Facebook do Portal São Francisco
Google+
+ circle
Home  Citoplasma - Página 5  Voltar

Citoplasma

Os primeiros citologistas acreditavam que o interior da célula viva era preenchido por um fluido homogêneo e viscoso, no qual estava mergulhado o núcleo. Esse fluido recebeu o nome de citoplasma.

O maior volume de uma célula eucariótica é representado pela região compreendida entre a membrana plasmática e a membrana nuclear. Nessa região, encontramos uma solução coloidal formada principalmente por água e proteínas. Trata-se do citoplasma ou matriz citoplasmática, onde estão mergulhados uma série de organelas, ribossomos e outras estruturas responsáveis por algumas funções importantes, tais como: digestão, respiração, secreção, síntese de proteínas. As organelas membranosas dividem o citoplasma, mas também forma uma complexa rede de comunicação e transporte denominada sistema vacuolar citoplasmático (SVC), que compreende o envoltório nuclear, o retículo endoplasmático, o complexo de Golgi e os vacúolos. Pode-se encontrar também uma série de microtúbulos (tubulina), além de microfilamentos protéicos (actina e miosina), que contribuem para formar um citoesqueleto, auxiliando na manutenção da forma celular e apoiando o movimento das organelas citoplasmáticas.

Citoplasma

É principalmente no citoplasma que ocorrem as principais reações necessárias à manutenção da vida. Por ser a célula uma estrutura dinâmica, o seu citoplasma não é estático, pois apresenta alguns movimentos como aquele observado nas amebas para a emissão de pseudópodes.

Ribossomos

Os ribossomos são organoides que se apresentam sob a forma de partículas globulares, que são constituídos por duas subunidades de tamanho diferentes.

Os ribossomos ocorrem em seres procariontes e eucariontes, onde aparecem livres no citoplasma ou associado às membranas do reticulo endoplasmático. Tanto os ribossomos livres como os que integram o reticulo endoplasmático, associam-se a filamentos de RNA – mensageiro, constituído os polissomos ou polirribossomos.

As duas subunidade constituintes dos ribossomos são formados por RNA – ribossômico e proteínas.

Os ribossomos originam-se de nucléolo, componente da síntese do RNA – ribossômico.

Reticulo Endoplasmático

O reticulo endoplasmático é um sistema de sáculos (sacos achatados) e canalículos, limitados por membrana, podendo compreender: o reticulo endoplasmático granular (REG) e o reticulo endoplasmático liso (REL)

O reticulo endoplasmático aparece em todos os eucariontes, e seu desenvolvimento varia em diferentes tipos celulares, relacionados ás suas funções, só é desenvolvida em células com elevada síntese protéica. A síntese protéica do reticulo endoplasmático é realizada pelos ribossomos.

Funções

O RE realiza as seguintes as seguintes funções: transporte, síntese, armazenamento, detoxificação e síntese de glicoprotéicas.

O complexo de Golgi

É constituída por uma pilha de vesículas achatadas e circulares, e outras menores e esféricas, suas membranas não apresentam ribossomos.

Na maioria das células eucarióticas, o complexo de Golgi situa-se ao lado do núcleo; nas células vegetais, suas unidades aparecem com o hialoplasma, formando o golgiossomos.

O complexo Golgi e constituído por fosfolipídios e proteínas em quantidade aproximadamente igual, apresentando um elevado teor de fosfatose ácida.

Funções

É responsável por:

concentração de proteínas a serem secretadas pela célula;
formação do acrossomo do espermatozóide;
síntese de polissacarídeos;
produção de grãos de zimógeno.

Os Lisossomos

São corpúsculos geralmente esféricos, constituídos por uma membrana que envolve enzimas hidrofílicas. A membrana lisossômica não é atacada pelas enzimas que envolve, tal fato se deve pela existência de um revestimento coprotéico protetor em sua face interna.

Os lisossomos, em raras exceções, aparecem em varias células animais. Em sua composição evidencia a existência de proteínas, glicosidades, lípases e nucleases.

Funções

Por meio das enzimas hidrolisantes que possuem, os lisossomos agem na digestão intracelular de partículas, de acordo com o material ingerido, pode haver duas ou mais funções.

Mitocôndrias

As mitocôndrias são corpúsculos esféricos, que aparecem imersos no hialoplasma em numero variável, segundo o tipo celular, a mitocôndria apresente uma ultra – estrutura típica.

Apresenta-se delimitada por duas unidades da membrana, a externa e a interna, separadas por um espaço, a câmera externa. A membrana interna limita a matriz mitocondrial e forma em seu interior uma serie de ivaginações denominadas cristas mitocondriais. A matriz é uma substância amorfa, onde aparecem moléculas de DNA, ribossomos e granulações densas.

Ocorrência

As mitocôndrias são encontradas em todas as células de organismos eucariotos aeróbicos. A quantidade de mitocôndrias por célula varia em função de suas necessidades energéticas. Em células musculares, por exemplo, existe uma grande quantidade de mitocôndrias.

Composição química

As membranas mitocôndrias são constituídas basicamente por lipídios e proteínas. As proteínas são principalmente as enzimas reparatórias, em quanto os lípides, na sua maioria são os fosfolípides, na matriz mitocondrial aparecem ribossomos, DNA, RNA e Nucleotídeos, os últimos são representados por ADP, ATP e Coenzimas aceptoras de hidrogênio (FAD, NAD e NADP).

Função

No interior das mitocôndrias, ocorrem duas etapas da respiração aeróbica: o ciclo de Krebs, desenvolvido na matriz mitocondrial, e a cadeia respiratória, realizada nas cristas mitocondriais.

Fonte: citotologia.net46.net

Citoplasma

1. ORGANIZAÇÃO DE UM CITOPLASMA

Como visto nas primeiras partes de nosso estudo, a célula possui três partes: membrana plasmática, citoplasma e núcleo. Na segunda parte desse estudo vimos a membrana plasmática e todos seus mecanismos. Nessa terceira parte iremos estudar o citoplasma e seus constituintes.O citoplasma pode ser definido como sendo “Complexo de substâncias que assume a consistência de uma massa gelatinosa, homogênea, formando um sistema coloidal, que preenche o citossomo (espaço celular compreendido entre as membranas plasmática e nuclear)”. O citoplasma é bastante diferenciado entre as células procarióticas e eucarióticas. Nesse tópico, iremos abordar as principais diferenças entre os citoplasmas nas duas células emquestão.

As principais funções do citoplasma são:

a) Movimentos celulares onde o citoplasma é responsável pelos movimentos de ciclose, amebóide, ciliar e flagelar;

b) Síntese, armazenamento e transporte de macromoléculas, em que as organelas envolvidas nesta função são os ribossomos, retículos, complexo de golgi, lisossomos, peroxissomos, vacúolos e glioxissomos;

c) Metabolismo que é regulado pelo Citosol, cloroplastos e mitocôndrias.

1.1 – CITOPLASMA EM CÉLULAS PROCARIÓTICAS

O citoplasma das células procarióticas é bem simples quando comparados com o citoplasma das células eucarióticas. O citoplasma é formado por um líquido denominado citosol, composto basicamente por água e por milhares de proteínas, lipídios e aminoácidos. A organela presente no citoplasma de células procarióticas é denominada de ribossomo que são unidos a moléculas de DNA. Não possui membranas nternas. A estrutura membranosa denominada mesossomos. Nas bactérias fotossintetizantes, chamadas cianobactérias, o citoplasma apresenta membranas lipoprotéicas dispostas em várias camadas, que é onde se localizam as substâncias necessárias ao processo de fotossíntese.

1.2 – CITOPLASMA DAS CÉLULAS EUCARIÓTICAS

O citoplasma das células eucarióticas, além de ser bem maior que o das células procarióticas, é também mais complexo. Nas células eucarióticas há diversas estruturas que se encontram mergulhadas no citosol. Além dessas organelas citoplasmáticas, o citoplasma dos eucariontes possui uma complexa rede de tubos e filamentos de proteínas que formam o chamado citoesqueleto, que além de definir a forma da célula, permite que a mesma realize os movimentos citoplasmáticos (ciclose) e consiga se aderir a outras células.

O citoesqueleto é formado por microfilamentos e por microtúbulos. Os microtúbulos são pequenas estruturas, formadas por várias moléculas protéicas a TUBULINA, dispostas de forma helicoidal, cuja função principal é de fornecer suporte estrutural para manter a forma da célula e para organizar as organelas. Além disso, auxiliam na formação das fibras protéicas que participam das divisões celulares e, atuam na formação das organelas microtubulares (centríolos, cílios e flagelos).

Os centríolos são organelas microtubulares que têm a capacidade de autoduplicação, processo que ocorre um pouco antes da célula iniciar sua divisão. Os cílios e os flagelos são estruturas móveis responsáveis pela locomoção. Os flagelos são maiores, ao contrário dos cílios, e ocorrem em pouco número, outra diferença para os cílios.

Os microfilamentos são formados por várias moléculas de uma proteína chamada actina. Juntamente com a miosina, formam os principais componentes do mecanismo contrátil da célula, sendo responsáveis pela distenção e contração das células musculares, e atuam na movimentação citoplasmática e amebóide.

A partir de agora falaremos das demais organelas citoplasmáticas. O esquema abaixo mostra uma célula eucariótica com todas as organelas citoplasmáticas presentes.

a) RIBOSSOMOS

São encontrados tanto em células procarióticas quanto em células eucarióticas;

Formado principalmente por RNA e proteínas;

Principal função é auxiliar na síntese protéica;

b) RETÍCULO ENDOPLASMÁTICO LISO

Principal função é de síntese de ácidos graxos, fosfolipídios e esteróides;

Não possuem ribossomos aderidos;

Bastante desenvolvido em células hepáticas e em células de gônadas, que produzem os hormônios sexuais.

c) RETÍCULO ENDOPLASMÁTICO RUGOSO

Também chamado de retículo endoplasmático granuloso, atua na produção de certas proteínas celulares;

Possui em sua superfície ribossomos, o que lhes confere o aspecto granuloso;

Participam também no transporte dessas proteínas através do citoplasma.

d) COMPLEXO DE GOLGI

Constituição lipoprotéica e não apresenta ribossomos;

Atua na concentração de proteínas a serem secretadas pela célula atuando como secreção celular;

Atuam na formação do acrossomo do espermatozóide e na síntese de polissacarídeos (por exemplo, na célula vegetal, o Complexo de Golgi produz a pectina, polissacarídeo que entra na constituição da parede celular).

e) PEROXISSOMOS

Função principal de decompor o peróxido de hidrogênio, substância tóxica formada em reações que ocorrem normalmente nas células.

Atuam também na desintoxicação do organismo sendo abundantes nas células do rim e do fígado;

Os Peroxissomos estão presentes em grandes quantidades nas células de defesa como os macrófagos e também existem nas células vegetais, onde participam do processo da fotorespiração.

f) LISOSSOMOS

Possuem em seu interior grande quantidade de enzimas que realizam a digestão intracelular;

Ligados às funções Heterofagica e autofágicas;

Na função Heterofagica as partículas alimentares que penetram na célula ficam no interior de vacúolos os quais são fundidos aos lisossomos primários, formando os lisossomos secundários;

Na função autofágica é um processo de digestão de estruturas citoplasmáticas desgastadas. A autofagia também é responsável pela transformação de um tipo celular em outro como ocorre nas hemácias;

Células animais podem conter vários lisossomos. Os lisossomos primários contêm em suas vesículas diversas enzimas que atuam nas funções autofágicas e heterofagica, e os lisossomos secundários que é chamado de vacúolo digestivo.

g) MITOCÔNDRIAS

Sua composição química é riquíssima, notando-se principalmente a presença de DNA, RNA, proteínas, carboidratos, enzimas, ATP (adenosina – trifosfato), ADP (adenosina – difosfato), etc;

São encontrados nas células eucariontes, sendo substituídas pelos mesossomos nas bactérias;

Organela responsável pela respiração;

Toda mitocôndria surge da reprodução de uma outra mitocôndria, sendo que a divisão da mitocôndria denomina-se Condrocinese ou Condrogênese.

h) CENTRÍOLOS

Estruturas que existem nas células procarióticas, animais e alguns vegetais;

È responsável pela formação de duas estruturas os cílios e os flagelos;

Sua função parece estar relacionada com a divisão celular.

i) CLOROPLASTOS

Encontrados em células vegetais;

Responsáveis pelo metabolismo celular (fotossíntese);

Podem se duplicar independente das células.

ORIGEM DAS MITOCÔNDRIAS

Durante os anos oitenta, Lynn Margulis propôs a teoria da endosimbiose para explicar a origem das mitocôndrias e cloroplastos de procariontes. De acordo com esta idéia, um procarionte maior engolfou ou cercou um procarionte menor há uns 1.5 bilhão ou 700 milhões de anos atrás. Em vez de digerir o organismo menor, o grande e o pequeno entraram em um tipo de simbiose conhecido como mutualismo, em que ambos os organismos se beneficiam e nenhum é danificado.

O organismo maior ganhou excesso de ATP fornecido pela “protomitocôndria” e açúcar em excesso fornecidos pelo “protocloroplasto”, enquanto fornecia um ambiente estável e as matérias-primas que o endosimbionte requeria. Esta relação é tão forte que agora células de eucarionte não podem sobreviver sem mitocôndria (igualmente eucariontes fotossintéticos não podem sobreviver sem cloroplastos), e os endosimbionte não podem sobreviver fora dos anfitriões. Quase todos eucariontes têm mitocôndria.

Fonte: www.acervoescolar.com.br

voltar 123456789avançar
Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal