Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Organelas  Voltar

Organelas

 

O que são organelas?

Organelas são estruturas minúsculas que desempenham funções muito específicas dentro das células.

O termo é uma referência para os órgãos, comparando o modo como estas estruturas operam nas células para a formar os órgãos e sua função no corpo.

Um número de diferentes organelas podem ser encontrados dentro de vários tipos de plantas, animais e células de bactérias. Cada um tem a sua própria tarefa importante, como a produção de energia ou proteínas de fabricação.

Tipos

Estas estruturas têm uma ampla variedade de funções, a maioria dos quais são tarefas que são essenciais para a vida da célula. As estruturas mais importantes são o núcleo, retículo endoplasmático (RE), o aparelho de Golgi, mitocôndria, e cloroplastos. Cada um destes tende a estar localizados em áreas específicas de células. Normalmente, o núcleo está localizado perto do centro, com a RE e Golgi localizado nas proximidades, e os restantes espalhados organelas dentro da célula.

O tipo e o número de organelas presentes dentro de uma célula varia de acordo com a finalidade do celular.

Por exemplo, quase todas as células vegetais e animais, contêm um núcleo, com a notável exceção de células sanguíneas vermelhas maduras, que não contêm quaisquer organelos ou material genético. Outro exemplo é que as células musculares têm tipicamente muito mais mitocôndrias do que outros tipos de células, porque mais energia são necessária para manter as células musculares funcionando eficazmente.

Pesquisadores acreditam que a razão global de que organelas evoluíram é que as células se beneficiaram e isolaram as muitas reações químicas complexas que ocorriam dentro delas.

Dentro das células de plantas e animais, cada um está envolto, na sua própria membrana, o que ajuda a função da unidade. Um dos principais benefícios dessa proteção é que, dentro de uma unidade fechada por uma membrana, as condições químicas, tais como pH pode ser modificada sem afetar toda a célula. Do mesmo modo, o conteúdo de cada uma é isolada a partir do que está ocorrendo no interior da célula em geral.

Certos organelas são tão grandes que a sua forma e superfície pode ser visto sob um microscópio de luz. Estes incluem as mitocôndrias e o Golgi, bem como o núcleo da célula. Um microscópio eletrônico é necessário para vê-las mais de perto, no entanto. Não foi até que essas estruturas seriam examinadas por microscopia eletrônica de que os pesquisadores começaram a entender como eles funcionavam.

Produção de Energia

As mitocôndrias são responsáveis ??pelo fornecimento de células de energia utilizável. Eles são encontrados na maioria dos organismos complexos, incluindo fungos e plantas, bem como animais. A função principal destas estruturas é para produzir uma molécula chamada trifosfato de adenosina, ou ATP, o que é a principal fonte de energia nas células animais e de fungos, e uma fonte secundária para plantas. As mitocôndrias têm funções adicionais, bem como, incluindo a regulação do metabolismo celular e armazenamento de cálcio.

Certos organelas são encontradas somente dentro de um tipo específico de organismo. O exemplo mais conhecido é cloroplastos, que são encontrados apenas nas células de plantas e algas. Os cloroplastos usar a luz solar para produzir glicose através do processo conhecido como fotossíntese. Outro exemplo é o carboxissoma, que é encontrado apenas em algumas espécies bacterianas. Carboxysomes permitir que as bactérias para transformar carbono em moléculas orgânicas que podem usar para produzir energia.

A produção de proteínas e de DNA

Muitas organelas são capazes de se comunicar uns com os outros, quer devido à sua proximidade, ou através de sinalização química. Por exemplo, o retículo endoplasmático liga para o aparelho de Golgi, e ambas as unidades estão envolvidas na produção de novas proteínas. Novas proteínas são fabricadas no retículo endoplasmático, e a partir daí, se mover para o Golgi, onde são modificados e embalados para transporte para outros locais na célula.

Outro exemplo desta comunicação é o que ocorre entre o núcleo de uma célula e as outras organelas dentro dele. Embora o núcleo e o ADN que contém não ligar fisicamente com outras estruturas celulares, que se comunica com o resto da célula através de moléculas de proteínas de sinalização. A membrana de que envolve o núcleo controla o que pode entrar e sair da estrutura, limitando o tráfego de proteínas específicas que são capazes de interagir com os filamentos de DNA.

Doenças

Assim como os órgãos maiores podem ser afetados por problemas de saúde, organelas individuais também pode estar sujeito a condições médicas e doenças congênitas. Estas estruturas são então essencial para a função das células que as doenças que os afectam frequentemente causam graves sintomas e, em alguns casos, são fatais. Disfunção pode ter ampla e resultados inesperados.

Disfunção retículo endoplasmático tem sido implicado em condições tais como cística fibrose, e na doença de Alzheimer, de Huntington, Parkinson.

Em cada caso, a disfunção celular que coloca pressão sobre o ER é pensado para contribuir para os sintomas que se desenvolvem. Doenças que afetam o Golgi incluem doenças congênitas que causam doença hepática, deficiência mental e convulsões, e que normalmente causa a morte antes que uma criança atinge dois anos de idade.

Uma grande família de condições conhecidas como doenças mitocondriais pode causar tudo de problemas digestivos à cegueira, dependendo da natureza específica da doença, que é uma pessoa afectada por. Estas condições podem ser difíceis de tratar, uma vez que geralmente envolvem defeitos congénitos que causam danos a todos os organelos envolvidos através de um dado tipo de célula.

Fonte: www.wisegeek.com

Organelas

Organelas freqüentemente chamadas "pequenos órgãos" - são encontradas em todas as células eucarióticas; elas são, ligada à membrana, estruturas celulares especializadas que realizam uma função específica.

As células eucarióticas contêm diversos tipos de organelas, incluindo o núcleo, mitocôndrias, cloroplastos, retículo endoplasmático, e aparelho de Golgi.

Uma organela pode ser definida como uma determinada parte do citoplasma responsável por uma ou mais funções especiais.

As organelas citoplasmáticas mais importantes estão citadas abaixo:

Mitocôndrias
Reticulo endoplasmático rugoso
Reticulo endoplasmático liso
Aparelho de Golgi
Ribossomos
Lisossomos
Peroxissomos
Vesículas revestidas por membrana
Microtúbulos
Centríolos
Microfilamentos

Organelas Citoplasmática

MITOCÔNDRIA

Função: fundamental importância no processo de respiração celular e no fornecimento de energia a partir da quebra da glicose. O fornecimento de energia provém do ciclo de Krebs, que ocorre no interior das mitocôndrias, onde a partir de uma molécula de glicose, se formam 38 ATPs, CO2 e H2O. Além disso, é na membrana mitocondrial interna que ocorre o sistema transportador de elétrons, que também fornece ATP.

Constituição: principalmente proteínas e lipídeos. Também há DNA, RNA, magnésio e cálcio. O DNA é composto de filamentos duplos e circulares. Quanto ao RNA, existe o rRNA, mRNA e o tRNA.

Estrutura: geralmente são alongadas e de tamanho e distribuição variáveis. São encontradas dispersas no citoplasma. A quantidade de mitocôndrias está diretamente relacionada com a necessidade de energia. Quanto maior a necessidade de energia, maior será o número de mitocôndrias encontradas no local, por exemplo, a cauda do espermatozóide, o fígado e o músculo estriado cardíaco. Microscopicamente as mitocôndrias apresentam duas membranas lipoprotéicas, uma membrana localiza-se mais externamente e a outra mais internamente em relação à estrutura da mitocôndria. A primeira é permeável, lisa e contém purinas, enquanto que a segunda é semipermeável e contém cristais mitocôndrias, citocromos e enzimas usadas na produção de energia.

O espaço entre essas membranas é o espaço intermembranoso. O espaço interno, limitado pela membrana interna é a matriz mitocondrial. É na matriz que existe a maioria das enzimas usadas na B oxidação e no ciclo de Krebs.

RIBOSSOMO

Função: síntese protéica

Estrutura: existem dois tipos de ribossomos, um presente nos seres procariontes, cloroplastos e mitocôndrias e outro nos eucariontes. Os ribossomos são compostos por duas subunidades de tamanhos diferentes, que depois de prontas se separam e saem do núcleo pelo poro nuclear, passando para o citoplasma. Quando o ribossomo está disperso no citoplasma, recebe o nome de ribosoma livre e quando está aderido à superfície externa das estruturas membranosas, é chamado de ribosoma aderido.

Constituição: intensamente basófilos, compostos de quatro tipos de rRNA e 80 proteínas diferentes associadas, as quais unem-se para formar uma estrutura globular condensada.

RETÍCULO ENDOPLASMÁTICO

Funções: transporte.

O retículo endoplasmático rugoso (RER) participa principalmente da síntese de esteróides e de outros lipídios, aos quais são destinados à exportação ou ao uso intracelular por organelas, como por exemplo, pelos lisossomos. O retículo endoplasmático liso (REL) participa da síntese de proteínas, mas suas funções variam de acordo com a célula em que ele se encontra, veja os exemplos a seguir. No fígado, o REL é responsável pelos processos de conjugação, oxidação e metilação. Já na glândula supra- renal, ele participa da produção de esteróides, pois ele contém algumas enzimas fundamentais para essa produção hormonal, enquanto que nas células musculares esqueléticas ele participa da ativação do cálcio e da contração muscular. Outra função é a síntese de fosfolipídios para todas as membranas celulares.

Estrutura: existem dois tipos: o RER e o REL. O RER está presente maior número nas células especializadas na secreção de proteínas, por apresentar ribossomos. Já o REL, não apresenta ribossomos e sua membrana se dispõe sob a forma de túbulos, que se anastomosam profusamente, formando um sistema mais tubular.

Constituição: ambos por uma rede de túbulos e por vesículas redondas e achatadas intercomunicantes.

APARELHO DE GOLGI

Funções: completar as modificações pós-tradução, empacotar e colocar um endereço nas moléculas sintetizadas pela célula, fazer hidrólise de lipídios, terminar o processo de glicosilação, de fosforilação e de sulfatação e separar proteínas.

Estrutura: conjunto de vesículas achatadas e empilhadas que geralmente se localizam em uma determinada região do citoplasma. O tamanho e o desenvolvimento da organela são variáveis.

Constituição: as proteínas sintetizadas no retículo endoplasmático rugoso são transferidas para o Aparelho de Golgi, onde se fundem com as membranas. No Aparelho de Golgi, o produto secretado é condensado em vesículas grandes, formando os grânulos de secreção.

LISOSSOMOS

Funções: digestão intracitoplasmática, renovação das organelas celulares, e metabolização de diversas moléculas. As substâncias do meio extracelular entram na célula através dos fagossomos. No interior da célula, o fagossomo se funde com o lisossomo primário. O processo de digestão inicia dentro de outro vacúolo, o lisossomo secundário.

Estrutura: vesículas delimitadas por membrana. Estão presentes em quase todas as células, mas em maior quantidade nos macrófagos. Geralmente são organelas esféricas e com aspecto granuloso.

Constituição: contém enzimas lisossômais (como: fosfatase ácida, glicuronidase, sulfatase, ribonuclease e colagenase) que variam com a célula. Estas enzimas são sintetizadas e segregadas no REG, transportas para o Aparelho de Golgi, onde são empacotadas, formando os lisossomos primários.

PEROXISSOMOS

Funções: oxidar substâncias orgânicas, prozudir peróxido de hidrogênio, participa da ?-oxidação, exporta acetil-CoA para o citossol, participa da síntese de ácidos biliares e de colesterol.

Estrutura: esféricas, envolvidos por membrana. Ele se divide por fissão.

Constituição: enzimas como a catalase, a urato oxidase e a D-aminoácidos e não possuem DNA e RNA. A catalase é uma enzima muito importante, pois ela oxida substâncias tóxicas ao organismo, inclusive o álcool etílico.

MICROTÚBULOS

Funções: oferecer rigidez na forma das células, manter os prolongamentos celulares, dar simetria à célula, servir de suporte para as células na locomoção, servir como base morfológica para centríolos, cílios, flagelos e corpúsculos basais.

Estrutura: formado por treze subunidades de ? e ? tubulina, chamadas de herodímero. Organizadas em forma de espiral e com comprimento e estabilidade variáveis. Possuem eventuais comunicações entre um microfilamento e outro. A parte central do microtúbulo é denominada de axonema.

Constituição: depende do local. Miosina no músculo estriado. No restante das células, em geral, são constituídos por filamentos finos de actina e filamentos grossos de miosina associados às organelas. Também outras proteínas são visualizadas nos filamentos intermediários, que são constituídos por queratinas, por vimentina, por desmina, por proteína fibrilar ácida da glia e por proteínas dos neurofilamentos.

Fonte: medicina.ucpel.tche.br

Organelas

Uma estrutura diferenciada dentro de uma célula, tal como uma mitocôndria, vacúolo, ou do cloroplasto, que desempenha uma função específica.

Uma estrutura celular especializada (como uma mitocôndria, lisossoma, ou ao ribossoma) que é análogo a um órgão.

A célula animal cumpre todas as funções vitais da vida como o metabolismo, o anabolismo, a respiração, a reprodução e a capacidade de reagir às modificações do meio-ambiente.

A célula animal possui três partes funcionalmente distintas: membrana (ou parede externa), citoplasma e núcleo.

A membrana plasmática que envolve qualquer tipo de célula, seja animal ou vegetal, é composta segundo modelo de Singer e Nicholson por grandes moléculas protéicas que podem atravessar toda a membrana e pequenas moléculas de lípides (gorduras), sendo portanto uma membrana lipo-protéica. A membrana tem uma função de semi-permeabilidade, sendo que as moléculas protéicas cumprem o papel de enzimas que fazem o transporte ativo de substâncias.

Para o funcionamento da célula se faz necessária a presença de energia. A organela responsável por obter energia para a célula é a mitocôndria. A mitocôndria possui uma membrana externa lisa e lipo-protéica. Internamente ela possui uma membrana lipo-protéica que possui dobras chamadas cristas mitocondriais que estão envolvidas num gel composto por proteínas, água e sais mineirais.

A respiração celular consiste em obter energia através do alimento da célula, quase sempre a glicose, em presença de oxigênio.

O complexo de Golgi é formado por uma série de bolsas, sáculos achatados e vesículas que fazem o armazenamento e a secreção de substâncias que são produzidas pela célula. Cada conjunto de sáculos achatados são chamados de dictiossomos. Quase sempre o complexo de Golgi une o núcleo e citoplasma a um pólo excretor da célula.

O retículo endoplasmático é encontrado na célula na forma lisa e rugosa. O retículo endoplasmático rugoso, assim chamado pela presença de ribossomos, tem a função de fazer a síntese de proteínas. Os canais do retículo endoplasmático encaminham as substâncias para o complexo de Golgi para posterior excreção.

Presente somente em células animais, os lisossomos são compostos por uma membrana lipo-protéica externa e enzimas digestivas internas. O lisossomo é responsável pela “quebra” dos alimentos, ou seja, a digestão intracelular.

O conjunto de pequenos túbulos utilizados na divisão celular é chamado de centríolo, presente somente nas células animais. Durante a divisão celular os centríolos formam o fuso acromático que encaminham os cromossomos para as células filhas. Os centríolos também formam cílios e flagelos que possibilitam a locomoção de células e substâncias através de seus movimentos.

O núcleo, que comanda todas as atividades celulares, é possui a carioteca, uma membrana porosa que permite a passagem de substâncias do carioplasma para o citoplasma e vice-versa. Dentro do núcleo temos o nucléolo (um núcleo dentro do núcleo) que faz o armazenamento de RNA ribossômica que é matéria prima para a síntese de ribossomos. Quanto maior o metabolismo de síntese de proteína de uma célula, maior será o nucléolo.

Fonte: www.qieducacao.com

Organelas

A organela nada mais é, que uma estrutura com características e funções específicas.

Numa célula animal encontramos vários tipos de organelas, são elas:

Ribossomo;
Mitocôndria;
Complexo de Golgi ou sistema golgiense;
Centríolos;
Lisossomo;
Retículo endoplasmático liso;
Retículo endoplasmático rugoso.

Organelas

Veja abaixo as funções de cada organela

ORGANELA FUNÇÃO PRINCIPAL
Ribossomo É o responsável pela síntese de proteínas
Mitocôndria Responsável pela respiração celular
Complexo de Golgi Armazena e secreta substâncias diversas
Complexo de Golgi Atua na divisão celular
Lisossomo Atua na digestão intracelular
Retículo End. Liso Transporte de substâncias e produção de esteróides
Retículo End. Rugoso Transporte de substâncias e síntese de proteínas

Fonte: www.instrumentador.com.br

Organelas
Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal