Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Cuba  Voltar

Cuba

 

História

Cuba foi descoberta por Cristóvão Colombo 28 de outubro de 1492, durante sua primeira viagem ao que ele pensava que era o império do Grande Khan.

A ilha foi, era, habitada por cerca de 100.000 índios: Guanajuatabeyes, Ciboneyes, Taino, Arawak, bem como tribos canibais, os caraíbas.

A ilha foi nomeada após seu nome nativo, Cubanascan.

Juan de la Cosa realizou pesquisas e mapeamento. Sebastián de Ocampo foi o primeiro europeu a fazer o viagem completa em 1508.

Cuba

A colonização de Cuba iniciou em 1511, sob a égide de Diego Velázquez de Cuéllar, governador nomeado da ilha e fundador de Baracoa, Santiago de Cuba (1514) e Havana (1519).

Em menos de cinco anos, a população indígena de temperamento pacífico, foram sistematicamente abatidos, e reduzida a algumas centenas de indivíduos.

Além disso, forneceram a base para expedições espanholas ao México e Panamá.

Cuba possuía reservas de ouro e que logo foram esgotados.

A administração local foi, portanto, responsável por promover novas atividades econômicas: tabaco, plantas tintureiras, e cana-de-açúcar registaram um crescimento considerável, auxiliados pela importação de escravos africanos.

Espécie de "porto exterior" dos EUA no caminho para a Europa, a ilha tornou-se comercialmente muito ativo.

Desde o início do século XIX, as disputas entre os espanhóis e crioulos tornou-se arrasado.

As autoridades locais foram confrontados com aspirações à independência de todos os povos da América espanhola.

Em Cuba, o movimento experimentou um crescimento graças ao trabalho de Carlos Manuel de Céspedes. Rico dono de um campo de açúcar, propriedade, ele libertou seus escravos e exortou seus compatriotas a se rebelar, formando grupos de manzanilleros e desencadeando a Guerra dos Dez Anos (1868-1878).

No final do conflito perdido pelos insurgentes, o pacto Zanjón (10 Fevereiro 1878) concessões substanciais para os cubanos. A ilha era dotado de uma certa autonomia, a escravidão foi abolida em 1880 e igualdade de direitos entre brancos e negros, proclamada em 1893. As conseqüências do acordo político alcançado com a formação dos primeiros partidos políticos, bem como o setor econômico, uma vez que as empresas dos EUA aumentaram seus investimentos na região.

Independência

As reformas foram finalmente implementadas e logo acompanhadas e os cubanos se rebelaram novamente em fevereiro de 1895, sob o comando de José Martí e Maceo Antonio e general Máximo Gómez.

Martí e Maceo estavam à frente do Partido Revolucionário Cubano, fundado em 1891, durante um período em que os movimentos políticos multiplicado: União Constitucional Festa (1878) Reforma (1893), autonomia e Partido Liberal (1878).

O Estados Unidos, que já controlavam o mercado do açúcar cubano, interveio no lado dos insurgentes em abril de 1898, precipitando a Guerra Hispano-Americana, causada pela perda de Maine, um navio de guerra dos EUA que Espanha foi acusado de ter torpedeado.

Tratado de Paris de 10 de dezembro de 1898 terminou o conflito, a Espanha renunciou a sua soberania sobre a ilha e um governo militar foi estabelecido pelos americanos.

A República de Cuba foi formalmente criada em 20 de maio de 1902, e sua integração Constituição a Emenda Platt, que autoriza a intervenção dos EUA nos assuntos do país e da instalação de duas bases navais em Cuba, em troca de privilégios aduaneiros.

10 de marco de 1952, o ex-presidente Batista tomou o poder com o apoio do exército. Inicialmente apoiados pelos sindicatos e os comunistas, seu regime era para ser a arbitrariedade ea corrupção. A dominação do capital estrangeiro na economia voltou a crescer em 1950, os norte-americanos controlado minas de níquel de 90% e fazendas, 80% dos serviços públicos, 50% das estradas de ferro, e com no Reino Unido, a indústria do petróleo inteiro.

Não institucionalizada oposição então desenvolvido em torno de alguns intelectuais.

Em 1953, Batista esmagado uma revolta liderada por tentativa de Fidel Castro , um jovem advogado que foi jogado na prisão. Reeleito sem oposição no ano seguinte, o ditador concedeu anistia aos presos políticos, Castro, então, resolveu ir para o exílio no México.

A Revolução Cubana

2 dezembro de 1956, Fidel Castro chegou ao pé da Sierra Maestra com 80 insurgentes. Derrotados pelo exército, os rebeldes poderia, contudo, juntar os maquis, entre eles Che Guevara , um jovem médico e revolucionário argentino , companheiro de Castro. Por dois anos, os barbudos assim appellait levaria um exército de guerrilha contra a insidiosa, gradualmente assegurar o apoio de grande parte da população. Hesitantes em política, os Estados Unidos suspenderam os embarques de armas para Batista, em março de 1958. O sucesso da ofensiva contra os insurgentes, levaram o ditador a deixar o país em 1 de janeiro de 1959.

Um governo provisório foi nomeado, liderado por Fidel Castro, um homem que queria acima dos partidos. Rapidamente, a reforma agrária, confiscando terras para os norte-americanos, foi lançado, refinarias de açúcar e óleo foram nacionalizados. Implementação de políticas trabalha grande efeito era reduzir o desemprego, programas para melhorar a educação e saúde logo dar frutos.

Em outubro de 1960, Washington impôs um embargo à ilha shopping. Ruptura total das relações diplomáticas ocorreu em janeiro de 1961, e 17 de abril, um comando anti-Castro exilados apoiados e treinados pelos Estados Unidos desembarcaram na Baía dos Porcos, ao sul da ilha. O fracasso desta tentativa de invasão acelerou o regime socialista.

Em 14 outubro de 1962 quebrou Crise: Os Estados Unidos descobriram em rampas de mísseis de Cuba fornecidos pela União Soviética. Presidente dos EUA, John F. Kennedy então anunciou um bloqueio naval da ilha. Depois de vários dias de negociações, durante o qual uma guerra nuclear parecia iminente, o líder soviético Nikita Khrushchev concordou em retirar seus mísseis. Em 1965, os governos de Cuba e os Estados Unidos assinaram um acordo permitindo que os cubanos a emigrar para os Estados Unidos. Mais de 260 mil pessoas deixaram a ilha antes do fim oficial da ponte aérea, em 1973.

Em novembro de 1993, a Assembléia Geral das Nações Unidas, apoiada por todos os países da América Latina, aprovou uma resolução pedindo o fim do embargo dos EUA e um projeto de lei foi protocolado neste sentido ao Congresso dos EUA Estados, sem sucesso.

Descontentamento geral e agravamento da pobreza levaram o governo a iniciar as reformas econômicas: em Julho de 1993, a posse de dólares, que já foi considerado um crime punível com pena de prisão, e foi legalizada em outubro de 1994, mercados livres camponeses foram novamente permitidos.

Para conter o êxodo de balseiros (500 em 1990, mais de 3.000 em 1993, 30.000 em 1994), foram assinados dois acordos com os Estados Unidos em setembro de 1994 e maio de 1995. Mas a ratificação da lei Helms-Burton, em Março de 1996, fortalece a posição dos EUA contra o governo cubano.

Na esfera econômica, Cuba abre-se para o investimento estrangeiro eo turismo. Condenação pelo papa do embargo dos EUA forçou os Estados Unidos a relaxar sua política dura para Havana. Mas os Estados Unidos Tome retaliação contra qualquer companhia estrangeira a fazer negócios com Cuba ou investir na ilha.

Em julho de 1998, no entanto, após longas negociações, o presidente dos EUA concorda em suspender por um período especificado e, em janeiro de 1999, ele anunciou flexibilização do embargo, sem sacrificar a sua estratégia isolamento. Ao mesmo tempo, Cuba normalizar as relações com Espanha, Canadá, Guatemala e República Dominicana.

Durante a década de 2000, a América Latina muda radicalmente à esquerda. Cuba então reforça suas alianças com os países que se opõem cada vez mais a interferência política dos Estados Unidos no continente americano. Assim Fidel Castro contato vale estreito com Hugo Chávez, presidente da Venezuela , Nestor Kirchner na Argentina e, mais recentemente, Evo Morales, o novo presidente da Bolívia.

Fonte: colegiosaofrancisco.com.br

Cuba

História

Antes da chegada dos primeiros espanhois, em outubro de 1492, Cuba estava habitadas por dois grupos indígenas: os tainos e os ciboneis. Os tainos pertenciam aos povos de língua arawak e habitabam a ilha A Espanhola, Porto Rico, parte de Jamaica e o leste de Cuba. Os ciboneis habitavam as Antilhas na pré-história, porém, devido às invasões, primeiro dos arawaks e depois dos caribes, foram afastados aos ecxtremos ocidentais das ilhas de Cuba e Haiti. Estes grupos indígenas viviam principalmente da caça e a pesca; trabalhabam a cerâmica de forma rudimentar, a agricultura e o tecido e seus toscos instrumentos eram fabricados com osos de animais e pedras. Alguns moravam em cavernas das zonas altas da ilha. Os índios tainos tinham sobmetidos aos ciboneis, considerando-lhes casta inferior.

Época Colonial e a breve Ocupação dos Ingleses

Em muito pocos anos os espanhóis fundaram os primeiros povoados, como La Habana, Santiago de Cuba, Camagüey e outras pequenas concentrações humanas, imprimindo uma política de exploração dos recursos naturais da ilha, sobretudo nos jazigos mineiros e posteriormente no cultivo das terras, através das encomendas (a concesão do direito a tributos de um determinado grupo de indígenas, em troca de educação religiosa). Tainos e ciboneis, ate esta injusta situação, desapareceram, igual que ma maioria dos territórios conquistados pelos espanhóis.

No século XVI, Espanha envia ao Novo Mundo ao Adiantado Dom Diego Velázquez, quem funda as sete primeiras vilas: Nossa Senhora da Assunção de Baracoa, São Salvador de Bayamo, Santiago de Cuba, A Santissima Trinidade, Sancti Spíritus, Santa Maria do Porto do Príncipe (atual Camagüey) e San Cristóbal de La Habana.

Graças à situação estratégica, La Habana consolidou-se rápidamente como um importante porto de tráfico de mercadurias, atraindo piratas e corsários. A Coroa Espanhola, como primeira medida preventiva, acordou escoltar com barcos de guerra todos os navios merfcantes, para depois fortificar os portos. La Habana foi escolhida como o porto de concentração da Flota das Índias, tirando a primacia de Santo Domingo.

No século XVI a atividade mais importante era a criação de gado nas extensas fazendas chamadas hatos. Foi introduzida a cana de açúcar, aparecendo os primeiros "engenhos" (fábricas). Foi o cultivo da cana que originou a introdução de escravos africanos a partir do ano 1595.

No século XVII, perante a crescente demanda de tabaco na Europa, o cultivo extendeu-se na ilha e convertiu-se no produto mais rentável de Cuba. Foi no século XVII quando uma série de circunstâncias (sobretudo pelas revoltas que seguiram-se na Ilha da Espanhola) convirtiram Cuba no principal produtor de açúcar do mundo. Cuba foi administrada como uma capitania general do Vicerreinado da Nova Espanha (México).

No ano de 1762 a ilha foi ocupada pelos ingleses por um breve tempo de 10 meses, semeando os alicerces de uma nova política liberal a ser continuada pelos espanhois. Nesse momento Cuba era a colônia com maior população preta.

Os Movimentos de Independência

Com os movimientos independentistas no resto dos países latino americanos, os cubanos optaram por negociar com a coroa, conformando-se com algumas concessões conformándose com algunas concessões no livre comércio com outros países. Aliás, esta situação reforçou a conciência nacional, e no ano de 1868 proclamou-se a república, com Carlos Manuel de Céspedes na frente, otorgando a liberdade aos oescravos. Esta guerra duró 10 anos e concluiu com a vitória espanhola assinando-se a paz em Zanjón no ano de 1878. Dois anos depois a escravatura foi abolida. Porém, a situação de mal-estar continuava e no ano de 1892 José Martí fundou o Partido Revolucionário Cubano, conciliando os interesses das classes e forças sociais. Em 1895 Martí ordenou o início da guerra, que durou três anos. O General Weyler foi enviado para sufocar os movimentos, mas fracassou. A situação piorava, elo que os Estados Unidos, com fortes interesses na ilha, interveio militarmente aniquilando a frota espanhola, ocupando os territórios e assinando o Tratado de Paris (1898) pelo qual se entregaba aos Estados Unidos Cuba, Porto Rico e Filipinas.

Presença Norte americana

Cuba proclamou sua independência no ano 1902 com uma série de restrições impostas pelos Estados Unidos. Este periodo do ano 1898 a 1959 é conhecido como "Seudo-república", já que a presença norte americana contava com certos privilégios, como o controle sobre os tratados exteriores, a possibilidade de invadi-la militarmente ou a adquisição de bases navales no litoral (Guantánamo e a Ilha de Pinos).

A ditadura de Fulgéncio Batista

Durante os primeiros quarenta anos do século XX segueram-se diversos governos militares e civis, caraterizados pela corrupção, provocando o deterioro do sistema político. Em 1925 o general Machado toma o poder e continúa com o regime repressivo. Os problemas da ilha expandiram-se enquanto o preço da cana nos mercados internacionais cai sensivelmente, e o povo faz uma greve geral. Em 1936 Miguel Mariano Gómez derrota Machado, adotando medidas de caráter social urgentes. Esta época dura por pouco tempo já que o coronel Fulgéncio Batista, quem controla os destinos políticos desde as sombras, assume o poder no ano 1940. Permanece por quatro anos até ser derrotado em eleições pelo Dr. Grau San Martín. Após dele segue Prío Socarrás no mandato, com um governo de corrupção e violência. Porém, em 1952 Batista subiu de novo ao poder após dar um golpe militar sob pretexto da má gestão do governo, iniciando assim uma ditadura que iria-se prolongar até o ano 1959, com a chegada de Castro e seus homens.

A Revolução Cubana e o Socialismo

O primeiro intento de Fidel Castro por derrocar Batista foi no ano de 1953, mas não tive sucesso nenhum. Exilado no México e na companhia do Chê Guevara prepara o assalto à ilha e desembarca em 1956 na Província de Oriente. Desde a Serra Maestra inicia os ataques guerrilheiros que culminariam, após três anos, com a fugida de Batista e a entrada triunfal de Fidel em La Habana.

En 1960, perante o bloqueio dos Estados Unidos, Cuba confiscaria as posses norte americanos sem compensação alguma. Com estas medidas inicia-se o deterioro das realações diplomaticas e os Estados Unidos impõem um bloqueio à ilha que continúa até hoje.

CUBA, NO CENTRO DE UM SONHO

As praias, as ilhotas, os caios a a história do Arquipélago Cubano emergem à realidade, como se fosse um sonho. A beleza es indescritível e incomensurável, igual aos plácidos sonhos da infáncia. Tudo nela fica por descobrir para aquele que considera a si próprio como um verdadeiro viajante.

O paraíso encontra-se agora no calor do Caribe, nas deliciosas praias de águas transparentes, nas numerosas grotas a conservarem vestígios da cultura aborigem, nos monumentos carregados de história, na vital cultura musical que tem contagiado

a metade do mundo, e no engenho e hospitalidade dos habitantes. Convidamos-lhe a descobrí-lo por si próprio. Corresponde aos viajantes encontrar este paraíso e deixar apenas as pegadas.

A Pérola do Caribe, como é chamada, oferece ao vistante grandes cidades, tesouros da arquitetura colonial, como Baracoa, Bayamo, Trinidade, Sancti Spíritus, La Habana ou Camagüey. Outras ligadas no mar, como Matanzas, Cienfuegos, Caibarien, Gibara, Manzanillo e Nueva Gerona. E as do interior, habitadas junto com os campos planos, os altos cerros ou as verdes lombas, como Pinar del Río, Santa Clara, Remedios, Ciego de Ávila, Morón, Ccamagüey, Las Tunas, Holguín e Guantánamo.

A natureza por sua parte presta o seu encanto a quem quiser desfrutá-lo, em vales como Viñales, Yumurí, Mayabe e San Luis ou Valle de los Ingenios; Parques Naturais como Península de Zapata ou Sierra Maestra; espaços montanhosos como a Sierra de los Örganos, as Escaleras de Jaruco, a Serra do Escambray, a de Cubitas, Pinares de Mayarí, La Gran Piedra ou o Yunque de Barbacoa; lagos transparentes e cheios de vida como a Lagoa Grande, a do Tesouro, Baconao, Lla Redonda, Lago Habanilla e Zaza; rios caudalosos como Cuyaguateje, Ariguanabo, San Juan, Canímar, Zara, Sagua Grande, Yumurí, Cauto, Zaza, Yara ou Toa; e qué dizer das grotas que testemunham a cultura indígena cubana como as de Bellamar, Punta del Este, Martín Infierno, as de Santo Tomás e a do Ìndio, entre outras.

As praias de ensonho são tal vez a mais procuradas por algumas pessoas; estão as do Varadero, Cayo Largo, Ancón, Santa Lucia, Cayo Coco, Guardalavaca e muitas mais que não irão defraudar-lhe se alguma vez sonhou com férias tipicamente caribenhas.

ALFÂNDEGA E DOCUMENTAÇÃO

Para os cidadãos espanhóis é preciso apresentar o passaporte em vigor com validez mínima de seis meses, passagem de volta e visto obrigatório. No caso de precisar de prórroga, debe acudir ao Buró de Turismo, onde poderá efetuar as gestões. É permitido introduzir no país 200 cigarros, uma câmara fotográfica ou de video, artigos pessonais - incluidas jóias - e esportivos.

CLIMA

O clima em Cuba é predominantemente tropical, com duas estações: a temporada das chuvas, dos meses de maio a outubro e a temporada das secas, de novembro a abril. Cuba conta com sol todos os dias do ano e uma temperatura média anual de 25 graus centígrados. A temperatura média das águas é de 28 graus no verão e 25 graus centigrados no inverno. En algumas zonas montanhosas, como Sierra Maestra, as temperaturas descem até os 20 graus centigrados.

EQUIPAMENTOS DE VIAGEM

Aconselham-se as prendas de algodão, calçado ligeiro, capa de chuva, se viaja na temporada de chuvas, chapéu, óculos para o sol e um bom protetor solar. É bom levar uma capa leve por causa do ar acondicionado, forte demais em alguns lugares. Procure vestir modestamente já que a ostentação no é recomendável.

Procure levar na bagagem uma pequena farmácia com aspirinas, antidiarréticos e repelentes de insetos.

IDIOMA

A língua oficial é o espanhol. Tem numerosas expressões locais e regionais conhecidas como "cubanismos", originados no antigo castelhano da colônia, nas expressões indígenas e em anglicismos, enriquecendo a língua espanhola.

RELIGIÃO

A maioria da população é católica. Existe também um bom número de crenças locais, de origem ioruba, misturadas com ritos cristãos.

ELETRICIDADE

A tensão em tudo Cuba é de 110 V. a 60 ciclos (Hz). As tomadas são de duas cauvilhas planas, tipo americano. A maioria dos hotéis modernos utilizam a corrente elétrica a 220 V.

EMERGÊNCIA - SAÚDE - POLICIAMENTO

As autoridades cubanas não exigen nenhum tipo de certidão de vacinas. Por outro lado, Cuba conta com excelente reputação quanto à questões sanitárias, além de todos os centros tirísticos contarem com salas para primeiros auxílios. As drogarias estão abertas todos os dias de 8.00 às 17.00 horas. As de guarda 24 horas, e estão indicadas em cada rorgaria. Caso de urgéncia acuda à Clínica Cenal de Atenção a Estrangeiros Cira Garcia, em Miramar La Habana ou ao Policlínico Internacional em Varadero. É recomendável viajar com seguro médico. No caso de perda ou robo de documentos acuda à delegacia de polícia mais perto e entre em contato com seu consulado.

CORREIOS E TELEFONIA

Selos pode adquirir em Correios e a maioria dos hotéis (onde tem que pagar em dólares). A Oficina Central de Correios em La Habana se encontra em Ave. Boyeros, perto da praça da Revolução.

Cuba dispõe de serviço automático de chamadas internacionais. Quanto à chamadas locais seu custo é mínimo. Existem cabinas nos principais hotéis e algumas ruas que funcionam com moedas.

FOTOGRAFIA

Em Cuba encontrará todo tipo de marcas em filmes e baterias. Na zona do Caribe a umidade pode estragar alguns filmes pelo que deven ser guardados em lugares secos e frescos. Pela intensidade da luz debe-se utilizar, preferivelmente, sensibilidades baixas e filtros ultravioletas. Para as câmaras de video é preciso un convertidor de cavilha. Em geral os cubanos sempre estão dispostos a permitir serem fotografados, mas o melhor é pedir licença. Lembre que em Cuba poderá praticar a fotografia submarina.

HORÁRIO COMERCIAL

Bancos e escritórios abrem de segunda a sexta-feira de 8.30 às 12.00 h. e de 13.30 às 15.00 h. Os sábados de 8.30 às 10.30 h. Os escritórios costumam estar abertos de 8.30 às 12.30 h. e de 13.30 às 17.30 h de segunda a sexta-feira, e as lojas de segundas a sábados de 12.30 às 19.30 h. Domingos e feriados estão fechadas. Os estabelecimentos para turistas abrem de 10.00 às 21.00 h.

GORJETAS

A maioria dos prestadores de serviços, como moços, guias, taxistas, motoristas, pessoal das malas e outros esperarão gorjeta. Nos restaurantes pode deixar entre o 10 e 15% do valor total da conta.

LOCALIZAÇÃO GEOGRÁFICA

O arquipélago cubano está formado pela ilha de Cuba, a Ilha da Juventude ou de Pinos e por mais de 4.000 caios e ilhotas. Encontra-se no Mar Caribe, muito perto do Trópico de Cáncer, à entrada do Golfo do México, entre a América do Norte e a América do Sul. Pelo norte e leste é banhada pelo Oceano Atlântico e pelo sul pelo mar Caribe. Seu extremo ocidental, o cabo de San Antonio aponta ao vórtice da península mexicana do Yucatão, enquanto que o oriental fica a 77 quilômetros só da ilha A Espanhola (Haiti e República Dominicana).

Cuba é a maior ilha das Antilhas Maiores (ocupa quase a mitade de todo o território), com 110.922 quilômetros quadrados. De forma alongada e estreita mede 1.250 quilômetros de comprido e sua largura máxima é de 96 quilômeros. Suas costas somam perto de 5.746 quilômetros com mais de 200 baias e 300 praias naturais. Seu relevo está reduzido a uma planície de escassa altitude e cuja uniformidade é quebrada por pequenas elevações ou lombas, cubrindo dois terços do território nacional. Nos extremos elevam-se lomas, cobrindo dois terços do território nacional. Nos extremos erguem-se dois sistemas montanhosos sem relação nenhuma entre eles. No extremo ocidental surgem a Sierra de los Organos e Sierra del Rosário, ambas às duas de altitude modesta. Na parte oriental aparece outro sistema montanhosos de maior importância, formado pelas serras Maestra e de Nipe, íngremes e mais elevadas, até alcançar os 1.997 metros no Pico Turquino. Na parte centro-meridional, as montanhas da Sierra del Escambray e de Trinidad elevam-se acima dos 1.100 metros.

As costas do Atlântico são muito "complexas", devido à abundância de golfos, baías e pequenas ilhas, separadas por estreitos passos de arrecifes. En contraste, a costa do Mar Caribe es mais acesivel pero com ilhas e arrecifes como o dos Jardines de la Reina, no oriente o o Arquipélago dos Canarreos no ocidente. Estas ilhas são a maior parte formações coralinas, como no caso do Arquipélago de Sabana-Camagüey (Jardines del Rey) ao longo da costa setentrional da ilha.

Os rios. Embora numerosos, são de curso curto, exceto alguns a correrem no sentido do eixo longitudinal da ilha. O mais comprido é Cauto (250 quilômetros), para o Mar Caribe, o Sagua, ao Atlântico e o Jatibonic do Sul, a desmbocar no Caribe.

Cuba se encontra a 140 quilômetros das Bahamas, a 180 quilômetros da Florida, a 210 quilômetros de Cancún e a 146 quilômetros da Jamaica. Sua capital é La Habana com perto de 2.500.000 habitantes.

FLORA E FAUNA

O mais surpreendente da fauna e flora de Cuba é que não existe nenhum animal ou planta perigoso para o homem. Além disso, das 8.000 espécies de flora, perto da mitade é endêmica, quer dizer, oriunda e exclusiva do país, sendo una das mais ricas e variadas das Antilhas.

Flora

O revezamento das duas estações causa o predomínio da vegetação herbácea sobre a lenhosa e, em realidade, abundam mais na ilha as savanas (extensas zonas cobertas de ervas com pinhos) do que os bosques, não existindo zonas desérticas em todo o território. Nos bosques abundam espécies madereiras muito úteis como os acajús, ébanos, granadilhos, cedros, carvalhos, guayacanes, jiquíes, flamboianes ou árvores do fogo, jacarandás, mangos, goiabeiras, anacardos, zapotes, cacaus (com apariência de arbusto mas sempre árvores), amendoeiros índios e outros mais de madeira dura. Nas planícies os pastos são abundantes, enquanto na parte oriental da ilha dominam os bosques úmidos muito densos, onde abunda a palma manaca. Este paraíso é completado por nunerosas variedades de plantas como mangues roxos, adelfas, caudas de gato, bouganviles, orquídeas, espinilhos (entre milhares de palmas), coqueiros, canas de açúcar e uma boa variedade de frutas troipicais.

Fauna

A flor nacional, que se encontra em quase todo lugar, é a flor borboleta, de cor branca que florese com a temporada das chuvas. A àrvore nacional á a palma real, a espécie mais abundante e que chega medir de 20 a 30 metros de altura.

Quanto á fauna é muito variada e á a própria dos climas sub-tropicais. Aliás, diferença-se em que não tem. No país, nenhuma espécie perigosa para o homem, ou seja, não tem feras e nem insetos (com mais de 7.000 espécies) considerados perigosos.

O país tem um dos fundos marinhos mais belos e surpreendentes do mundo, com mais de 4.000 espécies de moluscos e mais de 9.000 esoécies de peixes.

Por outro lado em Cuba se encontra as menores espécies do mundo: o sapinho (sminthillus limbatus) e o beija-flor ou zunzunito (mellisuga heleane) o pássaro mosca de 5 centímetros de comprido. Destacam entre os répteis algunas cobras, entre elas a chamada majá.

Na ilha se encontra, entre as mais de 300 espécies de aves, flamingos, diversas qualidades de periquitos, corujas nanica, pica-paus, graças boieras, gaviões, pombas torcaces. Faisões, e os coloridos tocororos, a ave nacional por seu peito de cores vermelho, azul e branco (como os da bandeira cubana). Destacam também o porco jívaro, tomeguines do pinhar, queixadas, morcegos, borboletas, iguanos, caracoles, crocodrilos, manjuaries, peixes-bois (estes três últimos em perigo de extinção), entre muitas outras espécies.

Espaços Protegidos

Cuba conta com perto de 15.000 quilômetros quadrados de Parques Naturais protegidos e geralmente deconhecidos pelos turistas. As razões são, em alguns casos,

Pela dificuldade para aceder a eles e em outros pelo desconhecimento do setor turístico, já que estão sendo promovidos muito recentemente.

Nas Reservas da Biosfera encontra-se espécies da flora e fauna oriundas da região, especialmente aves e fauna marinha. Destacam a Reserva da Biosfera da Península de Guanahacabibes e a de Cuchillas del Toa em Guantânamo; quanto a Parques Naturais o da Ilha da Juventude, o Parque Marinho Cayo Caguama o da Grande Pedra em Santiago de Cuba.

Para quem quiser visitar alguma destas zonas o melhor é acudir aos escritórios de turismo, que costumam se encontrar nos principais hotéis do país, aonde será bem informado.

Facilitamos os nomes de alguns paraísos naturais:

- Reservas da Biosfera;

- Península de Guanahacabibes e Sierra del Rosario, em Pinar del Río;

- Parque Baconao, em Santiago de Cuba;

- Cuchillas del Toa, em Holguín e Baracoa, Guantánamo;

Arte e Cultura

Da arte pré-colombiana cubana existem muito poucos testemunhos, mas sabe-se que faz 4.000 anos já habitavam alguns grupos humanos. Encontraram-se restos de construções destinadas à jogos e cerimônias, assim como vasilhas de cerâmica muito simples e rudimentares.

Arquitetura

Nos anos da conquista e da colônia espanhola, graças à sua estratégica situação, Cuba converteu-se em objetivo desejado pelos corsários e piratas, pelo que a arquitetura daquela época centrou-se na constução de fortificações das que ainda ficam expoentes como o Castelo dos Três Reis (ou do Morro).

Apesar que La Habana funcionava como a residência do governador desde tempos anteriores, foi no ano de 1607 quando, por Real Decreto, convirtiu-se em capital. A cidade velha, em torno à Praça de Armas, conserva suas caraterísticas da época colonial e desenvolveu-se urbanísticamente de acordo ao traçado regular em damero.

Seus belos palácios barrocos e suas igrejas guardam a história daqueles tempos. Declarada pela UNESCO Patrimônio Cultural da Humanidade, La Habana sobressae de entre muitas cidades coloniais da América Latina. Destacam a Catedral de estilo barroco "cubano" (quer dizer, mais sóbrio) ou o Palácio dos Marqueses de Aguas Claras, considerado como um dos mais belos exemplos da arquitetura colonial.

Pode-se dizer que a arte tive um desenvolvimento tardio, provocado sobretudo pela falta de mão de obra indígena e a ausência de bons materiais, à exceção das madeiras nobres, com as que realizaram, em base à desenhos de influência mudejar, balcões, grades, balaustradas, gelosias de janelas, etc.

Entre as coinstruções mais representativas com este tipo de ornamentação destacam a do Convento de Santa Clara, construido entre 1638 e 1644. Das conhecidas como "sem ornamento" sobressaem as igrejas de São Francisco de Paula e a Igreja de São Francisco.

Durante o século XIX em Cuba desenvolvem-se importantes obras de qualidade, especialmente a construção de numerosos palacetes. No século XX, graças à presença de nunerosos arquitetos extrangeiros que trabalharam junto aos arquitetos cubanos, sobretudo pela Revolução Cubana, construem-se obras que destacam maiormente pelo ecleticismo.

Um exemplo é o conjunto de Escolas de Arte de La Habana ou o Conjunto Rresidencial de Manicaragua, nos edifícios que formam a Cidade Universitâria.

Pintura

Quanto as artes plásticas as obras mais importantes provém dos séculos XIX e XX, especialmentre as producidas com a fundação da Associação de Pintores e Escultores, onde a tendência dominante era a exaltação da linha e a cor. Entre os numerosos pintores cubanos destacam as obras de Vicxtor Manuel, Amélia Peláez, Marcelo Pgolotty e Manuel Mendive, entre outros.

Teatro

Pode se dizer que as artes cênicas têm seu início com a representação de obras líricas, em clara vantagem sobre as clássicas.

Diversos teatros foram construidos na primeira mitade do século XIX: no ano 1822 construe-se o Coliseu em Santiago de Cuba e em 1837 o Tacón em La Habana, atusal Teatro Nacional Garcia Lorca.

Neles representaram-se zarzuela, ópera, teatro bufo (gênero de origem fancesa, onde a ironia e o jogo de palavras constituim o eixo central), assim como diversas obras de outra índole. Entre os autores do XIX, o precursor é Francisco Covarrubias, criador de sainetes.

No século XX vai-se desenvolvendo um teatro crioulo onde temas locais são representados; é neste contexto que desenvolve o teatro bufo. Por sua parte os Patronatos Teatrales favoreciam a proliferação de atores. A Revolução impulso o teatro e durante os anos 60 criou-se o Teatro Estudo, que levou aos cenários importantes obras. Nos 70 é o triunfo do teatro social, destacando o grupo Teatro Escambray. Entre os autores cubanos, Virgilio Piñera é um dos mais reconhecidos, junto à Carlos Felipe e os mais modernos Héctor Quintero e Abelardo Estorino.

O Balé Nacional de Cuba, criado com o triunfo da Revolução, tem dado figuras de talhe internacional como é o caso da bailarina Alicia Alonso.

Literatura

Quanto à literatura, a figura mais relevante e de maior influência foi nos começos José Martim, quem acreditava no futuro de uma sociedade multi-rracial e propunha a mestiçagem entre a língua e a tradição espanholas com as tradições americanas. Além de sua participação em diversos momentios na história política de Cuba, Martim escreveu numerosos ensaios, diversos artigos de política e história, assim como críticas literárias. Aliás, sua obra de maior prestígio são os "Versos Simples", publicados depois de sua morte no ano 1913. Também destaca o santiagueiro José Maríoa Heredua e Gertrudis Gómez Avellaneda, sem esquecermos de Cirilo Villaverde, autor de "Cecilia Valdés".

Quem plasmou como ninguém em seus versos a cultura afro-cubana foi o genial Nicolás Guillén. Dize-se que fue Alejo Carpentier o precursor do "Realismo Mágico" e entre suas melhores obras destacam "O Século das Luzes" e o "Reino deste Mundo".

Cinema

Até a chegada da Revolução o cinema visto na ilha é, sobretudo, de procedência extrangeira. Na década dios anos 50 começam aparecer nomes como Garcia Espinosa e Gutierrewz Alea, um diretor de cinema que até o seu falecimento faz uns anos tem dado ao cinema obras sumamente interessantes, desde filmes como "Memórias do Subdesenvolvimento", "Sete mortos à praço fixo" ou "O Burócrata", até outras que trascenderam as fronteiras como "Fresa e Chocolate".

Nos anos 60 o Instituto Cubano da Arte e Indústria do Cinema impulsa a aparição de novos talentos como Santiago Alvarez, Humberto Solás ou Manuel Octavio Gómez.

Dos contemporâneos citamos a Octavio Cortázar, Jorge Fraga, Enrique Poineda ou Juan Padrón, entre outros, este último especialista em animação.

Música

Quanto às expressões musicais Cuba foi um importante centro gerador de diversas tendências musicais. Na ilha executam-se rítmos que têm sua base na música de origem crioulo (e depois seria datada e modificada pelos escravos pretos, procedentes da África), pelo que o resultado é uma explosão de rítmos muito variados. Destacam a habanera, o danzón, a sandunguita (a sandunga é uma dança popular mexicana originária de Chiapas e típica da região de Tehuantepec e Oaxaca), o samba, de origem

brasileira, a cong, executada por grupops colocados em dupla fila e ao compasso de um tambor, o chá chá chá, derivado da combinação de determinados rítmos de rumba e mambo e, finalmente, a rumba, de orígem africana, o rítmo masis popular na ilha. Suas orígens remontam-se ao século XIX e, segundo algumas teorias, nasce ao misturar-se com os rítmos da habaneira, muito mais antiga que esta. Para sua execução são utilizados instrumentos de percusão.

Com o triunfo da Revolução inicia-se um forte movimento musical conhecido como a "Nova Trova Cubana" com temas comprometidos de alto conteúdo político e social. Destacam Pablo Milanés e Silvio Rodríguez.

O "feeling" surgiu em Cayo Hueso, popular bairro habaneiro; dize-se que é um "sentimento bolerizado", seus principais representantes são Cesar Portillo, Omara Prtuondo, José Antonio Méndez e Elena Burke.

O que fora de Cuba é conhecido como "salsa" vem do som cubano. Nasceu no Oriente a finais do século XIX e foi-se extendendo por tuda a ilha e nos últimos anos por parte do mundo. Entre os grandes soneros encontam-se Benny Moré, Generoso Jiménez, El Guayabero, Omara Portuondo, Juan Formell, Lázarro Herrera, Celeste Mendoza, Pancho Amat e o bem sucedido Compay Segundo, entre outros muitos.

Em casa, na rua, na praia, quañlquer lugar é bom para improvisar uma festa onde a dança e a música não podem faltar. La Habana está cheia de lugares parea bailar ou escutar "son", alguns são turísticos, mais outros, como o Salão Vermelho, são de ambiente muito cubano. Entre os instrumentos mais utilizados para tocar "son" estão a tumbadora (conga), o três, a guitarra, trombeta, maracas e claves, principalmente.

Gastronomia

A cozinha crioula cubana é uma explosão de sabores cuja orígem está na mestiçagem de ingredientes e formas de cozinhar, próprio da Espanha, África, as Antilhas e, em medida menor, no longuíquo Oriente. Uma mistura enriquecida pelas aportações das diferentes regiões de Cuba. Este encontro gastronômico madurou nos últimos quatrocentos anos.

Os espanhois aportaram os legumes, o arroz, os cítricos como laranja e limão, e a carne de vaca, enquanto os africanos trouxeram a presença de inhãme; e do Novo Mundo a mandioca, o milho, o boniato ou quimbombó.

Aconselhamos para experimentar o verddeiro arroz à cubana com bananas, ovos, carne, cebola e outros ingredientes. Continuando com os arrozes, o arroz com frango acompanhado de queijo ralado, o congrí, preparado com feijão roxo ou o famoso arroz "mouros e critãos", onde o comensal mistura os ingredientes à seu gosto. Todos eles são uma delícia.

Quanto á peixe, fucará surpreso que seu consumo não seja muito popular, pois os cubanos preferem carne. Os mais consumidos são o pargo e o cherne ou mero. Experimente a lagosta à borboleta na chapa acompanhada de uma deliciosa sopa de camarões e milho, cebola e mançã, entre outros ingredientes. Também poderá desfrutar de gostosos canguerejos.

As carnes de porco e vitela têm a maior demanda. O porco assado, acompanhado de feijão preto e arroz, ou o picadinho, com carne de boi cortada em troós e acompanhada de verduras, todos dois são uma delícia. Porém, o prato mais tradicional é o ajiaco, cuja preparação leva tempo pela quantidade de ingredientes. Para se fazer uma ideia, este prato consiste em carne de porco, toucino, boniato, malanga, mandioca ou cabaça, milho tenro, bananas, molho crioulo e um longo et-cétera. Tendo oportunidade, não deixe de experimentá-lo (geralmente tem de pedí-lo antecipadamente por encarrego).

Como acompanhante de muitos pratos encontrará os plátsanos chatinos ou tostones, bananas "machos" em fatias e o fufú, onde as bananas são amassadas com o punho e fritadas. Experimente o chicharrón, corteças de porco bem fritas, e os bobós, feitos com farinha de mandioca.

Para acabar, algo doce. As sobremesas cubanas destacam por ser deliciosa e diferentes. Pode começar com uma fruta como o coco, goiaba ou fruta bomba ou mamão (evite usar o termo "papaya" na região do Oriente, pois lá é referido aos genitais femininos). Continue com um delicioso sorvete preparado com baunilha e canela ou tente o arroz com leite, o bonatilho de coco ou os pudins

Bebidas

Quanto às bebidas, recomendamos para beber água engarrafada. Vinhos podem-se conseguir nos restaurantes de luxo, por serem de importação.

Aconselhamos-lhe para copstumar com a boa cerveja cubana. Entre as marcas mais populares encontra-se a Hatuey, de maior gradação e a Cristal. Porém, se prefere pode amarrarse nos sucos, que provocam um prazer ao bebê-los. Em Cuba chamam-se jugos, como em muitas outras zonas da América Latina. Quanto ao café, costuma beber em goles pèquenos ou "buchitos". Costuma server-se bem açucarado.

Quanto às bebidas espiritosas, o rei é o rum, o álcool mais consumido no mundo, só, com gelo ou em um cuba livre (com refresco de cola). Além disso, com rum são preparados a maioria dos cocteles cubanos e não pode abandonar a ilha sem ter degostado um verddeiro mojito preparado com Hjabana Ccclub branco. Continue com um delicioso daiquirí, com rum seco, suco de limão e gelo picado, e termine com o Eespecial Hemingway, preparado com uma culher de suco de pomelo, marasquino, limão e gelo.

Onde Comer

Quanto à restaurantes em La Habana, recomendamos La Bodeguita del Medio, um dos mais famosos de Cuba, onde desfilram personagens como Ernest Hemingway, Nicolás Guillén o Ava Gardner. Encontra-se na Habana Vieja, rua empedrado No. 207. Não pode abandonar o lugar sem ter provado um dos mojitos melhor preparados em toda a ilha.

O restaurante El Barracón no Hotel Habana Libre, L e 23 em Vedado, com boa cuzinha crioula; o restaurante El Floridita, Obispo esquinha Montserrate, para mariscos; o restaurante La Divina Pastora, no Parque el Morro-Cabaña, que destaca pela arquitetura, os espetáculos afro-cubanos, a música e as espléndidas vistas à La Habana Vieja.

Na parte Nova pode ir no Tocororo, calle 18, entre 3a. y 5a. em Miramar, com uma decoração muito especial entre plantas tropicais. A comida é excelente.

O restaurante El Patio, no mesmo palácio do Marqués de Aguas Claras, em La Habana Vieja. O lugar é excepcional e se especializam em peixe e mariscos.

Na capital encontrará restaurantes que servem especialidades italianas, árabes, chinesas ou francesas. Em Varadero recomendamos Las Américas, na estrada do mesmo nome, o mais popular da zona; El Retiro Josone (Avenida 1a. entre 56 e 59), um complexo de restaurantes para todos os gostos; El Bodegón Criollo (Ave. de la Playa e calle 40) para comidas crioulas; La Patana, na lagõa de Paso Malo, especializado em peixes e mariscos ou o Albacora em 59 e Mar, entre os clássicos.

Em Pinar del Río, La Casa de Don Tomás (Salvador Cisnero No. 141, Viñales), que destaca pelos preços e bom serviço.

Em Santiago de Cuba, o San Juan na estrada de Siboney e Ave. Manduley com pratos crioulos e internacionais.

Em Cayo Largo, o restaurante El Corderito, calle 39 e 24, para os que gostarem desta especialidade e o Río, na calle 32 e Río Nueva Gerona, especializado em peixes e mariscos.

Em Camagüey, El Ovejito, calle Hermanos Aguero No. 280, em una antiga casa colonial (precisa reservar com anticepação).

Compras

Cuba não pode ser comparada, quanto à compras, com outras zonas de Las Antilhas. Aqui os artesanatos são escassos e os artigos interessantes não são muito numerosos. Aliás, não desanime pois em Cuba encontrará, apesar de sua reduzida variedade, artigos que difícilmente encontraria em outros lugares.

Comece por una visita às numerosas lojas da maioria dos hoteles e nos aeroportos. Nelas vende-se desde doces ou roupa, sapatos, perfumes (geralmente falsificações de marcas reconhecidas) há óculos para sol. Lembre que os pagos realizam-se em dólares norte americanos. Aconselhamos-lhe realizar as compras em La Habana, pois na capital concentra-se a maioria dos produtos das outras regiões, além de concentrar a melhor oferta e variedade.

O tabaco cubano conta com una consolidada fama, devido à boa qualide. Existem diversas marcas e recomendamos para comprar tabacos ou charutos nas lojas oficiais ou nas fábricas, pois os ofrecidos pelos vendedores instalados nas ruas, apesar de apresentá-los em caixas devidamente seladas e de marcas reconhecidas, são de inferior qualidade. Na Casa Partagás na rua Industria No. 520, poderá escolher entre muita variedade. Entre as marcas mais reconhecidas e de excelente qualidade, além de Partagás, encontram-se o tabaco de Montecristo, Cohíba, Gener ou H. Upmann.

O rum é outro dos produtos mais reconhecidos, que pode-se adquirir nas lojas para turistas. Têm brancos, idosos, extras ou extra superiores. No aeroporto costuma ser mais caro. Leve de volta para casa alguns óculos de Havana Club, Bucanero, Caney, Matusalén, Paticruzado ou Caribbean Club. Em licores um Guayabita del Pinar ou então licor de abacaxi, cacau, menta, café ou de Marrasquino que oferece Habana Club.

Em artesanato encontrará talhas de madeira realizadas em caoba, ébano o guaiacão preta, pças de cobre pincelado, bijutaria, joalharia realizada em coral negro o em prata, moedas, artigos em pele de crocodrilo (dos criadeiros oficiales cubanos), cartões postais, afiches, mapas e diversos "souvenirs". O Palácio do Artesanato, em uma antiga construção colonial, em Cuba No. 64 em la Habana Vieja, é o centro por excelência dos trabalhos realizados a mão.

Se procura bordados vâ à El Quitrín, em Obispo e São Ignacio, onde poderá admirar o trabalho de elaboração. Se busca alguma coisa fora dos circuitos habituais não deixe de visitar o mercdinho dos artesões aos sábados pela manhã, na Praça da Catedral ou na Casa do Jóvem Criador, em San Pedro e Sol, em La Habana Vieja.

As guayaberas cubanas são outro dos artigos mais solicitados. São camisas plisadas muito típicas na região do Caribe. Em La Maison, calle 16 e Ave 7a. Miramar encontrará a mais ampla variedade, além de poder solicitar que desenhem uma à medida.

Quanto à arte e antigüidades, são comercializados pelo Fundo de Bens Culturais. O escritório central fica na Plaza Vieja, onde pode-se conseguir ls trabalhos em pintura e escultura dos artistas cubanos, não considerados patrimônio cultural. Em algumas galerias, como La Acacia se encontram excelentes obras. Para antigüidades o melhor lugar é o Palácio da Arte na calle 72 e Ave. 5a. Miramar, onde, além de algunas antigüidades, encontrará móveis dos séculos XIX e XX.

Se gosta de livros, em Cuba, procurando entre os numerosos títulos de pouco interesse, poderá encontrar boas obras de literatura, viagens, obras científicas ou técnicas à preços de riso. Quanto à música, podem-se adquirir os títulos dos grupos e solistas de mais prestígio, asim como fitas e compact discos. Aliás, tem bom número de lojas e vendedores das ruas (onde se paga em dólares) que oferecen boa música. Vâ na Tienda Chaplín na rua 23, Vedado, onde além de una boa variedade de fitas encontrará livros e afiches de cinema. Para terminar não esqueça comprar algum frasco de marmelada, uma caixa de pastas, confituras de chocolate e una bolsa de auténtico café cubano.

População e Costumes

A população de Cuba estima-se em 11 milhões de habitantes, dos quais perto de dois milhões e meio viven em La Habana.

Cuba possui o nível de esperança de vida mais alto do continente americano, com uma média de 75 anos. A população é maioritáriamente mestiça, como resultado dos encontros entre os espanhois da colônia, pretos ioruba e congo (procedentes da Nigéria e Zaire), e a minoritária aportação dos antigos índios tainos. Os chineses, que iniciaram sua imigração a meados do século XIX, constituem nestes momentos uma reduzida colônia, concentrados principalmente na capital. Segundo as estadísticas oficiais a população está constituida por um 66% de brancos, 25% de mulatos, 12% de negros e 0,1% de asiáticos.

Do seu pasado aborígem sabe-se bem pouco fora da ilha, porém, os numerosos vestígios encontrados asseguram a existência de uma ciltura digna de se conhecer. Eeeentre as mais conhecidas encontra-se a do Chorro de Matia, uma comunidade pacífica dedicada à agricultura e à cerâmica.

Provavelmente o rasgo mais distintivo dos cubanos e o que melhor pode definir-lhes seja sua ferrenha capacidade para suportar a crise. Uma capacidade tal vez baseada em um extranho e inexplicável sentimento de esperança e inamovível atitude de espera. O cubano espera para tudo, para pegar ônibus, par adquerir um produto, apresentar um documento, retirar os alimentos com a carteira de racionamento, em fim, espera em quase todas as situações. As filas são intermináveis e o cubano espera porque a pesar da dificil situação econômica que o país atravessa,

Onserva a esperança de que tudo vai no bom caminho. Os cubanos matem-se firmes. Teriamos que perguntar aos sociólogos para achar respostas a estas posturas e seguramente iriam desde uma possível resignação social à educação revolucionária que têm recebido, e que calou fundo em todas as conciências.

Independentemente das causas dessa atitude, os cubanos são gente confiável e a sua firmeza diz que possuim uma sólida confianza em si próprios. A história é quem irá encarregar-se de dar-lhes a razão.

O cubano, além disso, está sempre em uma aberta disposição a movimentar o corpo quando são tocadas algumas notas com qualquer instrumento. A música e a dança são outro dos rasgos a definirem o povo. Aonde tem um pouco de música, ali se faz a festa, sem importar a classe, o tipo ou material com que estejam feitos os instrumentos. Bem pode ser simples colheres a batirem troços de madeira.

Os cubanos são gentis e generosos com os visitantes. Possuem um alto espírito de solidariedade entre eles mesmos e com os estrangeiros. Descobrirá estas caraterísticas nas conversas, por serem grandes aficioados ao bate-papo, um verdadeiro prazer para eles.

Lembramos que o consumo de drogas é fortemente punido. Procure vestir com propriedade, mas sem ostentação. En alguns centros noturnos irão exigir-lhe calça comprida e calçado de vestir. Quanto às praias, o top-less é menos frequente e mais discreto que nas praias europeias.

ENTRETENIMENTO

Cuba não é apenas um lugar para descansar ou bronzear-se nas praias. Cuba é, quanto à entretenimento, um dos melhores lugares do Caribe. Na ilha podem-se praticar as diversas modalidades de eco-turismo e numerosos esportes, sem esquecer que lazer no Caribe é sinônimo de música, rumba e rum.

Atividades Eco-turísticas

Para quem gosta das atividades eco-turísticas aconselhamos dedicar parte do seu tempo à observação das aves, já que a ilha, por sua diversididade e número de espécies, é um lugar excelente para esta atividade (sobretudo em Ciénaga de Zapata, ao sul da Província de Matanzas). Poderá fazê-lo nas caminhadas pelas encantadoras zonas naturais, onde encontrará abundante e variada flora e fauna. Nestes passeios também irá descobrir os costumes dos habitantes de Cuba.

Entre as zonas para a prática do trekking aconselhamos um passeio pelo sendeiro de Morlote-Fustate, no Parque Nacional Desembarco doGranma. Esta excursão também pode ser realizada a cavalo. Quem quiser dedicar mais dias às férias, una caminhada em Sierra Maestra é uma boa opção para conhercer o Pico real do Turquino. Aguns hotéis organizam passeios á cavalo por zonas ecológicas interessantes como a que explora o Parque Nacional de La Gran Piedra, Sierras Maestra ou em Pinar del Río.

A espeleologia é outro dos atrativos de Cuba por estar formada uma boa parte de sua superfície por rochas calcárias, o que tem propriciado a formação de numerosas cavernas. O circuito mais importnte é o sistema cavernário Majagua-Canteras, com mais de 30 quilômetros de galerias. Para esta atividade lhe aconselhamos leve seu próprio equipamento, por ser dificil de conseguir em Cuba.

Atividades Esportivas

Para os que disfrutam das atividades no mar, têm os mergulhos nos fundos marinhos mais belos do Caribe. As barreiras coralinas, a riqueza dos fundos e cavernas marinhas, assim como alguns navios afundados, fazem do mergulho uma das atividades mais excetantes. Em Cuba achará bom equipamento, instrutores propfessionais e centros de atenção para casos de emergência. Lembre que as imersões em solitário são perigosas e que a conduta de um mergulhador bom é, acima de tudo, o respeito pelo meio ambiente. Os centros internacionais de mergulho se encontram por diversas zonas, como é o caso de Pinar del Río em Playa Maria La Gorda, na Península de Guanhacabibes, com impressionantes fundos onde abunda o coral negro; a Praia de Santa Lucia em Camagüey, com fundos despovidos de rochas e abismos; a Praia do Daiquirí, muito perto de Santiago de Cuba ou em Varadero, em Matanzas na Marina Acqua.

Por outro lado, na maioria das praias poderá praticar esportes como vela, windsurfing ou esquí aquático. Não dispondo destes serviços em seu hotel, pode ir no Buró de Turismo mais perto, onde receberá informação em detalhe.

Para os amantes da navegação, na ilha pode-se alugar um iate para desfrutar ao máximo dos arredores. Em La Habana acuda à Marina Hemingway, onde oferecem diversos passeios em diferentes embarcações.

O rafting é outra das atividades com muita demanda. A descida por rios, como o Toa, o mais caudaloso de Cuba, permite a prática nas águas maios ou menos bravas, dependendo dos tratos escolhidos.

Caça e Pesca

Para os amantes da caça, Cuba tem abundantes peças: patos, torcazes, cabecibrancas, pombas, rabiches, codornizes e outos. Os melhores coutos são os de e La Víbora em Pinar del Río, Alonso de Rojas, Guanahacabibes ou em Aguachales de Falla em Ciego de Ávila, onde as condições são excelentes.

Quanto à pesca Cuba oerece uma gama muito variada. Destaca a pesca da agulha e dos chamados peixes de bico, especialmente enfrente ao litoral de La Habana. Em Cuna têm lugar vários torneios internacionais, entre os que destacam o Torneio Ernest Hemingway ou o Torneio Castero. Aconselhamos para ir no porto esportivo Marina Hemingway, Marina Veneciana, la Gaviota, Marina Acqua e Chapelín. Para pesca em aguas doces, o melhor é dirigir-se ao Centro de Caça e Pesca Maspotón em Pinar del Río ou ao centro Turístico Guamá da Laguna del Tesoro, em Matanzas, onde se coseguem boas trutas.

Atividades Culturais

Atividades culturais também devem ser levadas em conta na hora do lazer na islha. Teatro e dança, junto à música, são hoje muito ricos em Cuba. Para conhecer a cultura cubana há que considerar os numerosos festivais a celebrar-se nas diferentes datas.

Não esqueçamos da possibilidade de ir à ilha a participar em, seminários e receber cursos sobre numerosas matérias. São de interesse os de cinema, fotografia submarina e teatro, além da música e dança.

Espetáculos Esportivos

A maioria dos hotéis dispõem de ginásios, saunas, jacuzis e canchas de ténis- Quanto ao golfe, ainda não está muito desenvolvido. Se gosta, é de observar esportes, não deixe de assitir um jogo de béisbol, se coincidir com a temporada de jogos para desfrutar, sobre tudo, do espetáculo que os aficionados protagonizam. Cuba converteu-se em potência esportiva, ostentando a supremacía mundial em box ou béisbol, e em voleivol e atletismo obtiveram numerosas medalhas.

Diversão Noturna

Na chegada da noite, após fazer esporte, não terá tempo para o sonho, nem mesmo para aborrecimento, por existirem bom número de bares e centros noturnos.

A maioria concentra-se na capital. O primner lugar aonde acudir é o Salão Vermelho do Hotel Capri para desfrutar das "Noites do Bolero", onde atúam bohemistas cubanos.

No hobby do Hotel Habana Libre, um dos mais visitdos e muito bom lugar de encontro. No Rincón del Tango, no centro, poderá desfrutar de boa música além de escutar aos aficionados cubanos cantando tangos ao estilo Gardel.

No Hotel Riviera, no salão Internacional, tem música de orquestra. Não pode-se esquecer o Cabaret Tropicana, o maior de La Habana e mais popular de Cuba.

Disppões de dois salãos: "Sob as Estrelas", o principal, e "Arcos de Cristal".

Em Tropicana desfrutará de um autêntico espetáculo de cabaré, ao estilo dos anos cinquenta, podendo bailar e escutar son no Palácio da Salsa, o Café Cantante, La Tropical, Delirio Habanero, La Zorra y el Cuervo e a Casa da Música.

Em Varadero não deixe de visitar o Cabaré La Cueva del Pirata com música para dançar no interior de uma antiga caverna; o Cabaré Continental no Hotel Internacional (é necessário reservar); a Taberna El Legendario, Camino del Mar, entre 13 e 14. E para os que gostarem de dança, a Discoteca La Bamba no Hotel Tuxpan, Ave. de Las Américas, fica aberta até altas horas da madrugada, ou então a Discoteca La Salsa no Hotel Puntarena.

Em Santiago de Cuba, aconselhamos El Tropicana (não se compara com o de La Habana); a Discoteca Espantasueño no Hotel Santiago de Cuba, o melhor da cidade. Também pode dar uma volta pela Casa da Trova ou o Café-teatro Oriente.

Em Camagüey, na Casa da Trova e em Baracoa a mesma coisa.

FESTIVIDADES

Um dos rasgos que podem definir da melhor maneira os cubanos é a sua capacidade para a diversão. Tal vez sejam o riso e a alegria as notas caraterísticas na população do Caribe, o que melhor define os homens e às mulheres das Antilhas

O calendário de festividades começa em 1º de Janeiro, quando celebra-se o nascimento de um Novo Ano e o Aniversário da Rrevolução e Dia da Libertação.

Neste mês, em La Habana, tem a Semana da Cultura, onde diferentes manifestações em teatro são realizadas, e de dança, pintura, escultura e outros.

Desde a segunda-feira de janeiro até o segundo domingo de fevereiro, acontece o Carnaval de Varadero, de caráter internacional. Aqui os protagonistas são os habitantes que entre escolas cubanas, orquestras musicais, espetáculos vários, põem rítmo nas ruas da cidade. Todas as sextas-feiras têm desfile onde os turistas podem participar representando o hotel onde se alojam. No final da caravana, as escolas como a do Cocuyé ou do Alacrán, muito populares nestes dias, botam música na noite que finda nos parques Coppelia e Los Festejos. Durante a semana realizam-se cursos de baile, concursos de disfarces e votam para eleger reis e rainhas.

Durante estes quatro domingos se passa o Carnaval Aquático com diversas competições e manifestações no mar. Com o final do Carnaval, a ilha ancora em um suave sentimento de resignação, como se tudo tivesse sido um sonho.

No mês de Fevereiro, em La Habana, também se celebra o Festival de Jazz, para confirmar, nos rítmos lentos e criativos, que tudo é verdade.

Em Maio, no dia primeiro festeja-se o Dia dos Trabalhadores com um desfile na Praça da Revolução, seguido do tradicional discruso de Fidel Castro. A praça enche de seguidores e curiosos, à espera das palavras do lider.

No mês de Junho destaca na capital o Festival do Bolero de Ouro, com o melhor dos cantantes neste género.

Julio é o mês de festas por excelência, é o mês dos carnavais. Estes têm orígem nas festas romanas em homenágem a Saturno, onde reinava o desordem. Fffoi introduzido pelos espanhois e com o tempo acolheu as aportações africanas e crioulas, dndo por resultado festividades com uma especial marca cubana.

Os Carnavais em Santiago de Cuba caraterizam-se por serem toda uma explosão de diversão popular. O mais representivo são as congas, o rítmo africano, que enloquece a todos os habitantes. Nunca falta o aguardente e o rum para suportar da melhor maneira o calor da ilha, implacável. Nno fim do mês tem o Aniversário do Assalto ao Quartel Moncada no Dia da Rebeldia Nacional.

Em Agosto destaca o Festival de Teatro de La Habana, momento em que o Teatro Nacional veste de gala para acoleer as últimas representações cénicas da ilha. Se coincide nestas datas, aproveite para desfrutar de representações de boa qualidade.

Em Outubro, o dia primeiro, celebra-se no bairro chinês a Festa Nacional dos Chineses, com execução dos bailes do dragão e o teatro banquete, com trajes típicos e tradicionais da China imperial. O dia 10, o Aniversrio do Início da Independência. O mês fecha com as Parrandas Santiagueras na vila de Santiago de las Vegas, entre barulhentas e movidas rumbas.

No mês de Novembro o Festival da Guaracha, entanto a capital acolhe o Festival Internacional de Balé, com o melhor das companhias vindas de numerosos países. Tal vez tenha a oportunidade e possa admirar e desfrutar de uma representação do Ballet Nacional de Alicia Alonso.

Dezembro destaca pelo Festival de Cinema de La Habana, com uma mostra das últimas produções. Um exemplo é a Fundação da Escola de Cinema e TV em San Antonio de Baños, presidida pelo escritor colombiano Gabriel Garcia Márquez. O sábado anterior ao dia 26 de dezembro celebram-se as fiestas tradicionais de Parrandas de Remedio e as de Charanga de Bejucal.

O ano termina na noite do trinta e um, quando os cubanos apelam à esperança para um futuro mais prometedor.

Festivais Recomendados

-Feira Internacional de Arte Popular

-Feira Internacional de La Habana

-Feira Internacional da Técnica Médica

-Feira do Novo Cinema Latino americano

-Concurso e Festival de Guitarra de La Habana

-Feira Internacional do Livro

-Festival de Habaneras

-Festival do Son Matamoros

-Festival de Música Eletro aqústica

- Festival de Jazz Plaza

- Festival Internacional de Teatro

- Torneio Internacional de Box Giraldo Córdova Cardín In Memoriam

- Campeonato de Béisbol

- Torneio Internacional da Pesca da Agulha Ernest Hemingway.

Transportes

As principais cidades de Cuba estão comunicadas por avião. Cubana de Aviación tem vôos á Isla de la Juventud, Cayo Largo, Camagüey, Cienfuegos, Santiago de Cuba, Holguín, Guantánamo, Manzanillo, Las Tunas, Bayamo e Ciego de Ávila. As saidas variam de acordo o destino e nalguns casos, só tem um vôo semanal. É recomendável fazer reservas com muito tempo de antecipação, devido à grande demanda. Para qualquer trajeto é preciso apresentar o passaporte e pagar em dólares. Além de Cubana de Aviación (com escritório na rua 23 No. 64, entre Infanta e Vedado), existem Aerocaribbean, Aerogaviota e Aeropostal.

Trem

É uma boa forma de conhecer o país. Aliás, as saidas são muito irregulares e os tempos são bastante compridos. Em ocasiões, alguns trens contam com um vagão para turistas provido de ar acondicionado, à ser pago em dólares. As reservas podem ser feitas nos Burós de Turismo ou na estação de trens, nas ruas Esperanza e Egido, em La Habana.

Carro

Esta é uma das melhores formas para conhecer o país. Havanautos e Cubanacar são algumas das muitas empresas a gestionarem o alugel de carros. Havanautos dispõe de oficinas no aeroporto de La Habana, na capital, Varadero e nas principais zonas turísticas. Aconselhamos para realizar a reserva com tempo suficiente, e melhor antes de partir. Na temporada alta é muito provável que sufra para conseguir alugar carro.

Para o aliguel é preciso apresentar a cartera vigente, ser maior de 21 anos de idade e deixar fiança, geralmente através de cartão de crédito. Verifique o tipo de seguro que vai adquirir, pois seguro a tudo risco não é ofercido. Aconselha-se viajar com o depósito sempre cheio. Quanto à condução, extreme as precuções, pois, nas cidades e maior parte das estradas o tráfico é ligeiro, os escassos motoristas costumam dirigir com certa anarquia; acima de tudo, preste atenção aos ciclistas. Em cuba circula-se pela direita.

Ônibus

Este é um dos meios de transporte recomendados para viajar pela ilha. Aconselha-se reservar com antelação. Existem infinidade de ônibus ligando diversas povoações. A Rodoviária Interprovincial fica na Ave. Independencia,.

Ônibus urbanos costumam ir lotados de pasageiros e podem variar os horários de serviço. Nas horas pontas, entre as 6.00 e ás 8.00 h e de 16.00 ás 18.00 h, é dificil se trepar em um ônibus. Fora destas horas circulam espaciadamente, cobrindo as principais rotas.

Táxi

Os táxis turísticos cubanos dispõem de taxímetros e os trajetos são pagos em dólares de acordo à distância.

As paradas costumam estar situadas na entrada dos hotéis, restaurantes e centros noturnos. As principais companhias são Cubanacán, Turistaxis, Panataxis, Havanautos, entre outras companhias.

Existem outro tipo de táxis, os chamados "boteros", motoristas com licença que oferecem o serviço em seus carros particulares e são aconselháveis para os trajetos curtos (por exemplo, La Habana-Varadero), por serem muito mais econômicos que os táxis oficiais.

Uma boa forma de se conhecer La Habana, sobretudo à chegada, è alugar uma bicicleta e realizar passeios para descobrir os rincões com mais sabor tradicional.

Fonte: www.rumbo.com.br

Cuba

"CUBA pode oferecer muito mais que um simples destino Caribenho para Turismo, CUBA é uma NAÇÃO e procura agir como tal, de maneira soberana e desafiadora."

Cuba

República de Cuba (CUBA) é uma ilha subtropical localizada no Mar do CARIBE e aos que pensam tratar-se de uma Ilha com coqueiro no meio terão uma surpresa muito grande ao constatarem que sua dimensão chega a 1.200 km de uma ponta a outra (Mais ou menos a mesma distancia Brasília a Curitiba), quase do tamanho da América Central. Sua população chega a 11 milhões de habitantes sendo 3 milhões somente na capital (Havana).

Diversão: Em Cuba o que não falta é diversão, veja abaixo alguns bares e restaurantes com excelentes recomendações:

TROPICANA: Dois shows toda noite no maior cabaré da cidade. End: Calle 72 Nº 4504, Marianao

Cocktail Bar e Restaurante: Música ao vivo

Gruta do Pirata: Desfrute dos Shows e da Discoteca

Transporte

Ônibus é um dos meios de transporte recomendados para viajar pela ilha. Aconselha-se reservar com antelação. Existem infinidade de ônibus ligando diversas povoações.

A Rodoviária Interprovincial fica na Ave.Independencia Ônibus urbanos costumam ir lotados de pasageiros e podem variar os horários de serviço.

Os táxis turísticos cubanos dispõem de taxímetros e os trajetos são pagos em dólares de acordo à distância.

Existem outro tipo de táxis, os chamados "boteros", motoristas com licença que oferecem o serviço em seus carros particulares e são aconselháveis para os trajetos curtos (por exemplo, La Habana-Varadero), por serem muito mais econômicos que os táxis oficiais

Dinheiro

O Peso Cubano é a moeda corrente em Cuba. Contudo, há muita procura pelos dólares em circulação na ilha. Está em circulação desde a independência.

Na década de 90 o governo cubano emitiu cédulas de bônus do governo e Pesos conversíveis com paridade cambial em relação ao dólar americano. O Peso Conversível são utilizados por turistas que visitam a ilha.

Dicas

O turista terá dificuldade para trocar dólares por pesos, pois isso é ilegal. Além do mais, depois de 1993, o cubano pode ter dólares para compras e ele não vai quer pesos de você.

Uma nota de cem dólares é muito difícil de ser trocada e quando isso acontece anota-se o número do seu passaporte, pois há um controle de quantos dólares entram na Ilha. Tente trocá-la no hotel e ao descer no aeroporto José Martí, tenha 1 dólar para o aluguel do carrinho se sua mala é tão grande assim.

Tente esquecer que existe picanha ou alcatra. Com a interrupção da chegada da ração soviética, o governo cubano tomou a decisão de manter basicamente os bois que servem como instrumento de trabalho. O bife vai ser uma facada no seu bolso e somente encontrado nos restaurantes dos grandes hotéis (15 dólares ou mais). Chegue cedo aos restaurantes pois há mais opção de menu.

Procure se informar onde há um refeitório de casa de família (limite de 12 refeições por dia) onde se come bem e barato: arroz, feijão, frango ou carne de porco e uma salada por 5 dólares, mas tem que ser com um dia de antecedência. Isso é permitido e pode-se desfrutar de um papo no cafezinho com uma família cubana.

Não deixe de Conversar

Converse e converse com os cubanos. Eles parecem cariocas no gosto pela conversa e adoram trocar idéias, pois a partir daí se tem uma breve imagem destes hermanos tão simpáticos. Acho que é a coisa mais importante que se deve fazer em Cuba, é claro que ao som de uma salsa e acompanhado de um rum com 7 anos de envelhecimento, sentindo o vento fresco do final da tarde no rosto... e até, quem sabe, escutar a última piada sobre o Fidel.

Fonte: www.souturista.com.br

Cuba

Cada pessoa tem uma impressão diferente de Cuba. Alguns idealizam como paraíso tropical - cenas de palmeiras que balançam ao lado de deslumbrantes praias de areias brancas e um mar azul-esverdeado.

Outros lembram-se da decadência passada: histórias de Hemingway e Greene, rum barato, jogos, danças selvagens e charutos que são rolados nas coxas de donzelas. Só o jogo não é mais permitido.

Sem contar com os revolucionários: José Martí, Castro e Che Guevara.

Possivelmente é a imagem mais poderosa de todas elas: a Cuba libertando-se do seu passado colonial e desafiando o país mais poderoso do mundo.

Parte por causa da sua isolação, antigas cidades em Cuba permanecem notavelmente intactas. Havana é lugar de Herança Mundial e esforços são feitos para restaurar o centro colonial. Ao redor da ilha, Trinidad é a cidade colonial mais preciosa, onde nada se modificou durante pelo menos cem anos.

Cuba é abençoada com recifes que envolvem maior parte da ilha, onde restos de naufrágios abrigam vida marítima. O coral está excelente condição, há tartarugas marítimas, golfinhos, tubarões, baleias, arraias, Bicudo e outras grandes animais farão o coração bater forte. A pesca em mar alto por muito tempo foi popular, com torneios organizados pelo famoso Ernest Hemingway.

Fora da água, Varadero é uma linha de areia que se estende para quilômetro ao longo da costa do norte e atraem turistas desde o começo do século XX.

Para algo um bocado, encabece aos lugares freqüentados favoritos do local: Guanabo, perto de Havana, ou as praias ao leste do Santiago de a Cuba.

Onde quer que se vá em Cuba, a música sempre estará presente. Cada cidade tem um casa de la trova, onde pode-se ouvir os diferentes estilos da música cubana e tomar dois rums a preço de um. A salsa, o mamba e a rumba são todos internacionalmente famosos e o jazz cubano influiu na música em todo o mundo.

Informação

Capital: Habana

Tamanho: 110,860 km²

População: 11m

Moeda: Peso Cubano, Peso Convertido

Idioma: Espanhol

Visto: Os portadores de passaporte britânicos precisam de apresentar passagem de retono e paresentar um visto turístico de 30 dias.

Comida: Experimente a sopa de banana verde ou prato nacional de congris, arroz misturado com feijões pretos, porco assado e yuca ou tipo de banana frita.

Bebida: Como não poderia ser esquecido - o rum. Sem contar com o mojito.

Festivais: Havana em Fevereiro e o Santiago em Julho com suas próprias variações de conga, a música de tambor ensurdecedora que toca-se nas festas e procissões.

Fonte: www.lata.org

Cuba

Cuba é um país no Caribe.

A capital é Havana.

A principal religião é o Cristianismo (Catolicismo), oficialmente a maioria das pessoas é considerada não-religiosa.

A língua nacional é o Espanhol.

A população nativa Ameríndia de Cuba começou a declinar após a descoberta Européia da ilha por Cristóvão Colombo em 1492 e seguindo o seu desenvolvimento como uma colônia Espanhola, durante os próximos séculos. Um grande número de escravos Africanos foram importados para trabalhar as plantações de café e açúcar, e Havana se tornou o ponto de partida para as frotas do tesouro anual do México e do Peru com destino à Espanha. O domínio Espanhol eventualmente provocou um movimento de independência e rebeliões ocasionais que foram duramente reprimidas. A intervenção dos Estados Unidos durante a Guerra Espanhola-Americana em 1898 ajudou os Cubanos a derrubar o domínio Espanhol. O Tratado de Paris estabeleceu a independência Cubana dos Estados Unidos em 1902, após a qual a ilha experimentou uma série de governos praticamente dominados por militares e políticos corruptos. Fidel Castro liderou um exército rebelde para a vitória em 1959; seu governo de ferro manteve o regime subsequente junto por quase cinco décadas. Ele deixou o cargo de presidente em Fevereiro de 2008 em favor de seu irmão mais novo Raul Castro.

A Revolução Comunista de Cuba, com o apoio Soviético, foi exportada por toda a América Latina e a África durante os anos 1960s, 1970s e 1980s. O país enfrentou uma grave recessão economica em 1990, após a retirada dos subsídios da ex-União Soviética no valor de US$ 4 bilhões a US$ 6 bilhões anualmente.

Cuba retrata suas dificuldades como resultado do embargo dos Estados Unidos em vigor desde 1961. A migração ilegal para os Estados Unidos - utilizando jangadas artesanais, contrabandistas alienigenas, vôos aéreos, ou através da fronteira sudoeste - são um problema permanente. A Guarda Costeira dos EUA interceptou 1.000 indivíduos que tentavam atravessar o Estreito da Flórida no ano fiscal de 2011.

Na forma mais ou menos como um crocodilo em repouso, com sua cabeça apontada para as Américas no oeste e sua cauda em direção à África, no leste, a ilha de Cuba se espreguiça sob o céu tropical do Caribe. A República de Cuba inclui não somente o corpo desta ilha de terra - a maior única ilha nas Índias Ocidentais - mas também um vasto arquipélago de mais de 1.600 ilhas menores, ilhotas, e reentrâncias.

Quando Cristóvão Colombo avistou primeiramente Cuba em 27 de Outubro de 1492 durante sua viagem inaugural da descoberta, Cuba tornou-se a porta de entrada para o Novo Mundo. A localização geográfica da ilha entre o Atlântico e o Caribe, bem como a sua proximidade com o continente da América do Norte e o México, fizeram de Cuba o ponto de partida lógico para os conquistadores Espanhóis apostando em novas aventuras. Um vizinho próximo do Haiti para o leste (a estreita, mas perigosa Passagem de Barlavento os separa) e a Jamaica para o sul, Cuba tornou-se rapidamente um centro marítimo e comercial importante nas Índias Ocidentais. Colombo morreu convencido de que Cuba era um continente. Embora ela não se provasse, a ilha que Colombo descobriu se estende além das grandes rotas de comércio do Atlântico e do Caribe. Era teria um futuro extraordinário.

Abençoada pela fertilidade de seu solo, Cuba desenvolveu-se em um país rico. A riqueza da nação nem sempre foi devidamente distribuída e posta ao melhor uso possível para o benefício do povo. Esta situação foi, de fato, uma das causas da revolução Cubana de 1959, liderada por Fidel Castro Ruz, e da eventual transformação da ilha na primeira república Comunista do Hemisfério Ocidental.

Terra

A localização estratégica de Cuba foi o estabelecimento do papel fundamental da ilha na história do Hemisfério Ocidental. Os recursos naturais de Cuba também contribuíram para a sua importância. O açúcar, o tabaco e os minerais Cubanos fizeram da ilha um prêmio cobiçado para a Espanha. Os Espanhóis governaram a ilha por quase quatro séculos. Esses mesmos recursos que comandaram a atenção Espanhola atraíram o rápido crescimento dos Estados Unidos no século 19 e início do século 20, as décadas cruciais quando a influência Norte-americana começou a se espalhar para o sul para o Caribe e a América Latina.

Por um lado, Cuba é extremamente acessível.

São só 100 milhas (161 km) de Havana, a capital, para Key West.

Apenas um pouco maior é a distância do Cabo San Antonio de Cuba (que é a ponta do nariz do crocodilo) para a Península de Yucatán do México: 120 milhas (190 km). Em um dia claro, desde o Pico Turquino (a montanha mais alta de Cuba) na ampla Sierra Maestra, pode-se ver as famosas Montanhas Azuis da Jamaica, 85 milhas (137 km) afastadas. Do Cabo Maisi, a ponta da cauda do crocodilo, são menos de 50 milhas (80 km) para o Haiti. Em certo sentido, então, o crescente de Cuba constitui o limite norte do Mar do Caribe.

Em termos geológicos, Colombo não foi tão longe com sua conclusão de que Cuba fazia parte de um continente. A história geológica de Cuba, indo para trás cerca de 150 milhões de anos, sugere que Cuba é parte de uma cadeia de montanhas Norte-americanas submersas que formam muitas das ilhas do Caribe. Movimentos em massa da crosta terrestre sob o mar progressivamente fizeram a superfície das montanhas, e as encostas das montanhas e picos tornaram-se ilhas.

A história geológica de Cuba inevitavelmente afetou a sua topografia e também deu à ilha deslumbrante beleza natural. No sudeste, há as montanhas da Sierra Maestra e, no lado norte da ilha, a menor Sierra del Cristal.

Cuba tem cerca de 200 rios e milhares de riachos. Estes riachos fluem através das montanhas da ilha, muitas vezes em cascata até cachoeiras, como as Cataratas Caburni, as Cataratas Toa, e as Cataratas Agabama. O Rio Cauto no leste, o principal curso navegável no interior de Cuba, tem cerca de 150 milhas (240 km) de comprimento.

As montanhas, os rios, os planaltos e as planícies de Cuba contribuem para torná-la ambos uma ilha de grande beleza e de grande contraste. Há a exuberância das quentes províncias orientais onde a maioria da cana de açúcar Cubana cresce e a paisagem mais rude das savanas (planícies) das porções central e ocidental da ilha. É nas regiões da savana que o famoso tabaco Cubano cresce, a segunda mais valiosa exportação de Cuba. As grandes fazendas de gado da ilha estão localizadas nas savanas, também.

Clima

Situado imediatamente ao sul do Trópico de Câncer, Cuba é essencialmente um país subtropical. Uma estranha para o inverno, a ilha tem uma temperatura média anual de cerca de 75 °F (24 °C), embora, por vezes, o termômetro sobe para tão alto como 100 °F (38 °C) no verão nas províncias do leste e na região de Havana, que fica na costa norte da ilha.

Cuba é frequentemente vítima de furacões destrutivos. Os grandes furacões anuais são gerados ao sul e leste de Cuba a cada outono, e movem-se em toda a ilha, como uma foice, em direção ao continente Norte-americano. As chuvas que acompanham as tempestades causam grandes inundações do interior.

Cidade e Campo

Tradicionalmente Cuba tem sido uma mistura de sociedades urbanas e rurais. Cada uma de suas 14 províncias tem pelo menos uma grande vila ou cidade.

Santiago de Cuba, uma antiga cidade que lembra a época colonial Espanhola, é a capital da província de mesmo nome. Os centros comerciais de Holguín e Bayamo são as capitais das províncias de Holguín e Granma, respectivamente (a província de Granma é nomeada após o iate de Fidel Castro). Camagüey e Ciego de Ávila são ambas as capitais provinciais e prósperos centros urbanos. Santa Clara, a capital da província de Villa Clara, é uma cidade bonita de igrejas antigas, ruas estreitas e casas antigas. Matanzas, uma cidade portuária movimentada, governa a província de Matanzas. Havana, a capital do país, é uma grande metrópole.

É também o centro administrativo de duas províncias: a província de Cidade de Havana, que é aproximadamente equivalente ao Distrito de Columbia nos EUA, e a província de Havana, uma área muito maior que a rodeia. Pinar del Río, uma pacata cidade, é a capital da província de Pinar del Río.

Havana

A capital de Cuba, com uma população na própria cidade de mais de 2,1 milhões de pessoas, é uma das cidades mais antigas no Hemisfério Ocidental e uma das maiores cidades nas Índias Ocidentais.

Apesar das cicatrizes da revolução e dos problemas econômicos, Havana continua uma cidade fascinante. Isto é devido em parte ao ambiente natural da capital.

Havana foi construída ao longo de um porto suavemente curvo. Muitos dos modernos edifícios da cidade têm uma vista excepcional para o porto e para além dele, na direção de Key West.

Havana também tem o único recurso de ser uma cidade muito antiga para os padrões do Novo Mundo. O porto é protegido por El Morro, uma fortaleza imponente que os Espanhóis construíram no século 16 para proteger a cidade dos piratas e invasores. O bairro mais antigo de Havana, que fica a oeste do porto, se parece muito com uma cidade Espanhola. Tem ruas estreitas, casas com telhado de telha, e bonitas igrejas antigas.

Além da antiga Havana estão o Capitólio do país - que se assemelha ao Capitólio dos Estados Unidos - e outros escritórios do governo. O moderno distrito de negócios de Havana vai além do centro do governo. Os bairros mais recentes de Havana já tiveram muitos hotéis de luxo. Muitos destes edifícios foram convertidos para outros usos pelo governo após a revolução de Castro. A grande enchente de turistas dos Estados Unidos e de outros países ocidentais tinha parado.

Havana continua a ser o centro mais importante da vida econômica de Cuba. Açúcar, tabaco, rum, minerais, e muitos outros itens de exportação ainda são enviados a partir do movimentado porto. No passado, a maior parte deste amplo comércio era realizado com os Estados Unidos. Mais tarde, os navios da agora dissolvida União Soviética e muitos países do Leste Europeu eram uma visão comum nas docas de Havana.

População

Mais de 11 milhões de pessoas vivem em Cuba. Este é um notável aumento dos 6 milhões estimados em 1955 - especialmente à luz do fato de que cerca de 500.000 Cubanos fugiram de sua terra natal na década seguinte à vitória da revolução de Castro. Em termos comparativos, isto significa que a densidade da população de Cuba é mais de três vezes maior do que a dos Estados Unidos. Os milhões de pessoas de Cuba vivem em um território menor do que a Pensilvânia (EUA), e uma parcela considerável da ilha é de terreno montanhoso pouco povoado.

A história do povo Cubano começou em 1511, quando Diego Velázquez desembarcou em Baracoa, no extremo nordeste de Cuba, para assumir o controle da ilha de seus habitantes Indígenas. Os conquistadores encontraram pouca oposição e estabeleceram a sua nova colônia tão rapidamente que dentro de quatro anos da chegada de Velázquez, eles haviam fundado Havana e várias outras cidades. O espírito Católico Romano dos conquistadores Espanhóis ficou evidente em sua nomenclatura de algumas das novas cidades - Santiago (São Tiago), Sancti Spíritus (Espírito Santo), Trinidad (Trindade). Mas também haviam razões políticas para a nomeação de outros lugares. Quando Colombo navegou passando a costa sul de Cuba, ele nomeou o arquipélago que se estende ao longo de Jardines De La Reina ("jardins da rainha"), em homenagem à Rainha Isabel que financiava suas viagens de descoberta. Para não ficar atrás, Diego Velázquez batizou o arquipélago de frente para o litoral norte de Jardines del Rey ("jardins do rei"), em homenagem ao Rei Fernando de Aragão, marido de Isabella.

Em sua chegada a Cuba, os Espanhóis encontraram a ilha habitada por tribos de índios altos cuja pele tinha uma tonalidade cobre. Os Índios eram um povo inteligente e gentil, que cultivavam a terra. Os conquistadores prontamente colocaram os Índios a trabalhar em seus campos e nas minas como escravos. Embora os Índios foram formalmente emancipados por volta de 1550, eles tornaram-se praticamente extintos como uma raça. Muitos deles morreram das doenças que foram trazidas pelos exploradores brancos e para as quais eles não tinham nenhuma imunidade natural. Mas as lembranças dos Índios vivem com os nomes de muitas montanhas, rios e cidades Cubanas - o nome "Cuba" é derivado da palavra Indígena cubanacan, o que significa um "centro" ou "lugar central".

Cuba foi colonizada por Espanhóis e Crioulos (pessoas de ascendência Espanhola nascidas no Novo Mundo). Mas nos séculos que seguiram os primeiros assentamentos, os escravos negros foram trazidos para a ilha em grande número para trabalhar como mão de obra barata. Eles estabeleceram a atual cultura Africano-Cubana da ilha, que teve uma forte influência sobre a música e o folclore Cubanos. O grande número de imigrantes Espanhóis que vieram para Cuba, principalmente a partir das Ilhas Canárias, nos anos iniciais do século 20 serviu para nivelar o equilíbrio racial. Hoje em dia, os brancos representam pouco mais de um terço de todos os Cubanos; a maioria dos restantes são negros e pessoas de ascendência branca e negra misturadas. Há também uma minoria Chinesa em Cuba.

História

Em 1516, os Espanhóis começaram uma indústria naval em Cuba, e Hernando Cortez usou a ilha no ano seguinte como o ponto de partida para a conquista do império Asteca no México. Em 1539, Hernando de Soto partiu de Cuba para capturar a Florida para a Coroa Espanhola. Nem Cortez nem de Soto tiveram que viajar muito longe para alcançar seu objetivo, e a Flórida continuou a ser uma possessão Espanhola por muitos anos. Cuba, assim, ganhou a sua fama como porta de entrada para o Novo Mundo.

Cuba existiu em relativa tranqüilidade sob o domínio Espanhol dos capitães-gerais, nomeados pela Coroa, até 1762, quando os Britânicos capturaram Havana.

Mas um ano depois eles trocaram-na de volta para a Espanha pela Flórida.

A serenidade voltou para a Cuba Espanhola. Ela não foi perturbada novamente até as guerras da independência sem sucesso na última parte do século 19. Os patriotas Cubanos - os Cubanos que queriam a independência da Espanha, falharam em suas duas primeiras tentativas. No entanto, era inevitável que a independência viria eventualmente. O Império Espanhol estava rapidamente acabando, e os líderes revolucionários influentes como José Martí sabiam que era apenas uma questão de tempo e oportunidade antes que a independência viesse. Além de ser um líder revolucionário, Martí foi também um poeta e um grande herói para o povo Cubano.

Tanto o tempo e a oportunidade para a revolução vieram com a Guerra Hispano-Americana em 1898. O envolvimento Americano na guerra foi desencadeado quando o couraçado Maine dos Estados Unidos foi misteriosamente explodido no porto de Havana. A Espanha perdeu Cuba e Porto Rico, bem como as Filipinas e Guam na guerra com os Estados Unidos. No entanto, Cuba não ganhou a verdadeira independência. Para todos os efeitos práticos, a influência Espanhola em Cuba foi substituída pela influência Norte-americana.

Para ter certeza, à Cuba foi concedida a independência formal em 1902. No entanto, à Cuba foi permitida a independência formal só depois de aceitar a chamada Emenda Platt como parte da nova Constituição Cubana. Esta emenda estabelecia bases militares dos Estados Unidos na ilha (incluindo a famosa base de Guantánamo, que os Estados Unidos ainda mantém).

Ela também previa as seguintes condições: "O governo de Cuba consente que os Estados Unidos poderão exercer o direito de intervir para a proteção da independência Cubana, a manutenção de um governo adequado à proteção da vida, da propriedade e da liberdade individual .... "

A Emenda Platt, de fato, transformou Cuba em algo muito próximo a uma dependência dos Estados Unidos. Ao longo dos anos, os Estados Unidos nunca hesitaram em aplicar pressões com base nesse privilégio. As condições da Emenda Platt também estavam entre as causas subjacentes da revolução de Castro 57 anos mais tarde.

Por mais de meio século, os Estados Unidos fizeram a sua influência política e economica profundamente sentidas em Cuba. A jovem república teve uma série de revoltas, golpes de Estado, e todas as outras formas imagináveis de luta interna. A década de 1920 trouxe a ditadura de Gerardo Machado y Morales. O governo de Machado foi derrubado por revolucionários liderados por um jovem sargento do exército Cubano chamado Fulgencio Batista y Zaldívar. A derrubada do regime de Machado trouxe Ramón Grau San Martin para a presidência. No entanto, Batista foi capaz de assumir o governo como ditador, em 1934. Seu governo ganhou o apoio dos EUA, embora em 1944, o regime de Batista fosse substituído, e por um período relativamente breve de tempo, Cuba teve uma democracia representativa. Esta não era para durar por muito tempo. Um novo golpe voltou Batista ao poder em 1952 - e preparou o terreno para a revolução.

Da Revolução

Em 26 de Julho de 1953, um jovem advogado de Havana chamado Fidel Castro, filho de um Espanhol da Galícia, tentou invadir o quartel do exército de Cuba em Santiago. Ele foi capturado, julgado e condenado à prisão, mas não antes que ele dissesse no tribunal o que era para ser o primeiro de seus discursos de maratona, "A História me absolverá". Batista posteriormente libertou Castro. Ele viveu para se arrepender. O jovem advogado, que usou seu tempo na prisão para expandir seu vasto conhecimento da história e da política por devorar um livro após o outro, partiu para o México, onde ele passou a organizar uma invasão de Cuba. Em Dezembro de 1956, ele desembarcou com um pequeno grupo de companheiros na província de Oriente e montou sua base em Sierra Maestra. Castro começou então uma guerra de guerrilha contra o governo Batista. Ele atraiu para seu lado os camponeses, bem como estudantes, intelectuais e liberais das cidades. Seus tenentes principais eram o seu irmão Raúl Castro e Ernesto (Che) Guevara, um revolucionário Argentino com fortes simpatias para o sistema Comunista.

Demorou dois anos para Castro causar a queda de Batista com uma virtual guerra civil desenvolvida em Cuba. Houve sabotagem extensa, ocasionais confrontos militares, e um reino de terror contra Castro e seus seguidores por Batista e sua polícia. A agitação em todo o país se aprofundou. Batista fugiu de Cuba em 1958, e três dias depois Castro, o líder guerrilheiro barbudo, varria em Havana para assumir o governo.

A revolução mudou praticamente tudo em Cuba. Acima de tudo, ela mudou o povo Cubano. No auge da revolução, Castro teve a maioria dos Cubanos atrás dele. Ele era um herói para os camponeses e estudantes, para os banqueiros e advogados, para as mulheres e crianças - para quase todos em Cuba. Antes de sua ruptura com os liberais, Castro foi provavelmente o primeiro líder que nunca tinha unido a nação. Os Cubanos, que tradicionalmente tendem a assumir uma abordagem descontraída, divertida, carinhosa, e cínica à vida, de repente se tornaram sérios sobre seu país ilha. Eles desenvolveram uma nova preocupação para com a justiça social, o desenvolvimento econômico, e mesmo melhorias no bairro. Um sentido inteiramente novo de propósito parecia varrer o país.

Mas, de alguma forma, os Cubanos conseguiram manter seu gosto pelos prazeres da vida. Nos primeiros meses da revolução vitoriosa - antes de Castro começar a estabelecer um estado Comunista e montar a sua própria marca de ditadura - as noites Cubanas estavam vivas com os sons das danças favoritas, guarachas e Africano-Cubana pachangas dos ilhéus. Tendo herdado o amor do baseball dos Americanos, os Cubanos enchiam os estádios de beisebol. Mesmo Castro saía ocasionalmente para o arremesso contra batedores profissionais. Para outros, as noites eram cheias de brigas de galos, um outro esporte favorito Cubano. As rodas das roletas zumbiam nos cassinos de Havana, e belas meninas dançando executavam performances em boates elaboradas para a música da rumba. Ernest Hemingway, o famoso escritor Americano, amava Cuba perdendo apenas para a Espanha. Ele morava em um subúrbio de Havana e deixava ser conhecido que ele, também, era pela revolução. Castro e o povo Cubano estavam tendo uma lua de mel deliciosa.

Cuba Sob Castro

Fidel Castro logo revelou suas políticas autoritárias, mas seu governo sobreviveu. Ele resistiu à invasão da Baía dos Porcos por exilados Cubanos montada e dirigida pelos Estados Unidos em 1961. Um ano e meio depois, o governo Castro saiu ileso da crise dos mísseis, que eclodiu quando a União Soviética começou a instalar em território Cubano armas nucleares que eram destinadas aos Estados Unidos. O confronto que se seguiu entre John F. Kennedy, o Presidente dos Estados Unidos, e o Premier Soviético Nikita Khrushchev ameaçou não só engolir Cuba, mas mergulhar o mundo numa guerra nuclear.

Castro teve que aliar seu governo com o mundo Comunista. Ele também teve de se chamar de Comunista. Desta forma Cuba tornou-se elegível para a ajuda economica maciça dos Comunistas e foi mais capaz de sobreviver à ruptura de todos os seus laços com os Estados Unidos. Estima-se que ao mesmo tempo a União Soviética estava oferecendo até US$ 1 milhão de dólares por dia para apoiar a economia de Cuba. Os problemas econômicos da União Soviética e a atmosfera de mudança política levaram à uma redução drástica da ajuda Soviética, causando graves dificuldades econômicas em Cuba. Castro prometeu em 1989 para manter a estrita doutrina Comunista.

Em certo sentido, as realizações de Castro ainda eram dignas de nota. Ele mudou a ordem política, econômica e social. Ele nacionalizou US$ 1 bilhão de investimentos Americanos em Cuba, executou uma reforma agrária drástica, e orientou Cuba para uma economia de estilo Marxista ou Comunista. Construindo uma nova ordem, ele criou cooperativas agrícolas e coletivas; colocou a indústria e muito do comércio nas mãos do governo; e encheu o país com escolas, hospitais, creches e instalações de lazer para os Cubanos carentes - a grande maioria da população.

Mas o preço que os Cubanos pagaram por essas reformas foi igualmente grande ou maior. Embora o padrão de vida aumentou, os Cubanos tiveram que passar por anos de escassez e privações. Castro criou um estado policial, a fim de certificar-se de que não havia oposição à sua revolução. Houve prisões, julgamentos, sentenças de prisão, e execuções. Nesta atmosfera totalitária, cerca de 500.000 Cubanos, muitos deles profissionais extremamente necessários - fugiram do país, principalmente para os Estados Unidos.

Modo de Vida

A revolução beneficiou o campo, em detrimento das cidades. O guajiros, os camponeses de chapéu de palha Cubano, ganhavam salários melhores do que nunca.

Habitação decente foi disponibilizada para substituir as barracas precárias em que viviam. Pela primeira vez na história Cubana, os filhos dos guajiros tinham acesso livre à educação primária, secundária, e universitária, e a cuidados médicos modernos.

Em contraste, as cidades suportaram o peso do sacrifício nacional. Castro, pelo menos temporariamente limpou Havana do roubo, da prostituição e de outras fraquezas que, em seus olhos, desmoralizavam a sociedade. Ele também fez um esforço notável para incentivar as artes e torná-las disponíveis a todos, embora a expressão artística seja influenciada pela ideologia política, e formas sutis de censura afetem o conteúdo da literatura, cinema e teatro. Mas Havana, a bela capital do país no mar, se tornou uma cidade em ruínas, apesar de agora estar sendo reconstruída para atrair a receita turística. É difícil manter os automóveis antigos em operação por causa de uma escassez de peças de reposição. Os padrões da vida urbana caíram, e eles permanecem baixos.

Economia

Os inexperientes oficiais do exército e líderes revolucionários a quem Castro encarregou da economia de Cuba cometeram custosos erros após erros. Logo se tornou evidente que a dependência econômica de Cuba no bloco Soviético era ainda maior do que sua antiga dependência aos Estados Unidos. A União Soviética fornecia 95 por cento do petróleo de Cuba, bem como alimentos, equipamentos industriais e bens de consumo. Essas importações eram subsidiadas pelo açúcar Cubano, que os Soviéticos compravam a preços artificialmente elevados. Bens alimentares e de consumo eram escassos e, muitas vezes racionados.

Quando Fidel Castro anunciou em 1980 que os Cubanos que desejassem sair de seu país estavam livres para fazê-lo, muitos milhares foram para os Estados Unidos em pequenas embarcações superlotadas em busca de uma vida melhor.

A indústria do açúcar, que foi nacionalizada em 1959, passou por mecanização em larga escala nos anos 1970s e fornece grande parte dos ganhos de câmbio de Cuba. O tabaco - a matéria-prima dos famosos charutos Cubanos - foi uma fonte da renda do exterior até o final dos 1970s, quando a doença eliminou grande parte da colheita do tabaco. Batata, arroz, batata doce, e aves são criados para alimentação. O peixe é uma importante fonte de proteína na dieta Cubana e é vendido ao exterior. As fábricas Cubanas produzem têxteis, calçados, cigarros e alimentos processados. Manganês e níquel são minados. Cuba está agora procurando o investimento estrangeiro em várias partes de sua economia.

O colapso da União Soviética levou à introdução de importantes mudanças econômicas em 1993. Os agricultores receberam mais autonomia, o turismo tornou-se uma prioridade, o uso de moeda forte foi legalizado, e as empresas privadas que prestam uma ampla gama de serviços foram autorizadas a abrir. Estas reformas foram um esforço para atrair a moeda estrangeira escassa, não para substituir o socialismo com o capitalismo. Mas elas produziram uma crescente disparidade de renda entre os trabalhadores do estado mal pagos e aqueles que operam os seus próprios negócios, trabalham na indústria do turismo, ou recebem dinheiro de parentes no exterior. Em 1994, devido a uma variedade de fatores, o país teve a menor safra de açúcar em 30 anos. Em 1995, o governo mudou-se ainda mais em direção a uma economia de livre mercado em um esforço para atrair os investimentos estrangeiros.

Os anos sombrios imediatamente após o colapso da União Soviética são conhecidos em Cuba como o "período especial". Desde aquela época, a economia começou a se recuperar. Quase metade das pessoas de Cuba recebem ajuda econômica da família e de amigos nos Estados Unidos.

O turismo tornou-se a fonte principal de divisas da nação atrás do dinheiro enviado para casa por exilados Cubanos, e as remessas humanitárias dos Estados Unidos têm sido legais desde 2000. Cerca de 1,4 milhões de pessoas visitaram Cuba em 1998. O açúcar é a terceira fonte importante de divisas. Todas as outras exportações, incluindo as da crescente indústria de biotecnologia de Cuba, totalizam menos que a do açúcar.

Em 1995, o governo começou a demitir funcionários do governo em um esforço para dinamizar a economia, abolindo o que tinha sido uma garantia de emprego vitalício para todos os Cubanos. Em 1996, para aumentar as receitas do governo, um imposto de renda foi restabelecido em quem ganhava em moeda estrangeira.

O padrão médio de vida permanece abaixo do que era na década de 1980; o setor do açúcar permanece problemático; e a maioria dos Cubanos ainda trabalham para o governo. No entanto, novas medidas para encorajar as empresas privadas foram tomadas depois que Fidel Castro deixou o cargo em 2008.

Reformas agrícolas deram aos agricultores mais controle sobre como usar suas terras. As proibições de telefones móveis, eletrodomésticos e computadores foram levantadas.

Em 2011, as reformas adicionais projetadas para melhorar a economia foram promulgadas. Estas incluíram permitir que os Cubanos comprassem e vendessem a propriedade privada, tais como casas e carros. Além disso, a exploração começou para o petróleo e o gás natural na costa de Havana.

Governo

Sob a Constituição de 1976, que criou um sistema parlamentarista, o chefe do corpo legislativo é uma Assembléia Nacional. Seus membros são eleitos a cada cinco anos pelos eleitores de 16 anos e mais velhos. A Assembléia é guiada por um Conselho do Estado de 31-membros, que ela elege entre os seus membros.

O conselho é chefiado por um presidente que é tanto o chefe do Estado e o chefe do governo.

Em 1992, a Constituição foi revista para permitir as primeiras eleições secretas e diretas para a Assembleia Nacional e as legislaturas provinciais desde que os Comunistas chegaram ao poder, apesar de Cuba continuar sendo um Estado de partido único. Os candidatos legislativos, escolhidos pelas organizações trabalhistas e sociais filiadas ao partido, continuam a concorrer sem oposição. Mas eles devem obter uma maioria dos votos expressos, e os eleitores podem votar em branco ou anular o voto para mostrar desaprovação.

Como as chamadas por reformas aumentaram, os eleitores Cubanos foram convidados em Junho de 2002 para aprovar uma emenda constitucional declarando os seus sistemas político e econômico intocáveis. Ela passou por uma larga margem. Petições com milhares de assinaturas pedindo mais liberdades civis foram apresentados, mas ignoradas pelo legislativo em 2002 e 2003, e muitos ativistas da democracia foram presos.

Eventos recentes

O fim da Guerra Fria e a dissolução da União Soviética deram ao regime de Fidel Castro um duro golpe. Fidel Castro ganhou outro mandato de cinco anos como presidente em 2003; seu irmão, Raúl Castro, designado como sucessor de Fidel Castro em 1997, foi eleito vice-presidente. Em 1999-2000, uma amarga batalha de custódia do jovem Elian González, cuja mãe se afogou enquanto fugiam para os Estados Unidos com seu filho, provocou grandes manifestações em Cuba. Em Junho de 2000, Elian e seu pai voltaram para Cuba. Novas especulações sobre a forma da Cuba pós-Castro cresceram em 2006, quando um senil Fidel Castro cedeu o poder a seu irmão Raúl.

Raúl Castro foi oficialmente eleito presidente seguindo-se novas eleições legislativas nacionais em 2008. Ele facilitou uma série de restrições e aumentou as pensões e os salários de alguns funcionários do governo. Mais tarde naquele ano, Cuba foi atingida pelos furacões Gustav, Ike e Paloma; as perdas estimadas foram de US$ 10 bilhões.

Celebrações do 50º aniversário da revolução de Fidel Castro foram realizadas em Janeiro de 2009. Em Abril de 2011, durante o primeiro Congresso do Partido Comunista em 14 anos, Raúl Castro substituiu seu irmão Fidel Castro como o líder do partido.

Tad Szulc

Fonte: Internet Nations

Cuba

Capital: Havana

Idioma: espanhol

Moeda: peso cubano

Clima: equatorial

Fuso horário (UTC): -5 (-4)

Pontos turísticos

Varadero

Considerado o maior centro turístico do país, concentra a maioria dos resorts e hotéis de alto padrão, sendo o destino preferido dos turistas, que estão à procura de belas praias caribenhas.

Santiago de Cuba

É a segunda maior cidade de Cuba e o berço da revolução cubana. Possui um encanto diferente das outras cidades cubanas pois teve influência dos plantadores franceses e haitianos que ai se instalaram no século XIX.

Fonte: www.geomade.com.br

Cuba

Nome oficial: República de Cuba

Capital: Havana

Nacionalidade: cubana

Idioma oficial: espanhol

Religião: sem filiação (57,9%), católicos (39,5%) – Dados 1997

Território: 110.860 km2

Moeda: peso

População: 11.251.000 (2002)

População urbana: 75,4% (2002)

Taxa de crescimento demográfico: 0,4% ao ano (1995-2000)

PIB (em milhões de US$): 27.573 (2002)

Renda per capita: US$ 1.895 (em média) - dado 1998

Crescimento do PIB: 2,5% ao ano (1997)

Força de trabalho: 6.647.200 (2002)

Exportações (em milhões de US$): 1.700 (1998)

Importações (em milhões de US$): 3.600 (1998)

Principais cidades: Havana (2.184.990 hab), Santiago de Cuba (432.396 hab), Las Tunas (324.011 hab), Camaguey (296.601 hab), Holguin (243.240 hab) – Dados 1995.

Produção agrícola

Principais culturas: cana-de-açúcar, tabaco, arroz, frutas cítricas e banana.

Pecuária: bovinos, eqüinos, suínos e aves.

Produção industrial

Principais indústrias: alimentícia, bebidas, tabaco, máquinas e química.

Riquezas do solo: níquel, cobalto, cobre e cromita.

Principais parceiros comerciais: Federação Russa, Holanda, China, República Tcheca, Bulgária, Canadá.

HISTÓRIA

O navegador Cristóvão Colombo descobriu a ilha de Cuba em 27 de outubro de 1492. Em sua primeira viagem, explorou a parte Leste e, na segunda, a parte Meridional e o Oeste. Até a morte, Colombo acreditava que Cuba fazia parte do continente americano.

Sebastián Ocampo foi o primeiro a dar a volta completa em Cuba, em 1509. Antes, desde 1498, já se sabia que o território era uma ilha devido a uma viagem secreta que teria sido feita por Alonso de Ojeda ou por Vicente Yañez Pinzón, acompanhado por Juan de la Cosa. A exploração de Ocampo serviu para acabar com as dúvidas sobre o território e revelar a existência de uma população indígena pacífica, boas terras para cultivo e bons locais para aportar. Essas condições favoráveis abriram o caminho para a colonização espanhola.

Assim, em 1510, chegou a Cuba o navegador Diego Velázquez, que fundou naquele mesmo ano a vila de Baracoa. Cinco anos depois, em 1515, aportaram na ilha as expedições colonizadoras de Pánfilo de Narváez e Juan de Grijalva que, sem muita resistência dos nativos, fundaram as vilas de Trinidad, Espírito Santo e San Cristóban de Habana e, posteriormente, as de Puerto Príncipe (hoje Camaguey) e Santiago de Cuba, onde foi construída a primeira capital. Diego Velazquez foi o primeiro governador de Cuba, posto que ocupou até sua morte, em 1524.

Durante seu mandato, Velázquez iniciou a exploração das minas e recebeu os primeiros escravos negros levados à ilha para substituir a mão-de-obra dos nativos, que foram dizimados. Em 1540, apenas 30 anos depois da chegada dos espanhóis, a população indígena se reduzia a algumas centenas, de um total estimado em 120 mil no ano de 1500. As mortes foram causadas por maus tratos, sarampo, varíola e outros males levados pelos espanhóis.

Durante o século XVI, Cuba foi utilizada como trampolim para a colonização do continente americano. Em 1513, Juan Ponce de León chegou à Flórida e, em 1519, Hernán Cortés saiu de Havana com o objetivo de conquistar o México, que se tornara ponto de abastecimento das frotas de volta à Espanha.

Paralelamente, a ilha passou a sofrer ataques constantes de piratas devido a importância que adquirira como cidade, já em 1592. Ali foi construído um aqueduto e iniciava-se a indústria açucareira, trazendo como conseqüência o tráfico maciço dos escravos da África.

As guerras pela independência nos vários países da América Latina alimentaram os sonhos dos cubanos de também se libertarem do domínio espanhol. A luta armada com esse objetivo começou em 10 de outubro de 1868, com o chamado “Grito de Yara”, e se seguiu durante o século XIX até a intervenção dos Estados Unidos, em 1898, dando início à Guerra Cubano-Espanhola-Americana, ou Guerra de Independência de Cuba. Os americanos ocuparam a ilha até 1902, quando foi reconhecida a independência de Cuba, mas com algumas restrições que previam a intervenção dos EUA em determinados assuntos internos do país.

O rompimento com os EUA se deu em 1959, quando Fidel Castro, comandando um exército rebelde, derrubou o ditador Fulgencio Batista. Castro assumiu o poder, que perdura ainda nos dias de hoje, alinhado com o socialismo da então União Soviética.

GEOGRAFIA

Cuba é a maior ilha das Antilhas, situada ao Sul da Flórida (EUA) e a Leste da península de Yucatã (México). A república é formada por várias pequenas ilhas adjacentes, mas apenas as de Cuba e de Pinos têm condições de abrigar populações residentes permanentes. Possui localização estratégica por estar na entrada do Golfo do México e por ter as costas voltadas para o Mar do Caribe e oceano Atlântico.

Grande parte da superfície é plana, com altitude inferior a 100m acima do nível do mar. Possui apenas três cadeias de montanhas - as serras dos Órganos, de Guaniguanico e do Rosário. Uma das características naturais do território é o grande número de crateras, formadas de rochas calcárias, perto de Havana. O clima é tropical.

POLÍTICA

Cuba é uma República Socialista, que adota o regime de partido único (Partido Comunista Cubano) e um órgão supremo (Assembléia Nacional do Poder Popular). O país é dividido em 14 Províncias que, por sua vez, são divididas em Municipalidades. O Poder Legislativo (a Assembléia Nacional do Poder Popular) é unicameral composta por 601 membros eleitos para mandato de 5 anos.

A Constituição em vigor, de 1976, estabelece que “o poder pertence à classe trabalhadora”. O presidente Fidel Castro Ruz é o chefe de Estado e de Governo desde 1959, eleito em 1976 e reeleito em 1981, 1986, 1993 e 1998.

ECONOMIA

A economia cubana é baseada na indústria e na agricultura (principalmente cana-de-açúcar). Ambas as atividades respondem por 43,9% do Produto Interno Bruto. Os principais produtos da pauta de exportações são açúcar, níquel, frutos do mar, cítricos e café. As importações incluem combustíveis e lubrificantes, químicos, alimentos, maquinaria e equipamentos.

O Brasil tem grande destaque nas relações comerciais com Cuba. Em 2000, as exportações brasileiras somaram US$ 94,6 milhões, enquanto as importações totalizaram US$ 20,7 milhões.

Fonte: www.portaljapao.org.br

Cuba

Cuba conquistou sua identidade e amadureceu guiada por patriotas como o poeta José Martí e, em 1959, tornou-se o primeiro país socialista das Américas: por força dessa opção, na última década do século XX, ao se esfacelar a União Soviética, que lhe dava apoio, viveu em singular posição de isolamento continental.

A República de Cuba é formada por cerca de 3.175 ilhas e ilhotas. O país tem superfície total de 110.922km² e está situado ligeiramente ao sul do trópico de Câncer. A ilha de Cuba é a maior do grupo e ocupa sozinha uma área de 105.007km², o que perfaz quase 95% da terra firme de todo o arquipélago.

Sua forma é alongada e orienta-se de noroeste para sudeste ao longo de cerca de 1.250km. A largura varia de 31 a 191km. Outra ilha importante é a da Juventude, antes ilha de Pinos (dos Pinheiros). O estado da Flórida, nos Estados Unidos, fica a 145km de distância.

Geografia Física

Relevo

O acidente orográfico mais notável é a Sierra Maestra, cadeia de montanhas com extensão de 250km, entre o cabo Cruz e a baía de Guantánamo, a sudeste. O pico Turquino, com 1.974m, é seu ponto culminante. A suave inclinação que a ilha apresenta ao sul facilita a formação de enseadas, como as da península de Zapata.

Os corais litorâneos formaram a nova plataforma continental sobre a qual o arquipélago se sustenta. Foi submetida a sucessivos movimentos de elevação e rebaixamento. Caso o mar baixasse algumas dezenas de metros, quase todas as ilhas do arquipélago estariam unidas, já que são porções emersas da mesma plataforma. São numerosos os portos naturais.

Clima

Situada em região tropical e influenciada pelo centro de altas pressões do Atlântico norte, Cuba compreende duas zonas climáticas distintas: a planície seca e a área exposta aos ciclones. O clima dominante na maior parte do arquipélago registra temperaturas que oscilam entre 22,5° C em janeiro e 27,8° C em agosto. O índice pluviométrico é de aproximadamente 1.380mm, adequado para as extensas plantações de cana-de-açúcar, café e fumo, que cobrem grande parte do solo cultivado. A estação chuvosa se estende de maio a novembro, quando também ocorrem violentos furacões.

Hidrografia

O relevo da ilha determina duas vertentes fluviais de características muito diferentes, embora todos os rios sejam curtos e de pouco volume. Entre mais de 500 cursos de água, pouco menos da metade fluem do norte. O rio mais importante é o Cauto, que desemboca no sul, depois de percorrer 250km, dos quais oitenta são navegáveis.

Os lagos são pequenos e alguns têm água doce, outros salgada. O maior deles é a lagoa de Leite, ligada ao mar por meio de três canais naturais. Sua coloração se deve aos depósitos de carbonato de cálcio acumulados no fundo e removidos pelas correntes marinhas.

Flora e fauna

A vida vegetal está representada por mais de oito mil espécies, das quais umas seis mil são plantas superiores. Muitas delas são nativas do arquipélago. Grande parte da vegetação original foi substituída pelas plantações de cana-de-açúcar, café e arroz. O pinho, o mogno e o ébano, exportados em grandes quantidades, são de boa qualidade.

A vida animal é particularmente rica e variada no que diz respeito aos invertebrados, com mais de sete mil espécies diferentes de insetos e quatro mil de moluscos terrestres e marinhos. As esponjas são a base de uma próspera indústria, assim como a piscicultura, com dezenas de espécies de peixes de considerável valor comercial. Entre os répteis, destacam-se as tartarugas e os iguanas, assim como duas espécies diferentes de crocodilos quase extintas, mas protegidas.

População

Tipos raciais e língua

Durante mais de quatro séculos Cuba foi base de grupos étnicos de diferentes procedências. Os descendentes de espanhóis e de negros africanos são os grupos raciais predominantes, mas também há chineses, judeus europeus e libaneses, entre outros.

Os habitantes pré-colombianos procediam do continente sul-americano, sendo os cibonéis um dos grupos étnicos mais antigos. Estima-se que pouco antes da chegada de Cristóvão Colombo, os taínos, procedentes da península venezuelana de Paria, se estabeleceram não somente em Cuba, mas também no resto das Antilhas e nas Bahamas, desenvolvendo uma agricultura primitiva. Este último povo, pertencente ao grupo aruaque, constituía por si só entre setenta e oitenta por cento da população no início do século XVI.

Ao reduzir-se, a população indígena logo foi substituída por negros africanos, empregados principalmente nos grandes canaviais. Na maior parte, procediam do Senegal e da costa da Guiné, podendo detectar-se em suas origens étnicas a presença de elementos da cultura ioruba e banto. Muito depois da abolição da escravatura, entre 1919 e 1926, cerca de 250.000 trabalhadores negros provenientes do Haiti e da Jamaica foram contratados para trabalhar nas plantações de açúcar e, em sua maioria, estabeleceram-se definitivamente na ilha. Sua influência cultural, especialmente na música e na dança, tornou-se determinante.

A exemplo do Brasil e de outras partes da América Latina, em Cuba ocorreu intensa miscigenação racial, de modo que há vários séculos a população mestiça, em maior ou menor grau, passou a ser mais numerosa que todas as raças, à exceção da branca. Todavia, com a diminuição das taxas de mortalidade da população total e a redução da natalidade dos brancos, esta diferença reduziu-se significativamente.

A população européia, representada principalmente pelos imigrantes espanhóis, chegou a constituir três quartos do total. Sua influência nos usos e costumes, assim como na evolução política e econômica da sociedade, caracteriza a história cubana, seu folclore e suas tradições culturais.

O componente asiático está presente em apreciável proporção, sobretudo devido à imigração de trabalhadores chineses entre 1853 e 1874 e, mais tarde, na década de 1920. A grande maioria era composta de homens oriundos da região de Cantão.

O espanhol é o idioma oficial de Cuba e não há dialetos locais diferenciáveis. Algumas palavras indígenas, como hamaca (rede de dormir) e muitas outras, enriqueceram o espanhol local, assim como o suave acento e entonação usados pelos cubanos.

Estrutura demográfica

Na segunda metade do século XX, a população registrou mais de dois por cento de crescimento vegetativo anual, principalmente devido ao rápido decréscimo das taxas de mortalidade e ao elevado índice de natalidade, sobretudo nos extratos sociais inferiores. Desde 1960, porém, mais de um milhão de pessoas abandonaram o país por motivos políticos. A evolução demográfica posterior tendeu a compensar os desequilíbrios regionais, sendo maior o crescimento nas províncias escassamente povoadas que nas grandes cidades.

Além da capital, Havana, outras cidades importantes são Santiago de Cuba, Camagüey e Holguín, nas províncias homônimas; Santa Clara, capital da província de Villa Clara; Guantánamo, Cienfuegos e Matanzas, nas províncias de mesmo nome; Bayamo, capital de Granma; e Vitoria de Las Tunas.

Santiago de Cuba

Cuba
Rua central em Santiago de Cuba, principal conglomerado urbano no leste da ilha

Economia

Desde a revolução de 1959 a economia cubana sofreu profundas reestruturações, que afetaram mais fortemente a distribuição de renda do que a produção.

Todas as atividades econômicas realizadas no país são planificadas pelo Partido Comunista de Cuba. Quase todas as empresas são públicas, exceto pequenas propriedades agrícolas. A instituição econômica mais importante é a Junta Central de Planejamento, cujo responsável máximo é o ministro da Economia.

Agricultura

O solo cubano é muito fértil. Cultivado corretamente, permite obter duas ou mais colheitas anuais de diversos produtos. O regime de chuvas é muito variável. A construção de grandes barragens, no entanto, promovida intensamente a partir da década de 1960, diminuiu a importância das variações sazonais. As águas subterrâneas constituem também importante recurso para a agricultura e a indústria. A importação de tratores e outros implementos agrícolas permitiu melhorar a produção.

O principal produto agrícola de Cuba é o açúcar, de que fabricava, na segunda metade do século XX, aproximadamente oito milhões de toneladas anuais. A exportação de açúcar, junto com a de arroz, fumo, café, cítricos etc., busca compensar a necessidade de importação de grandes quantidades de laticínios, algodão etc., em que o país é deficitário.

Plantação de fumo

Cuba
Plantação de fumo. O hábito de fumar, originalmente americano, internacionalizou-se e fez da lavoura e da indústria tabageiras atividades altamente lucrativas

Energia e minérios

Cuba não produz petróleo em quantidade satisfatória para o consumo. No entanto, do ponto de vista do comércio exterior pôde ser considerada durante algum tempo um país exportador de petróleo, devido à ajuda econômica que recebia da extinta União Soviética, principalmente em forma de petróleo, parte do qual repassava ao mercado internacional. Os recursos minerais próprios da ilha são o níquel, o cromo, a magnetita (minério de ferro), o manganês e o cobre.

Indústria e comércio

O processamento, muitas vezes artesanal, dos diversos produtos cultivados na ilha, sobretudo a cana-de-açúcar e o fumo, constitui a principal atividade fabril. O estado realizou fortes investimentos na indústria pesada, em fábricas de cimento, centrais elétricas e maquinaria agrícola.

Fábrica do fumo Partagás, em Havana

Cuba
Antiga fábrica do fumo Partagás, em Havana. A indústria fumageira tem grande importância para a economia cubana

Durante a primeira metade do século XX, quase três quartos das importações cubanas procediam dos Estados Unidos. Dois anos depois da revolução, em 1961, esse comércio caiu para quatro por cento, desaparecendo por completo sob o bloqueio comercial imposto pelo governo americano.

Transportes

Desde meados do século XIX, a frota mercante cubana se multiplicou mais de vinte vezes, ao ritmo dos intercâmbios comerciais do país. As autoridades se esforçaram para que pelo menos a metade das mercadorias que entram e saem dos portos nacionais fossem transportadas em barcos de bandeira cubana.

A primeira estrada de ferro cubana, inaugurada em 1837, unia as cidades de Havana e Bejucal, sendo a primeira das Américas fora dos Estados Unidos. Na década de 1980 havia mais de 12.000km de vias férreas, mais da metade destinados à ligação das plantações de cana com as fábricas de açúcar.

A partir de 1960, foi sensivelmente incrementado o transporte rodoviário. Na década anterior, o número de automóveis importados era muito maior que o de caminhões e ônibus, tendência que se inverteu nos vinte anos seguintes, para adequar-se às metas do desenvolvimento. A principal rodovia atravessa a ilha em quase toda sua extensão.

O transporte aéreo está a cargo da Empresa Consolidada Cubana de Aviação, responsável pelos vôos entre diferentes cidades da ilha e pela ligação de Havana com diversas cidades européias, americanas e africanas. A rota Moscou-Havana, coberta pela empresa russa Aeroflot, é o vôo regular sem escalas mais longo do mundo.

História

Antes do descobrimento da América por Cristóvão Colombo, em 1492, os cibonéis e os guanahatabeys habitavam o oeste de Cuba, enquanto que os taínos ocupavam o restante, incluindo-se algumas outras ilhas do arquipélago.

Regime colonial em Cuba

Cuba foi avistada por Colombo em sua primeira viagem, em 27 de outubro de 1492. Depois de batizá-la com o nome de Juana, adotou a versão castelhana dos topônimos indígenas Coabaí ou Cubanacán, que designavam respectivamente a ilha e uma aldeia no interior. Em 1511, Diego Velázquez fundou o primeiro assentamento em Baracoa, com cerca de 300 espanhóis.

Nas primeiras décadas de colonização, a exploração de ouro se revelou pouco rentável e contribuiu para que se dizimasse a população indígena, obrigada a trabalhar nas minas. Logo a ilha se converteu em ponto de escala e aprovisionamento das numerosas expedições que os espanhóis realizaram à Flórida, à península de Yucatán e à costa do golfo do México, em busca de metais preciosos.

As principais dificuldades que os colonos espanhóis tiveram de enfrentar foram as epidemias, os furacões e os ataques de piratas e navegadores de outros países europeus, que tratavam de estabelecer seus próprios assentamentos na ilha, com a intenção de obter portos livres para seu comércio. A frota espanhola fazia a ligação de quase toda a América hispânica com a metrópole através de Cuba, o que aumentou a importância comercial e estratégica da ilha.

Ao longo do século XVIII intensificou-se o desenvolvimento agrícola, que dependeu cada vez mais de plantações de cana-de-açúcar e dos escravos africanos.

Cuba foi um dos poucos territórios hispânicos da América que permaneceram fiéis à metrópole depois da invasão francesa da península ibérica. Em 1821 surgiu um movimento de independência, mas seus mentores, entre os quais o poeta José Maria de Heredia, foram presos e punidos.

Na segunda metade do século XIX, a indústria açucareira cubana converteu-se na mais moderna do mundo e chegou a responder por mais de um terço da produção mundial. No entanto, a enorme extensão das plantações de cana levou ao desflorestamento de grande parte da ilha.

Independência

A prosperidade agrícola de Cuba atraiu o interesse dos Estados Unidos (especialmente dos estados escravistas do sul), que chegaram a realizar várias propostas econômicas ao governo espanhol para que cedesse sua soberania sobre a ilha.

Em 10 de outubro de 1868, eclodiu a primeira guerra de independência cubana, com o "grito de Yara", protagonizado por Carlos Manuel de Céspedes. A guerra, chamada dos dez anos, concentrou-se na região oriental, onde as crueldades do exército espanhol provocaram o apoio da população aos insurretos.

Céspedes foi o primeiro presidente da "república em armas", cujos representantes redigiram uma constituição e receberam o reconhecimento de vários governos latino-americanos. A superioridade das forças espanholas e a promessa de reformas por parte do general Arsenio Martínez Campos debilitaram o movimento e, em fevereiro de 1878, a guerra acabou com um acordo de paz. Muitos cubanos, entre os quais o líder nacionalista Antonio Maceo, se negaram a aceitar as condições oferecidas e continuaram a luta.

Várias organizações políticas e ativistas no exílio, coordenadas pelo poeta José Martí, chamado pelos cubanos "o apóstolo", organizavam a propaganda contra o domínio espanhol, dirigindo-se tanto à população nativa como às potências estrangeiras. A guerra recomeçou em 24 de fevereiro de 1895, com o "grito de Baire" e estendeu-se rapidamente por toda a ilha. Morreram muitos civis, povoados e cidades foram destruídos. Sob o pretexto de inexplicável explosão no encouraçado americano Maine, atracado no porto de Havana, em 25 de abril de 1898 os Estados Unidos declararam guerra à Espanha. A armada americana obteve rápida vitória e o governo espanhol foi obrigado a firmar um protocolo de paz em Washington, em agosto do mesmo ano. Pelo Tratado de Paris, firmado em 10 de dezembro, a Espanha cedeu aos Estados Unidos os territórios de Cuba, Porto Rico, Guam e as Filipinas.

A ocupação americana de Cuba se prolongou desde o primeiro dia de janeiro de 1899 até 20 de maio de 1902, período em que os governadores gerais John Brooke e Leonard Wood tentaram adaptar a ilha às políticas econômica e cultural que então prevaleciam nos Estados Unidos. Em 1901 foi promulgada uma constituição a que os americanos agregaram a chamada emenda Platt, pela qual se reservavam o direito de intervir na ilha em determinadas circunstâncias e de supervisionar seus tratados internacionais, assim como sua política econômica e de assuntos internos. Além disso, a nova República de Cuba cedeu aos Estados Unidos as bases navais de Baía Funda (devolvida em 1913) e Guantánamo.

Primeira década da República

A administração republicana começou em 20 de maio de 1902, com o governo de Tomás Estrada Palma, primeiro presidente de Cuba independente, notável por sua honradez e seu interesse pela educação pública. Sua intenção de permanecer no poder depois das eleições de 1906 deu lugar à segunda ocupação da ilha pelos americanos, em 29 de setembro desse ano. No final do governo corrupto do general José Miguel Gómez (1909-1912), as tropas governamentais sufocaram manifestações e protestos na parte oriental da ilha, quando morreram mais de três mil pessoas.

Seguiram-se os governos de Mario García Menocal (1913-1921), Alfredo Zayas (1921-1925) e Gerardo Machado (1925-1933), que no segundo mandato se tornou ditador. Seu sucessor, Carlos Manuel de Céspedes y Quesada, foi derrubado pelo golpe militar (4 de setembro de 1933) liderado pelo sargento Fulgencio Batista e pelo professor Ramón Grau San Martín.

Em 1934, Grau se viu obrigado a renunciar e se sucederam vários governos provisórios em que Batista manteve o poder de fato, assumindo a presidência constitucional de 1940 a 1944.

Seguiram-se dois períodos de governo democrático, com Grau San Martín (1944-1948) e Carlos Prío Socarrás (1948-1952), que sofreu novo golpe militar encabeçado por Batista (1952): este, em regime de crescente corrupção e violência, manteve-se no poder até 1958.

A revolução

A quartelada de 1952 fora bem recebida pelo governo americano, que viu em Fulgencio Batista um instrumento mais maleável que os políticos anteriores, de tendência nacionalista. Batista tratou de consolidar seu regime mediante manobras que lhe deram aparência de legalidade. Ainda assim, seu regime ganhou cada vez mais opositores e manifestaram-se diversos movimentos revolucionários, mesmo dentro das forças armadas.

A contestação era especialmente forte entre os universitários, os profissionais liberais e as classes médias. Finalmente, o jovem advogado Fidel Castro, que tentara sem êxito tomar o quartel de Moncada, em Santiago de Cuba (1953), logrou estabelecer um núcleo guerrilheiro em Sierra Maestra (1956) e células ativistas nas cidades que, junto com outros movimentos, provocaram a queda do regime de Batista em 31 de dezembro de 1958.

Em 1º de janeiro de 1959, Fidel Castro assumiu o controle da ilha. Os projetos de seu Movimento 26 de Julho estavam pouco definidos e, embora já contassem com grande apoio no país, só em 1961 as organizações revolucionárias se fundiram no Partido Unido da Revolução Socialista, que em 1965 passou a denominar-se Partido Comunista de Cuba. Durante esses anos, a organização do estado se configurou segundo o modelo soviético, o que representou a implantação do primeiro regime socialista das Américas.

Fidel Castro

Cuba
Fidel Castro e seu companheiro Camilo Cienfuegos poucos dias depois da vitória da revolução, em janeiro de 1959

Depois de um primeiro período preparatório, o objetivo definido do regime foi a abolição do capitalismo, compreendendo a eliminação dos inimigos, civis ou militares, que permanecessem fiéis a postulados ou instituições anteriores à revolução e a sabotassem ou combatessem: julgados sumariamente por tribunais populares, muitos desses adversários do novo governo foram condenados ao paredón, isto é, executados por fuzilamento.

A nacionalização dos investimentos e propriedades estrangeiros, que no caso dos Estados Unidos elevaram-se a centenas de milhões de dólares, provocou uma série de medidas por parte do governo americano, como o apoio à tentativa de invasão de abril de 1961 na baía dos Porcos, o bloqueio comercial e o fomento de diversas conspirações para derrotar os revolucionários.

Em dezembro de 1961 Fidel Castro proclamou suas convicções marxistas-leninistas, reafirmando o caráter socialista da revolução cubana. A partir de então firmaram-se numerosos acordos de cooperação entre Cuba e a União Soviética, que se comprometeu a adquirir um milhão de toneladas de açúcar por ano durante pelo menos cinco anos, bem como a proporcionar um crédito equivalente a cem milhões de dólares em condições extremamente favoráveis.

A escalada da tensão entre os Estados Unidos e Cuba foi antes de tudo comercial, com o boicote aos produtos cubanos e a proibição de exportações, à exceção de alguns medicamentos. O rompimento das relações diplomáticas efetuara-se em janeiro de 1961, por iniciativa do presidente Eisenhower.

Em 1962, a União Soviética começou a instalar em solo cubano mísseis nucleares de médio alcance. Apesar do sigilo com que se procedeu à operação, os Estados Unidos a descobriram. O presidente Kennedy ordenou o bloqueio naval da ilha e a adoção de um plano de invasão que seria automaticamente levado a cabo se Cuba recebesse alguma outra ajuda militar soviética. A União Soviética decidiu retirar os mísseis e interromper a construção de seus silos em troca de uma promessa do presidente americano de que a ilha não seria invadida.

As pressões do governo americano contra o regime de Fidel Castro em todos os foros internacionais conseguiram, em janeiro de 1962, que o país fosse expulso da Organização dos Estados Americanos (OEA), sob a alegação de incompatibilidade entre sua orientação socialista e os objetivos da entidade. Posteriormente, devido ao apoio explícito que os cubanos proporcionavam a grupos empenhados em fazer triunfar a revolução socialista em diversos países latino-americanos, a maior parte destes também rompeu com Cuba.

Tanto na conferência tricontinental dos povos da Ásia, África e América Latina, de 1966, como na de solidariedade latino-americana de 1967, ambas celebradas em Havana, os partidos comunistas latino-americanos, a exemplo do soviético e dos países do leste europeu, mostraram-se contrários às teses defendidas por Fidel Castro, em que admitia a legitimidade do uso da violência com fins revolucionários. Em outubro de 1967 morreu na Bolívia Ernesto Che Guevara, um dos maiores colaboradores de Fidel Castro e figura legendária da militância marxista.

Ernesto Che Guevara

Cuba
Ernesto Che Guevara, herói da revolução cubana de 1959 e inspirador de movimentos revolucionários em toda a América Latina

Em 1973 Cuba se viu obrigada a renegociar a enorme dívida contraída com a União Soviética, que se comprometera a adquirir oitenta por cento da produção cubana de açúcar e a subsidiar petróleo, aço e outros recursos estratégicos. Em 1975 foi suspenso o veto da OEA, o que ampliou as possibilidades de projeção diplomática do país. Em 1979, Castro visitou o México -- que jamais rompera relações formais com Cuba -- e em 1980 o presidente mexicano José López Portillo foi recebido em Havana.

Pela constituição promulgada em 1976, Fidel Castro convertera-se em presidente do Conselho de Estado, cargo equivalente ao de chefe de estado, que acumulava com os de comandante-em-chefe das forças armadas, primeiro-ministro e secretário-geral do Partido Comunista de Cuba. Em 1980, Castro autorizou o êxodo de aproximadamente 125.000 cubanos, que foram recebidos pelos Estados Unidos. Nos dez anos seguintes, estimava-se que o governo de Cuba mantinha algumas dezenas de milhares de assessores militares em países como a Etiópia e Angola. Com os países latino-americanos, Cuba teve uma exitosa política de aproximação, especialmente com o Brasil, Argentina, Peru e Uruguai.

Depois da dissolução da União Soviética, em 1990, e o fim do bloco socialista, o isolamento cubano se acentuou e suas importações e exportações caíram drasticamente. Internamente o país também se ressentiu da perda do apoio internacional. Alimentos, combustível e outros bens de consumo essenciais escasseavam, provocando descontentamento na população. Em 1994, com a persistência do embargo americano apesar da resolução aprovada no ano anterior pela Assembléia Geral das Nações Unidas, que exortava os Estados Unidos a suspenderem o boicote, a situação interna de Cuba tornou-se calamitosa. Milhares de cubanos passaram a abandonar a ilha em embarcações precárias, com o objetivo de alcançar a costa americana da Flórida. Com a lei Burton-Helms, os Estados Unidos tentaram, em 1996, forçar seus aliados europeus a participar do boicote comercial a Cuba.

Sociedade

Uma das primeiras medidas sociais empreendidas pelo governo revolucionário foi a erradicação do analfabetismo. Ao longo de 1961, declarado ano da educação, mais de 700.000 cubanos aprenderam a ler e a escrever. Nos anos seguintes, o analfabetismo foi erradicado e aumentou incessantemente o número de estudantes universitários, que chegou a ser três vezes superior ao dos tempos de Fulgencio Batista.

A assistência médica tornou-se completamente gratuita, o que fez reduzir-se significativamente o índice de mortalidade do país. O Ministério da Saúde passou a obrigar os médicos a trabalhar pelo menos dois anos nas zonas rurais depois da formatura.

Antes da revolução, a terra cubana pertencia a empresas latifundiárias nacionais e estrangeiras. A reforma agrária extinguiu o latifúndio e instalou cooperativas e estabelecimentos agropecuários estatais. Por sua vez, a lei de reforma urbana tornou possível a muitas famílias possuírem casa própria, pagando ao estado baixas mensalidades durante período de cinco a vinte anos. Corrupção, jogo e prostituição, comuns antes da revolução, foram objeto de uma forte campanha de erradicação, acompanhada de severas medidas policiais que procuraram impedir, entre outras coisas, o desenvolvimento de um mercado negro para comerciar com muitos dos bens que escassearam sob as severas medidas de política econômica adotadas. Grandes investimentos públicos eliminaram o alto índice de desemprego e verificou-se o equilíbrio entre o dinheiro em circulação e os bens disponíveis, pelo que foram racionados muitos dos bens de consumo.

A religião tradicionalmente predominante em Cuba é a católica, embora, especialmente entre a população negra, se tenha difundido um sincretismo religioso semelhante ao do Brasil e de outros países latino-americanos, com cultos a divindades africanas formalmente identificadas com santos católicos.

No princípio da década de 1960, a Igreja Católica e o estado se enfrentaram abertamente: a igreja procurou impedir a completa estatização da educação, enquanto o governo a acusava de contra-revolucionária. Muitos sacerdotes e religiosas abandonaram o país, outros foram deportados. Desde 1965, porém, o governo e a igreja melhoraram suas relações e cooperam estreitamente em muitos projetos, especialmente de caráter social.

Cultura

A vida cultural cubana foi profundamente transformada, pois o governo considerou esse aspecto um dos mais importantes da revolução. No passado, quase todas as manifestações artísticas de qualquer índole estavam limitadas ao que as elites realizassem em Havana. A partir da revolução, o governo empenhou-se em difundir a cultura nas províncias, assim como em dotá-la de uma personalidade nacionalista, usando-a muitas vezes como veículo de propaganda da revolução, tanto no país como no exterior.

Literatura

O primeiro autor cubano foi Silvestre de Balboa, que escreveu Espejo de paciencia em princípios do século XVII. Em 1764 surgiu o primeiro jornal, Gaceta de la Habana, que exerceu grande influência sobre a colônia e contribuiu para forjar o caráter nacionalista da população. O romantismo teve como precursor no país José María Heredia, poeta comprometido com o movimento revolucionário da década de 1820. Domingo del Monte, de origem venezuelana, além de poeta romântico, realizou intensos estudos sobre o folclore e as tradições da ilha.

O modernismo se iniciou com José Martí e Julián del Casal e se desenvolveu com Dulce María Borrero, Juan Guerra Núñez e Alfonso Hernández-Catá. José Martí firmou-se como figura maior da nacionalidade, tanto por sua participação política na independência, como por sua obra em poesia e prosa.

No século XX, o romancista Luis Felipe Rodríguez destacou-se primeiro pelo estilo de seus pequenos artigos e mais tarde pela complexa trama psicológica de seus romances. Autores de grande projeção internacional foram o poeta Nicolás Guillén, que incorporou ao espanhol os ritmos negros de seu Sóngoro cosongo, José Lezama Lima, poeta e romancista muito influente nas gerações seguintes, e Alejo Carpentier, que em 1977 recebeu o Prêmio Miguel de Cervantes.

Depois da revolução, toda publicação literária centralizou-se no Instituto do Livro, organização que chegou a editar dezenas de milhões de volumes por ano. Cerca de setenta por cento desses livros são obras de consulta ou de caráter técnico e científico, muitas delas distribuídas com fins educativos. A imprensa está nas mãos do governo, sendo suas principais publicações o Granma (nome do barco de que desembarcou Fidel Castro para chefiar a revolução), jornal oficial do Partido Comunista de Cuba, e Juventud Rebelde, órgão oficial da União de Jovens Comunistas.

Nas últimas décadas, novas gerações de escritores, em geral jovens, criaram uma literatura de qualidade e politicamente comprometida. De outro lado, também foi produzida uma literatura cubana no exílio, como a de Guillermo Cabrera Infante, e inclusive nas prisões, como é o caso do poeta Armando Valladares.

Arquitetura

O primeiro estilo da época colonial foi o hispano-mudéjar (mouro da península ibérica), do século XVII, cujos expoentes máximos são os palácios da praça das Armas, a Casa do Governo e a Intendência, assim como as ruínas do convento de São Francisco de Paula, todos em Havana.

A catedral de Havana corresponde ao barroco do século XVIII. No século seguinte desenvolveu-se o neoclassicismo, impulsionado pelo bispo Juan José Díaz Espada y Landa, que tomou a polêmica decisão de substituir os altares da catedral, de estilo barroco. Muitas fábricas de fumo, grandes armazéns de açúcar, assim como teatros e outros edifícios públicos, foram construídos segundo os cânones do neoclassicismo.

Catedral de Havana, capital de Cuba

Cuba
A catedral de Havana é exemplo do barroco cubano do século XVIII.

As grandes construções da última época colonial e início da republicana são suntuosos palácios e bancos cujo estilo arquitetônico foi influenciado pelos movimentos europeus e sobretudo pelos americanos.

Fonte: br.geocities.com

Cuba

Capital: Havana

População: 11.3 (2003), 10.1 (2050)

Superfície: 110.861 km²

Geografia e Ambiente

Localização e coordenadas geográficas: Arquipélago situado no Mar do Caribe, entre os 21 Norte e 80 Oeste.

Superfície: 110.861 Km²

Fronteiras:

É um arquipélago, cujas fronteiras são: a norte, a Península da Flórida - separada pelo Estreito da Flórida, a sul com as ilhas do Caribe, e a este com a ilha La Espanhola - separada pelo Paso de los Vientos.

Descrição física do território e clima: Cuba é um arquipélago composto por uma ilha principal, com o mesmo nome, pela ilha da Juventude, e por cerca de 4.195 ilhas e ilhotas. A sua forma estreita propicia a circulação de ventos provenientes do Atlântico que suavizam o clima tropical e húmido.

Apenas uma quarta parte do solo é montanhosa, dividida por:  Cordilheira de Guaniguanico, na região oeste,  Serra del Escambray no centro e sul do país e a Serra Maestra a este, onde se encontra o Pico Real del Turquino com 1.974 m sobre o nível do mar, que é o ponto mais elevado da ilha.

O resto do território, plano e fértil, está reservado para o cultivo da cana-de-açúcar, tabaco e outros produtos agrícolas.

O subsolo é muito rico em níquel. A natureza mostra uma variedade de plantas e flores, assim como uma maravilhosa diversidade de animais. Situado na zona subtropical, o arquipélago tem geralmente um clima húmido, afetado pela corrente do Golfo.

Existem 2 estações bem definidas: a estação da seca, de Novembro a Abril; e a estação das chuvas, de Maio a Outubro.

A precipitação média anual é de 1.375 milímetros e a humidade do ar alcança o seu valor máximo nas primeiras horas da manhã e da tarde. As temperaturas oscilam entre os 26º e os 28º C. Nos meses de Verão o calor é intenso. O Inverno é curto mas agradável. A Primavera é uma estação quase permanente em todo o arquipélago. A região oriental goza de um clima mais quente do que a parte ocidental.

A época dos furacões está delimitada entre Junho e Novembro, estas tempestades tropicais vêm acompanhadas de fortes chuvas e penetrações do mar. À excepção dos poucos dias de Inverno, o clima do arquipélago é maravilhoso. Cuba possui uma flora composta por cerca de 7000 espécies de plantas. Mais de 100 espécies formam uma exclusividade de Cuba. As suas mais de 300 espécies, caracterizadas por cores vistosas, formam o patrimônio mais significativo do arquipélago. A Cana de Âmbar ou mariposa, uma pequena orquídea de pétalas brancas, é a flor nacional.

A palma real, a palma corcho e os cactos são três exemplos típicos que podem encontrar-se no mundo rural cubano. Algumas espécies de animais são conhecidas internacionalmente como as polimitas e caracóis exclusivos das províncias orientais. Os mamíferos terrestres estão representados pelas jutias, os morcegos e os almiquí.

O zunzuncito ou pássaro mosca, o alacrán Microtytus, a rã cubana e o sijucito encontram-se entre as espécies mais pequenas do Mundo. Algumas espécies em extinção são a jutia conga, o almiquí, o carpinteiro real, o crocodilo cubano e o manatí, entre outras. Os corais de Cuba são considerados os melhores conservados em toda a área do Caribe. Tal riqueza encontra-se dispersa em diferentes ecossistemas, dos quais 75% são planícies, 18% é montanhosa.

A alta biodiversidade também pode ser apreciada em diferentes tipos de paisagens tais como semi-desertos e montes secos, até bosques tropicais. Há um total de 8.665.8 km de zonas protegidas.

Rede Hidrográfica: Os mais de 200 rios são de pequeno curso, com a corrente forte a impedir a navegação nos mesmos. O maior rio é o Cauto com 250 km de extensão, navegável em 112 km apenas por pequenas embarcações.

Elevações: Pico Real del Turquino com 1974 metros.

Catástrofes naturais: A costa oeste é alvo de furacões de Agosto a Outubro.

Problemas ambientais: Poluição da Baía de Havana, desflorestação.

Acordos Internacionais Ambientais: Tratado do Antárctico; Tratado da Biodiversidade; Tratado para a proteção das Mudanças Climáticas; Protocolo de Kyoto para as Mudanças Climáticas; Tratado para suster a desertificação; Tratado do Mar; Direito do Mar; Tratado de Proteção da Camada de Ozono.

Cultura e Sociedade

Língua oficial: Espanhol.

Línguas e idiomas: Espanhol, a língua oficial.

Taxa de literacia: 95,7% da população com idade de 15 anos ou superior sabe ler e escrever. (CIA Fackbook de 2001)

População: 11.300.000 habitantes (estimativa do PNUD da ONU para 2002).

Densidade populacional: 101 habitantes por Km² (estimativa de 2001)

Cidades mais populosas: A sua capital, Havana com 2.176.000 habitantes, Santiago de Cuba com 404.100 habitantes, Camaguey com 294.000 habitantes, Holguín com 242.100 habitantes, Guatánamo com 208.000 habitantes, Santa Clara com 205.900 habitantes, Bayamo com 137.660 habitantes, Cienfuegos com 132.200 habitantes, Pinar Del Río com 128.800 habitantes, Lás Tunas com 126.900 habitantes e Matanzas com 123.890 habitantes.

Estrutura etária e Rácio de comparação sexual: Abaixo dos 14 cerca de 20.6 % da população, havendo 1.06 homens por cada mulher, dos 15 aos 64 anos cerca de 69.3 % da população, havendo 1.01 homem por cada mulher, acima dos 65 anos cerca de 10.1 % da população, havendo 0.86 homens por cada mulher. No total da população há 1 homem por cada mulher (estimativas de 2002).

Crescimento natural anual: 0.35% (estimativa de 2001). (CIA Fackbook de 2001)

Taxa de natalidade: 12.08 nascimentos por 1.000 habitantes (estimativa de 2002).

Taxa de mortalidade: 7.35 mortes por 1.000 habitantes (estimativa de 2002).

Taxa de mortalidade Infantil: 7.27 mortes por 1.000 nados vivos (estimativa de 2002).

Taxa de expectativa de vida: 74.2 anos para os homens e 79.15 anos para as mulheres (estimativas de 2002).

Religião: 49% da população não tem filiação religiosa, 40% é católica, 6.4% é ateia, 3.3% é protestante, 1.6% é sincretista afro-cubano e 1.6% professa outras religiões.

Política e Governo

Independência: Desde o dia 20 de Maio de 1902, libertando-se da administração dos E.U.A. - libertou-se da colonização espanhola em Dezembro de 1898. (CIA Fackbook de 2001)

Nome oficial: República de Cuba.(CIA Fackbook de 2001)

Capital: Havana

Constituição: De 24 de Fevereiro de 1976, emendada em Julho de 1992.

Caracterização generalista do sistema legal: Baseada no sistema legal da Espanha e dos E.U.A.

Divisões administrativas: 14 provincias - Camaguey, Ciego de Ávila, Cienfuegos, Cidade de Havana, Granma, Guatanamo, Holguin, Havana, Lás Tunas, Matanzas, Pinar del Rio, Sancti Spiritus, Santiago de Cuba, Villa Clara e um município especial, Ilha da Juventude.

Feriados nacionais: 20 de Maio - Dia da Independência

Tipo de governo: República Popular Socialista.

Sufrágio: A partir dos 16 anos, universal.

Poder executivo: O poder executivo recai sobre um presidente.

Poder legislativo: Assembleia Nacional unicameral, denominada por Assembleia Nacional de Poder Popular, tem 601 lugares.

Poder Judicial: O poder judicial é exercido por um Tribunal Supremo.

Partidos Políticos: Partido Comunista de Cuba

Organizações Sociais: Central de Trabajadores de Cuba

Participação em Organizações Internacionais: Conselho de Cooperação das Alfândegas; Comissão Econômica das Nações Unidas para a América Latina e Caraíbas; Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura; Grupo dos 77 das Nações Unidas; Agência Internacional de Energia Atómica; Organização da Aviação Civil Internacional; Centro Internacional de Computação das Nações Unidas; Fundo Internacional para o Estudo da Meteorologia da Radiação; Federação Internacional das Sociedades de Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho; Organização Internacional Hidrográfica; Organização Internacional do Trabalho; Organização Marítima Internacional; INMARSAT; INTELSAT; Organização Internacional de Policia Criminal; Comité Olímpico Internacional; Organização Internacional das Migrações; Organização Internacional da Standarização; União Internacional das Telecomunicações; Associação de Integração Latino-Americana; Movimentos dos Não Alinhados; Organização dos Estados Americanos; Tribunal Permanente de Arbitragem; Organização das Nações Unidas; Conferência das Nações Unidas para o Comércio e o Desenvolvimento; Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura; União Postal Universal; Confederação Mundial do Trabalho; Federação Mundial das Uniões do Comércio; Organização Mundial da Saúde; Organização Mundial da Propriedade Intelectual; Organização Meteorológica Mundial e Organização Mundial do Turismo.

Economia

Recursos Naturais: Níquel, cobalto, quartzo, mármore, ouro, cobre, magnésio e ferro.

Uso da Terra: 24% de terra arável, 7% de permanentes colheitas, 27% de pastos permanentes e 24% de florestas.( CIA Fackbook de 2001)

Principais produtos agrícolas: Cana-de-açúcar, tabaco, limão, café, arroz, batatas e feijão ( CIA Fackbook de 2001)

Terra Irrigada: 9.100 Km²( CIA Fackbook de 2001)

P.N.B. per capita: 1.638 USD (1997 - Guia do Mundo)

Produto Interno Bruto: 17.827 Milhões de USD(1997 - Guia do Mundo)

Estrutura da Produção: Agricultura - 15,9%; Industria - 55,3%; Serviços - 28,8%.(1997 - Guia do Mundo)

Balança Comercial:

Total das Exportações: 1.381 Milhões USD (1997 - Guia do Mundo)

Crescimento anual das exportações: - 22,5% (entre o período de 1990 a 1997 - Guia do Mundo)

Principais produtos exportados: Produtos agrícolas e alimentares - açúcar, níquel, tabaco, peixe, produtos medicinais e café .(1997 - Guia do Mundo; 2000 - CIA Fackbook de 2001)

Total das Importações: 3.010 Milhões USD (CIA Fackbook de 2001)

Crescimento anual das importações: -16,2% (entre o período de 1990 a 1997 - Guia do Mundo)

Principais produtos importados: Petróleo, produtos alimentares, produtos manufaturados, máquinas e material de transporte e produtos químicos. (1997 - Guia do Mundo; 2000 - CIA Fackbook de 2001)

Saldo: - 1.629 Milhões de USD (1997)

Principais parceiros Iberófonos: Nas exportações (por ordem de importância) - E.U.A., Espanha e Portugal. Nas importações E.U.A., Espanha e Portugal (por ordem de importância) - (1999 - CIA Fackbook de 2001)

População ativa e emprego:

População ativa estimada: 1.351.000 habitantes (1997 - Guia do Mundo)

Taxa de atividade da população ativa estimada: 39% (1997 - Guia do Mundo)

Distribuição do Emprego: Agricultura - 26%; Industria - 27%; Serviços - 47% (1997 - Guia do Mundo)

Taxa de Desemprego: 5,7%

Energia:

Produção total de energia comercial: 0,7 milhões de toneladas de equivalente de petróleo (E.P.) (1996 - Guia do Mundo)

Produção total de eletricidade: 14.358 Bilhões de Kwh (1999 - CIA Fackbook de 2001)

Consumo total de energia: 2,2 Milhões de toneladas (1994 - Guia do Mundo)

Consumo total de eletricidade: 13.353 Biliões de Kwh (1999 - CIA Fackbook de 2001)

Consumo per capita de energia: 657.3 quilos de E.P. (1996 - Guia do Mundo)

Importação liquida de energia: - 67.3% do consumo total de energia. (1997 - Guia do Mundo)

Percentagem da produção interna de eletricidade com utilização de energias renováveis: Hidroeléctrica - 0.7% e outras energias renováveis (biomassa) (1999 - CIA Fackbook de 2001)

Receitas públicas em relação ao P.N.B.: 73.3% (1996 - Guia do Mundo)

Despesas públicas em relação ao P.N.B.: 85.0% (1996 - Guia do Mundo)

Despesa pública em saúde: 7.9% do P.I.B. (1997 - Guia do Mundo)

Despesa pública em educação: 5.6% (1999 - O.N.U.)

Ultima taxa média anual da inflação disponível: 0.3% (estimativa para 2000 - CIA Fackbook de 2001)

Moeda: Peso Cubano

Transportes, Comunicações e Multimédia

Extensão dos caminhos-de-ferro: 11.969 km

Extensão e tipo de estradas: Total da extensão - 60.858 Km; Pavimentadas - 29.820 Km; Não pavimentadas - 31.038 Km (CIA Fackbook de 2001)

Cursos de água navegáveis: 24 km (CIA Fackbook de 2001)

Extensão e tipo de gasodutos e oleodutos: 1860 Km dos quais são 320 Km para Gás Natural, e 1540 Km para petróleo e outros produtos petrolíferos (CIA Fackbook de 2001).

Portos, cais e marinas: Tem seis portos: Cienfuegos, Havana, Manzanillo, Mariel, Matanzas, Nuevitas, Santiago de Cuba (CIA Fackbook de 2001)

Marinha Mercante: 15 barcos igual ou acima de 1.000 G.R.T. ( 7 de carga, 1 de transporte de gás liquefeito, 1 petroleiro, 5 de transporte de frio, 1 de volumes); Total de tonelagem de 54.821 GRT/78.062 DWT (CIA Fackbook de 2001)

Número e tipo de aeroportos, aeródromos e pistas de aviação locais: 77 aeroportos com pistas pavimentadas, sendo que 7 tem pistas pavimentadas com comprimento acima dos 3.047 m, 9 pistas pavimentadas com comprimento entre os 2.438 m e os 3.047 m, 16 pistas pavimentadas com comprimento entre os 1.524 m e os 2437 m, 10 de pistas pavimentadas com comprimento entre os 914 m e os 1523 m, 35 pistas pavimentadas abaixo dos 914 m; 94 aeroportos com pistas não pavimentadas, 31 de pistas não pavimentadas com comprimento entre os 914 m e os 1523 m e 63 de pistas não pavimentadas abaixo dos 914 m (CIA Fackbook de 2001)

Número de linhas telefônicas em uso: 473.031 (CIA Fackbook de 2001)

Número de telefones móveis: 2.994 (CIA Fackbook de 2001)

Indicativo internacional de telefone e fax: 0053

Número e tipo de jornais: 17 jornais diários

Tiragem média dos jornais: 119 exemplares por 1000 habitantes (1997 - Guia do Mundo)

Número e tipo de estações de rádio: 169 estações de rádio transmitindo em A.M., 55 em FM e 1 em onda curta (CIA Fackbook de 2001) (1997 - CIA Fackbook de 2001)

Número de aparelhos de rádio: 3.9 Milhões (CIA Fackbook de 2001)

Número de estações de televisão: 58 (CIA Fackbook de 2001)

Número de televisores: 525.000 (CIA Fackbook de 2001)

Número de fornecedores de acesso à internet: 4 (CIA Fackbook de 2001)

Número de utilizadores de internet: 60.000 (CIA Fackbook de 2001)

Domínio internacional da internet: .cu

Defesa Nacional

Despesa pública militar: 0.6% do P.N.B. (1996 - Guia do Mundo)

Gastos militares em percentagem do P.N.B.: 4% (CIA Fackbook de 2001)

Gastos efetivos militares:

Idade mínima de incorporação: 17 anos (CIA Fackbook de 2001)

Sistema Militar: Obrigatório.

Divisão das Forças Armadas em ramos: Forças Armadas Revolucionárias, Marinha e Força Aérea. (CIA Fackbook de 2001) 

Divisão das Forças Militarizadas em ramos: Milícia Territorial, Exército da Juventude e Guarda da Fronteira.

Homens disponíveis para ingressarem nas forças armadas: 3.102.312 homens e 3.036.549 mulheres entre os 15 e os 49 anos (estimativa de 2002)

Homens disponíveis para o serviço militar: 1.915.586 homens e 1.869.867 mulheres entre os 15 e os 49 anos (estimativa de 2002)

Homens que chegam anualmente à idade da incorporação:86.632 homens e 79.562 mulheres (estimativa de 2002)

Outros dados

Formalidades gerais de entrada: Todos os turistas necessitam de visto para entrar no país - disponível no Consulado Cubano válido por um mês. É conveniente ir-se vacinado contra a Hepatite A.

Formalidades de entrada especiais para o espaço Iberófono: Os cidadãos nacionais de Portugal e Espanha têm direito a um visto especial.

Feriados nacionais importantes: 1 de Janeiro - Festa da Libertação; 2 de Janeiro - Vitória das Forças Armadas; 1 de Maio - Dia do Trabalhador; 26 de Julho - Festa da Revolução Nacional; 10 de Outubro - Festa da Guerra de Independência; 25 de Dezembro - Dia de Natal.

Pesos e medidas: Sistema métrico; Corrente elétrica de 110 - 230 V, 60 Hz.

Fonte: www.geolingua.org

Cuba

CUBA (Antilhas)

Geografia

Situada entre o Oceano Atlântico ao norte e ao sul do mar do Caribe, Cuba é a maior ilha do Caribe. Ela também está ligada a algumas ilhas circundantes, incluindo o Pine. Além de sua costa acidentada, a ilha de Cuba tem um terreno relativamente plano, pontuado apenas aqui e ali um cordilheiras poucos.

Países fronteiriços: Não

Independência: 20 de maio 1902 (EUA)

Sistema político: Ditadura

Capital: Havana

Idiomas: Oficial e usual: Espanhol

Área: 110 860 km ²

População: 11.269.000 pessoas

Moeda Nacional: Peso cubano (CUP)

Dia Nacional: 01 de janeiro (Dia da Libertação 1959)

Clima

A área está sujeita a um clima tropical dividido em duas estações: a seca (25 ° C), de novembro a maio, o que corresponde ao inverno.

A estação chuvosa (30 ° C), de junho a outubro é de verão, durante o qual é arrastado pelas chuvas pode causar ciclones, às vezes violentos.

Saúde

Nenhuma vacina necessária. Atualizado Gerais vacinas recomendadas (poliomielite, tétano, difteria ...).

E os termos e duração da estadia, a febre tifóide, a hepatite B e a raiva.

Descubra

Os resorts cubanos oferecem muitos desportos aquáticos, incluindo mergulho. Surtoutne não privar-se, porque a vida marinha é lindo!

Famosa por seus charutos, Cuba tem alguns fabricantes que você pode visitar. Havana é uma cidade vibrante e cheia de lugares para ver como a cidade velha, o museu de Che Guevara ou a casa de Hemingway.

Fonte: www.continent-americain.com

Cuba

Nome oficial: República de Cuba (República de Cuba).

Nacionalidade: cubana.

Data nacional: 1º de janeiro (Dia da Libertação); 25 a 27 de julho (Aniversário da Revolução); 10 de outubro (Dia da Guerra de Independência).

Capital: Havana.

Cidades principais: Havana (2.184.990), Santiago de Cuba (432.396), Las Tunas (324.011), Camagüey (296.601), Holguín (243.240) (1995).

Idioma: espanhol (oficial).

Religião: cristianismo 41,9% (católicos 39,5%, protestantes 2,4%), sem filiação 57,9%, outras 0,2% (1997).

Geografia

Localização: América Central. 
Hora local:
 -1h. 
Área: 
110.922 km2. 
Clima:
 tropical. 
Área de floresta: 
18 mil km2 (1995).

População

Total: 11,2 milhões (2000), sendo eurafricanos 51%, europeus ibéricos 37%, afro-americanos 11%, chineses 1% (1996). 
Densidade: 
100,97 hab./km2. 
População urbana: 
75% (1998). 
População rural: 
25% (1998).
Crescimento demográfico: 
0,4% ao ano (1995-2000). 
Fecundidade: 
1,55 filho por mulher (1995-2000). 
Expectativa de vida M/F:
 74/78 anos (1995-2000). 
Analfabetismo:
 3,6% (2000). 
IDH (0-1): 
0,783 (1998).

Política

Forma de governo: Regime de partido único (PCC) e um órgão supremo (Assembléia Nacional do Poder Popular). 
Divisão administrativa:
 14 províncias divididas em municipalidades. 
Principal partido: 
Partido Comunista Cubano (PCC) (único legal).
Legislativo:
 unicameral - Assembléia Nacional do Poder Popular, com 601 membros eleitos diretamente para mandato de 5 anos.
Constituição em vigor: 
1976.

Economia

Moeda: peso cubano. 
PIB agropecuária: 
7,4% (1997). 
PIB indústria: 
36,5% (1997). 
PIB serviços:
 56,1% (1997). 
Crescimento do PIB: 
2,5% ao ano (1997). 
Renda per capita: 
entre US$ 761 e US$ 3.030 (1998). 
Força de trabalho:
 5 milhões (1998). 
Agricultura: 
Principalmente cana-de-açúcar, tabaco, arroz, frutas cítricas, banana e banana-da-terra. 
Pecuária: 
bovinos, eqüinos, suínos, aves. 
Pesca: 
122,8 mil t (1997). 
Mineração:
 níquel, cobalto, cobre, cromita. 
Indústria: 
alimentícia, bebidas, tabaco, máquinas, química. 
Exportações: 
US$ 1,7 bilhão (1998). 
Importações:
 US$ 3,6 bilhões (1998). 
Principais parceiros comerciais: 
Federação Russa, Alemanha, China, República Tcheca, Eslováquia e Bulgária.

Defesa

Efetivo total: 60 mil (1998). 
Gastos: 
US$ 735 milhões (1998).

Fonte: www.portalbrasil.net

Cuba

Em sua primeira viagem de 1492, Cristóvão Colombo descobriu a ilha de Cuba, mas não foi até 1512 quando se realizou a ocupação da ilha e o sbmissão dos índios taínos que a habitavam.

A construção naval em Havana e o nascimento dos primeiros talentos açucareiros deram estabilidade e fizeram a ilha progredir. Além disso, ao estender-se por Europa o consumo do fumo, Cuba se transformou, no século XVII, num dos centros produtores mais importantes.

Quando as colônias espanholas de América conquistaram sua independência (1808-1824), Cuba permaneceu leal governo da metrópole e as diferentes insurreições e conspirações contra o governo espanhol não conseguiram prosperar até 1868.

1868-1898: A INDEPENDÊNCIA

Os apoiantes da independência iniciaram uma sublevação em 1868, dando assim começo à Guerr a dos Dez Anos (1868-1878).

Até que os problemas internos em Espanha não puderam solucionar-se, as autoridades coloniais não estiveram em condições de enviar a um forte contingente de tropas que, ao comando do general Martínez Campo, conseguiu sufocar parte do levantamento e preparou o terreno para a paz de Zanjón de 1878, que pacificou o país até 1895.

José Martí, que fundou o Partido Revolucionário Cubano em 1892, foi o líder da seguinte revolta contra o poder espanhol na ilha.

A luta de Martí, que morreu durante o conflito, e de guerrilheiros como Máximo Gómez ou Antonio Maceo não desequilibrou a balança a seu favor até a intervenção dos Estados Unidos a raiz do afundamento do coraçado Maine, em 25 de janeiro de 1898.

A guerra entre Estados Unidos e Espanha se resolveu a favor do país norte-americano e Cuba, depois de um período de ocupação estadounidense, conseguiu a independência.

1902-1959: OS PRIMEIROS ANOS DA INDEPENDÊNCIA

Este foi um período marcado pela instabilidade interna do país e pelo predomínio estadounidense plasmado na emenda Platt que outorgava aos Estados Unidos o direito a intervir com suas forças armadas em Cuba em caso de distúrbios.

Nem os governos democráticos, nem a ditadura de Gerardo Machado nos anos vinte nem o predomínio de Fulgencio Batista entre os anos 1933 e 1959 conseguiram dar estabilidade ao país.

Como resposta à ditadura de Batista começaram em meados dos anos 50 as ações guerrilheiras dirigidas por Fidel Castro e Ernesto "Che" Guevara cuja ofensivo militar terminou como o governo de Batista em 1959.

1959-2005: A ÉPOCA DE FIDEL CASTRO

Desde 1959, Fidel Castro é o referente principal da Revolução e homem forte na ilha, apoiado pelo Partido Comunista, primeiro como chefe de governo em 1959, e depois como presidente da República, desde 1976, depois de substituir a Osvaldo Dorticós.

Fonte: www.ciberamerica.org

Cuba

Governo comunista de Cuba sobreviveu mais de 40 anos de sanções dos EUA destinadas a derrubar o veterano líder Fidel Castro. Ele também desafiou as previsões de que não iria sobreviver ao colapso de seu defensor de uma só vez, a União Soviética.

Desde a queda da ditadura apoiada pelos EUA de Fulgencio Batista, em 1959, Cuba tem sido um Estado de partido único liderado por Fidel Castro e - desde fevereiro de 2008 - por seu sucessor escolhido e irmão mais novo, Raul.

Fidel Castro exerceu controle sobre praticamente todos os aspectos da vida cubana, através do Partido Comunista e de suas organizações de massa afiliadas, a burocracia do governo e do aparelho de segurança do Estado.

Explorando a Guerra Fria, Fidel Castro foi, durante décadas, capazes de contar com o apoio soviético forte, incluindo os subsídios anuais no valor de US $ 4-5 bilhões, e ter sucesso na construção da saúde respeitável e sistemas de ensino. Mas, pelo menos em parte por causa das sanções comerciais dos EUA, ele não conseguiu diversificar a economia.

O desaparecimento da ajuda soviética, após o colapso da URSS forçou o governo a introduzir o racionamento apertado de bens alimentares, energia e do consumidor. A economia seguiu em frente com a ajuda de investimentos canadenses, europeus e latino-americanos, especialmente no turismo.

Controles foram relaxadas nos anos 1990, com as empresas autorizadas a importar e exportar sem pedir permissão e uma série de zonas de livre comércio abrem.

Algumas dessas reformas econômicas foram posteriormente revertidas, com Fidel Castro denunciando o que chamou de "novo rico".

No entanto, depois que Fidel Castro foi sucedido como presidente por seu irmão Raul, o ritmo da reforma econômica pegou mais uma vez.

Direitos

Cuba forjou laços mais estreitos com a China e com a produtora de petróleo Venezuela. Este último fornece combustível barato, enquanto o primeiro é ajudar Cuba a desenvolver sua indústria de petróleo própria.

Mas o dinheiro enviado para casa pelos cubanos que vivem no exterior - muitos deles na cidade de Miami, EUA - ainda é crucial para a economia. Dificuldades têm levado a um aumento da prostituição, corrupção marketeering, preto e esforços desesperados para fugir em busca de uma vida melhor.

Cuba caiu falta de agências internacionais, incluindo a ONU fórum de direitos humanos de topo, sobre abusos de direitos. O enviado da ONU pediu Havana a libertar dissidentes presos e permitir a liberdade de expressão.

Os EUA aluga a Base Naval de Guantánamo, na ponta leste da ilha, sob um tratado de 1903, e continua a enviar Cuba pagamento para ele. Cuba sob a Castros contesta o contrato, dizendo que ele foi concluído sob pressão, e se recusou a descontar qualquer uma das verificações desde os primeiros dias da revolução.

Relações com os EUA mostrou sinais de um degelo após a eleição do presidente Barack Obama, que em abril de 2009, disse que queria um novo começo com Cuba.

A Rússia também tomou medidas para revitalizar laços com o seu aliado da era soviética, e em julho de 2009 assinou um acordo para explorar depósitos offshore de petróleo de Cuba, que alguns analistas acreditam que pode ser substancial.

Cuba
Décadas de sanções punitivas por os EUA fez com que Cuba é um museu vivo de carros antigos

A cronologia dos principais acontecimentos:

1492 - O navegador Cristóvão Colombo afirma Cuba para a Espanha.

1511 - conquista espanhola começa sob a liderança de Diego de Velázquez, que estabelece assentamentos Baracoa e outros.

1526 - A importação de escravos da África começa.

1762 - Havana capturado por uma força britânica liderada pelo almirante George Pocock e Albemarle Senhor.

1763 - Havana retornou à Espanha pelo Tratado de Paris.

Guerras de independência

1868-1878 - Dez anos de guerra de independência termina em uma trégua com Espanha reformas promissoras e maior autonomia - promessas que eram em sua maioria nunca conheceu.

1886 - A escravidão abolida.

1895-1898 - Jose Marti leva uma segunda guerra de independência; dos EUA declara guerra à Espanha.

1898 - EUA derrota a Espanha, o que dá a todos os direitos a Cuba e cede-lo para os EUA.

Tutela dos EUA

1902 - Cuba torna-se independente com Tomas Estrada Palma como seu presidente, no entanto, a Emenda Platt mantém a ilha sob proteção dos EUA e dá os EUA o direito de intervir nos assuntos cubanos.

1906-1909 - Estrada renuncia e os EUA ocupa Cuba após uma rebelião liderada por José Miguel Gomez.

1909 - José Miguel Gomez torna-se presidente eleições seguintes supervisionados por os EUA, mas logo é asfaltada pela corrupção.

1912 - EUA retorno forças para Cuba para ajudar a acabar com protestos negros contra a discriminação.

1924 - Gerado Machado institutos de medidas vigorosas, encaminhando agricultura, mineração e obras públicas, mas posteriormente estabelecer uma ditadura brutal.

1925 - Partido Socialista fundado, formando a base do Partido Comunista.

1933 - Machado derrubado em um golpe liderado pelo sargento Fulgencio Batista.

1934 - Os EUA abandona o seu direito de intervir nos assuntos internos de Cuba, revisa cota açucareira de Cuba e mudanças de tarifas para favorecer Cuba.

1944 - Batista se retira e é sucedido pelo civil Ramon cinza San Martin.

1952 - Batista toma o poder novamente e preside a um regime opressor e corrupto.

1953 - Fidel Castro lidera uma revolta fracassada contra o regime de Batista.

1956 - Castro terras no leste de Cuba, do México e leva a montanhas de Sierra Maestra, onde, auxiliado por Ernesto "Che" Guevara, empreende uma guerra de guerrilha.

1958 - Os EUA retira apoio militar a Batista.

Triunfo da revolução

1959 - Fidel lidera um exército guerrilheiro 9000-forte em Havana, obrigando Batista a fugir. Castro torna-se primeiro-ministro, o seu irmão, Raul, torna-se seu vice e Che torna-se terceiro em comando.

1960 - Todas as empresas dos EUA em Cuba são nacionalizadas sem indenização.

1961 - Washington rompe todas as relações diplomáticas com Havana.

Os EUA patrocina uma invasão frustrada por exilados cubanos na Baía dos Porcos, Castro proclama Cuba um estado comunista e começa a aliar-se com a URSS.

1962 - crise dos mísseis de Cuba, quando inflama, temendo uma invasão dos EUA, Castro concorda em permitir que a União Soviética instalar mísseis nucleares na ilha. A crise foi posteriormente resolvido quando a URSS concordou em retirar os mísseis em troca da retirada dos mísseis nucleares norte-americanas da Turquia.

Organização dos Estados Americanos (OEA) suspende Cuba durante sua adesão "incompatível" com o marxismo-leninismo.

1965 - único partido político de Cuba renomeado do Partido Comunista Cubano.

1972 - Cuba torna-se membro de pleno direito do Conselho Soviética baseado de Assistência Econômica Mútua.

Intervenções na África

1976 - Partido Comunista de Cuba aprova uma nova Constituição socialista; Castro presidente eleito.

1976-1981 - Cuba envia tropas para ajudar a primeira de esquerda de Angola MPLA resistir a um ataque conjunto pela África do Sul, a Unita ea FNLA e, mais tarde, para ajudar o regime etíope derrotar os eritreus e somalis.

1980 - Cerca de 125 mil cubanos, muitos deles condenados liberados, fugir para os EUA.

1982 - Cuba, juntamente com outros países latino-americanos, Argentina dá apoio moral em sua disputa com a Grã-Bretanha sobre as Ilhas Malvinas.

1988 - Cuba concorda em retirar suas tropas de Angola na sequência de um acordo com a África do Sul.

Sobreviver sem a URSS

1991 - conselheiros militares soviéticos sair de Cuba após o colapso da URSS.

1993 - Os EUA aperta o embargo a Cuba, que introduz algumas reformas de mercado a fim de conter a deterioração de sua economia. Estes incluem a legalização do dólar dos EUA, a transformação de muitas fazendas estatais em semi-autônomas cooperativas, e da legalização da empresa individual de responsabilidade limitada.

1994 - Cuba assina um acordo com os EUA, segundo a qual os EUA se compromete a admitir 20 mil cubanos por ano em troca de Cuba travar o êxodo de refugiados.

1996 - EUA embargo comercial tornou permanente em resposta ao disparo de Cuba para baixo de dois aviões dos EUA operados por Miami baseados exilados cubanos.

1998 - O Papa João Paulo II visita Cuba.

1998 - Os EUA alivia restrições sobre o envio de dinheiro para parentes por cubano-americanos.

1999 novembro - menino cubano Elián González é captado na costa da Flórida depois que o barco em que sua mãe, padrasto e outros tinham tentado fugir para os EUA virou. Uma grande campanha pelo Miami baseados exilados cubanos começa com o objetivo de prevenir a Elian de reunir seu pai em Cuba, e de fazê-lo ficar com parentes em Miami.

Junho de 2000 - Elian pode voltar seu pai em Cuba, após batalhas judiciais prolongados.

Outubro de 2000 - EUA Câmara dos Deputados aprova a venda de alimentos e medicamentos a Cuba.

De dezembro de 2000 - O presidente russo Vladimir Putin visita Cuba e assina acordos com vista a impulsionar as relações bilaterais.

Outubro de 2001 - Cuba com raiva critica decisão da Rússia de fechar os Lourdes rádio-eletrônica centro da ilha, dizendo que o Presidente Putin tomou a decisão como "um presente especial" para presidente dos EUA, George W Bush, antes de uma reunião entre os dois.

Novembro de 2001 - As exportações de alimentos dos Estados Unidos a Cuba pela primeira vez em mais de 40 anos depois de um pedido do governo de Cuba para ajudar a lidar com as conseqüências do furacão Michelle.

Destaque para Guantánamo

Janeiro de 2002 - Prisioneiros tomadas durante liderada ação no Afeganistão são transportados em Guantánamo para interrogatório como al-Qaeda suspeitos.

Janeiro de 2002 - última base militar russa em Cuba, em Lourdes, fecha.

De abril de 2002 - A crise diplomática depois de Direitos Humanos da ONU Comissão critica novamente recorde de Cuba direitos. A resolução é patrocinado pelo Uruguai e apoiado por muitos dos antigos aliados de Cuba, incluindo o México. Uruguai rompe relações com Cuba depois de Fidel Castro diz que é um lacaio dos EUA.

Maio de 2002 - EUA subsecretário de Estado John Bolton acusa Cuba de tentar desenvolver armas biológicas, acrescentando que o país à lista de Washington de "eixo do mal" dos países.

Maio de 2002 - O ex-presidente dos EUA Jimmy Carter faz uma visita de boa vontade, que inclui um passeio de centros científicos, em resposta às alegações dos EUA sobre armas biológicas. Carter é o primeiro ex-presidente dos EUA ou servindo a visitar Cuba desde a revolução de 1959.

Junho de 2002 - Assembléia Nacional, altera a Constituição para tornar o sistema socialista de governo permanente e intocável. Castro pediu o voto seguindo críticas de presidente dos EUA, George W Bush.

Dissidentes presos

Março-Abril de 2003 -'' Primavera Negra'' repressão sobre dissidentes atrai condenação internacional. 75 pessoas são presas por prazos de até 28 anos; três homens que sequestraram um ferry para tentar alcançar os EUA são executados.

Junho de 2003 - UE suspende visitas de alto nível oficial a Cuba em protesto contra o registro do país em matéria de direitos humano recente.

Abril de 2004 - ONU Comissão de Direitos Humanos condena Cuba sobre seu histórico de direitos. Ministro das Relações Exteriores cubano descreve resolução - que passou por votação única - como "ridículo".

Maio de 2004 - As sanções americanas restringir as visitas EUA-Cuba familiares e remessas de dinheiro de expatriados.

Outubro de 2004 - Presidente Castro anuncia proibição de transações em dólares americanos, e impõe imposto de 10% sobre o dólar-peso conversões.

De janeiro de 2005 - Havana diz que está retomando os contatos diplomáticos com a UE, congelado em 2003, após a repressão aos dissidentes.

Maio de 2005 - Cerca de 200 dissidentes realizar uma reunião pública, disse que pelos organizadores para ser o primeiro encontro desse tipo desde a revolução de 1959.

Julho de 2005 - O furacão Dennis provoca destruição generalizada e deixa 16 mortos.

Fevereiro de 2006 - Propaganda de guerra em Havana como Presidente Castro revela um monumento que bloqueia a visão de mensagens iluminados - alguns deles sobre direitos humanos - exibido no edifício missão dos EUA.

Castro hospitalizado

Julho de 2006 - O presidente Fidel Castro passa por cirurgia gástrica e temporariamente as mãos sobre o controle do governo a seu irmão, Raul.

De dezembro de 2006 - falha de Fidel Castro para aparecer em um desfile para marcar o 50 º aniversário de seu regresso a Cuba de seu exílio pede especulação renovada sobre seu futuro.

Abril de 2007 - Um advogado e um jornalista são dadas penas de prisão longas após julgamentos secretos, que ativistas de direitos vêem como um sinal de uma repressão sobre a atividade da oposição.

2007 Maio - Castro não aparece no desfile anual do Dia de Maio de Havana. Dias depois, ele diz que teve várias operações.

Raiva como os EUA cai acusações contra o veterano militante anticastrista Luis Posada Carriles, que é um ex-agente da CIA e de Cuba "Public Enemy No. 1" acusado de abater um avião cubano.

Julho de 2007 - pela primeira vez desde 1959 que é comemorado Dia da Revolução sem a presença de Castro.

De dezembro de 2007 - Castro diz em uma carta lida na TV cubana que ele não tem a intenção de se manter no poder indefinidamente.

Fidel desce

Fevereiro de 2008 - Raul Castro toma posse como presidente, dias depois de Fidel anuncia sua aposentadoria.

Maio de 2008 - Proibição de propriedade privada de telefones celulares e computadores levantada.

Junho de 2008 - Planos são anunciados a abandonar a igualdade de salário. O movimento é visto como uma ruptura radical com os ortodoxos marxistas princípios econômicos observados desde a revolução de 1959.

UE levanta sanções diplomáticas impostas a Cuba em 2003, mais repressão a dissidentes.

De julho de 2008 - Em um esforço para aumentar a produção de alimentos de Cuba em atraso e reduzir a dependência da importação de alimentos, o governo reduziu as restrições sobre a quantidade de terra disponível para agricultores privados.

De setembro de 2008 - Os furacões Gustav e Ike infligir danos pior tempestade registrada na história de Cuba, com 200 mil desabrigados e suas plantações destruídas.

Outubro de 2008 - A empresa petrolífera Estado diz barris estimados 20 bilhões em campos offshore, sendo duplas estimativas anteriores.

União Europeia restaura laços.

Laços com a Rússia revitalizada

De novembro de 2008 - O presidente russo, Dmitry Medvedev visitas. Dois países concude novo comércio e acordos econômicos em sinal de fortalecimento das relações. Raul Castro paga visita recíproca para a Rússia em janeiro de 2009.

O presidente chinês, Hu Jintao visita a assinar acordos de comércio e investimento, incluindo acordos para continuar comprando níquel cubano e açúcar.

De dezembro de 2008 - Havana visita navios de guerra da Rússia pela primeira vez desde o fim da Guerra Fria.

Governo diz que 2008 anos mais difíceis para a economia desde o colapso da União Soviética. Crescimento quase pela metade, para 4,3%.

2009 Março - Dois principais figuras de Fidel era, Secretário de Gabinete Carlos Lage eo chanceler Felipe Pérez Roque, renuncie após admitir "erros". Remodelação do governo pela primeira vez desde a renúncia de Fidel Castro.

Votos do Congresso dos EUA para levantar as restrições administração Bush sobre os cubano-americanos de visitar Havana e envio de dinheiro de volta.

Abril de 2009 - presidente dos EUA, Barack Obama diz que quer um novo começo com Cuba.

Cuba
Havana em 1920. Muitos edifícios coloniais espanhóis ainda estão em Havana velho
População:
 2,1 milhões
Fundada em 1519
Tornou-se capital em 1607

Medidas de crise

2009 Maio - Governo lança programa de austeridade para tentar reduzir o uso de energia e compensar o impacto da crise financeira global.

Junho de 2009 - Organização dos Estados Americanos (OEA) para levantar vota proibição de adesão de Cuba imposta em 1962. Cuba saúda a decisão, mas diz que não tem planos de reingressar.

Julho de 2009 - Cuba assina acordo com a Rússia permitindo a exploração de petróleo em águas cubanas do Golfo do México.

Fevereiro de 2010 - O preso político Orlando Zapata Tamayo morre após 85 dias em greve de fome.

2010 Maio - As esposas e mães de prisioneiros políticos estão autorizados a realizar a demonstração, depois arcebispo de Havana, Jaime Ortega, intervém em seu nome.

2010 Julho - Presidente Castro concorda livres 52 dissidentes sob um acordo mediado pela Igreja e Espanha. Vários ir para o exílio.

2010 Setembro - planos radicais para emprego maciço do governo corta para reanimar a economia. Analistas vêem propostas como mudança maior do setor privado desde a revolução de 1959.

2011 Janeiro - presidente dos EUA, Barack Obama relaxa as restrições de viagens a Cuba. Havana diz que as medidas não vão longe o suficiente.

2011 Março - Os dois últimos presos políticos detidos em 2003 repressão são liberados.

Reformas reunir ritmo

2011 Abril - Congresso do Partido Comunista diz que vai olhar para possibilidade de permitir que os cidadãos cubanos viajar para o exterior como turistas.

2011 Agosto - Assembleia Nacional aprova reformas econômicas destinadas a incentivar a iniciativa privada e reduzindo a burocracia estatal.

2011 novembro - Cuba aprova lei permitindo que os indivíduos para comprar e vender a propriedade privada pela primeira vez em 50 anos.

2011 Dezembro - As autoridades libertar 2.500 prisioneiros, incluindo alguns condenados por crimes políticos, como parte de uma anistia antes de uma visita papal.

2012 Março - visitas Papa Bento XVI, criticando o embargo comercial dos EUA contra Cuba e pedindo maiores direitos sobre a ilha.

2012 Abril - Cuba marca Sexta-feira Santa com um feriado público para a primeira vez desde o reconhecimento de feriados religiosos parou em 1959.

2012 Junho - Cuba impõe novas direito aduaneiro sobre todas as importações de alimentos em esforço para conter a venda da ajuda alimentar enviada pelos cubanos no exterior no mercado comercial. Os direitos de importação tinha sido liberalizado em 2008, após série de furacões causou graves carências.

2012 Outubro - Espanhol politican Anjo Carromero é preso por homicídio culposo pela morte de alto perfil dissidente católico Oswaldo Paya. Sr. Carromero estava dirigindo o carro quando, de acordo com as autoridades, o avião caiu em uma árvore. Família do Sr. Paya dizer que o carro foi abalroado fora da estrada depois de ter recebido ameaças de morte.

O governo elimina a exigência de os cidadãos a comprar licenças de saída caros quando se pretende viajar para o exterior. Profissionais altamente qualificados, como médicos. engenheiros e cientistas ainda precisam de permissão para viajar, a fim de evitar a fuga de cérebros.

2012 novembro - O presidente Raúl Castro diz que a província oriental de Santiago foi duramente atingido pelo furacão Sandy, com 11 pessoas mortas e mais de 188 mil casas danificadas. Um relatório das Nações Unidas, diz Sandy destruiu quase 100.000 hectares de culturas.

Fonte: news.bbc.co.uk

Cuba

Um dos últimos países comunistas do mundo, instalado numa ilha tropical de recursos naturais paradisíacos.

Junto da ilha principal, Cuba possui cerca de 4 mil ilhotas. São mais de 300 praias de areias brancas e águas claras, incluindo Varadero, Holguín, Cayo Largo del Sur, Ciego de Ávila e Villa Clara.

Nos séculos 18 e 19 Cuba chegou a produzir quase um terço de todo o açúcar de cana consumido no mundo.

Em 1959, uma revolução popular, liderada por Fidel Castro, tomou o poder em Cuba.

Fidel Castro, ainda no poder, é o mais antigo chefe de governo em exercício no mundo.

Apesar de possuir uma taxa de analfabetismo praticamente nula, Cuba é um país muito pobre, onde não existe liberdade civil para os 11 milhões de cubanos.

Geografia

Nome: República de Cuba.
Capital: 
Havana.
Tipo de governo: 
comunismo.
Divisões administrativas: 14 províncias e um município especial (Isla de la Juventud)
: Camaguey, Ciego de Avila, Cienfuegos, Ciudad de La Habana, Granma, Guantanamo, Holguin, La Habana, Las Tunas, Matanzas, Pinar del Rio, Sancti Spiritus, Santiago de Cuba, Villa Clara.
Nota: 
A Base Naval de Guantanamo, na ilha de Cuba, é administrada pelos EUA.  
Relevo: 
plano na maior parte, com montanhas a sudeste.
Área total: 
110.860 km². Costa 3.735 km.
Ponto mais alto
: Pico Turquino 2.005 m.
Clima:
 tropical.
Portos
: Cienfuegos, Havana, Matanzas.

Economia

O governo continua a equilibrar a necessidade de afrouxar a economia com o desejo de manter firme o controle político. 
O padrão de vida médio dos cubanos permanece abaixo daquele que existia no início dos anos 1990, quando havia considerável ajuda da antiga União Soviética.
Moeda: Peso cubano (CUP) e peso conversível (CUC).
PIB (paridade pelo poder de compra): US$ 33,9 bilhões (2004 estimado). 
PIB per capita (paridade pelo poder de compra): US$ 3.000 (2004). 
Taxa de crescimento do PIB: 
3 % (2004).
Taxa de desemprego: 2,5 % (2004).

Gente

População: 11,4 milhões (julho 2005, estimado).
Taxa de crescimento pop.: 
0,33 % (2005 est.).
Expectativa de vida ao nascer
: 77,2 anos. 
Religiões
: Antes de Castro assumir o poder, 85% da população era composta de católicos romanos.
Línguas
: espanhol.
Grupos étnicos
: Mulato, 51%.  Branco, 37%. Negro 11%. Chinês, 1%.

Fonte: www.paises-america.com

Cuba

Cuba foi descoberta por Cristóvão Colombo em sua primeira viagem (1492), mas foi só em 1512 que os espanhóis tomaram posse da ilha.

Quando as colônias americanas da Espanha conquistaram independência, Cuba continuou ligada à metrópole.

Em 1895 uma formidável insurreição aconteceu, que durou até 1899, ano em que os Estados Unidos tomaram partido e forçaram a Espanha a renunciar seu domínio dobre Cuba.

Porém não obtiveram e independência imediatamente e ficaram anos sob os cuidados dos Estados Unidos.

Em 1902 o primeiro presidente escolhido foi Estrada Palma. Em 1906, explodiu a guerra civil.

Estrada Palma renunciou e os Estados Unidos assumiram o governo da ilha até 1909 quando, com a situação já sob controle, o novo presidente, Jose Miguel Gómez começou a exercer suas funções.

Vários anos de batalhas e revoltas internas se seguiram, até 1940, quando o coronel Fulgencio Batista foi escolhido presidente, e ficou no poder até 1944, quando foi eleito Ramon Graú San Martín.

Em 1948, assumiu o poder, por meio de eleições, Carlos Prío Socarrás, deposto em 1952 por um golpe de estado planejado por Batista, que ficou no poder até 1959, quando foi tirado pela revolução comunista de Fidel Castro, que se tornou cabeça do governo, nomeando Osvaldo Dorticós como presidente da República.

O novo regime causou a oposição dos Estados Unidos e de outros paises americanos, que excluíram Cuba da Organização dos Estados Americanos e tentaram bloquear a economia.

Essa situação se estendeu até julho de 1975 quando, de acordo com o novo acordo, os paises americanos tinham liberdade de retomar suas relações com Cuba.

Em 1976, uma nova Constituição foi promulgada, na qual, entre outras medidas, as posições de presidente da Republica e primeiro ministro for a eliminadas, substituídas pela de Presidente do Conselho de Estado, nomeado para o mesmo, Fidel Castro que, portanto assumiu a sede do estado e do partido comunista.

Clima

O clima de Cuba é subtropical, graças à proximidade com o Trópico de Câncer, seu território estreito, de leste a oeste recebe a ação refrescante dos ventos e brisas marinhas. Durante o curto inverno, há massas de ar frio que vem do norte, porém são de pouca duração.

A temperatura média durante o ano todo oscila entre 20ºC e 35ºC, baixando algumas vezes para 10ºC. A região leste possui um clima mais quente que a oeste e as variações de temperatura entre a noite e o dia, são menos acentuadas no litoral do que na ilha.

Os que estão na praia ficarão felizes de saber que a temperatura média da água é de 25ºC.

Devido à localização geográfica, o pais é afetado por temporadas de ciclones, entre 1 de julho e 30 de novembro. Podem afetar a ilha em forma de furacões formados por ventos de até 200km/h, e tempestades pesadas.

Essa época de ciclones coincide com a temporada das chuvas (maio a outubro), precedendo a estação seca (novembro a abril).

Os ciclones são preocupantes porem não são fatos tão perigosos; todos os hotéis possuem uma estrutura moderna ou são habilitados e protegidos para receber o fenômeno. Nas ruas circulam veículos com autofalantes que dão instruções a população e só é necessário deixar as casas em caso de extrema necessidade.

Nos prédios, a pessoa no comando, passa instruções no saguão para os hospedes, e as janelas e portas são protegidas. Para os visitantes não caribenhos é uma nova experiência; a televisão, que é emitida excepcionalmente às manhãs, inicia a primeira hora com previsões do tempo.

Transportes

Aeroportos

O único aeroporto internacional de Cuba é em Havana. Há outros aeroportos em Santiago of Cuba, Camagüey, Cienfuegos, Holguín, Ciego de Ávila, Las Tunas, Bayamo e Varadero.

Aviões

É a maneira mais rápida de se locomover pelo país, no entanto deve-se levar em consideração que os vôos são realizados em aviões antigos que não possuem todo o conforto desejado. Os preços são razoáveis. De Havana pode-se viajar a diferentes cidades e centros turísticos. Alguns vôos são regulares e outros são fretados. A companhia aérea Cubana de Aviacion oferece vôos domésticos..

Carros

O estado das estradas cubanas é geralmente aceitável, porém muitas estradinhas estão esburacadas. A rodovia principal vai de Pinar del Rio e Guantánamo, cruzando toda a longitude da ilha; passa pelas maioria das capitais das províncias. Há uma rede de estradas de Pinar del Rio por Havana e pela cidade de Jatibonico. Há também uma pequena estrada que passa por fora de Santiago de Cuba.

Aluguel: os principais hotéis de Havana, Playa del Este, Varadero e Santiago de Cuba oferecem serviço de aluguel de carro e geralmente há limite de quilometragem. O combustível é pago em dólares. Não há muitos postos, por isso é necessário viajar com o tanque cheio. O seguro obrigatório não esta incluso no preço.

A idade mínima para alugar um carro é 21 anos, e é exigido possuir carteira de habilitação há pelo menos um ano. Uma boa alternativa é alugar um carro com motorista, o que evita problemas, além de não ser muito mais caro.

Ônibus

Cuba possui um sistema interestadual de ônibus aceitável, e apesar de às vezes não serem tão confortáveis, é uma boa maneira de viajar. As passagens são vendidas nos terminais de ônibus e é recomendável adquiri-las com antecedência.

Trem

Cuba possui 5.000km de linha férrea e quase 8.000km, dedicada apenas ao transporte de cana de açúcar. Havana é ligada as principais cidades, como Matanzas, Santa Clara, Ciego de Ávila, Camagüey, Victoria, Las Tunas, Bayamo, Holguín, Santiago e Guantánamo.

Os trens são classificados como expresso (com ar condicionado) e comum (mais lento e sem ar condicionado). A programação e freqüência podem ser consultadas das estações ferroviárias.

Táxi

A ilha possui vários tipos de táxi. Os conhecidos como Panataxis são para uso exclusivo dos turistas, e devem ser contratados com aviso do número de horas que serão utilizados; normalmente ficam em frente aos hotéis, cabarés e casas noturnas. Os mesmos benefícios são oferecidos pelos Turistaxis, porém são mais caros.

Os táxis convencionais podem ser tomados em qualquer lugar, porém são menores. Apesar de possuírem taxímetro, raramente são usados, já que negociam o preço da viagem com o cliente.

Há também táxis para os moradores locais, conhecidos como “coletivos”, que oficialmente não podem transportar passageiros estrangeiros, mas algumas vezes quebram a regra para ganhar alguns dólares. Por fim, há os táxis particulares conhecidos como “boteros”.

São carros particulares, sem licença, que estão disponíveis em pontos estratégicos da cidade. Os pontos de táxis são conhecidos como “piqueras”. As cidades maiores possuem um serviço de táxi-bicicleta, oferecido como passeio turístico porem é também uma boa forma de se locomover nos centros das grandes cidades. Em Havana são para dois passageiros e nas outras cidades, como em Baracoa, para um apenas. O preço desse serviço é bem baixo.

Bicicleta

Não há serviços específicos para turistas.

Transporte Urbano

Havana e Santiago possuem uma rede aceitável de “guaguas”, ônibus convencionais que legam a cidade com os arredores. A freqüência desses guaguas é insuficiente em relação aos usuários, razão pela qual ficam lotados na hora do rush. Na ilha há também outro tipo de ônibus de três nadares, conhecidos como “camellos”.

Compras

Os produtos típicos cubanos, aqueles que são impossíveis de não levar são, sem duvida, charutos e rum. Considerados os melhores do mundo, as marcar principais de charuto são Cohiba, Hoyo de Monterrey e Punch. Recomenda-se que sejam adquiridos em estabelecimentos oficiais, solicitando nota fiscal.

Também é possível adquiri-los nas lojas dos aeroportos e nos principais hotéis turísticos. Não é recomendável comprá-los nos camelôs de rua, já que não possuem boa qualidade. Um bom rum pode ser adquirido na ilha, e recomenda-se comprar marcas que não são comercializadas fora de Cuba, como Santiago, Paticruzado ou Legendario.

As estátuas de Madeira são uma interessante opção, principalmente os de lojas de artesanato. Sugere-se não comprar livros antigos, pois os que foram publicados antes da década de 40 são declarados Patrimônio Nacional e não podem deixar o país sem autorização prévia.

Se adquirir uma pintura nos marcados de artesanato assegure-se que é legalizada (ou seja, que possui licença), ou você terá de solicitar um certificado oficial para poder exportá-la, com o risco de perder tempo.

Um produto típico cubano são as estatuetas das virgens feitas em estuque ou gesso e pintadas a mão com cores vibrantes e com um estilo um tanto naïf, encontradas em qualquer loja de cuba. A musica cubana pe outra boa opção para levar pra casa.

Os Esportes

Em Cuba, todos os eventos esportivos são gratuitos. O esporte nacional é o baseball, no entanto outros esportes, como futebol, também são praticados.

Alguns dos esportes aquáticos que podem ser praticados são: mergulho, windsurfe, pesca e surfe. Os melhores lugares para praticá-los são Varadero, os recifes, Pinar del Rio, Guardalavaca, e Isla de la Juventud, de onde saem excursões para os recifes de corais.

Apesar de ser possível fazer trilha em algumas regiões remotas, é necessário possuir uma autorização para isso, e é também recomendável contratar um guia local. Na cordilheira de Sierra Maestra fica o pico mais alto da ilha, o Pico Turquino, além de interessantes trilhas. A Cordilheira de Cubitas, próximo a Camagüey, caracteriza-se pelo rio que corre entre as montanhas, enquanto que as montanhas de Escambray, próximo a Trinidad, possui uma densa floresta tropical. A Cordilheira de Guaniguanico, ao norte da ilha, oferece uma paisagem espetacular de rios que correm entre as montanhas e cavernas.

Outra possibilidade é cavalgar, em algumas das fazendas turísticas em Baconao e Trinidad.

Turismo

Havana

A Grande Havana é uma área metropolitana que se estende por toda a costa e inclui e capital e vários municípios: Marianao, Regla, Guanabacoa, San Muguel del Padrón, Casablanca e Cojimar, entre outros. Devido à localização privilegiada, a atual capital de Cuba, era no passado uma importante parada na rota do ouro entre a Espanha e a América, sujeita a ataques piratas. A fim de proteger a cidade destes, foi construído um sistema de defesa no século XVII, com a fortaleza de La Fuerza, el Morro y la Punta. No final do século XVIII já tinha uma dúzia de vilarejos e pequenas praças que formavam 6km de fortificação, sendo o núcleo principal de população, conhecida como Havana Antiga e declarada “Patrimônio da Humanidade”, pela UNESCO.

A cidade conserva as característica do período colonial e possui inúmeras construções históricas valiosas e monumentos construídos nos séculos XVI e XVII. Plaza de Armas é o mais antigo e majestoso cenário da cidade.

Possui dois museus, fundamentais para os que querem conhecer a arte e a historia dessa peculiar cidade grande: a Museu Municipal e o Museu de Arte Colonial, na Plaza de la Catedral, conhecida no século XVI como Plaza Ciénaga, e de onde se pode admirar a catedral em estilo barroco de San Crastóbal, entre outras coisas.

A principal via comercial da cidade é a rua Obispo. Um dos símbolos da cidade é a Giraldilla, uma estátua de bronze de 2 metros que segura em suas mãos a cruz de Caravaca, localizada na fortaleza La Fuerza. Quando visitar a Plaza Vieja é imprescindível conhecer a casa Jaruco Count, atualmente Fundo Cubano de Herança Cultural, com inúmeras galerias de arte, e a casa das irmãs Cárdenas, atual centro da sociedade filarmônica da cidade.

Entre a segunda metade do século XVII e o início do século XIX apareceram novos lugares, como o primeiro passeio de Havana, conhecida como "Alameda de Paula". Outros pontos são a Plaza de la Catedral, considerada o cenário arquitetônico melhor conservado da América Latina, e a Plaza de la Revolución.

No centro de Havana pode-se admirar a beleza do Paseo del Prado e o Capitolio, onde fica o “km 0” (quilometro zero), de onde são calculadas todas as distâncias da ilha.

Com o passar dos anos, grandes avenidas como a Malecón, a Reina a e Carlos III tornou possível o crescimento expansivo da cidade na parte oeste. A Malecón é atualmente uma grande avenida que se estende pela costa do bairro de Miramar, na outra margem do rio Almendrades. Foi construída para proteger a cidades das ondas causadas pelos ciclones. Termina no forte Chorrera, construída em 1695 para defender a cidade dos ataques piratas.

Entre o centro da cidade de Havana e a margem direita do rio Almendrades, surge Vedado. Essa colônia, que antes servia de perímetro de segurança em caso de ataques, é hoje um lugar onde os ricos de Havana constroem suas casas. Grandes hotéis, avenidas largas e uma arquitetura eclética, definem esse espaço. Aqui fica a Universidade de Havana, com uma área interna que possui o maior acervo de arte pré-colombiana da ilha. A Quinta Avenida, criada no século XX e uma das mais bonitas do país, liga Vedado, a zona de desenvolvimento litorâneo, com importantes centros financeiros, hotéis e infra-estruturas turísticas. Não se pode deixar Havana sem parar por um momento no cemitério de Cristóvão Colombo e no bairro de Miramar, que possui ótimos calçadões cercados por magníficas mansões de embaixadas.

Santiago de Cuba

Antiga capital da ilha, Santiago de Cuba merece uma visita minuciosa, que pode começar pelo parque Céspedes, para se deliciar com a impressionante fileira de sacadas da Casa de Velásquez, a mais antiga da América. A partir dela se pode iniciar um passeio interessante, pela rua Heredia, onde encontraremos muitos monumentos e lugares importantes como a Casa Trova, o museu Ambiente Histórico Cubano e de Carnaval e a Casa dos Estudantes, entre outros.

O sistema de defesa da cidade concentra-se principalmente no Castillo del Morro, com o museu da pirataria. Um dos pontos de encontro da cidade é a rua Pico, que começa no bairro de Tívoli, o coração do carnaval. Qualquer um que queira se aprofundar na historia de Santiago deve conhecer o cenário da Revolução e o cemitério de Santa Ifigênia, classificado como Monumento Nacional, com esculturas e mausoléus considerados obras de arte estatuárias, e onde estão enterrados Jose Martí e Jose Antonio Maceo.

Nas vizinhanças da cidade há dois lugares de visita imprescindível: o parque Baconao, declarado Reserva Natural da Biosfera, e o santuário do santo padroeiro cubano, a Virgem da Caridade do Cobre. Na região encontra-se também e belíssima paisagem de Sierra Maestra, com enormes plantações de café.

A provincial de Holguín, conhecida como “terra do níquel”, tem como capital a cidade de mesmo nome. Tem-se uma bela vista de cima do vale Mayabe. Os pontos mais interessantes são o Museu Indo-Cubano de Bani, a praia de Cuernalavaca, uma das mais lindas de Cuba, e a baía de Naranjo. Os amantes da caça podem ir até o recife de Saetía, lugar com fauna abundante.

Camagüei

Nessa provincial localiza-se o arquipélago formado pelos recifes de Coco (que na verdade pertence a provincial vizinha, Ciego de Ávila), Romano, Guajaba e Sanibal. A região é classificada como o segundo maior recife de corais da América Latina.

A cidade de Camagüey, capital da provincial, é a cidade mais medieval de Cuba, por todo seu desenho e suas ruas. Algo entre sinuosas e labirínticas, todas terminando em uma vila ou uma praça. Essa complicada geografia urbana foi criada por medo de invasões piratas, de forma a ser um verdadeiro labirinto de ruas com saídas em pequenas praças para facilitar as emboscadas.

As casas, com estilo nada palaciano, possuem um pátio central com ervas aromáticas e as famosas tinajones, enormes vasilhas utilizadas para colher chuva. A região também inclui as províncias de Ciego de Ávila e Las Tunas na fronteira do país.

A provincial de Ciego de Ávila possui um litoral alagadiço, inúmeros recifes e pântanos de mangue, que constituem a principal atração turística. Suas principais regiões para passeio são Cayo Coco, a Ilha Turiguanó e a Laguna de la Leche. Ao sul fica o Labirinto das Doze léguas, um pequeno arquipélago com inúmeros recifes e incontáveis pequenas ilhas inabitadas. Elas não possuem serviços para turistas, exceto Caguamas, mas é necessário contratar a excursão. Outras regiões importantes são Florida e Guáimaro.

Piñar Del Rio

A mais ocidental das regiões cubanas, é a zona do tabaco da ilha, por excelência, além de possuir incontáveis belezas naturais, entre elas, o arquipélago de Colorados (um recife de corais de 200km), inúmeros recifes lindos e pouco explorados (como San Felipe e La Vigia) e lagos naturais e artificiais, entre os quais se destaca o de Cuyaguateje. A cordilheira de Guaniguanico ocupa grande parte do território.

A província tem duas áreas que foram declaradas pela UNESCO como “Reserva Natural da Biosfera”, áreas que abrigam espécies nativas de animais e plantas: a cordilheira do Rosário de a península de Guanahacabibes. É nessa península que se localiza a praia de Maria la Gorda, um paraíso para os amantes do mergulho.

A região de Vuelta Abajo é a produtora de tabaco do mundo. Nos municípios de Consolación del Sur, San Juan e Martinez, Piñar del Rio e San Luis Guane são as folhas de tabaco de melhor qualidade, destinadas a exportação. A produção de café, introduzida no século XIX, na cordilheira do Rosário pelos franceses, decaiu depois da expansão da produção de cana de açúcar, muito mais lucrativa. Nas regiões de San Cristóbal, Candelaria, Bahía Honda y Viñales ainda há paisagens impressionantes formadas pelas plantações de café.

Atualmente, a provincial tornou-se um paraíso para os amantes de turismo rural. Caminhada, pesca, caça e até mesmo espeleologia, são atividades que podem ser praticadas pelos viajantes. As estações de água de San Diego são muito famosas, na região de mesmo nome, um centro termas com uma reputação que vem desde o século XVIII. Sem dúvida, um dos símbolos de Piñar del Rio é o vale dos Viñales, na cordilheira de Organos, caracterizada por seu relevo com formações de crateras.

Sancti Spiritus

Nessa provincial termina a savana de Camagüey e começam as cadeias de montanhas, entre elas Encambray, onde se localiza a cidade de Trinidad. Famosa por suas ruas pavimentadas com pedras coloridas tingidas (ocre, azul, verde e rosa) que datam do século XVIII, declaradas pela UNESCO como “Patrimônio da Humanidade”, principalmente pelo núcleo histórico, um cenário de ruas pavimentadas com pedras que se juntam na Plaza Mayor, onde fica a igreja paroquial de Santísima Trinidad, que guarda imagens dos séculos XVII a XX; o convento de São Francisco e o Palácio de Brunet, construído no século XVIII. Esse palácio, assim como o palácio de Cantero, é um testemunho fiel do esplendor arquitetônico da cidade.

Outros lugares interessantes são os antigos hotéis do século XVIII; a árvore de jigüe que cresce na Plaza Real; o antigo convento de São Francisco de Assis, que acomoda um Museu de Guerra contra Bandidos e a Casa do Navio de Guerra, construído para acomodar o capitão do corsário, Carlos Merlin.

Os limites da provincial são demarcados ao norte com a baía de Buena Vista, ao leste com a província de Ciego de Ávila e a oeste com as províncias de Villa Clara e Cienfuegos. A provincial de Villa Clara, cuja capital guarda o tumulo do lendário Che Guevara, conta com o atrativo de suas praias desertas e virgens, como Coralillo, Panchita, Carahatas e Carabarién.

Cienfuegos

É a menor província de Cuba, e a com menor litoral. É o terceiro porto mais importante de Cuba e primeiro exportados de açúcar. O forte de Nuestra Señora de los Angeles de Jagua, construído para defender a cidade dos piratas, domina a entrada da baía. Possui um cais de 2 km que termina na via principal da cidade, Paseo del Prado, que cruza com a Avenida dos Cienfuegueros. Nela há estátuas de habitantes ilustres, o parque teatro Luisa, as coloridas fachadas e belas colunas. O parque Jose Martí concentra os mais belos exemplos de arquitetura da cidade, com construções do século XIX e XX, considerados Monumento Nacional.

É imprescindível conhecer o teatro em estilo neoclássico de Tomás Ferry, o palácio Ferrer (de onde se pode ter uma vista impressionante da baía de Jagua), e Punta Gorda, o antigo bairro aristocrata com elegantes mansões conservadas em excelentes condições. Outro passeio que vale a pena é ao Jardim Botânico de Soledad, a 25km de Cienfuegos, com um rico acervo de espécies tropicais, como a palmeira real, planta nativa da ilha.

Arquipélago Canarreos

350 ilhas e recifes formam o território de estatuto especial, desde a nova divisão política. Cayo Largo é a principal atração turística do arquipélago, a maior extensão do território cubano. Essa pequena ilha virgem é um verdadeiro zoológico, onde vivem diferentes espécies, de pássaros a tartarugas, iguanas e crocodilos. Possui mais de 25 km de litoral, e a água tem uma temperatura média de 26ºC durante o ano todo.

As praias mais convidativas são Sirena, Lindamar, Luna, Tortugas (ponto de desovas das tartarugas), Los Cocos e Playa Blanca. A Isla de la Juventud, também conhecida como Ilha dos Pinheiros, é bem diferente do norte pro sul. No norte é coberta por extensos bosques de pinheiros, abunda em savanas e depósitos de caulim.

É a parte mais habitada da ilha e tem duas cidades que merecem uma visita: Gerona e La Fe, além de pequenos vilarejos dedicados à agricultura. O sul permanece praticamente intacto, coberto com densa floresta tropical e uma população de pescadores.

Os principais pontos da ilha são as sete cavernas de Punta del Este, o Parque Natural Julio Antonio Mella, com um pequeno jardim botânico e um zoológico, além da represa, o Museu Abra e a praia Bibijagua, diferente por sua areia escura causada pra ação corrosiva do mar no mármore.

Fonte: www.sprachcaffe-cuba.com

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal