Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Haxixe  Voltar

Haxixe

O que é o haxixe?

Haxixe
Haxixe

O haxixe é uma substância mais ativa, extraída da própria maconha. Enquanto a maconha contém 1% de THC, o haxixe contém até 14%.

É habitualmente transformado em pó e misturado ao tabaco normal para ser fumado em cachimbo. É, em sua maior parte, produzido no Norte da África, Paquistão, Nepal, Líbano e Turquia, sendo contrabandeado para os Estados Unidos e Europa.

A faixa da população que usa o haxixe é a mesma que usa a maconha, mas observa-se que esta é mais comum entre pessoas que estão tendo os primeiros contatos com a droga ou que a usam esporadicamente.

O haxixe é mais encontrado entre os já iniciados e fumantes contumazes, que necessitam doses mais fortes da droga.

É moldado em pequenas barras ou bolos de cor marrom-escura e seu óleo é bem mais potente.

Fonte: piscardeolhos.cvg.com.pt

Haxixe

Haxixe (Cannabis sativa) (do quimbundo ma'kaña, plural de di'kaña, tabaco, erva santa) ou cânhamo-da-índia (do espanhol cáñamo) é uma planta herbácea da família das Canabiáceas (Cannabaceae), amplamente cultivada em muitas partes do mundo.

As folhas são finamente recortadas em segmentos lineares; as flores, unissexuais e inconspícuas, têm pêlos granulosos que, nas femininas, segregam uma resina; o caule possui fibras industrialmente importantes, conhecidas como cânhamo; e a resina tem propriedades estupefacientes (sensações semelhantes às produzidas pelo ópio).

Também é conhecido pelos nomes de cânhamo marijuana, erva ou suruma (em Moçambique).

Diz-se haxixe também referindo-se às folhas e às inflorescências dessecadas e trituradas do cânhamo usadas como droga alucinógena (Cannabis indica ou Cannabis ruderalis).

A substância psicoativa presente no haxixe é o delta-9-tetrahidrocanabinol (THC).

Geralmente o haxixe contém até 8% de THC, mas algumas variedades do haxixe, como o skunk, possuem até 33% de THC. Geralmente é consumido sob a forma de cigarros ou baseados, mas há outras formas de consumi-lo, como cachimbos, narguiles e outros. Também é consumido na forma oral, na mistura a receitas culinárias, etc.

História

Os primeiros registros históricos do uso de haxixe para fabricação de papel, datam de 8000 anos a.C, na China.

Depois os chineses descobriram e desenvolveram outras formas de uso da planta, principalmente para produção de artigos textêis e medicina.

Mais tarde, outras grandes sociedades, como os gregos, romanos, africanos, indianos e árabes também aproveitaram as qualidades da planta, fosse ela consumida como alimento, medicina, combustível, fibras ou fumo.

Entre os anos de 1000 a.C. até meados do século XIX, o haxixe (incluindo Cânhamo) foi a maior agricultura do mundo, produzindo a maior parte dos papéis, combustíveis, artigos textêis e sendo, dependendo da cultura que o utilizava, a primeira, segunda ou terceira medicina mais usada.

Sua grande importância histórica se deve ao fato do haxixe ter a fibra natural mais resistênte e forte do que todas as outras, podendo ser cultivada em praticamente qualquer tipo de solo, além ser uma das medicinas mais importantes e uma das maiores fontes de inspiração religiosa entre povos nativos da africa e do oriente.

Carolus Linnaeus classificou-a em 1753, chamando-a de de Cannabis sativa L., onde o L vem do seu sobrenome, Linneaus.

Mas lembrando que não só existe Cannabis Sativa, temos muitas, como as Indicas e outras. Mas é comum o cultivo de Indica, Sativa e Híbridas que são novas sub-espécie devido cruzas entre as espécies.

O cultivo das mesmas é devido seu rendimento e aproveitamento, outras espécies não tem tanto potencial de produção como tais.

Proibição

Foi proibido no Brasil primeiramente em Grajau, em 1938. Até então costumava ser vendido em farmácias sob o nome de "cigarros índios", devido a ser uma planta originária da Índia, que eram indicados para curar os sintomas da asma, e para insônia. Em 1960 a ONU recomendou a proibição de haxixe em todo o mundo.

Legalização

A campanha pela legalização de haxixe ganhou força a partir dos anos 80 e 90, notadamente apoiada por artistas e políticos liberais. No Brasil, é uma das bandeiras do político Fernando Gabeira, que tentou implementar o cultivo do Cânhamo para fins industriais, mas sofreu uma série de constrangimentos por conta dessa iniciativa.

Hoje em dia a maconha é discriminalizada em alguns países de primeiro mundo, como Portugal e Holanda, que adotam políticas de tolerância em relação aos usuários, que não são presos. Além desses, outros países apoiam o seu uso como medicina, tendo em vista os variados e eficientes usos terapêuticos da planta.

Formas de uso

Pode ser:

Inalado, como cigarro ou com algum dispositivo, tal como cachimbo ou narguilé
Ingerido, tal como comida ou bebida.

Fumar os chamados baseados é a forma mais difundida de consumo de haxixe.

Efeitos

Os efeitos de haxixe podem variar de acordo com a condição psicológica de cada usuário. Aumento da sensibilidade, maior percepção de cores, sons, texturas e paladar. Aumento do apetite. Percepção distorcida do tempo. Sensação de relaxamento. Vontade de rir. Olhos avermelhados. Boca seca. Taquicardia. Introspecção (consumo prolongado).

Tolerância

Segundo um estudo realizado pelo pesquisador João Villares, do Departamento de Psicobiologia da Unifesp, o haxixe pode causar tolerância, que é a necessidade de doses cada vez maiores para atingir o mesmo efeito. A tolerância não é irreversível, segundo o pesquisador, que conclui que "em alguns poucos meses sem a droga, o cérebro se recupera".

Overdose

Uma overdose é o uso excessivo de alguma droga.

O haxixe pode causar overdose com alucinações, ilusões e paranóias e em grandes doses, psicose tóxica aguda.

Não há registros de morte devido a superdosagem de haxixe, mas sim devido aos efeitos psicoativos do uso (acidentes causados sob efeito da droga), os quais ocorrem em quantidade mínima quando comparados a outras drogas como o álcool ou a cocaína.

Pesquisas provaram que para um usuário morrer de overdose devido ao haxixe deverá ser consumido aproximadamente 4 kg da droga de uma só vez (algo humanamente impossível).

Memória

Sob o efeito da droga, é afetada a memória de curto prazo, isto é, a memória de pequena duração da qual precisamos num determinado instante e da qual nos desfazemos em seguida. Este distúrbio acaba quando o efeito da droga passa. Entretanto, efeitos de longo prazo (fumando-se mais de 35 cigarros de haxixe por semana ou mais de 5 por dia) incluem perda parcial da capacidade de aprendizagem e memorização.

Danos cerebrais

Pesquisadores da Universidade da Califórnia em San Diego (EUA) afirmaram que fumar haxixe altera as funções cerebrais, mas não provoca danos permanentes.

Outras drogas ilegais, e mesmo o álcool provocam danos cerebrais permanente.

O haxixe produz um dano de longo prazo apenas marginal, afetando pouco as capacidades de aprendizado e memória. E nenhum efeito foi registrado em outras funções, entre as quais o tempo de reação, a atenção, a linguagem, a habilidade de argumentação e as capacidades motora e perceptiva. Ao contrário do mito, haxixe não destrói os neurônios.

Sistema Reprodutor

Algumas pesquisas, ainda não definitivas, apontam que o uso continuado da erva pode reduzir a testosterona, o número de espermatozóides nos homens, o que poderia ser revertido ao se abandonar o uso da droga. Entretanto, não é provado que uma menor quantidade de esperma tenha qualquer relação negativa com a fertilidade. Alegações de que o haxixe poderia desregular o funcionamento hormonal nas mulheres, assim como alterar seu circlo menstrual ou causar infertilidade, são improváveis e infundadas.

Dependência

Esta comprovado cientificamente pela OMS que o haxixe provoca menos dependência que o tabaco ou o álcool, entretanto ela causa dependência psicológica, de acordo com a condição emocional de cada usuário. No caso, o usuário adquire o hábito de fumar, mas não se torna um dependente químico da droga.

Aparelho respiratório

Há uma certa polêmica com relação aos efeitos do haxixe no aparelho respiratório. Como as pesquisas dos efeitos do haxixe são mais recentes do que as produzidas sobre o tabaco, os resultados tendem a ser controversos e preliminares.

Contudo, uma suposta pesquisa da OMS (organizacao mundial da Saude) a qual teria sido censurada por motivos politicos informa que o haxixe não causa bloqueio das vias respiratórias, enfisema pulmonar ou qualquer outro dano às funções pulmonares.

Fonte: drugsglmm.blogspot.com

Haxixe

A maconha provoca excitação, seguida de relaxamento, euforia, desorientação no tempo e no espaço, e fome intensa. Também causa taquicardia e dilatação da pupila. Os efeitos colaterais imediatos são vermelhidão nos olhos e boca seca. Diminuição dos reflexos também é um efeito comum.

Em longo prazo, a maconha provoca prejuízo da atenção e da memória para fatos recentes. Algumas pessoas apresentam alucinações, sobretudo visuais. Em altas doses, pode haver ansiedade intensa, pânico e paranóia. O uso contínuo e prolongado pode levar a uma síndrome amotivacional (desânimo generalizado).

Há também uma infinidade de efeitos físicos crônicos da maconha. Vários órgãos do corpo são afetados, como os pulmões, o que desencadeia problemas respiratórios semelhantes aos provocados pelo cigarro comum. Porém, a maconha contém alto teor de alcatrão (maior que no cigarro comum), no qual existe uma substância chamada benzopireno, conhecido agente cancerígeno.

O QUE É HAXIXE?

O haxixe é uma substância mais ativa, extraída da própria maconha. Enquanto a maconha contém 1% de THC, o haxixe contém até 14%. É habitualmente transformado em pó e misturado ao tabaco normal para ser fumado em cachimbo.

É, em sua maior parte, produzido no Norte da África, Paquistão, Nepal, Líbano e Turquia, sendo contrabandeado para os Estados Unidos e Europa.

A faixa da população que usa o haxixe é a mesma que usa a maconha, mas observa-se que esta é mais comum entre pessoas que estão tendo os primeiros contatos com a droga ou que a usam esporadicamente.

O haxixe é mais encontrado entre os já iniciados e entre os fumantes contumazes, que necessitam doses mais fortes da droga. É moldado em pequenas barras ou bolos de cor marrom-escura e seu óleo é bem mais potente.

Fonte: obid.senad.gov.br

Haxixe

Haxixe
Haxixe

O Haxixe é uma substância extraída das folhas da Cannabis sativa, uma planta herbácea da família das Canabiáceas – a mesma planta usada para produzir maconha.

Porém enquanto a maconha tem 4% de THC (tetrahidrocannabinol), o Haxixe concentra até 14%. No Brasil a Cannabis se adapta perfeitamente, por causa do clima tropical.

O Haxixe se classifica em três tipos:

A erva que se obtém das folhas, caules e sementes secas da planta
A resina que é feita do liquido que sai da planta
O óleo, que é a parte mais forte do Haxixe.

O consumo é feito através do fumo em cachimbos ou também ingerido sozinho ou com água em uma espécie de chá.

É uma droga ilícita, sendo proibida de ser produzida, comercializada e consumida. Em alguns países, determinadas drogas são permitidas sendo que seu uso é considerado normal e integrante da cultura.

O haxixe também é alucinógeno (causa alucinações aos que ingerem).

Como a maioria das drogas, o jovem além de ficar condicionado pelas reações que é causada no organismo, também ajuda a ser aceito pelo grupo de amigos que frequenta o que muitas vezes é o motivo que levam os jovens a usarem drogas para se ter um bom convívio no grupo.

O Haxixe causa muitos efeitos e alguns até variados dependendo do organismo daquele que ingere a droga. Se assemelham aos efeitos da maconha, porém muitos mais intensos devido a grande diferença de THC.

Alguns dos efeitos são:

Boca seca
Aumento de apetite
Aumento da libido
Sorriso involuntário
Perda de interesse pelos estudos ou trabalho
Náuseas
Cefaléias (dores de cabeça)
Euforia
Sensação de relaxamento
Queda da tensão arterial
Noção de tempo e espaço alteradas
Aumento da freqüência cardíaca
Prejuízo da memória recente.

A Europa é o maior consumidor do mundo, sendo que o mercado domina em Portugal e Irlanda, os dois com 90%. No caso da América do Sul o Paraguai é o primeiro, seguido da Colômbia e do Brasil.

A faixa de população que usa o haxixe é a mesma que usa a maconha, porém o haxixe é mais usado entre os que já iniciaram o consumo da maconha por causar efeitos mais intensos.

Fonte: www.infoescola.com

Haxixe

Origem

Extraída da mesma planta donde se extrai a maconha. Mais precisamente, é uma espécie de resina retirada das folhas da Cannabis sativa e assim sendo, possui uma concentração maior de THC, a substância psico-ativa da droga.

Classificação

Ilícita e alucinógena.

Como se apresenta

A resina é prensada em pedaços, em pelotas ou tabletes.

Possíveis efeitos

Observam-se praticamente os mesmos efeitos presenciados quando do consumo de maconha porém, devido à maior concentração do THC, os efeitos são mais intensos. Excitação seguida de relaxamento, euforia, falar em demasia, fome intensa, olhos avermelhados, palidez, taquicardia, pupilas dilatadas e boca seca.

Pode causar

Problemas com o tempo e o espaço, prejuízo da atenção e da memória para fatos recentes, alucinações, diminuição dos reflexos, aumento do risco de acidentes, ansiedade intensa, pânico, paranóia, desânimo generalizado.

Fonte: www.diganaoasdrogas.com.br

Haxixe

" Mas mais do que a dependência ou não do haxixe, o que preocupa a maioria das pessoas é o risco da escalada do haxixe para outras drogas"

(Pais, J. Machado. org; in Traços e Riscos de Vida;1999:123)

O haxixe são as extremidades e a resina do CANNABIS (folhas e flores). É frequentemente fumado ou tomado por via oral.

Cria grande dependência psíquica e a dependência física é nula, mas possível.

O uso habitual de cannabis ou haxixe, provoca relaxamento,euforia, diminuição das inibições e aumento do apetite na fase final do efeito.

A sobredosagem cria pânico e o seu uso a longo prazo cria debilitação, e síndrome amotivacional.

Fonte: www2.fpce.ul.pt

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal