Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Airbag  Voltar

Airbag

Em uma colisão frontal, o motorista e os passageiros de um carro são arremessados para a frente e podem se ferir gravemente ao se chocarem com o volante, o painel ou o pára-brisa.

Os air bags, ou almofadas infláveis, protegem as pessoas nos casos de acidente: ejetados do volante ou do painel, se enchem de nitrogênio instantaneamente.

O sistema de air bag é formado por sensores eletrônicos, um inflator para produzir nitrogênio e a almofada em si.

Os sensores são programados para ignorar as colisões a menos de 16 a 22 km/h. Em um choque forte, a almofada se infla por completo em 1/20 de segundo.

Para as pessoas poderem sair, a almofada se esvazia assim que absorve o impacto.

Os air bags podem salvar vidas, mas apenas em colisões frontais, sem substituir os cintos de segurança e as ombreiras.

Air Bag

Ao receber os sinais do sensor de colisão, um gerador e calor inflama substâncias químicas para produzir o nitrogênio, que infla o air bag.

Completamente cheio, o air bag absorve o impacto inicial do corpo do motorista, quando este é lançado para a frente.

Tendo protegido o corpo do motorista, o air bag se esvazia, suavizando o impacto.

Dois orifícios na parte traseira da almofada deixam escapar o gás.

Air Bag

Fonte: br.geocities.com

Airbag

O ensino de ciências e tecnologias vem avançando na educação brasileira e o air bag é um assunto interessante que, por fazer parte de seu cotidiano, desperta a atenção do aluno e permite que o experimento seja reproduzido no laboratório de química escolar.

Utilizando essa tecnologia podemos explorar conceitos de química, física e meio ambiente, atualizando e preparando o aluno para ser profissional do futuro. O air bag é um dispositivo destinado a proteger motoristas e passageiros em caso de colisão. Trata-se de um módulo que se localiza no ponto central do volante de direção, quando está do lado do motorista e, no painel logo acima do porta-luvas, quando trata-se do módulo do passageiro.

Para haver um perfeito funcionamento, o sistema envolve mecanismo como: sensores localizados na parte frontal do veículo e que têm por função detectar a rápida desaceleração do automóvel; um módulo de controle eletrônico que, através de uma luz indicadora no painel, emite alerta sobre falhas em seu funcionamento; uma câmera de metal onde há substâncias químicas que reagem entre si quando recebem um impulso elétrico; uma bolsa plástica que fica acondicionada dentro do volante. Assim que os sensores enviam a mensagem de brusca desaceleração, uma faísca é lançada na câmera metálica e estes produtos reagem formando sólidos e o gás nitrogênio.

Air Bag

Apenas o gás atravessa os filtros da câmara metálica, enchendo a bolsa. O processo de enchimento do air bag rompe uma tampa localizada no centro do volante. Toda esta operação, desde a colisão até o término do enchimento da bolsa, dura apenas entre um a três milésimos de segundo. O air bag possui uma abertura no seu interior que permite o escapamento do gás de forma natural ou até mesmo com o peso exercido pelo corpo do motorista.

Equação química do processo:

6NaN3(s)+Fe2O3(s) => 3Na2O(s)+2Fe(s)+9N2(g)

Fonte: www.mundodoquimico.hpg.ig.com.br

Air Bag

"AIR BAG" - TECNOLOGIA EM DESENVOLVIMENTO PARA SUA PROTEÇÃO

Nos anos 60 começaram as primeiras experiências com air bag na General Motors, nos EUA. No Brasil coube a Volkswagen o pioneirismo de um sistema de air bag totalmente desenvolvido no Brasil.

COMO FUNCIONA

Antes de qualquer coisa é preciso entender como funciona o Air Bag, veja o que diz o Procon-SP na sua cartilha sobre esse item de segurança:

Os airbags complementam a função dos cintos de segurança, agindo conjunta e simultaneamente com o objetivo de reter o movimento para frente dos ocupantes dos assentos dianteiros - airbag frontal, ou para os lados - airbag ateral, em fortes colisões.

Air Bag

 

Os mais comuns são os frontais que ficam alojados no volante e no painel de instrumentos para maior proteção dos ocupantes dos bancos dianteiros. Existem também os laterais ou side bags. Dispostos geralmente nos bancos ou nas portas, sua função é a de proteção em impactos laterais ou capotamentos.

Fornecendo uma proteção adicional, os airbags reduzem os riscos de ferimentos na cabeça e no tórax, amortecendo o seu movimento contra o volante e o painel do automóvel, ou contra as laterais do veículo (side bag).

Esses dispositivos são eletronicamente programados para serem ativados em colisões de características específicas: os airbags dianteiros, por exemplo, são disparados em fortes colisões frontais ou fronto-oblíquas. Em colisões mais leves, laterais, traseiras ou em capotamentos, o dispositivo normalmente não é ativado.

O AIR BAG BRASILEIRO DA VW

Air Bag

 

Segundo Marcelo Bertocchi, Gerente de Segurança Veicular da VW, o desenvolvimento do air bag brasileiro, que equipa o Gol Geração II foi desenvolvido com objetivo de adequar o disparo do sistema para as condições de utilizações no Brasil. As estradas e ruas brasileiras podem ocasionar o disparo do sistema de air bag em veículos importados que não foram concebidos para os nossos "buracos", "lombadas" e outras surpresas que encontramos a cada curva.

Vários modelos da Volkswagen como Golf, Bora, Passat, oferecem air bag, que é sempre duplo, ou seja, para os dois ocupantes dos bancos da frente. "O modelo Fox exportado possui air bag", informa Bertocchi.

Ele esclarece que o cinto de segurança é essencial, não adianta a pessoa pensar que apenas o air bag vai salvá-la. "A eficiência do cinto três pontos na prevenção de fatalidade pode ser estimada em 42%, o cinto mais o air bag 47% a 52%, portanto o uso do cinto é fundamental", ensina o especialista, que reconhece não usar mais carro sem air bag.

Air Bag

 

Bertocchi explica que uma das prioridades no desenvolvimento de novas tecnologias do air bag está focada nas pernas que ainda sofrem muitas lesões em acidentes graves, já que o corpo desliza para baixo.

Apesar das vantagens do air bag o engenheiro lembra que é importante dirigir em posição correta, com o rosto não muito próximo do volante, e dirigir sem cruzar os braços, pois o air bag, no momento do seu acionamento, pode provocar queimaduras no braço ou rosto ou arremessar o braço do próprio motorista contra seu rosto.

Crianças não devem ficar no banco da frente, pois o sistema é adequado para adultos, e correm risco de queimaduras e outros ferimentos. "O ideal são pessoas com pelos menos 1m50cm sentarem na frente".

Bertocchi explica que não há como recuperar air bag depois de um acidente. "O sistema é todo trocado". Depois de 10 anos de fabricação de um veículo é bom fazer uma checagem no sistema.

Como surgiu o "air bag"?

A General Motors teve papel fundamental no surgimento do air bag, ao inventar algumas ferramentas para validar a proteção do ocupante, como a família de "dummies Hybrid III", que é "standard" na indústria automotiva para impacto frontal.

Década de 1960:

Nos EUA, a GM designou um grupo de engenheiros e especialistas em biomecânica para desenvolver "air bag" frontal.

A figura a seguir mostra os primeiros "air bags" protótipos da GM:

Air Bag

 

Década de 1970:

A indústria e o governo intensificam a busca por tecnologias que reduzam o número de fatalidades.
A GM monta 1000 veículos nos EUA equipados com air bags experimental, disponibilizando para a frota de consumidores para testes.
O primeiro equipado com air bag do passageiro disponível para venda foi o Oldsmobile Toronado em 1974.

Década de 1980:

"Air bags" do motorista começam a aparecer no mercado.
Governo inicia "phase-in" da obrigatoriedade de "air bags" frontais.
Na mesma época, a GM oferece air bag do motorista no Oldsmobile 98 e Delta 88.

Década de 1990:

GM é a primeira montadora nos EUA a oferecer veículos com airbag dos dois lados: do motorista e do passageiro.
Em 1997, a GM dos EUA oferece air bags laterais, pela primeira vez.
Em 1998, uma lei federal americana estabelece que todos veículos devem ter airbag do motorista e passageiro de série.

Início do século 21:

Nos EUA, o Saturn 2001 passa a oferecer "air bag" de cortina.
No mesmo ano, air bags frontais de duplo estágio se tornam equipamentos de série no Chevrolet Impala, Monte Carlo, Pontiac Bonneville, Oldsmobile Aurora e Buick LeSabre.

Quais os tipos de air bags estão sendo desenvolvidos?

Quanto a tecnologias futuras, os seguintes tipos de air bags estão em estudo:

"Air bag" para os pés
"Air bag" para joelho
"Air bag" no cinto de segurança
"Air bag" no capô para pedestres

Quais os tipos de "air bag" que existem?

Atualmente, existem os seguintes tipos de air bag no mercado global:

"Air bag" frontal para motorista e passageiro

Air Bag

"Air bag" lateral para tórax ou para tórax e cabeça
"Air bag" lateral do tipo curtina para a cabeç

Air Bag

Como funcionam e quais são as condições necessárias para que eles abram?

O "Air bag" é uma proteção complementar ao cinto de segurança, uma vez que o uso de cinto pelos ocupantes garante a maior parte da proteção.

A central eletrônica determina a intensidade do impacto medido por sensores. Um sinal elétrico é emitido para o gerador de gás que inflando a bolsa. Com o contato do ocupante com a bolsa, gás nitrogênio sai da bolsa por orifícios laterais calibrados, parando gradativamente o ocupante.

A bolsa do "air bag" frontal é inflada em aproximadamente 30 milisegundos. A bolsa do "air bag" lateral do tórax infla em até 20 milisegundos. Para efeito de comparação, um piscar de olhos ocorre em torno de 100 milisegundos.

O "air bag" frontal é calibrado para se comportar segundo a tabela a seguir:

TIPO DE COLISÃO FRONTAL
CARACTERÍSTICAS DA COLISÃO
TIPO DE PROTEÇÃO
Baixa a média intensidade

Pouca troca de energia (deformação apenas em partes de acabamento e/ou não estruturais do veículo).

Pouco ou nenhum contato dos ocupantes com partes internas do veículo.

Cinto de segurança
Média intensidade

Significativas deformações na travessa frontal do chassi, suspensão e/ou subframe, porém sem ocorrer diminuição significativa do compartimento do motor.

Contato dos ocupantes com partes internas do veículo, porém sem possibilidade de ocorrer ferimentos graves e/ou com seqüelas permanentes.

Cinto de segurança + Pré-tensionador
Média a alta intensidade

Grandes deformações estruturais com ou sem redução do espaço de sobrevivência dos passageiros.

Impacto dos ocupantes com partes internas do veículo, com risco provável de ocorrência de ferimentos graves e/ou seqüelas permantentes.

Cinto de segurança + Pré-tensionador + Air bag

Quais os modelos brasileiros da GM que oferecem air bag?

A General Motors do Brasil possui a melhor linha de veículos do Brasil, oferecendo a opção de air bag conforme abaixo:

"AIR BAG" FRONTAL

Air Bag

Classic

Air Bag
Corsa

Air Bag
Meriva

Air Bag
Montana

Air Bag
S10 / Blazer

Air Bag
Vectra

"AIR BAG" FRONTAL E LATERAL

Air Bag
Astra

Air Bag
Zafira

Air Bag
Omega

Fonte: www.estradas.com.br

Air Bag

O cuidado com o Airbag

Airbags são equipamentos destinados a oferecer uma proteção suplementar ao uso dos cintos de segurança, que ainda são os elementos mais eficazes no sistema de proteção passiva de um automóvel.

Os Airbags frontais consistem em bolsas de volumes de inflação diferentes, sendo uma menor no lado do motorista, que dispara a partir do centro do volante, e uma maior no lado do passageiro, que dispara a partir da região acima do porta-luvas do painel de instrumentos.

A Resolução 311 do CONTRAN, de 03.04.09 dispõe sobre a obrigatoriedade do Airbag  nos lugares dianteiros dos veículos novos, através de um percentual crescente em relação à quantidade de veículos novos produzidos, sendo 8% em 2010, 15% em 2011, 30% em 2012, 60% em 2013 e 100% em 2014. Isto significa que a partir de 2014 todos os veículos novos produzidos no Brasil deverão ser equipados com Airbagsfrontais (motorista e passageiro).

Num acidente grave, os Airbags disparam num tempo inferior a 25 milésimos de segundo após o início do impacto. O tempo entre o início de inflagem e o esvaziamento da bolsa também é muito pequeno, e assim antes de 100 milésimos de segundo após o início do impacto do veículo, o Airbag já deve ter cumprido todo seu papel no amortecimento dos ocupantes.

Embora o  Airbag já tenha salvo muitas vidas envolvidas em acidentes automobilísticos, em alguns casos podem ocorrer pequenos ferimentos tais como queimaduras e raspões devido ao atrito da bolsa inflável do Airbag com a pele dos ocupantes, especialmente se estiverem muito próximos da área de inflação da bolsa.

Apesar de sua excelente contribuição na preservação de vidas, o Airbag pode proporcionar risco fatal no caso de uma criança no banco dianteiro em um dispositivo de retenção da classe 0+, que esteja voltada para a direção contrária ao sentido de marcha de um veículo, cujo Airbag não tenha sido desativado.

É por isso que se recomenda que, no caso de uma criança precisar ocupar o banco do acompanhante em um veículo com Airbag (ex. picape), além da desativação do Airbag (vide detalhes abaixo), ela esteja usando o cinto de segurança ou o dispositivo de retenção equivalente, adequado para o seu peso e idade, e que o banco seja o mais possível recuado para trás, para evitar ao máximo as conseqüências lesivas do Airbag.

Air Bag

No transporte de crianças em veículos equipados com Airbags, o maior problema é a velocidade da bolsa inflada com gás, que chega a 300 km/h e pode ser fatal para uma criança que esteja sentada no banco dianteiro com o assento tipo "bebê-conforto" posicionado na direção contrária ao sentido de marcha do veículo, pois o assento será atingido antes da bolsa estar totalmente inflada, quando então atuaria favoravelmente no amortecimento.

Quanto mais próxima estiver a criança do Airbag durante o seu processo de inflagem, tanto maior serão os riscos de uma desaceleração fatal sobre a cabeça. No caso da cadeirinha da classe 0+ na posição voltada para a traseira do veículo, a cabeça fica muito próxima ao local onde o Airbag dispara no painel de instrumentos.

Portanto, se em um veículo sem Airbag é sempre recomendável que as crianças ocupem o banco traseiro, no caso do veículo comAirbag essa recomendação é duplamente aplicável.

A próxima geração de Airbags, chamada “smart bags”, prevê a identificação de uma criança através de sensores de reconhecimento de peso instalados no banco, inibindo assim automaticamente a inflação da bolsa para estes casos.

Air Bag

O assento de crianças da classe "0" só pode ser instalado num banco dianteiro de um veículo com Airbag se ele puder ser desativado. Se o veículo não tiver um desativador do tipo "chave" ou tecla como equipamento de série (vide foto à direita), o trabalho de desativação só poderá ser feito em uma concessionária autorizada.

A etiqueta adesiva ao lado alerta para o risco do uso do assento infantil sem que o Airbag do banco do acompanhante tenha sido desativado. Geralmente os veículos possuem essa etiqueta desse tipo com cores e dimensões padronizadas num local visível próximo ao banco do veículo, tal como o vão da porta ou na lateral do painel de instrumentos.

Há alguns modelos de veículos que possuem o Airbag apenas no lado do motorista. Neste caso, dispensa-se o cuidado especial em questão.

Air Bag

ntre outros veículos no Brasil que possuem a chave de desativação do Airbag estão o Honda Civic e Ford Fusion entre os automóveis, e a Fiat Strada e Ford Range no segmento das picapes.

As figuras abaixo ilustram a dinâmica de movimentação perigosa do assento infantil da classe "0" (tipo "concha"), quando instalado no banco dianteiro direito do veículo (banco do acompanhante) sem que o Airbag tenha sido previamente desativado.

Air Bag

Air Bag

Fonte: www.assentoinfantil.oswnet.com

Air Bag

Airbag é um componente de segurança dos carros, que pode ser usado em algumas máquinas industriais e em robôs de pesquisa, que funciona de forma simples: quando o carro sofre um grande impacto, vários sensores dispostos em partes estratégicas do veículo (frontal, traseiro, lateral direito, lateral esquerdo, atrás dos bancos do passageiro e motorista, tipo cortina no forro interno da cabina) são acionados emitindo sinais para uma unidade de controle que por sua vez checa qual sensor foi atingido e assim aciona o airbag mais adequado.

Este dispositivo é constituído de pastilhas de nitrogênio que são acionadas por uma descarga elétrica pela central eletrônica dentro de um balão de ar muito resistente, que é o próprio Airbag, este por sua vez se enche rapidamente amortecendo assim o choque e evitando que motorista e passageiros sofra danos físicos principalmente no rosto, peito e coluna. Para evitar o sufocamento o Airbagvai perdendo pressão após o acionamento.

Atualmente existem modelos que calculam a severidade do impacto e calculam a intensidade que o Airbag deve inflar.

Benefícios

Os airbags são um adicional ao cinto de segurança em reduzir a chance de que a cabeça e a parte superior do corpo de um ocupante bata em alguma parte no interior do veículo. Eles também ajudam a reduzir o risco de lesões graves distribuindo as forças da batida mais uniformemente ao longo do corpo do ocupante.

“Um estudo recente concluiu que cerca de 6.000 vidas já foram salvas graças aos airbags.”

Entretanto, o número exato de vidas salvas é quase impossível de se calcular.

Como enche o airbag

Para que condutor e passageiros embatam nos airbags é necessário que estes se encham muito depressa: 25 milésimos de um segundo, cinco vezes mais rápido que um piscar de olho.

A reação química escolhida para encher o airbag tão rapidamente foi a decomposição de azida de sódio.

A azida de sódio é um composto químico muito instável e tóxico, constituído por átomos de sódio e de nitrogênio (NaN3).

No sistema de airbag a azida de sódio encontra-se num pequeno contentor, juntamente com nitrato de potássio (KNO3) e óxido de sílicio ( SiO2).

Quando acontece a ativação do airbag, ocorre uma ignição electrônica que aquece a azida de sódio a mais de 300 °C. Esta temperatura desencadeia a reação química de decomposição da azida de sódio em sódio metálico (Na) e em nitrogênio molecular (N2).

O nitrogênio molecular é libertado como um gás, que rapidamente enche o airbag.

É no entanto necessário ter cuidado com o sódio, que é um metal muito reativo. Este reage rapidamente com nitrato de potássio, libertando mais nitrogênio molecular, óxido de sódio e óxido de potássio. Finalmente estes óxidos reagem com o óxido de silício formando-se vidro em pó.

O vidro formado é filtrado de forma a não entrar na almofada. O nitorgênio molecular é um gás inerte e não combustível. Em caso de colisão o nitorgênio não reage, pelo que não é um perigo para o condutor e passageiros. Quase ao mesmo tempo que a almofada se enche começa a esvaziar de forma controlada, outra forma de amortecer o choque.

Fonte: www.gforum.tv

Air Bag

Nos anos 60 começaram as primeiras experiências com air bag na General Motors, nos EUA. No Brasil coube a Volkswagen o pioneirismo de um sistema de air bag totalmente desenvolvido no Brasil.

Embora a tecnologia impressione, já que existem modelos de air bag até para encosto de cabeça, como os desenvolvidos pela alemã Grammer, o bom e velho cinto de segurança ainda é o item mais importante para evitar lesões graves e até a morte. Mas essa é outra matéria.

COMO FUNCIONA

Antes de qualquer coisa é preciso entender como funciona o Air Bag, veja o que diz o Procon-SP na sua cartilha sobre esse item de segurança:

Os airbags complementam a função dos cintos de segurança, agindo conjunta e simultaneamente com o objetivo de reter o movimento para frente dos ocupantes dos assentos dianteiros – airbag frontal, ou para os lados – airbag lateral, em fortes colisões.

Os mais comuns são os frontais que ficam alojados no volante e no painel de instrumentos para maior proteção dos ocupantes dos bancos dianteiros. Existem também os laterais ou side bags. Dispostos geralmente nos bancos ou nas portas, sua função é a de proteção em impactos laterais ou capotamentos.

Fornecendo uma proteção adicional, os airbags reduzem os riscos de ferimentos na cabeça e no tórax, amortecendo o seu movimento contra o volante e o painel do automóvel, ou contra as laterais do veículo (side bag).

Esses dispositivos são eletronicamente programados para serem ativados em colisões de características específicas: osairbags dianteiros, por exemplo, são disparados em fortes colisões frontais ou fronto-oblíquas. Em colisões mais leves, laterais, traseiras ou em capotamentos, o dispositivo normalmente não é ativado.

O AIR BAG BRASILEIRO DA VW

Segundo Marcelo Bertocchi, Gerente de Segurança Veicular da VW, o desenvolvimento do air bag brasileiro, que equipa o Gol Geração II foi desenvolvido com objetivo de adequar o disparo do sistema para as condições de utilizações no Brasil. As estradas e ruas brasileiras podem ocasionar o disparo do sistema de air bag em veículos importados que não foram concebidos para os nossos “buracos”, “lombadas” e outras surpresas que encontramos a cada curva.

Vários modelos da Volkswagen como Golf, Bora, Passat, oferecem air bag, que é sempre duplo, ou seja, para os dois ocupantes dos bancos da frente. “O modelo Fox exportado possui air bag”, informa Bertocchi.

Ele esclarece que o cinto de segurança é essencial, não adianta a pessoa pensar que apenas o air bag vai salvá-la. “A eficiência do cinto três pontos na prevenção de fatalidade pode ser estimada em 42%, o cinto mais o air bag 47% a 52%, portanto o uso do cinto é fundamental”, ensina o especialista, que reconhece não usar mais carro sem air bag.

Bertocchi explica que uma das prioridades no desenvolvimento de novas tecnologias do air bag está focada nas pernas que ainda sofrem muitas lesões em acidentes graves, já que o corpo desliza para baixo.

Apesar das vantagens do air bag o engenheiro lembra que é importante dirigir em posição correta, com o rosto não muito próximo do volante, e dirigir sem cruzar os braços, pois o air bag, no momento do seu acionamento, pode provocar queimaduras no braço ou rosto ou arremessar o braço do próprio motorista contra seu rosto.

Crianças não devem ficar no banco da frente, pois o sistema é adequado para adultos, e correm risco de queimaduras e outros ferimentos. “O ideal são pessoas com pelos menos 1m50cm sentarem na frente”.

Bertocchi explica que não há como recuperar air bag depois de um acidente. “O sistema é todo trocado”. Depois de 10 anos de fabricação de um veículo é bom fazer uma checagem no sistema.

A GM E O “AIR BAG”

A General Motors respondeu ao questionário e acrescentou outras informações importantes sobre o Air Bag.

As perguntas e os esclarecimentos foram prestados por um time de craques na matéria, que trabalham na GM para a segurança dos usuários de automóvel.

Foram eles:

Gerson Pagnotta (Diretor de Engenharia de Carrocerias)

Leonardo Menezes (Gerente de Engenharia de Carrocerias)

Tiago Santos (Engenheiro de projeto – Segurança Veicular)

Como surgiu o “air bag”?

A General Motors teve papel fundamental no surgimento do air bag, ao inventar algumas ferramentas para validar a proteção do ocupante, como a família de “dummies Hybrid III”, que é “standard” na indústria automotiva para impacto frontal.

Década de 1960

Nos EUA, a GM designou um grupo de engenheiros e especialistas em biomecânica para desenvolver “air bag” frontal.

Década de 1970

A indústria e o governo intensificam a busca por tecnologias que reduzam o número de fatalidades.

A GM monta 1000 veículos nos EUA equipados com air bags experimental, disponibilizando para a frota de consumidores para testes.

O primeiro equipado com air bag do passageiro disponível para venda foi o Oldsmobile Toronado em 1974.

Década de 1980

“Air bags” do motorista começam a aparecer no mercado.

Governo inicia “phase-in” da obrigatoriedade de “air bags” frontais.

Na mesma época, a GM oferece air bag do motorista no Oldsmobile 98 e Delta 88.

Década de 1990

GM é a primeira montadora nos EUA a oferecer veículos com airbag dos dois lados: do motorista e do passageiro.

Em 1997, a GM dos EUA oferece air bags laterais, pela primeira vez.

Em 1998, uma lei federal americana estabelece que todos veículos devem ter airbag do motorista e passageiro de série.

Início do século 21

Nos EUA, o Saturn 2001 passa a oferecer“air bag” de cortina.

No mesmo ano, air bags frontais de duplo estágio se tornam equipamentos de série no Chevrolet Impala, Monte Carlo, Pontiac Bonneville, Oldsmobile Aurora e Buick LeSabre.

Quanto a tecnologias futuras, os seguintes tipos de air bags estão em estudo:

“Air bag” para os pés

“Air bag” para joelho

“Air bag” no cinto de segurança

“Air bag” no capô para pedestres

Atualmente, existem os seguintes tipos de air bag no mercado global:

“Air bag” frontal para motorista e passageiro

“Air bag” lateral para tórax ou para tórax e cabeça

“Air bag” lateral do tipo curtina para a cabeça

Como funcionam e quais são as condições necessárias para que eles abram?

O “Air bag” é uma proteção complementar ao cinto de segurança, uma vez que o uso de cinto pelos ocupantes garante a maior parte da proteção.

A central eletrônica determina a intensidade do impacto medido por sensores. Um sinal elétrico é emitido para o gerador de gás que inflando a bolsa. Com o contato do ocupante com a bolsa, gás nitrogênio sai da bolsa por orifícios laterais calibrados, parando gradativamente o ocupante.

A bolsa do “air bag” frontal é inflada em aproximadamente 30 milisegundos. A bolsa do “air bag” lateral do tórax infla em até 20 milisegundos. Para efeito de comparação, um piscar de olhos ocorre em torno de 100 milisegundos.

Fonte: www.renaultclube.com

Air Bag

COMO FUNCIONA O AIRBAG E A LEI QUE OBRIGA AIRBAG NOS CARROS NOVOS

O Presidente aprova Lei que obriga o duplo AirBag frontal nos carros novos.

A nova Lei aprovada pelo Presidente é valida para carros nacionais e importados, que a partir de 2014 deverão sair de fabrica com o duplo airbag frontal que será mais um item de segurança dos carros.

A nova Lei foi publicada no Diário Oficial na quinta feira 19/ 02/2009 logo após o Presidente Lula sancionar.

A nova lei sem duvida alguma vai salvar muitas vidas já que o índice de acidentes no Brasil é considerado muito alto.

Veja o que é e como funciona o AIRBAG:

Air Bag

Sensor de Colisão

É o dispositivo que fica localizado na parte da frente do carro e em caso de colisão, transmite o pulso que recebe para a central de sensores.

Central de Sensores
Recebe o sinal dos sensores na hora do impacto e envia o comando para os airbags, a central de sensores e capaz de identificar a intensidade do impacto e aciona ou não o airbag.

Cabo de comando

Transmite o sinal da central de sensores para o AIRBAG na hora do impacto para o AIRBAG inflar.

AIRBAG

É uma Bolsa flexível que fica instalada dentro do painel ou dentro da direção do carro.

O Airbag é uma bolsa de ar que infla no momento da colisão,o airbag possui varias pastilhas de nitrogênio que recebem um choque elétrico que vem da central de sensores, esse choque faz com que as pastilhas se transformem do estado sólido para o gasoso enchendo assim o airbag, e que conseqüentemente amortece o impacto causado pela colisão aos motoristas e passageiros evitando os danos físicos.

O airbag leva cerca de 25 milésimos de um segundo para se inflar, esse tempo é cinco vezes mais rápido que um piscar de olho.

O airbag depois que é acionado automaticamente começa a perder pressão na bolsa pra evitar que o motorista e passageiros fiquem sufocados.

Em alguns modelos de carros os airbags são capazes de calcular a intensidade do impacto e automaticamente calculam a intensidade que o airbag deve ser inflado.

Fonte: www.sitedecarro.com.br

Air Bag

5 Dicas de segurança na utilização do airbag

Air Bag

O airbag é um dos acessórios de segurança mais importantes num automóvel, uma vez que, em caso de acidente, pode salvar a vida a um condutor ou passageiro. Conheça as 5 dicas de segurança acerca da utilização do airbag e saiba como elas podem ser importantes para a proteção de todos os ocupantes.

O airbag é como um amortecedor e atua quando um veículo sofre um impacto forte. Desse embate podem resultar lesões graves para o condutor e restantes passageiros se as devidas precauções não forem tomadas.

Para que isso não aconteça, siga os passos seguintes:

  • Utilize sempre o cinto de segurança. Na condução, a colocação do cinto de segurança é obrigatória por lei e reflete um dever moral de cada automobilista. Na ausência do cinto de segurança, o airbag perde toda a sua eficácia e isso pode ser muito perigoso, pois o corpo do condutor não se encontra num local fixo e o embate pode acontecer em qualquer lado. Independentemente da velocidade a que o veículo circula, sem o cinto de segurança não existe uma força de tração que controla o corpo do condutor e as consequencias que daí advêm poderão ser fatais. O cinto de segurança é sempre sinónimo de proteção adicional para todos os condutores e passageiros.
  • Não viaje com menores de 12 anos no banco da frente do veículo. Numa viagem de automóvel é obrigatório que uma criança com menos de 12 anos viaje no banco traseiro do veículo. Esta é uma regra muito importante porque se as crianças viajarem nos bancos da frente e na eventualidade de acontecer um acidente, o airbag será acionado e a criança poderá sofrer ferimentos graves. Verifique sempre se as crianças estão bem amarradas, pois é a segurança delas e a sua responsabilidade que estão em causa.
  • Não coloque a cadeirinha da criança no banco da frente e virada para o para-brisas. Numa viagem de automóvel, as crianças menores de 12 anos devem ficar sempre no banco traseiro e se tiver menos de 7 anos e meio é obrigatório o uso de cadeirinhas ou assentos infantis de forma a aumentar os índices de segurança e de proteção. Dessa forma, o condutor nunca deve transportar as crianças no banco da frente, pois o acionamento do airbag em caso de acidente poderá ser fatal. Por outro, se o seu automóvel é de dois lugares, o condutor nunca deve virar a criança de frente para o para-brisas, pois a criança pode ser ferida pelo airbag mas também, por exemplo, pelo estilhaçamento de vidros.
  • Não se sente a curta distância do painel de instrumentos. Todos os condutores devem manter uma distância de segurança em relação ao painel de instrumentos do automóvel, pois assim conseguem proteger-se atempadamente do acionamento do airbag. O ideal será que o condutor se sente o mais afastado possível do painel de instrumentos, desde que essa posição não afete a sua condução e conforto.
  • Nunca coloque objetos entre si e o airbag. Numa viagem de automóvel, o condutor deve ter especial atenção se algum objeto está entre ele e o seu airbag. A existir algum objeto, o mesmo poderá ser mortal numa eventual colisão. Dessa forma, e por questões de segurança, é impreterível que o espaço entre o condutor e o tablier esteja vazio, pois, em caso de acidente, o airbag apresentará a sua máxima eficácia de proteção.
  • Fonte: amolgadelas.com

    Air Bag

    RESOLUÇÃO Nº 311, DE 03 DE ABRIL DE 2009

    Dispõe sobre a obrigatoriedade do uso do equipamento suplementar de segurança passiva - Air Bag, na parte frontal dos veículos novos saídos de fábrica, nacionais e importados.

    O CONSELHO NACIONAL DE TRÂNSITO - CONTRAN, no uso das atribuições que lhe são conferidas pelo art. 12, da Lei nº 9.503, de 23 de setembro de 1997, que instituiu o Código de Trânsito Brasileiro - CTB, e conforme o disposto no Decreto nº 4.711, de 29 de maio de 2003, que trata da coordenação do Sistema Nacional de Trânsito – SNT; Considerando a necessidade de aperfeiçoar e atualizar os requisitos de segurança para os veículos automotores nacionais e importados conforme determina a Lei 11.910 de 18 de março de 2009; Considerando a necessidade de garantir a segurança dos condutores e passageiros dos veículos; Considerando que a instalação deste equipamento nos veículos automotores, reduz de maneira expressiva os danos causados ao condutor e passageiro do banco dianteiro direito, nos casos de colisão frontal e Considerando também que trata de um equipamento suplementar de segurança passiva que deve ser usado concomitantemente com o cinto de segurança; RESOLVE: Art. 1º Estabelecer como obrigatório, o equipamento suplementar de segurança passiva – AIR BAG, instalados na posição frontal para o condutor e o passageiro do assento dianteiro, para os veículos novos produzidos, saídos de fábrica e os veículos originários de novos projetos, das categorias M1e N1, nacionais e importados. Parágrafo único. Conforme norma NBR 13776 da Associação Brasileira de Normas Técnicas – ABNT fica caracterizado: a) – veículos da categoria M1 são aqueles projetados e construídos para o transporte de passageiros, que não tenham mais que oito assentos, além do assento do motorista. b) – veículos da categoria N1 são aqueles projetados e construídos para o transporte de cargas e que tenham uma massa máxima não superior a 3,5 toneladas que abrange também os veículos classificados como caminhonetes no CTB. Art. 2º Para efeito desta Resolução, define-se Air Bag, como equipamento suplementar de retenção que objetiva amenizar o contato de uma ou mais partes do corpo do ocupante com o interior do veículo, composto por um conjunto de sensores colocados em lugares estratégicos da estrutura do veículo, central de controle eletrônica, dispositivo gerador de gás propulsor para inflar a bolsa de tecido resistente. Art. 3º O disposto na presente Resolução se aplica aos veículos das categorias M1 e N1, conforme o cronograma de implantação definido abaixo:

    I – Novos projetos de automóveis e veículos deles derivados, nacionais ou importados.

    Data de Implantação Percentual da Produção
    01 de Janeiro de 2011 10
    01 de Janeiro de 2012 30
    01 de Janeiro de 2013 100

    II – Automóveis e veículos deles derivados em produção, nacionais ou importados.

    Data de Implantação Percentual da Produção
    01 de Janeiro de 2010 8
    01 de Janeiro de 2011 15
    01 de Janeiro de 2012 30
    01 de Janeiro de 2013 60
    01 de Janeiro de 2014 100

    § 1º Independente dos percentuais definidos no inciso I, a partir de 2012, todos os veículos originários de novos projetos, nacionais ou importados, ficam condicionados ao atendimento da Resolução CONTRAN 221/2007, que estabelece requisitos de proteção aos ocupantes e integridade do sistema de combustível decorrente de impacto nos veículos.

    § 2º Considera-se novo projeto o modelo de veículo que nunca obteve o Código de Marca/ Modelo/Versão junto ao DENATRAN, e veículos derivados de automóveis, os veículos em que a parte dianteira da carroceria, delimitada a partir da coluna “ A” em diante, tenha semelhança estrutural e de forma ao do automóvel do qual o projeto deriva (anexo).

    § 3º Não se considera como novo projeto a derivação de um mesmo modelo básico de veículo que já possua Código de Marca/Modelo/Versão concedido pelo DENATRAN.

    § 4º Na hipótese de novo projeto, o fabricante ou importador deverá indicar essa condição no requerimento dirigido ao DENATRAN para concessão de código de Marca/Modelo/Versão.

    Art. 4º Estão dispensados do atendimento aos requisitos desta Resolução os veículos fora-de-estrada, os veículos especiais, definidos pela norma NBR 13776 da Associação Brasileira de Normas Técnicas e os de uso bélico.

    Art. 5º Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação.

    Air Bag

    Fonte: www.denatran.gov.br

    Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal