Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  insolação página 3  Voltar

Insolação

Cuidado com a insolação!

Tomar sol é divertido, faz bem e, no verão tropical, é quase irresistível. Mas, cuidado para não exagerar. Ao invés de um lindo bronzeado, você pode terminar o dia com uma bela insolação.

E aí, adeus férias. É da praia, direto para o hospital, sem escalas.

Dos males relacionados ao verão, a insolação é um dos mais corriqueiros.

De tão comum, pode parecer inofensiva, mas é muito grave. Deve ser identificada com rapidez e tratada com agilidade e atenção – os casos mais agudos podem levar até à morte.

A insolação ocorre quando o organismo perde a capacidade de regular sua temperatura interna, parando de transpirar.

Ela é provocada pela exposição prolongada e sem proteção aos raios solares, que, no verão, incidem com mais intensidade entre 10h e 16h – é o auge do calor.

Conseqüências sérias

O corpo humano demora até uma semana para se aclimatar a essa elevação na temperatura ambiente. Assim, nos primeiros dias de alto verão, são comuns alterações como queda de pressão, desidratação e queimaduras.

Durante esse período, e para resistir ao calor intenso da estação, nosso organismo produz mais suor e sentimos mais sede. Por isso, nessa época, é fundamental ingerir bastante líquido e não exagerar no sol.

A exposição descontrolada pode causar desequilíbrio - nesse caso, há o risco de insolação.

Os sintomas são perda de consciência, falta de ar, desmaios, vertigens, extremidades arroxeadas, fortes dores de cabeça e delírios. A temperatura do corpo pode chegar aos 42 graus, quando o normal é 36.

A pele fica quente e seca, o pulso, acelerado e a respiração, fraca. Em casos mais críticos, há sonolência. Com febre alta, há a “fadiga do suor” - a pessoa deixa de suar. O corpo passa a reter o calor que deveria estar devolvendo para o ambiente.

Como socorrer

A vítima de insolação deve ser encaminhada ao pronto-socorro imediatamente.

Lá, ela será submetida a um banho em água gelada até que sua temperatura interna caia para 38 graus. Depois, é feita a monitoração da pressão e dos rins, além de uma hidratação poderosa até que o quadro se estabilize. Fora isso, deve permanecer em local fresco e ventilado.

Em casa, e bem longe do sol, a pessoa deve beber muita água, sucos de frutas e soro caseiro. Para baixar a febre, pode tomar banhos frios ou aplicar toalhas úmidas sobre a pele. Apesar de simples, esses cuidados são essenciais para reequilibrar o organismo.

Nada de sustos

O melhor remédio para os males da estação mais quente do ano, entretanto, ainda é a prevenção. Mantenha-se sempre hidratado e nem pense em sair de casa sem protetor solar, que não só evita o envelhecimento precoce, como hidrata a pele e protege contra queimaduras. Escolha o filtro mais adequado ao seu biótipo.

Procure usar acessórios como bonés, viseiras e óculos de sol. Alterne a exposição direta com a proteção de um guarda-sol de algodão ou lona, evite se expor demais em um único dia e prefira roupas de algodão, leves e claras. Os efeitos do sol são cumulativos e podem evoluir para um câncer de pele.

E lembre-se: no horário de verão, os raios ultravioletas incidem até as 19h30.

Referências

Universidade Federal do Rio de Janeiro Instituto Oswaldo Cruz

Fonte: www.nycomed.com.br

Insolação

Pode manifestar-se de diversas maneiras: subitamente, quando a pessoa cai desacordado, maneando a pulsação e a respiração; ou após o aparecimento de sintomas e sinais como tonturas, enjôos, dor de cabeça, pele seca e quente, rosto avermelhado, febre alta, pulso rápido, respiração difícil.

Os sintomas e sinais de insolação nem sempre aparecem ao mesmo tempo.

Normalmente podemos verificar apenas alguns.

O importante então é que você saiba exatamente o que fazer no caso de uma pessoa passar muito tempo exposta ao sol e apresentar algum sinal de insolação.

Enquanto você aguarda o socorro médico, procure colocar a vítima à sombra, fazer compressas frias sobre a sua cabeça e envolver seu corpo em toalhas molhadas.

Isso é feito para baixar a temperatura.

Em seguida deite a pessoa de costas, apoiando a cabeça e os ombros para que fiquem mais altos que resto do corpo.

O ideal é que a temperatura desça lentamente, para que não ocorra o colapso, próprio de quedas bruscas de temperatura.

Após ter prestado os primeiros socorros, deve se procura ajuda médica, com urgência.

Fonte: www.advir.com.br

Insolação

Insolação um problema bastante frequente no verão

A doença conhecida popularmente como insolação é, na verdade, apenas uma das conse-quências possíveis da exposição do corpo ao calor excessivo, que pode ir desde aquelas lesões superficiais, as chamadas queimaduras, até manifestações orgânicas de estresse pelo calor, que incluem a chamada insolação.

Quando exposto ao calor intenso, o organismo reage de maneira bastante peculiar. Para garantir que o aquecimento do corpo não traga prejuízos ao funcionamento dos órgãos e tecidos ocorrem a dilatação dos vasos sanguíneos superficiais, que deixam a pele vermelha, e o aumento da atividade respiratória. Com as respirações mais frequentes e a evaporação do suor produzido o corpo humano facilita a eliminação do calor em excesso. Quando persiste a exposição ao calor pode ocorrer a falência dessas respostas do organismo, podendo aí ocorrer o estresse pelo calor ou insolação.

Os sintomas iniciais variam desde a sudorese intensa (muito suor), um mal-estar passageiro, até tonturas, dores de cabeça, dores abdominais, náuseas e vômitos, sempre associados com a sensação de febre alta. Em fases mais avançadas observamos que a pele fica seca e podem ocorrer desmaios, convulsões e até a morte.

Como fazer para tratar a insolação?

Numa fase inicial, em que o mal-estar e a dor de cabeça são sinais principais, a permanência em local mais fresco e longe do sol é fundamental. Deve-se também aumentar a ingestão de líquidos e aplicar compressas frias no corpo ou tomar um banho fresco. Havendo ocorrência de desmaios ou convulsões o tratamento sempre deve ser feito em pronto-socorro.

Mas o que é insolação?

Insolação é o conjunto de sintomas que acomete uma pessoa exposta demasiadamente ao sol.

Os sintomas podem incluir intensa falta de ar, dor de cabeça, náuseas e tontura, temperatura do corpo elevada, pele quente, avermelhada e seca, extremidades arroxeadas e inconsciência. E às vezes uma coceira terrível.

Para aproveitar o verão sem risco de insolação adote algumas medidas simples que ajudam a manter seu corpo frio.

Fique à sombra nos momentos mais quentes do dia.

Use roupas claras, que refletem os raios de sol e por isso esquentam menos. A roupa deve ser folgada para permitir o suor. Prefira roupas de algodão ou de fibras naturais e leves

Use um chapéu ou um boné, de preferência com furos nas laterais, que permitem a evaporação do suor da cabeça

Adapte sua rotina de exercícios para momentos do dia em que a temperatura não for tão quente. Ou então diminua o ritmo do exercício e faça pausas para beber água e se resfriar

Borrife água no seu corpo. Deixe um borrifador desses de regar plantas na geladeira para usá-lo quando chegar em casa

Mergulhe periodicamente na piscina ou no mar, ou tome duchas frias ao longo do dia

Beba muitos líquidos, não espere sentir sede. Vale tomar água, água-de-coco, sucos, bebidas esportivas. Nos dias quentes precisamos ingerir ao menos três litros para compensar nossas perdas

Não exagere nas bebidas alcoólicas, que desidratam

Prefira alimentos leves.

Importante

Todo mundo sabe que devemos evitar a exposição ao sol entre 10h e 15h (11h e 16h no horário de verão) para evitar a insolação e outras complicações que podem surgir dessa exposição.

Mas o que muita gente não sabe é que é possível ter insolação mesmo sem estar diretamente exposto ao sol, principalmente na praia, pois a areia reflete os raios solares aumentando a temperatura do corpo da pessoa não pela exposição direta, mas sim pelo calor gerado. O processo funciona mais ou menos como o forno de cozinha, ou seja, a pessoa não queima, assa.

A insolação pode provocar intensa falta de ar, dor de cabeça, náuseas e tontura, temperatura do corpo elevada, pele quente, avermelhada e seca, extremidades arroxeadas e até mesmo a inconsciência.

Na insolação ocorre também desidratação e podem aparecer queimaduras, que no início se manifestam por pele vermelha e ardida, e quando em estágios mais avançados e graves levam à formação de bolhas na pele.

Ao primeiro sinal de insolação é aconselhado que a pessoa procure a sombra, além de se hidratar de forma adequada. Em casos graves de queimadura e de aumento da temperatura corporal é necessário procurar o atendimento médico.

Fonte: www.acessomagistral.com.br

voltar 123avançar
Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal