Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Do-in  Voltar

Do-In

Do-In

O DO-IN é um completo sistema de autotratamento que reúne o que há de melhor e mais acessível nas práticas de mobilização energética chinesas.

Guiado pela perspectiva taoísta do refinamento espiritual, o DO-IN, mais que um método de prevenção e correção de enfermidades, é uma saudável proposta que visa resgatar da passividade o mais importante personagem da cena terapêutica:o paciente.

Através do diálogo táctil com o próprio corpo o praticante, geralmente buscando consumir superficial e instantaneamente uma nova técnica, é surpreendido pela constatação de que cada um de nós é naturalmente dotado do poder de reagir e restabelecer os desequilíbrios que nos afligem.

Ainda mais importante que eliminar uma dor ou promover o bem estar usando as próprias mãos, é a constatação de que a cura é um processo em grande medida auto-gerado. Seu sucesso envolverá sempre, em maior ou menor grau, a participação ativa da própria pessoa - em última análise, o verdadeiro autor da doença.

A consciência de que cabem ao sujeito as primeiras iniciativas nos cuidados com sua saúde, o permite avaliar com mais clareza suas possibilidades e limitações pessoais. A partir daí, a decisão de quando buscar ajuda externa pode ser determinada de forma mais abalizada e responsável.

Mas não é apenas ao leigo que o Do-In se dirige. Ao promover a canalização energética, suas técnicas se mostram igualmente valiosas como preparação para o trabalho terapêutico com energia. E, como se norteia pela sofisticada perspectiva da psicossomática chinesa, sua investigação teórica permite um facilitado ingresso ao simbolismo do corpo, induzindo ao conhecimento de outros mapeamentos bioenergéticos, com seus pontos de contato e intersecções.

Meridianos

Na medicina chinesa a Energia é a essência de todas as coisas, a primeira manifestação do universo sensível.

Esta energia - Chi, para os orientais - resulta da combinação de duas forças opostas - Yang, ativa ou positiva e Yin, passiva ou negativa - que surgem continuamente do Tao, a Unidade Primordial, origem do universo de pluralidades. Yang e Ying, os dois princípios antagônicos da Unidade se juntam pela força de atração dos opostos em combinações variadas e criam a energia, que se condensa formando a matéria e todas as concreções físicas.

A energia Chi desloca-se, no nível subcutâneo, através de linhas preferenciais denominadas meridianos. Esses canais imateriais conduzem a energia diferenciada em variadas combinações Yin-Yang, cujos fluxos se intercambiam alternante e complementarmente no corpo, constituindo um sistema responsável pela defesa, regulação e ressonância do organismo em relação às influências cósmicas. Saúde implica, em primeiro lugar, na circulação adequada da força vital através de canais livres e desimpedidos.

Cada meridiano é formado por um número determinado de pontos que transmitem a energia em sentido e ordem sempre constantes. Existem vários tipos de meridianos conforme a função que desempenham, sendo 14 considerados importantes - 12 meridianos principais e 2 meridianos extras. Os demais destituídos de pontos próprios, são os meridianos virtuais que somente se manifestam nos estados patológicos e os meridianos de ligação denominados Vasos Secundários.

Meridianos principais: São pares e simétricos; cada meridiano representa um órgão ou unidade funcional que com ele se liga por meio dos vasos secundários.

Nas extremidades todos os meridianos principais se interligam formando a Grande Circulação de Energia.

São constituídos de:

6 meridianos Yin (condutores de energia com predominância da força Yin) correspondentes aos órgãos de elaboração, que transformam os elementos externos em energia e sangue => Pulmões, Baço-Pâncreas, Coração, Rins, Fígado e a função Circulação-Sexo;

6 meridianos Yang (condutores de energia com predominância Yang) correspondentes aos órgãos que controlam a purificação e a circulação do sangue e da energia no organismo => Intestino Grosso, Estômago, Intestino Delgado, Bexiga, Vesícula Biliar e a função Triplo-Aquecedor.

Meridianos extras: São ímpares e passam pelo centro do corpo. Interligam-se formando a Pequena Circulação de Energia, um sistema regulador destinado a manter o equilíbrio energético da Grande Circulação.

Os dois meridianos extras são: Vaso da Concepção e Vaso Governador.

Pontos de Energia

Todas as práticas chinesas incluem, direta ou indiretamente, o trabalho de desbloqueio dos pontos de energia. Localizados abaixo da pele, esses vórtices energéticos transmitem o chi através de linhas preferenciais que se inscrevem no corpo numa topografia precisa. Ou seja, essas linhas ou meridianos, resultam de interligação ordenada dos pontos entre si, e cada meridiano dispõe de um certo número invariável de pontos. O meridiano é um trecho ao longo do circuito energético, uma faixa de representação fisioenergética com estreitas conexões com o órgão material que lhe dá o nome.

Alinhados verticalmente no território somático, 309 pontos, duplicados nos dois lados do corpo, se interligam formando a Grande Circulação de Energia - a cadeia dos 12 meridianos principais. Acrescidos dos 52 pontos pertencentes aos 2 meridianos ímpares da Pequena Circulação, tem-se 670 pontos denominados pontos de meridianos. Além desses, um grande número de pontos extrameridianos, pontos dos microsistemas da orelha, do nariz, das mãos e dos pés completam um total de cerca de 1000 pontos conhecidos e utilizados nas terapias chinesas.

O que de fato ocorre quando da estimulação dos pontos - com agulhas, calor ou pressões - é algo que somente a perspectiva energética chinesa esclarece. Mas os pontos não se nivelam em importância. Cada um deles tem seus efeitos e indicações específicas, embora aqueles que pertencem a um mesmo meridiano apresentem efeitos terapêuticos muito semelhantes. Basicamente todo ponto tem propriedades locais e sistêmicas mais ou menos pronunciadas.

O efeito local refere-se a uma contingência anatômica:independentemente do meridiano a que pertence, um ponto irá influir na área do corpo onde se localiza.

Sua estimulação promove o descongestionamento local, beneficiando afecções da estrutura e ainda influindo nas disfunções de um órgão que se localiza naquela região.

A ação sistêmica é mais abrangente: por diferentes motivos, um ponto terá relações específicas com certas funções pertinentes ao seu meridiano; sua estimulação trará subsídios para a regularização da função alterada.

Cronobiologia Chinesa

Orientada essencialmente a partir da ótica do equilíbrio energético, a ciência médica chinesa tem no conceito de biorrítmo um dos fundamentos básicos da sua terapêutica. A existência de um "relógio biológico" em direta dependência dos rítmos cósmicos é uma noção coerentemente presente na visão taoísta que percebe na energia a constante universal em ação em toda a natureza.

Dos diversos biorrítmos conhecidos e mapeados pela tradição chinesa, merece destaque o padrão rítmico desenvolvido pela energia Yong Chi, através dos meridianos principais. Nas 24 horas do dia, cada um dos 12 meridianos que compõem a Grande Circulação exibe um período de duas horas em que seu caudal energético se mostra exaltado. Nessa fase de atividade máxima o órgão primário correspondente fica mais propenso a manifestar sua condição funcional através de sintomas e manifestações características da sua natureza psicossomática. Por outro lado, cada meridiano tem um período de atividade mínima que coincide com a fase de atividade máxima do meridiano que lhe está em oposição de doze horas no relógio biológico. Nesse período de relativo recesso o órgão-meridiano pode manifestar suas disfunções mascaradas por sintomas característicos do seu oposto.

Período de cada meridiano

03 - 05: Pulmão
05 - 07: Intestino Grosso
07 - 09: Estômago
09 - 11: Baço-Pâncreas
11 - 13: Coração
13 - 15: Intestino Delgado
15 - 17: Bexiga
17 - 19: Rins
19 - 21: Circulação-Sexo
21 - 23: Triplo-Aquecedor
23 - 01: Vesícula-Biliar
01 - 03: Fígado

Fonte: www.geocities.com

Do-In

Do-in, sistema de auto tratamento

O DO-IN é um sistema de auto tratamento completo, que reúne o que há do melhor e mais acessível nas práticas chinesas de mobilização energética.

Guiado pela perspectiva taoista do refinamento espiritual, o DO-IN, mais que um método de prevenção e correcção de enfermidades, ele é uma saudável proposta que visa resgatar de passividade o mais importante personagem da cena terapêutica: o paciente.

Através do diálogo táctil com o próprio corpo o praticante, geralmente buscando consumir superficial e instantaneamente uma nova técnica, é surpreendido pela constatação de que cada um de nós é naturalmente dotado do poder de reagir e restabelecer os desequilíbrios que nos afligem.

Ainda mais importante que eliminar uma dor ou promover o bem-estar usando as próprias mãos, é a constatação de que a cura é um processo em grande medida auto-gerado.

Seu sucesso envolverá sempre, em maior ou menor grau, a participação ativa da própria pessoa - em última análise, o verdadeiro autor da doença. A consciência de que cabem ao sujeito as primeiras iniciativas nos cuidados com sua saúde, o permite avaliar com mais clareza suas possibilidades e limitações pessoais. A partir daí, a decisão de quando buscar ajuda externa pode ser determinada de forma mais abalizada e responsável. Mas não é apenas ao leigo que o Do-In se dirige.

Ao promover a canalização energética, suas técnicas se mostram igualmente valiosas como preparação para o trabalho terapêutico com energia. E, como se norteia pela sofisticada perspectiva da psicossomática chinesa, sua investigação teórica permite um facilitado ingresso ao simbolismo do corpo, induzindo ao conhecimento de outros mapeamentos bioenergéticos, com seus pontos de contato e intersecções.

Fonte: tiens4yourbody.blogspot.com

Do-In

1 - Conceito

Desenvolvida na China há aproximadamente 5000 anos, o Do-In é uma massagem que está relacionada com a energia do corpo. Pela sua teoria, a saúde está relacionada com a condição energética de nosso corpo e dos órgãos. Se essa energia não circula devidamente, ficando estagnada, gera doenças.

Se houver deficiência de energia, é sinal de que a atividade de determinado órgão está baixa. Se ao contrário, o órgão projetar uma hiperatividade, é porque há excesso de energia. Em geral, os sintomas deste excesso são dor, inflamação, contração e aquecimento.

Já os sintomas de falta são: hipotensão (pressão baixa), flacidez, suor frio e inchaços.

A volta do equilíbrio, depende de um movimento específico para cada órgão afetado. Essas massagens, que tonificam ou sedam o meridiano correspondente, amenizando os sintomas, são feitas com fricções, pressão dos dedos.

2 - Técnica do Do-In

Definição:

Ao contrário do que se possa imaginar, o termo Acupuntura não se limita no Oriente, a designar a técnica terapêutica que utiliza agulhas aplicadas nos pontos sensíveis dos meridianos chineses de energia. Por se tratar da cultura oriental que mais vigorosamente atingiu os povos do Ocidente, a terminologia que prevaleceu foi a adotada no Japão.

Lá as técnicas medicinais de origem chinesa recebem o nome de Kampo e se subdividem em quatro áreas a saber:

1 –Acupuntura (Chen chiu, Tien chiu, Shinkiu, etc..)
2 -Moxa (termoterapia)
3 –Shiatsu (Do-ln)
4 -Anma (massagem semelhante à massagem ocidental)

No ocidente, essas técnicas foram encaradas como segmentos terapêuticos distintos e receberam diferentes designações como segue:

Acupuntura:

Esse termo é usado para designar exclusivamente a utilização de agulhas aplicadas nos pontos meridianos chineses de energia com objetivos terapêuticos.

Atualmente completamente isolada das outras três técnicas a acupuntura tem sido ensinada em universidades ocidentais como alternativa à medicina alopática tradicional. O termo acupuntura deriva dos termos latinos acus = agulha e punctus = puncionar, perfurar; portanto literalmente acupuntura significa perfurar com uma agulha.

Moxabustão:

Termo usado para designar uma técnica terapêutica que se vale do calor obtidopela queima de cones, varetas ou aglomerados de folhas secas de Artemísia (conhecida como moxa no Japão) para tratamento de diferentes afecções, principalmente as algias. O termo moxa em japonês significa erva-pai (mo = erva, xa = pai), numa sutil referência à disciplina paterna que embora às vezes dolorosa é útil para corrigir comportamentos inadequados do filho.

Digitopressura:

Nome que se dá às diferentes técnicas que utilizam a pressão dos dedos sobre os pontos energéticos como recurso terapêutico.

A origem filológica do termo também é latina, a saber:digitus = dedos, pressum = comprimir. Termos tais como digitopuntura (perfurar com os dedos) e acupressura (pressionar com agulha) são completamente incoerentes. O termo japonês shiatsu também significa digitopressura (shi = dedo, atsu = pressão) e, segundo Toku Shiro Namikoshi, fundador da Nippon Shiatsu School, tem origem chinesa e se distingue do Do-In apenas porque acrescentou às pressões terapêuticas, movimentos da massagem tradicional (anma) e deslizamentos e puxões típicos das técnicas de tração fisioterapêutica.

Massagem Terapêutica:a técnica anma, semelhante a outras técnicas de origem sueca, é conhecida no ocidente simplesmente como massagem terapêutica ou fisioterapia.
A Digitopressura Do-In é uma técnica de massagem de origem chinesa que visa a preservação ou recuperação da saúde, através da pressão exercida com os dedos sobre os pontos de acupuntura.

Em chinês o Do-In é mais conhecido como Tui-ah ou Tui-nah e reúne técnicas ancestrais de massagem terapêutica que se originaram em distintas épocas da história chinesa.

3 - Vantagens do Do-in:

Simplicidade:os únicos equipamentos necessários são as agulhas (no caso da acupuntura), os cones de artemísia (no caso da moxa) ou os dedos no cada do Do-In.

Facilidade:as técnicas e as teorias são extremamente fáceis, tanto para se aprender quanto para se aplicar.

Eficácia:na maioria das afecções o efeito é instantâneo e duradouro.

Ausência de efeitos colaterais.

Economia:dispensa o uso de medicamentos e diminui a duração da convalescência.

Versatilidade:devido à ausência de equipamentos sofisticados pode ser utilizada em quaisquer circunstâncias ambientais.

Veja abaixo alguns exemplos de pontos para dores na fronte e nuca. Os pontos marcados com vermelho servem para dor na fronte, azul na nuca, verde ocipital e amarelo temporal. O Shiatsu, tal qual a acupuntura usa centenas de pontos. Porém somente mostrarei o mapa da planta do pé.

Do-In

Do-In

O Do-In é um complexo sistema de autotratamento que reúne o que há de melhor e mais acessível nas práticas de mobilização energética chinesas.

Guiado pela perspectiva taoísta do refinamento espiritual, o DO-IN, mais que um método de prevenção e correção de enfermidades, é uma saudável proposta que visa resgatar da passividade o mais importante personagem da cena terapêutica:o paciente.

Através do diálogo táctil com o próprio corpo o praticante, geralmente buscando consumir superficial e instantaneamente uma nova técnica, é surpreendido pela constatação de que cada um de nós é naturalmente dotado do poder de reagir e restabelecer os desequilíbrios que nos afligem.

Ainda mais importante que eliminar uma dor ou promover o bem estar usando as próprias mãos, é a constatação de que a cura é um processo em grande medida autogerado. Seu sucesso envolverá sempre, em maior ou menor grau, a participação ativa da própria pessoa em última análise, o verdadeiro autor da doença.

A consciência de que cabem ao sujeito as primeiras iniciativas nos cuidados com sua saúde, o permite avaliar com mais clareza suas possibilidades e limitações pessoais. A partir daí, a decisão de quando buscar ajuda externa pode ser determinada de forma mais abalizada e responsável. Mas não é apenas ao leigo que o Do-In se dirige. Ao promover a canalização energética, suas técnicas se mostram igualmente valiosas como preparação para o trabalho terapêutico com energia.

E, como se norteia pela sofisticada perspectiva da psicossomática chinesa, sua investigação teórica permite um facilitado ingresso ao simbolismo do corpo, induzindo ao conhecimento de outros mapeamentos bioenergéticos, com seus pontos de contato e intersecções.

Meridianos:

Na medicina chinesa a Energia é a essência de todas as coisas, a primeira manifestação do universo sensível. Esta energia - Chi, para os orientais - resulta da combinação de duas forças opostas - Yang, ativa ou positiva e Yin, passiva ou negativa - que surgem continuamente do Tao, a Unidade Primordial, origem do universo de pluralidades. Yang e Ying, os dois princípios antagônicos da Unidade se juntam pela força de atração dos opostos em combinações variadas e criam a energia, que se condensa formando a matéria e todas as concreções físicas.

A energia Chi desloca-se, no nível subcutâneo, através de linhas preferenciais denominadas meridianos. Esses canais imateriais conduzem a energia diferenciada em variadas combinações Yin-Yang, cujos fluxos se intercambiam alternante e complementarmente no corpo, constituindo um sistema responsável pela defesa, regulação e ressonância do organismo em relação às influências cósmicas. Saúde implica, em primeiro lugar, na circulação adequada da força vital através de canais livres e desimpedidos.

Cada meridiano é formado por um número determinado de pontos que transmitem a energia em sentido e ordem sempre constantes. Existem vários tipos de meridianos conforme a função que desempenham, sendo 14 considerados importantes - 12 meridianos principais e 2 meridianos extras. Os demais destituídos de pontos próprios são os meridianos virtuais que somente se manifestam nos estados patológicos e os meridianos de ligação denominados Vasos Secundários.

Meridianos principais:

São pares e simétricos; cada meridiano representa um órgão ou unidade funcional que com ele se liga por meio dos vasos secundários. Nas extremidades todos os meridianos principais se interligam formando a Grande Circulação de Energia.

São constituídos de:

6 meridianos Yin (condutores de energia com predominância da força Yin) correspondentes aos órgãos de elaboração, que transformam os elementos externos em energia e sangue => Pulmões, Baço-Pâncreas, Coração, Rins, Fígado e a função Circulação-Sexo;

6 meridianos Yang (condutores de energia com predominância Yang) correspondentes aos órgãos que controlam a purificação e a circulação do sangue e da energia no organismo => Intestino Grosso, Estômago, Intestino Delgado, Bexiga, Vesícula Biliar e a função Triplo-Aquecedor.

Meridianos extras:

São ímpares e passam pelo centro do corpo. Interligam-se formando a Pequena Circulação de Energia, um sistema regulador destinado a manter o equilíbrio energético da Grande Circulação.

Os dois meridianos extras são:Vaso da Concepção e Vaso Governador.

4 - Pontos de Energia

Todas as práticas chinesas incluem, diretas ou indiretamente, o trabalho de desbloqueio dos pontos de energia. Localizados abaixo da pele, esses vórtices energéticos transmitem o chi através de linhas preferenciais que se inscrevem no corpo numa topografia precisa. Ou seja, essas linhas ou meridianos, resultam de interligação ordenada dos pontos entre si, e cada meridiano dispõe de um certo número invariável de pontos. O meridiano é um trecho ao longo do circuito energético, uma faixa de representação fisioenergética com estreitas conexões com o órgão material que lhe dá o nome. Alinhados verticalmente no território somático, 309 pontos, duplicados nos dois lados do corpo, se interligam formando a Grande Circulação de Energia - a cadeia dos 12 meridianos principais.

Acrescidos dos 52 pontos pertencentes aos 2 meridianos ímpares da Pequena Circulação, tem-se 670 pontos denominados pontos de meridianos. Além desses, um grande número de pontos extrameridianos, pontos dos microsistemas da orelha, do nariz, das mãos e dos pés completam um total de cerca de 1000 pontos conhecidos e utilizados nas terapias chinesas.

O que de fato ocorre quando da estimulação dos pontos - com agulhas, calor ou pressões - é algo que somente a perspectiva energética chinesa esclarece. Mas os pontos não se nivelam em importância. Cada um deles tem seus efeitos e indicações específicas, embora aqueles que pertencem a um mesmo meridiano apresentem efeitos terapêuticos muito semelhantes. Basicamente todo ponto tem propriedades locais e sistêmicas mais ou menos pronunciadas.

O efeito local refere-se a uma contingência anatômica:independentemente do meridiano a que pertence, um ponto irá influir na área do corpo onde se localiza.

Sua estimulação promove o descongestionamento local, beneficiando afecções da estrutura e ainda influindo nas disfunções de um órgão que se localiza naquela região.

A ação sistêmica é mais abrangente:por diferentes motivos, um ponto terá relações específicas com certas funções pertinentes ao seu meridiano; sua estimulação trará subsídios para a regularização da função alterada.

Do-In

5 - Período de cada meridiano:

03 - 05:Pulmão
05 - 07:Intestino Grosso
07 - 09:Estômago
09 - 11:Baço-Pâncreas
11 - 13:Coração
13 - 15:Intestino Delgado
15 -17:Bexiga
17 -19:Rins
19 - 21:Circulação-Sexo
21 - 23:Triplo-Aquecedor
23 - 01:Vesícula-Biliar
01 - 03:Fígado

6 - Diagnose e prevenção

Nos desequilíbrios orgânicos as áreas, meridianos e pontos correspondentes se tornam doloridos; antes que o mal se manifeste somaticamente podemos detectar e tratar este desequilíbrio ainda ao nível de energia.

7 - Tratamento Especifico:

Técnicas específicas (tonificação e sedação) permitem reforçar ou acalmar o funcionamento dos órgãos internos; manter o tônus energético e impedir que a energia fique cronicamente bloqueada em certas áreas do corpo.

8 - Primeiros Socorros:

Isoladamente, cada ponto tem um raio de ação específico, de forma que seu estímulo interfere significativamente em determinados distúrbios orgânicos. Assim, para cada distúrbio há um ou mais pontos que, corretamente pressionados produzem resultados altamente benéficos, tais como o alívio de dores e de outros desconfortos.

9 - Autoconhecimento

Desde o nascimento o toque - tocar e ser tocado desempenha uma importante função de conhecimento e comunicação.

Através do DO-IN - o diálogo com o próprio corpo - fazemos a topografia da dor. Dor ou insensibilidade revela energia reprimida, bloqueada, impedida de manifestar suas funções vitais. O conhecimento das áreas estratégicas de correspondências orgânicas conduz a uma maior interação com o próprio organismo e à possibilidade de atender às necessidades dos órgãos pela vitalização dessas áreas de reflexo. Aumentando a sensibilidade do organismo, energias-alimento de nossa intuição - são igualmente melhor recebidas, reconhecidas e utilizadas. Resulta um melhor equilíbrio do corpo e de todas as funções orgânicas, psíquicas e espirituais.

10- A prática de Do-in

Após o aprendizado da técnica, a prática de Do-in consiste:

Na prática diária preventiva, de 7 minutos.

Na aplicação do Do-in em situações emergenciais (3 a 7 minutos de aplicações ).

No tratamento de saúde, com aplicação de Do-in em pontos específicos para cada caso, duas vezes ao dia, durante o tempo do tratamento.

Na prática de relaxamento, cuja seqüência dura 7 minutos.

Os resultados da prática:

A aplicação do Do-in em situações emergenciais tem resultados instantâneos. Em geral, de 7 a 10 minutos após a aplicação, o quadro apresenta melhoras.

Os resultados do tratamento de saúde feitos através do Do-in são muito animadores. Os sintomas regridem após algumas aplicações e, mantendo-se a sua regularidade, verifica-se que a causa é eliminada. As aplicações são feitas pela própria pessoa.

Como prática preventiva, agindo na profilaxia de doenças como o stress, o Do-in tem se revelado extremamente potente. As pessoas que praticam regularmente o Do-in adoecem menos, manifestam mais vitalidade, equilibram suas emoções e percebem suas mentes mais claras e lúcidas.

Ao se tocar durante a prática, a pessoa entra em contato com todo seu potencial de auto-estima, de cuidados para consigo e de a consciência de si mesmo.

Fonte: www.wgate.com.br

Do-In

Do-in é uma técnica de origem chinesa que tem por base os meridianos do corpo, promovendo o tratamento das doenças através da massagem feita com os dedos em pontos determinados. Tem como referência os princípios da Medicina Tradicional Chinesa. A origem do do-in está relacionada com o início da humanidade, quando um homem ao bater o pé em uma pedra e massageá-lo sentiu um alívio imediato. Desde então, percebeu-se uma relação direta entre determinados pontos distribuídos pelo corpo humano e a energia que flui entre esses.

O conhecimento desses pontos proporcionou a nossos ancestrais o desenvolvimento de uma prática auto-estimuladora, transmitida de geração em geração.

Dessa forma, através da automassagem de alguns pontos específicos do corpo humano, prevenimos e corrigimos muitos distúrbios, principalmente os que se encontram em estágios iniciais.

Sedação e Estimulação:

O Do-in serve-se dos pontos tradicionais utilizados na acupuntura como referência para tratar o fluxo energético do organismo, recuperando o fluxo da energia onde esta esteja sofrendo bloqueios ou tenha se desequilibrado.

É uma espécie de tratamento de primeiro-socorro para certos males, pois que o próprio paciente pode aplicar a massagem, que consiste, basicamente, no emprego de dois tipos de toque:

Sedação -pressão contínua;

Estimulação -pressão alternada (Tonificação).

Em linhas gerais, o do-in é uma massagem que pode ser feita pela própria pessoa como terapêutica emergencial para males que vão desde dores agudas (garganta, sinus, cabeça, etc.) a pequenos males como dor de barriga, enjôos ou prisão de ventre. Aprenda como fazer o do-in, a arte de estimular ou sedar os pontos energéticos do corpo com a pressão dos dedos.

Vários sintomas podem ser tratados com a técnica.

E vale lembrar que:

Nos casos de distúrbios causados pelo excesso de energia (dor, inflamação, contração e aquecimento) é preciso sedar o ponto durante dois a cinco minutos.

Nos casos de deficiência (hipotensão, flacidez, suor frio e inchaços) é necessário estimular o ponto durante dois a cinco minutos.

Ansiedade:Sedação com a unha do polegar.

Do-In

Asma: Sedação com a polpa do polegar.

Do-In

Bronquite / Dor de garganta / Resfriados / Angina aguda:Sedação com a polpa do polegar.

Do-In

Caimbras Musculares: Tonificação com a polpa do polegar.

Cólicas em geral / Náusea: Sedação com a unha do polegar.

Do-In

Ciática: Sedação com a polpa do polegar.

Do-In

Cólicas do Estômago / Vertigem: Sedação com a polpa do polegar.

Do-In

Congestão Nasal / Sinusite: Sedação com a unha do polegar (também se deve além do ponto mencionado, sedar outro ponto mais acima e outro no buraco das órbitas sempre junto ao nariz; outra opção é colocar os dedos em espada - indicador junto com o médio, e esfregar os lados do nariz ao mesmo tempo).

Do-In

Depressão: Tonificação com a polpa do polegar.

Do-In

Desmaio: Tonificação com a unha do polegar.

Do-In

 

Dor de Cabeça: Sedação com a polpa do polegar.

Do-In

Dor de Dentes: Sedação com a polpa do polegar

Do-In

Fígado: Tonificação com a polpa do polegar.

Do-In

Gastrite: Sedação com a polpa do polegar (ATENÇÃO, nunca carregar no apêndice xifóide: extremidade inferior do esterno).

Do-In

Hemorragia: Sedação com a polpa do polegar.

Do-In

Impotência: Tonificação com a polpa do polegar.

Do-In

Menstruação: Sedação com a polpa do polegar.

Do-In

Nevralgia: Sedação com a polpa do polegar.

Do-In

Pressão Alta: Sedação com a unha do polegar (há mais 4 técnicas para a pressão alta: fazer o ponto primeiro da ansiedade; com uma caneta tipoBicusar a parte de trás da mesma e fazer pressão na base do dedo grande do pé; verticalmente às orelhas, no topo da cabeça, colocar um polegar e esfregar enquanto se coloca outro polegar no ponto do meio das sobrancelhas; fazer sedação no dedo mindinho, com o polegar e o indicador ao mesmo tempo, de cada lado da unha).

Do-In

Pressão Baixa: Tonificação com a polpa do polegar.

Do-In

Prisão de Ventre: Sedação com a polpa do polegar.

Do-In

Problemas Respiratórios: Tonificação com a polpa do polegar (abaixo da clavícula).

Do-In

Ressaca: Sedação com a unha do polegar.

Do-In

Soluço: Sedação com a unha do polegar.

Do-In

Fonte: www.harmoniatotal.com

Do-In

O que é

Do-In

O DO-IN é uma técnica de auto-massagem aplicada nos pontos energéticos do nosso corpo, chamados de MERIDIANOS.

O DO-IN tem como herdeiros a acupuntura, o moxabustão e o shiatsu, que são considerados como técnicas para serem aplicadas em curas de moléstias crônicas.

Do-In

Origem

O DO-IN tal como conhecemos hoje teve seu período áureo há cinco mil anos, no reinado de Huang-Ti, a quem se atribui a autoria do livro Nei Ching (Fundamentos da Medicina Chinesa).

A técnica difundiu-se com rapidez por todo o Oriente e no Japão recebeu o nome de DO-IN, que significa o Caminho da Casa (o conhecimento do nosso próprio corpo).

Energia

Do-In

KI é a energia que flui no Universo, manifestando-se em seus dois aspectos opostos e complementares (negativo e positivo) que são denominados de Yin e Yang.

Para um corpo saudável o KI deve fluir pelo nosso corpo através dos MERIDIANOS de forma harmoniosa. Quando o equilíbrio interno se desfaz o organismo fica debilitado destruindo assim sua imunidade.

O DO-IN é a técnica bastante simples de restabelecer o equilíbrio do KI (Yin e Yang), podendo ser aplicado pela própria pessoa ou uma outra pessoa desde que esteja em melhores condições físicas.

Meridianos

Do-In

MERIDIANOS PRINCIPAIS

SÍMBOLO

PONTOS

Pulmões P 11
Intestino Grosso IG 20
Estomago E 45
Baço-Pâncreas BP 21
Coração   C 09
Intestino Delgado ID 19
Bexiga B 67
Rins R 27
Circulação-Sexo CS 09
Triplo-Aquecedor TA 23
Vesícula-Biliar VB 44
Fígado F 14

MERIDIANOS EXTRAS

   
Vaso da Concepção VC 24
Sistema Nervoso SN 28

Os meridianos são canais onde flui o KI sendo determinados por pontos localizados profundamente na pele que captam a energia cósmica.

Os meridianos considerados mais importantes pela medicina chinesa são catorze:doze meridianos principais associados a doze órgãos e dois meridianos extras que funcionam como um reservatório de energia.

Os doze meridianos principais são pares e simétricos, ou seja, se reproduzem dos dois lados do corpo.

Os dois meridianos extras são ímpares, passando verticalmente pelo centro do corpo e regulam o fluxo energético dos outros doze meridianos.

Técnicas

O congestionamento em um determinado ponto do meridiano provoca o excesso ou a deficiência de energia, tanto no meridiano como no órgão a que este se relaciona.

Excesso de Ki:dor, espasmos, quentura, contração, hipertensão, inflamação,convulsão, hiperatividade.

Deficiência de KI:frio, flacidez, hipotensão, suor frio, inchação, paralisia, torpor, e inatividade.

Em caso de distúrbios causados pelo excesso de energia, precisamos SEDAR o ponto de cura. SEDAR significa pressionar profunda e continuamente o ponto durante um a cinco minutos.

Na deficiência precisamos TONIFICAR o ponto de cura. TONIFICAR significa pressionar repetidamente e em intervalos de um segundo o ponto durante um a cinco minutos.

ATENÇÃO:Não ultrapasse cinco minutos em cada ponto massageado.

Cuidados

Deve-se evitar o tratamento logo após uma refeição pesada, nos casos de problemas cardíacos sérios e massagem abdominal durante a gravidez. Também é contra-indicado em áreas onde existem contusões, erupções ou varizes.
A massagem pode ser aplicada por outra pessoa desde que esta esteja em boas condições físicas e de saúde, pois o massagista transmite sua reserva energética e recebe a energia desequilibrada.

ATENÇÃO:Durante a GRAVIDEZ não pressionar ou massagear o ventre, assim como os pontos BP6 - E36 - IG4 que são pontos ABORTIVOS.

BP6

Do-In

E36

Do-In

 

IG4

Do-In
As imagens acima são meramente ilustratias.
Para localizar os pontos em seu corpo, oriente-se pela imagem e localize um ponto dolorido próximo ao ponto visto no desenho.

Estética

Do-In
Massagear os pontos no sentido circular (IG20) para prover uma sustentação das bochechas e a região entre o nariz e os lábios

Do-In
Massagear os pontos no sentido circular (E4) para prover uma sustentação nas regiões localizadas próximas ao queixo

Do-In
Esse ponto (VC24) também age no sentido de prover uma sustentação nas regiões localizadas próximas ao queixo

Do-In
Massagear os pontos no sentido circular (E1) para prover uma sustentação das pálpebras inferiores

Do-In
Massagear os pontos no sentido circular (B1) para prover uma sustentação das pálpebras superiores

Do-In
Massagear os pontos no sentido circular (VB14) para amenizar linhas de expressão tanto horizontais como verticais

Do-In
Deslize os dedos por todo o rosto para diminuir as linhas de expressão e reduzir a tensão.

Massagem originária da China, também conhecida como Tui-Na.

Fonte: www.massagemdoin.net

Do-In

Técnica Oriental de Auto-massagem

Hoje o DO-IN é não só auto-massagem como também diagnose e rápida cura do corpo praticada por aqueles que desejam operar grandes transformações dentro de si e lutam para se manter em harmonia com a natureza.

A prática do DO-IN é indispensável a todos que desejam aprimorar suas funções orgânicas, e em especial aos que dispendem muito talento ou energia em suas atividades.

Massagem Terapêutica

Do-In

A técnica anma, semelhante a outras técnicas de origem sueca, é conhecida no ocidente simplesmente como massagem terapêutica ou fisioterapia.

A Digitopressura Do-In é uma técnica de massagem de origem chinesa que visa a preservação ou recuperação da saúde, através da pressão exercida com os dedos sobre os pontos de acupuntura.

Em chinês o Do-In é mais conhecido como Tui-ah ou Tui-nah e reúne técnicas ancestrais de massagem terapêutica que se originaram em distintas épocas da história chinesa.

Do-In

Vantagens do Do-in

Simplicidade:os únicos equipamentos necessários são as agulhas (no caso da acupuntura), os cones de artemísia (no caso da moxa) ou os dedos no caso do Do-In.

Facilidade:as técnicas e as teorias são extremamente fáceis, tanto para se aprender quanto para se aplicar.

Eficácia:na maioria das afecções o efeito é instantâneo e duradouro.

Ausência de efeitos colaterais.

Economia:dispensa o uso de medicamentos e diminui a duração da convalescência.

Versatilidade:devido à ausência de equipamentos sofisticados pode ser utilizada em quaisquer circunstâncias ambientais.

Gráficos dos pontos e meridianos para tratamento da cefaléia.

Veja abaixo alguns exemplos de pontos para dores na fronte e nuca. Os pontos marcados com vermelho servem para dor na fronte, azul na nuca, verde occipital e amarelo temporal.

Do-In

Faça você mesmo sua massagem nas plantas e dedos dos pés, pois é importantíssima, dada a quantidade e variedade de pontos aí encontrados.

Do-In

Do-In

A prática do DO-IN pode ser complementada por métodos paralelos de alimentação natural, renovação constante de energia física e meditação bem orientada.

A maioria das doenças provém dos problemas da Coluna

Fonte: www.bethynha.com.br

Do-In

Origem

A origem do Do-In está relacionada com o início da humanidade, quando um homem ao bater o pé em uma pedra e massageá-lo sentiu um alívio imediato.Desde então, percebeu-se uma relação direta entre determinados pontos distribuídos pelo corpo humano e a energia que flui entre esses.

O conhecimento desses pontos proporcionou a nossos ancestrais o desenvolvimento de uma prática auto-estimuladora, transmitida de geração em geração. Atribuiu-se ao “Imperador Amarelo”, Huang-Ti, cujo reinado data de mais de cinco mil anos atrás, ser o formulador de toda a Medicina Tradicional Chinesa.

Embora a origem da técnica seja chinesa, a palavra “Do-In” é japonesa, cujo significado é “o caminho de casa”, sendo “casa” o corpo, morada do espírito e do “Ki” (palavra em japonês) ou “Tchi” (em chinês) que significa energia da vida, sendo Yin e Yang os pólos opostos, porém complementares, que compõem esta energia. O Yin significa a noite, o frio, o feminino, o molhado, a terra, o negativo, etc. O Yang é o dia, o calor, o masculino, o seco, o céu, o positivo...

Portanto, é contínua a atração que Yin exerce sobre Yang e vice-versa. Essas duas expressões do Ki devem ocorrer no organismo humano de forma harmoniosa e equilibrada, gerando saúde física, mental e emocional. Quando a pessoa apresenta mais energia Yin ou Yang, temos um congestionamento ao longo dos canais (meridianos) e este bloqueio caracteriza-se por uma série de sintomas sem causa aparente, desfazendo todo o equilíbrio interno, debilitando o organismo, destruindo sua imunidade e gerando um distúrbio.Um distúrbio, segundo a tradição oriental, é a desarmonia do fluxo “Ki” em alguma parte de nosso corpo.

Dessa forma, através da automassagem de alguns pontos específicos do corpo humano, prevenimos e corrigimos muitos distúrbios, principalmente os que se encontram em estágios iniciais.

Do-In

Falanges:

1)Cérebro, cabeça.
2)Garganta, laringe.
3)Braços, mãos, ombros.
4)Plexo, seios, assimilação.
5)Estômago, diafragma.
6)Ventre, intestinos.
7)Rins, espinha dorsal, nádegas
8)Sexo, vias urinárias.
9)Coxas, cadeiras, orifício retal.
10)Joelhos, curvas da perna.
11)Pernas, tornozelos.
12)Pés, dedos dos pés.

Montes:

13)Circulação do sangue, fígado, sistema digestivo, líquido seminal.
14)Joelhos, ossos, dentes, baço, articulações, reumatismo.
15)Coração, sangue, vitalidade.
16)Cérebro, braços, sistema nervoso, pulmões, brônquios.
17)Sexo externo, músculos, tendões, bile, nariz.
18)Estômago, peito, sistema linfático, tumores.
19)Seios, garganta, sexo interno, urina

Fonte: www.figueiraconsultores.com

Do-In

O Do-In é um dos métodos orientais de massagem, ou melhor, de automassagem, que, além de oferecer um diagnóstico, pode servir para orientar o planejamento das atividades do dia, da dieta alimentar e mesmo, como um guia de conduta.

A técnica de do-in, transmitida de geração para geração, nasceu na China e difundiu-se rapidamente por todo o oriente. No Japão, recebeu o nome de do-in, que significa “O caminho de casa” (casa é o corpo, morada do espírito e do ki, a energia vital).

Muito fácil de ser entendido e aplicado, o tratamento pelo do-in baseia-se na simples pressão com o polegar sobre os centros ou pontos de captação, armazenamento e fazendo a distribuição de energia.

O congestionamento em um determinado ponto da complexa rede de canais que transportam a energia ki pelo corpo, gera um excesso ou uma deficiência de energia. Quando a energia condensada dispersa, o órgão afetado se acalma, ocorrendo então a sedação. Para sedar basta pressionar profunda e continuamente o ponto específico do meridiano, através do qual se trata o distúrbio, durante cinco minutos. O inverso é a tonificação, que aumenta o volume do fluxo energético do meridiano, ativando o órgão deficiente. Para tonificar, pressiona-se repetidamente o (os) ponto (os), em intervalo de um segundo, durante um a cinco minutos.

A prática do do-in não apresenta qualquer contra-indicação. Pode ocorrer em alguns casos o agravamento inicial dos sintomas, mas será temporário, pois indica somente, que o processo de melhora está em andamento.

Evidentemente, os resultados do do-in serão mais eficazes e duradouros nas pessoas que utilizam outras técnicas naturais e controlam adequadamente a sua dieta.

A teoria de Do-In é baseada no conceito chinês de que o universo é um organismo vivo e dinâmico, constituído de uma energia cósmica primordial da qual derivam todas as coisas existentes. O organismo humano é uma cópia do universo e como tal está sujeito às mesmas leis que regem a natureza. Desse modo o corpo humano não apenas contém energia, mas ele é ENERGIA manifestada como matéria sólida viva. Esta força cósmica, o Chinês chamou de Ki. Ela flui incessantemente por canais definidos, transmitindo a vida através das células e colocando o organismo em harmonia com o mundo que o rodeia.

Já que o organismo é um complexo digestivo, a energia vital se renova através da assimilação de alimentos, da respiração e das vibrações que os sentidos captam. No entanto a forma primordial do Ki energia cósmica pura, é captada continuamente por determinados pontos distribuídos na pele. Assim o funcionamento adequado do organismo humano estaria ligado a perfeita captação e ao fluxo de energia Ki através do corpo.

Segundo a idéia Chinesa da criação do universo, no início existia somente Ki, a unidade. Para que o nosso mundo relativo fosse criado, a unidade manifestou-se em seus dois aspectos opostos e complementares, negativo e positivo, a que os Chineses denominaram Yin e Yang. Yin é o princípio negativo, que se manifesta pela expansão; Yang é o princípio positivo que contrai, sendo que todos os fenômenos ocorrem a partir da interação constante destas forças opostas. Portanto, é eterna e contínua a atração que Yin exerce sobre Yang e vice-versa, formando um número infinito de combinações que constituem o Uni-verso, a diversificação da Unidade.

Estas duas expressões do Ki devem ocorrer no organismo humano de forma harmoniosa e equilibrada, gerando saúde física e mental. Quando o fluxo de energia Ki é bloqueado, aparecem sinais no corpo que seriam o que nós chamamos de sintomas de doença. Estas surgem justamente quando o equilíbrio interno se desfaz, debilitando o organismo e destruindo suas imunidades.

Existem dois tipos de energia:Yin e Yang. Eles são simbolizados pelo TAI CHI, onde o lado branco representa o princípio masculino-positivo e o preto, o princípio feminino-negativo, respectivamente Yang e Yin.

Este símbolo, de origem Taoísta, representa a dualidade presente em todas as coisas manifestadas no universo.

Tao – Yin e Yang

EXERCÍCIOS DE DO-IN

Depois de saber um pouco mais sobre essa técnica oriental de automassagem, é hora de aprender a executá-la. Siga cada um dos passos propostos.

Do-In

1 –Antes de tudo, sente-se sobre os calcanhares e procure respirar lenta e profundamente. Mantenha esse ritmo por alguns minutos.

Do-In

2 –Com a mão em forma de concha, golpeie o braço com vigor, em toda a sua extensão. O objetivo é ativar os meridianos.

Do-In

3 –A seguir, vá pressionando os vários pontos do antebraço concentrando naqueles mais doloridos, que são os que contêm energias acumuladas.

Do-In

4 –Gire cada um dos dedos e puxe-os delicadamente.

Do-In

5 –Incline cada um dos dedos para trás, o máximo possível. Depois, dobre-os para frente. Esses exercícios ativam as energias das extremidades superiores.

Do-In

 

6 -De acordo com a orientação da fotografia, pressione o ponto indicado, que corresponde ao intestino grosso. Se manifestar dor, é sinal de problemas digestivos. Insista nos exercícios a fim de melhorar essa função.

Do-In

7 –Massageie bem essa região abaixo do dedão na palma da mão, é de grande importância, pois corresponde aos pulmões. Pressionando os pontos logo abaixo dos dedos, é possível ajudar a dissipar a ansiedade e depressão.

Do-In

8 –As pontas dos dedos devem ser massageadas para estimular a circulação sanguínea no meridiano do coração.

9 –O próximo passo agora, é friccionar vigorosamente as bochechas, até sentir uma sensação de calor. O objetivo é vitalizar o estômago e os intestinos.

Do-In

10 –Para aliviar os sintomas de resfriados e sinusites e também para os problemas de vesícula e do sistema nervoso, friccione a ponta do nariz utilizando as pontas dos dedos. Batidas de leve e pressão no nariz, são uma forma de aliviar a congestão nasal.

Do-In

11 –Com as mãos ao redor dos lábios, exerça uma pequena pressão. Esse exercício é indicado para tratar problemas de gengiva, estômago, bexiga e casos de inapetência. Utilizando os polegares, pressione com profundidade a região sob as mandíbulas. A manifestação de dor nesse local indica concentração de energia devido ao consumo exagerado de alimentos pouco saudáveis, como açúcar, laticínios, carne vermelha, etc.

Do-In

12 –Os órgãos sexuais e a vesícula podem ser estimulados, beliscando várias vezes a parte superior do nariz. Depois, com as duas mãos, puxe os cabelos para cima. Se sentir dor, é sinal de concentração de energia na cabeça. Esse exercício é excelente para eliminar a tensão e a ansiedade, além de estimular o raciocínio e favorecer a memória.

Do-In

13 –Puxões de orelha para cima e para baixo também podem ser bons para a saúde. É preciso massageá-las com as pontas dos dedos, batendo em sua parte posterior, empurrando a cartilagem para frente. Repita o exercício várias vezes.

Do-In

14 –Agora vamos para os pés. Friccione bem uma mão na outra até aquecê-las. Coloque uma das mãos sobre o peito do pé e a outra sob a planta. Faça massagens firmes com as duas mãos desde os dedos até o tornozelo e depois volte ao ponto inicial.

Do-In

15 –Trabalhe profundamente a planta do pé com os polegares, fazendo peque-nos movimentos circulares para relaxar os tendões e os músculos.

Do-In

16 –Apóie o pé com uma das mãos e com a outra massageie as articulações dos dedos (de cima a baixo) entre o polegar e o indicador para relaxá-los completamente.

Do-In

17 -Massageie lentamente os dedos e depois gire cada um individualmente, em sentido horário e anti-horário, para aumentar a flexibilidade.

Do-In

18 –Massageie ao redor de toda a articulação do tornozelo usando os polegares e a ponta dos dedos, fazendo pequenos movimentos circulares para ativar a produção do líquido sinovial, que é um lubrificante natural.

Do-In

19 –Apóie o pé com uma das mãos e gire devagar o tornozelo em sentido horário e anti-horário. Isso alivia o peso do corpo que os pés suportam.

Do-In

20 –Massageie bem esta região acima do maléolo interno. Exatamente 4 dedos acima se localizam pontos de acupuntura, que quando estimulados, trazem grandes benefícios aos órgãos femininos, como útero e ovários, e também aos órgãos masculinos, como a próstata.

Do-In

21 –Usando a ponta dos dedos, massageie o pé devagar desde os dedos até o tornozelo. Coloque o pé entre a palma das mãos e aperte-o delicadamente.

Do-In

22 –Em uma bacia redonda, coloque água morna em uma temperatura bem agradável, um punhado de sal grosso e várias “bolas de gude”. Sente-se e role a sola dos pés suavemente sobre as bolinhas até a água esfriar. Isso é ótimo para quem chega em casa cansado depois do trabalho.

Do-In

23 -Para quem sofre de cólicas menstruais, encha uma garrafa (tipo pet) com água morna e coloque-a, com o fundo para baixo, em cima do ventre e faça uma pequena pressão. Faça em toda região dolorida. A pressão e o calor diminuirão a dor.

Do-In

24 –O stress e as olheiras, bem como alguns tipos de dor de cabeça, podem ser amenizados, fazendo um chá de camomila bem forte e colocando várias pedras de gelo dentro. Depois, use os saquinhos como compressa nos olhos ou chumaços de algodão embebidos nessa infusão.

ALGUNS PONTOS IMPORTANTES DE CADA MERIDIANO E SUAS INDICAÇÕES

“PULMÃO”

P5:Localizado na dobra do cotovelo, lateral do tendão bíceps braquial.

Indicação:Dor de cabeça (frontal); rigidez na nuca, tosse; asma; paralisia facial; dor no peito.

P9:Localizado na linha do pulso, sobre a artéria radial.

Indicação:Asma; tosse; dor no peito e mamas; amidalite; dor no braço.

P11:Localizado no ângulo ungueal lateral do polegar.

Indicação:Amidalite; coma; derramamento de sangue no nariz; diarréia infantil.

“INTESTINO GROSSO”

IG1:Localizado no ângulo ungueal lateral do dedo indicador, próximo ao polegar.

Indicação:amidalite, dor de dentes; glaucoma; dor no ombro; dedos adormecidos.

IG4:Localizado no ângulo formado pelo polegar e pelo indicador.

Indicação:Dor de cabeça; de dente; rinite; bronquite; gripe; insônia; paralisia facial; nervosismo.

IG11:Localizado no ângulo externo do cotovelo.

Indicação:dores em geral; febre; pressão alta; conjuntivite; problema de pele; hemiplegia.

IG15:Localizado na ponta do ombro (com o braço levantado, forma-se um buraco no ombro).

Indicação:Bursite no ombro; hemiplegia; urticária; furunculose.

“ESTÔMAGO”

E36:Localizado a 4 dedos abaixo da patela. Fica na depressão abaixo da cabeça da tíbia.

Indicação:Dor de estômago; disenteria; gastrite: epilepsia; paralisia facial; frigidez; impotência.

E45:Localiza-se no ângulo ungueal lateral do 2º artelho, próximo ao 3º dedo do pé.

Indicação:gengivite; paralisia facial; excesso de sonhos; comportamento maníaco; ansiedade.

“BAÇO-PÂNCREAS”

BP2 e BP3:localizados antes e depois da junta metatarso-falangeal do hálux pela face medial.

Indicação:distensão e cólicas abdominais; lombalgia; gota; cansaço no corpo; hemorróidas.

BP6:localizado a 4 dedos acima do maléolo interno na borda interna do tornozelo.

Indicação:distúrbios nos órgãos genitais; impotência; frigidez; falta de apetite; inchaço da perna.

“CORAÇÃO”

C1:Localiza-se no oco da axila.

Indicação:Dores no braço, ombro e peito; dor no coração; nevralgia; mau cheiro na axila.

C3:Localizado no ângulo interno do cotovelo (ponta interna da dobra do cotovelo).

Indicação:Dores de dente, cabeça, nuca e antebraço; torcicolo; zumbido; tremor nos braços.

C7:Localizado na linha do pulso, ao lado do tendão do dedo mínimo

Indicação:Ansiedade; Palpitação; dor de cabeça e tontura; insônia; epilepsia; dor na garganta.

C9:Localizado no ângulo ungueal do dedo mínimo, próximo ao anular.

Indicação:Palpitação; dor no peito; dor de garganta; AVE; coma.

“INTESTINO DELGADO”

ID3:Localiza-se na ponta da linha do coração quando fechamos o punho (ponta da dobra).

Indicação:Dor nas costas; rigidez; dor na nuca; zumbido; surdez: epilepsia; transpiração noturna.

“BEXIGA”

B54:Localiza-se no centro da dobra do joelho (cavo poplíteo).

Indicação:Ciático; lombalgia; paralisia da perna; dor no joelho; AVE; hipertranspiração.

B60:Localiza-se entre o maléolo externo e o tendão calcâneo, na borda superior do calcâneo.

Indicação:Dor de cabeça; rigidez na nuca; lombalgia; ciática; dor no cóccix; distúrbio no parto.

“RINS”

R1:Localizado na ruga plantar, quando da flexão dos artelhos.

Indicação:Cefaléia parietal; tontura; fobias; insônia; diabete; pressão alta; convulsão infantil.

“CIRCULAÇÃO E SEXUALIDADE”

CS3:Localizado na dobra do cotovelo medial do tendão central.

Indicação:Palpitação; tosse; vômito; tremor nos braços; febre; coma.

CS6:Localiza-se a 2 dedos da linha do pulso, entre o rádio e a ulna.

Indicação:Dor no coração; pressão no peito; palpitação; ansiedade; histeria; insônia; soluço.

CS8:Localiza-se na palma da mão entre as juntas do 3º e 4º metacarpos (no centro da mão).

Indicação:Dor coração; sede; calor; anorexia; ansiedade; soluço; depressão; preguiça; cansaço.

“TRIPLO AQUECEDOR”

TA5:Localiza-se a 2 dedos acima da dobra dorsal do pulso, entre o rádio e a ulna.

Indicação:Cefaléia; dor na nuca; adormecimento e paralisia dos dedos; dor intercostal; surdez.

VESÍCULA BILIAR”

VB20: Localizado abaixo da base do occipital, fora da nuca, na margem do cabelo.

Indicação: dor de cabeça; dor na nuca; tontura; vertigem; hipertensão; enxaqueca; insônia.

VB38: Localiza-se a 4 polegadas acima do maléolo externo, fora da tíbia, em cima do perônio.

Indicação: Enxaqueca; espasmo muscular; sensação de frio na região lombar.

“FÍGADO”

F3: Localizado no dorso do pé, no ângulo formado pelo 1º e 2º metatarsianos.

Fonte: www.cecth.com.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal