Facebook do Portal São Francisco
Google+
+ circle
Home  Brônquios  Voltar

Brônquios

 

Brônquios

A traquéia se divide em dois brônquios, um direito e outro esquerdo, que se dirigem até os pulmões.

Ambos têm pouco mais da metade do calibre da traquéia, sendo o direito mais amplo do que o esquerdo.

Este é mais amplo porque o pulmão direito é mais volumoso do que o esquerdo.

O brônquio direito se divide em três brônquios secundários, correspondentes cada um a cada lóbulo do pulmão direito.

Dos três brônquios secundários nascem 10 segmentários ou terciários:

3 para o lóbulo superior.

2 para o lóbulo médio.

5 para o lóbulo inferior.

É possível distinguir 10 segmentos bronco-pulmonares.

O brônquio esquerdo se divide em dois brônquios secundários, correspondentes cada um a cada lóbulo do mpulmão esquerdo.

Os brônquios secundários se dividem em 8 brônquios terciários:

4 para o lóbulo superior.

4 para o inferior.

Portanto, o pulmão esquerdo compreende 8 segmentos.

À medida que se dividem, os brônquios vão fazendo-se progressivamente de menor calibre até passar a dimensões microscópicas e então tomam o nome de bronquíolos.

As divisões repetidas dos bronquíolos dão lugar aos bronquíolos terminais ou respiratórios, que se abrem no conduto alveolar, do qual derivam os sacos aéreos.

A parede de cada conduto alveolar e saco aéreo está formada por várias unidades chamadas alvéolos.

Árvore brônquio - bronquiolar

Os brônquios, começam na traquéia, penetram no pulmão depois de um curto trajeto e ali se dividem originando 3 brônquios secundários no pulmão direito e 2 no esquerdo.

A partir destes, a árvore bronquial se ramifica dicotomicamente em forma desigual. As primeiras 9 à 12 divisões constituem os brônquios; as ramificações seguintes constituem os bronquíolos, dentro dos quais se distinguem sucessivamente os bronquíolos propriamente ditos, os bronquíolos terminais e os bronquíolos respiratórios.

Estes se ramificam dando lugar aos condutos alveolares que ao mesmo tempo originam os sacos alveolares ou alvéolos onde se produz o intercâmbio gasoso.

Nos brônquios intrapulmonares, os anéis são substituídos por placas irregulares distribuídas em toda a circunferência do conduto e cuja importância decresce gradualmente até que desaparecem nos bronquíolos.

Os brônquios não tem cartilagem e possuem uma armação de fibras elásticas e reticulares que se prolongam na parede alveolar.

Brônquios
Árvore bronquial

1) Cartilagem tireóide
2) Cartilagem cricóide
3) Traquéia
4) Bifurcação da traquéia
5) Brônquio direito
6) Brônquio esquerdo
7) Brônquio do lobo superior do pulmão direito
8) Brônquio do lobo médio do pulmão direito
9) Brônquio do lobo inferior do pulmão direito
10) Brônquio do lobo superior do pulmão esquerdo
11) Brônquio do lobo inferior do pulmão esquerdo
12) Bronquíolos, últimas ramificações.

Os brônquios são a direta continuação da traquéia. Esta, terminado o seu trajeto vertical, se bifurca em dois ramos, que são justamente os brônquios.

O brônquio direito se dirige ao pulmão direito e se divide ,em três ramos, um para cada lobo pulmonar. O brônquio esquerdo entra no pulmão esquerdo e se divide só em dois ramos, porque o pulmão esquerdo só tem dois lobos.

Cada ramo se divide sucessivamente em ramos, sempre menores.

Os brônquios têm importantes relações com os órgãos vizinhos: o brônquio esquerdo é contornado pela croça da aorta; o brônquio direito está em relação direta com a veia cava superior, que lhe fica adiante.

O comprimento da parte extrapulmonar dos brônquios é muito reduzido:5 a 6 centímetros à esquerda; 2 a 3 centímetros à direita. O seu diâmetro é, também, no máximo, de 1,5 centímetros.

Também os brônquios são formados de anéis cartilaginosos, mas a sua estrutura muda aos poucos à medida que eles se ramificam e se tornam sempre mais delgados.

A mucosa também é forrada de células cilíndricas com cílios vibráteis, as quais, todavia, ao nível dos brônquios menores (bronquíolos ), se transformam em células cúbicas sem cílios.

Os brônquios estão em relação, justamente ao nível da bifurcação da traquéia, com um grupo de gânglios linfáticos muito importantes, chamados tráqueo-bronquiais. São eles a sede da adenopatia tráqueo-bronquial, freqüente nas crianças e conexa com a infecção tuberculosa.

Fonte: www.corpohumano.hpg.ig.com.br

Brônquios

O sistema respiratório é responsável pelas trocas gasosas do organismo com o meio exterior, captando o oxigénio necessário ao metabolismo aeróbio e libertando dióxido de carbono, principal produto da combustão celular da glicose. Este sistema pode ser dividido numa componente respiratória, simbolizada pelos pulmões, onde ocorre a hematose, e uma componente condutora, que transporta o ar entre os pulmões e o meio externo. Os brônquios fazem parte da componente condutora do sistema respiratório, iniciando-se fora dos pulmões e terminando no interior destes.

Os brônquios iniciam-se a partir do final da traqueia, na zona da carina, onde esta se divide em dois ramos, brônquio esquerdo e direito, que se dirigem para o pulmão respectivo. Nesta zona brônquica inicial, a estrutura é idêntica da traqueia, sendo a parede dos brônquios suportada por anéis de cartilagem hialina, abertos e unidos por ligamentos. A estrutura cartilagínea simplifica-se medida que os brônquios se dividem, desaparecendo nos bronquíolos, onde a sustentação é assegurada apenas pela musculatura lisa.

Os brônquios penetram nos pulmões através do hilo pulmonar, juntamente com os vasos sanguíneos pulmonares. No interior deste órgão, os brônquios subdividem-se, diminuindo o diâmetro interno progressivamente. O esquerdo, separa-se em dois ramos - brônquio lobular superior esquerdo e brônquio lobular inferior esquerdo -, enquanto o direito se abre em três - brônquio lobular superior direito, médio direito e inferior direito. Posteriormente, cada uma destas ramificações continua a sofrer ramificação, de calibre decrescente, originando os brônquios segmentares e terminando nos bronquíolos.

Na extremidade dos bronquíolos localizam-se os ductos alveolares, que terminam nos alvéolos pulmonares, estruturas membranares, formadas por uma fina camada epitelial simples, de células denominadas pneumócitos, onde ocorrem as trocas gasosas com o sangue dos capilares pulmonares.

Os dois pulmões não apresentam uma estrutura idêntica, já que o direito apresenta três lóbulos e o esquerdo apenas dois. A acompanhar esta diferença anatómica, a topografia brônquica é também diferente, quer em termos de número de divisões, quer na orientação e disposição.

O revestimento epitelial dos bronquíolos apresenta, inicialmente, algumas células ciliadas e caliciformes, que, no entanto, desaparecem nos ramos mais pequenos, subsistindo um epitélio cilíndrico simples, que se transforma em cúbico simples nos bronquíolos terminais, que apresentam um diâmetro inferior a 0,5 mm.

Fonte: dc311.4shared.com

Brônquios

Condutos cartilaginosos que nascem por bifurcação da traquéia e se ramificam nos pulmões.

São responsáveis pela entrada do ar no aparelho respiratório.

Brônquios

Os Brônquios

São em número de dois brônquios principais, um direito e outro esquerdo. Ruminantes e suínos apresentam um brônquio acessório situado mais cranialmente, chamado brônquio traqueal. Este brônquio traqueal atende apenas ao lobo cranial do pulmão direito, estando portanto ausente no lado esquerdo.

Os brônquios são constituídos de anéis cartilaginosos inteiriços.

O brônquios ramificam-se em brônquios lobares (indo em direção de cada lobo pulmonar), brônquios lobulares (partindo dos lobares em direção aos lóbulos) e bronquíolos (intimidade dos alvéolos pulmonares).Nos alvéolos ocorre um processo chamado hematose. O sangue carregado de gás carbônico, na forma de ácido carboxílico, extremamente instável, expõe por uma fina membrana endotelial, esse ácido, que dissipa em gás carbônico e água. Por isso de se expelir vapor d’água em condensação pela boca em dias de frio intenso. Em contrapartida, a concentração no alvéolo de oxigênio em relação ao sangue é alta. A afinidade do grupo heme (ferro da hemoglobina) ao oxigênio é grande. Assim, há agregação de oxigênio ao sangue.

Fonte: www6.ufrgs.br

Brônquios

Os brônquios são tubos aeríferos, que possuem a mesma constituição da traquéia (anéis traqueais e ligg. anulares). Eles são responsáveis por ligar a traquéia aos pulmões, sendo que cada brônquio inicia na bifurcação da traquéia e vai até o hilo do pulmão correspondente.

Os brônquios são estruturas móveis e elásticas como a traquéia. Eles são revestidos internamente por uma túnica mucosa.

Brônquio principal direito

Possui 3cm de comprimento. Divide-se em 3 brônquios lobares e estes, por sua vez, dividem-se em 10 brônquios segmentares.

Brônquio principal esquerdo

Possui 5cm de comprimento. Divide-se em 2 brônquios lobares e estes, por sua vez, dividem-se em 9 brônquios segmentares.

Diferenças entre os brônquios principais

O brônquio principal direito é mais vertical, mais curto e mais largo que o esquerdo.

A vascularização dos brônquios é realizada pelas artérias e veias bronquiais.

Fonte: bloganatomiahumana.blogspot.com

Brônquios

Brônquios

A maior parte da massa pulmonar está constituída por alvéolos, que normalmente estão repletos de ar. Os brônquios são tubos que levam o ar para o interior dos pulmões e estão revestidos por um epitélio respiratório, abaixo do qual se encontra uma lâmina própria circundada por camada de fibras musculares lisas, e mais perifericamente por placas de cartilagem hialina. Eles por sua vez ramificam-se e formam tubos denominados de bronquíolos. Os bronquíolos aparecem no quinto mês de vida intra-embrionária, e podem proliferar até os oito anos de vida. São muito parecidos com os brônquios, no entanto, caracterizam-se pela ausência de cartilagem. O epitélio, nas porções iniciais, é do tipo cilíndrico ciliado, passando a epitélio cúbico ciliado ou não, na porção final. Comparando-se a espessura da parede dos brônquios com a dos bronquíolos, nota-se que a musculatura bronquiolar é relativamente mais desenvolvida que a brônquica, o que faz com que o espasmo brônquico (asma) seja causado principalmente pela contração a nível bronquiolar. Os bronquíolos ramificam-se e recebem designações de acordo com as características de sua parede (bronquíolos terminais e bronquíolos respiratórios).

Os bronquíolos ramificam-se até que atingem estruturas onde seu epitélio é pavimentoso, sendo então denominados de ductos alveolares. Estes últimos Iniciam a porção respiratória propriamente dita. São condutos longos e tortuosos, que terminam em alvéolos ou sacos alveolares (grupos de alvéolos que se abrem numa câmara comum). A parede dos ductos alveolares é descontínua, e entre a abertura de dois alvéolos ou sacos alveolares, existem fibras colágenas tipo III, elásticas e fibras musculares lisas. As fibras colágenas e elásticas são contínuas com as existentes na parede alveolar (sistema de sustentação).

O conceito de ácino pulmonar é muito utilizado em patologia para definir a extensão do enfisema pulmonar, consiste de um bronquiolo principal mais seus ramos (bronquíolos respiratórios, ductos alveolares, sacos alveolares e alvéolos).

Fonte: www.unifesp.br

Brônquios

Brônquios

Brônquios - Função

Brônquios são condutos cartilaginosos localizados na porção mediana do tórax, abaixo da região inferior da traqueia; e se estendem desde o ponto da ramificação desta até o hilo pulmonar. O brônquio direito é mais vertical, curto e largo que o esquerdo.

Tal como a traqueia, estes são constituídos por anéis incompletos de cartilagem e fibras musculares, conferindo mobilidade. Além disso, são também revestidos por epitélio ciliado, rico em células caliciformes (produtoras de muco).

Essas estruturas, também chamadas de brônquios primários, subdividem-se nos brônquios lobares (ou de segunda ordem).

À direita, há três destes: superior, médio e inferior; e, esquerda, somente o brônquio superior e o inferior.

Dos brônquios lobares seguem os brônquios segmentares (ou de terceira ordem). Esses vão se ramificando em porções cada vez menores, chamadas bronquíolos.

A partir destas últimas estruturas citadas, a constituição de suas paredes passa a ser de músculo liso, sem cartilagem. A nova estrutura, desta forma, confere mais rigidez e a capacidade móvel, encontrada nos brônquios, deixa de existir.

Bronquíolos terminam em estruturas denominadas ductos alveolares, que se finalizam nos microscópicos alvéolos pulmonares. Estes, graças a uma rede de vasos sanguíneos, efetuam as trocas gasosas (hematose). 

Fonte: www.coleman.com.br

Brônquios

Brônquios

Brônquios e Bronquíolos

São ramificações da traquéia que penetram nos pulmões, formados por anéis cartilaginosos semelhantes aos da traquéia. Por terem contato direto com ar exterior, os brônquios podem ser facilmente atacados por vírus e bactérias ou ser afetados por poeira e gases irritantes.

Com isso, os brônquios se inflamam: é a bronquite, doença muito comum em crianças.

Cada um dos brônquios penetra em seu respectivo pulmão, através de um orifício chamado hilo pulmonar. A partir daí, dividi-se em diversos ramos que se distribuem por todo pulmão. O conjunto das ramificações chama-se árvore brônquica. Os brônquios produzem o líquido de limpeza. Quando excessivo, esse líquido provoca um estreitamento desses órgãos. O estreitamento também pode ser ocasionado por alguma reação alérgica. As causas mais comuns são poeira, pelos de animais, lãs, penas, bactérias e mesmo certos alimentos como ovos, peixes e chocolate, entre outros. A doença desse estreitamento chama-se asma brônquica. Já a inflamação dos bronquíolos recebe o nome de bronquiolite. Ataca, principalmente, as crianças novas e é, geralmente, por uma complicação da bronquite.

Fonte: biologiasistemarespiratorio.wordpress.com

Brônquios

Brônquios principais

A traquéia se divide em dois brônquios, um direito e outro esquerdo, que se dirigem até os pulmões. Ambos têm pouco mais da metade do calibre da traquéia, sendo o direito mais amplo do que o esquerdo. Este é mais amplo porque o pulmão direito é mais volumoso do que o esquerdo. O brônquio direito se divide em três brônquios secundários, correspondentes cada um a cada lóbulo do pulmão direito.

Dos três brônquios secundários nascem 10 segmentários ou terciários:

3 para o lóbulo superior.

2 para o lóbulo médio.

5 para o lóbulo inferior

É possível distinguir 10 segmentos bronco-pulmonares.

O brônquio esquerdo se divide em dois brônquios secundários, correspondentes cada um a cada lóbulo do pulmão esquerdo.

Os brônquios secundários se dividem em 8 brônquios terciários:

4 para o lóbulo superior.

4 para o inferior

Portanto, o pulmão esquerdo compreende 8 segmentos.

À medida que se dividem, os brônquios vão fazendo-se progressivamente de menor calibre até passar a dimensões microscópicas e então tomam o nome de bronquíolos. As divisões repetidas dos bronquíolos dão lugar aos bronquíolos terminais ou respiratórios, que se abrem no conduto alveolar, do qual derivam os sacos aéreos. A parede de cada conduto alveolar e saco aéreo está formada por várias unidades chamadas alvéolos

Árvore bronquiolar

Os brônquios, começamna traquéia, penetram no pulmão depois de um curto trajeto e ali se dividem originando 3 brônquios secundários no pulmão direito e 2 no esquerdo. A partir destes, a árvore bronquial se ramifica dicotomicamente em forma desigual.

As primeiras 9 à 12 divisões constituem os brônquios; as ramificações seguintes constituem os bronquíolos, dentro dos quais se distinguem sucessivamente os bronquíolos propriamente ditos, os bronquíolos terminais e os bronquíolos respiratórios. Estes se ramificam dando lugar aos condutos alveolares que ao mesmo tempo originam os sacos alveolares ou alvéolos onde se produz o intercâmbio gasoso.

Nos brônquios intrapulmonares, os anéis são substituídos por placas irregulares distribuídas em toda a circunferência do conduto e cuja importância decresce gradualmente até que desaparecem nos bronquíolos. Os brônquios não tem cartilagem e possuem uma armação de fibras elásticas e reticulares que se prolongam na parede alveolar.

Os brônquios são a direta continuação da traquéia. Esta, terminado o seu trajeto vertical, se bifurca em dois ramos, que são justamente os brônquios. O brônquio direito se dirige ao pulmão direito e se divide ,em três ramos, um para cada lobo pulmonar. O brônquio esquerdo entra no pulmão esquerdo e se divide só em dois ramos, porque o pulmão esquerdo só tem dois lobos.

Cada ramo se divide sucessivamente em ramos, sempre menores.

Os brônquios têm importantes relações com os órgãos vizinhos: o brônquio esquerdo é contornado pela croça da aorta; o brônquio direito estáem relação direta com a veia cava superior, que lhe fica adiante.

O comprimento da parte extrapulmonar dos brônquios é muito reduzido: 5 a 6 centímetros à esquerda; 2 a 3 centímetros à direita.

O seu diâmetro é, também, no máximo, de 1,5 centímetros.

Também os brônquios são formados de anéis cartilaginosos, mas a sua estrutura muda aos poucos à medida que eles se ramificam e se tornam sempre mais delgados. A mucosa também é forrada de células cilíndricas com cílios vibráteis, as quais, todavia, ao nível dosbrônquios menores (bronquíolos ), se transformam em células cúbicas sem cílios.

Os brônquios estão em relação, justamente ao nível da bifurcação da traquéia, com um grupo de gânglios linfáticos muito importantes, chamados tráqueo-bronquiais.

Fonte: ecdise.weebly.com

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal