Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Endossomos - Página 2  Voltar

ENDOSSOMOS

A importação de proteínas específicas para uma célula pode ser efetuada através da ligação destas proteínas à receptores presentes na membrana citoplasmática e porterior inclusão em vesículas. Esta endocitose mediada por receptor possui uma gama de implicações biológicas, pois, é uma forma de enviar metabólitos essenciais para as células, pode modular respostas a hormônios protéicos e fatores de crescimento, funciona como agente seletivo para a captação de proteínas que vão ser degradadas e é uma fonte de entrada para muitos vírus e bactérias nas células.

A maioria dos receptores de superfície celular são glicoproteínas transmembranicas que possuem um grande domínio extracelular, uma ou duas hélices transmembranicas, e uma pequena região citossólica. Existem, na membrana, regiões especializadas denominadas depressões revestidas onde encontramos muitos dos receptores. A porção citossólica destas depressões é revestida por clatrina, uma proteína destinada a formar redes ao redor de vesículas membranosas. Vários receptores se agrupam nas depressões revestidas esteja ou não presente um ligando, outros dependem da ligação à proteína para se agrupar.

O início da endocitose por receptor se dá pela invaginação de uma depressão revestida seguida da formação de uma vesícula revestida feita pela clatrina. Após a formação da vesícula revestida ocorre a perda da capa de clatrina e a fusão com um endossomo. Os endossomos se fundem uns com os outros formando vesículas maiores com diâmentro variando entre 200 e 600nm. A acidificação dos endossomos pelas bombas de prótons energizadas por ATP leva a dissociação dos complexos proteína-receptor possibilitando que cada um possa seguir um destino diferente.

A via tomada pela transferrina e seu receptor é um dos quatro resultados potenciais. Cada molécula de transferrina transporta dois iontes Fe+3 de locais de absorção e armazenamento para locais de uso. A proteína sem ferro é chamada de apotransferrina e esta não se liga ao receptor. A ligação de Fe+3 envolve HCO3- e uma cadeia lateral de Tirosina sob a forma aniônica. A transferrina se liga ao receptor ocorre a formação de vesícula fusão com o endossomo acidificação do mesmo e consequente dissociação do ferro de deu transportador.

Parte da vesíciula portadora de apotransferrina ligada ao receptor se destaca e é direcionaad para a membrana citoplasmática, enquanto o Fe+3 é armazenado sob a forma de Ferritina no citossol. Quando a vesícula destacada se funde à membrana citoplasmática, a apotransferrina é liberada do receptor devido à súbita mudança de pH. Tanto o transportador de ferro quanto o receptor são reciclados com pouca perda.

Modo Destino do receptor Destino da proteína Exemplos 1 Reciclado Reciclada Transferrina, Proteínas de MHC 2 Reciclado Degradada Transcobalamina II 3 Degradado Degradada Fator de crescimento epidermico, complexos imunitários 4 Transportado Transpotada Imunoglobulina A, imunoglobulina G materna

Modo

Destino do receptor

Destino da proteína

Exemplos

1

Reciclado

Reciclada

Transferrina, Proteínas de MHC

2

Reciclado

Degradada

Transcobalamina II

3

Degradado

Degradada

Fator de crescimento epidermico, complexos imunitários

4

Transportado

Transpotada

Imunoglobulina A, imunoglobulina G materna

Fonte: www.icb.ufmg.br

voltar 123avançar
Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal