Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Sistema Digestivo das Aves - Página 3  Voltar

Sistema Digestivo das Aves

O sistema digestivo propriamente dito está dividido nos seguintes compartimentos:

Bico

Esófago

Papo

Proventrículo

Moela

Intestino

Cloaca

Bico

Bico podem variar significativamente em tamanho e forma de espécie para espécie. O bico é composto de uma mandíbula superior o chamado maxilar, e uma parte inferior chamado de mandíbula. A mandíbula é feita de osso, normalmente oco ou poroso para manter o peso ideal para voar. A superfície exterior do bico é coberta por uma fina bainha de esporões córneos. Entre a dura camada exterior e os ossos há uma camada vascular contendo vasos sanguíneos e terminações nervosas.

Em algumas aves, a ponta do bico é rígida, sendo utilizadas para tarefas como quebrar nozes ou matar presas. Em outras aves, como patos, a ponta do bico é sensível e contém nervos, para localizar as coisas pelo toque. Diferentemente dos maxilares com dentes, bicos não são usados para mastigar.

Esôfago

O esôfago é um órgão oco que com suas contrações através dos movimentos peristálticos fazem com que o bolo alimentar avance até o papo (em 2 segundos, aproximadamente) mesmo que esteja de cabeça para baixo.

Papo

Nas aves, o esôfago apresenta uma dilatação em forma de saco designada por papo. Os alimentos são aí armazenados temporariamente, permitindo uma diminuição da freqüência de refeições porque os alimentos permanecem no papo e só depois é que passam a um ritmo adequado para o pro-ventrículo.

No papo ocorre algumas fermentações e imbebição dos alimentos com mucosidades, preparando-os para a digestão gástrica posterior. O papo também permite a regurgitação de alimentos previamente digeridos para os filhotes.

Proventrículo

É uma das partes constituintes do estômago composto das aves. Como é responsável pela digestão química dos alimentos, também é designado como "estômago químico". Nas aves granívoras, depois de os grãos serem amolecidos com água no papo, a digestão continua no proventrículo, onde os sucos digestivos, com as suas enzimas, iniciam o processo digestivo químico.

Moela

A moela faz parte do sistema digestivo das aves (principalmente das aves granívoras) e realiza a digestão mecânica dos alimentos. Na boca das aves não há dentes, mas um bico que é adaptado ao tipo de alimentação mais comum de cada espécie. À boca, segue-se o esófago é encontrada uma bolsa chamada papo.

Nele o alimento vai sendo amolecido para depois avançar até o estômago químico, que solta enzimas digestivas para que se inicie o processo de digestão, que terminará na moela.

A moela é um compartimento muito musculado do tubo digestivo, final, onde com a ajuda de pequenas pedras e areia, os nutrientes são esmagados.

Intestino

O intestino é a parte final do tubo digestivo dos animais, responsável pela absorção de nutrientes e água e pela excreção dos resíduos.

Em animais ovíparos (aqueles que põem ovos), a o canal que pelo qual o ovo passa dos ovários para fora do corpo é conhecido como oviduto.

Cloaca

Câmara onde se abrem o canal intestinal, o aparelho urinário e os oviductos das aves e dos répteis.

Nos animais daqueles grupos em que ocorre fecundação interna, o macho inocula o esperma na cloaca da fêmea; quando esta operação ocorre juntando as duas aberturas cloacais, denomina-se "beijo-cloacal".

Fonte: zootecnia.catolica-to.edu.br

Sistema Digestivo das Aves

Os chamados desarranjos intestinais são normalmente caracterizados por diarreia aquosa ou com mucos, de cor cinzenta ou cinzenta-acastanhada. Além disso, as penas em redor da cloaca ficam bastante sujas e a pele nessa mesma zona apresenta-se avermelhada. A ave tem também vómitos e, como é natural, encolhe-se a um canto com as penas eriçadas e a cabeça debaixo da asa.

As causas devem ser geralmente procuradas na má alimentação (sementes sujas) e na água igualmente suja ou extremamente fria, embora a doença possa aparecer como resultado de um resfriamento.

O tratamento consiste no isolamento em gaiola aquecida (ver doenças do aparelho respiratório) e na administração de um antibiótico ou sulfamidas para uso veterinário, nas doses indicadas de acordo com o peso. A ave não deve comer verdura e, em vez de água, coloca-se no bebedouro chá de camomila.

Também como doença do aparelho digestivo podemos considerar a proliferação de uma bactéria normalmente existente nos intestinos das aves, chamada Escherichia coIi, onde auxilia a digestão.

Com efeito, devido a um enfraquecimento que pode resultar de uma alimentação deficiente, a bactéria multiplica-se em quantidade exagerada e provoca no animal sintomas graves que podem levar à morte. O tratamento consiste na aplicação de uma pequena dose de antibiótico.

As aves podem ainda ser atacadas de prisão de ventre ou obstipação. Neste caso, dá-se à ave alimento verde, com o auxílio de um conta-gotas, obriga-se a engolir uma gota de azeite.

Fonte: www.avespt.com

voltar 1234567avançar
Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal