Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Dança  Voltar

Dança

Horas de ensaios, exercícios extenuantes, ginástica para manter a forma, pés doloridos e muitas distensões musculares fazem parte da rotina dos bailarinos, que enfrentam jornadas de trabalho diárias nunca inferiores a oito horas, além de apresentações aos sábados, domingos e feriados. Mas o sacrifício vale a pena. “Quando estamos no palco, despertamos emoções”, diz Esmeralda Penha Gazal, diretora da Escola Municipal de Bailado de São Paulo.

Embora o Brasil não tenha a tradição de países da Europa e do Leste Europeu, nosso balé já é reconhecido pela excelência da técnica e pela qualidade artística. Parte desse prestígio internacional pode ser creditado à bailarina Dalal Aschcar, responsável pela criação da Companhia de Dança do Rio de Janeiro, que iniciou o movimento de popularização do balé no Brasil. Ela também fundou a Associação de Balé do Rio de Janeiro, que formou novos bailarinos e disseminou a arte pelo país.

O balé clássico é a base de todas as outras modalidades. Mas o Brasil é um país pródigo em ritmos variados e absorve expressões de outros países, como jazz, rock, tango, flamenco e dança do ventre. Danças populares, como samba, forró e axé, entre outras, também têm público garantido, principalmente na TV e nas academias de dança.

Há poucas faculdades de dança no Brasil. A qualidade do ensino, no entanto, é considerada de alto nível. Com algumas variações, fazem parte do currículo disciplinas como improvisação, estudo de espaço, estudo da forma, elementos de música, técnica de dança moderna, coreografia em grupo, composição solística, história da dança e anatomia artística.

Como todos os setores da cultura brasileira, a Dança também se ressente com a ausência de políticas de incentivo. “O mercado é restrito não só para o profissional do balé clássico, de repertório, mas também para os que optam pela dança contemporânea”, revela Esmeralda. “Não existem companhias oficiais e as particulares acabam reduzindo seu corpo de bailarinos por falta de verbas.”

Apesar dos problemas, sempre restam oportunidades de trabalho em academias, clubes e condomínios. A nova Lei de Diretrizes e Bases pode aquecer o mercado, na medida em que possibilite a introdução da Dança como disciplina de educação artística. O bailarino pode atuar ainda como preparador corporal de atores e dançarinos, no teatro e na TV; como coreógrafo, criando seqüências de movimentos; como diretor, concebendo o espetáculo inteiro, da coreografia aos efeitos de luz. Os salários acordados com o Sindicato dos Profissionais de Dança do Estado de São Paulo variam entre R$ 159 (valor do cachê) e R$ 959 (valor mensal). Um bailarino principal recebe, em média, R$ 1,9 mil.

Duração média do curso

Quatro anos

A profissão

O bacharel em Dança monta e dirige espetáculos musicais para teatro, cinema ou TV. Também atua como bailarino, dançando em um corpo de baile, e está apto a dar aulas em academias e escolas públicas ou particulares que ofereçam a disciplina Educação Artística. O mercado de trabalho é restrito e a concorrência, enorme. O maior número de companhias de balé fica no eixo Rio-São Paulo, mas cresce a quantidade de novos grupos em cidades como Salvador, Florianópolis e Goiânia. Instituições de saúde costumam contratar esse profissional para ajudar na recuperação e na reintegração social de crianças, adolescentes e deficientes físicos e mentais.

Características que ajudam na profissão

Criatividade, senso artístico, bom preparo físico, habilidade de lidar com o público e de trabalhar em equipe, sensibilidade, iniciativa, persistência, curiosidade.

Fonte: www1.uol.com.br

Dança

Objetivo

Essa profissão exige muita sensibilidade. O bailarino deve estar sempre atento ao que acontece no circuito artístico, nacional e internacional, e deve ser sensível para intuir tendências. As principais funções são:

Intérprete

Profissional capaz de atuar como dançarino em grupos profissionais de dança contemporânea. Durante a formação, pode aperfeiçoar-se sua a fim de criar e interpretar movimentos coreográficos, recorrendo, quando for o caso, ao desenvolvimento de habilidades e técnicas específicas de outras linguagens artísticas. O intérprete coreográfico atua em teatros, espaços cênicos não convencionais, televisão e em produções cinematográficas (cinema e vídeo).

Criador

Responsável pela criação, coordenação e elaboração do processo de montagem coreográfica, procurando articular o trabalho de vários profissionais: dançarino, figurinista, iluminador, maquiador, músico, sonoplasta, entre outros. Pode atuar na montagem de coreografias de espetáculos teatrais, óperas, musicais, criação de performances etc.

Professor de dança

Segundo a LDB, lei 9394/96, a Arte é reconhecida como disciplina obrigatória, no currículo escolar e a Dança apresenta-se entre as linguagens artísticas a serem desenvolvidas. O professor de Dança trabalha em escolas, da Educação Infantil ao Ensino Médio, e em espaços comunitários com propostas de dança voltada para a educação. Além disso, está apto também para lecionar diferentes estilos de dança, em academias, remetendo-se à prática da investigação artística e pedagógica.

Mercado de Trabalho

O maior mercado está nas companhias de dança, que dependem sempre de patrocínio.Uma opção recente está nas escolas de dança de salão e de academias. Outra novidade, após a última Lei de Diretrizes e Bases da Educação, está no ensino da educação artística. Outra área que desponta como promissor está na preparação de bailarinos para ocasiões especiais.

Curso

As disciplinas principais do curso são: história das artes, anátomo-fisiologia, dança, ritmo e movimento, cenografia, encenação, cinesiologia. Além de história do teatro, dramaturgia, cenografia, indumentária, interpretação, improvisação, há o estágio supervisionado, quando é preparada a montagem de uma peça.

Fonte: www.fpa.art.br

Dança

É uma expressão artística do movimento, executada através do aprendizado de exercícios formais e sequenciados que constituem as suas técnicas e as suas composições coreográficas.

O Bailarino

Expressa idéias, emoções e sentimentos por meio de movimentos corporais, ao ritmo de instrumentos musicais, palavras cantadas ou faladas. Também pode dançar sem música.

Executa movimentos criados por um coreógrafo, em espetáculos de dança clássica, moderna ou folclórica. É o que se denomina Bailado ou Dança.

Cria os movimentos para o bailarino dançar, a partir de idéias, músicas, textos ou roteiros. Dirige ensaios e faz a preparação física de dançarinos. É o que se denomina Coreografia.

Na Direção de Espetáculos, acompanha a montagem do espetáculo de dança e decide as cenas com o produtor, o coreógrafo e o cenógrafo.

Pode dar aulas em academias de dança ou em escolas de 1.o e 2.o graus, necessitando complementar sua formação com as disciplina pedagógicas.

Cuida do aperfeiçoamento técnico de uma companhia. Orienta as aulas e seleciona e avalia o desempenho dos bailarinos. Acompanha ensaios e remonta coreografias. É a especialização que se denomina Maître de balé e que apenas se alcança com muita experiência e técnica.

Onde Pode Trabalhar

  • Companhias e Grupos Profissionais ou Amadores.
  • Centros de Recreação e Lazer.
  • Cursos Livres.
  • Cursos Profissionalizantes.
  • Pré - escolas, Escolas de 1.o, 2.o e 3.o graus.
  • O Curso

    É um curso que exige do aluno, além das Provas de Matérias do 2.o grau, o teste de Habilidade Específica (THE) sobre Técnica de Dança Clássica e Técnica da Dança Moderna.

    Seu currículo procura desenvolver, ampliar e sistematizar no aluno a consciência corporal, a sensibilidade artística, a atividade criadora e a capacidade de expressão de suas realidades subjetiva e objetiva através da compreensão do seu próprio corpo em movimento como meio de expressão artística.

    Para atingir esse objetivo, oferta conteúdos como Anatomia, História da Dança, Fisiologia, Cinesiologia, Estética e História das Artes, Técnica de Dança (Ballet), Dança Moderna, Folclore, Interpretação Teatral, Conscientização Corporal, Desenvolvimento Psicomotor, Teoria e Análise do Movimento, Composição Coreográfica, Repertório de Dança Clássica, Repertório de Dança Moderna entre outros.

    DURAÇÃO

    04 anos

    Fonte: www.cfh.ufsc.br

    Dança

    Sobre a profissão

    O bacharel em Dança tem formação para pesquisar a linguagem coreográfica e sua articulação com outras linguagens cênicas. Esse profissional também é preparado para compreender o contexto sócio-cultural mais amplo em que se envolve a dança.

    O bacharel planeja programas de desenvolvimento cultural e social através da dança, podendo produzir espetáculos, cursos, oficinas e mostras de dança. O profissional licenciado também está apto a lecionar na área.

    É um profissional comprometido com o posicionamento contemporâneo e crítico sobre os conteúdos que compõem a arte do movimento com relação à realidade social; dominando e aprimorando permanentemente os avanços do conhecimento na área de formação artístico-cultural e no processo educativo para e pela Dança.

    Além dos cursos em Dança, também existe o bacharelado em “Comunicação das Artes do Corpo”, como uma alternativa para quem quer seguir esta carreira. Este curso oferece uma formação semelhante ao do curso de Dança, mesclado a disciplinas do curso de Artes Cênicas, mas com um enfoque no corpo como elemento fundamental de toda expressão sócio-cultural.

    Tipos de Curso

    a) Nível Superior

    Bacharelado

    Duração de 4 anos. O bacharelado em Dança desenvolve no aluno um perfil que lhe permita refletir sobre o espetáculo de dança, a interpretação e a montagem coreográfica sob o ponto de vista ético e estético, analisando seu trabalho sob uma perspectiva interdisciplinar exercitando a compreensão, a criatividade e a reflexão. O currículo é composto por disciplinas como anatomia humana, música e movimento, história da dança, fisiologia do movimento, dança moderna, balé clássico, filosofia, folclore, composição coreográfica, produção artística e administrativa, psicologia da dança, entre outras.

    b) Nível Superior

    Licenciatura

    Duração de 4 anos. O curso de licenciatura em dança forma um indivíduo com embasamento técnico e com sólida experiência prática na área e apto a exercer atividades educativas, recreativas, terapêuticas e culturais da dança, tomando a dança como produção de conhecimento e transformação de indivíduos, além de discutir a dança e a arte no contexto da educação, sendo capaz de elaborar sua própria metodologia de trabalho.

    c) Nível médio

    Curso Técnico

    Duração de 3 anos. Propicia a formação no nível médio, como também desenvolve um conhecimento rico na área de arte e cultura. Citamos, como exemplo, disciplinas, tais como: a História da Arte, Arte e Cultura, Estética, Empreendedorismo Cultural, Educação Ambiental, Estudo das Leis de Incentivo à Dança, Dimensão Ética e Relações Sociais, História da Dança, Dança Contemporânea, Dança Técnica Clássica, Danças Tradicionais, além de Elementos da Música, Improvisação e Composição.

    d) Cursos Livres

    Existem diversos cursos livres de dança, podem ter uma vocação específica como balé clássico, moderno, dança de salão, flamenca ou streetdance. Em geral são cursos práticos, com pouca carga teórica.

    Mercado de Trabalho

    O mercado de trabalho tem se mostrado mais promissor para os profissionais voltados para projetos de desenvolvimento social. Alguns órgãos públicos contratam profissionais da área para a coordenação de projetos. As empresas particulares também têm contratado profissionais da área cultural para trabalhar em seus institutos culturais e de desenvolvimento social.

    Organizações não governamentais voltadas para projetos de inclusão são também boas empregadoras. Assim como escolas privadas e clínicas de reabilitação motora e de portadores de necessidades especiais, como os pessoas com síndrome de down, que encontram na dança uma importante ferramenta de desenvolvimento físico e equilíbrio emocional.

    A crescente preocupação com a qualidade de vida, principalmente nos grandes centros urbanizados, lugares cujo stress sempre atormenta as pessoas, propiciou a abertura de diversas clínicas, academias e conservatórios, que oferecem a dança como uma atividade terapêutica, e recorrem ao profissional para coordenar os projetos e também para dar aulas.

    Ofertas de Emprego

    A maioria dos profissionais em Dança opta por lecionar, no ensino público ou privado, principalmente porque o ramo de espetáculos é um mercado bastante instável e não existem muitas vagas de emprego formal afora a docência.

    Os profissionais em Dança podem trabalhar no corpo de baile, com coreografia, direção e preparação corporal. Como diretor ele cria e coordena espetáculos de dança, seleciona e dirige os bailarinos e os assistentes, define os figurinos e a iluminação. Como Preparador corporal coordena e orienta artistas e bailarinos para espetáculos de dança e de teatro, além de ministrar workshops e cursos.

    As melhores ofertas de emprego estão nas escolas de dança por todo o Brasil além de produtoras de vídeo, que contratam estes profissionais para atuarem em publicidade ou programas de TV. Quem tem prática e determinação pode encontrar boas oportunidades nas grandes companhias de dança.

    Fonte: www.cursocerto.com.br

    Dança

    Movimentos clássicos de balé, coreografias de jazz, seqüências de passos de tango. A dança não está apenas nas palcos, nas academias, nos estúdios e nas pistas. Algumas universidades do País oferecem cursos de graduação e pós-graduação na área.

    Para Virgínia Chaves, chefe do Departamento de Teoria e Criação Coreográfica do curso de Dança da Universidade Federal da Bahia (UFBA), a profissão requer conhecimento teórico-prático sobre dança, além de sua função e importância social. "O profissional deve, sobretudo, ser capaz de argumentar sobre o lugar da dança e do corpo na sociedade e na educação contemporânea", afirma.

    Mercado

    Conforme Virgínia, o mercado para os profissionais da arte do corpo é vasto. Uma das áreas mais abrangentes é na educação. "Embora ainda não seja um mercado que tenha uma política efetiva para a implementação da dança como uma tecnologia educacional, ainda que tenhamos a LDB (Lei de Diretrizes e Bases) a nosso favor, garantindo a arte em suas diversas linguagens no projeto pedagógico das escolas. É muito tímido esse investimento, e por poucos", comenta a professora.

    Ela lista ainda escolas particulares, ONGs e faculdades como locais que oferecem oportunidades de trabalho. Na área da saúde, alguns hospitais também buscam licenciados em Dança para intregrar seus quadros.

    É para você?

    O interesse pela expressão corporal é apenas um dos pré-requisitos para a profissão. Além de entender o espaço da dança na sociedade e na educação, Virgínia acredita que é preciso outras características, como espírito empreendedor, sensibilidade e percepção aguçada. "Saber conviver com as diferenças é fundamental para todo o profissional na atualidade, e é uma qualidade inerente ao artista, ao profissional da arte e da dança", diz.

    O que vem por aí

    Além da expansão na área da saúde, com espaço para a dança como terapia, Virgínia percebe um crescimento de políticas públicas investindo nas áreas artística e cultural: "Ministério da Cultura, secretarias estaduais têm incentivado o fortalecimeto de grupos e companhias de dança. Também os pontos de cultura vêm contribuindo na abertura de espaços para os profissionais da área".

    Diferencial

    Alunos dedicados, criativos e sensíveis costumam se destacar já durante a graduação, segundo Virgínia. "Como toda profissão, a titulação em nível de pós-graduação é sempre um diferencial no mercado",complementa.

    Fonte: noticias.terra.com.br

    Dança

    "Profissional capaz de contribuir como agente transformador da realidade, ser responsável pelo próprio corpo, expressar-se e comunicar-se artisticamente, através da dança"

    O que é ser um dançarino?

    O dançarino é um profissional capaz de contribuir como agente transformador da realidade, ser responsável pelo próprio corpo, expressar-se e comunicar-se artisticamente, através da dança. A dança se caracteriza pelo uso do corpo seguindo movimentos previamente estabelecidos (coreografia), ou improvisados (dança livre). Na maior parte dos casos, a dança, com passos cadenciados é acompanhada ao som e compasso de música e envolve a expressão de sentimentos potenciados por ela. O dançarino pode utilizar a dança como manifestação artística ou como forma de divertimento e/ou cerimônia. Como arte, a dança se expressa através dos signos de movimento, com ou sem ligação musical, para um determinado público.

    Quais as características necessárias para ser um dançarino?

    Talento e dedicação são indispensáveis para quem quer dedicar-se à dança. O dançarino precisa realmente se entregar ao treinamento, descobrir quais são seus limites e ultrapassá-los.

    Características desejáveis

  • Preparo físico
  • Sensibilidade artística
  • Senso estético
  • Talento
  • Disposição
  • Qual a formação necessária para ser um dançarino?

    Para ser um profissional da dança existem dois caminhos, a universidade e as escolas de dança. A diferença entre as formações está na possibilidade de atuação. Além da técnica, a faculdade oferece a base teórica, que dá ao aluno condições para seguir carreira como pesquisador, professor ou produtor, por exemplo. A duração do curso é de 4 anos. A dança figurativa e dança abstrata são especializações possíveis. Para ser um dançarino no circuito profissional é necessário o atestado de capacitação profissional para o ingresso. Somente o SINDDANÇA no Estado de São Paulo pode examinar candidatos e expedir o atestado. Caso a pessoa não tenha o D.R.T. deve dirigir-se ao Sindicato para marcar um teste nas bancas examinadoras.

    Principais atividades

    O dançarino pode desenvolver atividades envolvendo, bailado ou dança, coreografia e ensino.

    Atuar como intérprete e coreógrafo em espetáculos, performances e eventos

    Desenvolver trabalhos de preparação corporal para atores e dançarinos no teatro e na TV

    Produzir e dirigir espetáculos teatrais

    Selecionar profissionais para atuação em espetáculos (curador)

    Criar, desenvolver e coordenar ações e projetos de dança em instituições, fundações e organizações não- governamentais

    Ministrar aulas em escolas de ensino fundamental e médio, no ensino informal (estúdios, centros de cultura, empresas) e em escolas técnicas (formação de dançarinos amadores ou profissionais)

    Desenvolver pesquisas na criação artística e na educação

    Áreas de atuação e especialidades

    Um dançarino pode atuar no corpo de balé de companhias nacionais ou estrangeiras, academias de dança, emissoras de televisão, teatro, magistério. Porém, não é somente nos palcos que o dançarino pode brilhar. Ele também tem espaço nos bastidores, podendo realizar direção cênica, iluminação, produção e cuidar da parte de comunicação visual de um espetáculo, por exemplo.

    Mercado de trabalho

    O grande mercado na área é constituído de academias e companhias de dança, mas estão surgindo boas oportunidades no ensino médio e fundamental. A nova Lei de Diretrizes e Bases amplia a gama de atividades na disciplina de educação artística. Antes voltada para as artes plásticas, agora pode oferecer aos estudantes aulas de dança e teatro. Outro setor que também apresenta oportunidades é o de ação social, uma área muito forte hoje. Empresas e instituições estão contratando profissionais para desenvolver projetos sociais ligados à dança em comunidades pobres. Em peças teatrais ou musicais na TV, as produções costumam chamar bailarinos para atuar como preparador corporal de atores e dançarinos.

    Curiosidades

    A história da dança cênica representa uma mudança de significação dos propósitos artísticos através do tempo. Com o Balé Clássico, as narrativas e ambientes ilusórios é que guiavam a cena. Com as transformações sociais da época moderna, começou-se a questionar certos virtuosismos presentes no balé e começaram a aparecer diferentes movimentos de Dança Moderna. É importante notar que nesse momento, o contexto social inferia muito nas realizações artísticas, fazendo com que então a Dança Moderna Americana acabasse por se tornar bem diferente da Dança Moderna Européia, mesmo que tendo alguns elementos em comum. A dança contemporânea surgiu como nova manifestação artística, sofrendo influências tanto de todos os movimentos passados, como das novas possibilidades tecnológicas (vídeo, instalações). Foi essa também muito influenciada pelas novas condições sociais - individualismo crescente, urbanização, propagação e importâncias da mídia, fazendo surgir novas propostas de arte, provocando também fusões com outras áreas artísticas como o teatro por exemplo.

    Fonte: www.brasilprofissoes.com.br

    Dança

    Habilitação

    Bacharel em Dança ou Licenciado em Dança

    Duração

    3 anos

    Descrição

    O Bacharel em Dança ou Dançarino estuda a arte da expressão do corpo na busca do ritmo, do equilíbrio, da harmonia e do domínio do espaço`.

    Currículo Básico

    História da Dança, Elementos de Música, Técnica de Dança Moderna, Coreografia em Grupo, Filosofia, Anatomia, Estética.

    Aptidões Desejáveis

    É preciso ter preparo físico, sensibilidade artística e senso estético.

    Especializações possíveis

    Dança Figurativa, Dança Abstrata.

    Campos de Atuação

    Corpo de Balé de Companhias nacionais ou estrangeiras, Academias de Dança, Emissoras de TV, Teatro, Magistério.

    Fonte: www.guiadasprofissoes.com.br

    Dança

    É a seqüência de movimentos corporais, executados de maneira rítmica e ao som de música, para narrar uma história ou expressar uma idéia ou emoção. O bacharel em Dança monta e dirige espetáculos musicais para teatro, cinema ou TV. Também atua como bailarino, fazendo parte de um corpo de baile, e está apto a lecionar em academia. Quem faz licenciatura pode dar aulas de dança como parte da disciplina de Artes (antiga Educação Artística) em escolas públicas ou particulares. O profissional pode trabalhar, ainda, em coreografia, definindo os passos e os movimentos que os bailarinos devem executar no palco. Instituições penais e de saúde costumam contratar esse profissional para ajudar na recuperação e na reintegração de adolescentes, crianças e portadores de deficiência física e mental.

    O mercado de trabalho

    Com o mercado cultural em ascensão por causa das leis de incentivo, aumentam as vagas em companhias de dança e de teatro, que conseguem viabilizar seus espetáculos com os recursos obtidos junto a empresas. O cinema e a TV, bem como as agências de eventos e de publicidade, contratam coreógrafos e dançarinos para fazer parte de elencos. A área de pesquisa está aquecida e o governo oferece apoio à dança por meio de concursos e prêmios, como o Klauss Vianna, da Funarte. Ministrar aulas em escolas, em academias ou particulares é sempre uma boa opção. Shows e eventos corporativos dão oportunidades de trabalho, sem falar nas escolas de samba, que, em sua maioria, têm pelo menos um bailarino ou coreógrafo. Profissionais de dança são contratados também para dar aulas no ensino básico. Quem tem título de mestre ou doutor pode atuar em universidades. ONGs e instituições que trabalham com populações carentes e portadores de necessidades especiais requisitam o bacharel para desenvolver ou participar de projetos sociais nos quais a dança é usada como instrumento de melhoria da qualidade de vida e reinserção social dos assistidos. As melhores oportunidades para bailarinos e coreógrafos estão nos estados do Rio de Janeiro, de São Paulo, de Minas Gerais e da Bahia.

    O curso

    Além de aulas práticas, de técnicas de dança, improvisação e coreografia, há a parte teórica, com disciplinas como anatomia, psicologia, filosofia e comunicação e expressão. O curso de bacharelado forma profissionais habilitados a participar de espetáculos e a pesquisar novas linguagens na dança. Já a licenciatura qualifica para o ensino em escolas. O estágio é obrigatório e é uma boa porta de entrada no mercado. Os alunos precisam fazer uma monografia ou uma produção artística em Dança na conclusão do curso.

    Duração média

    Quatro anos.

    Outro nome

    Dançarino Profissional

    O que você pode fazer

    Bailado Criar e executar coreografias, individualmente ou em conjunto. . Coreografia Planejar e definir a seqüência de movimentos que serão executados pelos bailarinos. Direção Criar e coordenar apresentações de balé. Escolher e dirigir os dançarinos e definir com os assistentes a cenografia, os figurinos e a iluminação do espetáculo. Preparação corporal Orientar e ensaiar bailarinos e outros artistas para um espetáculo de dança ou teatro. Coordenar workshops e cursos sobre o tema

    Fonte: guiadoestudante.abril.com.br

    Dança

    Sobre a profissão

    O bacharel em Dança tem formação para pesquisar a linguagem coreográfica e sua articulação com outras linguagens cênicas. Esse profissional também é preparado para compreender o contexto sócio-cultural mais amplo em que se envolve a dança.

    O bacharel planeja programas de desenvolvimento cultural e social através da dança, podendo produzir espetáculos, cursos, oficinas e mostras de dança. O profissional licenciado também está apto a lecionar na área.

    É um profissional comprometido com o posicionamento contemporâneo e crítico sobre os conteúdos que compõem a arte do movimento com relação à realidade social; dominando e aprimorando permanentemente os avanços do conhecimento na área de formação artístico-cultural e no processo educativo para e pela Dança.

    Além dos cursos em Dança, também existe o bacharelado em “Comunicação das Artes do Corpo”, como uma alternativa para quem quer seguir esta carreira. Este curso oferece uma formação semelhante ao do curso de Dança, mesclado a disciplinas do curso de Artes Cênicas, mas com um enfoque no corpo como elemento fundamental de toda expressão sócio-cultural.

    Tipos de Curso

    a) Nível Superior

    Bacharelado

    Duração de 4 anos. O bacharelado em Dança desenvolve no aluno um perfil que lhe permita refletir sobre o espetáculo de dança, a interpretação e a montagem coreográfica sob o ponto de vista ético e estético, analisando seu trabalho sob uma perspectiva interdisciplinar exercitando a compreensão, a criatividade e a reflexão. O currículo é composto por disciplinas como anatomia humana, música e movimento, história da dança, fisiologia do movimento, dança moderna, balé clássico, filosofia, folclore, composição coreográfica, produção artística e administrativa, psicologia da dança, entre outras.

    b) Nível Superior

    Licenciatura

    Duração de 4 anos. O curso de licenciatura em dança forma um indivíduo com embasamento técnico e com sólida experiência prática na área e apto a exercer atividades educativas, recreativas, terapêuticas e culturais da dança, tomando a dança como produção de conhecimento e transformação de indivíduos, além de discutir a dança e a arte no contexto da educação, sendo capaz de elaborar sua própria metodologia de trabalho.

    c) Nível médio

    Curso Técnico

    Duração de 3 anos. Propicia a formação no nível médio, como também desenvolve um conhecimento rico na área de arte e cultura. Citamos, como exemplo, disciplinas, tais como: a História da Arte, Arte e Cultura, Estética, Empreendedorismo Cultural, Educação Ambiental, Estudo das Leis de Incentivo à Dança, Dimensão Ética e Relações Sociais, História da Dança, Dança Contemporânea, Dança Técnica Clássica, Danças Tradicionais, além de Elementos da Música, Improvisação e Composição.

    d) Cursos Livres

    Existem diversos cursos livres de dança, podem ter uma vocação específica como balé clássico, moderno, dança de salão, flamenca ou streetdance. Em geral são cursos práticos, com pouca carga teórica.

    Mercado de Trabalho

    O mercado de trabalho tem se mostrado mais promissor para os profissionais voltados para projetos de desenvolvimento social. Alguns órgãos públicos contratam profissionais da área para a coordenação de projetos. As empresas particulares também têm contratado profissionais da área cultural para trabalhar em seus institutos culturais e de desenvolvimento social.

    Organizações não governamentais voltadas para projetos de inclusão são também boas empregadoras. Assim como escolas privadas e clínicas de reabilitação motora e de portadores de necessidades especiais, como os pessoas com síndrome de down, que encontram na dança uma importante ferramenta de desenvolvimento físico e equilíbrio emocional.

    A crescente preocupação com a qualidade de vida, principalmente nos grandes centros urbanizados, lugares cujo stress sempre atormenta as pessoas, propiciou a abertura de diversas clínicas, academias e conservatórios, que oferecem a dança como uma atividade terapêutica, e recorrem ao profissional para coordenar os projetos e também para dar aulas.

    Ofertas de Emprego

    A maioria dos profissionais em Dança opta por lecionar, no ensino público ou privado, principalmente porque o ramo de espetáculos é um mercado bastante instável e não existem muitas vagas de emprego formal afora a docência.

    Os profissionais em Dança podem trabalhar no corpo de baile, com coreografia, direção e preparação corporal. Como diretor ele cria e coordena espetáculos de dança, seleciona e dirige os bailarinos e os assistentes, define os figurinos e a iluminação. Como Preparador corporal coordena e orienta artistas e bailarinos para espetáculos de dança e de teatro, além de ministrar workshops e cursos.

    As melhores ofertas de emprego estão nas escolas de dança por todo o Brasil além de produtoras de vídeo, que contratam estes profissionais para atuarem em publicidade ou programas de TV. Quem tem prática e determinação pode encontrar boas oportunidades nas grandes companhias de dança.

    Fonte: www.cursocerto.com.br

    Dança

    Para muitas pessoas, o fato de ver alguém praticando ballet por toda a vida, desde sua infância, já é motivo suficiente para descartar um curso universitário nesta área, já que conhecimento e prática não lhe faltam.

    Mas não é bem assim. A Faculdade de Dança tem proporcionado aos apaixonados pela arte a possibilidade de se aperfeiçoarem naquilo que amam, por meio do estudo e da profissionalização. Isso sem falar na chance de propagar a arte, tornando-a, pouco a pouco, mais acessível ao público.

    Novos caminhos

    O bacharelado em Dança abre novas possibilidades ao profissional: além de atuar como bailarino, fazendo parte de um corpo de baile, pode dar aulas em academias e escolas de dança de salão, montar e dirigir espetáculos.

    A especialização neste segmento lhe permite criar e coordenar apresentações de ballet, escolhendo sua equipe, formada tanto pelos bailarinos quanto pelo pessoal da cenografia, técnica e produção. Caso opte pela criação de coreografias, o profissional poderá atuar em teatros, televisão e até mesmo na produção cinematográfica.

    Já quem faz Licenciatura pode dar aulas de dança tanto em escolas públicas quanto particulares, dentro da disciplina de Artes, da Educação Infantil ao Ensino Médio. Pode levar seus conhecimentos também aos espaços comunitários, que tenham propostas de dança voltadas à educação.

    Corpo e mente

    O Brasil não tem hoje a tradição no Ballet que outros países, principalmente da Europa, possuem, mas é reconhecido internacionalmente pela sua qualidade técnica e variedade de ritmos e tendências que enriquecem a arte da dança, tornando-a um diferencial.

    Embora o País tenha ainda poucas faculdades de dança (cerca de 15 cursos de graduação e 30 de pós-graduação), a qualidade de ensino no Brasil é considerada de alto nível.

    Quem pretende fazer um curso superior de dança pretende obter mais elementos para analisá-la, compreendê-la e vivenciá-la, proporcionando ao bailarino uma rica bagagem na área do conhecimento, que fortalecerá sua trajetória.

    A iniciativa de reunir conhecimentos e a prática da dança tem formado bailarinos graduados também em psicologia, medicina, educação física e jornalismo, com a proposta de aperfeiçoar e divulgar a arte. Justamente por isso, ela tem crescido e se fortalecido no País.

    Mercado de trabalho

    A maioria das companhias de dança (não são muitas no Brasil) está localizada em São Paulo e Rio de Janeiro, o que pode ser visto, num primeiro momento, como dificuldade para quem sonha com este caminho.

    Entretanto, outras capitais como Florianópolis, Goiânia e Salvador têm se desenvolvido nesta modalidade, trazendo novas perspectivas de trabalho. A coreografia é vista como uma opção para conquistar espaço no mercado.

    Sobre a faculdade

    Na faculdade de dança o universitário terá contato com disciplinas teóricas, como anatomia, psicologia, filosofia, comunicação e expressão e história da arte. Do lado prático, não podem faltar técnicas de dança, improvisação, coreografia e interpretação.

    O curso tem duração média de quatro anos e, na maioria das vezes, o estágio é obrigatório. Próximo à conclusão do curso, as faculdades costumam exigir do aluno a elaboração de uma monografia e a apresentação de uma montagem cênica.

    Fonte: cursos.infomoney.com.br

    Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal