Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Vôo das Aves  Voltar

Vôo das Aves

Vôo das Aves

A garça branca grande em vôo

O vôo das aves é um dos fenômenos mais incríveis do reino animal. Apesar de outros animais como os insetos e morcegos voarem eficientemente, nenhum realmente conta com a complexidade e variedade dos mecanismos de vôo das aves.

A distribuição extensa das aves e a incrível diversidade de seus estilos de vida vêm da sua habilidade de voar.

Vôo das Aves
Garça Branca Grande em voo

As aves voam tipicamente de duas formas - batendo as asas, e planando. As duas formas dependem da forma e estrutura únicas da asa da ave, que inspirou o desenho de asas aeroplance nos tempos modernos.

O vôo de bater as asas é extremamente complexo, e as formas de como é feito variam de acordo com as espécies das aves - muitas aves só voam pequenas distâncias entre árvores, enquanto outras passam a maior parte do seu tempo de vida voando. Mas os princípios gerais são os mesmos em todas as espécies.

Quando uma ave bate sua asa para baixo, ela produz um impulso para frente das penas de vôo; este impulso gera a decolagem, graças a forma aerofólio da asa que força o ar de baixo para cima.

Quando a ave está no alto, pode então variar a quantidade de impulso e levantar mudando a forma e tamanho da asa para aumentar ou diminuir impulso e levantar de acordo com onde e como precisa voar.

Aves que planam como o albatroz normalmente não são os melhores batedores de asas, mas usam as propriedades aerodinâmicas de suas asas para planar por longos períodos quando estão no ar, sem a necessidade de bater as asas.

A diversidade dos mecanismos de vôo nas aves é impressionante. Algumas aves de movimento lento como as heron podem bater suas asas somente duas vezes por segundo, enquanto outras como o beija-flor podem bater suas asas até 80 vezes por segundo.

Há muitas diferenças entre aves que refletem isto - o tipo de músculos de asas, o tamanho do coração e a velocidade de sua respiração, tudo isso varia dependendo de suas características de vôo.

A forma e o tamanho da asa são especialmente importantes, e a proporção entre o comprimento e a largura da asa, é particularmente crucial.

Aves que precisam fazer curvas fechadas para evitar predadores ou avistar comida, como os pombos, tipicamente têm uma proporção pequena em relação a altura e comprimento da asas que podem ser batidas rapidamente, sendo fácil de manobrar.

Predadores rápidos como os falcões têm proporções mais altas, permitindo que voem em alta velocidade por longos períodos, mas sem agilidade de caça.

Fonte: www.animalplanetbrasil.com

Vôo das Aves

Vôo das Aves
Estrutura das Aves

Adaptações ao vôo

No seu caminho evolutivo, as aves adquiriram várias características essenciais que permitiram o vôo ao animal.

Entre estas podemos citar:

1. Endotermia

2. Desenvolvimento das penas

3. Aquisição de ossos pneumáticos

4. Perda, atrofia ou fusão de ossos e órgãos

5. Aquisição de um sistema de sacos aéreos

6. Postura de ovos

7. Presença de quilha, expansão do osso esterno, na qual se prendem os músculos que movimentam as asas

8. Ausência de bexiga urinária

As penas, consideradas como diagnóstico das aves atuais, estão presentes em outros grupos de dinossauros, entre eles o próprio Tyrannosaurus rex.

Estudos apontam que a origem das penas se deu a partir de modificações das escamas dos répteis, tornando-se cada vez mais diferenciadas, complexas e, posteriormente, vieram a possibilitar os vôos planado e batido.

Acredita-se que as penas teriam sido preservados na evolução por seu valor adaptativo, ao auxiliar no controle térmico dos dinossauros – uma hipótese que aponta para o surgimento da endotermia já em grupos mais basais de Dinosauria (com relação às aves) e paralelamente com a aquisição da mesma característica por répteis Sinapsida, que deram origem aos mamíferos.

Os ossos pneumáticos também são encontrados em outros grupos de répteis. Apesar de serem ocos (um termo melhor seria "não-maciços"), os ossos das aves são muito resistentes, pois preservam um sistema de trabéculas ósseas arranjadas piramidalmente em seu interior.

Fonte: saber.sapo.ao

voltar 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 avançar
Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal