Facebook do Portal São Francisco
Google+
+ circle
Home  Civilização Hebraica, Página 2  Voltar

CIVILIZAÇÃO HEBRAICA

CIVILIZAÇÃO HEBRAICA

Templo Construído por Herodes em Jerusalém

Antes de se fixarem na palestina, que é uma estreita faixa de terra situada a sudeste da Fenícia, banhada pelo rio Jordão, que divide o território palestino em duas partes, e desemboca no mar morto, limita-se com o mar Mediterrâneo, a Oeste, com o deserto Arábico, a leste com a penisula do Sinai, ao Sul, seu clima seco e solo pouco fértil fez com que nesta região se desenvolvesse basicamente, o pastoreio.

Os hebreus eram nómades Semita que se dedicavam ao pastoreio. Estavam organizados em clãs patriarcais (grupo ligados por laços de parentesco e de tradição), os quais possuíam como autoridade maior o patriarca, (chefe que ocupava os cargos de sacerdote, juiz e comandante militar).

Abraão (cujo o significado o nome é: Pai de muitas nações), teria sido segundo a Bíblia, o primeiro patriarca que saindo de Ur (sul da Caidéia) e levando sua família, foi ate Haran (nordeste da Mesopotamia), e dai para Canaã ou Palestina. Quando se fixaram nesta região, os hebreus dividiram-se em varias tribos, tomando posse dos territórios férteis do norte e das zonas montanhosas do sul; Neste período num processo lento, os hebreus passaram a dedicar-se cada vez mais à agricultura e, conseqüeníemente ao sedentárismo.

CIVILIZAÇÃO HEBRAICA

UR dos Caldeus - Mesopotâmia

Entretanto, a posse das terras na palestina (2.000 a. C.), não foi, pacifica pois os territórios palestinos já eram habitados por outros povos tais como: os cananeus e filisteus, contra os quais os hebreus travaram lutas sangrentas.

A história política dos hebreus é dividida em três período: Períodos dos Patriarcas, Período dos Juizes, Período dos Reis.

Períodos dos Patriarcas, fugindo das secas que castigavam o território da Palestina, boa parte das tribos hebraicas foram para o prospero Egito, onde se refugiaram da fome e das constantes guerras contra os outros povos habitantes da região da Palestina.

Por quatro séculos os hebreus permaneceram no Egito. Tempo mais que suficiente para que os mesmos se integrassem na sociedade egípcia, porem sem deixar de lado sua unidade religiosa e cultural, alias, traço marcante da sociedade hebraica.

A permanência tão prolongada dos hebreus no Egito foi possível devido a influência de alguns hebreus sobre o governo egípcio (a história de José); a invasão e ao domínio dos hiecsos (povo semita), sobre o Norte do Egito. Porém mais tarde, com a morte de José e a expulsão dos hiecsos, as consequências para os hebreus foram a perseguição e a escravidão.

O aumento da população hebraica (os clãs transformaram-se em tribos) e sua colaboração com os hicsos, fizeram com que o governo egípcio (Faraós do novo Império), preocupado com uma nova dominação estrangeira, ordenasse a escravidão dos hebreus. A escravidão dos hebreus no Egito só terminou com o Êxodo (fuga do Egito para a Palestina, século XIH a.C.), quando Moisés, liderou as doze tribos hebreias, conduziu o povo hebreu através do deserto até a terra prometida.

A Bíblia diz que durante a travessia do deserto, Moisés recebeu diretamente de Javé ou Jeová, no Monte Sinai, O Decálogo (Os Dez Mandamentos), o qual estabeleceu os fundamentos: Jurídico, Religioso e Moral da civilização hebraica. Moisés não conseguiu chegar a canaa. Morre ao avista-la.

Seu sucessor, Josué cruza o rio Jordão e dá combate aos cananeus, que então habitavam a terra prometida. Vencidos os cananeus, os israelitas se estabelecem na Palestina. Tem de travar luta contra os povos vizinhos permanentemente. Devido as lutas pelas conquistas de Canaà ou Terra Prometida, surgiu necessidade do poder e do comando estarem nas mãos de chefes militares. Estes chefes passaram a ser conhecidos como Juizes. Período dos Juizes, Com a concentração do poder em suas mãos, os juizes procuraram a união das doze tribos, pois ela possibilitaria a realização do objeto comum: O domínio da Palestina.

As principais lideranças deste período foram os juizes: Sansão, Otoniel, Gideão e Samuel, todos eram considerados enviados de Jeová, para comandar os Hebreus.

A união das doze tribos era difícil de ser conseguida e mantida, pois os juizes tinham um poder temporário e mesmo com a unidade cultural, (língua, costumes, e, principalmente religião), havia muita divisão política entre as tribos. Assim foi preciso estabelecer uma unidade política. Isto foi conseguido através da centralização do poder nas mãos de um monarca (Rei), o qual teria sido escolhido por Jeová para governar.

Período dos Reis: O primeiro rei hebreu foi Saul que liderou guerras contra os filisteus, porem morreu sem conseguir vence-los. Foi sucedido por Davi, que conseguiu derrotar os filisteus e estabeleceu domínio sobre a Palestina, fundando o Estado Hebreu, cuja a capital passou a ser Jerusalém. Em seguida, Salomão; sábio e pacifico famoso pelo poder e riqueza.

Salomão construiu o templo de Jerusalém com auxilio de operários fenícios.

Aliou-se ao rei Hirâo de Tiro (Fenícia); cobrou tributos das caravanas que atravessavam suas terras; comerciou com vizinhos e povos distantes. Sua corte era faustosa e o monarca, ao fim de seus dias, caiu no desagrado do povo pêlos gastos excessivos de seu palácio e pêlos altos impostos que cobrava. Além disso, permitiu que deuses estranhos se misturassem ao culto monotéista, que caracterizava a religião dos hebreus desde a sua origem.

Após a morte de Salomão, os hebreus dividiram-se: Dez tribos do norte formaram o Reino de Israel, liderados por Jerobaão; Duas tribos do sul formaram o Reino Judá, Siderados por Reoboão, filho de Salomão (924 a.C.).

A partir de então varias vezes estiveram em luta. O Reino de Israel, desde o inicio viveu na idolatria; isto fez com que a ira de Deus se manifesta-se sobre ele permitindo que no ano 722 a.C., fosse conquistado por Sargão II, da Assíria, e seu povo fosse levado para o cativeiro, sendo seu território habitado por outros povos, ali colocados por ordem do rei da Assíria.

O Rei de Judá viveu períodos de fidelidade a Deus e períodos de idolatria. Quando a apostasia dominou a nação, o castigo de Deus veio sobre ela através do rei Nabucodonozor, da Babilónia, no ano 586 a.C. A cidade santa, Jerusalém, foi destruída o Templo foi queimado os nobres eram amarrados e levados para o cativeiro. Ali foram deixados os pobres para vinheros e para lavouras, ficando Gedalias como maioral sobre eles.

O cativeiro durou até os dias de Ciro, rei da Pérsia que permitiu que o povo que estava escravizado na Caidéia, regressar a Palestina e reerguer o Templo de Jerusalém (536 a.C.). A seguir a Palestina foi invadida por Alexandre da Macedònia (322 a.C.). Depois passou a seu protetorado egípcio (301 a.C.), Colónia Síria (198 a.C.), e província romana (63 a.C.).

No ano 70 da era crista, após uma fracassada revolta contra a dominação romana, Jerusalém foi conquistada por Tito e seus exércitos, ocorrendo uma segunda destruição do Templo.

Os judeus foram expulsos da palestina, ficando este acontecimento conhecido na história pelo nome de Diaspora, só retomando no século XX, onde fundaram em 1948 o atual Estado de Israel.

Da cultura criada pêlos hebreus, a religião é, sem dúvida o legado mais importante. O judaísmo tem seus fundamentos no Antigo Testamento. Influenciou todas as realizações culturais dos hebreus: Do direito a literatura e as artes.

Os dois traços característicos da religião dos hebreus são o monoteísmo e o salvacionismo isto é a crença na vinda de um Messias ou Salvador para libertar o povo hebreu.

Com o Cisma ( a separação política entre Israel e Judá), a religião monoteista oficial dói ameaçada pela difusão da religião popular, politeísta. Os profetas, Amos Isaías, Jeremias, Daniel e outros, trataram de combater as praticas religiosas politeístas reafirmando a ideia messiânica e o monoteísmo hebraico. " Ouvi esta palavra, que levanto como lamentação sobre vos, o casa de Israel; Caiu a virgem de Israel, nunca mais tornara a levantar-se... Pois assim diz o Senhor a casa de Israel; Buscai-me e vivei "(Amos, 5,1 -2; 4).
A escrita e literatura, entre os hebreus, povo de língua semita, surgiu muito cedo uma escrita própria. A arqueologia revelou a existência de uma escrita a partir de meados do segundo milénios a. C., (época do Êxodo). Aos poucos porem, eles foram substituindo, em sua escrita a sua língua original pelo aramaico, que era a língua comercial e diplomática do Oriente, próximo na antiguidade. O alfabeto hebraico aíual é uma variedade do aramaico, que juntamente com a língua aramaica tornou-se muito difundido, suplantando os outros alfabetos e línguas semitas.

Artes e Ciências o monoteísmo hebraico influenciou todas as realizações culturais dos hebreus. Deve-se destacar a arquitetura, especialmente a construção de Templos, muralhas e fortificações. A maior realização arquitetõnica foi o Templo de Jerusalém.

Nas ciências, não apresentaram progresso notável. A importância cultural da sociedade hebraica residiu principalmente nas esferas religiosa (monoteista) e moral (na lei Mosaica), sua área de influencia atingiu o Ocidente e grande parte do oriente. O Judaísmo constituo uma das bases do cristianismo, com o qual o Islamismo formou tríade das arandes reliaiões universais.

Fonte: www.armazemnadia.com.br

voltar 1234567avançar
Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal