiente, urbanização e desenvolvimento sustentável, sendo que estes postos de trabalho estão espalhados por todos o país.

Os maiores empregadores do setor são as prefeituras e as secretarias estaduais e municipais, que costumam contratar por concurso, mas o profissional pode atuar neste também como consultor independente ou ligado a empresas privadas.

O cientista político conseguirá boas colocações no âmbito da assessoria sindical, governamental e de relações internacionais, sendo que estes postos de trabalho estão concentrados nas grandes cidades do país.

Como pesquisadores esses profissionais também poderão encontrar boas colocações em instituições públicas de esporte, lazer e turismo, coletando e interpretando dados que serão usados na elaboração de estudos sociais.

Os cientistas sociais também estão aptos a coordenar projetos de desenvolvimento social, como jornadas profissionalizantes e programas de cidadania. Para os pós-graduados há, ainda, a opção de lecionar no ensino superior.

Fonte: www.cursocerto.com.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal