Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Porque temos Cãibra?  Voltar

Porque Sentimos Cãibra

Trata-se de uma contração muscular forte, prolongada e parcialmente involuntária. Tudo começa quando o cérebro envia impulsos elétricos para um músculo se contrair. Quando o músculo está relaxado, há uma diferença de potencial elétrico entre o exterior e o interior das fibras musculares.

Essa diferença se deve à presença de sódio no lado de fora e de potássio na superfície. Com a chegada do impulso elétrico, porém, tudo muda: abre-se uma série de receptores na membrana que reveste as fibras musculares. Os receptores são como portões, pelos quais o sódio consegue entrar. Essa substância ocupa o espaço do potássio, que acaba saindo.

A troca de lugares excita as partículas de cálcio situadas numa região mais profunda e elas, por sua vez, provocam movimentação dos filamentos musculares, ocasionando a contração.

"O problema costuma ocorrer quando alguém toma muito diurético ou realiza exercícios físicos intensos", afirma o fisiologista Renato Fraga Moreira Lotufo, da Escola Paulista de Medicina.

Porque Sentimos Cãibra

Fonte: super.abril.uol.com.br

Porque Sentimos Cãibra

O que é

Em inglês, cãibra é cramp, palavra de origem anglosaxã, derivada do termo cram, que significa aperto desconfortável, pressão ou beliscão.

Essa é a provável razão pela qual a cãibra é definida pela literatura médica como contração inesperada de um músculo ou de um grupo de músculos, que se manifesta de forma involuntária e intensa, geralmente dolorosa, e por um curto espaço de tempo.

Três tipos comuns

Porque Sentimos Cãibra

Existem vários tipos e classificações de cãibras musculares, porém as mais comuns são as noturnas, as decorrentes de exercícios físicos e as relacionadas à gravidez.

As cãibras noturnas se manifestam na parte inferior das pernas ou nos pequenos músculos dos pés; suas causas são pouco conhecidas, mas têm sido relacionadas a doenças sistêmicas (diabetes e doença de Parkinson, por exemplo), além do uso excessivo de medicamentos como os diuréticos tiazídicos, anti-hipertensivos e alcaçuz.

Os fatores de risco nesse caso são: idade avançada, pouca flexibilidade dos membros inferiores, presença de doenças vasculares, neurológicas, metabólicas, endócrinas, renais ou de câncer. Já as cãibras induzidas por exercícios físicos (ciclismo, natação etc.), predominante em 30% a 50% dos atletas que participam de provas de longa duração, fundamentam-se na fadiga muscular, dada a sujeição do músculo a intensa atividade, sendo também associadas à perda de sódio, potássio e magnésio, desidratação e calor.

No caso das gestantes, 50% delas referem a ocorrência nos membros inferiores.

O fenômeno ainda tem causas desconhecidas, mas algumas teses apontam para as mudanças na circulação, pressão nos nervos das pernas, retenção de líquidos ou deficiência de cálcio, magnésio, vitaminas B1 e B6.

Alívio já

Embora seja dolorosa, na maioria das vezes, dispensa tratamentos. Quando a cãibra se manifesta, é preciso provocar o relaxamento imediato do músculo atingido. A pessoa deve fazer uma massagem no local, para favorecer a circulação. Caso tenha atingido a panturrilha, por exemplo, pode-se colocar o indivíduo em pé, apoiando o peso corporal na outra perna, fazendo com que o membro afetado se movimente como um pêndulo.

Mas se a cãibra for no pé, o hálux (dedão) deve ser movido com delicadeza, em direção ao corpo da pessoa. Pomadas antiinflamatórias não apresentam grande utilidade terapêutica, mas podem aliviar a dor. Alguns médicos indicam também relaxantes musculares.

Quem você deve consultar

Não existe cura para cãibras, e, se elas forem ocasionais, não são preocupantes.

Caso persistam, o melhor a fazer é observar como elas se manifestam para poder relatar ao clínico-geral todos os detalhes: frequência e intensidade, grupo de músculos afetados, fatores que aliviam ou estimulam, doenças preexistentes, uso de medicamentos.

Esses dados, somados aos exames físico e/ou complementar, serão úteis para o diagnóstico. Entretanto, pode ocorrer que se trate de um evidente problema circulatório, agravado por varizes, diabetes ou outras patologias e, nesse caso, um angiologista, neurologista ou um diabetólogo são os mais indicados.

Como prevenir

Porque Sentimos Cãibra

Para prevenir cãibras ou traumas de sobrecarga (lesões e distensões), sempre faça aquecimento e alongamento. Outra boa providência é usar o bom senso para mudar gradualmente a intensidade e os tipos de exercício, com o propósito de diminuir a pressão sobre os músculos.

Manter-se em boas condições físicas, isto é, estar atento ao sono e à alimentação, assim como à correta hidratação do corpo, ao menos dois litros por dia, também é importante. A dieta deve incluir frutas e verduras (550 g/dia) e alimentos ricos em potássio, sódio, magnésio e cálcio. São exemplos a banana, o abricó, o tomate, os queijos e as frutas secas.

Conselhos do especialista

Porque Sentimos Cãibra

Faça aquecimento e alongamento antes de qualquer exercício físico.

Quando uma criança tiver uma cãibra, esteja alerta: pode se tratar de uma emergência médica. A reserva de potássio delas é menor e alguma deficiência pode afetar primeiro um músculo, depois o próprio coração. Nesse caso, consulte um pediatra ou um ortopedista para que eles possam indicar a melhor providência nessa situação.

Durante a prática de esportes, a causa mais comum de cãibras é a desidratação. Beba muito líquido ou coma uma banana para aumentar os níveis de minerais do organismo.

Anti-histamínicos (medicamentos comumente usados para tratar alergias) e álcool favorecem a desidratação e, por isso, devem ser evitados.

Evite permanecer numa mesma posição por tempo prolongado.

Durante uma crise, massageie a área afetada. Esfregar o músculo pode ajudar a aliviar a dor, além de estimular a circulação.

Para se recuperar mais rápido, muito descanso e hidratação.

Fonte: decasocomamedicina.files.wordpress.com

Porque Sentimos Cãibra

A falta de potássio pode acabar em cãibra

Todo mundo já ouviu falar em cãibra, para começar é bom saber que a cãibra não é comum em crianças. É um problema que acontece em adultos ou em atletas. Nos dois casos, a causa é a mesma: a falta de potássio.

Nos adultos a cãibra acontece por uso de medicamentos ou falta de alongamento e exercícios físicos, mas nos esportistas ocorre por causa de transpiração. Quando os atletas suam, eles eliminam pela pele diversas substâncias, inclusive o potássio, o que pode gerar uma cãibra. E a banana é um dos alimentos mais ricos em potássio.

A câimbra nada mais é do que uma contração involuntária do músculo,quando ela aparece, o ideal é pedir para uma pessoa alongar a região: a perna, o braço pois o alongamento corta a dor imediatamente, é uma manobra analgésica.

Existe uma diferença entre cãibra e dormência, aquela sensação de formigamento que temos de vez em quando. Cãibra é um problema no músculo já a dormência é no nervo. Os nervos levam as mensagens de sensibilidade para o corpo todo e quando o comprimimos sentimos a dormência. Neste caso, a solução é simples: é só mudar de posição para o nervo parar de ser comprimido que está resolvido.

As razões pelas quais sentimos câimbras ainda não são muito claras para a medicina. Sabe-se, porém, que elas estão relacionadas com a diminuição, em nosso organismo, dos níveis de minerais como cálcio e magnésio.

Por isso, doenças do sistema motor ou infecciosas, como o tétano — que fazem o doente suar intensamente, a ponto de provocar a desidratação, isto é, a perda de grande quantidade de minerais através do suor –, costumam provocar câimbras. As câimbras ocorrem, geralmente, durante a noite, após um dia de intensa atividade física. Mas elas podem acontecer também durante o dia, no meio de uma atividade física ou em momentos de relaxamento.

Prevenção

Como prevenção, procure sempre se alongar antes de começar qualquer exercício, hidratar-se e ingerir alimentos ricos em potássio, como banana e tomate. Procure alimentar-se com muitas frutas e legumes que contêm minerais.

Normalmente, as cãibras podem ser prevenidas evitando a realização de exercícios após uma refeição (para não gerar isquemia) e realizando alongamento antes do exercício e antes de dormir.

É recomendado por alguns especialistas que se adicione sal de cozinha à dieta (devido ao cloreto de sódio). Essa adição de sódio reduz ocorrências subseqüentes de cãibras. Porém é necessário ter cuidado com a quantidade de sal ingerida, devido ao risco de hipertensão arterial, uma vez que o sal induz a elevação da pressão.

Consumir bebidas esportivas que contêm uma quantidade adequada de sódio também é uma maneira sutil de repor o sódio. Em estudos, sempre que um indivíduo sentia cãibras durante um exercício extenuante, ele tomava uma bebida esportiva com cloreto de sódio. Daí então, as cãibras pararam.

Previna as cãibras antes que elas comecem, seguindo as seguintes recomendações:

Beba muito líquido para ficar hidratado durante o exercício;

Reponha níveis de sódio durante os intervalos de exercícios “pesados”,
e “intensos”, e com transpiração abundante, com uma bebida esportiva/isotônico;
ou mesmo água, se o exercício não for tão intenso;

Assegure uma recuperação nutricional adequada (particularmente para o sal, mas tome cuidado) e descanse os músculos após um treino intenso.

Tratamento

Já o tratamento seria colocar bolsa de água quente para melhorar o fluxo de sangue para os músculos, tomar água gelada por permitir maior absorção, ou seja, a água gelada é mais rapidamente absorvida em relação à água quente e, alongamentos, lentos e gradativos, nos músculos afetados, sem forçar muito (alongue até o limite de tensão do músculo, sem forçar).

Fonte: daylightediet.com

Porque Sentimos Cãibra

Porque Sentimos Cãibra

câimbra ou cãibra é um espasmo ou contração involuntária dos músculos, normalmente muito dolorosa, que pode durar de alguns segundos até vários minutos. A câimbra pode atingir um ou mais músculos de uma vez. Qualquer músculo de controle voluntário pode apresentar essas contrações.

Os mais comuns são:

Panturrilhas ou gemelares (batata da perna)
Músculos anteriores e posteriores da coxa
Pés
Mãos
Pescoço
Abdômen

Acredita-se que a causa básica da câimbra seja uma hiperexcitação dos nervos que estimulam os músculos.

Esta normalmente é causada por:

Atividade física vigorosa (câimbra pode ocorrer durante ou após o esforço)
Desidratação (atenção para quem usa diuréticos)
Alterações hidreletrolíticas, principalmente depleção de cálcio e magnésio.
Gravidez (normalmente secundário a magnésio baixo)
Como autoproteção após uma fratura óssea, por exemplo.
Alterações metabólicas como diabetes, hipotireoidismo, alcoolismo e hipoglicemia
Doenças neurológicas com Parkinson, doenças do neurônio motor e doenças primárias dos músculos (miopatias)
Insuficiência venosa e varizes nas pernas (leia: VARIZES | Causas e Tratamento)
Longos períodos de inatividade, sentado em posição inadequada.
Alterações estruturais como pé chato e o genu recurvatum (hiperextensão do joelho)
Insuficiência renal em hemodiálise e cirrose hepática.
Deficiência de vitamina B1, B5 e B6 
Anemia

Muito se comenta sobre depleção de potássio como causa de câimbras. Na verdade, a hipocalemia (baixos níveis sanguíneos de potássio) pode até causar contrações involuntárias, mas seu principal sintoma é fraqueza ou paralisia muscular. O cálcio e o magnésio são causas mais importantes e comuns de câimbras.

Algumas drogas podem ser a causa:

Diuréticos, principalmente a furosemida (Lasix®)
Donezepil (usado no Alzheimer)
Neostigmina (usada na miastenia gravis)
Raloxifeno (usado para osteoporose e câncer de mama)
Remédios para hipertensão, principalmente a nifedipina (Adalat®)
Broncodilatadores para asma como Salbutamol
Remédios para colesterol como o clofibrato e lovastatina.

Em pessoas acima dos 60 anos, câimbras frequentes podem ser sinais de aterosclerose, com diminuição da circulação sanguínea para determinado grupamento muscular por obstrução do fluxo por placas de colesterol.

Como evitar as câimbras ?

Para se evitar a câimbra deve ser realizada uma boa sessão de alongamento antes e após exercícios, principalmente para sedentários, boa hidratação antes, durante e depois do esforço e evitar exercícios em dias muito quentes.

Existe um grupo de pessoas que apresentam câimbras noturnas, principalmente nos membros inferiores (panturrilha e pés em geral). Em geral apresentam a chamada câimbra noturna idiopática (sem causa aparente). São pessoas normalmente com história familiar e que não se consegue detectar nenhum tipo de alteração que justifique o quadro.

Nesse grupo, recomenda-se um programa de alongamento 15 minutos antes de dormir, dar preferência para alimentos ricos em cálcio e magnésio, manter uma boa hidratação ao longo do dia e evitar o sedentarismo. Algumas pessoas precisam de sapatos especiais que evitam contrações involuntárias.

Os alongamentos parecem ser o melhor método para prevenir câimbras, principalmente quando ocorrem nas pernas. É importante salientar que não vai ser de um dia para o outro que o alongamento trará resultados. É preciso pelo menos algumas semanas com alongamentos diários para o músculo ter mais resistência às contrações involuntárias.

Hidratação adequada e alongamentos frequentes, resolvem os problemas das maiorias das pessoas com câimbras idiopáticas, ou seja, aquelas que não são causadas por nenhuma doença específica. O melhor modo de controlar o grau de hidratação do corpo é através da cor da urina. Pessoas desidratadas apresentam urina muito amarelada e normalmente com cheiro forte, enquanto que um corpo hidratado produz urina clara e sem cheiro.

Existem alguns medicamentos com vitamina E, complexo B, verapamil, cloroquina e gabapentina que podem ajudar em casos específicos, mas que só devem ser tomados após avaliação médica.

Água tônica possui pequenas quantidades de quinina uma substância que também parece prevenir câimbras. Existem relatos de melhora das câimbras noturnas após alguns dias ingerindo água tônica à noite.

Doentes em hemodiálise apresentam câimbras frequentemente. A câimbra é um sinal de redução do fluxo sanguíneo para o músculo acometido. Em geral ocorre por retirada (ultrafiltração) em excesso de líquidos durante as sessões ou por doses elevadas de anti hipertensivos. Doente com câimbras que não usam anti hipertensivos devem aumentar seu peso seco (peso após a sessão de hemodiálise). Doentes com câimbras mas que usam remédios para hipertensão, devem suspendê-los ou reduzir a dose, mesmo que a pressão ainda esteja mal controlada.

Banana evita câimbras?

Essa história da banana é um pouco confusa. A fruta é rica em potássio, carboidratos (glicose) e água. Durante o esforço físico existe uma grande demanda dos músculos por energia (glicose). Depois de algum tempo de exercício o músculo depleta suas reservas de glicose e passa a utilizar outros meios para gerar energia. Uma das causas de câimbras é o acumulo de ácido láctico, que é o "lixo" metabólico após a geração de energia com baixa utilização de glicose. Uma boa hidratação ajuda a "lavar" esse excesso de ácido láctico da circulação e evita as câimbras.

Portanto, teoricamente a banana ajuda porque repõe os níveis de potássio, hidrata e fornece energia para os músculos. Isso é verdade para câimbras induzidas por exercício. Porém, esse truque não funciona com muita gente. A resposta parece ser individual, mas como banana não faz mal a ninguém, não custa testar.

Leia mais: http://www.mdsaude.com/2008/10/cimbras.html#ixzz1Bh4mIKkx
Existem alguns medicamentos com vitamina E, complexo B, verapamil, cloroquina e gabapentina que podem ajudar em casos específicos, mas que só devem ser tomados após avaliação médica.

Água tônica possui pequenas quantidades de quinina uma substância que também parece prevenir câimbras. Existem relatos de melhora das câimbras noturnas após alguns dias ingerindo água tônica à noite.

Doentes em hemodiálise apresentam câimbras frequentemente. A câimbra é um sinal de redução do fluxo sanguíneo para o músculo acometido. Em geral ocorre por retirada (ultrafiltração) em excesso de líquidos durante as sessões ou por doses elevadas de anti hipertensivos. Doente com câimbras que não usam anti hipertensivos devem aumentar seu peso seco (peso após a sessão de hemodiálise). Doentes com câimbras mas que usam remédios para hipertensão, devem suspendê-los ou reduzir a dose, mesmo que a pressão ainda esteja mal controlada.

Banana evita câimbras?

Essa história da banana é um pouco confusa. A fruta é rica em potássio, carboidratos (glicose) e água. Durante o esforço físico existe uma grande demanda dos músculos por energia (glicose). Depois de algum tempo de exercício o músculo depleta suas reservas de glicose e passa a utilizar outros meios para gerar energia.

Uma das causas de câimbras é o acumulo de ácido láctico, que é o "lixo" metabólico após a geração de energia com baixa utilização de glicose. Uma boa hidratação ajuda a "lavar" esse excesso de ácido láctico da circulação e evita as câimbras.

Portanto, teoricamente a banana ajuda porque repõe os níveis de potássio, hidrata e fornece energia para os músculos. Isso é verdade para câimbras induzidas por exercício. Porém, esse truque não funciona com muita gente. A resposta parece ser individual, mas como banana não faz mal a ninguém, não custa testar.

Fonte: www.mdsaude.com

Porque Sentimos Cãibra

Se caracteriza pelo rompimento de fibras musculares. Acontece, normalmente, quando se faz um esforço muscular para o qual não está preparado. Todos os músculos têm uma capacidade elástica limitada. Se esse limite for ultrapassado, acontece o que se conhece como distensão muscular.

Tipos de distensão:

1º Grau - é a mais comum. Acontece quando há um estiramento das fibras musculares. Normalmente, a pessoa continua em atividade, mesmo sentindo um pouco de dor.

A sensação intensa de dor costuma aparecer no dia seguinte, quando o corpo esfria. Se um indivíduo está há muito sem praticar exercícios e decide forçar as atividades nos primeiros dias corre o risco de sofrer distensões em vários músculos do corpo ao mesmo tempo.

Recuperação: cerca de 5 dias.

2º Grau - quando uma maior quantidade de fibra é rompida. Durante a atividade física o indivíduo sente como se recebesse uma pedrada na perna - ou tem a sensação de que tem algo rasgado no músculo. E realmente tem. Na mesma hora, o indivíduo interrompe a atividade física.

Recuperação: cerca de 10 dias.

3º Grau - caso mais crítico. Há uma rutura completa do músculo. É a mais incomum, acontece em menos de 1% dos casos. A cura só é possível com cirurgia. A dor costuma ser ainda mais violenta do que as de primeiro e segundo graus. O indivíduo pára de imediato e, muitas vezes, não tem condições de movimentar a região do corpo onde houve a lesão.

Recuperação: cerca de 21 dias.

O Músculo Durante a prática de exercícios, é natural que os músculos sejam alongados e contraídos todo o tempo. O que permite essa elasticidade dos tecidos é uma proteína chamada colágeno.

A distensão muscular acontece exatamente no momento em que o músculo é exigido e alongado além de sua capacidade. Isso pode acontecer por falta de preparo ou envelhecimento (quando há carência na produção do colágeno).

O músculo é formado essencialmente por fibras. Qualquer movimento exagerado leva ao rompimento destas e, portanto, às sensações de dor, aos hematomas e edemas.

Causas

Sem uma preparação física ideal, a musculatura enfraquece e tem maiores chances de sofrer uma distensão. Não praticar esportes sem saber se o organismo vai suportar as exigências físicas.

Má alimentação - A falta de proteínas e de ferro limita a elasticidade e a capacidade muscular. A dica é comer de tudo um pouco.

Problemas psicológicos - Quando o indivíduo está estressado, as reações do organismo são parecidas às que aparecem depois de um fatigante exercício.

Primeiros Socorros na Distensão Muscular

1. Depois da distensão, a primeira coisa a se fazer é colocar gelo no local. O gelo, além de inibir os impulsos nervosos que conduzem a dor, impede a ida de maior quantidade de sangue para o local lesado.

Assim, o edema (inchaço sem sangue) e o hematoma (mancha roxa) não aparecem.

2. Aplicar o gelo durante cerca de 30 minutos de duas em duas horas. Os trinta minutos são necessários para deixar a pele a 10 graus centígrados, quando o gelo começa a fazer efeito.

3. Dependendo da localização da lesão, facilitar o retorno venoso para diminuir o edema.

Porque Sentimos Cãibra

Câimbra A câimbra é um espasmo ou contração involuntária dos músculos, normalmente muito dolorosa, que pode durar de alguns segundos até vários minutos. A câimbra pode atingir um ou mais músculos de uma vez. Qualquer músculo de controle voluntário pode apresentar essas contrações.

Os mais comuns são:

Panturrilhas ou gemelares (batata da perna) Músculos anteriores e posteriores da coxa Pés Mãos Pescoço Abdomen

Acredita-se que a causa básica da câimbra seja uma hiperexcitação dos nervos que estimulam os músculos.

Essa normalmente é causada por:

Atividade física vigorosa (câimbra pode ocorrer durante ou após o esforço) Desidratação (atenção para quem usa diuréticos) Alterações hidroeletrolíticas, principalmente depleção de cálcio e magnésio.

Gravidez (normalmente secundário a magnésio baixo) Como autoproteção após uma fratura óssea, por exemplo.

Alterações metabólicas como diabetes, hipotireoidismo, alcoolismo e hipoglicemia Longos períodos de inatividade, sentado em posição inadequada.

Alterações estruturais como pé chato e o genu recurvatum (hiperextensão do joelho) Deficiência de vitamina B1, B5 e B6

Muito se comenta sobre depleção de potássio como causa de câimbras. Na verdade, a hipocalemia (baixos níveis de potássio no sangue) pode até causar contrações involuntárias, mas seu principal sintoma é fraqueza ou paralisia muscular. O cálcio e o magnésio são causas mais importantes e comuns de câimbras.

Banana X Câimbras Essa história da banana é um pouco confusa. A fruta é rica em potássio, carboidratos (glicose) e água. Durante o esforço físico existe uma grande demanda dos músculos por energia (glicose).

Depois de algum tempo de exercício o músculo depleta suas reservas de glicose e passa a utilizar outros meios para gerar energia. Uma das causas de câimbras é o acumulo de ácido láctico, que é o "lixo" metabólico após a geração de energia com baixa utilização de glicose. Uma boa hidratação ajuda a "lavar" esse excesso de ácido láctico da circulação e evita as câimbras.

Portanto, teoricamente a banana ajuda porque repõe os níveis de potássio, hidrata e fornece energia para os músculos. Isso é verdade para câimbras induzidas por exercício. Porém, esse truque não funciona com muita gente. A resposta parece ser individual.

As principais dicas relativas às dores de cãimbra são alongamentos e dietas que ajudam a melhorar a circulação do sangue nos braços e das pernas durante as atividades físicas:

1- A perda de sódio e líquidos e a deficiência de potássio e cálcio são as causas freqüentes do problema.

Para repor esses minerais o indicado é a ingestão de alimentos ricos em ambos, como banana, suco de laranja, leite, brócolis, couve, dentre outros.

2- Para prevenir o problema as melhores dicas são as que sugerem beber muito líquido para ficar hidratado durante o exercício. Repor níveis de sódio durante os intervalos com uma bebida esportiva/isotônico, assegurar uma recuperação nutricional adequada (particularmente para o sal) e descansar os músculos após um treino intenso.

3- Quando elas aparecerem durante um exercício ou competição, no entanto, o ideal é alongar o membro comprometido. Não se deve massagear a área.

4- Por último, descansar e reidratar o organismo com bebidas que contenham eletrólitos e, particularmente, sódio.

Essas medidas ajudam a aliviar a dor, auxiliam no estímulo à corrente sanguínea e ao movimento de líquidos na área.

Porque Sentimos Cãibra

Alongamentos Os alongamentos são exercícios voltados para o aumento da flexibilidade muscular, que promovem o estiramento das fibras musculares, fazendo com que elas aumentem o seu comprimento.

O principal efeito dos alongamentos é o aumento da flexibilidade, que é a maior amplitude de movimento possível de uma determinada articulação.

Quanto mais alongado um músculo, maior será a movimentação da articulação comandada por aquele músculo e, portanto, maior a sua flexibilidade.

Os alongamentos conseguem esse resultado por aumentarem a temperatura da musculatura e por produzirem pequenas distensões na camada de tecido conjuntivo que revestem os músculos.

E nossos músculos, que são responsáveis pelos nossos movimentos, possuem, entre outras características importantes, a elasticidade, que lhes permite voltar ao tamanho normal depois de alongados.

Entretanto, devido à vida sedentária, posturas inadequadas, estresse diário e a não realização de alongamentos, o ser humano pode ter estruturas do corpo comprometidas pelo desalinhamento ou sobrecarga que sofrem. Com os músculos tensos ou encurtados, não haverá amplitude normal de movimentos, nem uma boa circulação sangüínea, além de causar desconfortos e até dores.

Isso mostra a importância de realizarmos alongamentos com freqüência, entretanto, mais importante do que realizá-los, é fazê-los de maneira correta.

Os alongamentos são fáceis, mas quando realizados de forma incorreta podem, na realidade, fazer mais mal do que bem.

Alongamentos antes depois do exercício mantêm a flexibilidade e ajudam na prevenção de lesões comuns.

Dicas para Alongamentos

1. Se for inseguro para realizá-los, procure um professor de educação física nível superior ou uma boa academia, o mais perto de sua casa para obter auxilio;

2. Escolha posições seguras para realizá-los mantendo um bom alinhamento corporal;

3. Alongue-se até sentir uma sensação de tensão. Se por acaso sentir dor intensa, a posição deve ser relaxada para evitar micro lesões na musculatura. Toda pessoa deve respeitar seus limites e aumentar lenta e gradualmente a intensidade dos exercícios;

4. Mantenha o alongamento de 10-60 segundos por articulação. Evite balançar-se na execução (pois assim estará estimulando um reflexo de contração ao invés do propósito de alongar);

5. Faça um pré-aquecimento (pode ser uma pequena caminhada ou uma pedalada de 5-10 min antes de realizá-los .Os melhores resultados ocorrem quando eles estão mais estimulados, fazendo também no resfriamento após os exercícios ;

6. Mantenha uma regularidade de 3-5 vezes por semana a fim de obter bons resultados no ganho de flexibilidade.

Objetivos do Alongamento

Restaurar a amplitude de movimento normal na articulação envolvida e a mobilidade das partes moles adjacentes à esta articulação; Prevenir o encurtamento ou tensionamento irreversíveis de grupos musculares.

Facilitar o relaxamento muscular; Aumentar a amplitude de movimento de uma área particular do corpo ou corporal de forma geral antes de iniciar os exercícios de fortalecimento; Reduzir o risco de lesões músculo-tendinosas (tendinite).

Fonte: www.geo.com.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal