Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Cerebelo  Voltar

Cerebelo

 

O cerebelo localiza-se posterior ao tronco encefálico, sendo conectado ao mesmo pelos pedúnculos cerebelares.

É composto de uma porção mediana, o vermis, e duas massas laterais, os hemisférios cerebelares. Sua superfície apresenta lâminas transversais, as folhas do cerebelo, que estão separadas por sulcos aproximadamente paralelos.

O cerebelo apresenta três faces: superior, posterior (ou póstero-inferior) e anterior. A face superior está em contato com a tenda do cerebelo. A face póstero-inferior está em contato com a escama inferior do osso occipital; nela encontram-se as tonsilas, que projetam-se medialmente sobre a face dorsal do bulbo.

A face anterior aplica-se contra a face posterior do bulbo e da ponte para formar o teto do quarto ventrículo; nela encontram-se os pedúnculos cerebelares (inferior, médio e superior) que ligam o cerebelo ao tronco encefálico.

Nesta face encontram-se também as extremidades superior e inferior do vérmis (língula e nódulo), que participam da formação do teto do quarto ventrículo.

Além da divisão anatômica em vérmis e hemisférios cerebelares, o cerebelo é também dividido, do ponto de vista da ontogênese, em três lobos: anterior, posterior e flóculo-nodular.

Na face anterior do cerebelo, a porção mais inferior do vérmis corresponde ao nódulo, que se liga ao flóculo, situado lateralmente, e abaixo do pedúnculo cerebelar médio. O nódulo e os flóculos formam o lobo flóculo-nodular (arquicerebelo), que é separado do corpo do cerebelo pela fissura póstero-lateral.

Na face superior do cerebelo, a fissura prima divide o corpo do cerebelo em um pequeno lobo anterior (paleocerebelo) e um grande lobo posterior (neocerebelo).

Anatomia Macroscópica do Cerebelo

Cerebelo

I. Generalidades

Do latim: cérebro pequeno, representa 10% do volume total do cérebro, porém contém mais que a metade de todos os neurônios do SNC. Relaciona-se com o controle motor e surge naqueles animais que dependiam de um melhor controle motor (postura, equilíbrio e movimentos mais finos). Órgão que não é necessário para percepção ou contração muscular. Regula indiretamente a postura e a correção momento a momento o movimento.

II. Conceito

É a parte do sistema nervosos central situada dorsalmente ao tronco e inferiormente ao lobo occipital do telencéfalo. Faz parte do sistema supra segmentar que controla e corrige o ato motor.

III. Origem embriológica

Parte posterior do metencéfalo

IV. Posição anatômica

Na fossa posterior do crânio, limitada superiormente por uma dobra de dura-máter. Localiza-se posteriormente ao tronco encefálico

V. Relações

5.1 - Pedúnculo cerebelar superior

Formados predominantemente por fibras eferentes que projetam-se ao cérebro

5.2 - Pedúnculo cerebelar médio

Formados predominantemente por fibras aferentes dos núcleos pontinos

5.3 - Pedúnculo cerebelar inferior

Formados predominantemente por fibras aferentes oriundas da ME e bulbo

VI. Funções

Controle dos movimentos (equilíbrio e postura) e do tônus muscular, bem como a aprendizagem motora. Controla/influencia os neurônios motores homolaterais da ME, TE e córtex motor. Lesões cerebelares determinam erros no planejamento e execução do movimento

VII. Aspectos morfológicos

Cerebelo

7.1. Faces

7.1.1 - Face anterior - relaciona-se com o Tronco Encefálico.

7.1.2 - Face superior - relaciona-se com o lobo occipital, separados pela tenda do cerebelo.

7.1.3 - Face inferior- apoiada na fossa posterior do crânio. Nesta face encontra- se a amígdala que em casos de hipertensão craniana podem penetrar no forame magno (hérnia), comprimindo o bulbo.

7.2. Fissuras

7.2.1 - Póstero-lateral - filogeneticamente foi a primeira que surgiu.
7.2.2 - Primária (ou prima) - surgiu posteriormente a fissura pósterolateral.
7.3. Divisão Anatômica:

7.3.1 - Verme - região central. A porção superior é pouco delimitada e
a porção inferior é separada por sulcos laterais.

7.3.2 - Hemisférios cerebelares - porções laterais ao verme

7.4. Divisão Ontogenética

7.4.1 - Lobo floculonodular- limitado do lobo anterior pela fissura póstero-lateral, constituído pelo flóculo (localiza-se abaixo do ponto em que penetra o pedúnculo cerebelar médio) e o nódulo (localiza-se ântero-inferiormente verme)

7.4.2 - Corpo cerebelar: é dividido pela fissura prima em

4.2.1 - Lobo anterior
4.2.2 - Lobo posterior

7.5. Divisão Filogenética:

Constituído por 3 fases (esta divisão relaciona-se com as síndromes):

7.5.1 - Arquicerebelo (cerebelo vestibular)

Surgiu em vertebrados aquáticos, forma cilíndrica (lampréia), que necessitavam do equilíbrio (canais semicirculares) onde o cerebelo dava a posição do animal para a coordenação muscular. É formado pelo lobo flóculo-nodular. Funções de equilíbrio.

7.5.2 - Paleocerebelo (cerebelo espinhal)

Surgiu nos peixes, onde as nadadeiras representam indício de membros, os quais possuem fusos neuromusculares (grau de estiramento muscular, velocidade do movimento, posição do membro e ângulo das articulações) e o órgão neurotendíneo de Golgi que informa sobre o grau de contração muscular. O paleocerebelo é formado pelo lobo anterior mais o segmento pirâmide e úvula (porções Antero-inferior da porção inferior do verme). Recebe informações proprioceptivas da ME. Relaciona-se com o tônus, marcha e postura do animal.

7.5.3 - Neocerebelo (cerebelo cortical)

Aparece nos mamíferos que começaram a utilizar os membros para execução de movimentos delicados e assimétricos Porção envolvida no controle de movimentos finos (coordenação motora).Tem amplas conexões com o córtex cerebral. É formado pelo lobo posterior menos o segmento pirâmide e úvula

7.6. Divisão longitudinal

Constituída de três partes, cada uma com distintas conexões:

7.6.1 - Verme

Relaciona-se com o núcleo fastigial que emite fibras para regiões corticais e para o TE dando origem ao sistema descendente medial.

7.6.2. - Zona intermediária

Relaciona-se com o núcleo interpósito, emite fibras para regiões corticais e ao TE que dão origem ao sistema descendente lateral.

7.6.3 - Zona lateral

Relaciona-se com o núcleo denteado, emitindo fibras para regiões motoras e pré-motoras do córtex cerebral envolvidas com o planejamento dos movimentos.

VIII - Distribuição das substâncias cinzenta e branca:

8.1. Córtex cerebelar

Fina camada externa de substância cinzenta que recobre um centro branco (corpo medular).

8.2. Centro branco medular

Formado pela irradiação das lâminas medulares (em forma de árvore). Ao contrário do cérebro existem poucas fibras de associação. Constituído por fibras aferentes e eferentes (ao córtex motor com o cérebro).

8.3. Folhas Cerebelares

8.3.1 - Lâminas brancas
83.2 - Córtex - estruturalmente menos complexo que o córtex cerebral.

8.4. Núcleos centrais

Núcleos profundos (conduzem sinais cerebelares para outras partes do SNC):

8.4.1 - Fastigial

8.4.2 - Interpósito:

8.4.2.1 - Globoso
8.4.2.2 - Emboliforme

8.4.3 – Denteado

Cerebelo

Cerebelo

Cerebelo

Cerebelo

Cerebelo

Cerebelo

Cerebelo

Fonte: www.cefid.udesc.br/cistosaracnoide.org/www.medicina.ufmg.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal