Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Cominho  Voltar

Cominho

Planta muito antiga sendo utilizada por várias civilizações, desde os celtas antigos, passando pelos romanos e chegando aos árabes. Na Turquia também é muito empregada, principalmente em licores e na própria alimentação. De sabor diferente, ficando entre o da pimenta e o anis, cativou muitos adeptos.

Os romanos empregavam como pimenta; já os celtas temperavam seus peixes e os árabes usavam como condimento para diversos pratos; os alemães moem seus grãos junto com grãos de trigo, fazendo uma farinha especial para a produção de pães condimentados.

Cominho

No Brasil não é muito conhecido, sendo mais usado no nordeste brasileiro. Juntamente com outras três sementes: a alcarávia, funcho e aipo, forma o grupo de sementes de sabor forte, pronunciado e marcante.

Planta herbácea, de ciclo curto variando de 3 a 4 meses, deve ser semeada anualmente; de caule tenro e ereto atinge em média de 20 a 40 cm de comprimento; de folhas de coloração verde, de formato filiforme, de flores pequenas de coloração branca ou rósea. Os frutos são formados por aquênios, com sementes medindo de 5 a 6 mm, côncavas de um lado e convexas do outro.

A região de origem do cominho é confundida com os locais onde vegetam espontaneamente. Como é uma cultura que já é utilizada pela população já há muitos séculos, pode ter sido disseminada pelo próprio homem. Vegeta espontaneamente no Egito até a Índia, e nos países ao redor do mar Mediterrâneo.

Atualmente os países que produzem o cominho são: França, Índia, Turquia, países do norte da África, o próprio Brasil, na região nordeste. O certo é que pela fácil adaptação desta planta aos diversos climas ela já se espalhou por grande parte dos países.

O solo ideal para o cultivo do cominho é o de textura média, aquele que apresenta uma proporção adequada de areia e argila. Exige solos bem ricos em nutrientes e bem drenados. Parece ser uma planta muito exigente, não suportando solos de textura extrema, como solos argilosos ou solos arenosos e também não suporta solos encharcados. O clima mais adequado para a germinação das sementes de cominho é de 25ºC. O ideal no ciclo da cultura é uma temperatura amena o ciclo todo.

A forma mais adequada de plantio é semeadura direta no campo, distante de 15 a 25 cm entre as linhas de plantio. Em média utiliza-se cerca de 2 gramas de sementes por metro quadrado de área de cultivo

A colheita é dificultada pelos mesmos problemas do coentro, o amadurecimento irregular dos frutos. Deve-se colher as umbelas que vão apresentando grande parte dos frutos já maduros, ou seja, que apresentam uma coloração amarela amarronzada. Evitada a perda durante a colheita e a secagem, pode-se colher de 500 a 1.000 kg de sementes por hectare.

O mais importante nas sementes de cominho são os óleos essenciais. Estes são extraídos por arraste a vapor, e chegam a proporcionar um rendimento de 2,5 a 4,0% do peso do fruto. Os óleos da Sicília e da região de Malta são os de melhores qualidades, e os mais procurados.

O cominho não é muito empregado como planta medicinal, mas possui ação carminativa e digestiva.

No Brasil não existe muito o hábito de consumir o cominho. Ele é mais empregado no nordeste brasileiro, basicamente no preparo de peixes e frutos do mar. As sementes são empregadas no preparo de pães, queijos, salsichas e lingüiças, principalmente nos países do norte da Europa. Seu aroma também é usado na produção de licores, principalmente em países como a Turquia. Na receita da moqueca de peixe onde são utilizadas as folhas frescas de coentro, pode-se substituir pelo cominho em pó, e o sabor de sua moqueca será totalmente diferente, parecendo ser um outro prato; experimente.

Fonte: www.jperegrino.com.br

Cominho

Familia : APIACEAE

Nome Cientifico:CUMINUM CYMINUM L.

COMINHO

Cominho

Cuminum cyminum

Falso-anis, falso-aneto, kümel, os grãos desta planta são confundidos com outros temperos. O seu aroma é intenso e seu gosto acre é levemente amargo. Provavelmente originário da Ásia central, o cominho é utilizado há muito tempo: os egípcios usavam-no como pimenta e colocavam seus frutos dentro das tumbas, como oferenda. Na Idade Média, o cominho era considerado como um tempero aristocrático, utilizado para temperar as aves a fim de facilitar a digestão.

NA CULINÁRIA

O cominho faz parte da composição do curry, é utilizado na cozinha oriental e mediterrânea. Na Alemanha, certos pães são temperados com suas sementes. Alguns queijos, como o gouda e o munster, podem também ser feitos com grãos de cominho em seu interior. O cominho também é utilizado moído, em pó, em muitos pratos da culinária árabe.

CURIOSIDADE

O cominho foi trazido para a Europa pelos árabes, que lhe atribuíam um poder afrodisíaco.

Cominho

Cuminum cyminum

Originária da Europa e norte da Índia, é uma planta bianual. Na culinária usam-se as folhas, raízes (muito finas, fracas e esbranquiçadas, são aromáticas e consideradas uma "délicatesse" à mesa). As flores pequenas, brancas ou levemente rosadas, não são usadas na culinária, mas originam pequenos frutos, que contêm as sementes, muito aromáticas.

A medicina caseira aconselha uma xícara de chá de folhas de cominho contra a má digestão.

Na culinária usam-se do cominho as folhas e os grãos nos preparos de molhos para carnes e peixes, legumes, ovos, queijos e sopas.

Na Holanda é comum utilizá-lo em bolos e doces.

Observação

Para a colheita das sementes, retire os frutos antes de amadurecerem. Deixe-os secar para depois debulhá-los. Partes usadas: Folhas e sementes

CURIOSIDADE

A presença de sementes do cominho dentre outros alimentos encontrados no poço funerário de uma mulher da II dinastia do antigo Egito (cerca de 3.700 a c.) nos confirma que esse tempero é conhecido já há bastante tempo.

A palavra cominho vem do latim cuminum, provavelmente com origens semitas. Em países de língua alemã é freqüentemente confundido com o kümmel, mais popular naqueles locais.

Partes usadas: frutos, chamados freqüentemente de sementes. Fortemente aromático com odor característico modificado quando frito ou assado.

Os frutos contêm de 2,5 a 4% de óleo essencial, composto basicamente por aldeídos.

Um especiaria popular ao redor do mundo, especialmente na América Latina, norte da África e Ásia, tem pouca aceitação na Europa, onde é utilizada para temperar queijos na França e Holanda. Típico na Índia, onde é parte do curry em pó e largamente empregado na cozinha tandoori, seus frutos são usados inteiros, podendo ser fritos ou assados antes do uso.

Os legumes, especialmente as lentilhas, são temperados com cominho frito na manteiga. Pode ser utilizado em misturas de temperos, polvilhados nos pratos antes de servir. O cominho preto é o fruto da planta de mesmo nome que cresce no Irã e na região norte da Índia, algumas vezes preferida em detrimento do cominho branco.

Fonte: www.herbario.com.br

voltar 123456avançar

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal