Facebook do Portal São Francisco
Google+
+ circle
Home  Dicas De Decoração  Voltar

Dicas de Decoração

DICAS DE ILUMINAÇÃO

Pequenos detalhes de iluminação fazem a diferença na decoração de qualquer ambiente.

Se no ambiente existirem quadros, eles sem dúvida devem merecer uma atenção especial na sua iluminação, pois um feixe luminoso correto cria uma relação privilegiada entre o espectador e o quadro.

A manipulação da iluminação, para valorização da obra de arte hoje é fundamental para destacar os volumes da tela e a infinita variedade de tons das cores que a compõe.


Ambiente super iluminado


Iluminação intimista com foco

Uma das formas mais comuns desta iluminação são os spots que você pode direcionar para destacar a obra, como eles são móveis, você pode posicionar e direcionar uma das luzes do trilho, especificamente, sobre o quadro que deseja iluminar.

Esta luz deve ser quente para reproduzir as cores com perfeição.

Existem diversos modelos no mercado, consulte as lojas especializadas em iluminação.

Vamos mostrar a seguir diversos exemplos de quadros com iluminação e sem para que você possa avaliar a importância da mesma.

Dicas para pendurar QUADROS

Quase tudo é permitido na hora de pendurar os quadros nas paredes, misturar estilos, molduras, cores e variar tamanhos , sendo que a sua colocação pode valorizar a decoração da casa ou acarretar um completo desastre visual. “Telas mal organizadas ou em excesso acabam com o equilíbrio de qualquer ambiente” segundo a artista C.Santiago.

As principais regras a serem seguidas para evitar erros e garantir o equilíbrio em sua decoração são :

Observe o pé direito (altura do teto) e a dos móveis antes de escolher o local para colocar o quadro. Não precisa centralizá-lo, o importante é observar o equilíbrio da composição.

O quadro não está no centro da distância entre a cabeceira e o teto e sim 20cm acima da lateral da cama, e nesta altura ele dá uma perfeita sensação de harmonia, calor e vida ao ambiente.

Planejar a composição é como montar um quebra cabeças. O ideal é colocar primeiro todos os elementos que vão para a parede no chão e testar as possibilidades até chegar a combinação que você considera ideal para a sua decoração.

No caso acima, meça a distância entre os quadros no chão , levando em conta como os mesmos serão fixos e só depois com estas medidas comece a furar a parede.

Use parafusos com bucha ou pregos de aço, não faça furos muito largos para que o quadro tenha firmeza na fixação.

Preste atenção aos quadros com moldura, pois diferentemente dos painéis eles necessitam de arame preso aos pitões o que dará uma diferença de altura quando preso à parede, devendo-se aparafusar os pitões na altura de um terço de cima para baixo do quadro e ajustando o arame de acordo com a altura desejada. Atente para que o mesmo não sofra inclinação demasiada para frente.

Outras regras muito importante são

Ao se pendurar os quadros, eles devem ficar mais ou menos na altura do olhar. Ou seja: levando-se em conta um observador de 1,70 m de altura, o centro do quadro deve ficar a mais ou menos 1,60 m do chão;

Se o quadro vai ficar em cima de um sofá, ele deve ficar pelo menos 20cm acima da altura em que uma pessoa de 1,80m encostaria a cabeça caso sentasse neste sofá e de preferência centrado com o mesmo e não com a parede onde ele é colocado;

Se o quadro for para cima da cabeceira de uma cama de casal, caso a cama não tenha espaldar o quadro deve estar a no mínimo 60 cm do colchão, e caso tenha a 20 cm do espaldar da mesma;

No caso de um ambiente que tenha um elemento marcante, como por exemplo uma mesa de jantar, o quadro deve ser centralizado pelo elemento e não pela parede.


A altura esta perfeita e o quadro esta centrado com o elemento cama e não com a parede.


O quadro esta centrado com o sofá e com altura suficiente para que a pessoa ao sentar não bata com a cabeça.

O mais importante é:

Compre o que você gosta, pois um quadro é para ser visto por muitos e muitos anos. Exponha o mesmo de uma forma que lhe dê prazer.Painéis abstratos em sua maioria não se assinam na frente para que você possa pendurá-lo na posiçào que mais lhe agradar, com uma infinidade de posições. Lembre-se, a sua casa é seu espaço e quem faz as regras é você!!

Fonte: www.decorecomarte.com.br

Dicas de Decoração

Roteiro Básico e Infalível para Decoração

Primeiro passo para mudar ou fazer a decoração da casa é relacionar todos os detalhes da rotina e do gosto de quem vai morar,com o objetivo de chegar a um ambiente harmonioso,funcional e prático.E essa lista deve ser bem maior do que simplesmente o estilo e as cores preferidas.

É preciso saber o estilo preferido,o cômodo em que cada habitante passa a maior parte do tempo,local onde a família se reúne,como recebe os amigos,quantas pessoas costumam visitar a casa,qual o hobby de cada morador,objetos,espaços e ambientes que cada um considera imprescindível,e assim vai....

Um bom recurso é reservar uma pasta para colocar fotos e recortes de ambientes que você gostou.É provável que existam peças comuns ou detalhes e estilos constantes nessas imagens,deixando claro qual o melhor estilo que combina com o jeito de ser do morador e como ele imagina o lugar ideal.

Uma boa decoração é mais do que objetos de bom gosto e cores combinando.Envolve simetria,funcionalidade e perfeito equilíbrio.Um espaço deve ter o equilíbrio,por exemplo,uma estante não deve abrigar todos os aparelhos de vídeo e áudio do mesmo lado.

Ou,uma cozinha,não deve conter um canto que abrigue um grande armário e outro livre.

Na hora de compor os ambientes,deve ter uma cor predominante ou um material que vá imperar na decoração – metal,madeira,fibras naturais.A intenção não é deixar tudo exatamente igual,mas manter um equilíbrio que vai,na seqüência,destacar peças especiais ou objetos de valor que saiam propositadamente fora do conjunto.

É importantíssimo respeitar o espaço da casa.Por mais maravilhoso que seja,não adianta levar aquela mesa para oito lugares e perder espaço de circulação.Uma peça grande num espaço pequeno deixa o ambiente pesado,tenso,assim como móveis e paredes de tons muito escuros(que só caem bem em espaços amplos).

Aposte tudo em novidades que facilitam a vida e economizam dinheiro.Como os interruptores com “dimmer”,que dosam a luz ambiente de acordo com o momento.

Restrições de Projetos

Para elaborar um bom projeto é necessário, antes de tudo, conhecer um pouco dos hábitos da família que irá utilizá-la.

Dados que são importantes para o projeto:

Número de pessoas na família. Idade das pessoas. Tempo de permanência em casa. Sistema de compra de suprimentos, semanal ou mensal. Local preferido para refeições. Possui empregada doméstica. Gosta de cozinhar ou cozinha apenas para o trivial. Costuma congelar alimentos em quantidade. Costuma receber visitas na cozinha.

Conferindo o esquadro da parede

Marque do canto da parede 80 cm e do outro lado do canto marque 60 cm.

A distância entre os dois pontos deverá ser exatamente 1 metro, se for diferente disto o ângulo não é 90º.

Gaveteiro

O melhor local para o gaveteiro é entre a pia e o fogão , pois isso facilita o uso dos talheres.

Sofá

Há modelos de sofás com até 90 cm de profundidade. Cuidado, pois, em apartamentos pequenos, nem passam pela porta de entrada.

Tecidos listrados, xadrezes e desenhos geométricos ficam com o padrão distorcido nas curvas se o móvel tem linhas arredondadas.

Em sofás com almofadas soltas, use tecidos firmes para que as beiradas não fiquem onduladas.

Evite estampas grandes em peças pequenas.

Para permitir uma boa circulação na sala, a distância mínima entre sofás, poltronas, mesa de centro e móvel de TV deve ser de 500 a 600 mm.

As medidas ideais variam de acordo com tipo físico de cada pessoa. Para não errar teste o modelo com o maior morador da casa.

Encosto 45 cm de altura

Assento 58 cm de profundidade 42cm de altura

2,10 m para três assentos.

Tapetes

Evite o uso de pequenos tapetes, que fracionam o espaço.

Quadros

Quadros com paisagens ou imagens com profundidade levam o olhar para além das quatro paredes.

Luzes

A luz direta de um lustre central no teto cria um cenário homogêneo, que, apesar de menos interessante, é necessário para ocasiões de cerimônia.

Lâmpadas embutidas em sancas, abajures e arandelas são recursos para criar um jogo de luzes indiretas, adequado a uma conversa entre amigos. Ou para a hora do relax.

Spots e luminárias dão destaques a certos objetos.

No canto de leitura, luminárias articuláveis com lâmpada potente a 500 mm do livro.

Sobre a mesa de jantar a luminária deve ficar a uma distância de 80 cm.

Mesas

O tamanho da mesa resolve quantas pessoas você pode reunir, bem sentadas, em torno dela. Cada comensal precisa de um espaço de 60cm de largura para ficar à vontade.

Cadeiras (sala de jantar)

As cadeiras precisam de um recuo da parede ou de qualquer móvel que fique atrás de 70 cm.

Cadeiras (escritório)

A profundidade do assento fica em torno de 40 cm. Já a altura (mínima de 42 cm) depende do usuário, cujos olhos devem se alinhar com o alto do monitor.

Quando os pés não tocam o chão use um suporte embaixo deles.

As cadeiras precisam de um recuo da parede ou de qualquer móvel que fique atrás de 70 cm.

TV

Multiplique o nº correspondentes à polegadas da tela por 7,62 cm e terá a distância ideal do aparelho ao sofá.

Entre tela e poltronas laterais, o ângulo mínimo é 30º (tela arredondada) e até 10º (TVs de plasma).

No caso de telões, a medida varia de acordo com o tipo de projetor.

A posição da tela da TV ou do projetor em relação às janelas e fontes de luz merece cuidado: se a luz ficar atrás da tela, ofusca a visão; se estiver diante dela, gera muitos reflexos. Resolva com uma cortina e com focos de luz laterais.

Computador

Evite cantos com incidência de sol, pois o calor pode danificar o equipamento. Ou use persianas, ventiladores e aparelhos de ar condicionado para controlar a temperatura do ambiente.

Posicione o teclado para que os cotovelos se soltem ao lado do corpo com os punhos apoiados enquanto as mãos digitam.

Cores

Tons claros aumentam a luminosidade do ambiente; os tons pastéis, especialmente o azul e o verde induzem à tranqüilidade. Para quem trabalha com comunicação, o amarelo é uma cor benéfica. Já o laranja favorece a concentração.

Bancada

A altura do tampo fica entre 65 e 75 cm.

O conforto do usuário depende de a bancada ter uma área mínima de 60 cm de largura.

Janelas

Embaixo das janelas só móveis que permitam abri-las sem malabarismo.

Camas

A cama forma um conjunto com o colchão, portanto elas têm que combinar:

Medida padrão: 1,40 X 1,90m colchão 1,38 X 1,88 Queen Size: 1,50 X 2 m colchão 1,48 X 1,98 m King Size: 1,60 X 2 m colchão 1,58 X 1,98 m Box Spring: 1,80 X 2 m a 2 X 2,10 m.

Guarda Roupas

A estatura das pessoas e o tipo de roupa determinam a altura do cabideiro.

Ternos cabem em nichos com altura de 1,20 a 1,30 m de altura.

Calças precisam de altura de 70 cm.

Gavetas deslizantes com 10 cm de altura acomodam camisas dobradas.

A sapateira precisa de 34 cm de profundidade, com alturas diferentes para botas, sandálias e sapatos. Se for funda as corrediças facilitam o acesso para a parte de trás.

Portas

Portas transparentes facilitam enxergar os guardados.

Pia (banheiro)

As menores do mercado medem 30 cm de diâmetro, com altura de 80 a 83 cm. Pedem um corredor de pelo menos 50 cm de largura diante delas.

Pia (Cozinha)

Coloque a pia próxima ao fogão. Evite colocar armários altos ao lado da pia. Poderá haver infiltração de umidade entre as laterais.

Vaso sanitário

Os menores modelos têm 36 cm de largura, 50 cm de profundidade e 38 cm de altura. Deixe 60 cm livre a frente e 20 cm nas laterais.

Chuveiro

Fixado a 2,10 m do chão, pede à frente uma área livre de 70 cm. O Box deve ter pelo menos 1 X 1 m e um vão entre as divisórias e o teto para a dispersão de vapor.

Banheira

Largura mínima de 70 cm, com bordas de 15 cm e comprimento de 1,10 m. Um espaço de 70 cm livres à frente permite a entrada e saída.

Acessórios

Saboneteiras ficam a 1,20 m de altura, porta toalhas a 1,40 m, e porta papel higiênico, a 50 cm do chão.

Tampo (cozinha)

A altura ideal fica entre 90 e 1,10 cm dependendo da estatura de quem vá usá-la. Para garantir a estabilidade não devem ter mais de 3 m de comprimento. A profundidade mínima é de 60 cm (principalmente se forem usados para refeição).

Fogão

Quando for embutido pede uma folga de 2 cm nas laterais e 3 cm na altura.

Não utilize fornos e fogões ao lado de geladeira. Não se recomenda contato direto entre calor e frio.

Coloque o fogão próximo a pia.

Geladeira

Quando ficar entre laterais pede-se uma folga de 2 cm de cada lado e 3 cm na altura.

Não utilize fornos e fogões ao lado de geladeira. Não se recomenda contato direto entre calor e frio.

Observe o lado de abertura da porta (normalmente é para a direita).

Sempre que possível, evitar colocá-los próximos ao canto.

Lava Louças

Quando for embutido pede-se uma folga de 2 cm nas laterais e 3 cm na altura.

Coifas

A distância recomendada entre o fogão e a coifa nunca é superior a 80 cm.

Churrasqueiras

Evite curvas no duto da chaminé que deve ter diâmetro a partir de 15 cm e contar com um anteparo interno para impedir o refluxo da fumaça.

A altura entre o piso e a boca vai de 85 cm a 1,05 m.

Para se chegar ao tamanho da churrasqueira leva-se em conta a altura do morador e também a quantidade de carne preparada normalmente. Um modelo médio tem 1 m de largura por 55 cm de profundidade.

Mármores e Granitos

Indicados para pisos e paredes, dão uma aparência clássica ao espaço. Entre os dois, o granito é o mais duro, resistente ao contato com substâncias ácidas, por isso recomendado para cozinhas. Já o mármore, devido a sua porosidade, deve ser usado em áreas menos suscetíveis a produtos corrosivos. São materiais caros para grandes extensões, mas dão um charme especial quando aparecem em halls de entrada ou lavabos. Apresentam em várias versões e ficam interessantes quando combinados entre si. Cuidado com os nomes das pedras, pois as marmorarias costumam ter sua própria classificação.

Pequenos Enganos a Evitar

Distribuir os móveis de maneira harmônica em um ambiente é um dos grandes desafios da decoração. Quem dita as regras, em geral, é o formato da sala e a posição das portas e janelas. Um bom exercício é planejar no VDMax em planta baixa / ortogonal os móveis necessários e desejados. Nesse jogo, preste atenção se os móveis não dificultam a abertura de portas, se os sofás estão diante de vistas agradáveis, se os lugares para sentar favorecem o convívio e se há espaço adequado para a circulação.

1- Em salas quadradas nem sempre cabem 2 ambientes - às vezes é preferível ter um único, amplo e confortável.

2- Em espaços retangulares, pode-se conciliar salas de estar e jantar. Se houver outro cômodo para refeições, é possível montar dois ambientes de estar.

3- A planta em L, a mais fácil de lidar, acomoda facilmente dois ou três ambientes. Use sua criatividade para distribuílos de forma harmônica.

4- Quanto mais irregular o espaço, mais complexo o layout. Aproveite os cantos chanfrados mas evite peças que evidenciem as quebras.

Fonte: www.graphway.com.br

Dicas de Decoração

Pra quem deseja decorar a casa, sem gastar muito você precisa pesquisar, planejar e tirar proveito das liquidações.

Pra quem deseja decorar a casa, sem gastar muito você precisa pesquisar, planejar e tirar proveito das liquidações.

Antes de sair às compras, passe para o papel seus sonhos e idéias em relação a decoração. Isso evitará compras desnecessárias. O ideal é que o projeto seja feito por um decorador ou arquiteto. Se o orçamento estiver apertado contrate um profissional apenas para desenvolver um layout, um estudo preliminar para detalhar as distribuições e medidas do mobiliário.

Quando não é possível contratar um profissional, os próprios moradores podem fazer a planta baixa e fazer um estudo dos ambientes. No site da Casa Claudia é possível imprimir ilustrações dos móveis, só precisa recortar e distribuir na planta da sua casa.

Procure investir primeiro em móveis maiores, são mais caros, mas já proporcionam visual para decoração. Para a área social a ordem fica assim: sofá, mesa e cadeiras de jantar, poltona, mesas lateral e de centro, tapete, luminárias e adornos.

É só com muita pesquisa que se encontra boas ofertas, ou seja, você faz boas compras!

Compra mais barato quem bate perna. É dessa forma que você tem a possibilidade de comparar preços e saber o valor justo do produto. Faça um roteiro e eleja os endereços que visam a qualidade e desconfie de preços muito baixos!!

"Às vezes o barato sai caro!!"

Em pontas de estoque analize bem a peça!! Se for abrir mão de qualidade que seja nas peças menores, como as mesas laterais, que podem ser trocadas no futuro. E priorize a estrutura de qualidade nas peças maiores, porém mais caras, como sofá e cadeiras.

Nas liquidações evite comprar o que sai da moda. A maioria das lojas entram em liquidação para renovar o estoque, impossibilitando a troca. Portanto, controle seus impulsos e mantenha o foco no seu projeto, comprando peças que realmente combinem com o estilo e cores que você já tem!

Fonte: www.paradecorar.com.br

Dicas de Decoração

15 dicas para decorar um espaço pequeno

Decoração

O espaço é precioso e para além da necessidade de aproveitar cada centímetro, não queremos que essa limitação prejudique o ambiente e a sua decoração. Felizmente, existem várias dicas para decorar um espaço pequeno, sem comprometer o estilo ou a funcionalidade, para satisfazer todas as vontades.

1– Elimine todos os objetos que não combinem com a divisão e decoração pretendida e/ou que não tenham qualquer utilidade

Não há espaço para acolher coisas pouco essenciais. O que escolher manter deve ter um lugar certo, porque ao manter tudo organizado e no sítio, o espaço vai automaticamente parecer mais amplo e arejado.

2– A escolha da palete de cores deve recair sobre tons mais suaves e claros que aumentam, de forma natural, um espaço reduzido. Preferencialmente, opte por uma decoração monocromática, ou seja, escolha uma só cor e utilize-a em tons de intensidade variada. A pintura de paredes e tetos de um só tom amplia visualmente a divisão e, se a tinta tiver um acabamento com brilho, tanto melhor, porque ao refletir mais luz, engrandece o espaço. Se a mobília for escolhida em tons idênticos aos das paredes, o espaço tornar-se-á mais harmonioso e amplo – as cores contrastantes fazem o contrário, ou seja, “cortam” o espaço, encurtando-o. Reserve as cores fortes para os têxteis e outros pequenos apontamentos.

3– A luz natural é o melhor amigo de um espaço pequeno, inundando-o com um efeito surpreendente que parece aumentar o recanto mais minúsculo. Se não interferir com a sua privacidade, evite pendurar cortinas; se fizer questão de vestir as janelas escolha um simples estore de rolo ou cortinado leve e semitransparente, sempre em tons claros. Se existirem paredes com funções puramente decorativas, ganhará ao eliminar ou recortá-las para deixar entrar mais luminosidade. O mesmo aplica-se a portas que não são utilizadas… mais vale retirá-las para ganhar espaço. Em alternativa, escolha portas de correr. Se a luz natural não for muito abundante, invista na iluminação artificial com focos de teto, candeeiros de pé e de mesa.

4– Juntamente com a luz natural, os espelhos são um dos melhores recursos para fazer qualquer espaço crescer a olhos vistos: pendurado ou pousado no chão, um espelho XL é um dos elementos que não pode faltar nas divisões mais pequenas da casa.

5– Evite dispor mobiliário junto às portas das divisões e nas áreas de passagem – para além de não ser prático, vai apertar ainda mais um espaço já por si pequeno. Aposte em mobília “curta” – ottomans, poufs, cadeiras sem braços, mesas baixas – para não roubar centímetros preciosos e “abrir” mais o ambiente. Em termos de objetos decorativos, principalmente os que são mais altos, deve colocá-los, de preferência, junto às paredes em vez de no espaço aberto.

6– Ainda em termos de mobiliário opte por peças grandes, em menor quantidade; do que muitas peças pequenas. A quantidade vai dar um aspecto desarrumado ao espaço, ao contrário de meia dúzia de elementos de grande porte que vão emprestar um ambiente calmo e estruturado ao espaço. Os móveis com bases abertas são indicadas para ambientes mais apertados porque deixam o espaço “respirar”. Se vai ter mobília estofada, prefira padrões lisos em tons neutros, optando antes por variar em termos de texturas, que podem conferir um interesse acrescido à divisão.

7– Um chão visível fará qualquer divisão parecer maior ao contrário de um coberto por tapetes. Se não abdica de um bom tapete, opte por colocá-lo apenas numa parte do espaço, deixando sempre algum chão à vista.

8– Em vez de ter uma mesa de centro na sala, opte por uma consola comprida e estreita para exibir por de trás do sofá ou então uma mesa de apoio (os conjuntos de duas ou três que encaixam umas debaixo das outras são perfeitas para espaços reduzidos), estacionada ao lado do sofá e que pode ser colocado no centro sempre que necessário. Opte por um sofá seccionado que dá um ar mais fluído e menos fechado à sala; e se este tiver pés, ganhará espaço debaixo do mesmo para guardar, em cestos, revistas, livros, mantas e jogos de tabuleiro.

9– As televisões estão presentes em todos os cantos da casa e podem ser verdadeiros “intrusos” em espaços diminutos. A solução? Um suporte específico para televisões que podem ser afixadas às paredes ou então modelos como os LCD que são perfeitos para pendurar.

10– Num quarto para crianças com dimensões reduzidas, continua a ser fácil decorar com diversão: opte por beliches ou então as camas 2-em-1, onde uma delas está camuflada como uma espécie de gaveta encaixada sob a cama de cima, podendo ser aberta de noite e ocultada de dia. Ainda no que toca ao espaço da pequenada, recorra aos arrumadores de parede não só para decorar, mas também para organizar.

11– Mesmo as casas mais pequenas têm corredores e, embora sejam espaços de passagem, podem ser decorados elegante e eficientemente:

É o local ideal para colocar armários estreitos (ganhando espaço de arrumação diverso) ou então para exibir a sua biblioteca. Se preferir deixá-lo vazio, pintar as suas paredes com riscos horizontais irá alongar o corredor.

12– Os materiais transparentes alongam qualquer zona porque acabam por refletir a luz e o próprio espaço:

Pode ser uma mesa com tampo de vidro ou de acrílico, portas e armários com vidro, cadeiras em acrílico transparente, uma porta de duche ou um biombo.

13- Numa cozinha com poucos metros quadrados, escolha uma mesa que possa ser afixada à parede e aberta exclusivamente à hora das refeições; bancos altos ou empilháveis; uma barra de aço inox afixada sobre a bancada para organizar todo o tipo de utensílios – uma decoração minuciosa para poder cozinhar e saborear com muito estilo.

14– Embora quase sempre pequenas, as casas de banho podem ser habilmente decoradas, basta aproveitar as suas paredes para instalar prateleiras bonitas e funcionais, fotografias emolduradas, espelhos vistosos, um porta-rolos vertical para papel higiénico, um banco com arrumação interior ou que sirva para colocar a roupa suja.

15– Em espaços pequenos não há nada como apostar em mobília multifuncional para decorar com estilo e praticabilidade: camas com arrumação sob o colchão; sofás-cama; mesas de centro, bancos, ottomans ou poufs que abrem para revelar espaço de arrumação extra.

Fonte: www.decoracaofacil.com

Dicas de Decoração

25 ideias para decorar casas de madeira

Decoração

Naturalmente belas e aconchegantes, as casas em madeira apresentam-se, no entanto, como um verdadeiro desafio na hora de decorar. É necessário conseguir uma harmonia pura e equilíbrio simples na decoração, de forma a potenciar a beleza da madeira, sem esta se tornar excessivamente pesada.

1. Privilegie a luz natural, ou seja, vista as janelas com cortinas leves e esvoaçantes, translúcidas ou em tons muito claros.

2. Se a ideia é criar um ambiente cottage ou rústico, opte por sofás, cadeiras e poltronas XL, de preferência que não condizem entre si, mas antes cobertas com capas floridas ou estampadas.

3. O vidro combina muito bem com a madeira, seja em portas de acesso a outras divisões ou ao exterior; seja em espelhos de grandes dimensões que iriam deixar o espaço “respirar”; ou mesmo em pequenos apontamentos como vasos ou outros objetos decorativos.

4. Traga a natureza para dentro de casa com arranjos florais – naturais ou artificiais – que vão dar uma nova vida ao ambiente de madeira. Experimente rosas, lilases e margaridas, mas também plantas verdes para um visual eco-chic.

5. O mobiliário branco representa um contraste perfeito para uma casa de madeira, seja ele de linhas simples e contemporâneas, ou gasto e de aspecto rústico.

6. O ferro é outro material que combina, na perfeição, com as casas de madeira: seja em forma de cama ou mesa, nos varões dos cortinados, pendurado como arte nas paredes ou dando vida a outras peças decorativas.

7. Para um ambiente familiar e aconchegante, decore com têxteis em cores vibrantes e sólidas – vermelho, amarelo, verde, azul, laranja – que ajudará a aquecer ainda mais a madeira.

8. Peças de mobília trabalhadas, com bordas, pés curvilíneos ou recortados, criam pontos de interesse especiais no seio de um mar de madeira.

9. Os elementos em verga – cadeiras, mesas, cestos e arcas – são um must para as casas de madeira. Mas, se a verga em castanho se revela demais para este tipo de decoração, opte por pintá-la em branco, para um visual refrescante e com cheirinho a férias; ou então em preto, para um look muito contemporâneo.

10. Quebre a “monotonia amadeirada” com a inclusão de padrões diversos (florais, riscas, quadrados), quer nas almofadas, mantas, edredões, cortinas e tapetes, quer no mobiliário em tecido, caso dos sofás, poltronas, cadeiras e sommiers.

11. A própria madeira, quer seja do chão, paredes ou teto, pode ser pintada de branco, para um efeito cottage muito cosy ou então para demarcar ambientes distintos dentro do mesmo espaço.

12. Para quebrar a intensidade da madeira e criar um ambiente mais fresco, aposte numa decoração que privilegia os tons pastéis e neutros.

13. Se a ideia é mesmo transformar a casa de madeira numa cabana de montanha, acrescente portadas às janelas, deixando-as abrir para dentro para aproveitar a luz natural e pintando-as de branco para sobressaírem junto à madeira.

14. No Verão, retire todos os tapetes e desfrute da beleza e aconchego de um chão em madeira. No Inverno, duplique o calor natural vindo debaixo com tapetes agradáveis.

15. Só porque tem paredes revestidas a madeira, não significa que não as pode vestir com obras de arte pintadas, esculpidas ou mesmo com molduras que exibem fotografias a cor e a preto e branco. Pode ser precisamente este o apontamento de cor que faltava numa divisão revestida em madeira.

16. Em termos de iluminação, privilegie candeeiros em tons claros e materiais naturais; mas também os lustres (cujo efeito contrastante com a madeira é simultaneamente elegante e romântico!) e, claro, as velas – de todos os tamanhos e feitios.

17. Decore com cestos – em verga, palhinha, bambu ou arame – são uma peça essencial para conferir charme e estilo a uma casa de madeira.

18. Uma banheira vintage branca, com direito a quatro pés adornados, será tudo o que precisa para uma casa de banho em madeira deslumbrante.

19. Na cozinha, não transponha a madeira para os armários, optando antes por escolher ou pintar estes em tons terra (amarelo, verde) ou nos clássicos branco ou azul, que combinam na perfeição com este tipo de casa em particular.

20. A “frieza” de peças em cristal e estanho contrastam com e harmonizam o calor da madeira, dando um toque de glamour instantâneo.

21. Prateleiras e móveis abertos criam uma ilusão de espaço e de movimento, tão necessário aos ambientes “dominados” pela madeira, ao contrário de muitos móveis fechados e com portas. No caso de preferir portas, pondere colocar as de vidro.

22. A pele e o couro, seja ele aplicado em sofás, cadeiras, poltronas, cabeceiras de cama ou bancos, e desde que escolhido em tons amenos, confere uma suavidade muito necessária à presença de tanta madeira.

23. Os espelhos são outro apontamento de classe numa casa de madeira: pendurado, pousado no chão, pintado de branco, preto ou com uma moldura trabalhada, será um ponto de interesse em qualquer divisão.

24. As ventoinhas, de teto ou de pé (os estilos vintage em ferro preto, por exemplo) são um apontamento casual chic que equilibram e refrescam o calor emanado por qualquer tipo da madeira.

25. A par com a lufada de ar fresco, uma casa de madeira também requer o conforto de uma boa lareira – seja ela antiga ou contemporânea, em pedra ou latão, encostada a um canto ou a ocupar o centro da sala.

Fonte: www.eudecoro.com

Dicas de Decoração

10 ideias para poupar dinheiro na decoração da casa

Decoração

Ter uma casa bem decorada não tem de custar uma fortuna – basta ser criativo e pensar um pouco “fora da caixa” para produzir uma decoração cinco estrelas. Vai surpreender-se com os resultados finais… isto para não falar na reacção da família e dos amigos.

1. Feiras, lojas de usados e antiquários. À primeira vista estes três locais são os últimos destinos onde pensaria parar para fazer compras para decorar a casa, mas a verdade é que estão recheados de tesouros a baixo custo. Os artigos aqui encontrados podem necessitar apenas de uma demão de tinta ou de serem estofados para renascerem e encontrarem um lugar de destaque na sua casa. Para além disso, comprar vintage é ser amigo do ambiente.

2. Espelho meu. É incrível como é que um simples espelho pode transformar por completo uma divisão – o seu efeito óptico aumenta um espaço mais pequeno e empresta luz às áreas mais escuras. Não precisa de ser uma aquisição cara – principalmente se encontrar um nos saldos ou numa loja de usados – e confere um toque de classe a qualquer espaço, quer esteja pendurado, quer esteja pousado no chão, encostado a uma parede.

3. Paredes inspiradas. O branco entediante das suas paredes é uma frustração diária, mas não pode suportar os custos de uma pintura ou aplicação de papel de parede? Nem tudo está perdido! Os autocolantes e stencils de parede são uma excelente forma de conferir um pouco de design e cor a um espaço, sem o trabalho e a despesa das restantes opções.

4. A Mãe Natureza também decora. As flores e plantas compradas avulso são um excelente recurso decorativo, que não requer grandes dívidas… mais até se as puder apanhar do seu próprio jardim. Folhas e galhos de árvores também são apontamentos de decoração originais e cativantes, basta dispô-los em bonitos vasos ou outros recipientes que certamente tem guardados nos seus armários.

5. Reciclar antes de eliminar. Tudo cansa e a decoração não é excepção! De vez em quando dá por si a pensar que só queria ter dinheiro para renovar as cadeiras da sala de jantar ou a mobília do escritório… antes de deitar fora ou oferecer e comprar tudo novo, pense nas formas como poderia dinamizar esses elementos? As cadeiras podiam ser estofadas com um novo tecido ou cobertas com capas amovíveis para uma lufada de ar fresco instantâneo e económico. O mobiliário do escritório podia ser pintado de uma nova cor para uma divisão completamente renovada em apenas um fim-de-semana, por exemplo. Para decorar a baixo custo, há que puxar pela imaginação…

6. Arte mágica. Uma parede coberta com obras de arte pode parecer um sonho distante, mas não é! Hoje, arte é aquilo que quisermos e nesse sentido, podemos encher as nossas paredes com inspiração que não custa este mundo e o outro. Inspire-se numa bonita produção de moda de uma revista, num livro com imagens de flores luxuosas ou cidades do mundo, ilustrações suas ou de alguém conhecido e até mesmo sobras de papel de parede para recortar, emoldurar e pendurar.

7. Coser com estilo. Quem sabe coser tem uma enorme vantagem no que toca a decorar uma casa – necessita apenas de comprar os tecidos para pôr mãos à obra (neste caso, na máquina de costura!) e confeccionar cortinas, capas de almofada e de sofá, toalhas de mesa, assentos para cadeiras ou bancos… exemplares únicos numa casa com uma decoração muito própria.

8. Trocar para decorar. A forma mais barata de decorar – aliás gratuita – é simplesmente aproveitar o que tem, dando-lhe uma nova função ou transportando-o para outro local na casa. Como? Para renovar um quarto de dormir, troque as suas cortinas, tapetes, roupa de cama, almofadas, candeeiros e até os objetos decorativos com as do quarto de hóspedes, por exemplo; ou então substitua as cadeiras da cozinha pelas da sala de jantar. Mais simples ainda é criar uma nova disposição para um espaço, movendo, eliminando ou adicionando mobília e outros elementos de decoração. Por fim, refresque a sua memória decorativa ao dar uma vista de olhos por tudo aquilo que tem guardado em armários e que pode exibir sobre móveis ou utilizar para organizar, dando um descanso merecido àqueles objetos que vê diariamente há meses ou anos.

9. Adeus velho, olá novo. Uma das melhores formas de poupar na decoração é vender mobília e objetos que tem armazenado na garagem ou no sótão e que dificilmente voltará a utilizar. Para além de libertar espaço precioso, o dinheiro entretanto ganho pode ser canalizado para comprar aquele tapete, pouf ou mesa que anda a namorar há séculos. Em adição, não descure as campanhas promocionais que oferecem descontos na compra de um novo artigo ou eletrodoméstico com a entrega de um exemplar velho.

10. Faça você mesmo. Nem todos temos a possibilidade de contratar um decorador profissional, mas sabem uma coisa?

Não precisa! Grande parte da diversão que é decorar advém do espírito “faça você mesmo”: inspire-se em revistas, cenários de séries e filmes, casas de familiares e amigos e depois parta à busca daquilo que tem de adquirir, compare preços, espere pelos saldos ou então forre os seus velhos abat-jours com aquele tecido que sobrou ou então pinte as suas próprias paredes. No caso de obras mais a fundo, que requerem picheleiros, carpinteiros e outros trabalhadores especializados, procure sempre referências junto de familiares e amigos, pedindo diversos orçamentos antes de tomar a decisão final.

Fonte: www.saberpoupar.com

Dicas de Decoração

Como começar a decoração

O início de um novo ano reforça aquela vontade de mudar algo, principalmente na casa.

Provavelmente você já deve estar com várias idéias na cabeça porém, nem sempre é fácil externá-las, explicar para um profissional ou até mesmo, criar uma sequência lógica para você.

Uma tática legal, para driblar tal dificuldade, consiste em juntar, ordenadamente, numa pasta ou caderninho, fotos e informações aproximadas do que você curte, deseja ou achou interessante para o ambiente do qual você deseja modificar.

Para uma melhor organização, tendo em vista o estilo desejado, ordene os recortes por temas, como por exemplo:

Estilo;

Design e forma;

Mobiliário;

Sensações ( cores, aromas, texturas );

Detalhes;

Emoções ( Para inspirá-los anote, ou cole, trechos de músicas, poesias e fotos que revelem as emoções que você está buscando em cada ambiente )

Paisagismo.

Você pode criar seus próprios temas ou ordenar a pesquisa em disquetes.

Este é um trabalho de pesquisa bem agradável e que permitirá que você junte informações, soluções e inspirações que poderão ser aplicadas no seu lar.

Extraindo corretamente as dicas de revistas de decoração.

Basta uma passadinha nas bancas para percebemos a grande quantidades de revistas que falam sobre decoração e concordar que o tema está em alta.

Tendências, ideias para a casa, informação sobre lançamentos de produtos e dicas para formatar o sonho da casa decorada, são assuntos de grande interesse para o público que busca nas revistas informações de como decorar determinados ambientes.

As capas das revistas dão sinal do público alvo que cada publicação visa atingir, assim como a qualidade das folhas e o estilo da publicidade e dos anunciantes das mesmas.

As chamadas de capa podem refletir um pouco das tendências de comportamento. Se a violência está assustando e as pessoas preferem ficar mais tempo em casa, veremos mais chamadas de como decorar os ambientes de lazer da casa. Se os espaços das moradias estão cada vez mais reduzidos revelando a tendência do mercado imobiliário, veremos mais chamadas mostrando como decorar espaços reduzidos. Se a moda é cozinhar para os amigos e tirar onda de gourmet, então veremos mais chamadas mostrando como decorar cozinhas integradas aos demais ambientes.

Existem também as chamadas sazonais que vão no ritmo das estações do ano : se é verão as capas anunciam dicas de projetos de piscina, móveis resistentes ao ar livre, etc.

Mas como filtrar as informações e extrair boas dicas das revistas de decoração ? Confira abaixo algumas dicas:

IMPARCIALIDADE

O que pode parecer uma simples matéria sobre a bela decoração de uma casa ou apartamento, pode na verdade estar embutida a intenção de divulgação do trabalho de um determinado profissional. Sendo assim é importante desenvolver sua própria opinião e analisar se determinado ambiente reflete bom senso em suas escolhas e realmente merece destaque;

PROPORÇÃO

Geralmente quando vemos nas revistas a decoração de uma residência é dada a medida total da residência; nem sempre é revelado o tamanho de cada cômodo. Se você gostou de determinado ambiente ou móveis e deseja possuir um igual, lembre-se que é necessário avaliar se determinado móvel ou ambientação é proporcional com o espaço disponível de sua casa. Tal cuidado evita projetar um ambiente que fique carregado de móveis e com a circulação comprometida ou ambientes grandes com buracos e espaços vazios;

MATERIAIS

Verifique se os materiais apresentados na matéria são compatíveis ( resistência, durabilidade, circulação, clima , etc.) com o ambiente do qual você deseja aplicar.

DETALHES

É sempre útil estar atento nos detalhes dos móveis apresentados numa revista pois eles podem ser adaptados num móvel do qual você esteja projetando e conferindo assim um charme a mais.

ESTILO

Cada arquiteto ou decorador possui o seu estilo e molda-o conforme as exigências e necessidades do cliente ;sendo assim ao ver uma decoração tenha sempre em mente que o ambiente foi planejado conforme o gosto de certa pessoa que pode não ser semelhante ao seu ou não combinar com o seu ritmo de vida. É importante traduzir estilos e tendências para seu gosto pessoal, para que os ambientes transmitam bem-estar e não fiquem rapidamente enjoativos.

Pequenos Enganos a Evitar

Distribuir os móveis de maneira harmônica em um ambiente é um dos grandes desafios da decoração. Quem dita as regras, em geral, é o formato da sala e a posição das portas e janelas. Um bom exercício é planejar no VDMax em planta baixa / ortogonal os móveis necessários e desejados. Nesse jogo, preste atenção se os móveis não dificultam a abertura de portas, se os sofás estão diante de vistas agradáveis, se os lugares para sentar favorecem o convívio e se há espaço adequado para a circulação.

1- Em salas quadradas nem sempre cabem 2 ambientes - às vezes é preferível ter um único, amplo e confortável.

2- Em espaços retangulares, pode-se conciliar salas de estar e jantar. Se houver outro cômodo para refeições, é possível montar dois ambientes de estar.

3- A planta em L, a mais fácil de lidar, acomoda facilmente dois ou três ambientes. Use sua criatividade para distribuílos de forma harmônica.

4- Quanto mais irregular o espaço, mais complexo o layout. Aproveite os cantos chanfrados mas evite peças que evidenciem as quebras

Mármore ou Granito?

Indicados para pisos e paredes, dão uma aparência clássica ao espaço. Entre os dois, o granito é o mais duro, resistente ao contato com substâncias ácidas, por isso recomendado para cozinhas. Já o mármore, devido a sua porosidade, deve ser usado em áreas menos suscetíveis a produtos corrosivos.

São materiais caros para grandes extensões, mas dão um charme especial quando aparecem em halls de entrada ou lavabos. Apresentam em várias versões e ficam interessantes quando combinados entre si. Cuidado com os nomes das pedras, pois as marmorarias costumam ter sua própria classificação.

Plantas adequadas ao interior do apartamento

As plantas mais adequadas para ambientes internos são as que não necessitam de muita luminosidade. As mais indicadas são: chamaedora, philodendron, lírio da paz, bromélias, cactus, árvore da felicidade, pacová, palmeiras, palmeiras ráfis, sansiveria, ficus, spatiphilum e pinanga.

As plantas devem ser regadas pelo menos duas vezes por semana, dependendo do vaso escolhido. Se o vaso for pequeno, vai exigir rega mais freqüente. Se é feito em cerâmica vitrificada ou esmaltada, em plástico ou em outro material impermeável, vai pedir menos rega do que se é de barro cozido ou xaxim, já que estes facilitam a evaporação da água.

Existem duas formas de regar um vaso:

por cima, derramando água na superfície do solo; ou por baixo, mergulhando o vaso num recipiente com água. Quando optar pelo rega por cima só pare quando a água começar a escorrer pelo furo de drenagem. As violetas, por exemplo, devem ser regadas poucas vezes e a água deve ser colocada no pratinho, o qual o vaso fica sobreposto.

Eliminar as folhas secas, adubar a terra todo mês e aplicar produtos para eliminar doenças e pragas sempre que necessário. Para garantir folhas vistosas em algumas plantas deve se borrifar água, pelo menos, uma vez por semana.

É possível adquirir diferentes espécies a um custo realmente baixo em vários mercados.

Aproveitando Pequenos Espaços

Nos dias atuais a organização de nossa casa não se trata apenas de beleza, mas sim de praticidade, e para isso precisamos de espaço. Portanto, a melhor solução é trabalharmos com móveis projetados e personalizados, os quais poderão aproveitar cada espaço existente, criando um ambiente agradável, harmonioso e que atenda as necessidades de toda a família.

Que material usar em meus móveis?

A composição adequada de materiais diversifica seus móveis, fazendo assim a personalização de sua casa, de acordo com suas necessidades.

Tendências atuais:

O uso da madeira (evite aglomerado), fazendo a composição do claro/escuro (exemplo: wengué e pau-marfim, dentre outras) o que proporciona maior liberdade no uso das cores dos tecidos (sofás, cortinas, tapetes, almofadas, etc) e objetos de decoração.

luminação

Um bom trabalho sempre começa na planta arquitetônica. As diretrizes para uma iluminação adequada serão obtidas através da definição do layout de cada ambiente e dos efeitos que se deseja obter. Anote os detalhes e objetos que deseja realçar com luz, e lembre-se de que as cores e os materiais são influenciados pela iluminação. O mesmo tipo de luz, cria efeitos diferenciados em superfícies diversas.

Nas salas de estar, as possibilidades são variadas. Não haverá erros se uma regra bastante simples for seguida:

mesclar luz indireta e difusa, o que será facilmente alcançado com a utilização de arandelas, abajures, luminárias de pé ou spots direcionados para obras de arte. Além disso, nenhuma luz deve incidir diretamente nos olhos, nem refletir na tela da televisão. É sempre bom ter uma iluminação geral no teto e os abajures colocados ao lado do sofá proporcionam uma luz suave que permitem uma boa leitura. Nas salas de jantar, o ideal é combinar luzes periféricas, que clareiam todo o espaço, com um foco dirigido para a mesa.

Cor

Desde a pré-história as cores têm um caráter simbólico e mágico. As paredes das cavernas eram ornamentadas com desenhos e figu-ras de animais.

As pinturas eram dominadas pelos tons fortes de vermelho (sangue - sentido vital), ocre e outras cores terrosas.

Estudos revelaram que o homem do paleolítico n~o utilizava a cor apenas para valorizar seus desenhos e objetos, mas para dar efeito de luz e sombra à volumetria natural das cavernas.

Cores mais utilizadas no decorrer do século

1900 - cores escuras - virada do século - 1910 - cores claras 1930 - tons coloridos (muito vermelho) aparece a cor cáqui (uniformes de guerra) 1940 - cores claras - surge o branco e o preto 1950 - cores vivas - vermelho/azul marinho 1960 - mostarda e os vários tons do amarelo 1970 - mostarda, cores vivas 1990 - preto, magenta, vermelho 1990 - tons crus, naturais

Círculo das Cores

O Circulo das Cores, conhecido por Disco de Newton é constituí-do pelas cores Primárias, Secundárias e Intermediárias ou Terceárias.

Primários

Das quais podemos obter todas as outras cores (azul, vermelho, amarelo).

Secundários

Obtidas pela mistura de duas cores primárias (verde, laranja, violeta).

Terciárias

Mistura intercalada com as cores primárias e secundárias (amare-lo-alaranjado, vermelho-alaranjado, vermelho-violeta, azul-violeta, azul-turquesa, amarelo-verde).

As doze cores foram distribuídas em órbita. Do amarelo-verde ao violeta situam-se as cores frias. Do amarelo ao vermelho-violeta, as quentes.

Sempre, diametralmente, oposta a uma cor primária, encontra-se uma cor secundária. Estas duas cores, misturadas em partes iguais, formam o Cinza Neutro.

Cores complementares - encontram-se diametralmente opostas no Círculo das Cores.

A invasão das tevês de plasma na decoração

Uma rápida batida de olhos nos panfletos das grandes lojas de departamentos e vem a constatação: as tevês de plasma começam a invadir o mercado, apesar dos preços ainda nada convidativos - alguns modelos ultrapassam os 50 mil reais. E, além de seus avanços tecnológicos, ganham status de objetos de decoração. Somente na Jundiaí Decor, evento que ocorre até o próximo dia 23 de outubro, são nove destes aparelhos espalhados pela mansão, onde arquitetos e decoradores usam e abusam da imaginação.

A tevê de plasma está nos mais distintos cômodos, dos quartos à piscina. Ganha destaque especial na sala da lareira, onde a arquiteta Ana Paula Padovani dividiu os 60 metros quadrados em dois ambientes. Na divisória, há uma tevê de plasma giratória. "Este é um lugar da casa apropriado para recepções e até pequenas festas. Por isto, é fundamental que o aparelho possa ser visto de qualquer um dos dois ambientes", explica.

No quarto do casal, a tevê de plasma está acoplada a um sistema de informática e câmeras de circuito fechado. Ou seja, é possível, via Internet, ver o que acontece em vários outros cômodos da casa. Mas, nem todos os arquitetos e decoradores se renderam à modernidade no evento. Daniela Dodi preferiu instalar um largo aparelho convencional, de 29 polegadas, na sala íntima do casal. Em sua opinião, a invasão high tech quebraria a tranqüilidade do ambiente. "Este não é um lugar para tecnologia, telefones ou laptops, e sim para o casal ter uma boa conversa", projeta.

Truques instantâneos para transformar a casa em um lugar romântico

Fazer da casa um bom cenário para cenas de romance requer um pouco de dedicação e o máximo de desapego a elementos decorativos brochantes. Imagine você se é possível pensar em rolar em tapetes de sisal ou incorporar divas cinematográficas em cenas de beijos ainda mais cinematográficos com três fileiras de lâmpadas fluorescentes sobre a sua cabeça.

Não mesmo. Assim como não é viável fazer a cena da banheira de espuma em um banheiro com roupas aglomeradas sobre o bidê. Cama desarrumada então... sem condições. Qual é a graça de se jogar sobre lençóis amassados e travesseiros ainda com o formato da noite anterior? Nenhuma.

Livrar-se de elementos inimigos dos bons momentos em dupla, portanto, é o primeiro passo para o sucesso de uma noite festiva entre quatro paredes. Comece pelo quarto, ambiente propício para as cenas mais esperadas da noite. Mude os lençóis (não importa que você trocou os atuais há apenas dois dias).

No lugar do jogo em uso, entra em ação um outro, recém-saído da gaveta. Se tiver sido desamassado com água de passar com essência de baunilha, ainda melhor... O passo seguinte diz respeito à iluminação. Em dias de festa, a luz é fundamental, é sempre bom lembrar. Verifique se as lâmpadas dos abajures estão ok. Se uma vez acesas produzem uma luz convidativa. E também se é preciso “importar” uma luminária da sala para obter o efeito desejado.

E por falar em sala, é por lá que as pessoas costumam entrar. O que significa que mimos especiais são mais do que bem vindos. Acenda um incenso perto da porta ou borrife alguma essência de sua preferência no ar. Regule a intensidade da luz a seu bel prazer.

Se estiver claro de mais, troque as luzes por montes de velas (é clichê sim, mas sempre funciona). As chamadas luminárias de vela (aquelas bolas ocas, abertas na parte superior e que acomodam velinhas menores) são boas opções: elas iluminam bem e ainda evitam respingos fora do script no chão da sua sala enquanto as cenas já estiverem rolando. E por fim, as inevitáveis flores – um maço que seja, bem posicionado numa mesinha lateral ou na mesa do jantar, é sempre um bom efeito especial.

Se o cardápio da noite incluir comidinhas, opte por pratos que não exijam performances exageradas na cozinha. Dia dos namorados não é dia de bancar a Amélia. Encomende pratos prontos com antecedência, bole iguarias boas de beliscar (como tortas frias fatiadas em pedaços pequenos ou sanduíches miniaturas preparados com ingredientes luxuosos: queijo cremoso, presunto de Parma, salmão defumado...). Seja qual for a alternativa escolhida, porém, é de bom tom que a mesa já esteja arrumadinha, pronta para acomodar os quitutes, a bebida que você e seu par mais curtem, um docinho para a sobremesa, servida beeem tarde.

No mais, é curtir a festa e torcer para a outra parte querer voltar, sempre.

Perguntas e Respostas sobre gesso na decoração

1. Qual a vida útil de um trabalho em gesso?

Hoje, existem trabalhos com mais de 200 anos em perfeito estado. Seguindo as normas corretas de colocação, você terá o gesso por muito tempo.

2. Porque forro de gesso racha?

Devido a má colocação(amarração errada, falta de chumbo e dilatação). Forros com mais de 10m², é necessário usar algum tipo de dilatação prolongando assim sua vida.

3. O gesso deve ser pintado? Qual a hora de fazer a pintura?

Após a secagem total do gesso, inicia-se o processo de aplicação de massa corrida, para depois pintar com tinta fosca.

4. O que mais encarece um serviço de gesso?

Geralmente, são molduras com curva e vitrais irregulares, embora o ideal seja fazer tudo a seu gosto, pois esse trabalho não costuma ser refeito tão cedo.

5. Pode-se executar o serviço de gesso com o piso já colocado?

Sim. O piso será coberto da maneira mais adequada antes do início do serviço, embora o ideal seria fazê-lo antes da colocação do piso, da pintura e da ocupação do imóvel.

6. Posso pintar só o gesso ou tenho que pintar também tetos e paredes?

O mais correto é uma pintura geral, pois, no acabamento do gesso, acaba sujando um pouco as paredes e teto.

7. Quais situações podem danificar o gesso?

Paredes e tetos com grandes trincas e umidade em excesso são os maiores

8. Qual o cronograma de execução para um apartamento nunca habitado?

O tipo de piso é o fator que vai definir isso, porém remoção de paredes, gesso e aplicação de massa corrida devem ser os primeiros.

9. Com o tempo, posso mudar a cor ou modelo de uma textura?

Sim! Para mudar de cor, primeiramente, aplica-se o branco. Para mudar o modelo, deve-se regularizar a área antes.

10. Como posso ter certeza sobre a cor que escolhi para as paredes?

Tintas feitas no sistema tintométrico(máquinas) poderão apresentar até 20% de diferença do catálogo para a parede. Sendo assim, o ideal é fazer um teste na parede antes.

11. Quais são as lâmpadas mais indicadas para uma sanca de gesso?

Para a parte superior, lâmpadas fluorescentes, pois são frias, iluminam bem e são econômicas. Na parte inferior, os spots são bem mais flexíveis, podendo usar desde lâmpadas de cróica até lâmpadas de tipo PL.

Papel de parede: uma opção para revestimento

Uma das grandes vantagens dos papéis de parede é a ampla variedade de efeitos que permitem. São utilizados para revestir paredes internas e possibilitam a criação de ambientes variados. Podem ser utilizados nas parede toda, do piso ao teto, ou só em meia parede, o que pede uma faixa de acabamento. Se você pesquisar, vai encontrar os mais variados modelos e tipos.

Geralmente, os papéis de parede são fixados com colas específicas, que duram 24 horas para secar ( em papéis comuns ) e são vendidas em pacotes sob a forma de pó, que deve ser diluído com a água. Alguns importados, no entanto, são auto-adesivos. Outros, basta molhar para serem fixados na parede. O ideal é que as paredes estejam limpas e lisas, para que não apareçam imperfeições após a colocação.

A manutenção é relativamente simples: para limpar o papel de parede comum, basta utilizar o espanador ou aspirador de pó.

Conforme o material e o ambiente, a aplicação do papel muda. Ambientes com rodapé, ou com paredes curvas, por exemplo, tornam mais difícil a colocação. Muitas lojas que vendem esses produtos indicam profissionais especializados para executar a tarefa.

Em locais mais simples que serão colocados materiais simples – como o papel de parede comum, por exemplo – a colocação pode ser feita por você mesmo. A dica é colocar separadamente os materiais diferentes ( papel comum e o vinílico, por exemplo ). Se estiver utilizando o mesmo material, podem ser até sobrepostos. O único cuidado a tomar é com a cor e estampas, que podem ficar visíveis, mesmo quando cobertas com outro papel.

Veja abaixo os tipos mais comuns:

Papel comum

São os mais conhecidos e muito utilizados para criar efeitos especiais de decoração.

Vinil

Os de vinil são muito utilizados em quartos de crianças, porque são laváveis. Outros ambientes que requerem limpeza constante ou acumulam mais sujeira são muito indicados. Sua colocação é normalmente mais difícil que os papéis comuns, mas normalmente, a cola seca mais rápido.

Texturizados

Os papéis texturizados são muito indicados para paredes irregulares ou com rachaduras, porque ajudam a disfarçar as imperfeições. Mesmo assim, não dispensam uma preparação adequada da parede: ela deve estar mais limpa e lisa o possível para receber o papel.

Os papéis de parede são encontrados em diversas cores e estampas. Conforme o fabricante e modelo, as dimensões de faixas, por exemplo, mudam e podem variar muito. Encontram-se faixas com altura desde 0,08m até 0,23m, por exemplo.

A dica é sempre comprar uma quantidade um pouco maior do que a necessária ( um rolo a mais, por exemplo )

Assim, se na hora de colocar, acontecer um acidente, você vai ter material sobressalente. Outra utilização é a eventual reposição no futuro de pequenas áreas danificadas. Não é a melhor solução, mas melhora bastante, no caso de áreas danificadas.

Confira sempre o número de lote, porque as cores podem variar, mesmo quando se trata do mesmo padrão. Lembre-se, ainda, que se utilizadas com exagero, algumas estampas e cores podem carregar o ambiente, tornando-o desagradável.

Vocabulário de A a Z na Decoração

Confira alguns dos termos mais utilizados em decoração:

A

Anodização Trata-se de um processo de tratamento aplicado em materiais como o alumínio, por exemplo. Esse processo é eletroquímico e possibilita a formação de película controlada de óxido de alumínio sobre a superfície. De acordo com cada uso para o material e conseqüentemente, do tipo de anodização que sofrerá, o alumínio terá um aspecto e comportamento diferente. Há processos em que ele conserva sua cor natural, outros em que adquire colorações, além de maior ou menor resitência à corrosão e grau de dureza.

B

Bergère Poltrona para leitura com almofada solta no centro, de espaldar côncavo que se prolonga nas laterais, relativamente baixo

Bandô (ref. Cortinas ) O bandô é aquela peça muito utilizada como acabamento de uma cortina, pois esconde o trilho ou o varão. Normalmente de tecido, apresenta-se como uma faixa larga que arremata a parte superior das cortinas.

Bisel Corte em chanfro na extemidade de uma peça.

Boleado Elemento que apresenta perfil curvo.

Brise Elemento horizontal ou vertical cuja função é a proteção contra os raios solares.

Biscuit Trata-se de porcelana fina, cozida duas vezes, cuja aparência lembra muito o mármore branco

Bizotê O bisotê é um acabamento especial dado ao vidro, cujo aspecto são as bordas finas, com relevo brlhante. Este tipo de lapidação também é muito aplicada em espellhos.

Basculante Refere-se ao tipo de movimento realizado por uma janela, por exemplo. Janelas basculantes são aquelas do tipo que comumente chamamos de "vitrô", movimentam-se em torno de eixo horizontal, e são muito utilizadas em banheiros ou em áreas que requerem maior segurança

C

Capitonê Oriundo do século XIX, este acabamento para poltronas e sofás utiliza botões fixados espaçadamente, resultando em desenhos geométricos.

Chesterfield Tipo de sofá revestido normalmente com couro, com acabamento capitonê.

Chanfro Corte pequeno que elimina os cantos vivos de uma peça.

Chapisco É a primeira camada de revestimento sobre as paredes e teto, afim de aumentar a aderência do revestimento final.

Craquelê Trata-se de um efeito especial conferido a objetos e móveis, que deixam-nos com uma aparência de tinta "quebrada". Isso é obtido deixando a camada de baixo de demão de tinta ( por exemplo, tinta esmalte ) secar depois da camada superior ( por exemplo, tinta à base de água ).

Carpete de madeira O carpete de madeira é um piso composto geralmente por placas de MDF cobertas com lâminas de madeira, com acabamento em verniz.

Composê Diz-se "composê" quando são utilizados tecidos de diversas estampas em uma mesma peça ou ambiente.

Cerâmica Pode-se definir cerâmica como produzida com uma pasta, cujo ingrediente principal é a argila, sucessivamente seca e queimada à alta temperatura. O revestimento cerâmico – também conhecido como azulejos e pisos cerâmicos – também é bastante antigo.

Cores frias e Cores quentes São qualidades das cores - a "temperatura" da cor -, que exercem diferentes efeitos no sistema nervoso do expectador. Definir quais são as cores frias e quais são as quentes não é um processo simples. Geralmente, vermelho e amarelo são consideradas cores quentes, e as demais – tais como azul e verde – cores frias.

D

Dimmer Recurso utilizado para aumentar ou diminuir a intensidade da luz, o dimmer pode ser instalado no interruptor de parede, isoladamente para controlar cada lâmpada ou mesmo em conjunto, o que permite vários "climas" em um só ambiente.

E

Espelho Encontro saliente, em desnível, de duas águas do telhado

Estribo Peça de ferro destinada a sustentar um elemento de construção em relação ao outro

F

Flecha Distância vertical entre a posição reta de um plano horizontal e a posição fletida; geralmente refere-se à peça estrutural ( viga )

Forro falso Forro colocado após a construção da laje ou cobertura, que independe da mesma

G

Gazebo Atualmente, gazebo normalmente refere-se a uma construção ao ar livre, separada da casa, feito com estrutura de pedra, metal ou madeira e fechado com treliças ou vidro.

L

Luminosidade de uma cor Refere-se à uma qualidade da cor que indica a quantidade de branco que a ela foi adicionado.

Loft O Loft diz repeito a um espaço amplo, sem divisórias entre os cômodos. Este tipo de solução tem sido muito utilizado.

Lambris Os lambris são revestimentos utililizados para dar acabamento ou decorar ambientes. Podem ser utilizados, por exemplo, para forrar as paredes. Os materiais mais utilizados são: alumínio, madeira, plástico e aço inoxídável

Ladrilho hidráulico Material de revestimento para pisos e paredes, o ladrilho hidráulico é produzido com cimento branco, pó de mármore, areia e pigmentos de ferro. Quando utilizado em paredes, sua espessura deve ser menor.

M

Matiz Refere-se à uma cor propriamente dita.

Mucharabi Conjunto de treliças ( madeira ) que fecham um balcão

Mármore Travertino Tipo de mármore que normalmente apresenta cor bege e é muito encontrado na Itália.

N

Nervura Viga de uma laje, que pode ou não estar saliente

P

PEI A sigla "PEI" refere-se à resistência a abrasão, normalmente utilizada referindo-se aos revestimentos cerâmicos. Conforme o nível de resistência do modelo ou tipo do material, este é classificado em grupos, que variam de PEI 1 até PEI 5. Quanto maior o PEI, maior a resistência à abrasão. Assim, por exemplo, cerâmicas de PEI 5 são indicadas para zonas de alto tráfego ( shoppings centers, áreas públicas, etc… ).

Piso laminado O piso laminado é aquele formado por várias camadas derivadas da madeira, com o miolo de compensado ou fibra de alta densidade. Já a superfície é composta por resina melamínica e celulose.

Pintura eletrostática A pintura eletrostática é feita em superfícies como o alumínio, que requerem proteção contra agentes externos ( chuva, umidade, etc... ), e que assegura a resistência à corrosão. Neste caso, as condições de agressividade do meio devem ser analisadas para que seja definida a espessura adequada da camada de tinta. É possível aplicar os mais variados acabamentos, aumentando bastante as possibilidades de uso e no seu aspecto.

Pivotante Refere-se ao tipo de movimento realizado por uma janela, por exemplo. Janelas basculantes são aquelas do tipo cujas folhas movimentam-se em torno de um eixo vertical.

Policromia Diz-se que algo é policromado quando apresenta mais de três cores

R

Roseta ( ref. Cortinas ) A roseta é um suporte de metal ou madeira utilizado para prender as cortinas nas paredes. Carateriza-se também pelo fato de permitir a remoção de sua parte exterior, permitindo, assim, o encaixe da alça da cortina.

Rádica A rádica refere-se à uma formação particular que ocorre na base do tronco de algumas espécies de árvores. As madeiras que apresentam rádica podem ser reconhecidas pelos veios e nós que são bastante ressaltados em relação ás madeiras que não possuem essa qualidade. Exemplo de madeiras com rádica: pau-marfim, nogueira.

Resistência à abrasão Propriedade que determinados materiais apresentam, como o revestimento cerâmico. Ter resistência à abrasão significa que o revestimento cerâmico tem a propriedade de resistir ao desgaste das peças em decorrência do atrito de resíduos que trazemos nas solas dos sapatos.

S

Saturação de uma cor Refere-se à uma das qualidades das cores, que indica o grau de pureza do matiz. Quanto mais saturada, mais viva uma cor se torna.

Saneta ( ref. Cortinas ) Saneta é a extensão do bandô de uma cortina - quando ele desce pelas laterais da janela.

Stêncil Com essa técnica de pintura, é possível reproduzir desenhos diversos, utilizando-se máscaras vazadas. Muito utilizada para reproduzir flores em móveis, paredes e os mais diversos desenhos em rodapés.

T

Treliça Armação de madeira ou metal com aberturas

Tromp l'oeil Trata-se de uma técnica de pintura que reproduz o aspecto de materiais nobres ou até objetos, flores, etc… que realmente parecem verdadeiros. Original da França, esta técnica abusa de efeitos de luz e sombra para conferir aspecto de realidade aos desenhos reproduzidos.

V

Varão (ref. Cortina ) O varão é a peça horizontal muito utilizada para sustentação de uma cortina. Normalmente de metal ou de madeira, pode ser único, duplo ou tripo e nas suas extremidades são encaixadas as ponteiras, que além de conferirem acabamento ao varão, ainda impedem que a cortina caia pelos lados do varão.

Vidro temperado O vidro temperado é mais resistente que os vidros comuns, porque passa pelo processo de têmpera ( é aquecido e depois resfriado bruscamente ). Esse vidro oferece maior segurança, pois quando quebrado – o que é bem mais difícil –, não se estilhaça em pedaços pontiagudos. Outra vantagem é que dispensa o uso de molduras ou caixilhos, porque é auto-portante.

Vidro laminado Este tipo de vidro tem duas características especiais: impede a passagem do som e de parte da passagem de calor. Também oferece segurança, pois possui película plástica de polivinil, disposta entre duas ou mais lâminas de vidro. Quanto mais lâminas, e portanto, mais película de polivinil entre elas, mais resistente e seguro se torna. Quando quebra, os cacos não se soltam.

Vidro jateado O vidro jateado passa pelo processo de jateamento com areia, através do qual é possível obter desenhos e figuras, visíveis devido ao contraste entre área transparente e área opaca.

Z

Zenital Refere-se ao tipo de iluminação: zenital; feita através de abertura no teto de uma construção

Dicas Básicas

Reformar um imóvel é sinônimo de dor de cabeça, certo? Sem planejamento, claro que sim. Porém, algumas precauções podem levar a uma obra sem problemas e que valoriza seu imóvel, trazendo mais conforto e alegria para seus usuários.

1. Projeto

Estabeleça com precisão o que será feito. Se o trabalho limitar-se à troca de revestimentos, ou pintura, um bom profissional poderá executar as tarefas com tranquilidade. Entretanto, se houver necessidade de demolição de paredes, ou alterações das instalações, convém consultar um arquiteto ou engenheiro. Tal atitude deve-se ao fato de que, pelas paredes, passam pilares e instalações que não podem sofrer intervenções inábeis, sob o risco de prejuízos ao patrimônio e à segurança das pessoas, e isso não é incomum.

2. Materiais

Um projeto permite que sejam definidos os tipos e as quantidades dos materiais a serem adquiridos, principalmente os de acabamento, geralmente mais onerosos que os materiais básicos (areia, cimento e outros), proporcionando uma previsão de desembolso fundamental nos dias atuais.

3. Mão-de-obra

Uma decisão sensível refere-se à mão-de-obra. Jamais contrate uma pessoa desconhecida e sem referências. No mínimo, visite os ex-contratantes de seus serviços para verificar a qualidade de seu trabalho. Exija também que apresente documentos relativos à sua condição de autônomo, ou não, e à previdência social, sua e de seus ajudantes, se houver. As conseqüências de um acidente de trabalho podem recair sobre quem contrata. Um sonho não pode terminar em problemas com a Justiça.

4. Documentação

No caso de construções, ou reformas de porte que envolvam acréscimos de áreas construídas, ou alterações estruturais, por exemplo, serão necessários alguns procedimentos junto aos órgaos oficiais. Nesses casos, o arquiteto ou engenheiro deverá orientar seu cliente sobre os passos a serem dados para cumprir os trâmites legais.

5. Cronograma

É necessário saber qual a melhor data para iniciar a obra e quanto tempo será necessário para sua realização. Aqui em Brasília, obras a céu aberto devem ser iniciadas em abril, quando o período de chuvas já está terminando. A noção de quanto tempo demandarão os trabalhos permitirá traçar uma estratégia para que o desconforto dos usuários seja o menor possível. Ilustrando: aproveite a viagem de seu querido cunhado e mude para a casa dele durante o período de obras!

Pintura

Pintores de final de semana: mãos à obra!

Não basta ter criatividade, vontade e disposição para mudar a cara daquela parede da sala. Na onda da bricolagem, muitas pessoas se aventuram pelo mundo da pintura sem saber que, aprendendo pequenas técnicas, pode-se economizar tempo, tinta e, principalmente, dinheiro.

Cada superfície deve ser pintada com produtos diferentes, cada efeito visual precisa ser feito com os materiais certos e cada ambiente merece um tratamento diferenciado para que o resultado final agrade e não surjam problemas futuros, como pinturas descascadas e bolhas.

Confira abaixo algumas dicas simples indicadas pelos consultores técnicos José Luiz Moio e José Alves Cintrão Neto, da Tintas Solventex, para obter um rendimento 100% eficiente na hora de pintar a sua casa:

De olho nos materiais

A escolha correta dos materiais é muito importante para um bom resultado. Veja a seguir para que serve cada um deles:

Rolos: os rolos são ideais para áreas grandes como paredes ou tetos.

Rolo de lã (pêlo baixo) - indicado para tintas PVA e Acrílica.

Rolo de espuma - indicado para esmaltes, tinta óleo e vernizes.

Rolo de espuma rígida ou borracha - indicado para dar efeito em textura.

Pincéis: a qualidade do pincel tem um efeito direto na qualidade do acabamento e na facilidade em controlar e aplicar a tinta:

Pincéis com cerdas escuras – indicados para aplicação de tintas a base de solvente como os esmaltes, tintas óleo e vernizes.

Pincéis com cerdas grisalhas – indicados para aplicação de tintas a base de água como as tintas PVA e Acrílica.

Outras ferramentas:

Espátulas de aço – usadas para aplicação de massas em grandes áreas

Desempenadeiras de aço – ideais para a aplicação de massas em grandes áreas

Como conservar os materiais?

Limpe e guarde os materiais de maneira correta:

Tintas a base de solvente, esmalte, verniz, tinta óleo - limpar os materiais com jornal e lavar com água raz ou thinner.

Tintas a base de água (tinta acrílica e PVA) – lavar os pincéis com água e sabão.

Depois de aprender a utilizar corretamente cada material, a principal regra na hora de aplicar a tinta é começar usando cores mais suaves, com pequenos detalhes em tons intensos, e seguir a seguinte ordem para pintar um ambiente: comece pelo teto, siga pelas paredes, depois pinte as portas, janelas e, finalmente, o rodapé. Desta maneira, você economizará tempo e dinheiro.

Evite os problemas

Para evitar o surgimento de manchas esbranquiçadas na superfície pintada, chamada de eflorescência, é essencial aguardar a secagem da superfície antes de aplicar a tinta.

Bolhas em pinturas sobre alvenarias em paredes internas podem ser evitadas com a eliminação da poeira do lixamento da massa corrida e diluindo muito bem a tinta. O uso de massa corrida muito fraca, de baixa qualidade, também pode provocar bolhas.

O descascamento da tinta pode ocorrer quando a pintura for executada sobre caiação (camada de pó de cal). Evite este problema eliminando as partes soltas ou mal aderidas, raspando ou escovando a superfície.

Para evitar que a pintura se esfarele com o tempo, deve-se aguardar cerca de 28 dias para que um reboco novo esteja curado.

Fonte: www.paginasespeciais.lazerweb.com.br

Dicas de Decoração

Decoração, Cromoterapia e Feng Shui

Você já parou para observar como determinadas cores nos ambientes podem nos agradar ou nos incomodar?

E como aquele cômodo escuro, frio, sem vida em nossa casa, depois que o pintamos, ficou com outra cara e energia renovada.

Pintar uma casa ou um cômodo com a cor escolhida, além de trazer uma sensação de limpo e novo, pode trazer uma vibração especial para o ambiente e para nós que ali habitamos.

Mas todo o cuidado é pouco na hora da escolha da cor das paredes, pois da mesma forma que uma cor pode nos influenciar positivamente, as cores podem nos desagradar ou passar péssimas sensações.

E um fato muito interessante é que podemos estudar e explicar o efeito das cores por várias ciências, mesmo que alternativas.

Para mostrar a riqueza de detalhes e a influêcia das cores nos ambientes, iremos explicar seus efeitos através da ótica do Feng Shui, cromoterapia e decoração.

O Efeito das Cores

Decoração

Um ambiente todo branco, para algumas pessoas, pode trazer prazer e calma, e para outras, frieza, tristeza e impessoalidade. O branco nos passa também uma sensação de limpeza, até exagerada. O branco só é branco, quando recebe uma luz intensa direta.

Cromoterapia

Ela potencializa as demais cores. Representa a luz divina.

Feng Shui

É uma cor neutra, que pode ser usada em qualquer ambiente. Muito cuidado quando o branco aparece em demasia em um ambiente, pois nos passa uma sensação de infinito, frieza, vazio e hostilidade. Deve-se quebrar o branco com quadros e móveis bem coloridos.

PRETO E CINZA

Decoração

É usado em pequenos detalhes, principalmente quando queremos fazer um "efeito especial", tanto dentro, como fora da casa. Ainda na área interna, é usado para fazer contrastes, principalmente com o branco. Muito usado no teto com pé direito muito alto, para dar a sensação de rebaixo.

Cromoterapia

É o oposto da luz, a escuridão total.

Feng Shui

É opressivo e depressivo. Representa o elemento água e deve se usar com muito cuidado. Em geral, é usado em pequenos detalhes na casa.

VERDE

Decoração

É uma cor muito usada. No chão, nos lembra a natureza. Não incide muita luz, mantendo a cor original. Em locais abertos, complementa madeira e jardins.

Cromoterapia

É a cor da natureza, traz força equilibrada e progresso mental e corporal. Acalma o sistema nervoso e os sentidos. Também significa esperança e satisfação.

Feng Shui

É uma cor neutra que representa o elemento madeira. Muito cuidado em usar a cor verde em locais que predomina o vermelho, pois teremos um local muito quente. Deve-se usar nos banheiros para elevar a energia deste local. Para casas que abrigam pessoas com problemas de saúde, o verde é uma ótima opção.

LILÁS/VIOLETA

Decoração

Tons mais claros podem ser usados em todos os ambientes. Se for uma cor monocromática, pode cansar.

Cromoterapia

Tem efeito purificador, tranforma as energias negativas em positivas. Ótimo para a saúde. Acalma o coração, a mente e os nervos.

Feng Shui

Traz tranquilidade, sossego e calma. Estimula a espiritualidade. Nas casas, deve ser aplicado em locais de meditação e oração. Em excesso, pode trazer depressão e ansiedade.

LARANJA

Decoração

Inconscientemente, lembra sabores agradáveis, sendo muito usado em cozinhas. Abre e estimula o apetite. Pode ser usado na sala de jantar, em uma só parede, em tons bem suaves. Em tons mais escuros, sugere estabilidade.

Cromoterapia

Auxilia a mente a assimila novas idéias, mas deve ser usado com certo cuidado.

Feng Shui

Em pequenas doses, estimula os sentidos, a criatividade e a comunicação. Boa para áreas da casa que quer se estimular o diálogo, como sala de visitas, de jantar e cozinhas. Em excesso, pode provocar conversas demais e até rebeldia.

VERMELHO

Decoração

Muita atenção em seu uso, pois, por ser uma cor muito energética e vibrante, pode provocar excitação e nervosismo, quando aparece em excesso nos ambientes. Em pequenas doses, traz aos ambientes um ar de glamour e até exótico. Em demasia, cai para a vulgaridade.

Cromoterapia

Muito indicado para pessoas tímidas e retraídas porque estimula a atividade mental e quebra barreiras. Revigora a coragem e a força de vontade.

Feng Shui

Cor que ativa e estimula as áreas de relacionamento afetivo, sucesso, auto-estima, fama e prosperidade. Deve ser usado com muito cuidado e em pequenas doses, pois é uma cor excitante e estimulante. No quarto de casal, ativa a sexualidade. Na sala ou cozinha, estimula o apetite e a fala. Em excesso, provoca brigas, confusões e explosões de humor.

AZUL

Decoração

Pode ser usado em grandes áreas sem tornar-se cansativo, mas deve ser combinado com outras cores para evitar a monotonia. Mais escuro, transmite autoridade. Deve ser usado em ambientes formais.

Cromoterapia

Nos passa calma e serenidade. Também é asséptico e desestressante.

Feng Shui: É uma cor calmante e traz tranquilidade aos ambientes. Deve-se tomar muito cuidado em locais cujas paredes são pintadas de azul claro, pois pode provocar sono em excesso. Já, para quem é muito agitado, é uma boa opção.

AMARELO

Decoração

É muito usado para esquentar áreas escuras e para dar mais iluminação. Em pisos, provoca sensação de avanço. Em grandes áreas e superfícies, pode incomodar por causa da incidência de luz.

Cromoterapia

É uma cor que atua diretamente sobre o mental. É animador, inspirador e estimula o raciocínio. Ajuda no auto-controle. Fortalece os ouvidos e os olhos.

Feng Shui

É a cor da luz. Estimula a comunicação, atividades mentais e abre o apetite. Deve ser usado no quarto de estudo ou na criança. Na cozinha, em doses equilibradas. Em excesso, provoca muita conversa e pensamentos acelerados e confusos, provocando preocupação.

Fonte: www.mistico.com

Dicas de Decoração

Idéias para decorar espaços pequenos

Sugestões e idéias criativas para decorar espaços pequenos.Cada vez mais as pessoas vivem em casas e apartamentos pequenos.Com os elevados preços dos imóveis e o dinheiro muitas vezes curto, não é possível comprar um local espaçoso para morar.Então a solução pode ser fechar a compra de uma moradia menor.

Depois de adquirir o imóvel, o desafio agora é a decoração do espaço. Organizar um lugar pequeno muitas vezes é uma das tarefas mais difíceis.Então a solução para este problema é criar uma área que seja confortável, agradável e ao mesmo tempo organizada, disponibilizando os móveis de modo que ofereça mais espaço, aproveitando bem os limites do local.

Começa por eleger um tema para o quarto, que deve nortear a sua decoração: natureza, motivos asiáticos, banda desenhada ou flores, são apenas algumas sugestões possíveis!

Consoante o tema escolhido, e como forma de dar uma cara nova ao teu quarto, elege um bonito papel de parede - não tens que o colar em toda a parede, bastando que o faças apenas numa parte ou numa parede, por exemplo!

Muda ainda a disposição dos móveis - se chegares a cama para a parede, o quarto ganhará logo o dobro do espaço!

Escolhe um édredon, uns cortinados e um tapete que condigam com o papel de parede - dá preferência a um padrão sóbrio, do teu agrado, que não te canse passados alguns meses!

Descola posters e afins que ainda subsistam na parede, trocando-os por dois a quatro quadros, que tenham relação com o tema escolhido, e cujos tons e respectivo desenho/pintura sejam do teu agrado!

Tenta arranjar uma pequena poltrona e coloca-a num canto agradável do quarto, que te permita criar "um espaço" dentro do quarto! Podes recorrer a alguma poltrona velha que já não seja usada, desde que a forres com um tecido do teu agrado!

Não te esqueças dos candeeiros - opta por objectos simples e contemporâneos, das cores que mais te agradar, sem descurar de que uma boa luz é fundamental ao estudo!

Ao nível dos objectos de decoração, opta por aquelas que sejam do teu agrado, e livra de objectos supérfluos que não sejam do teu agrado! Tudo é permitido: desde velas a molduras, bem como uma ou outra peça especial que, por exemplo, tenha sido trazida por ti na tua última viagem!

Acresce ao quarto um ou outro elemento verde - através de uma planta ou de canas chinesas, por exemplo, que são muito bonitas e não requerem nenhum trabalho na sua manutenção!

Aposta ainda nas almofadas - de cores bonitas, a condizerem com a decoração, podem ser colocadas sobre a cama ou sobre a poltrona, e conferem logo um ar "mais quente" e confortável ao quarto!

Fonte: minisaia.blogspot.com

Dicas de Decoração

Decoração, dicas de como decorar sala, quarto, cozinha e banheiro. Móveis, cores e mais!

Por mais que existe a possibilidade de contratar um profissional para fazer isso, não existe nada mais intimista do que fazer a decoração de casa por conta própria. Afinal, isso reflete o clima dos donos e mantém o ambiente como cada um deseja. As dicas de decoração de sala, quarto, banheiro e cozinha mostram tendências e ajudam na hora de escolher cores e móveis.

Como decorar quarto, sala, cozinha e banheiro? Dicas de decoração

A decoração da sala ou decoração do quarto é composta por três etapas: escolha das cores do ambientes, móveis e iluminação. Aconselha-se o uso de cores suaves para estes ambientes, permitindo ousadia somente em uma das paredes. A sugestão é o uso de cru, bege ou branco no teto e paredes, e uma cor forte (roxo, laranjo, amarelo, vermelho, azul, etc) na parede menor da sala ou quarto.

A decoração do banheiro não precisa de muito detalhe: um azulejo sem muito enfeite, um lavatório bem escolhido e objetos como pequenos vasos já compõem o ambiente necessário. A decoração da cozinha não precisa também de muita coisa, ficando a maior parte nas mãos dos armários.

A decoração da sala, quarto ou cozinha nada são se não forem combinados por uma boa iluminação, em geral de cor amarela, como halógenas ou dicróicas, que deixam o ambiente mais relaxante.

Os móveis representam o clima e gosto dos donos da casa, retratam o clima que a casa deve ter: moderno, acolhedor, futurista, sereno. As cores podem ser ousadas, desde que não haja muita mistura no mesmo ambiente.

Fonte: www.iftk.com.br

Dicas de Decoração

Na cama, dê preferência para cores claras. Escolha lençóis e edredons macios e de fibras naturais.

Em espaços pequenos, prefira cores claras.

Almofadas com estampas diversas em sofás e poltronas ficam interessantes juntas quando formam um composé legal de cores e padrões.

Ambientes sem separação parecem maiores, assim elimine portas entre cômodos

Use diferentes tons de louças e cristais e crie uma atmosfera interessante para o jantar.

Não hesite em exibir objetos pessoais que contam sua história e criam uma relação entre você e sua casa. A moda pode apresentar tendências e sugestões. Não encare isso como obrigação. Invista na natureza, ela continua em alta. A vegetação natural dá um toque especial aos ambientes. Motivos florais estão evidentes em tecidos e em detalhes nas paredes. Além, é claro, da madeiras e revestimentos que são utilizados em seu estado original ou reproduzidos com tecnologia, mantendo seu aspecto artesanal.

Dicas de Pintura

Para encurtar seu ambiente: Aplique tons escuros nas paredes menores. Essa técnica é recomendada para espaços muito compridos/retangulares.

Para alongar seu ambiente

Aplique cores mais escuras em duas paredes opostas. Essa técnica é ideal para espaços quadrados.

Para disfarçar objetos

Pinte a parede com cores próximas a do objeto.

Para valorizar objetos

Pinte a parede com cores contrastantes a do objeto.

Para rebaixar o teto

Você deve aplicar cores mais claras nas paredes e uma cor mais escura no teto.

Para elevar o teto

Você deve aplicar cores mais escuras nas paredes e uma mais clara no teto.

Para alargar o corredor

Você deve pintar as paredes menores e o teto com tons mais escuros. As outras paredes devem ser pintadas com cores mais leves.

Para alongar a parede

Você deve aplicar duas cores numa mesma perde, com a divisa à meia altura. Pinte com cores mais escuras a parte inferior e utilize tons leves na parte superior.

Para encurtar a parede

Você deve aplicar duas cores numa mesma parede, com divisa à meia altura. Pinte com cores mais claras a parte inferior e utilize tons escuros na parte superior.

Dicas sobre Cores

Branco

Éé a presença de todas as cores. Teoricamente, reflete todos os raios luminosos que incidem sobre uma superfície branca. Traz claridade e leveza para um ambiente. Entretanto, um ambiente totalmente branco pode se tornar monótono e hostil, levando à dispersão.

Preto

Como é conhecida a ausência de cor e é o que menos reflete luz. O ideal é que ele seja utilizado moderadamente como recurso para realçar outras cores, em detalhes, do que em grandes áreas. Pois este expressa agressividade.

Azul

Serenidade, paciência, amabilidade são favorecidos por esta cor, tranqüilizando os ânimos, entretanto deve-se ter cuidado com esta cor nos tons mais escuros e com ambientes monocromáticos, que levam à introspecção - situação não recomendável para pessoas depressivas.

Verde

Representa a esperança e a abundância. É a cor do equilíbrio, estimulando o silêncio e pode ajudar a amenizar o stress.

Vermelho

Está associado às emoções, despertando a sexualidade e, eventualmente, desperta a agressividade. Nos ambientes, deve ser usado nos detalhes, como flores, pois o excesso torna-se irritante. Uma simples contemplação de uma superfície vermelha pode acelerar o nosso pulso.

Violeta

Ligada à intuição e a espiritualidade, por isso indicado para locais de meditação. Os seus tons claros acalmam e aconchegam, contudo em tons fortes, pode agravar o estado depressivo.

Amarelo

Ligado à criatividade, alegre e divertido. Ativa o raciocínio e a comunicação, sendo ideal para usar em escritórios, cantos de estudo e no estar, pois deixa as pessoas mais relaxadas e extrovertidas.

Laranja

Atua sobre o sistema digestivo, abrindo o apetite - ideal para sala de refeição. É muito aconchegante, estimula o otimismo e a generosidade.

As cores frias, como azul, violeta e verde, ampliam o ambiente. São aconselháveis para aqueles que desejam passar uma sensação de espaço e dimensão.

Cores quentes, como vermelho, amarelo e laranja, tornam o ambiente visualmente menor. Além disso, são estimulantes; sua utilização em quartos é desaconselhável, pois podem prejudicar o sono e o descanso.

Carnaval, só na avenida. A utilização de muitas cores "alegres" juntas pode causar confusão visual. O contraste impactante, mas com número moderado de cores, é mais bem-vindo.

Quanto mais escuras, mais "pesadas" são as cores. Por isso, existe a tendência de utilizar tons escuros próximos ao chão, com a finalidade de fundamentar o ambiente. A falta delas torna o cômodo visualmente opressivo, como num hospital.

Se estiver na dúvida, trabalhe com apenas uma cor, variando seus tons e matizes. Para quebrar a monotonia, detalhes contrastantes e mobília em cores diferentes são aconselháveis.

O design da mobília fica favorecido se houver contraste entre sua cor e os tons da parede.

Cores primárias, quando usadas em demasia, cansam a vista. Para áreas grandes, como paredes, prefira tons mais claros da mesma cor.

Cores complementares são importantes para dar harmonia ao ambiente. Veja qual complementa qual : Azul / Laranja ; Roxo / Amarelo; Vermelho / Verde.

Fonte: www.arteplural.com.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal