Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Complemento Nominal - Página 2  Voltar

Complemento Nominal



1. Colocação dos pronomes átonos.
Antes de nós começarmos a estudar algumas diretrizes gramaticais sobre a colocação dos pronomes oblíquos átonos (ME - TE - SE - LHE - LHES - O - A - OS - AS - NOS – VOS), faz-se necessário deixar claro que se trata de um assunto controvertido na nossa língua. Estamos falando da colocação desses pronomes em relação aos verbos: antes, no meio ou depois deles. Essas três posições são nomeadas da seguinte forma:

Próclise: o pronome é posto antes do verbo.
“Eu quero que você me aqueça neste inverno”
Mesóclise: o pronome é posto no meio do verbo.
Dar-te-ia tudo para que ficasses ao meu lado.
Ênclise: o pronome é posto depois do verbo.
Aqueça-me neste inverno.

A própria Gramática orienta para que as regras sejam usadas, seguindo-se o princípio da eufonia, quer dizer do som que parecer mais “belo”; a construção que soar melhor aos ouvidos. De fato, não é bem assim: usamos os pronomes oblíquos de uma maneira, quando falamos, e eu diria que até na escrita em geral; mas a Gramática orienta para outra, não exatamente a que
nos parece “soar” melhor. Esse problema já é antigo. Leia esse poema de Oswald de Andrade, modernista da primeira metade do século passado.

Pronominais

Dê-me um cigarro
Diz a gramática
Do professor e do aluno
E do mulato sabido
Mas o bom negro e o bom branco
Da Nação brasileira
Dizem todos os dias
Deixa disso camarada
Me dá um cigarro.

Creio que você entendeu o “problema”... Nós temos a nossa maneira de usar o pronome, que não é a mesma dos portugueses; sonoridade do português brasileiro é diferente. Mesmo assim, para
o vestibular, e sempre que você fizer uso da norma culta, será necessário observar algumas regras básicas. Vamos a elas:

2. Ocorrência de próclise, ênclise e mesóclise.

2.1 A próclise é obrigatória quando houver palavra atrativa antes do verbo, desde que entre a palavra atrativa e o verbo não haja pausa, marcada na escrita por sinal de pontuação.

Casos de Próclise

1. Palavras de sentido negativo (não, nunca, ninguém, nada, jamais).
Ninguém me
chamou...

2. Advérbios.
Ontem a avisaram sobre o ocorrido.
Ontem, avisaram-na sobre o ocorrido. Aqui se trabalha

3. Conjunções subordinativas e pronomes relativos.
Ele desejava que se entendessem.

4. Pronomes indefinidos, pronomes demonstrativos.
Todos se
impressionaram com aqueles fatos.

5. Nas orações iniciadas por pronomes ou advérbios interrogativos.
Quem te contou isso?

6. Nas orações iniciadas por palavras exclamativas.
Como me
sinto feliz!

7. Nas orações que exprimem desejo (orações
optativas).

Deus te ajude!

8. Com verbo no gerúndio precedido da preposição “em”.
Em se tratando de assuntos do coração, é melhor deixar de
lado a razão.

9. Nas orações sindéticas alternativas.
Ou se
decidia pela compra ou desistia de vez.

2.2 A mesóclise só ocorre se o verbo estiver no futuro do presente ou no futuro de pretérito, sem que haja fator de próclise.
Os amigos encontrar-se-ão na festa.
Os amigos não se encontrarão na festa.

2.3 A ênclise pode ser considerada a colocação básica no Brasil, pois segue a ordem direta dos elementos da oração:
sujeito, verbo e complemento.

Casos de Ênclise

a) Não se inicia frase com pronome oblíquo átono.
Devolveram-me os livros.
b) Com o verbo no infinitivo impessoal.
Era necessário envolver-nos com o projeto.

Muito bem: o que ocorrerá se você tiver dois verbos formando a oração? Caso apareça uma locução verbal, você terá de analisar se há elementos para que ocorra próclise, ênclise ou mesóclise e quais os verbos principais dessa locução. Por vezes, haverá duas opções, observe. Relembrando: locução verbal é a reunião de dois ou mais verbos para exprimir uma só ação. O primeiro verbo é chamado auxiliar; o último é o principal e está sempre no infinitivo, no gerúndio ou no particípio.

3. Colocação dos pronomes oblíquos nas locuções verbais

3.1 Verbo auxiliar + verbo principal infinitivo ou gerúndio.
a) Sem fator de próclise
Quero-lhe falar algumas coisas.
Quero falar-lhe algumas coisas.

3.2 Verbo auxiliar + verbo principal particípio
a) Sem fator de próclise
Tinha-lhe contado a verdade.
b) Com fator de próclise
Não lhe tinha contado a verdade.

Observe que se o verbo auxiliar estiver no futuro do indicativo, ocorrerá mesóclise.

Ter-me-iam entregado os convites.

Atenção: não se pode ligar pronome oblíquo a verbos no particípio.

3.3. Verbo auxiliar + verbo principal no infinitivo com preposição
Começou a se preparar para o exame.
Começou a preparar-se para o exame.

Fonte: www.cursoraizes.com.br

Complemento Nominal

3) Complemento Nominal

   É o termo que completa o sentido de uma palavra que não seja verbo. Assim, pode referir-se a substantivos, adjetivos ou advérbios, sempre por meio de preposição.

Exemplos:

Cecília tem        orgulho                da filha.
                        substantivo          complemento nominal

Ricardo estava   consciente        de tudo.
                               adjetivo       complemento nominal

A professora agiu       favoravelmente      aos alunos.
                                             advérbio        complemento nominal

Saiba que:

  O complemento nominal representa o recebedor, o paciente, o alvo da declaração expressa por um nome. É regido pelas mesmas preposições do objeto indireto. Difere deste apenas porque, em vez de complementar verbos, complementa nomes (substantivos, adjetivos) e alguns advérbios em -mente.

Fonte: www.soportugues.com.br

voltar 123456avançar
Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal