Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Demoiselle  Voltar

Demoiselle

 

O DEMOISELLE voou pela primeira vez em 1907 (modelo Nº 19), sendo desenvolvido sucessivamente até 1909 (modelo Nº 20).

Em 1909, algumas fábricas iniciaram a produção do Nº 20, chegando a mais de 40 unidades construídas, a preço de um automóvel médio.

Santos Dumont havia posto à disposição de quem quisesse os planos e detalhes do Demoiselle, pois ele não patenteava suas invenções, que deveriam ser partilhadas por toda a humanidade.

Este aparelho era o meio de transporte pessoal preferido do inventor em visitas a amigos, ao redor de Paris.

O exemplar em exposição é uma réplica (utiliza um motor Volkswagen de 4 cilindros opostos), projetada e construída pela Escola Técnica do Paraná, em promoção conjunta com a Escola de Oficiais Especialistas e Infantaria de Guarda, Parque de Material Aeronáutico de São Paulo, Aeroclube do Paraná e o programa “Entre Nuvens e Estrelas”.

Voou pela primeira vez em 11 de agosto de 1973, em Bacacheri (PR), em comemoração do centenário de Santos Dumont, sendo doado ao Museu Aeroespacial em 03 de abril de 1976.

Resumo

O Demoiselle foi criado por Santos Dumont depois do 14 Bis.

Ele voou pela primeira vez em 1907, sendo desenvolvido até 1909. Era uma aeronave totalmente funcional, que o inventor usava regularmente. Sua intenção é que esta fosse fabricada em larga escala e popularizasse a aviação.

Como o inventor não patenteava suas obras e disponibilizava os planos a quem se interessasse, chegou a ser fabricado por diferentes oficinas, mais de 40 foram construídos.

No francês, demoiselle significa senhorita e libélula.

No acervo do Museu Aeroespacial, existem uma réplica do 14-bis e do Demoiselle.

No acervo do Museu Asas de um Sonho, existem uma réplica do 14-bis e do Demoiselle.

Especificações Técnicas

FABRICANTE: Alberto Santos Dumont – Brasil.
MOTOR:
Darracq de 25 h.p., 2 cilindros horizontais opostos.
PESO VAZIO:
110 kg
COMPRIMENTO:
6,20 m
ENVERGADURA:
5,50 m
VELOCIDADE MÁXIMA:
96 km/h

Fonte: www.musal.aer.mil.br

Demoiselle

Máquina de vôo do Demoiselle de Santos-Dumont

O primeiro foi o Demoiselle de Santos-Dumont que era um monoplano de asa alta, com um 20 horizontalmente opostos motor Dutheil-Chalmers montada acima da asa.

A única haste de bambu apoiada superfícies da cauda, ??que girava em torno de um conjunto universal de agir como profundor e leme.

Houve um leme auxiliar de cada lado do piloto e um elevador auxiliar entre as rodas dianteiras.

Não parece ter havido controle em rolo.

No motor Antoinette de 24 HP foi montado entre as rodas e ligado à hélice por uma corrente de transmissão.

Em 1909, ele exibiu a primeira versão do seu 20 "Demoiselle" Bambu, madeira e linho foram os principais componentes do que era naquele tempo, a aeronave menor e mais leve do mundo.

"Le Petit", (O Pequeno)como os parisienses chamado o brasileiro, destina-se a criação de uma espécie de "Plano de Everyman", disponível para a módica quantia de 7.500 francos.

Ele acabou por ser colocado no mercado, mas foi ofuscado por aeronaves mais rápida feita por fabricantes que provou ser empresários Keener.

Santos-Dumont era muito mais angustiado, no entanto, que ele não tinha sido o primeiro homem a voar, ele tinha três anos de atraso.

Em novembro 1907 o primeiro avião de luz bem sucedido do mundo completou seu primeiro vôo em Bagatelle, na França.

Com sua construção de bambu e 18-20 cv de potência montado entre as asas nivelados, a pequena aeronave 235 quilos tinha uma semelhança surpreendente com um inseto.

Assim, ele foi apelidado de Demoiselle (libélula).

Nos controles foi o designer do avião, o aviador brasileiro ousadia Alberto Santos-Dumont.

Santos-Dumont, que tinha a sua residência em Paris, em 1898, era famoso como um balonista pioneiro e piloto do dirigível.

Ele ficou interessado em aeronaves com motor em 1904, quando ele visitou os Estados Unidos para ver o Louis Exposition St..

Ele conheceu Octave Chanute, um engenheiro americano que desenhou vários planadores de sucesso, e ele aprendeu sobre os voos movidos a dos irmãos Wright. Isto encorajou-o a realizar suas próprias experiências com aeronaves com motor e ele começou a trabalhar em um biplano ele chamou o 14-Bis. Embora de difícil controle, a aeronave completou os primeiros vôos movidos registrado oficialmente na Europa.

Demoiselle
Foto real do Demoiselle de Santos Dumont em vôo. Este foi o primeiro verdadeiro Ultralite

Coroamento de Santos-Dumont, no entanto, foi o Demoiselle. Ele concebeu-o como um avião que qualquer um poderia usar para o transporte pessoal e de bom grado deixar que os outros fazem uso de seu design. A fuselagem consistiu de um boom de bambu especialmente reforçado, eo piloto sentou-se debaixo da asa dentro do trem de pouso triciclo. O demoiselle foi controlada em voo parcialmente por uma unidade de cauda que funcionou quer como um elevador e um leme.

Além disso, um outro elevador foi instalado na parte frontal da aeronave, e o piloto pode ajudar a controlar o movimento lateral do plano deslocando o seu peso de um lado para o outro.

Primeiro Demoiselle de Santos-Dumont fez dois vôos curtos antes de danificar a sua hélice em um pouso forçado. O aviador então concebido melhores modelos, um dos quais tinha uma cauda reforçado e um motor mais potente da cauda de 35 cavalos de potência, e foi transformado pela asa deformação. Este modelo de sucesso gerado maior interesse na obra de Santos-Dumont, e ele foi capaz de vender vários aviões semelhante a outros pilotos.

Quando o avião projetado para popularizar vôo, o Demoiselle estava à frente de seu tempo. No entanto, a aeronave pouco notável anunciava o futuro e continua a ser um tributo à genialidade de seu criador.

Os historiadores da aviação não têm certeza do que fazer com Alberto Santos-Dumont; ninguém jamais foi. Ele foi um herói, um gênio e um visionário para uns e para outros, ele era um personagem cômico que tinha apenas acidentalmente mais do que uma nota de rodapé na história do vôo. Biografia do homem de Pedro Wykeham apresenta um quadro complexo de um homem que perseverou mais fantástico odds- jogado com ele pelo mundo e seus próprios demônios e que "a história forçado a ser feito por pura força de vontade." Santos (como era conhecido) veio de França para o Brasil em 1891 Ele era filho de idade de dezoito ano-do proprietário de uma plantação de café rico, e mostrou destreza mecânica assim como uma criança.

Pouco depois de chegar em Paris, tornou-se intoxicado com a ideia de voo e de toda a atividade que ele encontrou ao redor dele na área de dirigíveis e aviões mais pesados do que o ar.

Santos Dumont fez o seu primeiro voo em Paris, em um dirigível de seu próprio projeto, em 1898, e embora ele caiu parisienses aprendi algo sobre Dumont Santos que seria verdadeiro dele toda a sua vida: deixar de funcionar nunca dissuadido Alberto Santos-Dumont. Ele estacionou seu avião perto de seu apartamento Champs Elysees e era frequentemente visto deslizando em torno de Paris, para o deleite das crianças, visitantes e imprensa.

Demoiselle
Demoiselle de Santos Dumont

O Demoiselle n º 19, um monoplano trator ultra-leve feita de bambu e seda e pesando apenas cerca de 153 quilos.

O Demoiselle (apelidado de Grasshopper) tornou-se uma sensação em toda a Europa e foi vendido aos milhares, a introdução de uma geração totalmente nova para a emoção de voar por menos de quinhentos francos. Muitos designers considerado o Demoiselle como uma esquisitice, mas a aeronave teve um impacto claro sobre muitos designers e sua imagem pode ser visto à espreita nas linhas de primeiro avião de Anthony Fokker, a Spinne (Spider) de 1912 e em aeronaves luz do pós-guerra período.

Fonte: www.fiddlersgreen.net

Demoiselle

Demoiselle

De Março a Junho de 1907 fez experiências com o aeroplano com asa de madeira n° 15, e com o dirigível n° 16, misto de dirigível e avião, mas desiste desses projetos por não obter bons resultados. O número 17 seria cópia do número 15.

Em Setembro, no Rio Sena, faz experiências com o n° 18, um deslizador aquático.

Testa o primeiro modelo de um aeroplano em Novembro de 1907, um pequeno avião apelidado pelos franceses de Demoiselle, devido a sua graciosidade e semelhança com as libélulas. Todavia, durante as primeiras experiências, o "nº 19" sofreu um acidente, ficando seriamente avariado. Pesando 110 quilos, o Demoiselle era uma aeronave com motor de 35 HP e estrutura de bambu.

Em Dezembro de 1908 exibe um exemplar do Demoiselle na Exposição Aeronáutica, realizada no "Grand Palais" de Paris.

Obtém o primeiro brevê de aviador, fornecido pelo Aeroclube da França em Janeiro de 1909.

Aproveitando características e formato do "nº 19", foi criado o "Demoiselle nº 20". Sua fuselagem era construída de longarinas de bambu com juntas de metal e as asas cobertas de seda japonesa, tornando-o leve, transparente e de grande efeito estético.

Demoiselle

Em Setembro do mesmo ano estabelece o recorde de velocidade voando a 96 km/h num ‘‘Demoiselle’’. Faz um vôo de 18km, de Saint-Cyr ao castelo de Wideville, considerado o primeiro reide da história da aviação.

Com esta pequena aeronave ele ia visitar amigos em seus Castelos, bateu recordes de velocidade e de distância de decolagem.

O Demoiselle era um avião pequeno, de tração dianteira, com a hélice girando no bordo de ataque da asa alta de grande diedro, o leme e o estabilizador eram de contorno poliédrico, montados em uma estrutura em forma de cruz e unidos à fuselagem por meio de uma junta que permitia o movimento do conjunto em todas as direções.

Demoiselle

O piloto ia sentado abaixo da asa logo atrás das rodas. O comando era composto por um volante que controlava, através de cabos, o conjunto leme/estabilizador. Os cabos de sustentação da asa e reforço de estrutura eram cordas de piano. Construido em apenas em quinze dias, o Demoiselle nº 19 tinha como fuselagem uma única haste de bambu, com seis metros de comprimento, e a asa era formada por uma estrutura simples.

O motor a explosão, de 20 hp, refrigerado a água, era de dois cilindros opostos e foi proje- tado pelo próprio Santos=Dumont e construido pela fábrica Dutheil & Chalmers. Possuia ainda um estabilizador na frente e embaixo do avião e dois lemes laterais situados logo abaixo da asas. Tais ítens foram logo abandonados, pois não contribuiram em nada para aumentar a estabilidade do aparelho.

Demoiselle

Posteriormete, Santos-Dumont alterou-o, desenhando novamente a asa para aumentar sua resistência e colocou um motor Antoniette de 24 hp na parte de baixo, entre as pernas do piloto, transmitindo o torque à hélice por meio de uma correia.

Este ficou conhecido como nº 20 e foi descrito pela Scientific American de 12 de dezembro de 1908 como: "... de longe a mais leve e possante máquina desse tipo que jamais foi produzida.", e mais, "Um número de pequenos vôos foram feitos e não se apresentou nenhuma dificuldade particular em mantê-lo no ar.

Por causa do tamanho reduzido de seu monoplano, Santos-Dumont foi capaz de transportá-lo de Paris "para Sait-Cyr na parte traseira de um automóvel (...)

Esta é a primeira vez que temos conhecimento de que um automóvel tenha sido usado para transportar um aeroplano montado, da cidade para um lugar apropriado no campo, onde o aviador pudesse levar adiante seus experimentos."

Demoiselle

Demoiselle

O projeto do nº 22, era basicamente igual ao nº 21. Santos-Dumont apenas experimentou, nos dois modelos, vários motores de cilindros opostos e refrigerados a água, com potências variando entre 20 e 40 hp, constrídos por Dutheil & Chalmers, Clément e Darracq.

Assim estes dois modelos demonstraram qualidades bastantes satisfatórias para a época, sendo produzidos em quantidade, uma vez que Santos-Dumont, por pincípios, jamais requereu patente por seus inventos.

Apresentou um exemplar do Demoiselle na Exposição Aeronáutica, realizada no Grand Palais de Paris em Dezembro de 1907.

Demoiselle
Santos-Dumont Demoiselle

Santos Dumont obteve o primeiro brevê de aviador, fornecido pelo Aeroclube da França em Janeiro de 1909.

Em Setembro do mesmo ano estabeleceu o recorde de velocidade voando a 96 km/h num ‘‘Demoiselle’’. Fez ainda um vôo de 18km, de Saint-Cyr ao castelo de Wideville, considerado o primeiro reide da história da aviação.

Demoiselle

A 18 de setembro de 1909 realiza seu último vôo em uma de suas aeronaves com um vôo rasante em cima da multidão sem segurar nos comandos.

Fonte: www.cabangu.com.br

Demoiselle

Um pequeno avião apelidado pelos franceses de Demoiselle, devido a sua graciosidade e semelhança com as libélulas.

O Demoiselle era um avião pequeno, de tração dianteira, com a hélice girando no bordo de ataque da asa alta de grande diedro, o leme e o estabilizador eram de contorno poliédrico, montados em uma estrutura em forma de cruz e unidos à fuselagem por meio de uma junta que permitia o movimento do conjunto em todas as direções.

Aspectos Históricos

Em novembro de 1907, foi realizado o primeiro voo do modelo.

Todavia, durante as primeiras experiências, sofreu um acidente, ficando seriamente avariado. Pesando 110 quilos, o Demoiselle era uma aeronave com motor de 35 HP e estrutura de bambu.

Em setembro de 1909 estabelece o recorde de velocidade voando a 96km/h num ‘‘Demoiselle’’. Faz um vôo de 18km, de Saint-Cyr ao castelo de Wideville, considerado o primeiro reide da história da aviação.

Estrutura

O piloto ia sentado abaixo da asa logo atrás das rodas. O comando era composto por um volante que controlava, através de cabos, o conjunto leme/estabilizador. Os cabos de sustentação da asa e reforço de estrutura eram cordas de piano. Construído em apenas em quinze dias, o Demoisellenº. 19 tinha como fuselagem uma única haste de bambu, com seis metros de comprimento, e a asa era formada por uma estrutura simples.

O motor a explosão, de 20 HP, refrigerado a água, era de dois cilindros opostos e foi projetado pelo próprio Santos Dumont e construído pela fábrica Dutheil & Chalmers. Possuía ainda um estabilizador na frente e embaixo do avião e dois lemes laterais situados logo abaixo da asas. Tais itens foram logo abandonados, pois não contribuíram em nada.

Curiosidades

O demoiselle passou por inúmeras alterações de projetos. A primeira aeronave a levantar voo foi a nº 19. Com mudanças no motor e na estrutura, Santos Dumont desenvolveu ainda os modelos nºs 20, 21 e 22.

O exemplar em exposição é uma réplica (utiliza um motor Volkswagen de 4 cilindros opostos), projetada e construída pela Escola Técnica do Paraná, em promoção conjunta com a Escola de Oficiais Especialistas e Infantaria de Guarda, Parque de Material Aeronáutico de São Paulo, Aeroclube do Paraná e o programa “Entre Nuvens e Estrelas”. Voou pela primeira vez em 11 de agosto de 1973, em Bacacheri (PR), em comemoração do centenário de Santos Dumont, sendo doado ao Museu Aeroespacial em 03 de abril de 1976.

Santos Dumont não patenteou esta invenção, deixando as pessoas livres para fabricá-lo, tornando-se assim, o primeiro avião popular.

Além da França, outros países como Estados Unidos, Alemanha e Holanda também construíram o Demoiselle.

Especificações Técnicas

Envergadura – 5,5 m
Peso –
118 kg
Comprimento –
6,2m
Velocidade Máxima –
90 km/h
Potência –
425 CV
Motor –
Dutheil et Chalmerers

Gabriel Buglia

Fonte: www.engbrasil.eng.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal