Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Características Gerais das Aves  Voltar

Características Gerais das Aves

 

As aves são ovíparas e tal como os peixes, os anfíbios, os répteis e os mamíferos, pertencem aos vertebrados.

Porém, distinguem-se destes por:

Possuírem penas, que são modificações da pele
Possuírem bico
Possuírem membros modificados para o voo (que também existem noutros animais, como os morcegos)
Possuírem ossos ocos e esponjosos muito leves
Possuírem uma estrutura óssea adaptada ao voo (esterno forte, fúrcula, etc...)

Penas

As penas são modificações da pele, tal como as escamas, porém distinguem-se destas por serem filamentosas, suaves na textura, flexíveis e muito leves. São estruturas mortas que têm que ser substituídas com regularidade. As penas são indispensáveis para a regulação da temperatura e para o voo.

Bico

O bico é uma característica distintiva das aves, embora varie muito de espécie para espécie, tanto em forma como em função.

O que são

Todas as aves, e somentes elas, possuem penas.

Como os peixes, anfíbios, répteis e mamíferos, apresentam coluna vertebral e por isso recebem a denominação de vertebrados.

São denominados, também tetrápodes por apresentarem quatro membros, o par anterior transformado em asas que em, geral, servem para voar: o par posterior pode estar adaptado a várias funções: andar, correr, nadar: cada pé, geralmente, é revestido de pele córnea e provido de quatro dedos.

Como os mamíferos, as aves são homeotermas ( isto é, conseguem manter praticamente constante a temperatura do corpo, independente do meio exterior) e seu coração apresenta quatro cavidades, com a circulação venosa totalmente separada da arterial.

Ao contrario dos mamíferos, porém, o arco aórtico é direito e não esquerdo.

As aves, sobretudo as voadoras, têm peso reduzido em relação ao volume corpóreo.

Para isso colaboram a leveza dos ossos, a cobertura das penas e estrutura peculiar do aparelho respiratório, ligadas aos pulmões existem, distribuídas entre órgãos internos, bolsas membranosas cheias de ar: os sacos aéreos.

O processo de reprodução é por fecundação interna: são ovíporaras, isto é, põe ovos que eclodem fora do organismo materno.

A capacidade de voar e a homeotermia permitiam que as aves se difundissem por toda parte.

Vivem em todos os continentes e nos mais diversos ambientes: nas zonas polares ou nos desertos, nas mais altas montanhas dos Andes ou em cavernas privadas de luz, na selva amazônica ou nas mais populosas cidades

Existem espécies de aves dos mais variados tamanhos e coloridos.

Do avestruz, com mais de 2m de altura e 130Kg, ao minúsculo beija-flor, ads montanhas de Cuba, com apenas dcm e 3g: do desajeitado Kiwi ao elegante flamingo, passando, entre outras, pelo corvo muito negro e os papagaios multicoloridos.

As aves atuais constituem uma classe com cerca de 9.000 espécies, agrupadas em 155 famílias, que se reúnem em 27 grupos principais ou ordens.

CARACTERÍSTICAS GERAIS DAS AVES

Têm o corpo coberto por penas, que protegem o corpo da perda de calor e auxiliam o vôo.

A boca é um bico, sem dentes que pode variar de forma e de tamanho conforme a espécie, sendo estas adaptações ao tipo de alimentação.

Têm dois pares de membros: anteriores as asas e posteriores as pernas ou patas. As patas também são adaptadas ao tipo de ambiente em que vive a ave. Cada pé geralmente com quatro dedos, canela e dedos envolvidos por pele cornificada.

Seu esqueleto é delicado e forte, totalmente ossificado, têm ossos muito leves e às vezes são cheios de ar, ossos pneumáticos, que facilitam o vôo. O esterno é modificado em quilha, facilitando o corte do ar e fixando a musculatura peitoral.

Respiração por pulmões compactos muito eficientes, presos às costelas e ligados aos sacos aéreos de paredes finas que se estendem entre os órgãos internos, apresentam um órgão especial a siringe, na base da traquéia, adaptada ao canto.

O sistema circulatório é composto de coração e vasos sangüíneos. O coração tem quatro cavidades no coração, o sangue venoso não se mistura ao sangue arterial. Persiste apenas o arco aórtico direito, glóbulos vermelhos, ovais e biconvexos.

O seu tubo digestivo é completo, composto: boca, faringe, esôfago, papo, estômago químico (proventrículo), estômago mecânico (moela), intestino, cloaca e órgãos anexos como o fígado e o pâncreas. Existe ainda a adição de sucos digestivos no proventrículo.

As aves não têm bexiga urinária, mas seu sistema urinário é composto pelos rins e ureteres, por este motivo elas não conseguem acumular a urina, que se mistura com as fezes e é eliminada pela cloaca, como uma secreção semi-sólida.

Apresentam dimorfismo sexual, isto é, o macho e a fêmea são muito diferentes.Têm sexos separados e são ovíparas. A sua fecundação é interna e ocorre no oviduto, antes da formação da casca calcária, são então eliminados pela cloaca. Seus ovos apresentam âmnio, cório, saco vitelino e alantóide e ao eclodir os filhotes são alimentados e vigiados pelos pais.

As aves têm a audição e a visão muito desenvolvidas. A visão é muito aguçada e conseguem visualizar objetos a longa distância, seus ouvidos são melhores que os dos répteis. Algumas ainda apresentam um bom olfato.

São homeotermas, isto é têm sangue quente, que se mantém com a queima dos alimentos e com auxílio das penas, que servem como isolante térmico. São chamadas de endotérmicas, pois a temperatura do corpo essencialmente é constante.

Sua pele é recoberta por penas e com glândulas, as aves aquáticas apresentam na cauda a glândula uropigiana para impermeabilizar as penas.

Seu cerebelo é bastante desenvolvido, pois este órgão está relacionado ao equilíbrio durante o vôo. São capazes de voar longas distâncias e retornar ao ponto de partida. Apresentam doze pares de nervos cranianos.

O movimento das asas durante o vôo é devido principalmente aos grandes músculos peitorais. Em cada lado do grande peitoral origina-se da parte externa da quilha do osso esterno e insere-se na cabeça do úmero.

Aves

Na época em que os dinossauros dominavam o planeta surgiram as aves.

Aliás, foi a partir de um grupo de dinossauros que elas evoluíram. Existiam répteis voadores chamados pterodáctilos, mas não foram estes que deram origem, mas sim um grupo que caminhava sobre o solo. O fóssil do Arqueoptérix (ave primitiva) representa a ave mais primitiva de que se tem conhecimento. Metade ave, metade réptil, possuía o corpo recoberto pelas penas, sendo esta uma das características mais marcantes das aves. Ele tinha características de répteis, como a boca com dentes, ossos pesados e uma longa cauda. Durante a evolução do grupo das aves foram surgindo adaptações específicas para o vôo, tornando-as principalmente mais leves.

Em todo o mundo são mais de 8500 aves.

O Brasil possui mais de 1500 espécies.

A principal característica destes animais é a presença de penas, que protegem o corpo contra perdas de água e calor e permitem o vôo. Mas nem todas as aves voam, algumas espécies como a Ema e o Avestruz, correm com muita velocidade. Já o ganso e o cisne têm a capacidade de nadar.

A menor ave conhecida é o Besourinho de Cuba, um colibri que pesa 1,6 gramas e a maior é o Avestruz que chega a pesar até 125 quilos. São representantes dos vertebrados. Em 1861 na Baviera, foram descobertos restos fossilizados de um animal estranho, metade réptil, metade ave. Ficou claro então que as aves, além dos mamíferos, têm os répteis como origem evolutiva.

O fóssil tinha formas tão impressas na rocha que as marcas das penas podiam ser observadas. Assim foi considerado como uma ave que recebeu o nome de Arqueopterix, o que significa "asa antiga". As aves têm como principal característica o corpo recoberto por penas. São animais vertebrados, com quatro membros, sendo assim considerados tetrápodes, os membros anteriores são modificados em asas, que são usadas para voar por alguns grupos. Os membros posteriores são utilizados para correr, nadar e andar, normalmente apresentam quatro dedos que são recobertos por uma pele córnea. Seus ossos são resistentes mas delicados, sendo em alguns casos ocos e por isso chamados de pneumáticos. a temperatura corporal é igual a dos mamíferos sendo chamados de homeotermos, com sangue quente. são amnióticas e põe ovos com casca. Sua respiração é pulmonar, apresentam sacos aéreos e a circulação é dupla e completa. Apresentam em alguns casos um órgão adaptado ao canto, a siringe.

Corpo

As Aves têm o corpo coberto por penas, que protegem o corpo da perda de calor e auxiliam o vôo;

A boca é um bico, sem dentes que pode variar de forma e de tamanho conforme a espécie, sendo estas adaptações ao tipo de alimentação, os maxilares foram transformados em bicos e atualmente são desprovidos de dentes;

Escamas nas pernas e nos pés (heranças deixadas pelos répteis);

Têm dois pares de membros: anteriores as asas e posteriores as pernas ou patas. As patas também são adaptadas ao tipo de ambiente em que vive a ave.

Cada pé geralmente com quatro dedos, canela e dedos envolvidos por pele cornificada, são bípedes, pela transformação dos membros anteriores em asas, o que lhes permite (na maioria das vezes) voar;

Seu esqueleto é delicado e forte, totalmente ossificado, têm ossos muito leves e às vezes são cheios de ar, ossos pneumáticos, que facilitam o vôo. O esterno é modificado em quilha, facilitando o corte do ar e fixando a musculatura peitoral.

Respiração por pulmões compactos muito eficientes, presos às costelas e ligados aos sacos aéreos de paredes finas que se estendem entre os órgãos internos, apresentam um órgão especial a siringe, na base da traquéia, adaptada ao canto.

O sistema circulatório é composto de coração e vasos sangüíneos. O coração tem quatro cavidades no coração, o sangue venoso não se mistura ao sangue arterial. Persiste apenas o arco aórtico direito, glóbulos vermelhos, ovais e biconvexos.

O seu sistema digestivo é completo, composto: boca, faringe, esôfago, papo, estômago químico (proventrículo), estômago mecânico (moela), intestino, cloaca e órgãos anexos como o fígado e o pâncreas. Existe ainda a adição de sucos digestivos no proventrículo.

As aves não têm bexiga urinária, mas seu sistema urinário é composto pelos rins e ureteres, por este motivo elas não conseguem acumular a urina, que se mistura com as fezes e é eliminada pela cloaca, como uma secreção semi-sólida.

Apresentam dimorfismo sexual, isto é, o macho e a fêmea são muito diferentes.Têm sexos separados e são ovíparas. A sua fecundação é interna e ocorre no oviduto, antes da formação da casca calcária, são então eliminados pela cloaca. Seus ovos apresentam âmnio, cório, saco vitelino e alantóide e ao eclodir os filhotes são alimentados e vigiados pelos pais.

As aves têm a audição e a visão muito desenvolvidas. A visão é muito aguçada e conseguem visualizar objetos a longa distância, seus ouvidos são melhores que os dos répteis. Algumas ainda apresentam um bom olfato.

São homeotermas, isto é têm sangue quente, que se mantém com a queima dos alimentos e com auxílio das penas, que servem como isolante térmico. São chamadas de endotérmicas, pois a temperatura do corpo essencialmente é constante.

Sua pele é recoberta por penas e com glândulas, as aves aquáticas apresentam na cauda a glândula uropigiana para impermeabilizar as penas.

Seu cerebelo é bastante desenvolvido, pois este órgão está relacionado ao equilíbrio durante o vôo. São capazes de voar longas distâncias e retornar ao ponto de partida. Apresentam doze pares de nervos cranianos.

O movimento das asas durante o vôo é devido principalmente aos grandes músculos peitorais. Em cada lado do grande peitoral origina-se da parte externa da quilha do osso esterno e insere-se na cabeça do úmero.

Adaptação

As aves, devido à sua capacidade de adaptação, espalharam-se por todo o Mundo. Apesar de serem descendentes dos répteis, conseguiram conquistar os ares.

As suas características morfológicas, anatômicas e biológicas estão ligadas a essa capacidade de voar.

Para que consigam voar facilmente as aves têm que ser leves. O seu corpo é aerodinâmico oferecendo pouca resistência ao ar favorecendo o voo. Têm músculos fortes.

A maioria dos ossos são ocos ou esponjosos fazendo com que as aves sejam leves. Muitas aves são capazes de virar completamente a cabeça.

O crânio é formado por ossos completamente soldados. Os dentes desapareceram logo no início da evolução sendo substituídos pelo bico. O bico é um instrumento fundamental, sendo utilizado como mão, para agarrar, como ferramenta, para servir de martelo, pinça, tesoura, gancho, etc.

O esterno é muito desenvolvido e a sua parte central forma uma crista saliente denominada "quilha".

As asas variam muito quer na proporção quer na forma, consoante o tipo de ave.

Os músculos responsáveis pelos movimentos das asas são os mais desenvolvidos. Nas fragatas os três músculos peitorais (responsáveis pelo voo), são 25% do peso do corpo.

As penas são formadas por uma substância proteica denominada "queratina". São compostas por um tubo, o cálamo, zona que está presa à epiderme, um eixo, a ráquis, que se vai estreitando até à ponta do mesmo e o escapo, que é a mais axial. A ráquis leva o estandarte, que é formado de cada lado pelas barbas e pelas bárbulas, sendo estas últimas as verdadeiras unidades anatómicas das penas.

Algumas penas, as rémiges das asas e as retrizes da cauda têm por função o voo. As restantes penas protegem a ave do meio ambiente. As aves mudam de penas todos os anos.

As aves desenvolveram vários tipos de voo. Os abutres são capazes de voar sem moverem as asas. Como eles os pelicanos, cegonhas e algumas aves de rapina também são capazes de planar.

Os batimentos das asas é que sustentam e permitem a progressão da ave no ar a maior parte das vezes. A forma de voo está intimamente ligada à forma da asa.

As aves têm a vista e a audição muito desenvolvidos. Os olhos são de grande importância e a sua posição varia de uma posição lateral até uma posição frontal do crânio. Devido à posição dos olhos e à capacidade de virar a cabeça mais de um semicírculo para cada lado, as aves têm um campo visual mais extenso do que o mamíferos.

Os olhos são enormes, por vezes maiores do que o cérebro. Têm grande capacidade de acomodação ocular, podendo focar rapidamente objetos. Podem servir como telescópio e como lentes de aumento e estão concebidos para ter o máximo de luminosidade. O olho da coruja capta uma quantidade de luz 100 vezes superior à do ser humano.

Os mochos são capazes de localizar a sua presa na obscuridade total servindo-se da audição.

Fonte: www.reinodosanimais.com.br/www.cantodasaves.hpg.ig.com.br/www.terramater.pt

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal