Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Citoesqueleto  Voltar

Citoesqueleto

O citoesqueleto é uma série de proteínas intercelulares que ajudam uma célula com forma, suporte e movimento.

Citoesqueleto tem três componentes estruturais principais: microfilamentos, filamentos intermédios, e . microtúbulos O citoesqueleto medeia movimento, ajudando o movimento célula no seu ambiente e mediando a circulação dos componentes da célula.

Microfilamentos são o menor componente do citoesqueleto em cerca de 7 nm de diâmetro.

Eles são compostos de proteína G-actina e são enrolados em forma helicoidal.

Filamentos intermediários são 8-12 nanômetros de diâmetro e são trançados em forma de cordão.

Eles são compostos de queratina e proteínas como queratina. Estes filamentos são difíceis e resistir à tensão.

Os microtúbulos são compostos de alfa e beta tubulina que formam, cilindros ocos longos.

Estes são proteínas bastante fortes e são o maior componente do citoesqueleto em 25 nanômetros.

Monómeros tubulares pode ser alongado ou encurtado a partir da extremidade positiva.

Os microtúbulos têm três funções diferentes.

Eles compõem os centríolos em uma célula, a flagelos e cílios de uma célula, e eles servem como "pistas" para vesículas de transporte para se deslocar.

Fonte: biology.kenyon.edu

Citoesqueleto

Citoesqueleto e Movimento Celular

1. O que é o citoesqueleto? Quais são seus principais constituintes em células animais?

Citoesqueleto é a estrutura que suporta o citoplasma celular, mantém a sua forma e fixates e move os organelos celulares. É feito de uma extensa rede de fibras dispersas no citoplasma e ancorada na membrana do plasma. Os seus componentes são, microtúbulos e filamentos intermédios microfilamentos.

2. De que substância são microtúbulos feito? Em que as estruturas e processos celulares que microtúbulos participar?

Os microtúbulos são feitos de dímeros consecutivos da proteína tubulina (cada dímero tem um alfa e beta associadas de tubulina). Microtúbulos participar na divisão celular, eles são constituintes de cílios e flagelos e eles também formam os centríolos.

3. De que substância são microfilamentos feito? Quais são as propriedades desses elementos que dão mobilidade para as células?

Microfilamentos são feitos de actina (uma proteína). A associação contráctil da actina e miosina com outras proteínas citoplasmáticas microfilamentos para dar a capacidade de promover o movimento celular.

4. Quais são os movimentos celulares? Como são criados esses movimentos?

Movimentos celulares são movimentos realizados por estruturas celulares, como os movimentos dos cílios e flagelos, os movimentos pseudopod (em amiba, macrófagos, etc), o cyclosis do citoplasma ea contração sarcómero em células musculares.

Movimentos celular pode ser criado pela ação do citoesqueleto, por diferenças de viscosidade entre as regiões citoplasmáticas e por sistemas de contração intracelulares.

5. Quais são os cílios e flagelos? Como essas estruturas adquirir movimento? Quais são alguns exemplos de células ciliadas e flagelado em seres humanos?

Os cílios e flagelos são estruturas que se encontram em alguns procariotas, bem como em algumas células eucarióticas. Eles desempenham um papel de defesa, nutrição e movimento para a célula. Em células eucarióticas, de protistas e animais que provenham de centríolos que migram para a membrana de plasma e de se diferenciar em estruturas projetadas para fora da célula. Cada cílio ou flagelo é composto por nove pares periféricos de microtúbulos e um par central todo coberto por uma membrana. (Em bactérias, flagelos são feitas de uma proteína denominada flagelina e também pode ser feito de fímbrias de pilina).

Na base de fixação de cada cílio ou flagelo na membrana plasmática que são proteínas que funcionam como motores moleculares fornecendo movimento para estas estruturas com gastos de energia. Devido a esta energia gastos células eucarióticas ciliadas ou flagelado tem um grande número de mitocôndrias.

Nos seres humanos as células ciliadas pode ser encontrada, por exemplo, no epitélio brônquico e de traqueia. Nestes tecidos os cílios têm a função defensiva de substâncias mucosas e estrangeiras radicais que entram nas vias aéreas. Os espermatozóides são um exemplo típico de células flageladas, o flagelo é o equipamento de propulsão para o movimento em direção ao óvulo.

6. Como ocorre o movimento amebóide? Quais são os exemplos de seres e as células que usam tais movimentos para locomoção?

Movimentos amebóides são criados por movimentos citoplasmáticos e projeções da membrana plasmática chamados pseudópodes. A sua formação muda ativamente a forma exterior de algumas porções da superfície da célula, tornando-se mover ao longo de um substrato. Pseudopods aparece das diferenças de viscosidade entre as regiões vizinhas do citoplasma perto da membrana plasmática e da ação contráctil de microfilamentos.

Movimentos Amoeboid ocorrer, por exemplo, em amebas (um protozoário), os organismos que utilizam a sua passagem para encontrar alimento. Os leucócitos, células do sistema imunitário quando atraídos, por substâncias químicas (mediadores imunes) usar movimentos amebóides sair dos capilares nas regiões de danos nos tecidos para participar no processo inflamatório.

7. Quais são alguns exemplos de movimento criado pela contração dos sarcómeros das células musculares?

O tratamento de uma xícara de café, os movimentos peristálticos do intestino, os batimentos cardíacos e até mesmo um sorriso são exemplos de movimentos criados pela contração dos sarcômeros das células musculares. Esta contração é um tipo de movimento celular.

8. O que é cyclosis?

Cyclosis é um tipo de célula movimento interno no qual um fluxo orientada de material circulante é criado e mantido no citoplasma pela ação de microfilamentos.

Cyclosis é mais facilmente observado em células vegetais.

Fonte: www.biology-questions-and-answers.com

Citoesqueleto

Modelo da estrutura do citoesqueleto de uma célula mostrando os diferentes compomentes contidos na matriz citoplasmática

A capacidade que as células eucarióticas possuem de adotar uma variedade de formas e de executar movimentos coordenados e direcionados depende de uma rede complexa de filamentos de proteínas que se estendem por todo citoplasma.

Essa rede é chamada de citoesqueleto embora seja, ao contrário, de um esqueleto ósseo, uma estrutura altamente dinâmica que se reorganiza continuamente sempre que a célula altera a forma, se divide ou responde ao seu ambiente.

De fato, o citoesqueleto poderia ser denominado de "citomusculatura", pois ele é o responsável direto por movimentos tais como deslocamentos das células sobre um substrato, contração muscular e ele também fornece a maquinaria necessária para movimentos intracelulares tais como o transporte de organelas de um lugar a outro no citoplasma e a segregação dos cromossomos na mitose. O citoesqueleto está ausente nas bactérias.

O citoesqueleto forma um arcabouço interno para o grande volume do citoplasma, sustentando-o da mesma forma que uma estrutura metálica sustenta um prédio.

As diferentes atividades do citoesqueleto dependem de três diferentes tipos de filamentos protéicos:

Filamentos de Actina Microtúbulos Filamentos Intermediários

Citoesqueleto
Tipos de filamentos protéicos do citoesqueleto

Cada tipo é formado a partir de uma subunidade protéica diferentes: actina nos filamentos de actina, tubulina nos microtúbulos e uma família de proteínas fibrosas, como vimentina e lâmina nos filamentos intermediários.

Os microtúbulos são estruturas rígidas que normalmente apresenta uma das estremidades ancorada a um único centro organizador de microtúbulos chamado centrossomo (uma estrutura geralmente localizada ao lado do núcleo próximo do centro da célula) e a outra livre no citoplasma. Em muitas células, os microtúbulos são estruturas altamente dinâmicas que podem aumentar ou diminuir em comprimento pela adição ou perda de subunidades de tubulina. Proteínas motoras se movem de uma direção a outra ao longo dos microtúbulos carregando organelas específicas para os locais pré-determinados dentro da célula. A determinação de polaridade intrínseca de certas células está relacionada com a função mecânica dos microtúbulos. Os microtúbulos são polímeros rígidos formados por moléculas de tubulina na forma de filametos longos e ocos, possuindo diâmetro externo de 25nm e são muito mais rígidos do que os filamentos de actina.

Os filamentos de actina (também chamados de microfilamentos). São polímeros helicoidais de duas cadeias. São estruturas flexíveis, com diâmetro de 5 a 9nm, organizados na forma de feixes lineares, redes bidimensionais e géis tridimensionais. Embora os filamentos de actina estejam distribuídos por toda a célula, eles estão mais concentrados no córtex logo abaixo da membrana plasmática.Também são estruturas dinâmicas mas, ao contrário dos microtúbulos que são filamentos isolados, se organiza em feixes ou redes. O córtex celular, camada situada logo abaixo da membrana plasmática, é formada por filamentos de actina e por uma variedade de proteínas que se ligam à actina. Esta camada rica em actina controla a forma e os movimentos de superfície da maioria das células animais.

Os filamentos intermediários são estruturas que proporcionam estabilidade mecânica às células e tecidos. Os filamentos intermediários são plímeros fortes semelhantes a cabos, constituídos de polipepetídeos fibrosos que resistem ao estiramenot e desempenham um papel estrutural na célula, mantendo sua integridade. Existe uma grande variedade de tipos que diferem de acordo com o tipo de polipeptídeo que os forma. Os filamentos de queratina das células epiteliais, os neurofilamentos das células nervosas, os filamentos gliais dos astrócitos e das células de schwann, os filamentos de desmina das células musculares, os filamentos de vimentina dos fibroblastos e de muitos tipos celulares. As lâminas nucleares que formam a lâmina fibrosa que se estende sob o envelope nuclear constituem uma família a parte de proteínas de filamento intermediário. Os filamentos intermediários são fibras em forma de cordão com diâmetro em torno de 10nm. São formados por um grupo de proteínas que constituem uma grande família de proteínas heterogêneas

Citoesqueleto
Micrografia eletrônica do citoesqueleto de um fibroblasto de rato

Mostrando todos os componentes do citoesqueleto: redes de filamentos de actina (mf), microtúbulos (setas), filamentos intermediários (pontas de setas). Barra - 0.5 µm.

Os três tipos de filamentos são conectados entre si e suas funções são coordenadas.

Fonte: www.hurnp.uel.br

Citoesqueleto

O Citoesqueleto das células eucariontes é composto de complexos protéicos fibrilares, formados pela polimerização de proteínas globulares. Sua pricincipal função é coordenar a distribuição de organelas na célula e orientar sua forma geral. Ele é responsável pelas alterações de forma e da distribuição de organelas desencadeadas por interações entre a célula e seu meio e entre células diferentes.

É também responsável pela sustentação e resistência da célula.

Composição

O Citoesqueleto é composto por Microfilamentos, Filamentos Espessos, Filamentos Intermediários e Microtúbulos. Esses componentes se associam entre si, formando uma complexa rede citoplasmática.

Através de proteínas associadas, eles se ligam à membrana plasmática e às membranas de outras organelas.

É uma estrutura dinâmica, que se altera através de variações entre taxas de polimerização e despolimerização.

Componentes Diâmetro Estrutura Principal proteína Participam de:
Microfilamentos  ~5nm ooooo Actina  Contração muscular, endocitose, pinocitose, migração celular
Filamentos Espessos ~15nm ______oO Miosina  Contração muscular
Filamentos Intermediários  ~10nm --o--o--o
----o---o
Citoqueratina (células epiteliais) Vimentina(células mesenquimais) 
Neurofilamentos, etc.

Lamina (lâmina nuclear)
Sustentação: desmossomas e hemidesmossomas
Microtúbulos ~25nm ::::::::::::::::  Tubulina-a e Tubulina-b
Cilindro oco de diâmetro
Formação do fuso mitótico
Transporte de vesículas e outras organelas

 

Estruturas com microtúbulos organizados Estrutura Localização
Flagelos 9+2 Espermatozóide e em protozoários
Cílios 9+2 Epitélio das viás aéreas
Centríolos 3x9 Todas as células animais; região organizadora de microtúbulos
Corpúsculos Basais 3x9 Ancoragem e origem dos cílios

Estruturas com microtúbulos organizados Estrutura Localização Flagelos 9+2 Espermatozóide e em protozoários Cílios 9+2 Epitélio das viás aéreas Centríolos 3x9 Todas as células animais; região organizadora de microtúbulos Corpúsculos Basais 3x9 Ancoragem e origem dos cílios

Associação do Citoesqueleto com a membrana plasmática:

As junções entre células podem apresentar diferentes funções de acordo com sua estrutura. A Junções de Oclusão são contínuas em torno da célula nos pontos de contato com as células vizinhas e vedam compartimentos. São formadas por proteínas transmembranares, associadas internamente ao citesqueleto de microfilamentos de actina.

Ex: Lume Intestinal, bexiga, vias respiratórias. As junções de adesão podem ser contínuas como a Zona de Adesão, ou pontuais como os desmossomas e hemidesmossomas. A Zona de Adesão associa-se aos microfilamentos de actina da malha próxima à membrana plasmática. Os desmossomas e hemidesmossomas se associam a filamentos intermediários.

Doenças associadas a alterações do citoesqueleto

Ação de drogas sobre o citoesqueleto:

Microtúbulos: A Colchicina é um alcalóide que se liga aos dímeros da tubulina e impede a polimerização dos microtúbulos mais sensíveis como os do fuso mitótico. Ela é utilizada para se estudar células em mitose. O Taxol é um alcalóide utilizado no tratamento de tumores pois também impede a mitose. Ele acelera a polimerização e estabiliza os microtúbulos, impedindo a despolimerização. Outras drogas utilizadas no tratamento de tumores, que também interferem com a dinâmica de microtúbulos, são a Vincristina e a vimblastina.

Microfilamentos

Produtos de fungos como as citocalasinas e as faloidinas interferem com a dinâmica de polimerização e despolimerização da actina, interferindo com o movimento celular. As citocalasinas se ligam à actina impedindo a polimerização, enquanto as faloidinas se ligam lateralmente aos microfilamentos estabilizando-os.

Filamentos intermediários: A disposição dos filamentos intermediários depende da presença de microtúbulos.

Fonte: www.icb.ufmg.br

voltar 123avançar
Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal